Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Por João Nassif 20/05/2022 - 00:15

O técnico Cláudio Tencati valorizou bastante o ponto conquistado contra o Grêmio, então faço coro, vou dizer que foi um excelente resultado se olharmos a tabela e a posição do Criciúma que continua próxima dos primeiros colocados.

A rodada terá sequência até domingo e alguma coisa poderá mudar, mas os 10 pontos conquistados até agora dão folego para as dificuldades que virão pela frente.

Os mais exigentes poderão argumentar que o Criciúma poderia ter vencido, concordo, pois teve imposição, principalmente no segundo tempo contra um Grêmio desfigurado que não é sombra do time que já foi quando jogou a segunda divisão.

Esperava um time com fome de bola depois das fortes cobranças após o empate em Itu, mas por mais que tenha havido mais competitividade a qualidade foi mínima, quase nada e o empate também ficou de acordo com o apresentado pelo time gaúcho.

Do mesmo modo o Criciúma que dominou grande parte do jogo, teve intensidade no setor central e alguma coisa pelo lado esquerdo do ataque, mas a falta de maior qualidade esbarrou em algumas decisões erradas, o péssimo último passe e muitos erros nas finalizações.

Por tudo isso o empate foi justo e muito comemorado pelo torcedor carvoeiro que novamente deu um show nas arquibancadas da Arena.

O grande contingente de torcedores embalados pela Torcida Os Tigres que fez uma grande festa que certamente continuou na volta para casa.

Foi um grande aquecimento para o próximo jogo, em casa contra outro dos grandes clubes desta série B. 
 

Por João Nassif 17/05/2022 - 09:09

Vendo o jogo do Grêmio ontem em Itu fiquei com a sensação de que a diferença entre o tamanho de um time poderia definir o resultado contra um de menor expressão.

O Ituano mandou no primeiro tempo, sufocou o chamado “Imortal” e perdeu a chance de virar com um placar muito favorável. Pensei, quem não faz toma e não é que na abertura do segundo tempo o Grêmio achou o gol numa jogada do experiente Diego Costa. 

Pronto! A camisa fez a diferença.

Daí em diante o jogo morno, o Ituano não manteve a pressão do primeiro tempo e o Grêmio continuou sem saber o que fazer em campo. 

Se o futebol é um esporte onde a lógica não prevalece o empate do Ituano aos 47 do segundo tempo fez a justiça e novamente nesta série B o peso de uma camisa tem tido pouco valor.

E atenção! Pelo desempenho do Grêmio e seu futebol de segunda categoria daqui a dois dias o Criciúma poderá ir até Porto Alegre e voltar com uma vitória. Se conseguir repetir o que fez contra o CRB. Só lembrando que o Tigre hisforicamente tem conseguido bons resultados na casa do Grêmio.
 

Por João Nassif 15/05/2022 - 14:41

Ontem após o jogo estive em alguns lugares com grande fluxo de pessoas, muitos se identificavam como torcedores e a felicidade era geral pela vitória do Criciúma.

Foi uma manhã/tarde de festa que se prolongou por várias horas, inclusive neste domingo quando no supermercado a euforia era geral e fui assediado por muitos torcedores que faziam questão de se mostrar felizes pelo resultado que foi conquistado com muita garra e entrega de todo o time.

O técnico Cláudio Tencati na coletiva exaltou a força do plantel, pois as alterações necessárias deram o retorno esperado e transformaram o placar numa quase goleada que poderia ser concretizada não fosse a troca de passes excessiva no final ao som da torcida que embalava o grito de “olé” contra um fragilizado CRB, lanterna do campeonato. Tipo assim, dar tapa em bêbado.

Sem menosprezo, mas a falta de conteúdo do time alagoano facilitou demais a tarefa do Criciúma novamente perante à um público excepcional para uma manhã de domingo, situação que vem se repetindo neste campeonato.

Sobre o jogo, depois de um primeiro tempo apático com o Criciúma praticamente olhando o CRB jogar, sem imaginação na construção e achando um gol na única jogada coordenada que resultou num cruzamento da linha de fundo para enfim ser mostrada a fragilidade do miolo da área do adversário. O CRB mostrou porque é a defesa mais vazada desta série B.

