Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2019 - 18:02Atualizado em 25/03/2019 - 18:24

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado do sul Julio Garcia, PSD, recebeu nesta segunda-feira a reitora da Unesc, professora Luciane Ceretta, o vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris, e o presidente da Associação Empresarial de Criciúma, Moacir Dagostin, para encaminhar solução para o impasse sobre a instalação do Centro de Inovação de Criciúma.

Também participou da reunião o gerente de projetos da Prefeitura de Criciúma, Vagner Espíndola.

O Centro de Inovação, quando implantado, vai cumprir papel de aprimorar e consolidar a produção científica, bem como promover a cultura do empreendedorismo e oferecer espaço para a incubação de empreendimentos inovadores.

Ao final do encontro, ficou definido que o assunto voltará a ser tema de debate entre os setores público e privado em encontro que será promovido pelas associações empresariais em parceria com a bancada do Sul, na primeira quinzena de abril.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2019 - 06:53

A reunião, sábado à tarde, é para a arrancada no processo de organização da UDN em Criciúma. Mas parecia um encontro de tucanos e ex-tucanos. 
Afinal, lá estavam (e discursando) o ex-vice-prefeito Verceli Nunes Coral, hoje adjunto de infraestrutura no governo de Clésio Salvaro, o médico e ex-vereador Márcio Zacaron, fundador do PSDB, e Amilton Guidi, ex-vereador e ex-presidente da Fundação de Meio Ambiente.
Zacaron e Coral tem afinidade política e são amigos pessoais do prefeito Clésio Salvaro (PSDB).
Amilton Guidi é primo de Altair Guidi, mas fez política junto a Anderlei Antonelli, desde o PDT ao PSDB.
A primeira reunião da UDN de Criciúma foi comandada por Julio Cesar Lopes, que amanhã, 16h, assumirá a Presidência da Fundação de Cultura no governo de Clésio Salvaro.
Julio organizou e presidiu o PSL até janeiro, e é pai do deputado estadual Jessé Lopes (PSL).
Pelos envolvidos, fica evidente que a UDN nasce em Criciúma muito próxima do governo de Salvaro.
É praticamente uma “extensão" do PSDB.
Mas, além dos tucanos e ex-tucanos, a reunião da UDN atraiu emedebistas da região, como Diomicio da Silva (complexo 1001), fundador do MDB em Içara, e muitos filiados de Criciúma.
Também foi anotada a participação de jovens e pessoas sem experiência na política.
No total, participantes de 42 municípios de todo o Sul.
O desafio agora é conseguir o número mínimo de assinaturas para criar a comissão provisória e depois diretório do partido, para estar em condições de participar da eleição de 2020.

Sem chance

Eduardo Moreira voltou a ser citado para a presidência estadual do MDB, depois que o senador Dário Berger jogou a toalha.
Mas ele descartou.
De Londres, onde está fazendo o seu “período sabático”, Eduardo anunciou: “Chance zero, não quero e não serei presidente”.
O deputado estadual de primeiro mandato Fernando Kreling, de Joinville, foi lançado para presidência estadual do MDB. E deverá ser o eleito.

Sobre os prejuízos

Eduardo Moreira avalia que o MDB já teve grande prejuízo político e eleitoral por causa de Michel Temer. Não acredita que fique muito pior com a prisão.
Trecho de sua entrevista à Som Maior:
“O estrago já foi feito. Ele teve 90% de rejeição na Presidência do país e isso pesou para o MDB na eleição de outubro. Agora, a prisão deprecia a classe política como um todo. Tem muita gente que joga pedra agora, mas depois a pedra volta. Isso tem sido recorrente na política”.

Feliciano na área

O deputado federal Pastor Marco Feliciano (Podemos), campeão de votos em São Paulo em 2018, estava em Criciúma no fim de semana.
Ele é pastor evangélico e cumpriu agenda sem compromissos políticos. 

Batman na Câmara

Cristiano Zanetta, o Batman do Brasil, será homenageado hoje na Câmara de Vereadores de Criciúma, via Moção de Aplauso.
Ele é conhecido pelo trabalho social que faz, principalmente nos hospitais.

Para a Apae

A deputada federal Geovania de Sá (PSDB) se reuniu em Meleiro com o vice-prefeito Rodrigo Bordignon, de quem recebeu pedido formal para liberação de recursos para compra de van para a Apae do município.
Geovania foi a mais votada para a Câmara Federal em Meleiro em 2018.

Casan e o novo chefe

O engenheiro sanitarista e ambiental Gilberto Benedet Junior, funcionário de carreira da Casan, é o novo superintendente regional.
Ele assume em sintonia com a nova presidente, Roberto dos Anjos, também funcionária de carreira.
A intenção é fazer trabalho técnico, mas focando na melhor relação com os municípios.
Na semana passada, o governador Carlos Moisés anunciou durante inauguração em Florianópolis que pretende fortalecer parceria com os municípios.

Casan e a ameaça

Gilberto Benedet Junior assume a Casan na região no momento em que Criciúma e outros cinco municípios estão avançando na direção do rompimento do contrato.
Os municípios já montaram o consórcio e estão começando a cumprir o “roteiro das formalidades” para rompimento.
O primeiro ato é a notificação à Casan, que será entregue hoje.
A partir daí, prazos serão cumpridos.
A previsão entre os prefeitos é que o rompimento com a Casan será oficializado até o final de abril.
No sábado, grupo de advogados trabalhou para sustentar os procedimentos que serão adotados pelos prefeitos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/03/2019 - 06:55

A sexta-feira estava indo pro horário de fim de expediente, estava chovendo, e o meu sobrinho/afilhado capotou o carro na BR-101, perto na entrada para a Via Rápida. A notícia chega como uma bomba, principalmente porque não se tem noção exata da gravidade. Mas é em momentos assim que aflora o espírito solidário das pessoas.
Rapidamente, os motoristas pararam, um deles cruzou o caminhão na rodovia, e os outros foram ajudar.
A partir daí, a segunda boa constatação. O Hospital São Donato.
Atendimento perfeito, exames necessários foram realizados até ficar descartada qualquer fratura ou ferimento mais sério. Ufa.
Enquanto isso, acontecia em Criciúma, no salão de atos do Interclass, o lançamento do “filme” sobre o governo de José Augusto Hülse, produzido pelo jornalista Nei Manique.
Não fosse o acidente, eu estaria lá. Fazia questão disso. Porque acompanhei de perto o governo histórico e mudancista de José Hülse. Um fenômeno eleitoral dos tempos da reta final da ditadura militar.
Zé era de família tradicional, morador do Centro da cidade, primo de Ruy Hülse, da Arena (que havia sido prefeito pouco mais de dez anos antes) e sobrinho de Heriberto Hülse.
Hülse era família udenista/arenista. Zé foi candidato a vice-prefeito de Murilo Canto em 1976 pelo MDB. Perderam para Altair Guidi.
Eleito, Altair levou Zé Hülse para ser o “engenheiro chefe” da prefeitura. Queria fazê-lo candidato à sua sucessão. Mas não conseguiu.
Em 1982, Zé foi lançado a prefeito pelo PMDB, em sublegenda. Não era o preferencial dos filiados do PMDB, que estava fechado com o vereador Lírio Rosso, vereador e presidente do partido. 
Além disso, Zé tinha pela frente a máquina do governo consagrador de Altair Guidi, a máquina do Governo do Estado e candidatos/adversários de respeitável poder eleitoral, com os deputados Nereu Guidi e Eno Steiner, o ex-prefeito e deputado Manique Barreto e o presidente da Acic na época, Domerval Zanatta.
E o Zé Augusto venceu a eleição.
Ao assumir, levou para o Paço o time mais eclético que se viu. Da direita de Roseval Alves aos comunistas de Jorge Feliciano.
Ele era um cidadão conservador, mas um democrata acima de tudo. Que garantia espaço para todos, e para todas as ideias, desde que tivessem o objetivo de atender o interesse coletivo. 
O seu governo foi marcado pela “inauguração" da saúde nos bairros. Foi ele quem começou a construir postos de saúde nas comunidades.
Foi ele quem fez o primeiro programa “saúde da família” no país.
Nei Manique fez muito bem ao registrar o que foi o governo de José Hülse e a sua importância histórica para a cidade. Porque, daqui a pouco, quem testemunhou não lembra mais, e os outros nunca ouviram falar.
E o Zé merecia estar na homenagem e ato de reconhecimento pelo governo que fez.
Palmas aos dois, Nei e Zé. Eles merecem.

Os canos

Vereadores de Cocal do Sul estão questionando investimento feito pela prefeitura de quase R$ 500 mil para compra de canos, que estão agora estocados (foto).
Dois vereadores da oposição entendem que não tem demanda para tantos canos.

UDN chegando

Julio Lopes, presidente estadual da UDN, deve montar na próxima semana a direção provisória de Criciúma.
Na última reunião, estavam políticos conhecidos de outros partidos, como o médico Márcio Zacaaron (PSDB), ex-vereador e ex-secretário municipal, aliado próximo do prefeito Clésio Salvaro (segundo à direita, camisa polo branca).

O caminho de Julio Garcia

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia (PSD), está correndo o estado com um discurso de recuperação da imagem dos políticos (os bons).
Mas com postura de quem projeta candidatura majoritária para 2022 (governador, vice ou Senado).
Nesta sexta-feira fez palestra para o conselho empresarial de Chapecó (foto).
Falou sobre a importância do Legislativo para promover o desenvolvimento do estado. 
Disse que o Estado está razoavelmente equilibrado financeiramente, fará frente às suas despesas normais, mas precisa encontrar formas de investir.
Garantiu que não há risco de atrasos nos salários ou décimo terceiro dos servidores, e afirmou que é preciso trabalhar politicamente pelo alongamento da dívida do estado, no aumento da arrecadação e na redução de custos.
Sobre a relação com o governo do Comandante Moisés, foi taxativo: “a Assembleia cumprirá seu papel aprovando o que for bom, rejeitando o que for ruim e mudando o que for preciso”.

Coopera

Saudável, a Coopera registra sobras de mais de R$ 1,3 milhão, conforme relatório aprovado na noite desta sexta-feira em Assembleia Geral. Na mesma noite, foi eleita, em chapa única, a nova composição do Conselho Fiscal. A destacar o ex-prefeito Lei Alexandre entre os titulares, ao lado do presidente da Associação Empresarial, Cláudio Tiscoski, e de João Sebastião da Silva. Lei está interinamente na presidência do PP de Forquilhinha, depois daquela crise da saída de José Ricardo Junckes.

Os secretários

Depois de mais de duas semanas negociando, conversando e tentando arrumar a casa, finalmente o prefeito Dimas Kammer conseguiu. Ele foi buscar Fabrício Ferreira, um servidor de carreira e que coordenava a Vigilância Sanitária, para assumir a Secretaria de Saúde. Ele bem que tentou encaixar PDT e PSDB na pasta, sem sucesso. Do PP veio o vereador Ivoney Córneo para a Secretaria de Governo, o que abriu espaço a Juares de Oliveira para assumir uma cadeira na Câmara. Os dois serão empossados na segunda-feira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/03/2019 - 06:55

Faz uma década, a região tinha um aeroporto que funcionava. O de Forquilhinha.
Era pequeno, mas funcionava. Tinha vários voos comerciais. Problemas com voos, só por causa do tempo (principalmente “cerração” muito baixa).
No final da década de 90, o presidente da Acic, Alvaro Arns, liderou movimento para construir o novo aeroporto, em Jaguaruna.
A obra começou em 2002 e terminou em 2014. Investimento público de R$ 60 milhões. 
Colocando em operação, o governo direcionou para lá os voos comerciais.
Hoje, a região tem dois aeroportos. Um praticamente desativado, sem voos comerciais, embora com boa manutenção.
E o outro, com voos comerciais, mas com problemas de todos os tipos. Principalmente, gestão.
Ontem, faltou o caminhão do bombeiro no aeroporto de Jaguaruna e o voo vindo de São Paulo teve que pousar em Porto Alegre. Os passageiros vieram de ônibus.
Os que estavam no aeroporto esperando para ir para São Paulo (voo de volta), tiveram que ser levados também de ônibus para Porto Alegre ou Florianópolis.
No mês retrasado teve problema com o controlador de voo, e os passageiros ficaram mais de uma hora no avião, esperando que fosse resolvido.
Ontem, muitos passageiros, indignados porque ficaram a pé, anunciaram que vão processar a Latam. Não devem. A Latam é igualmente vítima.
Alvo deve ser a RDL, empresa contratada para administrar o aeroporto, e bem remunerada para isso.
O governo do estado também, porque é o dono do aeroporto, e responsável final, quando o terceirizado não cumpre o seu papel.
Há outros problemas no aeroporto.
No estacionamento, via de regra não funciona a máquina de cartão, ou não imprime cupom fiscal, gerando filas.
E de vez em quando os passageiros, ou parentes que foram buscá-los, são surpreendidos com os carros sendo guinchados.
Na estação de passageiros, infiltrações nas paredes (com goteiras) e problemas graves de manutenção.
O teto, na entrada, está “remendado”, e fica pingando nas pessoas.
Assim como está, o sul do estado vai ficar sem voos em pouco tempo.
Daqui a pouco as empresas aéreas vão cansar de se incomodar.
A região precisa reagir.

Aos prantos

O ex-prefeito Ronaldo Carlessi chorou, mais de uma vez, ontem, durante entrevista exclusiva ao radialista Ninomar Morro, da rádio Imigrantes, de Turvo.
Ele foi instado a falar ainda sobre sua saída do MDB.
Ficou emocionado, e chorou, quando lembrou da filiação do seu pai Romeu Carlessi ao MDB.
Depois, quando falou dos tempos dedicados à cooperativa e à prefeitura (foi presidente e prefeito), mais de 12 anos, quando se afastou das empresas.
“Agora, eu quero um pouco de paz”, arrematou.

Na agenda

Está finalmente marcada a posse de Julio Lopes na presidência da Fundação Cultural de Criciúma.
Terça-feira, 16h.
Ao assumir pela quarta vez o cargo, o seu maior desafio é reciclar, se atualizar, e restabelecer as relações do governo do municípios com os operadores do movimento cultural da cidade.

Bons números

No momento em que os gestores públicos são cobrados para ajustar as contas, adequando com a receita, a prefeitura de Criciúma se destaca.
Dados oficiais, divulgados pelo Tribunal de Contas do Estado, apontam que é uma das que menos comprometem a receita para gastos de pessoal no Brasil. 
Prefeitura de Criciúma fechou o terceiro quadrimestre de 2018 gastando 36,5% da receita corrente líquida com a folha de pessoal. Em 2016, o gasto era de 43,7%. 
Entre as prefeituras das 13 maiores cidades de Santa Catarina, a prefeitura de Criciúma é a que menos gasta com despesa de pessoal. 
A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece teto de 54% da receita para o pagamento de servidores no Poder Executivo.

De Brumadinho

Depois de mais de 50 dias atuando na tragédia de Brumadinho, os bombeiros catarinenses receberam homenagem da Assembleia Legislativa, na sessão de ontem.
A iniciativa foi do deputado Coronel Mocellin (PSL), líder do governo, que é oficial da reserva dos Bombeiros e ex-comandante-geral da corporação no Estado.

Cidades Digitais

Boas notícias ontem no Congresso de Cidades Digitais que a Acic sedia e Criciúma promove recebendo gente do Brasil inteiro. Representantes do ministro Marcos Pontes (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, MTIC) anunciaram que a pasta tem R$ 60 milhões para implantar infraestrutura de rede em municípios e serviços inteligentes também, para áreas como saúde, educação, transportes, segurança e agricultura. Vinte prefeitos, entre os quais Clésio Salvaro (Criciúma), Murialdo Gastaldon (Içara), Valdir Fontanella (Lauro Müller), Noi Coral (Morro da Fumaça) e Jaimir Comin (Treviso) receberam o prêmio Prefeitos Inovadores.

Temer preso

“MDB era dirigido por membros de uma quadrilha”. A frase contundente foi dita ontem pelo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, quando questionado pelo jornalista Moacir Pereira sobre a prisão do ex-presidente Michel Temer. É a forma mais “singela” de rotular a quilométrica distância entre as alas emedebistas. Trazendo para o local, essa pá de cal vem na semana em que o partido sofre baixas. Descontentamento é geral.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/03/2019 - 06:54

O prefeitos do vale do Araranguá gostaram de ouvir do governador Carlos Moisés (PSL) o seu plano de fazer a municipalização das ações do estado através das associações regionais.
Em princípio, pelo que Moisés disse na reunião de ontem, no Centro Administrativo, as questões burocráticas já serão repassadas às associações em abril. Isso inclui os contratos e convênios, inclusive os que tratam da manutenção das estradas.
Depois, com o tempo, serão repassadas as outras ações, principalmente saúde e infraestrutura. 
A partir daí, caberá ao governo tratar (e encaminhar) projetos novos e macrorregionais, além das questões gerais de estado.
Em tese, e de maneira simplista, será a regionalização de fato, sem precisar das secretarias regionais (que foram transformadas em acomodações de cabos eleitorais), e usando as estruturas que existem das associações de municípios.
A conversa entrou com uma boa música nos ouvidos dos prefeitos.
O presidente da Amesc, Arlindo Rocha (PSDB), prefeito de Maracajá, era dos mais empolgados depois da reunião.
Já na BR-101, em viagem de retorno, ao lado do prefeito Mariano Mazzuco (PP), de Araranguá, ele afirmou: 
“Parece um sonho, se isso se materializar daremos um salto de engrandecimento da política, da gestão pública, e na otimização dos recursos. Será feito muito mais, com menos e melhor”.
Arlindo colocou a Amesc à disposição para ser o “plano piloto” do novo modelo de gestão.
Outras duas informações do governador Moisés que agradar os prefeitos:
1- todos os repasses previstos em convênios que estão atrasados serão pagos nos próximos dias.
2- Serão pagas rodas as emendas impositivas aprovadas pelos deputados. 
Foi o primeiro grupo de políticos da região que saiu animado de reunião com o governador.
A mostrar que Moisés, apesar de seu estilo próprio, muito diferente no jeito de agir e fazer dos antecessores, está tentando dar um perfil ao seu governo. Mais prático, objetivo, sem viés político.

Os três pedidos

Os prefeitos do vale apresentaram três pedidos ao governador Moisés. Retomada das obras na Serra do Faxinal (Praia Grande), início das obras na rodovia Caminhos do Mar (a partir de Passo de Torres) e pavimentação da rodovia Jacinto Machado/Praia Grande.
O governador assumiu compromisso de avaliar cada caso. Não assumiu compromisso com prazos.

Lista de presenças

Amrec conseguiu levar quase todos os deputados estaduais do sul para a reunião com o Governador.
Audiência teve boa representatividade política.
Só não foram Julio Garcia, presidente da Assembleia, e Volnei Weber, que estavam viajando.
Dos 15 prefeitos, só faltou Tiago Zilli, que estava envolvido com a programação de aniversário de Turvo.

Nova Interpraias

Depois da reunião, o deputado Luiz Fernando Vampiro foi ao governador para reforçar pedido pela rodovia Caminhos do Mar, que ele desenvolveu enquanto esteve na Secretaria de Infraestrutura.
A rodovia é uma alternativa ao antigo projeto da Interpraias, só mais simples, fácil de fazer, e bem mais barato.

Sobre as perdas no MDB

O deputado Vampiro atribui ao desgaste do MDB nacional e à ressaca pós eleitoral, as perdas que o partido vem contabilizando na região. Só na terça-feira, foram anunciadas as desfiliações de Ronaldo Carlessi (Turvo), Tinto Biff (Morro da Fumaça) e Edio Minato (Morro da Fumaça). Dois ex-prefeitos e um ex-presidente de cooperativa. Além deles, teve mais filiados e dirigentes municipais que jogaram a toalha. Na entrevista abaixo, ele buscar uma nova metodologia de trabalho para dar a volta.

O que disse

1 - Está preocupado com as perdas no MDB da região? Por que está acontecendo isso?
Vampiro - Embora lamentável, trata-se de um movimento que infelizmente é natural, depois de uma eleição onde os partidos tradicionais tiveram prejuízos eleitorais e agora cada um está buscando a sintonia com a sociedade. Quanto ao Carlessi e os demais, sentimos que é uma grande perda para o partido mas precisamos respeitar a decisão.

2 - MDB do Sul pode estar com falta de comando ou de uma articulação regional? 
Vampiro - O MDB do Sul e do estado está buscando uma linha para enfrentar esse problema. Não se trata de uma questão relacionada ao comando do partido em Santa Catarina e sim de dificuldades políticas, oriundas principalmente das trapalhadas e trapaças do MDB nacional.

3 - Como será o processo de rearticulação do mdb de criciuma? Tem conhecimento q dois vereadores q podem sair?
Vampiro - Criciuma não é diferente do cenário estadual. Vamos buscar uma metodologia de trabalho político-partidário mais sintonizada com esse novo modelo que a sociedade aprovou.

A razão

A saída do MDB do ex-presidente da cooperativa de Morro da Fumaça, Armando Bif, o Tinto, foi justificada ainda pela falta de apoio na eleição do Conselho Fiscal da cooperativa. Há lideranças no município que vinham criticando a postura dele e esses líderes estariam comemorando a saída de Tinto agora. Clima quente. O apoio a um candidato a deputado federal de Blumenau na última eleição também teria pesado na balança contra Tinto.

Segundo passo

A “bancada do sul”, formada na Assembleia Legislativa com os oito deputados estaduais da região, vai baixar na região em abril para tratar com as associações empresariais e outras entidades da lista de prioridades que deverão ser trabalhadas no mandato.
No mesmo dia, serão realizadas reuniões nas Associações de Araranguá, Criciúma e Tubarão.
As reuniões estão marcadas pelo gabinete do presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia.
É a primeira ação da bancada, definida na reunião de instalação, faz 10 dias.

Conselho

Eleita ontem a nova diretoria do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o Codec. Rindalta de Oliveira é a presidente, com Rodolfo Martinelli de vice, Fernanda Dias e Úrsula Domingos secretárias. A missão é complexa, batalhar por políticas tão necessárias em um ambiente ainda repleto de limitações e desafios.

Ambiente

Presidente da Alesc, Julio Garcia, vai palestrar sábado no Encontro Estadual das Apaes em Chapecó. Garcia vai tratar da história do Fundo Social e a relevância das Apaes em Santa Catarina. Foi ele que em 2005, enquanto governador interino, apresentou projeto de transferência de recursos do fundo para as entidades. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/03/2019 - 06:54

A primeira pergunta é mais fácil de responder. Ronaldo Carlessi vinha contrariado e insatisfeito no MDB faz tempo. O partido tratou mal o seu principal ativo eleitoral do vale do Araranguá.
Carlessi foi presidente da cooperativa de Turvo três vezes, foi prefeito da cidade duas vezes. Fez gestões elogiadas, caracterizadas pelo perfil técnico e a eficiência.
Como político vencedor, diferente, e empresário bem sucedido, rapidamente ganhou projeção regional. Tinha a marca da renovação.
Mas foi barrado pelo jeito antigo de fazer política.
Em 2010, Eduardo Moreira era vice-governador e encaminhou seu nome para o comando da Secretaria de Infraestrutura do Estado. Estava tudo certo. Luiz Henrique, o governador, deu ok.
Mas o deputado Manoel Mota liderou articulação contra, pressionou o governador e conseguiu inviabilizar a nomeação. Foi o primeiro problema.
Depois, Carlessi voltou a ser citado para a mesma Infraestrutura e para diretoria da Casan. Nada se confirmou.
Tudo isso foi desgastando a relação.
Em 2017, quando o deputado Vampiro assumiu a Secretaria de Infraestrutura, o convidou para ser adjunto. Ele recusou.
Antes disso, foi citado várias vezes para ser candidato a deputado. Mas não teve espaço porque o Vale era região dedicada no MDB ao deputado Mota.
Carlessi cansou. E saiu do MDB. Protocolou desfiliação na segunda-feira.
Agora, quem vai ocupar o seu espaço?
Em princípio, Tiago Zilli, que foi seu vice-prefeito e o sucedeu como prefeito de Turvo. É do MDB e empresário bem sucedido como ele. Também tem a marca da renovação.
Mas será que Tiago segue no MDB e na política?
Ontem, em Turvo, ninguém respondia essa pergunta com segurança. Nem o próprio Tiago.
A desfiliação de Carlessi é reflexo da falta de liderança e coordenação do partido na região, e pode estar abrindo um rombo no casco do navio. Outras saídas estão projetadas.

Sem pretensões

Ronaldo Carlessi diz que não tem pretensões políticas.
Ele participaria ontem cedo do programa especial que a Rádio Som Maior fez em Turvo, pelo aniversário da cidade. Mas, pela repercussão da sua decisão política, declinou do convite.
Mas a desfiliação caiu como uma bomba em Turvo e na região.
Ele passou o dia ao telefone.

O que disse

1 - Por que saiu do MDB?
Carlessi - Sai do MDB porque acredito que ja dei minha contribuição ao partido. Fui presidente da Cersul (cooperativa), prefeito de Turvo por 8 anos e tive a oportunidade de realizar importantes ações para o município. Na Cersul, fizemos a subestação que trouxe energia de qualidade para a população e permitiu instalação de indústrias.

2 - Vai para outro partido? Será candidato em 2022?
Carlessi - Por enquanto não tenho pretensões políticas.  

Mais um

Outro que anunciou ontem desfiliação do MDB foi o ex-presidente da Cermoful, a cooperativa de Morro da Fumaça, Tinto Biff.
Ele protocola documentação hoje no cartório eleitoral.
Com eles, grupo de filiados e integrantes da executiva municipal.

Os outros

Em Criciúma, dois vereadores do MDB estão tratando da migração para outros partidos.
Aguardam apenas a abertura da “janela de transferência”, para não correr risco de perder mandato.

14 anos

Faz 14 anos que o sul do estado perdeu sua principal referência no radio jornalismo. João Sônego.
Profissional competente, de opinião forte. 
Cidadão ousado, corajoso, à frente do seu tempo.
Ele marcou época e fez escola. O seu estilo serviu de orientação para muitos profissionais.
Faz muita falta no momento em que a cidade e a região precisam se fazer mais fortes.
A saudade é grande!

Quatro chapas

O esforço foi grande pelo entendimento, muitos políticos e empresários tentaram, mas desta vez não eu. Quatro chapas foram registradas para disputar a presidência da cooperativa de Turvo, uma das mais importantes e tradicionais do estado, e com situação financeira super saudável. Tem mais de R$ 14 milhões em caixa.
O prazo para inscrição de chapas terminou ontem, fim da tarde. Eleição será no dia 28.

Pouca conversa

O governador Carlos Moisés (PSL) recebeu os presidentes da associações de prefeitos do estado e o presidente da Fecam, Joares Ponticelli.
A reunião foi amistosa, até descontraída, como mostra o registro quando o governador se encontrou com o presidente da Amesc, Arlindo Rocha, prefeito de Maracajá. Mas sem muita conversa.
O governador entrou na sala, sentou, fez o seu pronunciamento com questões genéricas e saiu da reunião, alegando outras agendas.

Sem Casan

Clésio Salvaro, presidente da Amrec, estava na reunião, foi cumprimentado pelo governador Moisés mas nada mais que isso. Não falaram nada (de novo) sobre possibilidade de rompimento do contrato com a Casan (que parece cada dia mais provável).
O único anúncio feito pelo governador na reunião foi que não vai assinar nenhum convênio com os municípios quanto não pagar o que está assinado pelo governo passado. Criciúma tem R$ 1,8 milhão pendente.

Poderosa comissão 

Como membro titular da mais importante e concorrida comissão da Câmara Federal, de Constituição e Justiça, o deputado Daniel Freitas (PSL) participou ontem da primeira sessão deliberativa extraordinária, ao lado dos deputados Kim Kataguiri, principal novidade da eleição em São Paulo, e do presidente da comissão, deputado Felipe Francischini.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/03/2019 - 08:16Atualizado em 19/03/2019 - 08:19

Principal informação de hoje na politica do Vale do Araranguá - ex-prefeito de Turvo, Ronaldo Carlessi, sai do MDB.

Ele protocolou o pedido de desfiliação ontem no cartorio eleitoral.

O assunto está sendo tratado agora pela radio Som Maior, que faz programa especial em Turvo pelo aniversárioda cidade.

Carlessi foi presidente da Cooperativa de Turvo por dois mandatos e prefeito da cidade também por dois mandatos.

Nos ultimos anos, ele foi citado como possivel candidato a deputado.

Em seguida, mais detalhes.

   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/03/2019 - 06:54Atualizado em 18/03/2019 - 08:17

O deputado federal criciumense Ricardo Guidi, PSD, fez as contas na ponta do lápis. A aprovação da reforma da previdência precisa de 318 votos na Câmara. O governo Bolsonaro calcula que tem hoje entre 330 e 340 votos. Vantagem estreita. Mas, existem perdas projetadas no campo governista em função de questões especificas da reforma. Por isso, a conclusão do deputado é que a reforma deve passar, mas “retalhada”. Com muitas alterações no texto original.

Para mostrar que a situação é delicada para a reforma, Guidi cita que os blocos liderados por PT e PDT tem pouco mais de 190 votos, e destes, pelo menos 165 votos já são declarados contra a reforma.

O raciocínio de Guidi é realista, está baseado em números, considerando as circunstâncias que estão colocadas no plenário da Câmara.

Quando ele cita que há deputados dos partidos que estão a favor da reforma, mas que estão contra, há um exemplo na região. A deputada federal Geovânia de Sá é do PSDB e questiona o projeto. Como está, ela vota contra. E ela não é exceção.

Há outros favores que influenciam no caso.

O governo Bolsonaro ainda não mandou a parte dos militares para a reforma da previdência. E o Congresso nunca teve tantos militares.

Também tem muito servidor publico com mandato.

A reforma da previdência é a principal pauta do governo Bolsonaro no primeiro semestre de 2019, talvez do ano.

Ela é necessária para permitir o processo de reequilibro das contas públicas.

Mas, para dar o efeito necessário, tem que ser mais no lado de dentro do balcão, nas instâncias de poder. Executivo (do governo federal aos governos estaduais e de municípios), Ministério Público e Judiciário. 

O momento exige o fim de todo e qualquer tipo de privilégio.

Alisson ameniza punição

O vereador Alisson Pires, PSDB, teve que pedir licença na Câmara de Criciúma, por determinação do prefeito Clesio Salvaro, PSDB, por não ter seguido a orientação do Paço na votação do projeto que pretendia isenção da Cosip para condomínios. 

O prefeito deu prazo até sexta-feira para ele pedir licença. No fim da tarde daquele dia, o prefeito exonerou dois secretários que era vereadores para reassumirem na Câmara, o que representaria a saída de Alisson, porque ele é suplente. 

Minutos depois, Alisson entrou com pedido de licença e Salvaro cancelou as exonerações.

Mas, o vereador Alisson não se mostra contrariado. Nem aceita que tenha sido punição. Abaixo, a sua entrevista:

1 - O Sr foi punido por não ter votado contra o projeto da Cosip (se absteve)?

Alisson - Não acredito em punição, até porque não votei contra o governo (imagina os que votaram contra). Não houve fechamento de questão dentro da bancada e como o projeto em questão foi a votação sem passar pelas comissões (houve dispensar de parecer, com o que não concordei), por isso não consegui avaliar todo o impacto (prós e contras) do mesmo. Somos responsáveis pelos projetos votados e as conseqüências. Sempre analiso muito cada projeto antes de votar.

2 -O Sr pensa sair do partido?

Alisson - O PSDB é o primeiro partido ao qual me filiei e atualmente sou vice-presidente da executiva em Criciúma. Pretendo cumprir minhas obrigações com o partido e com as pessoas que acreditam em mim e no meu trabalho, sempre pensando no melhor para Criciuma.

3- O sr será candidato a reeleição?

Alisson - Terei que analisar bem durante esse ano, consultar minha familia e minha base de apoio. Qualquer decisão agora seria muito precipitado.

A lista das prioridades

A Amrec vai reunir hoje deputados da região, junto com Acic, Unesc e CDL, para alinhar as prioridades da região.
A lista será aproveitada pela bancada do sul para trilhar juntos aos governos estadual e federal.
É o principal desdobramento da campanha do voto pelo sul, e do evento realizado pela Unesc, o “Forum Criciúma do Amanhã”.

Empresário piloto

O empresário criciumense André Gaidzinski, agulha mergulhado na carreira de piloto, com a mãe Iara, grande incentivadora, depois da prova de sábado.
Ele subiu no pódio em Interlagos, São Paulo, para receber o troféu de quinto lugar na Porsche Cup, categoria GT3 Cup Challenger 3.8. Recebeu o troféu das mãos da própria mãe! 
A próxima prova do circuito é em abril, em Curitiba.

Novo local do Bombeiro

Retirar o corpo de bombeiros de Criciúma de onde está, é necessário. Mas, levar para a avenida Centenário, na frente da Rodoviário, não parece apropriado. 
Imaginem a situação.

Seis e meia da tarde, dia de semana, e tem um incêndio em uma casa no bairro Próspera. 

Como todos os dias, trânsito é intenso na Centenário naquele horário. 

O caminhão do bombeiro vai "trancar" já no portão.  

Como é bombeiro, pode ir pela pista do amarelinho. Mas, naquele horário tem muitos amarelinhos circulando, e em seguida o caminhão vai ter que sair da Centenário, na esquina da Timaco, para entrar a direita, e pegar a rua Henrique Lage. Naquele horário, a mais "trancada" de todas.

Mas, quando chegar na frente do posto Avenida, e a sinaleira abrir, vai então fazer o retorno e seguir em direção à Prospera. De acordo com o trânsito, igualmente congestionado.

Resumo: é muito provável que quando o caminhão do bombeiro conseguir chegar chegar no local, a casa já estará em cinzas.

Criciúma tem muitas outras áreas apropriadas para instalação do corpo de bombeiros. Muitas.

Para citar duas: Via rápida e anel de contorno viário.

Agora, tirar o bombeiro de onde está, e enfiar na Centenário, é criar problema novo.

Semana decisiva

A Acic tem alguma carta na manga sobre o Centro de Inovação. É o que vem indicando o presidente Moacir Dagostin. Ele mantém a convicção de que a estrutura vai sair, e com recursos estaduais. O otimismo tem base na lei da inovação, na criação do Fundo Municipal de Inovação e na oficialização, nos próximos dias, na posse do empresário Claiton Galdino Pacheco na diretoria que tratará deste segmento no governo Clésio Salvaro.

Expectativa

Prefeito Dimas Kammer deverá indicar ainda nesta semana o seu novo secretário de Saúde. É a expectativa que ronda os bastidores. A pressão é grande. Há uma evidente divisão, uma fissura no PP que os próximos passos do prefeito indicarão que tamanho tem. Cabe lembrar que a indicação suprirá a baixa de Diego Passarela, que vinha na função. Esse estremecimento começou quando da mal conduzida saída do então chefe de gabinete, o ex-vice-prefeito José Ricardo Junckes, presidente afastado dos progressistas na cidade e afinadíssimo com o ex-prefeito Lei Alexandre, a quem cabe agora, interinamente, o comando partidário. O prefeito andou lançando redes e olhares em direção ao PDT, depois ao PSDB, ofereceu secretaria e pediu apoio, em uma clara tentativa de mostrar uma força externa capaz de atenuar a fervura interna. Tem dificuldades ainda.

Força ao Bairro

O deputado Ricardo Guidi reuniu-se com a direção do Bairro da Juventude. Na conversa, foram lembrados os R$ 100 mil liberados no ano passado, de emenda parlamentar para a instituição. Isso ainda dos tempos de Alesc. Agora em Brasília, Guidi prometeu manter a parceria firme e forte. Motivo de agradecimentos da diretora executiva Sílvia Zanette. Outro dia, a visita do presidente da Fiesc, Mário Cezar de Aguiar, também foi razão de tranquilidade para o Bairro, que segue sólido com seus projetos mas também com a urgência das suas necessidades.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/03/2019 - 07:05

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) não quer mais uma "aparente maioria” na câmara de vereadores. Quer uma bancada “fechada”, que ele possa contar com os votos sempre que precisar.
O “susto” com a votação de segunda-feira foi a gota d’água. E começou operação pelo seu partido.
Nessa sexta-feira, o vereador Alisson Pires (PSDB) teve que pedir licença de quatro meses, sem garantia de retorno.
Na segunda-feira, Alisson se absteve de votar que pretendia isenção da Cosip para condomínios. Salvaro havia pedido voto contra. O projeto foi rejeitado por apenas um voto (8 a 7).
No dia seguinte, o prefeito fez uma reunião tensa com a bancada, enquadrou os vereadores, e decidiu pelo afastamento de Alisson (que é suplente e estava no exercício do mandato).
Deu até sexta-feira para Alisson encaminhar pedido de licença.
Como o pedido não havia sido provocado até 17h de sexta-feira, o pedido assinou a exoneração de dois secretários que são vereadores (Arleu da Silveira e Roseli de Luca), para que voltassem imediatamente à câmara, ocupando a cadeira de Alisson (e do outro suplente, Marcos Meller).
Minutos depois que o comunicado de retorno dos dois foi protocolado na câmara, Alisson deu entrada do seu pedido de licença. E Salvaro cancelou as demissões.
O outro vereador “visado" é Dailto Feuser (PSDB), que votou a favor do projeto da Cosip.
Como ele é vereador efetivo, o tratamento é diferente.
Salvaro repetiu: “a porta do partido que foi aberta para o vereador Julio Kaminski pode ser aberta para mais um”. E arrematou: "em 2020, só será candidato a vereador no PSDB quem for alinhado com o prefeito”.
A situação de Feuser pode ser definida, e ele considerado “fora da bancada”, numa votação prevista para os próximos dias. A respeito de outro projeto do vereador Zairo Casagrande, que pretende isenção no pagamento de passagens de ônibus. Salvaro já está pedindo que “seus" vereadores votem contra. Mas Feuser tem compromisso com Zairo de votar a favor.

O retorno

Quem vai assumir na vaga de Alisson Pires na Câmara de Criciúma é o ex-vereador Edson Aurélio (PSDB), hoje suplente.
O também suplente Marcos Meller (PSDB) continua na Câmara.

As posses

Duas posses estão previstas para a próxima semana no Paço Municipal.
Na quinta-feira, 17h, Julio Lopes na presidência da Fundação de Cultura.
Nessa sexta-feira, Julio fez reunião com o Conselho Municipal de Cultura e recebeu sugestões e reivindicações. Hoje vai se reunir com entidades do setor.
A outra posse, sem data confirmada ainda, será do empresário Claiton Galdino na diretoria de Inovação e Tecnologia.

Convidado especial

O ex-secretário da Fazenda, Robson Gotuzzo, titular da pasta no primeiro ano do governo de Salvaro, acompanhou o prefeito nessa sexta-feira em reuniões com representantes de comunidades, na prefeitura.
Gotuzzo estava com o vice-prefeito Ricardo Fabris quando foi convidado por Salvaro para participar das reuniões e aceitou.
Gotuzzo está filiado no PSD e vai presidir o instituto de estudos do partido.

Nomeado

O ex-deputado estadual Dóia Guglielmi (PSDB), que não conseguiu se eleger em 2018, foi nomeado para o cargo comissionado de secretário parlamentar na Assembleia Legislativa.
Pelo ato de nomeação, vai cumprir “atividade parlamentar externa”.

Chapa pura

O ex-deputado Jorge Boeira (PP) confirma disposição de disputar a prefeitura de Criciúma em 2020.
Só depende de uma definição clara do projeto político do partido no Estado.
O prazo que se deu para “bater o martelo” sobre a candidatura é final de agosto.
Se for para a disputa, admite compor chapa pura.
Nessa sexta-feira, ele almoçou em Criciúma com Dalvania Cardoso, que será candidata a prefeita em Içara.

Vitória no TSE

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nessa sexta-feira dar provimento ao recurso que elimina em definitivo a ameaça contra o mandato do deputado federal Ricardo Guidi (PSD).
O recurso foi protocolado contra decisão do TRE que, atendendo a um pedido do PT catarinense, validou votos de uma das suas candidatas a deputada federal, que teve candidatura indeferida.
Com a decisão, o PT teve mais votos que o PSD e passou a ter direito a mais uma cadeira na representação federal catarinense. Pelo cálculo dos votos de legenda, o PSD perderia a vaga de Ricardo Guidi. E o PT ganharia uma cadeira para a ex-deputada Ana Paula Lima.
Num primeiro momento, foi protocolado o pedido de liminar para sustar os efeitos da decisão, o que foi atendido de pronto pelo TSE, permitindo diplomação e posse de Guidi.
Nessa sexta-feira, o TSE fez julgamento de mérito e deu provimento ao recurso especial, confirmando em definitivo o indeferimento da candidata do PT, e não validando os seus votos.

Nas comissões

Ainda sobre Guidi, o deputado garantiu espaço em três importantes comissões da Câmara: Constituição e Justiça, Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e a comissão de Turismo. Entre as metas que o deputado pontua, o combate à burocracia. Na luta pelas pessoas com deficiência, Guidi lembra dos tempos da Alesc, quando presidiu comissão com o mesmo foco. Ele quer assumir o papel de referência catarinense na Câmara para essa área como bandeira do mandato.

Otimistas

O expediente de levar grandes comitivas para registrar reivindicações segue atual, mesmo nesses tempos de outros moldes do governo Carlos Moisés. Foi para isso que o prefeito de Forquilhinha apelou nessa sexta-feira. Dimas Kammer contou com seus colegas Arlindo Rocha e Rogério Frigo, de Maracajá e Nova Veneza, mais vice-prefeitos, vereadores, secretários e bastante gente para conversar com o secretário Carlos Hassler, da Infraestrutura. O pedido: a conclusão da Jacob Westrup. São mais de R$ 12 milhões. Secretário prometeu “analisar com carinho”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/03/2019 - 19:27Atualizado em 15/03/2019 - 19:59

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu agora a pouco dar provimento o recurso que elimina em definido ameaça contra o mandato do deputado federal Ricardo Guidi, PSD.

O recurso foi protocolado contra decisão do TRE que, atendendo a pedido do PT catarinense, validou votos de uma das suas candidatas a deputada federal, que teve candidatura indeferida.

Com a decisão, o PT teve mais votos que o PSD e passou a ter direito a mais uma cadeira na representação federal catarinense. Pelo calculo dos votos de legenda, o PSD perderia uma vaga, que seria exatamente a de Ricardo Guidi. E o PT ganharia uma cadeira a mais, para a ex-deputada Ana Paula Lima.

Num primeiro momento, foi protocolado o pedido de liminar para sustar os efeitos do ato, o que foi atendido de pronto pelo TSE, permitindo diplomação e posse de Guidi.

Hoje, o TSE fez julgamnto de mérito  e deu provimento ao recurso especial, confirmando em definitivo o indeferimento da candidata do PT, e não validando os seus votos.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/03/2019 - 18:11Atualizado em 15/03/2019 - 18:20

Como o vereador Alisson Pires, PSDB, acaba de protocolar pedido de licença na câmara de vereadores, o prefeito Clesio Salvaro, PSDB, mandou anular as exonerações dos secretários Arleu da Silveira e Roseli de Luca.

Os dois haviam sido exonerados e estavam voltando para a câmara (são vereadores licenciados) exatamente porque Alisson Pires não havia se licenciado, como foi orientado pelo prefeito.

Como Alisson é suplente no exercicio do mandato, perderia a cadeira na câmara com a volta de Roseli e Arleu.

Tudo isso tem a ver coma postura de Alisson Pires na votação de segunda-feira na Câmara de projeto que tratava da isenção da Cosip para condominios.

O prefeito pediu que a bancada do PSDB votasse contra. Alisson se absteve e o projeto quase passou. Foi rejeitado por apenas um voto.

No dia seguinte, Salvaro reuniu a bancada, enquadrou os vereadores e "determinou" que Alisson deixasse a câmara, com pedido de licença. Deu prazo até hoje. Se ele não pedisse licença, anunciou que iria exonerar Arleu e Roselei para que voltassem à câmara. Assim, Alisson sairia da câmara "na marra".

Como Alisson não havia pedido licença, a operação foi feita.

No momento em que Alisson protocolou o pedido, as exonerações foram canceladas.

Com a licença de Alisson, o suplente Edson Aurelio (ex-vereador) vai assumir na Câmara.

 

 

     

  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/03/2019 - 17:51Atualizado em 15/03/2019 - 17:54

Informação de agora, fim da tarde, no Paço Municipal.

Secretários Arleu da Silveira e Roseli de Luca vão deixar o governo e assumir seus mandatos na Câmara de Vereadores na segunda-feira.

Comunicação acaba de ser protocolada na secretaria da Câmara.

Detalhes, daqui a pouco/18h no Ponto Final, rádo Som Maior FM.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/03/2019 - 17:00Atualizado em 13/03/2019 - 17:12

A quarta feira fecha com duas boas noticias.

A primeira: eleição de Manfredo Gouveia, presidente da Ceramica Elizabeth, empresa criciumense, como presidente da Anfacer (Associação Nacional de Fabricantes de Revestimentos Cerâmicos).

A segunda: criação da bancada de deputados estaduais do sul catarinense, consolidada hoje, durante reunião no gabinete do presidnete da Assembleia, deputado do sul Julio Garcia. O sul fica mais forte politicamente para encaminhar seus pleitos.

A criação da bancada do sul na Alesc

Mais detalhes, e comentários, a partir de 18h no Ponto Final, rádio Som Maior FM.  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/03/2019 - 06:54

Numa conversa dura, ontem, o prefeito Clésio Salvaro enquadrou os vereadores do seu partido, o PSDB. 
Ele não aceitou a postura dos vereadores Dailto Feuser e Alisson Pires na sessão de segunda-feira, na votação do projeto do vereador Zairo Casagrande, que tratava da isenção da Cosip para condomínios.
O prefeito havia pedido aos vereadores da bancada, e aos outros aliados, que votassem contra a proposta. Mas Alisson se absteve de votar e Feuser votou a favor. O projeto foi derrotado por apenas um voto - 8 x 7.
A indignação de Salvaro tinha dois motivos.
Primeiro, porque os dois vereadores ignoraram o seu apelo.
Segundo, porque eles o contrariaram para seguir o vereador que mais faz oposição ao seu governo.
O prefeito foi duro com Feuser e Alisson na reunião.
Para Alisson, que não participou porque é médico e estava em horário de trabalho em um hospital, passou orientação para pedir licença da Câmara imediatamente. 
Na sua vaga vai assumir o suplente Edson Aurélio, ex-vereador.
Como Alisson é suplente, se não pedir licença, Salvaro vai mandar de volta para a Câmara os vereadores Arleu da Silveira e Roseli de Luca, que ocupam secretarias no seu governo.
Roseli, presidente do partido, comunicou o vereador Alisson.
Para Feuser, o recado foi direto: “se quiser sair do partido, a porta está aberta, considere-se liberado”.
E emendou: “em 2020 só terá legenda para ser candidato a vereador pelo PSDB quem for leal com o nosso governo”.
No final de 2018, a direção do PSDB, por orientação do prefeito Salvaro, já deu “carta de alforria” ao vereador Julio Kaminski, por seguidas votações (e posturas) na Câmara contra o governo.

Rompimento a caminho

A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, que tem reunião decisiva marcada com o prefeito Salvaro para amanhã, em Criciúma, pediu para conversar antes. Queria tentar compor uma proposta de acordo.
Queria que fosse ontem, mas só entre ela e Salvaro. 
O prefeito de Criciúma disse que teriam que estar os outros prefeitos da região.
Ela aceitou, mas acabou cancelando porque foi chamada pelo governador Moisés para uma reunião ontem, 15h, sobre o assunto.
Hoje, Salvaro viajou para Brasília. Se a presidente quiser reunião, terá que ser com o vice-prefeito Ricardo Fabris e os prefeitos da região. Mas, nada está marcado.
O que fica a cada dia mais evidente é que o prefeito Salvaro está “torcendo” que a Casan e o governo do estado não aceitem suas exigências, porque está convencido que romper o contrato é o melhor a fazer.

Fiesc na base

Elogiável a iniciativa do presidente da Fiesc, Mario Cesar de Aguiar, de transferir para o interior a diretoria da federação. Nesta semana, ficará no sul.
Até hoje pela manhã, em Tubarão e Amurel, e depois virá para Criciúma e região, onde ficará até sexta-feira.
Mario e seus diretores vão ouvir pleitos, propostas, discutir possibilidades, conhecer cases do setor produtivo e conhecer projetos bem sucedidos, apoiado pelas empresas.
Amanhã, 10h, o presidente da Fiesc será recebido no Bairro da Juventude, onde receberá homenageado e assinará um “pacto de amizade”.
Mario Cesar atendeu aos apelos feitos e revogou no fim de 2018 a decisão que cancelava liberação de recursos para operação da escola de formação profissional do Bairro.

Na Revestir

Durante da feira Revestir, em São Paulo, ontem, o presidente da Eliane, Edson Gaidzinski Junior, foi abordado pelo governador paulista João Doria (PSDB) e trocaram cartões.
Dória o convidou para um encontro no Palácio Bandeirantes.

Sem interlocução

Deputado Valdir Cobalchini (MDB) faz menção à pretensa reforma administrativa do Governo de Carlos Moisés. Em discurso ontem, na Alesc, o deputado relatou que o governador foi taxativo quando falou que chamaria as bancadas estaduais e os deputados seriam ouvidos quanto às mudanças que pretende fazer no governo Citou como exemplo o fechamento de regionais de Saúde, Celesc e Epagri. Cobalchini questiona o que está acontecendo, pois as mudanças em setores importantes estão acontecendo e os deputados ficam sabendo no dia seguinte pelo Diário Oficial.

Aproximação

O secretário da Casa Civil, Douglas Borba, tem sido o principal responsável pela aproximação do deputado Rodrigo Minotto (PDT) com o Governador Carlos Moisés. Na segunda-feira, Minotto remarcou um compromisso em Porto Alegre para participar da agenda de Moisés em Criciúma. Ao se despedir, Minotto foi taxativo: “Conte comigo, Governador”.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/03/2019 - 06:54

As circunstâncias, e o espaço de tempo, ofereceram ao governo do prefeito Salvaro as condições para que o projeto do rebaixamento na Avenida Centenário fosse levado para uma gaveta distante. E lá fosse esquecido.
Afinal, o prefeito foi abastecido por muitas informações contra o projeto. Inclusive, de técnicos conhecidos.
A discussão em torno do possível (ou, provável) rompimento do contrato com a Casan poderia ser a cortina de fumaça para desviar as atenções e tirar o assunto da pauta.
Mas, o prefeito Clesio Salvaro, PSDB, resolveu bancar a obra. Mesmo sabendo que terá polêmica a administrar até a inauguração (pelo menos).
Ele está convencido que não há risco, que será uma grande obra e que as críticas não se sustentam.
Tanto é que o edital de licitação para escolha da empresa que vai executar a obra (ou empresas) está sendo publicado hoje.
A obra está orçada em r$ 2,6 milhões.
Há grupos bem definidos a favor e contra a obra, com posições carregadas de argumentos.
Não resta duvida que Salvaro, na véspera de ano eleitoral, vai correr um risco que poderia ser dispensável.
Se a obra der errado, e os críticos de hoje tiverem razão, sua reeleição pode ficar ameaçada. 
Se der certo, vai fazer mais forte sua candidatura à reeleição (que já é muito forte).
Só que ele decide levar adiante porque tem convicção em relação ao projeto.

Susto na Câmara

Prefeito Salvaro tem motivos para estar preocupado com sua situação na Câmara de vereadores.
Na sessão de ontem, quase foi derrotado pelo vereador Zairo Casagrande, seu principal critico/opositor.
O projeto de Zairo, que pretendia isentar os condomínios da cidade do pagamento da Cosip, foi derrotado por apenas um voto - 8 x 7.
Dois vereadores do PSDB, partido de Salvaro, votaram com Zairo. Um terceiro, se absteve.
Um outro aliado do Paço, votou com Zairo.
Votação deixou evidente também que o MDB e o PP estão divididos em relação ao governo de Salvaro.

A caminho do divórcio

Como o governador Carlos Moisés, PSL, não tocou no assunto, fica fortalecido o encaminhamento para rompimento do contrato de Criciúma com a Casan.
Só o governador tem peso politico e condições de fazer negociação para convencer Salvaro a recuar.
Salvaro está decidido a romper, baseado na tese que o contrato que existe é ilegal.

A tese

A ilegalidade no contrato de Criciúma com a Casan para prestação de serviço de agua e esgoto vem da forma de contratação.
Como a Casan é uma sociedade de economia mista, a prefeitura teria que fazer contratação depois de processo licitatório (concorrência pública).
Mas, o contrato foi feito direto entre Casan e o município de Criciúma.
A tese não é nova. Vários municípios romperam com a Casam amparados na mesma tese.

O comando

No Paço Municipal já são feitas discussões sobre futuro presidente do Samae.
Ainda não há um nome definido, mas tem o perfil. 
Deve ser um gestor reconhecido, que não seja militante politico, que não tenha sido candidato, e preferencialmente sem filiação partidária.

Mãos vazias

Chamou a atenção o fato de o Governador Moisés ter vindo para reunião com o prefeito de Criciúma, na primeira viagem oficial, e não ter preparado um anuncio sequer, de uma obra, um projeto ou compromisso com alguma reivindicação da cidade.
Nem a iluminação da Via Rápida (que a Celesc está tratando), ou a liberação dos recursos previstos em convênios já assinados para pavimentação de ruas, em torno de r$ 1,8 milhão (nem que fosse uma projeção até o final do ano). 
A assinatura que fez no Cedup para transporte escolar é da rotina da gestão pública.

Apoio da Acic

Atendendo convite do prefeito Salvaro, a diretoria da Acic fez sua reunião semanal de ontem à noite no Paço municipal.
O prefeito pediu apoio da Acic na discussão (e futuro encaminhamento) sobre o contrato com a Casan e também sobre mudanças que serão propostas na Câmara de vereadores para o CriciumaPrev. O vice-prefeito Ricardo Fabris e secretários municipal também participaram.
A direção da Acic, presidida pelo empresário Moacir Dagostim, prometeu apoio para as questões apresentadas e aproveitou para apresentar sugestões para áreas de educação, saude infraestrutura e investimentos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/03/2019 - 20:25Atualizado em 12/03/2019 - 04:48

O prefeito Clésio Salvaro, PSDB, conseguiu vitoria apertada na sessão de hoje da câmara de vereaodres e ficou diante de uma situação delicada com a sua base, incluindo o seu próprio partido, o PSDB.

Por apenas um voto (8 x 7) foi derrotado o projeto do vereador Zairo Casagrande que pretendia isentar os condomínios da cidade do pagamento da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública (Cosip). 

Dois vereadores do PSDB votaram a favor do projeto - Dailto Feuser (ex-presidente do partido) e Julio Kaminski. Outro aliado, vereador Julio Colombo, PSB, também.

Outros que votaram a favor - Edson Paiol, PP, Paulo Ferrarezi e Ademir Honoraro, MDB, e o autor do projeto, Zairo Casagrande, PSD (em litigio com o partido).

Outro vereador do PSDB se absteve da votação - Alisson Pires.

Votaram contra o projeto - Camila do Nascimento e Salesio Lima, PSD, Pastor Jair, PSC, Marcos Meller e Geovana Benedet, PSDB, Miri Dagostim, PP, Toninho da Imbralit, MDB, e Aldinei Potelecki, PRB, novo lider do governo, que se saiu bem na "primeira prova de fogo" .

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/03/2019 - 06:53

Colaboração: Denis Luciano

Como o governador Carlos Moisés (PSL) vem na prefeitura de Criciúma três dias antes da última reunião sobre o contrato da Casan com o município, a reunião que terá com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB), vai antecipar o que será decidido.
Há duas possibilidades para isso. 
A primeira, o governador se mostrar interessado em reverter o que está encaminhado (rompimento do contrato), e apresentar uma proposta nova, que seja “atraente”.
A segunda, o governador não tocar no assunto, e seguirá o que está projetado.
Se depender do prefeito Salvaro, nada será tratado sobre Casan durante a passagem do governador Moisés. Ele quer o desfecho pelo rompimento. Está convencido que o contrato é ilegal, passível de anulação.
Além disso, Salvaro tem dados que mostram que a tarifa cobrada pela Casan é o dobro do que é cobrado pelos Samaes.  
Pelo que estava alinhado ontem à noite, a manutenção ou não do contrato da Casan com o município de Criciuma não deverá constar na pauta do governador na cidade. Pelo menos, oficialmente.
É possível que o governador trate do assunto em conversa reservada com o prefeito no deslocamento que farão entre a prefeitura e o Cedup.
O governador Moisés deverá chegar na prefeitura às 8h45. Virá de helicóptero.
Será a primeira viagem oficial à região, e a segunda ao interior do estado (a primeira foi a Joinville). 
Depois da reunião da prefeitura, o governador terá eventos no Cedup e no IMA.
O prefeito Salvaro vai apresentar a pauta de reivindicações da cidade, montada em conjunto com Acic, Unesc, CDL e Amrec, que destaca a implantação da última etapa do Anel de Contorno Viário, iluminação e sinalização da Via Rápida, restauração da Rodovia Jorge Lacerda e implantação do Centro de Inovação.

Checagem final

Prefeito Salvaro marcou reunião para as 8h com presidente da Acic, Moacir Dagostim, reitora da Unesc, Luciane Cereta, e presidente da CDL, Andreia Salvalággio, para confirmação da pauta que será entregue ao governador.

Com deputados

A orientação da assessoria do Governador ao prefeito Salvaro, na sexta-feira, foi que a reunião na prefeitura poderia ter até cinco pessoas, sem deputados e sem prefeitos de outras cidades.
Mas o próprio governador Moisés convidou o presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia, e mandou estender o convite aos outros deputados da cidade.
Depois disso, os prefeitos da Amrec também foram convidados.

Chapa pura

O deputado Jessé Lopes anuncia que o PSL terá candidato a prefeito de Criciúma em 2020. Independente da posse do seu pai, Julio Lopes, na presidência da Fundação Cultural.
No sábado ele fez o anuncio da candidatura do PSL e acrescentou: “Quer quer um PSL de chapa pura e sem uso do dinheiro público, vem comigo”.
Deu a entender que ele será o candidato.

Uma candidata

O PT de Criciúma poderá ter a professora Giani Rabelo como candidata a prefeita em 2020.
Giani foi secretária de Educação de Criciúma no governo Décio Góes. É fundadora do partido e militante ativa.
Décio Góes deve transferir seu domicilio eleitoral do Rincão para Criciúma, mas já informou aliados e filiados petistas que não vai disputar em 2020.

Nova UDN

Julio Lopes, ex-presidente do PSL de Criciúma, pai do deputado Jessé Lopes, oficializou a criação da UDN em Santa Catarina, ontem, em Lages.
A UDN apóia o presidente Jair Bolsonaro. Informações de bastidores em Brasília sinalizam que Bolsonaro deve deixar o PSL e passar para a UDN ainda no primeiro semestre.
Julio passa a ser o comandante da UDN em Santa Catarina.
Durante a semana, ele deve assumir a presidência da Fundação Cultural de Criciúma.

Celesc em casa nova

Definido o novo “endereço” da regional da Celesc em Criciúma. Será na avenida Centenário, próximo do cruzamento com a rua Henrique Lage, próximo da Loja Tramontina.
A “mudança” deve ser feita até final do mês.
O prédio no centro é alugado e será devolvido.

Elevador

Vereador Zairo Casagrande provoca pauta polêmica hoje na Câmara. Quer a derrubada do que chama de cobrança dupla da Cosip para quem mora em condomínios. E explica: o morador do apartamento paga por sua unidade e paga pelo condomínio todo. Bitributação. Casagrande garante que síndicos e condôminos vão fazer aquela pressão nos vereadores. E outra: ele distribuiu nota ontem com essa foto, mais uma, do elevador quebrado no Terminal Central e lascou: “uma rampa resolve. E encerra a polêmica da ideia infeliz do rebaixamento da Centenário”. Mais um ataque a um projeto do Governo Salvaro. Enquanto isso, o vereador não trata da sua saída do PSD, partido do vice-prefeito. Ele foi convidado a se retirar. Diz que só tratará disso mais perto de outubro.

Arlindo e o Tigre

Não bastassem as broncas de prefeito de Maracajá e presidente da Amesc, Arlindo Rocha está entrando em campo pelo Tigre. Ontem, ele literalmente vestiu a camisa e foi para a entrevista coletiva da direção pedir apoio ao presidente Dal Farra e à GA. Missão inglória, embora seja ele um tribuno reconhecidamente competente. Deixou no ar uma crítica ao modelo de gestão do Criciúma, com o locador e o locatário sendo a mesma figura, no caso, Dal Farra. Crítico da reeleição, por isso não buscará novo mandato em Maracajá e, sempre que questionado, afirma: quer disputar eleição majoritária em Criciúma. Ele é muito próximo do prefeito Salvaro.

Subiu

Não foram poucos os consumidores que usaram as redes sociais no domingo para reclamar do aumento do preço dos combustíveis. “O litro da gasolina está R$ 4,07 aqui”, referiu um, citando posto que cobrava menos de R$ 4 até poucos dias atrás. “Não tem mais um posto com gasolina a menos de R$ 3,99”, reclamou outro. Procon prometeu continuar com as pesquisas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/03/2019 - 06:55

Colaboração: Denis Luciano

O ex-deputado federal Jorge Boeira, PP, é no momento o principal possível adversário do prefeito Clesio Salvaro, PSDB, mapeado para a eleição de 2020.
Boeira e o PP estariam se movimentando para tentar repetir aliança com o MDB, que ressaltou a candidatura a reeleição de Marcio Burigo, em 2016.
No MDB, há resistência para novo acordo com o PP, diante do fracasso eleitoral de 2016, e pela dificuldade de convencer o eleitor a trabalhar para um partido que é adversário histórico na cidade e no estado.
De outro lado, o MDB tem dificuldades para emplacar um candidato. Simplesmente por falta de opções.
O deputado Luiz Fernando Vampiro, que seria o candidato natural, não quer nem falar no assunto. O ex-deputado Ronaldo Benedet, também não.
O PT terá candidato, que pode ser o ex-prefeito Décio Góes.
O PSL também deve ter candidato. Mas, o PP “sonha" em atraí-lo para sua aliança.
Há nomes sendo especulados que seriam tratados como fatos novos. Cesar Smielevski, Gildo Volpato, Coronel Marcio Cabral e coronel Cosme Manique. Nenhum deles tem filiação partidária.
Também são citados Julio Kaminski (de saída do PSDB), deputado Daniel Freitas e Acelio Casagrande (ainda no MDB, mas pode ser por pouco tempo).
O número de pretendentes aumentaria consideravelmente se Salvaro não fosse candidato.
Mas, como ele é candidatíssimo à reeleição, afugenta muitos interessados.
A ponto de hoje, fora algumas especulações (sem muita consistência, a maioria delas), só Boeira mesmo é que tem emitido sinais evidentes de disposição a entrar na disputa.
Outra definição já sacramentada para 2020 é que Salvaro vai repetir a chapa com Ricardo Fabris (PSD), de vice.

Julio assume

Está resolvido: Julio Lopes vai dizer “sim" para o prefeito Salvaro e assumir a presidência da Fundação Cultural de Criciúma (FCC).
O deputado Jessé Lopes (PSL), filho de Julio, esteve nesta sexta-feira com o prefeito e comentou: “para assumir a fundação, o pai vem até de graça, ele é louco por isso”.

Pela escola

Prefeito Salvaro e deputado Jessé trataram na reunião principalmente da possível instalação de uma escola militar em Criciúma. O deputado está empenhado no assunto. O prefeito deu apoio.

Moisés por 40 minutos

A reunião do governador Carlos Moisés (PSL), segunda-feira, na prefeitura de Criciúma, com o prefeito Clesio Salvaro (PSDB), será de no máximo 40 minutos. Foi a orientação passada pelo secretário da Casa Civil, Douglas Borba, ao prefeito.

Com deputados

O governador Moisés convidou o presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia (PSD), para acompanhá-lo na reunião com Salvaro, e na agenda que será cumprida no sul. Convidou também os demais deputados da região.

Sem Casan

Prefeito Salvaro desistiu de tratar da Casan com o governador Moisés, na segunda-feira. Só vai falar a respeito, se o governador tomar a iniciativa.
Ele está com tudo pronto para encaminha a rescisão de contrato na reunião de quinta-feira com a presidente da Casan, Roberto dos Anjos.

Conversa reservada

Governador Carlos Moisés e o presidente da Assembleia, deputado Julio Garcia, tiveram conversa reservada de mais de três horas nesta sexta-feira.
O governador foi ao sitio do deputado, em Florianópolis. Só duas testemunhas de parte da conversa: Eron Giordani, chefe de gabinete da presidência da Assembleia, e Douglas Borba, secretário da Casa Civil do Governo do Estado.    

Nome novo no Paço

O empresário Claiton Galdino foi convidado pelo prefeito Salvaro para assumir a diretoria de Inovação e Tecnologia da prefeitura. Galdino foi indicado pelo vereador Aldinei Poteleck (PRB), líder do governo municipal na Câmara. Ele pediu cinco dias para responder.

Merísio no PRB

Ato contínuo às falas do presidente nacional Gilberto Kassab a favor de Raimundo Colombo no comando do PSD estadual, Gelson Merisio prepara seu futuro. Informou o jornalista Marcelo Lula que o ex-deputado vai para o PRB, tendo garantido o comando do partido e encaminhado candidatura ao Governo do Estado em 2022. Três deputados estaduais do PSD, o prefeito Gean Loureiro (MDB), de Florianópolis, e o prefeito de Chapecó, Luciano Bulligon, deverão acompanhar Merisio.

Barulho

Estão afixados nos mais de 400 condomínios de Criciúma convites para a votação de projeto do vereador Zairo Casagrande que promete render segunda-feira, na Câmara. O vereador sugere que a Cosip é cobrada duas vezes de quem mora em apartamentos. Ele quer derrubar essa suposta bitributação e lembra que, outra vez, o projeto foi à pauta e aprovado mas, após veto do prefeito Salvaro, a maioria mudou de ideia e manteve o veto. Não se tem a conta com previsão, mas é bastante elevado o impacto disso na arrecadação do imposto.

De olho

Já pensando em 2020, o presidente Lucas Esmeraldino reuniu a executiva do PSL nesta sexta. O plano é ter boa parte das executivas municipais homologadas até maio. Nessa articulação foram envolvidos os deputados do partido. A vice-governadora Daniela Reinehr foi indicada presidente do PSL Mulher.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/03/2019 - 06:54

Com projeto do Samae, prefeito Salvaro reduz margem de negociação com Casan. O prefeito Clesio Salvaro, PSDB, fez a partir de ontem um caminho praticamente sem volta. Se a Casan não aceitar todas as suas condições, o rompimento do contrato passa a ser praticamente irreversível.
Salvaro encaminhou projeto de lei à Câmara, que deverá ser aprovado pelos vereadores, para criação do Samae (serviço municipal de água e esgoto).
Ontem, apresentou o projeto aos vereadores e fez a defesa enfática, pedindo aprovação.
Antes, reuniu prefeitos da região para consolidar a proposta de criação do consórcio que deve gerir, junto como Samae de Criciúma, o sistema de água e esgoto.
Desta vez, Salvaro não ficou só na tese. Ele avançou no assunto.
Tratou de buscar assessoria técnica e jurídica. O ex-superintendente regional da Casan, engenheiro Vilmar Tadeu Boneti, é um dos seus “conselheiros”. Pode ser evolvido na eventual operação do Samae.
Trata-se de uma decisão polêmica, ousada, arriscada até. Ainda mais, no segundo tempo do mandato. Só para ajustar tudo, se rompimento for mesmo o encaminhamento, pode demorar meses. E pode desgaste enquanto isso. Mas, o prefeito parece decidido.
A reunião do dia 14, semana que vem, pode ser curta. Porque restou margem estreita para negociação.
Ou a Casan aceita as condições apresentadas pelo prefeito, ou os pratos serão quebrados.
De outro lado, um eventual rompimento de Criciúma com a Casan será um desgaste pesado para o governo do Comandante Moises, em pouco mais de 60 dias de mandato, quando ainda está tentando tomar pé da situação.
Por isso, é muito provável que o assunto seja levado para o “andar de cima”, para que o próprio governador Moisés faça as últimas conversas.

E as obras?

A Casan tem um importante cronograma de obras para Criciúma. A próxima é a ampliação da rede de esgotos para o Bairro São Luiz e partes do Michel e Santa Bárbara, em um investimento de R$ 25 milhões. E tem a Estação de Tratamento de Esgoto da Vila Selinger. Quando do auge dos questionamentos à Casan, a estatal chegou a estimar um investimento superior a R$ 200 milhões na cidade. E esses novos poderão, naturalmente, ficar comprometidos em caso de rompimento. A lembrança foi feita ontem pelo vereador Aldinei Potelecki (PRB), líder do governo Salvaro. Mas ele comentou que tais obras poderiam ser absorvidas pela prefeitura ou então avalia-se ir à Justiça para garantir a execução das mesmas. Será outro pano para a manga dessa novela.

Alguém tem que fazer

Assembleia Legislativa, pilotada pelo presidente Julio Garcia, fez tacada de mestre.
Reuniu lideres dos partidos e definiu uma solução para os incentivos fiscais.
Governo do estado não resolveu, ficou de mandar projeto e não mandou.
Em síntese, os decretos editados no final de 2018 terão efeitos suspensos até 31 de julho, por projeto de iniciativa dos deputados.
Enquanto isso, Governo tem prazo para construir um novo modelo de concessão dos benefícios.

Os indevidos

O ex-governador Eduardo Moreira, MDB, afirmou ontem, durante entrevista exclusiva para a Rádio Som Maior, direto de Londres, que havia de fato benefícios fiscais indevidos, concedidos por governos passados.
Ele disse acreditar que a CPI instalada na Assembleia, se bem encaminhada, terá plenas condições de apurar todas as irregularidades. “Se fizer isso, a CPI prestará um grande serviço ao estado”, arrematou.

Chapa para 2020

Eduardo Moreira repetiu que está fora da disputa pela presidência estadual do MDB, entende que o senador Dário Berger é o mais indicado para a função e se apresento como candidato ao senado em 2020.
Ele entende que a chapa do MDB em 2020 pode ter Berger como candidato a governador e ele para o Senado.

Mudança no PSD

O presidente nacional do PSD, ex-ministro Gilberto Kassab, confirmou ontem, durante entrevista exclusiva para a Rádio Som Maior, direto de Madri na Espanha, que o partido terá nova executiva até julho. Mas, rechaçou a possibilidade de intervenção.
Disse que o processo será feito em vários estados, onde o desempenho do PSD foi abaixo do esperado na eleição de 2018, inclusive no seu estado, São Paulo.
Um novo diretório será montado, segundo ele, pelo líderes do partido no estado, em entendimento com a direção nacional.
O ex-governador Raimundo Colombo deve ser o novo presidente estadual do PSD, substituindo o atual presidente, ex-deputado Gelson Merisio.
Kassab e Colombo estão em Madrid, na Espanha, participando de um evento de discussão política, representando o PSD.

Bilionários

Se você entrou em uma das lojas da Havan em Criciúma ontem, ajudou o empresário Luciano Hang a figurar na lista dos 58 bilionários brasileiros. A badalada relação, da Revista Forbes, indica que Hang é o único catarinense nesse topo das fortunas do Brasil. Ele ocupa a 21ª posição nacional e a 1057ª mundial. Sua fortuna está estimada em 2,2 bilhões de dólares, algo em torno de R$ 8,3 bilhões. Para Hang, “basta ser perseverante e ter coragem de investir”. No ano passado ele teve um ensaio político, especulou-se uma candidatura a governador mas ficou fora das urnas. Fez campanha para Jair Bolsonaro com entusiasmo. O empresário mantém 120 lojas em 16 estados, e quer chegar a 200 unidades em 2022.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/03/2019 - 11:51Atualizado em 06/03/2019 - 11:58

O prefeito Clésio Salvaro, PSDB, está reunido agora com vereadores na prefeitura, apresentando o projeto que vai encaminhar à Câmara para criação do SAMAE de Criciúma.

É mais um passo que ele dá na preparação para assumir o sistema de agua e esgoto do municipio, rompendo contrato que o município tem com a Casan.

Antes, Salvaro se reuniu com prefeitos da região, quando consolidou a idéia de um consórcio entre seis municipios para gerir o sistema.

Foi dito na reunião com os prefeitos e repetido no encontro com os vereadores - "se a Casan não responder positivamente no dia 14, aceitando os pleitos de Criciúma, o contrato será rompido e no dia 1 de abril o Samae assume o sistema em Criciúma".

O diretor executivo da Amrec, Acelio Casagrande, está atuando diretamente no assunto, fazendo a articulação com prefeitos, e tendo a assessoria do ex-superintendente regional da Casan, engenheiro Vilmar Boneti. 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13