Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS INFORMAÇÕES DAS ELEIÇÕES 2024!
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Por João Nassif 13/04/2024 - 22:39

Quando vai começar qualquer competição, principalmente o campeonato brasileiro com 20 times é absolutamente natural que analistas e torcedores façam previsão sobre quais times brigarão pelo título e quais jogarão pela permanência na série A.

Tenho acompanhado muitas previsões sobre os que entrarão no campeonato com o único objetivo de sobrevivência e a maioria optou pelos que subiram da série B, entre eles o Criciúma, tido por todos como o favorito para o rebaixamento.

Não vejo de forma diferente, afinal o Criciúma é o clube com menor investimento o que é um ponto decisivo para esta avaliação. Nada que seja definitivo, afinal são 38 rodadas e outros times também entram na previsão de descenso, casos de Juventude, Atlético-GO, Vitória que subiram e também Cruzeiro e Vasco que têm sido frequentes na série B. 

O Criciúma além do menor poderio financeiro tem um plantel que mostrou sua deficiência no campeonato catarinense, mesmo sendo bicampeão. E mais, a forma do time se comportar principalmente nos segundos tempos dos jogos não recomenda uma grande campanha. 

A amostra da estreia mostrou os vícios de sempre, sai na frente no primeiro tempo mesmo com alguma dificuldade e volta para a segunda etapa no modo Tencati. Aposta na defesa perde força ofensiva e acaba tomando o empate. Contra o Juventude chegou ao gol pela primeira vez além dos 30 minutos do segundo tempo.

Agora para a competição vieram jogadores que certamente agregarão mais qualidade e com o tempo poderemos fazer uma avaliação mais precisa sobre o futuro.

Ou muda o comportamento, as novidades, Bolasie, Matheuzinho, Arthur Caíque podem agregar ao plantel mais qualidade ou vai sofrer bastante no campeonato e confirmar as previsões que estão na cabeça de tantos quantos acompanham o futebol.
 

Por João Nassif 07/04/2024 - 08:35 Atualizado em 07/04/2024 - 09:55

Quando faço previsão sobre o desfecho de um jogo ou campeonato procuro as evidências como campanha, superioridade técnica, peso da camisa, local do jogo, enfim componentes que me dão a certeza do resultado.

Foi como procedi durante toda semana passada depois da vitória do Criciúma no primeiro jogo disputado fora do Heriberto Hülse. Entendia como certo o bicampeonato por tudo que representava para o time, vitorioso nos últimos anos em todas competições que disputou e mais, uma amostragem do que será o Campeonato Brasileiro que começará no final de semana.

Muitos torcedores contestaram minha afirmação, inclusive vários companheiros de profissão. Mas, não mudei minha opinião da certeza do bicampeonato.

O gol do Meritão na abertura do jogo ia confirmando minha previsão que aos poucos foi ficando em risco, pois novamente o time empurrado por uma torcida fantástica deixou de fazer a pressão para ter tranquilidade e com o passar do tempo foi sendo dominado pelo Brusque.

Quando começou o segundo tempo, uma falha impensável do Gustavo marcou a igualdade no placar, então das duas uma: ou o Criciúma partiria para tentar o gol da vitória ou ficaria refém do regulamento vendo o adversário tomar conta do jogo.

E aí é que entra a personalidade de um time. Em casa com 18 mil torcedores a favor foi ficando com medo cada vez mais, inclusive as alterações foram no sentido de segurar o resultado, o empate garantia a conquista.

No final do jogo uma defesa espetacular do Gustavo e uma enorme pressão foram o corolário do bicampeonato.

Minha certeza foi confirmada mesmo como o jogo se apresentou. O pênalti não marcado para o Brusque num dos últimos lances do jogo é apenas um detalhe.

Por João Nassif 04/04/2024 - 07:49 Atualizado em 04/04/2024 - 08:46

Entre todos os países da América do Sul, o futebol brasileiro é quem tem o maior número de representantes nos torneios entre clubes do futebol sul-americano.

Entre Libertadores e Copa Sul-Americana são ao todo 14 clubes, sete em cada uma das competições. 11 times já jogaram nesta primeira rodada das fases de grupos, faltando apenas o São Paulo e o Atlético Mineiro na Libertadores e o Cruzeiro na Sul-Americana.

