Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Muda o jurídico do Tigre. Mais um sinal

Denis Luciano
Por Denis Luciano 28/05/2020 - 15:33Atualizado em 28/05/2020 - 15:34

Claro que depois do acontecido é bem mais fácil, mas que o presidente Jaime Dal Farra vinha dando sinais de esgotamento do seu projeto no Criciúma, isso era fato. Mais um desses sinais está dado agora. O advogado Albert Zilli dos Santos está deixando a direção jurídica do clube. A saída dele e a posse na função do advogado Rodrigo Sakae foram anunciadas por nota oficial do Criciúma há pouco:

O Dr. Rodrigo da Silva Sakae, OAB/SC 27.116, assumiu a diretoria jurídica do Criciúma Esporte Clube na última segunda-feira (25/05). 

 

Com 37 anos, Sakae atua como advogado desportivo desde 2009, é ex-auditor da Liga Florianopolitana de Futebol (Liff) e já foi assessor jurídico do Criciúma de 2011 a 2014, ocasião em que se tornou procurador constituído do clube para defesa nos órgãos de Justiça Desportiva, prestando consultoria e assessoria de direito desportivo desde então.

 

Atualmente, é vice-presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB/SC - Subseção de Criciúma, e membro efetivo da Comissão de Direito Desportivo da OAB/SC.

 

O Criciúma agradece o empenho e dedicação do Dr. Albert Zilli dos Santos no desempenho desta importante função.

Sakae já tem um tempo de atuação pelo Criciúma. É competente, jovem e tem bom trânsito. Auxiliava Albert em diversas demandas e inclusive acabava atuando até mais que o titular na rotina do clube. Albert tinha a visão global do juridiquês no Criciúma. Conhece como poucos os pormenores do contrato da GA com o Criciúma. E isso não vem de agora. Ele foi um agente importantíssimo na consolidação oficial da parceria original, ainda com o presidente Antenor Angeloni.

Há quem diga, inclusive, que Albert teve um papel fundamental na formatação que conferiu aos parceiros, Angeloni e depois Jaime Dal Farra, confiança para fechar negócios de tamanha responsabilidade, como eram o caso de assumir o clube e deixa-lo, sem garantias de lucratividade ao fim do período, enxuto, sem dívidas e com o patrimônio em dia. Albert, enquanto advogado competente que é, participou  decisivamente nas duas transições, na que colocou Antenor Angeloni e na que fez de Jaime Dal Farra o sucessor à frente da GA.

Albert em um dos tantos pronunciamentos em meio a crises do Criciúma.
Ele fez parte ativa do Tigre pelo menos nos últimos oito anos.

E não foram poucas vezes que o advogado foi até o Conselho Deliberativo explicar o contrato, tirar dúvidas e abafar crises. Foram várias, desde os destemperos do presidente Dal Farra nas brigas com torcida, imprensa e até outros clubes, passando pelo embate fortíssimo recente com a Federação Catarinense de Futebol (FCF). Albert foi um contemporizador, um contorno às crises com a sua experiência embasada nas leis. Contribuiu e muito para a nova fase que vive o Criciúma, que sairá de mais uma transição assim como apregoa o contrato da GA: livre de dívidas e zerado para a nova turma que vier.

4oito

Deixe seu comentário