Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/04/2019 - 20:39Atualizado em 18/04/2019 - 20:44

Principal assunto da semana continua sendo o aeroporto de Jaguaruna. O governador não é político, não faz anúncio apenas para agradar a torcida, é um técnico comprometido, e ontem fez um anúncio para o sul, região que ele conhece bem. Ontem ele assumiu compromisso público de resolver a questão do aeroporto. Hoje teve o anúncio da Latam esticando a suspensão dos voos por mais dias. Estou convencido que o governador conseguirá resolver o assunto bem antes disso. Ele já despachou isso com o secretário Carlos Hassler e assessores próximos. O assunto bombeiro no aeroporto resolve-se em no máximo dez dias.

Principal assunto de hoje, a questão dos jornais. A Tribuna e Diário de Notícias circularam com esses títulos pela última vez. A partir de terça-feira eles circulam com o jornal que vai nascer, vai ter um nome, uma marca, uma logomarca que será apresentada na segunda-feira à noite em evento no Mampituba. Esse novo jornal nasce forte, foi uma decisão tomada pelos proprietários A Tribuna e Diário de Notícias, eu e o Edson da Soler sentamos para conversar várias vezes e entendemos que a cidade precisa de um jornal com a força que Joinville teve com A Notícia, Blumenau com o Jornal de Santa Catarina, forte e sólido e que contribua para Criciúma e região conquistarem seus pleitos, que seja a voz da cidade.

Diomício Freitas pensou algo semelhante quando colocou no ar a TV Eldorado, que falou daqui para o sul de Santa Catarina. Marcou época. E essa iniciativa do nosso jornal, que nasce grande, também vai marcar época. Hoje foi um dia de providências e preparação para a primeira edição que vai circular na terça-feira, 23. Estamos fazendo isso para fazer o melhor para a cidade. Não teríamos outra motivação se não fosse isso.

Ouçao comentário no Ponto Final na íntegra no podcast:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/04/2019 - 06:54

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Ricardo Roesler, foi taxativo no despacho dado do recurso protocolado pelos advogados do ex-deputado João Rodrigues, PSD. Eles queriam que o Tribunal reconhecesse a votação de João em 2018 e o diplomassem como deputado federal, na vaga do criciumense Ricardo Guidi, PSD. Roesler escreveu:
"Ciente da respeitável decisão (do ministro Gilmar Mendes), constato que a liminar parcialmente deferida restringiu-se a suspender a inelegibilidade do postulante, em nada alterando a situação do seu registro de candidatura ao cargo de Deputado Federal (eleição de 2018), o qual permanece indeferido”.
E nada mais a ser registrado. Fim de conversa. E fim de linha.
O presidente do TRE confirmou raciocínio desenvolvido aqui, na segunda-feira. A decisão liminar (por isso, provisória) do ministro Gilmar Mendes vale para frente. Para ele sair candidato a prefeito de Chapecó em 2020, por exemplo. 
Mas, não tem poder de retroceder a 2018. Aquela eleição, acabou. O mandato de Guidi está assegurado.
Para o Sul do estado, foi a melhor decisão.
Sem o mandato de Guidi, a região ficaria enfraquecida na representação política e perderia alguns milhões de reais do Governo Federal, repassado aos municípios por emendas parlamentares. Em torno de R$ 16 milhões ao ano apenas na emendas individuais. 
Ainda tem as emendas coletivas, que o deputado interfere, e as emendas de bancada. Na soma, outro tanto. Dinheiro que vem para a região. 
De outro lado, com um deputado federal e um estadual (que é o presidente da Assembleia), e mais o vice-prefeito e dois vereadores (com outros dois que estão a caminho), o PSD aumenta o seu “cacife" político para a eleição de 2020.

Agora vai!

O deputado Julio Garcia, presidente da Assembleia, e os deputados do Sul, voltaram muito bem impressionados das reuniões nas associações empresariais de Criciúma, Araranguá e Tubarão.
Entendimento geral - foram reuniões produtivos e altamente representativas.
Ontem, o deputado Julio Garcia já conversou com o governador Carlos Moisés para informar das reuniões e repassar as principais reivindicações.

Voo da Latam

Ás vezes, por tudo que tem sido dito, fica até a impressão que há uma “birra" entre a empresa RDL, que administra o aeroporto regional, e a Latam.
O que é fato (e importa) é que a Latam ampliou a suspensão dos voos até o dia 1º de maio e manteve a decisão.
RDL continua insistindo que não é obrigatório ter os bombeiros, que a Latam exige, pelo volume de passageiros no aeroporto.
Mas, a Latam insiste que só voa em aeroporto que tem os bombeiros a postos, e habilitados.
E A Anac, ao fiscalizar o aeroporto na semana passada, registrou que a habilitação dos bombeiros está vencida.
Se a RDL continuar apenas esticando a corda, a região vai perder os voos da Latam.
Se não resolver o assunto até o dia 1º de maio, é muito provável que a Latam não decida por esticar mais uma vez o prazo. Deve simplesmente cancelar a operação em Jaguaruna. Em prejuízo do sul catarinense.

Com Anac

Os deputados federais de Criciúma, Daniel Freitas, Geovania de Sá e Ricardo Guidi, se reuniram, ontem, em Brasília para tratar do Aeroporto de Jaguaruna.
Telefonaram na hora para o governador Carlos Moisés, pedindo a intervenção do estado no assunto.
Os três marcam audiência na Anac na terça-feira para esclarecer a situação.

Até o padre

Os exemplos são muitos. O cancelamento dos voos da Latam no Aeroporto de Jaguaruna impacta diretamente na vida de muitas pessoas que têm compromisso seja a passeio ou a negócios. Ontem, o padre Antônio Vander, reitor do Santuário Sagrado Coração de Jesus, disse que já precisaram mudar os planos para o fim de semana. O padre Antônio Maria que iria desembarcar em Jaguaruna vai descer em Florianópolis.

Por poucos dias

Eduardo Moreira retomou a agenda política, depois de um período de dois meses na Inglaterra, e ontem se reuniu com a bancada do MDB na Assembleia.
Mas, deixou claro que não existe a menor possibilidade de assumir a presidência estadual do partido.
No dia 24, próxima semana, Eduardo volta para Londres (onde ficou sua esposa, Nicoli, com os pais). Voltará em definitivo somente no final de maio.

Casan - movimentação de bastidores

Nem Prefeitura, nem Casan, tem se manifestado em público sobre a possibilidade de rompimento de contrato. Mas, os dois lados estão trabalhando intensamente nos bastidores.
Os advogados, dos dois lados, estão trabalhando muito.
Já está sendo feito o inventário de bens e quitamentos da Casan em Criciúma, por decisão da Justiça atendendo pedido da Prefeitura. Uma forma de garantir que nada será retirado da cidade.
No dia 22, segunda-feira, a presidente da Casan estará em Nova Veneza, para reunião com gerentes e técnicos da região.
Ontem, a direção do Sindicato dos Servidores da Casan esteve em Criciúma para “alertar" que o cancelamento do contrato vai implicar em indenização a ser paga pela Prefeitura de mais de R$ 200 milhões.
Em Florianópolis, o governador Carlos Moises mandou novo recado - "romper com a Casan é deixar de ter a presença do Estado no município”.
Em Criciúma, o prefeito Salvaro reagiu - “então, o Estado não vai estar presente também em Joinville, Blumenau, Lages, e nem em Tubarão, porque todas estas cidades romperam com a Casan?”.
E acrescentou - “não pode misturar as estações, o Estado precisa estar aqui para concluir o anel viário, a via rápida, resolver os nós do aeroporto, muitas outras obras estruturantes”.

Os primeiros

Sebastião Moraes Mattos, proprietário da Vivenda Construções, de Criciúma, foi a primeira testemunha ouvida pela CPI que investiga as intermináveis obras na Ponte Hercílio Luz. A empresa dele celebrou contrato com o antigo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para realizar serviços na ponte e, conforme o relator da CPI, deputado Bruno Souza (PSB), atuou entre setembro de 1990 e janeiro de 1992.
A segunda testemunha ouvida pela CPI foi o engenheiro civil Vilmar Tadeu Bonetti. Ele foi sócio de Sebastião Mattos na Vivenda entre os anos de 1988 e 1992.
Bonetti também não reconheceu a assinatura do termo aditivo como sendo a de seu sócio. Questionado sobre a existência de termos aditivos, ele também se mostrou surpreso e afirmou que não se recordava desses termos.
Os dois são da região e foram secretários da Prefeitura de Criciúma em governos do MDB.

Conectada

A deputada Ada De Luca (MDB) tem se mostrado bastante ativa nas redes sociais. Ontem, lançou uma campanha de apoio à permanência do atual formato do Procon estadual. O selo “Eu apoio o Procon” utilizado na foto de perfil do Facebook (foto), pode ser implantado por qualquer usuário da rede. Antes havia um questionamento nas redes sobre o fechamento do Procon.

Itinerante

A sessão de ontem da Câmara de Vereadores de Criciúma não foi realizada na sua sede. Foi para o Morro Estevão (foto). O objetivo é ampliar a participação das comunidades no Legislativo. Foi a primeira reunião itinerante do ano.

Saer

A intenção que já vinha sendo estudada de transferir a base do Saer para o Aeroporto Diomício Freitas, no limite entre Criciúma e Forquilhinha, ganhou força na Câmara de Vereadores da cidade. A mudança foi defendida pelo vereador Maciel Da Soler, que solicitou que a Prefeitura de Forquilhinha estude a possibilidade.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/04/2019 - 11:16Atualizado em 15/04/2019 - 11:25

O anúncio de hoje não foi uma decisão açodada. Foi algo pensado e tratado em detalhes.

Não se trata de fusão de um jornal com o outro, nem incorporação, nem compra de um pelo outro.

É um novo jornal, que vai nasceu grande, do tamanho de Criciúma e região.

Os dois jornais de hoje, A Tribuna e Diário de Noticias deixarão de circular, abrindo o caminho para o novo jornal.

O nome e o projeto gráfico serão apresentados no dia 22, em evento que acontecerá no Mampituba, a partir de 20h.

É uma decisão ousada, tomada no melhor momento dos dois jornais, mas focada no futuro, considerando as novas circunstâncias do setor, e no interesse de fazer mais forte a representação da região. 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/04/2019 - 06:54

Os deputados do sul do estado, liderados pelo presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia (PSD), farão reuniões hoje nas associações empresariais de Araranguá, Criciúma e Tubarão. É o primeiro ato efetivo da bancada do sul, criada recentemente, e que deve passar a ser a “instância” adequada para encaminhamento das prioridades da região.
Pelos problemas recentes, que provocaram a suspensão de vôos da Latam por falta de segurança, o aeroporto regional de Jaguaruna deve ser pauta prioritária nas reuniões.
Os vôos da Latam continuam suspensos. Pelo menos até quarta-feira. É a segunda vez em praticamente 30 dias que a Latam suspende os seus vôos.
Primeiro, foi porque não tinha caminhão de bombeiro. Agora, é porque não tem bombeiro habilitado para operar.
Os dirigentes da Acic (Associação Empresarial de Criciúma) vão pedir empenho dos deputados junto ao governo do estado para resolver de uma vez os problemas de infra-estrutura do aeroporto, para que a região não sofra com diminuição de voos.
O aeroporto é de responsabilidade do Governo do Estado, que contratou (no governo passado) a empresa RDL para administrá-lo. Mas enfrenta graves problemas de gestão.
Além do aeroporto, o centro de inovação de Criciúma deve ser tratado pelos deputados com os representantes do setor produtivo, prefeitos e entidades da cidade.
Poderia até ser a principal pauta se não fosse os graves problemas no aeroporto.
Mas os deputados vão receber apelo para ajudar a “destravar" o assunto junto ao governo do estado, fazendo sair do papel (finalmente) o projeto do centro, que já está quase pronto em Tubarão e outras cidades, já está funcionando em algumas, e aqui ainda não andou.

Presente

Os oito deputados estaduais eleitos pelo sul do estado estarão hoje nas reuniões de Criciúma, Araranguá e Tubarão (Julio Garcia, Vampiro, Ada de Luca, Volnei Weber, Jessé Lopes, José Milton, Felipe Estevão e Rodrigo Minotto).
Dos federais, apenas o deputado Ricardo Guidi vai participar.

Ausentes

A deputada federal Geovania de Sá disse que não vai nas reuniões da bancada do sul porque vai presidir sessão da Câmara e que pediu que a reunião fosse sábado ou domingo.
A assessoria do deputado federal Daniel Freitas informou que ele terá agenda intensa durante o dia em Brasília.

Guidi garantido

A decisão do ministro Gilmar Mendes em favor do ex-deputado João Rodrigues não deve tirar o mandato do deputado federal criciumense Ricardo Guidi (PSD).
A decisão restabelece a elegibilidade de João, mas para frente. A partir de agira. Para disputar a prefeitura de Chapecó em 2020, por exemplo.
A decisão não deve retroceder a disputa eleitoral de 2018.

Outros efeitos

Há juristas entendendo que a especulação sobre a possibilidade de a decisão de Gilmar Mendes garantir mandato para João Rodrigues, pode acabar causando problemas para o ex-deputado, na medida em que isso vai contra uma decisão colegiado do STF e confronta o ministro Luis Barroso, que foi relator do processo de João e bancou a decisão de colocá-lo na cadeia.
Na reação, pode sobrar para João. 

Pela Apae

Os deputados Julio Garcia (PSD) e Geovania de Sá (PSDB) se encontraram, sábado, na feijoada em favor da Apae de Maracajá. Com os dois, estava o sindicalista Itaci de Sá, pai de Geovania.

A volta de Eduardo

Eduardo Moreira voltou ao estado no sábado (depois de dois meses no exterior), e hoje já pega a estrada. Vai acompanhar a inauguração de uma ponte em São Ludgero (que teve recursos liberados no seu período de governador).
Amanhã vai almoçar com a bancada de deputados estaduais do MDB, para se reinserir na discussão sobre a sucessão no comando do partido no estado.
Ele descartou a possibilidade de o seu filho, advogado Paulo Fretta Moreira, assumir o comando do MDB de Criciúma para preparar candidatura a prefeito. “Sem chance”, resumiu Eduardo.

Tempo quente

O ambiente politico no distrito de Rio Maina está aquecido, e movimentado. Alimentado principalmente pelo entorno do afastamento entre o vereador Julio Colombo (PSB) e o prefeito Clésio Salvaro (PSDB). 
A assinatura de Julio Colombo para abertura da CPI do Criciumaprev, contrariando Salvaro, foi o primeiro fato que veio a público.
Mas tem outros ingredientes, como o apoio do prefeito a dois pré-candidatos a vereador no Rio Maina. Um deles, Neto Uggioni, nomeado na semana passada como chefe do Parque do Imigrante.
Neto é filiado ao PSB, partido de Julio Colombo, e foi indicado pelo empresário Henrique Salvaro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/04/2019 - 06:54

Como único jornalista de Criciúma e região convidado para a coletiva de 100 dias do governo de Carlos Moisés, acabei puxando pelas pautas locais. Contrato com a Casan, Hospital São José e os outros filantrópicos, anel viário, Rodovia Jorge Lacerda.
O governador Moisés, PSL, se mostrou mais à vontade do que em outras entrevistas, inteirado de todas as áreas, e principalmente bem informado.
Principal informação foi em relação a intenção anunciada do prefeito Clésio Salvaro, PSDB, de anular (ou rescindir) o contrato com a Casan, porque entende que está ilegal.
Moisés repetiu apelo para Criciúma continuar no sistema, disse que a Casan tem investimentos a fazer na cidade, e deixou claro que está preparado para fazer o contraponto.
Uma das teses do governador é que a Barragem do Rio São Bento, de onde vem a agua para Criciúma e região, é da Casan. A Prefeitura (ou o Samae) terá que comprar agua da Casan para abastecer a cidade, se for rompido o contrato.
Aí está uma questão crucial.
Criciúma não tem água. Se a barragem ficar com a Casan, vai ficar mais difícil viabilizar a operação para municipalização do sistema (via Samae). Inclusive por preço. A Casan não vai cobrar mais barato.
A não ser que Criciúma vá buscar água das lagoas de Balneário Rincão. Mas, seria uma operação delicada, cara, e demorada.
No corpo técnico da Casan, o entendimento é que o prefeito Salvaro não conseguirá romper o contrato, mas se conseguir, não deverá levar a barragem, nem a estação de tratamento.
Enquanto isso, o prefeito Salvaro se mostra a cada dia mais seguro do rompimento. Não admite recuo.
Só vai seguir o rito firmado pelos advogados que o assessoram.
A previsão que até o final de abril a Casan será notificada do “divórcio".

O que disse

Governador Carlos Moisés sobre a Casan na região:
“A agua nossa lá quem entrega é a Casan, na região não tem água própria, os municípios dependem da água que a Casan fornece”. 

Saiu mais cedo

A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, estava na coletiva e deveria ficar com os outros da equipe de governo para dar entrevistas depois do governador Moisés. Mas, para evitar um agravamento da situação com Criciúma (especialmente com o prefeito Salvaro), ela saiu antes, evitando a imprensa. Por enquanto, só Moisés vai falar pelo governo e pela Casan.

Divisão no grupo

Governador Moisés deu mais duas informações importantes sobre o impasse da Casan.
Primeira - que a tarifa vai baixar em torno de 25% em junho, em função de nova forma de cálculo.
Segunda - que os prefeitos da região querem continuar com a Casan, não querem romper.
Salário garantido
Governador voltou atrás, e garantiu na coletiva que não há risco de atraso no pagamento de salários dos servidores. A mostrar que o deputado Julio Garcia, presidente da Assembleia, tinha razão.
Logo que o governador anunciou que não havia garantia de pagamento dos salários em julho, o deputado foi taxativo - “isso não existe, não haverá atraso nos salários”.

César candidato

Um movimento de renovação que está articulado em Criciúma está encaminhando a candidatura a prefeito de Criciúma do empresário César Smielevski, ex-presidente da Acic, atualmente presidente do conselho superior.
O empresário Gilson Pinheiro está na coordenação dos debates, que envolvem políticos de vários partidos, como Luis Baldin, do Novo, e Tati Teixeira, do PPS.
Também estão envolvidos filiados no MDB, PDT e DEM. 
César Smielevski não tem filiação partidária. Mas na eleição de 2016 já teve seu nome especulado para disputar a Prefeitura.
Gilson regista que não será candidato a nada. Só quer articular uma alternativa nova para a eleição.

Procon em alerta

Deputada Ada De Luca, MDB, foi à tribuna ontem, na Assembleia, para registrar preocupação com o futuro do Procon no estado, se for aprovado o que consta na reforma administrativa encaminhada pelo governador Moisés.
A intenção é reduzir o Procon a uma diretoria da Secretaria de Desenvolvimento.
Hoje, o Procon catarinense é reconhecido nacionalmente por resolutividade de 95% dos casos atendidos.

Na Fifa

Na posse do novo presidente da CBF, Rogério Caboclo, ontem, no Rio, o empresário criciumense Rubinho Angelotti, presidente da Federação Catarinense de Futebol, esteve com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o presidente da Conmebol, Alexandro Domingues.

Discurso do presidente

A grande expectativa para ontem na Marcha dos Prefeitos, em Brasília, era para o discurso do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O prefeitos ficaram divididos, mas uma boa parcela revela que esperava algo mais claro em relação ao Pacto Federativo. O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB) classificou como uma fala genérica e sem citar os programas que pretende lançar para beneficiar os municípios.

Protesto

No fim do dia, prefeitos da região se juntaram a outros para um protesto em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF). O motivo: os seis anos de espera pela votação liminar do royalties do Petróleo. O movimento municipalista aguarda uma decisão definitiva do STF sobre a redistribuição dos recursos arrecadados com a exploração dos royalties de petróleo, suspensa por decisão monocrática da Corte. A reivindicação é que a partilha seja feita entre todos os 5.568.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/04/2019 - 06:51

A criação da CPI do CriciumaPrev não foi a pior notícia para o prefeito Clésio Salvaro, PSDB.
As assinaturas no requerimento de três vereadores da sua base de apoio incomodaram muito mais.
Um deles, Dailto Feuser, é vereador do seu partido, o PSDB, e foi presidente da executiva municipal até início de 2019.
Outros dois, Julio Colombo, PSB, ex-presidente da Câmara, e Diego Goulart, DEM, também são base de apoio. Diego, inclusive, é suplente e está na Câmara por uma operação recente pilotada por Salvaro.
Feuser já havia votado contra a orientação de Salvaro na proposta da oposição para isenção de taxa da Cosip para condomínios.
Ontem à noite, depois da criação CPI, o prefeito sinalizou que Feuser deve ser punido com a retirada de seu nome da lista de candidatos a vereador do partido em 2020 - “isso é assunto para as convenções partidárias que vão definir as candidaturas”.
Os outros vereadores que assinaram o pedido de CPI são da oposição.  
Dois deles eram da base de apoio do prefeito, mas foram liberados pelos seus partidos para procurar nova filiação. Zairo Casagrande, PSD, e Julio Kaminski, “colega" do prefeito no PSDB.
Saindo do ambiente das circunstâncias políticas, o pedido de CPI está baseado em fatos (e dúvidas) que são conhecidos. A diretoria do Conselho do CriciumaPrev já havia chamado a atenção para tudo isso. Esclarecer é preciso (e importante para todos).
O problema de uma CPI é que todo mundo sabe como começa, mas ninguém imagina como vai terminar.

O que disse

Clésio Salvaro, sobre a CPI:
“Estão antecipando o debate da eleição, isso é ruim para a cidade, mas eles não tem mais o que fazer, não conseguiram viabilizar uma candidatura a prefeito, e agora vão fazer CPI para fazer barulho”.

O que disse 2

Julio Kaminski, sobre a CPI:
“Ao longo do tempo, nós levantamos várias questões, e pedimos muitas informações acerca do CriciumaPrev, desde a forma de aposentadoria, os parcelamentos, e uma série de outras situações. Com a provocação do conselho, que denunciou irregularidades, a Câmara precisava dar uma reposta, não poderia se calar”. 

Em silêncio

Os vereadores da oposição, especialmente Ademir Honorato, Zairo Casagrande e Julio Kamisnki, trabalham na surdina e pegaram de surpresa o líder do governo, Aldinei Potelecki, e a articulação do governo Salvaro na Câmara.
Eles já tinham cinco assinaturas, mas só deixaram vazar depois que conseguiram o apoio dos três da base do governo.
O prefeito só ficou sabendo do pedido de CPI quando já estava protocolado com as oito assinaturas.

Porta fechada

O vereador Julio Colombo, de saída do PSB, estava com a entrada no PSDB apalavrada com o prefeito Salvaro. Mas, depois da assinatura dada no pedido de CPI, inviabilizou a entrada no time dos tucanos.

A pauta boa

O governo do prefeito Salvaro foi céu ao inferno ontem na Câmara de Vereadores.
Primeiro, com o depoimento de representantes do Samae de Orleans, os argumentos que vem sendo sustentados para o rompimento do contrato com a Casan ficaram fortalecidos.
A tarifa cobrada pelo Samae é mais barata e o “lucro" da operação permite investimentos pesados.
Mas, depois veio a “bomba" da CPI.

A candidatura de Anselmo

O empresário Anselmo Freitas pode se filiar no PSD nos próximos dias para encaminhar candidatura a prefeito de Içara.
Anselmo já foi convidado pelo presidente do PSD, vereador Alex Michels, presidente da Câmara.
O presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia, já foi informado da operação e deu sinal verde.
Anselmo é um dos principais empresários de Içara, maior produtor de descartáveis plásticos da região, e nunca disputou eleição.
Ele pediu prazo para avaliar com a família o convite do PSD e prometeu dar sua posição em poucos dias.
Ontem, o deputado Julio Garcia e o vereador Alex Michels fizeram ato para dezenas de filiações ao PSD em Içara. 

Comin também

Todos os deputados da região que disputaram reeleição e saíram derrotados estão empregados na Assembleia Legislativa.
O último a ser acomodado foi o ex-deputado Valmir Comin, PP. Ato foi publicado ontem (assessor de bancada).
Já estavam nomeados Doia Guglielmi, PSDB, e Cleiton Salvaro, PSB.
Dos ex-deputados da região (mandato passado), o único que não foi nomeado foi Manoel Mota. Mas, ele pode ficar de fora porque não disputou reeleição.

Rebaixamento não interessa

As duas principais empresas de construção de rodovias e obras públicas da região, Setep e Castanhel, não vão participar da licitação para obra de rebaixamento na Avenida Centenário.
Há problemas no projeto e o valor previsto para a obra (pouco mais de R$ 2 milhões) foi considerado abaixo do mínimo necessário.

Aniversário

O empresário Zefiro Giassi, um dos grandes incentivadores do Santuário Sagrado Coração de Jesus, acompanhou o padre Antônio Vander para o convite para a Festa da Misericórdia, que acontecerá entre os dias 21 e 28 de abril, em Içara, ao prefeito de Cocal do Sul, Ademir Magagnin. O ex-deputado estadual Dóia Guglielmi também esteve presente.

Sindicância

Prefeitura de Criciúma abriu sindicância para apurar as responsabilidade sobre o suposto uso do caminhão da Diretoria de Trânsito e Transporte (DTT) para pintura de faixa de divisão em estacionamento de estabelecimento privado. O ato foi flagrado por vizinhos e circulou nas redes sociais.

Adiado (1)

O requerimento do vereador Ademir Honorato (MDB) para que o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) compareça na sessão da Câmara, no dia 22 de abril, para falar sobre o possível rompimento de contrato com a Casan, foi adiado. O líder de Governo no Legislativo, Aldinei Potelecki (PRB), em questão de ordem, solicitou que o requerimento fosse encaminhado à análise de comissão.

Adiado (2)

Em seguida, o próprio Ademir Honorato solicitou a retirada do requerimento que propunha a realização de uma audiência pública para tratar do mesmo assunto em 22 de maio. O motivo foi a criação de uma comissão provisória pela Câmara de Vereadores para acompanhar as decisões do Governo Municipal. A ideia é que essa comissão encaminhe a realização de uma audiência pública.

Composição

A primeira reunião da comissão será presidida pelo vereador Julio Kaminski (PSDB), na quinta-feira. Também fazem parte os vereadores Edson do Nascimento, o Paiol (PP), Aldinei Potelecki (PRB), Salésio Lima (PSD), Julio Colombo (PSB), Jair Alexandre (PSC), Tita Belloli (MDB) e Diego Goulart (DEM).

Votação do veto

Um grupo de vereadores de Criciúma se prepara para ir à Assembleia Legislativa, amanhã, acompanhar a votação do veto do governador Carlos Moisés (PSL) a projeto do deputado José Milton Scheffer (PP) que trata de critérios técnicos para a distribuição de recursos na Saúde. Um dos pontos é a destinação de 10% do Fundo Estadual de Saúde aos hospitais filantrópicos, responsáveis pela maioria dos atendimentos SUS no estado. O valor corresponde a R$ 180 milhões. A mobilização na região foi liderada pelo Hospital São José.

Requerimento barrado

O requerimento do vereador Marcos Meller (PSDB), que pretendia realização de audiência pública com o objetivo de criar o Dia Municipal da Sukyo Mahikari, uma organização filosófica, não foi aprovado pela maioria dos vereadores. Pastor Jair Alexandre (PSC) foi o único a se manifestar. Usou o mesmo argumento que foi usado contra uma proposição sua, no ano passado, de que não poderia “banalizar” o calendário municipal de dias comemorativos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2019 - 11:52Atualizado em 08/04/2019 - 12:14

Presidente Jair Bolsonaro acaba de anunciar o novo ministro da educação. ProfessorAbraham Weintraub, professor universitário.

Não se confirmou a especulação em torno do senador catarinense Esperidião Amin.

No começo da manhã, Bolsonaro chamou o ainda ministro Velez Rodrigues e consumou a sua demissão. 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2019 - 06:54

O senador Esperidião Amin, PP, recebeu ligação do presidente Jair Bolsonaro, PSL, no sábado. Foi chamado para uma conversa, hoje, no Palácio do Planalto. Nos bastidores, é dito desde sexta-feira ele pode virar ministro.
Com o telefonema, o que era apenas especulação, virou aposta. Amin pode sair desta conversa de hoje como ministro da Educação.
Se confirmar, será uma decisão com o efeito de “gol de placa” de Bolsonaro.
Primeiro, porque trocar o atual ministro, Vélez Rodríguez, pelo senador Esperidião Amin será aumentar muitas vezes a qualificação do comando do ministério.
Amin tem grande bagagem intelectual, é professor de carreira, e tem experiência de gestão pública por mandatos como governador do Estado e prefeito de Florianópolis.
Será um grande ministro, sem dúvida alguma.
Segundo, porque o prestígio político de Amin e o trânsito que tem no Congresso Nacional, pelos vários mandatos como deputado federal e senador vão lhe permitir contribuir com o governo na articulação para aprovação de propostas polêmicas e as reformas projetadas.
Por fim, se Amin for confirmado no Ministério da Educação, um dos mais importantes da Esplanada, vai representar fortalecimento político do estado.
O próprio governador Carlos Moisés, PSL, vai ganhar com isso. Lá em Brasília, porque passará a ter um “aliado" no núcleo deu governo Bolsonaro, e na Assembleia Legislativa, pelo efeito político. 
Em 1986, outro político catarinense, o ex-governador Jorge Bornhausen, foi ministro da Educação, e o período foi marcado por importantes decisões para o estado.

Geovania em Harvard

No mesmo evento em que o vice-presidente, general Hamilton Mourão, foi aplaudido de pé, ontem, em Harvard, nos Estados Unidos (Brazil Conference), a deputada federal criciumense Geovania de Sá foi palestrante no sábado, e saiu também aplaudida.
Ela dividiu mesa com outros palestrantes de peso nacional, como o ministro Luiz Barroso, do STF, e a procuradora chefe do Ministério Público Federal, Raquel Dodge.

A proposta de Lula

No final da década de 80, Luiz Gomes, ex-bancário, foi candidato a prefeito de Joinville. Era conhecido como Lula. Sua principal proposta era acabar com as filas por consultas.
Eleito, ele cumpriu o prometido. Acabou com as filas. Estabeleceu agendamento por telefone. Pelo menos, acabou com o sofrimento das pessoas que tinham que passar noites nas filas para conseguir um número.
Além de contratar mais médicos, a solução aplicada pelo Lula joinvilense ainda pode servir para Criciúma. Ainda mais agora com celular, WhatsApp, Facebook.
 
O retorno

Eduardo Moreira retorna ao estado nesta semana, depois de quase três meses no exterior. Desembarca no sábado, dia 13, em Florianópolis.
Vai chegar no momento em que serão afuniladas as articulações para presidência estadual do MDB. Ele descarta de forma definitiva a possibilidade de ser candidato. Mas, vai participar do processo.
Hoje, há dois nomes no páreo. Deputado estadual Fernando Kreling, lançado pela bancada, e senador Dario Berger.

Nome novo

A empresária Ângela Ghislandi, PP, pode ser o fato novo na eleição para Prefeitura de Nova Veneza em 2020.
Ela diz que a decisão não depende só dela, mas do partido, e de como o partido irá se posicionar referente a coligações. Mas, está no páreo.
Ângela tem 31 anos, foi secretaria de Cultura no governo do ex-prefeito Evandro Gava, já participou do grupo folclórico ítalo-brasileiro e foi presidente do Metropolitano, além de outras atividades na cidade.

Vai sair do STF

O processo contra o ex-senador Paulo Bauer, para investigação por corrupção e lavagem de dinheiro, vai sair do STF e seguirá para a Justiça Federal de São Paulo. Ele teria recebido R$ 11,5 milhões para campanha ao governo em 2014.
Como Bauer não foi reeleito, está sem mandato, não compete mais ao STF tratar do caso.
Bauer foi nomeado assessor do ministro da Casa Civil do governo Bolsonaro.

Prefeito na Câmara

Será lido na sessão de hoje o requerimento do vereado Ademir Honorato (MDB) para que o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) faça o uso da tribuna em 22 de abril. O motivo é o possível rompimento do contrato de Criciúma com a Casan. Já foram ouvidos pelos vereadores o ex-prefeito e ex-diretor da Casan, Paulo Meller, e o superintendente regional Sul/Serra Gilberto Benedet Junior.

Audiência pública

Neste mesmo sentido, o vereador Ademir Honorato também quer realizar audiência pública no dia 22 de maio na Acic. Mas, pelo andamento dado pelo prefeito até lá já deve haver uma decisão ratificada.

Samae

Enquanto isso, é improvável que o projeto que cria o Samae seja levado à votação no Plenário. Por enquanto, está tramitando na Comissão de Obras e já recebeu o parecer de legalidade da Comissão de Constituição e Justiça. O projeto que cria o Samae é uma espécie de garantia para o caso de rompimento com a Casan. Mas, o primeiro caminho a ser adotado, caso seja confirmado, é um contrato de emergência. Nessa semana deve haver nova movimentação neste caso.

Voo Azul

A partir do mês que vem a Azul volta a suspender o voo que parte 6h de Jaguaruna em direção a São Paulo. A volta, de acordo com a empresa está programada para setembro. A vereadora Camila do Nascimento (PSD) levanta esse assunto, na sessão de hoje. Quer maiores explicações da empresa, que até o momento se limita a dizer que a decisão é baseada nas condições meteorológicas no inverno.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/04/2019 - 07:02

O vereador Miri Dagostim, presidente da Câmara de Vereadores, vai assumir na próxima semana a presidência da executiva municipal do PP e pretende passar a trabalhar para colocar o partido na aliança que apoiará a reeleição do prefeito Clésio Salvaro, PSDB, em 2020.
Miri é atual vice-presidente da executiva do partido e vai assumir o comando em função da renúncia do presidente Itamar da Silva.
Itamar entregou carta de renúncia ao vereador Edson Paiol (Miri estava viajando).
Paiol fez o comunicado aos membros da executiva, aos ex-deputados Jorge Boeira e Valmir Comin, e o deputado José Milton Scheffer.
Na sexta-feira, todos estarão reunidos (incluindo Itamar) para decidir os próximos encaminhamentos.
É possível que o senador Esperidião Amin também participe.
Miri Dagostim fala em assumir, fazer a “reconstrução" do partido em Criciúma e conduzi-lo para uma grande aliança em 2020 com o PSDB do prefeito Salvaro.
Admite até a possibilidade de o PP estar na aliança com Salvaro e não participar da chapa majoritária.
Na quarta-feira, Miri Dagostim vai fazer uma conversa com o senador Esperidião Amin sobre o assunto, em Brasília.
O PP foi aliado de Salvaro na eleição de 2008 e participou do governo com o vice, Márcio Búrigo.
Em 2013, Márcio foi eleito prefeito na eleição suplementar e rompeu com Salvaro.
Em 2016, Salvaro foi novamente eleito prefeito, tendo Márcio, pelo PP, como adversário, a quem impôs uma derrota acachapante.
Mesmo assim, Salvaro manteve boas relações no PP. O vereador Miri é um dos mais próximos.
Salvaro chegou a tratar da sua migração para o PSDB.
Mas, se Miri ficar no PP para assumir a presidência e levar a apoiá-lo na reeleição, fica uma operação melhor.

Ninguém esperava

O PSDB passou o dia de sexta-feira tentando entender a decisão do prefeito Clésio Salvaro de fazer Vagner Espíndola o novo presidente do partido.
A expectativa era que o próprio Salvaro fosse o presidente. Estava tudo encaminhado para isso. 
Mas, na reunião do novo diretório do partido, quinta-feira à noite, Salvaro fez um longo discurso, onde detalhou a conversa que teve com o governador João Doria, e no final apresentou a candidatura de Vaguinho a presidente.
Pegou todo mundo de surpresa. Vaguinho foi eleito por consenso.

Foi cirúrgico

Vaguinho foi convencido por Salvaro a assumir o comando do PSDB na quinta-feira à tarde, poucas horas antes da reunião do diretório.
A intenção do prefeito foi sair um pouco da “linha de tiro” e fugir da imagem de “manda em tudo” (multi poder).
Além disso, aproveitou para dar um "choque" no partido, apontando para o novo.

A coletiva dos 100 dias

O governador Carlos Moisés, PSL, marcou entrevista coletiva para terça-feira, 10h30. Fará balanço e avaliação dos primeiros 100 dias de mandato. 
Coletiva será realizada no auditório da Defesa Civil estadual, no bairro Estreito, Florianópolis. 
Governador deve dar ênfase na entrevista às ações que está encaminhando com municípios, na linha do fortalecimento do “municipalismo”.

A sede da Câmara

Vereador Miri Dagostim vai tratar da nova sede da Câmara de Criciúma, na quarta-feira, em Brasília, com o senador Esperidião Amin.
Os dois serão recebidos pela direção da Secretaria de Patrimônio da União, às 10h, para tentar liberar de uma vez o prédio onde funcionou o Ministério Público do Trabalho, ao lado da Prefeitura, para instalar a Câmara.
O prédio hoje está vazio, já foi parcialmente depredado, e começa a servir de "abrigo” para drogados.

Cotado

Outra de Amin - com a provável queda do ministro da Educação, Veléz Rodrigues, ele passou a figurar na lista de cotados para a vaga.

Moro na Acic

O deputado federal Daniel Freitas, PSL, acertou com o ministro Sérgio Moro a sua presença em Criciúma para participar de evento pelos 75 anos da Acic (foto).

Novas filiações

O deputado Julio Garcia, presidente da Assembleia, estará em Içara, na segunda-feira, 8h30, para ato de novas filiações ao PSD, coordenado pelo vereador Alex Michels, ex-presidente da Câmara.
Vão se filiar empresários, líderes comunitários e profissionais liberais, boa parte estreante em política.

Novos negócios

Içara terá a confirmação de duas boas notícias até o final do mês.
A primeira, é a liberação da obra do Combo, o atacarejo do grupo Giassi. Processo para liberação da licença ambiental já tramita na Fundação de Meio Ambiente.
A segunda, é a aprovação da loja da rede Carrefour na cidade na assembleia do grupo, na França.
Os dois empreendimentos estão projetados para a SC-445. Vão gerar pelo menos 250 novos empregos.

Reforma na base

O deputado federal Ricardo Guidi, PSD, foi ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Plásticas, nesta sexta-feira, para discutir com trabalhadores e líderes sindicais o projeto da reforma da previdência (foto).
Ricardo defendeu o corte de todo tipo de privilégio e o estabelecimento de condições adequadas para quem recebe salários menores.
Ele voltou a projetar que a reforma vai passar, mas deve ser muito “retalhada”.

Marcha

Dos 12 prefeitos da Região Carbonífera, só três não irão à Marcha dos Prefeitos, que inicia na segunda-feira, em Brasília. Já têm compromisso por aqui e não irão Clésio Salvaro (Criciúma), Gustavo Cancelier (Urussanga) e Jairo Custódio (Balneário Rincão) os demais já confirmaram presença. Do Extremo Sul, não poderão participar João Mezzari (Jacinto Machado), Zênio Cardoso (Sombrio) e Valdionor Rocha (Morro Grande). Os outros 12 irão para a Capital Federal. A expectativa para esse ano é diferente, tanto é que, nesta quinta-feira, já havia estourado o limite de 7.500 inscrições e se estuda abrir mais vagas. O motivo é por ser a primeira marcha do Governo de Jair Bolsonaro.

50% do IPTU

O prefeito de Içara Murialdo Gastaldon (MDB) comemora muito a conquista de comprometimento do Governo do Estado com o repasse para a ativação dos 10 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Donato. A Prefeitura investe metade do IPTU na entidade, que vem se consolidando como uma das principais da região.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/04/2019 - 18:27Atualizado em 05/04/2019 - 18:29

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, virá a Criciúma participar das comemorações de 75 anos da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC). A vinda de Moro foi definida em uma audiência dele com o deputado federal Daniel Freitas (PSL) nesta sexta-feira. Ainda faltam definir detalhes quanto a datas e mais da agenda de Moro na cidade.

Mais informações neste sábado no Jornal A Tribuna.

(Colaboração: Denis Luciano)

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/04/2019 - 10:58Atualizado em 05/04/2019 - 11:05

O governador Carlos Moisés, PSL, marcou entrevista coletiva para terça-feira, 10h30. Fará balanço e avaliação dos primeiros 100 dias de mandato.

Coletiva será realizada no auditório da Defesa Civil estadual, no bairro Estreito, Florianópolis.

Governador deve dar ênfase na entrevista às acões que está encaminhando com municípios, na linha do fortalecimetno do "municipalismo", 

que passa a ser uma das primeiras marcas do seu mandato.

A proposito, Moisés antecipou em um dia a coletiva dos 100 dias, porque vai participar a partir de quarta feira da Marcha dos Prefeitos, em Brasilia. 

    

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/04/2019 - 06:54

A procuradoria jurídica da Casan e a procuradoria do Estado sustentam que não há ilegalidade no contrato assinado com Criciúma e se preparam para ir à Justiça contra o rompimento.
O entendimento no Governo do Estado é que o assunto vai derivar para o embate jurídico.
A partir de agora, o gabinete do governador passa a coordenar as ações em nome da Casan.
A reunião de ontem, em Florianópolis, já foi convocada pelo governador Caros Moisés.
A sua intenção era abrir negociação sobre a tarifa cobrada e a possibilidade de aumento no repasse da receita da Casan no município, mas o prefeito Clésio Salvaro, PSDB, nem deixou a conversa avançar.
Disse que o contrato que existe é ilegal, e que não pode manter um contrato ilegal, sob pena de ser enquadrado por prevaricação. Cita decisões recentes do STF e STJ neste sentido.
Salvaro está bem orientado por um corpo de advogados e técnicos que foram reunidos especialmente para isso.
O Governo do Estado está preparado para uma “guerra jurídica”.
Especialistas no assunto apostam em um desfecho só para 2020.
Salvaro falou ontem para o governador Moisés o que já tinha falado para a presidente da Casan, Roberta dos Anjos. Vai anular o contrato (porque entende que é ilegal) e contratar uma empresa em caráter emergencial, via chamamento público. Até sugeriu que a Casan apresente proposta de menor preço.
Antes de romper e fazer o contrato emergencial, no entanto, Salvaro segue o rito traçado por seus advogados. Para não deixar espaço para contestação. 
Como primeiro passo, notificou a Casan sobre “dúvidas" em relação ao contrato de programa. A Casan pediu mais cinco dias de prazo para responder (e foi atendida).
Enquanto isso, inquietação na Casan de Criciúma e pé no freio nos projetos e obras. Em praticamente tudo.
O que já está em andamento, segue. Mas, o que está apenas projetado, não começa. Como as obras no Bairro São Luiz e o “emissário" no Bairro Próspera (rede principal de esgoto).
Enfim, será uma batalha jurídica muito intensa. 
Até porque, perder Criciúma representa uma séria ameaça à manutenção do sistema da Casan.

Na contradição

Em nota distribuída pela assessoria de imprensa, ontem à noite, a Casan faz crítica velada ao prefeito Salvaro por estar caindo em contradição. Trecho da nota:
“O Contrato de Programa vigente é ilegal, afirmou Clésio, embora a legalidade do contrato vigente já tenha sido objeto de questionamento na Justiça, em processo com decisão favorável à Casan e já transitada em julgado. Na época, a própria Procuradoria Jurídica do Município defendeu a legalidade do contrato firmado, aliás, quando o próprio Clésio Salvaro era prefeito em 2012”.

No financiamento

A nota da Casan também contesta que Criciúma esteja “subsidiando” outros municípios menores, e garante: "Devido aos altos investimentos da Casan em Criciúma, neste momento, o Sistema Casan é quem está auxiliando Criciúma, pois é assim que funciona um modelo integrado. A Companhia está investindo no município 54% de recursos financeiros além do que foi estabelecido no Contrato de Programa para o período”.

No outro lado

O engenheiro Vilmar Tadeu Bonetti foi superintendente regional da Casan até fevereiro de 2019, e sempre sustentou que os contratos são legais. 
Em 2018, defendeu a Casan contra o rompimento de contrato encaminhado por Morro da Fumaça.
Hoje, fora da Casan, Bonetti assessora o prefeito Salvaro nos encaminhamentos para o rompimento.
Ele até levou uma empresa privada de fora da região ao prefeito como opção para operar o sistema.

Vampiro relator

O deputado criciumense Luiz Fernando Vampiro, MDB, foi prestigiado pelo seu partido, ao ser escalado para a função de maior visibilidade na Assembleia no primeiro semestre de 2019, talvez de todo o ano. Será o relator do projeto da reforma administrativa no governo, encaminhado pelo governador Moisés.
E já assumiu reclamando do regime de urgência imposto pelo governo, que estabelece análise da matéria em praticamente 45 dias. Quer derrubar isso.

Expansão do turismo

O prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel (PSDB), comemorou como nunca a decisão do Governo Federal de iniciar a concessão de parques nacionais pelo Sul do Brasil. O Aparados da Serra, que fica na divisa com o Rio Grande do Sul, e é conhecido pelos cânions, é uma das principais apostas para o desenvolvimento regional da cidade. Espera-se que o número de turistas possa mais que quadriplicar e chegar a 1 milhão/ano em poucos anos de investimentos da iniciativa privada.

Serra do Faxinal

Há anos que Praia Grande espera por investimentos mais sólidos do setor público e a pavimentação da Serra do Faxinal é um exemplo. A obra está paralisada há cerca de quatro anos e o prefeito Henrique Maciel não poupou críticas aos governos anteriores. Ontem, por coincidência, o prefeito fez o trajeto com o atual superintendente do Deinfra, Gustavo Taufemback, que está visitando os pontos mais críticos da região. A própria concessão pode ser um incentivo a mais para que o Governo do Estado termine a obra e ofereça mais infraestrutura para o turismo local. Essa obra deve mesmo ficar para o Governo do Estado e não deverá fazer parte das contrapartidas da concessão.

Arquibancada

Prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, está animado com as obras da Rua José Henrique Mezzari, paralela ao Parque das Nações, na Próspera. O material para a construção de uma arquibancada para mais de mil pessoas já está no local. Se o tempo não atrapalhar, a inauguração deverá acontecer no fim de abril. Será um local para os desfiles de Sete de Setembro, eventos e manifestações populares, não precisando mais fechar a Avenida Centenário, por exemplo.

UTI São Donato

Hoje à tarde uma comitiva da Amrec estará na Secretaria de Estado da Saúde para tratar da ativação dos 10 leitos de UTI do Hospital São Donato, de Içara. Inaugurada em dezembro a ala precisa de repasses do Estado para iniciar o atendimento. Essa etapa é fundamental para conseguir o credenciamento e recursos do Governo Federal. Ontem, os vereadores de municípios da região estiveram reunidos no Legislativo de Içara para unir forças. Assinaram um documento que será entregue na reunião de hoje.

Mais de 7 mil na fila

Você já imaginou ir marcar uma consulta com um oftalmologista e ao consultar a fila ver que tem mais de 7 mil pessoas na sua frente? Esse é um exemplo do que está acontecendo hoje em Criciúma. Há outras especialidades com filas. A dificuldade, de acordo com o Município, está na dificuldade de encontrar especialistas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/04/2019 - 12:26Atualizado em 03/04/2019 - 12:52

Foi mais rápida que o esperado a reunião da manhã de hoje entre o prefeito Clésio Salvaro, o governador Carlos Moisés e a presidente da Casan, Roberta dos Anjos, em Florianópolis. A conversa iniciou pouco depois das 11h e Salvaro insistiu na tese da ilegalidade do contrato em vigor entre a empresa e o município.

O prefeito não deu abertura para negociações nem contrapropostas sobre os números, valores, tarifas e royalties propostos. Ele sutentou que o contrato está ilegal, e usou por base decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabelecendo que contratos assinados entre municípios e empresas de economia mista, como é o caso da Casan, devem ser feitos a partir de uma licitação, um chamamento público, o que não ocorreu quando da assinatura.

Salvaro comunicou ao governador que lançará um contrato de emergência para o qual a Casan poderá se candidatar visando continuar os serviços de água e esgoto em Criciúma. Posteriormente, uma licitação será lançada.

A leitura é que o rompimento trata-se de um fato consumado. Se aguarda agora pelo encaminhamento jurídico e rito de prazos. A prefeitura notificou a Casan, que pediu cinco dias de prazo para contrapor, o prazo foi concedido. Agora o rito segue de acordo com a orientação de um grupo de advogados que está auxiliando Salvaro. O prefeito sustentou que a água está cara e o tratamento de esgoto também. Ele quer redução e, entende que municipalizando e contratando os custos serão menores. 

À tarde, já em Criciúma, de volta de Florianópolis, Salvaro assina o contrato com a nova agência reguladora, o Cisam-Sul, seguindo o que foi aprovado ontem à noite na Câmara.

Ouça as informações no podcast.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/04/2019 - 06:54

O prefeito Clésio Salvaro, PSDB, voou de São Paulo para Florianópolis ontem ainda, depois da reunião que teve à noite com o governador João Dória, PSDB, porque às 11h estará com o governador Carlos Moisés, PSL. Vão fazer uma conversa definitiva sobre Casan.
A reunião foi marcada pelo governador. O seu objetivo principal é tentar dissuadir o prefeito a romper o contrato de Criciúma com a Casan.
Moises levará para a reunião a presidente da Casan, Roberta dos Anjos.
Para o governo, perder Criciúma terá impacto imediato e profundo nas contas da Casan.
De outro lado, atender a proposta de Salvaro vai produzir desdobramentos em escala no estado.
Salvaro pede redução de 40% na tarifa de esgoto e 7% de repasse da receita da Casan no município.
A presidente da Casan, na reunião que teve em Criciúma, em março, concordou com repasse de 7%, mas descartou mexer na tarifa.
Na reunião de hoje, a presidente Roberta e o governador Moisés devem tentar encaminhar discussão sobre revisão de tarifa, mas isso teria relação com a definição da agência reguladora.
Ontem, a Câmara de Vereadores aprovou projeto do prefeito Salvaro que estabelece o Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (CISAM-SUL) como nova agência reguladora.
Ainda em São Paulo, ontem à noite, no aeroporto, Salvaro disse que vai para a reunião para “ouvir”.
E arrematou: “quando o prefeito tem conhecimento de decisão do STF e do STJ que torna ilegal um contrato que existe, ele não pode ignorar, sob pena de ser enquadrado por prevaricação”.
Ele se referia as sentenças recentes que consideram ilegais os contratos assinados por prefeituras com a Casan, por se tratar de empresa de economia mista e neste caso a lei exige a realização de licitação (chamamento público).

Animados por Dória

O prefeito Clésio Salvaro e a deputada Geovania de Sá saíram muito animados ontem à noite de reunião com o governador João Dória, PSDB, em São Paulo.
Ouviram que o novo comando do partido, que será presidido pelo deputado federal Bruno Araújo, indicado por Dória, vai fazer o reposicionamento do partido e encaminhar um processo de renovação.
O governador disse que é possível fusão com outros partidos e que o PSDB vai se definir como partido de centro.
Clésio e Geovania gostaram muito da postura de Dória, do seu jeito objetivo e focado.

Vinda a Criciúma

O prefeito Salvaro convidou Dória para vir a Criciúma.
O governador descartou, pelo menos por enquanto. Disse que por um bom tempo não vai viajar pelo país para não precipitar especulações sobre sua candidatura à presidência da República.

Candidatura na pauta

A reunião com Dória fez com que a deputada Geovania de Sá voltasse a avaliar a possibilidade de assumir a presidência estadual do PSDB.
Ele disse que vai procurar o ex-deputado Marco Tebaldi, de Joinville, que está em campanha pela presidência.
Geovania descarta disputa, mas vai tentar um entendimento.

Em Harvard

Deputada Geovania de Sá só vai procurar Tebaldi depois que voltar de Harvard.
Ela viaja hoje para os Estados Unidos.
Vai participar como palestrante de um evento sobre relações entre estado e religião no Brasil.
Além dela, participarão o ministro Luís Barroso, do STF, e a procuradora geral da República, Raquel Dodge.

Novo rumo

O ex-prefeito de Arroio do Silva, Evandro Scaini, é outro político da relação do deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, que pode migrar para o DEM.
Ele já se reuniu com o presidente estadual do DEM, ex-deputado João Paulo Kleinubing, que o procurou em Araranguá.
Evandro nasceu e mora no Arroio, mas é comerciante em Araranguá.
Pelo estado, vários políticos da relação de Merisio estão migrando para o DEM. O primeiro foi o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon. Mas, Merisio negocia com o PP.
Há especulações também sobre possível ida de Evandro para o PP ou PSDB.
Ontem, ele disse que não tem definição sobre nova filiação e que só projeta disputar de novo eleição para deputado estadual (ele foi candidato em 2018).

Mudança técnica

O governador Carlos Moises, PSL, pediu mais uma votação, ontem, na Assembleia (foi derrubado o veto a um projeto aprovado pelo plenário).
Ao mesmo tempo, o secretário de Administração, Jorge Tasca, enfrentou uma “saraivada" ao tentar explicar pontos da reforma administrativa.
Foi evidente que a articulação do governo na Assembleia não estava funcionando.
Resultado - o governador decidiu substituir o seu líder de governo.
Deputado Mauricio Eskudlark, PR, segundo mandato, vai substituir o deputado Coronel Mocelin, estreante do PSL.

Municipalismo

Governador Moisés vai reunir amanhã, em Florianópolis, todos os presidentes de associações de prefeitos do estado.
Vai avançar na proposta de parcerias com as associações, para municipalizar ações, principalmente na área de infraestrutura (manutenção de estradas).
Esse movimento que o governador faz na direção do municipalismo pode ser a principal marca do seu mandato.

Em prol das comunitárias

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, esteve em Florianópolis, ontem. Esteve na Assembleia Legislativa com os demais reitores do Sistema Acafe. O grupo foi recebido pelo presidente, Julio Garcia. Ao longo da tarde o grupo foi recebido ainda nos gabinetes dos deputados Rodrigo Minotto, Luciane Carminatti, Ana Paula da Silva, Jessé Lopes e Ada De Luca. Uma importante conquista é a criação da Comissão Parlamentar para Universidades Comunitárias, que será instalada no próximo dia 9 e presidida por Minotto. O principal assunto será o repasse por parte do Governo do Estado para o Artigo 170.

Críticas à Saúde

A área da atual Administração Municipal que mais recebe críticas na Câmara de Vereadores de Criciúma, com certeza, é a saúde. Dificilmente passa uma sessão em que casos não sejam relatados pelos vereadores. Vem sendo assim desde o ano passado e nesta semana não foi diferente. O assunto de falta de médicos e a dificuldade de conseguir consultas e exames foi levantado nas duas sessões.

Um dos vereadores que mais vem batendo na tecla é Paulo Ferrarezzi (MDB) e nessa semana não foi diferente. O pastor Jair Alexandre (PSC) também usou a tribuna para criticar a dificuldade de conseguir uma consulta. Segundo ele, na unidade central, eram para estar sendo atendidos 300 pacientes por semana, mas esse número não ultrapassa os 80 devido a falta de médicos.

Candidato do Novo

O partido Novo de Criciúma também se articula para a eleição do ano que vem. A intenção é lançar candidato a prefeito e vice. A avaliação é que precisa aumentar o número de filiados. Precisa passar dos atuais 70 para mais de 150 filiados. Ontem à noite realizou a primeira reunião de planejamento, liderada pelo engenheiro civil e gestor empresarial André Casagrande Teixeira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/04/2019 - 06:53

O governador Carlos Moisés, PSL, chamou prefeitos da Região Carbonífera para discutir a municipalização de algumas rodovias que estão sob responsabilidade do estado e a criação de consórcio para ações em parceria.
A reunião com os prefeitos será na quinta-feira, 10h, no auditório da Defesa Civil, no Estreito, em Florianópolis. O convite foi feito ontem, via Amrec.
O presidente da Amrec, prefeito Clésio Salvaro, PSDB, não deverá participar porque viaja hoje para São Paulo (terá audiência no final da tarde com o governador João Doria, PSDB) e amanhã estará em Florianópolis para reunião com o próprio governador Moisés, às 11h.
O vice-presidente da Amrec, prefeito Jaimir Comin, PP, de Treviso, vai liderar a comitiva de prefeitos, junto com o secretário executivo, Acélio Casagrande.
A conversa proposta por Moisés para prefeitos da bacia do carvão será na mesma linha que teve com os prefeitos do Vale do Araranguá, faz uma semana.
O governador sinaliza intenção de descentralizar as ações fazendo a municipalização de ações, mas sem montar estruturas políticas como as secretarias regionais.
Ele quer fazer convênios e acordos via associações de municípios para manutenção e conservação de rodovias. Num segundo momento, podem ser incluídos prédios públicos.
O tom municipalista agrada os prefeitos.
Mas, isso só vai dar certo se o governo repassar recursos.
Sem dinheiro, não vai.
Os municípios estão, sem exceção, pelados!
Agora, se tiver um pouco de dinheiro para repassar, será a mudança mais profunda no jeito de fazer a gestão pública no estado.

Pelo estado

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado do Sul, Julio Garcia, PSD, defendeu, ontem, uma carência ao governo do Comandante Moisés, que assumiu com 71% dos votos mas sem experiência política e administrativa.
De outro lado, voltou a falar sobre a diferença entre nova e velha política.
Disse que na verdade o que existe é a política boa e a política ruim, e que passada a eleição é preciso trabalhar em conjunto pelo desenvolvimento do Estado.
Julio Garcia fez palestra ontem à noite para empresários de Blumenau.
Foi a terceira agenda no interior. A primeira foi Joinville, e depois Chapecó.
Com isso, o deputado vai estadualizando o seu nome e fortalecendo a tese de que está mirando a eleição majoritária de 2022.

Pleitos do Sul

A deputada federal Geovania de Sá, PSDB, tratou, ontem, com o governador Carlos Moises, PSL, de algumas demandas do Sul.
Destaque para iluminação e manutenção da Via Rápida, retomada das obras da Serra do Faxinal e manutenção da Serra do Rio do Rastro.

Novo comando

O administrador Renato Pieri é o novo presidente do PSDB de Nova Veneza.
Convenção foi realizada ontem à noite. Renato foi eleito por consenso.
Ricardo Brogni é o vice.

A perda

Um homem como Higino Giassi faz a diferença. E a sua ausência, será sentida por todos.
Empreendedor nato, vencedor, ousado, homem simples. 
Higino fez história e contribuiu para fazer melhor a vida das pessoas, de várias formas. A dedicação ao Hospital São Donato foi uma delas.

Caso Casan

O novo superintendente regional da Casan, Gilberto Benedet Júnior, confirmou ontem aos vereadores na Câmara de Criciúma, que as obras de implantação do sistema de esgoto na Próspera (que já está em fase de conclusão) e no bairro São Luiz (que ainda não iniciou) devem ficar congeladas até o fim do impasse em torno da possibilidade de rompimento do contrato.
Depois da sua manifestação, os vereadores Ademir Honorato, MDB, e Zairo Casagrande, PSD, defenderam que o prefeito Clesio Salvaro seja convocado para explicar seu posicionamento sobre o contrato com a Casan, e a sua intenção de romper.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/03/2019 - 19:31Atualizado em 30/03/2019 - 19:49

O ex-prefeito de Meleiro, Nei Zanette, PP, foi eleito a pouco novo presidente da Cersul, a cooperativa de eletrificação de Turvo.

Nei teve 1.881 votos. O segundo mais votado foi Selvino Londero, com 1.469 votos.

Nei foi prefeito de Meleiro entre 2009 e 2016. Foi também da presidente Amesc.

Na campanha para a Cersul, teve o apoio dos prefeitos de Meleiro, Morro Grande, Timbé do Sul e Ermo.

O atual presidente da cooperativa, Everton Schimitt, não faz o sucessor. O seu candidato era Selvino Londero. 

Eleição teve mais duas chapas. Marcos Leone de Oliveira ficou em terceiro com 1.349 votos e Arnildo Steckert Junior em quarto com 255 votos.

MDB se dividiu e saiu derrotado na eleição. PP assume a principal cooperativa do vale.

O atual presidente, Everton Schimitt, já entregou a chave da Cersul, logo que foi concluída a apuração.

 

 

  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/03/2019 - 07:05

O vereador Toninho da Imbralit (MDB) foi o primeiro a encaminhar a troca de partido na Câmara de Criciúma. Mas outros quatro devem seguir o seu caminho.
Nesta sexta-feira, Toninho definiu a sua migração para o PSD, durante reunião com o deputado Julio Garcia, presidente da Assembleia Legislativa, deputado federal Ricardo Guidi e vice-prefeito Ricardo Fabris, presidente municipal do PSD.
Toninho é vereador em Criciúma desde 2004. É o vereador com mais mandatos (e mais tempo de plenário) entre os atuais.
Para não correr o risco de ser enquadrado na lei da fidelidade partidária e perder o mandato, Toninho deve oficializar a filiação ao PSD somente em março, na abertura da janela de transferência. Mas o seu grupo político já vai se filiar.
PSD é o partido que tem feito mais filiações em Criciúma, preparando a eleição de 2020.
Além de Toninho, deve filiar pelo menos mais um vereador.
Outros quatro vereadores estão se movimentando para troca de partido.
Dois deles porque receberam “cartas de alforria” dos seus atuais partidos. Zairo Casagrande (PSD) e Julio Kaminski (PSDB).
Julio deve ir para PSL ou DEM. Zairo ainda não fez nenhuma sinalização mais efetiva para onde migrar.
Outros três vereadores devem migrar para o PSDB. Eles já estariam “apalavrados" com o prefeito Clésio Salvaro. Os três hoje estão em partidos diferentes.
Se todas estas mudanças forem confirmadas, PSDB e PSD passarão a ter as maiores bancadas na Câmara e o governo Salvaro a maioria segura em plenário.

O ministro

Carismático, simpático, simples, fácil acesso. Foram as impressões deixadas pelo ministro Marcos Pontes, o primeiro do governo Bolsonaro a pisar em Criciúma.

No Bairro

Depois de circular pelas dependências do Bairro da Juventude, e se mostrar impressionado várias vezes, o ministro Marcos Pontes recebeu “regalos" do presidente do Conselho, empresário José Altair Back, e da diretora executiva, professora Silvia Zanette.

Na Satc

Quando “passeava" pela Satc, o ministro Pontes foi surpreendido pela pequena Catarina Costa Cardoso, aluna do quarto ano, que fez ele tirar uma foto com ela.
Depois, a menina comentou: “eu conheci o único astronauta brasileiro que foi para o espaço, mas que honra né?”.

Na Unesc

O ministro da Ciência e Tecnologia veio a Criciúma no momento certo, quando estão sendo encaminhadas para reta final as conversações para tirar do papel (finalmente!) o Centro de Inovação. E a Unesc expressou perfeitamente tal sentimento com o belíssimo painel que montou para receber o ministro Pontes, no auditório Ruy Hülse.

Carvão

O senador Esperidião Amin relatou ao ministro Pontes, durante visita à Satc, o questionamento que fez ao ministro de Minas e Energia, Bento Costa de Albuquerque, sobre políticas públicas para aproveitamento do carvão.
Acrescentou que o ministro de Minas prometeu estudar medidas e deixou perspectivas “alvissareiras”. 
Na seqüência, pediu que o ministro Pontes “ajude” o setor, importante para a economia da região. E o ministro prometeu ajudar.

Apostas

Na semana, duas pautas continuaram com tratamento preferencial em Criciúma. A possibilidade de rompimento do contrato entre município de Criciúma e a Casan e o projeto (polêmico) para rebaixamento da avenida Centenário.
Em relação aos dois assuntos, se fosse provocado a apostar, colocaria todas as fichas na manutenção do contrato Criciúma e Casan e a não realização da obra na Centenário.

O presidente

O ex-deputado Jorge Boeira deve assumir a presidência do PP de Criciúma.
Vai suceder o ex-vereador e advogado Itamar da Silva, que já comunicou aos aliados que não pretende ser reeleito.
Assumindo o partido, Boeira dá mais um passo para sua candidatura a prefeito em 2020.

Troca de comando

Em Sombrio, a vice-prefeita Gislaine Cunha (PR) assumiu a prefeitura nesta sexta-feira. Prefeito Zênio Cardoso (MDB), pediu licença por 15 dias.
Na posse, houve um "troca-troca" com o senador Jorginho Mello (PR).
O senador entregou duas emendas parlamentares de R$ 100 mil para a área da saúde e ganhou um kit com produtos da terra.

Falta de profissionais

O Hospital São Donato não conseguiu encontrar pediatras para iniciar o atendimento da especialidade no pronto-socorro. A previsão era que o atendimento iniciasse na próxima semana, mas precisou ser adiado. O atendimento será viabilizado com o repasse de R$ 15 mil do Município.

Dia agitado

O sábado será agitado no Vale do Araranguá com a eleição para a presidência da Cersul. A cooperativa tem sede em Turvo, mas possui mais de 17 mil associados também nos municípios vizinhos. Desde que o ex-prefeito de Turvo, Ronaldo Carlessi, venceu a eleição da Cersul em 2003 não há mais disputa. Porém, neste ano, não houve consenso e quatro chapas estão inscritas. O ex-prefeito de Ermo, Marquinhos, disputa pela chapa 1; o advogado da Cersul, Arnildo Steckert Júnior lidera a chapa 2; o ex-prefeito de Meleiro, Nei Zanette, é da chapa 3; e o empresário Selvino Dalon disputa pela chapa 4. O apoio do atual presidente, Everton Schmidt, é para a chapa 4.

Fiscalização

Após três meses da estadualização do Hospital Materno Infantil Santa Catarina, foi instalado o Conselho Consultivo. O grupo não tem poder de deliberar sobre as ações, mas tem a missão de acompanhar de perto como os recursos públicos estão sendo aplicados na entidade. O hospital atende em média 3.500 crianças na urgência e emergência; realiza cerca de 200 partos e 300 intervenções clínicas e cirúrgicas, e conta com 298 funcionários, segundo relatório apresentado pelo IDEAS, gestor da entidade.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2019 - 06:53

O novo diretório do PSDB de Criciúma será eleito durante convenção no fim de semana, e o prefeito Clesio Salvaro deve assumir a presidência da Executiva.
Como principal político do PSDB no sul do estado, prefeito da maior cidade governada pelo partido em Santa Catarina e candidato a reeleição, ele já é naturalmente o comandante político das articulações do PSDB para montagem de chapa e aliança para 2020. 
Mas faz questão de assumir a presidência da Executiva para estar legitimado a representar o partido em todas as conversações.
De imediato, ele vai fazer uma serie de filiações, já encaminhadas (muitas apalavradas), principalmente de futuros candidatos a vereador.
Tem também pelo menos dois, talvez três vereadores que hoje cumprem mandato que devem se filiar.
De outro lado, Salvaro vai exigir apoio integral de todos do partido ao seu governo na reta final do mandato.
Não vai admitir posição de neutralidade ou independência de vereadores tucanos em relação ao governo, por exemplo.
Vai fazer a condução do partido com mão de ferro, cobrando lealdade absoluta ao governo, e com “desdobramentos" para quem não cumprir.
Mais ou menos como fez com o vereador Allison Pires que não seguiu sua orientação em votação de projeto sobre isenção de COSIP para condomínios e teve que sair da Câmara.
Salvaro determinou que Allison pedisse licença da Câmara, ou seria afastado pelo retorno de vereadores que ocupam secretarias do governo.
Com o vereador Julio Kaminski, que desde o início do mandato tem postura independente na Câmara, o tratamento é mais duro.
Ele não fará parte do novo diretório e não estará na lista do partido de candidatos a vereador.
No final de 2018, a direção local do PSDB, depois de se reunir com o prefeito Salvaro, anunciou a decisão tomada de dar “carta de alforria” para Kaminski, liberando para que se filie em outro partido, sem risco de perder o mandato pela lei da infidelidade partidária.
Na terça-feira, Kaminski se reuniu em Criciúma com o ex-deputado João Paulo Kleinübing, presidente estadual do DEM. Pode ser o seu destino.
Mas também já conversou com outros partidos, como PSL e MDB.

“Não fui comunicado de nada”

O vereador Júlio Kaminski garantiu ontem à noite que até hoje não recebeu nenhuma comunicação oficial sobre “carta de alforria”. Também disse que foi convidado para a reunião que vai definir montagem do novo diretório e não foi informado que será excluído. Abaixo, a entrevista:

1 - Qual sua posição em relação a decisão de excluir seu nome do novo diretório do PSDB?
Kaminski - Eu estarei presente na reunião, afinal eu estou no PSDB e fui convidado para a reunião.

2 - Mas o que diz de não estar no novo diretório?
Kaminski - Penso que esse tipo de atitude não parece a mais conveniente, na medida em que estou no partido. Não consigo imaginar isso. Caso o PSDB não me queira, deve manifestar por escrito.

3 – O prefeito Clésio diz que o senhor não terá legenda do PSDB para ser candidato em 2020. O que vai fazer?
Kaminski - No momento certo vou verificar qual o melhor caminho. Agora estou no meio de um mandato e estou focado nele. Certamente dependendo da situação, terei que buscar o caminho mais sensato.

4 - O senhor não foi comunicado oficialmente pelo PSDB que deve procurar novo partido?
Kaminski - Absolutamente. Em nenhum momento recebi qualquer comunicação formal. Tudo que sei foi via imprensa. Outro dia solicitei para a presidente (Roseli de Luca) a existência de algum documento, e se o tivesse, que me entregasse para eu tomar conhecimento. Até o momento nada recebi.

Novo rotativo

Prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB), inaugurou ontem um novo modelo de estacionamento rotativo no estado.
O sistema não terá uma empresa intermediária e será 100% gratuito pelo período de duas horas.
Passando de duas horas, se o veículo continuar no local, o proprietário sofrerá a penalidade de acordo com o Código de Trânsito - multa no valor de R$ 195 e 5 pontos na carteira. 
O controle será automatizado com o acompanhamento de agentes de trânsito e da guarda municipal.
O foco do novo sistema é atender aos pedidos do comércio local, que reivindica uma maior rotatividade de veículos no centro da cidade.

Salvaro x Moisés

Ficou para quarta-feira, dia 3, a reunião do governador Carlos Moisés com o prefeito Clésio Salvaro, em Florianópolis, no Centro Administrativo.
Salvaro não quer falar de Casan. Sua pauta tem Anel Viário (última etapa), Rodovia Jorge Lacerda e liberação de recursos já assinados.
Mas a pauta de Moisés inclui Casan. No topo na lista.
Ele deve fazer uma proposta final de acordo.

Em defesa do carvão

Em momento distintos e locais diferentes o deputado federal Daniel Freitas (PSL) e o senador Esperidião Amin (PP) questionaram ontem o ministro de Minas e Energia sobre o carvão.
O senador questionou o ministro Bento Costa Lima durante reunião na Comissão de Infraestrutura do Senado. 
O ministro prometeu dar resposta ao senador sobre investimentos na área de tecnologia voltadas ao carvão.

Pelo carvão

O deputado Daniel Freitas questionou o ministro na reunião da Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal.
Ele cobrou uma política do governo para o carvão e defendeu a paralisação do processo de fusão da Eletrosul (com sede em Santa Catarina) com a CGTE (sede no Rio Grande do Sul), que foi iniciado no governo passado. Consumada a fusão, a sede da nova empresa será em Porto Alegre.
De novo, o ministro prometeu avaliar e responder posteriormente.

Saúde?

Um cidadão foi buscar atendimento na Policlínica do Rio Maina. Primeiro, descobriu que fichas só são entregues depois das 13h. Falta pessoal para isso pela manhã, segundo disseram. Depois, ao ser atendido, ouviu do médico que não tinha como solicitar o exame desejado – para detectar dores torácicas um tanto fortes – por falta de requisição. E ouviu a recomendação para de novo buscar ficha e retornar ao médico depois da virada do mês. Daí voltam as requisições. Indignado, continua sentindo as dores enquanto isso.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2019 - 06:55Atualizado em 29/03/2019 - 10:41

Na semana que o município de Criciúma fez primeira notificação à Casan, no processo que pode levar ao rompimento do contrato, o governador Carlos Moisés (PSL), chamou o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) para reunião.
Seria hoje, 15h30min, no Centro Administrativo em Florianópolis. Mas ontem à noite o secretário chefe da Casa Civil, Douglas Borba, pediu para remarcar para amanhã ou sexta-feira. Moisés teria sido chamado em Brasília. 
Os dois vão definir antes do meio dia se será amanhã ou sexta-feira.
De qualquer forma, a reunião vai sair. E foi “provocada" pelo governador.
Salvaro pediu para incluir na pauta a construção da última etapa do Anel de Contorno Viário de Criciúma que vai fazer a ligação com a chegada no centro de Rio Maina.
O governo passado anunciou que chegou a contratar o projeto, mas não executou por falta de recursos.
A última etapa é muito importante para o anel cumprir o seu papel de desafogar o trânsito pesado na área central da cidade.
Mas já está na hora de abrir discussão na cidade e região sobre a necessidade de duplicação do anel. Já passou da hora.
Quem não estiver ainda convencido disso, é só ficar parado por 10 ou 15 min na frente da Plasson e da Cristal Log, na Linha Batista, e acompanhar o movimento de caminhões. É um atrás do outro.
Mas enquanto não duplica, faz a etapa que falta (a menor de todas, e mais barata).
O prefeito também pediu para incluir na pauta a revitalização da Rodovia Jorge Lacerda, acesso sul de Criciúma. Que também já deve ter projeto pronto, feito pelo governo passado.
Os dois assuntos são importantes. Já justificaram a audiência.
Mas o governador Moisés também vai tratar da Casan. Porque ele não quer o rompimento do contrato. Não interessa ao Estado. 
As negociações trancaram na discussão sobre o percentual de repasse da receita da Casan para o município. A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, foi até o limite da sua autonomia.
Salvaro pediu 10%, ela ofereceu 7%. 
Para não perder Criciuma (e mais cinco municípios da região), o que pode até comprometer a operação da Casan, Moisés deve “melhorar" a proposta e buscar o acordo.
Por isso, a reunião de hoje deve decidir o futuro do contrato de Criciúma com a Casan. Pelo sim, ou pelo não.

Leandro na Unimed

O médico Leandro Avany Nunes venceu uma eleição histórica e passa a ser o novo presidente da Unimed Criciúma.
O atual presidente, Walter Ney Junqueira, já eleito vice-presidente da Federação de Unimeds do estado fez o sucessor, depois de 20 anos no cargo.
A eleição foi muito disputada, e isso ficou evidente no placar apertado.
Na campanha, os “eleitores" se dividiram em dois grupos. Os médicos tradicionais e os mais novos. 
O primeiro grupo ficou com Leandro e o segundo com o candidato de oposição, Giancarlo Burigo.
Leandro foi diretor do Hospital da Unimed, diretor do Hospital São João Batista e tem sua própria clínica, a Mova.
É um gestor reconhecidamente competente. Tem desafios pela frente, como concluir a ampliação do Hospital da Unimed em Criciúma e construir um hospital em Araranguá.
Os votos da Unimed de Araranguá, quase todos para Leandro, foram decisivos no resultado da eleição. Na foto, o abraço de Leandro em Eloir Ribeiro, diretor da Unimed em Araranguá, e tendo ao lado Walter Ney Junqueira.

Sobre Meller

Paulo Meller, ex-diretor da Casan, disse na câmara de vereadores, segunda-feira, que Criciúma pode ficar sem agua em dois anos, se fizer o rompimento do contrato com a Casan.
Prefeito Salvaro respondeu ontem:
“O MDB do Paulo Meller ficou 16 anos no governo do estado, não fez a barragem, e ainda deixou vários problemas nas obras feitas de ampliação de rede.
Agora, ele vem dizer uma coisa desta. Não faz o menor sentido. Ele sabe isso. E esse tipo de ameaça me dá mais motivação para romper o contrato. Porque eu sei o que estou fazendo”.

Com pompa e circunstância

A posse de Julio Cesar Lopes na fundação de cultural foi ao estilo Julio Lopes. Com festa.
Gaiteiro mirim na porta, dança, trajes típicos das etnias, bailarinas, exposição.
Julio assumiu a presidência “de bem” com o movimento cultural da cidade.
Antes, tratou de se reunir com o conselho e com todas as entidades representativas.
Assumiu o cargo pela quarta vez.

Sem vinculo

O filho de Julio Lopes, deputado estadual Jesse Lopes, PSL, fez circular nota destacando que apoia o seu pai onde ele estiver, mas rechaçou qualquer relação ou vinculação com o PSL ou com o seu mandato.
"Mesmo que o meu pai esteja no governo do prefeito Salvaro, que será candidato a reeleição, o PSL terá candidato a prefeito em 2020”, arrematou.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/03/2019 - 06:53Atualizado em 29/03/2019 - 10:39

A reunião de ontem, em Florianópolis, no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa, pode ter sido histórica. 
Primeiro, porque definiu um caminho para fazer (finalmente) sair do papel o Centro de Inovação.
Mas, antes disso, pela ação coletiva, que pode passar a ser uma nova pratica daqui em diante. Que será uma operação de ganha-ganha para a cidade e região.
Ontem, estavam à mesa os deputados estaduais do sul (representados pelo presidente da Assembleia, Julio Garcia), o prefeito Clesio Salvaro (pelo vice Ricardo Fabris), o setor produtivo (pelo presidente da Acic, Moacir Dagostin) e a produção de conhecimento e saber (pela reitora da Unesc, Luciane Cereta).
A continuidade de uma ação conjunta e partilhada por todos estes vai trazer inestimáveis benefícios.
Criciúma e região nunca tiveram uma unidade efetiva de seus representantes formais na luta por causas comuns. O que teve até agora foi muito “faz de conta”.
Discursos pela unidade para consumo externo, “para a torcida", mas na pratica, sempre foi “cada um por si”.
Ontem, saíram propostas que serão tratadas (e ajustadas) na reunião dos deputados do sul com empresários, gestão pública e entidades, em abril, na Acic. E o que for aprovado será assumido por todos. É o compromisso.
A mais importante das propostas, que pode ser viabilizada em curto prazo, é a solução para o Centro de Inovação (o laboratório de negócios).
O presidente da Acic, Moacir Dagostin, confirmou na rádio Som Maior, fim da tarde, que a solução pode ser a cessão pela Unesc daquele prédio no centro, que foi comprado da prefeitura, para implantação do Centro. O governo do estado, com apoio dos deputados, faria o aporte para conclusão, adequação e montagem do Centro.
Trata-se de uma solução brilhante. Não tem localização melhor e vai resolver dois problemas da cidade. Aquele prédio inacabado e o “desatar” para o centro de inovação.

Negociar com políticos

O noticiário internacional vai informando diariamente que a primeira ministra do Reino Unido, Theresa May, está quase que permanentemente no parlamento negociando o acordo do Brexit.
Será que é porque os deputados estão impondo o “toma lá dá cá”, e a primeira ministra está fazendo uma operação de “compra e venda”?
Não. Certamente não.
É porque nas democracias o executivo negocia politicamente com o parlamento a votação de medidas importantes, polêmicas, complexas.
É assim pelo mundo afora.

Bons números

Prefeito Clésio Salvaro (PSDB) reuniu seu grupo político mais próximo em sua casa, no início da noite, para acompanhar a apresentação dos números de duas pesquisas - uma qualitativa, outra quantitativa.
Em análise, o desempenho do governo e projeções para eleição de 2020.
O time saiu empolgado.  

Chegou o dia

A Unimed Criciúma, que reúne mais de 400 médicos cooperados, nunca teve uma eleição tão acirrada. O ambiente nos bastidores é explosivo.
Eleição será durante todo o dia de hoje. Dois candidatos a presidente: médicos Leandro Avany Nunes e Giancarlo Burigo.
O eleito vai ter o compromisso de dar continuidade ao excelente trabalho feito pelo atual presidente, Walter Ney Junqueira, que está eleito para vice-presidente da federação estadual de Unimeds.

Discurso no peito

Deputado Jessé Lopes (PSL) fez na camiseta sua manifestação do dia.
Em outras palavras, defendeu enxugamento do estado e diminuição dos “tentáculos" do governo.
Mais cedo ele fez circular um quadro com despesas dos gabinete de todos os deputados estaduais do estado nos meses de janeiro e fevereiro. O seu gabinete aparece em “último”. Foi o que menos gastou.

Novo partido

O PPS agora vai se chamar “Cidadania”. A mudança de nome já foi aprovada.
A deputada federal Carmem Zanotto aprovou a troca do nome. Ela pode ser a líder da bancada do novo partido na Câmara Federal.
O entendimento da direção do PPS é que a troca de nome vai permitir adesão de movimentos políticos como Acredito, Agora, Livres, RAPS, Renova e outros.

No Tribunal

O juiz federal criciumense Jorge Maurique foi empossado ontem no Tribunal Regional Eleitoral. Cerimônia coordenada pelo seu colega de turma de 1987, juiz Ricardo Roesler, presidente do TRE.

Economia

Governador Carlos Moisés entregou ontem ao deputado Julio Garcia, na Alesc, o projeto da Reforma Administrativa. Promete o Governo uma economia anual de R$ 124 milhões cortando 2.054 cargos em comissão e funções de confiança. A pauta vai tramitar em regime de urgência. Moisés tem pressa.

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13