Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/03/2020 - 12:58Atualizado em 29/03/2020 - 13:50

A decsião do governador Carlos Moisés de alongar a quaretena no estado e revogar as medidas de flexibilização está tomada.

As notas do governo do estado e da prefeitura falam em "sinalização" e "em discussão" porque a decisão só será consolidada à tarde, depois de reunião do  Governador com os chefes dos poderes - Assembléia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas.

Previsão é que Moisés faça anuncio oficial e assine atos no fim da tarde.

Mas, o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, e o presidente da Amrec, Jaimir Comin, confirmaram na Som Maior que a decisão está tomada, falta definir detalhes, ajustes.

Por exemplo, ainda falta esclarecer especificamente a situação das agências bancárias e lotéricas, que estavam liberadas para operar amanhã.

A prefeitura de Criciúma também estava programada para reabrir amanhã. O prefeito Salvaro deliberar sobre isso daqui a pouco.

O governador Moisés fez o que lhe restava fazer na quinta-feira à noite, quando anunciou flexibilização das medidas de restrição.

Naquele momento, a pressão era violenta, e se ele não tomasse aquela decisão, seria atroplelado. As regras seriam derrubadas na prática.

As medidas que ele anunciou, haviam garantido ao menos o cumprimento do seu decreto, levando as restrições até o dia 1 de abril.

Com o anuncio, aliviou as tensões, e os movimentos de pressão baixaram a guarda.

Mas, os fatos chamando a atenção a gravidade da situação. O "mea culpa" do prefeito de Milão, admitindo publicamente que foi um erro liberar antes do tempo, circulou muito. E mais os anúncios e alertas dos médicos, técnicos, e do ministro Mandeta, da saúde, todos contra flexibilizar o isolamento.

Depois, prefeitos do estado seguiram o prefeito da Capital, Gean Loureiro, e tomaram a iniciativa de alongar a quarentena por mais sete dias.

Moisés se viu "empurrado" para voltar ao que era.

Só que desta vez não tomou decisão de forma isolada.

Chamou os prefeitos e chefes de poderes para partilhar responsabildidades.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/03/2020 - 09:24Atualizado em 29/03/2020 - 09:48

Pergunta do domingo - soltar, mesmo que de forma gradual, ou segurar um pouco mais, mantendo regras restritivas e o isolamento?

Há sinais muito fortes que podem ser revogadas as regras de flexibilização no estado, anunciadas na quinta-feira à noite.

O governador Carlos Moisés chamou prefeitos do estado para uma conferência on line, a partir de 10h, para discutir o assunto.

Comunicado do governo do estado informa que a será realiada com a diretoria da FECAM, as 21 Associações de Municípios e os prefeitos das 15 maiores cidades catarinenses para avaliação do cenário de enfrentamento ao COVID-19 em Santa Catarina.

Não há previsão para conclusão da conferência, mas é provável q até meio dia tenha fumaça branca.

Depois do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, outros do estado decidiram alongar a quarentena, contrariando o anúncio de flexibilização.

Ontem, o ministro Luiz Mandeta, da saúde, fez a defesa da continuidade do isolamento em coletiva à imprensa.

Ministro teria feito a pergunta numa reunião de governo com o presidente Bolsonaro se estavam todos preparados para imagens de caminhoes do exercito carregando caixões de morto da pandemia.

A partir de 10h, a rádio Som Maior FM faz programa especial sobre os fatos decorrentes do coronavirus, e as informações serão atualziadas aqui no 4oito.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2020 - 16:35Atualizado em 28/03/2020 - 16:41

Na coletiva de hoje pela manhã, o governador Carlos Moisés deixou claro que avalia a possibilidade de recuar da flexibilização das medidas restritivas, mantendo o isolamento por mais alguns dias.

Ontem, Moisés já havia emitido os primeiros os sinais de possibilidade de recuo na flexibilização.

Hoje, ele falou que a liberação de agências bancárias na segunda-feira serão um "balão de ensaio". Um teste.

No final do dia, o governo vai reavaliar a situação e decidir o que fazer.

Moisés está se dando prazo. Vai esperar a progressão no final de semana, a reação da sociedade e os relatos de técnicos.

Pelo que disse na coletiva de hoje, passou a ser uma possbilidade real ele seguir o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, e estender a quarentena.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2020 - 16:28Atualizado em 28/03/2020 - 16:35

Dois dias depois de o MDB de Criciúma anunciá-lo como reforço, o PSL apresenta a filiação do lider comunitário Daniel Antunes, membro do conselho municipal de saúde, candidato a vereador.

Ele era, até ontem, assessor da deputada Ada de Luca.

A operação para filiação de Daniel no PSL foi pilotada pelo advogado Jeferson Monteiro.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2020 - 09:13Atualizado em 28/03/2020 - 09:16

O prefeito Clesio Salavaro acaba de assumir na pratica o hospital de Rio Maina.

Ele está ainda no local acompanhadodo vice, Ricardo Fabris, secretárioe e assessores.

Ontem à tarde o prefeito decretou o hospital de utilidade pública e agora está fazendo a "ocupação".

Alí será feito um hospital de campanha.

Mais detalhes, a partir de 10h na rádio Som Maior, no programa especial sobre o coronavírus, e daqui a pouco aqui.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2020 - 07:54Atualizado em 28/03/2020 - 07:58

O PSB em Criciúma está sendo desmontado. Os seus candidatos a vereador preparam migração para outros partidos, principalmente PP e PR.

Na próxima demana, a operação será concluída, sob a orientação do empresáro Henrique Salvaro, comandante do partido no sul.

O ex-deputado Cleiton Salvaro chegou a ser incluído na nova executiva estadual do partido e ter encontro agendado com a direção nacional, em Brasília.

Mas, recuou. Teria jogado a toalha.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2020 - 07:36Atualizado em 28/03/2020 - 09:08

O presidente Bolsonaro adotou uma postura que pode lhe render sérios prejuízos se aumentar consideravelmente os números de contaminados e mortos pelo coronavirus no país.

Se os técnicos, médicos e estudiosos estiverem corretos, e a curva aumentar exatamente a partir de agora, quanto mais Bolsonaro for seguido, maior o seu risco.

No estado, o governador Moisés sinalizou um recuo nas medidas restritivas, mas enfrentou uma reação forte da sociedade, e ontem ensaiou um retorno ao que estava estabelecido.

Enquanto isso, o prefeito da Capital, Gean Loureiro, se adiantou e, contrariando a flexbilização anunciada por Moisés, esticou a quarentena, o isolamento, por mais sete dias. Pelo menos até o dia 8 de abril.

Moisés estava sendo referência nacional pela postura ousada, arrojada. Mas, não resistiu à pressão do setor produtivo. Agora, está na encruzilhada. Se seguir com as restrições, corre o risco de ser atropelado. Se flexibilizar, e explodir os números, pode pagar caro por isso.

Mas, todos agindo muito por achismo, projeções, e teses, porque há histórico da doença no estado e no país que possa servir de referência.

E para aquecer o debate, tem o "mea culpa" do prefeito de Milão, que assumiu que foi um erro ter relaxado nas regras de isolamento, e deu no que deu. Uma tragédia.

E assim começa o sábado.

  

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2020 - 15:11Atualizado em 27/03/2020 - 15:36

A Apice, agência de publicidade de Criciúma, pilotada pelos irmãos Felipe e Lucas Borges, foi selecionada pelo governo do estado para comandar parte da campanha  emergencial na crise do coronavírus.

A pessoa juridica é FLB Publicidade e Propaganda, tendo como nome fantasia Ápice, operando na região faz mais de uma década, e se consolidado ultimamente como uma das mais importantes do mercado local.

Lucas, sócio do irmão Felipe Borges na Ápice, de Criciúma

É a primeira vez que uma agência de pubicidade de Criciúma é selecionada pelo governo do estado para uma campanha estadual.

Em nota divulgada agora a pouco, o secretário de comunicação do estado, jornalista Ricardo Dias, explicou que "participaram desta seleção as empresas de Santa Catarina que já concorrem no processo licitatório do Governo do Estado, especificamente no lote da Saúde".

Registra ainda que o critério utilizado para contratação é o de menor remuneração, de forma que as agências vencedoras zeraram o custo de honorários e o comissionamento de mídia".

Ressalta ainda que "os contratos têm um valor limite, ou seja, não podem ultrapassar o teto estipulado, mas podem ser inferiores ao projetado".

A outra agência selecionada foi a OneWg, do publicitário Wilfredo Gomes, de Florianópolis.

Abaixo, a nota divulgada a pouco, na íntegra,

"Nota de esclarecimento

Alinhado à política de austeridade, o Governo do Estado informa que não realizou investimentos do orçamento disponível e aprovado pela sua LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias, em publicidade e propaganda durante todo o ano de 2019 e nos primeiros dois meses de 2020. Uma licitação está em andamento no Estado para a seleção de agências a fim de melhor informar a sociedade a respeito de serviços públicos e prestar contas ao cidadão dos atos do Governo, atendendo a uma exigência constitucional.

A pandemia de Coronavírus antecipou a necessidade de comunicação direta e em massa com a população no intuito de informar as medidas tomadas e as políticas públicas para contenção e tratamento da doença em território catarinense, com a nobre missão e a responsabilidade de salvar vidas. Conforme parecer da PGE, trata-se de tema extremamente sensível e urgente, que não pode aguardar o regular rito processual diante da obrigação de proteção da coletividade e enfrentamento da emergência de saúde pública.

Amparado pelo Art. 24, IV da Lei Federal n. 8.666/93, foi feita a dispensa de licitação para contratação de agências de publicidade em caráter emergencial, com o apoio irrestrito dos veículos de imprensa que estão divulgando até 50% do seu conteúdo de forma espontânea e gratuita. 

Participaram desta seleção as empresas de Santa Catarina que já concorrem no processo licitatório do Governo do Estado, especificamente no lote da Saúde. O critério utilizado para contratação é o de menor remuneração, de forma que as agências vencedoras zeraram o custo de honorários e o comissionamento de mídia. Ressalta-se ainda que os contratos têm um valor limite, ou seja, não podem ultrapassar o teto estipulado, mas podem ser inferiores ao projetado.

A campanha segue, rigorosamente, todos as exigências jurídicas, éticas e morais em vigor, num momento em que o Governo, aliado à sociedade catarinense, trabalha, incansavelmente, para preservar a saúde e a vida dos catarinenses".

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2020 - 13:23Atualizado em 27/03/2020 - 13:32

O governador Carlos Moisés anunciou as medidas para flexibilização das medidas de isolamento por causa do coronavírus com a represa quase estourando.

Se ele não fizesse isso, seria atropelado.

O relaxamento das regras viria como insubordinação.

Empresários, de todos os ramos, estamos pressionando muito. E de várias formas.

Luciano Hang, dono da Havan, chegou a anunciar 10 mil demissões na segunda-feira. E não foi ameaça isolada.

Então, Moisés de novo saiu na frente, se adiantou na flexibilização, estabeleceu regras esticando o prazo até quarta-feira, e passou de novo a liderar o processo.

Mas, a sua decisão  passou longe do consenso.

Ele foi apoiado por uma parte, e bomberdeado por outra.

Ouvi hoje ao vivo na Som Maior a médica Margareth Dalcomo, pneumologista, uma das maiores autoridades do país no assunto, e ela condenou de forma veemente o relaxameeto do isolamento.

O médico Renato Matos, também.

Reebi de muitos a entrevista do prefeito de Milão, dada ontem, quando ele assume que foi um erro relaxar nas regras do isolamento, cedendo a pressão, e as campanhas, do setor produtivo.

Então, Moisés acertou de novo em decidir o que evitou que ele fosse atropelado e manteve a sua autoridade.

Só que o resultado real disso, virá com o tempo.

E o risco de prejuizo, e desgaste, é real/verdadeiro.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2020 - 11:28Atualizado em 27/03/2020 - 11:33

A professora Rose Reynaud confirmou o que foi antecipado aqui e assinou agora a pouco a filiação no PSD de Criciúma, durante encontro com o vice-prefeito Ricardo Fabris, presidente do partido na cidade.

Rose confirmou que será candidata a vereadora.

Ela foi secretaria de educação de Criciuma durante dois mandatos e fez carreira vencedora/reconhecida na Unesc.

A candidatura a vereadora será a sua estreia no processo politico.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2020 - 06:24Atualizado em 27/03/2020 - 06:46

Não tinha como segurar mais. A pressão era violenta. A corda esticou demais. Estava em vias de arrebentar.

O que o governador Carlos Moisés fez foi assumir a gestão do processo e, na prática, garantir o cumprimento do seu decreto, esticando o isolamento até quarta-feira. Se não tivesse feito isso ontem, correria sério risco de ser atropelado. As medidas seriam derrubadas e desrespeitadas. O pé na porta foi dado pelo presidente Jair Bolsonaro, ao seu estilo.

Depois disso, o movimento pela retomada das atividades virou uma onda crescente, que estava a ponto de se transformar em tsunami. Moisés corria o risco de ser atropelado até pelo deputado Jessé Lopes, que projeto na Assembléia para revogar o seu decreto de isolamento, que poderia ser aprovado a qualquer momento.

O médico Renato Matos, autoridade referência na área, queria mais tempo de isolamento. A grande dos profissionais na saúde pensam como ele. Mas, foi feito o possível. Moisés saiu na frente na determinação do isolamento e restrição de atividades, assumindo a liderança o processo. Agora, dá de novo o norte para a flexibilização.

Onde erra

O governador Moisés erra em não se comunicar com os prefeitos do estado. Poderia fazer tudo o que está fazendo, mas pelo menos ouviria quem está nas cidades, onde tem que ser cumpridas as medidas que baixa por decreto.
Na quarta-feira os prefeitos das 15 maiores cidades, num movimento feito pelo prefeito Salvaro, pediram para falar com o governador. Até ontem à noite, nenhum retorno.

Rose no PSD
Depois de avaliar convites de pelo menos seis partidos, a professora Rose Reynaud decidiu ontem encaminhar sua fiação no PSD para ser candidata a vereadora. É das filiações de maior impacto na semana.

A professora Rose é uma referência na área da educação em Criciúma. Foi professora na Unesc, e se fez uma das principais lideranças na instituição, e foi secretaria municipal de educação em duas gestões. Também desenvolveu funções de direção no colégio Michel e ultimamente na Acic. Ontem, ela telefonou ao deputado Julio Garcia, presidente da Assembléia, e ao vice-prefeito Ricardo Fabris, para comunicar sua decisão.

Time de Minotto

O deputado Rodrigo Minotto está montando um time de candidatos a vereador que permite trabalhar a possibilidade de o partido ter duas cadeiras na próxima composição da Câmara. Ontem, fez a filiação da sindicalista Jucelia Vargas, presidente do Siserp.

Fora da majoritária
O delegado de polícia Marcio Campos Neves descarta qualquer possibilidade de compor na chapa majoritária para a eleição, vindo a ser vice de Julia Zanata. Ele assinou filiação no PL para ser candidato a vereador e não admite mudar de projeto.
 
Em torno de Aníbal

O jeito “Anibal de ser”, diferente por completo dos políticos tradicionais, está sendo explorado pelo MDB para atrair candidatos a vereador. Ontem, o presidente Rodrigo Ganso apresentou mais dois que foram filiados. Ana Alano, agente de saúde, e Daniel Antunes, presidente do conselho de saúde da Mina do Mato.

O time de Márcio

O ex-prefeito Márcio Burigo reforça o time do PL em Forquilhinha. Filiou ontem mais três candidatos a vereador. Herlon Arruda, ex-presidente do PSC, Dino Rampineli, ex-PSB, e Laercio Colombo, empresário, ex-PSL.

No PSL

Ricardo Beloli, ex-vice-presidente do MDB, agora filiado e um dos principais operadores políticos do PSL, levou ontem mais um candidato a vereador para o seu novo partido. André Füchter, filho de Nicolau Füchter, fundador da Fruteira Pinheirinho, conhecido como Dinho da Fruteira. Ele estava no PL.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/03/2020 - 17:16Atualizado em 26/03/2020 - 17:25

A principal novidade do dia na politica. Professora Rose Reynaud decidiu se filiar no PSD para disputar eleição para vereadora em Criciúma.

A professora Rose foi convidada por vários partidos. PP, PSL, PDT, PSDB e PSD. Ficou por ultimo entre PDT e PSD. Hoje à tarde, comunicou ao deputado Julio Garcia, presidente da Assembléia, e ao vice-prefeito Ricardo Fabris, a sua opção peloPSD.

Julio e Ricardo se reuniram com Rose, quando formalizaram convite, faz 10 dias.

A professora Rose é uma referência na área da educação em Criciúma. Foi professora na Unesc, e se fez uma das principais lideranças na instituição, e foi secretaria municipal de educação em duas gestões. Também desenvolveu funções de direção no colegio Michel e ultimamente na Acic.

   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/03/2020 - 12:59Atualizado em 26/03/2020 - 13:27

Jucelia Vargas, uma das principais lideranças do movimento sindical da região, assinou filiação hoje pelamanhã no PDT e passou a integrar a lista de candidatos a vereador.

Jucelia é presidente do Siserp (sindicato dos servidores municipais). A sua filiação foi articulada pelo deputado Rodrigo Minotto, que está se apresentando como candidato a prefeito.

Depois de formalizar a filiação, Jucelia fez uma "reunião on line" com o deputado Minotto.

Na sexta-feira, o PDT filiou o vereador Zairo Casagrande, ex-PSD, que será candidato a reeleição.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/03/2020 - 11:36Atualizado em 26/03/2020 - 16:39

Conversei agora com o deputado criciumense Jessé Lopes e ele confirmou que vai protocolar no começo da tarde projeto de lei na Assembléia Legislativa para revogar o decreto do governador Carlos Moises sobre isolamento.

Disse o deputado que recebeu várias denúncias e "provocações" a respeito do assunto, e resolveu estudar o decreto.

Concluiu que existem diversas ilegalidades e inconsistências.

 O projeto que o deputado vai protocolar será um pedido de revogação do decreto, para que as medidas restritivas sejam interrompidas imediatamente.

Projeto pode ser votado ainda hoje.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/03/2020 - 06:20

O jornalista Upiara Boschi fez uma definição interessante para a postura do governador Carlos Moisés.
"Dizem que o verdadeiro líder é aquele que não está de pijamas quando a história lhe bate à porta. Moisés, indicam seus primeiros movimentos, estava fardado”.
No episódio coronavírus, apareceu um governador Carlos Moisés que estava escondido, camuflado.
Ele foi o líder que a situação grave precisava. Sem receio de tomar medidas ousadas, arriscadas, polêmicas.
Certo ou errado, ele não ficou esperando o que outros fariam. Não se permitiu ir à reboque. Saiu na frente.
Moisés também tem adversários políticos, não tem relação próxima com a mídia, mas não fez enfrentamento com ninguém. Focou no enfrentamento ao coronavírus. E cresceu. Ficou grande.
O presidente Bolsonaro faz caminho diferente.
Repete os discursos (e as brigas) da campanha eleitoral, faz tiradas populistas, contraria os seus ministros e técnicos, e afronta os governadores.
O governador Moisés se disse ontem “estarrecido" com o discurso de Bolsonaro contra a quarentena.
Associações médicas, de prefeitos e empresariais do estado bateram pesado. Definiram a postura do Presidente como inaceitável e equivocada.
No país, Bolsonaro perdeu o seu principal aliado entre os governadores, Ronaldo Caiado, de Goiás, “uniu" os 27 governadores contra ele, e levou petardos dos presidentes do Senado, da Câmara, do STF e da entidade nacional dos prefeitos.

O site O Antagonista, assumidamente de direita, sempre muito próximo do Presidente, manchetou ontem à noite: "Bolsonaro contra o Mundo".
Enfim, o Presidente está menor do que entrou no episodio do coronavírus.

Samba do crioulo doido
O ministro Luiz Mandeta, que também cresceu e ficou muito grande na crise do coronavírus, reconhecido e elogiado por todos, se virou nos trinta para convencer o país que é fundamental o isolamento social.
Bolsonaro atacou o isolamento, disse que isso é “histeria”, e insistiu com termos como “gripezinha” e "resfriadinho".
Na contramão de Bolsonaro, poucas horas depois, o vice-presidente Mourão anunciou em coletiva que a posição do "governo" é uma só, pelo isolamento social.

A articulação de Salvaro
O prefeito Clesio Salvaro ficou ao telefone desde a hora que chegou no Paço, ontem pela manhã, até a o fim da tarde, com os prefeitos das principais cidades do estado. Estava decidido a articular uma ação conjunta sobre as regras baixadas pelo governador Moisés sobre o coronavírus.
Foi “obra”sua a teleconferência, à tarde, com os prefeitos das 15 principais cidades, e o secretário Douglas Borba, chefe da Casa Civil do governo do estado.
Eles pediram que o secretário viabilize uma conversa com o governador Moises até sexta-feira.
Querem tratar da flexibilização das regras baixadas pelo governador.
Se Moisés não atendê-los, podem baixar normativas nos municípios, algumas contrariando atos do governo.

PSL procura PP
O vereador Julio Kaminski, que assinou ontem filiação no PSL, sinalizou ao PP para tratar de uma possível aliança para a eleição de outubro em Criciúma.
A idéia inicial seria o PP indicar o vice de Kaminski, que está mapeado como candidato do PSL a prefeito.
Uma reunião está sendo marcada para tratar da proposta.
No PP, tudo está encaminhado para aliança com o prefeito Salvaro. Mas, a idéia de conversar com Kaminski, foi bem tratada.

Filiações
O vereador Pastor Jair assinou filiação ontem no PSD, confirmando o que estava encaminhado desde o ano passado. Será candidato a reeleição.
Filiaram no PSL ontem, alem de Julio Kaminski, o  vereador Edson Paiol, o suplente Alisson Pires, o advogado Jeferson Monteiro e o ex-vice-presidente do MDB, Ricardo Beloli.
Hoje, a sindicalista Jucelia Vargas, presidente do Siserp, assinará filiação no PDT.

Isenção para remédios
A Assembleia Legislativa aprovou projeto coletivo da bancada do MDB que isenta o ICMS, inclusive para a importação, de medicamentos, produtos e equipamentos médicos e hospitalares que estejam relacionados ao combate do coronavírus.
Medida tem validade até o mês de setembro.
Projeto foi aprovado durante mais uma sessão virtual da Assembléia realizado ontem à tarde.
Deputado Vampiro participou da sessão da sala da sua casa, no bairro Pio Correia.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2020 - 19:27Atualizado em 25/03/2020 - 19:40

O momento não é para relaxamento das medidas preventivas. Porque o pior está por vir.
O momento não é para dividir. É para buscar a unidade.

Não é para dividir governos, com uma parte  indicando para medidas preventivas, pelo isolamento, e outra batendo ainda na tecla que é uma gripezinha, que estão exagerando.
Isso dá nó na cabeça das pessoas. Gera dúvida.  E a dúvida deixa a população mais vulnerável.

O momento não é para briga política. Não é para politizar as discussões, pensando em eleição, em votos. É para pensar em vidas.

Os dados estão ai.
Criciúma, dos casos positivados com coronavírus, só tem 1 acima de 60 anos (tem 62 anos).
Todos os outros abaixo de 60. Tem paciente da faixa dos 30 anos.
A mostrar que não pega só velho, idoso

É preciso olhar para o mundo.
A itália, que esperou chegar para reagir, está uma tragédia, saiu de controle.
A Espanha, que foi mais ou menos na mesma linha, vai no mesmo caminho, e já passou a China no número de mortos.
Nova York caminha para uma situação extremamente delicada.

Enquanto isso, na Alemanha, o quadro é outro.
Porque fez o q tinha que ser feito, se preparou, montou a estrutura de saúde necessária, e os números lá são muito pequenos.
Portugal também.
Determinou o isolamento, fechou tudo, e os números são muito baixos..
A India, que não tem nenhuma morte, decretou quarentena ontem, e determinou o isolamento.
Hoje, são 3 billhóes em isolamento no mundo. 

Dividir, não salva vidas.
Brigar com a imprensa, criar factóide, provocar adversários, não salva vidas.
Nada disso interessa agora para o cidadão comum pagador de impostos.
Isso é conversa de politico tradicional, que cresce na polêmica, no embate, na briga.
Num momento de crise como a que está aí, o país precisa é de líderes responsáveis, comprometidos com a vida das pessoas

O caminho é seguir as regras de isolamento.

Se cada um fazer a sua parte, vamos passar melhor por tudo isso, e vidas serão salvas

Isolamento ao máximo possível, lavar as mãos, álcool gel, evitar contatos.

E acreditar.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2020 - 19:18Atualizado em 25/03/2020 - 19:25

Os prefeitos das 15 maiores cidades do estado estão pedindo uma reunião, mesmo que seja por teleconferência, com o governador Carlos Moisés até setxa-feira para avaliar medidas preventivas contra o coronavírus e ações para o apoiar o setor produtivo para fazer a travessia na "segunda crise" que vem por aí.

Os prefeitos fizeram uma reunião on line, por videoconferência, hoje à tarde. Do sul, participaram os peefeitos Clesio Salvaro, de Criciúma, e Joares Ponticeli, de Tubarão. Por causa da teleconferência, o prefeito Salvaro não participou hoje da coletiva sobre o coronavírus, final da tarde. Foi substituido pelo vice-prefeito Ricardo Fabris.

Os prefeitos estão pedindo a reunião desde o inícioda semana.

Foi feita sinalização de que, se não consegiirem ser atendidos pelo Governador até sexta-feira, poderão passar a tomar medidas de forma isolada, podendo algumas contrariar decretos do governo do estado.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2020 - 18:53Atualizado em 25/03/2020 - 18:56

Depois de perder dois vereadores, MDB de Criciúma trata de se recompor para a eleição de outubro.

Com candidato a prefeito definido, médico Anibal Dário, o partido, sob comando do advogado Rodrigo Duzione, está fazendo filiações de candidtos a vereador.

Nesse processo, acaba de anunciar dois novos filiados. Nick, conhecido professor de tênis do Mampituba e Criciúma Clube, e Amaral, suplente de vereador.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2020 - 17:46Atualizado em 25/03/2020 - 17:48

A Assembleia Legislativa acabou de aprovar projeto coletivo da bancada do MDB que isenta o ICMS, inclusive para a importação, de medicamentos, produtos e equipamentos médicos e hospitalares que estejam relacionados ao combate do coronavírus.

Medida vale até o próximo mês de setembro.

Projeto foi aprovado durante mais uma sessão virtual da Assembléia realizado agora à tarde.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/03/2020 - 13:21Atualizado em 25/03/2020 - 13:41

Acabaram de chegar os resultados dos testes que confirmam mais três casos de coronavírus em Criciúma. Agora, são 12 pacientes contaminados.

São dois pacientes de Siderópolis e um de Criciúma, Duas mulheres e um homem. Os três viajaram ou tiveram contato com quem viajou.

Dos 12 pacientes contaminados, tem duas mulheres internadas. Todos os outros estão em tratamento domiciliar.

Além da duas pacientes contaminadas, tem mais seis internados que ainda são casos suspeitos porque aguardam os resultados dos exames.

Mais detalhes em instantes na Rádio Som Maior. 

7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19