Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/04/2020 - 10:01Atualizado em 14/04/2020 - 10:23

Ontem à tarde o vereador Pastor Jair telefonou para o presidente do PP de Criciúma, ex-deputado Valmir Comin, informando que desistiu do PP e se filiou no PL.

Comin não escondeu a surpresa.

Jair foi a principal conquista  do PP entre os novos filiados do partido que projetam candidatura para outubro.

Além disso, a sua filiação, por já ser vereador e ter reeleição bem encaminhada, implicou em discussões internas e concessões.

O vereador teria dito ao presidente do PP que assinou filiação também no PL dentro do prazo, para decidir depois onde ficaria.

Comin consultou a assesoria juridica da direção estadual do PP, pilotada pelo advogado Alessandro Abreu, para buscar orientação de como deve proceder no caso, e convocou uma reunião da executiva municipal, que está acontecendo agora.

Antes de entrar na reunião, Comin foi taxativo: "vou fazer o que a direção estadual orientar".

O primeiro indicativo de mudança de posição do vereador veio por suas votações nas ultimas sessões da Câmara.

Sempre muito fiel ao Paço, e o PP sendo partido da base do governo local, ele passou a votar com os vereadores da oposição. Inclusive ontem.   

Sobre tudo isso, faz 15 minutos que o vereador respondeu três perguntas:

1. Por quê não ficou no PP?

Vereador Pastor Jair - "Por eu acreditar que preciso de liberdade  como legislador, optei por seguir outro caminho"

2. Quando e por quê o Sr ficou contrariado com o prefeito Salvaro neste processo?

Vereador Pastor Jair - "Meu voto sempre foi pautado pelas minhas convicções (princípios e valores). Infelizmente o prefeito não entende  sobre o vereador ter  autonomia".

3. O Sr foi para o PL pelo time do Bolsonaro, ou pelo time do ex-prefeito Marcio Burigo?

Vereador Pastor Jair - "Pelo time do Bolsonaro".

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/04/2020 - 16:49Atualizado em 13/04/2020 - 17:00

As empresas de ônibus de Criciúma vão protocolar nas próximas horas ação judicial no Fórum de Criciúma para pleitear autorização para circulação dos ônibus.

Mais provável, amanhã pela manhã.

A ação será protocolada pelo advogado Robinson Kraemer, com pedido de liminar.

A base da ação será uma decisão recente do ministro Dias Toffoli, presidente do STF, que transfere aos municipios o poder de decidir em caso de situações emergenciais.

Se for deferida liminar, a expectativa é que os ônibus possam circular na quarta-feira.

Mais detalhes, a partir de 18h no Ponto Final, rádio Som Maior.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/04/2020 - 09:17Atualizado em 13/04/2020 - 12:34

Tirei um tempo para ouvir o ministro Mandeta no Fantástico. E de novo, gostei de ouví-lo.

Sensato, ponderado, sem bravatas, sem arroubos. Objetivo e realista.
Nada de rodeios, não procurou dourar a pilula, nem maquear a realidade. Disse o que é. Direto ao ponto.

Cumpriu o seu papel. Chamou a atenção para o que vem por ai e disse o que tinha que dizer.

A certa altura, afirmou:
“Nos meses de maio e junho, teremos dias muito duros. Dias em que seremos tachados. ‘Ah, vocês não fizeram o que tinham de fazer’, ‘deviam ser mais duros’,
ou, ’tinham que ser menos duros, porque a economia está assim’. Sempre vai haver os engenheiros de obra pronta. Serão dois, três meses de muitos questionamentos das práticas".

Disse também o ministro:
Quando você vê as pessoas entrando em padaria, entrando em supermercado, encostadas, grudadas, isso é claramente uma coisa equivocada".

Por fim, arrematou:
Eu espero uma fala única, uma fala unificada. Porque isso que temos hoje, leva o brasileiro a uma dubiedade. Ele não sabe se escuta o ministro da Saúde, se escuta o Presidente, quem ele escuta”.

O ministro teve a ponderação e a sensatez que faltam ao Presidente.
O Presidente está por aí entrando em padarias, abraçando pessoas, e fazendo manifestações populistas.
E isso não tem nada a ver com direito de ir e vir, porque ninguém tem o direito assegrado para espalhar uma epidemia mortal.

O ministro foi perfeito. País está muito bem servido. Presidente deveria ter orgulho do Ministro que tem no seu time.

Hoje, desde cedo, leio especualações de novo sobre demissão do ministro.
O Antagonista escreve, por exemplo, que Mandeta pegou a caneta do Presidente e assinou a sua demissão.

Detalhe - O Antagonista é portal do jornalista Diogo Mainardi, anti petista radical e bolsonarista claro.

Tomara que não. Que não se confirme a especulação.

Que o Presidente seja um pouco mais Mandeta daqui para frente.

Sensato, ponderado.

Que ouça mais os técnicos do seu time, e siga os outros chefes de Nação, como Trump, que sempre foi a sua bússola.

Que não seja a divergência do seu governo.  Que dê fala única ao país. Ajude a orientar.
E seja o líder que o país precisa num momento tão delicado.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/04/2020 - 19:25Atualizado em 12/04/2020 - 19:55

O sábado começou com a especulação em torno de um decreto assinado pelo prefeito Clésio Salvaro tratando da retomada da circulação de ônibus em Criciúma.

A partir das primeiras informaçoes dadas a respeito, e pela forma como foi dito,  acabou gerando a expectativa que os ônibus estariam, pelo decreto, liberados para circular a partir de amanhã, segunda-feira.

Mas, o presidente da ACTU, Everton Trento, que estava fora da cidade e não sabia do decreto, quando ouvido pela Som Maior, ainda pela manhã, matou a charada.

"O decreto diz que as empresas tem que operar na segunda-feira", perguntou. "Não, não diz disso, não cita nenhuma data", foi a resposta.

E ele arrematou: "Então, nós não vamos voltar". Ponto final na especulação.

Na real, o decreto do prefeito Salvaro trazia regras a seguir quando o sistema voltar.

O prefeito estimulou os empresários a retomar a operação, mas não determinou o retorno no decreto.  Simplesmente porque sabia que seria um decreto facilmente derrubado. 

Um ato do governador não pode ser suplantado pelo de um prefeito. Isso é basico no direito.  

Como adicional, o Ministério Público Federal anunciou: "Gestor público que afrouxar isolamento sem respaldo, pode sofrer sanções".

O empresários vão continuar monitorando a situação de Joinville, onde os empresários conseguiram uma liminar na justiça para operar a partir desta segunda-feira.

Se a liminar não for derrubada pelo governo do estado, e os ônibus forem para as ruas, os empresários de Criciuma devem seguir o mesmo caminho.

Aliado a isso, os empresários estão em sintonia com o sindicato estadual das empresas de ônibus, que trata do assunto, e passa as orientações. 

Pode ter alguma novidade durante a segunda-feira, mas nada antes das 10h.

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/04/2020 - 10:54Atualizado em 12/04/2020 - 14:44

Prefeito Clésio Salvaro e empresas de ônibus de Criciúma estudam ainda um possível recurso juridico que permita a circulação de ônibus a patir de amanhã.
O prefeito sinalizou que pode baixar, mas um decreto de prefeito não pode sobrepor o do governador. O do prefeito pode ser mais que o do governador, mas não pode ser mais brando.
Empresas de ônibus estão monitorando a situação de Joinville, onde as empresas entraram com ação judicial e ganharam liminar para circular a partir de amanhã.
Mas, o governo do estado anunciou que vai recorrer da decisão.

Enquanto isso, em Florianópolis, o prefeito Gean Loureiro foi mais radical, de novo, que o governador Carlos Moises.
Por decreto, o determinou que comércio, pousadas e hotéis em Florianópolis continuem fechados. Mesmo após liberação do estado.
Locadoras de veículo, que já estavam em funcionamento há uma semana, voltam a fechar.

Para todos os efeitos,  o que está definido até agora para Criciúma é liberação do comércio de rua a partir de amanhã, bem como os hotéis.

Shoppings continuam fechados, e também as galerias e os centros comerciais.
Ônibus também parados, bares e restaurantes, escolas e faculdades.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/04/2020 - 08:52Atualizado em 12/04/2020 - 11:20

O empresário Ibanez Zaneti se filiou ao PL de Içara e deve ser candidato a vereador em outubro, mas passa a ser também alternativa para candidato a vice-prefeito.

O seu pai, também Ibanez, foi candidato a prefeito pelo MDB em 1988.

Ibanez participou da coordenação da campanha de Dalvánia Cardoso à prefeitura em 2016.

A operação para sua filiação no PL foi pilotada por Adilton Tramontin e o vereador Toninho Mello, recém filiados ao partidos. 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/04/2020 - 08:33Atualizado em 12/04/2020 - 08:51

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que vai assumir a presidência do TSE em maio, já admite adiar as eleições de outubro. Mas, só por alguns meses. Não para 2022, o que representaria prorrogação dos atuais mandatos de prefeitos e vereadores.

Ele disse ontem à Folha de SP que as aglomerações das convenções partidárias podem atrapalhar a realização das eleições em outubro.

Mais do que levar a eleição para 2022, a maior resistência do ministro é quanto a prorrogação de mandatos.

Pelo quadro de hoje, no entanto, pensar em eleição é complicado. Como os candidatos vão pedir votos num ambiente assim, com milhares de desempregados, e as empresas ao chão?

De qualquer forma, o jogo está marcado.

Em Criciúma, vencido o prazo para filiações, os partidos estão com seus times montados e agora começam a avaliar o que podem pleitear na disputa.

Alguns partidos sustentaram candidaturas a prefeito para atrair candidatos a vereador, e para fazer time. Agora, a situação é outra.

A candidatura do prefeito Salvaro à reeleição, com Ricardo Fabris de vice, parece fato consumado. Não muda.

De outro lado, há sinais sendo emitidos para união de MDB, PSL e PDT em torno de um candidato a prefeito.

O DEM, com dificuldades para manter candidatura a prefeito, pode ir para a aliança de Salvaro. Não exatamente pela vontade dos filiados da cidade, que gostaria de estar com o PSL, mas por orientação do comando estadual.

PT e PL devem continuar com seus candidatos.

Sendo assim, o quadro que hoje parece mais provável para a eleição seria reduzido para quatro candidatos.

Mas, será que vai ter eleição?

 

 

 

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/04/2020 - 09:42Atualizado em 11/04/2020 - 09:54

Quando Jorge Boeira pensava em ser candidato a prefeito, principalmente segundo semestre  2019, um dos nomes que estava na sua cabeça para vice era Adão da Rosa.

Porque ele não queria um politico profissional, de histórico de disputas eleitorais. O perfil mais adequado, no seu entendimento, era de um líder comunitário, vinculado aos bairros, que fosse respeitado pelas atividades que desempenha, e que fosse bem relacionado. Adão se encaixava bem em todos os ítens.

Nunca soube se o Boeira chegou a tratar disso com ele, nem se ele tinha tal pretensão.

O que se sabe é que Adão era um homem elegante, na postura e na forma de se apresentar, de bom trato, muito bem relacionado, respeitado, inteligente, envolvido com o movimento negro e com a festa das etnias. Era o presidente da etnia negra e um dos braços do Julio Lopes na festa.

Adão fez sua festa de 70 anos no final de 2019 no Mampituba. No discurso, se vangloriou de chegar aos 70 anos desfilando na Marquês de Sapucari, no Rio (audio está na coluna deo Ney Lopes).

Em fevereiro, ele estava lá, com a familia.

Ele era muito familia.

Uma perda muito sentida.

 

 

 

 

     

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 10/04/2020 - 19:39Atualizado em 10/04/2020 - 21:23

O governador de novo sinalizou para reabertura do comércio a partir de segunda-feira. Vamos saber neste sábado. Deve liberar o comércio em geral, mas shopping não deve ser liberado, pois shopping é grande e reúne muita gente. Ele não deve liberar.

Também anotei que transporte coletivo não libera e o governador deu recado de novo: os prefeitos podem ser mais restritivos em relação aos atos do Governo do Estado, mas não podem flexibilizar normas baixadas pelo Estado. Entendi que foi um recado, pode não ser específico para Criciúma, mas enquadra a situação de Criciúma onde o prefeito tem defendido e estimulado a liberação de transporte coletivo.

Ele trouxe poucas novidades efetivas nesta sexta. Novidade mesmo vai ser neste sábado, a partir das 12h, para anunciar outros segmentos que terão liberação da quarentena. Há uma expectativa geral no comércio, tem comerciantes preparando campanhas e promoções para chamar o público.

De segmentos importantes, só o comércio deve voltar na segunda-feira.

Ouça o comentário de Adelor Lessa após a entrevista coletiva de Carlos Moisés no fim da tarde desta sexta-feira, 10, no Especial Coronavírus da Som Maior:

Tags: Coronavírus

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/04/2020 - 19:00Atualizado em 10/04/2020 - 14:39

O coronavírus levou o prefeito Clésio Salvaro e o governador Carlos Moisés a um novo cabo de guerra.

Moisés sinaliza, mas ainda não bateu o martelo, para a volta do comércio na segunda-feira, dia 13. Decisão final sai no sábado, na coletiva do meio dia.

Quanto aos ônibus, sem chance. Já descartou a liberação.

Salvaro foi aos poucos se posicionando pela liberação dos dois segmentos. Em privado, já fazia a defesa de forma enfática desde o final de março. Ao público, se posicionou abertamente mesmo nesta semana.

Agora, ele não só está defendendo a volta, como está estimulando que os empresários movimentem os seus negócios a partir de segunda-feira, independente da posição do Governo do Estado.

Disse hoje para a proprietária de uma das empresas de ônibus da cidade - "assim como a Prefeitura está funcionando desde segunda-feira, 7, vocês também podem colocar os ônibus para circular".

E emendou: "se o Governo impedir, vão a Justiça".

Disse o mesmo para o pessoal do comércio.

Ele sustenta que o decreto que assinou determinando a quarentena expirou e não foi renovado. Não teve novo decreto. Sendo assim, teria encerrado a restrição para comércio e transporte coletivo.

O secretário chefe da Casa Civil do Governo do Estado,  Douglas Borba, disse hoje na Som Maior que o decreto do Governador está acima de qualquer decisão de um prefeito e terá que ser respeitado.

Mais adiante emendou - "se for preciso, serão tomadas todas as medidas para fazer cumprir o decreto do governador".

Era um recado direto ao Paço, visto que a intenção de Salvaro de liberar o ônibus já havia chegado no Governo.

O fim de semana deve ser tenso, e a segunda feira pode fazer um divisor de águas no episódio.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 19:09Atualizado em 08/04/2020 - 19:28

O prefeito Clésio Salvaro não tem coronavírus. Ele fez o teste hoje à tarde e deu negativo.

A prefeitura recebeu hoje 1 mil testes rápidos. Expectativa era que chegassem pelo menos mais 9 mil.

Os 1 mil testes serão usados basicamente com os servidores da saúde, que estão na linha de frente das ações decorrentes do combate ao coronavírus.

O prefeito Salvaro, que está circulando nos ambientes onde são atendidos e tratados os pacientes, além dos contatos de rua, foi o primeiro a fazer o teste.

Deu negativo.

Na semana passada, o sceretário de saúde, Acélio Casagrande, teve sintomas que indicavam para o coronavírus, chegou a ficar isolado por dois dias, mas fez o exame re também deu negativo.

Tags: Coronavírus

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 18:59Atualizado em 08/04/2020 - 22:03

Por orientação do prefeito Clésio Salvaro, a procuradora geral do município, advogada Ana Cristina Youssef, está estudando a possibilidade de garantir juridicamente o retorno da circulação dos ônibus na segunda-feira, 13.

O prefeito conversou hoje por telefone com o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, que confirmou o encaminhameno para retomada das atividades do comércio em geral na segunda-feira, mas repetiu que não há previsão em relação ao transporte coletivo.

Salvaro argumentou ao secretário que é possível liberar também o transporte coletivo, respeitando alguns cuidados.

Durante a quinta-feira a procuradora pode ter decisão sobre a possibilidade de um recurso à Justica para garantir a volta dos ônibus. 

O prefeito também quer liberar algumas creches a partir de segunda-feira, e tratou disso com o secretário Douglas Borba.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 17:43Atualizado em 08/04/2020 - 22:04

Numa votação rápida, praticamente em silêncio sepulcral, os vereadores aprovaram, agora há pouco, o projeto em que cedem 10% dos seus salários para as ações de combate ao coronavírus.

O silêncio só foi quebrado pelo vereador Zairo Casagrande, PDT, que fez questão de registrar a sua declaração de voto.

Assim, a sessão se alongou por mais alguns minutos.

Zairo registrou que é a favor de qualquer proposta de corte de gastos na Câmara, e acrescentou:

"Sou favorável à realização de cortes amplos de despesas e à redução do repasse orçamentário ao legislativo, denominado duodécimo".

Os demais vereadores não tocaram em duodécimo e não fizeram nenhum comentário.

Também foi aprovado o projeto que autoriza redução temporária de 20% no salário do prefeito Clésio Salvaro e 10% do vice, Ricardo Fabris.  

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 16:48Atualizado em 08/04/2020 - 18:36

O presidente da FACISC (federação de associações empresariais do estado), Jhonny Zulauf, saiu agora a pouco de uma reunião do Comitê de crise montado pelo governo do estado, onde foram definidas condições para retomada das atividades no comércio em geral na próxima segunda-feira.

Mas, foi decidido que o transporte coletivo vai continuar com suas atividades suspensas. Não voltará na segunda-feira, e não há previsão.

O presidente Zulauf gravou um vídeo e distribuiu para os associados da FACISC (abaixo), onde destaca que "se não houver modificacões sérias dos indicadores, estaremos em atividade regular plena a partir de segunda-feira para o comércio. O setor de transporte e o setor que faz aglomeração de público, como cinema, igreja, eventos, vai continuar suspenso".

Ainda será publicada a regulamentação que vai definir circunstâncias para a retomada do comércio.

Tags: Coronavírus

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 08:09Atualizado em 08/04/2020 - 12:05

O deputado criciumense Luiz Fernando Vampiro, lider do MDB na Assembléia, fez mais um movimento de distanciamento do governador Moisés.

Ontem, na comissão de constituição e justiça, ele votou a favor do projeto do deputado criciumense Jessé Lopes que pretende a derrubada do decreto de calamidade baixado pelo governador Moisés.

O projeto de Vampiro foi aprovado na comissão por 6 votos a 2. Agora, o governador terá que se manifestar em até 10 dias e o projeto deve ser levado a voto no plenário.

Se o plenário seguir a comissão de justiça e aprovar o projeto em plenário será uma derrota politica historica para o governador.

Vampiro vem se distanciando de Moisés desde o início do ano.

Faz 10 dias, fez aprovar projeto na Assembléia com medidas para apoio para empresas e empreendedores do estado no periodo de crise do coronavírus, e o governador já anunciou que vai vetar.

Rapidas

1. Decisão de ontem à noite do STJ garante retorno do mandato do vereador Marcio Dalmolin, de Icara.

2. Vice-prefeita Aminha Scarpato, de Cocal, trocou o PSD pelo PP. Foi a condição para continuar tendo o apoio do prefeito Ademir Magagnin, PP, para sua sucessão.

3. PSD de Orleans, em operação pilotada pelo delegado e suplente de deputado Ulysses Gabriel, fez volume expressivo de filiações na reta final do prazo da janela de transferências.

4. PSL e PL foram os partidos que mais cresceram na região na janela de transferências. O PSL passou a ter dois vereadores na Câmara de Criciúma. Edson Paiol e Julio Kaminski.

5. Marcos Machado, membro da executiva do MDB, assinou ontem ficha de filiação no PSL

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 07:08

Os vereadores de Criciúma vão fazer sessão online hoje para aprovar cortes nos salários de agentes públicos.  Inclusive deles. Efeito coronavírus.

Vão votar projeto que corta 20% de salários no executivo - prefeito, vice e secretários.

Já anunciaram que vão admitir corte de 10% dos seus ganhos.

Mas, só isso?

No executivo, somando com o que já foi levado pela tesoura, vai totalizar 50% de corte.

E os vereadores só vão participar com 10%?

Antes disso, os vereadores não vão rever ou pelo menos sustar temporariamente a regra do repasse automático/compulsório de 5% da receita do municipio para o seu caixa?

Momento mais apropriado para isso não vai ter!

A voz das ruas já anunciou que a regra dos 5% é absurda.

Acic, Observatório, Forcri, clubes de serviço, entidades representativas, e tudo mais,  já apelaram à Câmara de Criciúma para rever isso.

Os vereadores ouvem, mas não escutam.

O corporativismo tem falado mais alto.

E todo mês, a prefeitura tem que repassar, faça chuva ou faça sol, mais que o dobro do ncessário para a Câmara cobrir seus gastos. O saldo, fica fazendo média na rede bancária.

Por que não faz alguma coisa pelo menos agora, na crise?

Por que não fechar um acordo da Câmara com  prefeito, e por três meses, ou até final do ano, para a prefeitura fazer o repasse apenas do necessário para as despesas/e os custos do mês da Câmara?

Seria um movimento positivo. Em sintonia com o momento dificil que a cidade vive.

Porque é preciso que os vereadores também pratiquem um gesto. Eles não podem ficar lá, como se em outro mundo vivessem.

 

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/04/2020 - 06:10Atualizado em 08/04/2020 - 08:08

O deputado criciumense Luiz Fernando Vampiro, lider do MDB na Assembléia, fez mais um movimento de distanciamento do governador Moisés.

Ontem, na comissão de constituição e justiça, ele votou a favor do projeto do deputado criciumense Jessé Lopes que pretende a derrubada do decreto de calamidade baixado pelo governador Moisés.

Com o projeto de Vampiro foi aprovado na comissão por 6 votos a 2. Agora, o governador terá que se manifestar em até 10 dias e o projeto deve ser levado a voto no plenário.

Se o plenário seguir a comissão de justiça e aprovar o projeto em plenário será uma derrota politica historica para o governador.

Vampiro vem se distanciando de Moisés desde o início do ano.

Faz 10 dias, fez aprovar projeto na Assembléia com medidas para apoio para empresas e empreendedores do estado no periodo de crise do coronavírus, e o governador já anunciou que vai vetar.

Rapidas

1. Decisão de ontem à noite do STJ garante retorno do mandato do vereador MarcioDalmolin, de Icara.

2. Vice-prefeita Aminha Scarpato, de Cocal, trocou o PSD pelo PP. Foi a condição para continuar tendo o apoio do prefeito Ademir Magagnin, PP, para sua sucessão.

3. PSD de Orleans, em operação pilotada pelo delegado e suplente de deputado Ulysses Gabriel, fez volume expressivo de filiações na reta final do prazo da janela de transferências.

4. PSL e PL foram os partidos que mais cresceram na região na janela de transferências. O PSL passou a ter dois vereadores na Câmara de Criciúma. Edson Paiol e Julio Kaminski.

5. Marcos Machado, membro da executiva do MDB, assinou ontem ficha de filiação no PSL

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/04/2020 - 11:10Atualizado em 07/04/2020 - 11:17

Marcos Machado, membro da executiva do MDB de Criciuma assinou filiação no PSL, em operação pilotada pelo advogado Jeferson Monteiro.

Marcos era assessor do deputado federal Celso Maldaner, presidente do MDB estadual.

Ele se desligou do gabinete de Maldaner, onde estava nomeado, e comunicou ao ex-deputado Ronaldo Benedet a sua decisão de se filiar no PSL. 

Marcos fez movimento estudantil e foi presidente do DCE da Unesc. Era um dos principais líderes da "nova ala" do MDB de Criciuma.

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/04/2020 - 06:20Atualizado em 07/04/2020 - 06:48

A semana começou com a liberação dos autônomos e profissionais liberais. O comércio esperava entrar na mesma portaria de Moisés. Mas, não entrou.

Mesmo com o ambiente já tenso, os comerciantes foram aos poucos se acomodando durante o dia, "aceitando" esperar até amanhã. Porque não passava pela cabeça de ninguém que a quarentena fosse ampliada. Mas, foi.

O governador Carlos Moisés surpreendeu mais uma vez. Quando todos os sinais indicavam que ele iria liberar o comércio e os ônibus a partir de amanhã,  ele decidiu manter tudo parado. O anúncio foi feito às 18h20 durante entrevista coletiva, e a reação foi imediata. Comerciantes revoltados, ou incrédulos, buscavam confirmação na redação Rádio Som Maior e do 4oito, e nos nossos celulares. "É verdade? É isso mesmo?".

A justificativa para a decisão pode ser sintetizada na reação do secretário Helton Zaferino ao ser indagado a respeito:

"Vocês não estão vendo o mundo?!".

Na mesma linha, seis horas antes, o governador de São Paulo, João Dória, havia anunciado ampliação da quarentena no "estado motor" do país por mais 15 dias.

Só que a quarentena de Dória é mais branda que a de Moisés.

Lá, a indústria opera à carga plena desde o inicio, os profissionais liberais sempre estiveram liberados, os bancos e lotericas também, e transporte coletivo está funcionando.

Fechado mesmo em São Paulo é comércio, bares e restaurantes, e escolas.

A mostrar que Moisés, entre todos os governadores, foi o que mais fechou. E continua sendo, mesmo soltando um pouco.

Ele está seguindo a orientação dos técnicos de sua confiança. Não tomaria a decisão que tomou se não tivesse uma tonelada de argumentos, e teses, pela manutenção da quarentena.

Mas, antes da discussão sobre certo ou errado, é preciso que cobrar do estado um olhar especial para o comércio.

Trata-se de um segmento da economia que trabalha, via de regra, com caixa apertado. Poucos tem folga suficiente para seguir o jogo depois de um mês sem operação, sem vendas.

Se não tiver um apoio efetivo, real, sem jogo de cena, o comércio vai ter uma quebradeira geral. Que vai aumentar o desemprego e produzir efeitos gravíssimos no giro da economia.

O que não pode é simplesmente fechar, e não dar oxigênio para ninguém. 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/04/2020 - 14:18Atualizado em 06/04/2020 - 15:27

O ex-presidente do MDB de Içara, Adilton Tramontin, assinou filiação no PL de Içara.

Operação foi conduzida pelo ex-prefeito Marcio Burigo, coordenador regional do PL, em parceria com o empresário Joelson Cardoso, PDT, o vereador Toninho Mello, agora no PL, e candidata a prefeita Dalvania Cardoso, PP.

Tramontin era um dos "históricos" do MDB de Içara e reconhecido como "estrategista" em eleições municipais.

Ele se decidiu pela filiação no PL no "apagar das luzes" do prazo legal, que encerrou no sábado.

O senador Jorginho Mello, presidente estadual do PL, foi inteirado da operação.

Em principio, PP, PDT e PL estão alinhados no projeto político em torno e Dalvania como candidata a prefeita e Tomonho Mello como vice, em oposição ao governo do prefeito Murialdo Gastaldon.

 

4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16