Depois do intervalo, a comando do técnico o Criciúma avançou a marcação e tomou definitivamente conta do jogo. As mudanças em todo setor ofensivo, além das saídas do Arilson (o melhor jogador do time) e do Claudinho, sempre poupado por questões físicas deram a ideia exata da força do plantel e o placar foi construído ao natural.

Agora, todos prestem atenção. A vitória foi importante, o torcedor está eufórico, as mudanças foram eficientes e demonstraram a força do grupo, mas não podemos esquecer que o adversário foi o lanterna do campeonato e a confirmação das virtudes de ontem terá que ser confirmada pelo que virá pela frente, jogos contra times da parte de cima da tabela, todos na zona do acesso. 
 

Por João Nassif 08/05/2022 - 13:18

Continua a síndrome do Criciúma quando joga fora do Heriberto Hülse.

De novo, em seu segundo jogo como visitante outra derrota e com isso o time vai se aproximando da zona de rebaixamento.  A expectativa geral era de aproveitar os três jogos em casa e um ou outro fora para adquirir uma gordura antes de pegar times com maior potencial de acesso.

Os empates, as duas derrotas e apenas uma vitória no primeiro jogo contrariaram as projeções e a situação ficou difícil, exigindo a vitória contra o CRB na próxima rodada. 

O que se viu no segundo tempo contra o Operário foi a mesma situação do tempo inicial contra o Guarani. O Criciúma dominou a bola, teve uma forte imposição técnica, exerceu uma blitz sobre os adversários, mas esbarrou na falta de qualidade nas finalizações.

Este é um problema que pode não ser solucionado num curto prazo. O time requer primeiro de mais tranquilidade e depois precisão o que convenhamos não fazem parte do cardápio dos atuais jogadores.

Outra questão que coloca em xeque o futuro são as lesões musculares que aparecem em jogos e treinos. O técnico Cláudio Tencati impôs a alguns dias que não mais responderia sobre o estado físico dos jogadores.

Tudo bem, opção dele que após o jogo em Ponta Grossa falou em questões físicas que exigem poupar alguns jogadores e quando não fazer as trocas em meio aos jogos.

Estado físico dos atletas que sofrem lesões em jogos e treinos e a qualidade do plantel exigem uma rápida resposta para que o time não sofra sobressaltos no transcurso do campeonato.
 

Por João Nassif 05/05/2022 - 07:42

Se não puder ganhar fora de casa um empate não deixa de ser um bom resultado. Foi assim que o técnico Cláudio Tencati falou após o final do jogo em Maceió. 

Não concordo, pois após sofrer o gol numa falha bizarra do goleiro Gustavo o Criciúma conseguiu reagir, chegou ao empate e se acomodou dando a nítida de dever cumprido. O time poderia ter tido mais ambição na parte final do jogo.

 

A série B tem mostrado jogos com pouquíssimos gols com os times satisfeitos com resultados pobres haja vista a quantidade de 1x0 e 1x1 registrados neste início de sexta rodada.

Em 51 jogos já disputados 15 terminaram em 1x0 e 14 em 1x1, quer dizer, quase 60% das partidas tiveram números baixíssimos de gols, sem contar que foram registrados cinco 0x0.

O Criciúma está inserido neste contexto. Em cinco jogos marcou quatro e sofreu quatro gols, numa campanha modesta de apenas 40% de aproveitamento.

O técnico alega que o time ainda está em construção. Depois de ficar esperando a série B do brasileiro durante quatro meses na temporada, com cinco jogos já era possível mostrar um rendimento maior desde que as ideias fossem bem assimiladas pelos jogadores o que ainda não foi possível de se ver.

Ou esta dificuldade será constante e aí tem que ser pensada uma alteração, não no comando técnico, mas na forma de jogar. E tem a questão física que tem peado em alguns jogos.

Ainda não houve uma sequência positiva na questão física que oscila demais durante os 90 minutos. Alguns jogadores não conseguem se manter em campo durante todo o tempo, o lateral Claudinho é um deles. Começam surgir lesões musculares como a do zagueiro Zé Marcos em Maceió, sem contar a do Bressan num treinamento.

Estamos apenas no início da caminhada e pela amostragem a luta do Criciúma será se fixar na parte intermediaria da classificação.

Em tempo, o goleiro Gustavo falhou no gol do CSA, mas tem feito defesas importantes, inclusive algumas no próprio jogo. Tem crédito.
 

Por João Nassif 01/05/2022 - 22:43

Com apenas cinco pontos depois de três jogos em casa, combinados com a derrota em Campinas o Criciúma permanece na parte de baixo da tabela na 13ª posição.

Novamente apesar do forte apoio das arquibancadas o time fez outro mal jogo e o empate foi consequência da falta de qualidade ofensiva. Foram raras as chances de gol que quando apareceram não foram convertidas e o empate contra um time que ainda não venceu na temporada e foi rebaixado no campeonato paulista acendeu uma luz amarela para a sequência da temporada.

Por mais que o técnico Cláudio Tencati tenha explicado em detalhes o que pretendia ficou aa impressão de que os jogadores não entenderam o sistema proposto ou não está de acordo com as características de cada um ou não funciona apesar da luta insana de todos na busca do entendimento e das vitórias.

O técnico falou que não se deve mais questionar a preparação física, pois entende que está tudo certo, a questão é que não explica a queda do rendimento no segundo tempo dos jogos. Melhor que treine e melhore o time e não a imprensa.

A fragilidade do Novorizontino permitiu ao Criciúma depois de horroroso primeiro tempo que o gol surgisse numa boa parada no início da fase complementar. A mudança no intervalo com a entrada no Tiago Marques no lugar do inoperante Negueba e o gol aos quatro minutos deram a impressão da vitória esperada e fundamental.

Aí surge o personagem que fazia sua estreia, Tiago Marques. Levou um cartão amarelo com 11 minutos, chutou uma bola na trave e aos 25 levou o segundo cartão amarelo. O Criciúma sofreu o empate aos 29 e com um a menos não mais se acertou.

Terminou a rodada numa incômoda posição e ainda pode ser ultrapassado pelo Guarani em caso de vitória do time campineiro sobre o Náutico em Recife.

Agora, serão dois jogos fora de casa contra CSA e Operário e fica a obrigação de recuperar os pontos perdidos no Heriberto Hülse. 
 

Por João Nassif 28/04/2022 - 07:35

“Quem não faz toma”. “A bola pune “. “Ressuscita morto”. São algumas expressões que cabem perfeitamente no resultado do Criciúma ontem em Campinas.

O time que Tencati colocou em campo fez um excelente primeiro tempo, amassou o Guarani, teve várias chances de gol e não marcou. Como não tem mostrado a mesma intensidade na segunda etapa dos jogos, deixou dúvidas no resultado.

Depois de perder tantos gols um pênalti, daqueles que normalmente o VAR corrige a decisão de campo, deixou a clara sensação que o time não conseguiria reagir, mesmo com o volume de atacantes pelas trocas feitas pelo técnico que deram a nítida sensação de desespero.

O Criciúma de ontem repetiu uma tendência mostrada ao longo de sua história que é perder para times em situação mais difícil no campeonato, o Guarani até então era o lanterna desta série B.

Apesar da derrota alguns pontos ficaram evidentes. O Criciúma tem recursos que sinalizam para uma boa campanha no campeonato. Começou o jogo com duas mudanças em relação as partidas iniciais e quem entrou teve bom desempenho. Cristóvão na lateral direita e Marcos Serrato no meio campo substituíram bem tanto Claudinho como Fellipe Matheus.   

O bom volume do primeiro tempo e as chances criadas e não convertidas em gol mostraram a necessita de um artilheiro que deve ser Caio Dantas que ainda está em recuperação de uma lesão e somente mais adiante é que terá condições de jogo.

Além do mais há que se discutir a condição física do plantel, pois a queda de intensidade no segundo tempo ficou clara nestes jogos iniciais do campeonato. 

O Criciúma poderia ter vencido com folga, mas sem qualidade nas finalizações deixou escapar uma vitória que ficou desenhada em todo primeiro tempo.