Temos falado e ouvido que o futebol brasileiro tem a hegemonia no continente pelas conquistas recentes, principalmente da Libertadores. É verdade, mas nota-se que aos poucos os clubes dos outros países, mesmo com menor poder de arrecadação e por extensão de investimento vão evoluindo técnica, taticamente e principalmente no aspecto físico e aos poucos ameaçando esta hegemonia.

Não é nada definitivo, mas os jogos já disputados nesta primeira rodada mostraram a dificuldade dos times brasileiros em superar seus adversários.

Nenhum brasileiro dos cinco times que já atuaram na Libertadores conseguiu vencer, foram três empates e duas derrotas. Os últimos campeões da competição, Fluminense, Flamengo e Palmeiras empataram seus jogos jogando fora do Brasil, enquanto Grêmio e Botafogo foram derrotados, o primeiro na altitude de La Paz e o segundo dentro de sua própria casa.

Na Sul-Americana, tipo série B da CONMEBOL os resultados foram mais favoráveis, com três vitórias e três empates. Fora de casa os brasileiros fizeram a festa no Paraguai com o Fortaleza derrotando o Trinidense e o Athletico Paranaense o Sportivo Ameliano. Alguém já havia ouvido falar nestes dois times paraguaios? A outra vitória foi do Red Bull Bragantino em cima do chileno Coquimbo.

Internacional, Corinthians fora de casa e o Cuiabá em casa contra o argentino Belgrano, o Racing uruguaio e o Lanús argentino empataram na primeira rodada.

Apesar de um início sem grandes resultados com poucas exceções, como a fase de grupos é composta de cinco rodadas é possível muitos destes 14 times passarem para a fase de mata-mata nas duas competições.
 

Por João Nassif 31/03/2024 - 07:48 Atualizado em 31/03/2024 - 11:39

Foi mais fácil do que o esperado. A superioridade do Criciúma foi marcante desde que o jogo começou e a vitória mesmo pelo placar mínimo encaminhou de forma definitiva a conquista do bicampeonato.

Pelo andamento do campeonato, apesar do enorme favoritismo que o Criciúma trouxe ainda da pré-temporada, eu esperava que o Brusque pudesse ser o adversário mais complicado, principalmente numa final.

O que se viu foi um time sem condições de oferecer maior resistência e sem seu principal jogador, Rodolfo Potiguar, ofereceu campo para o Criciúma ir aos poucos consolidando a vitória. O Hercílio Luz e o Barra foram muito mais difíceis de serem vencidos.

Um gol na cobrança de escanteio com o zagueiro do Criciúma completamente livre à frente da pequena área e outro num pênalti cometido por uma saída estabanada do goleiro, gols que iam encaminhando uma vitória tranquila. Mesmo com o pênalti sofrido, o placar ajustado foi atingido também pelo fato do Brusque não ter forças para buscar o empate. 

 O jogo mostrou novamente o padrão do Criciúma que quando sai na frente, seu forte poder de marcação quase sempre garante a vitória pela superioridade e o baixo nível de seus adversários. 

Sábado será a consagração da superioridade com a torcida fazendo a festa do bicampeonato.
 

Por João Nassif 24/03/2024 - 18:51 Atualizado em 25/03/2024 - 09:38

A classificação do Criciúma para a decisão do catarinense tem que ser muito comemorada e se conquistar o bicampeonato mais ainda, pois por incrível que pareça um time cantado por todos, eu inclusive, como favorito disparado para o título chegou até onde chegou por obra exclusiva de seu goleiro, paredão nas decisões por pênaltis.

O time não apresenta um futebol convincente fora de casa e no Heriberto Hülse não corresponde aos anseios de sua enorme e participativa torcida. Tem conquistado resultados muito mais pela fragilidade dos adversários num campeonato de baixíssimo nível técnico.

Tem conseguido resultados no início dos jogos e depois decai violentamente de produção e sempre com placar ajustado a favor corre riscos de deixar escapar vitórias que poderiam ser mais tranquilas tivesse um mínimo de competência e qualidade.

O que foi visto neste campeonato deixa uma expectativa muito ruim para o campeonato brasileiro. No estadual enfrentou adversários de nível técnico muito ruim, fico imaginando na série A quando enfrentará equipes muito mais poderosas.

O atual time titular e plantel são insuficientes para encarar a competição nacional e somente com investimento pesado o Criciúma não fará uma viagem de luxo na elite do futebol brasileiro.
 

Por João Nassif 23/03/2024 - 14:47

Poucos ligados ao futebol se manifestaram sobre as condenações do Daniel Alves e Robinho. Personagens importantes demoraram para se posicionar e somente o fizeram pela repercussão do desfecho com a condenação dos jogadores na Espanha, Itália e Brasil.

A CBF, entidade máxima que tem sido veemente na condenação do racismo, um crime violento, publicou uma nota repudiando os estupros e pedindo que tais casos não mais se repitam. Nota protocolar.

Já o técnico da seleção, Dorival Júnior visivelmente constrangido e poderia dizer obrigado a se manifestar, começou dizendo na entrevista que Robinho é uma pessoa fantástica, um profissional acima da média para na sequência dizer que “se houve realmente e comprovado algum tipo de crime, ele tem que ser penalizado”. O técnico não sabia ou fingiu não saber que houve crime e a penalização.

Tanto CBF quanto Dorival Júnior manifestaram solidariedade às vítimas. Protocolar.

A primeira e única voz forte em todo este episodio partiu da presidente do Palmeiras, Leila Pereira, neste momento chefe da delegação brasileira que está na Europa para os amistosos da seleção. Assim que saiu a sentença do crime cometido pelo Robinho a presidente chamou a imprensa e firmou com força seu posicionamento.

Repudiou com todas as letras a prática do estupro, deixou um alerta para todas as mulheres que sofrem diariamente este crime e pediu providencias para que as leis sejam mais severas a fim de acabar com a impunidade que hoje está presente na sociedade brasileira. Felizmente hoje é uma mulher integrante temporária do staff da CBF que representa uma parcela significativa da população brasileira.
 

Por João Nassif 22/03/2024 - 07:09 Atualizado em 22/03/2024 - 07:34

Os primeiros 15 a 20 minutos do jogo contra o Barra deu a impressão que o Criciúma estava fazendo um treino de dois toques, tal a facilidade como envolvia o adversário, culminando com a marcação do gol numa linda jogada coletiva que foi finalizada com um chute espetacular do Claudinho.

Depois deste tempo e com a vantagem o Criciúma diminuiu o ritmo e permitiu ao Barra ter mais tranquilidade e tentar jogar mesmo sem ameaçar o goleiro Gustavo. Fiquei com aquele sentimento do Criciúma sentar na vantagem e vendo a impotência do adversário para levar a vantagem para o segundo e decisivo jogo.

O segundo tempo começou e ainda nos primeiros movimentos o Barra empatou numa falha do zagueiro Rodrigo que obrigou o estreante Tobias Figueiredo cometer o pênalti que o Gustavo não conseguiu defende, pois o batedor não chutou em sua direção. 

Logo em seguida outra falha, agora do outro zagueiro, Tobias Figueiredo que permitiu uma cabeçada nas suas costas e o Barra pulou a frente do placar. Logo sem seguida um gol do Kayser anulado pelo VAR que viu impedimento. Pela TV não foi possível definir, pois não havia câmera na linha do impedimento.

Se havia, como deve ter havido impedimento, o pleito do Criciúma exigindo VAR nesta reta final do campeonato foi importante para corrigir uma decisão equivocada da arbitragem de campo.

A partir daí somente o Criciúma jogou, o técnico fez as mudanças que entendeu deveriam melhorar o time, chutou bola na trave, exigiu uma defesa quase milagrosa do goleiro, mas não teve outras situações que pudessem lhe dar pelo menos o empate.

De qualquer maneira a derrota pela diferença mínima não invalida dizermos que no jogo de volta em casa o resultado possa ser revertido. E todos saíram de campo convocando a torcida, que tem sido, muitas vezes, o mais importante jogador do time.
 

Por João Nassif 18/03/2024 - 07:58 Atualizado em 18/03/2024 - 10:31

O técnico Cláudio Tencati falou quando da coletiva pós jogo contra o Hercílio Luz que toda boa equipe tem que ter um grande goleiro. É uma das expressões máximas no futebol.

Concordo plenamente, mas não vejo como boa a equipe que depende tanto de um grande goleiro para garantir vitórias e classificações.

