Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/03/2019 - 11:32Atualizado em 06/03/2019 - 11:50

O PSD catarinense terá renovação do diretório e da sua executiva até o final de junho, mas sem intervenção. O processo será feito em comum acordo entre a direção nacional e os principais líderes dos partido no estado.

O encaminhamento foi detalhado nesta manhã pelo presidente nacional do PSD, o ex-ministro Gilberto Kassab, durante entrevista exclusiva para a rádio Som Maior FM, de Criciúma.

Kassab está Madrid, na Espanha, participando de um evento politico, junto com o o ex-governador Raimundo Colombo.

Ele rechaçou a possibilidade de intervenção e garantiu que a renovação que será feita no partido em em Santa Catarina, será feita também em outros estados onde o desempenho eleitoral em 2018 ficou abaixo do projetado, e arrematou: "será feito inclusive no meu estado, São Paulo, onde o nosso desempenho foi ruim".

Pela sua projeção, o processo estará concluído até julho.

A palavra de Kassab oficializa o que estava dito. O ex-deputado Gelson Merisio deixará de ser o comandante do PSD catarinense.

Mesmo que seja sem intervenção, a "sucessão" será feita.

O ex-governador Colombo vai assumir a presidência estadual, em sintonia fina com o presidente da Assembléia, deputado Julio Garcia, maior vencedor do PSD em 2018 e principal político do partido a partir de janeiro.

A conferir se Merisio vai aceitar e continuar no partido.  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/03/2019 - 06:55

Interina: Francieli Oliveira

A Serra do Rio do Rastro é uma rodovia diferenciada e merece atenção diferenciada, isso sem contar as ações emergenciais que precisam ser realizadas. Do outro lado está o Governo do Estado sem recursos financeiros para isso. A máquina pública está pesada, não tem caixa para fazer o que é necessário. Ações podem estar sendo tomadas nesse sentido, mas os reflexos não são imediatos.
Posto tudo isso, é preciso abrir discussões, buscar soluções. E aí entraria a possibilidade de uma praça de pedágio a exemplo do que já acontece na Serra gaúcha. Não quer dizer que essa é a solução, mas é preciso discutir. O que deve ser colocado em debate é o que é melhor para a região, não ter o pedágio e depender dos escassos recursos públicos ou pedagiar e ter uma empresa responsável pela iluminação, manutenção e obras que precisam ser realizadas antes que um acidente mais grave ocorra.
Por enquanto, não há nenhuma sinalização nesse sentido. No passado, no governo de Raimundo Colombo (PSD), se chegou a realizar estudos para praças de pedágios em rodovias estaduais, mas não foi para frente e nem chegou a ser colocado em discussão pública quais rodovias seriam as escolhidas.
Mais um ponto a se lembrar é que a Serra do Rio do Rastro não é só um dos principais atrativos turísticos de Santa Catarina, mas também importante rota de escoação de produção e principal ligação do Sul com a região serrana e o Oeste catarinense.

PSD muda direção, mas sem intervenção

O ex-governador Raimundo Colombo emitiu uma declaração, nesta sexta-feira, dizendo que desconhece qualquer encaminhamento para intervenção nacional no PSD catarinense e, ao seu estilo, que as questões tem que ser tratadas de forma democrática. O que está encaminhado é que irá trocar a direção, mas não será por intervenção e isso deve acontecer em 15 de junho quando termina o atual mandato. Raimundo Colombo, que assumiu recentemente o Instituto de Estudos do PSD nacional, deve ser o novo presidente. Direção nacional do partido já fez as avaliações e concluiu que perderam espaço no estado depois da eleição de outubro. Antes tinham, por exemplo, o Governo do Estado por dois mandatos. A conclusão de que houve um erro de estratégia na condução do processo é que levou a direção nacional a mudar o comando em Santa Catarina, mas vai esperar até o fim do mandato da atual Executiva para fazer isso. Gelson Merisio é quem preside o PSD catarinense no momento.
A nova executiva terá a missão de reestruturar o partido, aparar as arestas internas e se fortalecer para a eleição municipal do ano que vem.
O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, foi quem teve melhor desempenho dentro do PSD na eleição do ano passado. Ele disputou a eleição rompido pessoal e politicamente com Gelson Merisio, fez toda a campanha sem recurso partidário, não participou de nenhum programa eleitoral de TV e rádio. E nesse processo sinaliza sintonia com Colombo para a reestruturação do partido.

Beto Martins na presidência do PSDB

Depois da saída do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, do PSDB, havia, na cúpula estadual, a especulação de que o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, poderia seguir o mesmo caminho. O PSDB foi um dos maiores derrotados na eleição do ano passado, encolheu muito no estado. Para não correr o risco de perder o Clésio, a cúpula estadual ofereceu a presidência da executiva estadual. Clésio tratou de tranquilizar dizendo que não deixará o PSDB, mas que entende que precisa mudar a direção. Por enquanto, não tem a intenção de assumir ele mesmo, tem projeto de buscar a reeleição e depois tentar participar da eleição estadual em 2022.
Tinha a possibilidade da deputada Geovania de Sá assumir a presidência, mas ela e Clésio conversaram e há um entendimento que devem apoiar agora o ex-prefeito de Imbituba, Beto Martins, que também é suplente do senador Jorginho Mello (PR). A confirmar essa operação, o Beto tem todos os méritos, é um político habilidoso, mas talvez fosse o momento da Geovania que é a maior vitoriosa do PSDB na eleição, já tem o nome estadualizado e tem reconhecimento político e eleitoral que a credenciam.

Com os mineradores

Os representantes da indústria carbonífera do Sul do estado tiveram uma boa conversa com o governador Carlos Moisés (PSL), no início da noite desta sexta-feira, na Casa da Agronômica. O governador entendeu que o setor precisa de políticas públicas diferenciadas e propôs a criação do Conselho Estadual de Minas e Energias vinculado a uma secretaria em específico. Isso poderá ser feito ainda com a reforma administrativa que está sendo preparada para encaminhamento à Assembleia Legislativa.

Após três anos

A partir de quarta-feira, a Prefeitura de Forquilhinha retorna com horário integral, das 8 às 12h e das 13 às 17h. Há três anos estava trabalhando em turno único, das 7 às 13h. O prefeito Dimas Kammer (PP) entende que os trabalhos intensos deste ano com a liberação de recursos para diversas obras de infraestrutura exigem a volta do período integral.

Paulo Conti em LM

Experiente em gestão de hospitais, o ex-secretário de Saúde de Criciúma, Paulo Conti, foi convidado pelo prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), e assumiu a gestão da clínica da Fundação Hospitalar Henrique Lage. 

Revitalização

Dois prédios próximos que estavam abandonados e que tiveram encaminhamentos. O Centro Cultural Jorge Zanatta já foi revitalizado e inaugurado em dezembro e nesta sexta-feira o prefeito Clésio Salvaro autorizou o início das obras que irão permitir que o antigo prédio do INSS receba as instalações do posto de saúde central. A intenção é inaugurar em 6 de janeiro de 2020, aniversário de Criciúma. Os dois prédios eram da União e foram cedidos ao Município. 

Participação importante

O prefeito Clésio Salvaro fez questão de gravar um vídeo destacando a importante participação da deputada federal Geovania de Sá na negociação com a União. Ela vem articulando isso desde quando era secretária de Saúde de Criciúma.

Otimista

Na próxima quarta-feira o secretário da Fazenda de Criciúma, Celito Cardoso, terá os números corretos de quanto foi arrecadado com a parcela única do IPTU. O prazo terminou na quinta-feira, mas ainda é preciso esperar as compensações bancárias. Mas a previsão é a mais otimista possível com arrecadação. Dois dias antes do fim do prazo, os valores já estavam próximos dos R$ 5 milhões.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/03/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

O tradicional dentista de Criciúma, Julio Lopes, surpreendeu, ontem, ao emitir uma nota anunciando sua saída do PSL. Foi um dos principais responsáveis pela estruturação do partido de Jair Bolsonaro na região. Teve fundamental participação na eleição de seu filho, Jessé Lopes, à Assembleia Legislativa.
Justificou sua saída por entender que cumpriu a meta. Irrequieto, como ele mesmo se descreveu, vai em busca de novas metas. Garante que sempre como fiel escudeiro do presidente Jair Bolsonaro e sem quebrar as relações com o PSL e seus eleitos.
Julio Lopes não fala abertamente, mas dá a entender que o seu próximo desafio será o projeto nacional, ainda pequeno, da criação de uma nova sigla, trazendo de volta ao cenário político a sigla UDN. Tanto é que ao fim da nota que anunciou sua saída do PSL, citou Carlos Lacerda, um dos principais udenistas da história.
É muito provável que Bolsonaro não fique no PSL e o que está mais do que certo é que o projeto do presidente será o projeto de Julio Lopes que está credenciado, pelo trabalho que realizou no ano passado, a coordenar aqui na região.

Conselho

Julio Lopes também garantiu que sua decisão não tem nenhuma relação com a derrota do filho Jesse Lopes na tentativa de presidir a CPI da Ponte Hercílio Luz. Revelou ainda o conselho que deu ao filho: “Tem só o pessoal do partido ao lado, então vai perder quando for para a eleição dentro da Assembleia, mas vai ganhar na tribuna”.

Mais prazo

A Casan solicitou mais prazo para dar nova resposta sobre os pedidos do prefeito Clésio Salvaro (PSDB). Ainda não há uma definição, mas as conversas estão fluindo e parece cada vez mais próximo de um acordo com a Casan cedendo e atendendo as solicitações. O prefeito Clésio Salvaro é um bom negociador e a Casan sabe a importância de Criciúma. Tanto é que reuniu toda sua diretoria para a reunião de ontem. A nora reunião acontece em Criciúma, dia 14 de março. Por enquanto, a Casan aceita repassar 5% de royalties. O prefeito quer 7% e mais 40% de desconto na taxa de esgoto.

Vazamento de memorando

O prefeito de Forquilhinha, Dimas Kammer (PP), reuniu ontem a imprensa para explicar a demissão de seus secretário de Governo, José Ricardo Junkes. Até aí tudo bem, o cargo é de confiança do prefeito e cabe a ele contratar e exonerar. O que gerou a maio polêmica foi a forma: um memorando interno. Não foi uma demissão olho no olho. Admitiu durante a entrevista que não foi a melhor escolha. Também disse que irá investigar o vazamento e o responsável deverá ser punido.

