Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Por João Nassif 22/02/2021 - 06:45 Atualizado em 22/02/2021 - 07:23

Se concordamos que Rafael Claus é o melhor árbitro do Brasil, tenho a certeza de que todos os outros não tem capacidade para comandar um jogo de futebol. 

O histórico das competições mostra fragilidade dos árbitros e de uns anos para cá a instituição da arbitragem de vídeo deixou a todos com insegurança perdendo a autoridade máxima e demonstrando total dependência do VAR.

O jogo de ontem escancarou esta dependência que muitas vezes induz ao erro o árbitro do jogo. Uma falta, uma chamada do VAR, uma conversa e um cartão vermelho completamente fora de propósito. O próprio jogador que sofreu a falta ficou envergonhado com a expulsão.

O Internacional reclama e muito, a expulsão mudou o curso do jogo e pode ter decidido o campeonato a favor do Flamengo. Só não concordo com a teoria da conspiração declarada por um dirigente colorado.

Faltou critério ao Claus, sem dúvida mas, todos, eu disse todos, os clubes sofreram com erros de arbitragem nestas 37 rodadas até agora no campeonato. Erraram árbitros de campo, assistentes, árbitros de vídeo, enfim todos os componentes de uma arbitragem.

Por isso peço que todos sejam mais bem capacitados o que só será possível se houver a profissionalização em todos os níveis o que parece não ser do interesse da CBF. 

Por João Nassif 21/02/2021 - 06:00

Para Francisco Novelletto, vice-presidente da CBF o Palmeiras tem que enfrentar esta maratona insana de jogos por estar disputando várias competições até o final.

O técnico palmeirense, Abel Ferreira tem reclamado da sequência de jogos e o cartola que é responsável pelo calendário ironizou e mandou perguntar ao presidente do clube se estava satisfeito pela receita, um valor espetacular que recebeu como premiação pelos dois títulos e pela classificação em outras duas competições.

A receita no entender do Novelleto supera qualquer desgaste dos jogadores pelo acúmulo de jogos. Mesmo com plantel recheado e de bom nível técnico os atletas não são máquinas e como vencedores são obrigados a cumprir um calendário definido por pessoas que têm no futebol apenas interesse de promoção pessoal para não falar de outros objetivos. 

Tenho manifestado que sou contra os campeonatos estaduais no modelo atual com 18 datas que engolem o calendário e espremem competições muitos mais importantes como Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana.

Mas, os presidentes de Federações que compõe o colégio eleitoral nas eleições para a CBF são agraciados com as datas para suas competições, estas entidades faturam e o cabresto é inevitável.

Somente os clubes, se tiverem coragem para formar Ligas é que poderiam por um fim na forma como os dirigentes das entidades que comandam o futebol brasileiro.
 

Por João Nassif 20/02/2021 - 06:00 Atualizado em 20/02/2021 - 08:11

A edição da revista TODA SEXTA, produzida pela equipe de redação da Rádio Som Maior FM e do portal www.4oito.com.br, trouxe excelente matéria sobre os técnicos dos dois times de Criciúma que estarão depois de muito tempo disputando juntos a primeira divisão do futebol catarinense.

O técnico do Criciúma, Hemerson Maria e Paulo Baier comandante do Próspera foram entrevistados pelos repórteres Heitor Araújo e Paulo Monteiro. O Heitor é responsável pela cobertura do dia a dia do Tigre e o Paulo pelo setor do Time da Raça.

São duas ótimas matérias que visam, além do aspecto técnico o lado pessoal de cada um nesta profissão de muitas incertezas pela cultura de resultados do futebol brasileiro.

Hemerson Maria com 20 anos como treinador viveu quase a metade da carreira trabalhando a base de Avaí e Figueirense. Conquistou dois títulos relevantes: campeão catarinense pelo Avaí em 2012 em seu primeiro trabalho no profissional e o campeonato brasileiro da série B pelo Joinville em 2014.

Paulo Baier com carreira mais curta, começou em 2017 no Toledo-PR quando pendurou as chuteiras. Trabalhou em apenas três clubes, além do time paranaense treinou o Brusque e o Próspera em duas oportunidades. E foi com o Próspera que conquistou seus dois únicos, da série C em 2018 e agora em 2020 da série B pelo campeonato catarinense.

São dois técnicos de diferentes gerações que se encontram, ambos com personalidades fortes que agregam humildade, honestidade e trabalho e que certamente darão alegrias para os torcedores dos dois times da Capital do Carvão neste campeonato estadual que está próximo de seu início. 

Por João Nassif 19/02/2021 - 05:40 Atualizado em 19/02/2021 - 07:12

 Antes de qualquer competição fazemos um exercício de previsão sobre eventuais favoritos para ganhar o título. É assim no mundo todo, em Ligas com apenas dois, outras com três e muitas com vários candidatos.

O próprio campeonato brasileiro com seus 12 clubes tidos como grandes são candidatos em potencial. Se depurarmos veremos que sobram menos, possivelmente metade que não têm permitido que algum de fora desta elite consiga vencer o campeonato.

Fiz esta divagação para falar especificamente do campeonato catarinense. Hoje são seis, alguns vitoriosos nos últimos anos, outros que não são campeões há muito tempo e tem até novidade com potencial de ser campeão. 

Chapecoense com quatro títulos, Figueirense com dois e Avaí com um são os vencedores nas sete últimas edições. O Criciúma não é campeão desde 2013 e o Joinville não consegue vencer o campeonato desde 2001. A novidade que pelo histórico recente se credencia para o título é o Brusque que foi campeão pela primeira e única vez em 1992.

Tenho muitas dúvidas pelo passado recente e mesmo assim coloquei o Joinville neste pelotão, mas não creio que tenha forças para brigar pelo título.

Mesmo com 12 clubes neste campeonato o campeão deverá sair destes seis ou cinco, sendo que os demais lutarão por vaga na série D e principalmente para se manter na primeira divisão.

Já dei minha opinião sobre um campeonato com 12 clubes. Repito, acho um exagero, haverá desequilíbrio, pois, será disputado em turno único com larga vantagem para os que estão classificados em todas as séries do campeonato brasileiro.

A vantagem que pode ser hipotética pela ausência de público é que Chapecoense, Avaí, Brusque, Criciúma e Figueirense jogarão seis das 11 partidas da primeira fase em seus estádios. Mas, não deixa de ser um privilégio, pois terão menos viagens e por certo um desgaste menor.

Alguém arriscaria um palpite sobre quem será o campeão?
 

Por João Nassif 18/02/2021 - 04:49

Deixando de lado a fragilidade do sub-23 do Grêmio a movimentação proposta pelo técnico Hemerson Maria foi eficiente e mostrou boas alternativas que com mais tempo de trabalho poderá deixar o time mais encorpado tecnicamente.

Foto: Celso da Luz/www.criciuma.com.br

Por questões pessoais assisti somente o primeiro tempo do treino e vi um time comprometido com os jogadores mostrando serviço em busca da titularidade quando a bola começar rolar a valer.

A linha de quatro no setor defensivo teve nos dois zagueiros, Alemão e Marcel, um bom entrosamento, força no combate ao adversário e boa saída de bola. Helder, o lateral pela esquerda também mostrou boa capacidade de marcação apesar de um pouco tímido na parte ofensiva. Emanauel, lateral pela direita não teve o mesmo desempenho, mostrou dificuldades na marcação e insegurança quando precisou apoiar.

 

Na segunda linha com os dois volantes centralizados, Moacir e Eduardo e dois abertos pelas extremas o Criciúma teve o domínio completo do setor e do jogo. Matheus Anderson pela direita e Gabriel pela esquerda cumpriram bem a função, inclusive com boa força de ataque. 

Também me agradou a movimentação dos atacantes Marcos Índio e Uilliam Barros, este o melhor jogador do primeiro tempo do treinamento.

Nada é definitivo, mas o trabalho do técnico até aqui foi satisfatório e mesmo sem jogos mais resistentes, neste contra o Grêmio chamado de time de transição, deixou boa impressão e boas perspectivas para o campeonato que está próximo de seu início.

E para completar, se este time do Grêmio for o da primeira fase do campeonato gaúcho dificilmente conseguirá qualquer classificação. 
 

Por João Nassif 16/02/2021 - 07:43 Atualizado em 16/02/2021 - 07:54

Deu a impressão de nunca acabar, mas finalmente está chegando ao término o campeonato da série A da temporada 2020. Ainda faltam duas rodadas cheias e alguns jogos atrasados, mas o confronto do próximo domingo entre Flamengo e Internacional poderá decidir o título.

Fui provocado sobre qual será o campeão e pela análise das últimas rodadas creio que o time gaúcho deverá confirmar o título depois de 41 anos. 

Teve uma arrancada fulminante a partir da rodada 23, empilhou 12 jogos de invencibilidade, assumiu a liderança na 31ª rodada com uma goleada sobre o São Paulo e depois desta série invicta foi derrotado pelo Sport no Beira Rio. Este foi um jogo fora da curva, pois imediatamente após derrotou o Vasco da Gama em São Januário na rodada do final de semana, a 36ª.

O Flamengo nunca liderou o campeonato e oscilou bastante nos momentos decisivos. Tem um time recheado de bons jogadores, muitos em nível de seleção que seguraram as incertezas e chega ao momento decisivo dependendo apenas de suas próprias forças para o bicampeonato.

Com esta avaliação muito pessoal, baseado nas campanhas dos envolvidos, penso que o Inter está mais perto do título, lembrando que na rodada final no próximo dia 25 o Flamengo jogará contra o São Paulo no Morumbi e o Internacional receberá o Corinthians.

Resumindo, se o Inter vencer será o campeão, se houver empate ou vitória do Flamengo a decisão do título ficará para a rodada final. 
 

Por João Nassif 15/02/2021 - 03:58

O futebol penta campeão mundial é comandado por uma CBF que mais parece uma entidade de país de terceiro mundo que não consegue organizar um calendário coerente e muito menos formar árbitros capacitados para dirigir jogos que envolvam clubes de todos os niveis em suas competições. 

O calendário é massacrante, a CBF não consegue conciliar com um mínimo de proteção a seus filiados que são obrigados a cumprir um calendário com competições superpostas que deixam os espetáculos num nível baixo em qualidade e com reflexos no próprio andamento destas competições.

A CBF, milionária sujeita os clubes à maratona insana de jogos, jogos que são dirigidos por árbitros despreparados que não tem o respeito dos atletas e usam da intimidação com cartões e da prerrogativa do apito para conseguir levar as partidas até o final. 

Podem argumentar que o jogador brasileiro é indisciplinado, que simulam, provocam, mas sabem que não são punidos pela fragilidade dos árbitros, que muito mais preservam futuras escalas do que procurar cumprir a lei do jogo em sua essência. São amadores e como tal se comportam.

Enquanto não houver a profissionalização e o desligamento da CBF a arbitragem brasileira continuará se deixando envolver por interesses que fogem à boa prática do futebol.

Calendário mais humano e arbitragem mais capacitada são situações que podem fazer o crescimento do futebol brasileiro e que sabe um dia voltar a ser uma potência mundial e não somente fabricante de mão de obra que abastece o futebol internacional.
 

Tags: CBF Arbitragem

Por João Nassif 14/02/2021 - 09:48

Para onde irá Lionel Messi? É a pergunta que fazem todos os participantes do mundo do futebol mundial e principalmente da Europa.

O contrato do jogador vence no final da temporada europeia, em maio, e Messi ficará livre para decidir seu futuro. As especulações são muitas e vão desde o Manchester City da Inglaterra ao francês PSG e porque não renovar seu contrato com o Barcelona.

Para permanecer na Espanha, se especula que dependerá do novo presidente do Barcelona que será eleito no início de março e do projeto futuro para o clube voltar a ser temido e respeitado com a formação de um grande time. Se não houver um presidente e um projeto vencedor Lionel Messi deverá optar pela saída.

Recentemente foi divulgado o valor do atual contrato do jogador com o Barcelona, são cifras até escandalosas, mas dentro do atual perfil do mercado do futebol e a valorização deste verdadeiro gênio da bola. Somente os milionários Manchester City e PSG têm condições para bancar um contrato deste tamanho ou até maior pelo futebol de Messi.

Minha opinião: Não seria ético Messi vestir outra camisa depois de mais de 20 anos no Barcelona. Se não houver clima para renovação de seu contrato Messi, hoje com 33 anos deveria retornar às origens e assinar com o Newell’s Old Boys de Rosário, clube que o revelou na cidade onde nasceu. E jogando de graça até encerrar sua carreira, pois dinheiro ele tem de sobra.
 

Por João Nassif 12/02/2021 - 07:46 Atualizado em 12/02/2021 - 07:53

Qual a diferença em ser vice-campeão ou terceiro colocado ou ficar em quarto lugar no Mundial de Clubes? Se alguém, sem paixão e sem rivalidade me dizer qual é ficarei muito satisfeito. Ou um time é campeão ou somente ficará na história dos adversários que muitas vezes não têm competência para chegar ao torneio.

Quem fica lembrando do Flamengo derrotado pelo Liverpool no Mundial de 2019? Quem fica lembrando do Grêmio derrotado pelo Real Madrid em 2017? E por aí vai somente falando do futebol brasileiro.

Qual time do país foi campeão num torneio continental que garantiu vaga no Mundial de Clubes? Os detratores não se aguentam e partem para a zoação, quase todos torcedores de times que são sacos de pancadas nas competições que disputam.

Já perceberam que estou falando do Palmeiras, campeão da Libertadores que passou pelo Catar depois de mais de 70 jogos numa temporada atípica. Palmeiras, único clube brasileiro que disputou todas as competições que teve pela frente, jogando até o final.

Num calendário massacrante o time paulista sucumbiu ao desgaste, 30 jogos em pouco mais de três meses na temporada, todos os mata-mata imagináveis e ainda mais sete jogos para fechar 2020.

Aos corintianos, são-paulinos, santistas e outros que também torcem para times incompetentes restam apenas secar, zoar pela inveja de um time bicampeão da América.

Por João Nassif 11/02/2021 - 07:55

Dá até a impressão de que tanto o Internacional como o Flamengo não estão fazendo questão de ganhar o campeonato. São vários tropeços desta dupla na reta final que faltando três rodadas para o término da competição o título está totalmente indefinido.

Internacional x Sport
Foto: Ricardo Duarte

O Internacional teve uma sequência de nove vitórias que lhe permitiu chegar à liderança na rodada 31, mas com um empate em Curitiba contra o Athletico e a derrota em casa contra o Sport permitiu uma aproximação perigosa do Flamengo que nunca liderou e agora com apenas um ponto atras entrou com chances reais na briga pelo título.

A instabilidade dos dois ponteiros do campeonato é tanta que não podemos cravar vitórias na rodada do final de semana. O Inter visitará o Vasco da Gama que está no desespero lutando contra o rebaixamento, enquanto o Flamengo receberá o Corinthians que ainda sonha com classificação para a Libertadores.

Caso os dois continuem próximos na pontuação poderão decidir na penúltima rodada quando haverá o confronto direto em jogo no Maracanã.

Outro, o Atlético-MG que poderia ameaçar os dois primeiros colocados também não se ajuda. Mesmo com o alto investimento na temporada acumula muitos resultados negativos e está fora da briga, apesar de ainda ter um pequeno percentual de possibilidade. Deixou passar a chance de sonhar com o título ao empatar com o Fluminense terminando a rodada a cinco pontos do Internacional.

Até agora foram disputados nove jogos na rodada 35 com seis empates registrados. Ainda falta o jogo Coritiba x Palmeiras marcado para a semana que vem. Somente na rodada 12 é que houve o mesmo número de empates.

Por João Nassif 10/02/2021 - 08:06

A pandemia em virtude do coronavírus que bagunçou o calendário do futebol em 2020, atingindo de forma brutal o campeonato brasileiro da série A, além da Copa do Brasil e Libertadores ainda tem efeito direto no próprio calendário de 2021.

Ainda sob efeito da participação do Palmeiras nos jogos do Mundial de Clubes a decisão da Copa do Brasil impactou no calendário da CONMEBOL também pelo fato de ainda não estarem confirmados os clubes brasileiros que disputarão a Libertadores.

Tipo efeito cascata, com a alteração do calendário da CONMEBOL, a CBF e as Federações também se obrigaram a mudar algumas datas que a princípio estavam reservadas para a Copa do Brasil e campeonatos estaduais.

O mais importante é que não haverá extensão de calendário, apenas remanejamento das rodadas sendo, portanto, preservadas as 18 datas destinadas aos estaduais pelo calendário original.

Os 12 clubes do campeonato catarinense deste ano jogarão entre si em turno único com a classificação dos oito primeiros que se enfrentarão no sistema mata-mata até que sobrem dois para a decisão do título.

Sou da opinião que é um exagero tantos clubes numa competição historicamente deficitária, mas como os clubes assim decidiram, assim que seja feito. Sem reclamações posteriores, espero.
 

Por João Nassif 08/02/2021 - 07:55

Finalmente o Criciúma conseguiu contratar um time que já está à disposição do técnico Hemerson Maria. A quase totalidade dos jogadores que chegaram trabalhou com o técnico o que facilita a comunicação e o entendimento técnico e tático para que rapidamente possa ser alcançado o estágio ideal para a disputa do campeonato estadual.

Foto: Criciúma EC

Pela previsão do departamento de futebol ainda faltam uns sete ou oito jogadores para complementação do plantel, portanto se espera que nos próximos dias deverão ser anunciadas outras contratações. 

Não sou muito favorável às indicações de um técnico para um clube contratar, mas até entendo a situação do Criciúma que sem um diretor executivo de relacionamento com o mercado fica dependente daquele que irá comandar o time.

Daí a importância dos reforços darem certo e os novos jogadores mostrarem qualidade. O Criciúma tem um histórico de contratações que não vingaram, o desperdício financeiro foi grande e a qualidade colocou o time na terceira divisão do brasileiro, além da falta de títulos que vai para a oitava temporada.

Com o trabalho administrativo na captação de patrocinadores e parceiros o orçamento poderá ficar do tamanho necessário para o enfrentamento das competições de 2021. São boas as perspectivas com o clube sob nova direção.
 

Por João Nassif 06/02/2021 - 07:25

Faz tanto tempo que nem lembro o ano, mas tenho certeza de que foi no início dos anos 1960. Fui ao Pacaembu assistir um jogo do Palmeiras contra o Botafogo e curioso para ver um duelo entre Garrincha e o Geraldo Scotto, lateral do Palmeiras. A imprensa paulista cantava em prosa e verso que o lateral palmeirense era o único ser que anulava o ponteiro sem dar um único pontapé.

Garrincha

Sem cometer uma única falta Geraldo Scotto foi driblado muitas vezes, o Botafogo venceu não lembro se por 3x1 ou 3x0 e Garrincha foi o dono do jogo.

Este jogo veio à lembrança ontem à noite, assistindo Botafogo x Sport com vitória do time pernambucano que rebaixou novamente o clube da Estrela Solitária, ainda faltando quatro jogos para o final do campeonato.

E não foi somente daquele jogo dos anos 1960, lembrei também da seleção brasileira bicampeã mundial com Nilton Santos, Didi, Garrincha, Zagallo, Amarildo além de tantos outros verdadeiros craques que vestiram o manto preto e branco tão machucado nos dias de hoje.

Todos sabem que não sou torcedor do Botafogo, mas fico triste com seu terceiro rebaixamento neste século e imaginando o sofrimento de alguns amigos como o Dr. Guto Borba, o Nonô e o Mosquito Dario, os Canjicas Sérgio e Jorge, o Marco Burigo, botafoguenses fanáticos.  

Mas, vida que segue, sei muito bem o que é ver seu time do coração rebaixado, mas sempre fica a esperança de uma recuperação rápida e quem sabe um dia reviver as campanhas gloriosas e o sorriso voltar aos rostos dos amigos.
 
 

Por João Nassif 05/02/2021 - 04:56

Ontem no Som Maior Esportes da Rádio Som Maior FM, o vice-presidente de patrimônio do Criciúma, Vilmar Casagrande afirmou a necessidade de se fazer obras de restruturação do estádio e do CT.

Estas obras no CT vão desde o reparo na concentração dos profissionais, além de mexer em muitas outras coisas como disse o próprio dirigente.

Vilmar Casagrande abordou a situação do estádio Heriberto Hülse e a necessidade de dar uma geral em diversas salas que precisam de reparos, consertar forros de madeira em sala de cupim. Foram alguns pontos abordados pelo dirigente.

Certamente outras situações de arrumação do patrimônio serão feitas pela nova gestão. Nem vou falar dos gramados que ficaram sem uso durante muito tempo desde o final da temporada em novembro até quase nos últimos dias.

Mas, voltando à necessidade de obras de manutenção no estádio e no CT, algumas delas dependem de recursos financeiros que hoje o Criciúma não tem. 

A gestão anterior que saiu no último dia do ano, pelo contrato não tinha obrigação de zelar pelo patrimônio do clube? Se verdade esta cláusula contratual, por que somente agora está se falando em obras necessárias para restruturação do patrimônio? Só lembrando que na gestão anterior o vice-presidente de patrimônio era o mesmo de agora.

Sempre foi passado para o torcedor que apesar do fracasso no futebol o patrimônio estava sendo bem cuidado e pelo contrato o Conselho Deliberativo somente poderia interferir se não houvesse rigor na manutenção do patrimônio. Dá impressão que o CD não cuidou bem de sua única competência.

Então, pelas palavras do Vilmar Casagrande, o atual presidente, Anselmo Freitas é que terá que se virar para arrumar recursos e reestruturar o patrimônio do clube. 


 

Por João Nassif 04/02/2021 - 04:20

Depois de 14 temporadas Criciúma e Próspera irão se encontrar no campeonato catarinense em sua divisão principal. Em 2007 o “time da raça” disputou pela última vez na elite e somente em 2019 ressurgiu como campeão da série C e em 2020 com o título da série B voltou a principal divisão do campeonato catarinense.

A expectativa é o que farão os dois times no campeonato que terá início no próximo dia 24.

Creio que o Próspera, com uma camisa menos pesada, está mais bem preparado e sugerindo um melhor início de campeonato, comparando com seu íntimo adversário.

Explico. O time comando pelo Paulo Baier que foi o condutor desta equipe campeã da série B já tem uma base formada, começou os trabalhos há algum tempo e está se preparando com uma série de amistosos para aprimorar o ritmo de jogo e começar o campeonato agregando algumas contratações para fortalecimento do plantel.

O Criciúma ainda não conseguiu formar um elenco de acordo com sua maior exigência. Além dos poucos remanescentes contratou jogadores que não empolgam pelo retrospecto, mesmo com alguns de mais experiencia pelo andamento de suas carreiras, ainda assim é pouco a menos de três semanas para o início do campeonato. 

Fico imaginando a dificuldade do Hermerson Maria para encontrar um padrão de jogo que possa colocar o Criciúma em fases mais avançadas do campeonato.

Pelo momento somente o peso da camisa e da história é que darão ao Criciúma a perspectiva de um bom campeonato. O Próspera entra na competição como franco atirador.
  
 

Por João Nassif 03/02/2021 - 07:55

Tenho por hábito ir arquivando os resultados, as campanhas, os artilheiros de todos os times que disputam as quatro divisões do futebol brasileiro. Para quem deve estar pensando na inutilidade destas informações, digo que é um prazer pessoal e que de uma forma ou outra servem como elementos de pesquisa para qualquer necessidade, ok?

Botafogo de Ribeirão Preto
O pior ataque da série B de 2020
Foto: Mantos do futebol

Por exemplo, posso fazer um comparativo entre o total de gols marcados nos 380 jogos da série B.

Pegando como base os últimos cinco campeonatos, o de 2016 foi o que teve a maior média com 2,35 gols/jogo. O de 2020 teve a média de apenas 2,17. Nestes cinco anos o pior rendimento de gols foi 2019 com apenas 2,08 por jogo. 

A média de 2,17 gols/jogo do campeonato 2020 que terminou em 2021 foi resultado de um número expressivo de partidas que terminaram com 1x0 no placar. Dos 380 jogos da competição 104 terminaram com placar mínimo, o que representa 27,4% dos jogos disputados. Com mais 43 partidas que terminaram em 0x0 chega-se ao total de 38,7% dos jogos da série B em que foram marcados no máximo apenas um gol.

Na série A do campeonato de 2020 que ainda não terminou a média é de 2,5 gols/jogo.

Voltando à série B-2020 a pequena média de gols, assim como as anteriores, se deve primeiro à baixa qualidade do futebol jogado e segundo à disputa intensa entre a maioria dos times na busca do acesso ou na fuga do rebaixamento. 
 

Por João Nassif 02/02/2021 - 09:07 Atualizado em 02/02/2021 - 11:10

Aos poucos e sem pressa o Criciúma vai definindo as contratações para a temporada. Há uma espécie de colegiado na busca de jogadores e sob o comando de Waldeci Rampinelli, o técnico Hemerson Maria é quem está indicando eventuais reforços.

Alemão
Foto: Globo Esporte

Ontem, na LIVE que faço todas as segundas-feiras o presidente Anselmo Freitas afirmou que além do técnico, o supervisor Giuliano Bittencourt participa das avaliações com o aval de Rampinelli e é o presidente quem define no enquadramento no projeto financeiro do clube.

E disse também que tem um personagem auxiliando na captação de reforços. Não afirmou ser um eventual diretor executivo, por isso fica a dúvida se este tipo de profissional será contratado.

O que existe de real até agora é a chegada de quatro atletas, três oriundos da série C e um da série B, Alemão ex-Figueirense anunciado ontem no início da noite. Surgiu também, como especulação a provável contratação de dois atacantes que estavam no Paysandu em 2020. Hoje pela manhã foi anunciada a contratação de Marcus Índio, atacante que disputou a série B pelo Brusque. Não era titular, jogou algumas partidas e não marcou nenhum gol.

O que se deduz é que o técnico Hermerson Maria está dando as cartas. Tanto Alemão como os dois do Paysandu, Uilliam Barros e Mateus Anderson já jogaram sob o comando do técnico. São jogadores que irão agregar positivamente.

Aguardemos os próximos capítulos, pois o estadual está próximo do começo e o que existe até agora no plantel do Tigre não é suficiente para se prever uma participação mais vitoriosa.

O trabalho do presidente está se consolidando na recuperação do clube. Buscando parceria com o empresariado da cidade o caixa será reforçado com a verba do campeonato estadual, da Copa do Brasil e do plano de sócios aumentando a capacidade de investimento para montagem do plantel.   

Até agora tudo está indo bem fora de campo, mas com total dependência dos resultados positivos nas competições que serão o alicerce de todo projeto.
 

Por João Nassif 01/02/2021 - 00:22

Foi o que aconteceu sábado no Maracanã. Dois times brasileiros disputando a final da Libertadores proporcionaram um jogo amarrado, tenso e de baixa qualidade. Tanto o Palmeiras como o Santos arriscaram quase nada e deram a impressão que estavam satisfeitos com uma decisão por pênaltis.

Foto: Globo Esporte

Mas, aconteceu o que todos já viram centenas de vezes, num dos raros lances ofensivos a cabeçada do Breno Lopes decidiu o título para o Verdão.

Muitos ditos analistas não se conformaram com a decisão e não pouparam críticas ao nível do jogo. Não lembraram daquela frase e ficaram, certamente com grande frustação, diminuindo  a conquista de quem fez a melhor campanha do torneio em todas suas fases.

Outros, viúvas juramentadas, ficaram falando o tempo todo em Jorge Jesus, o mister para muitos, como o grande técnico que impactou o futebol brasileiro colocando Abel Ferreira como simples coadjuvantes da escola portuguesa de treinadores.

Se esquecem que o tal mister pegou um time recheado de estrelas, quase todos jogadores de seleção e ficou fácil dominar o campeonato brasileiro pela incapacidade dos nativos desprovidos de ideias. Está treinando o melhor e mais rico time em Portugal e como não tem a qualidade que encontrou no Flamengo voltou a ser um técnico comum.

Abel Ferreira, ao contrário, só havia trabalhado em times pequenos, veio e pegou um time quase sem grandes estrelas, recheado de garotos e conseguiu uma conquista que as viúvas jamais imaginaram ser possível. Que fique bem claro, sou mais Abel Ferreira do que Jorge Jesus.

E não esqueçam a frase título deste comentário.
 

Por João Nassif 30/01/2021 - 12:33 Atualizado em 30/01/2021 - 12:33

Eram poucas as esperanças do Criciúma conseguir vaga na Copa do Brasil-2021, pois foi incapaz de se colocar numa melhor posição no ranking nacional de clubes da CBF. O rebaixamento em 2019 e o fato de não subir em 2020 tiraram as chances de classificação pelo ranking e restou a dependência de outros resultados para poder disputar a competição nacional e faturar em torno de R$ 500 mil, cota para quem joga a primeira fase da Copa do Brasil.

Foto: Liamara Pollidia

Da mesma forma que o Criciúma escapou de outro rebaixamento na série C, ajuda dada pelo Ituano que derrotou o São Bento na última rodada, agora foi beneficiado pelo título da série B conquistado ontem pela Chapecoense. Como campeão da série B o time de Chapecó garantiu vaga direta na Copa do Brasil e abriu a outra vaga catarinense ganha pelo Criciúma por sua posição no ranking.

Passados anos sombrios de uma gestão desastrosa, o recomeço do Criciúma depois das ajudas recebidas cria expectativa mais positiva se houve um aprendizado correto dos erros cometidos para não se repetirem no futuro.

Só para ilustrar, foi feita pelos comentaristas do SporTV a seleção da série B onde estão incluídos três ex-personagens que passaram pelo Criciúma. O zagueiro Anderson Conceição nas temporadas 2011/2012, o meia Elvis e o melhor técnico do campeonato, Lisca. Os dois últimos foram recentemente expurgados do Heriberto Hülse.
 

Por João Nassif 29/01/2021 - 08:17 Atualizado em 29/01/2021 - 08:17

Todas as ações promovidas pela nova diretoria do Criciúma EC, sob o comando de Anselmo Freitas, são válidas e colocam o clube num outro patamar de administração, voltado para o momento que um clube de futebol exige.

Do planejamento estratégico ao marketing, da captação de sócios ao envolvimento do torcedor são atitudes que projetam um Criciúma na modernidade e a pavimentação para novas conquistas, aliás não vistas a muito tempo.

Todo este movimento depende para ter sucesso de um time que seja competitivo e acima de tudo recupere o DNA de superação e vitórias perdidas nos últimos anos. O Criciúma formará um plantel de qualidade para a temporada?

Chama atenção a demora na contratação de um diretor executivo, profissional que tenha conhecimento e relacionamento no mundo do futebol, que possa buscar jogadores com perfil necessário para disputar as competições que virão. Campeonato estadual e prioritariamente a série C do campeonato brasileiro são os alvos em 2021.

Com o clube zerado a diretoria deve estar encontrando dificuldades financeiras para contratar, por isso até agora foram anunciados apenas jogadores que estavam na série D. Certamente por isso ainda não conseguiu um diretor executivo e atletas para montagem de um plantel mais encorpado.

Então vem a pergunta, quem está contratando? O técnico, o gerente, o vice-presidente de futebol, o presidente? Possivelmente um colegiado com todos estes componentes que entendo não seja o melhor, mas espero que independente de conhecimento e relacionamento o clube possa atender de forma objetiva os desejos de sua imensa torcida. 
 

5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito