Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/08/2018 - 05:57Atualizado há 2 horas

O retorno

Manoel Mota pode encerrar careira como presidente da Assembleia.

Há uma “construção” a ser feita, que não é simples, mas é possível que o deputado Manoel Motta, MDB, tenha a oportunidade de encerrar a sua carreira política como presidente da Assembléia Legislativa.

Motta está hoje sem mandato, fora da Assembléia, e já anunciou “fim de carreira”. Não será candidato em outubro.

Ele ficou terceiro suplente do MDB na eleição de 2014, mas assumiu logo no início do mandato e ficou como deputado até abril, quando os deputados efetivos que estavam no governo voltaram para a Assembléia.

Com a morte do presidente da Assembléia, deputado Aldo Schneider, MDB, Mota será convocado para assumir. Provavelmente, na próxima semana.

Mota assumirá como deputado. Não como presidente.

O primeiro vice-presidente, deputado Silvio Dreveck, PP, já estava provisoriamente como presidente (Aldo esta licenciado) e será agora efetivado.

Pelo acordo entre os partidos, a presidência da Assembléia em 2018 seria do MDB.

Para isso, o MDB terá que eleger o primeiro vice-presidente e Dreveck renunciar a presidência.

Silvio tem emitido sinais que não deve renunciar. Ainda mais que MDB e PP são adversários na eleição de outubro.

Mas, é aí que as circunstâncias podem ajudar Manoel Mota a chegar à presidência.

Primeiro, porque ele não é candidato, está em fim de carreira, não representa “ameaça" a ninguém.

Segundo, porque todos os outros deputados estão em campanha, ninguém ficará na Assembléia até novembro.

Assim, ele poderá com facilidade ser eleito primeiro vice e assumir pelo menos provisoriamente a presidência. Dreveck pode pedir licença para se dedicar a campanha.

Numa conjectura maior, Dreveck pode renunciar em dezembro para que Mota encerre o seu sétimo mandato como presidente. Seria uma espécie de “homenagem”.

O próprio Mota deve começar a trabalhar nos bastidores a partir do momento que for convocado.


Padre Julio!

Foi difícil de acreditar quando alguém me avisou por telefone - o padre Julio morreu!

"Não pode!”, foi minha primeira reação.

Afinal, homem novo, saudável, na plenitude das suas atividades.

E alguém que dedicou sua vida à ajudar pessoas.

Inclusive, com as suas palavras de fé de todos os dias, 6h50, na rádio Som Maior FM.

Um amigo maravilhoso, homem de bem, coração enorme.

Sempre com aquele sorriso rasgado no rosto.

Uma perda enorme para todos!!


Velha guarda

Para entender porque a repetição dos candidatos de sempre nas eleições, as vezes mudando de posições, sem renovação, é só observar o que acontece no PP da região. 

O único projeto de renovação efetiva entre os grandes partidos foi inviabilizado pelos líderes tradicionais do PP, que tem o comando e decidem de acordo com os seus interesses.


O retorno

O deputado federal Jorge Boeira, PP, que não vai disputar a reeleição, se reuniu ontem em Criciúma com o ex-deputado Leodegar Tiscoski, que será o candidato na sua vaga.

Boeira levou alguns integrantes do seu grupo de apoio e passou informações sobre o esquema politico que tem no sul.


Novo regional

Foi empossado ontem o novo secretario regional de Tubarão, Samuel da Silva.

Ele é suplente de vereador em Tubarão e cunhado do vereador Ademir Honorato, MDB.


Tem mais

Novas denúncias foram feitas ontem, na esteira da aposentadoria da servidora da prefeitura de Criciúma que teve uma função gratificada de quase r$ 4 mil concedida por decreto praticamente três meses antes, e que incorporou ao salário (vai receber para o resto da vida).

O vereador Ademir Honorato, MDB, levou o assunto para a sessão de ontem da câmara e anunciou vários expedientes para investigar.

O conselho do CriciumaPrev também vai apurar a legalidade do ato.

Se confirmar metade do que foi dito nos corredores do Paço, ontem, vai virar um balaio de siri!


Pesquisa nova

Hoje vai ter divulgacão de pesquisa nova, intenção de voto do eleitor de Criciúma para governador.

Pesquisa foi realizada pelo Instituto IPC com exclusividade para Som Maior FM e A Tribuna.

A primeira desde que foram oficializadas as candidaturas.

Primeiros números serão divulgados pela Som Maior.


Craque

O anúncio dos índices de vacinação na região de Criciúma, os melhores do estado, servem para evidenciar mais uma vez o bom trabalho de Fernando de Faveri na gerencia regional de saúde.

Não foi de graça que os secretários municipais de saúde praticamente fizeram “motim” para não deixar ele sair daqui, quando chegou a estar anunciado para um cargo estadual no governo.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/08/2018 - 19:56Atualizado em 20/08/2018 - 20:58

Morreu no começo da noite de hoje, em Tubarão, vítima de infarto fulminante, o padre anglicano Julio Zamparetti, aos 43 anos.

Ele assinava coluna em A Tribuna e tinha programa diário radio Som Maior, às 6h50.

Velório está acontecendo na capela Santa Terezinha, centro de Tubarão.

Foi dificil de acreditar quando recebi a informação por telefone. Homem novo. Boa saude. E um cidadão maravilhoso.

De boa conversa, sempre alto astral e pensando em fazer alguma coisa para ajudar as pessoas. 

A sua mensagem de esperança e fé era a primeira boa atração de todos os dias da Som Maior FM.

  

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/08/2018 - 06:50

Enquanto as apostas na maioria das rodas de política era que a liderança da primeira pesquisa Ibope, contratada pela NSC para avaliar a corrida eleitoral ao Governo do Estado, estivesse com Mauro Mariani (MDB) e Gelson Merisio (PSD) – que construíram as maiores alianças, Décio Lima, do PT, mostrou que tem o nome mais conhecido no momento. Pesquisa é momento, retrata o agora, mas dará uma mexida neste início oficial de campanha eleitoral. Também surpreendeu os 4% do candidato, o desconhecido Ângelo Castro, do PCO.


Décio Lima apareceu com 16% das intenções de voto, seguido de Mariani com 11%. A margem de erro para mais ou para menos coloca os dois em empate técnico. Merisio vem com 6%. Ângelo Castro fez 4%, seguido por Ingrid Assis (PSTU) e Rogério Portanova (Rede), 2%. Comandante Moisés (PSL) e Jessé Pereira (Patriota) com 1%. Leonel Camasão (PSOL) não foi citado.


A pesquisa também atenta para um dado que já vem sendo tratado com certa preocupação dentro dos partidos. Os brancos e nulos somaram 34% e os que não sabem ou não responderam, 23%. Juntos, somam a maioria dos entrevistados. Esses números podem seguir para dois caminhos. Ou teremos a eleição com o maior número de votos brancos e nulos ou o candidato que consegui mostrar uma melhor proposta durante a campanha e reverter esses eleitores para si, sairá vencedor do pleito.


Quando a pergunta foi sobre a rejeição, o mais citado também foi Décio Lima (PT) com 21%. Depois, Mauro Mariani (MDB), 15%; Leonel Camasão (PSOL) e Gelson Merísio (PSD), 12%; Ingrid Assis (PSTU), 11%; Ângelo Castro (PCO) e Rogério Portanova (Rede), 10%; Jesse Pereira (Patriotas), 9%; Comandante Moisés (PSL), 8%, enquanto 6% dos pesquisados responderam que poderiam votar em todos, e 42% não sabem ou não responderam.


Dois ex-governadores na frente


A mesma pesquisa Ibope, contratada pela NSC e divulgada ontem no NSC Notícias, também questionou os eleitores sobre a corrida ao Senado. Os dois ex-governadores, Raimundo Colombo (PSD), com 27%, e Esperidião Amin (PP), com 23%, lideram. Os dois estão na mesma coligação, mas neste ano serão eleitos dois senadores.
Em terceiro aparece Paulo Bauer (PSDB), 19%; seguido de Jorginho Mello (PR), 8%; Ideli Salvatti (PT), 7%; Roberto Salum (PMN), 6%; Professor Antônio (PSOL), 5%; Pedro Cabral (PSOL), 5%; Andréa Carvalho (PCO), 4%; Lucas Esmeraldino (PSL), 3%; Lédio Rosa (PT), 2%; Ricardo Lautert (PSTU), 2%; Diego Mezzogiorno (Rede), 1%; Miriam Prochnow (Rede), 1%. Os brancos e nulos totalizaram 17% na primeira opção e 21% na segunda, enquanto os que não sabem ou estão indecisos alcançaram 49%.


