Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 08/03/2019 - 06:35

Não foi de todo ruim o resultado da quarta-feira em Itajaí. O empate entre Marcílio Dias e Figueirense aumentou em apenas um ponto a vantagem do Marcílio sobre o Criciúma, agora são cinco, 19x14.a questão é o Brusque entre eles, dois pontos a mais que o Criciúma. O jogo de domingo contra a Chapecoense no Heriberto Hülse é outra final do Criciúma no campeonato.
 

COMEÇO SEM EMPOLGAR
Começou de forma modesta a participação dos brasileiros na Libertadores-2019. Mesmo com as vitórias fora de casa, Flamengo, Internacional, Palmeiras e Cruzeiro não conseguiram apresentar o futebol que se esperava, principalmente de Flamengo e Palmeiras pelo investimento e pelos elencos recheados de bons jogadores, alguns podem ser considerados acima da média. O Inter ganhou por um frango histórico do goleiro do Palestino.

DECEPÇOES
O Grêmio empatou fora de casa, vá lá, sempre é bom resultado, mas pela qualidade do adversário poderia perfeitamente vir de Rosário com uma vitória. É que jogou abaixo de seu potencial. A derrota do Athletico-PR pode ser amenizada pelo fato de ter jogado fora de casa contra o Tolima de má lembrança para os corintianos, mas a do Atlético-MG foi decepcionante em casa para o paraguaio Cerro Porteño.

RESUMO
O contingente brasileiro na Libertadores tem sete times que conquistaram quatro vitórias, um empate e sofreram duas derrotas. À exceção do Palmeiras, todos os demais brasileiros venceram pela contagem mínima. O jogo infernal foi entre o Union Concepción do Chile contra o Sporting Cristal do Peru, com vitória dos chilenos por 5x4. Outra goleada foi do Libertad do Paraguai que fez 4x1 na Universidad Católica do Chile. Os demais times que atuaram na primeira rodada da Libertadores marcaram o máximo de um gol, apenas o Palmeiras marcou dois.

POUCO JUÍZO
Que o Neymar prefere as baladas, muitas vezes priorizando festas em detrimento de sua condição de pleiteante a ser o melhor do mundo é sabido por todos que transitam pelas redes sociais. Tem sido assim na vida do principal jogador brasileiro em atividade, que pelo destino tem ficado ausente em momentos decisivos na seleção e no PSG, seu clube que sonha em dominar o futebol europeu e mundial. 

MUITA SORTE
Fazendo uma retrospectiva, na hecatombe dos 7x1, Neymar estava ausente. Na eliminação pelo Real Madrid nas oitavas de final da Champions da temporada 2017/2018 e na deste ano, também nas oitavas para o Manchester United Neymar também foi desfalque do PSG por conta de lesões. Quer dizer o principal jogador em momentos cruciais da seleção e o PSG não esteve em campo. Coincidência ou pura sorte? Só comparando, os melhores do mundo, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo também não ganharam Copas do Mundo, mas estiveram sempre presentes e conquistando os maiores torneios de clubes do mundo. 

BABAQUICE
A revista Placar inventou em sua última edição que após Pelé, Neymar é o maior brasileiro da história. Seu editor Sérgio Xavier, responsável pela irresponsabilidade, que nas horas vagas é comentarista do SporTV foi devidamente enquadrado pelo Petkovic, também comentarista do canal. Não se brinca com coisa séria.    

08/março – A FÚRIA DO ETNA
O vulcão Etna, que ainda hoje está ativo na Itália, causou a morte de mais de 20 mil pessoas no dia 8 de março de 1669. A erupção destruiu a cidade de Catania.
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 12:59

Conforme vimos no Almanaque da Bola de ontem está se discutindo até hoje o campeão brasileiro de 1987. Depois de toda confusão e o rompimento entre o Clube dos Treze e a CBF, acabou resultando um campeonato mais enxuto com apenas 24 clubes em 1988 e pela primeira vez foi obedecido o sistema verdadeiro com acesso e descenso.

O sistema de pontuação foi alterado em caráter experimental. Cada partida passou a valer três pontos. Em caso de vitória no tempo normal o time vencedor ficava com os três pontos e o perdedor com zero. Em caso de empate cada equipe ficava com um ponto e o terceiro ponto era disputado em cobranças de pênaltis.

Essa pontuação valia somente na primeira fase, nas demais prevalecia a pontuação tradicional que à época era de dois pontos ao vencedor e em caso de empate um ponto para cada equipe.

Na primeira fase os 24 clubes foram divididos em dois grupos. No primeiro turno (12 rodadas) os clubes de um grupo enfrentaram os clubes do outro. No segundo turno (11 rodadas) os clubes se enfrentaram dentro do próprio grupo. Classificaram-se para a fase seguinte os dois primeiros colocados de cada grupo em cada um dos turnos. Os quatro últimos colocados na classificação geral foram rebaixados à série B de 1989.

Os classificados do primeiro turno foram Fluminense, Internacional, Vasco da Gama e Grêmio. Sport, Flamengo, Cruzeiro e Bahia se classificaram pelo segundo turno.

Bangu, Santa Cruz, Criciúma e América do Rio de Janeiro foram os times rebaixados.

Bahia x Internacional na final de 1988

Os oito classificados foram agrupados na segunda fase para a disputa das quartas de final, os vencedores passaram às semifinais até que Bahia e Internacional sobraram para a decisão do título.

O campeonato terminou somente em 1989, no dia 15 de fevereiro os finalistas se enfrentaram na Fonte Nova em Salvador com vitória do Bahia por 2x1.

No jogo da volta no Beira Rio terminou empatado em 0x0, assim o Bahia se tornou campeão do campeonato brasileiro de 1988, também conhecido como II Copa União.
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 10:11Atualizado em 07/03/2019 - 10:13

Falei há pouco com Gilson Kleina que afirmou o contato do Criciúma com seu empresário, mas uma sondagem superficial sobre a possibilidade dele vir a ser o técnico para o campeonato brasileiro. Não sou de perguntar por valores, sei apenas que por ser um técnico de série A sua contratação fugirá completamente dos padrões definidos pelo presidente Jaime Dal Farra desde que assumiu o clube. Na conversa com o empresário o presidente ventilou o nome de Rui Costa para diretor executivo que também é do agrado do Gilson.

 

Gilson Kleina

Além do acréscimo no orçamento com a eventual contratação dos dois profissionais, certamente terá que haver investimento em reforços para que o técnico possa trabalhar com qualidade para brigar pelo acesso no final do ano.

Resumindo, o orçamento terá que ser aumentado num grande percentual para que o Criciúma recupere sua imagem no mercado e mais, resgate sua história de time vencedor e que em tempos passados sempre lutava para alcançar grandes objetivos. 
 

João Nassif
Por João Nassif 07/03/2019 - 06:55

E o presidente Jaime Dal Farra entrou em definitivo no folclore do futebol brasileiro. A pérola que está sendo motivo de chacota pelos tuiteros do país foi dita na entrevista dada ao GloboEsporte.com: “vou colocar no próximo técnico um espírito guerreiro, sangue nos olhos, na veia, que venha comendo grama”. É um pequeno trecho que inverte os valores, não precisa ser um técnico que saiba montar um bom time, para o presidente basta apenas saber guerrear com seus comandados.

ÚNICA VERDADE
Aos poucos vou entendendo a razão da demissão de tantos técnicos na gestão Jaime Dal Farra. Em todas suas entrevistas o presidente afirma com todas as letras que o elenco é bom, muito forte, tem qualidade e os resultados são incompatíveis com a força deste plantel. Nas entrelinhas, tudo por culpa dos maus diretores e treinadores que o próprio presidente contratou. O presidente dono do clube se acha o único isento de qualquer responsabilidade sobre os maus resultados dos últimos anos e da fuga sempre constante dos rebaixamentos.  

ESPECULAÇÃO
O presidente também afirmou na coletiva de terça-feira que o peso na demissão do técnico Doriva foi a forma como o time se comportou frente ao Marcílio Dias. Elogiou bastante a pegada do adversário contra o marasmo de seu time, situação que poderia desembocar na contratação do Waguinho Dias, técnico do time de Itajaí. Não creio que será em meio ao campeonato, Waguinho sabe o que tem em mãos e não trocará uma possível classificação pela incerteza num clube que não apresentou em quase quatro anos um mínimo de planejamento.

AMBIENTE
O próprio presidente detectou falta de organização e objetivos do time sob o comando do técnico Doriva. Se verdadeira esta constatação estamos diante de mais um erro estratégico da própria direção do clube. Mostra que falta comando de vestiário, técnico e diretor podem fazer pouco se não houver alguém de fora do grupo de funcionários com a missão de colocar ordem no vestiário. Algumas cobranças públicas entre os atletas contaminam o ambiente.  

INCRÍVEL, MAS VERDADE
Quando ouço o presidente afirmar que Ricardo Rocha é o cara para assuntos ligados ao futebol e que há muito tempo dá nesta área consultoria ao clube, imagino o que será de agora em diante quando o ex-jogador está com plenos poderes para indicar o técnico, diretor e jogadores para o restante da temporada.

ADRENALINA PURA
Dois jogos espetaculares da Champions nesta semana classificaram para as quartas de final dois times que se vestiram de verdadeiras zebras. Real Madrid e PSG que nos jogos de ida venceram fora de casa foram derrotados em seus domínios por Ajax e Manchester United, respectivamente. O somatório dos dois resultados em cada uma das partidas das oitavas de final eliminou os dois mandantes. O time holandês depois de perder o primeiro jogo por 2x1 aplicou uma goleada histórica por 4x1 em pleno Santiago Bernabeu. E o Manchester que perdeu na Inglaterra por 2x0, virou para 3x1 em Paris e tirou da Champions o time do Neymar que viu o jogo nos camarotes se recuperando da lesão que não o tirou do carnaval.

07/março – STANLEY KUBRICK
Stanley Kubrick, um dos grandes cineastas americanos, morre no dia 7 de março de 1999. Suas histórias não-convencionais, como 2001 - Uma Odisséia no Espaço, Laranja Mecânica e O Iluminado arrebanharam milhões de fãs. 
 

João Nassif
Por João Nassif 06/03/2019 - 16:29

Acabou o carnaval e eu vou trocando a prosa aqui no Almanaque da Bola. Depois de uma série com uma pequena retrospectiva sobre as eliminatórias aos Mundiais de Futebol, aliás, mais adiante voltarei ao assunto para ir completando a história.

Voltando ao normal deste espaço o assunto hoje é campeonato brasileiro que nos primórdios era chamado de campeonato nacional. 

Até hoje está em discussão o dono do título de 1987. A CBF veio à público anunciar que passava por grave crise financeira e não tinha condições de organizar o campeonato nos moldes de anos anteriores.

A entidade afirmou que estava atrás de um patrocinador e caso não conseguisse tentaria um acordo com os clubes para que estes arcassem com as despesas da competição. E foi o que aconteceu.

Os principais clubes do Brasil querendo um campeonato mais rentável reagiram e fundaram uma nova entidade denominada Clube dos Treze que organizou um campeonato próprio que recebeu o nome de Copa União, nome fantasia para o campeonato brasileiro de 1987.

O regulamento da Copa do Brasil de 1986 determinava 28 clubes na primeira divisão em 87. Como o Clube dos Treze montou o campeonato com apenas 16 clubes, os demais se rebelaram e a CBF para resolver o impasse criou um campeonato com 16 equipes que não estavam na Copa União.

A Copa União passou a ser chamada de Módulo Verde e o campeonato organizado pela CBF de Módulo Amarelo. Para atender outros clubes que não estavam em nenhum dos dois módulos a CBF inventou mais dois Módulos, o Azul e o Branco. 

Para valer mesmo os dois primeiros que foram vencidos por Flamengo e Sport Recife. Oficialmente a CBF confirmou o Sport como campeão brasileiro. O Flamengo se dá o direito de ser o campeão e esta discussão se tornou interminável, inclusive chegando às instancias máximas da Justiça comum. Até quando?  
 

João Nassif
Por João Nassif 06/03/2019 - 13:30

Num único canetaço o presidente Jaime Dal Farra demitiu dois profissionais responsáveis direto pelo futebol do Criciúma. A saída do técnico Doriva já era prevista pela falta de resultados no campeonato estadual, apesar da classificação para a terceira fase da Copa do Brasil. A do diretor de futebol Nei Pandolfo não estava sendo esperada, mesmo com a falta de melhores contratações, apesar de ser curta sua área de manobra pelo teto salarial do clube incompatível com qualidade. As demissões mostram com muita clareza a falta de conhecimento em fazer futebol da atual empresa que domina o clube. São vários técnicos e diretores que passaram pelo clube desde que o presidente assumiu a G.A.

EXPECTATIVA
Enquanto o auxiliar Wilsão é anunciado como responsável pelo time para enfrentar a Chapecoense no domingo, certamente os nomes para substituir Doriva vão sendo especulados. Tenho também curiosidade em saber que se atreverá a vir comandar o Criciúma e entrar nesta ciranda onde o presidente não assume qualquer culpa e descarrega em seus técnicos e diretores a sua incompetência. Podem acreditar que não será um técnico de primeira linha. Virá quem está atrás de emprego e se sujeitará à esta ciranda.

PADRINHO
Como quem sobrou no Criciúma não entende nada de futebol e muito menos tem qualquer relacionamento com o mercado o clube estará nas mãos do Ricardo Rocha que deverá indicar o novo técnico. Alguém de seu portfólio.

CONTAS
O presidente afirmou que a folha atual gira em torno de R$ 620 mil e que investirá 50% deste valor para o campeonato brasileiro com a captação de seis reforços que já haviam sido anunciados pelo ex-diretor Nei Pandolfo. Vamos lá, perto de R$ 1 milhão, com os encargos sobram cerca de R$ 600 mil para um departamento que entre atletas, comissão técnica e pessoal de apoio deve ter próximo de 40 profissionais. A média de R$ 15 mil de salário não é a melhor para brigar pelo acesso no campeonato brasileiro.

PRÓXIMA VÍTIMA
O primeiro nome que surgiu para substituir Doriva é o de Léo Condá que está desempregado demitido pelo Botafogo de Ribeirão Preto. Deve caber no orçamento do clube, não é caro e seu currículo é do tamanho do que o Criciúma pode pagar a alguém que melhore o rendimento até que os resultados não estejam de acordo com o esperado.

INTERESSES NO JOGO
A partida de hoje à noite entre Marcílio Dias e Figueirense adiado da nona rodada tem interferência direta na classificação. Quarto colocado conta o vice-líder pode definir, mesmo que não matematicamente, os classificados para as semifinais. Em caso de vitória do Marcílio o quarto colocado abrirá cinco pontos do Brusque, quinto colocado e sete do Criciúma que é o sexto. Descarto o Joinville sétimo que ficaria a nove da zona de classificação. Então, hoje à noite todos são muito Figueirense. 

06/março – GÊNIO RENASCENTISTA
O mestre do Renascimento Michelangelo Buonarotti (1475-1564) nasceu no dia 6 de março de 1475 na Itália. Entre as obras do arquiteto, escultor e pintor estão a Pietá, o Davi e, com certeza a mais conhecida de todos, a abóbada da Capela Sistina. 

João Nassif
Por João Nassif 05/03/2019 - 13:31

A Copa do Mundo de 1962 foi disputada no Chile, portanto duas seleções da América do Sul não precisaram disputar as eliminatórias, a chilena por ser o país sede e a brasileira campeã do Mundial anterior.

À exceção da Venezuela que ainda não havia disputado uma única competição oficial de futebol, as demais foram divididas em quatro grupos, sendo que o Paraguai não enfrentou seleções sul-americanas e foi direto para a repescagem. 

A Venezuela entrou na disputa pelas eliminatórias somente para o Mundial de 1966, muito mais tarde que os outros países da CONMEBOL, pois até então o basquete e o beisebol eram os esportes preferidos da comunidade esportiva venezuelana. 

Os paraguaios foram derrotados na repescagem pelo México. Argentina, Uruguai e Peru foram as outras seleções sul-americanas presentes no Mundial de 1962.

Uruguai classificado para a Copa-1962 no confronto com a Bolívia

Foram inscritos 56 países para a disputa das eliminatórias para a Copa de 1962 sendo que 49 participaram dos confrontos pelas 14 vagas.

A Europa como sempre teve o maior contingente com 30 países, além dos sul-americanas a América do Norte, Central e do Caribe foi representada por oito, a Ásia por cinco e a África por seis seleções. 

Foram realizados 127 jogos e marcados 325 gols em jogos valendo pelas eliminatórias à Copa de 1962 disputada no Chile.
  

João Nassif
Por João Nassif 05/03/2019 - 06:56

Está tudo dentro do previsto e na cartilha do presidente Jaime Dal Farra. Não dá apoio ao futebol do Criciúma, mesmo com recursos que não são poucos vindos da venda de jogadores ou de cotas de televisão e das competições. A definição de um baixo teto salarial impede a contratação de qualidade e os técnicos sem munição para trabalhar vão sendo demitidos numa sequência interminável mesmo para os padrões do futebol brasileiro.

Quando no post anterior falei que a corda iria arrebentar estava apenas constatando que a incapacidade do patrão em definir um projeto com um mínimo de profissionalismo terminaria na demissão do Doriva e de quebra escancarando esta incapacidade a demissão de seu diretor executivo de futebol.

O blog do Denis aqui no portal mostra que o entra e sai de técnicos que pode se estender para as entradas e saídas de diretores executivos é a marca da atual gestão. Sem rumo vai na contramão fazendo tentativas sem nenhum critério e muito menos conhecimento de como administrar um time de futebol com um histórico vencedor e muita tradição. 

O que estamos vendo de incompetência nestes quatro anos encheu a paciência dos torcedores. Um grupo deles que atua com força nas redes sociais está comandando um protesto que pode ser melhor entendido no blog da Amandinha também aqui no portal.   
 

João Nassif
Por João Nassif 04/03/2019 - 18:45

A partir das eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958 a FIFA estabeleceu a divisão por Confederações que foram disputadas obedecendo os critérios determinados pela entidade.

A decisão tomada pela entidade foi para acabar com a confusão reinante em eliminatórias anteriores que tiveram várias desistências.

Foram inscritos 55 países, pela Europa foram 29, nove pela América do Sul, pela América do Norte, Central e do Caribe seis e 11 representantes da Ásia e África. A Suécia anfitriã e a Alemanha Ocidental última campeã estavam automaticamente classificadas.

A presença de Israel nas eliminatórias fez com que várias seleções se recusassem a enfrenta-lo e mesmo que a FIFA tenha obrigado a participação de todos inscritos, vários países por questões políticas desistiram de brigar por uma vaga no Mundial disputado na Suécia.

País de Gales x Israel-Eliminatórias de 1958

Sobrou para Israel tentar a vaga numa repescagem com o País de Gales, melhor segundo colocado nas eliminatórias da Europa. Deu País de Gales com duas vitórias por 2x0 em Tel-Aviv e em Cardiff.  

A classificação do Brasil foi sobre o Peru com empate no primeiro jogo em Lima e vitória por 1x0 no Maracanã na segunda partida. A Venezuela outra seleção eu fazia parte do grupo desistiu de competir.

Além do Brasil Argentina e Paraguai foram as outras seleções sul-americanas classificadas para o Mundial na Suécia.

Em todas as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958 forma disputados 89 jogos e marcados 341 gols.
 

João Nassif
Por João Nassif 03/03/2019 - 20:05

A cultura brasileira manda demitir técnico que não apresenta bons resultados, independentemente do nível e do histórico do profissional. Doriva não é treinador do primeiro nível, nenhum deste calibre arriscaria trabalhar no Criciúma, mas Doriva tem um histórico vencedor, campeão nos dois principais centros do futebol do país, inclusive com o pequeno Ituano em São Paulo.

Como os resultados não tem vindo e a pressão sobre o técnico é muito grande, dificilmente Doriva irá sobreviver a esta série de insucessos e a quase impossível missão de conseguir a classificação.

Não há tempo para reflexões. A direção do Criciúma é de uma juramentada incompetência, não consegue encontrar um mínimo de qualidade para contratar e sem munição ninguém faz milagres.

Pode-se colocar uma parcela de culpa no técnico, mas um percentual pequeno, por não ter conseguido dar um padrão compatível com o que tem em mãos. É tipo uma queda de forças, o técnico se sustenta na falta de qualidade e o chefe da tropa não está nem aí para o que acontecer no futuro.

Por isso o resultado é este aí, sexta posição com um jogo a mais que o Marcílio Dias que hoje é o quarto colocado. A diferença é de quatro pontos.

João Nassif
Por João Nassif 03/03/2019 - 12:00

A seleção brasileira disputou primeira vez jogos pelas eliminatórias visando a Copa do Mundo de 1954 na Suíça, a quinta edição do torneio.

Na primeira em 1930 a seleção brasileira participou pelo convite da FIFA, a segunda em 1934 pela desistência do Peru, a terceira em 1938 por ter sido o único país inscrito pela América do Sul e na quarta pelo fato de ter sido o país anfitrião.

Para o Mundial na Suíça o Brasil disputou no grupo tendo como adversários Paraguai e Chile. Todos os jogos foram disputados no mesmo ano da Copa e a caminhada da seleção começou no dia 28 de fevereiro com vitória por 2x0 em Santiago do Chile.

Seleção brasileira contra o Chile em 1954.
Em pé da esq. p/ dir. Djalma Santos, Brandãozinho, Pinheiro, Nilton Santos, Veludo, Bauer
Agachado: Julinho, Humberto, Baltazar, Didi, Rodrigues

Do Chile a seleção foi para Assunção derrotar o Paraguai por 1x0.

Nos jogos da volta mais duas vitórias no Maracanã sobre o Chile por 1x0 e sobre o Paraguai por 4x1. A seleção brasileira terminou invicta as eliminatórias marcando oito gols e sofrendo apenas um.

O artilheiro da campanha foi o centroavante Baltazar que marcou cinco dos oito gols da seleção. Julinho Botelho marcou dois e Pinga um. O técnico do Brasil era Zezé Moreira que inclusive comandou o time no Mundial. Na Suíça a seleção chegou às quartas de final e foi eliminada pela Hungria com derrota por 4x2.
 

João Nassif
Por João Nassif 02/03/2019 - 15:00

Não foi em dois de março, mas em 20 de fevereiro de 1977, também um sábado de carnaval que a seleção brasileira fez seu primeiro jogo nas eliminatórias da Copa do Mundo de 1978 que foi disputada na Argentina. O jogo terminou empatado em 0x0 contra a Colômbia no Estádio El Campín em Bogotá perante 50 mil espectadores.

Colômbia x Brasil-

A campanha mal havia começado, mas os dirigentes não quiseram esperar e quando a delegação voltou ao Brasil o técnico Osvaldo Brandao que assumira o comando da seleção em 1975 foi demitido.

Para seu lugar foi escolhido Cláudio Coutinho que fizera parte da comissão técnica da seleção brasileira como preparador físico na campanha do tri em 1970 no México e como coordenador técnico em 1974 na Alemanha e já era técnico do Flamengo.

Coutinho assumiu imediatamente e sua estreia foi justamente contra a Colômbia no jogo de volta e a seleção goleou impiedosamente pelo placar de 6x0 no Maracanã perante mais de 162 mil torcedores. 

Roberto Dinamite e Marinho Chagas marcaram dois gols cada, com Zico e Rivelino completando a goleada.

A classificação do Brasil veio em cima do Paraguai com vitória no Defensores Del Chaco em Assunção por 1x0 e empate em 1x1 no Maracanã.
 

João Nassif
Por João Nassif 02/03/2019 - 09:30

Façam como eu que já estou estabelecido no Parque Verde. Aqui é o paraíso na terra, piscinas, toboágua, churrasqueiras, brinquedos e ao lado a Lagoa do Faxinal. O carnaval no Parque promete, muito sol e alegria para quem vier curtir este feriado prolongado que serve como aquecimento para o ano que irá começar na quarta-feira de cinzas. Ou não, como disse o Cid Damiani que encontrei no Rincão, o começo verdadeiro será somente na segunda-feira dia 11. 

SOBREVIVENTE
O mês de fevereiro foi ruim para os catarinenses na Copa do Brasil. Um a um foram caindo e apenas o Criciúma passou incólume pela segunda fase. Dos sete times do Estado que iniciaram o torneio, Joinville, Brusque, Figueirense e Tubarão foram eliminados na primeira fase. Avaí e Chapecoense que passaram pela primeira jogarão agora em março a classificação para a terceira etapa da Copa do Brasil. A tabela indica que o Criciúma irá enfrentar o vencedor entre Mixto-MT e Chapecoense. Se o Verdão se classificar ficaremos enjoados de tantos confrontos entre os dois catarinenses.

MUDANÇA DE ESQUEMA
Não foi surpresa, pois apesar de seus 18 anos Vinícius Júnior está se comportando como gente grande. Sua convocação para os dois próximos jogos da seleção brasileira era esperada e a confirmação dá a dimensão exata do que faz pelo Real Madrid e pode fazer muito mais para a seleção brasileira. Com a convocação coloca em risco alguns titulares cativos no time do Tite e vai obrigar Neymar cumprir uma função diferente, pois Vini Jr., com é chamado, ocupa a mesma faixa de campo. Não é o caso nestes próximos jogos, pois Neymar contundido não foi convocado.

CARAS NOVAS
Além de Vinícius Júnior outros nomes chamam atenção na convocação da quinta-feira. Lucas Paquetá (Milan), Felipe Anderson (West Ham), Everton (Grêmio), Militão (Porto), são ainda garotos que aos poucos vão mudando as características do time e principalmente mudando a cabeça do próprio técnico. Tenho sido um crítico quanto às convocações, pois o técnico até agora insistia em formar o grupo com jogadores carimbados chamando sempre os mesmos. Agora não, tudo indica que mudou seus conceitos e esta mescla de veteranos com garotos de grande potencial pode alavancar uma seleção diferente, com mais qualidade e força para retomar suas conquistas.

SEM CHANCE
O goleiro Wéverton do Palmeiras, campeão olímpico, foi convocado pela primeira vez. Penso que apenas para completar o grupo no rodizio que vem sendo feito nas chamadas do terceiro goleiro. Os outros convocados em situações semelhantes jamais ameaçaram a hierarquia que tem o Alisson titular e o Ederson seu reserva imediato.

SÓ LEMBRANDO
Neste sábado tem jogo decisivo no Heriberto Hülse. Vão e empurrem o Criciúma para continuar vivo no campeonato.

MEMÓRIA
03/03/2003 – “MATADOR

Repetindo o que fez no Caxias, quando se tornou o maior artilheiro do time, Delmer vai fazendo história no Criciúma. Já marcou 21 gols em pouco mais de sete meses e se tornou com os três de sábado o artilheiro do campeonato com 10 gols. Tem uma condição física excepcional que lhe permite trabalhar em vários setores do campo e chegar ao gol com um talento invejável.

João Nassif
Por João Nassif 01/03/2019 - 21:39Atualizado em 02/03/2019 - 09:45

Continuando aqui no Almanaque da Bola a falar um pouco da história das eliminatórias para as Copas do Mundo, chegamos ao Mundial de 1954 que teve a Suíça como país anfitrião.

Aumentou para 45 o número de seleções inscritas, mas somente 33 participaram efetivamente das eliminatórias. Ainda regionalizadas, mas sem a divisão por Confederações, foram formados 13 Grupos, sendo que a única seleção que se classificou sem disputou um jogo sequer foi a seleção húngara que foi à Suíça pela desistência da Polônia.

A Alemanha Ocidental que venceria o Mundial na Suíça enfrentou nas eliminatórias a Noruega e a seleção do Sarre, um país que nunca existiu.

Seleção do Sarre

O Mundial voltou a ter 16 seleções, sendo 12 da Europa, duas da América do Sul, uma da América do Norte, Central e do Caribe e uma da Ásia. A Turquia se classificou eliminando a Espanha, depois de perder o primeiro jogo em Madrid e vencer o segundo em Istambul, no jogo desempate empatou em 2x2 jogando em Roma e conseguiu a classificação no sorteio.

Pela América do Sul participaram Brasil e Uruguai e as duas seleções foram eliminadas pela Hungria, a brasileira nas quartas de final e a uruguaia na semifinal. O Uruguai perdeu para a Áustria a decisão do terceiro lugar.

As eliminatórias para a Copa do Mundo de 1954 tiveram 57 jogos com a marcação de 208 gols.  
 

João Nassif
Por João Nassif 01/03/2019 - 07:20

Às vésperas do principal jogo do Criciúma até agora pelo campeonato catarinense ainda fica a dúvida a respeito da recuperação do time pós vitória contra o Hercílio Luz. Houve muitos erros que não foram aproveitados pela baixa qualidade do adversário. São situações que se repetidas poderão ser catastróficas. Uma derrota amanhã e a presença no G-4 ao final da fase de classificação fica inviável. Por isso vencer o Marcílio é fundamental sob pena de ter perda total na primeira parte da temporada.

EL CLASSICO
Barcelona x Real Madrid é considerado o maior jogo do planeta. Rivalidade extrema que não se limita apenas ao confronto entre duas potencias do futebol mundial. Barcelona é a capital da Catalunha, região autônoma reconhecida pelo Governo espanhol, mas não é independente dele. Os catalães de há muito pleiteiam sua independência que gera a rivalidade com o Governo espanhol sediado em Madrid. A rivalidade política e cultural exacerbada fica ainda mais acirrada quando os dois gigantes se enfrentam, seja no Santiago Bernabeu ou no Camp Nou. 

EQUILÍBRIO
Com tanta rivalidade os números só poderiam mostrar o equilíbrio de forças ao longo da história. São 240 jogos oficiais com 95 vitórias do Real e 94 do Barcelona, além de 51 empates. Em títulos a igualdade é ainda mais rigorosa com 89 conquistas de cada um. O Real Madrid leve vantagem em títulos na La Liga com 33 contra 25 e na Champions com 13 contra apenas cinco do Barcelona. O Barcelona venceu 30 Copas Del Rey contra 19 do rival e tem 15 títulos da Supercopa da Espanha contra 11 do Real Madrid. 

O ÚLTIMO
O jogo de número 240 foi realizado quarta-feira e o Barcelona venceu por 3x0 em pleno Real Madrid. O primeiro jogo foi no Camp Nou e as equipes empataram em 1x1, portanto o time de Lionel Messi está classificado para mais uma final da Copa Del Rey. Dois registros, o brasileiro Vinícius Júnior do Real foi destaque, tanto pelo que driblou e criou como pelos gols perdidos, no mínimo dois na cara do goleiro. E o uruguaio Luiz Suárez foi o dono do jogo com dois gols e a participação direta, mesmo não marcando, mas induzindo o zagueiro a fazer contra.

SEM SUPERSTIÇÃO
Virou mania jogar alho nos gramados de futebol da Inglaterra. Não é por superstição ou contra mal olhado, mas sim para evitar que parasitas destruam as raízes da grama. O Manchester United, por exemplo, há cinco anos espalha a mistura do alho com água e considera que foi um dos fatores que ajudou deixar impecável o estado do gramado. Claro que exala mau cheiro, mas aplicado alguns dias antes dos jogos, o odor se dissipa e ninguém percebe que o alho está por lá.

MEMÓRIA

01/03/2010 – “CHEGOU A HORA”

Hoje é o dia tão esperado pela torcida do Criciúma. Há muito tempo todos clamavam por mudanças na forma de administrar o clube e o advento Revigoração foi o estopim que desencadeou todo o processo para que alguém de peso viesse e desse novo alento para o futuro. À noite no HH teremos a aclamação do Antenor Angeloni que já botou a mão na massa e certamente irá sanear o Criciúma além de devolver a credibilidade a esta grande entidade tão maltratada nos últimos anos.
 

João Nassif
Por João Nassif 28/02/2019 - 14:00

Dr. Luiz Fontana *

A qualidade do sono têm um impacto grande na sua rotina de vida e também no rendimento dos seus treinos. 

O sono é doping natural, como dizem os atletas! Durante o sono mais profundo ocorre liberação de hormônio do crescimento (GH) e testosterona, fundamentais na recuperação e no desenvolvimento muscular. A performance melhora consideravelmente quando dormimos bem e nenhum estimulante substitui isso. Considera-se de 7 a 9 horas de sono em adultos como ideal e atletas podem precisar de mais horas na cama.

Noites mal dormidas podem acarretar alterações metabólicas e hormonais, aumentando a irritabilidade e a incidência de lesões musculares e de infecções em esportistas. Mais erros técnicos acontecem. Há aumento do cortisol, maior ingestão de carboidratos e maior acúmulo de gordura corporal.

Caso sinta que o seu sono não está bom, nada de se automedicar! Excesso de cafeína também não vai resolver. É necessário identificar e corrigir a causa da insônia. A apneia do sono e a síndrome das pernas inquietas, por exemplo, podem passar desapercebidas. O uso de alguns medicamentos e do álcool também são inimigos do bom sono.

Escurecer bem o ambiente e evitar o uso do celular e do computador horas antes antes de dormir são bons hábitos. Assim o organismo entende que é noite e secreta a melatonina naturalmente. Desenvolver uma rotina para dormir e acordar, praticar técnicas de relaxamento de controle do estresse, corrigir aspectos alimentares e reduzir o uso de estimulantes também são fundamentais.


* Médico do Esporte e Exercício 
E-mail: luizcarlosfontana@hotmail.com 
Instagram: @drluizfontana

João Nassif
Por João Nassif 28/02/2019 - 11:58

Continuando aqui no Almanaque da Bola a série sobre as eliminatórias para copas do Mundo, em 1950 a confusão no futebol mundial ainda continuava e a FIFA teve trabalho para poder organizar o Mundial no Brasil.

Apenas 34 países se inscreveram para disputar as eliminatórias muitos acabaram desistindo antes de começarem os confrontos. Apenas 19 seleções participaram das eliminatórias.

Com a desistência de Birmânia, Indonésia e Filipinas a Índia ficou automaticamente classificada, mas a FIFA não permitiu que seus jogadores atuassem descalços, fazendo com que a Índia também desistisse.

Seleção da Índia em 1950

Pela América do Sul, Uruguai e Paraguai se classificaram com as desistências de Peru e Equador.

No Grupo 1 da Europa a Turquia eliminou a Síria e deveria enfrentar a Áustria numa repescagem. A Áustria também desistiu e mesmo classificada a Turquia também não quis vir ao Brasil e a vaga foi oferecida a Portugal que não aceitou. Os portugueses haviam sido derrotados pela Espanha no Grupo 5 das eliminatórias europeias.

Ainda na Europa no Grupo 2 a Iugoslávia eliminou a França que depois foi convidada a participar da Cope e não aceitou. Outra que recusou vir ao Brasil foi a Escócia que juntamente com a Inglaterra havia se classificado num Grupo somente com seleções do Reino Unido.

Em resumo a o Mundial de 1950 que teria 16 países presentes foi disputado com apenas 13.

Em toda eliminatória foram disputados 26 jogos e marcados 121 gols.
 

João Nassif
Por João Nassif 28/02/2019 - 06:53

Apesar de ter ficado em desvantagem no primeiro tempo a forte recuperação na etapa final deu ao Criciúma sua quarta vitória no campeonato. Ganhou dos três que estão embaixo na classificação e certamente apenas um entre Hercílio Luz, Metropolitano e Tubarão irá sobreviver. A outra vitória aconteceu em cima do surpreendente Marcílio Dias que está enfiado no G-4. Dois gols de pênaltis resolveram os problemas do Criciúma que não foram poucos em função da própria campanha que é modesta para um time que tem sempre a obrigação de brigar na parte de cima da tabela.QUEDA DE BRAÇOS
Prevaleceu a vontade da torcida, Doriva pressionado nem relacionou o Pedro Bortoluzzo. O jogo mostrou que o atacante é apenas vítima da maneira confusa como o time se comporta.

CARESTIA
Se reclamos da falta de gols do Criciúma na temporada imaginem os torcedores dos grandes Palmeiras e São Paulo. O time do Felipão marcou apenas sete gols em oito jogos e o São Paulo fez nove em oito no paulistão e ficou em branco nos dois jogos da Libertadores. E eles não tem o Pedro Bortoluzzo, só o tal de Borja e o Pablo, além de outras estrelas que estão jogando quase nada. E o Bortoluzzo nem isso tem.

TREMEDEIRA OU INCOMPETÊNCIA?
Não são muitos os times brasileiros que conseguem sucesso nas competições internacionais. Durante o campeonato brasileiro lutam bastante para conseguir classificar para a Libertadores ou Sul-Americana e quando entram nas disputas são eliminados muitas vezes prematuramente. Na Libertadores são oito times brasileiros e na Sul-Americana seis.

DUROU POUCO
Dos oito brasileiros na Copa Libertadores seis estão na fase de grupos que irá começar na próxima semana. Os outros dois entraram na segunda fase eliminatória e um, o São Paulo foi logo eliminado pelo argentino Talleres. O outro, Atlético-MG jogou ontem à noite em casa com boa vantagem de 2x0 no primeiro jogo.  E na Sul-Americana, Bahia, Santos e Chapecoense foram eliminados na primeira fase, ao passo que o Botafogo passou para a fase seguinte e o Fluminense ainda tem o jogo da volta contra o Antofogasta do Chile, no Rio de Janeiro houve empate em 1x1. O Corinthians que empatou em 1x1 com o Racing em São Paulo ainda jogava na Argentina quando fechei a coluna.

CARNAVAL NO PARQUE
O Márcio Sonego previu na Som Maior tempo bom durante o carnaval. Então galera, nada melhor que curtir os dias no Parque Verde à beira da Lagoa do Faxinal. Pegue sua família, seus amigos e vão aproveitar as piscinas, o toboágua, os brinquedos, as churrasqueiras e muita sombra e água fresca neste paraíso nas Regiões dos Lagos do Balneário Rincão. E quem frequentar o Parque irá concorrer a um exemplar do Almanaque das Copas.

MEMÓRIA
28/02/2019 – “POUCO PODER DE FOGO”

Um dos problemas em Ibirama foi a fraca produção do meio campo na articulação das jogadas. Se a marcação foi muito boa o time pecou na construção. Outra deficiência foi a falta de um atacante na área, tipo referência. Quem mais se aproximou foi o Marcelinho que é tão pequeno quanto o Paulo Matos, único atacante no jogo e ambos são de movimentação, quer dizer faltou presença de área. Esta situação, pela escalação anunciada não será resolvida, mas mesmo assim se o meio campo acertar o jogo o Criciúma poderá vencer.

João Nassif
Por João Nassif 27/02/2019 - 11:30

As eliminatórias para os Mundiais de Futebol foram disputadas pela primeira vez tendo como meta a Copa de 1934 na Itália. A FIFA ainda estava iniciando o processo de globalização do futebol e tinha poucos filiados naquela época, por isso apenas 32 seleções se inscreveram para a disputar as 16 vagas, inclusive o país anfitrião.

Dos 32 inscritos, 21 eram da Europa, quatro da América do Sul, quatro da América do Norte Central e do Caribe e as outras três representaram a África e a Ásia.

Entre algumas desistência e abandonos 27 seleções disputaram 27 jogos e marcados 141 gols.

Para o Mundial de 1938 na França 37 países se inscreveram para disputa das eliminatórias. Pela Europa foram inscritas 26 seleções, pela América do Norte, Central e do Caribe sete, duas da América do Sul e duas da Ásia.

Alemanha 5x0 Suécia pelas eliminatórias de 1938

Apesar de terem se classificado para a fase final 16 seleções, a Copa foi disputada por 15 países em virtude da desistência da Áustria. Dois meses antes do início do Mundial a Áustria foi invadida e anexada pela Alemanha no dia 13 de março de 1938. A FIFA não preencheu a vaga deixada pelos austríacos.

O Uruguai, então campeão do mundo não participou das eliminatórias como forma de revide pela não presença da Itália na Copa do Mundo que o país organizou.
Por isso pela América do Sul estiveram na Itália o Brasil que se classificou pela desistência do Peru e a Argentina pela desistência do Chile. 
 

João Nassif
Por João Nassif 27/02/2019 - 06:31

O próprio técnico Doriva criou uma situação de dificuldade quando afirmou que não mata jogador e que Pedro Bortoluzzo é de sua confiança e pode continuar como titular nos próximos jogos. O problema é que o atacante não tem correspondido, está sem marcar no campeonato e Copa do Brasil e a torcida definitivamente não quer mais o jogador no time. Hoje teremos a chance de saber quem é que manda no time, ou o técnico ou o torcedor? 

SEM OPÇÕES
Mais do que não matar jogador o maior problema do técnico é não ter ninguém no plantel com a características do Bortoluzzo. Jogador de área, alto para bom aproveitamento da bola aérea e com estrutura física para brigar em igualdade com os zagueiros adversários. Por isso tem continuado como titular. Julimar que seria uma alternativa é de outro perfil que não deve ser do gosto do treinador para assumir a titularidade. Podem não aceitar, mas se tivesse algum poder faria como o Doriva tem feito. Com mais confiança Pedro Bortoluzzo poderá marcar os gols para salvar o Criciúma no campeonato.  

A TV MOSTROU
O STJD em sua última sessão acolheu recurso da Ponte Preta que contestou a anulação de um gol contra o Aparecidense-GO pela Copa do Brasil. O gol foi marcado em claro impedimento, confirmado pela assistente e pelo próprio árbitro e depois de mais de 16 minutos de confusão o gol foi anulado e o time campineiro desclassificado. O recurso e o entendimento dos auditores é que houve interferência externa.
  
DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS
Assim como nas várias instâncias da Justiça Comum a Desportiva vai cada vez mais mostrando sua face tendenciosa e com total falta de critérios. Este julgamento foi na contramão da decisão do próprio Tribunal quando da decisão do campeonato paulista de 2018, quando foi marcado um pênalti contra o Corinthians anulado depois de quase 10 minutos de confusão e o recurso impetrado pelo Palmeiras não foi aceito pelos auditores. 

FALÊNCIA DO TRIBUNAL 
Houve interferência externa contrariando a decisão da arbitragem o que é proibido pelas regras do jogo. O compendio normativo da FIFA na regra número 5 que trata da arbitragem é claro: "As decisões do árbitro sobre fatos relacionados ao jogo, incluído o fato de um gol ter sido marcado ou não e o resultado da partida, são definitivas". Os Tribunais brasileiros estão falidos em todos os níveis.

MARAVILHA À BEIRA DA LAGOA
O Parque Verde é um dos cartões postais mais bonitos da Região dos Lagos no Balneário Rincão. Com cabanas, piscinas, churrasqueiras, toboágua e muito mais para você curtir com sua família. Vale a pena visita-lo.  

MEMÓRIA
27/02/2008 – “JOGO RÁPIDO”

Por mais que eu queira falar do campeonato, da projeção para o segundo turno e do time do Criciúma, os acontecimentos de domingo no estádio e arredores ainda são o assunto que toma conta do noticiário e das discussões de torcedores, cronistas e todos os que de uma forma ou outra têm envolvimento com o episódio. A pronta captura dos responsáveis pela detonação da bomba no HH foi um ponto altamente positivo para a polícia civil que através de sua inteligência soube como identificar e principalmente chegar aos ditos torcedores que extravasam em um jogo de futebol todas suas personalidades doentias.

7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19