Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
João Nassif
Por João Nassif 11/06/2021 - 09:39Atualizado em 11/06/2021 - 12:20

O resultado da eleição para o Conselho Deliberativo do Criciúma mostrou o descontentamento de grande parcela dos sócios com a condução pela mesa diretora do órgão nos últimos anos.

A omissão olímpica quando todos sabiam do desastre que viria com a queda vertiginosa do time, mostrou que os comandantes não se preocuparam com o futuro deixando no ar uma conivência que foi determinante para a vitória da chapa 2, a Revigoração.

O proposito inicial do novo Conselho é abrir o clube para seus associados e torcedores. Valorizar as grandes, também as pequenas conquistas do time ao longo da história. E certamente ter uma atuação atuante exercendo o verdadeiro papel de um Conselho Deliberativo, além de estudar um novo modelo de estatuto que terá que ser referendado pelos sócios e novos conselheiros.

O próximo passo é eleger a mesa diretora. Ainda não existem nomes de conhecimento público, mas entre os membros da Revigoração já deve estar em andamento o processo de escolha para que dentro de 30 dias seja eleita a mesa que irá comandar o futuro do Criciúma EC.


 

João Nassif
Por João Nassif 10/06/2021 - 08:07Atualizado em 10/06/2021 - 08:14

No futebol a maioria dos jogos decisivos tem um herói, alguns são ídolos e pilares de um time, outros nem tanto, inclusive alguns improváveis.

A decisão contra o América fez surgir um desses improváveis, o goleiro Gustavo que defendeu três pênaltis e foi ungido como o grande herói da classificação. 

Por que improvável? Fez uma campanha modesta no campeonato estadual quando começou como titular e no roteiro final do descenso foi sacado do time quando o Wilsão assumiu no lugar do Hemerson Maria.

Ainda com Wilsão como técnico jogou a primeira da Copa do Brasil, foi sacado contra a Ponte Preta e voltou à titularidade com Paulo Baier que lhe deu a faixa de capitão mostrando plena confiança em seu trabalho.

E esta confiança fez o goleiro Gustavo mostrar sua qualidade e torná-lo um herói improvável numa classificação que faz todos sonharem com o resgate de um clube dilapidado nas últimas temporadas.

Com herói dentro de campo o Criciúma tem um responsável pelo tão sonhado resgate. Paulo Baier começando sua trajetória como técnico já mostrou o amadurecimento que pode levá-lo a voos mais altos. Certamente não será eternamente técnico do Criciúma.

Com um discurso fácil e objetivo, desde o início dos trabalhos mostrou a que veio, incutindo no emocional de seus jogadores a forma de jogar com dedicação plena à camisa pesada do clube.

Vendeu uma ideia de jogo que foi rapidamente assimilada pelo plantel e com esta estrutura tática fez uma defesa muito forte, defesa responsável pelos poucos gols que o time sofreu sob seu comando.

Os dois de ontem são frutos da qualidade do adversário que foi impotente na primeira perna da decisão pela forma intensa como foi anulado por uma estratégia que permitiu a classificação no jogo da volta.

Se o Criciúma teve um herói improvável dentro de campo, teve à beira do gramado o maior responsável pelo time ter sido retrato da força de um comando forte, competente e de um histórico vencedor. Paulo Baier foi um dos mais importantes jogadores do futebol brasileiro. Esta credencial o faz ser respeitado e obedecido por todos atletas do plantel do Criciúma.  
 

João Nassif
Por João Nassif 09/06/2021 - 11:39

Foi criado uma grande expectativa sobre o comunicado dos jogadores da seleção brasileira após o jogo contra o Paraguai. O suspense criado pelo volante Casimiro travestido de capitão pelo técnico Tite deixou um clima de desconfiança sobre o futuro do técnico e dos próprios jogadores.

O pronunciamento do volante foi antes do afastamento do presidente da CBF e após a confirmação do país sediar a Copa América pelo governo federal.

 

Após o jogo foi divulgado um manifesto dos jogadores em que não dizem absolutamente nada que pudesse sugerir um mínimo de postura aproveitável depois da expectativa criada. 

“Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor” foi a frase que abriu o manifesto. Frase vazia que sugere um manifesto sem pé nem cabeça. Segue a ladainha: “Em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política”. Era esperada uma posição crítica devido a Copa América ser confirmada quando há quase 500 mil mortes em razão da pandemia.

Mas, um manifesto recheado de hipocrisia, quando nenhum jogador, nem o capitão sabiam sobre o que estavam falando quando insinuavam que depois do jogo iriam se manifestar.

E aí vem o técnico cheio de frases de efeito e sem sentido afirmando que não é hipócrita nem alienado. Sua hipocrisia ficou clara em suas posições políticas, tanto com relação ao governo federal como com a CBF.

Fica a curiosidade em saber quem redigiu o manifesto. Como não diz coisa com coisa, há possibilidade de ter sido ditado pelo próprio técnico, useiro e vezeiro em falara muito e não dizer nada.

A impressão que fica é que queriam derrubar Rogério Caboclo fazendo coro a denúncia de assédio que afastou o presidente da CBF. Só lembrando que o técnico Tite trocou beijos com Marco Polo Del Nero, ex-presidente e que ainda dá todas as cartas na CBF.


 

João Nassif
Por João Nassif 07/06/2021 - 10:18Atualizado em 07/06/2021 - 11:07

São José e Criciúma não saíram do zero pela segunda rodada da série C. Podem colocar a culpa no gramado, sintético, e praticamente desconhecido pelo Criciúma, mas a verdade é que nem um nem outro conseguiu mostrar algo que pudesse empolgar, por isso um sofrível 0x0.

Este jogo marcou o primeiro empate na chave e mostrou sim ser uma partida típica de série C.

Pela ótica do Criciúma, com pouco de boa vontade podemos dizer que pesou o aspecto físico. Neste modelo proposto pelo técnico Paulo Baier tem que haver intensidade, muita força de marcação e a busca de uma saída veloz para o ataque o que gera um desgaste que de certa forma influi nas questões técnicas. Haja vista o jogo no meio de semana pela Copa do Brasil.

Com a sequência de jogos é necessário poupar forças, nem tanto por muitas alterações no time, mas com mudanças pontuais de acordo com a avaliação física necessária pós-jogos.

Por isso Felipe Matheus que fez um jogo de muita intensidade tanto ofensiva, como principalmente defensiva em BH ficou fora do jogo contra o São José. Dudu Figueiredo que foi importante na transição contra o América, manteve o ritmo em Porto Alegre e foi sacado pelo desgaste e preservado para o jogo da volta pela Copa do Brasil.

O jogo de depois de amanhã tem um significado especial além da classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil, pois vale mais R$ 2.700 milhões, quantia que pode resolver as questões orçamentárias do Criciúma por toda temporada.

Neste início de trabalho do Paulo Baier já é visível o acerto no setor defensivo. Foi a prioridade e mostrou a visão do técnico. Quando um time está em formação a defesa é o primeiro setor a ser ajustado. Como o tempo de trabalho é curto e o calendário quase não permite treinamentos, a partir da próxima rodada a série C terá intervalo de uma semana entre os jogos e aí certamente haverá tempo para que se trabalhe a transição e o ataque aprimorando o conjunto e fazendo o time crescer taticamente. 

João Nassif
Por João Nassif 03/06/2021 - 13:18Atualizado em 03/06/2021 - 13:20

Posso até ter tido uma recaída ao dizer que empatar é um bom resultado, mas as circunstancias podem determinar um grande elogio quando se enfrenta um adversário que todos entendiam como favorito para o confronto.

Até o próprio presidente Anselmo Freitas, numa entrevista antes do jogo, afirmou que o América é um time melhor, pois vinha jogando há muito tempo e o Criciúma ainda estava no início de um trabalho.

Pois bem, o favoritismo do time mineiro começou cair por terra quando no primeiro minuto teve um pênalti desperdiçado o que influiu diretamente no espírito do jogo. O Criciúma podo continuar com a proposta de anular os principais jogadores do adversário e o América abatido emocionalmente não conseguiu mostrar o repertorio que o fez ser um time badalado pelo Brasil a fora.

Inclusive o técnico Lisca demonstrou durante todo o jogo seu descontentamento com a apatia do time. Sempre acostumado a trabalhar forte a beira do gramado, Lisca ficou quase o tempo todo sentado e mostrando grande abatimento.

O técnico Paulo Baier foi cirúrgico na construção da estratégia para o confronto. Montou um forte dispositivo defensivo com uma linha com cinco jogadores na linha da grande área, mais quatro um pouco mais a frente e somente o Dudu Figueiredo mais avançado para uma puxada de contra-ataque. Papel também desempenhado com qualidade pelos dois volantes, Dudu e Arílson com ótima saída de bola.

Se não rendeu muitas oportunidades em se tratando de ataque, a operação defensiva foi impecável e o resultado espetacular, além da certeza que em casa no jogo da volta é perfeitamente possível buscar a classificação.

Claro que cada jogo é uma história, mas o que foi visto no Independência, se mantido, deixou o Criciúma muito próximo das oitavas de final da Copa do Brasil. 


 

João Nassif
Por João Nassif 01/06/2021 - 22:03Atualizado em 02/06/2021 - 08:21

O Estádio Raimundo Sampaio, conhecido como Independência, não tem sido bom anfitrião ao Criciúma. Em 13 jogos realizados no local o Criciúma venceu apenas um, justamente o primeiro durante a Copa do Brasil de 1991. O gol foi marcado por Roberto Cavalo e esta vitória o Criciúma encaminhou a conquista da competição. Alternando 05 empates e 07 derrotas o Criciúma está a estes 12 jogos sem vencer no Independência.

O jogo de hoje, o décimo quarto da história do Criciúma no Independência colocará frente a frente dois times com realidades diferentes cujo confronto vale pela terceira fase da Copa do Brasil. O jogo da volta será semana que vem no Heriberto Hülse. Além da classificação para as oitavas de final o vencedor deste mata-mata será premiado com R$ 2.700 milhões. 

O Criciúma ainda em formação tentando recuperar sua história. Depois do fracasso no estadual começou vencendo na série C e deixou um alento de uma possível classificação.

O técnico Paulo Baier terá hoje seu primeiro grande desafio no comando do time e na sua nova carreira.   

O América já criou uma identidade que é forte e tem conseguindo grandes resultados nas últimas temporadas. Hoje está na série A depois de ter sido vice-campeão da B em 2020. Além disso perdeu há pouco a decisão do campeonato mineiro num confronto duríssimo contra o Atlético, inclusive perdendo um pênalti no segundo jogo que poderia lhe valer o título. Tem no comando Lisca, técnico que hoje tem uma das mais altas cotações no mercado brasileiro.

O jogo que será realizado nesta quarta-feira remete ao passado, justamente no dia em que a conquista da Copa do Brasil pelo Criciúma completa 30 anos. 


 

João Nassif
Por João Nassif 31/05/2021 - 22:39Atualizado em 01/06/2021 - 08:56

Ouvimos ontem os representantes das duas chapas que concorrem à renovação de 195 novos membros para o Conselho Deliberativo do Criciúma. Cada chapa enviou um representante e posso traduzir alguns tópicos do que foi dito no debate.

Por reiteradas vezes Ailton Schuelter da chapa Criciúma Mais Forte, situação, tentou imputar à Revigoração, chapa de oposição, responsabilidade pela feitura do contrato com G.A. que todos sabemos foi danosa para o clube depois que os Angelonis repassaram a empresa.

Marinho Burigo da Revigoração contestou afirmando que quando houve a transferência da G.A. havia terminado o mandato da chapa que hoje é de oposição.

Schuetler colocou algumas plataformas que sua chapa promete para um eventual mandato que é fiscalizar as contas anuais e aprovar a proposta orçamentaria anual feita pela diretoria executiva com aval do CD.

Marinho Burigo recheou o debate de críticas ao contrato entre o clube e a G.A. durante o mandato de Jaime Dal Farra afirmando que a estrutura e o futebol foram prejudicados nos últimos anos.

O novo presidente, Anselmo Freitas foi obrigado a aplicar recursos na reforma do CT que estava em situação precária e também no Heriberto Hülse com dependências em situações precárias. Esta manutenção foi necessária pelas palavras do próprio vice de patrimônio, Vilmar Casagrande, numa entrevista à Radio Som Maior FM em janeiro.

E foi por aí que o debate transcorreu, com a chapa da situação defendendo sua plataforma e a da oposição contestando e também insistindo na dilapidação do patrimônio. Dia 10 os sócios patrimoniais que compõe o colégio eleitoral decidirão o futuro do Conselho Deliberativo e também do próprio Criciúma EC.
 

João Nassif
Por João Nassif 30/05/2021 - 22:00Atualizado em 31/05/2021 - 10:29

Posso estar exagerado pelo que se viu na vitória do Criciúma sobre o Ituano na abertura do campeonato brasileiro, posso estar repercutindo a fala do Paulo Baier na coletiva pós jogo, mas vejo no resultado a importância de um time que está atras de uma identidade para reabilitar o clube de tudo de ruim que se viu nos últimos anos.

Não foi brilhante, pelo contrário, jogou uma partida sem arroubos de grandeza e se aproveitou da fragilidade do adversário que havia sofrido um desmanche após o campeonato paulista que terminou a duas semanas e que foi obrigado a mudar quase todo o time.

O Criciúma criou pouco, também em razão de ser uma estreia e com mudanças no nos três setores do time, com nova orientação e jogadores que vieram para encorpar o plantel visando a temporada. 

O técnico Paulo Baier frisou com insistência que o time enfrentou o início do campeonato com a vontade e garra, componentes decisivos que o próprio técnico pediu para que a vitória viesse a qualquer preço. Foi magro o resultado oriundo de um desvio no zagueiro do Ituano depois de um chute de longe e sem o melhor ângulo. 

Mas venceu que era o que importava para a estreia e deixa boas perspectivas para o andamento da competição. O passar dos jogos irá dizer que este começo que se mostra promissor poderá desembocar uma classificação depois de mais 17 jogos.


 

João Nassif
Por João Nassif 28/05/2021 - 06:00

Recebi do Marinho Burigo, um dos componentes da chapa Revigoração que irá concorrer ao Conselho do Criciúma, um histórico do contrato realizado pelo clube com a GA.

Este histórico tem como premissa rebater a manifestação do advogado da mesa diretora do Conselho que num programa esportivo alegou que a Revigoração foi a responsável pelo referido contrato.

Os fatos narrados pelo Marinho começam afirmando que o contrato com a GA foi realizado em conjunto por representantes da empresa e do Conselho Deliberativo e que este contrato foi escrito especificamente para os irmãos Antenor e Arnaldo Angeloni e não previa a possibilidade de transferência para terceiros.

O contrato original, aprovado pelo Conselho foi alterado/aditado em 2015 e o mandato da Revigoração encerrou em 2013. Neste aditivo, aprovado pelo Conselho foi incluída uma cláusula que autorizava a transferência da GA para o Jaime Dal Farra.

Neste histórico Marinho Burigo afirma que a rescisão do contrato foi conduzida de modo obscuro e aparentemente lesivo ao clube, pois não houve a possibilidade de discussão e tampouco levada a devida aprovação do Conselho Deliberativo.

Encerra afirmando que a Revigoração é um movimento que propaga a adoção de governança para o Criciúma EC, que não tem dono ou personalidade jurídica. E que a omissão e o tratamento de interesses particulares não fazem parte da plataforma da Revigoração. 

Em junho haverá eleições para 150 conselheiros transitórios do Conselho Deliberativo do clube e já se percebe que as duas chapas, situação e Revigoração entraram definitivamente em campanha.
 

João Nassif
Por João Nassif 27/05/2021 - 06:00Atualizado em 27/05/2021 - 08:48

O ditado é sábio: “ataque brilha, mas a defesa é que ganha jogos e campeonatos”. Nada melhor do que aplicar este ditado na conquista do Avaí.

Sua defesa foi a melhor de todo campeonato e a Chapecoense teve o ataque mais positivo, inclusive o artilheiro da competição com 15 gols marcados em 17 jogos, marca incrível que dificilmente será superada em muitos anos. Perotti é o nome do artilheiro.

O Avaí que foi o terceiro colocado na fase de classificação, depois de eliminar o Próspera tinha o maior desafio no confronto com o Brusque pelas semifinais. O Brusque, segundo colocado na primeira fase atras somente da Chapecoense tinha todas as prerrogativas para ser finalista. Deu Avaí classificado dentro do Augusto Bauer.

A Chapecoense, primeira colocada na primeira fase teve que disputar duas quartas de final, contra o Hercílio que foi eliminado pela escalação irregular de um jogador teve que novamente disputar o mata-mata contra o Figueirense. Passou e eliminou o Marcílio Dias na outra semifinal.

No confronto decisivo o Avaí foi muito superior, venceu em casa e empatou em Chapecó com gol marcado pela dona da casa no último lance do jogo. 

Os dois times irão para o campeonato brasileiro a partir do final de semana. Minha opinião é que o Avaí fortalecido pelo título vai brigar na série B pela ponta de cima da tabela, mas não creio em acesso.

A Chapecoense na série A, depois da participação na reta final do estadual deverá brigar contra o rebaixamento a menos que haja uma mudança radical no conceito estratégico e no comando que fracassou no campeonato catarinense.


 

Tags: Avaí

João Nassif
Por João Nassif 26/05/2021 - 06:00

Todos os dias o noticiário informa a chegada de reforços para o Criciúma enfrentar a temporada. Alguns conhecidos, outros nem tanto, mas poucos empolgam a ponto de não dar uma visão de mais qualidade quando o técnico Paulo Baier definir os titulares.

Os jogos treinos que antecederam a estreia no campeonato serviram para que o técnico tirasse conclusões que serão importantes na escolha dos melhores para compor o time titular.

Até mesmo devido a chegada de mais reforços durante os últimos dias que por motivos óbvios não participaram dos jogos treinos. Não há garantia de que aqueles que não jogaram possam começar a partida contra o Ituano.

São apenas conjecturas, pois quem sabe, comanda e tem responsabilidade é o próprio técnico que tem um modelo a ser apresentado e mais que o aspecto técnico irá muito ao encontro do que ele vem pregando que é a entrega, intensidade e acima de tudo a luta em todos os momentos para que as vitórias sejam alcançadas.

Toda esta forma de se comportar pede um ótimo preparo físico e uma preparação psicológica da melhor qualidade para se transformar em sucesso. 

A condição física fica a cargo do competente Willian Hauptman que já mostrou excelência na preparação dos atletas e o aspecto psicológico certamente está sendo bem trabalhado por ele e pelo técnico, dois com muita experiencia e rodagem pelo mundo do futebol.


 
 

João Nassif
Por João Nassif 25/05/2021 - 06:00Atualizado em 25/05/2021 - 07:35

A disputa pelo comando do Conselho Deliberativo do Criciúma não terá a mínima influência no desempenho do time nas competições que se aproximam. Aliás, mesmo sendo um clube que tem o futebol como razão única de sua existência não lembro quando este tipo de eleição levou problemas para dentro do vestiário.

E hoje, sem nenhuma dúvida o presidente Anselmo Freitas tem um mandato tranquilo apesar de curto, tem feito o possível com um orçamento limitado e deverá ter o apoio, se não financeiro pelo menos sem sobressaltos com uma eventual mudança no comando do Conselho.

As eleições marcadas para o próximo mês deverão ocorrer numa disputa dentre a atual situação e a oposição autodenominada Revigoração que ainda busca o número mínimo de assinaturas entre os sócios patrimoniais. 

Penso que o clube precisa de uma nova mentalidade no comando do Conselho e escolher entre seus membros alguém que possa dar mais dinamismo ao órgão, cujo comando foi muito passivo nos últimos anos, qualquer que seja a chapa vencedora.

O clube teve sua identidade perdida por uma gestão catastrófica amparada por um contrato malfeito e que levará alguns anos para ser recuperada depois de atingir o fundo do poço. Com a complacência do próprio Conselho.

E todos sejam vencedores ou não nas eleições, certamente estarão na torcida pelo sucesso do Paulo Baier e seus comandados, principalmente na série C que está prestes a começar e possibilitar ao Criciúma resgatar a dignidade perdida nas últimas competições.


  

João Nassif
Por João Nassif 24/05/2021 - 06:00Atualizado em 24/05/2021 - 09:45

Os principais campeonatos estaduais, a exceção do catarinense terminaram neste final de semana e na maioria prevaleceu a lógica com os vencedores confirmando o favoritismo.

No Rio de Janeiro o Flamengo, sem dúvidas hoje o melhor time do país superou o Fluminense no segundo jogo e conquistou pela sexta vez um tricampeonato carioca na história. Houve empate na primeira partida.

No gaúcho, o Grêmio que havia vencido o primeiro jogo no Beira Rio empatou em casa e garantiu o tetra campeonato. 

No mineiro depois de dois empates em 0x0 o Atlético conquistou o bicampeonato diante do América. A história poderia ter sido diferente se o artilheiro do campeonato, o atacante Rodolfo do América não tivesse chutado um pênalti no travessão no início do segundo tempo.

E em São Paulo prevaleceu o time que estava atras do título desde o início do campeonato, título que não vencia desde 2005. O São Paulo pela campanha e pela busca intensa da retomada do título venceu com méritos um Palmeiras que se interessou pelo campeonato somente na reta final. O confronto terminou empatado em 0x0 no primeiro jogo e o tricolor paulista fez 2x0 na partida de volta.

Finalmente em Santa Catarina. Não vou afirmar que é um campeonato dos mais importantes do país, mas como estamos por aqui vamos valorizar a disputa entre Avaí e Chapecoense.

O time do Oeste tem a vantagem do empate, ontem jogou a primeira partida para no mínimo empatar e garantir a vantagem. Saiu perdendo no segundo tempo, chegou ao empate e quando o jogo já estava nos acréscimos sofreu o segundo gol que derrubou sua estratégia.

Pode perfeitamente reverter a vantagem do Avaí, mas terá que jogar muito mais do que no jogo de ontem para confirmar mais um título do campeonato catarinense.

 

João Nassif
Por João Nassif 21/05/2021 - 06:00

Paulo César Baier, o Paulo Baier, está diante do maior desafio de sua carreira nestes mais de 20 anos que atua como profissional, seja como jogador e agora na função de técnico de futebol.

Depois de ter seu nome consagrado em nível nacional e ter se tornado num determinado momento da carreira o maior goleador do campeonato brasileiro, assim que pendurou as chuteiras resolveu investir nesta nova função que lhe coloca na frente do maior desafio.

Trabalhar como técnico do Criciúma não é nem de longe comparado com os times que já comandou. Toledo duas vezes, Próspera outras duas e Brusque, com todo respeito que merecem têm um grau de exigência infinitamente menor do que o Criciúma.

Paulo Baier técnico, no Próspera foi duas vezes campeão e levou o “Time da raça” de uma terceira para a primeira divisão do futebol catarinense. No primeiro campeonato da série A que disputou alcançou uma posição de luxo deixando para trás times que se colocam como grandes no estado. Este desempenho deu ao Criciúma a senha para sua contratação.

O Criciúma atingiu o fundo do poço com a queda para a série B do catarinense, passa por graves problemas de identidade e mesmo com uma nova gestão ainda não mostrou a capacidade de reação que todo nós esperamos.

A série C está próxima e somente uma grande campanha e o acesso irá apagar quase toda mancha deixada pela administração anterior e de difícil resgate. As contratações que já foram realizadas não empolgam, são jogadores que vêm de times sem maiores referencias no futebol brasileiro e que buscam no Criciúma uma chance de alavancar suas carreiras.

Por isso o desafio do técnico Paulo Baier é dar a este grupo uma forma de jogar assim com fez no Próspera que passou pela mesma situação.

Mas, repito uma coisa é treinar clubes de exigência menor, outra é trabalhar um time multi-campeào. Por isso Paulo Baier está diante do maior desafio de sua vida depois de mais de 20 anos no futebol. 
 

João Nassif
Por João Nassif 19/05/2021 - 06:00Atualizado em 19/05/2021 - 09:00

Até posso compreender a dificuldade do Criciúma em trazer reforços para o campeonato brasileiro. O mercado está aquecido com o final dos estaduais e os times que não têm calendário dispensam seus jogadores que certamente são assediados pelos clubes com a temporada cheia.

Os jogadores que sobraram e se destacaram têm como tendência ir jogar em times que disputam as séries de mais visibilidade, pois além da vitrine devem fazer melhores contratos.

Transferindo para o Criciúma, pagar em dia é importante, mas não suficiente para atrair jogadores de maior qualidade. Afinal é série C e a queda no campeonato catarinense também é motivo para o estreitamento do mercado.

O diretor executivo Juliano Camargo não foi muito confiante na entrevista dada ao Som Maior Esporte, por isso fica a impressão que está sentindo dificuldade e mesmo com a insistência por reforços do técnico Paulo Baier são poucas as opções encontradas e a proximidade do início do campeonato deixa dúvida na possibilidade do Criciúma atingir seu objetivo maior na temporada.

Sejamos claros, os jogadores que vieram até agora não empolgam, são apostas que podem dar certo ou não como tantos que vieram e saíram sem deixar saudades.
 

João Nassif
Por João Nassif 18/05/2021 - 06:00Atualizado em 18/05/2021 - 10:50

Enquanto o Criciúma ainda não tem seu elenco completo, mesmo já tendo realizado dois jogos treinos, alguns de seus adversários estão em atividade jogando partidas oficiais.

Estes adversários são do estado de São Paulo disputando o Troféu do Interior, torneio de consolação para os clubes eliminados da primeira fase. Ontem, por exemplo, jogaram Novorizontino e Ituano, partida válida pela semifinal cujo vencedor irá enfrentar a Ponte Preta na decisão. O time campineiro ultrapassou pelo Bragantino numa decisão por pênaltis.

E não são apenas Novorizontino e Ituano, a brigada paulista ainda tem Mirassol, Botafogo e Oeste, que dizer parada duríssima para as pretensões do Criciúma. Sem contar com outros elementos complicadores como Figueirense, Paraná e os gaúchos Ypiranga e São José.

O projeto que deve ter sido montado pela comissão técnica passa necessariamente por mais reforços, o que tem hoje à disposição do Paulo Baier não é suficiente para um campeonato exigente, lembrando que de quebra tem no início do mês os jogos pela Copa do Brasil.

A bronca será grande, pois o adversário América Mineiro não é dos melhores para ser enfrentado. O time comandado pelo Lisca está na final do campeonato de Minas Gerais e tem um retrospecto altamente positivo na temporada. 

O tempo não passa, voa, faltam apenas 11 dias para o começo da série C e o Criciúma terá problemas com este plantel curto e com pouquíssimas opções.

João Nassif
Por João Nassif 17/05/2021 - 06:00Atualizado em 17/05/2021 - 10:33

O primeiro jogo treino vencido pelo Criciúma na preparação para o campeonato brasileiro deixa uma expetativa positiva para os desafios que virão pela frente.

Não importa que tenha sido contra o time sub-23 do Grêmio, o que resulta é na motivação e confiança dos jogadores, alguns remanescentes da tragedia da última temporada. 

O fortalecimento do emocional e a força de um sistema implantado pode resultar numa campanha que em princípio deixa um rasto de otimismo. Certamente não importa o tamanho do adversário, o importante é o comportamento do time que pode com vitória apresentar evolução nas necessidades do técnico Paulo Baier.

Não vou omitir que lá em janeiro o Criciúma então com o técnico Hemerson Maria também enfrentou o sub-23 do time gaúcho e venceu por placar dilatado. Depois no estadual o final foi trágico e terminou com o rebaixamento.

Como sempre as esperanças se renovam e o jogo treino de sexta-feira deixa uma boa perspectiva para a temporada. Mas sempre sabendo que um jogo treino é apenas um trabalho para observação e que quando a competição começar as exigências serão muito maior.

Batata assando

O ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero, mesmo enrolado com corrupção no comando da entidade ainda tem o poder máximo no futebol brasileiro.

Seu sucessor Rogério Caboclo, entrou em choque com uma funcionária muito ligada ao ex-presidente o que irritou Del Nero profundamente e criou uma crise que pode ter seu desfecho com a saída do presidente.

O desgaste é evidente e Marco Polo Del Nero ainda tem ascendência sobre alguns dos atuais vices presidentes que podem optar pela queda de Rogério Caboclo. 
Haveria uma nova eleição e um dos vices seria escolhido para comandar a entidade. Quem for o novo presidente certamente ainda ficaria sob o comando de Marco Polo Del Nero. 

João Nassif
Por João Nassif 15/05/2021 - 08:20

Saiu ontem a convocação das seleções principal e olímpica do Brasil para seus compromissos nos próximos meses. A principal irá disputar dois jogos pelas eliminatórias à Copa do Mundo e a Copa América e a olímpica dois amistosos antes do evento no Japão que começará em julho. 

A maioria entre os convocados pelos técnicos Tite e André Jardine joga no futebol europeu, mesmo assim muitos atuam no futebol brasileiro. 

 

A Copa América será disputada no período de férias das Ligas da Europa e os jogadores convocados estão liberados para a competição sul-americana, pois a Copa faz parte do calendário da CONMEBOL e por extensão da própria FIFA.

O problema está nos Jogos Olímpicos, pois não há obrigatoriedade da liberação de jogadores por parte dos cubes europeus.

Aqui no Brasil é o inverso, o calendário não para. Enquanto os convocados estarão com as seleções, seus clubes terão que continuar jogando a Copa do Brasil e o campeonato brasileiro.

E não adianta reclamar ou impedir os jogadores de se apresentar às seleções. O clube que se negar a liberar jogador não poderá utilizá-los nas competições organizadas pela própria CBF que é useira em desqualificar seus campeonatos.

Os clubes ficam amarrados, seja pela entidade como também pelos próprios jogadores que sonham em vestir a camisa de qualquer uma das seleções.

Quando da convocação a CBF insinuou que mudaria as datas das competições para não prejudicar o Flamengo que teve quatro jogadores convocados. Certamente para fazer um agrado ao time de maior torcida no país, mas o Flamengo rejeitou mandando a entidade cumprir seu calendário. 

O Flamengo mostrou a grandeza que falta a Confederação por priorizar as seleções e desfalcar os clubes que investem e dão mais qualidade ao futebol brasileiro.
 

João Nassif
Por João Nassif 14/05/2021 - 06:00Atualizado em 14/05/2021 - 07:30

As tratativas junto à Federação Catarinense de Futebol tiveram fim e o Caravaggio FC entrou definitivamente no futebol profissional.

Desde alguns tempos se especulava esta oportunidade, pois o Caravaggio tem um histórico vencedor no futebol amador, tem vida própria com bons recursos financeiros oriundos da própria comunidade, seja empresarial ou através de seus associados e uma gestão altamente profissional.

Claro que não é somente o que o clube fatura com a atividade amadora que pode encarar o profissionalismo. O trabalho será redobrado, mas com inteligência poderá ter um caminho promissor neste novo desafio.

Como afirmou o próprio presidente Samuel Milanez, os custos atuais para disputar os torneios da LARM e competições amadoras estaduais são enormes. Os gastos não se comparam as necessidades em um nível profissional, mas com uma boa gestão foi grande alimentar um sonho que se tornou realidade. 

Será ótimo para o futebol da região um time na série C do catarinense que terá seu início em setembro deste ano. Assim teremos um time da região em cada uma das séries do campeonato catarinense. 

E mais, caso o Caravaggio consiga o acesso, imaginem o que será um Criciúma x Caravaggio pela série B em 2002!!!

Povo no estádio

É quase certo que a decisão do campeonato maranhense seja disputada com público no Castelão.

Será um evento-teste, realizado pela Federação Maranhense de Futebol e a Secretaria de Estado da Saúde, com público limitado. O evento, além de contar com as medidas sanitárias adequadas, contará com uma pesquisa por amostragem, realizada por uma equipe técnica da SES-MA.

O Castelão tem capacidade para 40 mil pessoas. No evento-teste serão disponibilizados 06 mil ingressos, 03 mil para cada torcida. Os setores do estádio serão divididos para as respectivas torcidas e as cadeiras nas arquibancadas obedecerão ao distanciamento social considerando o protocolo definido pela Vigilância Sanitária Estadual.

Será o primeiro teste efetivo para que o futebol brasileiro volte a jogar com público nos estádios. Está em andamento a proposta do Flamengo quer público no Maracanã na decisão do estadual contra o Fluminense. A Prefeitura do Rio de Janeiro vetou a proposta.
 

João Nassif
Por João Nassif 13/05/2021 - 06:00Atualizado em 13/05/2021 - 10:03

Com a confirmação dos jogos pela Copa do Brasil para o início de junho o Criciúma terá seu primeiro jogo oficial no dia 30 contra o Ituano no Heriberto Hülse, na abertura do campeonato brasileiro da série C.

Desta forma o tempo de preparação é maior e atende a programação montada pela comissão técnica em que além dos treinamentos, serão realizados outros jogos treinos para que sejam conhecidos os titulares e o esquema de jogo que o técnico irá optar.

Ontem, a primeira movimentação em ritmo de jogo foi contra o sub-20 do clube e entre os que começaram os trabalhos duas novidades, o volante Jessé e o meia Warley recém-contratados.

Os outros dois que foram adquiridos por estes dias, Gabriel Silva e Léo Costa entraram no segundo tempo de um jogo treino vencido pelo time do Paulo Baier por 4x1.

Ainda é cedo para se consolidar qualquer situação, mas é sempre bom o time ficar em atividade mesmo que seja em jogos treinos. O técnico terá bom campo de observação e chegar ao time ideal até o início do campeonato. 

Justiça pelo alto

No seu melhor estilo a Chapecoense conseguiu fazer o dever de casa e derrotar o Figueirense pelo placar necessário e avançar para as semifinais do catarinense. Fez 2x0 e os dois gols foram dos zagueiros, de cabeça após a cobrança de escanteios.

Fez-se justiça. O Verdão do Oeste fez a melhor campanha na primeira fase, passou pelo Hercílio Luz no primeiro mata-mata e foi obrigado a decidir novamente a fase por força da irregularidade de um jogador do Hercílio.

A Chape perdeu o primeiro jogo no Scarpelli por 3x1 e como jogava por dois resultados iguais irá enfrentar o Marcílio Dias na semifinal.


 

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13