Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
João Nassif
Por João Nassif 03/12/2021 - 13:29

Entradas e saídas num período de férias e no prolongamento pré-temporada são absolutamente normais no futebol. Ainda mais quando se trata de um clube que ainda está no começo de uma caminhada sem consolidar uma filosofia que possa lhe dar um rumo mais claro sobre o futuro.

O Criciúma se enquadra neste conceito. Começou o ano com uma forte turbulência pela necessidade de remontagem pelos estragos feitos nos últimos anos, turbulência que culminou com o rebaixamento no campeonato catarinense.

A ótima campanha na Copa do Brasil, além de resgatar muito do alto estima ainda trouxe recursos financeiros que permitiram montar um plantel de acordo com sua capacidade de investimento visando o objetivo maior do acesso no campeonato brasileiro.

Missão cumprida o próximo passo é seguir o modelo de entradas e saídas de jogadores para consolidar uma estrutura que permita ao clube cumprir um calendário de 2022 sem maiores sobressaltos.

Ainda não sabemos quando a série B do catarinense terá início, mas sabemos que a Copa do Brasil tem começo marcado para o final de fevereiro. Pode ser que tenhamos uma superposição de competições no calendário, por isso a direção do clube tem que escolher qual o melhor caminho. Com a palavra o presidente Anselmo Freitas e o diretor executivo Juliano Camargo.

Ainda não entrou nenhuma novidade para um novo plantel, apenas a especulação sobre Renan Bressan que seria uma ótima contratação. Renovaram Zé Marcos, Arilson, Renan Areias, Rodrigo e Fellipe Matheus. Saíram Alisson, Marcel Scalese, Henan, Dudu Vieira e Hygor.
 

João Nassif
Por João Nassif 29/11/2021 - 07:01Atualizado em 29/11/2021 - 17:40

O domingo no futebol brasileiro ficará marcado como o mais polemico no que diz respeito às arbitragens. Muitos erros que definiram resultados, título e acesso. Pudemos ver três lances que escancaram a pobreza da arbitragem brasileira, covarde, submissa e sem nenhum critério.

E não adianta a CBF ficar trocando de chefe do departamento da arbitragem. A falta de personalidade dos árbitros está incrustada desde há muito em nosso futebol e a correção das barbaridades cometidas somente poderão ser minimizadas com a profissionalização de todos e a saída do jugo da Confederação.

Além dos interesses que colocam em dúvida a lisura das decisões, se percebe que os times mandantes e os grandes no confronto com os pequenos levam enorme vantagem nas decisões que podem ser polêmicas, mas existem erros crassos que privilegiam os clubes de maior poderio.

Os pênaltis marcados a favor do Atlético-MG contra o Fluminense no Mineirão, a favor do Corinthians contra o Athletico Paranaense no Itaquerão e a segunda cobrança a favor do Avaí contra o Sampaio Correa formaram a trinca das barbaridades cometidas no domingo.

Em Minas o árbitro não marcou um toque no braço do lateral Marlon num lance totalmente sem intenção. Foi chamado pelo VAR e induzido a voltar atras e marcar o pênalti que resultou no empate do Atlético quando o Fluminense vencia o jogo. Depois o time mineiro virou o resultado e praticamente garantiu o título depois de 50 anos.

Em São Paulo o jogo estava enroscado num 0x0, mas depois de um lance típico de bola no braço do jogador que estava em queda, o árbitro foi inflexível, contrariou a regra ao marcar o pênalti que permitiu a vitória do Corinthians que praticamente garantiu classificação para a Libertadores.

E na Ressacada, depois do Edilson do Avaí perder um pênalti defendido pelo goleiro o VAR chamou o árbitro que também foi influenciado e alegou invasão da área de um jogador do Sampaio Correa. Muitos invadiram, mas a arbitragem resolveu mandar repetir a cobrança que deu ao Avaí o gol de empate, expulsou por reclamação um jogador do time maranhense e a virada no placar foi consequência. Com a vitória o Avaí subiu para a série A do campeonato brasileiro. 
 

Tags: VAR CBF

João Nassif
Por João Nassif 19/11/2021 - 13:35

Começo pela primeira divisão com briga nas duas pontas da tabela. Na ponta de cima que até a quarta posição garante vaga na fase de grupos da Libertadores quatro times lutam pela última vaga, pois Atlético-MG, Flamengo e Palmeiras já estão garantidos.

