Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Henrique Packter
Por Henrique Packter 04/02/2020 - 11:29Atualizado em 04/02/2020 - 11:31

Menos da metade das empresas abertas no país na última década sobreviveram por mais de cinco anos. A pesquisa Demografia das Empresas, iniciada em 2008, mostra ser esse o melhor ano em termos de nascimento de empresa que se mantiveram por mais de cinco anos: 47,8% das companhias abertas permaneceram por mais tempo.

O pior ano para abertura de empreendimentos foi 2010, com taxa de sobrevivência no médio prazo de 39%.

Para o curto prazo, 2013 foi o pior ano para abrir empresas, com 71,9% de sobrevivência após um ano. Das empresas abertas em 2008, 81,5% sobreviveram ao primeiro ano.
 
O melhor e o pior saldo

Na série histórica brasileira, 2010 registrou o melhor saldo, com 262.695 empresas a mais no mercado. O pior ano foi 2014, quando o saldo ficou negativo em 217.687 empresas.

O número de empresas ativas variou de 4.077.662 em 2008, com ápice de 4.775.098 em 2013, diminuindo desde então, voltando ao patamar de 2010.

Apesar do saldo de companhias entrando e saindo do mercado se manter negativo desde 2014, o pessoal ocupado assalariado nessas empresas se mantém positivo a longo dos anos, com 360 mil empregados a mais em 2017.

Na análise pelo porte, 46,2% das empresas ativas em 2017 não tinham nenhum pessoal ocupado assalariado, contando apenas com os sócios ou proprietário; 43,6% tinham de um a nove; e 10,2% tinham dez ou mais pessoas assalariadas. Média dos rendimentos: 2,6 salários mínimos.

Na distribuição do pessoal assalariado por tipo de empresa, os setores que mais empregam são o de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com 8,8 milhões de pessoas, seguido de indústrias de transformação, com 7,2 milhões, e atividades administrativas e serviços complementares, com 3,5 milhões.

O setor com a maior entrada de pessoal assalariado também foi o comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com 263.861 pessoas. A maior saída, de 138.522, e o maior saldo, com 125.339 pessoas assalariadas também é deste setor em 2017.

Henrique Packter
Por Henrique Packter 01/02/2020 - 10:35

CONCLUSÕES

Aí, você, como bom catarinense, vai dar uma espiada no desempenho de nossas empresas e fica chocado. No universo de 20 diferentes segmentos de produção e atividades profissionais, constata que ocupamos posições bem modestas.

SC, na CONSTRUÇÃO CIVIL, ocupa um 3º lugar com o GRUPO TIGRE de Joinville, SC. Nota 79,9 tem 3444 funcionários, 79% homens. (1)

O grupo PORTINARI de Criciúma, SC, vem em 8º lugar, 1800 funcionários 79% homens. Nota final 75,3. Adquirida em maio pela Duratex produtora de revestimentos cerâmicos, (539 milhões de reais), tem programa PIC, para sugestão de inovações e melhorias em produtos e processos. Em 2018, teve 15 ideias de funcionárias aproveitadas e contempladas. (2)

Na EDUCAÇÃO, em 5° lugar vem a nossa UNESC, Universidade comunitária em Criciúma, 985 funcionários, 41% homens, nota 74. A revista VOCÊS/A ressalta como pontos positivos o Programa Cuidar que disponibiliza Ioga e Terapias Complementares (Reiki e Auriculoterapia). (3)

FABRICANTES DE EMBALAGENS tem 2º lugar com TERMOTÉCNICA de Joinville, SC, nota 76,8 - 308 funcionários, 48% mulheres, fabrica embalagens de isopor, Horas extras são raridade. (4)

Em INDÚSTRIAS DIVERSAS, está a WEG, nota geral 85,3 – de equipamentos eletroeletrônicos, com operação em 12 países e presença comercial em mais de 135. (5)

INTELBRAS, capital nacional, São José, SC, 2145 funcionários, 54% homens, em 3º. Há falta de espaço e a empresa constrói nova fábrica de 25.000m². (6)

UFO WAY DENIM BRASIL, nacional, sede em Criciúma, SC, 6º lugar, 699 funcionários, 32% homens. Nota geral 81,2 –fabrica peças de jeans para RENNER, ZARA, LE LIS BLANC; creche interna para até 5 anos. (7)

GRUPO KYLY, nacional, sede em Pomerode, SC, 1487 funcionários, 42% homens. Nota 77,6-vestuário infantil. (8)

Em SERVIÇOS DE SAÚDE está em 5º lugar A FUNDAÇÃO PRÓ-RIM nacional sede em Joinville, SC, 550 funcionários, 19% homens. Mais de mil atendimentos ambulatoriais, 145 mil hemodiálises por ano. Nota geral 81,5 Conta com instituto de educação que disponibiliza cursos de enfermagem, necropsia, massoterapia e estética para funcionários e não funcionários. Tem 1.500 alunos. Inaugurará em 2020 clínica com capacidade para 200 pacientes em hemodiálise. (9)

São 9 empresas em destaque em SC, nenhuma em primeiro lugar na república federativa brasileira, formada pela união de 26 estados, 5.570 municípios e o DF.

O levantamento realizado pela REVISTA VOCÊS/A considera somente as entidades empresariais, excluindo os órgãos públicos, empresas públicas, entidades sem fins lucrativos, Microempreendedor Individual (MEI) e Organização Social (OS).

Denise Guichard Freire, técnica da Coordenação de Cadastro e Classificações do IBGE, os dados apontam para menor dinamismo no mercado.

SALDO NEGATIVO

A taxa de entrada no mercado ficou em 15,2% e a de saída em 15,7%, gerando saldo negativo de 22,9 mil empresas no mercado, um decréscimo de 0,5% no número de empresas em atividade no país..

Em 2016 tínhamos taxa de entrada inferior à de saída em todo o país, em todas as regiões. Mas, em 2017, nas regiões Centro-Oeste e Norte, havia unidades da federação em que o movimento de entrada era superior ao de saída. No Nordeste já existia um empate.

 Enquanto o Sul (86,6%) e o Sudeste (85%) registraram as maiores taxas de sobrevivência, as maiores taxas de entrada e saída foram nas regiões Norte (19% e 18,8%), Centro-Oeste (17,2% e 16,4%) e no Nordeste (16,9%). 3.418
 que será substituído por repavimentação em asfalto.

Henrique Packter
Por Henrique Packter 30/01/2020 - 08:12Atualizado em 31/01/2020 - 09:21

3.   SERVIÇOS FINANCEIROS (12)

SEGUROS UNIMED 1º lugar, empresa do Sistema UNIMED, nota geral 82,2 -c que administra produtos de saúde, vida, previdência e outros segmentos como patrimonial e viagem. Nacional, sede em SP, 1253 funcionários, 35% homens. SICREDI, 2º lugar, empresa nacional, de POA, 25.135 funcionários, 42% homens, nota geral 81,9 – cooperativa de crédito distribui parte do lucro para o fundo social e bônus anual . o negócio pertenceria a todos, empregados e clientes. O programa SEMPRE BEM oferece assistência para problemas pessoais com orientação gratuita e confidencial sobre assuntos sociais, psicológicos, jurídicos e financeiros. Em 8º lugar, SICOOB SÃO MIGUEL SC, nacional com sede em São Miguel do Oeste SC, 433 funcionários, 45% homens.Nota geral 76,6 - 

4.   SIDERURGIA

ALCOA em primeiro lugar com nota geral 86,6 – sede em SP, capital, multinacional USA, combina programa de desenvolvimento de carreira, benefícios como plano de saúde, previdência privada, e licença maternidade de seis meses. Tem presença marcante na comunidade em que atua em cinco estados brasileiros. Onde tem fábricas (PA, MG e MA), estabelece parcerias com as respectivas universidades. APERAM BIOENERGIA em 2º lugar, empresa nacional com sede em Capelinha, MG, nota geral 80,8-  Fabrica o aço verde, a partir de carvão vegetal.
 
5.   TECNOLOGIA E COMPUTAÇÃO

CLEARSALE, 1º lugar, nota geral 81,8- especialista em na prevenção de fraudes. Faturamento aumentou em 20% em 2018, é empresa nacional, sede em SP capital, tem 1168 funcionários, 41% homens. Novidade é o programa voltado à saúde mental dos funcionários, com atendimento psicológico no escritório, , ajuda de custo em sessões de terapia, treinamento de gestores ensinando a lidar com subordinados com doenças psíquicas, como depressão e ansiedade. RH havia detectado que muitas demissões eram motivadas por problemas psicológicos. DB1 GLOBAL SOFTWARE, 2° lugar nota 79,8- empresa nacional, sede em Maringá, PR, 421 funcionários, 61% homens. Incentiva que o feedback faça parte da rotina de líderes funcionários através de agenda de encontros, a área de gestão de pessoas realizando treinamentos periódicos, sobre o tema. Desburocratização, plano de desenvolvimento individual, funcionários saem mais cedo no dia do aniversário, mulheres que retornam do licença-maternidade podem trabalhar em regime de meio período. Em 2019 contratou mais de 200 funcionários. 2413

6.   VAREJO

BRASAL COMBUSTÍBEIS, 1º lugar, nacional sede em Brasília DF, 102 funcionários, 73% homens, nota 82,5- cada unidade tem salas de descanso para funcionários. O pessoal da administração, uma vez por mês assume as mangueiras de combustível atendendo clientes. É o Dia D. Tem plano odontológico familiar e convênio médico. O projeto de final de ano Fonte dos Desejos atende os sonhos de alguns funcionários. Há prêmios anuais em espécie. LOJAS RENNER empresa nacional sede em POA, 2º lugar, nota geral 82,1-, 19.551 funcionários, 35% homens, planeja expansão para a América Latina. Incentiva a autonomia dos funcionários e contato entre as diferentes áreas. O novo refeitório da sede tem qualidade nas refeições, valoriza o local de convivência e o sentimento de igualdade. COMUNICARE APARELHOS AUDITIVOS    empresa nacional com sede em POA, 184 funcionários, nota geral 79,2-, alia atendimento personalizado em fonoaudiologia à venda de aparelhos auditivos. Início 2004 no consultório de Patrícia Coradini, Pelotas, RS. São 60 lojas em oito estados e no DF, hoje dispondo de 184 funcionários, 12% homens. Incorporam neste ano toda a rede de lojas autorizadas da WIDEX que é a sexta maior fabricante de aparelhos auditivos do mundo. Com 88% de mulheres funcionárias, gestantes têm flexibilidade na troca de horário, local e função, sem prejudicar a carreira pela maternidade.    3.796
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 28/01/2020 - 11:18Atualizado em 31/01/2020 - 09:21

1.   SERVIÇOS DE SAÚDE (6)
 
SÃO BERNARDO SAÚDE nacional, sede em Colatina, ES, 105 funcionários, 70% mulheres. Nota final 85,4%, 1º lugar. SÃO BERNARDO APART HOSPITAL, 4º lugar, 355 funcionários, nota geral 82,2 – Colatina. Destaque: proximidade dos funcionários com o presidente e com a área de RH. Walter Luiz Dalla Bernardina, médico ortopedista, fundou a empresa.

Em 2º lugar: A SABIN MEDICINA DIAGNÓSTICA 2269 funcionários, 23% homens, 83,7 nota geral. Laboratórios tem música ao vivo. Criou a UniSabin universidade corporativa. O portal atua em 7 pilares: INSTITUCIONAL de disseminação da cultura, EDUCACIONAL de formação de educadores internos, CLIENTAR de experiência dos pacientes, LIDERANÇA de desenvolvimento de gestores, OPERACIONAL de aprimoração de competências técnicas, NEGÓCIOS de habilidades gerenciais e CIENTÍFICO de atualização.  

Em 3º lugar vem o HOSPITAL ALBERT EINSTEIN nacional com sede em SP, 13.101 funcionários, 31% homens. Nota 82,3. No primeiro trimestre de 2019 contratou 2.225 funcionários. Amplia unidades de atendimento e de educação. Criou primeiras turmas de ensino médio técnico início de 2019. O EINSTEIN já oferece formação superior na área da saúde e terá cursos técnicos em administração na saúde e enfermagem, integrados ao segundo grau. Destaque: programa de acolhimento para vítimas de violência doméstica.

 Em 5º lugar A FUNDAÇÃO PRÓ-RIM nacional sede em Joinville, SC, 550 funcionários, 19% homens. Faz 145 mil hemodiálises por ano. Nota geral 81,5 A fundação conta com instituto de educação que disponibiliza cursos de enfermagem, necropsia, massoterapia e estética para funcionários ou não para 1.500 alunos. Inaugurará em 2020 clínica com capacidade para 200 pacientes em hemodiálise.

Em 6º lugar vem o CROOL CENTRO ODONTOLÓGICO, nota geral 78,5- nacional com sede em Goiânia, GO, 181 funcionários, 24% homens. Fundada por dois dentistas em 1999. 
 
2.   SERVIÇOS DIVERSOS (12)

 
MEIRELES & FREITAS COBRANÇA DIGITAL, nacional, sede em Fortaleza, 346 funcionários, 23% homens, 1º lugar.  Inadimplência crescendo em tempos de crise, aumenta trabalhos de cobrança. Em 2020 prevista contratação de mais 120 profissionais. Nota geral 85,3. ÁGUAS GUARIROBA, nacional, sede em Campo Grande, MS, 568 funcionários, 79% homens, 2º lugar. Nota geral 82,7. Responsável pelo abastecimento de água, coleta, transporte e tratamento do esgoto. Difícil encontrar mão de obra especializada, sobretudo em saneamento básico. Tem banco de horas. Desde 2019 tem rede social interna para informação e interação.  

AVIVA, 3º lugar, nacional, Rio Quente, GO, 2.588 funcionários, 52% homens, nota geral 76,4 – hotelaria e turismo, nasceu em 2017, de dois dos maiores destinos turísticos do país: Costa do Sauípe e Rio Quente. COBMAX SALES CENTER, 4º lugar, nota geral 75,6- nacional, sede em São José do Rio Preto, SP, 334 homens, 46% homens. Cuida da CLARO e da NET. GRUPO CATARATAS, 5º lugar, nacional, sede em Foz do Iguaçu, 390 funcionários, 53% homens, nota geral 75,3. Responsável pela gestão do Parque do Iguaçu.

Segundo o Instituto Brasileiro de Turismo, órgão da Embratur, recebeu 846.223 visitantes em 2018. Tem plano de saúde e odontológico para funcionários, auxílio em farmácia e compra de óculos, seguro de vida, auxílio educação e creche, academia, aulas de ioga, alongamento, nutricionista, cesta básica e folga aniversário.  O programa Fábrica de Sonhos ajuda o funcionário na realização de planos pessoais. INEC (Instituto Nordeste Cidadania), nacional, 6º lugar, sede em Fortaleza, 7346 funcionários, 57% homens, nota geral 75,3 – oferece microcréditos e realiza projetos sociais desde 1993. GOL LINHAS AÉREAS, nacional, 7º lugar, sede RJ, 14.922 funcionários, 55% homens, nota geral 75,1. O presidente Paulo Kakinoff  diz que 55% das despesas são em dólar e 40% dos custos vêm dos combustíveis. A GOL ficou mais forte, aberta, moderna e dinâmica pela melhora em processos de avaliação de desempenho, de desenvolvimento de feedback, e de metas. PWC 8º lugar, nacional, sede em SP, 4.150 funcionários, 47% homens. Empresa de consultoria e auditoria. Investimento em ações reforçam o cuidado com os funcionários. VIVO, 9º lugar, nacional, sede em SP, 32.665 funcionários, 58% de homens. Nota geral 74,6 – dos principais grupos de telecomunicações brasileiros, serviços de telefonia móvel e fixa, TV por assinatura e banda larga. No segundo semestre de 2019 a VIVO encarou redução de 55% do lucro líquido em comparação com o mesmo período do ano anterior. 4.483
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 23/01/2020 - 11:17Atualizado em 31/01/2020 - 09:20

Continuamos a examinar o desempenho das 150 melhores empresas do mercado brasileiro, estudo realizado pela revista VOCÊS/A
 
 
 
 
12. INDÚSTRIAS DIVERSAS (selecionadas 16)
 
WEG, nota geral 85,3 – 1º lugar, companhia global de equipamentos eletroeletrônicos, com operação em 12 países e presença comercial em mais de 135. INTELBRAS, capital nacional, São José, SC, 2145 funcionários, 54% homens, em 3º lugar. Há falta de espaço e a empresa constrói nova fábrica de 25.000m². A INTELBRAS, empresa ligada à telefonia, foi criada por Jorge Freitas, filho de José Francione de Freitas, o Dite Freitas. Jorge é neto de Diomício Freitas, mega-empresário e político sul-catarinense. UFO WAY DENIM BRASIL, nacional, sede em Criciúma, SC, 6º lugar, 699 funcionários, 32% homens. Nota geral 81,2 –fabrica peças de jeans para RENNER, ZARA e LE LIS BLANC possui creche interna para filhos até 5 anos de idade. Acesso Estadual, 1420 - Vila Macarini, Criciúma - SC, 88818-80 Tel.: (48) 3444-9400
 
Valdir Moneretto, em 1992, iniciou confecção de peças de roupas em tecido jeans para atacadistas da região sul SC e norte RS. Em 2000 passou a trabalhar exclusivamente para o mercado Private Label fornecedores de peças para grifes consagradas no Brasil e no exterior. Inaugurou em 2012 prédio de 16 mil m² no Distrito de Rio Maina, Criciúma
 
SIEMENS, multinacional alemã, sede em SP, 3240 funcionários, 76% homens. 9º lugar, nota geral, 78,7 – ATLAS SCHINDLER, 10º lugar, nota geral 77,7 – fabricante de elevadores, escadas e esteiras rolantes, 5458 funcionários, 89% homens.  GRUPO KYLY, capital nacional, sede em Pomerode, SC, 1487 funcionários, 42% homens. Nota 77,6- de vestuário infantil.
 
13. LOGISTICA E TRANSPORTE (3 selecionadas)
 
VLI, nota final 82,3 nacional de BH, 7519 funcionários, 89% homens. Administra portos, ferrovias e terminais, tendo transportado mais de 76 milhões de toneladas em 2018. Em 2º lugar ficou a MARTIN BROWER multinacional EUA, sede em Osasco, SP, 878 funcionários, 81% homens. Companhia de transportes, no Brasil desde 1982, tem entre seus clientes McDonald's, Bob's e Subway.
 
14. QUÍMICO E PETROQUÍMICO (7)
 
LANXESS, indústria multinacional alemã com sede em SP, 491 funcionários, 72% homens, de produtos químicos e plásticos. Em 2º lugar vem a BASF, também multinacional alemã, sede também em SP, 4565 funcionários, 70% homens. Nota final 82,4 – quer aumentar sua participação no setor agrícola adquirindo os ativos da Bayer nas áreas de biotecnologia e agricultura digital. Também na transformação digital inaugurou em março de 2019 Centro de Experiências Científicas e Digitais. Instalado no nono andar do prédio da sede, ganhou o nome de ONONO, tem laboratório para testes de produtos de limpeza e cosméticos, além de salão de beleza para profissionais. Tem o programa EUREKA que premia sugestões de melhoria e inovação. Ideias dos funcionários já renderam 1,72 milhão de euros para a Basf. DOW BRASIL multinacional EUA, sede em SP, 2273 funcionários, 69% homens é a terceira. RHODIA – GRUPO SOLVAY, multinacional belga, sede em SP é a 5ª. 2.919
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 23/01/2020 - 10:20Atualizado em 31/01/2020 - 09:20

Continuando o estudo realizado pela revista VOCÊS/A, quanto às melhores empresas brasileiras no que diz respeito à qualidade do emprego, lá vai:
 

6.   EDUCAÇÃO (5 empresas selecionadas)

SEBRAE RN, Natal, RN, 222 funcionários, 55% mulheres,  nota 82,6 Em 3º lugar vem SENAC RN com 562 funcionários, sede em Natal. Nota 75,5. Em 5° lugar vem a nossa UNESC, Universidade comunitária em Criciúma, 40 cursos de graduação, 985 funcionários, 41% homens, nota 74. A revista ressalta como pontos positivos o Programa Cuidar que disponibiliza Ioga e Terapias Complementares (Reiki e Auriculoterapia). A Universidade do Extremo Sul Catarinense é uma universidade particular, fundada em 1970, em Criciúma, sul de SC. Atua através do ensino, pesquisa e extensão em diversas áreas do conhecimento.  Localiza-se na Av. Universitária, 1105 - Universitário, Criciúma - SC, 88806-000 Tel: (48) 3431-2500 Fundada em 22.6.1968, tem 12.700 alunos, sendo Reitora  a Profª. Dra. Luciane Bisognin Ceretta.

7.   EMPRESAS DE BENEFÍCIOS (3)

SODEXO, empresa francesa, nota 82,4 com sede em Barueri, SP, 723 funcionários, 55% homens, administradora de benefícios junto às seguradoras. A segunda empresa no setor, com 723 funcionários, também com 55% homens é também de Barueri, mas é empresa nacional, a ALELO.

8.   ENERGIA (7)

CEMAR, 82,1 - nota final, é a única concessionária de energia elétrica no Maranhão. Em São Luiz, integra a EQUATORIAL ENERGIA, holding que também detém a CELPA. São 1194 funcionários, 70% homens. A segunda empresa, a CELPA, com sede em Belém do Pará, também tem capital nacional como a anterior e dispõe de 1437 funcionários, 33% mulheres.

9.   FABRICANTES DE EMBALAGENS (3)

BRASILATA, nota final 83,7 empresa nacional, de SP capital, 961 funcionários, 77% homens, investiu em novidades: utilização de tampas de plástico e a criação da Loja da Lata com latas personalizadas de vários tamanhos  e em qualquer quantidade. Tem banco de horas, podendo assim flexibilizar o horário de trabalho. Em segundo lugar vem a TERMOTÉCNICA de Joinville, SC, nota 76,8 - 308 funcionários, 48% mulheres, fabrica embalagens de isopor, Horas extras são raridade.
 
10. FARMACÊUTICO (6)

MSD SAÚDE ANIMAL, multinacional dos EUA em SP capital, nota final 83,8 -  pertence ao grupo Merck, com acesso a treinamento na Universidade MSD. Em 2018 a empresa criou um MBA interno de desenvolvimento de potencial humano. Tem 509 funcionários, 74% homens. A segunda empresa é a VALLÉE, também multinacional, EUA, 499 funcionários, com sede em Montes Claros, MG.  Fabrica medicamentos veterinários, nota 80,8. Reunião diária, DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA, DDS. A empresa tem planos de saúde para funcionários e familiares. A empresa MSD FARMACÊUTICA ocupa o 6º lugar com nota 73,7 tem 999 funcionários, 53% homens, produz drogas para tratamento de hepatite C, câncer (Keytruda), diabetes, além de vacinas.
 
11. INDÚSTRIA AUTOMOTIVA (7)

VOLVO, nota geral 85,7- multinacional sueca, sede em Curitiba, 3055 funcionários 82,5% homens. Investe em pesquisa e desenvolvimento em tecnologia em novos produtos e em projetos próprios. A segunda é a RENAULT DO BRASIL, multinacional francesa com sede em São José dos Pinhais, PR, 7455 funcionários, 88% homens. Em 4º lugar está a ZEN nacional de Brusque, 963 funcionários, 79% homens.  Nota geral 80,7  3283
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 21/01/2020 - 08:33Atualizado em 31/01/2020 - 09:20

DEU NA VOCÊS/A

Criciumenses, natos ou adotivos, lembram que nossa cidade era conhecida como capital brasileira do Carvão e do Azulejo. Isso faz pensar que, pelo menos nessas duas áreas, a cidade se garantia no que diz respeito a empregos, a trabalho. Hoje, marchamos em acelerado, marcha a ré, principalmente no que diz respeito ao carvão.

A edição 258 da revista VOCÊS/A de novembro de 2019 escreve sobre as 150 MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR EM 2019.

A curiosidade sobre o desempenho das empresas brasileiras e sobretudo das empresas catarinenses logo é despertado e nas primeiras páginas ficamos sabendo que a análise metodológica é da FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO (FIA), Coordenação geral de André Luiz Fischer e Joel Dutra. A revista é publicação mensal da Editora Abril, fundada em 1950 e a revista VOCÊS/A é de 1998.

EMPRESAS PEQUENAS, MÉDIAS E GRANDES

A empresa é pequena se possui até 500 funcionários, média de 501 a 1.500 e grande acima de 1.500 funcionários.

1.   AGRONEGÓCIO (selecionadas 7 empresas)

A empresa nacional SÃO MARTINHO com nota final 86,3% foi a melhor. Sede em Pradópolis, SP, tem 12.080 funcionários, 92% homens. Atua no processamento de cana.

2.   BANCOS (selecionados 3)

Em matéria de BANCOS, ITAÚ UNIBANCOS com sede em SP, está em 1º lugar com nota 82,3 emprega 92.815 pessoas. 59% mulheres. O BB com sede em Brasília vem em 3º lugar com 98.975 funcionários, 58% homens.

3.   BENS DE CONSUMO (10 empresas)

A BRASAL REFRIGERANTES foi a melhor com nota final 87,1 1879 funcionários, 87% homens, sede em Taguatinga DF. A segunda é a SANTA HELENA, 83,9% nota final, 1161 funcionários, 58% homens, sede em Ribeirão Preto, SP, maior fabricante de produtor da base de amendoim no país.

4.   CONSTRUÇÃO CIVIL (9)

WEBER SAINT-GOBAN, 1º lugar, multinacional francesa com sede no Brasil em Jandira, SP, 540 funcionários, 25% homens. Emprega 1648 funcionários, obteve nota final 81,9 fabrica argamassas e impermeabilizantes, O primeiro grupo catarinense a comparecer é o GRUPO TIGRE de Joinville, SC. Nota 79,9 são 3444 funcionários, 79% homens, em 3º lugar. O grupo VOTORANTIM CIMENTOS é o 6º lugar, sede em SP, 7.386 funcionários, 83% homens. Presente em 11 países além do Brasil.  O grupo PORTINARI de Criciúma, SC, vem em 8º lugar, 1800 funcionários 79% homens. Nota final 75,3. Tem programa PIC, para sugestão de inovações e melhorias em produtos e processos. Em 2018, 15 ideias foram comtempladas. CECRISA Revestimentos Cerâmicos e Cerâmica PORTINARI foram adquiridas em maio pela Duratex S.A. por 539 milhões de reais. Receita líquida: 652 milhões (2018), dívida líquida 442 milhões (2019), faturamento 3,9 bilhões (2017) tem 2 unidades em Criciúma e uma em Santa Luzia (MG), capacidade de produção 20 milhões de m²/ano. Valor de mercado: 6,8 bilhões de reais.

A Duratex pertence ao Grupo Itaúsa e Ligna e tem mix que inclui Deca, Hydra, Durafloor e Ceusa (Urussanga).

As empresas foram fundadas e instaladas por Manoel Dilor de Freitas, em 1966. Após a venda para o Grupo Vinci Partners de Gilberto Sayão em 2012 e posteriormente para Duratex, a família Freitas ainda detém 23% do capital.

5.   COOPERATIVAS DE SAÚDE (17 empresas)

HOSPITAL UNIMED SUL CAPIXABA, Cachoeiro do Itapemerim, ES.  1º lugar, 540 funcionários, 25% homens, nota 86,5. A UNIMED SUL CAPIXABA, nota 81,4 vem em 6º lugar também com sede 40 cursos em Cachoeiro, 247 funcionários, 37% homens. O Hospital UNIMED VITÓRIA, nota 77,4 vem em 16º lugar com 1205 funcionários, sede em Vitória, ES, 75% mulheres. A UNIMED VITÓRIA com 714 funcionários, 71% mulheres,  nota 77,2 - 17º lugar. 
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 18/01/2020 - 07:16Atualizado em 31/01/2020 - 09:23

No Ensaio sobre a Cegueira, obra intensa e sofrida, o autor aponta as reações do ser humano às necessidades, à incapacidade, à impotência, ao desprezo e ao abandono. Leva-nos também a refletir sobre a moral, costumes, ética e preconceito em tempos de penúria. Através dos olhos da personagem principal, a mulher do médico, descreve situações extremas. A mulher vidente mata para se preservar e aos demais, vê a morte de maneiras bizarras, horroriza-se com cadáveres espalhados pelas ruas e incêndios. Parece o Apocalipse.

A obra acaba quando subitamente, o mundo cego dá lugar ao mundo imundo e bárbaro, sem que as memórias e rastros  se desvaneçam. Saramago era agnóstico, um ateu e sua visão do Apocalipse é arreligiosa. Quem mereceria sobreviver neste mundo que agoniza? Ciência, Conhecimento, Razão, Lógica? A Medicina? Talvez.Não por acaso, a mulher que vê é mulher de médico.

No romance de Saramago, os personagens não têm nomes, diferenciam-se pelas suas características e particularidades. Há o primeiro cego, a mulher do primeiro cego, o médico, a mulher do médico (que vê), a garota dos óculos escuros, o velho com a venda no olho e o rapazinho estrábico, o cego da pistola, o cego que escreve em braile, o ladrão, os soldados, a velha do primeiro andar,o cão de lágrimas.

Saramago utiliza o tipo de escrita pelo qual ficou conhecido mundialmente, pautando-se por uma descrição lisa, ausência de recursos típicos do discurso direto (parágrafo, travessão, aspas), apresentando o discurso direto entre vírgulas e começando por maiúsculas, para o leitor fazer a distinção entre este e o restante tipo de discurso. Esta modalidade de escrita foi desenvolvida ao longo dos escritos de Saramago e é uma das suas (senão a maior) características inconfundíveis.

 "Por que foi que cegamos, Não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegamos, penso que estamos cegos, Cegos que veem, Cegos que, vendo, não veem".

"O medo cega, disse a rapariga dos óculos escuros, São palavras certas, já éramos cegos no momento em que cegamos, o medo nos cegou, o medo nos fará continuar cegos, Quem está a falar, perguntou o médico, Um cego, respondeu a voz, só um cego, é o que temos aqui."

"Lutar foi sempre, mais ou menos, uma forma de cegueira, Isto é diferente, Farás o que melhor te parecer, mas não te esqueças daquilo que nós somos aqui, cegos, simplesmente cegos, cegos sem retóricas nem comiserações, o mundo caridoso e pitoresco dos ceguinhos acabou, agora é o reino duro, cruel e implacável dos cegos, Se tu pudesses ver o que eu sou obrigada a ver, quererias estar cego, Acredito, mas não preciso, cego já estou, Perdoa-me, meu querido, se tu soubesses, Sei, sei, levei a minha vida a olhar para dentro dos olhos das pessoas, é o único lugar do corpo onde talvez ainda exista uma alma, e se eles se perderam".

Adaptação cinematográfica

Saramago sempre resistiu em ceder os direitos sobre seus livros para o cinema. Contudo, em 2008, uma adaptação de Ensaio sobre a Cegueira foi lançada, dirigida pelo brasileiro Fernando Meirelles. O filme obteve críticas divididas e opiniões conflitantes; no entanto, o longa agradou imensamente ao escritor. Saramago disse a Meirelles "estar  feliz de ter visto o filme". Em outra declaração, Saramago disse que "agora conhecia a cara de suas personagens". 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 16/01/2020 - 07:13Atualizado em 31/01/2020 - 09:23

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

Romance do escritor português José Saramago (1995), traduzido para muitas línguas, existindo um filme sobre esta obra.

O autor definiu-a como terrível, querendo que o leitor sofra tanto quanto ele sofreu ao escrevê-la. Descrição de uma longa tortura, é um livro brutal e violento, uma das experiências mais dolorosas da sua vida. São 300 páginas de constante aflição. Sobre o quê escreve Saramago? Ele tenta dizer que não somos bons, que ninguém é bom ou bastante bom e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso.

A cegueira começa num único homem, durante um dia como qualquer outro. Sentado ao volante de seu seu carro, parado no sinal ele tem um ataque de cegueira, e é aí, com as pessoas correndo em seu socorro que uma cadeia de cegueira se forma. Uma cegueira branca, como um mar de leite, algo jamais conhecido, que se alastra rapidamente, uma epidemia de cegueira. O governo age (português, ao que parece, pela presteza), colocando em quarentena as pessoas infectadas.

Aos poucos, desvenda-se as características primitivas do ser humano.

A MEDICINA DE URGÊNCIA EM PORTUGAL

Em Portugal, como se sabe ou como você já desconfiava, o serviço de saúde pública não é gratuito. Para começo de conversa, é um serviço de qualidade. Diferente dos hospitais brasileiros, os hospitais portugueses são bem equipados, com atendimento de qualidade. Lá não se espera dias, nem meses para ser atendido e nem há filas nas emergências, como na maioria dos hospitais das grandes cidades brasileiras. E aí estão os noticiários televisivos que não nos deixam mentir.

Lá, é preciso pagar uma taxa moderadora, de acordo com o que se vai fazer. Uma consulta com médico num posto de saúde custa em torno de 5 euros (25 reais). Se for na emergência dum hospital, custa em média 20 euros (100 reais). Os valores aumentam conforme o que é solicitado pelos médicos. Para fazer raios-x ou tomar uma injeção, paga-se uns 2 euros (10 reais).

Algumas pessoas são isentas da taxa moderadora. Quem comprovar não ter como pagar o sistema de saúde, pessoas com doenças graves e gestantes, estão isentas de pagar. Isto inclui acompanhamento, exames, parto e até dentista!

UMA EPIDEMIA DE CEGUEIRA, COMO A QUE VIVEMOS

A força da epidemia não diminui e logo todo o mundo se torna cego; apenas uma misteriosa mulher, secretamente manterá sua visão. Sobressaem as grandes caracteríticas da assim chamada raça humana: ganância pelo Poder e outras ganâncias, inveja,  ambição, obediência, carinho, desejo, vergonha. Dominadores, dominados, subjugadores e subjugados ocupam a cena. Essas manifestações humanas se desenvolverão como lutas entre grupos pela pouca comida disponibilizada, compaixão pelos doentes e os mais necessitados, idosos ou crianças.  atos de violência e abuso sexual, mortes,...

Grupos dominantes controlam a comida a troco de todos os bens dos restantes e serviços sexuais.  Conseguindo finalmente sair do antigo hospício onde o governo os pusera em quarentena, a mulher que vê depara-se com a ausência de guarda, a cidade toda infectada, cadáveres, lixo, detritos, todo o tipo de sujidade e imundice pela cidade. Saindo do hospício, ao entrar numa igreja, vê todos os santos vendados: "se os céus não vêem, que ninguém veja"...Cegos seguem seus instintos animais sobrevivendo como nômades, instalando-se em lojas ou casas desconhecidas.

Henrique Packter
Por Henrique Packter 14/01/2020 - 07:10Atualizado em 31/01/2020 - 09:22

Se você fosse acometido de congestão nasal e vivesse na Idade Média seria tratado com fezes de cachorros brancos, folhas de repolho secos ou, na melhor das hipóteses, com extratos vegetais. Médicos chineses foram os primeiros a empregar ervas medicinais que continham efedrina, há 5.000 anos, embora essa substância só viesse a ser conhecida e isolada em 1887.

O Papiro de Edwin-Smith (1900 a.C.) descreve o tratamento usado pelos egípcios nos ferimentos da região temporal sem fraturas: curativo com carne fresca no primeiro dia, seguido de curativos diários com unguentos e mel. Lesões complicadas por fratura do osso temporal eram consideradas gravíssimas e incuráveis.

Era crença dos antigos que o tamanho do nariz era proporcional ao dos órgãos genitais: nariz grande era sinônimo de virilidade. Virgílio, na Eneida, descreve o costume de amputação da pirâmide nasal em homens e mulheres como punição ao crime de adultério. Documentos hindus traduzidos do sânscrito (700 a.C.), descrevem as primeiras tentativas de rotação de retalhos para correção da deformidade da pirâmide nasal nos condenados por adultério.

Hipócrates afirmava nos Aforismos que o surgimento de espirros na mulher em trabalho de parto era um sinal de boa resolução, mesmo em partos difíceis. O Pai da Medicina também foi um estudioso da redução de fraturas e aconselhava os médicos da época a efetuar a redução das fraturas nasais no máximo em 24 a 36 horas apôs o trauma, para obter melhores resultados.

Os gregos antigos acreditavam que seres vivos respiram pelas orelhas. O filósofo Anaximenes (580aC) escreveu que o sopro da vida entra pela orelha direita, o sopro da morte pela orelha esquerda.

Aristóteles (384-322 a.C.) foi dos primeiros a afirmar que animais não respiravam através das orelhas. Escreveu n'A História dos animais, sem nunca ter conhecido o ex-senador Calheiros ou o ex-deputado Cunha que pessoas com orelhas grandes e salientes têm tendência para fofocar e malversação do dinheiro público.

Na Medicina hebraica as otites eram tratadas com a instilação do caldo de cozimento de rim de cobra no meato acústico externo, de acordo com relatos do Talmude babilônico (325-427).

A surdez era tratada com a instilação de urino do próprio paciente nas orelhas durante a Idade Média.

A anatomia dos seios maxilar e frontal já aparecem nos desenhos perfeitos de Leonardo da Vinci (1452-1519).

A primeira laringotomia, precursora da traqueotomia, parece ter sido realizada por Brasavola na Itália, 1545.

O primeiro livro dedicado à descrição das técnicas cirúrgicas para rinoplastia, Tratado sobre a Rinoplastia de Gaspare Tagliacozzi, professor da Universidade de Bolonha, é de 1597.  2730

Henrique Packter
Por Henrique Packter 11/01/2020 - 09:35

Atendi Nyra em 10.7.1970 aos 30 anos de idade. Nascida em Encruzilhada (RS), tinha visão normal em ambos os olhos. Foi reexaminada em 29.8.1974. Queixava-se de atroz enxaqueca desde os 15, 16 anos. Pré-diabética, fumava 30 cigarros por dia, talvez a causa do câncer de pulmão que a vitimou em 2000 aos 60 anos.

Voltei a atender Nyra em 19.5.1995. Tinha Síndrome nefrótica, Hepatite B crônica, déficit auditivo. Contava 54 anos. Retornou em 18.12.1997 aos 57 anos. Tinha hipermetropia e astigmatismo em ambos os olhos e visão normal com correção. Ainda não havia queixas relativas ao câncer que a vitimaria menos de três anos depois em setembro de 2000.

DESPEDIDAS

Estes relatos, iniciados há 4 anos, homenageiam parte do universo médico sul-catarinense. Sinto não ter sido possível falar de todos. Alguns, procurados, não mostraram interesse em fornecer dados para publicação de curta biografia hebdomadariamente editada. Mas, um dia voltarei à carga.

Não sei se alguém aí sabe que meu pai foi um modesto padeiro, proprietário de modesta padaria em Santa Maria, RS, na travessa dona Luíza.

Antes disso, dedicara-se ao trabalho de cobrador nos bondes da Light, RJ. Juntou algum dinheirinho pensando em pegar o trem até Uruguaiana e dali a Buenos Aires. Mas, no meio do caminho tinha uma pedra, Dona Geny, minha mãe. Encontraram-se em Santa Maria e nunca mais se deixaram.

A padaria portenha nunca aconteceria juntamente com os sonhos de morar no Prata.

Um pesadelo recorrente sempre atormentou meu sono de garoto. Via meu pai de avental e touca brancas, um sacerdote; sacerdote com paramentos brancos de padeiro. Erguia nas mãos diminuto pão iluminado pela luz de um raio de luz fraco e louro; o pão brilhando como hóstia, enquanto dizia:

- É puro! É puro!

O jornal A RAZÃO de Santa Maria publicara caso de padeiro de Jaguarão, preso por estar fabricando pão com farinha de trigo pura. Fiquei impressionadíssimo

O prefeito que mandara prender o padeiro, estava, contudo, coberto de razão. Tínhamos pouco trigo, quase todo importado da Argentina, daí ser necessário misturá-lo. O padeiro foi punido por fabricar pão com trigo puro e isso era incompreensível para o menino de poucos anos que eu era.

Glória, padeiro de Jaguarão, padeiro do pão de trigo puro.  Em meio à falsa honestidade de governantes, às falsas afirmações de políticos profissionais, à falsa arte, à falsa crítica de arte, à falsa cultura, à falsa valorização de quem não tem valor algum -, glória a ti ó padeiro de Jaguarão.

Vivemos num frenesi das falsificações. Nossas roupas de fino tecido inglês, vem da China; o uísque escocês legítimo vem do Paraguai e é o que mais há junto às palavras de falsa moral. Oradores falam com voz embargada por falsa emoção, chefes policialescos punem falsos crimes, partidos fazem falsas coalizões ou se colocam em falsa oposição. Grandes vultos da pátria estremecida vão para o panteão da nação sem nada terem feito para merecê-lo

De tudo isso nos queixamos a falsos amigos políticos e eles nos fazem falsas promessas. Piorando tudo, a paciência do povo se esgota; nas ruas promove distúrbios ocasionais quebrando falsos produtos de falsos comerciantes.

Tu, só tu, fazes o puro pão de trigo, ó padeiro cultor da pureza. E o fazes às escondidas, e, é aí nas sombras e penumbras de Jaguarão que sovas tua massa de trigo puro e a levas ao forno de lenha, fogo de teu coração.

Glória a ti padeiro, preparador derradeiro da branca hóstia da verdade eterna e terrena do pão dos homens. Glória ao padeiro que acredita e faz o pão.

Termina PIONEIROS MÉDICOS, principia HISTÓRIAS DE MÉDICOS.

Henrique Packter
Por Henrique Packter 09/01/2020 - 07:13Atualizado em 09/01/2020 - 07:52

Sobre o São João Batista (HSJB), Criciúma

Lá NYRA desenvolveu sua Gineco-Obstetrícia, com exceção dos dois últimos anos de vida, findos em 2.000, quando vinculou-se ao HSJ. Teve consultório no próprio HSJB e residiu, a princípio, em apartamento alugado do empresário Jorge Zanatta, frente ao COMASA. Valdir da Silva, consagrado cavaquinho do Grupo da Seresta, funcionário de Jorge, fornecia a Odilon e Nyra os recibos de importâncias pagas pelo aluguel do imóvel,

O HSJB, inaugurado em 1962, construído pelos médicos Lourenço Cianci Filho (também criador do HSC), e Olavo de Assis Sartori, foi vendido mais tarde a Santos Guglielme, que já adquirira o HSC. O HSJB rompeu convênio com o SUS.

Lourenço Cianci Filho nasceu a 10.3.1929 (SP). Formado pela FMUFPR (1954), fixou residência em Criciúma (1957), atendendo no SAMDU. Especializou-se em Radiologia (SP, 1960), em 1961, apoiado financeiramente pelo empresário João Soratto, construiu o HSJB, inaugurado em 13.5.1962. 

Em 1971 (RJ), Lourenço especializa-se em Pediatria.  No final de 1962 transfere residência para Joinville dedicando-se à radiologia no Hospital Municipal São José, Clínica Dr. Pedro Lobo e Hospital Dona Helena.  Sócio Jubilado da Associação Catarinense de

Medicina (1982), faleceu em Joinville, 63 anos (17.7.1992).

Sartori (Ubá, MG, 11.6.1916), graduado na Faculdade Nacional de Medicina, RJ, 1938, radica-se em Criciúma a 3.7.1943, trabalhando no HSJ. Faleceu aqui a 19.6.1989.

Unimed de Criciúma assinou em 11.9.2019, contrato de arrendamento por 20 anos do HSJB, da família Guglielme, com opção de compra. Preserva-se a marca Hospital São João Batista e atendimento a clientes particulares e usuários de planos de saúde.

Dia 12.9.2019, 10h, Leandro Avany Nunes, presidente da UNIMED, concedeu entrevista coletiva para detalhar a nova gestão do hospital. UNIMED assa a ter dois hospitais gerais em Criciúma.

Família Froelich - Búrigo

Erika Froelich, Karin Froelich, Odilon Érico Fr oelich Filho, são filhos de Odilon pai e de Nyra.

Karin Marlise Froelich R Carlos Heinze, 381 Santa Rosa, RS CEP: 98900-000 é empresária (Individual) desde 24.04.2003. Atividade principal comércio varejista de artigos do Vestuário e acessórios.

o    Erika Froelich, filha mais velha de NYRA foi colega de minha filha no Marista de Criciúma. Erica Froelich é hoje estabelecimento de saúde tipo Consultório, que executa serviços de saúde em bairro de Curitiba, telefone (41) 32774667. Marcar consultas,

agendamento médico ou exames, emissão de guias ou questões comerciais na Rua Tenente Francisco Ferreira de Souza, 1490 - Hauer, Curitiba. É consultório especializado em atendimento presencial Básico de Saúde,
 
Scoutos e Frolichs foram meus pacientes

Em 15.10.1977 atendi os pais de Odilon. A mãe, Maria Massaneiro Froelich, tinha 61 anos, Natural de Guaramirim, residia em Balneário Camboriú. Dela Odilon herdara a hipermetropia elevada, acima de 6 graus. Érico, pai de Odilon, 68 anos, natural de Tangará, em tratamento de Nevralgia do Trigêmeo, necessitava atualizar os óculos.

Odilon Érico Froelich, 33 anos, natural de Tangará, atendi-o em 26.4.1974. Portador de hipermetropia acima de 7 graus usava óculos receitados por Mestre ADERBAL de ALBUQUERQUE ALVES, Hospital do Ipase, RJ, de quem tive a honra de ser aluno e amigo. Odilon tinha visão do olho direito ligeiramente mais fraca, mesmo utilizando óculos.

Atendi Erika, filha do casal Nyra e Odilon, aos 8 meses em 17.11.1969. Teve um total de seis atendimentos oftalmológicos. Terá hoje 50 anos.

Karin, foi atendida em 25.11.1971 com 1 mês de idade. Posteriormente teve mais seis atendimentos. Terá hoje, 48 anos. 3.617

Henrique Packter
Por Henrique Packter 07/01/2020 - 06:55Atualizado em 07/01/2020 - 06:57

Gonçalves refutou tudo, afirmando que viveu em concubinato com NYRA do início de 1997 a setembro de 2000 (quase 4 anos). Falou de ação declaratória de união estável aguardando julgamento, considerou inadmissível a pretensão dos agravantes. Disse não haver provas da necessidade de ocupação do imóvel, do perigo de lesão grave ensejando o deferimento da liminar e, sobretudo, que os agravantes tenham exercido a posse da residência em discussão. Pediu pela improcedência do agravo.

A Procuradoria-Geral de Justiça aconselhou conhecimento e desprovimento do recurso.

VOTO

Recurso contra decisão de juíza no processo do Espólio de Nyra Teresinha Búrigo Escouto e pelos herdeiros da falecida contra decisão proferida pela doutora Juíza de Direito da 2ª Vara Cível, comarca de Criciúma, que indeferiu pedido de liminar para reintegração de posse dos herdeiros no imóvel de propriedade de NYRA.

Existência de relacionamento do agravado com a mãe dos agravantes não padece discussão, tanto que estes afirmaram no recurso que ela viveu em companhia de José Gonçalves nos dois últimos anos de sua vida. (Na verdade quase 4 anos).

A Lei garante ao companheiro sobrevivente direito de permanecer na morada reservada à família, enquanto viver ou não constituir nova união.  Dispõe:

Reconhecida a união estável, dissolvida por morte de um dos conviventes, é assegurado ao sobrevivente o direito real de habitação, enquanto viver ou não constituir nova união ou casamento, relativamente ao imóvel destinado à residência da família, o que não interferirá no direito sucessório dos herdeiros em relação ao referido bem.  

Tocante ao argumento de que a inventariante, Karin Froelich, depositária legal dos bens arrolados nos autos da medida cautelar, movida contra o agravado, não poderá exercer a guarda dos bens que se encontram no interior do imóvel, há decisão judicial que "caberá ao Juízo a quo (do juiz de um tribunal de cuja decisão se recorre) solucionar, seja substituindo a depositária inventariante pelo próprio agravado, seja removendo os bens para as mãos da atual depositária, posto que não cabe decidir a respeito, nesta via recursal que a isso não se presta, até porque a reintegração pleiteada é do imóvel e não apenas dos bens móveis referidos".

O Juiz concluiu salientando que os agravantes não demonstraram real necessidade de ocupação do imóvel, nem fizeram prova da posse sobre o mesmo. Por isso, conhece do recurso e nega-lhe provimento. Assim, votou.  Nos termos do voto do relator, todos conheceram do recurso e negaram-lhe provimento.

DECISÃO, Florianópolis a 29.8.2002

NYRA NO HSJ

Transferindo-se para o HSJ, após tantos anos trabalhados no HSJB, NYRA ignorava contar pouco tempo de vida. Mas, foi quando melhor a conhecemos, pelas prosas na sala dos médicos do Centro Cirúrgico. Aguardando pela chegada de paciente ou preparo da sala operatória, médicos conversavam consumindo café em generosas doses.

Formada em Curitiba, como eu e tantos outros profissionais que atuavam ou haviam atuado em Criciúma, jogávamos conversa fora, até que nos convocassem para o trabalho, para a cirurgia.
NYRA chegara a cursar Filosofia antes de decidir-se pela Medicina. 3.158
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 04/01/2020 - 06:53Atualizado em 07/01/2020 - 06:55

UM PROCESSO

Separada de Odilon, Nyra conviveu com José Gonçalves (início de 1997 a setembro de 2000, quando vem a falecer). A Internet revela demanda judicial, os filhos de Nyra e Odilon, contra José Gonçalves pela posse do imóvel que habitaram (Nyra e José Gonçalves), altos da Hercílio Luz.

Agravo de Instrumento é termo que em juridiquês significa recurso contra ato praticado por juiz no processo, que, decide uma questão, sem dar solução final ao conflito. Este recurso contra decisão de um juiz no processo de 29.8.2002, foi relatado por Luiz Carlos Freyesleben (Direito Real de Habitação e reintegração de posse), faz 17 anos.

Artigo da Constituição, assegura ao convivente que sobrevive a união estável, ainda que  reconhecimento dessa relação esteja sub judice, direito real de habitação, enquanto viver ou não constituir nova união ou casamento, quanto ao imóvel destinado à residência da entidade familiar, sem prejuízo do direito sucessório dos herdeiros.

Incumbe ao autor provar sua posse, esbulho praticado pelo réu, data da moléstia e perda da posse em razão dela; ausente um dos requisitos legais, é indeferido o pedido de medida liminar.

Auto em Direito, é ato público, realizado por determinação legal ou ordem judicial. Autos são as peças constitutivas do processo, petições, termos de audiências, certidões.

Nos autos deste recurso judicial contra decisão de um juiz no processo, comarca de Criciúma é agravante Espólio de Nyra Teresinha Búrigo Escouto, representado pela inventariante, Karin Froelich e outros, agravado é José Gonçalves. Segunda Câmara Civil, por votação unânime, conhece o recurso e o nega.

RELATÓRIO DE PROCESSO JUDICIAL

Espólio de Nyra Teresinha Búrigo Escouto, representado por sua inventariante, Karin Froelich-, Erika Froelich e Odilon Erico Froelich Fº, interpôs ação contra decisão proferida nos autos da ação de reintegração de posse contra José Gonçalves, que indeferiu pedido de concessão de liminar para retomada da propriedade da falecida. Argumento: os agravantes nunca tiveram a posse do imóvel.

Dizem textualmente os recorrentes que mãe-Nyra viveu amasiada com o agravado nos dois últimos anos de vida e que, após seu óbito, o companheiro permaneceu residindo na casa que a ela pertencia.

Em 12.9.2000, mês e ano do falecimento de NYRA, protocolaram pedido de abertura do inventário dos bens da mãe.  Karin Froelich nomeada inventariante.

Em 13.09.00, ajuizaram medida judicial para garantirem seus direitos, obtendo liminar favorável, indisponibilizando R$ 46.000,00, que o agravado desviou para sua conta bancária, e possibilitando o arrolamento de bens e objetos de valor na residência da falecida. A inventariante, Karin Froelich, foi designada depositária legal.

Parcialmente cumprida a medida liminar permaneceram os bens  na casa, por ser inconveniente a remoção. Em 6.10.2000, um mês após NYRA morrer, notificaram José Gonçalves extrajudicialmente, para que desocupasse o imóvel.

Contudo, o agravado ignorou a notificação, permanecendo na propriedade, obstando a inventariante de exercer a guarda dos bens arrolados. Diante disso requereram a concessão de liminar, para se verem reintegrados na posse do imóvel. 3.169
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 02/01/2020 - 07:05Atualizado em 02/01/2020 - 07:08

VEREADORES EM 1987

Adair José Spillere, Ademir Uggioni (presidente 1987/1988, depois vice-prefeito), Ageci Mendes Xavier, Aguinaldo Nunes, Altamiro Bittencourt (administrador do HSJ), Antônio de Jesus Costa (o Costinha, craque do Itaúna), Arnoldo Paulo Ribeiro, Avelino Dilney Pedro Lopes (pai do jornalista Ney Lopes e autor do projeto que me concedeu título de Cidadão Honorário de Criciúma), Dizelda Coral Benedet (nossa Primeira Vereadora), Itamar da Silva (seis mandatos de vereador, prefeito interino), José Argente Filho, Jorge Uliana Filho (presidente 1985/1987), Jucimar Magrim, Lourival Lopes, Miguel Medeiros Esmeraldino  (funcionário de Diomício Freitas), Ricardo Back (Paquinha, de Forquilhinha),  Sérgio Uliano, Vânio de Oliveira (pastor, gravou músicas religiosas),
Verceli Nunes Coral (depois vice-prefeito), Woimer Loch (presidentes: 1983/1985, sogro de João Paulo  Kleinubing), Wilmar da Conceição.
 

(Entre os suplentes: jornalista Aires Joaquim Medeiros Fª, contabilista Amaro Alves Fernandes).

Prefeito José Augusto Hülse, a Câmara de Vereadores e seus presidentes, possibilitaram a construção da primeira UTI do HSJ, responsável por tantas vidas salvas em nossa região, desde então.

Uma semana após a formatura, novembro de 1968, casam-se Nyra e Odilon Froelich. Em seguida vão para o RJ onde fazem residência Médica para especializarem-se, NYRA no Hospital Moncorvo Filho em Ginecologia e Obstetrícia. ODILON faria cirurgia geral. Ingressam no curso de especialização médica em 31.12.1969, após aprovação em concurso público. Como se sabe, 1968 foi o ano que não houve.

RESIDÊNCIA MÉDICA DE NYRA, RJ

Instituto de Ginecologia

Localizado no Hospital Moncorvo Filho, Centro do RJ, o Instituto de Ginecologia é centro de referência para o Grande Rio e de todos os municípios do estado. Atendeu 250 mil pacientes em seus 57 anos de funcionamento. Nyra trabalhou nesta instituição há 48 anos, quando o serviço contava apenas 9 anos.

Apenas mais duas instituições públicas no RJ possuem Serviço de Radioterapia: Inca e Hospital de Oncologia. Rádio é procedimento terapêutico imprescindível na oncologia. Trabalham hoje, também com reprodução humana e fertilidade e, através de uma reestruturação para melhor atendimento o próximo passo será promover reprodução IN VITRO.

Instituto de Ginecologia - IG

Centro de Ciências da Saúde - CCS

Rua Moncorvo Filho Nº 90. Centro / RJ.

E-mail: administracaoarrobaig.ufrj.br; gabinete@ig.ufrj.br

Universidade Federal do RJ /UFRJ
CONCLUSÃO DA RESIDÊNCIA

Gol número mil de PELÉ no Maracanã em jogo noturno contra o Vasco da Gama, ocorreu em 19.11.1969, quando NYRA e ODILON estavam no RJ. Em dezembro de 1971 transferem-se para Criciúma. De janeiro de 1972 a final do ano 2.000 quando Nyra faleceu, são 28 anos de trabalho médico em Criciúma.

Em abril de 1972 são admitidos no Corpo Clínico do HSJB, NYRA Terezinha Escouto Froelich como ginecologista e obstetra e Odilon Froelich como cirurgião geral.  2.996.
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 31/12/2019 - 11:53

Tudo se impregnará do espírito natalino. Veremos irmanados Lulas, Bolsonaros, Cunhas e até Malufes; alguns redimidos, quando saírem da cadeia.

Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de ameaças ou suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Zumblick, as bandeiras do divino tremulando na atmosfera, distribuindo flores; toda pintura, inclusive borrões psicodélicos, estarão a serviço do entendimento afetuoso e universal. A crítica de arte, encantadoramente se eclipsará, celebrando o Advento.

Sentindo a proximidade de Deus, a poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojadas do som. Para que livros? A terra estará impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de livro. A música permanecerá tal qual Beatles e Beethoven a deixaram; equívocos e ousadias musicais serão arquivadas, sem humilhação para ninguém.

Grande economia para os povos, desaparecerão suavemente políticos, classes armadas, repartições arrecadadoras e fiscais. Do dicionário, uma palavra será reabilitada: paz.

O trabalho deixará de ser imposição para tornar-se sentido natural da vida. Nem juntas de conciliação, nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.

Nos riremos do dinheiro, das arcas e apartamentos alugados que o velavam, agora depósitos de doces para visitas. Não buscaremos ou nos esquivaremos da morte; o homem entenderá a existência da noite, como já entendera a da manhã. O mundo, administrado exclusivamente por filósofos racionalistas-iluministas, verá as restantes instituições caducas uma a uma cerrarem suas portas, certas Universidades inclusive.  E será Natal para 
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 28/12/2019 - 11:50Atualizado em 30/12/2019 - 11:51

Em 22 de dezembro de 2010 o banco errou no pagamento de algumas contas. Uma tarde perdida conversando com gravações que, só sabiam me deixar aguardando impotente em hold.  A vizinha do lado bateu na minha porta, muito educada (trabalhava no Bradesco, é ruiva natural e feiosa), para avisar que, na noite de terça-feira, vai dar uma recepção e que procuraria bimbalhar o mais baixo possível. Sim...  

Todos os escribas que leio, bons ou maus, já cometeram sua crônica de Natal. Alguns são reincidentes, fazem uma crônica a cada Natal, muitas vezes a mesma crônica. Mas, nos dias apressados de hoje, diminui o número daqueles que a fazem, talvez porque minguem as maneiras de tratar do assunto com um mínimo de criatividade.

Já fiz do Natal uma metáfora moderna: a manjedoura símbolo da origem humilde de um justiceiro social e José e Maria como despossuídos (os primeiros sem-teto), perseguidos pelos poderosos do dia, como ainda hoje.

Também já apelei para a crítica política indireta: os três reis magos chegam à manjedoura trazendo só mirra e incenso porque tiveram que passar por Brasília onde o ouro sumiu.

Já pensei em descrever a cena na manjedoura do ponto de vista dos animais, estarrecidos e incapazes de compreender o que ocorria, a grandeza do momento histórico que viviam.

Acho que minha intenção era divagar sobre a neutralidade do mundo diante (ou atrás, apenas serve de cenário), dos dramas humanos, e a futilidade destes em contraste com a vasta indiferença das coisas. Ou algo parecido. Mas, em respeito à data, minha crônica de

Natal deste ano, inscreve-se na categoria reminiscências com ilações já muito usadas.

Sempre houve árvore de Natal em casa, desde os pinheirinhos da época dos móveis escandinavos, que era como denominávamos os caixotes de bacalhau norueguês trazidos do mercado e que viravam mesas e estantes. Depois, acometidos de consciência ecológica, trocamos o pinheiro de verdade por um sintético, todo decorado, com modesta estrela na ponta, onde, no Natal de 2006, luziu retrato do Gabiru, autor do gol que deu o campeonato do mundo ao Internacional, passe do Fernandão.

Minha avó era religiosa, nosso Natal nem tanto. Às vezes havia em casa, no jantar da véspera, amigos judeus e islâmicos, sem falar nos agnósticos, como eu haveria de me tornar, O Natal nos fornecia símbolos de muito mais coisas, coisas mais importantes do que questões de fé. Estávamos juntos, nos gostávamos, isso é o que celebrávamos todos os anos. E nada mais distante de especulações teológicas do que Dedé rondando a árvore, tentativa de adivinhar quais dos presentes eram seus.

Não é absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento e aperfeiçoamento do homem, um dia o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações tediosas e supliciantes. Seria bom.

Nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, das fronteiras iranianas às fronteiras israelenses, sem esquecer fronteiras de Gaza; sem fronteiras. Governos e oposições, neutros, super e subdesenvolvidos, bichos, plantas, entrarão em regime de fraternidade. 
 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 26/12/2019 - 06:59Atualizado em 26/12/2019 - 07:01

DIZELDA CORAL BENEDET, conforme sabido, era pessoa muito ligada aos médicos Nyra e Odilon. Conforme dados por ela coletados, ficamos sabendo da graduação do casal no Curso de Medicina pela Universidade Católica do Paraná, 1968.
Talvez a pessoa de maior intimidade e de maior convívio com Nyra em Criciúma. Muito do que se escreverá sobre a primeira médica e primeira médica ginecologista e obstetra da cidade vai se dever a Dizelda, natural de São Bento, Nova Veneza (13.1.1936).
Cidadã honorária (13.5.2002) e primeira mulher vereadora em Criciúma (1983-1988), Diretora do Bairro da Juventude (8 anos), Secretária Municipal de Saúde e Bem-Estar Social (1983/1985), Diretora da FUCABEM (Fundação Catarinense de Bem-Estar do Menor), 1973/1974, membro fundadora da AFASC (Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma), presidiu a SULCATUR (Associação Sulcatarinense de Turismo). Primeira mulher em Criciúma a inserir-se na política partidária. Hoje, das 17 cadeiras na Câmara de Vereadores de Criciúma, apenas duas são ocupadas por mulheres. 
 
PRIMEIRA EDIL em CRICIÚMA 1983/1988 
 
Era Prefeito José Augusto Hülse e Vice, Roseval José Alves. Vereadores:
 
Em 1967, o prefeito Ruy Hülse de Criciúma, transferiu a Câmara de Vereadores para sala da Galeria Benjamim Bristot. Somente em 1986 a sede da Câmara Municipal foi transferida para o sexto andar do Centro Profissional de Criciúma, Rua Cel. Pedro Benedet, 488, onde ainda se encontra.
 
VEREADORES EM 1987

Adair José Spillere, Ademir Uggioni (presidente 1987/1988, depois vice-prefeito), Ageci Mendes Xavier, Aguinaldo Nunes, Altamiro Bittencourt (administrador do HSJ), Antônio de Jesus Costa (o Costinha, craque do Itaúna), Arnoldo Paulo Ribeiro, Avelino Dilney Pedro Lopes (pai do jornalista Ney Lopes e autor do projeto que me concedeu o título de Cidadão Honorário de Criciúma), Dizelda Coral Benedet (Primeira Vereadora em Criciúma), Itamar da Silva (seis mandatos de vereador, prefeito interino), José Argente Filho, Jorge Uliana Filho (presidente 1985/1987), Jucimar Magrim, Lourival Lopes, Miguel Medeiros Esmeraldino  (homem  de confiança de Diomício Freitas), Ricardo Back (Paquinha, de Forquilhinha),  Sérgio Uliano, Vânio de Oliveira (pastor, gravou músicas religiosas), Verceli Nunes Coral (depois vice-prefeito), Woimer Loch (presidentes: 1983/1985, sogro de João Paulo  Kleinubing), Wilmar da Conceição.
(Entre os suplentes: jornalista Aires Joaquim Medeiros Fª, contabilista Amaro Alves Fernandes).
Prefeito José Augusto Hülse, a Câmara de Vereadores e seus presidentes, possibilitaram a construção da primeira UTI do HSJ, responsável por tantas vidas salvas em nossa região, desde então.
Uma semana após a formatura, novembro de 1968, casam-se Nyra e Odilon Froelich. Em seguida vão para o RJ onde fazem residência Médica para especializarem-se, NYRA no Hospital Moncorvo Filho em Ginecologia e Obstetrícia. ODILON faria cirurgia geral. Ingressam no curso de especialização médica em 31.12.1969, após aprovação em concurso público. Como se sabe, 1968 foi o ano que não houve. 3.057

Henrique Packter
Por Henrique Packter 24/12/2019 - 10:09Atualizado em 24/12/2019 - 10:11

Falecida em 2.000, vítima de câncer de pulmão, NYRA é mais lembrada por jovens senhoras na casa acima dos vinte anos. É inacreditável que pessoa que perdeu tantas noites de sono ajudando bebês a nascerem esteja hoje praticamente esquecida. Não creio que haja rua, praça, servidão, imóvel municipal, biblioteca -, homenageando-a pelas madrugadas insones e vigilantes, atenta a vidas carvoeiras nascedouras.
Restam as lembranças tristes de sua doença e morte e de disputas judiciais pelo seu espólio.
 
UMA DESPROPRIAÇÃO

Prefeitura de Criciúma foi autorizada a compensar o valor devido pelo Município a NYRA TERESINHA BÚRIGO ESCOUTO, pela desapropriação de terreno de 500m², ocupado com a implantação do complexo esportivo de que participava o Ginásio de Esporte Irmão Walmir Orsi, no Parque Centenário. Avaliado em R$ 9 mil, no Loteamento Jardim Aeroporto, o Município efetuou o pagamento de R$ 8.358,75.

Desapropriação ocorreu em 29.12.1995, sendo prefeito Eduardo Moreira e Gécio Humberto Meller, Secretário de Administração.
 
UMA AÇÃO DE USOCAPIÃO 

Por algum tempo, a partir de 2002, dois anos após a morte de NYRA, tramitou no Tribunal de Justiça de SC, Apelação Cível referente a imóvel na   Rua Senador Paulo Sarasate s/n, Bairro Santa Bárbara, Criciúma. Imóvel da extinta Nair Búrigo (mãe de NYRA), herdeiros Nyra Terezinha Búrigo Escouto, Março Aurélio Búrigo Escouto e esposa.

O Reclamante não residia no local, utilizando a terra como roça. Irresignado com anterior decisão da Justiça, o agravante João Maurício Rocha interpôs recurso de apelação. Tratava-se de Apelação cível, de Usucapião extraordinário em que ele deveria demonstrar posse mansa e pacífica vintenária, e animus domini. Prova testemunhal era divergente Requisitos previstos (artigo 55º do CC) não satisfeitos, o pedido foi julgado improcedente. 

Desembargador José Mazoni Ferreira
Florianópolis 08.05.2003   

 

Henrique Packter
Por Henrique Packter 21/12/2019 - 09:19

VOCÊ USA LENTES DE CONTATO

Dormir com lentes de contato aumenta em 15% o risco de ganhar úlceras de córnea ou de ceratites infecciosas, moléstias de tratamento e cura difíceis.  Portanto, nunca dormir com as lentes de contato nos olhos. Há, no entanto, um certo tipo de lentes de contato feitas para usar à noite, elaboradas com material de alta permeabilidade permitindo oxigenação da córnea e auxiliando na sua moldagem. É a Ortoceratologia, tratamento que possibilita a melhora da miopia e de algumas doenças corneais.

Nos demais casos a orientação é retirar as lentes de contato com as mãos limpas, ao deitar para dormir. As lentes devem ser guardadas não em soro fisiológico, mas em solução desinfetante.

Estando a pessoa com os olhos fechados, eles não são convenientemente oxigenados, deixando a lente (feita de material plástico), em ambiente quente e úmido proporcionado pelas pálpebras fechadas e propício a infecções, por proliferação de microrganismos.

A\lente deve ser adequadamente higienizada para ser colocada nos olhos e usá-las no período prescrito.

Não coloque as lentes em soro fisiológico.
Não lave as lentes em água torneiral, mas com soluções desinfetantes.
Não use estojo das lentes por mais de três meses
Não guarde as lentes na pia do banheiro ao lado do vaso sanitário.

OS NOVE DE PARAISÓPOLIS

Em condições normais de convivência numa sociedade democrática, o ingresso de policiais militares numa aglomeração pacífica de pessoas, usando de violência -, no momento político brasileiro que vivemos -, já seria motivo de grande comoção popular. Se da ação resultasse a morte de 9 jovens, cujos atos se limitassem à busca de lazer e diversão, num duro cotidiano, seria motivo para convulsão social e rápidas ações das autoridades. É falsa a noção de que polícia violenta e sem controle possa ser eficaz. Dar ao Estado carta branca para atuar nos conduz ao cenário de Estados Absolutistas onde são indistinguíveis a Força Pública de Milícia a serviço dos donos do Poder. Enfrentar esse dilema é voltar a pensar. Oxalá, as vidas perdidas dos nove de Paraisópolis cumpram esse papel.

EXAGERO NO CONSUMO DO SAL

Brasileiros consomem 9,34 gramas de sal/dia, quase o dobro do que a OMS recomenda que é 5 gramas.

Uso disseminado em toda sociedade, homens jovens abusam mais desse hábito.  Apenas 2,4% das pessoas pesquisadas estão dentro das faixas preconizadas e tem consumo inferior a 5 gramas por dia. Mulheres e pessoas mais jovens estão dentro dos índices recomendados. Consumo elevado de sal, mais de 12 gramas por dia foi mais frequente em homens, 15,7% do que em mulheres, 10,8%

Grupo com escolaridade mais alta, 11,35% das pessoas, tem o consumo elevado de sal, a menor proporção.

Excesso de sal está ligado à hipertensão e às doenças cardiovasculares. 2774

« 1 2