O Gustavo tem sido decisivo em vários jogos quando o time não apresenta bom futebol e isto tem sido decorrente do Criciúma na temporada. E ontem não foi diferente, depois de sofrer um gol que fugiu ao seu padrão de atuações, novamente se transformou num paredão impedindo o gol de empate no acréscimo da partida.

Além de tantas defesas decisivas que já fez vai também criando um histórico de pegador de pênaltis o que quase sempre assusta os cobradores facilitando seu trabalho no lance fatal.

E mais, tem uma enorme ajuda dos jogadores que quando um pênalti é marcado quase todos rodeiam o árbitro e quem chega por perto, atrasando a cobrança e buscando enervar quem vai bater sob complacência da arbitragem. Moda que poderá causar problemas na série A.

Com Gustavo, com time bom ou não, o Criciúma vai buscando seus objetivos neste início de temporada. Uma coisa que está bem clara, com este plantel será muito difícil continuar alcançando as metas, principalmente no campeonato brasileiro.

Agora o adversário na semifinal será o Barra que foi buscar o resultado dentro do Scarpelli, perigo à vista. Na outra perna da semifinal o confronto será entre Avaí e Brusque, jogo de série B do Brasileirão. Pela logica o Criciúma deverá ir para a final, a outra decisão fica em aberto, com vantagem para o Avaí que jogará a segunda partida em casa, minha opinião. 


 

Por João Nassif 15/03/2024 - 07:56 Atualizado em 15/03/2024 - 08:31

Como na maioria dos jogos na temporada a vitória nos pênaltis em Taguatinga foi infinitamente maior que o futebol apresentado pelo Criciúma.

De novo se repete o roteiro, o time faz um gol no inicio do jogo, ontem foi aos 3’ e a partir daí, faz de tudo para segurar a vantagem. Tira a velocidade do jogo, procura manter o máximo a posse de bola sem atacar, demora na reposição, enfim tudo que estamos acostumados a ver, principalmente quando joga fora de casa.

O técnico Cláudio Tencati lembrou que em cinco jogos fora de casa o Criciúma empatou quatro e venceu apenas o Internacional de Lages num outro jogo sofrível. Lembrou também que alguns outros times da série A do brasileirão venceram na decisão por pênaltis adversários de divisão inferiores ou mesmo sem divisão.

Novamente o setor defensivo foi o melhor do time e o goleiro Gustavo se transformou novamente em herói defendendo dois pênaltis na decisão. O resto foi o mesmo de sempre.

Dois fatores que ficam como alerta para o campeonato brasileiro. A cera escancarada do goleiro Gustavo já percebida pelos árbitros, ontem levou o cartão amarelo aos 32’ do primeiro tempo por retardar um tiro de meta. 

Outro fator é o comportamento do Barreto que foi o Barreto do inicio da carreira, falta pesada que gerou o primeiro cartão amarelo e o agarrão na camisa do adversário longe de qualquer perigo que resultou no segundo amarelo e o consequente vermelho aos 40’ do primeiro tempo. Trabalhos para a comissão técnica.

De todo o Criciúma avançou para a terceira fase e aguarda o sorteio para saber quem será seu adversário. Entrarão no jogo os 12 times que não jogaram até agora. Possivelmente o Criciúma enfrentará um dos grandes o que será o melhor teste visando o campeonato brasileiro.

A fase será disputada somente em maio e até lá a necessidade de reforços de qualidade poderá ser suprida, caso contrário a participação na elite não será como a torcida gostaria. 
 

Por João Nassif 10/03/2024 - 08:47 Atualizado em 10/03/2024 - 09:03

Feliz o Criciúma em ter um goleiro do tamanho do Gustavo. Venho dizendo desde a temporada passada que o clube teria que erguer uma estátua do goleiro no pátio do Heriberto Hülse por aquilo que ele tem feito na caminhada do Tigre. Ou não?

Para não voltar muito no tempo, o acesso em 2023 foi obra e graças às suas atuações, algumas milagrosas, salvando o time em vários jogos e garantindo pontos decisivos para o clube atingir a série A.

Nem vou enumerar aqui quantos pontos ele garantiu, caso contrário o Criciúma terminaria numa zona intermediaria da classificação. Jogos épicos e memoráveis como por exemplo o empate em Goiânia contra o Vila Nova quando o time ficou durante muito tempo com nove jogadores. E tantos outros.

Mas, por felicidade o Gustavo é do Criciúma e continua com defesas milagrosas que ontem garantiram o empate e colocaram o time a um passo da semifinal do campeonato.

Um jogo cercado de confusão, antes e depois dos mais de 90 minutos, onde o Criciúma que sugeriu uma vitória tranquila depois do gol no início do jogo sofreu bastante, principalmente no segundo tempo quando foi completamente dominado pelo Hercílio Luz.

dito e é voz corrente que o Criciúma tem o melhor time do campeonato. É uma verdade, mas muito pela incapacidade dos adversários que mostram falta de qualidade para vencer jogos quando até criam situações de gol, mas não sabem como traduzir em vitórias. 

O que tenho visto do Criciúma no campeonato é que mesmo com inúmeras contratações ainda não conseguiu encontrar uma forma de jogar que não dependa somente da sua defesa e principalmente do seu goleiro. 

A discussão ao final do jogo em Tubarão entre Gustavo e Rodrigo é reflexo da estrutura do time. O volume de defesas do goleiro se deve também com a dificuldade do setor defensivo em conter os atacantes adversários.  

Por João Nassif 02/03/2024 - 22:26 Atualizado em 03/03/2024 - 20:35

Terminada a fase de classificação o Criciúma, como era esperado chagou na primeira posição, objetivo alcançado, e agora terá vantagem de jogar em casa as partidas eliminatórias até o final.

Não vejo como o time não conseguir ir até a decisão, pois convenhamos os adversários mostraram muita fragilidade num campeonato de baixo nível técnico.

No jogo derradeiro da fase o Criciúma entrou com um time mesclado com poucos titulares, mas estes mantiveram o ritmo e conquistaram uma vitória tranquila contra um adversário que de favorito para brigar pelo título ainda corria riscos de rebaixamento.

O fator Heriberto Hülse poderá ser decisivo na reta final, por isso a importância da primeira posição, e o aproveitamento em casa é excepcional com pouco mais de 83% e fora de casa é muito bom com 67%. E mais, o Criciúma tem o segundo melhor ataque com 17 gols e a melhor defesa que sofreu apenas sete gols. 

Toda esta campanha remete paro confirmar o favoritismo para o bicampeonato.

A primeira decisão será contra o Hercílio Luz que ficou com a oitava posição. Nos outros jogos das quartas de final o Avaí 2º colocado decidirá na Ressacada contra o Joinville. O Marcílio Dias, que terminou na 3ª posição irá decidir contra o Brusque em Itajaí e o Figueirense 4º colocado decidirá no Scarpelli contra o Barra.

Deu mais ou menos a lógica na classificação final, o ponto fora da curva foi a Chapecoense que escapou do rebaixamento na última rodada. O Concórdia não classificou e nem foi rebaixado. Caíram para a série B, Internacional de Lages e Nação. 

Por João Nassif 29/02/2024 - 07:26 Atualizado em 29/02/2024 - 10:42

O cenário era perfeito para o Criciúma fazer um grande jogo e carimbar a classificação, arena de Copa do Mundo, gramado em ótimas condições, arquibancadas vazias, sem pressão de torcida, um adversário quase que totalmente desconhecido no país, enfim tudo induzia à uma vitória tranquila de um time de série A.

A vitória foi tranquila pela fragilidade do adversário, aqui no estadual o Criciúma enfrentou mais dificuldades, mas o futebol que o time do Tencati mostrou foi de quinta categoria.

Ficou claro que o Criciúma foi para o jogo somente para garantir a classificação, teve mais posse de bola sem mostrar algo de produtivo. Somente em cruzamentos levou algum perigo, uma bola na trave e duas ou três cabeçadas que passaram perto do gol. Foi um futebol que deu sono.

Deu a impressão que a orientação era para não correr nenhum risco, afinal tinha uma boa cota estava em jogo para alcançar a segunda fase. Se perceberam, quase no final o goleiro Gustavo nas poucas vezes em que tocou na bola, fez uma defesa segura e para não perder o costume foi ao chão para ganhar tempo.

Eu como comentarista e os torcedores do Criciúma, creio, suportaram o jogo até o final, mas tenho certeza que aqueles não envolvidos usaram o controle remoto e foram assistir algo mais produtivo ou emocionante.  
 