A briga está entre o Red Bull Bragantino com 52 pontos e com 34 jogos já realizados, Corinthians com 50, Fortaleza com 49 e Internacional com 47, todos com 33 jogos são os que têm chance de ocupar a quarta vaga para a fase de grupos da Libertadores.

Na ponta de baixo a briga ainda é mais intensa. Juventude e Atlético-GO com 39, Bahia com 36 e Grêmio na penúltima posição com 29 pontos já cumpriram 32 partidas. O Sport na antepenúltima colocação tem 30 pontos, mas com 34 jogos realizados. A Chapecoense já há muito está rebaixada.

Ainda não posso definir os vencedores desta briga, pois teremos muitos jogos e confrontos diretos até o final. Será realmente uma reta final eletrizante.

 

Na segunda divisão Botafogo e Coritiba já definiram o acesso. Goiás com 61 pontos, Guarani com 59, Avaí com 58, CRB com 57 e CSA com 56 estão na briga, mas a tendencia é as duas vagas que restam ficarem restritas aos três primeiros. Todos jogarão nas duas últimas rodadas do campeonato.

Na ponta de baixo, o Brasil já está rebaixado e o Brusque que recuperou os pontos no STJD foi a 44 pontos e praticamente escapou da briga pelo descenso. Ponte Preta com 43, Remo e Londrina com 41 e Vitória com 40 ainda tem chances de escapar. O Confiança com 36 somente por milagre continua na série B. 

Faltam apenas dois jogos para cada um e a luta será realmente eletrizante nesta reta final. 

João Nassif
Por João Nassif 16/11/2021 - 20:10

Num post anterior referi como página virada a saída do Anselmo Freitas da presidência do Criciúma, o anúncio foi feito pelo próprio.

E não é que depois de muitas conversas desde a última sexta-feira, hoje à tarde foi anunciada a reviravolta com o atual presidente protocolando uma chapa para concorrer as eleições da semana que vem. Aliás, chapa única.

As reuniões do Anselmo com pessoas do Conselho, representantes da chapa Revigoração, não surtiram efeito e por mais que o presidente tenha buscado um entendimento para montar sua nova diretoria não houve consenso devido alguns nomes propostos para composição da chapa não terem sido aceitos.

Ficou estranho a ausência do presidente do Conselho Deliberativo nestas conversas, pois seria logico que o entendimento passasse pelos dois presidentes e possivelmente o acordo teria sido mais fácil.

De qualquer maneira houve uma mudança de rota e a confirmação do Anselmo que foi pedida por grande parte, senão pela quase totalidade dos sócios e torcedores.

A chapa é composta pelo presidente, pelo vice de administração Alexandre Farias, pelo Vilmar Guedes, vice de finanças e por Antônio Pavei, vice de patrimônio. 

Ótimos nomes, inclusive o de Alexandre Farias que foi pivô do desentendimento nas conversas da semana passada.

Agora que a página foi desvirada é passar a régua e todos do clube, dirigentes e conselheiros trabalharam para a recuperação definitiva do Criciúma e projetarem uma ótima temporada em 2022.  
 

João Nassif
Por João Nassif 14/11/2021 - 20:55

Não sei se foi reprise, mas ontem assisti o filme da FIFA TV que fala do ex-jogador e ex-técnico Mário Jorge de Lobo Zagallo.

Podem não gostar de seu trabalho, mas não se pode negar seus títulos como tetracampeão do mundo e por várias vezes comandando a seleção brasileira, além de jogador, técnico e coordenador técnico.

Foi campeão como jogador em 1958 e 1962, como técnico em 1970 e como coordenador técnico em 1994 trabalhando ao lado do técnico Carlos Alberto Parreira.

Se como homem do futebol foi indiscutível, o filme mostrou com muita clareza o carinho daqueles que com ele trabalharam e sua obsessão pelo verde e amarelo, cores do Brasil e da própria seleção brasileira. Os depoimentos de vários jogadores são a prova indiscutível de seu talento e de seu caráter.

Infelizmente este seu comportamento não é seguido por muitos que o sucederam, principalmente pelo técnico atual da seleção brasileira.

Tite deu uma pequena mostra de seu caráter quando depois de assinar um manifesto pedindo o afastamento de Marco Polo Del Nero, então presidente da CBF, foi contratado para comandar a seleção e seu primeiro gesto foi beijar seu novo patrão.

E mostrou todo seu caráter quando recentemente afirmou que caso seja campeão mundial não irá apertar a mão do atual presidente da República.

Ninguém é obrigado a gostar de quem quer que seja, mas sua preferência política não interessa a ninguém, só lembrando que há algum tempo ficou de abraços e apertos de mão com um ex-presidente. E mais, metade da população brasileira não tem a mínima vontade de saber sua tendencia política. Que feche a boca e trate de ganhar a Copa no Catar em 2022.
 

João Nassif
Por João Nassif 13/11/2021 - 09:20

O Criciúma EC viveu uma semana de glorias com o acesso no campeonato brasileiro e ao completar sete dias da grande conquista uma reviravolta na gestão terminou com a empolgação e deixou uma grande incerteza com relação ao futuro.

O presidente Anselmo Freitas incensado por uma imensa torcida anunciou que não concorrerá à reeleição, por divergências com membros do Conselho Deliberativo representantes da chapa Revigoração.

O ponto crucial para o desenlace foi a lealdade do Anselmo em colocar na chapa pessoas que o ajudaram bastante na recuperação do clube, principalmente na vice de administração que é o cargo mais importante do clube após a presidência.

Se por acaso o presidente renunciar ou se afastar por qualquer outro motivo, pelo Estatuto, o vice administrativo automaticamente assume o cargo. O primeiro nome indicado pelo Anselmo foi repelido, o mesmo acontecendo com o segundo nome, os dois vetados pelos representantes da Revigoração.

Criado o impasse o presidente entendeu que não poderia continuar gerindo um clube que ficaria dividido se por acaso ele resolvesse montar uma chapa e concorrer com qualquer outra que porventura também se inscrevesse para a eleição. 

Foi uma grande perda e uma grande incerteza com relação ao futuro. Fica apenas a expectativa de que o clube continue na sua caminhada de recuperação definitiva de sua identidade.

Pelo desenrolar das reuniões de ontem, a Revigoração deverá compor uma chapa que será submetida ao pleno do Conselho Deliberativo, assim como qualquer outra que se enquadrar nos requisitos necessários para poder concorrer.

João Nassif
Por João Nassif 07/11/2021 - 09:53

O acesso representa um título para o Criciúma e sua defesa foi responsável pelo sucesso da campanha quando se buscou a reabilitação do clube depois do sofrimento nos últimos anos.

O time oscilou durante a caminhada, o que é absolutamente natural, trocou de técnico, contratou e dispensou atletas na busca do melhor e assim foi jogando na primeira fase de forma quase perfeita dentro de casa e se mostrou dificuldades para vencer como visitante, sua única vitória foi em Erechim, resultado que foi decisivo para a classificação.

A campanha na segunda fase foi o inverso com três empates no Heriberto Hülse e as vitórias em Itu e Belém foram decisivas para alcançar o sonho maior de uma série B na próxima temporada.

Uma das máximas do futebol diz que “ataque ganha jogo, mas defesa ganha o campeonato”.

E foi assim com o Criciúma. Nos 24 jogos que disputou venceu 11, empatou 06 e perdeu os outros 07. Seu ataque marcou 22 gols e a defesa sofreu 17.

Quer dizer, com 22 gols o ataque do Criciúma mostrou ineficiência com menos de um gol por jogo, visível na modéstia das vitórias. Em compensação a defesa foi exuberante sofrendo muito menos que um gol por jogo e garantindo o acesso com apenas um gol sofrido nos seis jogos da fase decisiva.

Se o herói do acesso foi o atacante Henan com o gol solitário na vitória sobre o Paysandu, a campanha mostrou que muito deve ser creditado na conta do setor defensivo, ponto alto da equipe em todo campeonato.
 

João Nassif
Por João Nassif 06/11/2021 - 11:36

Comparando as ambições do Ituano e do Botafogo, proponho uma reflexão sobre o resultado do jogo para os dois times.

O Ituano já classificado para a série B tem a vitória como objetivo para disputar a decisão do título fazendo o segundo jogo em casa. Tem muito valor ser campeão, que o diga o Criciúma que colocou mais uma estrela em seu distintivo pelo título da série C em 2006.

O Botafogo necessita da vitória para se classificar, independente do resultado do jogo Paysandu x Criciúma. A vitória representa a glória para o time paraibano que não joga uma série B desde 1989. Além do acesso o Botafogo será campeão da chave e irá decidir o título com o Tombense, campeão da outra chave da série C.

Minha opinião é que a ambição do Botafogo é muito maior que a do adversário, mas o jogo é na casa do Ituano o que aumenta a dificuldade do time paraibano conquistar a vitória.
 

João Nassif
Por João Nassif 03/11/2021 - 06:29Atualizado em 03/11/2021 - 06:58

Vamos passar a semana inteira projetando a vitória do Criciúma em Belém para que dê seu passe na busca do acesso dependendo, é claro do resultado do Botafogo em Itu.
Tem sido assim a três semanas desde a vitória do Tigre em Itu que nos deu a sensação que poderia definir o acesso com antecedência fazendo como quase sempre fez o dever de casa.

Não aconteceu, incrível, mas depois de uma primeira fase em que foi soberano em casa demonstrou a realidade de um futebol frágil, sem inspiração e impotente para alcançar pelo menos uma vitória. Este futebol fraco e de baixa qualidade levou o acesso numa situação de risco para a última rodada.

Vencer o Paysandu é obrigação pelo momento que vive o time paraense, mas, sempre existe, o mas, assim terá que apresentar um futebol melhor e encontrar o caminho do gol.

Aliás encontrar este caminho foi de extrema dificuldade ao longo de todo o campeonato. O Criciúma marcou apenas 21 gols em 23 jogos com média que não chega sequer a um golzinho por jogo.

Poderemos ter um time subindo de divisão mesmo marcando menos de um gol por jogo.

ACESSO
Se o Criciúma ainda sonha com o acesso para a série B, o Avaí caminha com autoridade para alcançar a série A em 2022. 
Numa reta final tem se mantido a várias rodadas no G-4 faltando apenas cinco jogos para o terminar a série B. Ontem derrotou o Brasil em Pelotas e mesmo acossado por Goiás, CRB e CSA pode manter uma boa distância e confirmar o acesso.

DESCENSO
Numa luta insana o Brusque vai conseguindo se manter fora da zona de rebaixamento. Os três pontos que perdeu no STJD pelo ato racista de um conselheiro podem fazer falta na classificação final. Mas, joga forte com as armas que tem e ainda depende de suas próprias pernas para continuar na série B em 2022.

A derrota para o Avaí em casa decretou a queda do Brasil para a série C. O Confiança e o Vitória respiram por aparelhos projetando nas cinco rodadas finais uma briga por pontos dos times envolvidos na luta contra o rebaixamento.

Com a queda do Brasil sobraram três vagas para a terceira divisão em 2022.
 

João Nassif
Por João Nassif 01/11/2021 - 06:26Atualizado em 01/11/2021 - 08:28

Quando um time tem prioridade para buscar o gol na bola parada tem que ter qualidade nos cruzamentos, sejam de escanteios ou de faltas laterais. O Criciúma priorizou este tipo de ataque e não obteve sucesso em mais de uma dezena de situações para gerar sequer um golzinho.

Teve alguns arremates de fora da área em que apenas um exigiu defesa do goleiro do Ituano, outros foram desperdiçados por falta de qualidade nas finalizações. Apesar de poucas jogadas pelas beiradas do campo, o Criciúma foi impotente para conseguir o gol que seria o da tranquilidade para o acesso.

A expulsão do Claudinho no final do primeiro tempo não foi sentida, pois o time voltou mais decidido para a etapa final quando teve o domínio da posse de bola, mas incapaz de criar situações para deixar o Ituano desconfortável no jogo. 

O time do Mazola Júnior que veio para se defender a conquistar o empate foi cirúrgico em sua proposta. Marcou forte pela entrada da área, dominou com tranquilidade e eficiência a bola aérea e teve o contra-ataque, sua principal jogada, sem as opções para vencer o jogo, pois não teve chances de gol e o esquema montado pelo técnico lhe deu o acesso.

O técnico Cláudio Tencati explicou na coletiva pós jogo sua estratégia. Tem a teoria da melhor qualidade, mas se percebe que faltam jogadores com capacidade para praticar seus ensinamentos.

A situação do Criciúma ficou difícil, mas não desesperadora. A vitória do Botafogo sobre o Paysandu no complemento da rodada colocou um molho maior na última rodada.

O time paraibano assumiu a segunda posição e depende de uma vitória simples em Itu para garantir a vaga. O Criciúma tem que vencer de qualquer maneira o Paysandu em Belém e ficar na expectativa do jogo entre Ituano e Botafogo.

Mais uma vez Criciúma ficou devendo, mas o importante é que continua vivo mesmo não dependendo de suas pernas para chegar série B. 


 

João Nassif
Por João Nassif 24/10/2021 - 09:41Atualizado em 24/10/2021 - 10:33

O Botafogo da Paraíba tem pouca ou quase nenhuma relevância no cenário do futebol brasileiro, sua maior conquista foi o título da série D em 2013. Não tem comparação com o que o Criciúma representa em termos nacionais.

Então, não vejo como os árbitros comandados pela CBF prejudiquem o Criciúma de forma deliberada. Sem contar a representatividade em nível estadual comparando os clubes de Santa Catarina com os da Paraíba, com todo respeito.

Os erros acontecem em todas as esferas da arbitragem brasileira e entre estes erros, no jogo de ontem houve uma penalidade clara não marcada a favor do Criciúma aos 50 minutos do segundo tempo.

Ok, erro do árbitro e omissão do VAR, mas o futebol que o Criciúma apresentou foi da pior qualidade. As mudanças do técnico Cláudio Tencati para superar as ausências dos suspensos Dudu Vieira e Léo Costa não responderam de forma positiva.

Depois de um primeiro tempo sofrível quando não chutou uma bola contra o gol do Botafogo e teve em seu goleiro Gustavo um verdadeiro herói com no mínimo três defesas espetaculares, além de ver duas bolas contra suas traves, o placar contra de 1x0 acendeu uma alerta e seria logica alguma mudança para o segundo tempo.

Sem alterações o goleiro Felipe fez a primeira defesa somente aos 11 minutos, quer dizer, com os acréscimos da primeira etapa o Criciúma demorou uma hora para acertar o gol pela primeira vez.

Cláudio Tencati começou as alterações somente aos 19 minutos e nada aconteceu até a entrada do atacante Minho no lugar do Silvinho que novamente fez uma má partida. Entrando aos 36 minutos, Minho agitou o ataque pelo lado esquerdo, conseguiu alguns cruzamentos e cavou a falta que na cobrança originou o pênalti não marcado.

Resumindo, sem teoria da conspiração, o resultado não foi bom para o Criciúma apesar de ainda manter a segunda posição no grupo e depender apenas de suas próprias pernas. Mas, terá que jogar muito mais para conseguir o tão sonhado acesso.
 


 

João Nassif
Por João Nassif 23/10/2021 - 12:34Atualizado em 23/10/2021 - 12:40

Cresci ouvindo e muitas vezes vendo Pelé desfilar toda a exuberância de seu futebol. 

Em quantas ocasiões saí de Jacareí com o pai, santista, ou mesmo passando o final de semana na casa da vovó em São Paulo pude ir ao Pacaembu ver a máquina que era o Santos, comandada pelo já então Rei do Futebol.

Como palmeirense sofri muito nos pés daquele artista e poucas vezes tive o sabor de ver meu time vencê-lo.

Se tenho alguma frustração nestes tantos anos acompanhando o futebol, seja como torcedor ou como comentarista é não ter conhecido Pelé pessoalmente. Mas, vendo ao vivo ou pela televisão pude comprovar com toda certeza que se tratou do maior gênio que o futebol produziu.

Ao longo dos anos surgiram comparações, Johan Cruijff, Diego Maradona, Ronaldo Fenômeno e mais recentes Messi e Cristiano Ronaldo. Nada igual, já disse César Luís Menotti, somente quando algum outro for tricampeão mundial e marcar mais de 1.200 gols.

Pelé está completando 81 anos neste 23 de outubro. 
 

João Nassif
Por João Nassif 17/10/2021 - 11:37

Assistindo os melhores momentos pude comprovar o acerto das expulsões que mudaram completamente o destino do jogo de ontem no Heriberto Hülse.

Na primeira o volante Dudu Vieira entra de maneira perigosa no lateral do Botafogo que se estivesse com a perna no chão poderia ter sofrido uma fratura, tal a violência do choque. Dudu Vieira foi com a sola da chuteira no meião do adversário.

Na segunda, o outro volante Léo Costa depois de caído, inexplicavelmente deu um chute rosto do jogador do Botafogo que estava se levantando depois do choque entre ambos.

Por mais que os torcedores tenham pressionado árbitro e jogadores do Botafogo e o próprio técnico Cláudio Tencati tenha discordado da primeira expulsão, o VAR funcionou como diz o protocolo, chamou o árbitro e mostrou o lance em vários ângulos para confirmar a violência das jogadas e gerar as expulsões.

Sem um volante expulso aos seis minutos do primeiro tempo o técnico Cláudio Tencati mudou a estratégia e se obrigou a montar duas linhas de quatro em seu setor defensivo deixando apenas Henan à frente.

Com Fellipe Matheus e Silvinho pelos lados, a ideia era proteger os laterais e buscar explorar os corredores para encaixar uma contra ataque e chegar ao gol. O time foi eficiente na marcação com nenhuma solução ofensiva.

Com a segunda expulsão fechou ainda mais a defesa com marcação da intermediaria para trás e novamente buscando o contra ataque já com Higor como único atacante, jogador com mais presença física e velocidade que Henan. Teve alguns ataques promissores, mas com deficiência no último passe e nas conclusões.

O Botafogo inexistiu ofensivamente. Com muita posse bola por ter jogadores a mais em momento algum teve chances claras de gol, apenas arremates de fora da área que não levaram perigo ao goleiro Gustavo.

Gustavo, aliás que além de bom goleiro está sendo notado também pela cera ostensiva na reposição e quase sempre caído para matar tempo, mostrando satisfação pelos resultados dos jogos, seja ganhando ou como empatando como ontem. 

Resumindo, a tão esperada vitória que daria o passe decisivo para o acesso foi prejudicada pelas expulsões, responsáveis pela frustração do grande número de torcedores que finalmente puderam entrar no estádio.

A torcida foi exemplar, apoiou, pressionou e no final aplaudiu o esforço dos jogadores que sobraram em campo. Foi novamente a torcida que estávamos acostumados a ver no Heriberto Hülse.
 

João Nassif
Por João Nassif 14/10/2021 - 06:12Atualizado em 14/10/2021 - 08:48

O Criciúma precisava de uma mudança por completo na forma de trazer de volta a confiança aos torcedores e fazer reviver os velhos tempos de conquistas e afirmação.

Depois de desastrosas campanhas nos últimos anos, sob nova direção o clube viveu momentos de aflição com a queda no campeonato catarinense e mesmo com a ótima campanha na Copa do Brasil havia dúvidas com relação a uma virada de eixo que fez aumentar o nível da aflição de sua grande torcida.

Foi rapidamente providenciado um novo comando técnico que sob a chefia do Paulo Baier que resgatou a identidade do clube e que além da Copa do Brasil fez uma excelente campanha na primeira fase do campeonato brasileiro.

Para a reta final a direção optou pela troca de comando e trouxe Cláudio Tencati que se não era a primeira opção mostrou ser um profissional experiente e que com muita competência conseguiu mostrar sua capacidade nos poucos dias que pode trabalhar função das duas competições que estavam em seu caminho.

Traçando como alta prioridade o campeonato brasileiro, deixando a Copa SC num segundo plano a nova comissão técnica conseguiu nos primeiros jogos de cada competição duas vitórias fora de casa, feito inédito nos últimos anos.

O resultado de Itu com o time titular colocou o Criciúma com um pé na série B do brasileiro, insisto na opinião que já subiu. O resultado de ontem em Florianópolis com um time completamente reserva e recheado de jogadores da base conquistou uma vitória que depois de alguns fracassos na Copa SC sinalizou com grande possibilidade de classificação.   

E assim caminha o Criciúma para superar estes dois desafios. Com um espírito competitivo que supera com sobras o início da série C e com as circunstâncias favoráveis que o futebol propicia o clube está prestes a conseguir seus objetivos numa reta final de temporada.

EM TEMPO – Em Florianópolis o goleiro Roberto visto em seus grandes momentos foi o responsável pela vitória, quebrando um tabu de mais de cinco anos. Fez no mínimo três defesas de alto nível que garantiu o resultado.


 

João Nassif
Por João Nassif 13/10/2021 - 04:55Atualizado em 13/10/2021 - 10:29

Depois do empate na rodada de abertura da segunda fase da série C, o Criciúma reinou soberano na segunda e terminou na ponta da classificação. O empate em Belém entre Paysandu e Botafogo foi o melhor resultado para o Tigre que foi o único vencedor na rodada.

 

Os mais precavidos ainda pregam cautela com relação ao futuro. Concordo, pois afinal o futebol é feito de surpresas e a liderança depois de duas rodadas não é definitiva quanto ao acesso. Mas, não tenho nenhum receio em afirmar que o Criciúma está com os dois pés na série B em 2022.

Não é nenhum sonho nem arroubo de torcedor, é apenas a observação de quem viu o time jogar e acredita na manutenção do padrão de jogo que foi fundamental para a vitória em Itu.

Sem desmerecer o grande trabalho do Paulo Baier que resgatou a identidade do clube depois de vários anos de fracasso e a queda no campeonato catarinense, a chegada do Cláudio Tencati foi fundamental para que o eixo fosse mudado e com seus conceitos e a motivação dos jogadores o futebol apresentado marcou uma virada na página e a certeza do sucesso final.

Nem quero me resguardar afirmando que o futebol é uma caixinha de surpresas, portanto continuo afirmando que o acesso é uma realidade.


 

João Nassif
Por João Nassif 11/10/2021 - 05:46

Quando um técnico assume numa reta final de temporada e na obrigação de fazer o time alcançar o grande objetivo da temporada, há o risco do discurso inicial não ser comprovado em campo.

Cláudio Tencati foi o escolhido pela direção do Criciúma para colocar sua experiencia a serviço do clube e fazer com que o time reagisse para encontrar uma fórmula que pudesse garantir o acesso.

Nada é definitivo, mas a amostragem do que se viu em Itu é promissora, pois o novo técnico mostrou que sua teoria pode ser bem executada desde que os jogadores comprem sua ideia de jogo.

Paulo Baier que reergueu o Criciúma depois dos fracassos sucessivos nas últimas temporadas, inclusive com o descenso para a segunda divisão do campeonato estadual deste fez um excelente trabalho e tirou o clube do buraco para uma classificação no campeonato brasileiro.

Obteve resultados, mas não conseguiu o desempenho necessário para dar confiança na segunda fase da série C.

Os tempos são outros, novo técnico, nova filosofia. Cláudio Tencati foi cirúrgico na motivação do plantel juntamente com sua comissão técnica e dirigentes e já no primeiro jogo implantou um sistema que além da mobilização mostrou variações para o aproveitamento das características de cada um que foram à campo contra o Ituano.

E deu certo com uma vitória que pode ser decisiva para que o Criciúma consiga o tão sonhado acesso.

João Nassif
Por João Nassif 07/10/2021 - 05:22

Fico só imaginando o que o técnico Cláudio Tencati viu no jogo de ontem contra o Avaí. Será que se arrependeu de ter aceitado o convite para finalizar a série C com o Criciúma?

Estou fazendo apenas uma reflexão, mas o técnico como profissional que é vai cumprir o contrato e procurar dentro do possível fazer o melhor. Isto seria o lógico, mas pelo rendimento do time sob sua observação não basta apenas fazer o possível, terá que fazer muito mais. Podemos afirmar que será uma tarefa gigantesca para que o clube alcance a série B em 2022.

O time contra o Avaí ficou próximo do titular, quem não vinha começando os jogos sob o antigo comando sempre entravam e não conseguiam acrescentar, por isso as fracas atuações apesar de alguns resultados que levaram o time à esta fase do campeonato.

Agora na hora verdade não bastam apenas os resultados que certamente não serão favoráveis se não houver uma mudança radical no comportamento dos jogadores. Não falo em qualidade que dificilmente será mostrada, me refiro a uma suprema busca, apesar de entender que não houve má vontade nas más apresentações até então.

A missão do novo técnico é gigantesca. Fazer o time jogar muito, mas muito mais do que fez até agora sob pena de ficar pelo caminho. Tencati tem um nome a zelar. Se nunca foi um técnico de ponta teve bons momentos com times médios do futebol brasileiro.

Certamente será este o maior desafio de sua carreira e espero que apesar do que viu ontem possa encontrar a fórmula mágica ao fazer o time mudar seu história na competição e alcançar o acesso que é o que todos querem por aqui. 

 

João Nassif
Por João Nassif 06/10/2021 - 05:12Atualizado em 06/10/2021 - 08:35

Quando um clube contrata um treinador no início de uma temporada cria uma expectativa sobre o andamento dos trabalhos sempre na esperança de que o melhor aconteça. Não deixa de ser uma aposta. 

Quase sempre é o técnico que monta o plantel, indicando jogadores que se adaptem ao seu esquema de jogo para cumprir com sucesso os desafios que terá pela frente. A vida útil deste técnico depende dos resultados e de boa convivência de vestiário. Caso contrário é demitido.

Quando o clube contrata um treinador numa reta final de competição é sinal que dobrou a aposta na esperança de obter resultados e atingir os objetivos da temporada.

O novo comandante pega um elenco que não é de sua autoria, tem pouco tempo para entender o grupo e principalmente para montar uma estrutura que consiga os resultados definidos pela direção do clube. É como fazer mágica para alcançar os objetivos.

O Criciúma apostou em Paulo Baier que vinha de campanhas vitoriosas pelo Próspera. Como jogador se tornou ídolo por tudo que fez e somando estas questões foi contratado para tirar o clube do buraco em que se meteu com o rebaixamento no campeonato estadual.

Montou um novo grupo de jogadores que afirmavam nas entrevistas que compraram a filosofia do técnico e certamente lhe mostraram respeito principalmente pelo seu histórico como jogador.

Os resultados tanto na Copa do Brasil como na primeira fase da série C foram alcançados, a convivência no vestiário era positiva, faltou um desempenho mais adequado à expectativa e o tropeço na abertura da segunda fase do campeonato brasileiro foi o fator determinante e sua demissão.

Agora o clube faz nova aposta, esta de alto risco que é a contratação do Cláudio Tencati. Com qualquer treinador que viesse neste momento o Criciúma estaria apostando alto, pois com o barco andando e com somente cinco rodadas pela frente é real o perigo do clube ficar pelo caminho.

Mas, vamos lá! São somente cinco jogos, por isso e sem fazer um juízo maior sobre o novo técnico restou a esperança que a troca tenha sido positiva e que os resultados devolvam o Criciúma à série B do campeonato brasileiro.  

 

João Nassif
Por João Nassif 04/10/2021 - 16:40

Sob o comando do técnico Paulo Baier o Criciúma teve bons resultados na série C, mas o desempenho do time deixou muito a desejar.

A invencibilidade em casa foi importante para a classificação na primeira fase, mas fora de casa a campanha foi horrível com apenas uma vitória e o desempenho ainda pior.

Culpa do técnico? Possivelmente. Culpa dos jogadores? Certamente. Repetindo o enredo de anos anteriores o grupo atual com jogadores de boas referências na carreira não conseguiram aqui repetir o que já apresentaram de positivo em outros clubes.

Somando culpas e resultados a pontuação na primeira fase foi muito boa e o empate contra o Paysandu foi o motivo principal pela demissão do técnico. O futebol brasileiro ainda vive de resultados, pensei que sob nova direção o Criciúma poderia mudar este conceito, não foi possível e novamente o clube cai no lugar comum.

Quem virá é a grande incógnita. Existem nomes disponíveis no mercado, mas não arrisco, afinal minha função não é indicar treinador. O clube tem gente que ganha para isso. 

Apenas espero que a escolha seja consciente e aquele que chegar possaa fazer melhor e devolver a todos a esperança do acesso, abalada com o empate na abertura da segunda e decisiva fase do campeonato.
 

João Nassif
Por João Nassif 04/10/2021 - 05:30Atualizado em 04/10/2021 - 07:51

Não foi pior, mas o resultado do jogo de estreia do Criciúma na segunda fase da série C pode ser o motivo para o clube não conquistar o acesso.

Vamos ser realistas, o futebol que o Criciúma vem jogando está dentro do padrão das atuações que são vistas desde o início do campeonato. Já cansei de afirmar que a invencibilidade dentro de casa foi apenas circunstancial, tipo joga mal, mas o que vale é o resultado. Concordo, mas também alertei que uma hora a bolinha salvadora não iria entrar e já são dois jogos com empate em zero dentro do Heriberto Hülse.

Nem foi me referir ao jogo contra o Hercílio Luz, afinal jogou o time reserva que por indução apresentou o mesmo padrão de jogo do titular. Somando já são três jogos sem vitórias dentro de casa, onde se esperava sempre vencer.

Tenho ouvido com atenção as explicações do técnico Paulo Baier após os jogos. Percebo que ele enxerga os problemas, fala sobre a falta de jogadas pelos flancos que não saem com qualidade, quando saem. Pela falta de jogadas trianguladas que não envolvem o adversário. Pelo isolamento sistemático dos jogadores de área, tudo que vem sendo repetido desde o início. 

E aí? Tem como consertar?

É inadmissível num jogo decisivo como o de ontem o time chutar apenas uma bola no gol, pelo Maranhão que pelo alto exigiu a intervenção do goleiro do Paysandu. Talvez a bola nem entrasse, mas vamos lá, criou uma chance, apenas uma em quase 100 minutos de jogo.

Agora é enfrentar o Ituano, único vencedor do grupo e ainda fora de casa. Se o jogo contra o Paysandu era decisivo para a sequência da campanha, o jogo de domingo em Itu terá caráter dramático por ser ainda mais decisivo, pois não perder será como manter a sobrevivência e ainda continuar mantendo o sonho do acesso.

Nem os poucos mais de 2 mil torcedores que foram ao Heriberto Hülse puderam empurrar um time que em momento algum teve competência para chamar a torcida na busca do resultado esperado por todos.

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13