Destaque internacional

A Lei das Apaes, construída pelo atual presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia (PSD), em mandatos passados, é referência dentro do país e contribuiu muito para o funcionamento dessas entidades. Agora, ganhou destaque nos Estados Unidos com a matéria publicada no jornal Brazilian Press. Desde que a Lei entrou em vigor há 14 anos, mais de R4 260 milhões do Fundo Social já foram distribuídos beneficiando cerca de 19 mil alunos.

Com Guaidó

O deputado federal Daniel Freitas (PSL) acompanhou a agenda do autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, ao Brasil. Guaidó participou de reunião com o presidente Jair Bolsonaro e esteve na Câmara Federal e no Senado.

Caso das isenções

O governador Carlos Moisés (PSL) cumpriu, ontem, sua primeira agenda em Joinville, maior cidade de Santa Catarina. Em entrevista a jornalistas, admitiu que encaminhará nos próximos dias projetos de lei para a Assembleia Legislativa regularizando as isenções fiscais. Já adiantou algumas áreas que deverão ter o benefício mantido. Citou a madeira serrada, erva-mate, alho e produtos da cesta básica. São setores que já foram ouvidos por Moisés. Hoje, ele se encontra com os mineradores.

Manutenção de estradas

O governador também estuda uma parceria com as prefeituras para que elas façam a manutenção de estradas estaduais. Uma das possibilidades é até mesmo a criação de consórcios entre os municípios. Disse que está sendo procurado por muitos prefeitos que manifestam esse desejo.

Jacob Westrup

O prefeito de Forquilhinha, Dimas Kammer (PP), irá reunir lideranças da região para ir até o governador dia 15 de março. Irá apresentar a importância de continuar a pavimentação da Jacob Westrup, que liga Forquilhinha e Maracajá até a BR-101. Está disposto a firmar parceria na construção. O encontro foi intermediado pelo deputado federal Daniel Freitas (PSL).

Intervenção no PSD

O jornalista Marcos Schettini noticiou que o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, deverá dissolver a executiva estadual tirando o partido das mãos de Gelson Merisio e o motivo seria a forma como foi conduzido o processo eleitoral. O ex-governador Raimundo Colombo estaria a par e concordaria com a decisão. Parece cada vez mais clara a saída de Merisio do PSD.

Novos filiados

Já de olho nas eleições do próximo ano, o PR de Criciúma, presidido por Nícola Martins, filiou dois pré-candidatos a vereador. Daniel Formentin, da região do Rio Maina, foi candidato a vereador pelo PEN em 2016 e conquistou 436 votos. A outra filiação foi de Hugo Nascimento, que deixou o PP. Hugo é morador do Bairro Santo Antônio. Em 2016, trabalhou para ser candidato a vereador, mas não pôde ser por conta da coligação entre PP e PMDB. O próprio Nícola deixou o PP pelo mesmo motivo.

Surpreendeu

O prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha (PSDB), surpreendeu ao fazer proposta para a Comissão de Negociação do Sindicato dos Servidores Municipais na segunda reunião sobre a negociação coletiva da categoria. Ele quer que os próprios trabalhadores administrem a folha de pagamento, só precisam respeitar o limite prudencial de 51,3% da receita do Município. A proposta inovadora será levada para consulta da categoria em assembleia geral. As reivindicações apresentadas pelo sindicato elevariam a folha para 56% do total da receita. Arlindo é conhecido em toda região pelas negociações de dissídios no setor privado.

Reforma das pontes

O governador Carlos Moisés (PSL) inicia a fase de assinaturas de ordem de serviços para importantes reivindicações da população. Ontem, liberou a reforma nas pontes que fazer a ligação da ilha ao continente de Florianópolis. A obra deverá levar dois anos e o investimento do Estado será de R$ 29,6 milhões e mais R$ 1,3 milhões para a supervisão, controle e fiscalização dos trabalhos. A infraestrutura foi colocada como prioridade de seu governo. O que se espera, agora, é que essas obras possam ser levadas para todas as regiões de Santa Catarina.

Bandeira feminina

A deputada Ada De Luca (MDB) vem atuando fortemente na luta em defesa das mulheres, uma de suas bandeiras na Assembleia Legislativa. Como presidente da bancada feminina vem desenvolvendo ações em busca de frear a violência contra a mulher e faz um apelo mais veemente no Carnaval. Também já protocolou o projeto de lei, que prevê que bares, restaurantes, casas noturnas e de eventos passem a adotar medidas de auxílio às mulheres que se sentirem em situação de risco.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/02/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

O deputado criciumense Jessé Lopes (PSL) não será presidente da CPI da Ponte Hercílio Luz, como vinha trabalhando. Ele recebeu três dos oito votos da comissão. Os outros cinco foram para o deputado do PSDB, Marcos Vieira, que irá presidir os trabalhos. O relator será Bruno Souza (PSB), que foi o propositor da CPI, e o vice-presidente será João Amin (PP).

A primeira reunião da CPI da Ponte Hercílio Luz com a definição dos cargos, ocorreu às 17h de ontem. Algumas horas antes, Jessé distribuiu um vídeo dizendo que um acordo entre PSDB, MDB e PP já estava fechado e que colocaria Marcos Vieira na presidência. Ainda inclui-se o PSD no acordo.

Iniciada a reunião, esse foi o único cargo com dois candidatos. Os votos em Jessé, além do dele, foram de Bruno Souza e Sargento Lima (PSL). Marcos Vieira recebeu o seu voto e de Volnei Webber MDB – que representou o colega de partido Jerry Comper –, João Amin (PP), Marlene Fengler (PSD) e Fernando Krelling (MDB).

A votação para os cargos dentro da CPI da Ponte Hercílio Luz deixou claro dois grupos. Marcos Vieira é deputado experiente de mais mandatos. Já Jessé chegou à Alesc representando a renovação. Se elegeu na primeira vez que concorreu.

Outro fato que chama atenção é a ligação de MDB, PP, PSD e PSDB que de alguma forma têm ligações fortes com os governos anteriores e que serão investigados na CPI. A acompanhar para que essa CPI não seja mais uma a acabar em pizza.

Dia D na Casan

Reunião de logo mais define o futuro da Casan em Criciúma. A presidente da empresa estatal, Roberta Maas dos Anjos, só irá falar com a imprensa de Criciúma depois desse encontro. Não quis se manifestar antes. É mais provável que a Casan ceda à pressão de Criciúma do que o contrário e ocorra o rompimento. A cidade faz diferença para a Casan, dá lucro e é uma das maiores a manter o contrato.

Bons contatos

O encontro entre o presidente da Amrec e prefeito de Sideropolis, Hélio Cesa Alemão (MDB, o secretário-executivo, Acélio Casagrande e do representante da ACIC, Edio Castanhel Filho, com a vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil China, Uta Schwietzer, foi positiva. Foram vislumbradas oportunidades de parcerias na geração de energia, visitas ao país asiático e palestra na região. A intenção é atrair para a região investimentos como aconteceu no Mato Grosso do Sul.

Jacob Westrup

O deputado Rodrigo Minotto (PDT) apresentou o projeto para dar continuidade à pavimentação da Rodovia Jacob Westrup, entre Forquilhinha e Maracajá, ao secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba. Ainda falta cerca de R$ 12 milhões para finalizar a obra que será mais uma ligação com a BR-101 e rota de escoação de produção.

Vereadores sugerem viaduto

Para os vereadores que fazem parte da Comissão de Obras apresentaram uma proposta da construção de viaduto fazendo a ligação entre os bairros São Cristóvão e Pio Corrêa. Para eles, seria uma alternativa para distribuir o trânsito que chega em Criciúma pela Via Rápida. A proposta foi apresentada para a secretária de Obras Kátia Smielevski (foto).
Posse CDL

Está marcada a posse da nova diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Criciúma para o biênio 2019/2020. Será no dia 7 de março, às 19h30, no Centro de Eventos Flor de Lis. A CDL será comandada pela primeira vez por uma mulher. A eleita foi Andréa Gazola Salvalággio.

Internet

A Prefeitura de Criciúma irá fazer mais uma tentativa de deixar praças, parques e prédios públicos mais conectados com a tecnologia. Em breve será liberado edital para que seja implantado sinal gratuito de internet. O modelo previsto é de uma parceria público-privada, sem ônus para o município.

Supervisão escolar

O governador Carlos Moisés designou a professora Kelly Cristina Fernandes da Rosa para exercer o cargo de supervisora de gestão escolar na Gerência de Educação de Criciúma. A nomeação já saiu no Diário Oficial.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2019 - 15:24Atualizado em 27/02/2019 - 15:46

O deputado criciumense Jessé Lopes, PSL, não será presidente da CPI da Ponte Hercilio Luz. Acordo entre PSDB, MDB e PP garante a eleição do deputado reeleito Marcos Vieira, PSDB.

Eleição na comissão será às 17h, mas o acordo está fechado.

Deputado Jessé acaba repassar video denunciando o acordo (ver abaixo) e fazendo aposta - "será mais uma CPI que vai acabar em pizza, a velha politica outra vez".

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

Um daqueles fatos que irá ficar na história como inacreditável aconteceu, ontem, em Forquilhinha. O prefeito Dimas Kammer (PP) deixou um bilhete demitindo o seu secretário de Governo, José Ricardo Junckes. Os dois estiveram juntos na noite anterior. Mas, o prefeito preferiu deixar o bilhete, já durante a noite, com o procurador do Município, para que fosse entregue ao setor pessoal na manhã seguinte. Foi um ato desrespeitoso com um dos principais secretários da administração. Os gabinetes do prefeito e de Zé Ricardo ficavam próximos. Isso poderia e deveria ter sido feito olho no olho.
A outra baixa recente no governo de Forquilhinha é a de Diego Passarela (PP), secretário de Saúde, que solicitou exoneração na semana passada e que fica no cargo somente até o dia 6 de março. Decisão tomada e sem volta. Ainda tem o fato de que Zé Ricardo é o presidente do PP de Forquilhinha.
Não por acaso, Zé Ricardo e Diego tem proximidade com o grupo do ex-prefeito Lei Alexandre (PP). O fato desta semana vem para deixar evidente que o PP irá rachado para a eleição municipal do ano que vem. 
Lei foi prefeito por duas vezes e é um forte candidato dentro de Forquilhinha. Dimas foi seu sucessor. Chegou a dizer, em conversa com Lei, que estaria disposto a não concorrer, porém, essa atitude mostra que está disposto a ir para a reeleição.
O PP deve se reunir nos próximos dias para tratar do assunto.

Caso semelhante

Não foram poucos os que lembraram do caso de cassação do prefeito de Criciúma Décio Góes (PT), lá em 2004, em comparação com a trapalhada do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, ao sugerir que o slogan da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, fosse lido na volta às aulas. Décio perdeu o cargo ao qual se reelegeu por usar a palavra feliz na sua campanha. Seus adversários e a Justiça Eleitoral entenderam que relacionava à Festa das Etnias, promovida pelo Governo Municipal.
Ainda sobre o caso do ministro, o problema não está em cantar o Hino Nacional. Não há nenhum problema. Agora, slogan de campanha tem que ficar na campanha. A eleição já acabou. O ministro fez bem e voltou atrás.

Via Rápida

O deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) pediu audiência com o governador Carlos Moisés (PSL) e com o secretário da Infraestrutura, Carlos Hassler, para cobrar providências em relação à Via Rápida. A rodovia já tem mais um ano da inauguração, mas ainda há obras a serem realizadas e o principal de tudo é a estadualização para que deixe de ser uma estrada “sem dono”.

Com os mineradores

O secretário da Fazenda, Paulo Eli, e o governador Carlos Moisés, irão receber os empresários de mineração, na sexta-feira, na Casa da Agronômica. O setor será ouvido em relação à nova política fiscal do Estado. Principalmente em relação ao ICMS. Os responsáveis pelas carboníferas do Sul não escondem a preocupação e afirmam com todas as letras que se a atual decisão sobre o ICMS for mantida, o setor está inviabilizado. Somente de forma direta, são 3 mil empregos.

Safra da maçã

O secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, acompanhou comitiva de Lauro Müller na Defesa Civil Estadual, em Florianópolis, tratando das ações para liberação de caminhões na Serra do Rio do Rastro. O prefeito Valdir Fontanela e o deputado estadual Volnei Weber (MDB) também estavam presentes. A preocupação é com a safra da maçã, que está para começar. A negociação é para que caminhões até 10 toneladas possam trafegar. Por enquanto, está liberado apenas para caminhões até seis toneladas. Uma nova vistoria deverá ser realizada.

Assinaturas suficientes

O deputado estadual Lércio Schuster (PSB) conseguiu o número de assinaturas suficientes para a instalação da CPI da Caixa Preta que deverá investigar as isenções fiscais concedidas pelo Governo do Estado. São necessárias 14 assinaturas, mas já havia 18 até a noite de ontem. Assinaram Bruno Souza (PSB), Jessé Lopes (PSL), Ivan Naatz (PV), Sérgio Motta (PRB), Maurício Eskdlark (PR), Mauro de Nadal (MDB), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Nazareno Martins (PSB), Neodi Saretta (PT), Fabiano Luz (PT), Padre Pedro Baldissera (PT), Luciane Carminatti (PT), Felipe Estevão (PSL), Coronel Mocellin (PSL), Ricardo Alba (PSL), João Amin (PP) e Jair Miotto (PSC).

Situação preocupante

O governador Carlos Moisés voltou a falar em atraso de salários dos servidores públicos em entrevista que concedeu à veículos da NSC. O problema já chegaria em junho ou julho. Essa não é a primeira declaração de Carlos Moisés a respeito de atrasos em folhas de pagamentos. Já revelou que o Estado não provisionou o 13º nem em janeiro e nem em fevereiro. O discurso do secretário da Fazenda, Paulo Eli, segue a mesma linha.

Primeiro projeto

O primeiro projeto aprovado pela nova legislatura na Alesc tem relação direta com Criciúma.
A proposta, de autoria do Tribunal de Justiça, foi aprovada por unanimidade, com votação em turno único. O projeto havia sido arquivado no final da legislatura passada, em janeiro, e foi desarquivado a pedido do Poder Judiciário. O objetivo da matéria é doar para a Prefeitura de Criciúma parte da área onde está instalado o Fórum da Comarca para que a administração municipal possa fazer a reurbanização dos passeios públicos em frente ao imóvel, além de melhorar as condições de trânsito e acesso ao prédio. A Prefeitura deverá iniciar ainda neste ano a construção do binário da Avenida Santos Dumont, que passa em frente ao Fórum.

Secretária de Saúde na Câmara

A secretária de Saúde de Criciúma, Francielle Gava, deverá ir até a Câmara de Vereadores no dia 9 de abril. Ela deverá explanar o que a pasta vem fazendo para reduzir as filas para consultas e exames. A área é uma das que mais têm recebido críticas dos vereadores.

Tem pressa

O presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostim (PP), encaminhou documento à Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, em Brasília, solicitando agilidade no processo de cessão de uso do prédio onde funcionava o Ministério Público do Trabalho, local que poderá abrigar o novo prédio da Câmara. Foram encaminhadas fotos e matérias dos veículos de comunicação sobre o abandono do local.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/02/2019 - 13:46Atualizado em 26/02/2019 - 14:02

Os bastidores políticos estão em polvorosa nesta terça-feira em Forquilhinha. Tudo graças a um bilhete que o prefeito Dimas Kammer (PP) escreveu ontem à noite e fez chegar ao setor de Recursos Humanos da prefeitura. No bilhete, entregue ontem à noite ao procurador do município e reproduzido nesta postagem, o prefeito orienta pela exoneração do secretário de Governo José Ricardo Junckes. A lembrar que Junckes foi vice-prefeito em recente gestão do então prefeito Lei Alexandre. 

O desligamento, pelo orientado no bilhete, é imediato, já valendo a partir de hoje. O prefeito Dimas viajou para Brasília, onde cumpre agendas pelo município. "Fui exonerado por um memorando interno. O prefeito está em viagem a Brasília e o prefeito fez esse encaminhamento", comentou o agora ex-secretário.

Junckes é o presidente do PP em Forquilhinha, fato que torna ainda mais emblemática a demissão de Junckes. "Sou o presidente do partido. Foi uma surpresa essa tomada de atitude, sem ter uma conversa olho no olho. Mas são situações diferentes. Uma é a minha enquanto presidente, outra é enquanto secretário, se o prefeito acha que eu não estava atendendo às expectativas, é um direito dele, mas a forma como ele tomou a atitude é difícil de entender", complementa.

O ex-secretário garante que em nenhum momento recebeu indicativo de que seria exonerado. "Vamos lá, vida que segue. Não sou o primeiro e não serei o último. Político tem muito disso, é um jogo, muitas coisas envolvidas, vamos conversando internamente dentro do partido para ver a nossa tomada de decisão, ver qual a caminho tomar".

Voltaremos ao assunto em breve.

(Colaboração: Denis Luciano)

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/02/2019 - 06:54

Julio Garcia (PSD) fez sua primeira viagem oficial como presidente da Assembleia Legislativa. Passou a segunda-feira em Criciúma. Esteve na Unesc, na Associação Empresarial (Acic) e com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB). Com a Unesc e Acic iniciou uma articulação com a bancada da região. Uma das propostas seria um fórum parlamentar, nos mesmos moldes do fórum parlamentar catarinense, com um coordenador e uma agenda de pautas. Seria um trabalho em sintonia com a Acic e com a Unesc, entidades engajadas nos debates e ações que buscam o desenvolvimento do Sul.
Uma das primeiras bandeiras seria a articulação para que o Centro de Inovação possa sair do papel. Criciúma é uma das quatro cidades em que as obras ainda nem iniciaram e por enquanto não há previsão. A união de forças entre a bancada do Sul e entidades é fundamental para reforçar a necessidade do Centro de Inovação para o desenvolvimento da região.
A Acic ainda reforçou outras pautas relevantes como o plano de desenvolvimento para o Sul e a finalização da pavimentação da Serra da Rocinha, em Timbé do Sul, que está em andamento.
Está na Assembleia Legislativa a maior representação política da região e essa união com políticos da região e entidades representativas é que irá fazer para que as demandas da região sejam ouvidas tanto pelo Governo do Estado quanto em Brasília. O caso da Celesc veio para reforçar ainda mais a importância dessa união.

Universidades comunitárias

Na Unesc, Julio Garcia participou de um bate-papo com vários envolvidos com a universidade e foi só elogios aos trabalhos realizados por lá. A reitora Luciane Ceretta recebeu o pedido de fortalecimento das universidades comunitárias que realizam um trabalho de extrema importância nas comunidades onde estão inseridas.

Falta de investidores

Ainda na Acic, Julio Garcia ouviu a preocupação externada pelo diretor, Édio Castanhel, com a falta de investidores interessados na região. O Sul do estado apresenta uma certa estagnação em relação a outras regiões de Santa Catarina e a busca por investidores é outra bandeira de entidades representativas.

“Vender” a região

E foi essa mesma preocupação com a falta de investidores exposta ao presidente da Alesc, Julio Garcia, que motivou uma reunião entre a Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e ACIC, um encontro do Confaz-M. Na pauta, a elaboração de material para “vender” a região e atrair capital estrangeiro. A intenção é mostrar a infraestrutura que ficou pronta recentemente com a duplicação da BR-101, o Aeroporto Regional e a consolidação do Porto de Imbituba.

Negócios com a China

Ainda neste mesmo sentido, o presidente da Amrec, Hélio Cesa, o Alemão (MDB), o diretor-executivo Acélio Casagrande, o presidente da Acic, Moacir Dagostin e o diretor Édio Castanhel irão ao Rio de Janeiro visitar a Câmara Comércio Brasil/China. A viagem está marcada para quarta-feira. A intenção é fazer um primeiro contrato e o convite para que possam conhecer a região Sul de Santa Catarina.

Troca de horário Azul

Mais uma vez há a preocupação com a troca de horário do voo da Azul no Aeroporto Regional de Jaguaruna. Já não é mais possível comprar passagem a partir de maio para o horário das 6h com retorno de São Paulo às 23h. Esse é o principal horário para quem vai a São Paulo a negócios. Horário utilizado especialmente por empresários. A opção da Azul pegou a todos de surpresa, inclusive, a direção do aeroporto. A Acic já começa a se movimentar na busca de informações mais concretas e em articulações para evitar a troca de horário. A Azul tomou essa mesma decisão no passado e só voltou atrás depois de muita articulação. A decisão é de difícil entendimento, pois o voo matutino sai com quase o total de sua capacidade e também porque com a mudança o voo sai praticamente no mesmo horário da Latam.
Como não há ainda nenhuma justificativa oficial por parte da empresa área, se acredita que tenha algo relacionado à nova política fiscal do Estado com corte em isenções no ICMS.

Obras paradas na mira

O Tribunal de Contas (TCE) está intensificado a fiscalização em cima de obras paradas acima de R$ 1,5 milhão. Enviou questionamentos aos prefeitos dos 295 municípios catarinenses e para o governador do Estado. Em todo o país, são cerca de 15 mil obras neste perfil. A intenção é ajudar a destravar essas demandas.

Potelecki líder de governo

O vereador Aldinei Potelecki (PRB) estreou, ontem, como líder do governo Clésio Salvaro, na Câmara de Vereadores. O convite foi feito na sexta-feira e aceito na segunda de manhã. Desde o início de 2018, a função era exercida pela vereadora Geovana Benedet Zanette (PSDB), que será vice-líder do governo na Câmara.  

Desabafo

O presidente do Legislativo de Criciúma, Miri Dagostim (PP), fez um desabafo na sessão de ontem. Desde que assumiu a presidência, Dagostim dá continuidade as tratativas para que a Secretaria de Patrimônio da União (SPU) libere a posse do prédio onde funcionava o Ministério Público do Trabalho (MPT) para o Município. O acordo é que o local passe a abrigar a sede da Câmara de Vereadores. Já foi realizada uma viagem a Brasília e ligações diárias e nada. Está tudo estagnado, enquanto o prédio está se deteriorando (foto). Miri chegou a dizer que daqui a pouco o local irá se enquadrar nos requisitos para demolição, conforme lei municipal. O prédio fica no Parque Centenário, nas proximidades do Paço Municipal.

Assunto polêmico

A polêmica dos recipientes para alimentação de animais, que estão sendo colocados em pontos de Criciúma por uma ONG, chegou até a Câmara de Vereadores. O vereador Pastor Jair Alexandre (PSC) apresentou um requerimento ao Executivo para saber de onde partiu a autorização. Fez o pedido após ouvir moradores, especialmente, nas proximidades da Praça do Congresso, que reclamam do local escolhido por fazer com que os animais se acumulem junto a grande presença de crianças. O vereador também lembrou que no ano passado teve o projeto de um parlamentar que solicitava esses recipientes, mas que foi dada pela ilegalidade, e com isso a matéria foi arquivada. Outros vereadores também se manifestaram sobre o assunto que deve voltar à pauta e exige ações mais completas do Poder Público como programas de castrações.

Tomou posse

O ex-senador Paulo Bauer (PSDB) tomou posse como secretário Especial da Casa Civil da Presidência da República para o Senado Federal. Ele terá a responsabilidade de articular as demandas do governo de Jair Bolsonaro (PSL) com o Senado. Na foto, está com Bolsonaro, com o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni, senador Fernando Bezerra, líder do governo no Senado e deputado Victor Hugo, líder do Governo na Câmara.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/02/2019 - 06:55

A Via Rápida é uma das principais obras do Governo do Estado para Criciúma. Um acesso duplicado de fácil ligação com a BR-101. Uma importante conquista e que merece esse reconhecimento. Porém, há algo que precisa ser visto com urgência. A estadualização se faz necessária e o mais rápido possível. Por enquanto, a rodovia está sem a responsabilidade de ninguém. Os problemas continuam. Não existe manutenção. O mato cresce nas margens, não há placas de sinalizações, ainda falta acesso a comunidade de Poço Oito. Uma série de questões que precisam ser resolvidas.
O novo governo ainda não tem uma resposta sobre a Via Rápida. O secretário de Infraestrutura, Carlos Hesser, admitiu pela segunda vez em entrevista à Rádio Soim Maior que irá “dar uma olhada”. Falou isso em 4 de janeiro e repetiu ontem. Dá de entender que é início de novo governo e que há uma série de demandas, mas não se pode esperar e esperar sem que nada seja feito.
A estadualização só irá ocorrer após o fim de obras complementares, mas muito pouco foi feito após a entrega em dezembro de 2017. Essa etapa ainda deverá levar mais 60 dias, pelo menos.

Caso Celesc

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, esteve ontem em Tubarão. Usou a mesma tática que tentou aplicar com as lideranças de Criciúma. Garantiu que cada uma das unidades terá a mesma autonomia e que estará subordinada somente à sede em Florianópolis. Não conseguiu convencer a todos. Mas, por ora, a decisão está mantida. Núcleo Sul em Criciúma e unidade em Tubarão. Como deveria ser desde o início. Tudo isso poderia ter sido evitado, se desde o início Criciúma fosse anunciada como sede do núcleo. Assim como Chapecó, Joinville, Blumenau, Itajaí, enfim, as maiores cidades catarinenses. Aliás, uma reclamação tem se mostrado bastante frequente. O modo como o presidente da Celesc vem agindo, sem dar entrevista e com certo ar de prepotência.

Fusão de municípios

O presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), prefeito de Tubarão Joares Ponticelli (PP), esteve com o presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), Adircélio de Moraes Ferreira Júnior. O encontro foi solicitado logo depois que veio a público um estudo que sugeria a fusão de 105 municípios com menos de cinco mil habitantes. O que ficou definido é que o assunto precisa ser debatido e a Fecam e a OAB devem ser inseridas nesse debate. Mas, o que parece é que está muito longe de algo nesse sentido seja concretizando. Há muitas questões culturais envolvidas.

Ficha no PSD

Chefe de gabinete na época do ex-prefeito Márcio Búrigo (PP), André Cardoso é o mais novo filiado ao PSD. Sua ficha de filiação foi assinada nesta sexta-feira, na presença do presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, do vice-prefeito e presidente municipal do partido, Ricardo Fabris, e do deputado federal Ricardo Guidi e de Lourival Pizzolo (foto). Por último, André estava vinculado ao grupo do ex-deputado Valmir Comin, também do PP.

Cermoful

A Cooperativa de Eletrificação de Morro da Fumaça, a Cermoful, definiu a data para a eleição do Conselho Fiscal. Será no dia 15 de março em caso de chapa única ou no dia 16 se houver disputa. As chapas podem ser inscritas até 11 de março. A Cermoful, tradicionalmente, conta disputadas eleições.

Colégio Militar

O deputado estadual Jessé Lopes (PSL) segue articulando para que Criciúma receba uma unidade do Colégio Militar. A hipótese mais provável é que seja nas dependências do Heriberto Hülse, na Próspera. Essa escola, que é estadual, já esteve na lista do prefeito Clésio Salvaro para municipalização.

Baldissera no governo de Içara

A posse de Geraldo Baldissera (MDB) no Samae de Içara está confirmada para a próxima quinta-feira, dia 28 de fevereiro. Ele deixa o cargo de vereador abrindo vaga para o terceiro suplente da coligação, Higor Robetti (MDB). Se o projeto do prefeito Murialdo Gastaldon (MDB) for aprovado na Câmara, o Samae irá incorporar a Secretaria de Serviços Urbanos.

Compra da espada

As críticas ao governo de Carlos Moisés vem se tornando cada vez mais fortes, especialmente, nos bastidores. Circulou em grupos de WhatsApp uma nota de empenho no valor de R$ 14,9 mil para a compra de uma réplica de espada para repor o comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Por tradição, cada comandante que sai pode levar a sua réplica e outra precisa ser comprada com o dinheiro público. A informação está confirmada no Portal da Transparência.

À beira da falência

Tudo isso chama ainda mais atenção depois das declarações do secretário da Fazenda, Paulo Eli, de que o Estado está à beira da falência e que os salários dos servidores públicos correm sérios riscos de atrasos. A informação foi reforçada pelas declarações públicas do governador Carlos Moisés (PSL), que admitiu que o Estado não conseguiu provisionar o 13º salário em janeiro e fevereiro e se não fizer em março, corre o risco de não conseguir fazer o pagamento ao fim dom ano.

Governo sem papel

Foi de forma digital que o governador Carlos Moisés assinou o decreto que institui o governo sem papel. Essa ação vem sendo anunciada desde o primeiro dia do novo governo e, nas contas do Estado, deve proporcionar uma economia de anual de R$ 29 milhões, considerando apenas os gastos com material de expediente e despesas com transporte e digitalização de documentos. Praticamente o que deverá ser gasto nas reformas das pontes de ligação do Continente com a Ilha de Florianópolis.

Parceria

O deputado federal Ricardo Guidi recebeu, no seu escritório de Criciúma, a visita do diretor geral do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), campus Criciúma, Lucas Dominguini. Na pauta, o início de uma parceria que busca recursos para a urbanização do entorno do instituto e também a doação de área para a ampliação do campus em Criciúma. O IFSC fica na região da Próspera.

Número 17

O prefeito de Chapecó, Luciano Bulligon, que está sem partido desde as eleições do ano passado, esteve com o governador Carlos Moisés, que é avaiano, e aproveitou para entregar uma camisa da Chapecoense com o número 17 (foto). O prefeito foi expulso do PSB por declarar apoio a Bolsonaro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/02/2019 - 06:53

Interina: Francieli Oliveira

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, não irá assumir a presidência do PSDB de Santa Catarina porque foca a reeleição no ano que vem. Recebeu convite da cúpula do partido recentemente. Salvaro é nome forte dentro do ninho tucano catarinense e ganhou ainda mais importância após a saída do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes. O prefeito de Criciúma se tornou o maior ativo eleitoral do PSDB catarinense.
No âmbito local, com a candidatura de Clésio Salvaro à reeleição praticamente confirmada, assim como a dobradinha com o PSD e tendo Ricardo Fabris de candidato a vice novamente, também ficam mais claras as candidaturas que serão postas no ano que vem na disputa pela Prefeitura de Criciúma.
O MDB deverá ter candidato. O deputado estadual Luiz Fernando Vampiro e Ronaldo Benedet já afirmaram que não estão dispostos a ir para essa disputa. Mas ainda não há um nome definido e, se isso não for encaminhado nos próximos meses, poderá sobrar para Vampiro ou Ronaldo a responsabilidade de representar o partido. Acélio Casagrande, que está como secretário executivo da Amrec, está próximo de Salvaro.
O PP tem Jorge Boeira que está se articulando nos bastidores. Há muita especulação sobre possível troca de sigla. Também há possibilidade do PSB ter candidato.
O PSL também deve apresentar candidatura. Com Daniel Freitas e Jessé Lopes afirmando que não irão concorrer, também não há definição de um nome dentro da sigla. Um dos cogitados é o vereador Julio Kaminski, que ainda está no PSDB, mas com sinal verde para a troca de partido.
Com a confirmação de que Salvaro irá à reeleição, cai o número de candidaturas postas.

A Legislatura das CPIs

Menos de um mês da nova Legislatura e duas Comissões Parlamentar de Inquérito (CPIs) articuladas na Assembleia Legislativa (Alesc). O fato mostra a disponibilidade dos deputados em não deixar a fiscalização de lado. Respondem ao apelo das urnas que exigiu uma postura diferente dos representantes políticos. Ontem, Laércio Schuster (PSB) conseguiu as primeiras assinaturas para a criação da CPI da Caixa Preta do ICMS. Assinaram até o momento: Maurício Eskudlark (PR), Ivan Naatz (PV), Bruno Souza (PSB), Neodi Saretta (PT), Mauro de Nadal (MDB) e Nazareno Martins (PSB). Do Sul, já assinaram Luiz Fernando Vampiro (MDB) e Jessé Lopes (PSL). Para que a CPI seja aceita são necessárias 14 assinaturas.

Deve chegar lá.

O pedido da CPI foi motivado pelas polêmicas declarações do secretário da Fazenda, Paulo Eli, que esteve essa semana na Alesc explicando decretos que revogam isenções do ICMS. Ele mesmo classificou toda essa situação como uma caixa-preta. O que se sabe é que ninguém tem certeza do valor dessas isenções fiscais e para quem são concedidas. As isenções são importantes, mas é preciso mais clareza no processo. Se os deputados forem a fundo, muitas revelações serão feitas.
A outra CPI é da Ponte Hercílio Luz e já está em andamento. O criciumense Jessé Lopes já se colocou à disposição para assumir a presidência.

Posse OAB

Foi bastante prestigiada a posse da nova diretoria da OAB Criciúma, agora, presidida por Rafael Búrigo. Entre os que passaram pelo Teatro Elias Angeloni, o presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, que na foto está acompanhado do prefeito Clésio Salvaro prestigiando os advogados.

Reitores com o governador

Os reitores das 16 universidades do sistema Acafe foram recebidos pelo governador Carlos Moisés, na Casa da Agronômica. A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, avaliou positivamente o encontro. Moisés reconhece a importância das comunitárias para Santa Catarina e as coloca como parceiras do governo em todos os cantos do estado na ciência, tecnologia, inovação e educação. Todos, reitores e representantes das instituições, saíram satisfeitos e com o reforço no compromisso com a formação de professores e parcerias para a melhoria da educação básica.

Bolsas PMC

A posição da Unesc em relação ao edital lançado para as bolsas de estudos da Prefeitura de Criciúma, as Bolsas PMC, é o mesmo pactuado pela comissão que acompanha o processo e que tem representantes da Câmara de Vereadores, da universidade, Prefeitura e DCE. Para eles, a decisão da Prefeitura em estipular o valor de R$ 1,5 milhão está dentro do que foi acordado com a comissão de acompanhamento do processo.

Ausência

Uma observação da grande maioria dos integrantes da comissão de acompanhamento do processo de seleção das Bolsas PMC é que o presidente do DCE, Alexandre Bristot, não compareceu aos encontros. Ele se posicionou contrário à nova regra.

Os mirins

A noite foi de posse para os vereadores mirins de Criciúma. Os titulares foram prestigiar e incentivar os garotos. Na foto, os vereadores estão com a mesa diretora da Câmara Mirim: o presidente Iuri Botini da Silva, a vice Heloisa Belloli Martinelli, o primeiro-secretário Eliel Borges Santana e a segunda-secretária Aléxia de Macedo Souza.

Atendimentos no HMISC

O secretário-executivo da Amrec, Acélio Casagrande, esteve no Hospital o Materno Infantil Santa Catarina avaliando os dois meses de funcionamento. Os números apontam para aproximadamente 400 partos e 70 processos de córneas captadas. Na próxima terça-feira, Acélio e o Ideas vão fazer uso da tribuna livre na Câmara de Vereadores de Criciúma para apresentar os resultados. O vereador Paulo Ferrarezzi (MDB) também acompanhou a visita.

Atração de investimentos

Na próxima segunda-feira, a Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) promove, em parceria com a Associação Empresarial de Criciúma (ACIC), um encontro do Confaz-M. O evento deve reunir os secretários de Administração e Finanças dos municípios com o tema “Como atrair investimentos para a região da Amrec”. Será às 17h, na sede da ACIC. Esse é um dos principais desafios para o desenvolvimento econômico da região.

A conta é grande

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), reforçou que não irá fazer o corte da grama da Via Rápida e elencou diversos motivos. Ele acredita que os municípios, que ficam com a menor fatia da arrecadação, estão precisando arcar com muitas contas do Governo do Estado. Citou convênios com Epagri, Polícia Militar, Polícia Civil, Detran entre outros. A Via Rápida ainda não tem “dono”. Sua estadualização ainda não tem data para acontecer, mas Murialdo entende que não tem nem autorização legal para fazer um serviço em algo que não pertence ao Município. O tema já foi levantado por reportagem de A Tribuna.

Receio

Está marcada para hoje de manhã a reunião de lideranças de Tubarão com o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Mas, há nos bastidores um certo receio da presença, apesar da confirmação. O encontro é uma tentativa de garantir para a cidade o núcleo da Celesc. A reação veio depois que pressão de lideranças da Amrec e Amesc conseguiram reverter a decisão e garantir que Criciúma ficasse com a sede no Sul. Era a única cidade polo que não havia sido escolhida. A trapalhada do governo reacendeu o bairrismo entre Criciúma e Tubarão, combatido por muitos anos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/02/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

O comando do PSDB catarinense tratou muito mal o seu principal ativo eleitoral e por isso o perdeu. Napoleão Bernardes foi o fato novo na última década no estado.
Prefeito eleito e reeleito em Blumenau com votações consagradoras, jovem, discurso redondo, cara nova, simpático. Renunciou a Prefeitura no meio do mandato, combinado com a cúpula estadual, para ser candidato a senador. Talvez a governador. Mas, acabou "escalado" de vice numa chapa do MDB, onde mal apareceu na campanha. E a chapa nem foi para o segundo turno, pelas fragilidades e equívocos do candidato a governador, Mauro Mariani.
Passada a eleição, e depois um fracasso do partido no estado, com a eleição de apenas um deputado federal e dois estaduais, o mínimo que o partido deveria fazer, admitindo os seus equívocos, e o seu "envelhecimento", era entregar o comando para Napoleão, a fim de encaminhar uma "operação reconstrução".
Mas, longe disso. O partido se colocou numa discussão entre integrantes da cúpula para saber quem iria ficar com o timoneiro. 
Napoleão percebeu que daquele mato não sairia mais coelho, e pulou fora.
Confirmando o seu peso político, foi logo procurado por Jorge Bornhausen, Júlio Garcia e Raimundo Colombo, que o chamaram para "parceiro".
Perdeu o PSDB.
E agora, sem Napoleão, como derrotado da eleição de 2018, com apenas um federal e dois estaduais, o PSDB se coloca "refém" do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, que passa a ser o maior ativo eleitoral do partido no estado.
Agora, a definição do novo comando estadual do PSDB terá que ter a anuência (pelo menos) de Salvaro.
O PSDB não pode correr o risco de perder de novo o seu maior ativo eleitoral nas circunstâncias atuais.

Presidente da Celesc em Tubarão

Foi a muito custo que as lideranças de Criciúma foram recebidas pela diretoria da Celesc. Não parece que foi assim com Tubarão. Ontem, uma reunião foi realizada na Associação Empresarial da cidade, a ACIT, depois que foi anunciada a decisão de que o núcleo da Celesc ficaria mesmo em Criciúma. O presidente da ACIT, Edson Martins Antônio, ligou para o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, que aceitou ir a Tubarão amanhã para tratar do assunto. Martins tem ligação com Tubarão de quando trabalhou na termelétrica da Engie.

Problema da Celesc

O problema de sede do núcleo Sul da Celesc foi criado pela Celesc e é ela que tem que resolver. Se desde o início, o anúncio fosse que a sede do núcleo seria em Criciúma não se criaria toda essa polêmica. E o motivo é simples: Criciúma é a maior cidade da região e merece o mesmo tratamento do que as outras cidades polos como Chapecó, Lages, Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí. A diretoria da Celesc não tem argumento técnico que sustente Tubarão como cidade sede do núcleo Sul.

Vota contra o veto

Deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) recebeu o diretor do Hospital São José e presidente da Associação dos Hospitais de Santa Catarina (AHESC), Altamiro Bittencourt, e ouviu o pedido para que seja derrubado o veto do governador Carlos Moisés (PSL) ao projeto de lei que fixa despesas e receitas, no que se refere à Saúde. Vampiro anunciou que votará pela derrubada do veto por entender que causará diminuição de R$ 180 milhões no orçamento dos hospitais filantrópicos. Nos próximos dias, vários vetos irão a votação na Assembleia Legislativa.

Visita

O vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris (PSD), fez visita institucional ao presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD). Assuntos de organização partidária também entraram na pauta da conversa.

Nomes definidos

As bancadas definiram os nomes para integrar a CPI da Ponte na Assembleia Legislativa. A investigação da inacabada reforma da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, contará com Marcos Vieira (PSDB), que é quem deverá fazer a instalação por ser o mais idoso entre os deputados com maior legislaturas, Fernando Krelling (MDB), Jerry Comper (MDB), Luciane Carminatti (PT), Kennedy Nunes (PSD), Bruno Souza (PSB), João Amin (PP), Jessé Lopes (PSL) e Sargento Lima (PSL). A presidência e a relatoria devem ficar entre Bruno Souza e Jessé Lopes os primeiros a propor e apoiar a CPI.

CPI das isenções

Há movimento forte para a criação da segunda CPI dessa nova legislatura. Será para investigar as isenções fiscais no Governo do Estado. Há muita coisa a se esclarecer. Como essas isenções são concedidas, quem recebe, qual o critério... A proposta veio depois de declarações do secretário da Fazenda, Paulo Eli, na última terça-feira, que definiu como uma caixa-preta.

Direitos Humanos

A deputada Ada De Luca (MDB) foi eleita presidente da Comissão de Direitos Humanos na Assembleia Legislativa. Ada tem experiência na área de combate à violência contra a mulher e ressocialização, onde viu de perto a necessidade de políticas públicas que tragam os cidadãos e cidadãs para dentro da sociedade. Ada foi secretária de Justiça e Cidadania nos últimos anos.

Aresc fora em Içara

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), encaminhou projeto de lei para a Câmara de Vereadores para que tenha autorizada a migração da Aresc para a Câmara de Regulação e Fiscalização do Saneamento Básico (Crefisba), que pertence ao Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (Cisam-Sul), com sede em Orleans. Caso o projeto seja aprovado, Içara será a segunda cidade da região a romper com a Aresc, responsável pela regulação de tarifas. A outra foi Criciúma.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/02/2019 - 15:20Atualizado em 20/02/2019 - 15:42

O comando do PSDB catarinense tratou muito mal o seu principal ativo eleitoral e por isso o perdeu. Napoleão Bernardes foi o fato novo na última década no estado.

Prefeito eleito e reeleito em Blumenau com votações consagradoras, jovem, discurso redondo, cara nova, simpatico. Renunciou a prefeitura no meio do mandato, combinado com a cúpula estadual, para ser candidato a senador. Talvez a governador. Mas, acabou "escalado" de vice numa chapa do MDB, onde mal apareceu na campanha. E a chapa nem foi para o segundo turno, pelas fragilidades e equivocos do candidato a governador, Mauro Mariani.

Passada a eleição, e depois um fracasso do partido no estado, com a eleição de apenas um deputado federal e dois estaduais, o minimo que o partido deveria fazer, admitindo os seus equívocos, e o seu "envelhecimento", era entregar o comando para Napoleão, a fim de encaminhar uma "operação reconstrução".

Mas, longe disso. O partido se colocou numa discussão entre integrantes da cupula para saber quem iria ficar com o timoneiro. 

Napoleão percebeu que daquele mato não sairia mais coelho, e pulou fora.

Confirmando o seu peso politico, foi logo procurado por Jorge Bornhausen, Júlio Garcia e Raimundo Colombo, que o chamaram para "parceiro".

Perdeu o PSDB.

E agora, sem Napoleão, como derrotado da eleição de 2018, com apenas um federal e dois estaduais, o PSDB se coloca "refém" do prefeito de Criciuma, Clésio Salvaro, que passa a ser o maior ativo eleitoral do partido no estado.

Agora, a definição do novo comando estadual do PSDB terá que ter a anuênia (pelo menos) de Salvaro.

O PSDB nao pode correr o risco de perder de novo o seu maior ativo eleitoral, nas circunstâncias atuais!   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/02/2019 - 06:53

Assim como já se sabia, a Celesc oficializou Tubarão como sede da macrorregional do Sul, chamada por eles de núcleo. Criciúma ficou como unidade, que no organograma apresentado está na mesma linha do escritório de Laguna.
Tem mais, Criciúma é a única cidade polo do estado que ficou sem o núcleo. Os demais foram para Blumenau, Chapecó, Florianópolis, Itajaí, Joaçaba, Joinville e Lages. É mais um fato que aumenta a falta de justificativa pela escolha no Sul que não seja a ligação do governador Carlos Moisés (PSL) e do presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, com Tubarão.
Há outros pontos a se observar nessa situação toda. A nova estrutura não traz grandes modificações à Celesc. Se cria uma nova hierarquia dentro da empresa em momento de discurso de enxugamento da máquina pública.
Se vier algum anúncio de investimentos na reunião de hoje, para acalmar os ânimos das lideranças do Sul, não será nada além do que já vinha sendo previsto. Não deve haver nada de novo.
A reunião de hoje cedo não deverá ter o clima amistoso. As lideranças não engoliram a maneira como a Celesc conduziu o processo, sem ouvir o que a região tem para dizer. Esse encontro deveria ter ocorrido ontem. Se aceitou a mudança de data diante da promessa de que nada seria decidido antes. Uma falta de respeito. Não com os prefeitos, com os deputados, com vereadores, mas com as regiões de Criciúma e Araranguá, com toda a população.

Imagem desgastada

O governador Carlos Moisés levou 75% dos votos em Criciúma. Nos demais municípios da região e do Vale do Araranguá não foi muito diferente. Cada um desses votos depositados nas urnas era um pedido de mudança, de estado mais enxuto, de ações que realmente precisam ser tomadas pelo governador. Não se esperava jamais que ações do governo fossem reacender o bairrismo entre as microrregiões do Sul enquanto o mais importante é a união em prol do desenvolvimento. Depois de todas as situações envolvendo a Celesc – que tiveram início com as altas contas sem explicações e terminaram com essa decisão de levar a macro para Tubarão –, e com a Casan – que ainda tem capítulos importantes pela frente e que podem culminar com o rompimento entre Prefeitura de Criciúma e a estatal – o novo governo terá que fazer um bom trabalho para regatar a imagem arranhada por aqui, pelo menos, entre as lideranças.

Duras críticas

Os vereadores de Criciúma não economizaram nas críticas à maneira como foi conduzido o processo de escolha de Tubarão para sediar a macrorregional Sul. Praticamente todos que fizeram uso da tribuna, na sessão de ontem, não economizaram nas palavras e exigiram respeito à população local. Os vereadores também estarão presentes na reunião de hoje em Florianópolis. Ainda foi aprovada uma moção de repúdio à Celesc assinada por diversos parlamentares.

Associações empresariais

Na reunião de hoje também será entregue documento ao presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, assinado pelas associações empresariais da região. Eles se pautam em critérios técnicos como o maior consumo da regional de Criciúma em relação a Tubarão, além dos melhores índices de desempenho nos últimos anos, com uma arrecadação em torno de R$ 700 milhões/ano.

Sem diálogo

Todo o processo foi conduzido sem diálogo. A começar pelo não atendimento as mais de 50 chamadas realizadas na reunião de sexta-feira passada na tentativa de marcar uma agenda com o presidente da Celesc ou com o governador. Um exemplo é que deputados federais, incluindo Daniel Freitas (PSL), encontraram com o presidente da Celesc no aeroporto e ouviram o absurdo de que deveriam cuidar de Brasília.

Fora do Porto

Não bastasse a polêmica com a Celesc, o diretor da Acic, Édio Castanhel, ficou sabendo de forma bem estranha que não era mais conselheiro deliberativo do Porto de Imbituba. Ele foi indicado para o mandato de dois anos no ano passado, entretanto uma nova diretoria e um novo conselho tomaram posse para 2019, sem que houvesse qualquer comunicação. A desconfiança de que algo havia de errado aconteceu quando Castanhel foi retirado do grupo de whatsapp. A Acic enviará um documento à presidência do porto, solicitando uma reunião para esclarecimentos quanto ao assunto.

Saer fica

O delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Paulo Koerich, tratou de acalmar os ânimos das lideranças do Sul quando o assunto é a cidade/base do Serviço Aeropolicial (Saer). A mudança para Tubarão chegou a ser sondada, mas, na época, não se acreditou que isso seria possível. A preocupação aumentou quando veio a informação da regional da Celesc. Seria mais um absurdo.

A reação do PSDB

O PSDB recebeu com surpresa a decisão de Napoleão Bernardes de desfiliação. O ex-prefeito de Blumenau distribuiu carta aberta, na noite de domingo. Ontem, foi a vez do PSDB distribuir nota. Apenas agradece e diz que se pauta na democracia para aceitar a decisão de Napoleão. Com a saída de Napoleão, as lideranças do Sul, o prefeito Clésio Salvaro, e a deputada federal Geovania de Sá, ganham mais força dentro da sigla. Geovania é a única deputada federal do partido por Santa Catarina. O PSDB saiu enfraquecido das urnas em outubro passado. Napoleão que renunciou ao segundo mandato na Prefeitura de Blumenau com a expectativa de concorrer ao Senado foi colocado como vice na chapa de Mauro Mariani (MDB) e não chegaram nem ao segundo turno. A bancada federal reduziu, assim como a estadual e Paulo Bauer não se reelegeu como senador. Os tucanos precisam passar por um processo de reestruturação para que o estrago não se repita na eleição municipal do ano que vem.

Para o PSD

Napoleão Bernardes já anunciou que ficará um tempo sem partido, porém já há muitas especulações em relação ao seu destino, principalmente, na eleição de 2022. A mais forte especulação o aproxima do PSD, apesar de não haver confirmação nem de um lado nem de outro.

Explicar os decretos

O secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, estará, hoje, às 16h, na Alesc, para explicar os efeitos e o que deve ser feito com os decretos assinados no fim do ano passado e que alteram alíquota do ICMS especialmente sobre produtos da cesta básica. Esse foi um dos principais assuntos nesse início de ano. A solução deve ser o encaminhamento de projeto de lei para o Legislativo. Quando os decretos foram assinados pelo então governador Eduardo Moreira (MDB), Paulo Eli já havia sido indicado para permanecer na Fazenda pelo governador Carlos Moisés. O próprio Moreira afirma que pediu para que Paulo Eli fosse na Alesc esclarecer o fato. 
As entidades da indústria e da agricultura pedem a revogação total dos decretos.

Centro de Inovação

O deputado federal Daniel Freitas (PSL) se comprometeu a intermediar um encontro entre a Associação Empresarial de Criciúma (Acic) com o secretário de Desenvolvimento Sustentável, Lucas Esmeraldino. O objetivo é conhecer a real intenção do Governo do Estado em relação ao Centro de Inovação de Criciúma. Por enquanto, não há nenhuma manifestação específica sobre a unidade de Criciúma que está entre as quatro que ainda não tiveram as obras iniciadas. O projeto foi lançado em 2011.

Presidente

A Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) elegeu o prefeito de Braço do Norte, Beto Kuerten (PSD), como presidente para esse ano. A eleição ocorreu ontem. Na Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc) o prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha (PSDB) é o presidente. Foi eleito em janeiro. A Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) deve eleger o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), em março.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/02/2019 - 06:53

Interina: Francieli Oliveira

O Sul do estado precisa reunir forças e não se dividir em bairrismos. Isso é coisa do passado. As ações do atual governo trazem à tona essa disputa que não faz bem nem para uma nem para outra cidade. Não há razões técnicas para que a macrorregional da Celesc seja em Tubarão e isso é provado em números. A arrecadação da regional de Criciúma é de R$ 700 milhões, enquanto a de Tubarão é de R$ 400 milhões. Criciúma é a maior cidade do Sul e ainda fica localizada entre as três microrregiões do Sul.

E a questão é que não deve parar por aí. Nos bastidores circulam informações de que o mesmo poderá acontecer com o Serviço Aeropolicial (Saer), que foi uma batalha de Criciúma, envolveu as entidades de Criciúma. Não há nada oficial sobre esse assunto que beira o inacreditável. Mas, até então também não se cogitava uma macrorregional da Celesc em Tubarão e não em Criciúma. A notícia pegou a todos de surpresa. A Celesc tentou maquiar a situação até o último minuto.

Há assuntos muito mais importantes do que se preocupar no momento. As estradas da região estão em situação precária, as pontes de ligação da ilha com o Continente, em Florianópolis, precisam de atenção máxima. Há riscos para atrasos das folhas dos servidores estaduais... poderia enumerar ainda outras situações que exigem muito mais urgência do que a criação de estruturas macros na Celesc e que têm suas sedes escolhidas por motivos políticos.

Mobilização (1)

A mobilização das lideranças para garantir que a macrorregional Sul da Celesc fique em Criciúma e não vá para Tubarão foi imediata. Hoje, prefeitos, presidentes de cooperativas e lideranças empresariais fazem apelo aos seis deputados estaduais que representam a Amrec e Amesc – Ada De Luca (MDB), Jessé Lopes (PSL), Júlio Garcia (PSD), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Rodrigo Minotto (PDT) e Zé Milton Scheffer (PP) – para que também façam parte dessa manifestação. A reunião foi convocada pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB). 

Mobilização (2)

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) também entrou na mobilização para que a macrorregional permaneça com a cidade. Liderou um documento que tem a assinatura de outras associações empresariais da região e irá encaminhar para a Celesc e para o governador Carlos Moisés (PSL), que receberá o documento das mãos do deputado federal do seu partido Daniel Freitas em reunião na segunda-feira.

Na mesa

O vice-presidente da executiva municipal do MDB, Ricardo Beloli, e o ex-deputado Jorge Boeira (PP) dividiram mesa, ontem, para almoço no restaurante Famiglia Angelotti. Os dois não tem relação com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) e seu governo. No cardápio, possibilidades para a eleição municipal de 2020.

Precário

O que mais chama atenção na deterioração da SC-370, que liga os municípios de Grão Pará e Urubici, vai além da cratera que se abriu e da solução encontrada (jogar o tráfego para o acostamento e proibir caminhões). A pavimentação foi realizada há pouquíssimo tempo, em 2016. Um asfalto novo que não poderia de jeito nenhum estar da maneira que se encontra.

Prejuízos

O fechamento da Serra do Rio do Rastro para caminhões deve gerar consequências negativas à economia da região. O trajeto alternativo por Santo Amaro da Imperatriz é cerca de 300 quilômetros maior e isso já vem refletindo no preço do frete. No caso do Corvo Branco, caminhões maiores já não transitavam devido às dificuldades e perigos da estrada.

Bancada catarinense

O Fórum Parlamentar Catarinense, que reúne os 16 deputados federais e os três senadores, realizou a primeira reunião dessa legislatura. As prioridades ficaram voltadas à infraestrutura com atenção ao Norte e Grande Florianópolis. Estão na pauta de reivindicações a recuperação das BRs 282 e 470 e a continuidade das obras do contorno de Florianópolis.

Dez anos

Celebrando aniversário, a Schumacher Construções, foi a responsável pela construção do alojamento dos alunos da Medicina da Unesc no Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC). O novo espaço de 102 m² foi executado em apenas 12 dias, cumprindo com o cronograma. Na foto, Tiago Prudêncio (diretor da Schumacher Construções), Márcio Vito (engenheiro da Unesc), Maria Inês da Rosa (coordenadora do curso de Medicina da Unesc) e Dr. Leon Iotti (diretor técnico do HMISC).

Saiu

Aliás, Dr. Leon Iotti que desde que chegou à região vem prestando um excelente trabalho, não é mais o diretor geral do Hospital Materno Infantil Santa Catarina. Ele segue como diretor técnico da instituição.

CPI da Ponte

Serão definidos até a próxima quarta-feira os deputados que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa que vai investigar as obras de recuperação da Ponte Hercílio Luz. A comissão terá nove deputados. MDB, Bloco Social Liberal (PR e PSL), Bloco Social Democrático (PSD, PDT, PSDB e PSC) e o Bloco PP-PSB-PRB-PV terão, cada um, duas cadeiras na CPI, enquanto a bancada do PT ficará com uma vaga. O deputado de Criciúma, Jessé Lopes (PSL), já manifestou interesse em presidir a CPI.

Pavimentações

A Prefeitura de Criciúma iniciou o processo licitatório para a pavimentação de 27 ruas na região da Quarta Linha. Os recursos são de financiamento junto à Caixa Econômica Federal, o Finisa. A intenção da Prefeitura é na continuidade fazer a recuperação da Rodovia Luiz Rosso. O financiamento total com o Finisa é de R$ 30 milhões.

Parque Centenário

A Kamilla Construções foi a vencedora da licitação para as obras de revitalização do Parque Centenário. O local receberá pista de caminhada, ciclovia e quadras poliesportiva e vem sendo chamado de Parque da Prefeitura pelo prefeito Clésio Salvaro. A Kamilla Construções ficou em primeiro lugar com a proposta de R$ 643.540,49.

Volta à cena

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD) voltou à cena política. Anunciou ontem que irá assumir de forma voluntária a coordenação de Estudos Políticos da Fundação Espaço Democrático do PSD.

Taxa do esgoto

A reação devido ao valor cobrado pela Casan pela taxa de esgoto, que é de 100% em cima da tarifa da água, chegou a Forquilhinha. O presidente do Legislativo, Maciel Da Soler, esteve em Florianópolis e entregou um requerimento, com o apoio de demais vereadores, com questionamentos à Aris – Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento. É essa taxa que também está sendo questionada pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, e que pode levar ao rompimento com a Casan. A resposta é esperada para dia 28 de janeiro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/02/2019 - 06:55

Interina: Francieli Oliveira

A regional da Celesc de Criciúma fica. Porém, uma reestruturação dentro da empresa pode fazer com que o escritório na cidade tenha que se reportar a Tubarão, que ficaria com a macrorregional. Atualmente, são 16 regionais e a intenção da nova direção da Celesc é transformar cerca de seis ou sete em macro.
Desta forma, a regional de Criciúma perderia importância e nas decisões mais importantes teria que se reportar a Tubarão e não diretamente com a sede em Florianópolis como acontece hoje.
A informação caiu como uma bomba em Criciúma, no meio da tarde de ontem. Primeiro se disse que a regional de Criciúma seria fechada. Depois a Celesc informou que não, que a única mudança seria de endereço – da Rua Lauro Müller para a Avenida Centenário. No início da noite, o prefeito Clésio Salvaro e o secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, que estiveram com a diretoria da Celesc, informaram que o novo modelo de macros tira o poder de Criciúma.
Um documento será assinado por todos os prefeitos da regional e encaminhado ainda hoje para a Celesc. A pressa se justifica porque na segunda acontece uma reunião entre a diretoria da empresa para definir a nova estrutura.
Já antes da reunião com a Celesc o prefeito Salvaro se manifestou contrário à possibilidade. Tratou a decisão como absurda e tem razão. Não há motivos técnicos para que a macro fique com Tubarão e não com Criciúma. Primeiro porque Criciúma é o dobro de Tubarão tanto em população quanto em movimentação econômica, depois porque a regional de Criciúma tem desempenho muito melhor. Das 16 regionais no estado, oito de porte maior e oito de médio porte, a de Criciúma está em segundo entre as 16 e em primeiro entre as oito maiores, enquanto a de Tubarão aparece bem atrás. Ainda tem a distância com a Amesc. Criciúma está no meio das três microrregiões do Sul.
A única justificativa seria decisão política pautada pelo bairrismo. Os laços do governador Carlos Moisés são com Tubarão. O ato só serviu para reacender a rivalidade entre os municípios do Sul.

Troca o comando

Ao mesmo tempo em que garante manutenção da regional da Celesc em Criciúma, a direção da empresa encaminha a mudança de gerente. A partir de 1º de março, a funcionária efetiva/de carreira Barbara Kelly Citadin (foto), atual supervisora da área comercial da Celesc de Criciúma, assumirá o comando. Vai substituir Enaldo dos Santos, que está no cargo faz duas décadas. Barbara é natural de Urussanga, sem filiação partidária. Também será substituído o gerente técnico da regional, engenheiro Jânio Canella.

Tabela SUS

O diretor do Hospital São Donato de Içara, Julio De Luca, chama atenção para um fato que precisa ser revisto e que já passou da hora. O valor pago pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos procedimentos hospitalares não é viável nem para as instituições, nem para os profissionais que realizam os serviços e lá na ponta quem mais sofre é o cidadão que encontra dificuldades quando precisa de atendimento. Julio faz a comparação com a cirurgia realizada pelo presidente Jair Bolsonaro. Quer chamar atenção para a causa. Não se questiona o fato do presidente ter realizado a cirurgia em hospital particular, pelo contrário, mostra como o SUS precisa de atenção urgentemente. O Hospital São Donato fez levantamento e chegou a conclusão que seria inviável fazer o procedimento. São pagos, pelo SUS, R$ 650,09. Sendo que R$ 503,40 são para as despesas do hospital com instrumentos, equipamentos e a internação dos pacientes e R$ 102,69 para o cirurgião e R$ 44 ao anestesista.

Local para o Saer

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, e o secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, e o vereador Tita Belloli também estiveram na Secretaria de Administração do Estado. A ideia é oferecer um terreno, nas proximidades do Parque do Imigrante, para que seja instalada a sede do Saer – que hoje fica em local alugado. Em troca, faz um levantamento de imóveis do Estado que poderiam ser utilizados pelo Município.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/02/2019 - 19:06Atualizado em 13/02/2019 - 19:12

Ao mesmo tempo em que garante manutência da regional da Celesc em Criciúma, a direção da empresa encaminha a mudança de gerente.

A partir de 1 de março, a funcionária efetiva/de carreira Barbara Kelly Citadin, atual supervisora da área comercial da Celesc de Criciúma, assumirá a

regional regional.

Vai substituir Enaldo dos Santos, que está no cargo faz duas décadas.

Barbara é natural de Urussanga, sem filiação partidária.

Tambem será substituido o gerente técnico da regional, engenheiro Jânio Canela.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/02/2019 - 18:03Atualizado em 13/02/2019 - 18:58

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, acaba de informar, por sua assessoria, que não haverá transferência da regional da empresa de Criciúma para Tubarão.

