Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Por Adelor Lessa 04/07/2022 - 13:25 Atualizado em 04/07/2022 - 17:53

O PSB catarinense vai definir amanhã a sua posição sobre chapa majoritária para a eleição. Antes, faz reuniões com o comando nacional do partido. Claudio Vignati, presidente estadual do partido, desceu em São Paulo hoje cedo para isso. 

A primeira foi no final da manhã, com o ex-governador Geraldo Alckimin (PSB), candidato a vice-presidente na chapa de Lula (foto).

A segunda será no final da tarde, 17h30, com o ex-governador Márcio França, que será candidato a senador ou governador por São Paulo, e que integra a executiva nacional do partido.

A última será amanhã, 11h30, com o presidente nacional do PSB, ex-deputado Carlos Siqueira.

Antes da viagem, Vignati conversou com o senador Dário Berger, que reafirmou sua condição de pré-candidato ao governo.

Foi a posição que o PSB catarinense levou ao ex-governador Alckmin.

Em paralelo estão sendo feitas conversas com a coordenação nacional da campanha Lula/Alckmin.

A tendência é que amanhã, depois da reunião de Vignati com Siqueira seja liberada "fumaça branca" no PSB, com a formação de uma chapa por acordo na Frente, ou composição alternativa fora da Frente (possibilidade que voltou a ser falada nos bastidores).

Hoje, na rádio Som Maior, o ex-deputado Afrânio Bopré, do PSOL, reafirmou sua condição de pré-candidato ao senado e questionou uma candidatura ao senado do PDT pela Frente para dar "palanque" a Ciro Gomes, que vem "batendo forte" em Lula.

A coordenação da Frente de Esquerda em Santa Catarina marcou para quarta-feira o anúncio da chapa na eleição majoritária.

Por Adelor Lessa 04/07/2022 - 07:49 Atualizado em 04/07/2022 - 07:49

No editorial desta segunda-feira (4), Adelor Lessa falou sobre as pautas das eleições e as agendas políticas. As eleições de 2022 ocorrem em menos de 90 dias. 

Ouça o editorial completo:

 

Por Adelor Lessa 02/07/2022 - 19:36 Atualizado em 04/07/2022 - 08:35

Deputados, prefeitos, vereadores, empresários, pré-candidatos e lideranças de vários partidos participaram na Arena Hard Rock Live, em São José, na tarde deste sábado, do ato de apoio a candidatura à reeleição governador Carlos Moisés (Republicanos). O evento reuniu em torno de 2 mil pessoas, incluindo mais de 100 prefeitos.

"Aqui cada um é diferente do outro. Mas hoje a gente não está aqui por causa das nossas diferenças, até porque elas são muito menores do que o que temos em comum. Porque, se tivermos que escolher, a gente vai sempre escolher a mesma coisa. A gente sempre vai escolher Santa Catarina. A gente sempre vai colocar Santa Catarina em primeiro lugar", afirmou o governador.

Organizado pelo Republicanos, o evento teve a presença de filiados do MDB, PP, PSDB, PSD, União Brasil, PL, Podemos, Democracia Cristã, Avante e Patriota.

O ex-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) fez discurso forte na defesa da pré-candidatura de Moisés. "Quatro anos atrás eu já havia votado no Moisés no segundo turno, e realmente ele fez um governo exitoso. Tem que continuar esse trabalho. Vejo todos aqui felizes, mas agora a bola está com todos vocês. Precisamos ir às ruas defender as ideias e as ações do governador Moisés", afirmou.

O presidente estadual do MDB, Edinho Bez, também esteve no evento.

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), destacou a importância da continuidade da valorização dos municípios promovida desde 2019 por Moisés. "O que nos traz aqui é um modelo de governo com que sonhanos e defendemos há muitas décadas. Tenho sete mandatos, todos na defesa do municipalismo. Agora o governador Moisés implantou a gestão mais municipalista da história. Precisamos que esta forma de governar seja consolidada, porque depois, venha quem vier, ninguém mais poderá desmontar esse modelo", declarou o progressista.

Representando os prefeitos do PSD presentes no evento, o prefeito de Tijucas, Eloi Mariano Rocha, lembrou que, sob a liderança de Moisés, houve mudanças positivas na relação entre o Governo do Estado e municípios. "Há muito tempo que não se vê esse modelo de gestão em que o prefeito não precisa correr atrás do governador, mas é o próprio governador que se faz presente nos municípios", resumiu.

Por Adelor Lessa 02/07/2022 - 19:29 Atualizado em 02/07/2022 - 19:46

O empresário criciumense Ricardo Althoff, diretor da rede Althoff de supermercados, será o candidato a vice-governador pelo Partido Novo.

Hoje, durante evento em Criciúma, o diretório estadual do Partido NOVO indicou o seu nome para o processo seletivo do cargo de vice-governador nas próximas eleições. O empresário de 40 anos é filiado desde 2018 e forma uma chapa sem coligações ao lado do pré-candidato a governador Odair Tramontin, promotor de justiça.

Foi anunciado no ato que o Novo será a única sigla que não vai usar recursos do Fundo Eleitoral na campanha.
 
Althoff é vice-presidente da região Sul da Associação Catarinense de Supermercados, formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio na École Superiure des Affaires, na França. Tem mestrado em Administração de Empresas pela University of Manchester, na Inglaterra, e atualmente cursa mestrado em Economia pela Omma Madrid, na Espanha.
 
"Acreditamos que o Althoff tem plena capacidade para passar pelo nosso processo seletivo e nos representar no pleito eleitoral deste ano. Ele, com sua visão empresarial, complementa o nosso já aprovado Tramontin. Assim, unimos a visão pública e privada para trazer as melhores e mais efetivas soluções para melhorar a qualidade de vida do maior número de pessoas, de forma duradoura, o mais rápido possível", pontuou o presidente estadual do NOVO, Vinícius Loss.
 
Tramontin, já aprovado pré-candidato a governador de Santa Catarina pelo NOVO, disse que Althoff é um empresário brilhante, de uma região importantíssima do estado, que contribuirá muito para o Plano de Governo e para a gestão pública. Agora, o nome de Althoff segue para o Diretório Nacional do partido, para a fase de pesquisa e entrevistas do processo seletivo.

Por Adelor Lessa 01/07/2022 - 13:50 Atualizado em 01/07/2022 - 15:11

Os presidentes dos partidos que compõem a Frente Democrática (PT, PDT, PSOL, PCdoB, Solidariedade e Rede) definiram a data para o anúncio oficial dos nomes para a chapa majoritária para a eleição de outubro.

A decisão foi tomada em reunião feita hoje na sede estadual do PT,. em Florianópolis.

O presidente do PSB, Cláudio Vignatti, participou por telefone e o presidente do PV, Guaraci Fagundes, justificou a ausência, mas se fez representar pelos partidos da Federação.  

Está acordado entre os partidos da Frente que Décio Lima será anunciado candidato a governador.

Os candidatos ao senado e a vice serão definidos até o inicio da semana.

O PDT reivindica a vaga do senado, e o candidato deve ser o ex-deputado Jorge Boeira.

O PSB deve indicar o vice. Nome possível é do advogado Rodrigo Bornholdt, ex-vice-prefeito de Joinville. Também é cotado o empresário Djalma Berger, irmão do senador Dário, que a princípio está "mapeado" para ser candidato a deputado federal.

O senador Dário Berger, indicado pelo PSB para disputar o governo, pode ficar fora da eleição.

Na quarta-feira, será anunciada também a data da Convenção conjunta dos partidos de Frente.

Participaram da reunião Décio Lima,  Manoel Dias, Douglas Mattos, Mário Dutra, Osvaldo Mafra e João de Deus Medeiros, presidentes de PT, PDT, PC do B, PSOL, Solidariedade e Rede.

Por Adelor Lessa 01/07/2022 - 09:27 Atualizado em 01/07/2022 - 10:36

A Polícia Civil concluiu inquérito que apurou invasão de WhatsApp da ex-secretária municipal de Urussanga, Andresa Baldassar, e decidiu pelo indiciamento do vereador Thiago Mutini (PP) e mais três (um servidor público e dois assessores parlamentares).

Os quatro são ligados ao prefeito Gustavo Cancelier (PP).

Andresa foi secretária da prefeitura no periodo em que o vice-prefeito, Jair Nandi, foi prefeito interino, por mais de 1 ano.

Na conclusão do inquérito, a polícia sustenta que o crime ficou devidamente provado.

Os quatro foram indiciados pelo crime de invasão de dispositivo informático, com base na "lei Carolina Dieckman".

A polícia apurou que eles invadiram o wathsap da ex-secretária, acessaram conversas e fizeram backup de várias delas.

Boa parte do material teria sido usado para pressionar vereadores a não votar a favor da proposta de formação de uma comissão especial na Câmara de Vereadores para tratar da cassação de mandato do prefeito Cancelier por desvio de recursos públicos.

A comissão acabou aprovada e instalada.

Agora o Ministério Público vai analisar os fatos relatados no inquérito policial e decidir se oferece denúncia ao Judiciário contra os indiciados.

Por Adelor Lessa 01/07/2022 - 07:53 Atualizado em 01/07/2022 - 07:57

No editorial desta sexta-feira (1º), Adelor Lessa falou sobre o ranking nacional que coloca Criciúma entre as melhores cidades do Brasil para se viver.

Ouça o editorial completo:

 

Por Adelor Lessa 30/06/2022 - 18:49 Atualizado em 30/06/2022 - 19:05

O Instituto IMAS, do Sul Catarinense, teve importante vitória na Justiça e voltou à disputa pela gestão do SAMU em Santa Catarina.

A decisão da Justiça foi prolatada pelo desembargador do Tribunal de Justiça, Sergio Luz.

Ele concedeu mandado de segurança que assegura ao Instituto Maria Schmitt (IMAS) a reinclusão no processo de licitação realizado pela Secretaria de Saúde do estado para a contratação de nova gestão para o SAMU.

Em síntese, o envelope com a proposta do Instituto terá que ser aberto mesmo após a conclusão do processo e, se a proposta for melhor, será o vencedor da licitação.

No início do ano, o IMAS se colocou para participar da licitação, mas foi impedido pela Secretaria da Saúde.

O Governo do Estado, via secretaria da saúde, anunciou que a vencedora da licitação foi a Fundação de Apoio ao Hemosc Cepon (Fahece), que não havia apresentado melhor proposta, mas já estava administrando o SAMU de forma provisória, após o encerramento do contrato com o gestor anterior.

Na decisão, o desembargador deferiu a liminar para suspender os efeitos da decisão administrativa que inabilitou o IMAS e os atos subsequentes, permitindo-se a abertura da sua proposta.

O IMAS é de Araranguá e administra a UPA da Próspera, em Criciúma, e os hospitais de Timbém do Sul e Sombrio, entre outras instituições de saúde.

Abaixo, a decisão na íntegra:

 

Por Adelor Lessa 30/06/2022 - 16:18 Atualizado em 30/06/2022 - 16:30

Antídio Luneli deu mais uma demonstração que não tem disposição de sair da disputa pelo governo do estado.

Ele recebeu hoje o presidente da executiva estadual do MDB, Edinho Bez, e descartou a possibilidade de desistência.

Edinho foi a Jaraguá do Sul apenas para se reunir Antídio.

Também participaram da reunião, o deputado federal Carlos Chiodini, amigo pessoal do ex-prefeito, e a coordenadora da campanha de Antidio, Emanuela Wolff. 
Lunelli foi objetivo na conversa: 

“Todas as possibilidades foram avaliadas. A decisão está tomada e estamos trabalhando para apresentar à população um projeto para acelerar o desenvolvimento de Santa Catarina". 
De acordo com a assessoria do MDB, Edinho Bez avaliou o encontro como positivo e reconheceu que Lunelli, que já tem o nome homologado pelo partido, fez os gestos necessários em busca da unidade da sigla e que o trabalho agora será para concretizar a candidatura. 
A convenção do MDB está agendada para o dia 23 de julho.

Por Adelor Lessa 30/06/2022 - 05:54 Atualizado em 30/06/2022 - 16:31

O presidente do MDB de Criciúma, Rodrigo Ganso, e o vereador Paulo Ferrarezi, que desisturam das suas candidaturas a deputado estadual, fizeram ato ontem à noite em Criciúma para oficializar apoio a candidatura do ex-prefeito de Turvo, Tiago Zilli.

O evento foi realizado no salão comunitário do bairro Vila Manaus.

Além de Ganso e Ferrarezi, estavam no ato o médico Anibal Dário, que foi candidato a prefeito em 2020, o ex- prefeito Paulo Meller, o ex-deputado Ronaldo Benedet, e a presidente do MDB Mulher, Nair Nazario. 
O vereador Paulo Ferrarezi  destacou que Tiago Zilli assumiu um compromisso com Criciúma, e que confia nele.
Anibal Dário disse que a administração de Tiago em Turvo foi a quinta melhor do Brasil.

Tiago ficou emocionado com a representatividade do encontro e agradeceu pela confiança.

Por Adelor Lessa 29/06/2022 - 09:39 Atualizado em 29/06/2022 - 09:50

O ex-deputado Djalma Berger (PSB), irmão do senador Dário Berger, disse agora a pouco na rádio Som Maior que o PSB não vai sair da Frente de Esquerda, mesmo que o candidato escolhido a governador não seja Dário.

"A Frente tem que se manter única e unida para a eleição. Não existe a possibilidade de o PSB sair da Frente para disputar o governo. Vamos respeitar o que for decidido na Frente. O Dário está preparado para ser um grande governador, vai tentar ser candidato até o último minuto, mas será respeitada a decisão da Frente", disse.

Djalma descartou a possibilidade de ser candidato a vice-governador como nome do PSB para compor na chapa, destacou que está em campanha para deputado federal e admitiu que o seu irmão pode sair candidato à reeleição ao senado.

"Candidato a vice o Dário não será. Na chapa majoritária só tem duas possibilidades para ele. Governador ou senador. Eles pode ser uma ou outra. As duas são possíveis", acentuou.

Djalma revelou que recebeu pedido da executiva nacional do PSB para se empenhem pelo entendimento na Frente para montagem da chapa majoritária, se possível até o final desta semana.

 

Por Adelor Lessa 29/06/2022 - 08:07 Atualizado em 29/06/2022 - 08:09

No editorial desta quarta-feira (29), Adelor Lessa falou sobre a iniciativa da Satc de buscar novas soluções para baixo ou zero carbono em Israel e outros movimentos de inovação na região. 

Ouça editorial completo:

 

Por Adelor Lessa 28/06/2022 - 18:31 Atualizado em 28/06/2022 - 18:51

No Ponto Final desta terça-feira (28), Adelor Lessa elogia as passarelas inauguradas na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc); critica o aumento da tarifa do gás natural em 41% para a indústria e atualiza o valor mais baixo da gasolina em Criciúma. Na política, o jornalista comenta as tratativas mais recentes em Santa Catarina. 

Confira o comentário completo:

 
Por Adelor Lessa 28/06/2022 - 17:25 Atualizado em 28/06/2022 - 17:49

O fato novo nas conversações para montagem de alianças é a volta ao processo do advogado Rodrigo Bornholdt (PSB), ex-vice-prefeito de Joinville.

Rodrigo chegou a estar cotado como alternativa do PSB para vice-governador na Frente de Esquerda, ano passado, antes da filiação do senador Dario Berger ao partido.

Quando Dário se filiou, passou a ser naturalmente candidato a governador, e Rodrigo retirou seu nome. Passou a acompanhar as articulações, apoiar na medida do psosível, mas de longe.

Agora que a candidatura de Dário como governador está inviabilizada na Frente de Esquerda, Rodrigo volta ao jogo.

Ele divulgou um manifesto defendendo a unidade da Frente e que a chapa seja definida pelos partidos da aliança.

Hoje, na radio Som Maior, ele disse que está colocando de novo o seu nome a disposição, especialmente para a possibilidade de ser candidato a vice-governador.

No PSB um grupo já defende que o partido indique o vice de Décio Lima (PT), confirmando unidade na Frente

Neste caso, Dário Berger não deve ser candidato a nada, entrando de cabeça na eleição do seu irmão, Djalma Berger, a deputado federal.

Agora à pouco, Rodrigo e Décio se reuniram em Itajaí. "Conversa foi muito boa", disseram os dois depois do encontro.

Moisés vai no MDB

O governador Carlos Moisés (Republicanos) praticou o gesto e foi agora a tarde na sede do MDB, em Florianópolis, para dar passo adiante nas negociações para aliança em torno da sua candidatura à reeleição.

Para consumo externo, Moisés agradeceu ao presidente em exercício do MDB catarinense, ex-deputado Edinho Bez.

Disse que agora aguardará os indicados do MDB para vice-governador e senador na sua chapa, que serão aprovados na convenção estadual do partido, marcada para o dia 23 de julho.

Nos bastidores, deixou claro que não quer o nome do ex-prefeito Antídio Lunelli para vice, que foi indicado pela executiva do MDB e confirmado pelo diretório estadual, na reunião de ontem à tarde.

Moisés disse isso para o próprio Antídio.

Argumentou que pelas criticas que o ex-prefeito fez ao seu governo, os dois teriam que passar boa parte da campanha dando explicações.

Moisés quer que o MDB indique o presidente da Assembleia, deputado Moacir Sopelsa, para ser o seu vice.

Mas, Antídio não pretende sair da frente.

Ele repetiu hoje na rádio Som Maior hoje que se o Governador realmente "vetar" o seu nome, vai confirma candidatura ao governo e disputar a convenção.

No MDB, há restrições. O ex-governador Eduardo Moreira, por exemplo, é contra a indicação de Antidio, diz que as bases do partido não aprovam o seu nome, e defende Sopelsa para vice.

Eduardo também aprova a idéia de o MDB abrir mão da vaga ao senado, para Moisés conseguir atrair o PSDB para a aliança.

As opções de Amin

No PP, o senador Esperidião Amin sustenta que a aliança encaminhada pelo governador Moisés é o projeto do MDB. "Quem quiser ir, pode ir. Mas, eu não estarei lá. Não contem comigo", disse.

Amin está trabalhando com duas possibilidades. A sua candidatura ao governo ou compor com o senador Jorginho Mello (PL).

Perguntado se ele, e o PP, consideram então indicar o vice de Jorginho, retrucou: "e por que não o Jorginho indicar o nosso vice?".

O senador do PP deu a entender que o assunto será definido na convenção, marcada para o dia 23 de julho.

Por Adelor Lessa 28/06/2022 - 06:04 Atualizado em 28/06/2022 - 06:13

Márcio Recco Teixeira, de Jacinto Machado, assumiu ontem a presidência estadual da Juventude do MDB.

Pela primeira vez na história, um filiado de Jacinto Machado (e da Amesc) assume a presidência da JPMDB.

Ele foi empossado ontem à tarde, durante reunião do diretório estadual do partido e ficará no cargo por 30 dias.

Ele já participou da polêmica reunião de ontem do diretório estadual do MDB que no final decidiu confirmar a indicação do ex-prefeito Antidio Lunelli para vice na chapa governador Carlos Moisés.

Depois da reunião, ele comentou: "é muito provável que o MDB indique o vice na chapa do atual governador Moisés, as negociações continuam nos bastidores, em breve saíra a definição oficial até porque as convenções partidárias estão chegando". 
Márcio foi presidente da JMDB de Jacinto Machado durante 5 anos, trabalhou nas campanhas prefeito Gaiola nas duas eleições, e assumiu a vice presidência da JMDB do estado em 2019.

Por Adelor Lessa 27/06/2022 - 18:48 Atualizado em 28/06/2022 - 06:47

Reunião movimentada, polêmica, ontem, do diretório estadual do MDB.

Durante a reunião, ex-prefeito Antídio Lunelli "retomou" sua candidatura a governador, em reação ao "veto" de Carlos Moisés à sua indicação como vice.

Mas, o diretório estadual do MDB decidiu, no encerramento da reunião, confirmar seu o nome para vice e antecipar a convenção do partido.

Na abertura da reunião do diretório, foi dada a informação que Moisés não aceita Lunelli como vice.

O ex-prefeito reagiu indignado. "Se ele não me aceita, eu sou candidato a governador e vou para a convenção". 

A discussão sobre indicação de candidato do partido ao senado, que era a pauta da reunião, nem chegou a ser encaminhada.

Quando a reunião estava esvaziando e parecia se encaminhar para conclusão, com retomada da candidatura de Antidio a governador, foi apresentada (e aprovada) proposta de antecipação da convenção para o dia 23 de julho e confirmar o nome de Antidio para vice de Moisés.

Agora, Moisés terá que se posicionar formal e oficialmente. Confirmará veto a Antídio, ou vai acabar assimilando. 

Abaixo, nota da assessoria do MDB distribuída depois da reunião:

"O Diretório Estadual do MDB reiterou, na tarde desta segunda-feira, 27, a decisão da última reunião da executiva e das suas bancadas, de oficializar o nome do prefeito Antídio Lunelli como candidato a vice, na chapa de Carlos Moises. Os líderes também anteciparam a convenção da sigla para o dia 23 de julho.

O encaminhamento será feito pelo presidente em exercício, Edinho Bez, juntamente com uma comissão de lideranças. Durante a reunião, o presidente Celso Maldaner comunicou seu licenciamento do cargo pois deve disputar uma vaga ao Senado, na convenção emedebista. O deputado Rogério Peninha e o ex-governador Paulo Afonso também devem disputar a indicação. Atendendo pedido do presidente da Assembleia, Moacir Sopelsa, na última reunião da Executiva, Edinho Bez retirou seu nome como pré-candidato ao Senado, levando em consideração que o candidato a governador, aprovado na última reunião, também é da cidade de Tubarão. 

Durante a reunião, o presidente da JMDB, Filipe Schmitz também licenciou-se do mandato, assumindo o vice-presidente do segmento, Márcio Recco".

Por Adelor Lessa 27/06/2022 - 17:03 Atualizado em 27/06/2022 - 18:55

O ex-prefeito Antidio Lunelli (MDB) esbravejou quando foi feito o comunicado na reunião do partido, hoje à tarde, em Florianópoilis, que o governador Carlos Moisés (Republicanos) não aceitou a indicação do seu nome para ser candidato a vice-governador.

"Se ele não aceita meu nome para vice, eu sou candidato a governador e vou disputar a convenção se for preciso", anunciou.

A partir do anúncio de Antídio, alguns filiados do MDB cumpriram o papel de "bombeiro", tentando acalmar os ânimos, enquanto outros se colocaram ao lado de Antidio, condenando a postura do Governador Moisés.

Uma proposta que chegou a ser tratada foi a possibilidade de antecipação da convenção.

Mas, nada foi decidido.

No início da reunião,  o deputado Celso Maldaner anunciou que estava se lincenciando da presidência.

Edinho Bez, ex-deputado do sul, primeiro vice-presidente, assumiu e conduziu os trabalhos.

O ambiente foi tenso.

 

Por Adelor Lessa 27/06/2022 - 13:41 Atualizado em 27/06/2022 - 17:11

Em Urussanga, a comissão processante montada pela Câmara de Vereadores para decidir sobre a possibilidade de cassação de mandato do prefeito Gustavo Cancelier (PP) não conseguiu encontrá-lo para fazer a notificação desde quarta-feira. 

Diante disso, a comissão decidiu notificá-lo por edital, a ser publicado hoje, e vai contar prazo de dois dias, quando uma nova publicação poderá ser feita.

Depois disso, será considerado que o prefeito foi noticiado e a comissão seguirá o rito previsto em lei.

Desde quarta-feira, a comissão tentou localizar o prefeito em todos os endereços possíveis. Principalmente na Prefeitura e na sua residência e dos familiares.

A informação, extra-oficial, é que ele está fora da cidade.

Nos bastidores da Câmara, o entendimento é que o prefeito "sumiu" para evitar a notificação e atrasar o andamento da comissão, ganhando tempo para tentar reverter votos dos vereadores que hoje são favoráveis à cassação do seu mandato.

Com a publicação do edital, a defesa prévia do prefeito deverá ser apresentada até o dia 10 de julho.

Cancellier é réu em processo que tramita na Justiça Federal por desvio de recursos repassados pelo Governo Federal para o município.

Por Adelor Lessa 27/06/2022 - 11:46 Atualizado em 28/06/2022 - 17:24

O governador Carlos Moisés (Republicanos) praticou o gesto e foi agora a tarde na sede do MDB, em Florianópolis, para dar passo adiante nas negociações para aliança em torno da sua candidatura à reeleição.

Para consumo externo, Moisés agradeceu ao presidente em exercício do MDB catarinense, ex-deputado Edinho Bez.

Disse que agora aguardará os indicados do MDB para vice-governador e senador na sua chapa, que serão aprovados na convenção estadual do partido, marcada para o dia 23 de março.

Nos bastidores, deixou claro que não quer o nome do ex-prefeito Antidio Lunelli para vice, que foi indicado pela executiva do MDB e confirmado pelo diretório estadual, na reunião de ontem à tarde.

Moisés disse isso para o prórpio Antidio.

Argumentou que pelas criticas que o ex-prefeito fez ao seu governo, os dois teriam que passar boa parte da campanha dando explicações.

Moisés quer que o MDB indique o presidente da Assembléia, deputado Moacir Sopelsa, para ser o seu vice.

Mas, Antídio não pretende sair da frente.

Ele repetiu hoje na rádio Som Maior hoje que se o Governador realmente "vetar" o seu nome, vai confirma candidatura ao governo e disputar a convenção.

No MDB, há restrições. O ex-governador Eduardo Moreira, por exemplo, é contra a indicação de Antidio, diz que as bases do partido não aprovam o seu nome, e defende Sopelsa para vice.

Eduardo também aprova a idéia de o MDB abrir mão da vaga ao senado, para Moisés conseguir atrair o PSDB para a aliança.

 

As opções de Amin

No PP, o senador Esperidião Amin sustenta que a aliança encaminhada pelo governador Moisés é o projeto do MDB. "Quem quiser ir, pode ir. Mas, eu não estarei lá. Não contem comigo", disse.

Amin está trabalhando com duas possibilidades. A sua candidatura ao governo ou compor com o senador Jorginho Mello (PL).

Perguntado se ele, e o PP, consideram então indicar o vice de Jorginho, retrucou: "e por que não o Jorginho indicar o nosso vice?".

O senador do PP deu a entender que o assunto será definido na convenção, marcada para o dia 23 de julho.

 

O vice do PSB

O fato novo nas conversações para montagem de alianças é a volta ao processo do advogado Rodrigo Bornholdt (PSB), ex-vice-prefeito de Joinville.

Rodrigo chegou a estar cotado como alternatva do PSB para vice-governador na Frente de Esquerda, ano passado, antes da filiação do senador Dario Berger ao partido.

Quando Dário se filiou, passou a ser naturalmente candidato a governador, e Rodrigo retirou seu nome. Passou a acompanhar as articulações, apoiar na medida do psosível, mas de longe.

Agora que a candidatura de Dário como governador está inviabilizada na Frente de Esquerda, Rodrigo volta ao jogo.

Ele divulgou um manifesto defendendo a unidade da Frente e que a chapa seja definida pelos partidos da aliança.

Hoje, na radio Som Maior, ele disse que está colocando de novo o seu nome a disposição, especialmente para a possibilidade de ser candidato a vice-governador.

No PSB um grupo já defende que o partido indique o vice de Décio Lima (PT), confirmando unidade na Frente.

Neste caso, Dário Berger não deve ser candidato a nada, entrando de cabeça na eleição do seu irmão, Djalma Berger, a deputado federal.

 

 

Por Adelor Lessa 27/06/2022 - 09:39 Atualizado em 27/06/2022 - 09:53

O MDB catarinense deve ter mais um dia de "fortes emoções".

O diretório estadual foi convocado para aprovar a indicação de um candidato ao senado na chapa do Governador Moisés (Republicanos).

Mas, é possível que o assunto nem seja tratado, ou que não tenha definição.

A tendência é que a reunião seja marcada pela retomada da discussão sobre candidato a vice-governador.

Na semana passada o partido aprovou a indicação de Antídio Lunelli, ex-prefeito de Jaraguá do Sul, que era candidato a governador até aquela reunião.

Não foi uma decisão unânime.

As conversas anteriores indicavam que o escolhido seria o presidente da Assembléia, deputado Moacir Sopelsa, com "sinal verde" no entorno do Governador Moisés.

O nome de Antídio, não foi bem recebido.

Por isso, hoje o assunto deve voltar à pauta.

Um grupo do MDB vai encaminhar a proposta de retirar a indicação de Antídio e oferecer dois nomes - Udo Döhler, ex-prefeito de Joinville, e Moacir Sopelsa. Moisés faria a escolha.

Como a discussão sobre vice deve se estender, e promete ser polêmica, é provável que o MDB não defina hoje candidato ao senado.

 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito