Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 11/01/2019 - 07:27

Posso estar enganado, mas o Estádio Hercílio Luz do Marcílio Dias tem uma das iluminações mais precárias dos estádios catarinenses. Pode ser que tenham melhorado senão o jogo do Criciúma na segunda rodada do campeonato será como jogar sob a luz de velas. Confesso que não entendi, mesmo em função do televisionamento 21 horas de um domingo não é horário para um jogo valendo três pontos.

STREAMING
É uma tecnologia que envia informações multimídia através da transferência de dados via internet e foi criada para tornar as conexões mais rápidas. Uma transmissão bem produzida se vale do streaming para levar aos computadores os jogos de um campeonato. É o caso do catarinense, pois desde 2018 não houve interessa da Globo em comprar a competição e foi feita a experiencia das transmissões pela internet. Deu certo, o processo será repetido agora em 2019 e quem comprar o pacote poderá acompanhar toda a competição. É barato e a produtora garante a qualidade. 

ESTREIA
Antes de Itajaí o Criciúma jogará dia 17, quinta-feira contra o Figueirense no Heriberto Hülse. Mesma situação, quem estiver pelas praias com uma boa internet poderá acompanhar a partida e confirmar a qualidade prometida pela transmissão via streaming.

MUITO BLÁ, BLÁ, BLÁ
O Regulamento Específico da Série A (que vale também nas séries B e C), publicado pela CBF em 2015 no seu artigo 18, diz que o clube, por período igual ou superior a 30 dias, estiver em atraso com o pagamento de remuneração a atleta profissional registrado, ficará sujeito à perda de 03 pontos por partida a ser disputada, depois de reconhecida a mora e o inadimplemento por decisão do STJD.

PUNIÇÃO
O assunto voltou à pauta depois que o jogador Gabriel que atuou no Sport do Recife em 2018 ter denunciado o clube no STJD por ter ficado de agosto a dezembro sem receber seus salários, um total de R$ 900 mil. Como a temporada já terminou e o Sport foi rebaixado e o jogador foi emprestado ao Flamengo, resta como punição ao clube suspensão de até dois anos de competições nacionais e internacionais de acordo com o Estatuto da FIFA.

JUSTIÇA BRASILEIRA
Como aqui no Brasil sempre existe o “jeitinho”, em todos os níveis da justiça os infratores conseguem com recursos e apelações atrasar o máximo o cumprimento das penas. No caso, o Sport terá que ser notificado por um STJD que está em recesso, depois dar suas alegações, se punido tem direito à recurso e no final, não se sabe quando parcelar a dívida e continuar no mundo como se nada tivesse acontecido.
 
MEMÓRIA
11/01/2008 –

O pior ano foi 1985, quando o Criciúma teve que disputar o hexagonal do descenso. Foi um dos campeonatos mais longos da história, começou no dia 20 de março e só foi terminar em 11 de dezembro. Novamente o campeão foi o Joinville com o Avaí em segundo. No torneio da morte o Criciúma enfrentou a Chapecoense, o Ferroviário de Tubarão, o Marcílio Dias, o Blumenau e o Juventus de Rio do Sul. Neste torneio o Criciúma foi derrotado apenas pelo Ferroviário e terminou na primeira colocação. Blumenau e Juventus foram rebaixados. Estava plantada a semente para o Criciúma ganhar no ano seguinte seu primeiro título estadual e participar pela primeira vez do campeonato nacional da primeira divisão.   
 

João Nassif
Por João Nassif 10/01/2019 - 12:14

A quarta divisão do campeonato brasileiro chamada de série D foi criada pela CBF para a temporada 2009.

Com a participação de 39 clubes, alguns selecionados pelas campanhas nos campeonatos estaduais de 2009, alguns pelos estaduais de 2008 e ainda outros pelas campanhas nas taças estaduais.

Os 39 clubes foram divididos em 10 chaves, nove com quatro equipes e uma com apenas três, sempre procurando o critério regionalizado para diminuir os custos, principalmente dos deslocamentos das delegações.

Santa Catarina teve dois representantes nesta primeira edição da série D do campeonato brasileiro: Chapecoense e Brusque.

A Chapecoense foi selecionada por ter sido vice-campeã do estado em 2009. Decidiu e perdeu o título para o Avaí. O Brusque por ter por ter sido campeão da Copa Santa Catarina em 2008. 

Na primeira fase a Chapecoense ficou no Grupo 9 com Londrina, Ypiranga de Erechim e Naviraiense do Mato Grosso do Sul. Avançou para a segunda fase em primeiro lugar em seu grupo.

O Brusque no Grupo 10 disputou com São José de Porto Alegre, Corinthians Paranaense e o Pelotas. Ficou em terceiro lugar e não se classificou.

A Chapecoense eliminou o Corinthians Paranaense na segunda fase. Na terceira fase, oitavas de final superou o Londrina, nas quartas de final derrotou o Araguaia do Mato Grosso e foi derrotada somente nas semifinais quando perdeu para o Macaé.

Na final o São Raimundo do Pará superou o Macaé e ficou com o título.

Os quatro primeiros colocados da série D em 2009 adquiriram o direito de disputar a série C no ano seguinte. São Raimundo, Macaé, Chapecoense e Alecrim do Rio Grande do Norte foram os times do acesso.

João Nassif
Por João Nassif 10/01/2019 - 07:53

Na coluna de ontem mostrei com clareza que não havia a mínima necessidade do Criciúma fazer o amistoso contra o Juventude de portões fechados privando, por economia, seus torcedores de ver pela primeira vez em campo o time trabalhado pelo técnico Doriva. Serviu o alerta, pois pela manhã recebi um telefonema do superintendente Robson Izidro que tomando ciência da questão reverteu e abriu os portões do Heriberto Hülse. 

MUDANÇA 
Ao invés de amistoso a programação virou jogo treino e aí sim, sem qualquer conotação oficial os times puderam se movimentar de acordo com o combinado. Muitos tiveram o privilégio de poder ver a movimentação de alguns contratados e mesmo c om várias ausências o técnico pode observar melhor seus comandados em ritmo de jogo, descontado o ainda início da pré-temporada.

LUZ AMARELA
O absurdo do calendário obriga os clubes a jogar com apenas duas semanas de trabalho na volta das férias. Ninguém faz milagres e a grande preocupação das comissões técnicas é evitar lesões que podem desfalcar os times no começo da temporada. O Criciúma está bem servido na preparação física com o prof. William Hauptman, mas a dúvida sempre vai existir.

PESO PESADO
Diferente de anos anteriores quando fez várias contratações e não conseguiu ganhar nenhum título de expressão, o Flamengo com as finanças em dia e dinheiro em caixa com a venda de alguns talentos revelados na base foi forte no mercado e sinalizou com um time que vai brigar forte em 2019. Desde o técnico Abel Braga, passando por Rodrigo Caio, Arrascaeta e Gabigol e outros que estão sendo especulados o “cheirinho” pode finalmente se tornar realidade.

DESFALQUE
O novo Ministro da Economia, Paulo Guedes, já sinalizou que a Caixa Econômica Federal irá retirar o investimento do banco em times de futebol. Nos últimos sete anos o patrocínio acumulado foi de mais de R$ 660 milhões. Segundo o Ministro “às vezes é possível fazer coisas cem vezes melhor com menos recursos do que gastar com publicidade em times de futebol”. Os clubes que se preparem para reposição em seu patrocínio máster.

FINALIZAÇÃO
Um total de 25 clubes foram patrocinados pela Caixa em 2018, sendo que 23 tiveram seus contratos encerrados em dezembro. Apenas dois contratos continuam em vigor: o do Sport Recife que vai até maio e o do Botafogo até o final de fevereiro. Os clubes já estão cientes que a chance de renovação é pequena, inclusive alguns já retiraram a marca do banco de seus sites oficiais e excluíram o nome o nome da Caixa de suas camisas. Já pensando na perda do patrocínio que foi de R$ 1,5 milhão em 2018 o Criciúma está em busca de novo parceiro.

MEMÓRIA
10/0/2007 – “SOLIDÁRIOS”

A meta inicial era captar 4.000 sócios de arquibancada e mil de cadeiras até o início do campeonato brasileiro. Em pouquíssimo tempo o clube já atingiu 2.300 e 500 respectivamente, então quero crer que o objetivo será alcançado bem antes do esperado. Sinceramente não acreditava numa adesão tão rápida e expressiva, mas quero cumprimentar o torcedor que mais uma vez se mostrou fiel ao clube e sensível a seus apelos. E que mais pessoas contribuam para o bom andamento do futebol do Criciúma, pois a série B exigirá um time competitivo e somente com muita grana será possível viabilizá-lo.

João Nassif
Por João Nassif 09/01/2019 - 13:59

Depois do alerta que fiz na coluna de hoje em A TRIBUNA, pela manhã recebi uma ligação do superintendente do Criciúma, Robson Izidro, que desconfortável por não ter sido comunicado prometeu providencias para mudar o roteiro do amistoso de hoje contra Juventude.

Foi anunciado pela direção do clube que os portões estariam fechados aos torcedores, mas a interferência do Robson colocou tudo em seus devidos lugares.

O amistoso será com portões abertos e sem cobrança pelo ingresso de quem for ao Heriberto Hülse.

A decisão foi sábia e os torcedores poderão ter uma pequena ideia do que pensa o técnico Doriva sobre o time que começará a temporada oficial contra o Figueirense no dia 17. 
 

João Nassif
Por João Nassif 09/01/2019 - 12:45

O campeonato brasileiro da série B de 2012 foi um dos mais exigentes para apuração dos quatro que tiveram acesso à série A no ano seguinte.

A intensa briga pelo acesso fez com que as equipes alcançassem um recorde de pontos pelas quatro primeiras posições estabelecendo um recorde que dificilmente será superado.

Sempre projetamos uma pontuação em torno de 64 pontos para o acesso, mas a exigência foi tanta em 2012 que o São Caetano ficou na quinta colocação com 71 pontos e não conseguiu o acesso. Teve o mesmo número de pontos do Vitória que subiu e perdeu a vaga pelo número de vitórias. O time baiano ganhou 21 jogos enquanto o paulista venceu apenas 20 vezes.

O campeão foi o Goiás que conquistou 78 pontos com o Criciúma em segundo com 73. O Atlético Paranaense também com 71 pontos ficou em terceiro superando o Vitória no saldo de gols.

A disparidade das campanhas dos cinco primeiros com o restante dos clubes foi tamanha que o Joinville, sexto colocado, conseguiu apenas 60 pontos.

No rebaixamento não houve surpresa em se tratando de pontos conquistados. A linha de corte ficou em 42 pontos com o CRB sendo o primeiro do Z-4. Guarani com 41, Ipatinga com 31 e Grêmio Barueri com 30 pontos foram os outros rebaixados. 
 

João Nassif
Por João Nassif 09/01/2019 - 07:52

O Criciúma fará hoje seu primeiro amistoso da era Doriva com portões fechados aos torcedores. O motivo alegado? Economia, pois abertura para o público geraria despesas que o clube não está disposto a bancar. Este foi o argumento usado para que os torcedores não conhecessem um pouco do que o time pode apresentar dia 17 na abertura do campeonato. Pode também ter sido exigência do técnico, pois como quase todos do futebol brasileiro tem lá seus segredos. 

BOBAGEM
Virou mania os técnicos fecharam treinos como forma de mostrar que trabalham de forma que os adversários não possam saber como seus times irão jogar. O esconder o jogo em treinamentos não garante qualidade na hora que é para valer. Fosse assim e os jogos terminariam sem vencedores como na expressão do filósofo Neném Prancha: “se macumba ganhasse jogo o campeonato baiano terminaria empatado”.

A MENTIRA TEM PERNA CURTA
Muito bem, os portões serão fechados por economia. Não é verdade. O custo de um amistoso é muito pequeno e o clube poderia perfeitamente continuar no seu processo de aproximação aos torcedores que começou no domingo com o treino nas areias do Balneário Rincão. Quando se abre um estádio onde o time joga suas competições é obrigatória a cobrança de ingressos sem qualquer valor estipulado. Somente seria declarado em borderô as taxas do INSS, do aparato policial, dos seguranças particulares e do seguro de cada ingresso vendido. Além, é claro o custo da arbitragem. A despesa total seria baixíssima se, por exemplo, o ingresso tivesse o preço único de R$ 10,00, apenas uma sugestão.

ESTE É O CRICIÚMA EC
Ontem à tarde entrei em contato com o Diretor de Competições da Federação Catarinense de Futebol, Fábio Marcel Nogueira que detalhou as taxas incidentes no borderô de uma partida oficial, mesmo sendo amistosa. Falei também com o próprio presidente Rubens Angelotti que afirmou que a FCF não cobraria sua taxa de 10% sobre qualquer evento. Quer dizer, abrir os portões e aproximar o torcedor ainda mais custaria tão pouco que o benefício seria enorme. 

FIM DE FEIRA
Fiasco total do Criciúma na Taça São Paulo de Futebol Júnior. Depois de pleitear a inclusão com o presidente da FCF pedindo o favor de colocar o clube que não conseguiu classificação pelo critério técnico, a eliminação com três derrotas em três jogos escancarou a fragilidade do Departamento Amador do clube. A conquista da Copa Sul foi a única de toda a base em 2018, pouco para quem tem um CT de primeiro mundo, mas que não sabe como fazer um trabalho mais eficiente projetar o Criciúma num futuro vencedor de acordo com sua própria história.

MEMÓRIA
09/01/2006 – “SURDEZ”
Venho dizendo há muito tempo e parece que as palavras se escoam com o vento. Nos últimos dois anos o Criciúma perdeu sua identidade pelos métodos usados na contratação de jogadores. No início, com uma grande vitrine, a viabilização de negócios prevaleceu, o clube esqueceu a técnica e priorizou o mercado. Depois, a insistência em buscar jogadores sem qualidade fez com que o time sofresse os dois rebaixamentos que o colocaram na contramão de sua própria história. Agora na terceira divisão dificilmente encontrará recursos para uma recuperação.

João Nassif
Por João Nassif 08/01/2019 - 12:33

No dia 18 de maio de 1958 foi escrita a história mais bonita do futebol brasileiro. Que me perdoem os que afirmam que existem outras, mas naquele dia há mais de 60 anos, Pelé e Garrincha jogaram pela primeira vez juntos com a camisa da seleção brasileira.

O jogo preparatório para a Copa do Mundo na Suécia foi no Pacaembu em São Paulo e o adversário a Bulgária. A seleção brasileira venceu por 3x1 com dois gols de Pelé e um do ponteiro esquerdo Pepe.

A edição do dia 17 de maio, véspera do confronto com a Bulgária o jornal “A GAZETA ESPORTIVA” publicava que a mídia europeia tratava Pelé como “um artista da categoria de um Didi”, enquanto Garrincha era visto como “um outro jogador interessante da seleção” que disputava a titularidade com Joel do Flamengo.

Os dois ficaram na reserva nos dois primeiros jogos do Mundial e só foram chamados pelo técnico Vicente Feola como titulares a partir do terceiro jogo contra a União Soviética quando a seleção brasileira encantou o mundo e começou a escalada definitiva rumo ao título.

Pelé e Garrincha participaram juntos em 40 jogos e a seleção brasileira jamais foi derrotada. Foram 36 vitórias e quatro empates e os marcaram, juntos, 55 gols. 
 

João Nassif
Por João Nassif 08/01/2019 - 07:29

A iniciativa do Criciúma em levar seu grupo principal até as areias do Rincão foi uma boa jogada que mais do que marketing busca trazer de volta os torcedores há muito afastados do time. Tempos atrás o clube adotou esta politica de levar seus jogadores ao encontro da torcida em várias cidades do sul do estado com ótimas consequências tanto na captação de sócios como também na presença de um grande número de torcedores ao Heriberto Hülse em dias de jogos. Foi dada a partida para novas iniciativas do mesmo calibre.

PEDRAS PRECIOSAS
O site “Transfermarkt” especialista em valor de mercado atualizou no dia 04 de janeiro a cotação dos jogadores brasileiros de futebol espalhados pelo mundo. Neymar continua sendo o mais valioso do mercado da bola avaliado em 180 milhões de euros, cerca de 790 milhões de reais. Acima dos 100 milhões de euros somente mais um jogador, Philippe Coutinho, avaliado em 140 milhões de euros, por volta de 610 milhões de reais.

TOP 10 NA COTAÇÃO
O terceiro brasileiro mais valiosos é Roberto Firmino, cotado em 80 milhões de euros (R$ 350 milhões). Depois dele Gabriel Jesus, o lateral Marcelo e o volante Casemiro, todos avaliados em 70 milhões de euros (R$ 306 milhões). Alisson, goleiro e o volante Jorginho estão cotados no mercado em 65 milhões de euros (R$ 284 milhões) e completando os 10 brasileiro mais valiosos cotados em 60 milhões de euros (R$ 262 milhões), o goleiro Ederson e o zagueiro Marquinhos.

PATÉTICO
A entrevista do técnico Tite, da seleção brasileira, ontem no programa “Mesa Redonda” da TV Gazeta foi uma das mais deprimentes de um profissional responsável por reerguer o futebol brasileiro no ambiente mundial. Como se sentisse um ser fora do mundo do futebol afirmou que, sozinho disparou uma série de palavrões para o belga Hazard na noite da eliminação da seleção na Copa da Rússia. Para frisar ser uma pessoa de educação superior só fala “nome feio” quando não tem ninguém por perto.

MAIS PÉROLAS
Questionado defendeu seu coordenador Edu Gaspar que disse após a Copa “não é fácil ser Neymar”. Disparou que Edu quis dizer na questão privacidade. Deve ser realmente difícil ser Neymar, fácil é ser atacante do Real, último colocado no campeonato de Roraima de 2018. E mais, Neymar não faz nenhuma questão em manter privacidade. É o que mais se expõe em redes sociais, por ele e por terceiros e é o mais badalado dos jogadores de ponta do futebol mundial. Então, Tite por favor, sem demagogia.

MEMÓRIA
08/01/2008 – “MARCA HISTÓRICA”

Não ocorrendo nada de anormal e o campeonato catarinense seguindo o curso programado, o Criciúma deverá fazer a partida de número 2 mil da sua história no dia 17 de fevereiro, domingo, contra o Cidade Azul de Tubarão no estádio Heriberto Hülse. Este jogo será pela nona rodada do primeiro turno do campeonato catarinense. O primeiro jogo do Criciúma depois que houve a mudança de nome foi no dia 02 de abril de 1978 e até agora o time entrou em campo 1.989 vezes. São jogos contra times profissionais. O Criciúma fez várias partidas contra equipes amadoras, tipo jogo-treino o que não vale para estatística.  

João Nassif
Por João Nassif 07/01/2019 - 14:32

A Copa das Confederações organizada pela FIFA a partir de 1997 é sucessora do Campeonato Intercontinental que foi disputada em Riad, capital da Arábia Saudita em duas edições, em 1992 e 1995. Em 1997 a primeira edição da Copa das Confederações também foi disputada na capital saudita.

Em 1992 a Argentina então campeã sul-americana foi a primeira seleção a vencer o torneio. Com um time recheado de grandes jogadores como Batistuta, Redondo, Caniggia e Simeone os argentinos derrotam na final os anfitriões por 3x1.

Participaram da primeira edição do torneio, além da Arábia Saudita e Argentina, os Estados Unidos campeões da CONCACAF e a Costa do Marfim campeã africana.

Em 1995 seis seleções participaram do torneio. Arábia Saudita, anfitriã, Japão campeão asiático, México da CONCACAF, Nigéria campeã africana, Dinamarca campeã europeia e a Argentina campeã da primeira edição. 

Dinamarca - 1995

A Dinamarca foi a campeã vencendo na final a Argentina por 2x0.

Com a oficialização da Copa das Confederações, também disputada na Arábia Saudita em 1997 o Brasil foi o primeiro campeão. O novo torneio teve novo formato com a participação de oito seleções, representantes de todas as Confederações filiadas à FIFA. Até hoje está mantida a fórmula original do torneio.

Na fase de grupos a seleção brasileira estreou com vitória sobre os donos da casa por 3x0, empatou em 0x0 com a Austrália e derrotou o México por 3x2.

Nas semifinais venceu a República Checa por 2x0 e na final goleou a Austrália por 6x0 com três gols de Romário e três de Ronaldo Fenômeno.

Romário, aliás foi o artilheiro do torneio com sete gols. 
 

João Nassif
Por João Nassif 07/01/2019 - 07:50

Mesmo com chances matemáticas de classificação, o Criciúma terá vida dura na última rodada da primeira fase da Copa São Paulo. Com duas derrotas nos dois primeiros jogos terá obrigatoriamente que vencer o Atlântico da Bahia e depois esperar que o São Carlos, dono da casa derrote o América Mineiro.Com esta combinação a decisão da segunda vaga seria no saldo de gols. Hoje o Atlântico tem saldo de um gol positivo, o América de um negativo e o Criciúma um saldo negativo de dois.

COMPARATIVO
Lá no final da coluna no quadro “MEMÓRIA” lembrei do Criciúma na Copinha em 2003. Mesmo que lá atrás tenha havido um bom começo o time não foi muito longe o que tem sido uma constante ao longo dos anos. Agora em 2018, mesmo tendo sido campeão da Copa Sul com uma vitória espetacular sobre o Grêmio por 4x1 no Heriberto Hülse, em São Carlos as duas derrotas logo na primeira fase fazem prever outro fracasso na competição. A menos que os ventos soprem a favor na rodada final. 

REDES SOCIAIS
A onda de postagens nas plataformas que hoje atinge o universo de milhões de pessoas vai desde os twitters do novo governo até as redes sociais dos clubes de futebol. O IBOPE Repucom monitorou 40 clubes durante 2018 que juntos somaram 11,9 milhões de novas inscrições em suas redes sociais. Deste total de novas inscrições 54% (6,4 milhões) se concentraram em apenas cinco clubes. O Flamengo lidera com 1,7 milhão de novas inscrições. Em seguida vem o Palmeiras com 1,4 milhão.

CRITÉRIO
O IBOPE Repucom considera somente os dados das paginas oficiais dos clubes e não considera dados declarados, apenas as contagens das próprias plataformas. As plataformas pesquisadas são o Twitter, Facebook, Instagran e You Tube. 

CRICIÚMA
O Criciúma ocupa a 24ª posição no ranking com um total de 793.715 acessos em todas suas plataformas. São 571.937 no Twitter, 197.308 no Facebook, 22.471 no Instagran e 1.998 no You Tube.

FIM DO CHEIRINHO
O novo presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, postou um vídeo que viralizou afirmando que este ano será o ano do clube com as contratações que foram feitas e outras encaminhadas que farão um verdadeiro timaço para enfrentar a temporada. Pode ter razão, pois com Abel Braga, Rodrigo Caio, Bruno Henrique e possivelmente com Arrascaeta o time ficará fortalecido e é grande a possibilidade de finalmente o cheirinho se tornar realidade. Agora, só falta combinar com os outros clubes que também se reforçaram para 2019.  

MEMÓRIA
07/01/2003 – “ESTREIA”
O time Junior do Criciúma começou bem a Taça São Paulo. O empate com a
Portuguesa, campeã do ano passado projeta boas perspectivas para uma classificação. Os adversários futuros não têm a mesma qualidade e vejo no saldo de gols a briga pela vaga. A competição é muito forte, pois vários times são verdadeiras seleções, montadas por empresários que buscam apenas fazer negócios sem
se preocupar com qualidade. Com a estrutura que tem e pela continuidade,
o Criciúma poderá chegar longe.
 

João Nassif
Por João Nassif 06/01/2019 - 11:27

A seleção brasileira de futebol teve vários campeões mundiais, muitos bicampeões, mas somente um jogador foi tricampeão. Pelé campeão em 1958, 1962 e 1970. Além dos três títulos mundiais o Rei com seus 12 gols é o segundo maior artilheiro do Brasil em Copas do Mundo. Pelé participou de quatro torneios e somente não marcou em 1966.

Ronaldo Fenômeno é o maior goleador da seleção brasileira em Mundiais. Marcou 15 gols em três Copas e ganhou somente uma, em 2002 na Coréia do Sul e Japão quando marcou oito gols. Quatro foram marcados em 1998 na França e três em 2006 na Alemanha.

Ademir de Menezes

O maior artilheiro do Brasil num único Mundial é Ademir de Menezes que em 1950 jogando em casa marcou nove gols. Ademir jogou apenas uma Copa do Mundo e não conseguiu ser campeão.

A lista de outros jogadores que também marcaram nove gols em Mundiais tem Vavá e Jairzinho. Vavá foi bicampeão em 1958 e 1962 e Jairzinho campeão em 1970.

Na lista dos principais artilheiros da seleção brasileira em Copas do Mundo que não foram campeões aparece também Leônidas da Silva que marcou oito gols nos Mundiais de 1934 na Itália, fez um gol, e no de 1938 na França quando marcou sete gols.

São estes os maiores artilheiros da seleção brasileira em jogos válidos pelas Copas do Mundo.
 

João Nassif
Por João Nassif 05/01/2019 - 13:20

A seleção brasileira foi a única a participar de todas as 21 Copas do Mundo que já foram realizadas. Jogou um total de 109 partidas, venceu 73, empatou 18 e perdeu outros 18 jogos. Seis de todos os jogos que o Brasil disputou em Mundiais foram decididos após o tempo regulamentar.

Os dois primeiros aconteceram na III Copa do Mundo em 1938 na França. A primeira partida da seleção contra a Polônia terminou em 4x4 e na prorrogação o Brasil fez 2x1 e ultrapassou a primeira fase. O segundo jogo no mesmo Mundial valendo pelas quartas de final Brasil e Tchecoslováquia empataram em 1x1 no tempo normal e empataram em 0x0 na prorrogação. O empate obrigou os times a se enfrentarem novamente e seleção brasileira foi vencedora por 1x0.

O terceiro jogo da seleção brasileira com prorrogação foi contra a Iugoslávia na Copa da Suíça em 1954. Nos primeiros 90 minutos as seleções empataram em 1x1 e em 0x0 na prorrogação. O empate classificou os dois países para as quartas de final.

Pênalti perdido por Sócrates em 1986

A quarta vez foi no Mundial de 1986 no México. O adversário do Brasil nas quartas de final foi a França. Novamente empates em 1x1 e 0x0 na prorrogação. A França venceu nos pênaltis por 4x3.

Em 1994 nos Estados Unidos a seleção brasileira teve seu quinto jogo em Copas do Mundo decidido após o tempo normal e novamente foi aos pênaltis. Desta vez, contra a Itália com dois 0x0, no tempo regulamentar e na prorrogação o Brasil sagrou-se tetra campeão vencendo os italianos por 3x2.

Finalmente em 1998 na França o último jogo da seleção brasileira que foi além dos 90 minutos. Na semifinal contra a Holanda a partida terminou empatada em 1x1 e em 0x0 no tempo extra. Na definição da classificação nos pênaltis o Brasil venceu por 4x2 e foi decidir o título com a França.

João Nassif
Por João Nassif 05/01/2019 - 07:38

Por ter perdido na estreia o Criciúma terá hoje pela manhã uma partida decisiva na Copa São Paulo de Futebol Júnior. O adversário, América Mineiro também foi derrotado na primeira rodada, por isso quem perder estará automaticamente eliminado, mesmo faltando uma rodada para fechamento da primeira fase. O Criciúma entrou na competição como convidado de última hora e tem que vencer para justificar o esforço do presidente da Federação Catarinense, Rubens Angelotti, para colocá-lo no torneio. 

CATARINENSES
Duas das outras quatro equipes do estado que disputam o torneio em São Paulo foram muito bem com duas goleadas. Do Avaí sobre a Internacional de Limeira por 7x0 e do Figueirense sobre o CRB de Alagoas por 4x0. Com folga no saldo de gols, para se classificar basta apenas uma vitória simples de cada um nos jogos que faltam. A Chapecoense e Tubarão, à exemplo do Criciúma foram derrotados na abertura e ficam na obrigação de vencer nas próximas rodadas. Vida dura para os três que perderam na abertura do torneio.

JÁ TE VI
O Criciúma está tentando trazer de volta o atacante Lucão que fez ótimo campeonato brasileiro em 2017 quando marcou 10 gols com a camisa do Tigre. Não sou adepto de recontratar jogadores, por melhor que tenham correspondido. Vocês lembram que fui totalmente contra o retorno de ídolos do passado que voltaram no começo de 2018. Uns deram certo, outros não, mas minha opinião é que dificilmente a resposta é a mesma, passados alguns anos. Com Lucão pode ser diferente.

MOTIVOS
Primeiro a idade, Lucão é um jogador de 27 anos e está na plenitude de sua forma física. Segundo, disputou toda a temporada passada e foi um dos artilheiros da série B na campanha do acesso do Goiás. Como terminou o ano em atividade, se recontratado é chegar e jogar, até porque o Criciúma não tem um atacante de área. A dificuldade está na questão salarial. Lucão pede acima do teto da mesma forma que o Goiás e alguns outros pretendentes não se animaram com o salário pedido pelo atleta. Neste contexto sua vinda fica inviável. 

ZICA
Acontece toda hora com todo mundo, mas não é sempre que técnicos de futebol passam por dificuldades cardíacas. Mais raro ainda quando os técnicos são dde primeiro nível e nas últimas semanas dois deles tiveram que fazer procedimentos para resolver seus problemas. Primeiro foi Cuca que depois de uma ameaça de infarto no final de setembro foi submetido à cirurgia no início de dezembro. Agora é a vez do Renato Gaúcho que hoje passará por cirurgia para corrigir uma arritmia, problema que já vem de alguns anos e é algo próprio de atletas.

MEMÓRIA
04/01/2006 – “BALANÇO”

A Federação Catarinense de Futebol divulgou neste início de ano alguns dados referentes a temporada 2005. Foi feito um resumo das competições que envolveram os times profissionais do estado e alguns dados chamam a atenção pelo aspecto negativo. A média de público nas três divisões ficou abaixo da crítica. A série A 1, que envolveu os grandes times catarinenses, não atingiu 3 mil por partida. Alguns podem achar uma boa média se levarmos em consideração que o campeonato é disputado em pleno verão. 


 

João Nassif
Por João Nassif 04/01/2019 - 13:38

A Confederação Asiática de Futebol foi fundada no dia 8 de maio de 1954 em Manila nas Filipinas. É a entidade responsável por organizar as competições internacionais do continente asiático e atualmente está sediada na cidade de Kuala Lumpur na Malásia.

A Confederação Asiática de Futebol é composta por quatro membros que representam quatro regiões do continente, cada qual com suas nações o que confere à entidade 46 filiadas.

A Associação de Nações do Sudeste Asiático com 10 nações. A Federação de Futebol da Ásia Central e do Sul com 13 nações. A Federação de Futebol do Leste Asiático com também com 10 nações e a Federação de Futebol do Oeste Asiático com suas 13 nações. 

Escudo das Índias Orientais Holandesas

A primeira nação representante do futebol asiático numa Copa do Mundo foram as índias Orientais Holandesas, atual Indonésia que disputou o Mundial de 1938 na França.

A segunda foi a Coréia do Sul que esteve no Mundial da Suíça em 1954 e que voltaria a participar da Copa do Mundo somente em 1986 no México. De lá para cá os coreanos do sul marcaram presença em todas as Copas realizadas, acumulando um total de 10 participações

A partir de 1º de janeiro de 2006 a Austrália passou a fazer parte da Confederação Asiática de Futebol. Era uma reivindicação antiga dos australianos que foi aceita pela FIFA. A Austrália fazia parte da Confederação de Futebol da Oceania.
 

João Nassif
Por João Nassif 04/01/2019 - 07:50

O campeonato catarinense perderá este ano uma de suas principais assistentes, antigamente chamadas de bandeirinhas. Neuza Inês Back irá trabalhar em São Paulo para se preparar para com mais intensidade visando sua participação no Mundial Feminino que será disputado na França em junho deste ano. A catarinense formará com a árbitra Edina Alves Batista, paranaense, e a paulista Tatiane Sacilotti o trio da arbitragem brasileira na Copa do Mundo.

DONOS DO ESTADUAL
Figueirense e Chapecoense dominam o campeonato catarinense nas últimas cinco temporadas. Os dois times vêm alternando títulos desde 2014, um ano após o Criciúma ter conquistado seu último campeonato. O Figueirense foi bicampeão em 20014/2015, a Chapecoense também ganhou um bicampeonato em 2016/2017 e no último campeonato deu novamente o time do Estreito. Daqui a menos de duas semanas será dada a largada para mais um campeonato. Será que algum outro time irá estancar este domínio?

DONOS DO BRASILEIRÃO
Se por aqui em Santa Catarina Figueirense e Chapecoense dominam nos últimos cinco anos, no Brasil o domínio é total dos paulistas nas quatro últimas edições do campeonato brasileiro. Depois do Cruzeiro ter sido bicampeão em 2013/2014, Corinthians e Palmeiras vem alternando títulos e alternadamente ganharam os últimos quatro. Os concorrentes estão se reforçando e com certeza teremos em 2019 um campeonato equilibrado com outras forças em condições de romper esta hegemonia. 

CHEIRINHO REAL
O Flamengo que não ganha um brasileirão desde 2009 nos últimos anos tem chegado muito próximo e sua torcida sentido o cheirinho do título. Depois de tantas frustrações agora em 2019 é grande a possibilidade do cheirinho virar realidade. Sob nova administração, com grande potencial financeiro adquirido com as vendas de revelações ao futebol europeu a ambição é enorme e se conseguir montar o time que está em seu projeto terá todo potencial para acabar com a seca.

BICHO ESTRANHO
Na entressafra do futebol brasileiro nos resta acompanhar à distancia e pela TV os campeonatos europeus em andamento. Tenho visto o inglês e confesso que já fico nervoso em saber que em breve cairemos na realidade do futebol brasileiro. Na Inglaterra é praticado algo diferente e tenho dúvidas de onde está o verdadeiro futebol. Lá, há respeito ao espetáculo, não se vê simulações de faltas ou lesões, são raras reclamações sobre eventuais erros de arbitragem, tudo diferente do que vemos por aqui. São diferenças culturais.


MEMÓRIA
04/01/2010 – “Inédito”

É direito de todo trabalhador, mas não tenho notícia que o Criciúma tenha dado licença paternidade a algum jogador ao longo da história. Desculpem se estou enganado, mas sempre tive notícia de atletas sendo pais quando estão concentrados, de outros que souberam do nascimento do filho quando estavam em viagem, enfim muitas situações que não os impediam de continuar o trabalho. Inclusive muitos treinavam e jogavam muito mais motivados com o nascimento do filho. Agora, em plena pré-temporada o Criciúma fica sem dois jogadores que exercitam o direito de ficar com os filhos recém-nascidos.
P.S. – O zagueiro Linno e o volante Everton César.


 

João Nassif
Por João Nassif 03/01/2019 - 12:56

A Isles of Scilly Football League é o campeonato nacional de futebol das Ilhas Scilly. Chancelado pela FA, este é considerado pelo Guinness Book o menor campeonato do mundo, e é disputado por apenas dois times o Woolpack Wanderers e o Garisson Gunners. 

As Ilhas Scilly, também conhecida como Ilhas Sorlingas eram conhecidas pelos fenícios como Ilhas do Estanho. Estão localizadas a sudoeste da Cornualha, na Inglaterra. O arquipélago tem uma área de pouco mais de 16 km2 e uma população em torno de 2.200 habitantes. Entre suas ilhas apenas cinco são habitadas.   

Ilhas Scilly

Em 1920 foi criada uma competição entre as cinco ilhas e com o passar dos anos apenas dois times sobreviveram, os Rangers e o Rovers. 

Em 1984 os próprios habitantes das ilhas resolveram criar a Liga com os dois times que trocaram de nome. Os Rangers viraram Garrison Gunners e o Rovers Woolpack Wanderers.

Estas duas equipes disputam 16 jogos ao longo do ano. São 13 jogos pela Isles of Scilly Football League, um pela Supercopa da ilha que dá início à temporada e as outras duas por uma Copa comum disputada em jogos de ida e volta.

Em 2008, quando da organização da Eurocopa, realizado em conjunto por Áustria e Suíça, a Adidas criou o projeto ‘Dream Big’. A marca fez campanhas em várias regiões do globo, dando destaque a pequenas localidades apaixonadas por futebol. Além de Andorra e San Marino, as Ilhas Scilly também mereceram grande destaque.

Na época, jogadores como Kaká, Messi, Gerard e Beckham visitaram a ilha, de forma a inspirarem e incentivarem jogadores e treinadores para a prática e importância do futebol. 


 

João Nassif
Por João Nassif 03/01/2019 - 07:52

Má notícia para os clubes brasileiros. O Tribunal de Contas da União em acórdão do dia 28 de dezembro definiu que é “irregular a prorrogação de contratos de patrocínio de empresas estatais, uma vez que os mesmos não se constituem em serviços de natureza contínua”. Quer dizer, a Caixa Econômica Federal não irá mais patrocinador o futebol brasileiro como vinha fazendo até 2018. 

MOVIMENTO INTENSO
Mesmo depois de anunciado o encerramento dos contratos de patrocínio entre a Caixa e os clubes, o mercado do futebol não parou para as festas de final de ano. Mesmo com poucas novidades algumas contratações chamam a atenção e deixam uma ótima expectativa para a temporada que deve ser de maior equilíbrio entre as forças, tanto nos campeonatos estaduais como também no brasileiro. Os campeonatos paulista e carioca prometem e darão a prévia do que irá acontecer na segunda parte da temporada.

PAULISTAS
O Palmeiras, mais modesto contratou menos que em temporadas anteriores, mas buscou destaques no país e um desconhecido no futebol alemão. O São Paulo contratou Pablo e Biro-Biro, repatriou novamente Hernanes, o profeta salvador de 2017 e tem na mira nomes como Victor Ferraz e Pablo Pérez capitão do Boca Juniors. O Corinthians que trouxe de volta o técnico Fábio Carille e confirmou o ex-gremista Ramiro, Richard ex-Fluminense e fechou acordo com o atacante Boselli que atuava no México e não deve parar por aí. O Santos com menos caixa para investimento tem, por enquanto no técnico Jorge Sampaoli a maior atração para a temporada.

CARIOCAS
O Flamengo confirmou Rodrigo Caio e tem possibilidade de contratar outros jogadores de peso, inclusive alguns que podem vir de fora. O Fluminense renovou com alguns que se destacaram em 2018 e confirmou o atacante Kayke do Bahia e Paulo Ricardo zagueiro que estava na Suíça. O Vasco da Gama repatriou Bruno César que pertencia ao português Sporting e o Botafogo contratou João Pedro do Atlhetico Paranaense e renovou com o técnico Zé Ricardo.

MINEIROS E GAÚCHOS
Sempre na possibilidade de fraudar expectativas os times de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul vão negociando seja na venda ou na compra para formarem times competitivos e certamente em 2019 não será diferente. Todos os quatro grandes dos dois estados estão nas principais competições e pela tradição podem chegar fortes em várias delas como tem acontecido nos últimos anos. 

MEMÓRIA
03/01/2007 – “Boa Sorte”

Já perceberam que fiquei completamente afastado do futebol, muitas vezes sabendo por terceiros o andamento dos negócios no Heriberto Hülse. Os jogadores já se apresentaram, a comissão técnica está na cidade, faltam apenas alguns jogadores que serão contratados para complementação do grupo e o início efetivo dos trabalhos visando o catarinense, a primeira competição do ano. Será também o primeiro teste forte para o técnico Gelson da Silva. Uma coisa é treinar um Brusque ou um Marcílio Dias, outra é ser técnico do Criciúma. Como o Gelson jogou muito tempo por aqui e ajudou bastante na história do clube, certamente saberá enfrentar este desafio com competência.

João Nassif
Por João Nassif 02/01/2019 - 13:06Atualizado em 02/01/2019 - 16:48

A Liga Federal de Futebol, a Bundesliga é uma liga profissional de futebol da Alemanha. É a principal competição do país e está colocada no topo do futebol alemão. A Bundesliga foi fundada em 1963 com 18 clubes e teve no Colônia seu primeiro campeão.

Até 1963 a então Alemanha Ocidental não tinha um campeonato nacional no sistema de pontos corridos, mas seis campeonatos correspondentes a cada região do país. O título de campeão nacional era disputado pelas melhores equipes de cada região. 

Após o término da Segunda Guerra Mundial o país foi dividido em 1949 em Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental e os dois países tiveram campeonato separados o que já havia ocorrido no primeiro campeonato pós-guerra em 1948.

A Alemanha foi reunificada em 1990 e as duas ligas reunidas a partir da temporada 1991/1992. O nome Bundesliga utilizado desde 1964 foi mantido ao passo que a Oberliga, termo usado para denominar o campeonato alemão-oriental passou a nomear as divisões regionais da liga unificada.

Gerd Müller

O clube com maior número de títulos da Bundesliga é o Bayern Munique campeão 24 vezes. O maior artilheiro é Gerd Müller que marcou 365 gols em 427 jogos.

O público presente nos jogos da Bundesliga é o de melhor média em todo o mundo. São em média 42.600 torcedores por partida. Cinco clubes alemães estão entre os 11 que mais público levam aos estádios. O Borussia Dortmund é o primeiro com maior média de público no mundo com média de 80.500 torcedores em seu estádio.
 

João Nassif
Por João Nassif 02/01/2019 - 07:40

Depois de várias idas à Jacareí para a virada de ano com a família, desta vez ficamos por aqui, na Vila Suíça numa confortável cabana e pudemos comemorar a chegada de 2019 com alguns amigos na casa do Jorge Canjica. Festa bonita, comida de primeira, bebida sempre gelada num ambiente da melhor qualidade. Só registro aqui na coluna algo pessoal que seja relevante e a passagem de 2018 para 2019 foi marcante e merece destaque. Sem contar que sábado no mesmo nível teve o sambão do Adelor no Arroio.

DÁ-LHE BOLSONARO
Um ano termina com muita festa e outro começa com boas perspectivas para todos nós. A troca no comando do país deixa uma esperança de dias melhores e de uma completa mudança na forma de governar, sem corrupção, sem privilégios, sem ideologia, com mais educação e segurança. O povo cansou de tudo que passou nos últimos anos e deu um voto de confiança para alguém que foi direto no sentimento de milhões e que enfrentou desde um atentado até uma miserável orquestração de formadores de opinião que perderão os privilégios adquiridos nos governos corruptos que dominaram o país por tanto tempo.

CONFLITO
E lá vamos nós para mais um ano de esperanças também no futebol. É sempre assim, em quase todas pré-temporadas as expectativas se renovam e quando se trata do Criciúma EC elas são pequenas. A gestão não consegue se mostrar profissional e por mais que a comissão técnica seja de boa qualidade a chefia não acompanha e não dá munição para que o trabalho seja positivo. Temos visto nos últimos anos esta colisão de postura.

SEM AÇÃO
Não posso medir a capacidade do diretor Nei Pandolfo, está no clube há algum tempo e não conseguiu montar um plantel para brigar por bons objetivos, ficando na mesmice da salvação nas competições. Com orçamento curto sua área de manobra fica limitada.

EXAGÊRO
A contratação do Ricardo Rocha, para mim um excesso, ainda não foi bem esclarecida. Assessor do que e para que? O inchaço na folha tira a possibilidade da vinda de jogadores para suprir posições pontuais no elenco. E tem mais, quem contrata um campeão do mundo com visibilidade no mundo da bola está com dinheiro e certamente as pedidas de eventuais reforços ultrapassam o limite do clube.

COMPETÊNCIA
Doriva e William Hauptman, dois profissionais de alta qualidade que podem fazer um ótimo trabalho, principalmente no resgate da identidade do time perdida nos últimos anos e se tiverem boa munição poderão fazer em 2019 um Criciúma mais respeitado.

MEMÓRIA
 02/01/2006 – “Bola de Cristal”
Não quero parecer profeta, muito menos cartomante, mas tenho que fazer algumas previsões dentro de meus conceitos com relação ao Criciúma para o ano que está começando. Depois de um 2005 cheio de incidentes e relações duvidosas, tenho certeza que os torcedores também anseiam por uma temporada onde a técnica irá prevalecer, sem interferência de árbitros, auditores e cartolas que este ano decidiram resultados de jogos e competições no futebol brasileiro.

João Nassif
Por João Nassif 01/01/2019 - 10:35

A Premier League foi formada em 20 de fevereiro de 1992 após decisão dos clubes que disputavam a Primeira Divisão do Campeonato inglês, à época denominada Football League que havia sido fundada em 1888.

A decisão foi tomada para que os clubes pudessem aumentar suas receitas com os direitos de televisão que atualmente rendem cerca de 2,4 bilhões por ano para transmissões domesticas e internacionais.

A Premier League é a liga mais popular do planeta transmitidas por oitenta redes de televisão para mais de 200 países.

Na última temporada, 2017-2018, a média de público da competição foi de 38.297, sendo a segunda mais alta em ligas profissionais, atrás apenas da Bundesliga, a Liga de Futebol da Alemanha.

Desde 1888, 24 clubes foram campeões do sistema de futebol inglês. Desde a criação da liga em 1992, 49 clubes já estiveram na Premier League, dos quais o Manchester United é o maior vencedor com 13 títulos. 

Em seguida vem o Chelsea que conquistou cinco campeonatos seguido Arsenal que foi campeão três vezes, mesmo número de títulos conseguidos pelo Manchester City. O Arsenal foi o único clube a conquistar uma Premier League de forma invicta.

Blackburn Rovers campeão da temporada 1994/1995

Blackburn Rovers e Leicester City conseguiram superar os grandes e ganharam um título cada um. O Liverpool é o único dos grandes times ingleses que não conquistou nenhuma Premier League.
  

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13