Por João Nassif 23/02/2024 - 07:49 Atualizado em 23/02/2024 - 08:11

Dois episódios recentes no futebol retratam de forma inequívoca o momento em que vivemos como sociedade.

Primeiro o atentado sofrido em Recife pela delegação do Fortaleza após o jogo contra o Sport pela Copa Verde. Pedras e até uma bomba foi jogada contra o ônibus na saída da Ilha do Retiro, ferindo vários jogadores.

CBF, Sport emitiram notinhas de repúdio, procedimento padrão em eventos desta natureza. Não é a primeira vez, nem será a última pela falência da justiça no país. Quantos casos parecidos já aconteceram e não sem tem sido notícia que alguém foi preso, e se foi ficou poucas horas na cadeia, pois as leis são brandas e não há interesse em faze-las mais severas.

A grande preocupação da CBF e do governo é com a realização da Copa do Mundo Feminina em 2027, pois uma delegação da FIFA está no país verificando as condições para autorizar a competição.

A CBF lavou as mãos sobre o atentado em Recife e o governo que já torrou bilhões de reais em super faturamento para receber um Panamericano e uma Copa do Mundo quer novamente investir sem nenhuma necessidade em outra competição. 

Segundo a condenação por estrupo cometido pelo lateral Daniel Alves. As duríssimas leis espanholas permitem que o pagamento de uma, chamamos de multa, a pena seja reduzida.

O parceiro Neymar, que deveria ser exemplo pelo ídolo que é doou 160 mil dólares para que Daniel Alves tivesse sua pena diminuída para quatro e poucos anos. O jogador em momento algum mostrou repúdio pelo crime. Cada um dá seu dinheiro para quem quiser e mostra que a vítima não tem a mínima importância..

São dois exemplos da inversão de valores que escacaram o momento em que vivemos como sociedade. 


 

Por João Nassif 19/02/2024 - 07:43 Atualizado em 19/02/2024 - 08:53

Depois da derrota para o Brusque, nada melhor do que enfrentar o Internacional de Lages na busca da recuperação.

Criciúma jogou à vontade contra um adversário que está na briga contra o rebaixamento que mostrou um futebol que chamo de primitivo, sem ameaçar em momento algum o gol do Gustavo e com uma defesa que jogou com toda tranquilidade pela impotência do seu oponente.

A nota marcante do jogo foi o gramado do Tio Vida que permitiu ao Criciúma desfilar toques de bola e passes precisos, quase sempre com liberdade e o gol foi reflexo deste trabalho.

O passe do Marquinhos Gabriel entre os zagueiros para encontrar o Eder com toda liberdade só foi possível pela qualidade do piso reformado com urgência para colocar o time lageano no campeonato.

Com toda tranquilidade para jogar, finalmente os atletas tiveram comportamento exemplar, aliás como deve ser sempre, sem nenhuma reclamação, sem pressão sobre o árbitro e os cartões foram produto de incidências do jogo, faltas praticadas.

Faltam apenas dois jogos para o final da primeira fase e a vantagem praticamente garante o primeiro lugar trazendo vantagens para as outras fases, confrontos diretos. Joinville fora na próxima rodada a Chapecoense em casa na rodada final.

Por João Nassif 18/02/2024 - 08:31 Atualizado em 18/02/2024 - 13:05

O Criciúma é hoje o maior time de Santa Catarina, ninguém discute. Tem 18 mil sócios que quase sempre lotam o Heriberto Hülse, está com as contas rigorosamente em dia, até se deu ao luxo de comprar um ônibus que dizem custou mais de 2 milhões de reais e é o único catarinense na elite do futebol brasileiro.

É o campeão catarinense, campeão da Recopa e caminha com autoridade para o bicampeonato, pois já livrou vantagem sobre os demais concorrentes.

 

Existe apenas um senão nesta trajetória vencedora nas últimas temporadas que é a maneira como o clube está tratando as arbitragens do estadual. Tal superioridade deveria mostrar um time mais equilibrado, tanto os jogadores como a comissão técnica que não colaboram para melhorar o nível da arbitragem que por si só é deficiente.

A pressão exercida sobre a FCF, o departamento de arbitragem e os próprios árbitros aumentam a insegurança daqueles que tem o poder de decidir os incidentes numa partida de futebol.

Por ser o maior do estado muitos estão condenando os árbitros pelas atitudes tomadas durante os jogos. O Criciúma é o time mais indisciplinado do campeonato, já acumula seis cartões vermelhos, cinco jogadores e o técnico Cláudio Tencati, por faltas duras ou reclamações.

Dá a impressão que os jogadores entram pilhados, as preleções devem ser no sentido de um contra todos, por isso a não aceitação de marcações que não agradam. O próprio técnico quando em casa reclama o tempo todo com gestos que deixam os torcedores também na pilha.

A nota de protesto enviada à Federação aumenta a pressão e a insegurança dos árbitros. As declarações pós jogo também contribui para decisões que são equivocadas. Menos mal que o técnico afirmou após a derrota para o Brusque que a partir de agora todos jogarão mudos e calados. Que ele dê o exemplo.

Quem sabe que mudos e calados possam ajudar para melhorar a arbitragem em SC. E que nós mesmos da impressa ajudemos a qualificar todo o processo não direcionando críticas exacerbadas contra os que comandam o futebol no estado. Não inventem teoria de conspiração contra o Criciúma.
 

Por João Nassif 17/02/2024 - 09:17 Atualizado em 17/02/2024 - 09:31

Faleceu nesta madrugada aos 62 anos vítima de um infarto fulminante,  Marco Antônio Martins, o Marquinhos, chefe da arbitragem da Federação Catarinense de Futebol. O cargo ocupado por ele é passível de pressão por parte dos clubes em todas entidades do futebol brasileiro. Quem trabalha com honestidade, caso do Marquinhos, tem que ter saúde de ferro, infelizmente ele não resistiu.

Pêsames à família, aos componentes da FCF, árbitros e toda a comunidade do futebol catarinense.  
 

Por João Nassif 15/02/2024 - 23:55 Atualizado em 16/02/2024 - 08:23

O Criciúma é o favorito disparado para o bicampeonato. Tenho insistido nesta questão desde antes do início da competição e não abro mão desta opinião. A diferença é muito grande em relação aos adversários, primeiro por ter um elenco formado a alguns anos e segundo pelo fato dos outros times estarem em processo de remontagem.

A posição do time na classificação confirma todo este quadro, apesar dos resultados serem muito melhores que os desempenhos. Em quase todos os jogos o Criciúma mesmo com a continuidade do trabalho de uma temporada para outra tem encontrado dificuldades para uma imposição técnica sobre os adversários com poucas exceções.

No futebol as coisas não são como se deseja e todos têm que ter capacidade de superar as adversidades e fazer o trabalho com tranquilidade para confirmar a superioridade, caso contrário os problemas aparecem e causam prejuízos que podem colocar por terra os objetivos.  

O que mais se tem visto é o destempero de alguns jogadores e da comissão técnica quando o andamento dos jogos não são como gostariam que fosse. O próprio clube é ciente se sua superioridade e isso muitas vezes induz a uma soberba que pode causar danos no final.

As arbitragens têm sido o alvo maior das reclamações e o volume de cartões mostram esta soberba como se fosse proibido marcar qualquer lance contra o time. Tanto nas vitórias como principalmente nas derrotas. Este comportamento vem desde a temporada passada.

Contra o Brusque, depois de um péssimo jogo na segunda etapa, no primeiro tempo ainda jogou alguma coisa, a virada levou muitos a reclamar com veemência da arbitragem, gerando cartões amarelos e expulsões do técnico e de um jogador no banco de reservas.

É visível que descarregar nos árbitros os fracassos no campo é uma bengala que acaba trazendo enormes prejuízos. Seria mais honesto admitir que o time foi superado pelo adversário e perder de cabeça erguida.

De nada adianta ficar mandando notinhas para a Federação, forma antiga de pressionar as arbitragens.
 

Tags: Brusque FC FCF

Por João Nassif 13/02/2024 - 07:45 Atualizado em 13/02/2024 - 11:32

Estamos assistindo um campeonato catarinense mais desigual dos últimos tempos. A superioridade do Criciúma é total sobre seus adversários e o reflexo pode ser visto na classificação. Depois de sete rodadas o time já avançou cinco pontos sobre o segundo colocado, justamente o Marcílio Dias que foi o responsável pela única derrota sofrido na competição.

