Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 24/02/2019 - 10:04

A Copa dos Campeões foi uma competição nacional oficial da CBF disputada pela primeira vez no ano 2000, com o objetivo de determinar o quarto representante do Brasil na Taça Libertadores da América, os outros eram o campeão da Copa do Brasil, o vencedor e o vice do Campeonato Brasileiro.

Em 2000 e 2001, participaram da Copa os vencedores do Campeonato Carioca, Campeonato Paulista, Torneio Rio-São Paulo e Copa do Nordeste. Além destes, os finalistas da Copa Sul Minas e os do triangular realizado entre os vencedores da Norte, Centro-Oeste, e o vice da Nordeste.

Em 2002, 16 times disputaram a competição, sendo estes os 6 primeiros colocados do Torneio Rio-São Paulo, os semifinalistas da Copa Sul Minas, os 3 melhores da Copa do Nordeste, além dos campeões da Copa Norte e da Centro-Oeste, além do campeão do ano anterior.

Na primeira edição em 2000 na fase pré-classificatória o São Raimundo-AM, campeão da Copa Norte, o Goiás campeão da Copa Centro-Oeste e o Vitória-BA vice da Copa do Nordeste disputaram duas vagas que ficaram com o Goiás e Vitória.

A estes times se juntaram o América e Cruzeiro, campeão e vice da Copa Sul-Minas, o Sport campeão da Copa do Nordeste, o Flamengo campeão carioca, o São Paulo campeão paulista e o Palmeiras campeão do torneio Rio-São Paulo para a disputa da primeira fase.

Divididos em quatro grupos com duas equipes cada um. Os dois primeiros de cada grupos disputaram as semifinais e o vencedores a decisão do título.

Os finalistas Palmeiras e Sport se enfrentaram em jogo único no Estádio Rei Pelé em Maceió no dia 25 de julho e o time paulista venceu por 2x1 sagrando-se o primeiro campeão da Copa dos Campeões.
 

João Nassif
Por João Nassif 23/02/2019 - 14:59

Até 1971 a Taça das Cidades com Feiras precursora da atual Liga Europa era uma competição destinada a equipes europeias de cidades com feira de comércio que teve início em 1955.

Oficialmente o torneio não era organizado pela UEFA, mas em 1971 a entidade assumiu a organização e mudou o formato e o nome da competição para Taça UEFA.

A Taça Cidades com Feiras teve 13 edições e seu maior vencedor foi o Barcelona com três títulos. O também espanhol Valencia e o inglês Leeds United foram campeões em duas edições. Com uma conquista tem os ingleses Arsenal e Newcastle a Roma da Itália, o Zaragoza da Espanha, o Ferencváros da Hungria e o Dínamo Zagreb da Croácia.
Portanto, a Espanha com seis títulos e a Inglaterra com dois são os países cujos clubes mais venceram a competição.

A sucessora da Taça Cidades com Feiras foi a Taça da UEFA disputada pela primeira vez na temporada 1971/1972. Durou até 2009, substituída pela UEFA Europa Liga. Entre a Taça da UEFA e Liga Europa foram disputadas 48 edições e o Sevilla da Espanha é o maior vencedor com cinco títulos.

Com três conquistas vêm os italianos Juventus e Internazionale, o Liverpool da Inglaterra e o Atlético de Madrid.

Henrik Larsson com a camisa do Celtic

O sueco Henrik Larsson com 40 gols é o maior artilheiro da história desta competição. Atuou em 56 jogos defendendo o Feyenoord da Holanda, o Celtic da Escócia, o Barcelona, o Manchester United e o Helsingborg da Suécia.

O segundo maior artilheiro da Liga Europa é o colombiano Radamel Falcao Garcia com 29 gols em 28 jogos com as camisas do Porto e do Atlético de Madrid. 

 

João Nassif
Por João Nassif 23/02/2019 - 10:07

Thiago Ávila *

Falta pouco menos de um mês para o início de mais uma temporada da principal categoria automobilística do mundo, mas essa semana os carros já foram para a pista em Barcelona, para a primeira semana de testes. E o que dizer dos novos carros? Quem larga na frente?

A Ferrari, sem dúvida, foi o que teve o melhor desempenho durante os testes, com Sebastian Vettel e Charles Leclerc liderando os dois primeiros dias de treino, de pneus médios. A equipe de Maranello também não chegou a testar outros tipos de pneus, o que pode ser uma estratégia para esconder mais o jogo.

Mas quem parece estar usando e abusando dessa estratégia é a Mercedes, que fez tempos discretos em todos os dias, apesar de ser a equipe que mais rodou (610 voltas), com Bottas sendo o pior dos que usaram o supermacio e Hamilton fazendo um tempo um pouco abaixo, de macio. Toto Wolff - chefe de equipe - e Hamilton afirmaram em entrevistas que o carro não está dos melhores e a Ferrari é mais rápida. Veremos se isso se confirma ou é só conversa para boi dormir.

A terceira equipe provável na disputa do título, a Red Bull, estreou com seu novo motor Honda – o famoso “motor de GP2”, segundo Fernando Alonso – e apesar de ter andado a maioria das vezes de pneu macio, sempre se mantinha próximo dos primeiros. Não foi tão consistente quanto a Ferrari, na classificação final foram até piores que a Alfa Romeo e a Haas, que utilizaram os mesmos pneus. Mais um que só na Austrália saberemos quem de fato é durante o ano. Mas minha expectativa é que andem bem acima, tem uma ótima equipe de engenheiros, liderados pelo excelentíssimo projetista Adrian Newey – multicampeão da F1, que inclusive fez os carros dos títulos de Vettel.

Mas voltando a Alfa Romeo e Haas, as duas equipes satélites da Ferrari andaram extremamente bem nos treinos, com destaque ao quarto melhor tempo de Kimi Raikkonen, mais uma mostra que o motor italiano não falha. E tivemos brasileiro na pista! Pietro Fittipaldi substituiu Magnussen na terça e quarta-feira, completando 61 voltas ao todo, e claramente com tempos abaixo de seus companheiros de Haas.

A Renault e sua equipe cliente McLaren foram as equipes que mais diversificaram nos seus pneus, fazendo tempos bons com quatro dos cinco compostos disponíveis. A equipe francesa impressionou colocando Hulkenberg como líder da sessão de quinta-feira e é o nome mais forte para ocupar o posto de quarto melhor carro da temporada. Já os britânicos estiveram bem, um pouco abaixo dos franceses, mas com uma máquina bem mais confiável que o ano passado.

A Toro Rosso é outra equipe Honda que fez bonito, colocando seus dois pilotos na segunda e terceira colocações, e é outra equipe de meio grid a se prestar atenção.

Mas as grandes decepções da semana foram Racing Point e Williams. A primeira rodou voltas apenas com pneus médios e duros e só não fizeram tempos piores que a Williams, que correu apenas um dia e meio, rodou 88 voltas e colocou seus dois carros com mais de um segundo em relação a Pérez, o 19º.

* Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS


 

João Nassif
Por João Nassif 23/02/2019 - 06:38

O Criciúma não tem alternativas na partida de domingo contra o Figueirense. Um empate não será de todo ruim, mas uma derrota deixará o time numa posição delicada ainda mais se Marcílio Dias e Brusque vencerem na rodada. O Marcílio com cinco pontos à frente jogará em casa contra a Chapecoense e o Brusque com quatro pontos a mais irá à Joinville. Perceberam o perigo? Mesmo com um jogo a menos havendo um aumento na distância ficará muito difícil uma recuperação e a inclusão do Criciúma na zona de classificação.

ESTE É O FUTEBOL
A paixão é o componente mais visível no futebol em todos os tempos. O fanatismo dos torcedores muitas vezes extrapola o bom senso e é comum serem eleitos vilões e heróis de acordo com o desempenho de cada um e principalmente nos resultados dos jogos. Tivemos quinta-feira na classificação do Criciúma na Copa do Brasil no Heriberto Hülse esta situação bem estabelecida.

HISTÓRIA
Quando a partida foi para ser decidida nos pênaltis veio à lembrança o torneio do a nos passado quando também na cobrança das penalidades o Criciúma foi eliminado pelo Cianorte-PR. Ficou escancarada a agonia dos quase 4 mil torcedores pela forma aleatória de ser conquistada uma classificação.

HERÓI SALVA O VILÃO
Quando Carlos Eduardo perdeu o pênalti as esperanças praticamente se esvaíram, pois, os jogadores do Oeste estavam perfeitos em suas cobranças, até que chegou o momento decisivo. Com a vantagem o meia Elvis, velho conhecido foi para classificar o time paulista, mas fez uma cobrança no nível da do lateral do Criciúma e o goleiro pegou. Mas, ainda nada estava decidido quando o garoto Reinaldo foi para o pênalti final depois do Luís ter defendido outra cobrança e decidiu a classificação saindo como herói e salvando seu companheiro do carimbo de vilão.

VAR APROVADO
A CBF propôs e os clubes aceitaram, teremos a vídeo arbitragem já no Brasileirão-2019. O equipamento já foi testado em alguns jogos pela Copa do Brasil e campeonatos regionais e na maioria das vezes houve problemas na interpretação dos lances polêmicos. Era época de experiencias, espera-se que agora haja um melhor treinamento dos responsáveis pela tecnologia e também um entendimento maior por parte dos árbitros de campo. Ainda dá tempo para o aperfeiçoamento de todos, pois ainda falta pouco mais de 60 dias para o início do campeonato.

COM ATRASO, MAIS BARATO
O VAR poderia ter sido implantado no campeonato passado, mas como a CBF não bancou a novidade os clubes não aceitaram e tivemos uma competição com muitos lances polêmicos e decisivos. Desta vez não, a entidade vai bancar os custos dos equipamentos e os clubes serão responsáveis apenas pelas despesas do pessoal da arbitragem. Os clubes aprovaram a proposta por unanimidade, o custo estimado é de R$ 350 mil para cada um por todo Brasileirão.  

MEMÓRIA 
24/02/2005 – “SALVE O CRICIÚMA!!!”

Nesta altura do campeonato, o refrão do hino imortalizado pelo Carlinhos Lacombe não é saudação e sim apelo. Se as pessoas que tem o poder e a influencia na cidade, na região, em todos os cantos do sul catarinense não derem um basta na incompetência que está incrustada no futebol do Criciúma o caos atual não será revertido. Não podem deixar que uma grande história seja jogada na lata do lixo.

Tags: Criciúma EC JEC VAR

João Nassif
Por João Nassif 22/02/2019 - 11:58

Saindo da Champions o assunto de hoje aqui no Almanaque da Bola é a Liga Europa da UEFA, a UEFA Europa League antiga Copa da UEFA, o segundo torneio mais importante do futebol europeu, atrás apenas da Liga dos Campeões.

A precursora da Copa da UEFA foi a Taça das Cidades com Feiras criada em 1955. Em 1971, a UEFA, União das Federações Europeias de Futebol assumiu a organização e mudou o formato e o nome da competição para Taça UEFA. Porém, não é considerada uma nova versão da competição e os títulos desta não são equivalentes ao do campeonato atual.

Zaragoza-ESP campeão da Taça Cidades com Feiras 1936/1964

O torneio tem um formato um pouco diferente da Taça UEFA, e passou a ter 48 equipas participantes, divididas em 12 grupos, com os dois primeiros classificados em cada grupo juntando-se aos oito terceiros colocados dos grupos da Liga dos Campeões.

Até 1999, quando ainda existia a Taça das Taças, apenas os clubes bem posicionados (dentre os não-campeões) nas ligas nacionais participavam da competição. A partir de então, campeões de Taças nacionais e de algumas Taças da Liga passaram a ter espaço no certame.

Dois anos antes da extinção da Taças das Taças e da valorização do campeonato, uma reformulação já havia sido feita nos moldes do torneio. Ao invés de duas partidas na final, como era desde a sua fundação, foi decidido que haveria apenas uma partida para definir o campeão da Taça UEFA.

Assim como já ocorre na América do Sul, a UEFA decidiu incluir uma vaga para o campeão da Liga Europa na edição seguinte da Liga dos Campeões da UEFA, só ocorrendo a partir da temporada 2014-15. 
 

João Nassif
Por João Nassif 22/02/2019 - 06:55

Com sofrimento a passagem do Criciúma para a próxima fase da Copa do Brasil tem um valor inestimável não só pela cota que vai ajudar quem sabe a reforçar o time como também para dar confiança para a sequência do campeonato estadual onde a situação não é nada boa. Novamente a impotência ofensiva foi a marca do time contra o Oeste, não fosse a péssima cobrança do pênalti pelo notório Elvis estariam todos amargando a desclassificação. Mas, o futebol é feito de erros e acertos e a vitória dá mais confiança para o clássico de domingo no Scarpelli.

FORTE PRESSÃO 
A rodada final do turno que teve na quarta-feira apenas dois jogos que apresentaram resultados surpreendentes. O Tubarão em casa conseguiu a primeira vitória depois de oito jogos sem vencer e meteu 3x2 no Joinville. E o Brusque no Augusto Bauer fez 6x1 no vice lanterna Metropolitano, até agora a maior goleada do campeonato. O Brusque foi a 13 pontos na quinta posição, ficando quatro à frente do Criciúma que completará o primeiro turno somente na semana que vem. Antes, abrindo o returno o Tigre jogará em Florianópolis contra o líder Figueirense. Uma derrota e poderá ver o Brusque escapar mais ainda na classificação.

ROTEIRO DEFINIDO
Com a divulgação pela CBF da tabela do campeonato brasileiro da série B que irá começar no último final de semana de abril, o Criciúma, assim como todos os outros 19 participantes da competição já sabem a sequência de partidas que terão que cumprir no primeiro turno. Como o regulamento prevê para o returno apenas a mudança de mando de campo na mesma sequência, a tabela toda está definida, faltando apenas o desmembramento de acordo com os interesses da televisão. 

DENTRO E FORA
O Criciúma irá começar o campeonato em casa contra o calouro Cuiabá-MT e terminará o primeiro turno também no Heriberto Hülse contra o Oeste. Desta forma como haverá no segundo turno a simples inversão de mando de campo, na segunda parte do campeonato o Criciúma fará o primeiro jogo na Arena Pantanal em Cuiabá e terminará sua trajetória jogando na Arena Barueri. 

CR7
Sem o mínimo espirito esportivo, o tantas vezes melhor do mundo Cristiano Ronaldo que hoje joga pela Juventus da Itália foi à Madrid enfrentar o Atlético pela Champions e perdeu por 2x0. Pela rivalidade desde os tempos de Real Madrid o português foi vaiado durante todo o jogo e saiu com a mão espalmada mostrando os cinco dedos que representavam os cinco títulos do torneio que ganhou pela Real e dizendo que o Atlético ainda estava no zero.

JOGAÇO
Por falar em Champions, o melhor jogo das oitavas de final desta edição foi jogador em Gelsenkirchen na Alemanha. O Schalke, time da casa, recebeu o Manchester City e os dois proporcionaram a partida de maior emoção desta fase. O time inglês saiu na frente, tomou a virada com dois gols de pênaltis e nos últimos minutos com menos um jogador em campo virou o placar para vencer por 3x2. O City do Guardiola é seríssimo candidato ao título.

MEMÓRIA
22/02/2010 – “É HOJE!”

Finalmente chegou a segunda-feira dia 22 para nós saibamos quem se habilita a comandar o Criciúma nestes próximos quase dois anos. Termina hoje o prazo para inscrições da chapa ou chapas que serão apreciadas pelo Conselho Deliberativo para poder concorrer às eleições marcadas para a próxima segunda-feira. Existem algumas regras estatutárias que precisam ser relembradas e bem explicadas aos sócios patrimoniais e torcedores.


 

João Nassif
Por João Nassif 21/02/2019 - 12:29

Quem acompanha o Almanaque da Bola aqui na Som Maior percebeu que esta semana tenho falado sobre a Liga dos Campeões da Europa, o maior torneio de clubes do mundo.

Registrei suas origens, a forma como foi se modificando ao longo dos anos e a cronologia das transmissões do torneio pelas televisões brasileira.

Hoje continuou com informações sobre a Champions, destacando os recordes estabelecidos ao longo de sua história que começou na metade do século passado na temporada 1655/1656.

O clube maior vencedor é o espanhol Real Madrid, campeão em 13 edições, com um pentacampeonato nas cinco primeiras edições e um tri nas três últimas Champions. Depois do Real vem o italiano Milan com sete conquistas.

Bayern Munique da Alemanha, Liverpool da Inglaterra e Barcelona da Espanha têm cinco títulos cada um.

Por país a Espanha está em primeiro lugar com seus 18 títulos conquistados por Real Madrid e Barcelona. A Itália tem 12 títulos, além das sete do Milan tem a Internazionale que venceu três Champions e a Juventus duas. 

A Inglaterra também tem 12 títulos, os cinco do Liverpool, quatro do Manchester United e um do Chelsea, do Nottingham Forrest e do Aston Villa.  

O estádio que mais recebeu final de Champions é o de Wembley em Londres em oito oportunidades. Quatro vezes a decisão do torneio teve como palco o San Siro em Milão, Itália, o Santiago Bernabeu em Madrid na Espanha, o Rei Balduíno em Bruxelas na Bélgica e em Viena, Áustria no Praterstadion.

O maior artilheiro disparado da Champions em todas suas edições é o português Cristino Ronaldo que já marcou 122 gols. O segundo é Lionel Messi, argentino com 106 gols marcados. 
 

João Nassif
Por João Nassif 21/02/2019 - 06:59

Depois da tragédia no Ninho do Urubu que matou 10 garotos da base do Flamengo, agora a discussão é sobre o valor de cada vida. O clube propõe R$ 400 mil reais e um mensal de um salário-mínimo durante 10 anos para cada família. O Ministério Público rejeitou a proposta e exigiu R$ 2 milhões mais R$ 10 mil por mês até que cada garoto morto no incêndio completasse 45 anos. O total pedido pelo MP dá aproximadamente R$ 56 milhões, enquanto que a proposta do Flamengo totalizaria R$ 5,2 milhões.

ALEGAÇÃO
O Flamengo justifica os valores propostos afirmando que são maiores do que estão sendo estipulados em casos semelhantes, como, por exemplo, o incêndio na Boate Kiss em 2013. O MP argumenta que são casos diferentes, pois os garotos mortos estavam sob a responsabilidade do clube. Não há previsão de até quando irão empurrar as indenizações com a barriga.  

TORCEDOR FORA DO FOCO
Continuando a falar de dinheiro, agora de forma mais amena, a partida de hoje entre Criciúma e Oeste no Heriberto Hülse representa quase R$ 1,5 milhões para quem se classificar. Ainda não firmei um conceito definitivo se esta receita importante para o clube tem a mesma importância para os jogadores. Meço a importância para o clube pela receita que pode representar investimento e para os atletas uma marca positiva no currículo. Entre todos o que menos importa é o torcedor.

NOVIDADE
A Federação Catarinense de Futebol oficializou esta semana a contratação do árbitro Rafael Traci, 37 anos, oriundo da Federação Paranaense. Sua estreia será no próximo domingo em Florianópolis no comando de Figueirense x Criciúma na abertura do returno do campeonato.

CURRÍCULO
Rafael Traci solicitou sua transferência como forma de valorização e crescimento na carreira. Desde que ingressou no quadro da CBF já apitou partidas da série A e B, além da Copa do Brasil. Hoje faz parte da categoria A/B da entidade, um degrau abaixo dos 10 árbitros que atuam com o distintivo da FIFA no peito.

MELHOR DO BRASIL
Mesmo não ostentando o escudo FIFA, Rafael Traci foi eleito o melhor árbitro do Brasileirão-2018, honraria inédita no PRÊMIO ESPN BOLA DE PRATA SPORTINGBET. Trabalhou em 19 jogos do campeonato e distribuiu 94 cartões amarelos e três vermelhos. Apitou o jogo do título do Palmeiras contra o Vasco da Gama no Rio de Janeiro.

COPA SUB-20
Vai começar mais uma Copa do Brasil Sub-20 com a participação de 32 clubes incluindo dois catarinenses. Participarão do torneio os campeões estaduais da categoria em 2018 mais os vice-campeões das cinco Federações melhor colocadas no ranking da CBF. Santa Catarina é a quinta melhor do Brasil, por isso terá dois representantes. A campeã Chapecoense e o Tubarão, vice-campeão.

MEMÓRIA
21/02/2009 – “SERÁ?”
Mesmo o Criciúma já tendo anunciado um time misto para o jogo de hoje. Mesmo que o horário não é dos melhores, 18h30min num sábado de carnaval. Mesmo com a derrota em Juiz de Fora, quero crer que teremos um público razoável hoje no HH. Afinal de contas o Criciúma é o único time já classificado para as semifinais e o torcedor foi corresponsável pela conquista. Então, todos ao Heriberto Hülse.  


 

João Nassif
Por João Nassif 20/02/2019 - 12:29

A transmissão da Liga dos Campeões da UEFA começou de maneira tímida no Brasil. Uma vez que, nos anos 70, a Embratel chegasse a disponibilizar sinal de satélite para transmissões da competição, nenhuma emissora de TV na época solicitou à empresa estatal autorização para exibir as partidas devido à então baixa popularidade do certame no país. 

Coube a TVS do Rio de Janeiro, de propriedade do empresário Silvio Santos, realizar a primeira exibição da história da televisão brasileira de uma partida da Champions em maio de 1979: o jogo da final entre Nottingham Forest e Malmö foi mostrado na grade do canal em videotape as 19h30m do horário de Brasília no dia 30 de maio daquele ano. 

A primeira transmissão ao vivo de uma partida da UEFA Champions League na TV brasileira só ocorreu em 1984, quando a Rede Globo exibiu às 15h (horário de Brasília) do dia 30 de maio a final do torneio daquele ano entre Liverpool da Inglaterra e Roma da Itália. 

Desde então, a emissora carioca passou a exibir todas as finais da competição até o ano de 1995, quando decidiu não adquirir mais os direitos de exibição do torneio. 

Após a desistência da Globo, outros canais começaram a transmitir partidas da Champions naquela década, como a TV Cultura e a extinta Rede Manchete. 

A partir daí diversas emissoras transmitiram o torneio, tanto na TV aberta quanto na fechada e a audiência teve um aumento considerável pelo apelo da competição que reúne os principais clubes e jogadores do planeta. A Globo, por exemplo, começou a transmitir a competição a partir das oitavas de final da temporada 2016/2017.

A Turner do Brasil por meio dos canais TNT, Space e portal Esporte Interativo Plus renovou por mais três temporadas a exclusividade de transmissão pela televisão paga. Seu contrato vai até a temporada 2020/2021.

A novidade fica para a transmissão aberta que deixa a televisão tradicional, Globo e Bandeirantes e migra para o Facebook, cujas transmissões ficam a cargo da equipe do Esporte Interativo. 
 

João Nassif
Por João Nassif 20/02/2019 - 06:20

O técnico Mazola Júnior que com sua estratégia livrou o Criciúma do rebaixamento no campeonato brasileiro deixou uma forma de fazer gols que está sendo repetido neste início de temporada. “Defendo o quanto puder e faço gols cruzando bolas na área”, esta foi a receita. Sem qualidade para desenvolver um futebol mais eficiente o ex-técnico optou pela aposta nos zagueiros e principalmente no volante Liel para conquistar os pontos salvadores.

DEPENDÊNCIA TOTAL
O técnico Doriva tem insistido que não é esta sua forma de jogar, que busca outras opções para buscar o gol adversário. Até pode ser, mas não é o que se tem visto e o aproveitamento com bola rolando é ridículo. Um levantamento do Lucas Renan em A TRIBUNA de ontem mostra a incapacidade do time em encontrar outra forma de marcar seus gols, gols que aliás são raros. Dos oito marcados em nove jogos, apenas três foram com bola rolando. Apesar do técnico a bola parada dependência é real.

BALANÇO
Dois gols do Daniel Costa, um de pênalti, outro de falta. Dois gols do Sandro, um em seguida uma cobrança de falta que o goleiro do Marcílio Dias defendeu e no rebote um cruzamento para o desvio do zagueiro e outro de cabeça depois de uma cobrança de falta. Um gol do zagueiro Platero de cabeça na bola que veio de escanteio. Com a bola rolando marcaram Reis, Ceará e Julimar. Daniel Costa, o cara é o responsável pelas bolas paradas.

MESMO MODÊLO
Se falamos do Criciúma que tem pouca qualidade e opções, imaginem o Corinthians que investiu uma barbaridade em reforços para a temporada. Apesar de muitas estrelas seu principal jogador é Gustavo, o Gustagol, com aproveitamento espetacular no jogo aéreo. Além das cabeçadas fulminantes Gustavo já marcou sete dos 10 gols do time na temporada. Fez até gol de canela.

COMEÇA SEM TERMINAR
A tabela montada pela CBF para a segunda fase da Copa do Brasil, mexe também na sequencia do campeonato catarinense. A rodada do estadual neste meio de semana é a última do turno, mas o Criciúma que enfrentaria o Hercílio Luz ficou para a próxima quarta-feira. Quer dizer, primeiro turno ficará com este jogo a ser cumprido e já no domingo será iniciado o returno. Ruim para o Criciúma que se for derrotado no Scarpelli e conforme outros resultados, poderá jogar a partida atrasada sob pressão muito maior. Mesmo no Heriberto Hülse. 

CURIOSIDADE
Confesso que não veja a hora de começar a série A do campeonato brasileiro. Tenho acompanhado os jogos da Champions e a gritaria do narrador afirmando que farão transmissões como nunca vimos e com grande emoção, dá até a impressão que as narrações serão mais importantes que os próprios jogos. Se grito valer, pode ser.

MEMÓRIA
20/02/2008 – “CONVERSA FIADA”

O exemplo do Flamengo é emblemático. Deve 180 milhões que parcelados em 20 anos irá gerar uma parcela mensal de 750 mil reais, sem contar os juros que o governo não abriu mão de cobrar pela taxa Selic, uma das mais altas do mercado. Como a receita prevista é de 300 mil reais mensais para cada clube da série A, o Flamengo teria que desembolsar os 450 mil restantes e, além disso, recolher daqui para frente, em dia os tributos gerados a cada mês. Na verdade, o Governo criou a loteria para poder receber a dívida dos clubes. 
 

João Nassif
Por João Nassif 19/02/2019 - 12:31

A Liga dos Campeões da UEFA (UEFA Champions League) é uma competição anual que reúne somente clubes da Europa e é o principal torneio de clubes do planeta.

A final da Liga é o evento esportivo anual mais visto em todo o mundo. A final do torneio da temporada 2012/2013 teve o maior índice de audiência da história atraindo 360 milhões de telespectadores.

A Champions como é conhecida foi introduzida em 1992 e é sucessora da Copa dos Clubes Campeões Europeus que havia sido disputada de 1955, acrescentando uma fase de grupos à competição, permitindo a participação de vários clubes de diversos países. 

A primeira edição na temporada 1992/1993 foi inicialmente um torneio que havia apenas grupos, aberto apenas aos campeões de cada país. Ainda durante a década de 1990 o formato foi expandido, incorporando uma fase pré-classificatória com a inclusão de clubes que foram vice-campeões em seus campeonatos nacionais.

O regulamento foi sendo modificado à medida que os torneios foram se sucedendo e hoje a Champions começa em meados de julho com três rodadas de qualificação e uma rodada de play-offs até alcançar a fase de grupos com a participação de 32 clubes.

São formados oito grupos com quatro equipes e as duas primeiras de cada grupo avançam às oitavas de final e daí em mata-mata diretos sobram dois para a grande final.

A decisão é jogada em partida única em local pré-estabelecido pela UEFA, podendo mesmo ser no estádio de um dos participantes da final. 
 

João Nassif
Por João Nassif 19/02/2019 - 06:25

Nos últimos anos o Criciúma vem brigando contra o rebaixamento no campeonato brasileiro e tem se safado na reta final. Pelo andamento da temporada teremos outro final feliz? Nuvens cinzentas rodam o Heriberto Hülse. 

JÁ TE VI
Na falta de coisa melhor para fazer no final da tarde de ontem fui dar uma espiada no jogo do Oeste contra o São Bento pelo campeonato paulista. O jogo foi em Barueri e chamou atenção o número de ex-jogadores do Criciúma que estavam em campo. Não posso afirmar que algum escapou da memória, mas pelo Oeste eram três, Elvis, Bruno Lopes e Jheimy, depois entrou o Roberto que foi logo fazendo o gol da vitória. Pelo time de Sorocaba Ewerton Páscoa, o volante meia Paulinho e Alex Maranhão. Pudera, certamente entre times com calendário anual cheio o Criciúma é quem mais contratou no futebol brasileiro.  

PRÓXIMO ADVERSÁRIO
O Oeste, adversário de quinta-feira vai dar trabalho. Não tem uma forte pegada ofensiva, mas é um time que marca muito e muitas vezes seus jogadores chegam com força excessiva. De qualquer forma é bom o Criciúma ficar esperto, pois está num péssimo momento e corre grandes riscos de ser eliminado da Copa do Brasil.

“SANTINHOS”
Está virando moda, jogadores ofenderam atletas rivais ou torcedores e pela repercussão negativa vêm à público pedindo desculpas e com a maior cara de pau jurarem que não queriam magoar ninguém. Balela pura, são uns irresponsáveis que como ídolos de sua torcida fomentam o racismo, a homofobia e os preconceitos hoje repudiados pela opinião pública. Sou da opinião que os Tribunais Desportivos deveriam punir exemplarmente estes idiotas e mesmo a própria Justiça enquadrar nos rigores das leis.

IDIOTA DA VEZ
Felipe Bastos, jogador do Vasco da Gama e campeão da Taça Guanabara no final da partida junto com um torcedor proferiu palavrões e gritos de cunho homofóbico. Puxei a ficha do jogador e constatei que já passou por diversos clubes do Brasil e exterior. Seu vínculo atual é com o Corinthians que o emprestou para o Sport em 2018 e agora novo empréstimo para o Vasco da Gama. É um andarilho e fechou uma eventual porta caso fique desempregado.

JOGADOR TEMPERO
O técnico do Manchester United inovou na declaração que fez sobre a má fase do atacante chileno Alexis Sanchez. Afirmou Ole Solskjaer que o jogador é como um pote de ketchup, às vezes, parece que nunca vai sair, até que de repente sai tudo. Sanchez disputou 30 jogos pelo time inglês na temporada e marcou apenas dois gols.

MEMÓRIA
19/02/2007 – “DEPÊNDENCIA”

O técnico Gelson da Silva conseguiu formatar um time com zagueiros e volantes, mas com boas alternativas de ataque, tanto que venceu seus últimos seis jogos. Quando há necessidade de mudar a escalação falta uma reposição que mantenha o ritmo do time. Ontem, por exemplo, sem o Rudinei, a alternativa foi o Athos que não consegue manter o padrão do time. Por isso mais uma vez contra um time do segundo escalão como o Guarani, o Criciúma sofreu para conseguir o resultado. Quer dizer, o Criciúma começou a rodada com uma pequena vantagem, dois gols de saldo, mas foi incompetente para ampliá-la, e vai para a última rodada dependendo do Figueirense para conquistar o turno. 

João Nassif
Por João Nassif 18/02/2019 - 22:01

Thiago Ávila*

Neste final de semana a Formula-E retornou à Cidade do México para a disputa da quarta etapa do campeonato, agora com o acréscimo de mais um brasileiro no grid. Felipe Massa, Nelsinho Piquet, Lucas Di Grassi e agora Felipe Nasr. Se faltam tupiniquins na Formula 1, na principal categoria de carros elétricos tem de sobra. Nasr, que teve uma passagem discreta pela Sauber na F1, chega para substituir o alemão Maximilian Günther, na equipe Dragon.

E o dia vinha sendo de brasileiros, com Massa e Nelsinho indo muito bem nos treinos livres, até chegarem ao classificatório e ficarem em 3º e 11º, respectivamente. Di Grassi foi ainda melhor e conseguiu a segunda posição. Já Nasr foi mais discreto, 14º, mesmo assim ainda ficou a frente de seu companheiro de equipe. Mas o cara da vez não é brasileiro: Pascal Wehrlein. O alemão da Mahindra, na sua terceira corrida na categoria, vem mostrando que não é novato, e conquistou a pole position.

Na largada, Wehrlein mantém a frente, Di Grassi fecha Massa e os dois acabam perdendo posição para Oliver Rowland, da Nissan. Vindo forte logo atrás, Sebastien Buemi passa Félix da Costa e Massa, e pula para quarto. Mas tudo para quando na quarta volta Nelsinho acerta em cheio o carro de Vergne na reta e seu carro voa no muro. Com diversos destroços na pista, a bandeira vermelha é acionada.

Meia hora depois a corrida recomeça com mais tempo que o ideal, Wehrlein seguia na ponta, seguido de Rowland, Di Grassi, Buemi, da Costa e Massa. Felipe começa a perder posições gradativamente e faltando dez minutos para acabar ele já era o nono. E só não esquecendo do outro brasileiro: Nasr era o último.

A luta pela vitória se reduz a cinco pilotos, todos muito próximos, qualquer erro podia comprometer a prova, qualquer saída de traçado para abocanhar o modo ataque – dispositivo que dá mais potência ao carro - poderia resultar em perdas de posições. O primeiro, logicamente, foi da Costa, já que o português nada tinha a perder. Buemi foi o segundo, e por pouco não perde a posição. Di Grassi veio depois, mais tranquilo, já que o suíço e o português perderam tempo na disputa por posição. Rowland foi depois, mas demorou demais para frear na curva seguinte e o brasileiro conquista a segunda posição.

Conseguindo se distanciar dos demais, a briga reduziu a apenas dois pilotos: Wehrlein e Di Grassi. O alemão, virando voltas excepcionais, sem cometer sequer um erro, consegue pegar o modo ataque, mas não se distancia do Audi. Na última volta, a diferença era de menos de três décimos. Di Grassi puxa para a esquerda na curva 1 e Wehrlein fecha a frente. A bateria dos dois carros da Nissan – Rowland e Buemi – se esgota, aparentemente um erro mal calculado da direção de prova no acréscimo do tempo após a bandeira vermelha.

Wehrlein vem com 1% de bateria, Di Grassi com 2%. Os dois se tocam e o alemão é forçado a cortar caminho. Na reta final, a bateria de Pascal acaba e num último suspiro de velocidade joga seu carro para cima do brasileiro, que consegue desviar numa manobra espetacular e ultrapassá-lo NA LINHA DE CHEGADA!

O piloto da Mahindra acaba sendo punido por cinco segundos por corte de curvas e cai para sexto. Da Costa herda a segunda posição e Edoardo Mortara, companheiro de Felipe Massa, fica com a terceira. Adversários na briga pelo título, D’Ambrosio é quarto e Bird apenas o nono. Na entrevista, Di Grassi afirma ter sido a melhor corrida de sua carreira, a mais disputada também. O piloto, bem abrasileirado, até tirou a camisa e jogou para a torcida na hora do pódio, só não tomou cartão amarelo porque não tem nada disso em corrida de carros.

Com o resultado, Lucas pula para a quarta colocação com 34 pontos. D’Ambrosio assume a liderança com 53 pontos, seguido de Félix da Costa, 46, e Sam Bird, 45. Wehrlein fecha o top-5 com 30 pontos. Nos construtores, a Mahindra é líder com 83, seguido da Virgin e BMW. A Formula-E volta dia 10 de março em Hong Kong.

*Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS

João Nassif
Por João Nassif 18/02/2019 - 12:31

A Eurocopa é um torneio entre seleções do futebol europeu, organizado pela UEFA (União das Associações Europeias de Futebol) disputado de quatro em quatro anos.

Para a primeira edição, em 1960 que teve a França como anfitriã da fase final, 17 seleções se credenciaram para as eliminatórias com algumas ausências de peso como a Alemanha Ocidental, Inglaterra e Itália.

Depois dos confrontos pelas eliminatórias sobraram apenas as quatro seleções que foram para a fase final. A França que eliminou a Áustria, a Iugoslávia que passou por Portugal e a Tchecoslováquia que derrotou a Romênia.

A outra seleção que disputou a fase final foi a União Soviética que se classificou diretamente para a Euro, pois a Espanha se recusou a viajar para a União Soviética e disputar a quarta vaga.

A disputa na França já começou nas semifinais com a União Soviética derrotando a Tchecoslováquia por 3x0 e a Iugoslávia num jogo épico derrotou os donos da casa por 5x4.

Final da EURO-1960

Na decisão do terceiro lugar a Tchecoslováquia derrotou a França por 2x0 e na final depois de empate em 1x1, na prorrogação a União Soviética fez o gol sobre a Iugoslávia que lhe garantiu o título de campeã da 1ª Eurocopa da história.
 

João Nassif
Por João Nassif 18/02/2019 - 06:05

Bem que alguns torcedores aqui no Rincão previam que o Joinville iria conseguir sua primeira vitória no ano, pois enfrentaria o Criciúma especialista em acabar com crises dos adversários. Confesso que não acreditei e tentei dar ânimo aos torcedores invocando o bom momento do time do Doriva que vinha com duas vitórias na bagagem. Mas, eles tinham razão, novamente o Criciúma fez com que o Joinville ressurgisse no campeonato.

AUMENTOU A DISTÂNCIA
Novamente a bola parada dependência. Um gol numa cobrança de falta e dezenas de faltas e escanteios levantados sobre a área do Joinville. Pior do que a derrota foi ter caído novamente para a sexta colocação, ser ultrapassado pelo Brusque e ficar a cinco pontos do G-4.  

SEGUEM JUNTOS
O jogo mais esperado da penúltima rodada do turno do campeonato catarinense entre os lideres Figueirense e Chapecoense terminou empatado e os dois alcançaram invictos os 18 pontos na classificação. Cada um com cinco vitórias e três empates a diferença que coloca o Figueirense no primeiro lugar é no saldo de gols, cinco contra sete da Chapecoense. O jogo de sábado foi em Chapecó.

TRÊS DERROTADOS NUMA ÚNICA BRIGA
O futebol brasileiro tem momentos de um verdadeiro circo patrocinados pelos dirigentes de clubes que ao invés de zelar por suas instituições ficam mais preocupados em alimentar uma rivalidade exacerbada que beira ao ridículo. O espetáculo da vez é a decisão da Taça Guanabara ser jogada sem público no Maracanã. Os clubes, Fluminense e Vasco da Gama e o próprio consórcio que administra o estádio perdem a chance de ganhar um bom dinheiro.

O ACÔRDO
Lá atrás em 1950 o Vasco foi campeão carioca e ganhou o direito de escolher em qual lado ficaria sua torcida, naquela época os quatro grandes cariocas jogavam todas partidas no Maracanã. A medida foi respeitada até 2013 quando o estádio fechou para reformas em razão da Copa do Mundo. Como o Vasco e o Botafogo já jogavam em São Januário e no Nílton Santos, respectivamente, o consórcio assinou com Flamengo e Fluminense. O rubro-negro se manteve no setor norte enquanto o tricolor oficializou o setor sul.

O MOTIVO DA BRIGA
O Vasco que desde 1950 tinha sua torcida no setor sul quando enfrentava o Fluminense no novo Maracanã respeitava a decisão e a torcida cruzmaltina passava a ocupar o setor norte. A direção do Vasco desta feita bateu o pé e exigiu sua torcida no setor sul. O Fluminense não concordou, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro e o consórcio do Maracanã, ignoraram o contrato, não apoiaram o tricolor que foi à Justiça. Resultado: decisão da Taça Guanabara com portões fechados. Foram abertos com a bola rolando, mas o estrago estava feito.

MEMÓRIA
18/02/2006 – “SEM PERDÃO”

Os torcedores do Criciúma não podem ficar lamentando o fato do time enfrentar a seletiva catarinense hoje denominada Divisão Especial. É natural que o gosto da competição seja amargo, pois afinal de contas há dois anos os adversários eram Flamengo, Palmeiras, Vasco e todos os outros grandes do futebol brasileiro. Ninguém puxou o tapete, não houve virada de mesa, mas por absoluta incompetência o time mergulhou numa crise técnica sem precedentes e num curtíssimo espaço de tempo desabou e agora irá enfrentar vários dos times pequenos do Estado.

João Nassif
Por João Nassif 17/02/2019 - 22:05Atualizado em 18/02/2019 - 06:32

A seleção de Marrocos é a que mais disputou em toda história partidas pelas eliminatórias às Copa do Mundo pela Confederação Africana de Futebol. Desde 1962 a seleção marroquina tem um total de 109 jogos com 51 vitórias, 38 empates e 20 derrotas. Nestes 109 jogos Marrocos marcou 148 gols e sofreu 76.

Seleção de Marrocos-2018

Nas disputas de 1962, Marrocos enfrentou na primeira fase a Tunísia e cada um venceu por 2x1 jogando em casa. Foi necessário um terceiro jogo que foi disputado em Palermo na Itália que terminou empatado em 1x1 e a seleção marroquina venceu nos pênaltis. Como a seleção de Gana foi a vencedora em seu grupo os dois países se enfrentaram para decidir o classificado da Confederação Africana. No primeiro jogo em Accra, capital de Gana empate em 0x0, no segundo também em Palermo, pois o estádio em Casablanca estava interditado, Marrocos venceu por 1x0 e se qualificou para disputar de acordo com o regulamento uma repescagem contra a Espanha.

Marrocos foi derrotado nas duas partidas. Na primeira voltou a jogar em Casablanca e o resultado foi 1x0 para os espanhóis. No jogo da volta em Madri nova vitória da Espanha, desta feita por 3x2 e Marrocos ficou fora do Mundial do Chile.

Marrocos participou se cinco Copas do Mundo. Em 1970, 1994, 1998 e 2018 foi eliminado na primeira fase. Somente no Mundial de 1986 no México é que conseguiu alcançar a segunda fase sendo eliminado pela Alemanha Ocidental que venceu por 1x0.
 

João Nassif
Por João Nassif 16/02/2019 - 11:58

San Marino é um país situado na região dos Apeninos e um enclave totalmente envolvido pela Itália. É um microestado europeu com área de 61 Km2 com a menor população da Comunidade Europeia estimada em 30 mil habitantes.

A Federação de Futebol de San Marino é uma das mais antigas da Europa fundada em 1931, mas somente em 1988 se filiou à FIFA e à UEFA.

Em 1990 participou pela primeira vez de uma competição oficial quando disputou as eliminatórias para a Eurocopa de 1992. A partir daí começou sua participação em eliminatórias para Copas do Mundo e nunca conseguiu se classificar.

San Marino - Aproveitamento de 1,01% em eliminatórias para Copas do Mundo

Nas sete Copas do Mundo que tentou classificação a seleção de San Marino disputou 66 jogos e não venceu nenhum. Conseguiu apenas dois empates, 0x0 contra a Turquia para o Mundial de 1994 e 1x1 contra a Letônia valendo pelas eliminatórias para a Copa de 2002 na Coréia e Japão.

Portanto, sofreu 64 derrotas, marcou apenas 11 gols e sofreu 310. Sua média de gols sofridos é de 4,7 gols/jogo.

A seleção sanmarinense é também chamada de La Serenissima e tem registradas algumas goleadas sofridas ao longo de suas campanhas. 

Na estreia para a Copa de 1994 apanhou da Noruega por 10x0, mesma derrota que sofreu contra a Polônia visando o Mundial de 2010. Outra foi para a Bélgica por 10x1 nas eliminatórias para a Copa de 2002.
 

João Nassif
Por João Nassif 16/02/2019 - 07:59

O Criciúma domingo em Joinville poderá engatar sua terceira vitória consecutiva, depois de derrotar o Metropolitano pelo campeonato estadual e o São Raimundo pela Copa do Brasil. Aos poucos o técnico Doriva vai encontrando a fórmula de jogar que tem favorecido os resultados e mesmo sem maiores opções conseguiu livrar a enorme pressão que havia pelo mau início na temporada.

DESCONTOS
As duas vitórias recentes foram contra adversários menos capazes, um penúltimo colocado no estadual e outro lanterna no campeonato paraense. É irrelevante, pois quando enfrenta adversários mais fragilizados qualquer time de um status maior tem que prevalecer. O Criciúma fez o que deveria ter feito, se impôs e conseguiu os resultados que o colocaram mais próximo do G-4 no estadual e avançou de fase na Copa do Brasil.

ADVERSÁRIO EM QUEDA LIVRE
O Joinville de hoje é uma simples caricatura de um time que dominou por muitos anos o futebol catarinense. Com quedas sucessivas no campeonato brasileiro, hoje está na série D e com ridículas campanhas nos estaduais, nesta temporada vem acumulando fracassos sem conseguir uma única vitória em oito jogos que já realizou. Foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil e no campeonato catarinense vem de seis empates e uma derrota ocupando a oitava colocação na classificação.

TODO CUIDADO É POUCO
Mesmo sem vencer o Joinville está somente a três pontos do Criciúma. São seis contra nove com o Criciúma já tendo conquistado três vitórias. É bom o Criciúma ficar esperto, pois o Joinville no confronto contra os grandes empatou em casa com Avaí e Figueirense e a única derrota foi contra a Chapecoense também em Joinville. 

INJEÇÃO DE RECURSOS
Com a passagem para a segunda fase da Copa do Brasil, quatro catarinenses já aumentaram a receita pelas cotas que a CBF garante aos clubes participantes. A Chapecoense que integra o Grupo 1 nos critérios da entidade já embolsou R$ 2.300 mil, o Avaí no Grupo 2 tem garantidos R$ 1.910 mil e Criciúma e Figueirense no Grupo 3, R$ 1.150 mil. Quem passar para a terceira fase do torneio embolsará mais R$ 1.450 mil, independente do Grupo onde está inserido. Quinta-feira o Criciúma enfrentará em casa o Oeste pela segunda fase. Na primeira o time de Barueri goleou o Fast Clube de Manaus por 6x1. 

PRIMOS POBRES 
Pela eliminação logo na primeira fase, Joinville, Brusque e Tubarão tem direito à apenas R$ 525 mil, por serem integrantes do Grupo 1 nos critérios da CBF.

MEMÓRIA
16/02/2005 – “MESMA ESTRADA”

O torcedor do Criciúma está cada vez mais descrente com o futuro do time. As manifestações que recebo pelo e-mail ou pelos microfones da Som Maior Antena 1 na sua grande maioria são de pessoas que não estão vendo nenhuma atitude da direção para mudar o caminho traçado desde o ano passado que levou o time ao rebaixamento.
 
 

João Nassif
Por João Nassif 15/02/2019 - 12:30

Nas olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro o Brasil conquistou a inédita medalha de ouro no futebol masculino. Era o título que faltava à seleção brasileira, campeã em todas as outras competições que disputou.

Antes do ouro o Brasil já havia chegado por três vezes à final sendo medalha de prata nas três oportunidades.

A primeira foi em Los Angeles, Estados Unidos em 1984 quando foi representado pelo time titular do Internacional de Porto Alegre reforçado de Gilmar Pipoca do Flamengo que foi eleito o melhor jogador do torneio. Foi derrotado pela França por 2x0.

Internacional base da seleção olímpica em Los Angeles

A segunda foi nas Olimpíadas seguintes em 1988 disputada em Seul na Coréia do Sul. Depois de terminar invicta na primeira fase derrotando a Nigéria, Austrália e Iugoslávia a seleção brasileira eliminou a Argentina nas quartas de final, a Alemanha Ocidental nas semifinais e foi para a decisão com a União Soviética. 

Depois de empatar em 1x1 no tempo normal os soviéticos venceram por 1x0 na prorrogação.

A terceira medalha de prata da seleção brasileira em Olimpíadas foi em 2012 em Londres, Inglaterra. Novamente o Brasil terminou invicto a primeira fase vencendo pela ordem o Egito, a Bielorrússia e a Nova Zelândia. 

Nas quartas de final derrotou a seleção de Honduras e nas semifinais a Coréia do Sul, se qualificando para decidir o título com o México.

Nova derrota numa final olímpica. O México venceu por 2x1 no Estádio de Wembley na capital inglesa. 
 

João Nassif
Por João Nassif 15/02/2019 - 07:41

Se vocês não sabem que fiquem sabendo, não gosto de analisar jogo de futebol sem ter visão do campo ou mesmo da televisão. Como cada um tem uma leitura sobre a partida, como não fui lá e como não houve televisionamento vou me limitar ao resultado que já era esperado. A fragilidade do São Raimundo é notória, haja vista que é o lanterna no campeonato paraense e certamente não ofereceria resistência ao Criciúma que confirmou o favoritismo e vai disputar a segunda fase da Copa do Brasil.
OBS: Este comentário foi feito quarta-feira logo após o jogo de Santarém. Por uma dessas situações que a internet propicia, quando enviei o e-mail para a redação este tópico, que abria a coluna, não foi enviado.

VEXAME
Depois de muito tempo sem disputar a Libertadores que já venceu em três oportunidades o São Paulo foi simplesmente engolido pelo Talleres, clube de porte médio do futebol argentino. Agora são três brasileiros eliminados na fase eliminatória do torneio, antes da fase de grupos que o que realmente interessa. Sem futebol e sem alma o tricolor do Morumbi afundou nas garras de Guiñazu, volante com mais de 40 anos, símbolo da raça argentina e que tomou conta do confronto.

PERDEDORES
O São Paulo repete o Corinthians de 2011 eliminado ainda na fase eliminatória pelo Tolima da Colômbia e a Chapecoense que em 2018 foi eliminada pelo Nacional do Uruguai.

CONSEGUIRAM POLEMIZAR
A revista Placar, referência de tantos como eu que acompanham o futebol há mais de meio século em sua última edição largou uma pérola que mexeu com o mundo esportivo. Placar afirmou que Neymar é o maior jogador brasileiro pós-Pelé. O repórter e o editor enlouqueceram e criaram a maior polemica com esta afirmação desastrosa. A dupla jamais poderia publicar tema tão sensível baseado em gostos pessoais, pois são milhões que acompanham o futebol brasileiro e somente uma enquete séria é que poderia escolher o sucessor do Rei.

ENQUETE
O portal UOL resolveu fazer sua pesquisa e foram dadas aos internautas 20 opções. Votei no Ronaldo Fenômeno que está em primeiro lugar com mais de 36% dos votos e entre mais de 41 mil que votaram é o preferido como o maior jogador pós-Pelé. O escolhido pela Placar está em oitavo com 2,72% na preferencia dos votantes. Pelos internautas Neymar está atrás Zico, Romário, Ronaldinho Gaúcho, Adriano, até do goleiro Marcos e de Rivelino que o sétimo na pesquisa. Quem quiser escolher sua opção a pesquisa ainda está em aberto.

MEMÓRIA
15/02/2010 – “QUE HORA, HEM?”

A contusão do Lucca poderá tirar do time seu maior talento por tempo indeterminado. Se a torção afetou os ligamentos não há previsão de retorno. Estou comentando o que foi dito pelo médico Marcelo Beirão após o primeiro exame no atleta. O próprio médico ainda não podia fazer um diagnóstico definitivo, primeiro porque a dor era intensa e o Lucca chorava copiosamente e segundo porque são necessárias algumas horas para o joelho desinchar e aí se saberá qual o verdadeiro problema. De qualquer forma nos resta torcer para que apenas tenha sido um susto pelo atleta e pelo time que precisa de seu futebol para enfrentar o segundo turno do campeonato.