Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/01/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

Lá atrás, na eleição passada, um grupo de empresários reivindicou a participação na Cooperaliança. São os mais interessados no preço da energia, já que possuem um alto consumo. Na época não conseguiram fazer parte da diretoria, mas o diálogo seguiu e, agora, com nova eleição, a Chapa 1, que saiu vencedora do processo, conta com a participação de seis empresários.
A Cooperaliança terá, também pela primeira vez, um ex-funcionário na sua presidência. Dedê de Jesus saiu da cooperativa no ano passado e agora volta como presidente e deve acumular o cargo de gerente, que já era exercido por ele.
Para a vitória nas urnas com 70% houve todo um trabalho de diálogo no processo eleitoral. Primeiro, foi Julio De Luca, convencido a permanecer na diretoria do São Donato. Depois o ex-prefeito Gentil da Luz se retirou do processo fazendo que apenas uma chapa de situação fosse para a disputa.
Restou uma chapa de oposição. O grupo de origem do PSL não recebeu apoio integral do partido que optou por se manter neutro e não conseguiu trazer para a eleição da cooperativa a mesma força que levou o PSL ao Governo do Estado, surpreendendo até mesmo a eles à época. Pelo pouco tempo de articulação que teve, conseguiu um bom número de votos e deve marcar oposição durante os quatro anos de mandato de Dedê.
Entre os desafios deste novo mandato que já iniciou está a manutenção de subsídio conquistado no ano passado e que tem fim para terminar: agosto próximo. Caso a conquista não permaneça, outras alternativas terão que ser buscadas para que a energia não aumente. É o preço da energia que é visto no dia a dia, é o que o consumidor realmente sente e por isso reflete diretamente na aprovação de uma gestão.

Propostas

Entre as propostas da chapa vencedora está a busca de novas fontes de renda para a Cooperaliança como uma cooperativa de crédito e convênio de saúde, neste caso em parceria com o Hospital São Donato, fortalecendo duas entidades importantes para Içara e região.

Maracajá já tem estudos

O prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha (PSDB), é conhecido pela sua articulação e capacidade de negociação. É advogado e fez carreira no meio sindical. Não fugindo a boas rodadas de negociações. Há dois anos ele está em negociação com a Casan, não cedendo à estatal. Agora, faz parte do grupo de prefeitos que está se reunindo para debater sobre um consórcio para o fornecimento de água e esgoto. Só que Maracajá já está adiantado e já possui todos os estudos. Tem com clareza que a Casan leva do município todos os meses de 25 a 30% de lucros.
Esses estudos já podem servir de base aos outros municípios. Todos recebem água da Barragem do Rio São Bento. A proposta de consórcio foi levantada pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), na semana passada. Novas reuniões devem ocorrer ainda essa semana, mas resposta definitiva deve ficar para 28 de fevereiro quando Salvaro terá encontro na Casan para saber se seus pedidos foram atendidos. Quer 40% de desconto na tarifa de esgoto e mais 7% de royalties.

Decisão de impacto

Além de Criciúma e Maracajá, Içara, Nova Veneza, Siderópolis e Forquilhinha são abastecidas pela Barragem do Rio São Bento. Pelo menos uma parte dos prefeitos está convencida de que se houver o rompimento será o início do processo de falência da Casan. Principalmente pela saída de Criciúma, uma das três cidades polos regionais abastecidas pela Companhia Catarinense. As outras são Chapecó e Florianópolis. Basta saber se o novo Governo do Estado está ciente da situação com a qual está lidando. É o primeiro desafio de Carlos Moisés perante os municípios.

Cersul

Para que possa ter consenso na eleição da Cersul, cooperativa com sede em Turvo, como aconteceu nos últimos anos, terá que haver bastante negociação. Até o momento, Marquinhos do Ermo, Selvino Londero, Nei Zanette, Sandro Pietsch, Arnildo Steckert, Orlando Piazza e Sandro Cirimbelli colocaram os nomes à disposição para concorrer à preidência da cooperativa de distribuição de energia. Após a posse da Amesc, os prefeitos Tiago Zilli, de Turvo, Eder Mattos, de Meleiro, Roberto Biava, de Timbé do Sul, Aldoir Cadorin, de Ermo, e Arlindo Rocha, de Maracajá, todos atendidos pela Cersul, se reuniram em uma mesa separadamente e conversaram por alguns minutos.

A relação de Brumadinho com Santa Catarina

O Brasil e o mundo acompanham de perto mais uma tragédia causada em Minas Gerais. Depois de Mariana veio Brumadinho e a sensação é que nada mudou, nada foi feito. O que os catarinenses precisam estar atentos é a tentativa de multinacionais, entre elas a própria Vale, de iniciar a exploração de fosfato em Anitapólis, município da Grande Florianópolis. Caso isso aconteça, a tensão se volta aos municípios do Vale do Braço do Note, aqui bem pertinho da gente. Até o momento, ações judiciais têm impedido que novos passos sejam dados. O processo está parado por ora. Há forte reação da comunidade local para que a implantação não ocorra, mas a luta é difícil. Santa Catarina num todo precisa estar mais atenta à situação. A luta conseguiu dar um basta, mas a atenção tem que ser mantida.

O compartilhamento na internet

Uma foto de um bombeiro sendo abraçado por um homem resgatado foi uma as mais compartilhadas sobre a tragédia de Brumadinho. Muitos políticos, inclusive, utilizaram essa imagem para se solidarizar com os atingidos. Só que ela não é de agora, é antiga. Mais uma vez há muita notícia sendo compartilhada sem que a origem seja consultada. A eleição do ano passado já deu lição sobre as fake news, mas parece que de nada valeram.

Reunião com a comunidade

As reformas na Escola Luiz Lazzarin, no Distrito do Rio Maina, estão bem próximas do fim e a intenção é que estejam prontas para o retorno das aulas. A escola foi municipalizada no fim do ano passado. Já são 490 matrículas efetuadas. Na quarta-feira, às 19h30, haverá uma reunião com a comunidade para apresentar os avanços. Na sexta-feira, o prefeito Clésio Salvaro foi vistoriar a obra em companhia no vereador Julio Colombo.

Posse

A semana será marcada pela posse dos deputados estaduais e federais e pelos novos senadores eleitos. Na Assembleia Legislativa, mais uma vez, parece que a eleição para a presidência será feita por consenso. Na sexta-feira, após a posse, que será comandada por Romildo Titon (MDB) – o mais velho entre os com mais mandatos – haverá a eleição que deverá dar a presidência ao representante do Sul, Julio Garcia (PSD). No Senado, expectativa pela candidatura do catarinense Esperidião Amin (PP). Porém, por lá tudo se encaminha para que Renan Calheiros (MDB) permaneça no comando.

Primeira mulher

A Epagri terá pela primeira vez uma mulher presidente. O governador Carlos Moisés anunciou a funcionária de carreira Edilene Steinwandter para o cargo. Edilene tem 17 anos de serviços prestados à companhia e será a primeira mulher a ocupar a presidência.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/01/2019 - 06:55

O recurso protocolado pela defesa da vereadora de Criciúma, Angela Mello (MDB), entrou na pauta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para a sessão desta terça-feira. A partir desse julgamento sai a decisão sobre sua permanência ou não no Legislativo.
Angela perdeu o mandato por infidelidade partidária em novembro do ano passado, porém, a Câmara de Criciúma não recebeu nenhuma notificação até então, justamente, porque o TRE aguarda pelo julgamento do recurso. A primeira sentença traz que o afastamento deve ser de imediato e a defesa pede que ela possa recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no cargo.
Caso a primeira decisão seja mantida, aguarda-se a publicação do acórdão para que a Câmara de Criciúma seja notificada. A partir de então o prazo para que a decisão seja cumprida é de 10 dias. Será jogo rápido.
Esse não é o primeiro caso de perda de mandato na Câmara de Criciúma nessa legislatura. Aliás, Angela assumiu após a saída de Daniel Freitas no meio do ano passado.
Daniel perdeu o mandato por ter trocado o PP pelo PSL. Antes de a Câmara ser notificada ele renunciou. A manobra possibilitou que Angela assumisse e não Edson do Nascimento, o Paiol, do PP. O que acontece é que Angela concorreu pelo PP e depois foi para o MDB. Como as duas siglas estavam coligadas em 2016, ela ficou como primeira suplente da coligação e Paiol o primeiro do PP.
Com a renúncia de Daniel, Angela assumiu e coube ao PP entrar como novo processo no TRE. Desta vez, especificando e deixando bem claro que a vaga é de Paiol.
Além de Daniel e Angela, que perderam mandato por infidelidade partidária, teve o caso de Moacir Dajori (PSDB), bem diferente, que perdeu a cadeira por acusações de compra de votos. 

Prestigiada

A posse de Arlindo Rocha (PSDB) como presidente da Amesc foi bem prestigiada na manhã de sexta-feira, no Morro dos Conventos, em Araranguá. O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), próximo presidente da Amerc, foi acompanhado de Rogério Frigo (PSDB), de Nova Veneza, e do secretário Executivo da Amrec, Acélio Casagrande. O presidente da Federação dos Municípios Catarinenses (Fecam) e prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), também compareceu. Uma das pautas de Arlindo é o fortalecimento e união das três associações do Sul. Ainda participaram os deputados Luiz Fernando Vampiro (MDB), Rodrigo Minotto e Geovania de Sá (PSDB). Além dos prefeitos da região.

Imprevisto

O deputado José Milton Scheffer (PP), que representa a região, teve sua casa arrombada durante a manhã de sexta-feira, o que impediu que participasse da posse de Arlindo Rocha.

Curiosidade

Arlindo Rocha recebeu o cargo do prefeito de Sombrio, Zênio Cardoso (MDB). Os dois foram colegas no curso de Direito, há 20 anos.

Próximo do PP

O próximo presidente da Amesc, em 2020, será do PP. O cargo deve ser ocupado por Ronaldo Pereira da Silva, de Balneário Gaivota. O partido tem ainda Mariano Mazzuco, de Araranguá, e Roberto Biava, de Timbé do Sul. Pelo rodízio, o ano do PP seria 2019, mas houve um acordo para que o PSDB assumisse já que os dois partidos da sigla estão em primeiro mandato e podem optar pela reeleição e 2020 é ano eleitoral. Além de Arlindo, Henrique Maciel, de Praia Grande, é tucano.

Sem comunicação

Até a sexta-feira, o governador Carlos Moisés (PSL), não havia feito contato com os prefeitos da região para comunicar que a concessão do trecho Sul da BR-101 acontecerá ainda nesse primeiro semestre. A informação foi repassada a ele pelo ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes, na quinta-feira. Havia expectativa de novos estudos para reavaliar as quatro praças de pedágios e o valor acima de R$ 4 em cada uma delas.

Salvaro é contra

O prefeito de Criciúma e próximo presidente da Amrec, Clésio Salvaro, não esconde ser contra a implantação de praças de pedágios como está acontecendo. Ele mesmo se avalia como um dos prefeitos do Brasil que mais defende e faz acontecer a parceria público-privada. Porém, acredita que o Sul não pode pagar pelo Norte e que antes precisam ser terminadas as obras do anel viário de Florianópolis.

Federação das Unimeds

O presidente da Unimed Criciúma, Walter Ney Junqueira, foi eleito para a federação das Unimeds. Sua gestão em Criciúma foi marcada por conquistas como a construção do hospital e obras de ampliação que estão em andamento. O reconhecimento veio com o convite para voos mais altos.

Eleição

Com a saída de Walter Ney, a Unimed Criciúma terá eleição. São duas chapas concorrentes.
A primeira a se formar é liderada por Leandro Avany, que tentou consenso. Mas, na quinta-feira, foi formada a segunda chapa liderada por Giancarlo Búrigo.

Despedida

Faleceu por volta das 12h desta sexta-feira a ex-primeira dama de Criciúma, Maria Helena Ramirez Hülse, aos 75 anos. Ela completaria 76 anos em 14 de julho. Esposa do ex-prefeito e ex-vice-governador José Augusto Hülse. Estavam casados desde 1964. Completariam 55 anos de matrimônio em 9 de abril. Maria Helena presidiu a Afasc durante o mandato do marido na prefeitura de Criciúma, de 1983 a 1989.
Dona Maria Helena enfrentava complicações de saúde havia um ano. Ela acabou indo a óbito por insuficiência respiratória.

Agradecimento

Líderes do MDB do Sul prestaram homenagem de agradecimento para o deputado federal Ronaldo Benedet. Os prefeitos, vereadores e lideranças do MDB fizeram um jantar em Turvo, em agradecimento pelos serviços prestados aos municípios do Sul. Ronaldo não conseguiu a reeleição e deixa o mandato na semana que vem.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/01/2019 - 16:04Atualizado em 25/01/2019 - 16:22

Faleceu por volta das 12h desta sexta-feira a ex-primeira dama de Criciúma, Maria Helena Ramirez Hülse, aos 75 anos. Ela completaria 76 anos em 14 de julho.

Esposa do ex-prefeito e ex-vice-governador José Augusto Hülse, estavam casados desde 1964. Completariam 55 anos de matrimônio em 9 de abril. Presidiu a Afasc durante o mandato do marido na prefeitura de Criciúma, de 1983 a 1989.

Dona Maria Helena enfrentava complicações de saúde havia um ano. Ela acabou indo a óbito por insuficiência respiratória.

O velório começa às 20h em uma das capelas do Cemitério Municipal, e o sepultamento será às 11h deste sábado. Ela deixa o esposo, três filhos (havia um quarto, já falecido) e quatro netos.

(Colaboração: Denis Luciano)

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/01/2019 - 10:53Atualizado em 25/01/2019 - 10:55

Interina: Francieli Oliveira

A concessão da BR-101 sairá antes do que o esperado. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, disse ao governador Carlos Moisés, que cumpriu sua primeira agenda oficial em Brasília, ontem, que o anúncio será feito em breve e que o leilão deverá ocorrer até o final do primeiro semestre.
No fim do ano passado, após inúmeras contestações em relação à quantidade de praças de pedágios, se chegou ao acordo que a concessão não seria mais realizada em 2019 e sim em 2020 após novos estudos. O acordo foi com o Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT).
Agora, parece que ainda nesse ano a rodovia terá os pontos de pedágios. A concessão é uma tendência do governo do presidente Jair Bolsonaro, que já fez sua campanha eleitoral em cima da proposta.
A concessão também não é questionada pela maioria dos usuários da rodovia federal, que entendem que trará melhorias na conservação. O problema é a quantidade de pedágios impostos e o valor. O que não pode acontecer é o Sul pagar pela má concessão realizada no trecho Norte. É em cima disso que os novos deputados, que assumem em 1º de fevereiro, devem ficar atentos.
A última proposta do DNIT é de quatro praças entre Imbituba e Passo de Torres. O valor seria acima dos R$ 4 em cada uma.
Na semana passada, já havia indicativos de que o processo estava andando. Uma estrutura improvisada às margens da rodovia federal, em Araranguá, era utilizada por uma empresa interessada em participar da operação e que estava ali para fazer a contagem de veículos pequenos e de caminhões que cruzam o trecho todos os dias.
Na mesma reunião com Moisés, o ministro anunciou que as obra no Aeroporto Hercílio Luz em Florianópolis estarão prontas até o fim de outubro desse ano.
A agenda oficial, divulgada pelo governador, fala ainda em investimentos nas BRs 470 e 280. Importantes rodovias federais e fundamentais para o desenvolvimento de Santa Catarina.

Outras visitas

A comitiva catarinense, liderada pelo governador Carlos Moisés, ainda esteve com outros ministros como da Casa Civil, Onyx Lorenzzoni; Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; e do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O que não foi divulgado pela Comunicação foi o resultado do encontro marcado no STF para tratar sobre o repasse de 15% para a Saúde, estabelecido por lei aprovada na Assembleia Legislativa, e questionada no STF desde a gestão passada.

Novo presidente

O prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha (PSDB), toma posse, hoje, como presidente da Associação dos Municípios do Vale do Araranguá (Amesc). A eleição e posse estão marcadas para as 10h. Arlindo está no seu primeiro mandato como prefeito e vem realizando uma gestão técnica em Maracajá.

De novo

O vereador de Içara, Márcio Dalmolin (PSD), teve o mandato novamente cassado. A decisão dessa vez é da Justiça Comum, ainda em primeira instância na Comarca de Içara. Cabe recurso no Tribunal de Justiça. Mas a sentença é bem parecida a proferida em dezembro do ano passado pelo Tribunal Regional Eleitoral. Na Justiça Comum, a acusação é sobre o uso de salários de assessores para quitar gastos de campanha. Já na Justiça Eleitoral é por compra de votos. Uma denúncia veio em seguida da outra. Tudo foi desencadeado após um assessor resolver contar tudo o que sabia. Estava tudo documentado.

Cooperaliança

Içara vive clima de eleição. A disputa pela Cooperaliança traz movimentação igual ou bem próxima a de escolha de prefeito e vereadores. Aliás, o que acontecer neste sábado é indicação para 2020. As articulações do próximo ano já começaram e estão de olho nesse resultado. São duas chapas concorrendo. A Chapa 1 é liderada pelo ex-funcionário Dedê de Jesus com apoio de empresários, além dos prefeitos de Içara, Murialdo Gastaldon, e do Rincão, Jairo Custódio. A Chapa 2, de oposição, é liderada por Josimar da Silva com apoio de um grupo que se intitula Bolsonarista.

A nota do PSL

Circulou uma nota assinada pelos presidentes do PSL de Içara, Marcos Vuscardi, e Balneário Rincão, Marcos Stancatti. Na qual isenta o partido de qualquer candidatura à Cooperaliança. A nota reafirma que a eleição à cooperativa deve ser apartidária.

Pagamento de débitos

O prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral (PP), anunciou o pagamento de mais de R$ 4,5 milhões em dívidas deixadas por administrações passadas nos dois primeiros anos de mandato. Por mês, são R$ 192.269,49. Os débitos tem origens em precatórios, multa por não pagamento de FGTS, não recolhimento do Pasep, empréstimos e faturas de iluminação pública.

Nova reunião

Os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) seguem em reuniões para analisar a proposta da criação de consórcio para o fornecimento de água. A possibilidade foi levantada pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), caso a Casan não aceite o pedido para reduzir o valor cobrado pelo tratamento de esgoto, que hoje é de 100% em cima da tarifa de água. A primeira reunião foi na manhã de quarta-feira. Ontem, eles estiveram novamente reunidos.

Pela Quarta Linha

A vereadora Geovana Zanette (PSDB) ouviu do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) e da secretária de Obras, Kátia Smielevski, que as obras do Finisa terão início pela região da Quarta Linha. O encontro foi para levar as demandas de pavimentação. Depois, o Governo do Município deverá partir para a Rodovia Luiz Rosso, uma das saídas da cidade.

Justiça autorizou

A deputada estadual eleita Ana Caroline Campagnolo (PSL) está autorizada a fazer postagens nas redes sociais abrindo canal para que alunos denunciem atitudes de professores em sala de aula. Essa foi a primeira polêmica protagonizada pelos eleitos em outubro. A postagem de Ana Caroline foi feita logo após a vitória de Jair Bolsonaro, no segundo turno, e rendeu muitas críticas e ações na Justiça, que culminaram com a proibição das postagens com esse teor.

Retorno às aulas

Cerca de 530 mil estudantes serão recebidos nas escolas do Estado em 2019. A Secretaria de Educação é comandada pelo criciumense Natalino Uggioni. O secretário reforça o preparo das unidades escolares para receber os alunos. Para ele, no momento, o mais importante é garantir o melhor ambiente para os estudantes e professores iniciarem as aulas.

Piso do Magistério

Por outro lado, o Sinte, sindicato dos professores da rede estadual, emitiu nota repudiando a atitude do Estado em repassar o aumento estabelecido pelo Piso do Magistério somente aos em início de carreira. A prática não é nova e vem sendo adotada pelo Estado desde 2011.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/01/2019 - 06:54Atualizado em 24/01/2019 - 07:00

Interina: Francieli Oliveira

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) demonstra confiança quando o assunto é a negociação com a Casan para reduzir o valor cobrado pelo esgotamento sanitário. O primeiro ponto que leva à análise é a firmeza com que vem tratando com a companhia. A futura presidente, Roberta Maas dos Anjos, até tentou mais tempo para apresentar uma resposta, mas o prefeito foi enfático. Quer resolver ainda em fevereiro. Marcou para o dia 28. Roberta toma posse oficialmente alguns dias antes, dia 22.

Clésio também já adianta que não abre mão dos 40% de desconto. Não admite valor menor do que esse. Hoje, os criciumenses pagam 100% em cima do valor da água. Se baseia em valores cobrados em outras cidades, como São Joaquim, onde ao contrário de Criciúma a Casan tem déficit.

Além disso, quer 7% de royalties. O novo contrato, assinado em 2012, não prevê esse retorno. Agora, a reivindicação volta ao debate. O ex-prefeito Márcio Búrigo (PP) fez várias tentativas, todas sem sucesso.

E é essa “dependência” da Casan a Criciúma é que dá margem para Clésio tomar frente nessa discussão. Criciúma é uma das três maiores cidades atendidas pela Casan. Dá lucro. Nos bastidores o clima é que a Casan depende de Criciúma mais do que o atual Governo do Estado está tendo noção.

Aliás, o novo governo é outro ponto a ser analisado. Muito técnico, não dá de ter a real noção de até que ponto eles seguirão nesse critério, abrindo mão da conversa política. O primeiro gesto foi a vinda de Roberta a Criciúma. Foi para amenizar o desconforto causado pelo desencontro de agendas na segunda-feira, que gerou o vídeo gravado por Clésio, em frente a Casan, ameaçando o rompimento. Coube a futura presidente amenizar o impacto. A reunião em Criciúma não durou mais do que meia hora.

Criciúma protagoniza o primeiro desafio nesta linha a Carlos Moisés. É o primeiro município a ir pro embate e reivindicar. Será base para se ter noção de como o Governo se posicionará diante dos municípios.

Estudo

A reunião com os prefeitos de municípios abastecidos pela Barragem do Rio São Bento (Criciúma, Içara, Siderópolis, Nova Veneza, Forquilhinha e Maracajá) terminou com a definição de que será realizado um estudo em conjunto para se chegar aos gastos para tirar a água da barragem e levar até as torneiras dos consumidores. É o primeiro passo para um possível consórcio. Os prefeitos sabem que Criciúma é o município que tem mais força para fazer qualquer reivindicação na Casan. Vão aguardar o resultado deste embate.

Uma depende da outra

A futura presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, agiu de forma técnica ao ser questionada sobre a importância de Criciúma par a companhia. Disse que olham a todos os municípios de forma igual. Está certo. Todos devem receber o mesmo tratamento. Só não pode esquecer que depende do lucro das maiores cidades para poder atender as menores.

Não vai pagar a conta

O prefeito fez uma relação com o Hospital Santa Catarina. Os cálculos são de que Criciúma contribuiu com mais de R$ 200 milhões nos 20 anos em que arcou com as despesas sozinha. A estadualização ocorreu apenas no fim do ano passado.

Jorginho abre voto para Amin

O senador eleito Jorginho Mello (PR) já adiantou que deve votar em Esperidião Amin (PP) na corrida para a presidência do Senado por entender que Santa Catarina sai fortalecida. Os dois concorreram em coligações adversárias em outubro. Jorginho ainda defendeu que o voto seja aberto, seguindo o recado dado nas urnas. O outro senador catarinense é Dário Berger (MDB) adversário histórico da família Amin. Ele não manifestou seu voto.

Fatura da Celesc

O aumento na conta da Celesc está dando o que falar. Ontem, o deputado Kennedy Nunes (PSD) convocou os consumidores a enviar suas contas para uma ação que será protocolada no Ministério Público. O Procon estadual já solicitou informações da Celesc. Em Criciúma, algumas faturas aumentaram mais de R$ 400. A Celesc segue com a tese de que o aumento é motivado pelo maior consumo e os tributos que são maiores nesses meses.

Veículo para a saúde

Antes de partir para Brasília para fortalecer sua candidatura, Esperidião Amin participou da entrega de veículos para secretarias de Saúde. O prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), foi um dos que recebeu as chaves (foto).

Filas

O Observatório Social de Morro da Fumaça divulgou a lista de espera para procedimentos na área da saúde no município. Os dados foram obtidos no site, que é aberto à consulta. São 929 pessoas na fila a mais de dois meses e 1.846 por um período menor. O número corresponde a 15% da população do município. Endócrino e ginecologia registram os maiores números. Entre os exames está a ultrassonografia.

Regional

O prefeito Jairo Custódio (MDB), de Balneário Rincão, divulgou a programação do Carnaval para os municípios da região. Assim como foi no ano passado, o município deve concentrar a programação da região. Os municípios levarão seus desfiles para a cidade da praia.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/01/2019 - 06:55

A relação entre o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), e a Casan se distanciou com o episódio de ontem. O prefeito tinha reunião agendada na capital para tratar do valor cobrado na taxa de esgoto na cidade, que é de 100% em cima da fatura da água e não tem o mesmo critério de outros municípios do estado, mas deu com a cara na porta.
Fez vídeo na frente do prédio da Casan (foto) em tom duro e ameaçou o rompimento do contrato se não tivesse uma reação imediata.
A reação veio logo depois, a presidente Roberta Maas dos Anjos ligou para Salvaro e marcou reunião para quarta-feira, 14h, dessa vez é ela que virá a Criciúma. Alegou desencontro da agenda, já que não assumiu oficialmente ainda e o período é de transição.
Só que Salvaro já se antecipou e marcou reunião, também para quarta-feira, às 9h, com prefeitos de municípios vizinhos. Quer tratar da possibilidade de uma consórcio para o serviço de água e esgoto. Dos 12 municípios da região, seis são abastecidos pela Casan. São eles: Criciúma, Içara, Nova Veneza, Siderópolis, Forquilhinha e Lauro Müller.
Talvez, Içara seja o que está mais alinhado com a companhia do estado. Renovou contrato por 30 anos em 2018. Siderópolis é a cidade sede da Barragem do Rio São Bento.
Salvaro será o presidente da Amrec a partir de fevereiro e um dos caminhos para a entidade é justamente a realização de consórcios para a compra de produtos por preços mais baixos e a prestação de serviços também se encaixa no perfil.

Primeiro embate

Essa não é a primeira vez que Salvaro tem um embate com a Casan. Nos anos anteriores, quando precisou ameaçar o rompimento, um time entrou em campo para acalmar os ânimos. Políticos do Sul fizeram esse papel. A dúvida agora é como será a reação do atual governo de Carlos Moisés, mais técnico. A princípio foram rápidos na reação. Sabem da importância de Criciúma para a Casan.

Precisa passar na Alesc

Saiu, ontem, o decreto que dá fim as 20 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) pelo estado, entre elas a de Criciúma e Araranguá. O anúncio da publicação no Diário Oficial foi feito pelo governador Carlos Moisés (PSL) nas redes sociais. Cumpre uma promessa de campanha e desejo da maioria dos catarinenses que enxergam nas regionais um cabide de empregos. Mas, não é ponto final. O decreto interrompe o funcionamento das ADRs, mas não coloca fim. Para isso, precisará passar pela Assembleia Legislativa junto com a reforma administrativa que será encaminhada em fevereiro. Será o primeiro grande projeto do Executivo que precisará passar pelo aval dos deputados.

Renovação

Ainda não é possível saber como a nova legislatura, com alto índice de renovação, se portará diante de projetos como esse. Outros projetos para o fim das regionais chegaram a tramitar na Casa e nunca foram para frente. Essa também é a primeira vez que a iniciativa parte do Executivo.

Garantia

Mais uma vez o governador reafirmou que os municípios não ficarão desamparados. Há grande preocupação entre os prefeitos com relação aos convênios que até então eram feitos através das ADRs. O atendimento será realizado pela Casa Civil em espaço específico para isso. As gerências de Educação, Saúde e Deinfra serão mantidos nas regionais.

A primeira agenda

O prefeito de Tubarão Joares Ponticelli (PP) cumpriu sua primeira agenda efetiva como presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) e foi ao Governo do Estado. Com o secretário de Educação, Natalino Uggioni, tratou do transporte escolar. Na Fazenda, com Paulo Eli, sobre o ISS dos bancos. O caso deve ser julgado pelo ministro Dias Toffoli, no Suprem0o Tribunal Federal (STF).

Fim das ADRs

O principal assunto com o governador Carlos Moisés foi o fim das ADRs, o decreto saiu ontem, e a disposição da Fecam e das associações de municípios em assumir maior protagonismo nessa relação com o Governo do Estado, especialmente, quando o assunto é os convênios.

Sede da Câmara

O presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostim (PP), está em Brasília e terá encontro na Secretaria de Patrimônio da União (SPU) sobre o prédio que abrigava o Ministério Público do Trabalho e que passará para o município com o objetivo de sediar o Legislativo. O projeto já está pronto, aguardando apenas o repasse do imóvel. O prédio fica no Parque Centenário, que receberá revitalização nos próximos meses.

Transplante de rim

Também em Brasília, o prefeito Clésio Salvaro, o secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, o diretor de Relações Institucionais do Hospital São José, Altamiro Bitencurt, e o coordenador da SC Transplantes, Joel de Andrade, tratam do início dos transplantes de rins na entidade hospitalar criciumense. A reunião está marcada para hoje, 10h, no Ministério da Saúde. Ontem, Casagrande e Bittencourt se reuniram para tratar os últimos detalhes (foto). Da reunião de hoje deve sair a data para o início dos transplante, que hoje é feito somente em Blumenau, no Hospital Santa Isabel. Já deve iniciar também os tramites para o transplante de fígado no São José.

Defesa Civil

O prefeito de Nova Veneza, Rogério Frigo, e o vice Zé Spilere, estiveram, ontem, com o secretário de Defesa Civil de Santa Catarina, Coronel BM João Batista Cordeiro Júnior. Apresentaram a situação do município após as chuvas de quinta-feira passada, deixando prejuízo superior a R$ 2 milhões. Agora, preparam relatório a ser encaminhado a Defesa Civil estadual e nacional.

Alfinetou

Para o presidente do PSL em Santa Catarina Lucas Esmeraldino, nada mudou dentro do partido depois da crise por espaços que virou pública. Em entrevista à Rádio Som Maior, Lucas aproveitou e deu alfinetada no grupo de deputados federais que pediram a sua destituição à Executiva Nacional após a comissão provisória ser renovada sem a participação dos eleitos. Para ele, esse é o esperado pelos eleitores que não desejam que deputados usem o partido para se perpetuar no poder.

Diferença

Para Lucas a única diferença foi que Caroline De Toni ficou de fora e depois resolveu voltar ganhando o apoio de Daniel Freitas e Coronel Armando.
A proporção da crise saiu do controle e precisou de intervenção da Executiva nacional. Por fim, Lucas foi mantido como presidente e os demais cargos ocupados pelos eleitos.

Missão China

Associação Empresarial de Criciúma (Acic) recebe, amanhã, o Café Missão China. O evento é promovido pela TRL Internacional com o apoio da associação, na divulgação junto aos associados. Na ocasião, serão apresentados detalhes da missão catarinense especializada nas principais feiras de negócios da China. O objetivo é fortalecer oportunidades do comércio e indústria da cidade e região.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/01/2019 - 12:03Atualizado em 21/01/2019 - 12:09

Prefeito Clesio Salvaro saiu de Criciuma cedo para audiência com a nova presidente da Casan. Audiência marcada e confirmada. Mas ela não apareceu.

Irritado, prefeito gravou vídeo na frente da Casan, exigindo resposta rápida da Estatal e ameacando romper o contrato.

Abaixo, o vídeo de Salvaro:

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/01/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

O PSL de Santa Catarina tem nova comissão provisória até 30 de junho deste ano, quando deve ocorrer a eleição da Executiva estadual. O atual presidente Lucas Esmeraldino está mantido no cargo e as outras vagas são todas preenchidas pelos deputados eleitos. A alternativa foi ratificada pelo vice-presidente do PSL nacional, Antônio de Rueda, em reunião, ontem, em Florianópolis, com os deputados federais eleitos Daniel Freitas, Caroline De Toni e Coronel Armando. Foi deles que partiu o pedido de destituição de Lucas e a indicação de novos nomes para compor a direção estadual. A justificativa era a falta de participação dos eleitos na comissão renovada por Lucas no fim de dezembro de forma monocrática.
A reunião de ontem chegou ao meio termo. Manteve Lucas e contemplou os eleitos. A vice-presidência fica com Caroline De Toni, Daniel Freitas será o secretário geral, Felipe Estevão primeiro secretário, Coronel Armando será o tesoureiro e Fábio Schiochet o primeiro tesoureiro. Os deputados estaduais Coronel Mocellin, Ricardo Alba, Ana Campagnolo, Jessé Lopes e Sargento Lima irão compor as vogais.
A reunião levou mais de 5h. Foi uma tarde inteira de conversas. O grupo de Lucas não participo. Entre eles, o deputado federal eleito Fábio Schiochet. Os deputados estaduais também não participaram e o governador Carlos Moisés tem se mantido isento ao longo desse processo.
Além do aval de Rueda, a nova comissão formada contou com o apoio do deputado federal Fernando Francischini, do Paraná, coordenador do PSL no Sul do país, que também participou da reunião.

Objetivo alcançado

Daniel Freitas saiu do encontro satisfeito com o resultado alcançado. Entende que a partir de agora precisa-se buscar o diálogo dentro da sigla, ouvindo as bases, e que o sangramento está estancado, iniciando um novo processo dentro do PSL catarinense e com articulações visando 2020 e 2022.

Ponte

Enquanto rolava a reunião do PSL, o governador seguia sua agenda de governo. Fez uma ampla reunião entre agentes dos poderes públicos, representantes de entidades de classe e sociais e da imprensa sobre a Ponte Hercílio Luz, um dos desafios em andamento.

Porto de Imbituba

Estratégico para a economia do Sul e de todo estado, o Porto de Imbituba tem novo presidente. Jamazi Alfredo Ziegler foi anunciado, na sexta-feira, pelo governador Carlos Moisés. É mais um policial militar na equipe do Governo do Estado.

Comunicação do Governo

Focar mais nas ações de governo voltadas diretamente ao cidadão do que nas políticas de Estado. Eis uma das pautas prioritárias que o governador Carlos Moisés incumbiu o secretário executivo de Comunicação, Ricardo Dias. O jornalista, que é de Tubarão e vinha coordenando a NSC TV Criciúma até o começo deste ano, visitou ontem a direção de A Tribuna e compartilhou a experiência de atuar no governo. Mencionou que a máxima da economia dos recursos públicos vem sendo levada tão à risca que dispensa uso de motorista para agendas pelo interior e houve mudanças na estrutura para racionar gastos. Contou, ainda, que o governador recomendou redirecionar investimentos em mídia, que serão mais enxutos, pontuais e efetivos para anunciar questões pontuais da gestão que influenciem diretamente no cotidiano da população. Nada de espetacularização das realizações da gestão. Dias reforçou, ainda, a disposição permanente de Carlos Moisés em ser acessível aos meios de comunicação como forma de reforçar a transparência que busca impor ao governo.

Nova direção

Após seis anos, haverá mudança na direção do Samae de Cocal do Sul. Sai a engenheira química e funcionária de carreira Carla Possamai Della e em seu lugar assume Márcio Zanette. O novo diretor é ligado ao PDT, que faz parte do atual Governo. Há dois anos, o PP, partido do prefeito Ademir Magagnin, não consegue fazer com que um vereador do PDT chegue à presidência da Câmara.

Homenagem

Derlei Catarina De Luca foi sempre muito determinada em seus princípios e lutou por eles. Foi uma das perseguidas pela ditadura. Agora, um pouco mais de um ano de sua morte, poderá dar nome à rua que será o principal acesso à nova sede da Câmara de Vereadores da cidade. A proposta é do vereador Lauro Nogueira (PT).

Acompanhando os trabalhos

Uma das preocupações mais pontuais com as cheias em Criciúma está no Bairro Próspera. Na sexta-feira, o prefeito em exercício Ricardo Fabris (PSD) e a secretária de Obras, Kátia Smielevski, acompanharam os trabalhos da empresa contratada para realiza o desassoreamento do Rio das Antas. O processo irá durar aproximadamente um mês e irá abranger da Rua Goiás até a Rua Porto Alegre.

Exemplo

Câmara de Vereadores de Içara dá exemplo ao fazer com que cinco diárias sejam devolvidas pelos parlamentares e poderá ter mais. O valor de R$ 125 cada uma pode parecer pouco, mas o ato em si tem bastante significado. Não só nos legislativos municipais, mas em todas as esferas públicas é preciso acabar com a concessão de diárias sem maior rigor e fiscalização.

Serra do Corvo Branco

Por mais que a chuva tenha sido forte, acima do esperado, o que aconteceu com o asfalto da Serra do Corvo Branco, entre Grão Pará e Urubici, leva a reflexão. O asfalto é novo, feito há pouco tempo e praticamente foi arrastado pelo temporal.

Observatório Social

O Observatório Social de Morro da Fumaça comemora a redução de custos no Legislativo da cidade. Esse foi o primeiro trabalho realizado pelo órgão fiscalizador na cidade. Houve redução de gastos em praticamente todos os setores da Câmara.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/01/2019 - 17:30Atualizado em 18/01/2019 - 17:39

O vice-presidente nacional do PSL, Antonio Rueda, fez apelo ao bom senso, e conseguiu selar o entendimento no partido em Santa Catarina.

Reunião presidida por Rueda terminou agora, em Florianópolis, e uma nova executiva foi montada para o estado, com Lucas Esmeraldino mantido na presidência.

O criciumense Daniel Freitas, deputado federal eleito, passa a ser o secretário geral.

A nova executiva tem Lucas na presidência e todos os outros cargos são ocupados por deputados federais ou estaduais eleitos.

 O deputado estadual eleito Felipe Estevão, de Laguna, ficou como primeiro secretário.

No fim das contas, o PSL fez mesmo foi um exercício de "maturidade".

O deputado Francischini, do Paraná, coordenador do PSL no sul do país, também participou da reunião e teve participação importante na "construção" do acordo.

Reunião se estendeu por quase cinco horas. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/01/2019 - 06:54

Por muito pouco o ano passado não terminou com uma péssima notícia para Criciúma: o fim dos cursos profissionalizantes oferecidos pelo Bairro da Juventude. Mas, a mobilização e a grande repercussão fizeram com que o assunto fosse tratado diretamente na sede da Federação da Indústria do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e o resultado se concretizou, ontem, com a assinatura do convênio com o Sesi e Senai.
O repasse continua praticamente o mesmo do último ano. Serão R$ 20 mil do Sesi e mais R$ 10 mil do Senai, totalizando os R$ 30 mil. Antes o convênio era somente com o Senai, que por mudanças de regras queria restringir o atendimento aos filhos de trabalhadores da indústria, o que inviabilizaria a continuidade dos cursos oferecidos pelo Bairro a 540 adolescentes entre 14 e 18 anos.
A assinatura do convênio é um passo extremamente importante. Tudo ficará como era antes, pelo menos, em 2019. Também já está garantido R$ 25 mil mensais para 2020. Mas até lá dá tempo de planejamento, de busca de novas alternativas e não coloca esse trabalho de fundamental importância em risco.
Vale destacar a mobilização importante de lideranças e empresários da região para que esse convênio não fosse interrompido da forma como vinha sendo encaminhado. Um deles foi Reginaldo Cechinel, presidente do Sindicato da Indústria Plástica da Região Sul (Sinplasc), que encaminhou reunião com o presidente da Fiesc logo em seguida do assunto se tornar público. Mas, a mobilização foi bem maior, envolveu bem mais pessoas. Todas por um bem para a cidade. Deu certo!
A continuidade é justa. O serviço que o Bairro da Juventude presta para Criciúma é inestimável. Não há outro igual no estado. Chama atenção de quem conhece, é referência. Prefeito de Joinville, Udo Döelher, foi um dos que conheceu a estrutura, saiu impressionado e encaminhando parcerias com a entidade.
São vários jovens que encontram no Bairro da Juventude uma profissão, que ali são encaminhados para o mercado de trabalho. Passam os dias ali, aprendendo e sem tempo para as “atrações” das ruas. O Bairro atende, no total, 1,5 mil crianças e para isso precisa de convênios e doações da sociedade. Um exemplo é a campanha SuperAção com as grandes redes de supermercados e Som Maior e A Tribuna.

Mudança na Casan

Vilmar Tadeu Bonetti não é mais superintendente regional Sul/Serra da Casan. Ocupou o cargo nos últimos anos e agora volta para o Samae de Urussanga, onde é funcionário de carreira. No seu lugar, assume de forma interina Alvis Fabiula Bortolotto, engenheira do quadro, até que a nova direção da empresa estatal faça a escolha definitiva. É a segunda nomeação do governador Carlos Moisés para os cargos de confiança que tem na região. O primeiro foi Vitor Bianco Júnior que assumiu como delegado regional no lugar de Ivaldo Gregório Inácio.

Assuntos importantes

A Casan é um dos órgãos do estado com maior volume de convênios assinados em Criciúma. Está iniciando em fevereiro mais uma etapa das obras de esgotamento sanitário e ainda tem a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) na região da Vila Selinger. Além disso, é com a Casan o principal assunto na volta das férias do prefeito Clésio Salvaro, no dia 20 deste mês. O prefeito quer reduzir o valor cobrado do cidadão para o tratamento do esgoto. Caso não consiga êxito no seu pleito, não descarta o rompimento do contrato. Criciúma é uma das principais cidades para a Casan.

Mais um mês

Daniel Freitas, deputado eleito pelo PSL, acredita que dentro de mais um mês deve haver a definição dos nomes indicados pelo novo governo para os cargos de chefia em Criciúma. Além da definição do superintendente da Casan, falta definir Celesc, Gerência de Saúde, Gerência de Educação, Deinfra, entre outros.

Comunicação

O secretário de Estado de Comunicação, Ricardo Dias, conduziu um encontro com profissionais de comunicação de todas as secretarias e entidades da administração indireta do Governo do Estado para alinhar as ações dos profissionais às diretrizes do novo governo. Dias frisou que o foco precisa estar na transparência, no cidadão, na prestação de serviços e na acessibilidade. A reunião foi na manhã desta quarta-feira. O jornalista foi um dos primeiros nomes do Sul a compor o secretariado do governador Carlos Moisés.

O elo

Apesar de inaugurada, a UTI do Hospital São Donato, de Içara, ainda precisa vencer a burocracia. A perspectiva mais positiva é que os primeiros atendimentos serão para fim de março, início de abril. Esse é a primeira grande demanda após a saída do governador Eduardo Moreira. Na secretaria de Saúde estava outro representante da região, Acélio Casagrande. A ligação, agora, poderá ser feita pelo secretário da Fazenda, Paulo Eli, que tem parentesco com o diretor do São Donato, Julio De Luca.

Há dois anos

Ontem, marcou exatos dois anos do fim da Guarda Municipal de Criciúma e da Autarquia de Segurança, Trânsito e Transportes de Criciúma, a ASTC, que passou a ser denominada Diretoria de Trânsito e Transporte (DTT). A sessão na Câmara de Vereadores, naquele 16 de janeiro de 2017, foi tumultuada e tensa, mas o projeto passou. Foi a primeira polêmica no segundo mandato de Clésio Salvaro.

Prédio do INSS

Mais um passo importante para a obra de reforma do prédio do antigo INSS, na Rua João Pessoa, com a licitação para a contratação de empresa. O local será utilizado para abrigar a Unidade Básica de Saúde Centro e o Laboratório Municipal de Análises Clínicas. O valor da obra é de R$ 1.137.049,53. O prédio abandonado bem no centro da cidade, que pertencia a União, passou para as mãos da Prefeitura em 2017.

Compra de exames

A Prefeitura de Morro da Fumaça irá utilizar R$ 85 mil na aquisição de exames e consultas junto ao Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amrec (Cisamrec) neste mês. O valor é R$ 50 mil a mais do que é repassado mensalmente. A intenção é diminuir a fila de espera. Em 2018, Morro da Fumaça ampliou a aquisição de consultas e exames, passando de R$ 303.524,29, investidos em 2017, para R$ 540.837,87 no ano passado, uma elevação de R$ 237.313,58.

Nova gôndola

O vereador Aroldo Frigo Júnior, que é correspondente consular, e o prefeito em exercício de Nova Veneza, Zé Spilere, participaram de audiência com o cônsul geral da Itália, Raffaele Festa. Na pauta, isenções fiscais de importação e exportação de uma nova gôndola e de eventos culturais para as festividades de junho deste ano.

O recurso para a nova gôndola é de uma emenda parlamentar do atual deputado estadual e federal eleito, Darci de Mattos, no valor de R$ 250 mil. A compra deve ser finaliza em Veneza, na Itália, no mês de novembro.

Desafio

Os terrenos baldios seguem sendo um desafio para as administrações públicas. Mesmo com controle rigoroso e leis para a penalização dos usuários, há grandes dificuldades na fiscalização. Especialmente neste período de verão, basta uma circulada pela cidade para observar o mato tomando conta de muitos terrenos abandonados e que se tornam abrigo para animais peçonhentos.

Nova lei

O Legislativo de Criciúma deve elaborar e votar um projeto de lei que que insira nas escolas municipais o debate sobre violência doméstica. O assunto foi um dos temas da conversa do presidente da Câmara de Vereadores, Miri Dagostim (PP), os procuradores Léo Cassetari e Keity Mary Kjhelin e o diretor da Câmara, Sergio Pacheco, com a juíza Eliza Maria Strapazzon, diretora do Fórum de Criciúma.

Sessão solene

A realização de uma Sessão Solene em homenagem aos 75 anos do Fórum da Comarca de Criciúma também pautou a conversa. Nos últimos anos, a Câmara de Vereadores vem se propondo a homenagear pessoas e instituições que colaboram com o desenvolvimento da cidade.

UPA do Rio Maina

Foi assinado, pelo prefeito em exercício de Criciúma, Ricardo Fabris, em reunião com a secretária de Saúde, Francielle Gava, o documento que solicita o processo licitatório para contratação de um profissional para a elaboração de projetos para a UPA do Rio Maina. A intenção é adaptar o local onde hoje funciona a Policlínica. Essa é uma das obras que devem ser inauguradas em 6 de janeiro de 2020.
 
Serra do Corvo Branco

Por mais que a chuva tenha sido forte, acima do esperado, o que aconteceu com o asfalto da Serra do Corvo Branco, entre Grão Pará e Urubici, leva a reflexão. O asfalto é novo, feito há pouco tempo e praticamente foi arrastado pelo temporal.

Colecionando

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, não tem papos na língua e anda colecionando uma série de processos. O último foi protocolado pelo Conselho Federal da OAB e OAB Santa Catarina. O motivo é declarações feitas por ele recentemente criticando a instituição.

Lei

A lei sancionada pelo governador Carlos Moisés que incentiva a Política Estadual de Incentivo às Feiras de Produtos Orgânicos é de autoria do deputado do Sul do estado, Luiz Fernando Vampiro (MDB). Santa Catarina é o quarto maior produtor de orgânicos do Brasil.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/01/2019 - 06:55

Na próxima semana o senador eleito por Santa Catarina, Esperidião Amin (PP), irá a Brasília buscar a consolidação da sua candidatura à presidência do Senado. Ele tem o apoio dos cinco colegas de partido, mas para poder derrotar o poderoso Renan Calheiros precisará de muito mais. Já distribuiu documento aos demais senadores onde se apresenta como representante do desejo de mudança manifestado pela população, mas com experiência política necessária para comandar o Senado. 
Amin também já dá o tom de como quer conduzir o Congresso Nacional. Critica a omissão do Legislativo em assuntos importantes até o momento para o país, o que leva as principais decisões para o Poder Judiciário. “Não podemos nos omitir, boa parte desse ativismo do Judiciário decorre de nossas omissões”, pondera.
Outro tema que pretende levantar neste mandato é a renúncia tributária, que custa ao país R$ 330 bilhões. Esse assunto é delicado e deve ser enfrentado pela União e também pelos estados. Há muitas isenções fiscais que se perpetuaram no tempo e falta estudo para saber qual a vantagem que volta para a economia brasileira.
Por último, Amin defende uma comunicação mais aberta com a população e com a imprensa.
A posse dos senadores e eleição da Mesa Diretora está marcada para o dia 1º de fevereiro.

O voto

Esperidião Amin defende o voto aberto nas decisões de deputados e senadores, entende que devem satisfação aos eleitores. Na votação para a presidência do Senado, o nome de Renan Calheiros ganhou mais força quando o STF decidiu que a votação será secreta.

Com os prefeitos

O governador Carlos Moisés (PSL) participou da posse do prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), na presidência da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), na tarde de ontem, em Florianópolis. Essa foi a primeira vez que ele teve esse contato mais próximo com os prefeitos. No seu discurso, resumiu suas ações nesses primeiros meses de governo como a redução de 922 cargos comissionados e o fim do uso do papel.

Atendimento aos municípios

Carlos Moisés guardou um anúncio especial para o encontro. A criação de uma Central de Atendimento aos Municípios. A estrutura ficará dentro da Secretaria de Estado da Casa Civil e servirá para fazer a interlocução com as prefeituras das 295 cidades catarinenses. Essa era uma das preocupações externadas pelos prefeitos em relação à extinção das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) devido aos convênios realizados em cada uma das regionais. O governador tratou de acalmar os mais preocupados garantindo que não haverá nenhum prejuízo aos municípios.

Pauta municipalista

Ouviu de Ponticelli o pedido para um encontro com os representantes da Fecam nos próximos dias para tratar das pautas municipalistas. Ponticelli defendeu o fortalecimento das associações regionais.

Fiel escudeiro

Presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostim (PP), prestigiou a posse de Joares Ponticelli na presidência da Fecam. Miri é um fiel escudeiro de Ponticelli e defende o nome do prefeito progressista para governador em 2022.

Alemão

O encontro também foi uma oportunidade para que os prefeitos pudessem se apresentar ao governador, fazer aquela troca de palavras importante. O presidente da Amrec, prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa Alemão, não perdeu a oportunidade.

Na sexta

A reunião de líderes do PSL nacional para tentar amenizar a crise na sigla em Santa Catarina está marcada para sexta-feira, em Florianópolis. A informação é do deputado federal eleito Daniel Freitas. O assunto já chegou na mídia nacional e se não for apaziguado nos próximos dias poderá trazer ainda mais sérios prejuízos para o PSL catarinense na eleição de 2020.

Duas chapas

Com o fim do período de inscrição, está confirmado que duas chapas concorrerão à presidência da Cooperaliança. A situação é liderada por Reginaldo de Jesus, o Dedê. A oposição é representada por Josimar da Silva. A eleição está marcada para o dia 26 de janeiro.

Aninha na Prefeitura

O PSD da região terá mais um prefeito nos próximos dias. A vice de Cocal do Sul, Aninha Scarpato, assumiu a cadeira do titular Ademir Magagnin (PP) até 29 de janeiro. A posse foi acompanhada por lideranças do PSD como o deputado Julio Garcia e o prefeito em exercício de Criciúma, Ricardo Fabris.

Módulo esportivo

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), liderou comitiva até a cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, para conhecer dois ginásios. Foram recebidos pelo prefeito da cidade, Luiz Francisco Schmidt. Um dos objetivos de Murialdo neste segundo mandato é a reformulação total do Módulo Esportivo. Usará recursos de R$ 5 milhões por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) com a Caixa Econômica Federal. 

Novos uniformes

O prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), recepcionou os servidores na volta ao trabalho após férias coletivas. Também aproveitou para entregar novos uniformes aos 90 funcionários das secretarias de Obras e Agricultura (foto). Fontanella ainda anunciou que o secretário de Agricultura, Acione Andrade Izidoro, passará a acumular a pasta de Obras após o pedido de demissão de Vilson Gabriel Filho.

Crescimento

A arrecadação de impostos em Santa Catarina cresceu 13,3% em 2018 em comparação ao ano anterior. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Fazenda. A receita corrente bruta de ICMS, IPVA, ITCMD e demais taxas estaduais foi de R$ 26,1 bilhões. O maior tributo arrecadado foi o ICMS com R$ 19,4 bilhões, um crescimento real de 13% em relação a 2017.
A recuperação veio no segundo semestre, depois de assustar os governantes nos primeiros meses de 2018.

Destaque

As redes de lojas, como 29,3%, foi o setor que apresentou o maior crescimento. Seguida de automação comercial (22,7%), automóveis (17,5%) e transportes (12,5%).

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/01/2019 - 06:54

O Parque dos Imigrantes, no Rio Maina, recentemente foi entregue à população. É uma estrutura para atividades ao ar livre, prática de esportes. Assim como o Parque das Nações, na região da Próspera, precisa de atenção especial neste início, especialmente, no que diz respeito à segurança. No Parque das Nações, Prefeitura e Polícia Militar trabalharam juntas, a fiscalização se intensificou e foi a população que ocupou o local, não dando mais espaço para quem só tinha intenção de praticar crimes.
A mesma atenção precisa ser dispensada para a estrutura no Rio Maina. É preciso atenção mais intensa neste primeiro momento, levar segurança, para que a população se sinta segura a utilizar o espaço que cada vez mais ocupado menos oportunidades dá para os delitos, que já começam a preocupar.
Ontem, o vereador Julio Colombo (PSB), que representa o Rio Maina, esteve com o prefeito interino Ricardo Fabris (PSD), com o subcomandante do 9º Batalhão de Polícia Militar de Criciúma major Eduardo Moreno e com Juventino Selva, no Paço Municipal. O objetivo é justamente tomar as medidas necessárias de segurança logo nos primeiros dias de funcionamento do local, inaugurado em 6 de janeiro.

Visita de Julio Garcia

O prefeito em exercício de Criciúma, Ricardo Fabris (PSD), recebeu na tarde de ontem, no Paço Municipal Marcos Rovaris, a visita do deputado estadual eleito Julio Garcia (PSD). Fabris explicou as ações de governo realizadas durante os 10 dias à frente da Prefeitura de Criciúma. O bate-papo contou com a presença dos vereadores de Criciúma Salésio Lima e Camila do Nascimento, os dois do PSD, do vereador de Içara, Alex Michels (PSD), além de secretários do Governo de Criciúma e lideranças políticas do partido. Julio Garcia é o principal líder do PSD e deve ser eleito presidente da Assembleia Legislativa, em 1º de janeiro.

Na Luiz Lazzarin

Ricardo Fabris também visitou as obras de reforma da Escola Luiz Lazzarin, agora municipalizada. Acompanhado das secretárias de Infraestrutura, Kátia Smielevski, e de Educação Roseli De Luca, além dos vereadores Julio Colombo e Camila do Nascimento. A Prefeitura está investido R$ 1,6 milhão na escola que terá capacidade para 700 alunos. A Luiz Lazzarin é um dos espaços que passaram do Estado para o Município no fim do ano passado.

Sem reunião

Os desentendimentos internos seguem no PSL. Ainda é aguardada a vinda de membros da Executiva nacional para tentar amenizar os estragos já provocados no partido que elegeu o governador Carlos Moisés e fez um expressivo número de votos para o presidente Jair Bolsonaro. Uma reunião da executiva estadual, que estava marcada para segunda à noite foi desmarcada depois que começou a circular que seria a posse da executiva constituída pelo presidente Lucas Esmeraldino.
Foi justamente, a renovação dessa comissão provisória, em dezembro, que causou o desentendimento com três dos quatro deputados federais eleitos, entre eles Daniel Freitas, do Sul do estado.

Pediu exoneração

Felipe Barchinski não é mais o gerente regional do Instituo de Meio Ambiente (IMA) desde o dia 2 de janeiro, quando solicitou exoneração do cargo. Já foi nomeado novo gerente, servidor efetivo, técnico da casa, Eduardo Miotello.

Ligação

O atual presidente da Celesc, Cleiton Poleto Martins, é cunhado de Tiago Bolan Frigo, que foi candidato a deputado estadual pelo PSL e fez 19 mil votos. Cleiton é casado com uma sobrinha do ex-deputado Aristides Bolan que dá nome a Via Rápida.

Cultura

Integrantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Criciúma iniciaram encontros com os vereadores. A primeira reunião foi com Marcos Meller (PSDB). Na pauta, o Sistema Municipal de Cultura de Criciúma e Sistema Municipal de Financiamento à Cultura. A intenção é estreitar os laços com o Legislativo na luta pelo fortalecimento do setor cultural.

Piso do Magistério

O Ministério da Educação confirmou o reajuste de 4,17% no piso do magistério em 2019. Nos municípios da região, o assunto entra na pauta na data/base, junto com a discussão de reajuste dos demais funcionários municipais. Em Criciúma é em abril e em Siderópolis, Urussanga, Nova Veneza, Treviso e Cocal do Sul em maio. Na maioria dos anos o pagamento foi retroagido a janeiro.

Reconhecimento

A segunda-feira do governador Carlos Moisés (PSL) e da vice Daniela Reinehr (PSL) foi dedicada ao término das visitas às secretarias de Estado. O roteiro começou pela Assistência Social, Trabalho e Habitação, passou pela secretaria de Justiça e Cidadania e encerrou no Centro Administrativo na Segurança Pública. O secretário da Casa Civil, Douglas Borba, acompanhou as visitas. Com o contato com os servidores, Moisés quer conhecer mais de perto o mecanismo de gestão e aprimorar o que achar necessário.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/01/2019 - 07:05

De tudo que já veio a público a respeito da crise no PSL catarinense, fica evidente, primeiro, que o presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, precisa conversar mais com os seus "liderados".
Depois, chama a atenção uma crise tão aguda poucos dias depois da posse do governador do partido, dois meses depois da eleição em que o partido foi a grande surpresa no estado.
O que acontece é uma briga pelo comando do partido no estado, liderada por deputados federais eleitos. Mas isso acontece direto pela mídia, sem um processo de discussão, de questionamentos, enfrentamentos e disputas "dentro de casa".
As roupas sujas foram colocadas direto para lavação em público.
O PSL catarinense é um partido muito novo, construído praticamente de forma solitária por Lucas Esmeraldino em 2018, correndo o estado, para ter condições de disputar o pleito.
Mas é um partido a ser consolidado. Por enquanto, o seu sucesso nas urnas ainda pode ser creditado à "onda do 17", a onda de Bolsonaro.
Não será consolidado, no entanto, desta forma. Com brigas em público pelo poder.
Há questões muitos mais importante que merecem o empenho e esforço dos novos deputados, do que a briga pelo comando do partido.
Até porque, o mandato de Esmeraldino no comando do partido tem prazo. Que se preparem para disputar a convenção.
Ou, se o descontentamento for majoritário, e a decisão de mudar for da maioria, é só convocar uma convenção extraordinária e fazer a mudança. Sem o desgaste que está posto.
E o estatuto partidário tem regras para tal encaminhamento. 
Enfim, cautela e caldo de galinha nunca é demais!

Foco no mandato

Jessé Lopes vai focar no mandato de deputado estadual. Não tem interesse em participar da Executiva estadual. Disse também, em entrevista à Rádio Som Maior, que ficou surpresa com o convite para o seu pai, Julio Lopes. No meio do recha no PSL, mantem apoio a quem firmou compromisso. Lucas Esmeraldino e Daniel Freitas. Mesmo os dois estando em lados opostos.

Resultados

A Prefeitura de Criciúma divulgou, ontem, o resultado do primeiro mês de funcionamento da Casa do Empreendedor. A setor encaminhou a abertura de 235 novas empresas na cidade. No mesmo período, foram mais de 3,4 mil acessos na página eletrônica criada com esse objetivo. Mais de 120 protocolos foram emitidos por meio do site, enquanto que no local físico foram praticamente a metade, 65. No mesmo período, foram 60 empresas que deram baixa. Os números são promissores, o mês de janeiro, geralmente, registra baixo movimento neste setor. Pode ser um indicativo bom para o ano.

Time unido

Chamou a atenção na posse de Ricardo Fabris como prefeito interino, a presença maciça do PSD de Criciúma.
Estavam os vereadores Camila do Nascimento e Salésio Lima, os primeiros suplentes Solange Barp e Joares de Jesus, o ex-presidente da Executiva municipal, Lourival Pizzollo, e os integrantes da nova Executiva.
Fabris é o atual presidente do partido em Criciúma.
A única ausência anotada foi o vereador Zairo Casagrande.

Com Mourão

O médico criciumense Lannes Leal Cunha esteve com o vice-presidente da República, general Mourão, na posse do general Edson Leal Pujol no comando do Exército Brasileiro, nesta sexta-feira, em Brasília.

Observando

Sem pressa para fazer as mudanças no secretariado, o prefeito de Içara segue observando as movimentações políticas antes de tomar as decisões. O primeiro fato importante foi a eleição para a presidência da Câmara que culminou com a vitória de Rodrigues Mendes, o Sapinho, do MDB. Agora, os olhares de toda cidade estão voltadas à eleição da Cooperaliança, que sempre dá grande indicativo ao pleito municipal realizado em ano seguinte. A presidência da Cooperaliança será definida em 26 de janeiro.

Para o Inmetro

Mais um nome foi anunciado, ontem, pelo governador Carlos Moisés. O subtenente da Polícia Militar, Rudinei Luís Floriano, é o indicado para comandar o Instituto de Metrologia de Santa Catarina (IMETRO). Ele é graduado pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) em Gestão em Segurança Pública e cursa especializações nas áreas de gestão pública e de projetos. É do Norte do estado.

Sem movimentações

Já pelas regionais não há nada anunciado, somente movimentações de pessoas ligadas ao PSL e que indicaram nomes. Por enquanto, somente Vitor Bianco Junior já assumiu como delegado regional. São, pelo menos, mais 14 cargos de confiança em Criciúma. O prazo dado pelo governador Moisés é de 90 dias para a transição.

Aldo Schneider

O governador Carlos Moisés sancionou lei proposta pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa denominando Presidente Deputado Aldo Schneider a unidade administrativa do Legislativo, que funciona na região central de Florianópolis. Aldo faleceu no ano passado, quando cumpria mandato como presidente da Alesc.

Confiança

O 4oito mostra, nesse fim de semana, uma série de fotos clicadas pelo prefeito Roberto Biava na BR-285, na Serra da Rocinha. Ele e boa parte de Timbé do Sul estão muito otimistas que a obra, que vai andando em bom ritmo, estará realmente pronta no fim de 2020. O prefeito conta com isso, já que vai ser a "redenção econômica da cidade e região", como ele tem dito. Biava confia que os recursos estão 100% garantidos. Porém, a mudança de governo em Brasília tem levantado algumas desconfianças no entorno do prefeito, populares e algumas lideranças. Mas ao olhar a base dos três elevados e de boa parte da estrada feita, ele reforça a confiança. A aguardar.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/01/2019 - 08:57Atualizado em 11/01/2019 - 09:32

De tudo que já veio a público a respeito da crise no PSL catarinese, fica evidente, primeiro, que o presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, precisa conversar mais com os seus "liderados".

Depois, chama a atenção uma crise tão aguda poucos dias depois da posse do governador do partido, dois meses depois da eleição em que o partido foi a grande surpresa no estado.

O que acontece é uma briga pelo comando do partido no estado, liderada por deputados federais eleitos. Mas isso acontece direto pela midia, sem um processo de discussão, de questionamenos, enfrentamentos e disputas "dentro de casa".

As roupas sujas foram colocadas direto para lavação em público.

O PSL catarinense é um partido muito novo, construído praticamente de forma solitária por Lucas Esmeraldino em 2018, correndo o estado, para ter condições de disputar o pleito.

Mas é um partido a ser consolidado. Por enquanto, o seu sucesso nas urnas ainda pode ser creditado à "onda do 17", a onda de Bolsonaro.

Não será consolidado, no entanto, desta forma. Com brigas em público pelo poder.

Há questões muitos mais importante que merecem o empenho e esforço dos novos deputados, do que a briga pelo comando do partido.

Até porque, o mandato de Esmeraldino no comando do partido tem prazo. Que se preparem para disputar a convenção.

Ou, se o descontentamento for majoritário, e a decisão de mudar for da maioria, é só convocar uma convenção extraordinária e fazer a mudança. Sem o desgaste que está posto.

E o estatuto partidário tem regras para tal encaminhamento. 

Enfim, cautela e caldo de galinha nunca é demais!

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/01/2019 - 06:54

O deputado federal Daniel Freitas está em Brasília onde tem conversado com líderes do PSL nacional. Recebeu manifestação de apoio, entre eles, do Delegado Waldir, líder de bancada na Câmara dos Deputados.

Ainda sem data marcada as lideranças do PSL nacional devem vir a Santa Catarina tentar amenizar os desentendimentos externos, que se não controlados podem prejudicar o crescimento do partido nas eleições municipais do ano que vem.

A cada dia o racha só aumenta. Ontem, os deputados estaduais eleitos, contrariando os deputados federais, assinaram nota de apoio ao presidente estadual Lucas Esmeraldino, com elogio ao trabalho feito por ele na organização do partido em 2018.

A nota é assinada pelos deputados eleitos Ricardo Alba, Ana Caroline Campagnolo, Coronel Mocelin, Felipe Estevão, Jessé Lopes e Sargento Lima.

Ressalta "o extraordinário trabalho na montagem e condução do partido no estado, sendo fundamental na vitoriosa eleição ocorrida em 2018”.

Um dia antes, três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL em Santa Catarina (incluindo Daniel Freitas, de Criciúma), entregaram no Diretório Nacional pedido formal de destituição da comissão estadual presidida por Lucas Esmeraldino. O motivo seria a renovação da comissão, no fim do ano passado, sem consultar as bases e excluindo os deputados eleitos.

Na sequência, surgiram manifestações na mesma linha dos federais por filiados de Chapecó, Jaraguá do Sul e principalmente no Sul do estado, inclusive Tubarão, cidade de Esmeraldino.

Segue aliado

Mais cedo, o criciumense Jessé Lopes havia informado aliados via redes sociais que segue determinado a trabalhar em conjunto com o deputado federal eleito Daniel Freitas e o presidente estadual, Lucas Esmeraldino, sem tomar partido quanto ao contencioso entre Daniel e Lucas.

Aguardando

Nem mesmo diante das manifestações de apoio, Lucas Esmeraldino tem se manifestado publicamente. Ainda analisa a situação e aguarda o melhor momento para tomar um posicionamento. No Centro Administrativo, os trabalhos seguem sem qualquer influência e também sem manifestações além da rádio corredor.

Ricardo prefeito

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) passou o cargo para o vice Ricardo Fabris (PSD), na tarde de ontem, na presença de secretários, servidores municipais e vereadores. Ricardo fica no comando do Executivo por 10 dias. Essa não é a primeira vez que o prefeito pratica o gesto em favor do vice neste mandato. Ricardo também esteve à frente do Executivo em 2015, no governo de Márcio Búrigo (PP), quando era presidente da Câmara de Vereadores.

Parque da Prefeitura nas placas

Criciúma está recebendo placas de sinalização de trânsito e nelas já há os indicativos das próximas obras a serem inauguradas. Mesmo com uma tarja, é possível ler que o Parque Centenário será chamado de Parque da Prefeitura e que o Mirante Realdo Guglielmi será identificado como Mirante da Cidade. De forma mais popular, fica mais fácil a localização por parte dos moradores e visitantes. As duas obras estão programadas para serem entregues no próximo aniversário da cidade, 6 de janeiro de 2020.

Observando

Sem pressa para fazer as mudanças no secretariado, o prefeito de Içara segue observando as movimentações políticas antes de tomar as decisões. O primeiro fato importante foi a eleição para a presidência da Câmara que culminou com a vitória de Rodrigues Mendes, o Sapinho, do MDB. Agora, os olhares de toda cidade estão voltadas à eleição da Cooperaliança, que sempre dá grande indicativo ao pleito municipal realizado em ano seguinte. A presidência da Cooperaliança será definida em 26 de janeiro.

Ficou

Falando em Içara, projeto protocolado, no ano passado, pelo então presidente Alex Michels (PSD), para reduzir o número de vereadores na cidade não foi votado e, por consequência, arquivado. Porém, nada impede que volte à pauta neste ano.

Não foi tão fácil assim

A indicação para que Acélio Casagrande assumisse a secretaria executiva da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) não foi por unanimidade. Um grupo de prefeitos apoiou o ex-prefeito de Forquilhinha, Lei Alexandre (PP). A indicação de Acélio foi uma proposta do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), que deve ser o próximo presidente da entidade. Eleição e posse deve acontecer em fevereiro.

No Cirsures

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier (PP), assumiu a presidência do Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul (Cirsures), substituindo o prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral (PP), que ocupou o cargo no último ano. A vice-presidência ficou com o prefeito de Orleans, Jorge Koch (MDB). O consórcio engloba os municípios de Urussanga, Cocal do Sul, Lauro Müller, Morro da Fumaça, Orleans, Siderópolis e Treviso.

Fim das ADRs

O Governo do Estado deu mais detalhes sobre o processo de extinção das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). O decreto será publicado nos próximos dias. No primeiro momento, estão sendo extintos 132 cargos em comissão, distribuídos nas 20 ADRs. Ao final, isto é, com a desativação, serão extintos mais 80 cargos comissionados. O impacto financeiro de todas as medidas só poderá ser determinado no fim do processo. A transição segue até o fim de abril.

Mantidos

Nesse prazo de transição, as estruturas serão mantidas por uma equipe mínima composta por quatro gerentes: Administração, Finanças e Contabilidade; Saúde; Educação; e Infraestrutura. A gerência de Administração, Finanças e Contabilidade de cada ADR será a responsável pela estrutura até a desativação.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/01/2019 - 11:29Atualizado em 10/01/2019 - 11:41

O que já era ruim, ficou pior.  O racha do novato PSL só aumenta. A crise vai ficando mais grave. 

Agora, os deputados eatduais eleitos pelo PSL, contariando os deputados federais, assinaram nota de apoio ao presidente estadual Lucas Esmeraldino, com elogio ao trabalho feito por ele na organização do partido em 2018.

A nota é assinada pelos deputados eleitos Ricardo Alba, Ana Caroline Campagnolo, Coronel Mocelin, Felipe Estevão, Jessé Lopes e Sargento Lima.

Ressalta "o extraordinário trabalho na montagem e condução do partido no Estado, sendo fundamental na vitoriosa eleição ocorrida em 2018”, .

Mais cedo, o criciumense Jesse Lopes havia informado aliados via wathsap que segue determinado a tabalhar em conjunto com o deputado federal eleito Daniel Freitas e o presidente estadual, Lucas Esmeraldino, sem tomar partido quanto ao contencioso entre Daniel e Lucas.

Ontem,  três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL em Santa Catarina (inclindo Daniel Freitas, de Criciúma), entregaram no Diretório Nacional pedido formal de destituição da executiva estadual presidida por Lucas Esmeraldino.

Na seqüência, surgiram manifestações na mesma linha dos federais por filiados de Chapecó, Jaraguá do Sul e principalmente no sul do Estado, inclusive Tubarão, cidade de Esmeraldino.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/01/2019 - 06:55

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) mais uma vez agradou os catarinenses, pelo menos, a maioria. No primeiro dia de governo anunciou o que pretende fazer nos próximos meses para equilibrar as contas do Estado. Confirmou o fim das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) por decreto. Optou por não esperar pela reforma administrativa, que passará pela avaliação dos deputados em fevereiro. Anunciou o corte de cargos comissionados. O fim de isenções fiscais. O fim do papel. Deslocamentos de servidores serão por aplicativos e os carros serão destinados para áreas como segurança pública e saúde. Cada medida tem o seu peso na economia do Estado, umas com mais, outras com menos. Ainda não são suficientes para equilibrar o déficit projetado para 2019 de R$ 2,5 bilhões por chegarem a uma economia final de R$ 1,050 bilhão. Mas, são medidas que agradam o eleitorado, são medidas que vêm ao encontro do que o cidadão espera: um Estado mais enxuto eficiente e sem privilégios. São as palavras das ruas.
A gestão, a eficiência, a transparência e a tecnologia são colocadas como essenciais por Moisés para o aumento da receita. Serão aliadas para evitar a sonegação de impostos, por exemplo.
Moisés coloca em prática os pilares anunciados por ele em campanha. Vem mostrando que é possível cumprir o prometido. Agora, com as medidas postas é necessário acompanhar o que acontecerá na prática. Marcou um gol com o seu eleitorado.
Mas, ainda tem um lado que precisa ser amadurecido, aprimorado ou todas essas medidas podem não surtir o efeito esperado. Moisés precisa articular com os deputados. Sua posse, na terça-feira, foi ao seu jeito, com poucos políticos, mas também pode ser um sinal de alerta. A ausência de deputados eleitos, inclusive, do próprio PSL, partido de Moisés, dá mostra desse distanciamento. É algo a se aprimorar. No demais, vem dando mostras de um novo jeito de governar, assim como as urnas exigiriam em outubro.

Pacto federativo resolveria
O déficit projetado para 2019 é de R$ 2,5 bilhões e uma reforma no pacto federativo, no Governo Federal, poderia resolver o problema. Nos cálculos apresentados por Carlos Moisés, Santa Catarina arrecada em impostos para o Governo Federal R$ 50,3 bilhões e recebe de volta pouco mais de R$ 1 bilhão em fundos de participações, o que corresponde a 2,4%. Se aumentasse para 5% chegaria próximo aos R$ 2,5 bilhões do déficit. São Paulo, o estado mais arrecadador do país, recebe de volta 0,53% do que deixa em Brasília. Dos R$ 551 bilhões voltam menos de R$ 3 bilhões. Enquanto outros estados recebem de volta até 200% do que arrecadam.

Um gasto pelo outro
Moisés deixou claro que precisa economizar de um lado para poder investir em áreas essenciais e traz exemplos. Com a economia com a digitalização de documentos, terá em um ano quase que a totalidade dos R$ 29,6 milhões necessários para a reforma das pontes Pedro Ivo e Colombo Salles. Com a venda das aeronaves, pretende arrecadar de R$ 3,5 a R$ 4 milhões, valor correspondente, aproximadamente, ao depósito inicial necessário para a liberação das obras de acesso ao novo terminal do Aeroporto Internacional
Hercílio Luz.

Delicado
Talvez o ponto mais delicado de tudo que foi anunciado por Carlos Moisés esteja no fim da isenção fiscal. Nos últimos anos, foram vários incentivos distribuídos. Ele promete rever tudo sem conflito. Se mostrou tranquilo e com decisão tomada. Se baseia em lei aprovada que exige a redução de 25 para 16% o permitido em isenções do total arrecadado pelo Estado nos próximos anos. Em 2019, espera arrecadar R$ 750 milhões.

Time completo
A posse dos novos secretários de Estado ocorreu na manhã de ontem. Em cerimônia fechada e sem holofotes. Também foi confirmado o nome de Luiz Felipe Ferreira na Controladoria Geral do Estado, que deve ser criada somente com a reforma administrativa que ainda precisa passar na Alesc.

Quinzenal
Após a posse, os secretários tiveram a primeira reunião com o governador. Isso se repetirá quinzenalmente. Cada um terá metas a serem cumpridas a longo, médio e curto prazo. A estruturação de cada pasta com o enxugamento de despesas é uma delas.

Terceirizados
Uma das metas que terá que ser cumprida pelo secretário de Educação, Natalino Uggioni, é uma solução para a terceirização dos serviços especializados de vigilância. O contrato tem valor superior e R$ 42 milhões/ano e será revisto. O prazo para que uma solução mais barata seja apresentada é de seis meses.

Governo de Eduardo
O governador Eduardo Moreira assumiu, em fevereiro do ano passado, com missão parecida com a de Carlos Moisés, precisava reduzir a máquina para poder investir nas áreas prioritárias. Também agiu rápido e fez o que foi possível dentro dos poucos meses que tinha à frente do Governo. Conseguiu reduzir o custo da máquina a ponto de diminuir o déficit projetado para 2018. Nas contas de Eduardo Moreira, o seu Governo chegou ao fim com o déficit um pouco maior do que R$ 500 milhões – bem menor do que os mais de R$ 2 bi projetados. A conta do atual governo difere e calcula que o déficit seja de R$ 700 milhões. Os números finais somente ao fim do primeiro quadrimestre deste ano. De qualquer forma, as medidas surtiram efeito e Eduardo entrega um governo melhor do que recebeu.

Na família
A família da primeira-dama Késia Martins da Silva (foto) acompanhava orgulhosa a posse de Comandante Moisés, na terça-feira. Se nas ruas e até mesmo no meio político, a possibilidade de vitória do Comandante foi percebida quase que na última hora, dentro de casa já se sentia no ambiente familiar desde que a candidatura foi posta e a campanha iniciou.

Com o governador
O deputado eleito Jessé Lopes (PSL) esteve reunido com o governador Moisés e com o secretário da Casa Civil, Douglas Borba, na tarde de ontem, logo após a coletiva. Entre outros assuntos, aproveitou para apresentar projetos ligados à área da Educação com a implantação de energia autossustentável, câmeras de segurança e wi-fi gratuito e controle de presença digital nas escolas estaduais. As ideias vêm ao encontro do que pensa o governador que pretende utilizar da tecnologia em todas as áreas de seu governo.

Mesa diretora
O vereador Daniel Viriato (PP) foi reconduzido ao cargo de presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá, na tarde de ontem. A novidade na composição fica por conta do vereador, Ronaldo Soares (MDB), que assume a função de segundo secretário. Os demais vereadores, João Abílio Pereira do PRB (vice-presidente), Paulo Roldão do PSDB (segundo vice-presidente) e Luciano Pires do PSB (primeiro secretário) também se mantiveram na mesa e assinaram o termo de posse na solenidade.

No voto
Até três chapas poderão participar da eleição para renovar a diretoria da Cersul, uma das fortes cooperativas de energia elétrica, com sede em Turvo. O pleito será em março e dois nomes despontam para a sucessão do presidente Everton Schmidt. Um deles é o ex-prefeito de Turvo, Ronaldo Carlessi, que já presidiu a Cersul e se apresenta como nome muito forte, com grande capacidade de mobilização. Outro nome de destaque é Nei Zanette, ex-prefeito de Meleiro, município que atualmente conta com o vice-presidente da cooperativa. Os dois representam o mesmo grupo, justamente o do atual presidente. Logo, ou vai Carlessi, ou vai Nei. A lembrar que os três últimos pleitos foram por aclamação, sem oposição.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/01/2019 - 06:54

Interina: Francieli Oliveira

A posse de Carlos Moisés da Silva (PSL) como governador de Santa Catarina foi uma mostra do estilo do novo líder do Governo do Estado. Sem pompas políticas e com homenagem dos colegas militares na saída da Alesc.

Moisés, aos poucos, também começará a intensificar o diálogo com a imprensa. No primeiro momento depois da eleição, se fechou no Centro Administrativo, precisava conhecer a máquina, entender todo o processo. Sua equipe de transição tinha a missão de colocar no papel a reforma administrativa que entendiam necessária para o Estado. Aos poucos, alguns pontos foram aparecendo com a composição do secretariado, mas os detalhes mesmo ficaram para hoje, após a posse.

Em coletiva com a imprensa, Carlos Moisés irá traçar metas, mostrar como vai fazer e onde pretende chegar.

Já deixou claro desde a eleição que focará na infraestrutura e, através dela, entende que poderá melhorar a geração de riquezas, aumentar receita e ter dinheiro para investir em saúde, educação e segurança pública.

Transparência, governo técnico e máquina pública enxuta são os pilares escolhidos para devolver para a população os serviços esperados e com a qualidade esperada.

O que se pode observar até aqui é que o prometido vem sendo cumprindo, pelo menos, no que diz respeito ao secretariado praticamente todo técnico com raras exceções em pastas mais políticas.

O resultado esperado pelo próprio Moisés é o mesmo alcançado pela iniciativa privada catarinense, exemplo em todo o país e no mundo.

Professor Felipe confirmado

O governador Carlos Moisés confirmou que o professor Luiz Felipe Ferreira estará no comando da Controladoria Geral do Estado, criada para fazer o controle de todos os atos do governo com o objetivo de reduzir o custo da máquina e fazer combater a corrupção. Luiz Felipe foi o coordenador da transição.

Modalidade

Para Moisés, há diversas maneiras de combate à corrupção, admite que não é possível o governador ter o controle de tudo. O controle é uma delas, por isso, a Controladoria. A outra é especializar o setor de licitação. O uso de pregão eletrônico deve ser frequente. O governador acredita que mais empresas participam e diminui o risco dos famosos acertos.

Infraestrutura

As estradas catarinenses devem ganhar mais atenção nos próximos meses. A intenção é utilizar os recursos que serão economizados com o enxugamento da máquina pública nas rodovias.

Foco no ensino técnico

O nome do Secretário de Educação foi o último a ser anunciado. O mais difícil de ser escolhido. Tinha divergências dentro do próprio partido de Carlos Moisés. Uma ala do PSL queria alguém mais ligado à ideologia defendida por eles. O governador optou pelo lado mais técnico. Quer diminuir a lacuna que existe entre o ensino médio e o mercado de trabalho, entende que o jovem precisa sair com ensino técnico e preparado para ser absorvido pela indústria. Buscou o criciumense Natalino Uggioni, ex-diretor do Instituto Evaldo Lodi, da Federação da Industria do Estado de Santa Catarina (Fiesc). Os detalhes foram apresentados por Moisés em breve contato com a imprensa antes da posse.

Pela terra natal

O novo secretário de Educação do Estado, Natalino Uggioni, encontrou-se na Rádio Som Maior, na segunda-feira pela manhã, com o prefeito Jairo Custódio, do Balneário Rincão. Uggioni chegava para uma entrevista e Custódio saía de outra. Uggioni fez rápida vinda a Criciúma para as festas de ano novo com a família, e elencou propostas para a educação que estão em matéria de A Tribuna hoje. Na rápida troca de ideias, o secretário colocou a pasta à disposição do prefeito e demonstrou estar informado sobre a cidade, elogiando a construção do calçadão.

Por dentro

O secretário Uggioni contou que está ciente do pedido de Criciúma, para municipalizar algumas escolas estaduais, e assim que tomar pé da situação se colocará à disposição do prefeito Clésio Salvaro para retomar o tema.

Gildo Volpato

Referiu, ainda, que gostaria de contar com o professor Gildo Volpato na sua equipe. Gildo era secretário adjunto da antecessora, Simone Schramm, mas já havia encaminhado pedido de exoneração antes da indicação de Uggioni. O secretário contou ainda que teve a primeira conversa pessoal com o governador Moisés no dia da indicação, e que somente hoje conhecerá efetivamente a secretaria.

Recado aos deputados

Durante o discurso de posse Carlos Moisés deu um recado claro aos deputados. Vem reafirmando o seu perfil e deve usar a própria vontade popular para fazer pressão na hora da aprovação de projetos que considera importante. Quer evitar, assim, a troca de favores entre o Executivo e o Legislativo. Lembrou que sua eleição foi um recado das urnas e que o povo exige mudança de postura.

Mais diálogo

Leitura de um empresário que conhece bem o meio político é que Carlos Moisés terá que abrir mais o diálogo com os deputados. Que faz bem em escolher um secretariado técnico e não lotear os cargos, mas que não pode confundir política com corrupção. Terá que fazer política para poder governar.

Cobrança

Carlos Moisés também revelou que sua responsabilidade aumenta quando sai às ruas e é reconhecido. Disse que sempre ouve um “eu votei em ti” com aquele tom de cobrança de que não poderá decepcionar.

Só no dia 31

Apesar de parecer tudo encaminhado, o deputado eleito Julio Garcia ainda acha muito cedo para comemorar um acerto. Seu nome é dado como certo para presidir a Assembleia Legislativa a partir de fevereiro. Não deverá haver disputas. Uma reunião no dia 31 de janeiro deverá bater o martelo.

Fevereiro

A posse dos 40 deputados estaduais está marcada para 9h do dia 1º de fevereiro, na Assembleia Legislativa.

Polêmica

O ano terminou com a polêmica da devolução das sobras da Assembleia Legislativa. O presidente Silvio Dreveck (PP) afirma que não houve nenhuma retaliação política ao ex-governador Eduardo Moreira (MDB), que ainda tem compromissos para quitar em janeiro e que depois fará a devolução. Diz ainda que há cerca de R$ 20 milhões em caixa e não R$ 40 milhões. Reafirmou que nos dois anos que esteve na Casa mais de 100 milhões foram devolvidos.

De cabeça erguida

Ex-governador Eduardo Moreira sai de cabeça erguida do Governo do Estado. Cumpriu o que prometeu em fevereiro quando assumiu. Priorizou as áreas da saúde e segurança e colheu resultados. Se consolida novamente como líder dentro do MDB, que deve presidir quando retornar de férias em família, em abril.

Servidor público

A primeira-dama tem bastante convicção de como o marido irá se comportar como governador: com postura de um servidor público, assim como foi de carreira.

Posse em Criciúma

A Câmara de Vereadores de Criciúma já conta com a nova mesa diretora. Miri Dagostin (PP) assumiu, na manhã de terça-feira. Recebeu a presidência das mãos de Julio Colombo (PSB). Tem como principal missão avançar na consolidação da sede própria do Legislativo da cidade.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/12/2018 - 07:35

Esta é a última coluna de 2018 e também a primeira de 2019. É o fim de um ciclo e início de outro. Só que desta vez um pouco mais intenso. Será a partir de agora que terão que aparecer os resultados práticos das esperanças depositadas nas urnas em outubro passado. Tomam posse os novos governadores e também o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).
Eles terão nas mãos a missão de mostrar que são realmente a mudança. Não poderão decepcionar. As velhas práticas precisam ficar para trás e um novo jeito de fazer política precisa ser colocado em prática. Caso contrário, o brasileiro terá uma de suas maiores decepções.
Esse primeiro dia de 2019 também significa um novo ciclo que se inicia nos comandos dos estados e do País. Em Santa Catarina, Comandante Moisés (PSL) vem dando mostras que fará algo diferente. Apresentou um secretariado técnico, sem indicações políticas e também com grande participação de militares. Vem colocando o seu estilo. Até de maneira mais forte do que muitos correligionários imaginavam.
Está fazendo diferente, mas também está trazendo a responsabilidade toda para si. Irá assumir todos os riscos que qualquer governo corre.
Ainda tem que mostrar que consegue articular com a Assembleia Legislativa. Não há como governar sem o apoio dos deputados.
A nível de país, Bolsonaro aparece como a grande esperança dos brasileiros, mas terá que tomar medidas impopulares. Precisará fazer as reformas. Ainda não deu grandes mostras de como irá conduzir o processo. Também terá que articular com o Congresso, talvez, mais do que Carlos Moisés.
Enfim, será um ano de desafios.

Posse (1)

A posse de Carlos Moisés e Daniela Reinehr será discreta e sem tantas pompas. A cerimônia está marcada para a tarde desta terça-feira, 16h, na Assembleia Legislativa. Cabe ao presidente da Casa, Silvio Dreveck (PP), dar a posse aos novos governador e vice. Antes, 14h30min, tem celebração religiosa na Catedral Metropolitana de Florianópolis.

Posse (2)

A posse de Jair Bolsonaro e General Mourão já será um evento bem maior. A expectativa é que o público possa chegar a até 500 mil. Também será na tarde de terça, em Brasília. Neste domingo, foi realizado o último ensaio com forte esquema de segurança.

Posse (3)

Por aqui também terá posse. A Câmara de Vereadores de Criciúma empossa a nova mesa diretora, nesta terça-feira, às 11h. Miri Dagostin (PP) assume como presidente. Tem o compromisso de renunciar ao fim do ano para dar vez ao MDB em 2020.

É criciumense

O secretário de Educação escolhido por Comandante Moisés é de Criciúma. Natalino Uggioni é do Rio Maina. Saiu daqui novo para estudar na Unisul e fez carreira em Florianópolis. Hoje, é consultor autônomo, mas foi diretor do Instituto Evaldo Lodi, ligado à Federação da Indústria do Estado de Santa Catarina (Fiesc).

Fapesc

Depois de anunciar o secretário de Educação, o governador eleito Carlos Moisés também anunciou, no fim de semana, o diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) e o escolhido foi o professor universitário Fábio Zabot Holthausen. Mais um tubaronense a integrar o novo governo.

Novo foco

A região de Criciúma termina 2018 com conquistas importantes. A principal delas é a estadualização e início do funcionamento da maternidade do Hospital Santa Catarina. Também foi o ano em que a Via Rápida se tornou a principal entrada na cidade. Outras pautas já haviam sido conquistadas em outros anos e se consolidaram, como o Aeroporto de Jaguaruna. O ano que se inicia precisa ser o de colocar tudo isso em prática e atrair empresas, gerar empregos e melhorar a arrecadação. Esse deverá ser o novo foco de todos a partir de agora.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/12/2018 - 22:52Atualizado em 30/12/2018 - 22:54

Interina: Francieli Oliveira

Pelo menos dois vereadores de Criciúma esperam por abertura das chamadas “janelas” para trocar de partido. Nesta sexta-feira, em entrevista à Rádio Som Maior, o ainda presidente do Legislativo, Julio Cesar Colombo, afirmou com todas as letras que sairá do PSB assim que isso for possível sem a perda de mandato.
Se disse insatisfeito com a sigla, especialmente pelo alinhamento nacional. “A partir do momento que os grilhões sejam cortados, evidentemente que eu devo migrar para um outro partido”, afirmou.
Apesar da proximidade com muitos líderes do PSD e de seu filho estar filiado a esse partido, não confirma que esse será o seu destino. Colombo é o único vereador do PSB na Câmara, mas mesmo assim conseguiu o voto do chamado grupo dos nove o que lhe garantiu a presidência da Casa por dois anos.
O outro caso seria de Julio Kaminski (PSDB). O vereador não fala abertamente no assunto, mas há muito tempo está distante do atual partido. No meio do ano, chegou a fazer uma consulta ao Tribunal Regional Eleitoral para deixar os tucanos sem perder o mandato, mas a resposta foi negativa. Durante a campanha se aproximou do PSL e do deputado federal eleito, Daniel Freitas. Chegando a ser colocado como uma dos possíveis candidatos a prefeito pelo partido em 2020.
Aliás, nesse ano, o próprio Daniel Freitas perdeu o mandato de vereador ao trocar o PP pelo PSL em nome de um projeto maior. O resultado foi a eleição à Câmara dos Deputados como o segundo mais votado de Santa Catarina.
A troca de partido ainda causa outro imbróglio na Câmara de Criciúma. Angela Mello, atualmente no MDB, concorreu pelo PP. Ela foi a suplente chamada para o lugar de Daniel, mas também teve o mandato cassado pelo TRE por infidelidade partidária. Só falta a notificação. 
Por enquanto, não há nenhuma sinalização da aguardada janela, que costuma acontecer perto do prazo de troca de partido para quem deseja concorrer no pleito seguinte.

Secretário de Educação vem da indústria

O último nome do futuro governo catarinense foi anunciado no fim da tarde de sexta-feira. Para a Secretaria de Educação, Comandante Moisés (PSL) escolheu um nome ligado à indústria. Natalino Uggioni, que atualmente é consultor autônomo, atuou como superintendente do Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina, um braço da Fiesc. Em determinado momento chegou-se a cogitar o nome do ex-presidente da federação das indústrias, Glauco Côrte, para assumir a pasta.
O nome do secretário escolhido está ligado à inovação e vem ao encontro das promessas de Carlos Moisés para a área. Uggioni é graduado em Ciências pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) e tem mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina.

No dia seguinte

A posse dos novos secretários será com time completo e no dia seguinte à de Comandante Moisés, marcada para terça-feira. A cerimônia será coletiva e simples, no Centro Administrativo.

Sem exoneração coletiva

Os cargos comissionados não serão desligados todos de uma vez do Governo do Estado. A exceção fica com os funcionários diretamente ligados ao gabinete do governador, desligados pelo próprio Eduardo Moreira (MDB).
Os demais serão avaliados pelos próximos secretários, cada um em sua pasta, conforme as necessidades. A medida garante a continuidade dos serviços.

História

No último dia no Centro Administrativo o governador Eduardo Moreira inaugurou a galeria de ex-governadores. As homenagens vão de Lauro Müller ao próprio Moreira. Na foto, o ex-governador Cassildo Maldaner acompanha Moreira. Foi ele que discursou em nome dos ex-governadores.

Sem devolução

Eduardo Moreira saiu do Centro Administrativo, nesta sexta-feira, sem receber a devolução da Assembleia Legislativa, estimada em R$ 40 milhões. Esperava o recurso para cobrir despesas na Saúde como o pagamento das organizações sociais.

Espera por Acélio

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), espera por uma resposta de Acélio Casagrande para promover as mudanças no seu secretariado para os próximos dois anos de mandato. Espera uma resposta em breve. Caso contrário, realizará as mudanças sem contar com o ainda secretário de Estado da Saúde. Além de Içara, Acélio tem propostas de outros municípios e do prefeito Clésio Salvaro (PSDB), que assume a Amrec no ano que vem. Acélio seria uma espécie de super secretário da entidade municipalista.

Mudança de hábito

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), está prestes a inaugurar o segundo parque do município. O da Próspera foi no seu primeiro mandato e, agora, no segundo, será a vez do Rio Maina. Tem ainda projeto para o do Paço Municipal. O prefeito considera que os parques são questões de saúde pública, que mudam os hábitos das pessoas os tornando mais saudáveis. Prova disso é que, na sexta-feira, foi divulgado que 500 mil pessoas passaram pelo Parque das Nações nos fins de semana de 2018.

Balanço

A confirmação dos cofinanciamentos com os municípios, o investimento na compra de veículos para fortalecer a rede de proteção social das cidades, regularização do convênio com o Ministério do Trabalho para a manutenção dos SINE’s e realização da mudança de prédio da sede da secretaria são as principais ações apresentada pela secretária de Estado de Assistência Social, Romanna Remor, no balanço de fim de mandato.

Retorno à população

Quando o Poder Público cumpre com a sua função e realiza boas gestões quem ganha sempre é a população. Um exemplo é o Hospital Regional de Araranguá, que até pouco tempo era motivo de muitas reclamações e agora está realizando procedimentos inéditos, como nesta semana e que salvou a vida de um paciente.

Pagamento

Não aconteceu antes do Natal, mas, nesta sexta-feira, entrou na conta dos servidores públicos de Santa Catarina o pagamento de fevereiro. O valor é de R$ 1,14 bilhão.

Conta final

O déficit final do Estado foi contabilizado em R$ 510 milhões. A previsão, no início do ano, era que ultrapassaria os R$ 2 bilhões. Do montante do déficit, R$ 140 milhões são de restos a pagar de 2017 e R$ 370 milhões são de despesas do exercício. A maior parte da dívida da Saúde, que estava projetada em R$ 1 bilhão, também foi quitada ao longo deste ano. O governo estadual pagou R$ 1,805 bilhão de dívida pública em 2018.

7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19