 

Por João Nassif 24/04/2022 - 15:12

O Criciúma fez um mau jogo contra o Sport, mas não condeno, pois jogou dentro de suas limitações. Limitações tanto técnica como físicas e não conseguiu apesar do apoio de uma imensa torcida encaixar a segunda vitória dentro de casa nos seus dois primeiros jogos.

O técnico Cláudio Tencati por sua vez, na entrevista pós-jogo frisou algumas questões pertinentes com o que pode se ver e entre outras explicações falou da falta de continuidade, pois foi apenas o quarto jogo a valer na temporada.

Tudo pode ser explicado no empate de sábado, o que não convence quem tem um mínimo de imparcialidade na análise foram as reclamações logo após o gol do Sport e depois do apito final.

O técnico usou a expressão: “O Vuaden, árbitro brincou” pela validação do gol do time pernambucano. Foi um lance absolutamente normal e explico.

O lance foi parado pelo fato do zagueiro do Criciúma Zé Marcos estar caído depois de um choque à frente da área. Bola ao chão.

O árbitro colocou a bola em jogo para o goleiro Gustavo e os jogadores adversários estavam fora do raio de ação do goleiro. Gustavo ao invés de isolar a bola por ter sofrido um assédio, tentou jogar e entregou a bola nos pés do jogador do Sport.

Depois houve alguns toques na bola, numa linha de passe, até o chute fatal.

Não compactuo com transferência de responsabilidade por um resultado negativo e muito menos buscar jogar a arbitragem contra a torcida. Jogadores no campo e técnico no vestiário.

Finalizando, o empate foi justo pelo andamento do jogo e mesmo perdendo os 100% dentro da casa, teremos ainda muitos jogos pela frente para o Criciúma mostrar seu potencial.
 
 

Por João Nassif 17/04/2022 - 11:24 Atualizado em 17/04/2022 - 11:27

Com a participação de vários campeões brasileiros o campeonato brasileiro da série B deste ano é chamada de melhor série B de todos os tempos.

Pode até que venha a ser, mas a amostra inicial não confirma esta previsão, haja vista a pobreza das duas primeiras rodadas.  

Somente o Bahia conseguiu duas vitórias, os demais campeões ainda não conseguiram mostrar força suficiente para que consigam alcançar o objetivo do acesso. Tudo bem, ainda é muito cedo, são apenas duas rodadas do total de 38, mas não deixa de ser motivo de preocupação para os que têm as maiores torcidas desta série.

O Sport com 04 pontos marcou apenas um gol nos dois primeiros jogos. O Cruzeiro perdeu a primeira e ganhou a segunda jogando no Mineirão. O Vasco que ainda não venceu acumula apenas 02 pontos com os 02 empates iniciais. O Grêmio que empatou a primeira fora de casa foi derrotado na Arena pela Chapecoense. Finalmente o Guarani entre os campeões brasileiros está na mesma situação do Grêmio com apenas 01 ponto em 02 jogos.

Mais que esta dificuldade dos favoritos para o acesso, a pobreza também fica estampada no número de gols marcados, apenas 22 em 18 jogos já realizados. Média ridícula de somente 1,22 gols/jogo. Não se surpreendam se times com menos visibilidade possam brigar em condições de sonhar com a acesso.

De maior série B de todos os tempos, pelo início poderemos estar vivendo uma das piores se não houver uma forte mudança da tendencia inicial que somente será possível com aumento de qualidade e times mais bem preparados.  
 

Por João Nassif 15/04/2022 - 00:08

A noite desta véspera da Paixão de Cristo foi memorável no Heriberto Hülse. Depois de mais de cinco meses de espera o Criciúma voltou ao seu habitat e empurrado por mais de 10 mil vozes conquistou uma vitória que pode ser o ponto de partida para o que virá pela frente nesta série B do campeonato brasileiro.

Foi um placar apertado, mas não houve maiores sobressaltos pelo bom comportamento do sistema defensivo que ajudado pela aplicação dos jogadores das linhas de frente impediu o Londrina de chegar ao empate na parte final quando o preparo físico cobrou a conta em razão do esforço dispendido na maior parte do jogo.

Como disse o técnico Cláudio Tencati o time ainda está na fase de construção com a chegada de reforços que apesar de estarem ambientados no clube ainda carecem de melhor preparo físico e tem também a questão do entrosamento. Foi o primeiro jogo depois dos dois pela Copa do Brasil e neste intervalo de tempo somente treinos e alguns poucos amistosos.

