Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2020 - 15:25Atualizado em 26/11/2020 - 15:29

Para internautas mais atentos e ágeis, um breve instante serviu para flagrar uma cena no mínimo curiosa na rede social da governadora Daniela Reinehr (sem partido) na tarde desta quinta-feira, 26. A certa altura, apareceu no feed de Daniela no Instagram uma mensagem de agradecimento pelos 3.038 votos conquistados no último dia 15.

Daniela, naturalmente, não concorreu a vereadora. A observação das demais mensagens fazia crer que se tratava do vereador Roberto Katumi (PSD), que alcançou o terceiro mandato no Legislativo de Florianópolis com os citados 3.038 votos.

A gafe foi rapidamente percebida e o conteúdo removido da conta de Daniela Reinehr. Mas já era tarde para os prints, que permitiram guardar o flagrante. Provavelmente, se trata de um gestor em comum entre Daniela e Katumi para redes sociais, algo bastante corriqueiro nesses tempos em que o investimento em assessoria para tais atividades se torna fundamental.

Mas o ato falho guarda uma peculiaridade: acontece na véspera da sexta-feira em que, provavelmente, Daniela voltará a ser vice-governadora, perdendo a autonomia um pouco maior, a voz ativa e a esperança que ganhou de ser a governadora pelo resto do mandato. Carlos Moisés tem tudo para voltar, por meio do mesmo tribunal que o afastou no processo do reajuste dos salários dos procuradores. Há, ainda, o segundo impeachment, o dos respiradores, mas os bastidores já avisam que começam a pipocar os elementos para livrar Moisés dessa também. Logo, a véspera da despedida de Daniela do comando do Estado veio ao embalo da aparição repentina de um vereador no seu feed. Ao menos, um vereador reeleito.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2020 - 10:50Atualizado em 26/11/2020 - 10:52

Amanhã, por este horário, vai estar começando a sessão do Tribunal do Impeachment que deverá dar fim no primeiro processo e recolocando Carlos Moisés em seu caso. Um vexame para Santa Catarina.

O senhor Moisés foi afastado do seu cargo, isso ganhou dimensão nacional, sob a alegação, que já era bastante discutível, de uma incorreção ao reajustar salários de uma determinada categoria ligada ao Judiciário. Ok. Convenhamos que isso já era bastante discutível. Ele foi afastado por isso. Quer dizer que nesse mês as coisas foram resolvidas, as convicções mudaram, ele não cometeu mais crime de responsabilidade e agora volta.

Segundo consta, o Moacir Pereira disse na Som Maior que tem desembargador mudando voto. 

O que aconteceu nesse mês? Se não houve uma audiência, ninguém foi lá dar depoimento e tem gente mudando voto. O que aconteceu nesse mês? Vocês já se perguntaram?

É que nesse mês o governador dialogou, articular.

Olha, articular. Eu tenho um medo desse verbo, eu tenho um medo dos efeitos desse verbo.

Nós vamos ficar muito atentos a esse novo governo de Carlos Moisés. Mas muito atentos para ver se ele vai voltar com aquele discurso de "cortei privilégios", "me tiraram porque cortei privilégios, porque cortei as vantagens de alguns, mexi em contratos que reviraram, que remexeram com interesses de gente que agora me tira do poder", o senhor falou isso, Moisés.

E agora? Esperamos que mantenha a coerência ou a conjugação do verbo articular vai mudar o seu procedimento na sua volta? Estou tremendamente curioso.

É um vexame com letras maiúsculas que Santa Catarina está proporcionando. Mais um.

A mídia nacional se voltou para Santa Catarina, há pouco mais de um mês, falando em impeachment do governador, o governador foi afastado, o governador está sendo investigado, e um mês depois ele volta.

O que aconteceu nesse mês? Nos expliquem o que foi esse articular. Com quem ele se comprometeu, com quem ele se comprometeu?

Passou em quase brancas nuvens o gesto da sua sucessora Daniela Reinehr, que se elegeu com ele e estava rezando com o mesmo joelho no mesmo milho há um mês para não cair do cavalo, e a oração dela foi mais forte, há poucos dias ela revogou o tal gesto que culminou nessa discussão toda, o tal reajuste equivocado. Ou seja, era uma medida protocolar, cartorária, que poderia ter sido resolvida a qualquer momento e se transformou nisso, num impeachment, para que? Para emparedar o governador? Para que na volta ele venha com o discurso mansinho do articular para conversar com as pessoas, e nessas conversas estabelecer sabe se lá o que?

Esse novo governo Moisés será digno de um pente fino, será nessa volta que saberemos o preço que ele está pagando para a volta. O clarear do verbo articular só pode ser esse. Não consigo entender como as convicções mudaram em um mês em que nada aconteceu. Ninguém ouvido, nenhum depoimento, não juntaram nem um guardanapo com anotação nos documentos da investigação. E o governador vai voltar. E pessoas estão mudando voto.

E isso fala alguém aqui, em sua inexpressiva opinião, quem sou eu na fila do pão, mas lá atrás dizíamos, esse impeachment não se explica. Outra coisa é a questão dos respiradores, daí ele terá que dar outra explicação. Mas com esse vexame de agora fica uma situação muito constrangedora, mas se avizinha que o impeachment dos respiradores não vai dar em nada. Ou seja, Santa Catarina terá perdido meses, no meio de uma pandemia, que isto sim é prioritária, captando a atenção contra um governador que não articulava.

O que é articular? O que? O tempo dirá. Estejam atentos, catarinenses. Vem chumbo grosso por aí.

Este e outros comentários vão ao ar diariamente, às 9h, na abertura do programa Agora na Rádio Som Maior. Ouça na íntegra no podcast:

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/11/2020 - 13:31Atualizado em 24/11/2020 - 13:39

Está dado mais um passo, e decisivo, no sentido da transição política do Criciúma. O presidente Jaime Dal Farra e os seus vice-presidentes eleitos ainda remanescentes - Vilmar Casagrande, de Patrimônio, e Valcir Mantovani, de Finanças - formalizaram renúncias dos seus mandatos. O documento no qual constam as renúncias está assinado, foi entregue ao Conselho Deliberativo e delimita que os mandatos atuais vão se estender até 31 de dezembro próximo. Ou seja, eles abriram mão do último ano para o qual estavam eleitos, que seria o de 2021.

Em paralelo a essa informação da renúncia formalizada dos cargos para os quais o presidente e o vice estão em exercício e eleitos, o Conselho Deliberativo anunciou, nesta terça-feira, 24, o edital convocando para as eleições. 

A convocação está feita para 8 de dezembro, daqui a duas terças-feiras. Na reunião do Conselho, na Acic, haverá a aprovação das chapas, com posterior aclamação (em caso de apenas uma chapa, o que é a tendência) ou então eleição (se houver mais de uma chapa inscrita). A posse se dará em 1 de janeiro, sem vácuo de poder. Dal Farra encerra seu ciclo na véspera e, no dia seguinte, virando o ano, novo presidente assume.

Também na reunião do dia 8 será apresentado aos conselheiros o projeto do investidor João Neto.

Na semana que vem será inscrita a chapa que se apresenta como única, até o momento, para a sucessão de Jaime Dal Farra, com o empresário Waldeci Rampinelli como presidente, o médico Celso Tadeu de Menezes como vice e a continuidade de dois atuais vices: Vilmar Casagrande, no Patrimônio, e Valcir Mantovani, nas Finanças. O edital determina inscrição das chapas até dez dias depois da publicação dele, ou seja, até o próximo dia 4 de dezembro.

Confira também:

Waldeci Rampinelli preparando a nova gestão do Criciúma

Leia, abaixo, o conteúdo do edital de convocação da eleição tornado público nesta terça pelo Conselho:

Nos termos do art. 68, inciso II, alínea “a”, para atendimento ao disposto no art. 65, II, e 87, caput, todos do Estatuto Social, convocamos os senhores conselheiros do Criciúma Esporte Clube, para reunião extraordinária a realizar-se em 08/12/2020 (terça-feira), na sede da Associação Empresarial de Criciúma – ACIC – Rua Ernesto Bianchini Góes, 91 – Bairro Próspera, a partir das 19h00min em primeira convocação e às 19h30min em segunda chamada, para a seguinte ordem do dia: 

 

• Aprovação prévia das chapas concorrentes a eleição da Diretoria Executiva do Criciúma Esporte Clube, onde serão eleitos o Presidente e os Vice-Presidentes Administrativo, financeiro e de patrimônio, que serão empossados a partir de 01 janeiro de 2021, para cumprimento do restante do mandato que se encerrará em dezembro de 2021.
• Aclamação ou eleição da nova Diretoria Executiva do Criciúma Esporte Clube, em caso aprovação ou inscrição de apenas uma chapa, na forma do artigo 53, IV ou V, do Estatuto Social.
• Apresentação da proposta de gestão por parte do investidor João Neto e deliberação sobre a autorização para celebração do respectivo contrato.
• Apresentação e votação da proposta orçamentária para o ano de 2021.
• Assuntos Gerais.

 

As chapas concorrentes as eleições da Diretoria Executiva deverão ser registradas na Secretaria do Criciúma Esporte Clube, no prazo de 10 (dez) dias, contados da publicação deste edital.
 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/11/2020 - 11:25Atualizado em 24/11/2020 - 11:28

Será na próxima segunda-feira, 30, a primeira reunião entre os membros da provável futura diretoria do Criciúma. O acordo está alinhavado entre o empresário Waldeci Rampinelli para ser presidente, o médico Celso Tadeu de Menezes (ex-presidente do Próspera), para vice de Administração, além dos remanescentes da atual diretoria de Jaime Dal Farra, o vice de Patrimônio, Vilmar Casagrande, e o vice de Finanças, Valcir Mantovani.

Rampinelli está animado. Confirma que a reunião da próxima segunda vai tirar as últimas dúvidas e até terça espera estar com a chapa formalizada para apresentar ao Conselho Deliberativo. "Queremos definir tudo na semana que vem", destacou Rampinelli. 

E a nova direção vem amparada por um contrato de cogestão que definirá, de fato, o empresário João Neto como o parceiro para tocar o futebol. "É o acordo que vinha sendo tratado pela comissão do Conselho Deliberativo", confirmou o futuro presidente. Há uma minuta de contrato elaborada pelo promotor Alex Cruz "que dá total garantia às partes e é muito boa", assegurou Rampinelli, em contato com o blog. "Nós, da futura diretoria, ainda não conversamos com esse parceiro", observou.

Mais detalhes em seguida no Som Maior Esportes.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 23/11/2020 - 15:02Atualizado em 23/11/2020 - 15:10

Quem tinha atendimentos agendados para a Delegacia Regional de Polícia Civil e para a Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Criciúma para os próximos dias que se prepare: as atividades dos órgãos estão suspensas.

Em reunião no começo da tarde desta segunda-feira, 23, os quase 50 funcionários das repartições, que funcionam no mesmo prédio na Rua João Pessoa, no Centro, foram comunicados de que há pelo menos três novos casos de Covid-19, em um total, agora, de quase dez contaminados entre os que atuam ali. Com isso, foi tomada a decisão de fechamento do atendimento à população pelos próximos oito dias a contar desta terça-feira, 24.

"Quem tinha atendimento agendado, está sendo avisado e remanejado para outras datas", confirma o responsável pelo setor de Trânsito da Ciretran Criciúma, André Marcelino. "Hoje ainda houve o atendimento pois tinha pessoas na fila, e os funcionários que vieram trabalhar. Mas o pessoal está finalizando o que pode pois nessa terça já vão fazer a desinfecção de todo o prédio", detalha.

Dos casos positivados entre funcionários da delegacia e Ciretran, há a preocupação com alguns registros de maior gravidade. Não é a primeira vez que a Ciretran e a Delegacia Regional de Criciúma fecham durante a pandemia de Covid-19. Em agosto, as estruturas estiveram de portas fechadas por conta de outros registros positivos para Covid-19 entre os funcionários.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 23/11/2020 - 14:52Atualizado em 23/11/2020 - 14:57

Não é todo dia que um vice-presidente da República vem a Criciúma. E a cidade terá a oportunidade de receber o General Hamilton Mourão (PRTB) na próxima quarta-feira, 25.

Mourão vai palestrar a partir das 11h30min em uma fala que deve se estender por cerca de 50 minutos.

A vinda foi articulada pelo deputado federal Daniel Freitas (PSL-SC) e estava, a princípio, encaminhada para 7 de dezembro, mas houve em seguida uma alteração de planos.

Toda visita desse caráter é cercada de toda uma preparação. Equipe da vice-presidência esteve na sede da Associação Empresarial de Criciúma (Acic) na manhã desta segunda-feira, 23. Eles voltarão mais algumas vezes até quarta, para garantir que tudo esteja dentro do rígido protocolo exigido.

Será uma palestra seleta, para 130 convidados da Acic. Os convidados estão orientados a chegar no máximo às 11h no auditório. O vice-presidente não concederá entrevista coletiva nem antes, nem depois. Logo, sua fala ficará restrita à palestra e seu conteúdo, que não contará com qualquer tipo de transmissão online. Logo, só acompanhará quem estiver na Acic mesmo.

Mourão palestrou em Florianópolis em julho do ano passado. Na ocasião, falou de economia, política internacional e outras pautas. Relembre clicando aqui.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 23/11/2020 - 08:12Atualizado em 23/11/2020 - 08:13

Do céu ao inferno. É a Série C. Claro que estar nela já é um inferno. Nível técnico baixo, jogos sem graça às pencas, a Série B é o paraíso perto da tortura que já vivemos nas 16 rodadas disputadas até aqui. Um apequenamento constante do Criciúma. Mas, se é o que temos, melhor manter do que perder, pois obviamente a Série D consegue ser ainda pior.

A rodada número 16

Quinta, em Criciúma - Criciúma 4 x 4 Ypiranga

Sábado, em Itu - Ituano 4 x 3 Boa Esporte

Sábado, em Tombos - Tombense 2 x 0 Brusque

Domingo, em Porto Alegre - São José 0 x 0 Londrina

Domingo, no Rio de Janeiro - Volta Redonda 1 x 1 São Bento

Já que o Criciúma se meteu nisso, vamos às contas para evitar a tragédia. Sim, faltando duas rodadas para terminar a primeira fase, estamos fazendo contas para o Criciúma não ir à quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Apenas para anotar: na outra vez que esse risco também bateu à porta, o mesmo Itamar Schulle de hoje era o técnico. Lá em 2009. Ufa, escapou.

Faltam duas rodadas e o Criciúma está em sétimo lugar. A chance matemática de classificar acabou efetivamente no sábado, 48 horas depois do trágico empate em 4 a 4, em casa, contra o Ypiranga. As vitórias de Ituano e Tombense aniquilaram a mísera chance que o Tigre ainda sustentava de figurar entre os quatro. Isso, por si só, já é o retrato do vexame dessa temporada de despedida da gestão Jaime Dal Farra.

Para piorar, o Criciúma tem quatro pontos de vantagem sobre São Bento e Boa Esporte, os hoje rebaixados. E antes deles, e depois do Tigre, está o São José. O mesmo São José que recebe a visita do Criciúma no próximo sábado, às 15 horas, no estádio Passo d´Areia, em Porto Alegre.

Criciúma, 18 pontos

São José, 17 pontos

São Bento, 14 pontos

Boa Esporte, 14 pontos

Acima, a situação da luta contra o rebaixamento. Vamos à boa notícia: se o Criciúma ganhar do São José, acabou a tortura. Mas vamos ao óbvio: esse é o mesmo Criciúma que já fez oito jogos fora de casa na Série C e não ganhou de ninguém. Sim, em uma Terceira Divisão o Tigre consegue a proeza de passar uma fase inteira sem ganhar de um time sequer, e olha que foi um rosário de equipes fracas enfrentadas. Teve até um, o São Bento, com goleiro na linha e aquela penca de desfalques, um fiasco histórico do Criciúma.

E uma curiosidade: o Criciúma enfrentará o São José no dia 28 de novembro. Em 29 de novembro de 2019 - portanto completando aniversário no dia seguinte dessa melancólica e decisiva partida na capital gaúcha - o Criciúma ganhava pela última vez fora de casa por Campeonato Brasileiro. Naquele dia, já rebaixado a esta mesma Série C, o Tigre emplacava 2 a 1 no Oeste, em Barueri, em uma partida que nada valia. Portanto, um ano depois o Criciúma terá que ganhar para escapar do vexame de chegar à última rodada brigando para não cair.

É que, se não ganhar em Porto Alegre, o Criciúma só não chegará à última rodada sob risco em uma hipótese: se ele, Tigre, empatar com o São José, e se Boa e São Bento, que fazem confronto direto, empatarem em Varginha. Se houver um vencedor nesse confronto, e o Criciúma não ganhar do São José, o Tigre chegará na última rodada sim, sob risco de cair.

É simples. Criciúma empatando vai a 19 pontos. São José, 18. Se o São Bento ganhar, vai a 17, e ainda estará na zona de rebaixamento. Se o Boa ganhar, idem. Quem perder esse jogo, estará fatalmente rebaixado caso o Criciúma não vença o Zequinha.

Outro detalhe importante, fundamental, diz respeito à última rodada. Se precisar ganhar, o Criciúma terá pela frente o Brusque, hoje líder mas que, com a queda recente de desempenho, poderá precisar de ao menos um ponto no Heriberto Hülse. Mais uma bronca.

A última rodada - 5/12

Em Erechim - Ypiranga x São José

Em Criciúma - Criciúma x Brusque

Em Sorocaba - São Bento x Ituano

Em Tombos - Tombense x Boa Esporte

No Rio de Janeiro - Volta Redonda x Londrina

Sobre projetar as chances do Criciúma no sábado que vem, como o histórico fora de casa é muito ruim, não será surpresa um deslize do Tigre no Passo d´Areia. Dá um confere na campanha do Tigre longe do Majestoso nesta Série C:

Volta Redonda 0 x 0 Criciúma

São Bento 0 x 0 Criciúma

Boa Esporte 2 x 0 Criciúma

Brusque 3 x 1 Criciúma

Tombense 1 x 0 Criciúma

Ypiranga 2 x 0 Criciúma

Ituano 2 x 2 Criciúma

Londrina 0 x 0 Criciúma

Sim, são oito jogos, com quatro vitórias e quatro empates, apenas três gols marcados e dez sofridos fora de casa. Por essas e outras que a estatística do Chance de Gol aponta, abaixo, os seguintes riscos de rebaixamento no Grupo B:

Criciúma - 5,3%

São José - 9,6%

Boa Esporte - 93,9%

São Bento - 90,2%

Uma coisa é certa: os próximos e últimos 180 minutos da temporada serão dramáticos para o pobre torcedor do Criciúma.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 20/11/2020 - 16:30Atualizado em 20/11/2020 - 16:31

Fazia cerca de uma hora que ele havia deixado o Hospital da Unimed. Já acomodado em casa, para onde não ia havia mais de dez dias. Anibal Dario, candidato a prefeito de Criciúma segundo colocado na última eleição de domingo pelo MDB, conversou com a reportagem. Não falou, é bem verdade, mas digitou. Ocorre que Anibal ainda está com dificuldades de fala, por conta do tempo de internação para livrar-se do coronavírus. Ele apresentou os primeiros sintomas da doença no dia 7, o quadro avançou de um resfriado entre os dias 10 e 11, culminando com a internação que se estendeu até estta sexta-feira, 20, quando houve a alta.

Confira também:

Covid-19: Uma eleição entre o diagnóstico e a cura

Mesmo não votando em si no último domingo, Anibal conquistou 10.707 votos, ficando em segundo lugar na disputa à prefeitura com 10,82%.

Dr. Anibal com a filha deixando o hospital nesta sexta

A conversa com o Dr. Anibal, via Whatsapp, foi breve, trocando perguntas e respostas por texto mesmo, até que Anibal esteja em melhores condições para falar. Confira como foi o diálogo:

4oito - Já em casa, Dr. Anibal?

Anibal - Sim, faz uma hora que estou em casa.

4oito - E como se sente. Falando normalmente já?

Anibal - Falando pouco ainda. Estou muito rouco e com fôlego curto. Infelizmente, acho que foi pela lesão pulmonar.

4oito - O vereador Ademir falou terça, na Câmara, que o senhor teve 50% dos pulmões comprometidos...

Anibal - Verdade. Não cheguei a ser intubado, mas acho que o oxigênio ressecou muito. Foi cerca de 50% de comprometimento, sim. 

4oito - E o senhor gostou da campanha?

Anibal - Com certeza.

4oito - E a votação?

Anibal - Foi boa. Um pouco mais próximo de 15 mil seria o ideal. Mas acho que fizemos um trabalho de boa qualidade. Deixamos uma marca boa, acredito. Fincamos algumas bandeiras.

4oito - Vai tentar de novo em 2024?

Anibal - Criciúma precisa modernizar seu leque de empreendimentos. É cedo para falar (de uma nova tentativa). Muitos defendem a nossa continuidade. Mas não quero me precipitar. Muitas ações ainda ocorrerão.

4oito - Mas gostou do ambiente da campanha? Do ambiente partidário?

Anibal - Com certeza, a absoluta maioria são pessoas de bem. Conheci inúmeras pessoas que querem uma política boa.

4oito - E o que achou da votação do prefeito Salvaro?

Anibal - Digamos que até me surpreendi. É uma liderança de muita expressão e de ótima articulação. Mas o sentimento das ruas era um pouco diferente. Mas tudo é possível em termos de votos. Acho que a população optou pelo que pareceu mais lógico.

4oito - Melhoras para o senhor, Dr. Anibal.

Anibal - Muito obrigado a você e a todos os criciumenses.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 20/11/2020 - 08:45Atualizado em 20/11/2020 - 09:04

É racismo, mas pode chamar também de violência por violência. O que ocorreu na noite passada em uma loja do Carrefour de Porto Alegre foi digno de revolta. João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, estava no supermercado. Apanhou até a morte de dois brutamontes travestidos de seguranças, com a truculência habitual de gente que não é treinada para o diálogo.

Vamos aos fatos: tudo começou com um desentendimento entre o João Alberto e uma funcionária do supermercado. O João Alberto teria, no auge da confusão, ameaçado agredir a trabalhadora. Errado, claro. Qual o papel do segurança em episódios como esse? Conduzir à parte externa, orientar e tirar do ambiente. Ponto.

Os ignorantes levaram o cidadão até uma parte externa, de acesso à loja. Teria, segundo a versão apurado pela Polícia Militar, errado de novo, ao desferir um soco contra um dos tais seguranças. Daí começou o espancamento. Que levou o João Alberto, negro, à morte. Ele morreu espancado. Qual nível de intolerância e de descontrole justifica isso? 

Os acusados de tamanha brutalidade, um elemento de 24 e outro de 30 anos, estão presos. Um deles é policial militar. As imagens são claras: os dois de preto, uniforme de seguranças, soqueando o João Alberto no chão. Rapidamente uma poça de sangue se formou no chão. E curiosos, muitos curiosos, também gente na sua maioria daquele nível, que prefere filmar para "bombar" na sua rede social do que ter um gesto humano de ajudar, de interferir. Outra prova da sordidez desses tempos que vivemos.

O Carrefour emitiu uma nota

O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.

A PM gaúcha também se manifestou

Imediatamente após ter sido acionada para atendimento de ocorrência em supermercado da Capital, a Brigada Militar foi ao local e prendeu todos os envolvidos, inclusive o PM temporário, cuja conduta fora do horário de trabalho será avaliada com todos os rigores da lei. Cabe destacar ainda que o PM Temporário não estava em serviço policial, uma vez que suas atribuições são restritas, conforme a legislação, à execução de serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento, e, ainda, mediante convênio ou instrumento congênere, guarda externa de estabelecimentos penais e de prédios públicos. A Brigada Militar, como instituição dedicada à proteção e à segurança de toda a sociedade, reafirma seu compromisso com a defesa dos direitos e garantias fundamentais, e seu total repúdio a quaisquer atos de violência, discriminação e racismo, intoleráveis e incompatíveis com a doutrina, missão e valores que a Instituição pratica e exige de seus profissionais em tempo integral.

A loja do Carrefour onde ocorreu o crime está fechada nesta sexta-feira

E agora? A expectativa é gigante pelos eloquentes discursos das vidas negras que importam, e importam muito. E os que priorizam um celular na mão a acudir uma vítima de espancamento? Uma pilha de perguntas para uma carência brutal de respostas. O Dia da Consciência Negra vem manchado, vem enlutado e carregado dessa hipocrisia reinante.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 13/11/2020 - 09:13Atualizado em 13/11/2020 - 09:15

Sem entrar no mérito da ocorrência, longe disso, mas essa foto que a colega Fernanda Zampoli nos disponibilizou perto das 9h desta sexta-feira, 13, ilustra a sexta-feira 13 dos envolvidos, o motorista do carro e o condutor do caminhão baú. Eles estavam, certamente, na Rua Santa Catarina. Defronte à farmácia, pouco adiante da Caixa Federal. Ali, seguindo em frente se toma a Desembargador Pedro Silva. À esquerda, tem a Leone Perassoli, pequena via que dá acesso ao estádio Heriberto Hülse e na sequência se transforma em Rua Treze de Maio.

Ok, talvez o caminhão fosse converter à esquerda e o carro pretendesse seguir reto. Como disse, nada de juízo de valor, não estou na pele dos envolvidos (e nem quero estar, nesses tempos bicudos, nada de acionar seguro - para quem tem o seguro - ou de arcar com custos extras, certo gente?!) mas vejam como o trânsito é um verdadeiro fenômeno que mexe com a vida da gente. De todos, pedestres, ciclistas, motoristas, quem caminha, quem pedala, quem acelera e quem não acelera.

Temos o poder sagrado do pisca-pisca como um atenuante a essas intempéries do trânsito. Mas temos também a atenção, esse elemento tão fundamental e que nos escorrega entre os dedos por causa de um bichinho eletrônico de estimação que nos acompanha: o celular. Quem não apanha o celular quando o carro precisa brecar no sinal vermelho? Há os muitos que o fazem até com o sinal verde aceso...

Em tempo: minha solidariedade aos envolvidos na ocorrência com seus danos materiais, que complicou o trânsito ali na borda do Posto Stadium também para quem vem lá da Desembargador Pedro Silva ou da Celestina Zilli Rovaris e quer contornar o Majestoso. Atenção, gente. E deem a seta, funciona. E larguem o celular um pouco, o trânsito agradece.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 11/11/2020 - 11:01Atualizado em 11/11/2020 - 11:05

O goleiro Agenor seguirá mais um ano no Criciúma. O clube definiu, na manhã desta quarta-feira, 11, a ampliação do atual contrato, cuja vigência se encerraria no fim da Série C do Brasileiro. O contrato foi estendido, por decisão do presidente Jaime Dal Farra em comum acordo com o departamento de futebol, até o fim de 2021.

A contratação de Agenor foi anunciada no começo de fevereiro. Ele voltou ao clube depois de dez anos em relação à passagem anterior, que havia sido na campanha do acesso à Série B, quando o Tigre deixou a Série C em 2010.

Um aspecto que chama a atenção na renovação de contrato é que o presidente Jaime Dal Farra teria definido por sua saída do clube no fim da campanha na Série C, independente do resultado. Foi o que ele disse em recente reunião do Conselho Deliberativo. Mas o diretor executivo de futebol Edson Gaúcho admitiu nesta terça-feira, 10, em entrevista à Rádio Som Maior, uma intenção de Dal Farra completar o seu mandato até o fim de 2021 - mesmo período do contrato de Agenor -, caso o Tigre conquiste o acesso à Série B.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 10/11/2020 - 08:13Atualizado em 10/11/2020 - 08:15

Nesta terça, vamos bater um bom e longo papo com o Edson Gaúcho. De volta diretor executivo de futebol do Criciúma, função que já havia exercido em 2017, Edson volta afiado. E ele estará conversando conosco no nosso programa Agora, na Rádio Som Maior, entre 9h e 10h. Daqui a pouco.

Em outra entrevista na noite passada, Edson já disparou uma forte, contra um segmento da imprensa. "Os caras não conseguem ver uma coisa boa", disse. "Tem muitos aí (...) uns caras que ganhavam dinheiro, o presidente não pagou mais, na minha época de comentarista em 2017, ficam colocando banca, só porque não tem caráter. Eu sei quem é, e quando for falar na frente, eu vou falar na frente dele. Tem que respeitar as pessoas como ser humano", afirmou. Foi no Dentro da Área, o programa do Paulo Coutinho na RTV, na noite passada.

Vamos ver em qual linha vem o Edson Gaúcho para o papo conosco nesta manhã. Será que ele continua forte opositor de uso de brincos e dos cabelos descoloridos pelos jogadores? Segue o mesmo linha dura do passado? Ele saiu em 2017 por conta do vazamento de um áudio no qual ele detonava atletas do Tigre. Ah, e ele tem uma antiga tese que separa os "atletas" dos "jogadores". E por qual razão afinal o Criciúma contratou ele, nessa altura da Série C? Tem algo a ver com os planos futuros de Jaime Dal Farra? E qual o nível de parceria entre o hoje diretor e o atual presidente do Criciúma?

Essas e muitas outras questões. Convido vocês a nos acompanhar no Agora, das 9h às 10h, e no Som Maior Esportes, às 11h30min.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 09/11/2020 - 19:30Atualizado em 09/11/2020 - 19:43

O Adelor Lessa contou, em seu comentário do fim da tarde desta segunda-feira, 9, no Ponto Final, programa que apresento diariamente das 18h às 20h na Rádio Som Maior, uma aposta curiosa. Ele está de "auditor de uma aposta de integrantes de um grupo de WhatsApp sobre a classificação dos candidatos, quem será o segundo na eleição de Criciúma". Adelor contou que "dois dos participantes fizeram a lista, o primeiro será esse, o segundo aquele, o terceiro aquele. Estou aqui nomeado, designado para acompanhar".

E o nosso colega registrou que, como nós, está assistindo os programas de TV dos candidatos à prefeitura de Criciúma e ouvindo os de rádio. "Eu tenho notado que os programas dos adversários do Salvaro estão sendo mais ácidos. O Chico Balthazar está carregando na tinta de uns 15 dias para cá, e agora o Anibal também. A Júlia nem se fala, desde o início ela bate pesado no governo de Salvaro, o Cosme continua na mesma batida, defendendo seus projetos e o Minotto é mais sutil, mas também faz alguns questionamentos", afirmou Adelor.

E ele cita, ainda, alguma leitura das pesquisas para identificar tendências sobre essa briga: perante ao favoritismo do prefeito Clésio Salvaro, quem poderá ser o segundo colocado? "A diferença entre os que estão na faixa de segundo, terceiro, quarto e quinto, eles estão tão próximos, a distância tem percentual muito pequeno, a diferença em número de votos é pequena também. Pelos movimentos, quase todos estes, qualquer um dos quatro poderá chegar ao segundo lugar", registrou.

Os candidatos reunidos com Adelor Lessa no dia do primeiro debate, na Som Maior

O que nesse momento vai agregar mais para os adversários de Salvaro? "Um discurso mais contundente em relação ao prefeito ou uma disputa à parte do Salvaro, fazendo um caminho próprio?", perguntou Adelor, na busca de uma resposta. "O que vai atrair quem não vota no Salvaro? A postura de enfrentamento, mais critica, ou não? Te confesso que eu não tenho a resposta, o tempo vai dizer", observou o nosso articulista. "Tenho hoje a impressão, pelos números, é que o segundo lugar está sendo disputado, uma disputa real, qualquer um daqueles quatro pode chegar. Não ousaria cravar em nenhum deles", completou Adelor.

Além de concordar com a fala do Adelor, tentamos ir adiante em alguns apontamentos aqui, tentando individualizar um pouco mais essa leitura. Apanhando por referência a pesquisa IPC divulgada na semana passada, o favoritismo amplo de Salvaro é indiscutível. Há quem se ocupe, nesse campo das apostas, de saber qual percentual ele alcançará. No embalo do que confidenciou o Adelor mais cedo, acabei sendo, por meu turno, encarregado de arbitrar outra aposta, entre duas figuras conhecidas - e valendo um bom vinho -, sobre o percentual que o atual prefeito alcançará no domingo. Um cravou mais de 65%. Outro, menos.

Segundo e terceiro

Anibal Dario (MDB), o segundo da pesquisa, teria um leve favoritismo a esse segundo lugar por conta da raiz partidária do MDB. Os candidatos a vereador, sempre importantes cabos eleitorais, parecem na sua maioria empenhados em propagandear o prefeito. Aquele afastamento de postulantes à Câmara que omitem as majoritárias das suas coligações não percebi ainda no MDB e no DEM, o que é bom para o médico.

Dr Anibal

Mas muito perto dele vem Rodrigo Minotto (PDT). A pesquisa mostra uma diferença mínima em relação a Anibal, e parece que é o que acontece. Minotto tem a seu favor o mandato de deputado, e ele tem usado e abusado disso em sua propaganda. Outro dia, um programa seu elencou o montante de verbas distribuídas, passando por Criciúma mas indo longe, citando inúmeras cidades contempladas. Para um observador menos atento, parecia uma campanha de reeleição à Alesc. Mas Minotto tem sido firme no uso de informações, parece ter estudado e, da mesma forma que Anibal, conta com a aparente fidelidade dos candidatos a vereador de sua coligação, PDT e PCdoB. O PSB só empresta a sigla mesmo.

Salvaro entre Neguinho, o vice, e Minotto, o candidato a prefeito do PDT. Encontro casual do fim de semana

Ainda sobre Minotto, a anotar que o deputado pedetista cruzou caminho com o prefeito Clésio Salvaro no fim de semana no Parque Altair Guidi. Tiveram uma conversa amigável, de alguns minutos, o que confirma o discurso que ele tem transmitido, de um candidato de diálogo, que naquela linha dos que divergem com força e dos que buscam passar à margem de Salvaro, ele parece estar mais alinhado na segunda coluna. Pelo visto, a aposta do deputado para ser o segundo é essa, não bater no prefeito.

Quarto e quinto

Júlia Zanatta (PL) e Chico Balthazar (PT) nos aparentam uma leve desvantagem em relação a Anibal e Minotto, pois carregam, pelo que apuram as pesquisas, o peso da rejeição aos polos que representam. No caso de Júlia, muito menos pelo "padrinho" Bolsonaro - que inegavelmente segue muito forte entre os criciumenses -, mas muito mais pela visível dificuldade de transferência de votos. E Júlia talvez seja, também, o caso mais emblemático de falta de uma fidelidade plena dos candidatos a vereadores à sua candidatura. Já vi alguns, do PL e do PSL, com suas propagandas omitindo a majoritária ou, até, citando outros candidatos, sutilmente ou nem tanto.

Júlia Zanatta e o bolsonarismo sempre à frente

Já Chico, embora bata bastante na tecla da herança do governo Décio Góes, do qual fez parte, lida com a maior rejeição nas pesquisas - pesquisas que ele vem contestando, todas elas - por conta do PT, e do peso que a sigla passou a carregar de anos para cá, em particular com o advento Jair Bolsonaro. E a força de Bolsonaro no eleitorado criciumense, em tese, parece mais representada na rejeição a Chico do que exatamente na preferência por Júlia.

Chico e as bandeiras do PT

Sexto e sétimo

Houve quem se empolgasse com a arrancada da campanha do Coronel Manique Barreto, do Podemos. Ele demonstrou segurança nos debates e conhecimento de causa. Inegavelmente, é um técnico experimentado na área que representa, a segurança. Mas a dificuldade estrutural do Podemos, partido recém nascido na cidade, aliada a um cenário congestionado na majoritária, não permitiram uma decolagem mais impulsionada da candidatura do ex-comandante da PM na região. Mas ele segue disposto, na sequência de Minotto, a ser o candidato que menos bate em Salvaro. Está claro isso também.

Manique Barreto até tem a fidelidade dos seus candidatos a vereador, apenas do Podemos, não tem coligados. Mas são poucos, e lutando bravamente por algum espaço.

Coronel Cosme ainda sonhando alto

E o Professor Ederson, do PSTU, sofre com a cláusula de barreira, que fez seu partido se ver privado de horário eleitoral no rádio e na TV, o que já é uma tremenda barreira. Ampliando a gama de dificuldades, a falta de recursos aliada à bandeira da extrema esquerda, de difícil defesa em uma cidade onde o discurso de direita ganhou importante incremento de poucos anos para cá. E outro dia Ederson ainda sofreu com uma impugnação parcial de candidatura, derrubada depois. Ele tem sido dos que mais batem, por razões óbvias, no prefeito Salvaro. E tem apenas um candidato a vereador, o que dificulta ainda mais a sua exposição.

Professor Ederson, lanterna nas pesquisas até agora

Mas claro, tudo o que vocês acabam de ler são humildes leituras de quem está aí, ouvindo, lendo, consumindo e interagindo com as mais diversas fontes. A urna é soberana. O eleitor é o dono da razão. Retomamos essa conversa no domingo, depois das 17h, sujeitos a erros. Afinal, urna é imprevisível até que a última esteja apurada.

Abaixo, o áudio do comentário do Adelor Lessa nesta segunda no Ponto Final da Som Maior.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 04/11/2020 - 16:24Atualizado em 04/11/2020 - 16:26

Tem novidade no Criciúma. O presidente Jaime Dal Farra confirmou, na tarde desta quarta-feira, 4, que o ex-treinador Edson Gaúcho está de volta. Agora, ele será diretor executivo de futebol. Ele já trabalhou no clube nesta função, na temporada de 2017.

Cabe lembrar que, com Edson Gaúcho como técnico, o Criciúma foi campeão brasileiro da Série B em 2002. "Recebi o convite do presidente Jaime e estou feliz e motivado para trabalhar. O objetivo é recolocar esse grande clube na Série B", disse Edson.

Mais detalhes em instantes.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 04/11/2020 - 10:05Atualizado em 04/11/2020 - 10:08

Um caso que transcende o futebol, mas que mexe na vida de todos. A sentença de estupro culposo, inocentando o empresário André Aranha, acusado de estuprar a promoter catarinense Mariana Ferrer, tornou-se de repercussão nacional. Desde esta terça, 3, quando a sentença veio à tona, milhares de manifestações tomaram as redes sociais apontando que "estupro culposo não existe".

De ontem para hoje, entrevistamos inúmeros juristas, advogados de várias partes, confirmando a leitura técnica: "estupro culposo não existe". Na prática, o juiz do caso, Rudson Marcos, apontou que "não houve intenção de estuprar".

Discussões jurídicas à parte, os clubes de futebol - por conta do imenso clamor da causa - também estão se manifestando. Nas últimas horas, os clubes de Santa Catarina no Campeonato Brasileiro colocaram suas posturas contra a sentença e pela justiça a Mari Ferrer, em inúmeras postagens. Chapecoense, da Série B, Criciúma e Brusque da Série C, Joinville, Tubarão e Marcílio Dias, da Série D, se pronunciaram, e até clubes sem calendário nacional, como o Camboriú.

Só seguem calados nas suas redes sociais os clubes de Florianópolis, Avaí e Figueirense. Confira nos prints abaixo:

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 03/11/2020 - 22:04Atualizado em 03/11/2020 - 22:14

Agora sim, já tem prazo efetivamente definido para o fim da gestão Jaime Dal Farra no Criciúma. O presidente confirmou, durante reunião do Conselho Deliberativo na noite desta terça-feira, 3, na Acic, que deixa a presidência do Criciúma no fim da participação do clube na Série C do Brasileiro. 

"Independente do que acontecer", disse Dal Farra aos conselheiros. Ele confirmou também que a GA deixa oficialmente o clube no mesmo prazo. Jaime terá, para tanto, que formalizar renúncia do mandato de presidente, que ainda se estendia até o fim de 2021.

Torcedores protestaram na Acic

Dal Farra confirmou que o Conselho está autorizado a convocar eleição presidencial. A tendência é que toda a diretoria renuncie, inclusive o vice-presidente Alexandre Farias, recentemente eleito e empossado. Mas é provável que Farias seja candidato. 

Antes da reunião houve um protesto na parte externa do ambiente da reunião, na sede da Acic. Um grupo de torcedores munidos de faixas protestou na chegada do presidente, que recorreu a um acesso secundário para escapar dos manifestantes. 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 03/11/2020 - 15:25Atualizado em 03/11/2020 - 15:26

Estava na expectativa de que a governadora Daniela Reinehr fizesse postar a qualquer momento, em sua rede social, algum comentário sobre esse assombroso caso da Mariana Ferrer, a promotor catarinense estuprada e que, no fim das contas, foi apontada como vítima de um "estupro culposo", categoria inexistente até então no Direito Penal brasileiro, e que fez do seu estuprador um elemento que "a estuprou sem intenção".

Mas a governadora não está em condições de comentar esse triste episódio. Nem de se posicionar, muito menos de exigir uma postura do Judiciário perante a esse vexame patrocinado por Santa Catarina. Em função de outros vexames, de menor monta é bem verdade, mas vexames também para Santa Catarina. É que a senhora governadora, em seus primeiros dias de mandato, tem colecionado cenas lastimáveis de "desistências de opiniões", algo que vai absolutamente na contramão daquele discurso de uma mulher que batalhou por seu mandato e que conseguiu, na via da Justiça, o direito de governar Santa Catarina no lugar do apeado, o titular Carlos Moisés.

No sábado, Daniela postou um pedido para que as pessoas usassem máscara e tomassem os necessários cuidados em tempos de pandemia no feriadão. “No feriado, todos gostam de relaxar. Só não podemos deixar de lado os cuidados com a higienização das mãos e dos objetos, além do uso da máscara, é claro. Vamos fazer a nossa parte em prol de #Santa Catarina! É hora de unir orações e forças para retomar o caminho do progresso”, escreveu. Horas depois, fruto de críticas recebidas, a postagem foi excluída. Mais tarde, veio a confirmação de que a exclusão havia sido feita pela equipe de Daniela.

Nesta segunda, a cena repetiu-se, desta vez com outro episódio relacionado à pandemia. A governadora postou um repúdio ao acontecido com a equipe da NSC, agredida na praia do Campeche por frequentadores do local, enquanto uma reportagem era produzida. "Inadmissíveis as agressões sofridas pela equipe de uma emissora de TV que estava no exercício de sua função, em uma praia de Florianópolis. A partir do momento em que a violência toma a frente, perde-se a razão. Não há justificativa para isso", postou. A publicação anoiteceu mas não amanheceu nesta terça. De novo, apagada.

Ah, teve o caso de domingo ainda. Na conta oficial do Governo do Estado publicou-se um conteúdo sobre o "Vigia Covid", instrumento para denúncias sobre infrações ao distanciamento social. O conteúdo sobreviveu algumas horas online, mas logo foi abatido também.

Ou seja, o "delete" tem sido a tecla mais batida desse curto governo até aqui. Triste para Santa Catarina.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 02/11/2020 - 13:25Atualizado em 02/11/2020 - 13:34

É com um misto de surpresa e indignação que li faz pouco,, no G1 SC, a informação sobre a equipe de reportagem da NSC TV agredida na manhã desta segunda-feira, 2, na praia do Campeche, em Florianópolis.

Os colegas, repórter e cinegrafista, lá estavam para produzir matéria sobre os frequentadores da praia. Gente que optou por lá estar, curtindo e aglomerando. Ok. Cada qual na sua, os jornalistas a trabalho, os praieiros a passeio.

Tudo deveria correr bem, certo? Errado. Nesse ambiente minado pela idiota e constante politização de qualquer coisa, alguns bandidos travestidos de gente boa ousaram agredir a equipe da NSC. E são covardes ainda por cima, já que uma das agredidas é a Bárbara Barbosa que, competente e reconhecida jornalista que é, prima por ser amável, atenciosa e respeitosa. Trabalhou conosco aqui em A Tribuna, é uma profissional de ponta, de finíssimo trato.

Pois bem. Esses brutamontes tentaram de tudo para impedir a reportagem. Foram ao máximo do vandalismo agredindo e até tomando o celular da jornalista. Eram banhistas que descumpriam decreto municipal e, de mais a mais, deviam em vez de primar pela covardia adotar a mesma razão que dizem ter para defender suas convicções. Se estão certos, por qual razão agredir? Curtam sua praia e deixem a TV trabalhar. Simples assim.

Conversei rapidamente com a Bárbara faz pouco. Está assustada, ainda atônita, e na delegacia, registrando a ocorrência contra os selvagens.

A NSC prometeu agir. E espero que nosso sindicato também o faça, e que as autoridades tomem o lado correto, não o demagógico. Que defendam o correto, não o fanfarrão. E que tenham coragem de descer do muro faltando duas semanas para as eleições.

Abaixo, a reprodução da matéria do G1 SC sobre o assunto:

Uma equipe da NSC TV, afiliada da Rede Globo em Santa Catarina, foi agredida na manhã desta segunda-feira (2) enquanto fazia uma reportagem. O caso ocorreu na frente de um posto salva-vidas na Praia do Campeche, em Florianópolis.

A equipe estava fazendo uma reportagem sobre fiscalizações na praia quando um grupo avançou sobre a repórter Bárbara Barbosa e o cinegrafista Renato Soder. Eles foram cercados por pessoas que estavam na faixa de areia e desrespeitavam o decreto municipal.

Algumas pessoas avançaram sobre a câmera, ameaçando quebrar o equipamento. Depois, outras tentaram tirar das mãos da repórter o celular enquanto era gravado a agressão. Ela foi cercada por parte do grupo e uma mulher pegou o aparelho.

Após a confusão, a repórter conseguiu recuperar o celular. Ela sofreu arranhões no braço. A Polícia Militar e a Guarda Municipal foram acionadas. Um boletim de ocorrência será registrado pela emissora.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 29/10/2020 - 16:15Atualizado em 29/10/2020 - 16:19

O Avaí está tentando a contratação do volante Foguinho, que disputa a Série C do Brasileiro pelo Criciúma. O comentarista Rodrigo Faraco informou nesta quinta-feira, 29, na Rádio CBN Diário, que o Avaí já está acertado com Foguinho para 2021, tenta antecipar essa transferência para o segundo turno da Série B em disputa atualmente, e que para tanto colocou jogadores à disposição do Tigre.

"O Avaí tem um acerto com o Foguinho, do Criciúma, e está batalhando para trazê-lo visando o returno da Série B. O clube colocou jogadores à disposição do Tigre, dependendo da resposta pode acontecer", confirmou o jornalista.

Foguinho em campo contra o São Bento, no 0 a 0 de segunda-feira

Segundo a informação que vem de Florianópolis, o Criciúma resiste à liberação imediata do atleta, já que conta com Foguinho como um dos seus destaques no elenco que tenta tirar o time da Série C. Foguinho já disputou 41 jogos com a camisa do Criciúma e marcou cinco gols, conforme o Meu Time na Rede. Na atual temporada são dois gols em 21 partidas.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 29/10/2020 - 16:05

A Chapecoense é hoje a líder da Série B do Campeonato Brasileiro. E há uma boa razão para que o Criciúma torça pelo Verdão do Oeste ficar por ali e ganhar o título. É que somente assim o Tigre terá condições de jogar a Copa do Brasil em 2021. 

Ocorre que o campeão da B tem vaga assegurada nas oitavas de final da Copa do Brasil e acaba, por isso, abrindo uma vaga ao seu estado. Neste caso, Santa Catarina tem direito a três vagas na competição, duas via Estadual e uma pela Copa que realiza.

Pelo Estadual, hoje os classificados de Santa Catarina para a Copa do Brasil do ano que vem são justamente a Chapecoense, campeã, e o Brusque, vice. O Criciúma foi terceiro. Se a Chape chegar na Copa do Brasil via título da Série B, o Criciúma herda a vaga pelo Estadual. É o único jeito.

Acontece que o Tigre optou por não disputar a Copa Santa Catarina, que dará ao seu campeão a terceira vaga catarinense. A Federação Catarinense de Futebol (FCF) confirmou na última segunda-feira, 26, que a Copinha ocorrerá entre 10 de janeiro e 7 de fevereiro reunindo Tubarão, Joinville, Juventus, Marcílio Dias, Concórdia e Navegantes. Um desses estará na Copa do Brasil já em 2021.

E o ranking? Acontece que o ranking da CBF contempla os dez melhores ranqueados, fora os já garantidos com vagas na Copa do Brasil via Estaduais. E como o Criciúma deve ficar do quadragésimo lugar para baixo na lista, e com a quantidade de times melhor posicionados no ranking que foram mal nos seus Estaduais, é nula a chance de o Tigre pegar uma vaga via ranking.

Logo, trocando em miúdos, só a Chapecoense salva o Criciúma de mais um vexame, ficar fora da Copa do Brasil ano que vem.

Em 32 edições, contando a deste ano, o Criciúma disputou 20, contando as nove últimas. A temporada mais recente sem o Tigre na competição foi em 2011. As demais ausências ocorreram em 2010, 2007, 2005, 2004, 2001, 2000, 1998, 1997, 1995, 1993 e 1989.

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13