A jornalista Marcia de Carvalho, a pedido do presidente, garantiu que a regional de Celesc em Criciúma continuará operando normalmente.

"Não haverá fechamento, nem transferência", explicitou.

Acrescentou que o que vai mudar da regional da Celesc de Criciúma é o "endereço". Vai sair da rua Lauro Muller, para a avenida Centenário.

A informação da transferência caiu como uma bomba em Criciúma hoje a tarde, a ponto de o prefeito Clesio Salvaro ter distribuido nota oficial condenando a decisão e anunciando mobilização de politicos e empresários.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/02/2019 - 17:00Atualizado em 13/02/2019 - 17:22

A informação cai como uma bomba em Criciuma e região. A direção da Celesc já comunicou a transferência para Tubarão do seu escritório regional que funciona em Criciúma desde a década de 70.

Uma decisão sem justificativa técnica, ou administrativa. Afinal, o maior consumo está concentrado na região de Criciúma, e a regional de Criciuma teve os melhores indices de desempenho nos ultimos anos. Enquanto a de Tubarão ficou em ultimo lugar no ranking.

Enaldo dos Santos, diretor regional, já foi comunicado que só ficará no cargo até o final do mês. O gerente técnico, engenheiro Jânio Canela, também.

O prefeito Clesio Salvaro está em Florianópolis tentando falar com o governador Moisés para reverter a decisão.

Prefeitos da região, Amrec, Amesc, dirigentes de cooperativas e associações empresariais estão se preparando para ruidosa mobilização contra a medida.

Mais informações a partir de 18h na radio Som Maior FM, programa Ponto Final.   

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/02/2019 - 06:54

Não foi do presidente Ricardo Fabris, nem da executiva municipal, a decisão de liberar o vereador Zairo Casagrande (PSD) para procurar outro partido. Foi do “alto comando" do partido.
Fabris cumpriu o que foi definido junto com os deputados Julio Garcia e Ricardo Guidi.
Na segunda-feira, Fabris se reuniu com Zairo para comunicar o decidido.
Ontem, a executiva municipal aprovou por unanimidade os encaminhamentos formais para liberação do vereador. 
A principal leitura do fato é que o PSD está fazendo uma sinalização efetiva para o PSDB e o prefeito Clésio Salvaro, para possibilidade de repetir aliança (e a chapa) em 2020.
Zairo tem atuação destacada na Câmara, muito atento aos números e contas, mas “independente" em relação ao PSD e oposição clara ao governo de Salvaro.
Ele e o vereador Julio Kaminski (PSDB) são os principais opositores de Savaro na Câmara.
Salvaro fez a missão primeiro - liberou Kaminski.
PSD fez o mesmo com Zairo.
Dá demonstração de sintonia fina com Clésio e o seu governo.
Na sessão de ontem, os discursos dos outros dois vereadores do PSD, Camila do Nascimento e Salésio Lima, mostraram isso. Os dois defenderam o projeto do governo Salvaro para a Avenida Centenário.
Por sua vez, Zairo voltou a fazer críticas pesadas ao projeto.

Inaugura escritório

Os vereadores Camila do Nascimento e Salésio Lima, coordenador do Procon Gustavo Colle e o suplente de vereador Juarez de Jesus fizeram uma visita de cortesia ao escritório de Criciúma do presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, na tarde de ontem (foto).

PP mais forte

A posse de Edson do Nascimento, o Paiol, ontem, na Câmara de Vereadores, fortalece o Partido Progressista de Criciúma, que perdeu espaço desde a eleição de 2016. O PP volta a contar com dois vereadores, desde a saída de Daniel Freitas estava com apenas um, Miri Dagostim – que agora está presidente. Na mesa da posse, o ex-prefeito Márcio Búrigo e o presidente do partido em Criciúma, Itamar da Silva, com Paiol e Miri. 

CPI da Ponte

A CPI da Ponte Hercílio Luz foi aceita pelo presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, e está oficialmente em tramitação. O deputado de Criciúma, Jessé Lopes (PSL), manifestou interesse em presidir a CPI. O proponente, Bruno Souza (PSB), também já manifestou interesse em ficar com a presidência.

Nomeadas

Duas assessoras do ex-deputado Valmir Comin (PP) foram nomeadas para a secretaria de Ação Social do Governo de Carlos Moisés. Kelli Dalla Lana e Kênia Pacheco.
Comin foi dos deputados mais envolvidos com o ex-deputado Gelson Merisio (PSD) e sua candidatura ao governo.
As duas assessoras participaram ativa e diretamente das campanhas de Comin e Merisio.
Nos bastidores é dito que as nomeadas trataram de apagar as fotos com Merisio nas redes sociais, para evitar pressão dos deputados do PSL.

Detalhamento

A secretária de Obras de Criciúma, Kátia Smielevski, deverá ir à Câmara de Vereadores dar mais detalhes sobre a obra de rebaixamento da Avenida Centenário, em frente à rodoviária, com o objetivo de dar mais mobilidade e segurança ao pedestre. O assunto foi levantado pelo vereador Zairo Casagrande (PSD). A conclusão final da maioria dos parlamentares é que o projeto precisa ser melhor explicado pelo impacto que terá na região.

Sem mudanças

Os últimos passos do governo municipal em relação à rodoviária de Criciúma sugerem que a troca de local, pelo menos por agora, não está mais nos planos. Primeiro foi a concessão à iniciativa privada por 20 anos e possível de renovação por mais 20 anos. Depois a obra para facilitar a passagem de pedestres de um lado ao outro da Centenário. Em anos passados muito se falou em levar a rodoviária para a Quarta Linha ou até mesmo para a Via Rápida. Locais mais próximos da BR-101.

Futuro

A Tecnologia da Informação esteve no foco da reunião de planejamento da equipe liderada pela reitora Luciane Ceretta. A intenção é em 2019 fortalecer a Unesc Digital e uma das principais ações é o lançamento da Educação a Distância.

Voto aberto

O voto aberto está cada vez mais forte entre as reivindicações dos eleitores. Pois, se o eleitor escolhe um determinado político para o representar nada mais justo do que saber quais são as movimentações e seus posicionamentos. O voto aberto tomou maior visibilidade durante a sessão para a escolha do presidente do Senado com direito a decisão do STF para garantir o voto secreto. O senador catarinense, Jorginho Mello (PR), foi um dos 44 que assinou o pedido de urgência para tramitação do projeto que transforma em aberta a votação para os cargos da Mesa do Senado.  O projeto já foi protocolado no ano passado na Casa.

Em Forquilhinha

Os vereadores de Forquilhinha aprovaram a proposta de Juliano Arns (PDT) que coloca fim às sessões secretas. O voto secreto já havia sido derrubado no Legislativo forquilhiense.

Forças regionais

Os deputados do Oeste do estado se reuniram em uma bancada e elegeram Marlene Fengler (PSD) como a coordenadora do grupo formado por 16 parlamentares. Modelo semelhante foi adotado na legislatura passada pelos deputados do Sul. Nesse ano, a região conta com o fortalecimento de ter o presidente da Assembleia Legislativa. O primeiro encontro deve acontecer após a formação das comissões permanentes da Casa.
Está na Assembleia Legislativa a principal força do Sul do estado. São oito deputados – dois da região de Tubarão, um do Vale do Araranguá e cindo de Criciúma, incluindo o presidente Julio Garcia. A bancada do Sul deve estar em sintonia com as demandas da região e com entidades representativas, especialmente, no fortalecimento da economia da região. Sai ano e entra ano e o Sul vai ficando para trás no desenvolvimento econômico.

Frente Parlamentar

Um exemplo positivo é a participação dos deputados do Sul na Frente Parlamentar das rodovias que ligam a região à Serra. O grupo será coordenado pelo proponente Volnei Weber (MDB) e terá a participação de Felipe Estevão (PSL), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Ada De Luca (MDB), Julio Garcia (PSD), Jessé Lopes (PSL) e Rodrigo Minotto (PDT). A intenção é fiscalizar mais de perto as ações do Governo do Estado nas rodovias SC-450 (Serra do Faxinal), SC-390 (Serra do Rio do Rastro) e SC-370 (Serra do Corvo Branco).
São quatro ligações do Sul com a Serra e todas elas apresentam problemas. A em estado mais favorável é a BR-285 (Serra da Rocinha) que está recebendo investimentos para pavimentação do Governo Federal.

Violência contra a Mulher

Santa Catarina é um dos estados que mais tem denúncias de violência contra mulheres. O assunto será tratado pelas cinco deputadas estaduais na Frente Parlamentar que terá o objetivo de manter um espaço de discussão permanente sobre o assunto, com destaque para o cumprimento da Lei Maria da Penha. A frente será coordenada pela deputada Ada De Luca e conta com a participação das deputadas Luciane Carminatti (PT), Ana Campagnolo (PSL), Marlene Fengler (PSD) e Paulinha (PDT).

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/02/2019 - 18:08Atualizado em 11/02/2019 - 18:36

O vereador Zairo Casagrande está sendo "convidado" a deixar o Partido Social Democrático (PSD). A informação foi repassada hoje pelo presidente da sigla em Criciúma, o vice-prefeito Ricardo Fabris, ao parlamentar, que participa normalmente da sessão da Câmara neste momento e ainda não se pronunciou sobre o fato.

O "bilhete azul" para Zairo o deixa à vontade para procurar outro partido, sem que os pessedistas venham a requerer a cadeira.

Zairo não é alinhado com o Paço. Tanto que faz poucos minutos, na sessão da Câmara, fez discursos contundentes contra o projeto de acesso para pedestres na Estação Rodoviária, com rebaixamento da Avenida Centenário, o que considera "uma obra megalomaníaca, caríssima, sem utilidade" e que será um problema para a cidade.

Ricardo Fabris tomou a decisão sobre liberar Zairo com aval do deputado estadual Julio Garcia e do deputado federal Ricardo Guidi.

Entre os possíveis destinos do vereador, o PSL, o MDB e até o PSDB fez uma sondagem. O vereador Dailto Feuser consultou o prefeito Clésio Salvaro sobre a possibilidade de filiação do vereador ao partido tucano.

Depois de várias tentativas de se eleger pelo PT, invariavelmente figurando em suplências, Zairo elegeu-se pelo PSD em 2016 com 1.962 votos.

(Colaboração: Denis Luciano)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13