Valeu por ter sido uma noite memorável e muito também pela vitória, pois começar uma caminhada positiva em casa é um componente efetivo para projetar uma campanha digna depois de dois anos amargando uma terceira divisão.

Por João Nassif 10/04/2022 - 06:09

Não foi boa a amostragem do Criciúma às vésperas da estreia do campeonato brasileiro. O jogo foi de uma pobreza que não recomenda muito falatório sobre ele.

O Aimoré tem muito mais jogos que o Criciúma, pois há pouco terminou o campeonato gaúcho e mesmo assim não incomodou. Perdeu num gol contra de cabeça do zagueiro numa bola alta que saiu do campo do Criciúma. 

Pelas palavras do técnico Cláudio Tencati na coletiva pós jogo seu time está em construção com a chegada de reforços que atuaram ontem mesmo sem a melhor forma física e no seu entendimento há espaço para melhorar a produção. 

E tem que melhorar muito, pois ontem fez um jogo muito ruim, sem ideias apesar do muito tempo de trabalho, a falta de ritmo de jogo possa ter influenciado.

As reposições que permitiram a troca de todos os jogadores à exceção do goleiro mostraram apenas o Negueba como o único que produziu apesar de ter entrado no segundo tempo.

Não confirmado pelo técnico o time que começou o amistoso deverá ser o que irá para o jogo contra o Londrina na próxima quinta-feira. Pode ser que o Negueba seja a surpresa no ataque, apesar de ainda estar sem suas melhores condições físicas.

Enfim, foi o terceiro jogo do ano depois dos dois pela Copa do Brasil. Vou confiar no técnico que afirmou haver um crescimento com o andamento dos jogos.

O maior destaque, sem sombra de dúvida, foi a participação efetiva da torcida que mostrou sua força num simples amistoso deixando a certeza de que durante o campeonato o Heriberto Hülse deverá se tornar um verdadeiro caldeirão revivendo os melhores momentos da história vencedora do time. 

Por João Nassif 09/04/2022 - 09:35

Foi dada a largada para uma das maiores competições do planeta, o campeonato brasileiro. Não tenho nenhuma dúvida que a disputa com 124 clubes em quatro divisões que se interligam faz jus à expectativa que poderemos ter fortes emoções até novembro quando o campeonato terá seu fim.

Existem mazelas que afligem de há muito o futebol brasileiro como, por exemplo, o calendário sufocante, a falta de gestões profissionais que prejudicam os clubes em sua imensa maioria, as questões de arbitragem que não tem critério e um VAR extremamente protagonista. Enfim várias questões que não deixam esperança de alguma mudança em curto ou médio prazos para melhorar o nível do nosso futebol.

Mesmo assim as quatro divisões mostram em princípio um equilíbrio que deixa em aberto qualquer prognostico para o desfecho. Quem tiver mais elenco para suportar a maratona de jogos que virá pela frente deverá ter uma grande vantagem sobre seus concorrentes. 

O campeonato começou ontem com três jogos pela série B que se não servem para uma amostra em termos de futuro, pelo menos já deixaram rastros de preocupação, principalmente para os grandes clubes desta segunda divisão.

O Vasco da Gama que não subiu na última temporada começou com empate em São Januário. O Cruzeiro que há muito tempo não sabe o que é jogar a série A foi derrotado em Salvador por um Bahia que caiu e remodelado novamente busca o acesso. 

E o Brusque que as prévias indicam irá lutar contra o rebaixamento fez o dever de casa, fora de casa, derrotando o Guarani na Ressacada. O Criciúma irá estrear somente na próxima semana.

Hoje serão realizados mais quatro jogos pela série B e saberemos do potencial inicial de cada time. Também terão início a série A com três jogos e a C com as primeiras cinco partidas. 
 

Por João Nassif 02/04/2022 - 21:20

Campeonato brasileiro, Libertadores, Supercopa, campeonato carioca, o Flamengo vai acumulando derrotas que tocam fundo no emocional do torcedor e principalmente na grande imprensa tão zelosa na cobertura do clube.

A cada tropeço há um desespero pela lembrança do português Jorge Jesus que foi o comandante do time na grande campanha em 2019.

O crédito dado aos técnicos vencedores nas competições que citei é pequeno se comparado com o palavrório contundente quando o “Mister” vem ao debate. Qualquer técnico que é chamado para o comando do time sempre irá trabalhar pressionado pela imagem vencedora do primeiro português que mesmo fora continua embalando o sonho de milhares.

Enquanto o Flamengo e seus torcedores, principalmente os formadores de opinião deixarem o luto de lado e darem a que comanda a tranquilidade para trabalhar, certamente os resultados voltarão a ser positivos.

Toda esta viuvez reflete diretamente no desempenho dos jogadores que sabemos têm qualidade, mas ficam em dúvida se atendem ao técnico ou ao apelo das viúvas.

Por João Nassif 01/04/2022 - 21:51

Mal terminou o sorteio dos grupos da Copa do Mundo e começaram os debates, muito mais palpites, sobre qual grupo foi mais forte, o mais fraco, o equilibrado, enfim apenas especulações sobre o torneio que irá começar daqui a pouco mais de sete meses.

Aliás, os palpites começaram ainda em meio ao sorteio, também uma grande torcida para que as seleções mais fracas caíssem no grupo do Brasil. Faz parte.

Não critico, ainda mais por saber que os programas são de competência das emissoras e os profissionais estão ali para cumprimento das obrigações para com os editores e com a própria audiência, se é que alguém teve vontade para assistir o mesmo por tanto tempo.

As conclusões devem ter sido divergentes, afinal os debates dificilmente alcançam unanimidade, mas todos se esforçam para transmitir o melhor de suas intuições. Sim, intuições, pois não passam de palpites e um certo exercício de futurologia que serão ou não confirmados quando a bola começar a rolar para valer no dia 21 de novembro.

Não gosto de entrar nesta discussão, pois o que falamos muito tempo antes do início da Copa poderá ser desmentido quando os confrontos começarem, pelos exemplos vistos nas últimas Copas.

Em 2010 a Itália, então campeã mundial sucumbiu frente a Eslováquia na primeira fase. O mesmo aconteceu com a França eliminada pela derrota que sofreu para a África do Sul.

Em 2014 foi a vez da Espanha que era a campeã mundial e não passou da primeira fase sendo goleada pela Holanda por 5x1 e perdendo a classificação com a derrota para o Chile. Também na primeira fase foram desclassificadas Itália e Inglaterra. Tudo bem que era o grupo da morte, passando para as oitavas de final Uruguai e Costa Rica.

Em 2018 foi a vez da Alemanha que era campeã mundial ser eliminada na primeira fase no jogo em que foi derrotada pela Coréia do Sul.

Peguei os exemplos mais recentes, mas certamente outros poderiam ser citados, pois uma Copa do Mundo tem um alto grau de imprevisibilidade.

Então meus amigos, como não tenho bola se cristal e nenhuma vontade discutir resultados e classificação antes do início do torneio vou aguardar ansiosamente que este Mundial tenha qualidade e possa ser efetivamente uma grande festa do futebol.
   
 

Por João Nassif 23/03/2022 - 08:36 Atualizado em 23/03/2022 - 12:08

Marquinhos Gabriel é a maior contratação do Criciúma visando os desafios que o time terá pela frente.

Jogador de série A, com passagens por grandes times do futebol brasileiro, com 31 anos pode dar bom retorno ao investimento que o clube faz na esperança de formatar um time que possa fazer um campeonato brasileiro com qualidade.

Quando falo em investimento (não sei e nem me interessa quanto o clube pagará por sua contratação) quero me referir ao custo/benefício pela experiencia e quanto o Marquinhos poderá entregar na competição que terá pela frente.

O ambiente no Criciúma é outro se comparado com anos anteriores quando jogadores de referência foram contratados e não corresponderam ao que deles se esperava. São dezenas de casos que quando saíram voltaram a praticar um futebol de alto nível.

Com nova mentalidade e novo comando Marquinhos Gabriel poderá ser de grande utilidade se confirmar a qualidade de seu futebol.

É até agora a melhor contratação do Criciúma neste 2022.
 

Por João Nassif 19/03/2022 - 19:49

A Copa do Brasil começou com 80 clubes do total de 92, cujos 12 entrarão somente a partir da terceira fase com início previsto para segunda quinzena de abril. 

A primeira fase foi composta por 38 clubes da série D do campeonato brasileiro, o maior contingente. Os representantes da série A foram em número de 10, 16 da série B, 13 da série C e 03 clubes que não irão disputar o campeonato brasileiro em 2022, os chamados sem divisão.

A zebra andou galopando na primeira fase e clubes menores ranqueados nos critérios da CBF surpreenderam alguns do primeiro escalão do futebol brasileiro. Como exemplo o Mirassol da série C que eliminou o Grêmio que é da série A o pequeno Globo-RN, série D que tirou o Internacional da competição.

No total 15 clubes da série D conseguiram avançar no torneio. Também ultrapassaram a primeira fase 09 clubes da série A, 07 da série B, 07 da série C e somente 01, o Glória de Vacaria entre os sem divisão. 

Ainda está faltando o último classificado para a terceira fase que será decidida no meio da semana entre Vitória-BA da série C e o Glória. Sem saber o resultado deste confronto estão classificados para a terceira fase até agora 08 clubes da série A, 04 da série B, apenas 01 da série C e 06 da série D. 

Com o resultado deste último jogo teremos os 20 classificados para a terceira fase. Outros 12 das mais diversas competições nacionais de 2021 completarão os 32 que por sorteio irão decidir quem passará para as oitavas de final e assim sucessivamente até chegarmos ao campeão.

Só lembrando que a partir desta terceira fase os jogos serão disputados no modelo mata-mata. 
 

Por João Nassif 18/03/2022 - 08:30 Atualizado em 18/03/2022 - 09:28

A derrota deixou a boa impressão de que o Criciúma poderá fazer um campeonato brasileiro consistente e com boas perspectivas de pelo menos se fixar na parte de cima na classificação.

Enfrentou um time de série A, dentro de sua casa, empurrado por uma torcida apaixonada e vibrante e mesmo assim conseguiu fazer um ótimo primeiro tempo. Por detalhes não conseguiu os gols que poderiam garantir a vitória e um ótimo reforço para os cofres do clube.

Esses detalhes que citei são problemas que o Criciúma vem enfrentando ao longo dos últimos anos. A falta de um ataque goleador, tantas são as situações criadas e ontem pelo menos três claras que não foram aproveitadas.

Como alguns que se pronunciaram após o jogo, a falta de ritmo por ser apenas o segundo jogo de uma temporada que começou em janeiro e o preparo físico em razão do time apenas treinar neste espaço de tempo foram decisivos para a queda acentuada que aconteceu no segundo tempo do jogo.

Mesmo com a excelência da preparação física, sem disputar jogos dificilmente um time consegue manter um ritmo durante toda a partida. Foi o que aconteceu com o Criciúma em Goiânia.

De todo, podemos dizer que a derrota foi animadora, se é que existe derrota animadora, mas com mais algumas contratações o leque de opções aumentará e sob o bom comando do técnico Cláudio Tencati, as duas competições que virão poderão ser disputadas com o Criciúma assumindo um bom protagonismo.
 

Por João Nassif 06/03/2022 - 09:17

As palavras do diretor de futebol do Próspera, Nei Rama, foram certeiras quando ao final do jogo contra o Concórdia afirmou que o futebol fez sua parte, mas a estrutura foi precária e determinante para o rebaixamento.

Com poucos recursos o time formado apresentou bom rendimento durante o campeonato, vencendo três jogos contra equipes que brigarão pelo título e perdendo outros nos pequenos detalhes que fazem o futebol ser o único esporte que sugere o imponderável.

Destaco o jogo de estreia contra o Camboriú e a partida contra o Brusque, duas derrotas por 1x0. A primeira o desvio de um escanteio na primeira trave e a segunda num chute de longe quase no final depois de uma saída de bola errada.

A campanha dentro do contexto do clube foi extremamente prejudicada por uma falta total do planejamento administrativo que culminou com a queda para a série B quando faltavam pouco mais de 15 minutos para o encerramento da primeira fase do campeonato.

Começando pela demora e até agora sem solução do gramado do Mário Balsini, além de outras exigências impostas pelo regulamento que impediram o Próspera de atuar em seus domínios. 

Estas questões não foram solucionadas em mais de nove meses entre uma temporada e outra por falta de recursos que fez o time rodar quase cinco mil quilômetros pelo estado gerando desgaste nos atletas e a quase impossibilidade de treinamentos necessários para melhorar o time tecnicamente.

Para não me alongar em demasia, ficou claro e que sirva de aprendizado, a péssima estrutura foi um peso importante para o rebaixamento. Daqui a pouco tem a série D do campeonato brasileiro e se não houver um planejamento estrutural adequado às necessidades, de nada adiantará sonhar com uma campanha digna na competição.

Que o desabafo do Nei Rama seja bem entendido pela direção do Próspera.


 

Por João Nassif 28/02/2022 - 08:40

Nem preciso ficar repetindo o que todos já sabem sobre as ocorrências da última semana no futebol brasileiro. Agressões a delegações, ferimento em atletas, invasão de campo, sempre com a alegada paixão de torcedores que extrapolam o limite de sua competência na relação com o mundo do futebol.

Falei em torcedores? Não, não são, são pessoas degeneradas que alimentam suas frustrações através da agressividade que sabem será minimizada por quem deveria zelar pela boa conduta de uma sociedade. Vou inverter a pirâmide proclamada por quem tem o dever de definir o patamar em que o problema é colocado. 

Primeiro, o judiciário brasileiro que tem mostrado a cada dia a impunidade que faz com que haja cada vez mais um incentivo à barbárie e à corrupção. Raros são os casos de violência e agressão no futebol que gerem punição aos infratores.

Segundo, os organizadores das competições nacionais, CBF e Federações que quando punem o fazem abrindo brecha para recursos e outras chicanas jurídicas que também incentivam a repetição de atos agressivos contra os personagens do futebol, racismo inclusive.

Terceiro, nós da imprensa que incitamos a rivalidade entre os clubes e colocamos na bandeja a cabeça de técnicos e jogadores como se fossem peças descartáveis, sinalizando para todos que não merecem vestir a camisa de tal clube.

E por fim os próprios jogadores que não se mobilizam de maneira forte para exigir o máximo de segurança, pois são trabalhadores que mesmo diferenciados de muitos outros, por questão de mercado, teriam também que serem mais protegidos no exercício de suas atividades.

Há algum tempo foi criado o movimento chamado de Bom Senso, mas pela pouca adesão de jogadores e pelo repúdio dos dirigentes acabou sendo extinto. Outro Bom Senso e com mais união entre atletas poderia ser o início de uma escalada para colocar o futebol brasileiro livre de movimentos agressivos.

Leva tempo, mas a pirâmide poderia ser invertida e a retomada começaria pela base, os próprios jogadores.
 

Por João Nassif 26/02/2022 - 09:56

O técnico Cláudio Tencati falou na coletiva após jogo em Nova Iguaçu que enfrentaria em casa o vencedor entre Sousa e Goiás. Certamente falou na emoção da classificação, pois desde o sorteio realizado mês passado já se sabia que este jogo seria realizado fora do Heriberto Hülse.

Equívocos à parte, o técnico falou sobre a proposta do time e da avaliação que fez do desempenho para alcançar a segunda fase do torneio.

Como sempre lúcido em seus pronunciamentos destacou a falta de jogos que impediram um maior volume de jogo e mais posse de bola, ao mesmo tempo em que sentiu a falta de criação, certamente em função de ser o primeiro jogo oficial da temporada.

E disse mais, jogou com o regulamento que previa classificação em caso de empate. Concordo com ele, o importante era alcançar a segunda fase independente de jogar bem ou mal e agora aos poucos o time vai adquirindo o entrosamento necessário para que a prática do esquema que for definido poder resultar na busca de resultados com mais eficiência.

O Criciúma já tem garantido R$ 1,37 milhão por ter passado de fase na Copa do Brasil e na segunda fase irá jogar ou no Planalto Central ou no sertão paraibano para buscar mais R$ 1,9 milhão.
 

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito