Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 15/12/2018 - 11:06

INÉDITO
O Criciúma terá confronto inédito pela primeira fase da Copa do Brasil-2019. Irá enfrentar o São Raimundo de Santarém cidade do interior do Pará. O São Raimundo disputou a série D nesta temporada e não conseguiu se classificar para a segunda fase. Terminou na terceira posição perdendo a vaga para seu xará de Roraima pelo saldo de gols.

RANKING COMO REFERÊNCIA
Por estar à frente do São Raimundo no Ranking Nacional de Clubes da CBF o Criciúma poderá se classificar se conseguir em Santarém uma vitória por dois ou mais gols de diferença. O jogo será no Estádio Municipal Colosso dos Tapajós com capacidade para quase 20 mil expectadores. Tem o tamanho do Heriberto Hülse. 

PRIMEIRA GIGANTE
A história do futebol que nós conhecemos começou a ser contada na segunda década do século passado. Depois de engatinhar nos Jogos Olímpicos, sem o reconhecimento do COI, em 1924 surgiu a primeira grande seleção que ficou registrada na história. A depois denominada de Celeste Olímpica foi medalha de ouro em 1924 em Paris e em 1928 em Amsterdam, Holanda. Confirmou os títulos vencendo a primeira Copa do Mundo jogando em sua própria casa.

MÁGICOS MAGIARES
No início da década de 1950 foi que surgiu outra seleção que ficou na história. A Hungria foi campeã olímpica em 1952 em Helsinki na Finlândia e no ano seguinte aplicou 6x3 na Inglaterra, sendo a primeira seleção de fora do Reino Unido a derrotar os ingleses em pleno Estádio de Wembley. Como grande favorita fez uma campanha arrasadora com direito a um 8x3 na Alemanha Ocidental na primeira fase do Mundial de 1954.Por ironia do destino foi derrotada na final pela mesma Alemanha Ocidental.

NASCEU A SELEÇÃO CANARINHO
A partir de 1958 o domínio do futebol mundial passou para a seleção brasileira. Na Suécia surgiu o fenômeno Pelé que se tornaria Rei e o Brasil empilhou três de quatro Mundiais disputados. Depois do título na Suécia, o mesmo time sem Pelé machucado e com Amarildo em seu lugar conquistou o bicampeonato no Chile. Pausa em 1966 pelo péssimo planejamento que eliminou a seleção ainda na primeira fase. De novo com o Rei, único remanescente do bicampeonato, o tri foi alcançado numa memorável jornada em gramados mexicanos. Terminou a era de ouro do futebol brasileiro.

LAMPEJOS
Depois do tri brasileiro no México, somente duas seleções ficaram na história reconhecidas pela qualidade na disputa das Copas do Mundo. A Holanda com seu famoso carrossel comandado por Johan Cruijf em 1974 e o Brasil em 1982, seleções que não ganharam o título, mas apresentaram o melhor comparando com as campeãs. A Argentina campeã em 1986 ficou na lembrança somente pelo gênio Maradona. 

SEM GRAÇA
Desde 1982 não temos uma seleção com poderio indiscutível e que ficaram na memória de quem vive o futebol. Desde a Copa de 1990 o predomínio europeu é indiscutível. De lá até hoje foram disputados oito Mundiais e as seleções da Europa venceram seis. Somente o Brasil com dois títulos quebrou esta hegemonia que pelo andamento irá perdurar por mais tempo. Em todas estas oito Copas, nenhuma seleção encheu os olhos do mundo.

MEMÓRIA
15/12/2005 – “Há 13 anos, igual aos dias de hoje”
BATATA QUENTE

A demora na escolha do presidente e diretoria executiva do Criciúma indica a dificuldade de se chegar a um nome que poderia cair no gosto do torcedor. O processo tumultuado que tirou dos sócios patrimoniais o direito de escolher o comandante do clube na próxima gestão, ainda não terminou, pois os que decretaram esta nova ordem jurídica estão no mínimo temerosos de terem enfiado os pés pelas mãos.
 

João Nassif
Por João Nassif 14/12/2018 - 17:52

Poucos sabem que o jogo de abertura e a final do Mundial de 2022 no Qatar serão realizados numa cidade que ainda está em construção. 

Lusail City será uma das sedes da Copa do Mundo e foi planejada para receber uma população de até 450 mil pessoas com um custo de 45 bilhões de dólares, cerca de 170 bilhões de reais na cotação atual.

Lusail City-Cidade em construção

A cidade terá áreas habitacionais, resorts, distritos comerciais, shoppings, centros de lazer, um campo de golfe e muitas outras instalações.

Atualmente, além da rodovia que leva até a cidade que não existe, Lusail City já tem uma grande arena onde foi realizado o Mundial de handebol de 2015, um centro de tiro e um autódromo onde são realizadas provas de MotoGP no país.

O projeto da nova cidade foi iniciado em 2004, seis anos antes do Qatar ser escolhido para sediar o Mundial-2022. A rede hoteleira já tem mais de 20 hotéis em funcionamento e vários outros em construção.

A Lusail City será finalizada em 2020 e está localizada no norte do país a 23 quilômetros da capital Doha. O Lusail Iconic Stadium, palco da abertura e da final da Copa do Mundo terá capacidade para 86 mil espectadores.

Qatar tem uma extensão territorial de apenas 11.571 km² e uma população de 2,7 milhões de habitantes, fazendo com que os jogos aconteçam em lugares próximos uns dos outros, diferente dos últimos Mundiais, pois tanto no Brasil como na Rússia os deslocamentos entre as cidades-sede eram muito mais demorados.
 

João Nassif
Por João Nassif 14/12/2018 - 10:10

O Criciúma além de não ter uma diretoria constituída o que só irá acontecer no dia 21, também no futebol o quadro é de absoluta falta de profissionais para formar a comissão técnica que irá trabalhar em 2019. Tem assessor do presidente, tem um diretor de futebol que prometeu reforços, mas até agora nada e um técnico de bom currículo aprovado pela maioria dos torcedores. Sem auxiliar técnico, sem preparador físico, sem fisiologista e quase sem nada fica a dúvida de como será a próxima temporada. Só falta o Doriva perceber o ambiente e nem começar os trabalhos.

OPOSIÇÃO
Alguns conselheiros trabalham a hipótese de montar uma chapa para concorrer à presidência do Criciúma. Minha opinião é que uma chapa de oposição seria salutar para que o Conselho tenha opções, pois ficar em apenas um nome não é o melhor, haja vista os erros grotescos cometidos sob uma administração única.

CHAPA BRANCA
Que os atuais dirigentes não gostem do que temos abordado aqui é compreensível. Normalmente o poder não admite críticas que vão de encontro a seus interesses. Agora, elementos da classe que têm condições de opinar que o faça, mas assumindo suas preferencias sem criar paralelos. Qualquer ataque a opiniões contrárias mostra adesão ao poder e ofende o bom profissionalismo.

RESPOSTAS
Na coluna que escrevi quarta-feira, dia 12, a nota TEMPORADA RUIM, falei dos fracassos e afirmei que era hora do Criciúma reavaliar o trabalho feito na base. Serginho Lopes, coordenador da base e Robson Izidro, superintendente do clube, enviaram um relatório mostrando o contrário e pontuando as conquistas desde 2016.

RESUMO
O Sub-15, infantil, foi 3º colocado em 2016 e vice-campeão em 2017 e 2018. O Sub-17, juvenil, foi campeão em 2017 e vice-campeão em 2016 e 2018. Finalmente o Sub-20, Júnior, foi vice-campeão apenas em 2016. Todas estas posições foram pelos campeonatos estaduais. O Sub-20 foi 3º colocado em 2016 e campeão em 2017 pela Copa Santa Catarina e campeão pela Copa Sul recentemente em 2018. Parabéns.  

FURACÃO
O título de campeão da Copa Sul-Americana coloca em definitivo o Athletico Paranaense na galeria dos grandes times do futebol brasileiro. O clube já havia conquistado o campeonato brasileiro em 2001, vice-campeão em 2004, foi rebaixado em 2011, voltou em 2013 quando ficou na terceira posição e de lá para cá sempre esteve ou na Sul-Americana ou na Libertadores. Mudou o nome e o escudo, mas continua competente.

MERCADO
Impressionam as informações que clubes endividados até o pescoço sonham em contratações que alcançam cifras astronômicas. Pergunto: com que dinheiro? No Brasil os dirigentes fazem festa sem responsabilidade porque sabem que jamais serão punidos. O governo tem sido paternalista ao extremo criando mecanismos para facilitar o pagamento das dívidas e nem assim os clubes cumprem o parcelamento. Pior é que fica tudo por isso mesmo. As autoridades com receio de punir, pois mexerão com a paixão dos torcedores acenam com novos parcelamentos e por aí vai com total impunidade.

MEMÓRIA
14/12/2004 – “Vésperas da última rodada da série A”
UNIÃO
Vivemos falando o tempo todo que o Criciúma E.C. é o cartão postal da cidade, que é nossa referência no Brasil e no exterior, que todos somos orgulhosos de ter uma bandeira tão importante, enfim, nosso ego fica enorme quando lá fora se reverencia o clube que projetou a cidade e toda a região sul do estado. Então, vamos nos unir ao redor dos jogadores e comissão técnica para que domingo alcancemos o paraíso. Somente a vitória sobre o Coritiba, combinada com um tropeço do Atlético-MG, Botafogo ou Flamengo salvará o Tigre.
 

João Nassif
Por João Nassif 13/12/2018 - 13:27

A IV Copa do Mundo em 1950 foi a primeira depois da Segunda Grande Guerra que terminou em 1945. Depois de 12 anos a FIFA voltava a promover o torneio, depois da França ter sediado o terceiro Mundial em 1938.

Havia no Brasil grande expectativa pela conquista do primeiro título de uma Copa do Mundo. A seleção brasileira ainda não havia tido uma chance tão grande, jogando em casa e com o apoio de uma torcida prá lá de fanática.

Para fugir ao domínio alemão o presidente da FIFA, Jules Rimet, havia transferido a sede da entidade da ocupada França para a neutra Suíça, onde se encontra até hoje. Destruídos e abalados pela longa guerra, nenhum dos países europeus tinha condições de sediar a IV Copa do Mundo.

Maior do mundo em construção

As autoridades brasileiras resolveram construir no Rio de Janeiro, capital da República, o maior estádio do mundo, o Maracanã com capacidade para 200 mil espectadores.

Pela primeira vez o troféu da Copa passaria a ter o nome do presidente da FIFA, Jules Rimet, um dos principais responsáveis pela existência dos Mundiais. Também pela primeira vez as seleções usariam números nas camisas dos jogadores.

33 países se inscreveram para a disputa das eliminatórias com a Argentina ficando de fora pelo mau relacionamento com os dirigentes de futebol do Brasil.

A FIFA decidiu que as 16 seleções classificadas seriam divididas em quatro grupos com quatro seleções em cada grupo. Com a desistência da Escócia, Turquia e Índia o número de participantes ficou reduzido a apenas 13.

A Inglaterra fazia sua estreia numa Copa do Mundo e o Uruguai voltaria a participar depois de ter vencido o título em 1930.

Depois de 22 jogos e 88 gols marcados o Uruguai derrotou a seleção brasileira no último jogo da fase final e se sagrou bicampeão mundial de futebol.

João Nassif
Por João Nassif 13/12/2018 - 07:25

TETO BAIXO
Vários jogadores especulados pelo Criciúma não são contratados pois esbarram nos salários. A G.A. define um teto e não tem aberto mão dos valores estipulados, por isso não consegue jogadores de peso que poderiam resolver alguns dos problemas que o time tem enfrentado. A bola da vez, a primeira visando 2019 é o meia Daniel Costa que fez uma série B muito boa pela CSA, inclusive foi um dos destaques do acesso do time alagoano. O jogador poderia resolver um problema crônico do time que é a falta de um bom meia armador, mas o tal de teto dificulta qualquer negociação.

XARÁS
Não confundir o Daniel Costa do CSA com o Daniel Costa que jogou a série B pelo Figueirense. Este foi um dos parceiros do Liel no campeonato catarinense com a camisa do Tubarão. Os dois foram importantes pelo terceiro lugar do time no estadual.

OSTENTAÇÃO
O passo dado pelo presidente Jaime Dal Farra ao contratar a assessoria do Ricardo Rocha abriu os olhos de possíveis reforços para pedidas mais altas. Não sei nem me interesso em saber quanto o ex-jogador vai ganhar, mas como já afirmei foi um luxo desnecessário que poderá dificultar algumas contratações. 

PREPARAÇÃO MANCA
Sem poder enfrentar adversários mais qualificados visando à preparação para a Copa América a seleção brasileira terá que se contentar com seleções do segundo escalão do futebol mundial. Isto devido os europeus estarem envolvidos com as eliminatórias para a Eurocopa e as datas FIFA serão preenchidas com confrontos de valor infinitamente maior que meros amistosos.

SUPERIORIDADE
Se fica difícil para o futebol brasileiro, também não será fácil para os adversários que medirão forças na Copa América. Nesta falta de melhores alternativas a seleção brasileira leva imensa vantagem sobre as outras do continente e como jogará em casa não terá dificuldades de conquistar mais um título sul-americano.

PRESENÇAS
Desde que foi implantado em 2003 o campeonato brasileiro da série A por pontos corridos somente cinco clubes participaram de todas as 16 edições: Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Santos e São Paulo. Destes cinco, o Fluminense é o único que já foi rebaixado, os demais estiveram sempre presentes na primeira divisão desde que o campeonato foi implantado em 1971. Outro clube que nunca foi rebaixado é a Chapecoense, mas subiu em 2014, portanto, na próxima temporada irá participar do campeonato pela sexta vez consecutiva.

TÍTULOS
O Corinthians é o maior vencedor nestas 16 edições do campeonato brasileiro. Levantou a taça em quatro temporadas. A seguir vêm Cruzeiro e São Paulo com três títulos cada um, Fluminense e Palmeiras foram duas vezes campeões, Flamengo e Santos venceram apenas uma vez.  

PONTUAÇÃO
Os cinco clubes que participaram de todos os campeonatos desde 2003 disputaram cada um 628 jogos. O São Paulo, tricampeão, com 1.040 é o time que mais acumulou pontos, seguido pelo Cruzeiro com 994 pontos e do Santos que conquistou 969 pontos em 13 edições. O Flamengo é o quinto colocado com 919 e o Fluminense o oitavo com 891 pontos.

MEMÓRIA
13/12/2006 – “Feito o jogo”
Com o final das indefinições, o ex-jogador Gelson Silva foi confirmado na tarde de ontem como o novo técnico do Criciúma. Irá compor com Toninho Camarão o comando da comissão técnica que terá como primeira missão a reconquista do campeonato estadual. O sucesso na primeira competição da próxima temporada poderá efetivar a dupla no campeonato brasileiro da segunda divisão. É mais uma aposta do clube que às vezes serve de trampolim para que técnicos desconhecidos se tornem realidade e se tornem famosos na profissão.
 

João Nassif
Por João Nassif 12/12/2018 - 16:46

Em tempos passados a seleção brasileira não se reunia com a frequência de hoje, não havia superposição do calendário e muito menos se falava em datas FIFA. 

A seleção pouco viajava para enfrentar adversários europeus e os confrontos eram muitos mais entre os sul-americanos. Poucos amistosos, mas muitos jogos valendo pelo campeonatos sul-americanos e disputas valendo taças com alguns países da vizinhança. 

Contra o Uruguai a seleção brasileira disputava a Copa Rio Branco, contra os argentinos a Copa Roca, contra o Paraguai a Taça Osvaldo Cruz e contra o Chile o troféu Bernardo O’Higgins.   

Seleção brasileira na Copa Roca de 1960

Em todos estes torneios a seleção brasileira levou vantagem, inclusive no Superclássico das Américas disputado contra a Argentina em substituição à Copa Roca.

Em cinco edições do troféu Bernardo O’Higgins de 1955 até 1966 o Brasil venceu quatro e o Chile duas, com o empate na última edição as duas seleções foram declaradas vencedoras. 

Contra o Paraguai na disputa da Taça Osvaldo Cruz entre 1950 e 1976 a seleção brasileira venceu todas as oito edições que foram realizadas.

A Copa Rio Branco foi disputada entre 1931 e 1976. O Brasil venceu sete das 11 edições e como aconteceu no Bernardo O’Higgins em 1967 o título ficou dividido, pois Brasil e Uruguai empataram os três jogos realizados.

Finalmente a disputa com a Argentina entre 1914 e 2014 resultou em 11 vitórias da seleção brasileira e apenas quatro dos argentinos. Estão computados os jogos pela Copa Roca e pelo superclássico das Américas. Em 1971 o título também foi dividido. 


 

João Nassif
Por João Nassif 12/12/2018 - 07:55

ANTIDEMOCRÁTICO
Pelo que foi dito, absolutamente desnecessária a entrevista coletiva de ontem promovida pelo Conselho Deliberativo do Criciúma EC. Muitas explicações que na verdade soaram como justificativas pelo receio de haver uma outra composição de chapa que pode ser eleita pelo descontentamento de muitos pela forma como o futebol vem sendo administrado nos últimos anos. Os donos do clube não admitem oposição. 

SINISTRO
E mais, algumas frases disparadas pelo presidente Carlos Henrique Alamini foram uma forma de ameaça ao futuro do clube caso uma chapa de oposição seja eleita e a G.A. resolva romper o contrato de gestão que tem prazo para terminar somente em 2022. O que não consigo entender é o motivo do receio em fazer uma eleição obrigatória por lei. Nenhum contrato nesta área pode ignorar a Lei Pelé.

CONTRADIÇÃO
“Está tudo dentro dos conformes, todos deram aval ao Criciúma” frisou Alamini com relação aos bancos, Ministério do Esporte e CBF. Então pergunto: se tudo está dentro dos conformes e todas as instituições de acordo, por que nova eleição? Apenas para dar satisfações a quem estava contestando a retificação da famosa ata? Ou porque todos dentro do clube sabiam da irregularidade?

NOSSA OBRIGAÇÃO
Quando fiz eco ao alerta disparado pelo jornal A TRIBUNA na semana passada não foi com o intuito de tirar o Jaime Dal Farra do comando, apenas para colocar o Criciúma na legalidade e evitar sanções posteriores que certamente viriam denegrir a imagem do clube.