Debate televisivo


Antes da divulgação dos números da pesquisa, os candidatos participaram do debate promovido pelo SBT, no horário do meio-dia. Esse foi o primeiro debate de televisão, depois do encontro promovido pela Som Maior, no sábado passado. Os temas básicos como educação, saúde e infraestrutura apareceram com a frequência já esperada. Gelson Merisio (PSD) e Mauro Mariani (MDB), por mais que se esforcem, não escaparão tão fácil da ligação com o Governo do Estado nos últimos 16 anos, pelo menos, no que depender dos adversários.


Tempo de TV


Nesta sexta-feira, o TRE divulgou o tempo de TV que cada candidato terá. Mauro Mariani é o que terá maior tempo: 3min34seg. Gelson Merisio terá 3min12seg e Décio Lima 1min21seg. Aos demais concorrentes, sobraram segundos. Alguns, terão apenas o tempo de se apresentarem. A propaganda no rádio e TV inicia em 31 de agosto.


Melhorou


Depois de alarmes em relação à situação financeira do Estado, um alento. A Secretaria da Fazenda divulgou que a arrecadação no mês de julho foi de pouco mais de R$ 2 bilhões. O valor é 12% maior se comparado ao mesmo período do ano passado e 14,2% superior ao mês de junho de 2018.


Reação


Os advogados de defesa do deputado federal João Rodrigues (PSD) reagiram ao pedido da Procuradora da República, Raquel Dodge, que ingressou com reclamação no STF, solicitando o retorno do deputado a prisão. Para eles, o ministro Rogério Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, tem autonomia para tomar a decisão que concedeu a liberdade ao deputado.


Lançamento


O MDB será o primeiro a fazer um grande ato de lançamento da candidatura dentro de período de campanha eleitoral. Será neste, domingo, e Joinville foi a cidade escolhida. Estarão presentes os candidatos ao Governo Mauro Mariani (MDB) e Napoleão Bernardes (PSDB) e ao Senado Paulo Bauer (PSDB) e Jorginho Mello (PR).


Mulheres


A Comissão da Mulher Advogada da OAB Criciúma realizou o 1º Simpósio de Mulheres na Política do Sul e reuniu importantes lideranças da região para debater esse importante tema. Entre elas, estava a primeira reitora da Unesc, Luciane Ceretta, na mesa de debate sobre o tema “Nossa trajetória e desafios” ao lado de Neura Maria Corrêa Costa, Lisiane Tuon, Ada De Luca, Angela Melo, Camila Nascimento, Albertina Rosso e Sayonara Araújo Pessoa. Ao fim do debate a reitora recebeu das mãos do presidente da OAB Criciúma, Fabio Jeremias de Souza, uma homenagem pela passagem do aniversário de 50 anos da instituição.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/08/2018 - 19:43Atualizado em 17/08/2018 - 19:46

O candidato do PT ao governo do Estado, Décio Lima, lidera a pesquisa Ibope ao governo de Santa Catarina divulgada a pouco pelo grupo NSC. O petista alcançou 16% das intenções de voto. Mauro Mariani (MDB), ficou em segundo lugar, com 11%. Gelson Merísio (PSD), alcançou 6%. Ângelo Castro (PCO) fez 4%, seguido por Ingrid Assis (PSTU) e Rogério Portanova (Rede), 2%. Comandante Moisés (PSL) e Jessé Pereira (Patriotas) tiveram 1%. Leonel Camasão (PSOL) ficou em 0%. Os brancos e nulos somaram 34% e os que não sabem ou não responderam, 23%.

Na rejeição, o mais citado foi Décio Lima (PT) com 21%. Depois, Mauro Mariani (MDB), 15%; Leonel Camasão (PSOL) e Gelson Merísio (PSD), 12%; Ingrid Assis (PSTU), 11%; Ângelo Castro (PCO) e Rogério Portanova (Rede), 10%; Jessé Pereira (Patriotas), 9%; Comandante Moisés (PSL), 8%, enquanto 6% dos pesquisados responderam que poderiam votar em todos, e 42% não sabem ou não responderam.

Na corrida ao Senado, Raimundo Colombo (PSD) tem 27%. Na sequência, Esperidião Amin (PP), 23%; Paulo Bauer (PSDB), 19%; Jorginho Mello (PR), 8%; Ideli Salvatti (PT), 7%; Roberto Salum (PMN), 6%; Professor Antônio (PSOL), 5%; Pedro Cabral (PSOL), 5%; Andréa Carvalho (PCO), 4%; Lucas Esmeraldino (PSL), 3%; Lédio Rosa (PT), 2%; Ricardo Lautert (PSTU), 2%; Diego Mezzogiorno (Rede), 1%; Miriam Prochnow (Rede), 1%. Os brancos e nulos totalizaram 17% na primeira opção e 21% na segunda, enquanto os que não sabem ou estão indecisos alcançaram 49%.

A pesquisa foi registrada pela NSC no TRE e TSE, e ouviu 812 eleitores entre os dias 14 e 16 de agosto. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. Mais detalhes neste sábado em A Tribuna.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/08/2018 - 06:50

Um plano de desenvolvimento regional está entre as prioridades elencadas pela ACIC e CDL e faz parte da campanha Do Sul pelo Sul, apresentada ontem, e que quer conscientizar a população sobre a importância do voto regional. Os primeiros passos já foram dados e reuniões para apresentação ao Governo do Estado iniciaram, uma das possibilidades é que a SCPar, que administra o Porto de Imbituba, possa entrar nessa parceria, já que o crescimento da região interessa ao porto. Esse plano é fundamental para que a região construa um futuro de desenvolvimento embasado, que encontre um caminho e que não precise mais exportar mão de obra qualificada, mas que possa acolher esses profissionais aqui. A Inovação parece ser a grande alternativa, mas para isso é preciso que não só as entidades privadas entrem na causa, é preciso que os agentes políticos comprem essa briga para si e que cobrem que o próximo governador de Santa Catarina esteja realmente comprometido com o Sul do Estado.
Está aí a importância da campanha lançada pela ACIC e CDL. Os candidatos serão chamados, as pautas apresentadas e as cobranças serão feitas no próximo ano.
Além do plano de desenvolvimento regional com metodologia de implantação, serão cobrados a estadualização do Hospital Materno Infantil Santa Catarina; construção do Centro de Inovação de Criciúma, implantação de uma política de apoio à atração de novas empresas; criação da Região Metropolitana Carbonífera; fixação da barragem do Rio Araranguá; integração do sistema modal: ferrovias, rodovias e marítimo; conclusão e duplicação do Anel de Contorno Viário de Criciúma; ampliação de rotas internacionais no Porto de Imbituba; revitalização das rodovias Jorge Lacerda e Luiz Rosso;
Todas as áreas são essenciais, mas somente com desenvolvimento é que se pode melhorar a saúde, a educação e a infraestrutura, é que se pode gerar emprego e melhorar a qualidade de vida. Tudo parte deste princípio.

No início

Diomício Vidal, vice-presidente da Fiesc para o Sul do Estado, presente no encontro de lançamento da campanha Do Sul para o Sul, lembrou que a ACIC já cumpriu importante papel na industrialização de Criciúma. Quando em 1975 se percebeu que o setor carbonífero poderia entrar em crise, se realizou uma reunião, na antiga sede, e teve o início do investimento no setor plástico com Jorge Zanatta.

Pelo Sul

A campanha começou e os candidatos foram para as ruas. O candidato ao Governo Gelson Merisio (PSD), a vice João Paulo Kleinübing (DEM) e ao Senado Raimundo Colombo (PSD) e Esperidião Amin (PP) seguiram pelo Sul do Estado, estiveram em Braço do Norte (foto), e depois, subiram a serra em direção a Urubici e São Joaquim.

Florianópolis

O time do candidato do PSOL ao cargo de governador, Leonel Camasão, escolheu o Ticen, em Florianópolis, para realizar panfletagem (foto). Os candidatos ao Senado, Pedro Cabral e Antônio também participaram.

Norte e Oeste

O candidato ao Governo Mauro Mariani (MDB) e ao Senado Paulo Bauer (PSDB) iniciaram a campanha por Joinville (foto). No início da manhã, o candidato a vice Napoleão Bernardes (PSDB) acompanhou uma visita ao prefeito da cidade, Udo Döehler (MDB). Já Jorginho Mello (PR), candidato ao Senado, esteve em Joaçaba, sua base eleitoral.

Na Fecesc

A campanha de Décio Lima (PT) ao Governo do Estado iniciou com encontro na Federação dos Trabalhadores no Comércio do Estado de Santa Catarina (Fecesc), em Florianópolis. Ele estava acompanhado dos candidatos ao Senado, Ideli Salvatti e Lédio Rosa.  

Evandro Scaini 

Após a negativa do PSD estadual em registrar a candidatura de Evandro Scaini, ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, o ato foi oficializado pelo presidente do Diretório de Araranguá Professor Tainha e pelo vice-presidente do Diretório do PSD de Arroio do Silva, Sérgio Panatta. O registro foi feito ontem e já consta no site oficial de divulgação de candidaturas.

Interina: Francieli Oliveira

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/08/2018 - 06:50

No dia em que as campanhas podem ser colocadas na rua, a Associação Empresarial de Criciúma e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) colocam a sua. Uma coincidência apenas, mas que chega no momento em que precisa chegar. O Sul pelo Sul chama atenção para a representatividade da região. Como na majoritária o Sul está praticamente sem representação alguma, as atenções se voltam para as proporcionais. Formar uma bancada do Sul forte significa maior poder de cobrança junto ao Governo do Estado e também em nível Federal. Na eleição de 2014, foram sete eleitos, mas esse número foi maior com a ascensão de suplentes. Neste ano, corre-se o risco de o número ser menor. Na Câmara Federal, a região conta com três representantes e também precisa correr atrás para que esse número não diminua.

 O Sul não consegue acompanhar o desenvolvimento de outras regiões de Santa Catarina, está ficando para trás, empobrecendo, perdendo investimentos, e olha que teve o vice-governador nos últimos anos, que agora é o governador, e isso refletiu em obras importantes como a Via Rápida e o Anel de Contorno Viário, em se tratando de Criciúma, mas não pode parar agora porque ficará de fora do Governo do Estado. Precisa correr atrás, formar uma bancada forte e cobrar participação, buscar obras importantes.

A ACIC e a CDL fazem seu papel. Assim como fizeram em 2014, vão colocar a campanha na rua e tentar conscientizar o eleitor da importância de fortalecer a região.

Arrancada

Ainda não era lançamento de candidatura, mas sim um encontro para recepcionar os candidatos da chapa encabeçada por Gelson Merisio (PSD), mas a coligação mostrou força e escolheu Criciúma para isso. Aconteceu, na noite de ontem, o primeiro de oito encontros macrorregionais (foto). Toda a majoritária estava presente. Além de Merisio, o candidato a vice João Paulo Kleinubing (DEM) e os candidatos ao Senado Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD).

Engajados

Os progressistas do Sul mostraram que estão engajados na campanha de Gelson Merisio (PSD) e eram maioria no encontro da noite de ontem, realizado em Criciúma. As faixas (foto) espalhadas pelo salão demonstravam a proporção dos participantes. Além do PP, os outros partidos da grande aliança formada por Merisio também estavam presentes.

Oficial

Agora é oficial: Leodegar Tiscoski já chegou ao evento de ontem como candidato a deputado federal pelo PP do Sul. A sigla procurava um representante depois que Jorge Boeira anunciou que não iria à reeleição.

Parceria

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) recebeu, ontem, uma comitiva dos Estados Unidos, em Florianópolis (foto). A cônsul-geral norte-americana, Julia Harlan, ficará três dias na cidade conhecendo diversas áreas e entidades, entre elas a Fiesc e Acate, para uma possível parceria com o governo catarinense. Do governador, ela ouviu pontos importantes da agroindústria, como as exportações e o fato de Santa Catarina ser o único estado do país livre da febre aftosa sem vacinação e sobre o polo tecnológico, que será muito beneficiado com essa parceria.

Unidade

A coligação Santa Catarina Quer Mais, encabeçada por Mauro Mariani (MDB), fez encontro na noite de terça e reuniu os seus candidatos a deputado estadual e federal. Ao todo, são 107 postulantes à Assembleia Legislativa e outros 76 que buscam a Câmara Federal (foto). Mariani esteve presente e disse não ter dúvidas da capacidade dos colegas de eleger a maior bancada de deputados e as duas vagas em jogo para o Senado, disputadas por Jorginho Mello e Paulo Bauer.

Diversidade

O vereador Alison Bertan (PR) certamente não esperava a repercussão que está tendo o projeto de sua autoria que visa instituir um Dia Municipal da Diversidade Sexual em Morro da Fumaça. Alvo de duras críticas de setores que ele cita como “de uma religião que não permite diversidade sexual”, o vereador emitiu extensa nota na qual diz que “não fez tal projeto para estimar kit gay, passeatas nem outras intervenções para público gay” e que “ter um dia para reconhecer o que é óbvio, a diversidade sexual, não é nada de absurdo”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/08/2018 - 19:40Atualizado em 15/08/2018 - 19:46

Dos 761 pedidos de registro de candidatura realizados até esta quarta-feira, 9 foram para o Governo do Estado e 14 para o Senado. Em breve, os nomes de todos os concorrentes estarão disponíveis no Sistema de Divulgação de Candidaturas do TSE.

Foram 9 pedidos para o cargo de governador, 9 para vice-governador, 14 para senador - mais 28 suplentes; 241 requisições para deputado federal; e 460 para deputado estadual.

Agora, para se transformarem em registros definitivos, os pedidos devem ser julgados pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), que confirmará se todos os pré-requisitos para a candidatura foram preenchidos. Os juízes têm até o dia 17 de setembro para julgar todos os pedidos.

A partir do dia 16 de agosto a propaganda eleitoral passa a ser permitida, desde que siga as normas previstas na Legislação Eleitoral. Para orientar candidatos, partidos, advogados eleitorais, imprensa e público em geral, o TRE-SC produziu um Manual de Propaganda Eleitoral e uma cartilha que tratam do tema de forma simplificada.

Julgamento dos registros de candidatos
 
Publicados os editais de registro de candidaturas, passa a correr o prazo de 5 dias para qualquer candidato, partido político, coligação ou o Ministério Público impugnar os pedidos de registro apresentados (Lei Complementar nº 64/1990, art. 3º). A análise dos pedidos inclui todas as condições de elegibilidade, as causas de inelegibilidade e outros requisitos para o registro. Após isso, os juízes julgarão se os candidatos estão ou não aptos a concorrer.
 
Ainda há a possibilidade de os partidos pedirem a substituição de candidatos para os cargos majoritários e proporcionais até o dia 17 de setembro, exceto em caso de falecimento, situação em que poderá ser efetivada após esta data - observado, em qualquer situação, o prazo de até dez dias contados do fato ou da decisão judicial que deu origem à substituição.
 
Candidatos ao Governo (ordem alfabética)

Ângelo Castro – PCO 
Vice: Flávio Ferreira Amaral

Camasão - PSOL/PCB (Um caminho pra gente) 
Vice: Carol Bellaguarda

Comandante Moisés - PSL 
Vice: Daniela Reinehr

Décio Lima – PT
Vice: Kiko

Gelson Merísio - PSD / PRB / PDT / PSB / PODE/SOLIDARIEDADE/PROS/ PSC / PC do B / PHS / PP / DEM / PRP / PPL / PV (Aqui é trabalho) 
Vice: João Paulo Kleinubing

Ingrid Assis – PSTU
Vice: Professor Ederson

Jesse Pereira - PMN/PATRI (Santa Catarina em Primeiro Lugar) 
Vice: Dr. Danny Cesar

Mauro Mariani - MDB/AVANTE/PSDB/PTB/PTC/PRTB/DC/PR/PPS (Santa Catarina quer mais) 
Vice: Napoleão Bernardes

Portanova – REDE
Vice: Regina Santos

Candidatos ao Senado

Andreá Luciano Carvalho - PCO

Diego Mezzogiorno - REDE

Esperidião Amin - PSD/PRB/PDT/PSB/PODE/SOLIDARIEDADE/PROS/PSC/PC do B/PHS/PP/ DEM/PRP/PPL/PV (Aqui é trabalho)

Ideli Salvatti – PT

Jorginho Mello - MDB/AVANTE/PSDB/PTB/PTC/PRTB/DC/PR/PPS (Santa Catarina quer mais)

Lédio Rosa – PT

Lucas Esmeraldino - PSL

Miriam Prochnow - REDE

Paulo Bauer - MDB/AVANTE/PSDB/PTB/PTC/PRTB/DC/PR/PPS (Santa Catarina quer mais)

Professor Antonio - PSOL/PCB (Um caminho pra gente)

Professor Pedro Cabral - PSOL/PCB (Um caminho pra gente)

Raimundo Colombo - PSD/PRB/PDT/PSB/PODE/SOLIDARIEDADE/PROS/PSC/PC do B/PHS/PP/ DEM/PRP/PPL/PV (Aqui é trabalho)

Ricardo Lautert - PSTU

Roberto Luiz Salum - PMN/PATRI (Santa Catarina em primeiro lugar)

(Redação / A Tribuna - com informações do Tribunal Regional Eleitoral / TRE-SC)

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/08/2018 - 11:34Atualizado em 15/08/2018 - 11:41

Daqui a algumas horas termina o prazo para os registros de candidaturas, é mais uma etapa vencida. Os nomes estarão postos, os times formados, as coligações fechadas. Chegou a hora de colocar o time na rua, de pedir o voto para o eleitor. São 52 dias para mostrar e comprovar que se é a melhor opção para o futuro do país.
Nesta corrida eleitoral, vamos analisar como se comportarão os candidatos e seus times de marqueteiros, que, com bem menos dinheiro em mãos, as campanhas terão que se adaptar. A internet será a grande ferramenta para o bem e também para o mal. Teremos que ter muito cuidado, pois as notícias falsas, plantadas, multiplicar-se-ão.
Em Santa Catarina, são nove candidatos ao Governo do Estado. Mas a corrida eleitoral não deve fugir da polarização entre Gelson Merisio (PSD) e Mauro Mariani (MDB), as duas maiores coligações, e correndo por fora estará Décio Lima (PT). O PSL aposta na onda Bolsonaro.
No país, 13 concorrem à Presidência da República. E está aí mais uma peculiaridade deste pleito. O PT registra hoje a candidatura do ex-presidente Inácio Lula da Silva, mas não deve ir longe. Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) têm dado vários indicativos de que irão barrar todos em condenação em segunda instância. Fernando Haddad e Manuela D’Ávila serão colocados em campo.
Está dada a largada.

Muda o jogo

João Rodrigues (PSD) conseguiu, em cima do laço, importante decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que o coloca no jogo na corrida eleitoral para a Câmara dos Deputados. Com a confirmação de que sua pena já prescreveu e de que ele deve ser solto imediatamente, os advogados correm contra o tempo para que ele venha ainda hoje a Santa Catarina registrar sua candidatura. Um dos mais votados em 2014, muda todo o jogo e fortalece a coligação do PSD.

Exemplo

Desde que foi lançado, o Observatório Social Criciúma vem cumprindo, e muito bem, o seu papel. Vem fiscalizando de perto os gastos públicos e já obteve ótimas respostas, como no caso do alto número de medicamentos distribuídos pela Prefeitura de Criciúma. Agora, teve ação selecionada para o concurso nacional de Boas Práticas. Uma ideia simples, básica, mas que faz muita diferença. Vídeos ensinam o cidadão acessar informações do Portal da Transparência. É ali que estão todas as informações dos órgãos públicos, mas, muitas vezes, não são tão fáceis assim de achar. O Observatório Social mostra, mais uma vez, que pequenos gestos significam muito.

Desinteresse

A pesquisa realizada pelo IPC, a pedido do Legislativo, sobre a opinião do cidadão criciumense sobre a troca de horário revelou o desinteresse pelos trabalhos do Legislativo. Dos 625 entrevistados, 53,8% se disseram indiferentes ao horário em que as sessões são realizadas.

Tomando gosto

O vice-presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostin (PP), está tomando gosto. Ontem, mais uma vez, ele comandou os trabalhos do Legislativo com a ausência do presidente, Julio Colombo (PSB), que representava a Câmara em evento fora. Miri é um dos nomes cotados para assumir a Presidência no ano que vem.

Anuncia hoje

O PP do Sul deve apresentar a candidatura de Leodegar Tiscoski a deputado federal, na noite de hoje, no evento regional que recebe o candidato ao Governo Gelson Merisio (PSD), a vice João Paulo Kleinubing (DEM), e ao Senado Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD). O nome de Tiscoski foi fortalecido na segunda-feira, após recuo de Ângela Ghislandi. A vaga se abriu após desistência de Jorge Boeira de concorrer à reeleição.

Vai mudar

A Câmara de Vereadores de Criciúma deve mesmo seguir o exemplo de outras câmaras como de Florianópolis, Joinville e Blumenau, e realizar as sessões ordinárias mais cedo, às 17h. O projeto de lei já foi lido em plenário e está tramitando nas comissões. Certamente será aprovado, caso não haja alguma reação da população. A alegação do presidente, Julio Colombo (PSB), é que irá gerar economia para a Casa com a diminuição de pagamentos de horas extras, por exemplo. Para quem estiver trabalhando no momento, a alternativa será assistir pelas redes sociais, já que os vídeos ficam disponíveis.

Anfitrião

O ex-governador Casildo Maldaner (MDB) recebeu o candidato ao Senado Paulo Bauer (PSDB) e o vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafin (MDB), e fez questão de mostrar fotos de sua trajetória aos dois (foto). A reunião ocorreu em Florianópolis, onde os três fecharam detalhes para uma nova jornada. Casildo e Sandro são os suplentes de Paulo Bauer na corrida ao Senado.

Interina: Francieli Oliveira

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/08/2018 - 06:55

O nome de Leodegar Tiscoski voltou com força para ser o representante do Partido Progressista do Sul do Estado na disputa por uma vaga à Câmara Federal. Ontem, ficou muito bem encaminhado, mas a resposta final será confirmada hoje. Leodegar passou boa parte do dia no diretório do PP, em Florianópolis, disse que ainda precisava conversar com lideranças do Sul, que é um desafio que não pode embarcar sozinho e que quem irá definir pela sua participação são as lideranças do Sul do Estado.

A principal liderança envolvida nesse processo é o deputado federal Jorge Boeira. A vaga se abriu desde que ele desistiu de disputar a reeleição e é fundamental no processo de transição. Só para lembrar, Boeira fez mais de 123 mil votos em 2014.

Leodegar Tiscoski tem domicílio eleitoral em Sombrio e já foi deputado federal pelo PP.

O nome de Tiscoski foi cogitado logo em seguida à desistência de Boeira, mas ganhou força mesmo, ontem, após a desistência da empresária Âgela Ghislandi, de Nova Veneza. Sua candidatura, que parecia quase certa. não prosperou no fim de semana e na segunda-feira veio a desistência oficial por meio de uma nota.

Desde que Boeira desistiu, o PP procura um representante do Sul do Estado. O ex-prefeito de Criciúma Márcio Búrigo chegou a cogitar a participação, mas também recuou.

A nota

Ângela Ghislandi distribuiu uma nota sobre sua decisão. Como nunca concorreu a nenhum pleito eleitoral, ela vinha sendo tratada como renovação, uma cara nova no processo em momento que o eleitor procura por opções. Confira a nota: “Primeiramente gostaria de agradecer o apoio e as palavras de confiança que tenho recebido nestes últimos dias. Nos faz ver o quanto as pessoas estão ansiosas e esperançosas por algo novo, diferente e do bem. Mas pra um passo grande como o que me foi proposto, era preciso que tudo estivesse em total sintonia, o apoio mútuo de todas as partes envolvidas precisaria ser total. Isso tudo me faz repensar se realmente vale a pena um futuro na política. Fica meu agradecimento a todos pelas palavras de apoio”. 

Arrancada no Sul

Criciúma recebe amanhã, no Centro de Eventos Germano Rigo, às 19h, o primeiro encontro macrorregional “Aqui é Trabalho”. O evento, que também será realizado nas outras regiões de Santa Catarina, vai reunir todos os partidos da aliança do candidato ao governo Gelson Merisio (PSD). Estarão presentes o vice da chapa, João Paulo Kleinubing (DEM), o deputado federal Esperidião Amin (PP) e o ex-governador Raimundo Colombo (PSD), candidatos ao Senado na coligação. Os deputados do Sul também marcarão presença. No sábado, antes do debate realizado pela Som Maior, Merisio foi recebido pelos apoiadores aqui da região.

Repercutiu

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, reagiu às citações de Gelson Merisio no debate realizado pela Som Maior a respeito da posição de Mauro Mariani perante do governo Temer e a sua nomeação para o Ministério do Turismo. Vinicius Lummertz foi assertivo: “Mauro Mariani é um homem preparado para o desafio de governar Santa Catarina, como sonhava Luiz Henrique. Merisio mostra que, claramente, ainda não está preparado”.

Apoio

O ex-vereador Izio Inácio Hulk, que apoiaria Jorge Boeira (PP), declarou apoio a Daniel Freitas (PSL), que deixou o PP justamente pela falta de oportunidade para concorrer na eleição deste ano e fará parte da equipe de coordenação em Criciúma. Já para estadual, o apoio de Hulk será para a candidata do PDT, ex-prefeita de Bombinhas, Paulinha. Quem também se junta ao time de Paulinha é Ricardo Strauss, ex-vereador pelo PDT e PP.

Compromisso

As entidades de hospitais filantrópicos realizaram encontro com os candidatos ao Governo do Estado com a intenção de apresentar as principais pautas. O senador Dário Berger representou o candidato do MDB, Mauro Mariani (foto). Candidatos ao Senado pela coligação Santa Catarina Quer Mais, o deputado federal Jorginho Mello (PR) e o senador Paulo Bauer (PSDB), também compareceram ao encontro.

Interina: Francieli Oliveira

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2018 - 08:46Atualizado em 11/08/2018 - 08:46

Há três fatos importantes programados para os próximos diss que vão marcar o inicio efetivo da campanha e definir as circunstâncias da disputa.

O primeiro será o debate deste sábado, 10h, realizado pela rádio Som Maior FM, em Criciúma, entre os candidatos a governador.

Será o primeiro do estado na campanha de 2018.

Depois, disso teremos na próxima semana a primeira pesquisa eleitoral estadual realizada por instituto credenciado depois que todos os candidatos foram definidos e registrados.

E no dia 31 de agosto, o inicio da da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

Mas, o debate deste sábado já vai deixar evidente o que esperar da campanha. Há muita expectativa.

Afinal, todos os candidatos vão disputar o governo pela primeira vez. Não há histórico de confronto entre eles.

Como será que vão se posicionar Mauro Mariani e Gelson Merisio, candidato de MDB e PSD, ex-aliados que andaram às turras nos últimos dois anos?

Décio Lima, do PT, vai partir para o ataque contra os dois, ou vai fazer um estilo mais light, projetando uma eventual composição de segundo turno?

O comandante Moisés, do PSL, partido de Bolsonaro, vai encarnar o “Bolsonaro catarinense”?

Leonel Camasão, do PSOL, franco atirador, não quer saber de aproximação com nenhum deles, mas vai conseguir demarcar o seu espaço e se impor na discussão?

Ninguém tem as respostas. Porque eles nunca se enfrentaram e não participaram antes de nenhum debate estadual.

Tudo isso que chama a a atenção para o debate deste sábado.

As composições eleitorais, alianças, acordos políticos, são importantes no processo. Mas, o desempenho do candidato, a empatia com o publico/eleitor, a facilidade de transmitir ideias/opiniões, e como consegue administrar pressões/ataques, também pesam muito.

Por fim, estamos tratando de uma eleição para governo catarinense que não tem um candidato favorito, que está aberta. O que faz aumentar a importância e a expectativa com o primeiro debate.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/08/2018 - 06:04Atualizado em 10/08/2018 - 09:33

No processo politico, o sul do estado não tem nenhum candidato a governador, nem a vice. O “grande sul” só tem um candidato a senador, e por um partido pequeno. 

A região de Criciúma, não tem nenhum candidato a governador, vice ou senador. Içara tem um candidato a segundo suplente de senador. E só.

Criciúma, especificamente, maior cidade de todo o sul, não tem candidato nem a suplente.

A região entra campanha menor do que estava.

Não que a cidade e a região não tenham pessoas qualificadas. Claro que tem. Muitas. Em condições até de fazer melhor que os indicados.

O que não tem é capacidade de articulação, unidade, competência política. Por isso, está ficando fora do jogo de poder.

Na Fiesc acontece praticamente o mesmo.

A nova diretoria que toma passe hoje, durante cerimonia em Florianópolis, à noite, tem presidente, primeiro vice, primeiro secretário, segundo secretário, primeiro tesoureiro e segundo tesoureiro. Ninguém de Criciúma, nem do sul.

Na vice-presidência de assuntos estratégicos, que tem quatro integrantes, nenhum do sul.

Na lista de 26 diretores que não tem função especifica, três são do sul.

É evidente que o vice-presidente regional sul, é do sul. Era só o que faltava não ser!

E no conselho fiscal, tem um titular e um suplente. E só!

Muito pouco para uma região tão importante. Presença minúscula.

É claro que pode maquiar, fazer de conta que não é bem assim.

Mas, o fato é que Criciúma e o sul não estão nos espaços mais importantes, o chamado "núcleo de comando".

E de novo, não por falta de pessoas qualificadas para isso.


Eduardo e Clesio

Governador Eduardo Moreira, MDB, e prefeito Clesio Salvaro, PSDB, se reuniram ontem pela primeira vez depois de sacramentada a aliança MDB-PSDB para eleição estadual.

Conversaram por quase 1 hora no gabinete do governador na Casa da Agronômica.

Trataram da eleição e da campanha conjunta MDB-PSDB.

Também falaram de questões administrativas, como o hospital materno infantil Santa Catarina.


Ângela diz sim

A presidente do PP de Nova Veneza, Ângela Ghislandi, reuniu a família ontem para avaliar o convite para ser candidata a deputada federal e ouviu o recado - “vai, que nós estamos contigo!”.

Posição foi repassada ao deputado Jorge Boeira, PP, que a convidou e ofereceu apoio, e que agora terá que fazer as devidas e necessárias “costuras" dentro do PP.

Ângela vai aguardar o "chamado" de Boeira e do PP para “entrar em campo”.

Ela tem 31 anos, nunca disputou eleição, mas está “empolgada” porque entende que o eleitor quer novidade.


Na campanha

O empresário Ronaldo Carlessi, ex-prefeito de Turvo, que não aceitou ser o primeiro suplente de Paulo Bauer, está integrado na campanha pela reeleição do deputado federal Ronaldo Benedet, MDB.

Também vai se envolver na campanha a governador de Mauro Mariani, MDB.


Gestão de politica

O ex-secretário da prefeitura de Tubarão, Laercio Menegaz Junior, migrou para a iniciativa privada, tem uma empresa de consultoria, e assumiu a coordenação da campanha do Comandante Moisés, candidato a governador pelo PSL, partido de Bolsonaro.

Também responde pela coordenação da campanha de Lucas Esmeraldino, de Tubarão, PSL, candidato ao senado. Laercio tem 18 anos de atuação na área política, com vitórias importantes no histórico.


Mais um federal

O médico Edivaldo Machado, filiado ao Patriota, será candidato a deputado federal pelo sul.

O partido tentou fazê-lo candidato a governador, mas ele não aceitou.

O candidato definido pelo Patriota a governador é Jessé Pereira, evangélico de Camboriu, registrado ontem no TRE.


Movimento novo

Israel Rocha, de Florianópolis, candidato a deputado federal, PSB, veio a Criciúma ontem para instalar o movimento Acredito, que aposta na renovação política, de praticas e princípios.

Ele é o idealizador do movimento, que está radicado pelo estado, com a participação de jovens.

Israel vai disputar sua primeira eleição, mas possui vasta experiência em projetos sociais. Já representou o Brasil na ONU.


Voltando

Aos poucos o empresário Gilson Pinheiro vai voltando a se envolver com as atividades de Criciúma, a sua cidade natal.

Depois de assumir no conselho superior da Acic, foi convidado (e aceitou) integrar o conselho municipal de turismo.

Gilson se firmou como um dos empresários mais importantes da construção civil em Florianópolis, mas também tem hotéis e outros negócios em Porto Alegre e Criciúma.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/08/2018 - 06:07Atualizado em 09/08/2018 - 15:49

A presidente do PP de Nova Veneza, Ângela Ghislandi, pode ser candidata a deputada federal, ocupando o espaço politico do deputado Jorge Boeira, que mantêm sua decisão de não disputar a reeleição. 

Angela pode ser a grande novidade da eleição no sul do estado. É nome novo, cara nova, sem mancha, sem passado político.

Ontem à tarde, Boeira foi a Nova Veneza para se reunir com ela. Garantiu apoio e registrou disposição de participar da sua campanha.

Num determinado momento da conversa, Boeira afirmou: “Estou disposto a te pegar pela mão e correr a região para te apresentar para todos do meu grupo de apoio”.

Os dois saíram empolgados da reunião.

Angela é jovem, 31 anos, nunca disputou eleição, mas tem intensa atividade comunitária. Foi presidente do time (Metropolitano), participou do governo do prefeito Evandro Gava, atuou na associação de turismo e preside a executiva municipal do PP desde 2017.

É filha do empresário Sanciro Ghislandi.

A família é tradicional na cidade e sempre participou do processo politico.

Ângela vai reunir hoje os parentes diretos e prometeu decisão até amanhã.

Mas, pelo que disse ontem, fim da tarde, só depende do apoio da família. Sua disposição pessoal é de disputar a eleição.

Boeira pode apresentá-la em coletiva na próxima semana como sua “sucessora”.

O ex-prefeito Márcio Burigo, de Criciúma, chegou a avaliar a candidatura a federal pelo PP da região, mas desistiu.

O ex-deputado Leodegar Tiscoski também se movimentou. Mas, não levou adiante.


Na pressão

O deputado Esperidião Amin voltou a conversar por telefone ontem com o deputado Jorge Boeira para pedir que seja candidato a reeleição. O secretário geral do PP no estado, Aldo Rosa, também.

Os dois conversam pelo menos uma vez por dia com Boeira.

Na terça-feira, o ex-prefeito Marcio Búrigo almoçou com o deputado.

A todos tem repetido que não vai disputar eleição para federal.


Sandro suplente

“Içara no senado, você é o suplente do senador do Paulo Bauer”. Foi assim que o governador Eduardo Moreira comunicou, por telefone, o vice-prefeito de Içara, Sandro Serafim, que tinha sido o escolhido.

Antes, Eduardo fez conversa definitiva com o deputado Edinho Bez, que foi o primeiro convidado, mas declinou. Prefere ser candidato a federal.

De imediato, o governador encaminhou escolha por Sandro junto com o candidato a governador do MDB, Mauro Mariani, e o senador Dario Berger.


Pouco peso

Sandro Serafim é de uma geração nova de políticos, de muito futuro, boa índole, gestor eficiente. O seu nome fortalece qualquer chapa.  

Mas, ele foi “escalado" para segunda suplência do senado! 

Foi o que “sobrou" para a região de Criciúma.

Especificamente para Criciuma, nenhum espaço nas chapas majoritárias. Nenhum representante.

Nas últimas décadas, é a pior perfomance da maior cidade do sul numa eleição estadual.


Vai juntar

O presidente do PP de Criciúma, advogado Itamar da Silva, anunciou - “já aparamos as arestas e na próxima semana vamos formar o comitê de apoio à nossa chapa majoritária”.

Itamar vai chamar os presidentes de todos os partidos da aliança liderada por PP e PSD. Em principio, para reunião na quarta-feira.


Amins na festa

A ex-deputada Angela Amin, PP, candidata a deputada federal, e o seu filho, deputado estadual João Amin, PP, candidato a reeleição, participaram ontem à noite da abertura da festa do vinho, em Urussanga.

Foram recebidos pelo prefeito Gustavo Cancelier (ao centro, com faixa no peito) e outros prefeitos da região.

 
Com mineiros

O ex-ministro Manoel Dias, PDT, candidato a deputado federal, foi recebido no sindicato dos mineiros de Siderópolis. Estava acompanhado do deputado estadual Rodrigo Minotto, PDT.

Lembrou sua histórica relação com os trabalhadores e contou fatos das históricas greve dos mineiros nas décadas de 6o e 70, que ele apoiou.


Happy birthday

O deputado estadual Valmir Comin, PP, faz aniversário amanhã, dia 10, mas a festa organizada pelos funcionários do seu gabinete da Assembleia foi ontem à tarde. Com a presença do candidato a governador Gelson Merisio, PSD.


Em torno do CASE

Prefeito Clesio Salvaro, PSDB, vai se reunir hoje, em Florianópolis, com o presidente do Tribunal de Justiça, Rodrigo Colaço, para tratar das obras em torno do CASE, como medidas compensatórias para a comunidade.

Clesio vai levar um ônibus lotado por moradores vizinhos do CASE.

Também participarão, chamados pelo presidente do Tribunal, os secretários de justiça e infraestrutura do estado.


Na diretoria

A empresária Ângela Boeira Pasquali, de Araranguá, será empossada hoje na diretoria da Abimaq (associação brasileira das industrias de maquinas). Uma das entidades mais importantes do setor produtivo no país.

Ângela é filha do empresário Gerci Pasquali, já falecido, e mulher do empresário e deputado Jorge Boeira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/08/2018 - 14:08Atualizado em 08/08/2018 - 18:19

Definidos os indicados do MDB como suplentes de Paulo Bauer, PSDB, na eleição para o senado.

Os nomes saíram de reunião em Brasília.

Para primeira suplência, o MDB indica o ex-governador e ex-senador Casildo Maldaner. É uma espécie de homenagem pela sua história no partido.

Segundo suplente é o vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafim.

Os nomes foram definidos agora em Brasilia, em reunião do governador Eduardo Moreira e o candidato do MDB ao governo, Mauro Mariani, com o senador Bauer.

O deputado Edinho Bez, primeiro nome encaminhado, não aceitou.       

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/08/2018 - 06:01Atualizado em 08/08/2018 - 06:48

O prefeito Clesio Salvaro, PSDB, saiu do gabinete ontem,19h, depois de longa reunião com o prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel, PSDB, cumprindo missão de “bombeiro”.

Maciel estava revoltado com a aliança fechada com o MDB e Clesio tratou de “acalmá-lo”.

Hoje, fará o mesmo com o prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha, PSDB.

Na segunda-feira, ele se reuniu com o deputado Luiz Fernando Vampiro, MDB, quando discutiram estratégias e encaminhamentos para a campanha.

Vampiro estava na condição de “porta voz” do governador Eduardo Moreira.

Governador e prefeito devem se reunir na próxima semana e a “chapa majoritária” da aliança MDB-PSDB deve vir a Criciúma durante agosto.

Vampiro estava com quatro vereadores do MDB na reunião - Paulo Ferrarezi, Toninho da Imbralit, Ita Beloli e Ademir Honorato (foto).

Clesio está decidido a se integrar na campanha de Mauro Mariani, MDB, para governador. Garante que não vai tirar o pé do acelerador porque o acordo do PSDB foi com o MDB.

Ele preferia aliança com o PP de Amin, mas a ultima conversa entre os dois não foi boa. Clesio não gostou do que ouviu.

Foi por isso que fez a “ponte" entre Mauro Mariano e Paulo Bauer, com auxilio de Acelio Casagrande, no sábado a noite, quando a aliança foi fechada, sendo levada a aprovação na reunião de domingo pela manhã, na executiva estadual do PSDB.

Clesio vai coordenar as campanhas de Paulo Bauer e Alckmin na região. Sobre a de Mauro Mariani, vai definir com o MDB.

A postura de Clesio e os seus movimentos refletem na região. Em Nova Veneza, ontem, o vereador Aroldinho Frigo, PSDB, se reuniu com o presidente do MDB, vereador Claiton Zanzi (foto).

Enquanto isso, PP e PSD de Criciúma ainda não tratam da campanha. Não te, nenhuma reunião marcada.

O PSD continua tratando das campanhas dos seus candidatos a depurados e o PP está “focado" nas suas pendências internas.

Ainda tem muitas criticas à Esperidião Amin pela condução que deu às negociações, deixando o PP com apenas uma vaga na majoritária (a dele), quando chegou a ter oficio do PSD oferecendo duas.

Além disso, o partido segue no movimento para tentar convencer o deputado Jorge Boeira a disputar a reeleição. Mas ele ainda não cedeu.

 

PDT não apóia

O PDT está no time dos 14 partidos da aliança liderada pelo PSD, está na campanha de Gelson Merisio para governador, mas não quer saber de vinculação com os candidatos ao senado da aliança - Esperidião Amin, PP, e Raimundo Colombo, PSD.

Para o senado, a orientação da direção do partido é “liberar os filiados”.

Em relação a Colombo, PDT não dá apóio pela sua postura em relação aos professores.

 

No arquivo

Na segunda-feira, na sessão da câmara, o vereador Dailto Feuser, PSDB, atacou acordo do PSDB com o MDB. Chegou a dizer - “quando os comandantes se vendem, fico enojado”.

Ontem, no Paço, foi dito que Feuser em 2014, mesmo no PSDB, apoiou o candidato do MDB a deputado estadual, Dalmo de Oliveira. Contra os candidatos do PSDB.

 

Edinho e a suplência

O deputado Edinho Bez, MDB, já esteve mais perto de ser o primeiro suplente de Paulo Bauer, PSDB, na eleição para o senado.

Hoje, ele terá conversa conclusiva com o governador Eduardo Moreira sobre o assunto.

Se Edinho não aceitar, o vice-prefeito de Içara, Sandro Serafim, pode ser o indicado pelo MDB do Sul.

 

Esticando o prazo

O deputado federal Jorge Boeira, PP, só deve responder na próxima aos apelos que vem recebendo para retomar a candidatura a reeleição. 

Ontem ele conversou com o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, que fez a defesa da sua volta.

 

Deu errado

Bateu na trave mais um recurso do deputado federal catarinense João Rodrigues, PSD, para anular a prisão e permitir sua candidatura à reeleição.

Ainda cabem recursos, mas passou a ser improvável a possibilidade de disputar a eleição.

 

O retorno

A campanha de 2018, com o governador Eduardo Moreira no comando das articulações, trouxe de volta ao cenário o ex-secretário municipal de Criciúma, Eraldo Peruchi.

Ele foi o articulador das campanhas que elegeram Eduardo Moreira e Paulo Meller como prefeitos de Criciúma e coordenou as campanhas de Ronaldo Benedet a deputado.

Desde ontem, ele está na Capital, levado por Eduardo, para atuar na articulação estadual da campanha de Mauro Mariani.

 

Prêmio nacional

A Librelato, empresa da região com atuação nacional, ganhou dois prêmios importantes no congresso da Fenabrave (federação nacional de distribuição de veículos).

A Librelato recebeu prêmio “marca do ano” e a sua associação de revendedores levou a premiação “associação de marca do ano”.

Prêmios foram entregues em cerimônia com o presidente Michel Temer, em São Paulo.

O CEO da Librelato, José Carlos Spricigo, recebeu os prêmios.

Foi a terceira vez que a Librelato recebe esta premiação.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/08/2018 - 08:45Atualizado em 07/08/2018 - 08:54

O deputado federal Edinho Bez, MDB, acaba de descartar na Som Maior a possibilidade de ser suplente de Paulo Bauer, PSDB, na eleição ao senado.

Ele diz que segue na sua campanha a deputado federal e que está muito animado. "Estou impressionado com o reconhecimento do meu trabalho", disse.

Reiterou que sempre defendeu um nome do sul na chapa majoritaria e que ontem na reunião com o governador Eduardo Moreira foi levantada a possibilidade de ele ou o deputado Ronaldo Benedet. "Mas não existe a menor possibilidade de eu ser suplente de senador, vamos identificar outro nome do MDB do sul", reforçou.     

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/08/2018 - 06:06Atualizado em 07/08/2018 - 09:07

Dois movimentos importantes foram feitos ontem no sul do estado,  que podem refletir em “anúncios" durante o dia de hoje.

O primeiro, no MDB. O deputado federal Edinho Bez pode ser anunciado hoje como primeiro suplente do senador Paulo Bauer, PSDB, candidato a reeleição.

A proposta será levada à reunião entre o governador Eduardo Moreira e o candidato a governador, Mauro Mariani, MDB, hoje pela manhã. O próprio Edinho deve participar.

Ontem à tarde, Eduardo se reuniu com prefeitos e deputados do MDB do sul, em Içara. Voltaram a falar no ex-prefeito e empresário Ronaldo Carlessi, de Turvo, para suplência do senado. Mas, foi dito que definitivamente ele não quer.

A propósito, Carlessi estava convidado, mas não foi na reunião.

Eduardo se reuniu em separado, a portas fechadas, com os deputados Ronaldo Benedet e Edinho Bez. Saiu de lá com o nome de Edinho “encaminhado”.

Um argumento usado na reunião é que Paulo Bauer pode virar ministro se for reeleito senador e Alckmin vencer a disputa presidencial.

O segundo movimento de ontem no sul foi no PP. 

Prefeitos, deputados estaduais e dirigentes do partido na região iniciaram “campanha" para convencer o deputado federal Jorge Boeira a disputar reeleição.

Boeira repetiu ontem pela manhã na Som Maior que mantêm posição de não disputar a reeleição.

Como não conseguiu emplacar candidatura ao senado, nem a vice-governador, vai ficar fora da eleição.

Mas, a pressão é grande. Durante a tarde, Boeira desligou o celular para ficar fora de alcance. Políticos “graduados" do PP apostam que ele vai recuar e assumir candidatura a federal.

O deputado Esperidião Amin, candidato ao senado, conversou com Boeira por telefone e fez apelo para ele disputar a reeleição. Prometeu até fazer roteiro de campanha com ele pelo estado.


Comin aposta

O deputado estadual Valmir Comin, PP, está convencido que o deputado Jorge Boeira será candidato a reeleição. Tanto que chegou a apostar uma garrafa de vinho.

Comin destacou que PP e PSD fizeram aliança na proporcional e fez contas para mostrar que Boeira é dos “favoritos" para eleição.

Mas, quando foi levado a considerar a possibilidade de Boeira manter decisão de ficar fora da eleição, arrematou - “será um rombo no casco do navio do PP!”.


Indignação no PP

Nas bases do PP, o discurso é um só - na convenção estadual do partido, foi lido oficio do PSD, assinado por Gelson Merisio, oferecendo as vagas de vice-governador e senador. Teve inicio de vaia e a proposta nem foi votada.

Mas, no domingo o PP acabou fechando aliança com o PSD por apenas uma vaga para o senado.


Dois de Tubarão

O ex-senador Geraldo Althoff, de Tubarão, PSD, é o primeiro suplente de Esperidião Amin na disputa pelo senado.

O vereador licenciado Lucas Esmeraldino, também de Tubarão, PSL (partido de Bolsonaro), teve sua candidatura confirmada ao senado.


Os outros suplentes

O primeiro suplente de Raimundo Colombo, PSD, na disputa ao senado, é o ex-prefeito de Itajaí, Jandir Belini, PP. O segundo é o depurado Narciso Parizotto, PSC.

A primeira suplente de Jorginho Mello, PR, é Ivette Appel da Silveira, MDB, viúva do ex-governador Luis Henrique.


Um retrocesso para o sul

A montagem de chapas foi um atentado de incompetência dos políticos do sul.

Na eleição de 2014, as duas chapas que disputaram na “reta final” tinham candidatos a vice-governador do sul. Eduardo Moreira, MDB, e Joares Ponticelli, PP.

Eduardo foi eleito e assumiu como governador efetivo em fevereiro.

Agora, o sul fica de fora. Isso é retrocesso.


No mapa do estado

A região do estado com maior numero de eleitores é o vale do Itajaí - 24% do eleitorado. Tem três candidatos na disputa pelo governo. Decio Lima, PT, candidato a governador, Napoleão Bernardes, PSDB, e João Paulo Kleinübing, DEM, candidatos a vice. Todos de Blumenau.

O oeste tem 19% e um candidato a governador - Gelson Merisio, PSD. 

O norte também tem 19% do eleitorado e um candidato a governador - Mauro Mariani, MDB.

O sul tem 15% e nada. Nem candidato a governador, nem a vice.


Dia D

STF deve julgar hoje recurso do deputado federal João Rodrigues, PSD. Se o resultado for favorável, João estará liberado para disputar a reeleição.

Há um clima de otimismo na aliança PSD-PP, pelo indicativo favorável dado em despacho pelo ministro Dias Tófoli.


Volta na quinta

A professora Roseli De Luca, secretaria de educação e suplente de vereadora, PSDB, deve se apresentar na quinta-feira na câmara de Criciúma para assumir como vereadora efetiva. 

Ela voltará da Tailândia, onde acompanha alunos da rede municipal de ensino que participam de uma competição internacional de matemática.

Mas deve se licenciar em seguida. Provavelmente, nem participará de uma sessão na câmara.

Moacir Dajori não é mais vereador desde ontem, quando foi publicado o ato da mesa diretora que decretou perda do seu mandato.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/08/2018 - 11:28Atualizado em 06/08/2018 - 11:34

O MDB do sul do estado terá reunião às 14h em Içara com o governador Eduardo Moreira para definir o primeiro suplente do senador Paulo Bauer, PSDB, candidato à reeleicão na aliança com o MDB.

O nome mais citado é do suplente de deputado federal Edinho Bez, atualmente no exercicio do mandato. Mas, ele resiste porque acredita que conseguirá se eleger.

A alternativa que será levada à analise na reunião é do advogado Ivo Carminati, que foi secretário de estado nos dois mandatos do governador Luiz Henrique da Silveira.     

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/08/2018 - 05:53Atualizado em 06/08/2018 - 10:43

O sul do estado saiu menor do que entrou neste processo de definição de alianças e chapas para a disputa pelo governo do estado. 

Hoje, o sul tem o governador do estado, que assumiu em fevereiro, eleito vice em 2014.

Durante as discussões desde o inicio do ano, havia articulações para ter candidato a governador e vice.

Mas, no fim das contas, ficou fora de todas as chapas.

A mostrar que a partir de janeiro, o sul não terá mais governador, nem vice.

O fato novo do fim de semana intenso de negociações e articulações foi a aliança do PSDB com o MDB. Sacramentada ontem à tarde, com participação direta do governador Eduardo Moreira.

A aliança dá maior musculatura para a chapa liderada por Mauro Mariani, de Joinville, candidato a governador pelo MDB.

Napoleão Bernardes, ex-prefeito de Blumenau, PSDB, é o candidato a vice-governador.

O senador Paulo Bauer, PSDB, vai disputar a reeleição e o deputado Jorginho Mello, PR, é o segundo candidato a senador.

No acordo, ficou definido ainda o apoio para candidatura a presidente de Geraldo Alckmin, PSDB. Mesmo com a vice de Alckmin sendo do PP (a gaúcha Ana Amelia Lemos) e o ex-ministro Henrique Meireles sendo o candidato do MDB.

Do outro lado, Esperidião Amin, PP, confirmou seu deslocamento para candidatura ao senado, desistiu da candidatura ao governo e acertou os ponteiros com Gelson Merisio, de Chapecó, PSD, que passou a ser o seu candidato a governador.

O vice de Merisio será o deputado João Paulo Kleinübing, DEM, e o ex-governador Raimundo Colombo, PSD,o segundo candidato ao senado. Chapa forte, com dois ex-governadores.

As duas chapas devem polarizar a eleição pelo governo.

Mas, as composições provocam reações nas bases. Principalmente no PP e no PSDB. Os dirigentes dos dois partidos tem muito trabalho pela frente.


Protestos no PP

A aliança do PP com PSD, da forma que foi fechada, provocou reunião de emergência ontem à noite no diretoria estadual do PP. Principalmente porque o partido ficou com apenas uma vaga na chapa (para Amin). A segunda, que seria a vice, foi repassada ao DEM (Kleinübing). 

Candidatos a deputado teriam desistido da disputa por causa disso. Ontem à noite, ainda foram feitos movimentos para tentar reverter a situação. 

Teve discursos pela retomada da candidatura de Amin ao governo ou pela garantia da vaga de vice ao PP. Mas, nada mudou. A chapa foi mantida.


Clesio e Eduardo

O acordo com o MDB vai colocar no mesmo palanque o prefeito Clesio Salvaro e o governador Eduardo Moreira. Mesmo que tenham parado de se agredir e estabelecido relação respeitosa, é complicado para os dois fazer campanha juntos.

Por isso, Clesio tentou operar por chapa pura ou aliança com o PP, apoiando candidatura de Amin ao governo.


Carlessi rejeita

O primeiro suplente de Paulo Bauer deve ser do MDB do sul do estado. O primeiro convidado foi o ex-prefeito de Turvo, Ronaldo Carlessi. Eduardo Moreira fez o convite. Ele não aceitou. Mauro Mariani telefonou e insistiu. Ele se manteve irredutível.

Ontem foram citados os nomes do deputado Edinho Bez, dos empresários Olvacir Fontana e Cide Damiani, e do advogado Paulo Moreira, filho do Eduardo Moreira. 


Eduardo em Içara

O governador Eduardo Moreira acertou ontem à noite uma reunião hoje, 14h, em Içara, com prefeitos, deputados e dirigentes do MDB da região. Na pauta, definição do primeiro suplente do sul para Paulo Bauer.

O ex-prefeito Ronaldo Carlessi deverá participar.

Antes, Eduardo fará vistoria nas obras da rodovia SC 445, a rodovia Paulino Burigo.


Boeira fora

O deputado federal Jorge Boeira foi atropelado pelo acordo fechado pelos dirigentes de PSD e PP. Não teve espaço para sua candidatura ao senado. Nem para vice-governador.

Ele manteve decisão de não disputar novo mandato para federal e ficará fora da eleição. Garantiu ontem a noite que não será candidato a nada.

Políticos do PP do sul preparam movimento para tentar convencê-lo a retomar candidatura a reeleição.


Márcio desiste

O ex-prefeito Marcio Burigo também não gostou dos encaminhamentos feitos pelo comando do PP e não levou adiante sua possível candidatura a deputado federal na vaga de Boeira.

Voltou para Criciúma antes de concluídas as reuniões.


Não queria

O deputado Kleinübing resistiu em ser vice de Merisio. Já havia negado dois convites para ser vice de Merisio.

Na convenção de DEM, no sábado, Kleinübing foi homologado vice de Amin, na aliança PP-DEM. Amin esteve e falou como candidato a governador.

Depois, quando começou a ser encaminhado acordo entre PP e PSD, ele chegou a tratar com o MDB no e com o PSDB. 

So aceitou a vice de Merisio ontem à tarde pela insistência de Amin. 


Deslocada

No sábado, o PPS fez convenção e homologou a deputada Carmem Zanotto como candidata a vice de Mauro Mariani, MDB. Mariani estava na convenção e confirmou acordo.

Mas, só teve 24h de validade. Ontem, Zanotto foi deslocada para ser candidata a federal, abrindo vaga para Napoleão, no fechamento do acordo com o PSDB.


Chapa pura 

O PT aprovou chapa pura para eleição em Santa Catarina. Decio Lima foi confirmado candidato a governador e para o senado o desembargador aposentado Ledio Rosa de Andrade e a ex-senadora Ideli Salvati.

A convenção não homologou candidato a vice-governador. Direção do partido deve definir só hoje. Pode ser o ex-deputado Carlito Mers ou o ex-prefeito Alcimar Oliveira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/08/2018 - 18:15Atualizado em 05/08/2018 - 19:27

O empresário Ronaldo Carlessi, MDB, ex-prefeito de Turvo, foi conviado para ser o primeiro suplente de Paulo Bauer, PSDB, na disputa pelo senado e não aceitou.

O convite foi feito pelo governador Eduardo Moreira e pelo candidato a governador do MDB, Mauro Mariani. 

Os dois telefonaram para Carlessi. Tentaram convencê-lo. Mas, ele não aceitou.

A intenção é que o primeiro suplente de Bauer seja do sul do estado. O empresário Cide Damiani está cotado. Deve ser convidado por Eduardo.  

Decisão pode sair ainda hoje à noite, ou amanhã.  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/08/2018 - 16:31Atualizado em 05/08/2018 - 16:40

O deputado federal Jorge Boeira, PP, acaba de confirmar, depois de reunião na sede do PP, na Capital, que não será candidato a nada em 2018.

Por sua vez, o ex-prefeito Marcio Burigo desistiu de tentar candidatura a deputado federal pelo PP. Também está fora da eleição. 

Boeira tentou ser candidato a senador pelo PP e aceitaria cadindidatura a vice-governador em caso de aliança com o PSD.  Mas, a aliança fechada PP-PSD garante só uma

vaga ao partido na majoritaria (para Amin ao senado). A outra, de vice, foi repassada a João Paulo Klainübing, DEM, em negociação feita por Amin.

Boeira decidiu que não acetará suplência do senado e confirmou que não será candidato a reeleição à federal.

Boeira estimulou Marcio Burigo a ser candidato a federal no seu espaço, mas o ex-prefeito declinou. Garantiu que não será candidato.

Os dois estão agora saindo do diretorio estadual do PP, voltando ao sul.  

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13