Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/06/2018 - 05:46Atualizado em 12/06/2018 - 08:59

O governador Eduardo Moreira não será candidato a governador por consenso no MDB. O deputado Mauro Mariani também não. Os dois deverão disputar a indicação no voto.

Foi a síntese da reunião da executiva estadual do MDB, ontem.

O deputado Mariani reafirmou sua condição de candidato, mas o governador Eduardo também se apresentou como candidato.

Foi a primeira vez que Eduardo assumiu no partido sua intenção de disputar a reeleição.

Mauro destacou que corre o estado desde o ano passado, apoiado pelo próprio Eduardo e pelos deputados e senador do partido.

Eduardo argumentou que as circunstâncias mudaram, ele assumiu como governador e só poderá disputar a reeleição, enquanto Mauro pode ser candidato a senador.

O único ponto em que os dois tem o mesmo entendimento é que a indefinição do candidato vai acabar isolando o MDB, porque vai dificultar alianças.

Para consumo externo, a executiva do partido, presidida por Mariani, abriu espaço de tempo até segunda-feira para que os dois tentem um entendimento, o que evitaria a disputa interna.

Eles devem se reunir hoje ou amanhã, aproveitando que estão na capital para o congresso catarinense de prefeitos.

Mas, deverá ser uma conversa apenas para cumprimento de tabela. Nenhum dos dois quer pagar o desgaste de negar o dialogo.

Agora, nem um, nem outro, sinaliza a mínima disposição de desistir. Pelo menos até agora.

Na real, a semana será usada para articulações, costuras (e consultas) internas, possíveis composições e discussão sobre as regras para as previas.

Ontem, havia duas possibilidades. Disputa entre os delegados do partido nos municípios, ou os delegados e mais prefeitos e vices.


Não esqueçam de mim

Na reunião da executiva estadual do MDB, o ex-governador Paulo Afonso cumpriu o que havia antecipado na reunião da JPMDB, em Içara, no sábado. Apresentou seu nome como candidato ao senado. E emendou - “se aparecer outro candidato, vamos disputar no voto, na convenção”.

Paulo Afonso está em sintonia com Mauro Mariani.


Alianças

Eduardo Moreira e Mauro Mariani estão tratando de aliança, em conversas separadas, com PR (do deputado Jorginho Mello) e DEM (do deputado João Paulo Kleinübing). Os dois podem estar na chapa majoritária.

Eduardo também tem conversa adiantada com o PSDB (de Napoleão Bernardes).


Ninguém mais tira

Mais do que consolidar candidatura a governador, o deputado Gelson Merisio sacramentou a aliança que ele idealizou. Com o PP e mais nove partidos. 

Ficou evidente no ato de Chapecó que o bloco está fechadíssimo.

Se o deputado Esperidião Amin resistir à chapa com Merisio ao governo e ele ao senado, ficará isolado no PP e pode ficar fora da chapa majoritária.


UPA Antônio Althoff

Gol de placa do prefeito Clesio Salvaro ao decidir “batizar" a UPA da Próspera com o nome do médico Antonio Althoff.

Profissional da saúde dos mais respeitados na cidade e região, um dos tradicionais da medicina, e acima de tudo, um cidadão que gostava de atender e ajudar as pessoas. Indo muito além da sua especialidade. Uma pessoa espiritualizada. Era sempre uma boa conversa.


A mudança no PSD

Como previsto, o vice-prefeito Ricardo Fabris foi eleito presidente do PSD de Criciúma, ontem à noite, durante convenção municipal.

Com apoio do ex-deputado Julio Garcia e do deputado Ricardo Guidi, o novo presidente vai cumprir missão de renovar o partido, atraindo novos filiados. 

Já está marcado para julho, um ato para oficializar em torno de 1 mil novas filiações.


PT terá candidato

O presidente estadual do PT, deputado Decio Lima, estará em Criciúma na sexta-feira para o lançamento da candidatura do sindicalista Celio Elias como candidato a deputado federal. 

Mas, virá como uma missão “extra" - definir um candidato do PT de Criciúma ou da Amrec a deputado estadual. Que hoje não tem.

Decio Lima vai trabalhar com cinco possibilidades - vereador Lauro Nogueira (Içara), Deva, Laércio Silva, Decio Góes e dr Juliano.


Fora de jogo

O deputado federal do sul Jorge Boeira, PP, está de licença. Na sua vaga, assumiu o suplente Osvaldo Mafra, do Solidariedade.


Mudança no colegiado

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, MDB, definiu ontem em reunião com direção do PSD, uma mini-reforma no secretariado.

Pelo PSD, Ivan Reus vai assumir a presidência da fundação de meio ambiente e Fabiana do Amaral a secretaria de ação social.

Pelo MDB, Jaqueline dos Santos será efetivada na secretaria de saúde.  

Os atos de posse, em conjunto, estão projetados para sexta-feira.


110 dias de cadeia

O deputado federal catarinense João Rodrigues, PSD, revelou que estava dividindo cela com o ex-ministro José Dirceu, no presídio da Papuda, em Brasilia.

Outro colega de cela era o ex-senador Luis Estevão, de Brasilia.

João Rodrigues agora vai cumprir pena em regime semi-aberto em cela especial. 

Ele voltou ontem a ocupar o seu gabinete na câmara federal, depois de liberado para cumprir atividade parlamentar por liminar expedida pelo STF.

Estava mais magro e com maior volume de cabelos brancos

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/06/2018 - 06:45Atualizado em 11/06/2018 - 07:09

Fabiana Rodrigues, esposa do deputado federal João Rodrigues, anunciou hoje cedo na rádio Som Maior FM que será candidata a deputada federal se João não conseguir liberação da justiça eletoral para disputar a reeleição.

Fabi está em Brasilia para receber João, que será liberado hoje no presídio da Papuda para passar a cumprir suas atividades na câmara dos deputados, amparado em liminar expedida pelo STF.

João é do PSD, mas se Fabi for candidata será pelo DEM, onde se filiou no início de abril.   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/06/2018 - 06:43Atualizado em 11/06/2018 - 11:37

Se já não seria fácil, a partir de sábado virou missão impossível sacar Gelson Merisio, PSD, da disputa pelo governo do estado. Ele pode até abrir mão, mas só se ele entender que é o melhor a fazer. Enfim, a bola está com ele. 

O evento de sábado foi grande, representativo, o maior já realizado no estado nos últimos tempos, e vai dar o start para outras definições que vão montar o quadro da eleição.

Primeiro, dentro da própria aliança que o apoia. Esperidião Amin, que não foi no sábado por causa do batizado da neta (mas mandou vídeo), será candidato a senador ou governador? 

Depois, onde estará o PSDB - com Amin ou com o MDB?

O comando do PSDB no estado estava em Chapecó no sábado, na hora do evento, mas não foi ao evento. Porque não foi convidado.

Merisio justificou que seria “indelicadeza" convidar o partido (PSDB) que tem candidato a governador (Paulo Bauer). Mas, levou o PP que tem Esperidião Amin de candidato. A não ser que Merisio não leve a sério a anunciada candidatura de Amin!

Hoje, em Florianópolis, o MDB trata da definição do seu candidato. Porque se convenceu que  a duvida entre Eduardo Moreira Mauro Mariani isola o partido. Ninguém vai fechar aliança sem saber quem será o candidato.

Mariani tem dito que não abre mão. Foi lançado candidato em 2017 pelo próprio Eduardo Moreira, correu o estado e acredita que tem plenas condições de se viabilizar.

Eduardo, no comando do estado, se movimenta muito, opera forte nos bastidores, e aposta numa aliança com o PSDB.

Mariani convocou a reunião de hoje da executiva para encaminhar uma definição. Pode apresentar proposta de prévias.

Foi o que fez quando Udo Dhöler sinalizou intenção de disputar o governo, e empurrou para fora do prefeito de Joinville.


Senador

O ex-governador Paulo Afonso, MDB, citado (e criticado) por Merísio no comício de Chapecó, confirmou candidatura ao senado no sábado, em Içara.

Disse que só não será candidato se for derrotado na convenção do partido.

Paulo Afonso participou em Içara de encontro de dirigentes da JPMDB na década de 80.

Sobre a candidatura ao governo, ele entende que o partido deve definir logo o candidato, para não ficar isolado nas composições, mas não sabe como deve ser tomada a decisão.


Convenção do PSD

O PSD de Criciúma, que não foi no comício de Gelson Merísio, fará convenção municipal hoje para eleição do novo diretório e executiva. O vice-prefeito Ricardo Fabris será eleito presidente.

A convenção é realizada sob comando do ex-deputado Julio Garcia.

A convenção deve oficializar apoio as candidaturas de Julio Garcia a deputado estadual e o deputado Ricardo Guidi a federal.


Na procissão

O governador Eduardo Pinho Moreira participou no sábado da procissão em homenagem a Santo Antônio dos Anjos, em Laguna. 

Com ele, a primeira dama, Nicole Moreira, que está envolvidíssima com a candidatura de Eduardo à reeleição.


Mais um

Pelo menos dois ex-prefeitos do MDB do vale do Araranguá, mesmo filiados ao partido, vão apoiar a candidatura a reeleição do deputado estadual Rodrigo Minotto, PDT.

Não vão com Manoel Mota, nem Luiz Fernando Vampiro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/06/2018 - 11:24Atualizado em 09/06/2018 - 11:26

A semana termina com fatos políticos importantes, que devem influenciar na montagem do quadro para eleição pelo governo do estado.

Gelson Merisio lança sua candidatura em Chapecó com 10 mil pessoas, Eduardo Moreira se reune em Blumenau com Napoleão Bernardes ("o vice dos sonhos”), João Rodrigues volta ao jogo (reassume mandato) e Paulo Bauer é alvo de inquérito por corrupção e lavagem de dinheiro.

Para completar, na segunda-feira o MDB pode definir o candidato a governador, ou pelo menos vai marcar data para isso.

O ato que Merisio faz neste sábado em Chapecó de certa forma atropelou o processo.

É o maior ato policio do an até agora e será um dos mais importantes de toda a campanha.

Depois disso, a candidatura de Merisio fica mais do que consolidada. Lá no final, ele pode até não disputar o governo. Mas, ninguém vai simplesmente sacá-lo do processo. So ele pode decidir sair, se for convencido que é o melhor a ser feito. E não vai ser fácil!

Merisio já mostrou que é determinado e persistente. Não enverga fácil!

Mais de 100 prefeitos, de vários partidos, estarão em Chapecó, 20 deputados, e uma dezena de partidos. Do PP, principal aliado, só não estará o deputado Esperidião Amin (que justificou ausência pelo batizado da primeira neta).

Do sul, vai o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, PP, os deputados Valmir Comin e José Milton, PP, Rodrigo Minotto, PDT, e Cleiton Salvaro, PSB.

Prefeito Clesio Salvaro não vai e nenhuma figura de proa do PSDB catarinense.

O grupo do PSD do sul liderado pelo deputado Ricardo Guidi e do ex-deputado Julio Garcia também não vai. Mas, as ausências não comprometerão o sucesso do evento.

Com a movimentação intensa de Merisio, os adversários também estão se mexendo. 

Eduardo Moreira se reuniu com Udo Dhöler, quinta-feira, em Joinville, e nesta sexta, em Blumenau, com o ex-prefeito Napoleão Bernardes, PSDB. 

Napoleão repetiu que seu projeto é disputar o senado. Não disse, no entanto, que isso é “imexível”, nem que vá rechaçar uma proposta de vir a ser candidato a vice, numa composição, se for a decisão do partido.

 

A triplice

Esperidião Amin não vai a Chapecó, mas manda video do tipo “estamos juntos”, tratando Merisio como “sócio de um projeto para o estado”.

Mas, já disse que não vai com o PSD e com Merisio se Paulo Bauer e o PSDB não estiverem.

Merisio não convidou o PSDB para a sua festa.

No projeto de Merisio, Amin é candidato a senador na sua chapa.

No projeto de Amin, o candidato a governador é Pablo Bauer ou ele mesmo, e Merisio vai de vice.

 

Dois candidatos

Tirando Amin, todos do alto comando do PP estão fechadissimos com Merisio e sua candidatura ao governo, mesmo sem o PSDB na aliança.

Mas, se Amin não conseguir emplacar a candidatura de Bauer pela aliança, ele deve ser fazer candidato a governador com Merisio de vice ou com com PSDB de vice.

 

Bauer na região

O senador Paulo Bauer, mais fragilizado do que ja estava depois do inquérito aberto nesta semana pelo Supremo Tribunal para investiga-lo por corrupção e lavagem de dinheiro, estará na região na próxima semana.

Vai acompanhar a posse do novo diretoria do PSDB de Criciuma e participar da festa de Nova Veneza.

 

Mais um

Depois de Paulo Bauer e Dalirio Beber, o terceiro senador catarinense, Dário Berger, MDB, também vira alvo de investigação do Ministério Público Federal por supostos “pagamentos milionários” feitos pela JBS.

A chefe do MPF, procuradora Raquel Doge, pediu que seja aberto inquérito para investigar o senador Berger.

Em sua delação, o ex-diretor do grupo JBS, Ricardo Saud, disse ter feito pagamento de r$ 46 milhões a senadores do MDB, incluindo o catarinense Dario Berger.

 

Ficou no ar!

Edinho Bez, MDB, estava pronto para assumir como deputado federal na vaga de João Rodrigues, PSD, foi para casa na quinta-feira, fim da tarde, com agenda de entrevistas que concederia a partir de 7h à vários rádios do estado no dia seguinte já como deputado federal. Duas horas antes do horários que estava previsto para assumir.

Já havia se demitido do cargo que ocupava no ministério da justiça porque iria cumprir mandato. Mas, deu errado!

João Rodrigues foi liberado pelo STF para assumir o mandato. Estará no plenário na segunda-feira.

Edinho não será deputado, e não tem mais o cargo no ministério da justiça.

 

Nomes e marcas

A primeira mulher entrevistada no programa Nomes e Marcas, que estou apresentando na radio Som Maior, aos sábados, 9h30, será Aricélia Antunes, a Céia da Acuo.

A empresa tem 24 anos e ela conta como e porque deixou um emprego que tinha no estado, com estabilidade, para correr o risco de fazer valer um sonho. Uma bela historia.

 

Redução de vagas

Vereador Alex Michels faz mandato elogiável na presidência da câmara de Içara.

Administrou com habilidade questões polêmicas, como a intenção de reajustar salários de assessores políticos, entre outras.

Agora, está conduzindo muito bem a discussão sobre redução do numero de vereadores. O que representa sintonia 100% com a voz das ruas. É, enfim, algo realmente novo sendo feito no processo politico da região.

A idéia é reduzir de 15 para 13 ou 11 vereadores.

 

Made in SC

No lançamento da campanha “compre de SC”, nesta sexta-feira, o governador Eduardo Moreira comeu paçoca de pinhão (típico da serra) e a primeira dama, Nicole Moreira, tomou refrigerante produzido no estado.

No discurso, Eduardo usou exemplo de uma geladeira- “Se você compra uma geladeira produzida no estado, e ela custa em torno de r$ 2.000,00, o imposto que é r$ 340,00 (17%), fica no estado. Se o produto é de fora, fica no estado apenas r$ 100,00”.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/06/2018 - 06:26Atualizado em 08/06/2018 - 08:52

Os números referentes a participação de Criciúma no rateio da receita do estado são preocupantes. De novo.

Mostram que a cidade continua sem fazer o “dever de casa” para iniciar o processo de recuperação.

Os números são oficiais, divulgados pela secretaria da fazenda do estado. Provisórios ainda. Mas, mesmo que tenha alguma alteração, não será nada expressivo. Não será suficiente para mudar posições.

Em síntese, Criciúma caiu 4,3% no índice de participação dos municípios.

No caixa, isso representa receita menor a ser repassada pelo estado para Criciúma em 2019.

É preciso reagir!

Para isso, Criciuma deve começar a fazer "receita nova”. O que será possível com a vinda de novas industrias. Porque elas geram emprego, renda e trazem receita de fora. Não fazem girar apenas o dinheiro que já está aqui, como outras atividades econômicas.

Historicamente, o melhor desempenho de Criciúma na economia, e o período que abocanhou maior fatia do bolo da receita do estado, foi quando a cidade era conhecida como importante polo industrial do estado. 

Com o tempo, foi perdendo sua marca industrial e começou a cair no ranking estadual.

O norte explodiu em receita e está consolidado como a parte mais rica do estado porque concentra o maior parque industrial.

Lages se recuperou e passou Criciúma quando pegou esse caminho.

Não dá para ficar resmungando no buraco. É preciso ter atitude para sair dele. Gerar fatos novos.

Os exemplos bem sucedidos de outras cidades sinalizam que é preciso buscar as industrias.  Não pode ficar sentado, esperando. A concorrência é grande.  

Agora, se a cidade não gerar receita nova, e não aumentar a arrecadação, a cada dia vai ficando mais difícil para garantir melhor qualidade de vida para o cidadão pagador de impostos.

Porque vai ter cada vez menos dinheiro no caixa para revitalizar estradas e calçadas, reformar ou ampliar escolas, garantir atendimento a todos e derrubar as filas na rede publica de saúde.


Séria ameaça

A situação da candidatura a governador do senador Paulo Bauer, PSDB, ficou mais delicada.

O ministro Edson Fachin aceitou pedido do Ministério Público Federal e determinou abertura de inquérito para denúncia contra Bauer por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele teria recebido r$ 11,5 milhões da Hypermarcas através de contratos fictícios.

Agora, Bauer passa formalmente a condição de investigado.


Não vai mais

Fernando de Favere, gerente regional de saúde, não vai mais para a presidência a fundação hospitalar do estado, em Florianópolis.

Ele chegou a ser anunciado para o cargo pelo secretário de saúde do estado, Acelio Casagrande.

Mas, secretários de saúde do estado assinaram um abaixo assinado, com apoio de políticos ligados ao governo, pedindo para ele ficar. E Acelio cedeu a pressão. Fernando ficou.


O festão de Merisio

A assessoria do deputado Gelson Merisio espera 100 prefeitos, 100 vices e pelo menos 20 deputados, de vários partidos, no lançamento de sua candidatura a governador, amanhã, em Chapecó.

Mais de140 ônibus vão pegar a estrada para levar políticos de todo o estado.

O deputado Esperidião Amin não vai (porque tem o batizado da neta), mas o comando do PP estará lá.

O ex-governador Raimundo Colombo, também.

Será o primeiro grande ato da campanha de 2018.


O lugar da UTI

Os secretários de saúde dos municípios da região deram mais um passo adiante na luta para trazer o serviço de oncologia pediátrica pelo sus para Criciúma. Isso é muito bom.

Mas, eles querem levar para o hospital São José. Não seria o caso de levar para o hospital infantil Santa Catarina, que é público? 

Hoje é da prefeitura, mas pelo que está encaminhado em poucos dias será do governo do estado.

No hospital São José vai funcionar bem também. Não tem nenhum problema no São José.

Mas, parece mais coerente. Oncologia pediátrica no hospital infantil. Concentrando tudo o que é da criança no mesmo lugar.


A volta de João

Decisão monocrática do ministro Luiz Barroso, do Supremo Tribunal Federal, liberou o deputado federal catarinense João Rodrigues, PSD, para voltar a cumprir as ações do seu mandato, no plenário da Câmara Federal.

O deputado cumpre pena de prisão faz 120 dias e pela decisão do ministro Barroso só terá que se recolher e voltar a dormir na prisão.

Mas, é possivel que ele passe a cumprir a prisão domiciliar.

Com a decisão do ministro Barroso, fica cancelada a posse do suplente Edinho Bez, MDB, que estava marcada para hoje, 9h. 

 Por enquanto, mesmo liberado para voltar a cumprir o mandato, João não está liberado para disputar reeleição. 


Novo apoio

O deputado Rodrigo Minotto, PDT, vai aumentar sua votação no vale do Araranguá.

Um ex-prefeito de prestígio, não filiado ao PDT, já está apoiando sua candidatura a reeleição.


Na marra

O deputado federal Ronaldo Benedet, MDB, deu entrevista ontem às 7h30 na rádio Som Maior como se estivesse na porta de um velório! Ânimo no pé!

Falando baixo, respostas curtas, e zero objetividade. Nada a ver com o Benedet falante de sempre.

Duas horas depois, a explicação.

É que naquele momento ainda não tinha nada de dinheiro garantido para continuidade das obras na BR 285, passagem pela Serra da Rocinha.

Só depois de reunião com os ministros Carlos Marun e Eliseu Padilha no Palácio do Planalto é que os r$ 23 milhões estavam realmente assegurados, e liberados.

Reunião teve momento de “alta tensão”.

Mas, com r$ 23 milhões, a obra terá redução do seu ritmo. Cronograma será revisto e a obra vai terminar mais tarde.


Na galeria

Podem gostar ou não de Sergio Pacheco e Itamar da Silva. Podem não concordar com as circunstâncias em que eles  foram empossados. Mas, os dois foram prefeitos da cidade.

Não foram eleitos para isso, mas presidiam a câmara de vereadores e assumiram oficialmente a prefeitura por 120 dias. Montaram secretariados, administraram a cidade, assinaram atos.

Então, suas fotografias teriam que estar na galeria dos ex-prefeitos de Criciúma, reinaugurada ontem à noite no Paço.

A galeria anterior, que tinha a foto de Sergio Pacheco, foi destruída pelo incêndio.

De outro lado, a foto do ex-prefeito Marcio Burigo, PP, está na nova galeria, mas ele não estava na cerimônia de ontem à noite.


Na galeria 2

A deputada Ada Faraco De Luca participou da reinauguração da galeria de ex-prefeitos e recebeu homenagem por ser neta de Addo Caldas Faraco, que durante 15 anos foi prefeito de Criciúma.

No dia anterior, Ada ajudou a aprovar na Assembléia projeto de lei que restitui simbolicamente o mandato de deputado estadual do seu pai, Vanio Faraco, cassado pelo regime militar.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/06/2018 - 18:22Atualizado em 07/06/2018 - 18:50

O Supremo Tribunal Federal aprovou abertura de inquérito solicitado pelo Ministério Público Federal para investigar o senador Paulo Bauer, candidato do PSDB a governador, por corrupção e lavagem de dinheiro.

A abertura de inquerito foi autorizada em despacho do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato.

Bauer foi incluído na delação do diretor da Hypermercas, Nelson de Mello.

Ele disse que repassou r$ 11,5 milhões ao senador entre 2013 e 2015 através de contratos fictícios.

Decisão de Fachin foi escrita em cinco páginas, onde detalha a denúncia feita pelo delator.

Agora, Paulo Bauer é formal e oficialmente investigado por corrupção e lavagem de dinheiro e isso pode comprometer a candidatura ao governo do estado.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/06/2018 - 09:56Atualizado em 07/06/2018 - 10:07

O dpeutado federal Ronaldo Benedet, MDB, acaba de sair de reunião na secretaria de governo no Palacio do Planalto e informa que os r$ 23 milhões previstos para obra na Br 285, Serra da Rocinha,  serão liberados ao DNIT. Hoje, os recursos estão contingenciados.  Não podem ser usados. Já tem r$ 4 milhões de obra executada em 2018, que não foi faturada/paga.

O anúncio foi feito agora na radio Som Maior. 

O orçamento da obra para 2018 é r$ 47 milhões para cumprimento de todo o cronograma.  

No inicio do ano, o orçamento da União previa apenas r$ 43 milhões. Agora, a verba foi cortada quase pela metade - caiu para r$ 23 milhões.

Pelo cronograma, se não tivesse alteração no ritmo das oras, a previsao de conclusão era para agosto de 2019.

Mas, com o corte feito, mesmo que todo o montante seja liberado, a obra pode parar ou reduzir ritmo dos trabalhos.  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/06/2018 - 07:50Atualizado em 07/06/2018 - 09:18

Os partidos do chamado “bloco dos grandes” já tem seus candidatos definidos para eleição de governador. Menos o MDB.

Independente de circunstâncias a ajustar, duvida zero que Gelson Merisio é o candidato do PSD, Esperidião Amin do PP e Paulo Bauer do PSDB. No bloco intermediário, João Paulo Kleinübing é o “ponta de lança” do DEM. E eles podem falar entre si sobre composições. Talvez até, uma composição ampla, com todos juntos. E estão falando muito a respeito.

O MDB ainda está entre o governador Eduardo Moreira e o deputado federal Mauro Mariani.

Mariani está pré-candidato desde 2017. Sem concorrente, ou “sombra". 

Correu o estado para consolidar seu nome nas bases e colocar o partido na rua a propagar sua candidatura. Mas, ainda não decolou. Está mal nas pesquisas.

Eduardo passou a ser tratado como candidato depois que assumiu como governador. O que é natural, previsível. Afinal, passou a ter maior visibilidade, e a caneta na mão.

Além disso, em poucos dias de poder, tomou decisões que repercutiram bem, como a extinção de regionais e medidas para enxugamento da maquina. 

Na crise dos caminhoneiros, semana passada, teve postura elogiável.

Mas, nenhum dos dois tem condições passar da “primeira fase” nas conversas sobre alianças ou composições com outros partidos. Porque todos querem falar com quem será candidato.

Em maio, Eduardo foi na reunião da bancada de deputados estaduais do MDB e defendeu que o partido iria que definir até o final daquele mês o candidato a governador para não correr o risco de isolamento.

Mauro Mariani não tinha a mesma posição. E a proposta não avançou. 

Agora, o próprio Mariani entende que o MDB precisa se decidir. Porque as conversas com outros partidos não avançam, estão travadas.

Como presidente do MDB, Mauro convocou reunião da executiva para segunda-feira para tratar do assunto.

Enquanto isso, Eduardo e Mauro estão conversando e articulando intensamente nos bastidores. Dentro e fora do partido.

Eduardo esteve com o senador Dário Berger, reuniu nesta semana o seu “conselho politico” e hoje vai a Joinville para conversar com o prefeito Udo Dhöller.

Mariani vai se reunir amanha com o ex-deputado Julio Garcia, PSD.


BR 285 - já está faltando dinheiro

Informação de ontem, no DNIT, em Brasilia - r$ 23 milhões estão programados para as obras na BR 285, passagem pela Serra da Rocinha, de Timbé do Sul/SC a São José dos Ausentes/RS.

Isso é menos da metade do que é necessário para a obra não correr risco de redução do ritmo ou paralisação.

Hoje, já tem r$ 4 milhões do obra executada, sem faturamento. Porque nada foi liberado ainda.

Estavam “contingenciados" r$ 43 milhões, que, de acordo com o DNIT, seriam liberados aos poucos, na necessidade. Mas, até agora nada foi liberado. E a verba ainda cortada praticamente pela metade.

O deputado federal Ronaldo Benedet, MDB, presidente do Forum parlamentar da Br 285, teve audiência ontem à noite no ministério do planejamento para tratar do assunto. Pediu garantias de que não vai faltar dinheiro para a obra.


Mais um deputado

O sul catarinense passará a ter mais um deputado federal a partir de amanhã. Edinho Bez, MDB, assumirá na vaga do deputado João Rodrigues, PSD.

Edinho foi colocado ontem para mesa diretora da câmara para assumir.

Antes, a mesa determinou a perda do salário, da cota parlamentar e do apartamento funcional de João Rodrigues, a partir de amanhã, quando completarão 120 dias da sua prisão, na Papuda, Brasilia.

Edinho estava na suplência porque não se reelegeu em 2014. Ocupava cargo no ministério da justiça.

Com ele na câmara, o sul terá quatro federais. Dois do MDB (Edinho e Ronaldo Benedet), um do PP (Jorge Boeira) e uma do PSDB (Geovânia de Sá). 


A campanha

O governador Eduardo Moreira vai lançar amanhã, 16h30, na Casa da Agronômica, a campanha “compre de SC”, definida com entidades do setor produtivo, para estimular a compra de produtos catarinenses e assim compensar perdas na economia do estado principalmente pela crise dos caminhoneiros.


Contas aprovadas

Tribunal de contas aprovou ontem as contas do ultimo de mandato do governador Raimundo Colombo.

Em seguida, Colombo postou nas redes sociais: 

“Contas do nosso governo (2017) aprovadas pelo TCE. Nosso trabalho feito com seriedade, persistência, respeito aos catarinenses, mais uma vez reconhecido”


Mandatos devolvidos

Os ex-deputados do sul Vânio Faraco e Manoel Dias, cassados pelo regime militar, terão seus mandatos simbolicamente restituídos pela Assembléia Legislativa.

Projeto para isso foi aprovado ontem, iniciativa do deputado Dirceu Dresch, PT. 

A deputada Ada de Luca, MDB, filha de Vanio Faraco, que viu seu pai ser cassado e preso pelo regime militar, estava emocionada na votação, ao lado do deputado Dresch.

Alem de Vanio e Maneca Dias (o único que inda está vivo), serão restituídos os mandatos de mais cinco ex-deputados e um ex-vice-governador.

De acordo com o projeto aprovado  a restituição tem caráter representativo, não produzindo efeitos patrimoniais ou indenizatórios, tampouco de natureza previdenciária.


Usina coletiva

Os cinco prefeitos que fazem parte do consórcio do lixo da Amresc, se reuniram ontem à tarde em Urussanga para definir os critérios de uso da usina de asfalto que compraram para uso coletivo.

A usina está exposta na frente da prefeitura de Urussanga.


Na Acafe

Foi empossa ontem a nova diretoria da Acafe (Associação Catarinense das Fundações Educacionais), em Florianópolis. 

A reitora da Unesc, professora Luciane Cereta, faz parte da nova diretoria.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/06/2018 - 09:36Atualizado em 06/06/2018 - 09:46
(foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados)

O suplente de deputado federal do sul do estado Edinho Bez, MDB, foi convocado para assumir na Câmara Federal na vaga do deputado João Rodrigues, PSD, que continua preso em Brasilia.

Informação foi dada nesta manhã pelo jornalista Marcelo Lula, de Chapecó. No seu blog ele escreveu o seguinte:

"Pressão

Segundo uma fonte, há semanas o suplente de deputado federal Edinho Bez (MDB), tem pressionado a mesa diretora da Câmara Federal para que feche o escritório do deputado João Rodrigues (PSD), e que o autorize a assumir o mandato. Rodrigues segue cumprindo pena em Brasília, e a partir de sexta-feira (08) até o dia 14 será julgado eletronicamente o seu pedido de habeas corpus.

Ontem a tarde, a Mesa Diretoria da Câmara determinou a perda de salário de Rodrigues, da cota parlamentar e do apartamento funcional, e mandou convocar Bez. Acontece que na próxima sexta-feira completam 120 dias de prisão, o que segundo o Regimento Interno obriga a retirada dos benefícios e a convocação do suplente"

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/06/2018 - 06:03Atualizado em 06/06/2018 - 11:02

As circunstâncias de momento, e também os políticos outros evolvidos no processo, colocaram o deputado federal Esperidião Amin, PP, numa condição privilegiada. Se fosse uma disputa na mesa de baralho, ele poderia dar as cartas e jogar de mão.

Antes de tudo, por ser o politico com maior potencial de votos no estado. Líder em todas as pesquisas para governador.

Por isso, virou o interlocutor natural do seu partido, o PP, mesmo não sendo mais o presidente da executiva estadual.

Ninguém faria um acordo com o PP, sem o envolvimento de Esperidião.

Gelson Merisio, candidato a governador do PSD, até fez isso. Acertou-se primeiro com o PP. Mas, está agora buscando um entendimento com Amin.

Por sua vez, Esperidião fez conversas com Merísio, admitiu publicamente a possibilidade de aliança, mas impôs condição - quer o PSDB junto.

Antes disso, ele já vinha tratando com o PSDB. Principalmente com o senador Paulo Bauer, candidato a governador. E também com o deputado João Paulo Kleinübing, DEM, candidato a senador, governador ou vice.

Agora, vai tentar colocar todos “sob o mesmo guarda-chuva”, ou escolherá quem estará ao seu lado.

Enfim, Amin vai decidir o jogo que será jogado por seu partido, e com quem vai jogar.

E vai decidir também se será candidato a governador ou senador.

Até pouco tempo (inicio de 2018), dava sinais evidentes que preferia disputar o senado. Aparentemente, eleição segura, tranquila até.

Mas, os seus últimos movimentos deixaram a impressão que pode tentar o terceiro mandato de governador. Seria o primeiro “tri-governador” na historia e Santa Catarina.


Três chapas

Se o PSDB não fechar mesmo com o PSD, como hoje está encaminhado, é provável que faça aliança com o PP. Amin ou Paulo Bauer seria candidato a governador.

O PSD de Gelson Merisio fecharia com o PSB  de Paulo Bornhausen.

O MDB de Eduardo Moreira faria composição com pequenos partidos.


Outro rumo

No PSDB há movimentos por acordo com o MDB, indicando os candidatos a vice e senado.

O deputado Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, pode ser o candidato a vice.


Aposta

O médico Anderlei Antonelli, ex-prefeito e ex-vice-prefeito de Criciúma, hoje fora da militância política, disse ontem no debate aberto, da radio Som Maior: 

“essa eleição vai cair no colo no Esperidião ou do Eduardo”.


Na próxima vez

O candidato do PSDB a presidente, ex-governador Geraldo Alckmin, virá a Criciúma no início de julho, na próxima viagem que fizer ao estado.

Na próxima semana ele vai apenas em Joinville, Chapecó, Xanxerê e Florianópolis.

Alckmin deve reforçar apoio para candidatura de Paulo Bauer a governador.


Missão de Fabris

O vice-prefeito Ricardo Fabris e a coordenadora do PSD na região, Guisla Scaine, vão se reunir hoje em Florianópolis com o ex-deputado Julio Garcia para tratar da convenção do partido em Criciúma, que será realizada no dia 12, segunda-feira.

Na convenção, Fabris será eleito presidente da executiva municipal.

Um dos seus primeiros desafios será tentar a unidade da bancada do partido na câmara de vereadores. Hoje, dos três vereadores, dois são oposição aberta ao governo do prefeito Clesio Salvaro, PSDB. 

O terceiro é mais próximo do Paço.


Um profissional

O prefeito Clesio Salvaro, PSDB, e os dirigentes das etnias entregaram o comando da festa das etnias para um profissional no assunto: Duda Manenti.

Ele sabe fazer grandes eventos. É reconhecidamente competente.

Duda também é o concessionário do pavilhão de exposições José Ijair Conti, para onde levará de novo a festa.


Com Dona Ivete

Na presidência da Fundação Nova Vida faz dois meses, a primeira dama do estado Nicole Moreira, corre o estado para cumprir agenda de entregas e visitas. 

Ontem, esteve em Joinville, onde se encontrou com a ex primeira dama, Ivete Appel da Silveira, viúva de Luiz Henrique.

“Tenho viajado por todo o Estado e ouço muito que a última vez que tinham recebido a visita de uma primeira dama foi da Dona Ivete. Isso é sinal que deixou um grande legado”, comentou.


Décimo terceiro

Pagamento de decimo terceiro para vereador é um dos maiores absurdos que temos na região.

Cinco municípios da região estão pagando - Balneário Rincão, Forquilhinha, Lauro Muller, Treviso e Criciúma.

Vereador não é profissão, não cumpre jornada de trabalho, é função de representação política.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/06/2018 - 17:14Atualizado em 05/06/2018 - 17:18

A assessoria de imprensa da Agemed acaba de distribuir nota oficial sobre a informação de intervenção da Agencia Nacional de Saúde - ANS.

O entendimento da Agemed é que não se trata efetivamente de uma intervenção, mesmo que a ANS tenha nomeado um diretor fiscal.

Abaixo, a nota:

"A AGEMED acredita que o procedimento de Direção Fiscal determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai possibilitar o melhor entendimento, pela Agência Reguladora, dos processos e procedimentos adotados pela Operadora em período de grande crescimento. A empresa presta todas as informações à equipe de auditoria e mantém o compromisso com seus clientes e beneficiários.

O trabalho e atendimento continuam dentro da normalidade, com o foco na qualidade do atendimento, como pode-se verificar nos próprios indicadores da ANS:

Garantia de atendimento, baixo número de reclamações e ativos garantidores

Contamos com a confiança dos nossos clientes e prestadores pelos 20 anos de trabalho que dedicamos ao mercado.

Agemed Saúde S.A."

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/06/2018 - 14:08Atualizado em 05/06/2018 - 14:10

A operadora Agemed está sob intervenção da Agência Nacional de Saúde. Ato já está publicado no Diário Oficial.

Alegação básica - problemas financeiros.

Informação foi dada no início da tarde pelo jornalista Moacir Pereira em seu blog no portal NSC Total:  

"A Agência Nacional de Saúde - ANS - publicou Resolução no Diário Oficial da União decretando Regime de Direção Fiscal na operadora Agemed.

A decisão foi tomada em reunião da Diretoria Colegiada de 25 de maio. Na prática, a ANS está intervindo na operadora de saúde catarinense sob alegação de problemas financeiros.

A Resolução Ro-2.303, de 4 de junho, cita anormalidades econômicas e financeiras graves”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/06/2018 - 08:21Atualizado em 05/06/2018 - 10:10

O PSD de Criciúma fará convenção municipal na segunda-feira, dia 11 de junho, no plenário da câmara de vereadores, quando elegerá o vice-prefeito Ricardo Fabris como presidente da executiva.

O partido vinha operando com comissão provisória em Criciúma faz mais de uma década. O atual presidente é Lourival Pizzolo.

A realização da convenção segue orientação da direção nacional do partido.

Mas, a articulação para eleição de Fabris tem as digitais do ex-deputado Julio Garcia e do deputado Ricardo Guidi, e a participação de Pizolo. 

Fabris se filiou no PSD no dia 24 de março, por convite de Julio Garcia.

No partido, ele está envolvido com "duas missões” - coordenar um plano de novas filiações e participar da coordenação das campanhas de Julio Garcia a deputado estadual e Ricardo Guidi a federal.

No dia 7 de julho, será realizado um evento para registro de algo em torno de 1 mil novas filiações.

Fabris teve duas experiência eleitorais. Foi o segundo vereador mais votado de Criciúma em 2012 e eleito vice-prefeito na chapa de Clesio Salvaro em 2016.

No comando do PSD, ele ficará mais fortalecido politicamente e poderá ser lançado candidato a prefeito em 2020.


Gotuzzo no PSD

O ex-secretário da fazenda de Criciúma, Robson Gotuzzo, vai se filiar no PSD.

Ele foi convidado pelo vice-prefeito Ricardo Fabris faz 30 dias e ontem respondeu que vai ingressar na militância política pelo partido.

Gotuzzo é funcionário carreira da fazenda estadual, técnico altamente qualificado, e foi secretário da fazenda do governo de Salvaro até fevereiro.


Amin não vai

O deputado federal Esperidião Amin, PP, anunciou ontem na rádio Som Maior FM que não vai no lançamento da candidatura do deputado Gelson Merisio, PSD, ao governo do estado, no sábado, dia 9, em Chapeçó.

O argumento usado por Amin é pessoal e familiar - no mesmo dia será o batizado da sua primeira neta, Catarina.


Curto circuito

No últimos dias, houve um certo "curto circuito" na relação de Merisio com o PP, especialmente com Amin, depois que o empresário Ninfo König, PSB, de Joinville, revelou ter sido convidado por Merisio para compor de vice na sua chapa e que aceitou.

Como registrou a coluna de sábado, Merisio havia contado do convite que fez a Ninfo na festa de aniversário do empresário Guto Fretta, em Criciúma, no dia no dia 12 de maio.


Também é candidato

Amin já estava contrariado com a decisão de Merisio de não convidar Paulo Bauer, PSDB, para o lançamento de sua candidatura.

Ficou mais um pouco, com a operação para fazer Ninfo o candidato a vice e o colocando na chapa da eventual aliança PSD-PP como candidato ao senado.

Amin disse ontem na Som Maior - “eu não sou pré candidato ao senado, eu sou pré candidato ao governo, e estou muito bem nas pesquisas, por sinal”.

Por fim, arrematou - “o que tem animado nosso time para a eleição é a constatação que mudança mesmo somos nós".


Apaga tudo

Gelson Merisio disse ontem ao jornalista e colunista Upiara Boschi, do Diário Catarinense e portal NSC Total, que fez apenas uma sondagem a Ninfo König se ele aceitaria ser vice, caso a vaga na chapa coubesse ao PSB. 

Disse ainda, segundo Upiara, que a primazia de escolher se quer a vaga de vice ou a candidatura ao Senado pertence, ainda, ao PP de Esperidião Amin. “Mas, só uma das duas vagas, as duas não dá”, acrescentou.


O vice

O empresário Ninfo König, vereador em Joinville, PSB, afirmou ontem na rádio Som Maior FM que foi efetivamente convidado por Gelson Merisio para ser o vice na sua chapa para disputar o governo e aceitou. 

Acrescentou que a confirmação da chapa dependia das conversas que ainda terão que ser feitas pelos partidos até as convenções, no início de agosto.


Certificados

O deputado estadual Valmir Comin, PP, entregou ontem para a reitora da Unesc, Luciane Cereta, e o presciente do DCE, Alexandre Bristot, documentos aprovados na Assembleia Legislativa com referência aos 50 anos de fundação da universidade.


Na rede

O PSL, partido de Bolsonaro, deflagrou no fim de semana uma ação nas redes sociais com veiculação depois vídeos. Até ontem, foi registrado o engajamento de mais de 100 mil pessoas.

Assim como o presidenciável Jair Bolsonaro, o presidente estadual do PSL e candidato ao senado, Lucas Esmeraldino, definiu a atuação no meio digital como principal estratégia eleitoral.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/06/2018 - 16:29Atualizado em 04/06/2018 - 16:34

O empresário Ninfo König, de Jonville, vereador pelo PSB, confirmou hoje durante entrevista para a rádio Som Maior FM, de Criciúma, que foi convidado pelo deputado Gelson Merisio, candidato do PSD a governador, para ser o seu vice na chapa. E disse ainda que aceitou.

Mas, acrescentou - "a confirmação de tudo isso depende das conversas que ainda precisam ser feitas entre partidos e politicos". Lembrou que as convenções só serão realizadadas em julho ou inicio de agosto.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/06/2018 - 16:14Atualizado em 04/06/2018 - 16:22

O deputado federal Esperidião Amin, PP, não vai no evento de lançamento da candidatura do deputado Gelson Merisio, PSD, ao governo do estado.

O evento será realizado no sábado, dia 9, em Chapecó. A expectativa de Merísio é reunir em torno de 15 mil pessoas.   

Amin apresenta um argumento familiar para não ir à Chapecó. No mesmo dia será feito o batizado de sua primeita neta, Catarina.

Ele disse que iria no dia 26 de maio, primeira data marcada para o evento.

No últimos dias, houve um certo "curto circuito" na relação de Merisio com o PP, especialmete com Amin, depois que o empresário Ninfo König, PSB, de Joinville, revelou ter sido convidado por Merisio para compor de vice na sua chapa e que aceitou.

Nesta chapa proposta, Amin seria "mapeado" como candidato ao senado, representando o PP.

Esperidião disse hoje na radio Som Maior FM que  é pré-candidato a governador e não ao senado.

Ele não disse textualmente, mas deu a entender que não gostou de o PP ficar com apenas uma vaga na chapa especulada.     

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/06/2018 - 06:00Atualizado em 04/06/2018 - 11:11

Depois da greve dos caminhoneiros, as atenções se voltam para as articulações políticas e negociações de alianças para eleição de outubro. Pelo menos até o dia 14, quando começa a Copa do Mundo, e pára tudo, porque muda o foco de novo.

Na região, voltam especulações sobre a possibilidade de o deputado federal Jorge Boeira, PP, ser “escalado" para eleição majoritária. Pode ser vice de Paulo Bauer, numa aliança PP-PSDB. Ou de Gelson Merisio, no caso de confirmar a aliança PP-PSD.

Isso é desdobramento do novo “curto circuito” na relação PP-PSD.

O PP, pela voz de seu principal quadro, deputado Esperidião Amin, reagiu à chapa montada por Gelson Merisio, PSD, onde o PP teria apenas uma vaga. Que seria do próprio Amin ao senado.

O vice de Merisio, já convidado por ele e que aceitou, é Ninfo Köenig, PSB, empresário e vereador em Joinville.

Foi registrado nessa coluna, edição de sábado, que a operação de Merisio empurrou o PP para possibilidade de aliança com o PSDB. E isso rendeu no fim de semana.

Na eventual composição PP-PSDB, o candidato a governador seria Amin ou Paulo Bauer, PSDB.

Jorge Boeira pode ser o vice no caso de Bauer ser o candidato a governador.

Mas, se Amin for o candidato a governador, o vice pode ser Napoleão Bernardes, PSDB, ou João Paulo Kleinubing, DEM, dois ex-prefeitos de Blumenau.

Sem duvida, numa ou na outra composição, seria uma chapa forte, com reconhecida densidade eleitoral.

Merisio terá praticamente cinco dias para refazer a sintonia com o PP, porque realizará no sábado, em Chapecó, o lançamento de sua candidatura ao governo, com a projeção de reunir em torno de 15 mil pessoas.

A presença se Esperidião Amin e o comando são fundamentais para ele, e o seu projeto.

Sem o PP, e sem PSDB (que ele já dispensou), Merisio ficará apenas com PP, PSB e um grupo de pequenos partidos.

A saída deve ser desconvidar o empresário Ninfo König.


O tamanho do furo

Depois de uma bem sucedida gestão da crise, reconhecida pelo Ministério Púbico Federal como a melhor entre todos os estados, o governador Eduardo Moreira, MDB, se volta para a política.

Nos bastidores, vai continuar “investindo" na aliança com o PSDB para respaldar sua candidatura a reeleição.

No governo, deve fazer a apresentação dos números dos primeiros 100 dias do seu período de governo, que seria na semana passada.

Destaque para o volume de empenhos de 2017, mais de r$ 420 milhões, e o deficit projetado para 2018, em r$ 1,5 bilhão.


Não confirma preço

No fim de semana, em Criciúma, alguns dos postos que receberam diesel, pagaram desconto de no máximo r$ 0,41 (41 centavos). Mas, repassaram ao consumidor com desconto de r$ 0,46 (46 centavos), por causa das milhas e sanções fixaras pelo governo federal, que incluem até cassação da licença. Só que a conta não fecha.

Para tratar disso, o presidente estadual do sindicato dos postos de combustíveis, Luiz Antonio Amin, de Joinville, estará em Criciúma hoje, para reunião com o prefeito Clesio Salvaro, às 16h.

A reunião foi articulada pelo coordenador do Procon, Gustavo Colle. Também participarão os representantes de postos de combustíveis da região.


Gasolina

A greve dos caminhoneiros conseguiu baixar o preço do diesel, mas a gasolina subiu. Em todos os postos. E nas distribuidoras.


Falta carne

Num supermercado da área central de Criciúma, ontem, fim da tarde, setor de carnes estava vazio.

Informação do funcionário é que só vai ter reposição amanha.


Saindo

Os vizinhos do centro cultural Jorge Zanatta, que registaram angustiados o abandono, a queda e a destruição do prédio pelo incêndio, agora acompanham a reforma.

Um deles faz fotos praticamente todos os dias das obras.

A previsão do Paço é que a reforma seja inaugurada em outubro.

O que ainda não está definido é como ocupado e quem vai fazer a gestão do prédio. Uma alternativa seria firmar parcerias com a iniciativa provada para garantia de continuidade de projetos culturais.


Em recuperação

Faz 90 dias, um menor com dezenas de passagens de policia, conhecido como Mateuzinho, aterrorizava a região do Pinheirinho. Normalmente “atacava" nas sinaleiras. Era dependente químico e “morava" na rua.

O comerciante Reginaldo Fernandes, que dava apoio à ele, como comida, roupas, o convenceu a deixar o conselho tutelar levá-lo para internação em Joinville. Onde está em franca recuperação. Parece outra pessoa.


Compromisso na eleição

Depois de tudo o que aconteceu no país, e no estado, o cidadão/eleitor vai para a eleição de outubro para decidir se fará a mudança de verdade ou se participará de mais um jogo de cena. 

Vai deixar prevalecer a sua indignação com tudo o que viu e ouviu, ou vai guardar a indignação na gaveta, para retirar depois da eleição. 

Por exemplo - um levantamento do jornal O Estado de São Paulo mostrou que 91% dos deputados federais alvo que são alvo em inquéritos e ações penais na Operação Lava jato vão disputar reeleição. Quantos vão ser “consagrados" pelas urnas?”

Outros que vão para as urnas, serão substituídos por filhos ou esposas. Um deles, o ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba, terá sua filha como candidata a deputada federal pelo Rio de Janeiro. E a projeção é que seja uma das mais votadas!

A a mudança? Na urna, e no voto, o juiz Moro não vai fazer pelos outros!

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/06/2018 - 09:11Atualizado em 02/06/2018 - 09:12

Na festa de aniversário do empresário Guto Fretta, no dia 12 de maio, em Criciúma, o deputado Gelson Merisio, candidato do PSD a governador, afirmou que o seu vice ja está definido. Será o empresário Ninfo König, que é vereador em Joinville, filiado ao PSB.

No feriado de quinta-feira, em Joinville, o empresário Ninfo König confirmou durante entrevista ao jornalista Claudio Loetz, do NSC, que foi convidado e aceitou ser o vice de Merisio.

Então, chapa fechada. Merisio e Ninfo), e e mais Raimundo Colombo, PSD, e Esperidião Amin, PP, ao senado. 

Se Esperidião não se interessar pela disputa ao senado, o PP indicaria outro nome.

Tudo isso ainda precisa passar pelos partidos e as convenções. Para confirmação de alianças e chapas.

Mas, a primeira leitura que pode ser feita é que o PSDB está efetivamente fora dos planos de Merisio.

A aliança projetada é PSD-PP e PSB.  

Outra leitura é que o PP terá apenas uma vaga na chapa, e para candidatura ao senado. Não terá candidato a vice.

Merisio tem grande ascendência sobre o grupo que comanda o PP. Em principio, pode ter facilidade em convencê-los que a chapa que idealizou é a melhor alternativa. Pelo perfil de Ninfo e a sua região.

Mas, o PP espera estar no comando do governo a partir de 2019. Mais do que voltar a ter um senador.

De outro lado, a exclusão do PSDB não agrada Esperidião, que vem tratando de aliança com os tucanos desde 2016. Especialmente com o senador Paulo Bauer. E preferencialmente para uma dobradinha com os dois na disputa majoritária.

Ademais, fatos recentes fragilizaram a candidatura de Bauer ao governo, enquanto as pesquisas mostram que Amin lidera com larga folga a preferencia do eleitoral entre os candidatos a governador.

Esperidião não é o candidato da cúpula do partido ao governo, mas se ele decidir encaminhar o seu nome à convenção como candidato a governador, será aprovado por aclamação.

Por tudo isso, começam a ser feitos movimentos no PSDB e no PP para uma aliança entre os dois partidos, sem o PSD, com Amin candidato ao governo e Paulo Bauer ao senado. O vice seria Napoleão Bernardes, PSDB, ou João Paulo Kleinubing, DEM, dois ex-prefeitos de Blumenau.

Políticos de peso estão matriculados nesta articulação.

 

Nomes e marcas

Neste sábado, 9h30, apresento segundo programa Nomes de Marcas, na radio Som Maior.

O entrevistado desta semana é o empresário José Locks, presidente do grupo Setep.

O programa reprisa no domingo, 12h.

Locks começou na vida como servente de pedreiro, se firmou como o empresário mais importante do estado no setor.

 

Os números

O governo do estado projeta queda na arrecadação estadual em maio de r$ 130 milhões, por causa da greve dos caminhoneiros.

A Fiesc ainda não a conta fechada, mas já anunciou que 70% das industrias foram total ou parcialmente afetadas e o prejuízo do setor passa de r$ 1,7 bilhão. 

Já falam em 30 mil demissões para compensar perdas.

 

O desastre

O governador Eduardo Moreira afirmou na reunião com Fiesc e outras entidades do setor produtivo que o estrago na economia é equivalente a um desastre natural. E emendou: “a saída deve ser a mesma usada depois dos desastres, que é a união; é assim que se resolve”.

Como estratégia pela recuperação, o governo vai lançar na próxima semana a campanha “Compre SC”. Para tentar induzir o cidadão a dar preferência pela compra de produtos do estado, que vai fazer tirar a roda da economia.

 

A confirmação

Escrevi na coluna da edição passada que Eduardo Moreira teve desempenho elogiável na condução da ações no período de crise e que estado conseguiu fazer do limão a limonada.

Nesta sexta-feira, o chefe do Ministério Público Federal no estado, o procurador Darlan Dias, disse que Santa Catarina fez o melhor trabalho do país na gestão da crise e que o reconhecimento é da procuradora Raquel Dodge, chefe do Ministério Público Federal no país.

A propósito - Darlan foi procurador da republica em Criciúma por mais de uma década, onde fez um trabalho histórico pela recuperação ambiental.

 

Renúncia fiscal

Trecho de e-mail do deputado federal Esperidião Amin, PP:

“Um dos bons produtos da greve dos caminhoneiros é a discussão sobre os volumes astronômicos de renúncias de receitas. Somente no Orçamento da União de 2018, esse montante chega a r$ 287 bilhões! O déficit da previdência deste ano é de r$ 160 bilhões! O montante de renúncia fiscal de Santa Catarina em 2018 é de r$ 6 bilhões.

Em 1991, apresentei projeto de lei exigindo que tais benefícios fossem avaliados anualmente pelo IPEA e pelo Tribunal de Contas. Foi aprovado pelo Senado e barrado na Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados.

Agora, apresentamos projetos semelhantes (o deputado Jorge Boeira também apresentou), que tramitam apensados, e já temos parecer favorável na comissão de finanças da Câmara”.

 

Fake news

Uma das marcas negativas da greve dos caminhoneiros foi a proliferação de fakes.

Impressionante o volume, os absurdos que são passados, e o quanto as pessoas se deixam levar, acreditam em tudo, e passam adiante.

Na sexta-feira correu no wtahsap que a greve dos caminhoneiros recomeçaria no domino e seria mais forte. Foi a principal causa para as filas nos postos de gasolina.

Imaginem como será na campanha eleitoral! Estejam “vacinados”!

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/06/2018 - 05:54Atualizado em 01/06/2018 - 09:08

O movimento acabou em Santa Catarina na quarta-feira, quando a volta à normalidade foi assegurada. Ontem, foi o desdobramento. Cumprimento de providências.

Mas, tivemos momentos delicados durante a semana, conseqüência do que acontecia no pais. Na segunda-feira, foi real o risco de derivar para a inconstitucionalidade.

O governador Eduardo Moreira teve postura elogiável no episódio.

Conversou quando era preciso, porque tratava-se de um movimento justo, legitimo, procedente, carregado de causas e razões.

Mas, soube endurecer e elevar o tom quando o movimento passou da hora, saiu do foco, e estava prejudicando a população.

O desvio de foco se deu quando os caminhoneiros perderam o controle do movimento.

O comando ficou por conta de agentes estranhos à categoria, que queriam o agravamento da crise.

Tanto é que dos 23 que foram presos, nenhum é caminhoneiro.

Há registro inclusive de sequestro de caminhoneiros.

O grupo que o governador Eduardo Moreira montou para monitorar a crise e alinhar ações fez bom trabalho. Destaque para o coronel Araujo Gomes, comandante geral da policia militar, tecnicamente muito preparado.

Hoje, Eduardo vai se reunir com dirigentes de entidades que representam o setor produtivo e autoridades do estado para um balanço da operação bem sucedida.


Transportadora multada

Uma transportadora de Criciúma, a Transportes Itália, foi multada em r$ 800 mil por não respeitar o desbloqueio das rodovias federais durante a greve dos caminhoneiros. Foram duas multas de r$ 440 mil. 

As multas foram aplicadas pela Advocacia Geral da União, a AGU.

No total, foram oito transportadoras multadas no estado. Somadas, as multas totalizaram r$ 22 milhões. 


A conta

O estado começa a fechar as contas do prejuízo. Que é grande. Bilionário.

Pesquisa da Fiesc aponta que 70% das indústrias tiveram prejuízos. 

A Federação do comércio calcula que 80% das empresas tiveram perdas.

Mas, passou. Agora, tem que correr atrás para compensar as perdas e aprender as lições.


As filas

As filas eram gigantescas nos postos de gasolina quando o abastecimento começou a ser restabelecido em Criciuma. Desde quarta-feira à noite, e principalmente ontem pela manhã.

Mesmo com a informação que em algumas horas, todos os postos teriam combustível.

Era algo insano.

A propósito, a corrida as supermercados e postos neste episódio, é algo que precisa ser avaliado, pensado, discutido.


Em números

As forças policiais do estado rodaram nestes dias de crise, 95 mil quilômetros.

Os helicópteros do SAER fizeram 27 horas de vôos.


A volta da ditadura

O pior do movimento dos caminhoneiros foi trazer volta o discurso de apoio à ditadura militar. Como se fosse a solução mágica para todos os problemas. Que não é.

A intervenção militar não veio, primeiro porque os militares não se prepararam para isso, como em 1964. Quando ficaram dois anos se preparando para assumir.

Mas, a intervenção militar também não veio porque não tinha clima. 

Em 64, a igreja apoiou o golpe, assim como toda a mídia, o povo na rua, o empresariado. Hoje, não tem nada disso.

Também teve em 64 o apoio de fora, de outros países. Hoje, um golpe militar (ou intervenção militar, que é a mesma coisa) teria a condenação da comunidade internacional. O Brasil ficaria isolado.


O risco

Em Brasília, ontem, foi revelado para compensar as concessões feitas aos caminhoneiros o governo de Michel Temer fará cortes em recursos previstos para obras nas estradas do país.

A medida provisória que trata do assunto tirou r$ 371 milhões de 40 obras do DNIT, em 21 estados e o distrito federal.

Pode estar na lista de cortes os recursos da Br 285, na Serra da Rocinha.

 
Bom exemplo

Ontem, desde cedo, dezenas de pessoas estavam envolvidas no centro de Criciúma preparando os tapetes para a procissão de Corpus Christi. Tudo muito bonito. Uma tradição católica que se mantêm.

No bairro Boa Vista, um bom exemplo. Sob coordenação do padre Eloir, os tapetes foram montados em cima de plástico.

Depois da procissão, todo o material era recolhido com o plástico e colocado no caminhão. Em minutos, estava tudo limpo.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/05/2018 - 10:07Atualizado em 31/05/2018 - 14:29

O feriado começa com postos de gasolina já abastecendo em Criciúma.

Alguns, desde a madrugada.

Filas acontecem.

Gás de cozinha também já está sendo vendido desde ontem à noite.

Alguns postos onde já tem gaslina para venda ao público: Imigrante - Rio Maina, Chile - Próspera, Map - centro, Angeloni - Próspera, Forgiarini - rodovia Jorge Lacerda e Daré - Próspera.

Os preços variam entre R$ 4,35 e R$ 4,39.

Até o fim da tarde, vão chegar os caminhões do comboio que saiu de Criciúma para buscar gasolina em Itajaí e todos os postos poderão abastecer.

Aos poucos, o trem volta para o trllho e a vida vai retomando à normalidade.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/05/2018 - 10:26Atualizado em 30/05/2018 - 10:45

Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira operação para desarticular organização criminosa suspeita de fraudes na concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

Segundo as investigações, o núcleo político do esquema teria como participante o senador catarinense Dalirio Bebber, PSDB.

Além dele, fariam parte do núcleo político o ex-deputado e presidente do PTB, Roberto Jefferson, os deputados Paulinho da Força, Wilson Filho e Ademir Camilo Prates Rodrigues e os senadores Dalírio Beber e Cidinho Santos, atualmente licenciado do mandato. 

Ao todo, a operação batizada de Registro Espúrio cumpriu 64 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva (sem prazo determinado) e 15 mandados de prisão temporária (de até cinco dias), além de outras medidas cautelares. Entre os alvos de mandados de prisão, estão Leonardo José Arantes e Rogério Papalardo Arantes, sobrinhos do deputado Jovair Arantes. 

A Polícia Federal cumpriu mandados no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. Em São Paulo, a PF fez buscas na Força Sindical e na União Geral dos Trabalhadores (UGT). 

As apurações começaram há um ano, segundo a PF. São investigados crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro.

7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19