Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS INFORMAÇÕES DAS ELEIÇÕES 2024!
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Por Maga Stopassoli 18/04/2024 - 13:12 Atualizado há 1 hora

O Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Comunicação está promovendo o 4º Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação que está sendo realizado em Belém-PA. O encontro reúne representantes das Secretarias de Estado da Comunicação de todos os estados do país e tem como objetivo discutir melhorias para a comunicação pública, apresentar casos de sucesso e debater assuntos relacionados. Entre os temas abordados, as discussões sobre a regulação das redes sociais e o uso de inteligência artificial devem se destacar. O Secretário de Estado da Comunicação, João Paulo Gomes Vieira, que representa Santa Catarina no evento, participou da reunião virtual com o Ministro da Secretaria de Comunicação do Governo Federal, Paulo Pimenta. João Paulo destacou que o estado é contra a iniciativa do Governo Federal para regular as mídias sociais. "A determinação do nosso governador Jorginho Mello por transparência e efetividade na comunicação pública institucional passam pelo cuidado com a pretensa regulação das mídias. Santa Catarina é contra qualquer tipo de regulação nesse sentido”, enfatizou.

O projeto que cria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência, ficou conhecido como PL das Fake News e foi proposto pelo senador Alessandro Vieira (MDB) em 2020, mas ainda não há consenso sobre como a lei seria aplicada. Os pontos controversos do projeto abrem margem para a interpretação de que sua aprovação possa significar um risco à liberdade de expressão.
 

João Paulo Gomes Vieira, Secretário de Estado da Comunicação de Santa Catarina, durante participação no 4º Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação.

 

 

 

Por Maga Stopassoli 16/04/2024 - 19:53 Atualizado em 17/04/2024 - 11:41

Pela terceira vez, durante o mesmo mandato, o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier (PP), foi alvo de uma operação policial. A primeira foi em maio de 2021, quatro meses após o início de seu mandato como prefeito de Urussanga, para o qual havia sido eleito, ao lado de Jair Nandi (PSD), em outubro de 2020. A Operação Benedetta apurou supostas irregularidades na gestão de recursos federais. À época, ele ficou afastado do cargo por 1 ano e um mês e retornou às funções em junho de 2022. Como desdobramento do caso, ele foi alvo de duas tentativas de cassação na Câmara de Vereadores, que não prosperaram. Em dezembro de 2022, uma nova operação lhe rendeu mais uma investigação. Dessa vez, a Operação Wotman passou a apurar possíveis crimes de corrupção ativa, por conta de uma Comissão de Investigação instaurada na Câmara municipal. Ele inocentado e o caso foi arquivado.

Já na manhã desta terça-feira (16), a 2ª fase da Operação Terra Nostra, que apura supostos desvios de recursos públicos, Gustavo Cancelier, dois vereadores e um servidor, foram presos preventivamente. Os mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, por meio da desembargadora Cinthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaefer, a mesma da Operação Mensageiro. No centro da ação, estão os crimes de organização criminosa, falsidade ideológica e a aquisição de imóveis superfaturados. Ainda na tarde desta terça-feira, o vice-prefeito, Jair Nandi, assumiu novamente a prefeitura do município, função que já ocupou em 2022, em circunstâncias semelhantes.

As ações que o prefeito afastado Gustavo Cancelier responde na Justiça cabem a ele e à sua defesa. É seu direito se defender daquilo que é acusado. Pode ser que, ao final do processo, prove sua inocência e possa retomar a normalidade da sua vida pública. Mas, enquanto isso não acontece, Gustavo Cancelier deveria se afastar em definitivo de suas funções, tanto na prefeitura de Urussanga, quanto da presidência da Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera), mandato que assumiu em janeiro deste ano. A Amrec, diga-se de passagem, que viveu uma gestão anterior marcada por picuinhas e por uma nítida dificuldade de superar as diferenças entre alguns representantes. Neste caso, o próprio Gustavo não deveria ter aceitado a função, já que Urussanga precisava de dedicação integral. O município, que já foi referência pela sua cultura italiana, viu desaparecer seu nome do noticiário que durante anos mostrou tudo que a Benedeta tinha de melhor. Há quatro anos, Urussanga mudou da editoria de cultura e turismo para a editoria de polícia. Nem a cidade, nem seus moradores, não mereciam isso.

Entrar para a vida pública, requer dedicação e, na maioria das vezes, desapego da sua própria vida, já que o trabalho nunca tem fim. Cuidar da saúde, educação, infraestrutura toma tempo todo o tempo de quem escolhe a árdua missão da vida pública. Sair da vida pública não é diferente. Abrir mão do poder em benefício de sua cidade, também é um ato de grandeza. Não há clima para que o chefe do executivo urussanguense permaneça em suas funções, nas condições atuais. E esta decisão não precisa partir da Câmara de Vereadores. É um ato solitário, grandioso e necessário. Urussanga precisa parar de virar notícia policial e voltar a falar de investimentos e desenvolvimento, em respeito a sua história, à sua gente e a todos aqueles que deram início à cidade, lá em 1878. 

Por Maga Stopassoli 16/04/2024 - 14:10 Atualizado em 16/04/2024 - 14:23

Um dos principais articuladores políticos do estado de Santa Catarina, deputado estadual, Júlio Garcia (PSD), foi entrevistado no Parlatório, programa que vai ao ar toda segunda-feira, na rádio Som Maior. No mesmo dia em que Acélio Casagrande anunciou sua ida para o PL, Júlio concedeu uma entrevista sem rodeios. Ele falou não só sobre Acélio, claro, mas sobre os recentes encaminhamentos no PSD/Criciúma.

A saída do deputado federal Ricardo Guidi de seu partido, foi um dos primeiros assuntos abordados e Júlio não titubeou mas foi sucinto. Disse que essa história é página virada, tanto para ele, quanto para o PSD e não escondeu o ressentimento de perder um deputado federal, quando, em suas palavras, o partido poderia manter um federal e ainda disputar a prefeitura. “Perdemos um federal, aqui do Sul, onde tanto se luta para tentar eleger representantes da região e perdemos uma vaga pra um deputado do norte do estado e ninguém falou nada”, reclamou.

Ele se referiu às tentativas do PSD de manter Ricardo Guidi como deputado federal e de Arleu da Silveira disputar a vaga de prefeito. Essa novela começou ainda em 2023, quando o prefeito de Criciúma saiu do ninho tucano e migrou para o partido de Júlio com a garantia de que o candidato a prefeito em Criciúma seria uma indicação sua. Fato que se concretizou e que teve como desdobramento imediato, o afastamento de Ricardo com outros integrantes do partido.

No Domingo de Páscoa, data em que a igreja católica celebra a ressurreição de Cristo, Julio Garcia fez uma última tentativa para ressuscitar a chance de Ricardo Guidi permanecer no PSD e se submeter a disputar com Arleu, através de uma pesquisa, a vaga de prefeito. Quem estivesse melhor, seria o candidato. O que aconteceu depois, você já sabe. Sobre isso, o deputado disse que sentiu que Ricardo não iria aceitar a proposta quando este pediu pra mudar alguns pontos do acordo, como, por exemplo, poder escolher quem seria o vice.

Sobre Arleu, Júlio Garcia disse que a escolha se deu pelo preparo do agora ex-secretário-geral do governo Salvaro. “Temos uma eleição de prefeito, não é concurso de beleza, nem de simpatia. Nós vamos eleger um prefeito e ele está preparado”, declarou.
Ainda sem definições sobre quem poderá compor com Arleu e ocupar a vaga de vice, Júlio disse que esse não é o foco agora. Ele pontuou ainda que não iria falar sobre a decisão de Acélio, de migrar para o PL e disse que questões pessoais o fizeram tomar essa decisão.

O deputado foi questionado sobre quais serão seus próximos passos na política e se Clésio Salvaro poderá disputar a uma vaga na Câmara Federal. Ele foi enfático: “o Clésio estará na majoritária (estadual) em 2026. O Arleu vai ganhar a eleição e o Clésio vai pra majoritária”, projetou. Ele destacou que, para isso, Clésio precisa eleger o sucessor.

As declarações de Julio Garcia ocorreram num momento em que o PSD de Criciúma contabilizou duas semanas seguidas de perdas de apoios importantes para o projeto eleitoral deste ano. O vice-prefeito, Ricardo Fabris, que migrou para o MDB, Ricardo Guidi, agora PL e Acélio Casagrande, também PL. Além desses, o empresário Anselmo Freitas, apoiador de primeira hora de Clésio, esteve com Acélio Casagrande, durante a visita ao governador que sacramentou sua ida para o PL. O PSD de Criciúma passou por um processo de “Salvarização”. O partido passou a ter o perfil do prefeito e é a partir desse ponto de partida que a sigla deve fazer os ajustes necessários para que a previsão de Júlio Garcia se cumpra.

Ouça a entrevista completa neste link.

Por Maga Stopassoli 14/04/2024 - 19:27 Atualizado em 15/04/2024 - 08:45

A saída dos secretários municipais Acélio Casagrande (Secretaria da Saúde) e Arleu da Silveira (Secretaria Geral), foi marcada por muito mais do que a despedida de ambos de suas pastas e chegada de seus sucessores. Foi uma oportunidade impar de se observar o tamanho do distanciamento do agora ex-secretário Acélio, do governo Salvaro e, também, o quanto o atual prefeito está disposto a defender seu candidato a sucessor, Arleu da Silveira. Se até uma semana atrás, Acélio era o vice perfeito para a chapa com Arleu, agora, a coisa ficou “se ele não me quis, agora eu não quero mais”. Acélio deixou evidente seu descontentamento em ser escalado para compor com Arleu ao, sequer, se manifestar publicamente nas últimas semanas sobre a possibilidade.

Na semana passada, no último dia do prazo para troca partidária, Clésio Salvaro entrou em campo para garantir que Acélio permanecesse em seu projeto político. Ele não cedeu. Disse que seria ele próprio o candidato a prefeito pelo PSDB. Era uma forma de escapar da pressão que vinha sofrendo tanto do PSD, quanto do PL. Com isso, ganhou fôlego e tempo para decidir seu futuro político. O efeito de sua negativa às investidas do PSD, veio rápido.

Na sexta, em sua despedida, era possível sentir ainda no estacionamento do Paço Municipal, o climão da cerimônia que estava por vir. Acélio foi homenageado com um vídeo sucinto e curto que resumia sua passagem pela Secretaria da Saúde de Criciúma. Em seu discurso de adeus, disse:

"Eu tenho, sim, muita gratidão ao prefeito Salvaro, ao vice-prefeito Ricardo, por terem me dado esta oportunidade de cinco anos. Eu vou continuar sendo grato, sempre, a eles por terem me dado essa oportunidade, assim como Eduardo Moreira, Paulo Meller, Raimundo Colombo".

Depois foi a vez de Arleu ser homenageado, com direito a vídeo dos servidores municipais, ambiente onde ele ainda sofre resistência política. Na entrada do Salão Ouro Negro, na prefeitura, uma foto dele com o slogan “Acelera, Arleu”, um trocadilho com o projeto que ele coordenou até sexta-feira, batizado de “Acelera Criciúma”. Ele disse:

"A vida é feita de amigos, a vida é feita de gratidão, a vida é feita de lealdade e respeito. Por isso, prefeito Salvaro, você é um dos meus amigos, aquele amigo que está na hora ruim. Nós passamos horas ruins, nós passamos por momentos difíceis e ficamos juntos".

Clésio Salvaro buscou na religião um elo com a mensagem que queria deixar. Ele começou dizendo que passou um filme em sua cabeça de quando fez sua Primeira Eucaristia e recebeu um conselho de sua mãe de que não deveria mastigar a hóstia recebida do padre. “Se morder, é pecado, vai sair sangue da boca e tu vai pro inferno”, relembrou. “E o pai, ao lado, dizia: nunca esqueça, que uma das palavras mais sagradas do homem é a gratidão. quando a gente morde esta palavra, a gente não vai pro céu, e também não vai pro inferno. A gente vai viver o inferno aqui”, continuou.

Em seguida, o prefeito de Criciúma agradeceu os serviços prestados por Acélio Casagrande e provocou, dizendo: “Tu frequentou e espero que continue frequentando a minha casa, espero que continue indo na casa da tia Bimba tomar café e espero que viva verdadeiramente essa palavra sagrada chamada gratidão”.
Para Arleu, Salvaro jurou estar junto em todos os momentos. “Eu vou estar contigo em todos os momentos, não tenha a menor dúvida disso. Aqui tem palavra. Aqui sabe o que é gratidão. Não te abandonarei nunca, juro. Tu podes continuar indo na casa do meu pai, e na tia Bimba tomar café domingo de manhã.”

A partir desta segunda-feira, Arleu da Silveira estará de volta à câmara de vereadores, reassumindo seu mandato, que estava ocupado pelo suplente de vereador, Netto Ugioni. Já Acélio Casagrande ainda não tornou pública sua decisão sobre seu futuro político. Ele será nosso entrevistado nesta segunda-feira (15), na rádio Som Maior para falar sobre o assunto. Ele tem convite do governador Jorginho Mello para integrar a equipe da Secretaria de Estado da Saúde, informação dada por Adelor Lessa em seu blog. Se ele aceitar, será mais um importante aliado do pré-candidato a prefeito Ricardo Guidi (PL), principal adversário de Arleu nas eleições deste ano. De gratidão em gratidão e de indireta em indireta, sobrou pra todo mundo, até pra tia Bimba, a famosa tia do prefeito Clésio Salvaro, que costuma receber aliados políticos do Tchatcha (como Salvaro é chamado na família), aos domingos pela manhã. Em ano de eleição, ah se o café da Bimba falasse!
 

A Santa Ceia no Paço Municipal. Sexta-feira, 12 de abril de 2024. 



 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 09/04/2024 - 20:32 Atualizado em 09/04/2024 - 20:56

Os eleitores criciumenses na faixa dos 30 anos de idade nunca votaram numa eleição municipal sem ter Clésio Salvaro como opção na urna. Desde que completaram a maioridade e, com isso, passaram a ter direto ao voto, sempre tiveram Salvaro como opção na hora de votar. Em 2024 esse cenário será diferente. Por ter sido eleito em 2016 e reeleito em 2020, o atual prefeito de Criciúma não poderá concorrer novamente este ano, já que cumpriu dois mandatos consecutivos no executivo municipal. Neste caso, ele pode indicar um candidato de sua preferência para disputar no lugar deixado por ele.

Atualmente estamos no período chamado de pré-campanha, que é quando os candidatos podem expressar seu desejo de concorrer a um cargo político, mas não podem pedir votos, por exemplo. É quando cada interessado tenta viabilizar sua candidatura e faz isso buscando alianças com outros partidos ou o apoio de pessoas de diferentes segmentos da sociedade.

Em Criciúma, até o momento, existem cinco pré-candidaturas postas.
Veja quem são:

Ricardo Guidi (PL) – deputado federal licenciado e atual Secretário de Estado do Meio Ambiente de Santa Catarina, Ricardo se filiou ao PL no último dia 4 de abril e fez o anúncio durante uma coletiva de imprensa, em seu gabinete em Criciúma. O encontro contou com a presença de Jorginho Mello, governador e atual presidente estadual do partido, além de representantes de outras siglas partidárias. A filiação de Ricardo Guidi ao PL ocorreu após uma longa batalha interna dentro do agora seu ex-partido, que já havia definido que o pré-candidato a prefeito seria Arleu da Silveira.  Ricardo não conseguiu viabilizar sua candidatura no PSD e acabou migrando para o PL.

Arleu da Silveira (PSD) – vereador, secretário-geral do município de Criciúma e braço-direito de Clésio Salvaro, se filiou ao PSD em março deste ano, com a missão de ser o sucessor do atual prefeito. O lançamento da pré-candidatura de Arleu ocorreu no dia seis de março, durante encontro regional do PSD em Criciúma. Ele vai tentar atrair os votos que seriam de Clésio Salvaro para garantir sua eleição. Arleu da Silveira deixará seu posto no governo municipal nesta sexta-feira (12), cumprindo o prazo legal de desincompatibilização para quem quer ser candidato.

Acélio Casagrande (PSDB) – secretário de saúde de Criciúma, foi candidato a deputado estadual em 2022 e fez 39 mil votos, mas acabou não se elegendo. Acélio foi figura de destaque durante o combate à pandemia de Covid-19 em Criciúma. Ele chegou a ser cotado como opção para ser o candidato a vice-prefeito, tanto na chapa com Ricardo Guidi, quanto com Arleu da Silveira. Na última semana, ele também esteve no centro das atenções dos que aguardavam seu posicionamento sobre seu futuro político para saber de quem ele seria vice. No fim da tarde de sábado (6), ele surpreendeu os dois interessados em tê-lo ao lado e anunciou que não seria vice de ninguém e, sim, candidato a prefeito. Acélio também deixa a secretaria da Saúde na próxima sexta-feira.

Arlindo Rocha (PT) – advogado e ex-prefeito de Maracajá (2017-2020), se filiou ao Partido dos Trabalhadores em março deste ano, em Brasília, com a presença do presidente da República, Lula da Silva. Arlindo foi prefeito de Maracajá, mas não foi à reeleição pois disse que é contra esta prática. Se confirmada sua candidatura, será a opção da esquerda nas urnas na eleição deste ano em Criciúma.

Júlio Kaminski (PP) – advogado e vereador, está filiado ao Progressistas e também já foi cotado como opção para compor com Ricardo Guidi. Até o momento, as conversas não evoluíram e ele segue pré-candidato a prefeito pelo seu partido.

Paulo Ferrarezi (MDB) – vereador e pré-candidato pelo MDB, ele já admitiu publicamente que sua “chapa dos sonhos”, seria Ricardo Guidi e Paulo Ferrarezi. Mas recentemente ele também voltou a dizer que é pré-candidato a prefeito.

Se antes todas as atenções estavam voltadas para ver quem se filiaria a qual partido ou quem mudaria de sigla, prazo encerrado no último sábado, agora, o foco serão as convenções partidárias, marcadas para acontecer entre 20 de julho e 5 de agosto. É neste período que os partidos precisam decidir quem de fato, serão os candidatos. Depois disso, eles têm até 15 de agosto para registrar as candidaturas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) e, a partir do dia 16, já podem iniciar o período de campanha. Enquanto isso, todos os interessados em disputar a eleição adotam estratégias que melhor atenda às suas intenções. É possível, ainda, que nem todos os nomes apresentados se consolidem na disputa, assim como podem surgir novos nomes no cenário.

Até o mês de abril, nenhuma candidatura feminina surgiu para disputar a majoritária em Criciúma, fato que chama atenção, já que Criciúma conta com três vereadoras e duas deputadas federais entre seus parlamentares.

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 09/04/2024 - 14:50 Atualizado em 09/04/2024 - 17:16

O ex-deputado estadual Cleiton Salvaro (PL) é uma das possibilidades para compor como vice na chapa de Ricardo Guidi (PL) à eleição de Criciúma.

Cleiton é primo do prefeito Clésio Salvaro (PSD) e era uma das pessoas presentes na coletiva de Guidi com o governador Jorginho Mello (PL), quando Ricardo anunciou a filiação ao Partido Liberal e a candidatura a prefeito.

Em 2014, fundou o PSB em Criciúma concorreu a uma vaga à Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), elegendo-se com 14.986 votos para a legislatura de 2015 a 2019.

Dois anos depois, chegou a lançar uma candidatura a prefeito de Criciúma, ainda pelo PSB, tendo a então vereadora Tati Teixeira, falecida em 2023, como candidata a vice. Mas Cleiton desistiu já durante a campanha. Quando Clésio Salvaro obteve o aval da Justiça Eleitoral para concorrer, Cleiton retirou a candidatura dizendo que não deveria haver "divisão de forças que transcendesse as questões políticas e familiares".

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 07/04/2024 - 17:25 Atualizado em 07/04/2024 - 17:25

O Brasil enfrenta a pior crise na saúde provocada pela dengue desde 2015. Só neste ano, foram registrados mais de 2,4 milhões de casos em todo o país. Só em Santa Catarina, são 35 mil casos confirmados e 59 mortes. Mudanças climáticas e a estação do verão, são fatores que auxiliam a propagação do mosquito que provoca a doença, o Aedes aegypti. Em Santa Catarina a situação não é diferente. Embalados por ondas de calor intenso e chuvas, o estado vive seu pior momento no enfrentamento à doença. Reflexo disso é a superlotação dos hospitais e, por consequência, uma eminente crise na saúde que vê a doença se alastrar enquanto tenta conscientizar a população sobre a importância de combater o mosquito. Diante do cenário preocupante, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, emitiu nota informando que apesar do cenário preocupante, nenhum paciente deixou de ser atendido.

Conforme o pesquisador Wanderson Oliveira, ex-chefe da Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde (SVS) e epidemiologista do Hospital das Forças Armadas, o Brasil está no meio do período mais crítico do ano para doenças como dengue, zica e Chikungunya.
Nesta segunda-feira (8), a Secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto, será nossa entrevistada no programa Adelor Lessa, na rádio Som Maior, para tratar do assunto.

NOTA OFICIAL: A SITUAÇÃO DA SAÚDE EM SANTA CATARINA

A Secretaria de Estado de Saúde esclarece que o cenário desafiador atualmente enfrentado na saúde de Santa Catarina também atinge o restante do país.

A superlotação das UPAs, Unidades Básicas de Saúde e Hospitais se dá, principalmente, pela dengue e também pelas doenças respiratórias.

o Estado registra 28.495 mil focos com 35.287 casos confirmados e 59 óbitos. Atualmente temos 244 pacientes internados, sendo que 26 por dengue hemorrágica.

Sobre as doenças respiratórias, houve um aumento de 39% de internações entre os meses de fevereiro e março. Mesmo a vacina da gripe sendo antecipada e disponibilizada ao público alvo, os índices de vacinação ainda estão muito aquém do esperado. Do grupo prioritário, apenas 10% da população fez a vacina.

Ressaltamos que, mesmo com a superlotação dos hospitais, nenhum paciente ficou desassistido ou sem um leito de UTI. No ano passado foram abertos 150 novos leitos em várias regiões do Estado.

Nesta semana serão abertos mais 8 leitos de UTI em Caçador. E ainda este mês serão abertos 10 leitos em Joaçaba, 10 em Itajaí, 15 em Lages e 5 em Chapecó. Nesta sexta-feira, 5 de abril, o painel apresenta 100 leitos de UTI disponíveis, com maior faixa de ocupação em 95% de leitos adultos. Desta forma, reafirmamos a importância de ações preventivas de combate à dengue assim como a vacinação dos grupos prioritários contra a gripe.

Apesar das longas filas de espera, com mais de 200 mil pacientes que aguardavam por uma cirurgia, foram realizadas 405.896 cirurgias entre eletivas e emergenciais na atual gestão (de janeiro de 2023 até março de 2024).

Também destacamos, que a Secretaria da Saúde segue realizando a melhoria das estruturas dos hospitais próprios do Estado, que estavam abandonadas há décadas, e apoiando os hospitais filantrópicos.

O Governo do Estado reafirma seu compromisso com os catarinenses e não medirá esforços para bem atender a população.

GOVERNO DE SANTA CATARINA
Secretaria da Saúde.


 

Por Maga Stopassoli 06/04/2024 - 18:27 Atualizado em 09/04/2024 - 11:22

Acélio nem esperou o final do jogo entre Criciúma e Brusque para tornar pública sua decisão sobre seus próximos passos na política. Ele anunciou que não aceitou o convite do governador Jorginho Mello para se filiar ao PL e vai permanecer no PSDB. Com isso, chega ao fim a dúvida sobre: “e o Acélio, vai ou não vai?”. Ele ficou.

Acélio permaneceu recluso nos últimos dias enquanto se aconselhava com pessoas de sua confiança. Na noite desta sexta-feira (5), ele publicou uma foto nas redes sociais, ao lado do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, do MDB, partido onde permaneceu boa parte de sua vida pública. Na legenda, disse que sentia saudade dos conselhos de LHS, que morreu em 2015. Na última semana, o blog informou que a possibilidade de chapa pura do PL em Criciúma estava em discussão. A hipótese não confirmou, apesar da entrada de campo do governador Jorginho Mello para tentar convencer Acélio. Jorginho veio até Criciúma neste sábado para assistir à final do campeonato catarinense. Acélio se filiou ao PSDB em maio de 2021, partido pelo qual concorreu ao cargo de deputado estadual. Ele fez 39 mil votos mas não se elegeu. Mais cedo, o blog publicou uma análise sobre o silêncio de Acélio Casagrande após ser anunciado como pré-candidato a vice. Em sua decisão ele disse que não será vice. Ele vai se candidatar a prefeito de Criciúma pelo PSDB. A comprovar que ele estava desconfortável com os encaminhamentos dados pelo seu partido para que ele fosse vice de Arleu. Agora, nem de Arleu, nem de Guidi.

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 06/04/2024 - 17:13 Atualizado em 06/04/2024 - 17:16

O filho do ex-presidente, Jair Bolsonaro, Jair Renan Bolsonaro, está no estádio Heriberto Hulse, acompanhando a final do catarinense entre Criciúma e Brusque. 
Ele está companhado dos deputados federais do PL, Júlia Zanatta e Daniel Freitas, além do governador Jorginho Mello. 

Por Maga Stopassoli 06/04/2024 - 15:34 Atualizado em 09/04/2024 - 11:23

Faltando menos de 8 horas para o fechamento da janela partidária, quando os interessados em concorrer às eleições podem trocar de partido, uma pergunta ainda não foi respondida: “e o Acélio, vai ou fica?”.

Ir, significa sair do PSDB e migrar para o PL, o partido do governador e, agora, também, de Ricardo Guidi, sigla para a qual já foi convidado. Ficar, significa permanecer em seu atual partido, o PSDB e ser vice de Arleu da Silveira (PSD). Neste momento de indecisão, Acélio compartilha de um sentimento que também foi vivido recentemente por Guidi: a falta de clima em seu atual partido. Há um entendimento na política de que para algumas coisas acontecerem, precisa-se de um fato e de clima. O fato, para Acélio, é a possibilidade de estar na majoritária. Mas em seu atual partido falta clima.

E isso ficou ainda mais evidente depois que, na última semana, quando o presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, anunciou Acélio como o candidato a vice de Arleu e, horas depois, o partido disse que a escolha do vice seria feita através de pesquisa. Ele teria de disputar a indicação com a vereadora Roseli De Lucca. Esse é outro detalhe que parece não fazer sentido, já que Acélio é “bom de voto”, como disse Marcos Vieira à Som Maior. Então por qual motivo ainda precisaria disputar a vaga de vice?

No mesmo dia e após ser anunciado, mais um detalhe chamou atenção o suficiente e motivou esse texto: o silêncio de Acélio sobre o “lançamento” de seu nome a vice pelo PSDB. Quem é indicado candidato a prefeito ou vice, costuma se alegrar com a notícia, dar declarações, atender a imprensa. Não foi o que aconteceu com Acélio. Ele permaneceu em silêncio, sem nenhuma manifestação pública sobre o assunto e sem atender a imprensa. Na quinta-feira (4), um dia depois, circulou a informação (publicada por este blog) de que o PL discutia a possibilidade de chapa pura, com Guidi e Acélio. Minutos antes da coletiva convocada por Ricardo, uma nova informação dava conta de que Acélio havia decidido permanecer no PSDB e aceitar o convite para ser vice na chapa com Arleu da Silveira. Mais uma vez, nenhuma declaração, nenhuma reação partiu do ainda secretário da Saúde de Criciúma, além de continuar sem responder mensagens ou ligações. Na sexta pela manhã, o dia começou com uma reunião a portas fechadas com Acélio e os peessedistas, Clésio Salvaro, Júlio Garcia e Arleu da Silveira. O movimento tinha o objetivo de frear a perda de lideranças do governo municipal. É que nesta mesma semana, migraram para outras siglas, o vice-prefeito, Ricardo Fabris que escolheu o MDB, e Verceli Coral, agora filiado ao PL.

Até o momento, Acélio permanece sem falar sobre o assunto. A impressão que fica é que ele não tomou nenhuma decisão ainda, mas que a ideia de ser vice de Arleu não o empolgou o suficiente para que ele se manifestasse.

Neste sábado, o governador Jorginho Mello vem mais uma vez à Criciúma e ele até que arrumou uma boa desculpa para isso. Na agenda oficial, o motivo da viagem é para acompanhar a final do campeonato estadual entre Criciúma e Brusque, às 16h30, no Heriberto Hulse. Mas a coincidência é que justamente hoje encerra o prazo para que Acélio mude de partido e o governador está na cidade. É possível que eles conversem novamente ainda hoje e isso seja decisivo para a decisão de Acélio. Até lá, fica o questionamento: “e o Acélio, vai ou fica?”.

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 04/04/2024 - 14:48 Atualizado em 04/04/2024 - 15:05

O governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), estará em Criciúma nesta quinta-feira (4), para participar da coletiva de imprensa convocada por Ricardo Guidi. A presença do governador antecipa o que deve ser anunciado por Ricardo Guidi, no fim da tarde de hoje: sua saída do PSD e filiação ao PL, partido pelo qual deve concorrer as eleições deste ano. A alteração na agenda do governador, dá mostras que a decisão final só foi tomada hoje. A informação sobre a vinda de Jorginho, foi antecipada na semana passada pelo meu colega, Adelor Lessa e estava prevista para acontecer nesta quarta-feira (3), fato que acabou sendo confirmado pelo blog, com fontes próximas a Ricardo, para ocorrer hoje. 

 

"E o Guidi", perguntavam os repórteres. Foto: arquivo



 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 04/04/2024 - 14:13 Atualizado em 04/04/2024 - 15:05

Anunciado na manhã dessa quarta-feira pelo presidente estadual do seu partido, Marcos Vieira, como vice de Arleu da Silveira, Acélio Casagrande, secretário da Saúde em Criciúma, pode terminar o dia fora do comando da pasta (e do governo Salvaro) e ainda anunciado como vice de Ricardo Guidi. Pelo menos são essas as especulações que estão rondando o cenário político de Criciúma nesta quinta-feira (4).

Acélio ainda está filiado ao PSDB, mas, com a janela partidária se fechando neste fim de semana, ele precisa tomar uma decisão se quiser concorrer na majoritária em 2024. Vale lembrar que Ricardo e Acélio é a chapa pretendida por Jorginho Mello, presidente estadual do PL, desde o fim do ano passado. Fazendo jus à fama de "ciscar pra dentro", o governador atuou pessoalmente na provável composição da chapa em Criciúma.

A coletiva de Ricardo Guidi está prevista para esta quinta, 19h, em seu gabinete em Criciúma. 

 

Acélio toma um café enquanto a quinta-feira não termina. Imagem de arquivo Portal 4oito.



 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 04/04/2024 - 13:39 Atualizado em 04/04/2024 - 15:05

Ricardo Guidi vai conceder uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (4), 19h, em seu gabinete, em Criciúma. Deverá anunciar sua saída do PSD e filiação ao PL, partido pelo qual deve ser candidato a prefeito de Criciúma. 
Foto arquivo.

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 04/04/2024 - 12:10 Atualizado em 04/04/2024 - 12:16

O julgamento do recurso do processo que pede a cassação do senador catarinense Jorge Seif (PL) e que teve início hoje pela manhã, no TSE, em Brasília, tirou da toca um apoio criciumense. O prefeito Clésio Salvaro publicou um vídeo nesta quinta-feira (4), declarando apoio ao senador bolsonarista. No vídeo, Clésio se comparou ao senador ao dizer que “uma vez tomaram o meu mandato com quase 80% dos votos e eu acabei não podendo assumir a prefeitura, lá em 2013”, disparou.

Sobre Jorge Seif, ele fez um pedido aos ministros responsáveis por julgar a ação. “Ao julgar o caso do Seif, que levem em consideração os mais de 1.4 milhão de votos que ele recebeu pra ser senador. O voto é o que melhor representa a democracia. Senador, to torcendo por você, táokey?!”, finalizou Clésio Salvaro.

O gesto do prefeito de Criciúma ocorre na mesma semana em que pode ocorrer a confirmação de uma candidatura do PL no município, em oposição ao seu candidato. Clésio acena ao bolsonarismo e tenta capitalizar para si (para o seu projeto político), uma importante fatia de votos: a do eleitor que vota em quem Jair Bolsonaro indicar.

Pouco antes do meio-dia, o presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, suspendeu o julgamento da ação que será retomado no próximo dia 16.

Assista ao vídeo aqui:

 

 

Por Maga Stopassoli 03/04/2024 - 08:58 Atualizado em 03/04/2024 - 17:02

O deputado federal licenciado e atual secretário de estado do Meio Ambiente, Ricardo Guidi, já é PL na Austrália. O anúncio oficial deve acontecer entre esta quarta e quinta-feira. Primeiro, ele deve comunicar seu partido, o PSD, sobre sua decisão. Depois, fará o anúncio de filiação ao Pl, partido pelo qual irá concorrer a prefeito de Criciúma.

Nos últimos dias o PSD chegou a fazer uma proposta a ele para definir quem seria o candidato do partido em Criciúma, mas os termos apresentados não foram suficientes para convencê-lo a ficar na sigla e disputar a vaga com Arleu da Silveira, candidato a sucessor de Clésio. 

Acélio com Arleu

Hoje cedo, o deputado estadual Marcos Vieira (PSDB), concedeu entrevista a rádio Som Maior e disse que estará em Criciúma nesta quarta para oficializar o nome do secertário da Saúde, Acélio Casagrande, como pré-candidato a vice-prefeito na chapa com Arleu.

Essa informação deixa claro que o PSD não cogitava abrir mão da candidatura de Arleu, diferente do que deu a entender na nota divulgada na segunda-feira (1).

Ainda sobre isso, o anúncio de Acélio na chapa peessedista, põe fim às especulações sobre um possível troca de partido do secertário criciumense e encerra publicamente essa discussão. Vale lembrar que Acélio chegou a figurar como possibilidade de estar na chapa do próprio Ricardo Guidi, mas esse assunto agora está encerrado. 

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 02/04/2024 - 11:11 Atualizado em 02/04/2024 - 16:49

A nota divulgada ontem pelo PSD oferece pelo menos duas interpretações iniciais: a primeira, que nunca se deve subestimar a capacidade estratégica de Júlio Garcia, já que a iniciativa da reunião (e da nota) foi dele. A segunda, que os encaminhamentos do PSD em Criciúma estão vinculados umbilicalmente ao seu comando.

Ao levantar uma espécie de bandeira branca, Julio tira de Ricardo Guidi seu principal argumento até agora, que era a falta de espaço em seu partido, já que o nome anunciado até então é o de Arleu da Silveira. Na reunião que teve com Júlio, Clesio e Arleu, no último domingo, Ricardo Guidi ouviu que, se ele aceitar, a decisão sobre quem será o candidato da sigla, em Criciúma, será feito, então, a partir de uma pesquisa que iria para a rua em julho.

Em todas as entrevistas que concedeu, Guidi sempre recorreu a essa alegação para justificar sua permanência no partido. Ele dizia que o partido iria escolher seu candidato através de pesquisa, mas não sabia dizer quais seriam os termos dessa pesquisa. Ele pediu um tempo para decidir se aceita ou não a proposta. Aceitar a condição do partido, é abrir mão de uma candidatura a prefeito bem encaminhada pelo PL e ter de ir para uma disputa interna.

Não aceitar a condição significa praticamente abrir mão do mandato de deputado federal, já que, legalmente, Ricardo perde seu principal argumento para brigar pelo seu mandato mesmo trocando de partido: a falta de espaço do PSD, que escolheu Arleu em vez dele.

Se for trocar de partido, o prazo termina no próximo sábado, dia 6. Se não for trocar, o prazo para definição interna é um pouco maior, já que teriam até agosto, época final das convenções partidárias. A decisão de Ricardo pode ocorrer sem ele dizer nenhuma palavra, pois se aceitar a condição, significa que permanecerá no partido, sem precisar fazer nenhum movimento. Ou, se levar adiante a decisão de ir para o PL, aí, sim, o prazo termina sábado e implica em ter de fazer, ao menos, um comunicado.

A nota peessedista divulgada ontem permite concluir, ainda, que não há certeza absoluta sobre a candidatura de Arleu e que o partido pretende esgotar todas as possibilidades de evitar uma disputa entre PSD e PL, em Criciúma, neste caso, representados por Ricardo e Arleu. Pelo menos, por enquanto.

Sempre se soube que a condição para que o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, se filiasse ao partido de Júlio Garcia, era poder indicar o candidato a prefeito na cidade e esse nome era o de Arleu da Silveira. A nota do PSD sinaliza que Júlio está em campo, atuando pessoalmente para afastar para bem longe qualquer possibilidade de uma derrota nas urnas ou de uma eleição difícil, nem que, para isso, seja preciso mudar o já anunciado pré-candidato a prefeito.

E Julio Garcia teria um plano B para resolver a questão? Essa seria uma mudança de rota no que estava posto e permite a interpretação de que Clésio Salvaro não tem a palavra final nos encaminhamentos do partido em Criciúma. Mas, tudo isso são possibilidades. Há ainda outras nuances no conteúdo do texto encaminhado à imprensa nesta segunda-feira.

Ricardo Guidi segue sem se manifestar sobre o assunto, desde domingo. Ele pediu mais tempo para pensar e o prazo para isso se esgota nesta quarta-feira, dia 3. Até lá, vai pesar se fica no PSD e aceita as regras do jogo ou se vai para o PL, com o apoio do governador. Enquanto isso, Júlio Garcia segue sendo o maior político em atuação em Santa Catarina, entregando aos apreciadores dos bons embates políticos uma tacada de mestre.

Confira a nota do PSD

NOTA OFICIAL Estiveram reunidos neste domingo 31/03, em Criciúma, o deputado federal Ricardo Guidi, o deputado estadual, Julio Garcia, o prefeito municipal Clésio Salvaro e o secretário municipal, Arleu da Silveira, onde foi discutida a seguinte proposta visando a eleição 2024:
1. Submeter à Executiva Estadual os critérios para escolha do candidato a Prefeito de Criciúma pelo PSD.
2. PROPOSTA:
2.1. O candidato será escolhido por pesquisa de opinião pública, a ser contratada pela Executiva Estadual, com campo na primeira semana de Julho de 2024.
2.2. Os detalhes da pesquisa, bem como o Instituto, serão decididos de comum acordo entre os pré-candidatos, com mediação da Executiva Estadual, caso não haja acordo entre os dois.
3. No período compreendido entre a decisão da Executiva Estadual e a pesquisa, os pré-candidatos darão curso à pré-campanha e buscarão o apoio de outros partidos, mantendo respeito mútuo e valorizando o partido.
4. A Executiva Estadual deliberará sobre a presente proposta até o dia 03/04/2024. Todos os participantes aprovaram os termos do acordo, mas o deputado federal Ricardo Guidi pediu prazo até esta segunda-feira para consultar a família e decidir se assinaria a Nota. No entanto, nesta data, o deputado solicitou mais prazo para manifestar sua posição. Subscrevem a nota: Deputado Estadual: Julio Garcia Prefeito Municipal: Clésio Salvaro Secretário Municipal: Arleu da Silveira


 

Foto de arquivo da Agência AL, registrada em abril de 2022. Mas parece que foi ontem (ou domingo). 

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 01/04/2024 - 15:58 Atualizado em 02/04/2024 - 16:50

Desde a polêmica indicação de Filipe Mello para a Secretaria da Casa Civil, em janeiro deste ano, o filho do governador não havia participado publicamente de nenhum evento partidário. Passados três meses desde então, na semana passada, ele esteve presente no evento de filiações promovido pelo PL, na capital. Não é de hoje que Filipe participa da vida política do pai, Jorginho Mello, assim como seu irmão, Bruno Mello. E foi justamente essa relação de confiança que fez com que Jorginho o indicasse para ocupar a pasta que segue sob comando do interino, Marcelo Mendes.

A indicação trouxe de volta a discussão sobre a legalidade do filho do governador ocupar um cargo no governo. Por se tratar de um cargo de confiança, no primeiro escalão, a indicação não teria nenhum fator ilegal, conforme entendimento do STF, mas uma ação movida pelo Psol, acabou fazendo com que o próprio Filipe, em conversa com Jorginho, decidisse que o melhor seria não aceitar a secretaria. Embora não nomeado, o filho do governador permanece ativo politicamente, participando da articulação do PL e também de outras pastas do governo. A ação que virou polêmica, apenas impediu sua nomeação e ainda permite que Filipe tome decisões, mas não seja cobrado por isso, já que, efetivamente, não é secretário, ou, como se convencionou dizer, é um secretário sem pasta.

Prova da presença de Filipe nas atividades partidárias que envolvem o governador, foi sua aparição no evento do PL, na última quarta-feira (27), quando os liberais assumiram o romance com Topázio Neto (PSD). Durante seu discurso, agradeceu o irmão, Bruno Mello, citou Heleno e disse que “é 100% Topázio”.

“Não posso perder a oportunidade de fazer duas coisas. A primeira delas é de olhar pro Heleno (Orlandino, presidente do PL de Florianópolis), que tá ali, firme e forte, na batalha, e pro Bruno, meu irmão, e lembrar que alguns anos atrás, a luta que era pra, nesse mesmo lugar, a dificuldade que era pra trazer pessoas e hoje nessa noite ver essa casa cheia, todos aqui, empolgados, nos enche de alegria. Quero dizer também, que teve um radialista que disse que o Bruno apoiava a reeleição de Topázio e que eu era contra. Eu quero ter essa oportunidade pra dizer, prefeito Topazio, que o Filipe é 100% Topázio. o Filipe é PL e se o PL é Topázio, todos nós somos Topázio”.

O evento foi prestigiado pelas principais lideranças da Grande Florianópolis, além de deputados estaduais e federais da sigla e formalizou o noivado entre PL e PSD, em Florianópolis. A mesma dobradinha não vai se repetir de modo automático em outros municípios. PL e PSD poderão estar juntos – ou não - em outras cidades. O partido tem o objetivo de eleger pelo menos 100 prefeitos nas eleições deste ano.

 

PL e PSD vão casar, em Florianópolis. 
Filipe e Jorginho Mello, durante evento do PL, na última semana, em Florianópolis. 

 

Filipe diz que "é 100% Topázio". 


 

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 01/04/2024 - 14:42 Atualizado em 02/04/2024 - 16:50

O empresário Walmir Rampinelli, de Forquilhinha, se reuniu com o presidente do PL de Santa Catarina, o governador Jorginho Mello, na manhã desta segunda-feira, na Casa D'Agronômica, em Florianópolis. Rampinelli encerrou seu mandato como presidente da Coopera (Cooperativa Pioneira de Eletrificação), em Forquilhinha e agora se prepara para ser candidato a prefeito do município. Será a chapa de oposição ao atual prefeito, José Cláudio Gonçalves, o Neguinho (PSD). Procurado para falar sobre o encontro de hoje, Walmir Rampinelli não retornou a ligação. É que essa é uma semana decisiva para quem vai disputar as eleições deste ano e é hora de falar pouco e articular muito. 

 

Jorginho e Rampinelli, de olho nas eleições municipais deste ano, em Forquilhinha. Foto: fontes da Maga.

 

Tags: eleicoes2024

Por Maga Stopassoli 31/03/2024 - 18:25 Atualizado em 31/03/2024 - 18:26

O governador Jorginho Mello (PL) exonerou o diretor do Procon de Santa Catarina, Roberto Luiz Salum. A demissão ocorreu após vir à tona um boletim de ocorrência registrado por uma funcionária terceirizada do órgão, subordinada ao diretor, em que a mulher disse ter sido vítima de assédio sexual por parte de Salum. O fato teria ocorrido no dia 14 deste mês e o documento foi registrado nesta quarta-feira, dia 27, na Delegacia da Mulher, no bairro da Agronômica, em Florianópolis. O caso foi noticiado em primeira mão, nesta quinta-feira, pelo blog.

Já na sexta-feira, o Governo do Estado, afastou o diretor de suas funções e emitiu uma nota sobre o caso.

"NOTA OFICIAL - Governo de SC

O Governador do Estado, ao tomar conhecimento de denúncia cujo conteúdo se refere à falta de decoro no exercício da função pelo Diretor Estadual do PROCON-SC, determinou o imediato afastamento do servidor e pediu a apuração célere dos fatos. O Governo do Estado não pactua com atos atentatórios à moral e aos bons costumes."

No sábado (30), uma edição extra do Diário Oficial foi publicada com o anúncio da exoneração de Roberto Salum.

O advogado criminalista Cláudio Gastão, responsável pela defesa do agora ex-diretor, disse que seu cliente está à disposição para prestar esclarecimentos. No comunicado enviado à imprensa, o representante de Roberto Salum disse que ele "levantou desvios milionários no Procon", dando a entender que a acusação trata-se de um suposta armação. Há ainda a expectativa de que Salum se manifeste atráves de uma coletiva de imprensa na próxima semana. 

 

Por Maga Stopassoli 29/03/2024 - 19:52 Atualizado em 29/03/2024 - 19:52

As obras que tornarão realidade o Multi-Hospital de Florianópolis estão a todo vapor. Previsto para ser inaugurado em maio, o complexo vai oferecer serviços de acolhimento para mulheres vítimas de violência como delegacia especializada, atendimento psicológico, além da estrutura hospitalar, Hospital Dia, entre outras especialidades. Localizado no antigo aeroporto internacional Hercílio Luz, em Florianópolis, o Multi-Hospital tem orçamento previsto de investimento de R$ 30 milhões.

Na tarde desta quinta-feira (28), o prefeito de Florianópolis, Topázio Neto, visitou as obras acompanhado do governador Jorginho Mello e de seus respectivos secretários, Bruno Oliveira, secretário de Comunicação de Florianópolis, e João Paulo Gomes Vieira, Secretário de Estado da Comunicação. Bruno Oliveira é responsável por fazer Topázio que se tornar um case nacional. Já JP, como é conhecido, chegou ao Governo do Estado no início do ano e imprimiu um ritmo diferente na comunicação do governo e do próprio Jorginho, com um estilo moderno e acessível à imprensa.

 

Bruno Oliveira, João Paulo, Jorginho e Topázio: mais que amigos, friends.

 

 

 

 

 

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Copyright © 2022.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito