Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 13/03/2019 - 22:04

Thiago Ávila *

Neste final de semana, a principal categoria do esporte a motor vai voltar à Melbourne para a abertura da 70ª temporada. Temporada que vem com algumas mudanças quase insignificantes no regulamento, com aumento na asa traseira e uma diminuição no peso da asa dianteira. Além disso, uma novidade de última hora: o piloto que fizer a volta mais rápida, recebe um ponto extra, como era até 1959. 
Já em relação às equipes, os testes de Barcelona já deram uma noção de quem deve se destacar ou decepcionar. Então, vamos as apostas.

1º FERRARI
Equipe renovada, chefe diferente, jovem promessa, grupo satisfeito com o carro. Tudo parece dar certo para a equipe de Maranello. Sebastian Vettel chega confiante para a busca do pentacampeonato, com um Charles Leclerc afiado para sua estreia na equipe. Além do mais, Mattia Binotto, o novo chefe de equipe, parece ter apaziguado as coisas, tudo está em paz agora e se continuar desse jeito, a seca de onze anos sem título deve sessar.

2º MERCEDES
A hegemônica equipe da era híbrida e grande rival da Ferrari não apresentou grandes trabalhos durante os testes. Hamilton conseguiu fazer o segundo melhor tempo no último dia e deve ser mais uma vez peça fundamental para o crescimento da equipe durante o ano, como foi ano passado. Já em relação a Bottas, a corda no pescoço do finlandês está cada dia mais se apertando, vai ter que provar muito se quiser continuar na equipe. Já o veículo não parece dos melhores, o chefe de equipe Toto Wolff disse que confia em James Allison, o projetista do carro campeão dos últimos dois anos, mas não tenho certeza se Allison é páreo para a experiência de Binotto, que já está na Ferrari desde 1995.

3º RED BULL
A equipe de Christian Horner parece vir confiante com os novos motores Honda, apesar de não terem ido muito bem durante os testes. Em compensação, a Toro Rosso, que usa o mesmo motor, foi o quarto carro mais rápido dos testes. A Red Bull também teve muitos problemas de quebras, o que atrapalhou um pouco. Mas a Red Bull tem Adrian Newey, o projetista mais genial da F1, o mesmo que trabalhou no carro campeão de 2010 a 2013 e na poderosíssima Williams do início dos anos 90. Além do mais tem o piloto do momento, Max Verstappen, que será peça fundamental para o desenvolvimento da equipe, como foi Vettel em seus anos de glória.

4º RENAULT
A equipe francesa deve ser a “melhor do resto”, não parece chegar ao nível das três grandes, apesar de apresentar crescimento de um ano para cá. Tem também a melhor dupla do grid, com Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg, que devem beliscar algum pódio. 

5º ALFA ROMEO
A antiga Sauber e agora ‘Ferrari B’, veio para a temporada passada com um carro competitivo e motor atualizado (diferente de outros anos, que utilizava motor Ferrari de um ano antes). Com essa relação mais próxima à equipe de Maranello, a equipe deve ter um desenvolvimento como foi a Haas no ano passado, além de que tem o melhor motor do momento e um experiente Kimi Raikkonen.

6º HAAS
Os americanos surpreenderam na última temporada, quando logo na primeira corrida fizeram P4 e P5 na classificação e quase foram para o pódio, se não fosse um problema de motor que OS DOIS CARROS SOFRERAM. Desta vez, tem um pouco menos de investimento da Ferrari, já que a equipe decidiu focar suas verbas restantes na nova Alfa Romeo. Romain Grosjean e Kevin Magnussen seguem na equipe.

7º MCLAREN
A McLaren foi rápida nos testes, mas teve diversos problemas de confiabilidade e se havia bandeira vermelha, tinha algum carro laranja e azul parado na pista. O motor Renault não é dos melhores e deve ser um problema durante as corridas. Já nos treinos, a McLaren deve ser uma equipe recorrente no Q2 e deve alcançar o Q3 com mais facilidade quanto o ano passado. O fato de não ter Fernando Alonso e ter que trabalhar com dois pilotos jovens pode demorar demais para desenvolver o carro, mas mesmo assim ainda deve se figurar no top-10 mais vezes que no ano passado.

8º TORO ROSSO
A Red Bull italiana se destacou nos testes e mostrou uma melhora importante no motor Honda. Lógico, a Toro Rosso melhor que a Red Bull é mais uma cartada dos austríacos que é comum em testes. Eles testam diversas peças na parte aerodinâmica e no sistema de refrigeração para depois aplicarem os melhores resultados para a equipe principal. Com isso a Toro Rosso deve ser mais da mesma como no ano passado, mas com um motor mais potente.

9º RACING POINT
A equipe do bilionário Lawrence Stroll não parece saber investir bem no desenvolvimento do carro. Claro, a equipe é nova, mas o grupo de engenheiros ainda se mantém desde a época de Force India. O motor Mercedes também não vem correspondendo como esperado e um piloto como Lance Stroll não é um cara ideal para ajudar o carro evoluir. Mas ainda há tempo para melhorar, hoje é a segunda pior equipe, mas se souber investir correto pode voltar a se figurar entre as cinco maiores.

10º WILLIAMS
Esse não tem nem o que dizer, o time fundado por Frank Williams vem regredindo a ponto de ser tachada como equipe pequena dentro da categoria. Semana passada, Paddy Lowe, o diretor técnico, foi demitido por apresentar atrasos na construção do carro e chegou a perder dois dias e meio de testes. A equipe de Grove foi disparada a pior equipe em Barcelona e se prepara para mais um ano difícil ao comando de Claire Williams, provavelmente pior que o anterior. O polonês Robert Kubica está de volta a categoria, juntamente com o estreante George Russell, que apesar de terem extremo talento, dificilmente pontuarão.

* Estudante de Jornalismo da PUCRS


 

João Nassif
Por João Nassif 13/03/2019 - 14:04Atualizado em 13/03/2019 - 14:04

Com Gilson Kleina, o Criciúma fecha uma comissão técnica de alto nível. Depois da contratação de João Carlos Maringá para diretor executivo, a vinda do técnico dá novo alento para a sequência da temporada.

Com a crise estabelecida depois da bobagem de domingo no estádio Heriberto Hulse, o presidente respondeu rapidamente e pela primeira vez investe em profissionais competentes e identificados com o clube.
Maringá jogou por aqui há alguns anos e Gilson Kleina teve boa passagem pelo clube em 2003/2004.

Em 2003, Kleina veio como auxiliar do Lori Sandri e assumiu o comando em maio daquele ano, trabalhando o time até o final da série A, mantendo o Criciúma na elite do futebol brasileiro. Ficou no clube até metade do campeonato catarinense do ano seguinte e, a partir daí, seguiu carreira trabalhando em grandes clubes do futebol brasileiro. Foi técnico do Tigre em 41 jogos com 17 vitórias, 8 empates e 16 derrotas.

João Nassif
Por João Nassif 13/03/2019 - 13:01

Futebol americano, conhecido nos Estados Unidos simplesmente como football  é um esporte de contato em equipe que surgiu de uma variação do rugby e que recompensa a velocidade, agilidade, capacidade tática e força bruta dos jogadores que se empurram, bloqueiam e perseguem uns aos outros, tentando fazer avançar uma bola em território inimigo durante uma hora de tempo de jogo, que se transforma em três ou quatro de tempo real.

É frequente ver no futebol americano uma metáfora para a guerra, com muita violência pessoal e estratégias elaboradas a ter lugar dentro do campo, com jogadores pesados e fortes a empurrar-se mutuamente com cada grama do seu peso, e com uma linha de frente claramente definida, que se move para trás e para a frente ao longo do campo, separando as equipes de ataque e defesa.

O futebol americano na sua forma atual surgiu de uma série de três jogos entre a Harvard e a McGill, de Montreal, em 1867. Os jogadores de McGill jogavam segundo as regras do rugby, ao passo que os de Harvard jogavam o jogo de Boston, mais próximo do futebol europeu. 

Como era frequente acontecer nesses tempos de quase inexistência de regras universais, as equipes jogavam com alternância de regras de modo a que ambas tivessem uma hipótese justa de vencer.

Nas próximas edições vou contar um pouco mais deste esporte que é o mais popular entre os norte-americanos.   
 

João Nassif
Por João Nassif 13/03/2019 - 07:05

Fui até o limite para o fechamento da coluna. Nove da noite e nada do Criciúma definir seu técnico. O empresário do Gilson Kleina veio à cidade, esteve reunido com o presidente e o Maringá no início da noite e no prolongamento das conversas ficamos sem o resultado final. 

DIFICULDADES
Certamente a questão financeira é o grande entrave. Gilson é técnico de nível série A, seu custo é maior do que o Criciúma acostumou pagar aos últimos treinadores. Terá que contratar jogadores acima do teto salarial estipulado, quer dizer ou o presidente abre o cofre ou não terá o técnico da preferência dos torcedores. 

TOP 5
Tudo o que foi feito em décadas no futebol catarinense deixou na história a tradição de cinco clubes que hoje são considerados os maiores do estado. Desde que o campeonato estadual mudou o formato nos anos 1970, Joinville e Criciúma que foram criados e absorveram os outros times de suas cidades dominaram durante longos anos e tiveram como companhia Avaí e Figueirense tradicionais desde os primórdios do campeonato catarinense. Hoje os quatro continuam gigantes em Santa Catarina e neste século ganharam um adversário de peso, a Chapecoense que veio muito forte para fazer parte dos cinco maiores clubes de futebol de Santa Catarina.

DOMÍNIO
Nesta década com oito campeonatos já decididos, com três títulos cada um, o Figueirense campeão em 2014, 2015 e 2018 e a Chapecoense em 2011, 2016 e 2017 dominam o estado. Os intrusos nesta supremacia são o Avaí campeão em 2012 e o Criciúma em 2013.

TENDÊNCIA
Neste momento do atual campeonato, depois de 12 rodadas a situação vai se repetindo. O Figueirense, invicto, é o primeiro colocado e a Chapecoense vice-líder. O Avaí vem logo atrás na terceira posição e o surpreendente Marcílio Dias é o quarto. Criciúma em sexto e Joinville em sétimo estão na contramão das próprias história.

ROBIN HOOD ÀS AVESSAS
Tira dos pequenos e entrega aos grandes. Este é o Criciúma no atual campeonato estadual. Dos seus 14 pontos em 12 jogos ganhou apenas um do Top 5. O empate foi justamente contra o líder Figueirense em pleno Scarpelli, quando marcou seu único gol em seis jogos contra os grandes.

MISTER CHAMPIONS
É redundância dizer que o português Cristiano Ronaldo é um fenômeno do futebol. Agora na italiana Juventus prossegue sua sina vencedora e ainda apesar da idade, tem 34 anos, continua sendo decisivo em campo e ontem deixou sua marca na vitória e classificação de seu time para as quartas de final da Champions. Havia perdido o primeiro jogo por 2x0 e com seus três gols sobre o Atlético de Madrid fechou o caixão do time espanhol. 

FORMATO DIFERENTE  
A FIFA deverá substituir o formato atual do Mundial de Clubes. A proposta que terá decisão final em junho passará a vigorar a partir de 2021. O novo Mundial terá 24 participantes com prioridade para as seleções da UEFA e será disputado em seis estádios diferentes num único país. O Mundial de Clubes será disputado a cada quatro anos.

13/03 – “PROPAGANDA NAZISTA”
Em 13 de março de 1933, o doutor Joseph Goebbels foi nomeado para o recém-criado Ministério da Propaganda do III Reich. A partir daí todo espaço que circundava os cidadãos deveria ser preenchido pelas mensagens, slogans e símbolos do partido nazista de Adolf Hitler.
 

João Nassif
Por João Nassif 12/03/2019 - 14:58

O rugby é um esporte coletivo de intenso contato físico. Teve origem na Inglaterra e foi inventado como uma variação do futebol, tanto que no início era chamado de “Rugby Football”. 

Uma lenda bem difundida fala que o rugby surgiu de uma jogada irregular do futebol na qual um jogador do Colégio de Rugby teria pego a bola de jogo com as mãos e corrido com ela até a linha de fundo adversaria em 1823.

A fundação da Federação Inglesa de Futebol deu-se em outubro de 1863 com a presença de 21 clubes que praticavam o futebol e o rugby. 

Devido a um desentendimento na aplicação das regras os clubes de rugby se retiraram da Federação e fundaram em janeiro de 1871 a Rugby Football Union, a primeira entidade controladora do esporte no mundo. As primeiras regras do rugby foram oficializadas em junho de 1871. 

Com o correr dos anos foram ocorrendo variações e hoje a mais praticada é o Rugby de Quinze. 

O primeiro jogo internacional de rugby foi disputado em março de 1871 na Escócia com vitória dos donos da casa sobre a Inglaterra. Os escoceses marcaram um gol e um try e os ingleses apenas um try.

Try no rugby é quando um jogador encosta a bola no chão da área de gol do adversário. Se a bola cair ou não for encostada não vale pontos.

Em 1883 foi realizado o primeiro campeonato internacional de rugby com a presença da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda. A Inglaterra foi campeã. 
 

João Nassif
Por João Nassif 12/03/2019 - 14:19Atualizado em 12/03/2019 - 14:49

O texto abaixo foi publicado no meu facebook em 10 de julho de 2017:

"Agosto de 1986. O Criciúma conquista seu primeiro título catarinense com duas rodadas de antecedência. Festa na cidade, pois os torcedores já estavam cansados de ver o time morrer na praia em tantas decisões contra o Joinville à época o maior rival. Faltava um grande jogo para entrega das faixas.

Eu havia chegado aqui quatro meses antes contratado pela RCE-(Rede de Comunicação Eldorado) e acompanhava o Willi Backes, dono da Agência Nossa Casa de publicidade na visita aos clientes patrocinadores do departamento de esportes da emissora.

No dia posterior a conquista do Criciúma, como o Criciúma não iria fazer o jogo das faixas, tivemos a ideia de promover o evento. Primeiro conversamos com o presidente Moacir Fernandes que pão duro como era foi logo pedindo Cz$ 80 mil (penso que era assim que o Cruzado, moeda da época era identificada) para seu time receber as faixas de campeão. Mas como! Não iria fazer a festa e teve a cara dura de pedir uma fortuna para receber as faixas?

Engolimos em seco, deixamos em ponto morto e fomos definir o adversário. Grêmio, Internacional eram os mais lógicos e com custos de transporte e hospedagem mais baratos.

Pensamos, são times sem muito apelo por aqui, então veio a grande ideia, o Vasco da Gama. Time muito mais popular em Santa Catarina que apesar de já ter vindo jogar alguns amistosos tinha um trunfo que era o Roberto Dinamite seu maior ídolo que nunca havia pisado em Criciúma. Ótima ideia, mas como viabilizá-la?

Eu conhecia dos tempos da Rádio Gaúcha o supervisor vascaíno Paulo Angioni e pensei que por ele poderíamos ter uma resposta positiva. Liguei para São Januário, falei com o Paulo e ele respondeu dizendo que era o presidente Eurico Miranda que decidiria a viagem. A data de 24 de agosto estava disponível. Marquei e no dia seguinte, uma quarta-feira fui ao Rio de Janeiro. Já estávamos no dia 13.

Em São Januário fui levado pelo Paulo Angioni até o presidente. Me recebeu com muita cordialidade, expus o plano e pedi o valor da cota para o amistoso. Foi curto e grosso quando pediu Cz$ 200 mil, mais transporte para 25 pessoas, hospedagem e alimentação. Quase caí da cadeira. Passado o susto perguntei: “Como vou te pagar? A promoção é particular e não envolve o Criciúma”. A resposta quase me fez cair novamente da cadeira: “Me pague depois do jogo”. Pedi e tive a garantia da presença do Roberto Dinamite na delegação. Ficou acertado que no dia seguinte, já de retorno à Criciúma eu daria a resposta.

Apesar do Dinamite garantido pelo Eurico eu precisava da confirmação do jogador.

Tinha vários conhecidos na antiga TV Manchete onde o Paulo Stein era o diretor de esportes. Liguei para ele que escalou um cinegrafista que me pegou no hotel e fomos até o apartamento do atacante do Vasco no Lebron se a memória não falhou.

O Dinamite avisado pelo Paulo Angioni nos recebeu para a entrevista. Depois de feita pedi a ele que gravasse uma chamada dizendo que viria à Criciúma. Ele topou, mas pediu Cz$ 10 mil pela chamada. Topei e prometi pagá-lo depois do jogo.

Entrevista e chamada feitas, voltei para Criciúma, informei o Willi Backes das negociações e resolvemos fazer o jogo. Já era quinta-feira dia 14. Teríamos menos de 10 dias para fazer o evento e o mais importante vender ingressos e patrocínios para pagar a conta, pois antes de mais nada já devíamos quase Cz$ 300 mil cruzados.

Passamos os dias bolando estratégias, providenciando passagens para a delegação do Vasco, reservando apartamentos no Crisul, distribuindo panfletos e ingressos pelo sul do estado e colocando chamada em cima de chamada na TV Eldorado e nas rádios da região, principalmente a do Dinamite prometendo vir à Criciúma.

Na segunda-feira da semana do jogo encontramos o Realdo Guglielmi e num lance inesperado pedimos seu avião para no sábado, véspera do jogo ir buscar no Rio o Eurico Miranda e o Roberto Dinamite. O Realdo sempre parceiro disse que seu jato estava em manutenção em Belo Horizonte e que decolaria no sábado pela manhã para Criciúma e que não teria nenhum problema fazer uma escala no Santos Dumont, Rio de Janeiro e trazer os vascaínos. Daria tempo, inclusive para o Dinamite se apresentar no Conversa de Arquibancada, programa que eu coordenava na TV Eldorado. E assim foi feito. Além do presidente e do Dinamite vieram no jato o ponteiro Mauricinho e o lateral Milton Mendes, criado no Criciúma e hoje técnico do time cruzmaltino. Promessas cumpridas e uma incrível venda de ingressos.

O Heriberto Hülse recebeu por volta de 15 mil torcedores para uma renda que beirou os Cz$ 600 mil cruzados. Tudo correu de forma magnifica, a festa foi completada com a vitória do Criciúma por 1x0, gol do Edemilson.

Depois do jogo e encerrada a jornada da Rádio Eldorado peguei na tesouraria com o Sr. Nereu Martinelli os Cz$ 200 mil do 
Vasco e os Cz$ 10 mil do Roberto. O Criciúma já havia levado o dele.

Fui até o Crisul para fazer os pagamentos e jantar com a delegação e levei outro susto. Fui até o apartamento do Eurico Miranda com um saco de pão daqueles que comportava os Cz$ 200 mil, entreguei para o presidente, ele pegou abriu a porta do armário e jogou o dinheiro dentro sem conferir. Fiquei pensando o cara não é certo tira o gigante Vasco do Rio sem nenhuma garantia, joga, recebe o dinheiro e nem conta para ver se está certo. Ele viu meu espanto e disse: “Confiei em você, pois o Paulo Angioni me deu as referências e a conversa que tivemos no Rio foi suficiente para saber que o Vasco não seria lesado”.

Foi uma das passagens mais incríveis que vivi em tantos anos na lida com o futebol.

Daí surgiu o FIO DO BIGODE.

E não fiquem pensando que sobrou muito dinheiro. Além das cotas, transporte o Vasco desceu em Florianópolis, hospedagem, cortesias para os patrocinadores, enfim muitas despesas para um mega evento. Valeu muito pela experiencia e pela felicidade de poder ter dado mais uma alegria a comunidade criciumense depois da conquista do seu primeiro título que marcou o início de uma trajetória que é sem nenhuma dúvida a mais brilhante do futebol catarinense".

João Nassif
Por João Nassif 12/03/2019 - 09:53Atualizado em 12/03/2019 - 09:53

Hugo Magalhães, empresário, está chegando na cidade para fechar o contrato do Criciúma com o técnico Gilson Kleina.

Depois de João Carlos Maringá o presidente Jaime Dal Farra resolveu abrir o cofre e buscar um técnico de série A para comandar o time na busca do acesso.

Possivelmente ainda hoje o Criciúma irá anunciar seu novo técnico para o restante da temporada. 
 

João Nassif
Por João Nassif 12/03/2019 - 06:40

Faz tempo que venho pedindo alguma notícia boa do Criciúma, para que eu pudesse trocar a prosa que resultava apenas em críticas sobre tudo que tem acontecido no clube nos últimos tempos. Ontem veio a primeira boa notícia do ano, a contratação do João Carlos Maringá para diretor executivo de futebol. Além de ter sido um baita jogador, como dirigente tem um ótimo trabalho pela Chapecoense e esta é sua referência para devolver ao Criciúma a dignidade perdida nos últimos anos.

PELAS BEIRADAS
Como todo novo contratado Maringá foi cauteloso nas respostas durante sua primeira entrevista coletiva. Falou o que todos gostariam de ouvir, sobre a sequencia da Copa do Brasil, das contratações que serão de sua responsabilidade, quer dizer Ricardo Rocha fica na assessoria da G.A. e o foco total no acesso à série A. Espero que lhe seja dada autonomia para um trabalho que já mostrou ser capaz de realizar. Sobre o técnico pediu paciência.

É ASSIM QUE SE FAZ
Que sirva de exemplo e quem sabe um dia acaba a impunidade que nós conhecemos muito bem. O torcedor que invadiu o gramado num jogo pela 2ª Divisão na Inglaterra e agrediu um jogador do time adversário foi condenado a 14 semanas de prisão. Agrediu domingo e um dia depois condenado e além da prisão foi banido dos estádios por 10 anos, além de levar uma multa de cerca de R$ 1,7 mil.

DIFERENÇAS 
Aqui no Brasil são comuns brigas de torcidas, ou melhor verdadeiras gangues rivais, tiros, facadas, quebra-quebra, todo tipo de vandalismo e quando conseguem prender alguém a justiça solta no dia seguinte, quando não no mesmo dia. E todos fazem tudo novamente e a vida dos torcedores é apenas um detalhe na impunidade brasileira.

PROPINA GRAÚDA
O jornal britânico “Sunday Times” revelou a existência de um contrato secreto entre a FIFA e a Rede de TV Al Jazeera, propriedade de Doha, assinado em 2010, três semanas antes da votação que escolheu o Catar como sede do Mundial 2022. Caso o país árabe fosse escolhido para sediar a Copa do Mundo o contrato contemplava o pagamento de US$ 100 milhões a uma conta da FIFA o que acabou acontecendo.

EXTRAVAGÂNCIA
Há muito tempo não se via uma goleada como a que o Athletico Paranaense enfiou no Toledo pelo campeonato estadual. Em meados do século passado os placares dilatados eram comuns, principalmente quando estava em campo o Santos de Pelé. 12x1, 11x0, 10x0 eram resultados que se não víamos toda hora, pelo menos aconteciam com uma boa frequência. Mas, 8x2 como aconteceu domingo em Curitiba é peça rara no futebol atual. 

VEM AÍ A LARGADA
Terá início neste final de semana o Campeonato Mundial da Fórmula 1 com o GP da Austrália. Três dos 20 pilotos que formarão o grid têm somados 10 títulos mundiais. Cinco do inglês Lewis Hamilton, quatro do alemão Sebastian Vettel e um do finlandês Kimi Raikonnen. Os experts apostam que novamente a briga ficará polarizada entre o inglês da Mercedes e o alemão da Ferrari. A conferir.

Dia 12/03 – “ANNE FRANK”
Anne Frank, autora do diário em que contava os horrores da perseguição nazista contra os judeus, morre de tifo e inanição no dia 12 de março de 1945. Ela e a família foram enviadas a um campo de concentração nazista depois que seu esconderijo foi denunciado por um vizinho. 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2019 - 21:10

Faleceu esta noite aos 75 Coutinho, ex-jogador do Santos e da seleção brasileira. 

Antônio Wilson Honório nasceu em Piracicaba em 1943 e estreou no ataque do Santos em 1958 com apenas 14 anos. Jogou pelo time da Vila Belmiro até 1967 e depois em 1969 e 1970. Marcou 368 gols com a camisa do Santos.

Com Pelé a maior dupla de ataque do futebol brasileiro

Formou o ataque lendário do time santista, Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Foi campeão paulista em 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, venceu cinco vezes a Taça Brasil de 1961 a 1965, Libertadores e Mundial de Clubes em 1962 e 1963, além da Copa do Mundo de 1962 no Chile com a seleção brasileira.

Ainda não teve confirmado o motivo da morte, mas Coutinho com diabetes havia amputado três dedos do pé esquerdo e em janeiro foi internado em Santos com uma pneumonia.
 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2019 - 16:26

Thiago Ávila *

A Formula-E, principal categoria de carros elétricos retornou às pistas neste domingo, dessa vez no circuito de Hong Kong, para a disputa do 50º ePrix. Comemorando também as 50 corridas, Lucas Di Grassi, Daniel Abt, Jerome d’Ambrosio, Sam Bird e Nelsinho Piquet estamparam essa marca em seus carros, os únicos a disputarem todas as corridas da categoria.

Durante os treinos, chuva intensa, o que parecia que a marcante corrida teria sua primeira prova sob tal condição climática. A curva dois foi a mais traiçoeira, depois da grande reta, com os pilotos passando lotado ou aquaplanando.

Mas o sol abriu instantes antes do início da corrida e até a hora da largada ainda havia algumas áreas com pista molhada. Mas nada que tenha interferido na largada de Oliver Rowland, que passou a frente de Stoffel Vandoorne e assumiu a liderança. Também não prejudicou Sam Bird, que largou em sétimo e ganhou quatro posições. Lotterer, Paffett, Mortara e Di Grassi seguiam. Em seguida, Vandoorne abre demais e Bird assume a vice-liderança.

Mas a corrida não durou duas voltas até que Felipe Nasr acerta o muro e os dois carros da Mahindra o batem atrás. Bandeira vermelha! A corrida volta depois de quinze minutos e, diferente da corrida do México, a direção de prova manteve a contagem regressiva de onde parou, sem prejudicar ninguém.

A corrida recomeça com André Lotterer tomando a posição do belga ex-F1. Na volta seguinte, logo na primeira curva, Bird acerta o carro de Rowland e o carro do piloto da Nissan perde rendimento. O britânico chega a cair para décimo e consegue retomar a velocidade de corrida. Na curva seguinte, Bird freia tarde demais e Lotterer assume a ponta.

Os dois líderes somem na frente e mantém uma disputa interessante por quase toda a prova. O Safety Car é acionado mais duas vezes, mas isso não impediu que a vantagem criada por eles se abrisse de novo. Na penúltima volta eles se tocam, o pneu traseiro direito do alemão da Techeetah fura e é fim de prova para ele. Bird toma a ponta e cruza a linha de chegada como vitorioso.

No pódio, Edoardo Mortara, companheiro de Felipe Massa, fica contente por seu segundo pódio consecutivo, e do outro lado Lucas Di Grassi, fazendo uma prova discreta, mas satisfatória. Bird comemora, mas não por muito tempo, já que horas depois foi informado que sofreu uma punição de cinco segundos por conta do incidente com Lotterer.

Com isso, Mortara vence sua primeira corrida na F-E, de forma amarga, no tapetão, e entra na briga pelo título. Bird passa à frente com 54 pontos, seguido de d’Ambrosio, 53, Di Grassi e Mortara com 52. Uma disputa acirradíssima, em que a cada prova se amplia ainda mais. Cinco vencedores em cinco corridas, simplesmente a temporada mais equilibrada e sem favoritos em cinco temporadas. Que venha a próxima etapa. Que venha Sanya!

* Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS
 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2019 - 12:29

Em 1999 foi criada a Copa Sul que no ano seguinte se transformou em Copa Sul-Minas que teve vida curta com apenas quatro edições sem a última em 2002.

A Copa Sul foi disputada por 12 clubes de janeiro a março de 1999 e disputa final aconteceu em abril. As 12 equipes foram divididas em três grupos com quatro em cada um e a classificação para a segunda fase dos dois primeiros de cada grupo.

No grupo A, Coritiba, Criciúma, Grêmio e Tubarão, no B, Caxias, Figueirense, Internacional e Paraná de no grupo C, Atlético, Avaí, Grêmio Maringá e Juventude.

Pela ordem de classificação passaram para a segunda fase no A Coritiba e Grêmio, no B Internacional e Paraná e no C Atlético e Juventude.

Na segunda fase os seis times foram divididos em dois grupos. Como somente os clubes do Paraná e Rio Grande do Sul conseguiram classificação cada grupo da segunda fase foi disputado entre os clubes de cada estado. Ficou assim, no Grupo 1 Paraná, Atlético e Coritiba, e no 2 Grêmio, Internacional e Juventude.

O Paraná foi o primeiro colocado no Grupo 1 e o Grêmio no Grupo 2, assim as duas equipes foram para a decisão do título.

O primeiro jogo foi em Porto Alegre e o Grêmio venceu por 2x1. No jogo da volta em Curitiba o Paraná ganhou por 2x0. O jogo desempate foi também disputado na capital paranaense e o Grêmio venceu por 1x0

O Grêmio foi o campeão da Copa Sul de 1999.
 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2019 - 06:48

Não tem jeito, enquanto ficarmos ouvindo explicações em cima de explicações o Criciúma vai apanhando fora e dentro de casa revoltando o torcedor que ontem protestou com energia e foi abafado pelo som do estádio que a mando de algum imbecil colocou no alto falante o hino do clube. Desrespeito sem tamanho para com a torcida, escancarando a forma como a G.A. trata seu maior patrimônio. 

SEM SENTIDO
Até agora não consegui entender a chamada para uma coletiva com o vice administrativo, Arlindo Rocha. Veio aos microfones fazer uma conclamação, anunciando um canal de comunicação do clube com os torcedores. Totalmente fora de hora, num momento de aflição tentar acalmar os ânimos é um tiro no pé. A torcida quer time, o melhor jeito do clube se comunicar e não abafar as vaias com um procedimento que penso ser inédito, pelo menos no Heriberto Hülse. 

HISTÓRICO
34 minutos do segundo tempo escanteio. Toda zaga do Criciúma na área, afinal é da bola parada que saem os gols. Daniel Costa bate e a zaga da Chapecoense rebate, volta e novo cruzamento, mais um escanteio. Novamente Daniel Costa bate à meia altura, contra-ataque mortal que terminou com o gol do tal de Augusto. 

AUMENTOU A DISTÂNCIA
O Marcílio Dias, quarto colocado, empatou em casa com o lanterna Tubarão. Com este ponto pulou para 20 ficando seis à frente do Criciúma com o Brusque entre eles. Brusque que perdeu e continuou em quinto com 14.

DISCUSSÕES DA MODA
É enorme o volume de informações e comentários falando de futebol nas rádios e nas redes de televisão. É gigantesco as postagens nas redes sociais, o dia todo comentaristas, repórteres, curiosos postam opiniões, números, estatísticas sobre o futebol. Com tudo isso é inevitável que surjam divergências entre os que lidam com informações no confronto com técnicos e jogadores. Toda hora estamos vendo e ouvindo bate-boca de repórteres com os alvos das críticas que tentam rebater o que foi dito seja verdadeiro ou simples especulação.

O CONFRONTO DA VEZ
Domingo após o clássico Flamengo x Vasco da Gama, Thiago Galhardo jogador do Vasco não respondeu à pergunta do repórter do SporTV e criticou a imprensa que disse o tempo todo que o Flamengo jogou com o time B. Felizmente os bate-boca duram apenas o tempo do desabafo e depois tudo segue dentro da normalidade, pelo menos aparentemente.

VIOLÊNCIA FORA DA CURVA
Depois de sofrer anos e anos com os famosos holligans a Inglaterra puniu de forma exemplar estes torcedores, colocou ordem nos estádios e há muito não se tem notícia de violência em jogos dos campeonatos ingleses. Até ontem. Não houve conflito entre torcidas nas arquibancadas num jogo da 2ª Divisão, mas um torcedor invadiu o campo e agrediu com um soco por trás um jogador do time adversário. Foi detido na hora, saiu jogando beijinhos para as arquibancadas e levado diretamente para a cadeia. Como lá a lei funciona certamente ficará banido dos estádios ingleses. 

Dia 11/03 – “ATENTADOS EM MADRID”
No dia 11 de março de 2004, uma série de explosões em três estações de trem de Madrid (Espanha) mata 199 pessoas e deixa mais de 1,4 mil feridos. Os separatistas do ETA chegaram a ser apontados como responsáveis pelo ataque, mas as investigações comprovaram a ligação de grupos islâmicos com a organização do atentado.
 

João Nassif
Por João Nassif 10/03/2019 - 11:21

Nos anos 1960 e depois no começo deste século foram feitas algumas tentativas para consolidar uma competição regional no sul do país como forma de dar calendário aos clubes que não encontravam espaço para disputar os campeonatos brasileiros cujas fórmulas eram modificadas a cada ano atendendo prioritariamente os interesses dos grandes clubes do país.

Mais recente houve o movimento para criação da Primeira Liga com clubes do sul do país e alguns do Rio de Janeiro e Minas Gerais, mas que também pela falta de apelo e patrocínio acabou não vingando.

Mas, houve diversas iniciativas para que os clubes que não estavam nas competições nacionais pudessem ficar em atividade na complementação do calendário.

Jogadores da história da SE Matsubara

Em 1986, por exemplo, foi inventado um torneio chamado de Brasil Sul com algumas equipes que ficaram de fora do campeonato brasileiro.
Matsubara de Cambará e Grêmio Maringá, Internacional de Santa Maria e São Paulo de Rio Grande, Figueirense e Hercílio Luz, foram os clubes do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina que participaram do Torneio Brasil Sul de 1986.

O torneio foi disputado entre novembro e dezembro e com todos jogando entre si, por pontos corridos em turno e returno terminou com o Matsubara em primeiro lugar com 12 pontos ganhos. O Grêmio Maringá foi o segundo colocado com 11 pontos.

O Figueirense ficou em terceiro com 10 pontos e os demais terminaram empatados com nove pontos ganhos. 
 

João Nassif
Por João Nassif 09/03/2019 - 22:40

A Federação Catarinense de Futebol promoveu em 1962 o Torneio da Legalidade que foi o Primeiro Campeonato Sul-Brasileiro Interclubes.

Participaram do torneio os finalistas dos campeonatos estaduais do Sul do Brasil de 1961.

Os seis participantes foram os seguintes: de Santa Catarina o Metropol campeão e o vice Marcílio Dias. Do Rio Grande do Sul o campeão Internacional e o Grêmio que foi vice. O Cornélio Procópio, campeão paranaense em 1961 não pode participar e em seu lugar foi convidado o Coritiba, também participou vice-campeão o Operário de Ponta Grossa. 

O campeonato foi disputado em dois turnos no sistema de pontos corridos. O Grêmio foi campeão invicto com 17 pontos, obtendo sete vitórias e três empates nos 10 jogos que disputou. Só lembrando, em 1962 vitória valia dois pontos e empate um.

Torneio da Legalidade - Internacional 1x2 Grêmio - Estádio dos Eucaliptos

O Marcílio Dias foi o vice-campeão com 12 pontos. O outro representante catarinense, o Metropol ficou na lanterna com apenas cinco pontos. O time de Criciúma venceu apenas um jogo, empatou três e sofreu seis derrotas.

A única vitória do Metropol foi sobre o Coritiba por 2x1 no Estádio Euvaldo Lodi. 

O Internacional teve o ataque mais positivo com 19 gols marcados e a defesa mais vazada foi a do Metropol que sofreu 25 gols.
 

João Nassif
Por João Nassif 09/03/2019 - 06:55

Pelo regulamento do campeonato catarinense de 2018, depois de cumpridas as 18 rodadas apenas os dois primeiros se classificaram para a final em jogo único. Chapecoense e Figueirense decidiram o título na Arena Condá e o Figueira foi campeão. Este ano houve a mudança e os quatro primeiros da primeira fase se classificam para as semifinais, também em jogo único na casa dos dois primeiros colocados. A final também será numa única partida tendo como mandante quem somar o maior número e pontos na fase inicial.

PONTUAÇÃO IMPREVISÍVEL
No campeonato estadual do ano passado os dois classificados tiveram um ótimo aproveitamento. A Chapecoense atingiu 41 pontos e o Figueirense 36. O terceiro e quarto colocados, respectivamente Tubarão e Criciúma conquistaram apenas 26. Para este ano a pontuação necessária para um time chegar pelo menos em quarto lugar deverá aumentar, pois até agora ninguém disparou e quando um campeonato segue embolado nas primeiras posições a tendência é que aumente o número de pontos a serem conquistados para classificação. Mesmo que se classifiquem quatro como é o caso este ano.

COMPARATIVO
Após a 11ª rodada em 2018 o líder era o Figueirense com 25 pontos seguido pela Chapecoense com 24. O Avaí vinha em terceiro com 20 e o Joinville era o quarto com 16. Os dois primeiros confirmaram presença na final. Agora Avaí e Figueirense lideram com 23 pontos, a Chapecoense vem em terceiro com 21 e o Marcílio Dias fecha a zona de classificação com 19. Ainda faltam sete rodadas, portanto cada time irá disputar 21 pontos até o final. 

CHANCES DO TIGRE
Ainda não está nada definitivamente perdido para o Criciúma se analisarmos somente pela aritmética. Com escassos 14 pontos o time do Jaime Dal Farra teria que fazer uma campanha insana nesta quase reta final para poder ficar entre os quatro. Se mantiver a média que alcançou até agora o Criciúma fará 23 pontos, insuficientes. Não posso ainda calcular qual a pontuação necessária para classificação, mas é quase certo que precisará fazer no mínimo mais cinco ou seis vitórias para disputar as semifinais.

OVERDOSE DE VERDÃO
Amanhã tem Criciúma x Chapecoense pelo campeonato estadual. Estão confirmadas mais duas partidas pela terceira fase da Copa do Brasil e poderemos eventualmente ter outro confronto entre os dois numa quase improvável semifinal do campeonato, tudo isso em 30 dias. O calendário divulgado pela CBF ainda em 2018 marca para a terceira fase da Copa as datas de 13 e 27 de março para os jogos de ida e 27 de março e 10 de abril para os jogos de volta.

DEFINITIVO
Depois de muitas especulações finalmente o técnico Tite definiu o substituto do lesionado Vinícius Júnior para os amistosos da seleção agora em março. É David Neres, ex-São Paulo que joga pelo Ajax da Holanda. Meio sumidão, mas espetacular na vitória histórica por 4x1 sobre o Real Madrid o jogador teve confirmada sua primeira convocação. Justo?

09/março – BONECA BARBIE
No dia 9 de março de 1959, Ruth e Elliot Handler (fundadores da empresa Mattel) apresentam ao mundo o brinquedo que revolucionará a indústria e gerará inúmeras polêmicas. Eles são os "pais" de Barbie, uma boneca adulta de corpo perfeito, simboliza sucesso, beleza e juventude., 
 

João Nassif
Por João Nassif 08/03/2019 - 12:33

O campeonato paulista de 1958 poderia ser um campeonato comum, disputado por 20 equipes por pontos corridos como era comum naqueles tempos.

Tornou-se um dos maiores campeonatos de todos os tempos, pois o Santos de um Pelé ainda nos primórdios da carreira foi campeão marcando o absurdo de 143 gols com a fantástica e inédita média de 3,76 gols por jogo.

Pelé que quando começou o campeonato ainda não era o Rei do Futebol, voltou coroada da Suécia como campeão mundial disputou 30 dos 38 jogos do Santos e marcou 58 gols, quase dois gols por partida.

Na campanha o Santos construiu algumas goleadas que ficaram marcadas na história, ganhou por 10x0 do Nacional de São Paulo, 9x1 no Comercial da capital, 8x1 e 7x1 no Guarani e 8x1 no Ypiranga também de São Paulo, 7x3 no Jabaquara e outras menos extravagantes.

Nos 38 jogos o time da Vila Belmiro ganhou 29, empatou seis e foi derrotado em apenas três oportunidades.

Perdeu para o Noroeste em Bauru por 1x0, para o Taubaté por 3x2 e para a Ferroviária em Araraquara por 2x1.

A defesa levou 40 gols fazendo um saldo de 103 gols.
 

João Nassif
Por João Nassif 08/03/2019 - 06:35

Não foi de todo ruim o resultado da quarta-feira em Itajaí. O empate entre Marcílio Dias e Figueirense aumentou em apenas um ponto a vantagem do Marcílio sobre o Criciúma, agora são cinco, 19x14.a questão é o Brusque entre eles, dois pontos a mais que o Criciúma. O jogo de domingo contra a Chapecoense no Heriberto Hülse é outra final do Criciúma no campeonato.
 

COMEÇO SEM EMPOLGAR
Começou de forma modesta a participação dos brasileiros na Libertadores-2019. Mesmo com as vitórias fora de casa, Flamengo, Internacional, Palmeiras e Cruzeiro não conseguiram apresentar o futebol que se esperava, principalmente de Flamengo e Palmeiras pelo investimento e pelos elencos recheados de bons jogadores, alguns podem ser considerados acima da média. O Inter ganhou por um frango histórico do goleiro do Palestino.

DECEPÇOES
O Grêmio empatou fora de casa, vá lá, sempre é bom resultado, mas pela qualidade do adversário poderia perfeitamente vir de Rosário com uma vitória. É que jogou abaixo de seu potencial. A derrota do Athletico-PR pode ser amenizada pelo fato de ter jogado fora de casa contra o Tolima de má lembrança para os corintianos, mas a do Atlético-MG foi decepcionante em casa para o paraguaio Cerro Porteño.

RESUMO
O contingente brasileiro na Libertadores tem sete times que conquistaram quatro vitórias, um empate e sofreram duas derrotas. À exceção do Palmeiras, todos os demais brasileiros venceram pela contagem mínima. O jogo infernal foi entre o Union Concepción do Chile contra o Sporting Cristal do Peru, com vitória dos chilenos por 5x4. Outra goleada foi do Libertad do Paraguai que fez 4x1 na Universidad Católica do Chile. Os demais times que atuaram na primeira rodada da Libertadores marcaram o máximo de um gol, apenas o Palmeiras marcou dois.

POUCO JUÍZO
Que o Neymar prefere as baladas, muitas vezes priorizando festas em detrimento de sua condição de pleiteante a ser o melhor do mundo é sabido por todos que transitam pelas redes sociais. Tem sido assim na vida do principal jogador brasileiro em atividade, que pelo destino tem ficado ausente em momentos decisivos na seleção e no PSG, seu clube que sonha em dominar o futebol europeu e mundial. 

MUITA SORTE
Fazendo uma retrospectiva, na hecatombe dos 7x1, Neymar estava ausente. Na eliminação pelo Real Madrid nas oitavas de final da Champions da temporada 2017/2018 e na deste ano, também nas oitavas para o Manchester United Neymar também foi desfalque do PSG por conta de lesões. Quer dizer o principal jogador em momentos cruciais da seleção e o PSG não esteve em campo. Coincidência ou pura sorte? Só comparando, os melhores do mundo, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo também não ganharam Copas do Mundo, mas estiveram sempre presentes e conquistando os maiores torneios de clubes do mundo. 

BABAQUICE
A revista Placar inventou em sua última edição que após Pelé, Neymar é o maior brasileiro da história. Seu editor Sérgio Xavier, responsável pela irresponsabilidade, que nas horas vagas é comentarista do SporTV foi devidamente enquadrado pelo Petkovic, também comentarista do canal. Não se brinca com coisa séria.    

08/março – A FÚRIA DO ETNA
O vulcão Etna, que ainda hoje está ativo na Itália, causou a morte de mais de 20 mil pessoas no dia 8 de março de 1669. A erupção destruiu a cidade de Catania.
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 12:59

Conforme vimos no Almanaque da Bola de ontem está se discutindo até hoje o campeão brasileiro de 1987. Depois de toda confusão e o rompimento entre o Clube dos Treze e a CBF, acabou resultando um campeonato mais enxuto com apenas 24 clubes em 1988 e pela primeira vez foi obedecido o sistema verdadeiro com acesso e descenso.

O sistema de pontuação foi alterado em caráter experimental. Cada partida passou a valer três pontos. Em caso de vitória no tempo normal o time vencedor ficava com os três pontos e o perdedor com zero. Em caso de empate cada equipe ficava com um ponto e o terceiro ponto era disputado em cobranças de pênaltis.

Essa pontuação valia somente na primeira fase, nas demais prevalecia a pontuação tradicional que à época era de dois pontos ao vencedor e em caso de empate um ponto para cada equipe.

Na primeira fase os 24 clubes foram divididos em dois grupos. No primeiro turno (12 rodadas) os clubes de um grupo enfrentaram os clubes do outro. No segundo turno (11 rodadas) os clubes se enfrentaram dentro do próprio grupo. Classificaram-se para a fase seguinte os dois primeiros colocados de cada grupo em cada um dos turnos. Os quatro últimos colocados na classificação geral foram rebaixados à série B de 1989.

Os classificados do primeiro turno foram Fluminense, Internacional, Vasco da Gama e Grêmio. Sport, Flamengo, Cruzeiro e Bahia se classificaram pelo segundo turno.

Bangu, Santa Cruz, Criciúma e América do Rio de Janeiro foram os times rebaixados.

Bahia x Internacional na final de 1988

Os oito classificados foram agrupados na segunda fase para a disputa das quartas de final, os vencedores passaram às semifinais até que Bahia e Internacional sobraram para a decisão do título.

O campeonato terminou somente em 1989, no dia 15 de fevereiro os finalistas se enfrentaram na Fonte Nova em Salvador com vitória do Bahia por 2x1.

No jogo da volta no Beira Rio terminou empatado em 0x0, assim o Bahia se tornou campeão do campeonato brasileiro de 1988, também conhecido como II Copa União.
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 10:11Atualizado em 07/03/2019 - 10:13

Falei há pouco com Gilson Kleina que afirmou o contato do Criciúma com seu empresário, mas uma sondagem superficial sobre a possibilidade dele vir a ser o técnico para o campeonato brasileiro. Não sou de perguntar por valores, sei apenas que por ser um técnico de série A sua contratação fugirá completamente dos padrões definidos pelo presidente Jaime Dal Farra desde que assumiu o clube. Na conversa com o empresário o presidente ventilou o nome de Rui Costa para diretor executivo que também é do agrado do Gilson.

 

Gilson Kleina

Além do acréscimo no orçamento com a eventual contratação dos dois profissionais, certamente terá que haver investimento em reforços para que o técnico possa trabalhar com qualidade para brigar pelo acesso no final do ano.

Resumindo, o orçamento terá que ser aumentado num grande percentual para que o Criciúma recupere sua imagem no mercado e mais, resgate sua história de time vencedor e que em tempos passados sempre lutava para alcançar grandes objetivos. 
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 06:55

E o presidente Jaime Dal Farra entrou em definitivo no folclore do futebol brasileiro. A pérola que está sendo motivo de chacota pelos tuiteros do país foi dita na entrevista dada ao GloboEsporte.com: “vou colocar no próximo técnico um espírito guerreiro, sangue nos olhos, na veia, que venha comendo grama”. É um pequeno trecho que inverte os valores, não precisa ser um técnico que saiba montar um bom time, para o presidente basta apenas saber guerrear com seus comandados.

ÚNICA VERDADE
Aos poucos vou entendendo a razão da demissão de tantos técnicos na gestão Jaime Dal Farra. Em todas suas entrevistas o presidente afirma com todas as letras que o elenco é bom, muito forte, tem qualidade e os resultados são incompatíveis com a força deste plantel. Nas entrelinhas, tudo por culpa dos maus diretores e treinadores que o próprio presidente contratou. O presidente dono do clube se acha o único isento de qualquer responsabilidade sobre os maus resultados dos últimos anos e da fuga sempre constante dos rebaixamentos.  

ESPECULAÇÃO
O presidente também afirmou na coletiva de terça-feira que o peso na demissão do técnico Doriva foi a forma como o time se comportou frente ao Marcílio Dias. Elogiou bastante a pegada do adversário contra o marasmo de seu time, situação que poderia desembocar na contratação do Waguinho Dias, técnico do time de Itajaí. Não creio que será em meio ao campeonato, Waguinho sabe o que tem em mãos e não trocará uma possível classificação pela incerteza num clube que não apresentou em quase quatro anos um mínimo de planejamento.

AMBIENTE
O próprio presidente detectou falta de organização e objetivos do time sob o comando do técnico Doriva. Se verdadeira esta constatação estamos diante de mais um erro estratégico da própria direção do clube. Mostra que falta comando de vestiário, técnico e diretor podem fazer pouco se não houver alguém de fora do grupo de funcionários com a missão de colocar ordem no vestiário. Algumas cobranças públicas entre os atletas contaminam o ambiente.  

INCRÍVEL, MAS VERDADE
Quando ouço o presidente afirmar que Ricardo Rocha é o cara para assuntos ligados ao futebol e que há muito tempo dá nesta área consultoria ao clube, imagino o que será de agora em diante quando o ex-jogador está com plenos poderes para indicar o técnico, diretor e jogadores para o restante da temporada.

ADRENALINA PURA
Dois jogos espetaculares da Champions nesta semana classificaram para as quartas de final dois times que se vestiram de verdadeiras zebras. Real Madrid e PSG que nos jogos de ida venceram fora de casa foram derrotados em seus domínios por Ajax e Manchester United, respectivamente. O somatório dos dois resultados em cada uma das partidas das oitavas de final eliminou os dois mandantes. O time holandês depois de perder o primeiro jogo por 2x1 aplicou uma goleada histórica por 4x1 em pleno Santiago Bernabeu. E o Manchester que perdeu na Inglaterra por 2x0, virou para 3x1 em Paris e tirou da Champions o time do Neymar que viu o jogo nos camarotes se recuperando da lesão que não o tirou do carnaval.

07/março – STANLEY KUBRICK
Stanley Kubrick, um dos grandes cineastas americanos, morre no dia 7 de março de 1999. Suas histórias não-convencionais, como 2001 - Uma Odisséia no Espaço, Laranja Mecânica e O Iluminado arrebanharam milhões de fãs.