CANSAÇO
Com a situação legal do Criciúma prestes a ser resolvida é hora de mudar a prosa e retornarmos à expectativa da montagem do plantel para a próxima temporada. Algumas renovações, a permanência de atletas oriundos da base que se destacaram em 2018 e no aguardo da promessa do diretor Nei Pandolfo de anunciar uma contratação por dia. As novidades pela promessa seriam apresentadas a partir do último sábado. O tempo vai passando. 

TEMPORADA RUIM
Em todas competições que as categorias de base disputaram este ano o Criciúma foi campeão apenas na Copa Sul. Participaram do torneio algumas equipes da região sul do país e o Criciúma venceu o Grêmio na decisão. Foi o que de certa forma salvou a temporada, pois o Criciúma fracassou nas outras competições. No Infantil foi derrotado na final pela Chapecoense, no Junior ficou em quinto lugar. Até no Feminino ficou atrás do Kindermann. Hora de reavaliar o trabalho na base.

MENOS MAL
Com um trabalho forte do presidente da Federação Catarinense, Rubens Angelotti, o Criciúma conseguiu vaga na Copa São Paulo que vai começar no início de 2019. Não fosse um apelo presidencial e o Criciúma ficaria de fora, pois normalmente são convidados os quatro primeiros. O convite veio no momento final da definição das chaves espalhadas por todo Estado de São Paulo.

MEMÓRIA
12/12/2002 – “Competência na qualificação”
Confirmada a primeira contratação para o ano que vem, Saulo. O Criciúma poderá trazer ainda esta semana outro jogador entre tantos que foram observados durante a disputa da série B. Se prestou atenção, poderá formar uma verdadeira seleção com atletas que disputaram a competição porque vários mostraram qualidade e nível superior a muitos que já estão na primeira divisão. O Criciúma tem sido feliz nos reforços desde a metade do catarinense e por certo irá continuar nesta linha acrescentando qualidade a um plantel já por si só qualificado.

João Nassif
Por João Nassif 11/12/2018 - 16:14

Pelo que foi dito na coletiva convocada pelo presidente do Conselho Deliberativo do Criciúma, Carlos Henrique Alamini, para mim ficou claro que havia receio dos donos do clube na chamada por uma nova eleição. Receio que uma chapa de oposição pudesse ganhar pelo descontentamento da maioria dos torcedores com a forma que o futebol está sendo planejado.

 

Carlos Henrique Alamini

Fizemos aqui no portal e o jornal A TRIBUNA fez sua parte no sentido de alertar pela ilegalidade que estava sendo cometida com a retificação da ata da reunião do Conselho de 2015.

Na coletiva foi dito que não havia nenhum problema legal, pois, o próprio presidente do Conselho afirmou que bancos, Ministério do Esporte, CBF já haviam sido comunicadas e todas deram aval para o Criciúma, estando tudo dentro dos conformes. Se não havia nenhuma preocupação com o aspecto legal, pergunto: então por que as eleições foram marcadas? 
 

João Nassif
Por João Nassif 11/12/2018 - 13:46

Certamente não precisaria consultar meus arquivos para saber que o Boa de Varginha fez a pior campanha na série B deste ano e por isso terminou o campeonato na lanterna.

Seus números são negativos ao extremo e somente em um quesito não foi o último entre os 20 que disputaram a competição. Como mandante foi o segundo pior 38,9% de aproveitamento, mesmo percentual do Figueirense somente a frente do Juventude, penúltimo colocado que teve o aproveitamento jogando em casa de 28,1%.

O melhor aproveitamento jogando em casa foi do campeão Fortaleza com 75,4% vindo em seguida o Coritiba que não conseguiu o acesso com rendimento de 66,7% jogando em seus domínios.

Campeão da série B em 2018

Fora de casa não teve surpresa, o Boa foi o pior visitante com apenas 14% de aproveitamento. Os segundos piores times como visitantes com 22,8% de rendimento foram o rebaixado Sampaio Correa e o São Bento que conseguiu se manter na série B.

O acesso do Avaí teve muito a ver com seu aproveitamento fora de casa. O time comandado pelo Geninho foi o melhor com 56,1% de rendimento como visitante. Em segundo ficou a Ponte Preta que não conseguiu o acesso com 52,6%.

Só como curiosidade o Criciúma como mandante alcançou o percentual de 52,6% e como visitante 29,8%. Conquistou 30 pontos no Heriberto Hülse e apenas 17 jogando fora de casa.

João Nassif
Por João Nassif 11/12/2018 - 07:50

CAIU A FICHA
Depois de muito relutar foi marcada para o dia 21 a eleição para a presidência do Criciúma EC. Na base da pressão o Conselho Deliberativo se rendeu a legalidade, caso contrário o clube poderia sofrer sanções se continuasse teimando após a ata de 2015 ter sido retificada. O expediente usado pela assessoria jurídica do Conselho não encontraria qualquer argumento que permitisse a modificação do que havia sido aprovado há três anos.

DISPUTA EM ABERTO
A partir de amanha ficam abertas as inscrições de chapas para concorrer a presidência. Claro que a chapa que terminou o mandato no dia 08 deverá novamente ser inscrita e tudo leva a crer que será vencedora. Primeiro pela acomodação de muitos que pensam que qualquer oposição pode atingir diretamente o clube. E segundo pelo momento que voltou a ser de esperanças pela forma como a G.A. reagiu logo após o sufoco no final da série B. Não haverá surpresa.

MODELO ÚNICO
O contrato de cessão do clube à uma empresa da forma como foi feito pelo Criciúma é inédito no futebol brasileiro. O sistema de gestão em todos os outros clubes que têm investidores no futebol deixa o clube com diretoria própria sem envolvimento dos investidores no comando do clube. Figueirense e Tubarão são dois exemplos próximos com empresas na gestão do futebol e os clubes tocando sua vida de forma independente. O Criciúma continuará na contramão pelo menos até março de 2022.  

REFORÇOS
O diretor Nei Pandolfo prometeu semana passada que a partir de sábado o clube anunciaria um reforço por dia num total de 10. Até agora nada, a menos que as renovações de Sandro e Marlon sejam considerados reforços para 2019. Aguardemos os outros.

FINAL DO MUNDO
A decisão da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors foi taxada como a maior decisão de todos os tempos e mesmo jogando fora da América do Sul justificou totalmente a expectativa. Pelo que todos pudemos ver os dois times mostraram mais do que nunca que fazem o maior clássico do futebol mundial. O River tem mais time, sofreu para virar o resultado e venceu com todos os méritos.
 

OLHO GRANDE
A CONMEBOL com sua ganancia ganhou uma grana preta com o jogo em Madrid. A entidade já anunciou que em 2019 a final da Libertadores será disputada em Santiago no Chile numa única partida. O jogo na Espanha deve ter crescido ainda mais olho da Confederação que pode repetir nos próximos anos a final fora do continente. 

BANHO DO TÍTULOS
A Libertadores foi disputada pela primeira vez em 1960. Lá se vão, portanto, 59 edições com larga vantagem para os times argentinos. Juntos os hermanos venceram 25 torneios contra 18 ganhos pelos clubes brasileiros. Os dois maiores vencedores são Independiente e Boca Juniors com sete e seis títulos, respectivamente. O River Plate com a vitória em Madrid conquistou a Taça pela quarta vez.

MEMÓRIA
11/12/2009 - “Agonia financeira do Criciúma EC”
FIM DA LINHA
Lamentável sob todos os ângulos o fato da diretoria do Criciúma ter emitido alguns cheques sem saldo no banco e feito o pagamento da ajuda de custo aos atletas da base. Quando afirmei ontem que não queria mais falar em situações negativas do clube, jamais poderia imaginar que ocorresse este fato que joga cada vez mais na lama o nome do Criciúma de tantas e tantas glórias. Depois de cancelar cheques pré-datados emitidos como pagamentos de rescisões contratuais de atletas que foram embora do clube, agora é a emissão de cheques sem fundos, o que indica que vai se tornando normal o Criciúma viver como tantos e tantos times que são notícia pelos calotes dados em seus jogadores.
 

João Nassif
Por João Nassif 10/12/2018 - 14:02

A seleção brasileira foi a única do planeta que esteve presente em todas as 21 Copas do Mundo que foram disputadas até hoje. 

Nestas 21 edições a seleção brasileira penta campeã mundial foi comanda por 15 treinadores sendo que apenas um permaneceu no cargo após ter conquistado o título de campeão.

Mário Jorge Lobo Zagallo, campeão em 1970 na campanha do tri no México foi o comandante em 1974 na Alemanha Ocidental onde foi somente o quarto colocado.

Mário Jorge Lobo Zagallo

Vicente Feola, o primeiro campeão mundial no comando da seleção brasileira em 1958 foi substituído por Aymoré Moreira que ganhou o bicampeonato em 1962 no Chile. Feola retornou ao comando em 1966 na Inglaterra quando a seleção fez sua pior campanha sendo eliminada na primeira fase.

Depois de Zagallo em 1974 a seleção teve no comando Telê Santana em duas Copas, 1982 e 86 e Sebastião Lazaroni em 1990. Ambos não tiveram sucesso e o Brasil só foi de tornar tetra campeão em 1994 sob o comando de Carlos Alberto Parreira.

Parreira cedeu lugar para que Zagallo novamente assumisse o comando técnico, mas como fracassou na França em 1998 abriu caminho para que Luiz Felipe Scolari conquistasse o penta campeonato em 2002 no Japão e na Coréia do Sul.

A partir deste Mundial e nos próximos quatro seguintes a seleção brasileira nunca mais foi a mesma e abriu passagem para que a Europa voltasse a comandar o futebol mundial vencendo quatro Copas na sequência.  

João Nassif
Por João Nassif 10/12/2018 - 07:05

PRENÚNCIO DE ÓTIMO CAMPEONATO
Nem quero abordar a capacidade dos clubes que disputarão o campeonato catarinense na formação de seus elencos, mas vejo nos técnicos dos times de ponta uma briga interessante para a conquista do título. A situação mais difícil entre os sempre favoritos é a do Joinville que caiu para a série D do campeonato brasileiro e sem muitos recursos o técnico Zé Teodoro terá que fazer magica para conseguir chegar à frente. O Tubarão com seu modelo de gestão está gradativamente se inserindo entre os grandes do futebol catarinense. Foi terceiro colocado no campeonato deste ano.

BRIGA DE CACHORRO GRANDE
Tenho ou não razão ao afirmar que será um excelente campeonato? Nos times da série A, a Chapecoense mantem Claudinei de Oliveira que salvou o time do rebaixamento e o Avaí continuará com Geninho responsável pelo acesso neste ano. Nos da série B, o Criciúma contratou Doriva que tem um currículo muito bom em times de ponta do futebol brasileiro e o Figueirense vai de Hémerson Maria que inclusive já foi campeão do estadual. O emergente Tubarão vem de Silas técnico que passou por grandes clubes do futebol brasileiro. Cinco grandes técnicos que podem fazer em 2019 o melhor campeonato dos últimos anos.

IMBATÍVEL
O Metropolitano de Nova Veneza conquistou a quadruplice coroa ao derrotar ontem em casa o Caravaggio por 3x0. Campeonato Catarinense não Profissional, Copa Sul dos Campeões, Campeonato Brasileiro não Profissional e por último o Regional da LARM. Trabalho espetacular da presidente Jadina Batista Ferreira e do técnico Jean Reis.  

LIMITE DE GASTOS
No futebol fair-play financeiro, de acordo com as entidades que promovem o esporte, é quando um clube não pode gastar mais do que arrecada. Quem confrontar o fair-play está sujeito a punições. Na Europa o fair-play financeiro existe há muito tempo, mas mesmo assim os grandes clubes contratam pagando exorbitâncias, os médios e pequenos se contentam com migalhas e ninguém reclama.

SIMPLES AMEAÇAS
No Brasil já existe o fair-play financeiro. Se o clube ultrapassar este limite o Regulamento Geral das Competições (RGC) feito pela CBF que além de regulamentar o gasto, também institui medidas trabalhistas que devem ser observadas em todas competições. Estão previstas punições para aquele que desobedecer ao RGC. Muitos clubes atrasam salários, não cumprem as obrigações fiscais e nada acontece.

BERREIRO
O presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara reclamou pedindo fair-play financeiro numa entrevista à Rádio Itatiaia de Belo Horizonte. Disse que quando quer contratar um jogador o Palmeiras chegou antes e levou o atleta devido sua maior força econômica. Seu time é dos maiores do Brasil, tem uma grande e fanática torcida, então que faça igual ao time paulista. Arrume um patrocinador do mesmo calibre de uma Crefisa, faça um plano de sócios de alta rentabilidade e tenha uma Arena para alcançar rendas espetaculares. Não sendo assim é puro chororô.

MEMÓRIA
10/12/2005 – “Regulamento do estadual-2006”
SEM DIFICULDADES
Marcílio Dias, Joinville, Metropolitano, Caxias e Brusque são os parceiros de grupo do Criciúma na primeira fase do campeonato catarinense que terá início em 11 de janeiro. Pela fórmula, os quatro primeiros passarão para a fase seguinte que será disputada em dois quadrangulares. Os dois primeiros farão as semifinais e os vencedores decidirão o título. Rigorosamente igual ao campeonato deste ano vencido pelo Criciúma na final contra o Atlético de Ibirama.
 

João Nassif
Por João Nassif 09/12/2018 - 12:54

Um incidente em 1920 deu início à grande rivalidade entre Brasil e Argentina que perdura até nos dias de hoje.

O estopim foi a partida amistosa marcada para o dia 06 de outubro no Campo do Barracas em Buenos Aires.

Na véspera um jornal argentino publicou um desenho da seleção brasileira como macacos e alguns jogadores se recusarem a entrar em campo e a partida foi iniciada com a equipe brasileira integrada por apenas sete jogadores e completada por quatro argentinos.

Campo já demolido

O público argentino presente no Campo protestou contra os reforços argentinos e a partida foi disputado com apenas sete jogadores de cada lado.

Por esse motivo, muitas publicações não consideram como oficial o jogo de 06 de outubro de 1920.

Osvaldo Gomes que ainda jogava pelo Fluminense estava com a delegação brasileira apenas como dirigente e entrou em campo para completar o time brasileiro.

O jogo com sete para cada lado terminou com a vitória dos argentinos por 3x1. O gol brasileiro foi marcado pelo atacante Castelhano. 

Apesar do nome, Castelhano era brasileiro nascido na cidade gaúcha de Santana do Livramento. Seu nome Cipriano Nunes da Silveira. Como tinha sotaque de quem morava em Rivera no Uruguai ganhou o apelido de Castelhano.

Na época do amistoso em Buenos Aires, Castelhano jogava pelo Santos o segundo time de sua carreira. Ele que começou no 14 de julho de sua terra natal. 

João Nassif
Por João Nassif 08/12/2018 - 19:40

Desde 2003 o campeonato brasileiro da série A é disputado por pontos corridos em turno e returno. Portanto, já foram finalizadas 16 edições da competição.

O futebol catarinense esteve presente em todas estas edições, algumas com mais outras com menos, mas sempre com algum time representando o estado.

Quem mais participou da série A foi o Figueirense que esteve presente em 11 edições, acumulando um total de 550 pontos. Seu percentual de aproveitamento é de 41,86%.

Figueirense 2003 na série A do campeonato brasileiro

A Chapecoense que em 2019 vai acumular seis participações seguidas é o time de melhor aproveitamento entre os catarinenses, 42,33% acumulando um total de 240 pontos.

Com o acesso deste ano o Avaí também vai participar pela sexta vez da série A. Acumulou nas cinco edições em que esteve presente 216 pontos com um rendimento de 37,89%.

O Criciúma disputou apenas quatro vezes a série A por pontos corridos e acumulou 188 pontos com aproveitamento de 37,30%.

Finalmente o Joinville que disputou apenas uma vez a série A desde 2003 e foi rebaixado. Em 2015 fez somente 31 pontos e seu rendimento foi de 27,19%.

Este é o resumo completo da participação dos catarinenses na série A do campeonato brasileiro com pontuação e campanhas acumuladas. 

As informações são do FutDados.
 

João Nassif
Por João Nassif 08/12/2018 - 07:30

ATÉ QUE ENFIM

Venho cobrando há tempos da direção do Criciúma um planejamento profissional condizente com sua história. Entrou ano e saiu ano e não se viu nada parecido e os resultados, por consequência foram os piores possíveis. Depois de tanto apanhar e ser execrado pela torcida o presidente Jaime Dal Farra mostrou que aprendeu e mesmo com algum atraso apresentou para tocar o futebol profissionais de alto quilate. Mesmo assim há tempo para completar o quadro com um plantel qualificado e virar o jogo perdido em 2018.

DORIVA

Não deixou de ser uma surpresa, mas de qualquer forma se esperava do assessor Ricardo Rocha a busca por um técnico cujo nome causaria impacto entre os torcedores. Se não é unanimidade, pelo menos a aceitação foi enorme mostrando que voltou a esperança de dias melhores. O técnico tem experiencia e bagagem suficientes para trabalhar um time que possa brigar por posições totalmente diferentes das últimas temporadas. 

PROMESSA

O diretor executivo Nei Pandolfo que deverá trabalhar em sintonia com Ricardo Rocha prometeu 10 contratações que serão divulgadas em doses homeopáticas. Uma a cada dia, começando por amanhã. Com a base e remanescentes do plantel deste ano, com critérios veremos um grupo de jogadores à altura do clube para a disputa de todas as competições programadas para 2019.  

ASSOPRO

Depois de muito criticar por ter acompanhado vários erros, alguns até grotescos, minha função é elogiar quando se prenunciam boas novidades. É o que acontece agora com a montagem do staff do departamento de futebol e a perspectiva de um plantel qualificado. Creio que seja este também o sentimento dos torcedores.

PRESTA ATENÇÃO!

Agora fica faltando o Conselho Deliberativo fazer sua parte. É necessário que nova eleição seja marcada para colocar o clube na legalidade. Modificar a ata de 2015 é um delito monumental que trará enormes prejuízos ao Criciúma, seja moral ou financeiro e a recuperação será difícil. E se possível, que se eleja alguém de fora da G.A., pois assim o clube ficaria no mesmo patamar de outros que têm empresas gerenciando o futebol. Não foi desta forma. A ata foi retificada e registrada em cartório no final da tarde de ontem. Haverá desdobramentos.

DECISÕES

Com o final da temporada do futebol brasileiro, duas partidas chamam atenção neste domingo. Me perguntaram qual a mais importante, a final da LARM ou a decisão da Libertadores da América? Claro que pela ótica de quem vive nos arredores de Nova Veneza. Não tive dúvidas, o Clássico da Polenta tem sabor muito mais especial. Vai começar as 16:00hs em Nova Veneza, enquanto que River Plate e Boca Juniors começará as 17:30hs em Madrid.

RIVALIDADES

O clássico em Nova Veneza coloca frente a frente dois times da cidade, com envolvimento direto de toda comunidade. Em Madrid, mesmo sendo dois times da mesma cidade somente a população irá acompanhar de muito longe, esfriando a disputa direta, tipo olhos nos olhos. Somente os argentinos que gastaram verdadeira fortuna é que terão o luxo de presenciar na Espanha uma final do torneio sul-americano. Por isso sou mais o Clássico da Polenta.

MEMÓRIA  
08/12/2004- “Antevéspera do penúltimo jogo na série A”. Ano da queda

RAÇA
Não será impossível vencer o Palmeiras em São Paulo, mas para isto terá que jogar com muita vontade, diria mais, com total superação. Foi assim que o Guarani e o Flamengo se deram bem. Se o time do Criciúma jogar da forma apática como jogou em casa no último jogo, será definitivamente encaminhado para a segunda divisão. 

João Nassif
Por João Nassif 07/12/2018 - 18:34

Numa tarde chuvosa há exatos 16 anos o Criciúma entrou em campo para disputar a segunda partida da final do campeonato brasileiro da série B.

No dia 07 de dezembro de 2002 no Heriberto Hülse o Criciúma que havia perdido para o Fortaleza no primeiro jogo por 2x0 precisava reverter o resultado para colocar mais uma estrela em seu distintivo.

E fez o que tinha que fazer. Com uma exibição de luxo de Paulo Baier que marcou três gols, a vitória por 4x1 sacramentou uma campanha espetacular que começou no dia 11 de agosto com a vitória sobre o Jundiaí por 2x0.

O campeonato foi disputado por 26 clubes que jogaram entre si somente em jogos de ida. O formato ainda não era em turno e returno o que só aconteceria a partir de 2006.

Nos 25 jogos que realizou o Criciúma conquistou 51 pontos através de 16 vitórias e três empates, pois foi derrotado somente em seis oportunidades. Marcou 45 gols e sofreu 34. Terminou a primeira fase em primeiro lugar com duas rodadas de antecedência. Esta liderança permitiu que a partir da segunda fase, quartas de final, jogasse a segunda partida dentro de casa.

Cleber Gaúcho-volante campeão brasileiro em 2002

E assim foi feito. Nas quartas de final foi derrotado no primeiro jogo pelo Remo em Belém por 2x1 e virou em casa com vitória por 4x0. Na semifinal venceu duas vezes o Santa Cruz, por 1x0 no Arruda e 3x0 no Heriberto Hülse. Neste jogo o Criciúma garantiu o acesso à série A.

Finalmente as duas partidas da final contra o Fortaleza.

Naquela tarde chuvosa de 07 de dezembro de 2002 o Criciúma garantiu a segunda estrela em seu distintivo.


 

João Nassif
Por João Nassif 07/12/2018 - 10:40

A contratação do técnico Doriva coloca o Criciúma num patamar diferente dos últimos anos. É técnico de série A, condição que tem sido decisiva para o acesso entre os clubes que disputam a segunda divisão. 

É só olharmos para o que aconteceu este ano. Fortaleza, CSA, Avaí e Goiás foram os times que subiram. Rogério Ceni, campeão, tem passagem pelo São Paulo, Marcelo Cabo do CSA foi campeão comandando o Atlético-GO em 2016, Geninho e Nei Franco completam o grupo de técnicos com grandes trabalhos em clubes de ponta no futebol brasileiro.

Técnico Doriva, bola da vez

Doriva que como jogador estava no grupo da seleção brasileira que disputou o Mundial de 1998, rodou por diverso clubes no Brasil e exterior e como técnico teve também seus momentos de glórias. As mais importantes, campeão paulista pelo Ituano em 2014 e carioca pelo Vasco da Gama em 2015.

Resumindo, foi uma boa contratação com o dedo do assessor Ricardo Rocha.
 

João Nassif
Por João Nassif 07/12/2018 - 10:20

TÉCNICO

Foi muito forte a reação dos torcedores quando foi anunciado que Roberto Cavalo voltaria ao comando do time. Faz quase uma semana que era dada como certa a contratação. Neste meio tempo foi acertado com Ricardo Rocha para assessorar o presidente. Um luxo desnecessário. Como demorou demais creio que Roberto Cavalo está descartado. Por isso o clube deverá anunciar seu novo técnico assim que Ricardo Rocha retornar de Salo Paulo. Possivelmente ainda hoje. E o que fala Nei Pandolfo sobre toda esta movimentação?

REPRISE

Enquanto a situação de comando não se define o Criciúma vai perdendo tempo para preparar a temporada 2019. As equipes estão se mexendo há algum tempo, definindo comissão técnica e montagem de plantel. Os clubes ainda estão em meio a pré-temporada, mas faltam pouco mais de 40 dias para a bola começar a rolar. O Criciúma vai repetindo o filme de outras temporadas. 

CANETAÇO

O assessor jurídico do Conselho Deliberativo do Criciúma, Edemar Soratto afirmou que será alterada a ata de 2015 que registra a eleição do atual presidente Jaime Dal Farra. Consultei dois amigos, um advogado e o outro contador e ambos disseram que uma ata somente pode ser modificada com a anuência de todos que participaram da reunião. Não será este o caso, portanto qualquer mudança sem a autorização dos conselheiros é ilegal. Simples assim.

MEDO

Caso fosse marcada nova eleição nos prazos definidos por lei a possibilidade do clube mudar de comando seria gigante. Falo presidência do clube, não da G.A. que tem contrato vigente até março de 2022. Por isso a assessoria do Conselho faz a opção de cometer uma infração para manter o status quo. Mas, tem problema. Caso efetivamente não haja outra eleição o Criciúma baterá de frente com a Lei Pelé e poderá ficar sem os incentivos disponibilizados pelo Ministério dos Esportes. 

RESUMO

Não adianta os torcedores espernearem. Até agora o comando do CD em sintonia com o atual presidente bloqueia qualquer cobrança feita pelos conselheiros. E aos poucos a marca Criciúma EC vai perdendo os valores que a fizeram ter o reconhecimento do país pelas suas grandes conquistas. O problema é que março de 2022 ainda está longe.


LOGÍSTICA

Somente no final de cada temporada é que se fica sabendo quantos times de cada região do país estarão na série B no ano seguinte. Como todas regiões têm clubes na segunda divisão, os departamentos de futebol podem com grande antecedência organizar os deslocamentos e dentro do possível minimizar o desgaste que impacta sobre os atletas. 

DISTÂNCIAS

Este ano o Criciúma realizou 19 viagens e considerando em linha reta daqui para os locais dos jogos, a delegação percorreu entre terrestre e aéreo cerca de 47 mil quilômetros. Com os acessos e descensos nesta temporada, para 2019 a previsão é que o Tigre percorra em torno de 38 mil quilômetros, Os dados estão em A TRIBUNA. Nada que se compare aos 75 mil quilômetros que o Criciúma percorreu em 2002 para ser o campeão da série B.

MEMÓRIA – 07/12/2002

Até parece brincadeira. Num jogo final com todo o sul do estado mobilizado, a Federação mandou menos de 10 mil ingressos para a venda antecipada. Após o expediente de ontem, centenas de torcedores foram ao estádio e não tinha mais nenhum ingresso. Faltou planejamento ao Criciúma que tinha que exigir toda a carga para não sacrificar a torcida. Muitos não poderão voltar hoje pela manhã e será um sufoco na hora do jogo. Espero que na série A o torcedor seja melhor tratado.

João Nassif
Por João Nassif 06/12/2018 - 19:06

Em 2003 o campeonato brasileiro da série A passou a ser disputado por pontos corridos. A competição foi disputada por 24 clubes o mesmo acontecendo em 2004. 

Em 2005 o número de competidores diminuiu para 22 e a partir de 2006 o formato permanece inalterado com 20 clubes disputando em turno e returno por pontos corridos.

A partir de 2003 quando foi implantado o sistema atual e sem casuísmos adotado o rebaixamento somente em duas edições não aconteceu a queda de clubes que já foram campeões brasileiros.

A primeira foi em 2006 quando foram rebaixados Ponte Preta, Fortaleza, São Caetano e Santa Cruz. A segunda foi agora em 2018 com as quedas do Sport, América, Vitória e Paraná.

Edmundo rebaixado com o Vasco em 2008

Os campeões brasileiros rebaixados na era dos pontos corridos são os seguintes:

2003 – Bahia
2004 – Guarani e Grêmio
2005 – Coritiba e Atlético-Mineiro
2007 – Corinthians
2008 – Vasco da Gama
2009 – Coritiba
2010 – Guarani
2011 – Atlético Paranaense
2012 – Palmeiras
2013 – Vasco da Gama e Fluminense que caiu em campo, mas foi salvo pelo STJD e não disputou a série B em 2014. 
2014 – Bahia e Botafogo
2015 – Vasco da Gama
2016 – Internacional
2017 – Coritiba

João Nassif
Por João Nassif 06/12/2018 - 08:13Atualizado em 06/12/2018 - 18:15

IMPOTÊNCIA OU CONIVÊNCIA?

A matéria assinada pelo Lucas Renan na edição de ontem de A TRIBUNA e no portal 4oito.com.br traz dois artigos do Estatuto do Criciúma EC que para mim, leigo, são no mínimo conflitantes. Um, o 51 manda ter eleições de três em três anos na primeira quinzena de dezembro. Outro, o 112 diz que o mandato da diretoria eleita em 2011 se estenderá até a rescisão do contrato de gestão. Zero mata zero? O presidente do Conselho Deliberativo se baseia no 112 para deixar tudo como está. Caso a opção fosse pelo 51 e aparecesse outra chapa, pelo momento atual certamente a presidência do clube mudaria de mãos.

FALOU GROSSO

Carlos Henrique Alamini, presidente do CD numa nota oficial afirmou que ficará atento e cobrando as promessas feitas pelo presidente na última reunião do órgão a semana passada. Fico em dúvida, pois até agora nada foi feito para coibir a má gestão que manchou a importante marca CRICIÚMA EC. 

O COELHO DA CARTOLA

Imediatamente após o bate-boca com Mazola Júnior o presidente do Criciúma foi atrás do Ricardo Rocha, profissional com bom trânsito pelos clubes e principalmente junto à CBF. Pode ajudar resolver várias questões, inclusive políticas e também a captação de jogadores para montagem do plantel-2019.  

TODO PODEROSO

Em entrevista à Rádio Eldorado o presidente Jaime Dal Farra afirmou que Ricardo Rocha será o todo-poderoso do clube, não só no futebol, mas em muitas outras áreas. Terá carta branca para tomar as decisões em sintonia com Nei Pandolfo, inclusive para contratar o treinador para 2019. Talvez por isso tenhamos surpresa, pois até agora Roberto Cavalo, sonho do presidente, ainda não foi oficializado. 

DUAS CARAS

Questionado numa coletiva o técnico Tite afirmou que não participaria de uma festa de título com a presença de um presidente da República. Jair Bolsonaro, presidente eleito fez a festa na conquista do Palmeiras. O Tite esqueceu que em 2012 teve encontro com à época ex-presidente Lula, corintiano, comemorando a conquista da Libertadores da América. 

QUAIS VALORES?

Em 2015 Tite então técnico do Corinthians saudou o ex-presidente quando este completava 70 anos. “Parabéns, presidente Lula. Muita saúde, muita luz em seu caminho”. E mais, depois de assinar um manifesto contra a CBF, permitiu ser abraçado pelo corrupto Marco Polo Del Nero que o contratou para técnico da seleção. Ainda prega valores éticos e morais.

MEMÓRIA – 06/12/2008

Após a dispensa de mais da metade do elenco de 2008, sobraram apenas nove ou dez atletas que formarão a base para o time disputar o catarinense e a Copa do Brasil na primeira parte da próxima temporada. A formação do novo grupo de jogadores terá que ser projetada para a temporada inteira, pois o alvo principal será a disputa da série C para que o time consiga retornar à segunda divisão ainda em 2009. Não voltar de imediato deixará o futuro recheado de incertezas e os exemplos do Joinville e do Santa Cruz de Recife mostram a dificuldade para que um time grande seja recolocado nos eixos.

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13