Quando se esperava que o jogo contra o Avaí pudesse ser mais complicado pela rivalidade e por jogar fora de casa, o que se viu foi exatamente o contrário. Em menos de 15 minutos o jogo já estava definido e não fosse a bobagem do zagueiro capitão Rodrigo em ofender o árbitro, certamente o placar seria muito maior.

Mesmo com 10 jogadores desde os 30 minutos do primeiro tempo o Criciúma dominou o jogo sem correr riscos, fez o terceiro numa jogada espetacular e somente nos minutos finais concedeu dois gols ao Avaí e garantiu a vitória mesmo com a expulsão do Marcelo Hermes já nos acréscimos do segundo tempo.

A nota destoante foi a expulsão do Rodrigo que mostrou um destempero desnecessário ao não concordar com uma marcação do árbitro. O time vencia com facilidade, dominava o jogo e não se justifica ofender o árbitro, mesmo porque se apitou certo ou errado, não é um jogador que fará voltar atrás na marcação.

A imagem que fica é que a superioridade do Criciúma no campeonato induz seus jogadores a tentarem também dominar as arbitragens. Não é o primeiro a ser expulso por não concordar com alguma marcação, portanto o departamento de futebol do clube tem que agir com mais rigor para impedir novas expulsões. 

A projeçao antes do início do campeonato era que a Chapecoense e principalmente o Brusque puderiam ser aqueles que fariam campanha para ameaçar o Criciúma, Hoje o primeiro está na zona de rebaixamento e o segundo colado nas últimas posições. Ambos enfrentarão o Criciúma no Heriberto Hülse.     
 

Por João Nassif 08/02/2024 - 07:09 Atualizado em 08/02/2024 - 08:04

Muito bons os resultados do Criciúma no campeonato. Contra o Barra, em casa, mais uma vitória que colocou o time cada vez mais líder na fase de classificação, confirmando o grande favoritismo que o credenciou como maior candidato ao título.

São cinco vitórias em seis jogos se considerarmos a derrota para o Marcílio Dias como acidente de percurso. A grande pergunta é em quantos jogos o time convenceu? Se os resultados são definitivos, o rendimento tem que ser questionado.

Os adversários que o Criciúma encontrou pela frente são de menor qualidade e mesmo assim não foram exigidos com muito rigor pela dificuldade do Criciúma em apresentar um futebol condizente para um time da série A do campeonato brasileiro.

Das cinco vitórias, quatro foram no Heriberto Hülse e mesmo com a força da torcida os placares foram baixos contra times sem séries no cenário nacional, exceção na estreia contra o Figueirense.

Este quadro mostra que o Criciúma deverá confirmar seu favoritismo para o título, mas fica um grande ponto de interrogação quando se trata de campeonato brasileiro.

O que foi mostrado até agora, mesmo sendo início de temporada não será suficiente para a manutenção na elite do futebol brasileiro.
 

Por João Nassif 04/02/2024 - 09:24 Atualizado em 05/02/2024 - 07:50

Foi outro joguinho ruim do Criciúma na quinta rodada do campeonato. Depois da derrota em Itajaí o time voltou a vencer, mas novamente com muitas dificuldades sem novamente apresentar um futebol convincente de uma equipe que é a grande favorita para conquistar o bicampeonato.

Num primeiro tempo sem nenhuma inspiração, com a bola aérea sendo a única jogada encontrada para buscar o gol, foi justamente neste tipo de esquema que foi marcado o gol solitário do jogo.

Marquinhos Gabriel o autor do gol enquanto esteve em campo fazia novamente um bom jogo. Depois de sua saída no início do segundo tempo, o Criciúma só levou perigo real ao Nação com a entrada do Adriano que com duas jogadas mostrou potencial para ser fixado no elenco profissional.

Dois detalhes do jogo, o gol perdido pelo João Carlos no primeiro tempo numa jogada individual, aliás a única do Criciúma até marcar o gol e o peruano Miguel Trauco que conseguiu a proeza de levar um cartão amarelo um minuto após substituir Fellipe Mateus.

É louvável a iniciativa da FCF em promover árbitros jovens para tentar qualificar seu quadro. Mas, tem que serem isentos, não ficarem submetidos ao tamanho de cada time.

Numa semana de clássicos nos principais campeonatos do futebol brasileiro e da Supercopa Rei, 8 mil torcedores carvoeiros sofreram com mais um jogo ruim do Criciúma.

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Copyright © 2022.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito