Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
João Nassif
Por João Nassif 19/09/2021 - 10:10Atualizado há 11 horas

Depois de várias tentativas para definir a classificação o Criciúma finalmente conseguiu passar de fase no campeonato brasileiro. A vitória sobre o Mirassol era esperada por ser um adversário sem mais nenhuma pretensão e o Criciúma conseguiu vencer com naturalidade.

Foi um jogo morno com o Mirassol acertando as traves por duas vezes, mas teve problemas defensivos que permitiram ao Criciúma com mais apetite marcar os três gols pela segunda vez na competição. A primeira foi contra o Oeste também no Heriberto Hülse por 3x1.

A campanha foi boa pelos resultados em casa onde o rendimento foi de 92,6%. Fora de casa o rendimento caiu violentamente para 20,8% ainda faltando o jogo final contra o Figueirense.

O técnico Paulo Baier desabafou no final sobre algumas críticas que vem recebendo, invocando seu passado no clube e no presente quando começou um trabalho do zero, pois a terra estava arrasada e conseguiu a classificação.

Teve méritos ao conseguir fazer os jogadores entenderem sua filosofia e aplicarem em campo, preservando o fator local há muito tempo esquecido por tantos quantos vestiram a camisa tricolor nos últimos anos.

Se o desempenho no Heriberto Hülse é espetacular, não é o mesmo como visitante, por isso a dúvida com relação ao acesso. Sabemos ser necessário continuar soberano em seus domínios, mas a busca de pontos fora de casa será fundamental para garantir a série B em 2022, alvo maior da temporada.
 

João Nassif
Por João Nassif 16/09/2021 - 23:03Atualizado em 16/09/2021 - 23:05

Ontem em Sete Lagoas-MG pude ver o mais deprimente em um jogo de futebol. E não estou me referindo à um jogo da Liga de minha cidade, mas de uma partida pelo segundo campeonato brasileiro mais importante do calendário. 

Cruzeiro e Operário em campo, jogo 1x1 até os segundos finais, gol do Cruzeiro validado pelo árbitro e com as reclamações do time paranaense o gol foi revisto pelo VAR para decidir se houve ou não a bola no braço do jogador do Cruzeiro que deu o passe para o gol da vitória aos 52 do segundo tempo.

Procedimento normal quando existe a dúvida mesmo que a decisão do campo seja contrariada. O gol foi invalidado depois de mais de 10 minutos de uma confusão, corriqueira pelos gramados do futebol brasileiro. 

Falo em corriqueira, pois a cultura dos jogadores, técnicos e dirigentes não tem o menor pudor ou mesmo a educação para que tenham atitude mais profissional e deixarem de pressionar os árbitros numa clara demonstração de buscar vantagens, seja de um lado ou do outro.

Pressão absurda, jogadores, técnicos, dirigentes foram para cima do árbitro tentando condicionar a decisão que convenhamos, foi incentivada pela TV com a famigerada Central do Apito que ontem foi ocupada pelo ex-árbitro Paulo César Oliveira que afirmou o lance ser inconclusivo.

Muito bem, com a avaliação do árbitro de vídeo o pessoal do Cruzeiro se achou no direito de pressionar a arbitragem ainda mais usando o que disse o PC Oliveira como argumento para exigir a validação do gol.

Em tempo, o árbitro era o catarinense Rodrigo D’Alonso Ferreira, também conhecido por ser um “chama confusão”. Alguns participantes do jogo foram expulsos, inclusive o técnico do Cruzeiro Wanderley Luxemburgo que apelou para o argumento do lance inconclusivo para pressionar o árbitro.

Foi triste e lamentável o que foi visto no interior mineiro. Minha opinião do lance inconclusivo, houve acerto na decisão do VAR, mas fica a marca lamentável do comportamento daqueles que fazem o futebol brasileiro. 


 

João Nassif
Por João Nassif 16/09/2021 - 05:15Atualizado em 16/09/2021 - 09:22

De novo, confesso que esperava mais do Criciúma no jogo de ontem contra o Hercílio Luz. Fui para o Heriberto Hülse depois de 18 meses em razão da pandemia na esperança de ver um time, mesmo que reserva mostrar um pouco de futebol para começar a Copa SC me dando a certeza da classificação.

Só não contava com o excelente jogo apresentado pelo Hercílio e principalmente pela péssima partida do time ontem comandado pelo Luciano Almeida. Claro que o interino montou o time de acordo com o titular Paulo Baier, suspenso, e o vexame só não foi maior pela quantidade de gols perdida pelo Hercílio.

Aliás, o Hercílio montado as pressas para a Copa mostrou um excelente coletivo e algumas individualidades que surpreenderam e conseguiu executar uma estratégia sem ser incomodado pelo adversário.

Olhando para o Criciúma de ontem fico sem apontar algum jogador que tenha tido uma atuação pelo menos regular. Foi um time apático, sem qualidade, disperso em campo e facilmente dominado pelo Hercílio.

Dou desconto por ser um time reserva que foi a campo com alguns jogadores que já tiveram passagens pelo time principal e as alterações com uma pilha de jogadores da base não poderiam funcionar, pois não se pode colocar estes jogadores para resolver o que os mais experientes não fizeram.

Não quero me alongar na avaliação do time e seu rendimento. Só aviso que sábado quando realmente o jogo tiver sua importância por ser decisivo se o time que irá a campo contra o Mirassol tiver o mesmo comportamento dos reservas poderá correr riscos de classificação.

Se saí do Heriberto Hülse frustrado, fico imaginando o sentimento das 470 almas que pagaram ingresso na esperança de ver, depois de muito tempo seu time do coração. Certamente com a mesma frustração e cheio de dúvidas com a classificação no campeonato brasileiro.


 

João Nassif
Por João Nassif 13/09/2021 - 14:17Atualizado em 14/09/2021 - 07:48

A Federação Catarinense de Futebol e os clubes conseguiram uma grande vitória junto às autoridades sanitárias do estado e a partir de quarta-feira os estádios poderão receber torcedores num máximo de 30%, sem qualquer limitação.

O protocolo que deverá ser cumprido de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado obriga quem for aos estádios comprovar que foram vacinados com a segunda dose. Quem não estiver vacinado poderá entrar, mas com a obrigatoriedade de apresentar o teste antígeno sem reagente.

Os menores de 12 anos não poderão de maneira alguma entrar nos estádios. 

O percentual de 30% de presença de público será modificado para 40% a partir de 1º de outubro. Será vedada a presença de torcida visitante nos jogos da Copa SC e na decisão da série B do campeonato catarinense que também irá começar na próxima quarta-feira.

Ficou de bom tamanho, agora resta saber se a Copa SC terá um apelo forte para que os torcedores assistam aos jogos no volume de 30% permitidos pelo governo.
 

João Nassif
Por João Nassif 13/09/2021 - 09:26Atualizado em 13/09/2021 - 13:15

O que parecia definitivo até três rodadas atrás se tornou uma incerteza faltando dois jogos para terminar a primeira fase da série C. Estou falando da classificação do Criciúma para continuar sonhando com o acesso.

Nos últimos três jogos o Criciúma ganhou apenas um ponto e a imensa gordura adquirida pelas sete vitórias no Heriberto Hülse, com o rendimento recente diminuiu bastante tanto que vai jogar a penúltima rodada precisando da vitória para definir a classificação.

 

Menos mal que o Mirassol, adversário do próximo sábado, já não tem mais o que fazer no campeonato. Com a vitória sobre o Paraná o time paulista não corre mais o risco de rebaixamento e não tem a mínima possibilidade de classificação.

Neste jogo só a vitória interessa ao Criciúma, outro resultado poderá criar uma situação perigosa, pois na última rodada terá que ir ao Scarpelli enfrentar um Figueirense que se vencer o Botafogo em Ribeirão Preto jogará a partida final precisando da vitória.

Caso o Figueirense não vença o Botafogo o Criciúma estará classificado independente de seu resultado contra o Mirassol.

Perceberam que o Criciúma tem um percentual alto de possibilidade de classificação, mas para que não dependa do resultado de Ribeirão Preto terá que jogar muito mais do que produziu até agora.

É bom o esquema de jogo proposto pelo técnico Paulo Baier? Qualquer sistema é bom dependendo da execução dentro de campo.

O técnico está propondo um tipo de jogo incompatível com a capacidade dos jogadores? Pode ser, mas as opções tanto de esquema como de jogadores são limitadas e por isso o time não tem conseguido mostrar eficiência, principalmente nos jogos fora de casa.

No Heriberto Hülse, mesmo não jogando bem alcançou bons resultados, mas nesta altura do campeonato insuficientes para dar a certeza do acesso. Há tempo para um ajuste e para encontrar uma forma definitiva de jogar e poder brigar com sucesso na segunda fase do campeonato.

 

João Nassif
Por João Nassif 12/09/2021 - 04:30

Do pouco que pude ouvir da entrevista pós jogo do Paulo Baier, não concordo em absoluto que conforme o técnico o Criciúma fez uma grande partida.

Aliás, por falar nestas entrevistas continua a aberração, pois não há presença física dos repórteres que fazem os questionamentos por mensagem de texto, portanto não há o contraditório. 

É uma norma utilizada por todos os técnicos do país como forma de se blindarem de perguntas inconvenientes. Ontem, o microfone do assessor de imprensa Celso da Luz era audível, enquanto o do Paulo Baier estava com defeito e suas frases cortadas a cada palavra.

Mas, é assim que decidiram. Então volto ao início e afirmo o que todos viram, o Criciúma de novo fez uma partida sofrível. Com erros repetidos em quase todos os jogos. Sem criação que faz o ataque impotente, com dificuldades em acertar os cruzamentos e com desastradas atuações individuais o resultado contra o Botafogo mostrou finalmente a deficiência do time.

Digo finalmente, pois já vinha alertando que os 100% dentro de casa não condiziam com as atuações do time e que uma hora este percentual seria quebrado. 

Não preocupa a perda desta sequência de vitorias, o que deixa muitas incertezas é com relação ao futuro na competição. Não tenho dúvidas da classificação, mas para alcançar o objetivo final do acesso terá que jogar muito mais. Mas, fico na dúvida da capacidade do time em apresentar algo mais consistente para enfrentar a segunda fase da série C.

 

João Nassif
Por João Nassif 05/09/2021 - 17:50

Me dei mal na aposta que fiz afirmando que o Criciúma ganharia com facilidade o jogo em Curitiba e mais, faria um placar que ajudaria muito no critério saldo de gols em eventual empate em pontos na classificação.

Por que a aposta? O Criciúma mesmo sem apresentar um padrão de jogo eficiente tem uma pontuação que quase lhe garante a passagem para a segunda fase da série C e mesmo tendo dificuldades terríveis para vencer fora de casa iria enfrentar o penúltimo colocado do grupo à beira do rebaixamento.

 

Este foi o primeiro ponto que analisei na certeza de uma vitória tranquila do Criciúma. Mas, tinha mais, o adversário vive uma crise muito forte com problemas administrativos e atraso absurdo de salários.

Querem mais? Demitiu o técnico Sílvio Criciúma às vésperas do jogo, teve um interino no banco de reservas e usou vários jogadores da base para complementação dos relacionados para o jogo. Sílvio Criciúma que aliás trabalhou um mês e não viu a cor do dinheiro. Portanto, jamais pensaria em outro resultado que não a vitória do Criciúma. 

Confesso que não me atentei para um detalhe que é fundamental num jogo de futebol. Além da falta de atenção do time a falta de vontade foi outro componente que resultou na derrota, afirmação do próprio técnico Paulo Baier. Todos no Criciúma, assim como eu previam um jogo fácil e uma vitória tranquila.  

Depois de um primeiro tempo sofrível quando perdeu por 2x0 as mudanças no intervalo deram ao Criciúma uma maior força para diminuir o prejuízo ou mesmo virar o resultado.

Até criou várias situações que não foram convertidas em gol, seja pela espetacular atuação do goleiro do Paraná ou por erros imperdoáveis na conclusão das jogadas. Este é um problema que vai se mostrando crônico.

De qualquer modo a gordura adquirida com o aproveitamento dentro de casa garante a classificação, o problema está na segunda fase que realmente importa, pois é a fase do acesso.

Continuando perdendo fora de casa e apostando todas as fichas nos jogos dentro do Heriberto Hülse a possibilidade do acesso poderá ficar apenas no sonho. Não é confiável apostar no Criciúma.

João Nassif
Por João Nassif 02/09/2021 - 05:14

A pandemia bagunçou totalmente o planejamento da seleção brasileira para os próximos três jogos das eliminatórias para o Mundial do Qatar.

Depois dos clubes ingleses impedirem seus atletas convocados por seleções da América do Sul e África, agora foram os russos do Zenit que pediram a volta imediata do Claudinho e do Maicon, relacionados pelo técnico Tite.

O motivo alegado tanto pelos ingleses como pelos russos foi a necessária quarentena de 10 dias que todos que se deslocam para estes países têm que cumprir. Daqui a duas semanas haverá jogos pela Champions League e caso os jogadores não fossem dispensados não haveria tempo de aproveitá-los na principal competição europeia de clubes.

Alguns desfalques são titulares do time do Tite, mas com a convocação de vários jogadores que atuam aqui no país certamente o prejuízo será mínimo. A questão entrosamento será facilmente superada o problema que vejo é com relação à filosofia do técnico, suas frases empostadas devem surpreender os novatos.

A CBF corrigiu um defeito crônico de tantos anos e durante a disputa das eliminatórias transferiu jogos de times que cederam jogadores para a seleção.

A série de três jogos começa hoje com a seleção brasileira que já está no Chile enfrentando a seleção local. O Brasil é disparado líder disparado com aproveitamento de 100% nos seis jogos que disputou e vai encaminhando com tranquilidade sua classificação para o Qatar-2022.
 

João Nassif
Por João Nassif 30/08/2021 - 05:26Atualizado em 30/08/2021 - 09:03

A derrota em Novo Horizonte na última rodada pode ser levada em conta de um resultado normal pelo fato do Criciúma não conseguir vencer no interior de São Paulo. Já foram quatro derrotas e apenas um empate contra a lanterna da chave.

Apesar da derrota a situação do Criciúma ainda é confortável em se tratando de classificação. A rodada foi determinada forma favorável e o tempo terminado na terceira posição, com margem de seis pontos para o quinto colocado faltando ainda quatro jogos dos dois dois serão no Heriberto Hülse.

Estes jogos que faltam não assustados, pois todos os adversários estão bem abaixo na classificação. O Criciúma tem mantido o aproveitamento total em casa onde irá enfrentar o Botafogo e o Mirassol. O próximo jogo será em Curitiba contra um Paraná que ocupa a vice-lanterna muito próximo do rebaixamento. Vai finalizar contra o Figueirense no Scarpelli e até lá uma classificação deve estar garantida.

Apenas como ilustração, caso a primeira fase está terminada o Criciúma como terceiro colocado iria enfrentar o Ypiranga, primeiro de sua chave, Manaus e Botafogo da Paraíba, segundo e quarto esquecido da outra chave. Por esta amostragem o acesso é uma grande possibilidade. 
 

João Nassif
Por João Nassif 27/08/2021 - 23:06

O esquema com três zagueiros proposto pelo técnico Paulo Baier deu certo em Erechim, mas não teve sucesso ontem em Novo Horizonte. Aliás o interior de São Paulo continua hostil para com o Criciúma que não terá mais o sofrimento de enfrentar times paulistas fora do Heriberto Hülse.

Contra o Ypiranga o Criciúma jogou fechado por uma bola e conseguiu vencer no único ataque lucido que apresentou nos 90 minutos em jogada combinada com a participação dos dois laterais. 

Esta bolinha bandida não apareceu contra o Novorizontino e pior sofreu o gol que desarticulou completamente o time e nem mesmo as mexidas do técnico acrescentaram para pelo menos chegar ao empate.

Aliás, as trocas pelas limitações de plantel são quase mais do mesmo e fora de casa o time dá impressão de tremer, o próprio Paulo Baier tocou nesta ferida. E com razão, dos 21 pontos disputados fora de casa o Criciúma ganhou apenas 05, muito diferente dos 100% nos 07 jogos que jogou em casa.  

Mesmo com a queda de uma posição na classificação o Criciúma não corre risco de não passar de fase, pois ainda tem muita gordura adquirida principalmente pelos jogos em casa. 

Agora livre do interior de São Paulo o Criciúma enfrentará em casa dois paulistas, Botafogo e Mirassol. Terá mais dois jogos fora, o próximo contra o Paraná e na última rodada contra o Figueirense.
 

João Nassif
Por João Nassif 26/08/2021 - 07:30Atualizado em 26/08/2021 - 08:12

O campeonatos europeus param nas datas FIFA e os clubes não sofrem com a convocação de seus jogadores para que possam atuar por seus respectivos países.

Diferente do que acontece aqui no Brasil com a CBF quando muito remaneja alguns jogos para que o prejuízo dos times com jogadores convocados seja minimizado.

Mas, agora a situação ficou complicada devido o fato dos clubes das principais Ligas europeias se negarem a liberar seus jogadores. O movimento de impedimento foi encabeçado pela Premier League sob alegação da quarentena de isolamento de 10 dias exigida pelo Reino Unido de todos que retornem de países na chamada “zona vermelha” que inclui 60 países entre eles todos da América do Sul.

Seguindo a Premier League, a La Liga espanhola e a Série A italiana também se posicionou a favor dos clubes que decidiram não ceder atletas convocados para as seleções de país da África e América do Sul.

A CBF ainda tenta liberar seus convocados junto às Ligas da Europa com auxílio da FIFA que interveio neste impasse. As negociações com as Ligas espanhola e italiana podem evoluir favoravelmente, com prazo para liberação ou não até hoje, pois a chegada dos jogadores convocados está prevista para o próximo domingo.

Caso a negociação não seja favorável e os clubes realmente se negarem a ceder seus jogadores, certamente pela primeira vez teremos a seleção do Tite jogando eliminatórias para um Mundial composta na maioria por jogadores atuando no futebol brasileiro.

Dos 25 convocados para os três jogos do mês de setembro pelas eliminatórias, cinco atuam no Brasil, nove na Inglaterra, quatro na França, dois na Itália, dois na Espanha, um em Portugal, Alemanha e Rússia. 
 

João Nassif
Por João Nassif 23/08/2021 - 04:56Atualizado em 23/08/2021 - 07:07

Finalmente depois de 13 rodadas o Criciúma conseguiu fazer três gols numa partida, na verdade dois, pois um foi contra num lance bizarro do zagueiro do Oeste e se formos mais detalhistas somente um, pois o terceiro gol foi produto de um frangaço do goleiro adversário.

Pouco importa se marcou um e ganhou de presente os outros dois, o que valeu foram os três pontos que colocaram o Criciúma empatado em pontos com o Ypiranga na primeira colocação.

O técnico Paulo Baier fez as modificações permitidas e colocou em campo alguns jogadores que não têm sido muito aproveitados para ganharem um pouco de ritmo, inclusive com a saída do centroavante Marcão, artilheiro no jogo para entrada do Warley na possibilidade de uma alteração no esquema para os dois próximos jogos que serão fora de casa.

Não gosto muito de me meter a dar palpite sobre esquema de jogo, prerrogativa do técnico que tem o dia a dia e sabe o que fazer com a munição que tem em mãos. O sistema adotado em toda a campanha foi com dois zagueiros, com pequenas modificações de acordo com o andamento do jogo e do próprio placar.

Em Erechim para buscar a primeira vitória fora de casa o técnico apostou em três zagueiros e o resultado foi positivo. Como deixo a critério do técnico a prerrogativa da escalação, com a classificação assegurada apenas digo que o ideal seria trabakhar um só esquema de jogo. 

A segunda fase que é realmente a que vale será muito mais exigente e os jogos que restam desta fase de classificação seria o ideal para definir o conjunto e aprimorar principalmente o setor de armação para a equipe adquirir mais poder de fogo. A média de gols é muito baixa até agora.  
 


 

João Nassif
Por João Nassif 20/08/2021 - 05:48Atualizado em 20/08/2021 - 10:33

Até 2019 a série C do campeonato brasileiro era disputada por 20 clubes divididos em duas chaves na primeira fase e classificava os quatro primeiros de cada uma delas.  

A segunda fase já eram as quartas de final, havia o cruzamento entre os classificados de cada chave e os vencedores conquistavam o acesso para a série B.

A CBF alterou o regulamento em 2020. A novidade foi que ao invés da segunda fase já definir o acesso, esta fase passou a ser composta por dois quadrangulares com o cruzamento dos quatro primeiros de cada chave.

Os dois primeiros colocados destes quadrangulares garantiram o acesso, regulamento que está sendo cumprido nesta temporada.

Em 2020 na chave A os classificados foram o Santa Cruz-PE com incríveis 37 pontos, o Remo e o Vila Nova com 31 e o Paysandu-PA com 29.

Na chave B se classificaram o Ypiranga com 31 pontos, o Ituano, o Londrina e o Brusque, todos com 29 pontos. Neste grupo o Criciúma terminou com 19 pontos na antepenúltima posição.

A formação dos quadrangulares da segunda fase foi feita da seguinte maneira: o 1º e o 3º de uma chave com o 2º e o 4º da outra.

Num quadrangular conseguiram o acesso o Vila Nova e o Brusque e no outro o Remo e o Londrina, quer dizer, dois clubes de cada chave na primeira fase da série C de 2020.  

Como viram não adiantou nada ser primeiro colocado da chave nesta primeira fase. Fica, portanto um alerta aos atuais concorrentes, o importante é a classificação depois buscar fazer campanha na segunda fase que aí sim é para valer. 
 

João Nassif
Por João Nassif 14/08/2021 - 05:20

Sob nova direção o Criciúma um dia quebraria o jejum de tanto tempo sem vencer fora de casa. E a vitória veio no melhor estilo, sobre o líder da chave numa partida irrepreensível defensivamente e a tão desejada bolinha bandida para sacramentar o avanço na classificação.

A estratégia colocada em prática pelo técnico Paulo Baier foi perfeita e o fundamental foi o entendimento e a execução por parte dos jogadores que aplicaram de maneira segura o que havia sido programado. 

Poderia estar aqui desfilando o encaixe dos volantes e atacantes que faziam a primeira linha de marcação na saída de bola do Ypiranga. A segurança dos zagueiros, três, com a participação efetiva do Jessé a novidade que o técnico levou para o jogo e do retorno seguro do goleiro Gustavo. Quer dizer o time funcionou excepcionalmente como um todo.

Quero falar do técnico Paulo Baier. Está num processo de amadurecimento pelo pouco tempo na atividade. Foi um jogador fora de série atuando em grandes times do futebol brasileiro e foi durante algum tempo o maior artilheiro da série A, desde que foi implantado o sistema de pontos corridos. 

Com esta bagagem tem o respeito e a confiança de seus jogadores que compraram sua ideia e buscam executar com determinação o que lhes é oferecido. Inclusive em situações de derrotas a força do técnico faz com que todos superem os momentos mais difíceis.

Pudemos ver em Erechim um Criciúma diferente de outros jogos longe de casa, uma mudança no esquema de jogo, situação que o técnico já havia sinalizado depois da derrota em Itu.

Enfim, com a vitória fora de casa o time sob o comando do Paulo Baier deixou totalmente encaminhada sua classificação para a segunda fase da série C. Pode sofrer novos percalços, pode, mas o poder de reação do grupo é forte e como aconteceu agora os obstáculos podem ser superados.  
 

João Nassif
Por João Nassif 10/08/2021 - 04:12

O jogo de ontem foi vencido novamente no sufoco que tem sido uma constante do Criciúma neste campeonato. O fato de estar com aproveitamento total nos seis jogos que realizou no Heriberto Hülse tem lhe dado a presença na zona de classificação desde a primeira rodada.

Até quando? Esta é a questão, como tem conseguido as vitórias no limite se pode pensar que uma hora os três pontos não virão. Assim a conquista de pontos fora de casa é fundamental para o time ultrapassar esta primeira fase da série C.

No jogo de ontem novamente se viu um time sem qualidade, muita disposição que esbarrou na dificuldade em fazer os gols que ontem surgiram de maneira circunstancial. O primeiro num erro de passe do zagueiro do São José que o esperto Silvinho se antecipou ao goleiro e o segundo num levantamento que o Warley disputou pelo alto e a sobra encontrou o Silvinho, sempre ele, solto na área sem marcação.

O atacante autor dos dois gols foi disparado o melhor do time. Outro que merece destaque é o lateral Pedro Rosa que entrou numa fogueira pela ausência do titular Helder, suspenso, e jogou como gente grande não sentindo o peso de estar num time desesperado atras da vitória.

E por último o goleiro Roberto. No alto de seus tantos anos defendendo times pelo futebol brasileiro e exterior mostrou toda sua qualidade e principalmente sua experiencia depois que falhou no gol empate do time gaúcho.

No segundo tempo operou duas defesas espetaculares, se redimindo da falha e praticamente garantindo a vitória, pois as defesas aconteceram quando o jogo estava empatado.

Além da liderança que exerce no plantel, mostrou uma força emocional estupenda, digna dos grandes goleiros.

E na sexta-feira outro desafio, em Erechim contra o líder da série o Criciúma tentará quebrar a sequência de resultados negativos como visitante. Para isso terá que jogar muito mais do que apresentou até agora.
 

 

João Nassif
Por João Nassif 04/08/2021 - 20:59

Na postagem anterior, após o jogo contra o Fluminense falei em virada de foco para o Criciúma encarar o campeonato brasileiro. Poderia ter falado em virada de chave, expressão mais comum.

O que se viu em Itu foi exatamente o contrário. Um time sem nenhuma coordenação, com o ataque inoperante e a defesa que tem sido um dos pontos fortes errando miseravelmente.

O argumento do técnico Paulo Baier após o jogo se referindo as ausências de jogadores pilares por suspensão, Rodrigo e Dudu Vieira, por lesão, Fellipe Matheus e pelo desgaste, Alemão e Hygor, podem explicar em parte o resultado, mas não invalida a fraquíssima produção e a falta de alternativas do mesmo nível.

De novo o Criciúma foi presa fácil com um histórico de mais de um ano jogando fora de casa o que fico sem entender pois, desde março de 2020 os jogos são realizados sem a presença de torcedores. Então como justificar a força no Heriberto Hülse e o fracasso como visitante?

Neste campeonato o Criciúma venceu os cinco jogos que disputou em casa e perdeu três e empatou dois como visitante.

Pior, os incidentes lamentáveis próximo do final do jogo de ontem escancararam um procedimento que ainda não havia sido visto. O Criciúma não soube perder. Nada justifica o goleiro Gustavo sair de sua área para trocar socos com o goleiro adversário que também não tinha o direito de sair de seu habitat. Os dois foram expulsos corretamente pelo árbitro.

Depois de falar em mudar o esquema para jogos fora de casa o técnico tem convicção que na próxima segunda-feira o time conseguirá reagir e continuar sua invencibilidade no Heriberto Hülse para não perder contato com o G-4.


 

João Nassif
Por João Nassif 01/08/2021 - 08:35

A desclassificação na Copa do Brasil pode ter sido lamentada ainda no Maracanã, mas quando do jantar e nos quartos do hotel o pensamento de toda delegação do Criciúma tem que estar voltado para a série C, competição maior para o clube na temporada.

O Criciúma está numa situação na tabela que se não é de todo confortável pelo menos já adquiriu uma boa gordura pelos resultados obtidos jogando no Heriberto Hülse.

A manutenção dos 100 por cento em casa depois de cinco jogos e os pontinhos conquistados como visitante fazem com que o time permaneça desde a primeira rodada na zona de classificação.

Todos têm que saber que o returno que está começando será muito mais difícil, pois além do Criciúma, no mínimo outras cinco equipes lutam pelas quatro vagas, sendo que duas destas, Botafogo e Mirassol o Criciúma enfrentará dentro de casa.

O time do Paulo Baier visitará o Ituano, o Ypiranga e o Novorizontino, também no returno irá para Curitiba e Florianópolis enfrentar Paraná e Figueirense que hoje estão longe do G-4.

O caminho para a segunda fase não é muito difícil, mas primeiro tem que esquecer a desclassificação na Copa do Brasil e segundo ajustar de forma definitiva o ataque que até agora deixou muito a desejar. Os jogos em casa podem dar o suficiente para a classificação.    
 

João Nassif
Por João Nassif 28/07/2021 - 06:56Atualizado em 28/07/2021 - 07:16

O erro do árbitro foi inadmissível na marcação do pênalti contra o Criciúma. Por inúmeros ângulos se viu que o toque foi muito leve nas costas do jogador do Fluminense que deu uma simulada grotesca induzindo o árbitro que apontou a marca da cal. 

Pode ser que foi como uma revanche, pois minutos antes o pênalti a favor do Criciúma só foi confirmado pelo VAR numa falta que não foi marcada na hora do lance.

O árbitro do Rio Grande do Norte errou nos dois lances, mas o primeiro foi marcado depois da consulta ao VAR. Lamentável.

Deixando de lado a arbitragem, pois o estrago já está feito e não tem como voltar, quero frisar a partida de alto nível jogada pelo Criciúma. O próprio Paulo Baier disse na coletiva que foi o melhor jogo do time sob seu comando.

A estratégia foi definida pelo técnico e executada com perfeição pelos jogadores. No seu estilo a marcação foi implacável não permitindo ao Fluminense entrar na zona de definição, mesmo com a maior posse de bola.

Os laterais anularam os ponteiros do time carioca, o volante Dudu Vieira neutralizou Nenê, um dos articuladores do Fluminense. Mesmo o bom toque de bola e a velocidade na troca de passes pelo meio o Fluminense não conseguia evoluir pela forte imposição dos volantes e atacantes do Criciúma que voltavam para fazer a primeira linha de marcação.

Com esta postura eficiente e seguindo o que planejado, faltava somente um componente que era encontrar uma única bola para coroar a estratégia. E esta bola veio num chute sem muita pretensão do Eduardo que no meio do caminho foi desviada pelo Hygor e deixou o goleiro sem ação. Isto quase no final do primeiro tempo.

Daí em diante o Criciúma continuou com sua postura defensiva e os dois lances capitais não invalidaram a ótima apresentação e um resultado gigantesco que deixa o time com grandes chances de classificação.

João Nassif
Por João Nassif 23/07/2021 - 20:31Atualizado em 23/07/2021 - 20:36

A liderança provisória da chave e a possibilidade de terminar a rodada na primeira posição deixa o Criciúma numa posição confortável na busca da classificação.

O jogo contra o Figueirense foi vencido sem maiores sobressaltos apesar da pressão que sofreu no segundo tempo, mas novamente com o bom desempenho defensivo a segurança da vantagem conquistada no primeiro tempo foi decisiva para os três pontos.

A ótima novidade foi o retorno do atacante Silvinho, responsável pelas principais jogadas no primeiro tempo e a assistência para o gol do Hygor. Silvinho retornou em grande estilo e foi o nome do jogo. Sua contratação deixa ótima expectativa para o futuro e para a própria passagem para a segunda fase.

O retorno do volante Arilson deu a consistência que o time havia perdido nos dois últimos jogos e seu casamento com Dudu Vieira fez com que novamente a defesa pudesse passar ilesa. Mesmo que o Figueirense tenha sido um adversário que tivesse mais volume no segundo tempo não criou maiores complicações para a garantia da manutenção dos 100% de aproveitamento dentro de casa.

 

Se temos alguns bons pontos positivos, duas situações ocorridas no jogo deixam dúvidas para o próximo jogo em Itu. Uma é a forma como o time se comporta defensivamente. Marca muito forte, tem uma rápida recomposição e gera um desgaste muito grande, principalmente nos jogadores de ataque que têm que voltar para marcação. 

Contra o Figueirense Hygor e Fellipe Matheus tiveram que ser substituídos na metade do segundo tempo. Outra são os cartões desnecessários do zagueiro Rodrigo e do volante Dudu Vieira que terão que cumprir suspensão pelos terceiros cartões amarelos. O Criciúma não tem reposição no mesmo nível. 

 

Mesmo que o resultado em Itu não seja de vitória a gordura adquirida e a invencibilidade dentro de casa deixa o Criciúma bem encaminhado para a classificação com seus 17 pontos ao final do primeiro turno.

João Nassif
Por João Nassif 23/07/2021 - 06:16

Uma situação que está mexendo com minha cabeça é o futebol desempenhado pelo volante Arilson do Criciúma. 

Desde que começou sua caminhada com a parceria com Dudu Vieira, outro volante o time mostrou grande segurança defensiva e foi durante os primeiros jogos do campeonato uma defesa quase intransponível sofrendo apenas um gol nos seis primeiros jogos.

Com a contusão Arilson ficou fora em três jogos e o time sofreu cinco gols nas últimas duas partidas. 

Arilson estará de volta hoje contra o Figueirense, bom ponto de constatação para sabermos se o aproveitamento da defesa nos primeiros jogos da série C foi circunstancial ou não, sua presença é fundamental para garantir o excelente rendimento do setor defensivo.

Saindo do campo de jogo, vou para os bastidores. A nova mesa diretora do Conselho Deliberativo do Criciúma através de seu presidente Garel Búrigo já se manifestou que fará uma auditoria para examinar com carinho o distrato do clube com a G.A., empresa que administrou o Criciúma nos últimos anos.

Os novos dirigentes do CD receberam a toda documentação dos antigos dirigentes e a expectativa é com relação ao distrato, pois entendem que o ex-presidente Jaime Dal Farra foi o responsável pelo desmanche do time. 

Garel falou no programa Adelor Lessa da Rádio Som Maior FM na manhã de ontem. 
 

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13