Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/06/2018 - 11:30

A equipe principal só entra em campo em setembro, mas o Próspera estreou ontem no Estadual de Juniores da Série C. Em Itajaí, perdeu para o Itajaí por 4 a 2. “Mas foi uma boa arrancada. Animadora”, avaliou o presidente Dorval Arriola. “Nosso time é sub-17 e totalmente da casa”, lembrou. O próximo compromisso será sábado, no Mário Balsini, contra o Curitibanos.

Próspera tomou 4 a 2 em Itajaí ontem à tarde / Foto: Alex Dickel / CA Itajaí / Divulgação

Ainda na base, o Casa Lar Irmã Carmen, de Araranguá, faturou no sábado o título do Campeonato Catarinense Infantil, categoria Aberto. Na final venceu o Metropolitano de Blumenau, 1 a 0, e levantou a taça invicto.

Irmã Carmen, de Araranguá, campeão catarinense infantil no sábado / Foto: Divulgação

A bola rolou na quinta rodada da Série B do Catarinense. O Camboriú isolou-se na liderança. Venceu o Barroso por 2 a 1 e chegou a 13 pontos. O Marcílio Dias ganhou do Barra, 1 a 0, e está em segundo com 11. Nos demais jogos, Fluminense de Joinville 0x0 Juventus, Guarani 0x1 Metropolitano e Blumenau 3x0 Operário.

Camboriú, do técnico Mauro Ovelha, lidera a Série B do Catarinense / Foto: Divulgação

No Brasileiro, Tubarão fora

Acabou o Brasileiro para o Atlético Tubarão / Foto: CA Tubarão / Divulgação

Acabou o sonho do Atlético Tubarão de subir para a Série C do Brasileiro. No sábado, em Porto Alegre, despediu-se da Série D ao perder para o São José por 2 a 0. O Joinville conseguiu, de virada, vencer e deixar a lanterna da Série C. Bateu o Tombense por 3 a 1 ontem na Arena Joinville e chegou a 10 pontos. Rafael Grampola, duas vezes, e André Baumer marcaram. O JEC volta a campo sábado, fora de casa, diante do Bragantino.

Joinville buscou a virada e ainda respira na Série C / Foto: Beto Lima / JEC

Na Série B o Figueirense conquistou importante ponto fora de casa no sábado. Empatou com o Coritiba, 1 a 1, e está em terceiro lugar. A surpresa da rodada foi a derrota do líder Fortaleza em casa para o Oeste, 2 a 1. Confira mais da rodada do fim de semana no jornal A Tribuna de hoje.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/06/2018 - 10:50Atualizado em 25/06/2018 - 10:52

“Brasília, Brasília”, gritou um animado grupo vestindo azul e vermelho. “Não, não, Brasília não. Lá só tem ladrão”, respondeu às gargalhadas a festiva galera de verde e amarelo que compartilhava aquela limpa calçada de São Petersburgo em uma noite clara da “semana branca” russa. 

“É que, em russo, Brasil eles falam Brasília”, explica o empresário Maurício Nassif, agente Fifa que curte nas cidades da Rússia a sua sexta Copa do Mundo. “Os mexicanos e os argentinos são com quem a gente mais faz festa aqui”, adianta o ex-diretor de futebol do Criciúma, Lesbon Aguiar, um de tantos que compartilha as emoções do Mundial.

A Rússia é um país gigantesco. Com seus 17 milhões de quilômetros quadrados, servem dois Brasis dentro dela, que se esparrama do leste europeu aos confins asiáticos, na costa do Japão. São 20 mil quilômetros de fronteiras com 14 países. “Tudo é grandioso, organizado e limpo. É um povo muito educado”, atesta o advogado Francisco Balthazar. “A educação é, certamente, herança do antigo regime. Foram 70 anos de investimentos pesados”, afirma, lembrando que a Rússia atual é um capitalismo de 30 anos, ante sete décadas de socialismo. 

Róbson Izidro, Albert Zilli, Chico Balthazar e amigos em Rostov, antes da estreia do Brasil

No podcast, o bate papo do Jornal das Nove da última segunda-feira, 18, com Albert Zilli e Chico Balthazar.

“Poydite v pantomimu”

O idioma deles beira o inalcançável para o falante do português. Foneticamente, “dobroye utro” é “bom dia”. E “skol´ko eto stoit?” é o necessário “quanto custa”, para saber quanto pagar pela comida, água e, claro, pela “kholodnoye pivo”, a cerveja gelada. 

“Pouquíssima gente fala inglês aqui”, refere o advogado Alberto Zilli dos Santos, diretor jurídico do Criciúma e que está na Rússia desde a abertura da Copa. “Um em cada dez russos arrisca no inglês”, apostava, antes de partir para a Rússia, o criciumense Jorge Davi, que se mistura aos 23 amigos da Confraria da Máquina. Eles embarcaram essa semana e a conta mudou. Para menos. “Muito menos gente fala inglês”, ressalta Jorge. Problemas? “Que nada”, diz Albert. “Vai na mímica”, completa. Ou, em russo, “poydite v pantomimu”, ajuda o Google Tradutor.

“A gente fala em português, o aplicativo traduz para o russo. O taxista ouve. Responde em russo, o tradutor passa para o português e assim conversamos, nos divertimos e aprendemos”. É assim, segundo Maurício Nassif, que vão sendo os dias inesquecíveis na Rússia. 

Cláudio Gomes, Taffarel e Alisson em treino da Seleção em Sochi

No podcast abaixo, a entrevista da última terça-feira com Lesbon Aguiar, mais um dos muitos criciumenses na Rússia.

Krome togo, Braziliya!

“Pra cima deles, Brasil!”. O título acima, em russo, carregava a torcida mais vibrante dos russos antes de a bola rolar. Porém, a Copa começou e eles sentiram que podem ir mais longe. “Os russos são apaixonados pelo futebol brasileiro”, observa o empresário Maurício Nassif. “Eles amam o Brasil”, reforça o advogado Albert Zilli dos Santos.

“Mas acontece que, com a Rússia ganhando, agora eles acreditam”, detalha Nassif. “Nos falam até em uma semifinal, uma final contra o Brasil”, complementa. Na Copa vista das confortáveis cadeiras das arenas – os brasileiros já conheceram as de Rostov e São Petersburgo, e quarta estarão na Arena Spartak, em Moscou –, há algumas certezas em comum. “Não jogamos nada na estreia”, lamenta Lesbon Aguiar. “Mas é bom começar na crescente”, atenua Cláudio Gomes. “O árbitro nos prejudicou”, lembra Albert, sobre o 1 a 1 com a Suíça.

 Francisco Battistotte, Jaime Dal Farra, Maurício Nassif e Rubinho Angelotti na Rússia

O bate papo com Maurício Nassif no Jornal das Nove de quarta-feira você confere no podcast abaixo:

Emoção sem igual

Se a banalização dos hinos executados em quaisquer jogos de futebol no Brasil tira um pouco do encanto cívico, na Copa do Mundo é diferente. “O futebol é uma parte da festa”, pondera Jorge Davi. “Mas quando o hino toca, a emoção bate”, afirma Albert. “Nos emocionamos todos”, disse. “Toca profundo na alma, e não se sente isso todo dia”, refere.

E parece que essa emoção não perde validade mesmo com vários carimbos no passaporte. Maurício Nassif que o diga. Está em sua sexta Copa. “De 94 para cá só não fui na da África do Sul, minha esposa estava grávida”, revela. “Estados Unidos, França, Alemanha, Japão, Coréia do Sul, maravilhosas. A pior de todas foi a do Brasil”, avalia. “A Rússia se preparou muito bem”, comenta, referindo uma das tantas vantagens oferecidas aos visitantes. “O mais importante aqui nem é o ingresso, é o fan id”. Trata-se da credencial que cada torcedor carrega. “Com ela, andamos de graça qualquer dia, qualquer hora, no metrô, no ônibus”, explica.

Maurício Nassif na sua sexta Copa do Mundo. Em uma das arenas com a esposa Fernanda

No Jornal das Nove de quinta-feira a conversa foi com Cláudio Gomes direto da Rússia. Confira:

Leia a matéria completa nas páginas 28 e 29 do jornal A Tribuna hoje.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/06/2018 - 08:51Atualizado em 25/06/2018 - 08:54

Em bate papo com o Adelor Lessa hoje cedo, direto da Rússia onde está acompanhando a Copa do Mundo, o presidente do Criciúma, Jaime Dal Farra, comentou sobre os movimentos de conselheiros que pediram reunião extraordinária do Conselho Deliberativo que vai acontecer na noite desta segunda-feira. Na pauta, o contrato da GA com o clube e o momento do futebol tricolor.

Dal Farra pediu apoio. "Estou estranhando isso, parece uma coisa política, parece coisa de alguém que não gosta do Criciúma. As pessoas só sabem criar tumulto", lascou.

Foto: Denis Luciano / 4oito / Arquivo

O dirigente voltou a expor números para exemplificar a difícil fase do Criciúma. Disse que o clube está com déficit mensal de R$ 450 mil e, neste ano, já alcança R$ 2 milhões negativos, devendo chegar a R$ 5 milhões. "No ano passado tirei R$ 6,5 milhões do meu bolso".

Além de demonstrar estranheza com a mobilização dos que questionam o contrato da GA com o Criciúma, Dal Farra reforçou que "com o dinheiro que entra dava pra disputar uma Série C mais ou menos", reforçando a debilidade das finanças tricolores e pedindo apoio. "Afinal, milagre só Jesus Cristo fez há 2018 anos".

Antes da viagem à Rússia, Dal Farra com Mazola e Pandolfo / Foto: Denis Luciano / 4oito

De volta da Rússia na quinta-feira, Dal Farra já vai conferir o próximo jogo do Tigre, sábado com o São Bento, no Heriberto Hülse. Disse que autorizou contratações "até de alguém mais caro" mas que venham "jogadores que resolvam". E que pediu um relatório para saber a razão de tantas lesões, citando os atacantes Lucas Coelho (que voltou quinta contra o Brasil e está de novo lesionado no joelho, pela terceira vez) e Zé Carlos (já com duas lesões). "Algo não está funcionando".

Outra lesão de Lucas Coelho / Foto: Denis Luciano / 4oito

O bate papo do presidente Dal Farra com o Adelor Lessa você confere no podcast abaixo. Trato mais do assunto daqui a pouco no Jornal das Nove na Som Maior.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/06/2018 - 14:05Atualizado em 24/06/2018 - 14:18

Um domingo voltado para o futuro do Criciúma. Dentro de campo, dois times de base fizeram bonito na rodada do Campeonato Catarinense. Fora dele, o clube tornou pública sua mais nova campanha para aproximar o Tigre dos torcedores de amanhã.

A manhã foi de muitos gols no CT Antenor Angeloni, pela sexta rodada do Campeonato Catarinense. Na categoria Infantil, o time sub-15 ganhou do Concórdia por 3 a 1, com gols de Italo, Weliton e Vitor. O time tricolor chegou a 13 pontos e está em terceiro lugar.

Manhã de vitórias do Criciúma sobre o Concórdia

No sub-17, a equipe juvenil do Criciúma atropelou o Concórdia, ganhando por 7 a 0. O destaque ficou por conta do atacante Julimar, que marcou dois gols. É ele mesmo, o Julimar que vem treinando entre os profissionais e esteve no banco na derrota de quinta-feira pela Série B, 1 a 0 para o Brasil em Pelotas. Reinaldo, duas vezes, Igor Maranhão, duas vezes, e Rulian completaram o placar.

"O Julimar tem idade de sub-17, joga no nosso sub-20 e o Mazola Júnior vem gostando dele nos treinos do profissional", comenta o coordenador das categorias de base, Serginho Lopes. "Estamos preparando ele com o time juvenil para a Taça BH". O Criciúma vai encarar essa importante competição a partir de 17 de julho, quando estreará contra o Atlético Goianiense. Depois jogará nos dias 20 e 22 contra Porto Vitória (ES) e Cruzeiro.

Tigrinhos marcaram dez gols e sofreram apenas um

Voltando ao Catarinense, a vitória foi reabilitadora no Estadual de Juvenis. O Criciúma chegou a 9 pontos e está na sétima posição. Mas tem muitas rodadas pela frente ainda. A rodada dos Juvenis teve, ainda, Figueirense 2x1 Avaí, Chapecoense 2x1 Joinville, Brusque 0x2 Tubarão e Inter de Lages 0x3 Guarani. O Figueirense lidera com 16 pontos, seguido por Avaí com 14, Chapecoense e Guarani, com 12, Tubarão e Concórdia, com 11 pontos.

No sub-15, a rodada teve ainda os jogos Chapecoense 1x1 Joinville, Brusque 0x1 Tubarão e Figueirense 0x2 Avaí. Na frente do Tigre estão Chapecoense, com 16, e Avaí, 15 pontos. Logo atrás do terceiro Criciúma aparece o Tubarão, com 11 pontos. No sábado que vem, 30, juvenis e infantis vão a Pedras Grandes encarar o Tubarão no estádio Nardi Mello.

Campanha para a criançada

Berçário do Tigre, novidade para a futura geração tricolor

O Criciúma tornou pública neste domingo a campanha "Berçário do Tigre". "Com o objetivo de estreitar a relação com o torcedor e a família carvoeira", explicou a nota expedida, o clube vai receber pais, avós, tios e sócios do Criciúma que poderão levar de 15 em 15 dias, aos sábados pela manhã, os pequenos de zero a 4 anos para um passeio pelo Majestoso, para bater fotos e jogar bola no gramado. "Ao final, será efetuado um batizado da criança, oficializando como Torcedor Mirim do Tigre". As inscrições podem ser feitas na secretaria do estádio Heriberto Hülse e pelo telefone 3046.7576.

Chance para enturmar os futuros tricolores com o Tigre

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 23/06/2018 - 13:05Atualizado em 23/06/2018 - 13:05

O técnico Mazola Júnior almoça neste sábado ao sabor das novidades sobre contratações. É a pauta principal da conversa com o superintendente Róbson Izidro, que o convidou para partilhar da refeição e de um bate papo sobre os investimentos que o Criciúma ainda almeja fazer.

"Estamos na reta final de algumas tratativas que o Nei (Pandolfo, diretor de futebol) está encaminhando", confirmou Izidro no final da manhã, no CT Antenor Angeloni, pouco antes de partir para o almoço com o treinador.

Mazola no treino de hoje pela manhã no CT / Foto: Denis Luciano / 4oito

Pandolfo acelerou nas últimas horas as negociações para anunciar logo um lateral direito e um meia. Há chances também de vindas de um volante e um atacante, e o Criciúma procura mais um goleiro. "Temos negociações em andamento", resumiu Izidro.

O presidente Jaime Dal Farra segue na Rússia, e deverá estar em Criciúma no próximo final de semana. O superintendente assegurou que a ausência dele não tem causado embaraço às transações que o clube faz. Há dependência de outros clubes e "suas revisões de elenco na parada da Copa", reforçou algumas vezes o diretor Pandolfo.

Atacante Nicolas em treino forte da manhã de hoje / Foto: Denis Luciano / 4oito

Surgiu nas últimas horas uma especulação de que o meia Luiz Fernando estaria sendo sondado por ao menos dois clubes de Série A: Bahia e Flamengo. "Não temos nada, não recebemos nada, não há nada neste sentido", assegurou Izidro. Reabilitado por Mazola, Luiz Fernando vive sua melhor fase no Criciúma.

Ganhos e perdas para sábado

Luiz Fernando é um dos desfalques do Criciúma para a próxima rodada. No sábado que vem ele não encara o São Bento no Heriberto Hülse. Vai cumprir suspensão devido ao terceiro cartão amarelo. O volante Jean Mangabeira também, está fora pela mesma razão.

Zé Carlos treinou normalmente. Vai para o jogo / Foto: Denis Luciano / 4oito

Mas há boas notícias. O atacante Zé Carlos, recuperado de lesão, já foi liberado para a transição e treinou com bola no gramado do CT, supervisionado pelo preparador Ramon Fabris. "Era um edema, não chegou a ser lesão grau 1, mas como foi um edema grande resolvemos tratar como lesão. Agora ele está tranquilo e liberado", garantiu o médico Ricardo Furtado.

De fato, Zé estava muito à vontade. Antes de começar o treino, ele brincou por alguns minutos com a bola. Fez embaixadinhas, sorriu bastante e demonstrou estar bem. É retorno certo ao time diante do São Bento. Assim, Mailson deve perder lugar e Lucas Coelho continuará aguardando no banco.

Wallacer e Carlos Eduardo hoje, no CT / Foto: Denis Luciano / 4oito

Outro que também se recuperou e já faz transição é o atacante Vitor Feijão. "Ele fez uma lesão muito pequena, parecida com a do Jean Mangabeira. Agora está bem", reforçou o médico tricolor. O lateral direito Sueliton segue no DM. "Ele ainda tem dor, mas planejamos a ida dele para a transição na terça-feira", antecipou Furtado. Logo, há chances de Sueliton voltar ao time contra o São Bento. "Mas vai depender de uma reavaliação até sexta-feira", sublinhou o médico.

Goleiro Vinícius indo de novo para a Seleção / Foto: Denis Luciano / 4oito

O atacante Andrew esteve fora do jogo em Pelotas por conta de um desconforto muscular. Já está bem. No podcast abaixo, o bate papo da reportagem hoje pela manhã com o médico Ricardo Furtado. Ele fala de Zé Carlos, Sueliton, Vitor Feijão e ainda do volante Eduardo e do goleiro Ronaldo. Confira:

O treino da manhã foi bastante movimentado. Enquanto os titulares fizeram academia e regenerativo, os que jogaram pouco tempo na quinta e os reservas trabalharam taticamente, com uma atividade de ataque contra defesa. Carlos Eduardo, Eltinho e Artur cruzaram bastante contra os zagueiros Jacy Maranhão e Ianson, com a cobertura dos volantes Liel e Leandro Melo e as coberturas e articulações de Wallacer, Eduardo e Alex Maranhão mais os arremates de Kalil e Nicolas, com os goleiros Vinícius, Ronaldo e Diego se revezando.

Jacy Maranhão não quis saber de brincadeira no treino / Foto: Denis Luciano / 4oito

Sobre goleiros, Vinícius fez neste sábado seu último treino antes de mais uma apresentação à Seleção Brasileira Sub-20. Ele viaja e na segunda-feira já estará com seus companheiros em Belo Horizonte, onde ficará até o dia 5 de julho. Assim, Ronaldo, recém recuperado de uma lesão no joelho, e Diego, jovem vindo do sub-20, são as duas opções de Mazola para a suplência de Luiz. Por isso, o Criciúma ainda quer mais um goleiro com experiência. Luiz completa 200 jogos pelo Criciúma no sábado que vem.

Eduardo, recuperado de lesão, vai jogar contra o São Bento / Foto: Denis Luciano / 4oito

O domingo será de folga. Na segunda, treinos em dois turnos. De terça a sexta, um turno, pela manhã, com folgas nas tardes. Se arrisco um time contra o São Bento? Arrisco, com Luiz, Sueliton (Ralph), Nino, Fábio Ferreira e Marlon, Liel, Eduardo, Marlon Freitas e Elvis, João Paulo e Zé Carlos. A aguardar.

Liel e Leandro Melo, opções ao suspenso Jean Mangabeira / Foto: Denis Luciano / 4oito

A base do Criciúma segue em várias frentes. Pelo Regional da LUD, três jogos hoje pela manhã em Jaguaruna contra o time da casa. No sub-11, vitória por 6 a 0. No sub-12, os Tigrinhos fizeram 2 a 0. No sub-14, empate em 1 a 1. Neste domingo tem rodada dupla no CT Antenor Angeloni pelo Campeonato Catarinense contra o Concórdia. Às 10h jogam os infantis, sub-15, e às 11h15min se enfrentam os juvenis, sub-17.

Sub-11 goleou hoje em Jaguaruna / Foto: Divulgação

 

Tags: Criciúma Tigre

Denis Luciano
Por Denis Luciano 22/06/2018 - 19:13Atualizado em 22/06/2018 - 19:15

Sem tempo a perder, o Criciúma jogou na noite passada em Pelotas, perdeu pela sétima vez em doze rodadas e já tomou a estrada de volta. Às 7h a delegação chegou. Um breve descanso pela manhã e à tarde o grupo já voltou a trabalhar no CT Antenor Angeloni. Um regenerativo para os titulares. Quem jogou menos e quem não foi a campo trabalhou com bola.

O sábado será de atividade às 10h. No fim da tarde, uma semana antes do compromisso futuro no Campeonato Brasileiro, o próximo adversário estará em campo. Em Sorocaba, o invicto São Bento pega o Londrina. Oportunidade para dar uma espiada no que vem por aí. O domingo será de folga para os jogadores. Depois, trabalho pesado de segunda em diante.

Tigre já treinou nesta sexta à tarde / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Mazola precisará desse tempo. Tem muitos problemas a resolver. A começar pelos desfalques para encarar o São Bento. O volante Jean Mangabeira e o meia Luiz Fernando cumprirão suspensão. Tomaram o terceiro cartão amarelo no 1 a 0 do Brasil. Liel é a opção para o lugar de Jean. Para a vaga de Luiz Fernando, há como se especular Marlon Freitas adiantado, já que Eduardo deve voltar de lesão para compor a segunda função de meio. Assim, dá para arriscar (apenas arriscar, palpite por enquanto) um meio com Liel, Eduardo, Marlon Freitas e Elvis.

Os lesionados seguem na mesma, nos seus tratamentos com o departamento médico. Casos do lateral Sueliton e dos atacantes Zé Carlos e Vitor Feijão. É possível arriscar os retornos de Sueliton e Zé? Sim, já que os dois, quando sofreram as lesões no empate com o Oeste em Barueri, contavam com previsões de dez a quinze dias para retornar. Tem chances.

E os reforços? Mais um dia passou e nada por enquanto. Cabe lembrar o apelo de Mazola ontem, que pediu "providências urgentes". Ele não aprofundou, mas ficou claro que se referia a contratações. O técnico estava visivelmente contrariado pelo fato de ter que improvisar um volante na lateral direita, caso de Ralph. Nada contra Ralph, que ganha elogios do técnico como os demais jogadores, mas o treinador já falou tanto na grade, que precisa de ao menos dois por posição, que o desconforto com a demora para contratar está evidente.

Artur esteve no banco ontem em Pelotas / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Enquanto isso, o presidente Jaime Dal Farra e o diretor jurídico Albert Zilli dos Santos continuam na Rússia, acompanhando a Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Os dois seriam peças fundamentais na reunião do Conselho Deliberativo na próxima segunda-feira, quando estarão em pauta os problemas do futebol e os questionamentos ao contrato da Gestão de Ativos (GA) com o futebol do Tigre. Ainda assim, a reunião promete ser quente.

O goleiro Vinícius embarca domingo para Belo Horizonte. A partir de segunda-feira estará servindo à Seleção Brasileira Sub-20 para duas semanas de treinamentos. Desfalcará o Criciúma contra São Bento e Figueirense. Até por isso - ele deve ser convocado mais vezes - que o Tigre busca contratar mais um goleiro, para a reserva de Luiz. Luiz que, por sinal, completará 200 jogos com a camisa do Criciúma diante do São Bento. Um fato marcante sobre o camisa 1. Com o resultado de ontem, ele tem 71 derrotas pelo Criciúma, contra 70 vitórias e 58 empates, conforme os dados do Meu Time na Rede.

Goleiro Luiz completou 199 jogos no Criciúma ontem / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

Sobre a base, a rodada decisiva do Estadual de Juniores, que seria nesta sexta-feira, foi transferida para a próxima, 29. Os jogos Tubarão x Criciúma, Avaí x Joinville e Chapecoense x Figueirense vão definir a classificação da primeira fase e os confrontos das semifinais. Avaí, Chapeconese e Tubarão estão garantidos, Figueirense e Criciúma brigam pela última vaga. O Figueira, com 12, não pode ganhar da Chape, e o Criciúma precisa vencer o Tubarão.

Neste domingo vai ter bola rolando no CT Antenor Angeloni. Às 10h, pelo Catarinense Infantil, o Criciúma pega o Concórdia, e vai encarar o mesmo adversário na sequência, às 11h15min, pelo Estadual de Juvenis. No infantil o Tigre é terceiro com 10 pontos. Nos juvenis, oitavo com seis pontos.

A semana foi de visita ilustre no CT. O técnico da Seleção Brasileira Sub-15, Paulo Victor Gomes, esteve conhecendo o clube e fez vários elogios à estrutura do Criciúma.

Pessoal da CBF visitou o Criciúma ontem

O coordenador da base, Serginho Lopes, recebeu nesta sexta-feira a confirmação do Criciúma entre os 40 participantes da Taça BH de Futebol Sub-17. O Tigre está no Grupo E e vai estrear dia 17 de julho contra o Atlético Goianiense. Depois, dia 19, encara o Porto Vitória, do Espírito Santo, e fecha a primeira fase no dia 21 diante do Cruzeiro.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 22/06/2018 - 11:58Atualizado em 22/06/2018 - 11:59

O primeiro tempo foi apagado. No segundo, o Criciúma reagiu, teve chances, acertou o travessão e a trave com Marlon Freitas mas voltou derrotado de Pelotas. Após o 1 a 0 do Brasil sobre o Tigre - a sétima derrota tricolor em doze jogos na Série B -, o desabafo do técnico Mazola Júnior chamou a atenção no estádio Bento Freitas.

"A situação nossa é gravíssima, são doze rodadas e o Criciúma segue no G-4", lembrou. "Tem mais situações internas que precisam ser resolvidas. Lógico que não vou externar", disse. No todo das declarações, ficou a impressão de que a queixa do treinador é em relação à diretoria e a necessidade de reforços.

Nino, Marlon Freitas e Jean Mangabeira no lance / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

"Não podemos ficar achando que o problema era o treinador senão daqui a pouco o problema será o Mazola e a situação vai continuar como está", comentou, em um dos momentos agudos da entrevista coletiva. "Estou muito preocupado. Eu não quero ser demitido, não quero sair do Criciúma, quero fazer história e resgatar o Criciúma".

Mazola foi além, lembrando que a necessária reação não depende exclusivamente do seu trabalho, aí deixando a entender que os reforços não estão chegando na medida da necessidade. "Eu não vou aceitar passivamente essa situação. Algumas coisas não dependem só do meu trabalho", apontou. "Eu não quero ser mais um, estamos no quarto treinador, sem que essas situações sejam resolvidas".

Mailson no lance. Ele deu dois chutes a gol / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

"Temos que tomar atitudes drásticas para sair dessa situação", comentou o técnico. "Já detectei tudo o que precisa ser feito, é hora de fazer, não tem mais como protelar. Temos que tomar atitudes". Cabe lembrar que o Criciúma levou semanas para conseguir formalizar a contratação do lateral esquerdo Artur, e faz um bom tempo está nessa de contratar um lateral direito e um meia. E agora ainda quer um goleiro.

"Seria muito confortável para mim falar que em sete jogos eu perdi dois", disse. "Está mais do que ligado o sinal de alerta". Mazola chamou todos à responsabilidade no Criciúma. "Temos que levar todo mundo nesse raciocínio e não que melhorou, que estamos jogando bem", afirmou. 

O Brasil comemorando o gol de Leandro Camilo / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

"Atitudes urgentes"

O técnico criticou, ainda, a postura do time no gol tomado. "Uma falta totalmente desnecessária, sabíamos que a bola parada seria o forte, no jogo jogado não seria". Mazola lembrou que "teve só a bola parada e um lance do meu zagueiro que complicou o goleiro", apontando para aquele recuo atrapalhado de Nino em que Luiz tapeou a bola pela linha de fundo. "Não podemos fazer uma falta daquelas, dar a única jogada que o Brasil queria. Fizeram o gol numa jogada que treinamos", insistiu. "Faltou um pouco mais de atitude e agressividade nessa bola parada".

Sobre as chances de gol perdidas, Mazola observou que "faltou capacidade e competência nossa para colocar a bola para dentro". "Assim como aconteceu em Barueri. Estamos fazendo só gol de bola parada", completou.

Fábio Ferreira e Nino / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

O treinador assegurou que não pede para sair. "Não, não. Sinceramente não espero que isso aconteça. Eu tenho certeza que isso não irá acontecer. Não tem prazo, não tem nada". E mais: "eu tenho um contrato com o Criciúma até o final do ano, da minha parte vou cumprir, não  vou jogar a toalha". Ao voltar a insistir na tomada de atitudes, Mazola colocou que "temos que encarar a situação de uma maneira diferente. Não estou sendo pessimista, mas realista. A situação é muito grave".

Não são disciplinares os problemas no elenco do Criciúma. "Não. A situação que é grave. Temos todos nós no clube encarar e não achar que mereceu ganhar em Barueri e hoje". E ainda: "nesse sentido eu não posso falar um ai do grupo de jogadores do Criciúma". O técnico insistiu que é preciso mudar o foco das avaliações. "E nós falando que não estamos merecendo perder? É isso que precisa mudar".

Jean Mangabeira, Ralph e Nicolas / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

Os gols sofridos em todo jogo seguem inquietando Mazola. "Estamos tomando gol todo jogo, é um sinal muito ruim". "As peças estão aí, estão treinadas. Se tem uma coisa boa no nosso trabalho é o trabalho", emendou. "Não tem mais desculpas. Temos que encontrar soluções".

Mazola descartou aumentar o período de concentrações dos jogadores. "Essa história de concentrar é até prejudicial. Esse tipo de problemas nós não temos". E emendou com um elogio aos atletas. "Os jogadores estão sendo fantásticos no trabalho de campo. Ninguém pode acusar nada". A reapresentação é hoje à tarde no CT Antenor Angeloni. No sábado da semana que vem, 30, o Tigre recebe o São Bento no Heriberto Hülse. Para este jogo, o treinador não terá o volante Jean Mangabeira e o meia Luiz Fernando, suspensos.

Goleiro Luiz subindo no lance / Foto: Jonathan Silva / GE Brasil

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 21/06/2018 - 11:44Atualizado em 21/06/2018 - 11:47

Os times estão separados por um ponto na tabela, ambos na zona de rebaixamento, mas o momento do Brasil parece ainda pior que o do Criciúma. Enquanto o Tigre não perde há quatro jogos - vem de dois empates e duas vitórias - o Brasil não ganha há quatro jogos. A última vitória, há quase um mês, foi num 3 a 0 sobre o Londrina em casa. Depois, passou em branco até a queda do técnico Clemer, dispensado no domingo.

"Está sendo uma experiência sensacional", garantiu Gustavo Papa, ex-atacante com alguma fama no Rio Grande do Sul e que hoje é o técnico interino do time de Pelotas. Gustavo é o auxiliar técnico permanente do clube (assim como é Grizzo para o Criciúma) e assumiu no domingo, com a saída de Clemer. 

Gustavo Papa antes de fechar o treino apronto de ontem no Brasil

E já deixa de ser técnico principal logo. É que o Brasil contratou Gilmar Dal Pozzo (aquele mesmo ex-Chapecoense e que passou pelo Criciúma sem muito sucesso em 2014). Mas Dal Pozzo ainda não assume o time. "Vai ser o time do Gustavo Papa", garantiu o treinador interino, que tem conversado com Dal Pozzo mas tem autonomia total para escalar o Brasil para hoje. Contra o Criciúma, o Xavante tem desfalques. O lateral Bruno Collaço e o meia Itaqui cumprem suspensão.

"Eu conheço todos os jogadores do Brasil. Houve a mudança do treinador lá. Estamos bem informados sobre o time do Brasil", garante Mazola Júnior, técnico do Criciúma. "Apesar da mudança do treinador os jogadores não devem mudar muito. Temos bastante informação e conhecemos o time deles", completa. O Tigre viajou ontem para Pelotas com o time escalado.

Mazola diz que conhece bem o time do Brasil / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Para Gustavo, o negócio do Brasil hoje é "procurar não correr riscos". "Ter uma solidificação defensiva", comentou. Era justamente a meta de Mazola quando assumiu o Criciúma na sexta rodada. "O Criciúma vem fazendo bons jogos, é uma equipe muito perigosa", completou o interino. Ouça a entrevista coletiva de Gustavo Papa no podcast abaixo:

O time provável do Brasil (teve treino fechado lá e Gustavo prometeu só confirmar 45 minutos antes do jogo) tem Marcelo Pitol, Eder Sciola, Leandro Camilo, Gustavo Bastos e William Machado, Leandro Leite, Zé Augusto (Valdemir), Calyson e Kaio, Lourency e Luiz Eduardo.

Gilmar Dal Pozzo foi apresentado hoje pela manhã

A bola rola às 19h15min no Bento Freitas. Vamos contar tudo no Futebol Som Maior a partir das 18h.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 21/06/2018 - 11:26Atualizado em 21/06/2018 - 11:30

O Joinville naufraga em um dos piores momentos da sua história recente. De time de Série A em 2015, fruto do título da Série B no ano anterior, o JEC entrou depois na decadência que hoje o coloca como candidatíssimo ao rebaixamento à Série D do Campeonato Brasileiro. Enquanto isso, vai surgindo, timidamente, uma segunda força na maior cidade do estado.

É o Fluminense, time nascido no Itaum, um bairro de 14 mil habitantes, ou seja, um bairro com a população de Siderópolis, ou Nova Veneza, ou Morro da Fumaça. Mais ou menos. Profissional desde 2014, andou na Terceirona catarinense e ano passado disputou a Série B estadual. Este ano arranca como a grande surpresa da competição.

Olha o Fluminense ganhando do Metro ontem na Arena Joinville

Ontem à noite, na Arena Joinville (sim, o Fluminense manda seus jogos na mesma Arena onde o JEC jogou a Série A e tenta hoje, a duras penas, se manter na Série C) o Fluminense derrotou o Metropolitano por 2 a 1. Aquele Metro, o de Blumenau, que muito já incomodou a vida do Criciúma. Eric, aos 24 do primeiro tempo, e Oberdan, aos 28 da etapa final, anotaram os gols do Flu, que com o resultado lidera a Série B estadual com 10 pontos.

Campanha ruim derruba o técnico Rodrigo Cascca no Metropolitano

O Metropolitano cumpre uma campanha ruim. É vice lanterna com dois pontos, dois empates e duas derrotas, e nesse embalo vai brigar para não cair para a Série C estadual. O técnico Rodrigo Cascca foi demitido depois do revés de ontem.

Com os mesmos dez pontos do Fluminense, mas atrás no saldo, está o Camboriú, que ontem à noite, em seu estádio Roberto Garcia, derrotou o Operário de Mafra por 2 a 1. Neílson, aos 41 do primeiro tempo, e Paulino, aos 23 do segundo, fizeram para o Camboriú, enquanto Elton marcou o do Operário (que é de Mafra mas joga em Itaiópolis) aos 46 minutos da etapa inicial.

Camboriú ganhou do Operário de Mafra em casa

Lembram do Schwenck? O veterano de 39 anos que jogou no Criciúma em 2011 (chegou a brigar por lugar no Tigre com Zé Carlos) está no Marcílio Dias agora. E fez, cobrando pênalti, o primeiro do Marinheiro nos 3 a 0 da noite passada no estádio do Sesi, em Blumenau, contra o Blumenau. Schwenck abriu o placar aos 45 do primeiro tempo. Wilson Júnior, a 1 minuto, e Sabiá, aos 29, ambos no segundo tempo, completaram. O Marcílio chegou a 8 pontos e está em terceiro lugar. O técnico do time é Renê Marques, o mesmo que comandou o Almirante Barroso no acesso em 2016.

Um dos gols do Marcílio Dias ontem no Sesi, em Blumenau, contra o BEC

Rebaixado no ano passado junto com o Metropolitano, o Almirante Barroso vai fazendo boa campanha. Ontem à tarde, de virada, ganhou do Juventus de Jaraguá do Sul por 3 a 2 no Camilo Mussi, aquele mesmo estádio que ganhou fama nacional no ano passado por conta das várias linhas no campo sintético durante os jogos da elite do Catarinense.

Barroso bateu o Juventus de virada, 3 a 2 em casa

A partida de ontem foi movimentada, com cinco gols no segundo tempo. O Juventus chegou a abrir 2 a 0 com Railson, aos 5, e Cristian, aos 12 minutos. A virada do Barroso veio com Paulo Roberto, aos 13, Judson, aos 19, e Alessandro, aos 26 minutos.

Mas a maior surpresa viria hoje de manhã. Vencedor na véspera, com 7 pontos e em quarto lugar, o técnico Agnaldo Liz pediu demissão. Alegou razões particulares. Agora, o Barroso precisa achar um novo treinador.

Agnaldo Liz pediu demissão do Barroso hoje pela manhã

Guarani e Barra chegaram a 4 pontos, vindo em sexto e sétimo lugares, respectivamente. Ontem à noite, empataram em 1 a 1 no estádio Renato Silveira, em Palhoça. O Barra saiu na frente com Kayron, a 1 minuto do primeiro tempo. O Guarani igualou com Fellipe, aos 8 do segundo. Sérgio Ramirez, ex-Criciúma, é o técnico do time palhocense.

Guarani e Barra empataram em Palhoça

Cabe lembrar que dois times vão subir, tomando as vagas de Concórdia e Inter de Lages, rebaixados nesta temporada. A Série B continua no fim de semana, com os cinco jogos da quinta rodada. Confira classificação e jogos nas tabelas abaixo.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 20/06/2018 - 20:45Atualizado em 20/06/2018 - 20:52

Está indo para a sanção do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) nos próximos dias o projeto de autoria do deputado Cleiton Salvaro (PSB) que determina a gratuidade nos ingressos para ex-atletas que tenham atuado por pelo menos cinco anos em clubes da primeira divisão em Santa Catarina. "Pensamos no lado social", explicou Salvaro, em entrevista hoje ao jornal A Tribuna.

O parlamentar argumenta que muitos ex-jogadores ficam em situação precária após o fim das suas carreiras. A pauta está vinculada à Associação de Garantia aos Atletas Profissionais de Santa Catarina (Agap) o que gerou críticas do nosso comentarista Sarandi, ex-jogador do Criciúma e hoje integrante da equipe do Futebol Som Maior. "Eu não concordo". Sarandi entende que deveria caber à Federação Catarinense de Futebol (FCF) o credenciamento de ex-atletas para concessão do benefício.

Deputado vê função social no projeto / Foto: Agência AL / Divulgação

Buscamos a opinião do Criciúma. Para o superintendente Róbson Izidro não haverá, a princípio, grande impacto. Porém, ele lembra que a cada ingresso vendido ou doado o clube paga impostos. "Que chegam a até 25% do valor do ingresso", conta. "No caso das gratuidades, pagamos 25% de impostos sobre o valor mínimo". Ou seja, em muitos casos o Tigre tem que arcar com R$ 15 por ingresso gratuito em cada jogo. Izidro entende que o projeto aprovado na Alesc deveria garantir aos clubes isenção destes impostos.

O clube calcula que cerca de 200 ex-atletas do Criciúma residem na região atualmente. E garante que o Tigre já saiu na frente. "Nós oferecemos gratuidade a todos eles, desde que comuniquem à secretaria, o acesso estará sempre garantido". Izidro revela que o clube estudou a possibilidade de reservar um camarote para ex-jogadores no Heriberto Hülse, mas recuou. "Vai que em alguns jogos aparecem mais que a capacidade do camarote. Não podemos escolher quais jogadores vão ali", explica.

Izidro e o impacto para o Criciúma / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC / Arquivo

Abordamos o assunto em detalhes nesta quinta-feira na página 37 do jornal A Tribuna. Confira!

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 20/06/2018 - 11:25Atualizado em 20/06/2018 - 11:28

O Criciúma está escalado para enfrentar o Brasil amanhã em Pelotas pela Série B. O técnico Mazola Júnior confirmou hoje, antes do treino apronto no CT Antenor Angeloni, que o Tigre terá mudanças. Por força das lesões, claro. Ele perdeu o lateral Sueliton e o lateral Zé Carlos. 

"Temos condições, com algumas adaptações, de manter a estrutura tática da equipe", mencionou o treinador. "Vamos precisar do sacrifício de alguns atletas, mas a confiança que a gente tem, todo mundo falando a mesma língua, os jogadores estão muito empenhados para a gente superar esses problemas".

Criciúma pronto. Viaja no começo da tarde para o RS / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Vai o Tigre com Luiz, Ralph, Nino, Fábio Ferreira e Marlon, Jean Mangabeira, Marlon Freitas, Luiz Fernando e Elvis, João Paulo e Mailson.

Mazola já confirmou o time / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Elvis treinou ontem com uma proteção na mão e vai para o jogo. "O problema do Elvis foi na ponta do dedo, fizemos um aparelho plástico para dar sustentação e ele treinou normal, não sentiu nada". E Ralph é a opção de Mazola para a vaga de Sueliton. "É um jogador rápido, de marcação forte, ele entrou frio com o Oeste, pareceu ter dificuldade nos dez primeiros minutos mas depois encaixou bem na marcação. Vai nos ajudar bastante".

E Mailson? Mazola ponderou que ele está melhor fisicamente que Lucas Coelho, que seria a opção natural para substituir Zé Carlos. Por isso, João Paulo será centralizado, na função do camisa 9, e Mailson fará a extrema. Abaixo, a entrevista coletiva com Mazola Júnior no podcast. Confira:

A delegação viaja à tarde para Pelotas, onde concentra à espera do jogo de amanhã. Viajam, ainda, o goleiro Vinícius, o lateral Artur (ex-Brasil, vai para seu primeiro jogo no Criciúma), o zagueiro Sandro, os volantes Liel e Carlos Eduardo, o meia Wallacer e os atacantes Julimar, Lucas Coelho e Nicolas.

"Mais uma chance para sair do Z-4", lembra Mazola / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Do outro lado, um Brasil em fase difícil. O meia Itaqui desfalca o time, que dispensou o técnico Clemer no domingo, anunciou ontem o acerto com Gilmar Dal Pozzo mas vai amanhã com o interino Gustavo Papa. Ele faz um treino fechado hoje, dificultando a missão dos repórteres de tentar descobrir a escalação.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 19/06/2018 - 20:20Atualizado em 19/06/2018 - 20:31

Na ausência do presidente Jaime Dal Farra, do diretor jurídico Albert Zilli dos Santos e do superintendente Róbson Izidro, todos acompanhando a Copa do Mundo (Izidro está chegando agora à noite em Florianópolis), um grupo de 54 conselheiros, intitulado "Apenas Criciúma" encaminhou ao Conselho Deliberativo, à direção executiva e à Gestão de Ativos (GA) um pedido de cópia do contrato firmado entre a parceira e o clube.

O pedido foi encaminhado no dia 12 e respondido hoje à tarde. "Informamos que o referido contrato se trata de documento estratégico e interno do clube". Assim, em ofício assinado pelo presidente em exercício do Conselho, Valcir Zanette (o presidente Carlos Alamini também está ausente) o clube nega aos conselheiros acesso ao contrato de gestão do Criciúma firmado entre o clube e a GA.

"Queremos nos embasar para a reunião do próximo dia 25", contou ao blog o conselheiro Augusto Teixeira da Silva, um dos integrantes do movimento. "A partir do momento em que o clube nega acesso ao contrato, ficamos com algumas suspeitas", ponderou. Ele destacou que o grupo planeja encaminhar sugestões e tirar dúvidas sobre o formato atual de gestão. "O Criciúma é solidário desta dívida?", indagou, referindo os mais de R$ 21 milhões de débito que os conselheiros aprovaram em balanço recente.

Promessa de reunião agitada no dia 25 / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Isso coloca um tempero a mais na reunião extraordinária marcada para o dia 25, também a pedido do mesmo grupo de conselheiros. O presidente do Conselho estará de volta, o superintendente do clube também, mas o presidente Dal Farra e o diretor jurídico, mais diretamente relacionados ao contrato, não estarão presentes. "Quando fizemos um primeiro pedido verbal chegaram a nos oferecer um resumo do contrato. Não aceitamos. Queremos o contrato", reiterou Augusto.

Contamos mais detalhes na edição desta quarta-feira do jornal A Tribuna. Abaixo, o ofício com a negativa de acesso ao contrato.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 19/06/2018 - 17:30Atualizado em 19/06/2018 - 17:36

Com tantos desfalques, o técnico Mazola Júnior apela para a criatividade na montagem do Criciúma que enfrenta o Brasil na quinta-feira, em Pelotas. Entre as novidades, a manutenção de Ralph na lateral direita. O volante entrou improvisado por ali no segundo tempo do empate de sábado com o Oeste, e assim vai continuar, na vaga do lesionado Sueliton.

Mazola administrando problemas / Foto: Denis Luciano / 4oito

Jean Mangabeira está de volta, mas Eduardo não. Ele até treinou com bola ontem, mas não recuperou 100% ainda da lesão e hoje fez um trabalho leve, sem participar do treino tático que encaminhou a escalação para o compromisso no Rio Grande do Sul.

Recuperado, Jean Mangabeira vai para o jogo / Foto: Denis Luciano / 4oito

Elvis vai para o sacrifício. O meia treinou com uma proteção na mão e assim vai para a partida. Ele sofreu uma luxação na segunda etapa em Barueri, e era dúvida. No ataque, sem Zé Carlos, lesionado, Mazola deslocou João Paulo para a função de referência e Mailson volta a ganhar uma oportunidade. O atacante esteve fora, por lesão, mas agora está recuperado e escalado.

Mailson está de volta / Foto: Denis Luciano / 4oito

"Claro que eu fiquei um pouco chateado, ninguém quer se machucar, ainda mais nessa situação. Agora é botar a cabeça no lugar, fazer meu melhor e ajudar o grupo", disse Mailson, na entrevista coletiva da tarde no CT Antenor Angeloni, antes do treino. Confira o bate papo com a reportagem no podcast abaixo:

Está escalado o Criciúma então. Vai o Tigre com Luiz, Ralph, Nino, Fábio Ferreira e Marlon, Jean Mangabeira, Marlon Freitas, Luiz Fernando e Elvis, João Paulo e Mailson.

Cabe lembrar que além de Sueliton e Zé Carlos, Mazola não terá Vitor Feijão, lesionado, e Alex Maranhão, suspenso. Na falta de um lateral direito reserva, Christian poderia ser a opção, mas o zagueiro sofreu uma fratura na mão na semana passada. Carlos Eduardo, outra alternativa, até trabalhou como lateral pela direita no time reserva, mas ainda não convenceu o treinador. Em Barueri, Mazola chegou a dizer que "Carlos Eduardo tem deficiência na marcação". Por isso, a opção por Ralph.

O time reserva do treino da tarde teve Vinícius, Carlos Eduardo, Jacy Maranhão, Sandro e Artur, Liel, Leandro Melo, Wallacer e Alex Maranhão, Kalil e Nicolas. Mazola comanda o apronto na manhã desta quarta e à tarde a delegação viaja para Pelotas.

Eduardo não participou do tático hoje / Foto: Denis Luciano / 4oito

Do outro lado, um Brasil pressionado. Caiu o técnico Clemer com a comissão técnica e hoje o clube anunciou Gilmar Dal Pozzo, que já trabalhou no Tigre. Dal Pozzo ainda não deve estrear contra o Criciúma. Na quinta, o time gaúcho vai com o interino Gustavo Papa mesmo. Será o confronto do antepenúltimo Brasil contra o penúltimo Criciúma.

Gilmar Dal Pozzo no Brasil de Pelotas

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 19/06/2018 - 11:20Atualizado em 19/06/2018 - 11:25

Uma crise humanitária das mais graves resulta da política segregacionista covarde do senhor Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos fecha fronteiras para estrangeiros, como que uma rebatida debochada às políticas europeias de fronteiras, e para tanto separa filhos de pais, enjaulando crianças para chantagear estrangeiros pobres. Mais covarde, impossível. É para este senhor que outro dia cogitaram um prêmio Nobel da Paz por conta de um bate papo com outro maluco da mesma estirpe, o norte coreano deslumbrado.

Gente do mesmo nível. E quem cobra Trump? E quem para essa metralhadora de bobagens asquerosas? Ninguém. As agências humanitárias, a ONU e toda essa tropa que vive às custas dos Estados Unidos e das nações pelegas que não ousam levantar a voz contra o poderio dos Estados Unidos assistem abestados com notas pueris e ridículas ao verdadeiro massacre de inocentes que os ianques promovem.

Tem direito os Estados Unidos de fechar fronteiras? Todo o direito. Mas então que parem de explorar os estrangeiros para limpar latrinas e lavar o chão que eles pisam, afinal é histórico que o trabalho que eles não querem são oferecidos aos imigrantes, agora tão rejeitados. Hipocrisia pura. Falei disso hoje no Jornal das Nove. Tá no podcast abaixo:

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 19/06/2018 - 11:05Atualizado em 19/06/2018 - 11:07

"O povo russo idolatra os brasileiros". Essa máxima foi constatada pelo advogado Albert Zilli dos Santos pelas tentas vezes em que, com o grupo de amigos que saiu de Criciúma e viajou para a Rússia para curtir a Copa do Mundo, foi parado nas ruas de Rostov para fotos.

"Somos bem recebidos, com muita alegria. A hospitalidade e a organização impressionam", conta o diretor jurídico do Criciúma.

Albert estava em um dos grupos que apareceu em transmissões da TV Globo ao longo do domingo, antes do jogo em que o Brasil empatou com a Suíça em 1 a 1. "O ambiente é dos melhores aqui", conta. "É plena primavera, faz calor e os dias são bonitos, com 28 a 30 graus", confirma Róbson Izidro, superintendente do Criciúma que chegou sexta-feira à Rússia. "A cidade é linda, com 1 milhão de habitantes".

O grupo de Albert Zilli e Chico Balthazar na tela da TV no domingo / Reprodução / TV Globo

A comunicação com os russos

Uma das maiores dificuldades tem sido o idioma. "Gera algum problema nos deslocamentos", observa Albert. "Nos restaurantes também. Mas sempre tem algum voluntário para ajudar", complementa. "O povo pouco fala inglês, e há poucas placas indicativas que não sejam em russo aqui", detalha Izidro. "Mas, quando não vai na língua, vai na mímica, nos gestos", reforça Albert.

A segurança e a educação do povo são evidenciadas pelos visitantes criciumenses. "É um povo muito educado", enaltece o superintendente do Tigre. E há um clima de otimismo, desenvolvimento e prestígio ao presidente Vladimir Putin. "A Rússia está muito bem, vemos um país pujante, para frente, é tudo muito organizado aqui", conclui o advogado tricolor.

Alex Alexandre e Róbson Izidro representando o Tigre em Rostov

Róbson Izidro está voltando hoje. Ele viajou acompanhado do funcionário do marketing do Criciúma, Alex Alexandre, em promoção da Ambev que premiou o clube. Albert Zilli vai continuar na Rússia. Acompanhará os demais jogos da Seleção na primeira fase. "É uma emoção diferente ver o Brasil no estádio na Copa. É algo que toca, é profundo, é da alma, e não se sente todo dia", arremata.

No podcast abaixo, nosso bate papo no Jornal das Nove de ontem na Som Maior com Albert Zilli dos Santos e com o advogado Francisco Balthazar, que também está na Rússia e fez comentários interessantes sobre a vida política, social e econômica do país da Copa.

Izidro chega hoje à noite em Florianópolis. Domingo, assistiu Brasil 1x1 Suíça

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 18/06/2018 - 17:43Atualizado em 18/06/2018 - 17:44

O tempo é curto e o leque de opções, também. O técnico Mazola Júnior terá dias difíceis até quinta-feira, quando o Criciúma enfrentará o Brasil às 19h15min no estádio Bento Freitas, em Pelotas. O lateral direito Sueliton e o atacante Zé Carlos, lesionados, estão fora. Por serem lesões de grau 1, os dois devem ficar fora por até 15 dias. O meia Alex Maranhão, expulso nos 2 a  2 de sábado com o Oeste, cumpre suspensão. O meia Elvis, que sofreu uma luxação em um dos dedos da mão, é dúvida, Provavelmente não jogue também.

Lucas Coelho, opção para a vaga de Zé Carlos / Foto: Denis Luciano / 4oito

Para agitar ainda mais a agenda do médico Ricardo Furtado, o zagueiro Fábio Ferreira e o atacante João Paulo foram poupados dos treinos hoje. Fábio ressente-se de uma pancada no joelho, e João Paulo de uma pancada na coxa. Os dois, porém, não serão problemas para o jogo em Pelotas. Outra baixa é o atacante Vitor Feijão. Com uma lesão no músculo posterior da coxa direita, ele também desfalca o Criciúma na próxima rodada.

Eduardo nos planos de Mazola para quinta / Foto: Denis Luciano / 4oito

O zagueiro Christian, que poderia ser opção para a lateral direita na vaga de Sueliton, é mais um que está fora. Ele sofreu uma fratura na mão em um treino na semana passada. A quantidade de problemas potencializa ainda mais as dificuldades de Mazola com a grade, o elenco, os números. E potencializa a necessidade de rápidas contratações. O diretor Nei Pandolfo anunciou no sábado que o clube acelera negociações com um lateral direito e um meia. São vagas que urgentemente precisam ser ocupadas.

Jean Mangabeira está recuperado de lesão / Foto: Denis Luciano / 4oito

Para amenizar, os volantes Jean Mangabeira e Eduardo, recuperados de lesões, treinaram à tarde. Participaram do treino tático com bola que Mazola comandou envolvendo reservas e jogadores que atuaram pouco tempo na última partida. Outra novidade foi Artur. Não que ele tenha trabalhado diferente das últimas semanas semanas, mas esta foi a primeira atividade dele com o nome divulgado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

Depois de mais de duas semanas, Artur foi apresentado / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Minutos antes de ser regularizado, Artur foi apresentado hoje à tarde no CT Antenor Angeloni. "Sou aguerrido, tenho força física, apoio bem, de vez em quando chego na frente e tenho bom chute", definiu-se. O lateral garante estar em boa forma física e já vai passando preciosas dicas para Mazola, já que veio do Brasil, clube que defendeu até as primeiras rodadas da Série B. Confira a entrevista coletiva com ele no podcast abaixo.

Amanhã o Criciúma treina à tarde. Na quarta, pela manhã. Depois, o deslocamento para a concentração em Pelotas.

Sandro marcado por Eltinho no treino da tarde / Foto: Denis Luciano / 4oito
Na falta de meias, Wallacer poderia ser opção / Foto: Denis Luciano / 4oito

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 18/06/2018 - 11:40Atualizado em 18/06/2018 - 11:48

Enquanto a Alemanha vivia um drama para tentar empatar com o México - o que acabou não conseguindo -, o Almirante Barroso buscava um ponto fora de casa contra o Metropolitano. Sim, algumas centenas de heroicos torcedores de Blumenau - justamente da germânica e loira Blumenau - deixaram os confortos de suas salas e do convívio com amigos e família curtindo uma Copa do Mundo para assistir ao encontro dos rebaixados do último Catarinense pela terceira rodada da Série B estadual ontem.

Metropolitano e Barroso começaram a jogar às 11h. Quando a bola rolou em Alemanha x México, às 12h, os times de Blumenau e Itajaí já estavam no intervalo após um movimentado 2 a 2 no primeiro tempo no estádio do Sesi. A etapa final da partida do Catarinense coincidiu com o primeiro tempo do confronto na Rússia envolvendo os atuais campeões do mundo.

Metropolitano e Barroso concorrendo com Alemanha e México

O mais conhecido do confronto no Sesi era, inegavelmente, o técnico do Barroso, o experiente Agnaldo Liz. O Barroso saiu na frente, gol de João Paulo, aos 10 minutos. O Metro virou com Wayni, aos 18, e Bruninho, aos 23 minutos. Ainda na etapa inicial, os visitantes igualaram com gol de João Paulo, aos 47. Ao menos Metropolitano e Barroso não ousaram fazer gol enquanto disputavam atenções com alemães e mexicanos.

As outras duas partidas da manhã passada pela Série B do Catarinense fugiram de Alemanha x México, mas concorreram com Costa Rica 0x1 Sérvia, que  jogaram a partir das 9h. Às 10h, no Camilo Mussi em Itajaí (aquele gramado sintético e das múltiplas marcações estranhas onde o Criciúma jogou ano passado), o Barra perdeu para o Camboriú por 1 a 0. Também às 10h, no João Marcatto, em Jaraguá do Sul, o Juventus tomou 2 a 0 do Blumenau.

Camboriú, de laranja, ganhou do Barra em Itajaí

Sobre o Camboriú, que tem o super rodado e especialista em acessos Mauro Ovelha como técnico, o time conta com o volante Ruan, ex-Criciúma, como titular, e outro ex-Tigre, Mateus Arence, no banco de reservas. Há poucos dias contrataram o atacante Matheus, formado na base do Tigre e que não faz muito andava treinando com os profissionais aqui. Paulinho fez o gol da vitória do Camboriú aos 33 do primeiro tempo.

Mauro Ovelha, o técnico do Camboriú

Lembram do zagueiro Rogélio, que jogou no Criciúma? Ele fez um dos gols do Marcílio Dias que no sábado conquistou a sua primeira vitória: 2 a 0 sobre o Guarani de Palhoça no estádio Hercílio Luz, em Itajaí. Abner anotou o outro gol. Mas a sensação da arrancada da Segundona Catarinense é o Fluminense de Joinville. Foi a Itaiópolis, no sábado, e venceu o Operário de Mafra por 3 a 2.

Marcílio bateu o Guarani em Itajaí, 2 a 0

Na quarta-feira tem mais. Às 16h, Almirante Barroso x Juventus em Itajaí, no Camilo Mussi. Às 20h, Camboriú x Operário no estádio Roberto Garcia, em Camboriú, e Guarani x Barra no Renato Silveira, em Palhoça. Às 20h30min, Fluminense x Metropolitano na Arena Joinville e Blumenau x Marcílio Dias no Sesi, em Blumenau. Lembrando que dois vão subir para a elite do Catarinense de 2019, para as vagas dos rebaixados Inter de Lages e Concórdia. Abaixo, a classificação.

Reprodução / FCF

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 18/06/2018 - 11:25Atualizado em 18/06/2018 - 19:48

Ninguém guardou com tanta empolgação a história do maior clube de futebol do passado em Santa Catarina. As glórias do Esporte Clube Metropol habitaram por décadas a fio as memórias e anotações de Divino Antônio da Silva, o seu Divino do radinho, falecido à 0h30min desta segunda-feira no Hospital São José, em Criciúma, resultado de complicações de um câncer contra o qual ele lutava havia um ano.

Seu Divino era figura carismática e conhecida demais na grande Rio Maina, em especial na região do Metropol, onde sempre viveu. Estava com 79 anos e acompanhou todos os momentos do auge do Metropol, clube fundado em 1945 e que começou a trilhar uma década de sucesso a partir de 1959, quando recebeu grandes investimentos dos grupos Freitas e Guglielmi tornando-se o Metropol rico, cinco vezes campeão catarinense.

Metropol campeão, era o time do coração do seu Divino

Graças ao empenho do seu Divino é que sabemos que o Metropol jogou 466 vezes no período profisisonal, de 60 a 69, alcançando 265 vitórias, 113 empates e 88 derrotas. Nas anotações do seu Divino ficaram para a história todas as partidas deste período, com escalações, artilheiros e tudo mais, dados disponíveis no livro "Histórias que a bola esqueceu - A trajetória do Esporte Clube Metropol", assinado pelo jornalista Zé Dassilva.

O velório do seu Divino acontece na capela do Metropol e o sepultamento será às 9h desta terça-feira no cemitério do bairro São Marcos.

 

Tags: Metropol

Denis Luciano
Por Denis Luciano 17/06/2018 - 14:30Atualizado em 17/06/2018 - 15:10

Duas vezes na frente no placar e, ao final das contas, derrota. O Criciúma de novo não suportou à pressão adversária e desta vez deixou escapar dois preciosos pontos na Arena Barueri vazia, na noite passada, onde estivemos com o Jotha Del Fabro e com o Futebol Som Maior contando o empate em 2 a 2 com o Oeste. O Criciúma fez 1 a 0 com Liel, que deu a melhor definição para o jogo. "Fizemos os gols difíceis e tomamos os fáceis", disse, ilustrando a definição de "gols bobos", comuns  dos que o Tigre sofre.

É inegável a evolução com Mazola Júnior. Afinal, os nove pontos conquistados até aqui em onze rodadas foram com ele. Duas vitórias (Avaí e Paysandu), três empates (Juventude, Boa Esporte e Oeste) e uma derrota (Fortaleza). Mas ainda falta muito para o Tigre ser um time consistente na luta para não cair. E Mazola não se poupa dessa responsabilidade. "Faltou muito", reconheceu, ao citar o segundo tempo como muito aquém dos melhores momentos que o time teve no campeonato.

Fotos: Jefferson Vieira / Oeste FC

Se para Liel foi uma noite de avanço, com o bom proveito da chance entre os titulares e a visível forma física parcialmente recuperada, o mesmo também vale para Nino mas por valores distintos. O zagueiro, eleito craque do jogo na Som Maior, fez o seu primeiro gol como profissional e jogou bem, cumprindo o seu papel. Mas e o resto?

Ficou evidente, de novo, a dificuldade das laterais, em particular a direita. Foi numa falha na marcação por Sueliton que Mazinho achou o espaço para o primeiro gol. Com a lesão dele e a falta de um substituto, entrou Ralph, improvisado, no setor onde o mesmo Mazinho fez um verdadeiro carnaval no segundo tempo. O segundo gol do Oeste, de Carlinhos, nasceu também de outro buraco defensivo do Criciúma, que segue oferecendo muitos espaços na sua área.

"Não podemos tomar tantos gols", reclamou Mazola. E com razão. Só na fase dele, são seis sofridos, média de um por jogo. Foram dois do Oeste, dois do Fortaleza, um do Boa e um do Paysandu. O treinador isentou Luiz. "De novo ele foi o nosso grande goleiro". Mas a bola chega demais na área tricolor, e essa dificuldade, de posicionamento, deverá ser uma das prioridades de Mazola nos poucos treinos que ele terá até o próximo compromisso.

O Criciúma volta a campo na quinta-feira, em Pelotas, contra o Brasil. "Vai ser uma viagem duríssima e um jogo duríssimo. E depois teremos dois times da parte de cima da tabela em casa", lembrou Mazola. São Bento e Figueirense visitarão o Majestoso na sequência deste compromisso no Rio Grande do Sul.

Para aproveitar o tempo, o domingo é de viagem. A segunda, de reapresentação, com treinos em dois turnos. Na terça Mazola deve montar a equipe e na quarta tem a viagem para o sul. E há problemas. Sueliton, lesionado, deve ser vetado. Vai ser reavaliado amanhã, mas pelo que nos contou o médico Ricardo Furtado, a extensão da fisgada deve confirmar a lesão.

E Elvis? A suspeita de fratura não se confirmou, mas a luxação exposta óssea, como confirmou o médico tricolor, complica. Elvis terá dificuldades para a mobilidade. Poderá fazer treinos físicos mas necessitará de uma proteção que o limitará. A princípio, ele não joga contra o Brasil. Como Alex Maranhão entrou mal e acabou expulso, Mazola terá dor de cabeça.

Em contraponto, as voltas de Eduardo e Jean Mangabeira, recuperados de lesão e já na transição, deve aliviar um pouco a pressão. Mas e o meio? Não será de estranhar se Mazola adiantar um pouco Luiz Fernando para a função de Elvis e manter Marlon Freitas adiante de Mangabeira e Eduardo. Apenas uma especulação, um palpite, fruto da observação dos treinos. Não acredito em Wallacer, que seria a outra opção para o setor mas nem banco pegou em Barueri. E Nicolas recuado? Também pouco provável. Abaixo, o bate papo com Mazola Júnior após o empate na Arena Barueri.

Zé Carlos saiu queixando-se de dores, mas vai para o jogo. E estamos no caminho de volta de Barueri, vamos assistir Brasil x Suíça de algum posto na estrada aqui pelas bandas do Paraná, de onde escrevemos atualizando você. Até mais!

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 16/06/2018 - 07:30

“Grandão, preciso comprar uns livros”. Afável e bom parceiro Adenor convenceu assim José Humberto a pilotar o carro da Rádio Caxias no retorno de Bragança Paulista via São Paulo. Eles haviam, na noite anterior, transmitido a derrota do Juventude para o Bragantino por 1 a 0 pelo Campeonato Brasileiro. Era hora de voltar para casa. Vinte anos depois, Adenor Bachi, o Tite, é o técnico da Seleção Brasileira. “Um cara diferenciado”, define Jotha Del Fabro, aquele narrador que hoje faz a emoção do futebol na Rádio Som Maior.

Tite, habilidoso meia nos anos 80, estava na sua terra cuidando da vida. Começou como técnico no pequeno Guarany de Garibaldi. Passou pelo Ypiranga e teve algum sucesso no Veranópolis. Sem emprego naquele 98, foi convidado para comentar futebol na Rádio Caxias. “Uma experiência muito boa”, lembra Jotha, que mesmo duas décadas depois, mantém contato quando possível com o velho companheiro de microfones no Rio Grande do Sul. “Um entendido de futebol, com um baita vocabulário”.

Tite e Jotha mateando em 2013 em Nova Veneza / Foto: Divulgação

“Dá o máximo de ti. Arrebenta”

Eis um dos desafios que Jotha e seus companheiros assumiram naquela temporada, fazer Tite falar “a linguagem do povo”, como definia o narrador. “Era quase um filósofo”, recorda. A carreira de comentarista foi curta, mas marcou uma arrancada. Em 99 ele assumiu o Caxias, pelo qual sagrou-se campeão gaúcho em 2000, depois vieram Grêmio, Corinthians e toda a história que o leva a respirar os ares do topo, na Seleção.

Quando mais extrovertido no microfone, Tite disparou, certo dia, respondendo a uma provocação de Jotha: "faz o teu trabalho, dá o máximo de ti. Arrebenta". Agora, a recíproca é verdadeira. Tite encarna seu maior desafio a partir deste domingo, às 15h, na estreia do Brasil na Copa.

Narrador e treinador se reencontraram ano passado em Tubarão / Foto: Divulgação

A estreia

O Brasil chega à estreia na Copa como um dos favoritos ao título na Rússia. A Seleção vai jogar diante dos suíços com Alisson, Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo, Casemiro; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar, Gabriel Jesus.

4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16