Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
João Nassif
Por João Nassif 02/02/2019 - 21:21

Como o assunto nos últimos dias aqui no Almanaque da Bola tem sido a Copa do Brasil, vou contar algumas das curiosidades deste torneio que é a segunda competição mais importante do futebol brasileiro.

A primeira edição da Copa do Brasil ocorreu em 1989 e o primeiro gol de sua história foi marcado por Alcindo Sartori, na vitória por 2 a 0 do Flamengo sobre o Paysandu. O Grêmio foi o seu primeiro campeão, qualificando-se por isso a disputar a Libertadores da América de 1990.

Alcindo Sartori com seu filho, também jogador da base do Flamengo

Na Copa do Brasil de 1991, no dia 4 de março ocorreu a maior goleada da história da competição, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, quando o Atlético Mineiro aplicou 11 a 0 no Caiçara do Piauí. O placar do estádio só possuía espaço para registrar um algarismo por clube, por isso parou de contar quando jogo ainda estava 9 a 0. 

Na Copa do Brasil de Futebol de 1993, quando ainda não havia a regra da "ida e volta restrita", o Internacional ganhou por 6 a 0 (2 de abril) e 9 a 1 (6 de abril) do Ji-Paraná de Rondônia, somando 15 a 1, a maior soma de resultados da Copa do Brasil.

De 1989 a Copa do Brasil de 1993 o campeão de cada ano ficava com o troféu. A partir de 1994 o clube que vencesse a Copa do Brasil por três vezes teria posse definitiva da taça. Isto ocorreu em 2001 com o Grêmio (após as conquistas de 1994, 1997 e 2001).[11]

Sendo assim, em Copa do Brasil de 2002 foi colocado em disputa um novo troféu, que permaneceu até 2007, mesmo sem nenhum clube conquistar sua posse definitiva.

Ao conquistar a Copa do Brasil de 2003 e o Campeonato Brasileiro em 2003, o Cruzeiro conseguiu o ineditismo de se sagrar campeão brasileiro e da Copa do Brasil no mesmo ano, feito que ainda permanece inédito, e de quebra ganhou a Tríplice Coroa com o título do Campeonato Mineiro em 2003, outro ineditismo. 
 

João Nassif
Por João Nassif 02/02/2019 - 19:17Atualizado em 02/02/2019 - 19:20

Avaí e Criciúma que se enfrentarão domingo correm sérios riscos de terminarem a rodada 6 fora do G-4, atropelados por times do baixo clero que estão fazendo boas campanhas. Na hipótese de vitória do Marcílio Dias sobre o Metropolitano e do Brusque sobre o Tubarão, se houver um empate na Ressacada Marcílio dias e Brusque entrarão na zona de classificação desalojando o Avaí e deixando o Criciúma ainda mais da semifinal.

MARCA PASSO INICIAL
Alguns times entre os chamados grandes do futebol brasileiro começaram a temporada de forma a deixar dúvidas em relação ao futuro. Por causa de uma pré-temporada mais curta, sem tempo de uma preparação mais adequada, em alguns dos estaduais mais importantes do país vemos que times com potencial de título estão jogando muito abaixo da expectativa. São tidos como gigantes em seus estados e também no país, uns com grande potencial de investimento, outros nem tanto, mas com muitas boas histórias no futebol brasileiro.

PAULISTAS
O São Paulo que foi ao mercado com dinheiro da venda de alguns jogadores formados no próprio clube, investiu forte e ainda não conseguiu decolar no campeonato como era previsto. O Corinthians que trouxe de volta o técnico Fábio Carille é outro que fez boas contratações, mas ainda sofre com a falta de maior entrosamento e encaixe dos novos reforços. O primeiro está com apenas 50% e o segundo com 33% de aproveitamento.

CARIOCAS 
No Rio de Janeiro a decepção é o Botafogo que após quatro rodadas é o último colocado em seu grupo com apenas um ponto e sem mais chances de disputar as semifinais da Taça Guanabara. Tem que abrir os olhos pelo risco de rebaixamento.

GAÚCHOS
Em no Rio Grande do Sul a campanha do Internacional é mais que vexatória. Somente quatro pontos conquistados em quatro jogos colocou o time na sétima colocação numa tabela que classifica oito times para as disputas finais. Claro que a história na sua totalidade mostra que dificilmente um dos grandes gaúchos fiquem de fora dos mata-mata, mas começar desta forma um time que até quase o final brigou pelo título do brasileiro do ano passado é no mínimo preocupante.

REBAIXADOS
O campeonato cearense deste ano começou no dia 05 de janeiro e antes de terminar o mês dois clubes foram rebaixados. Na primeira fase oito clubes estavam envolvidos sem os que disputam a Copa do Nordeste e depois de sete rodadas Iguatu e Guarani de Juazeiro ficaram nas duas últimas posições e caíram para a série B. É fantástico o  futebol brasileiro com a CBF atendendo as Federações insistem num modelo de calendário que resulta em times profissionais modestos do interior do Brasil formar plantel para disputar uma competição oficial em menos de 30 dias. 

MEMÓRIA
02/02/2008 ¬– “E DÁ-LHE ÁGUA”

A chuva nesta semana, às vésperas do carnaval, além de prejudicar aqueles que procuram o litoral catarinense também atrapalha os planos das equipes que estão engalfinhadas no campeonato estadual e têm compromisso no domingo quando acontecerá a sexta rodada da competição. Os treinos e deslocamentos estão prejudicados e a própria presença de público nos estádios está comprometida. Mesmo que hoje haja uma melhora do tempo, de acordo com as previsões, os planos estão traçados e dificilmente haverá movimentação de torcedores para acompanhar seus times preferidos. 


 

João Nassif
Por João Nassif 01/02/2019 - 11:29

Hoje aqui no Almanaque da Bola vou contar um pouco da história da Copa do Brasil que teve sua primeira edição em 1989. 

A competição foi criada para aplacar o descontentamento das federações de estados com menor tradição no futebol nacional, cujos representantes dificilmente teriam a oportunidade de enfrentar um "clube grande" durante o ano, após a diminuição do número de participantes do Campeonato Brasileiro de Futebol de 1987, com a criação da Copa União, competição que reunia apenas grandes clubes do futebol brasileiro.

A criação dessa competição então, visava valorizar a maioria dos campeonatos estaduais das regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste, campeonatos estes que não tinham mais representatividade no Campeonato Brasileiro e voltaram a crescer em importância para os clubes médios e pequenos dessas regiões, por eles terem novamente chances até de chegarem, pelo menos teoricamente, à Copa Libertadores da América. 

O número de times participantes variou muito em sua história, sempre classificados pelo resultado das competições das federações estaduais. De 1989 a 1994 participaram 32 times.

Número que foi aumentado em 1995 para 36 times, em 1996 para 40 times, e em 1997 para 45 times. Em 1998 foram 42 times participantes. Em 1999 foram 65 times. E em 2000 foram 69 participantes.

De 2001 a 2012 o formato se consolidou com 64 times participantes, sem a presença dos times que participavam da Libertadores da América no mesmo ano, devido ao conflito de datas.

Troféu de 2014 - Cruzeiro campeão

Em 2013, a CBF apresentou um novo modelo de taça. Mais encorpada, ela substituiu o troféu em disputa desde 2008. O campeão fica com a posse definitiva do troféu atual e para o próximo ano uma nova e idêntica taça será produzida. Em 2013, também, o formato foi novamente ampliado, chegando a 87 times, número que se manteve em 2014 e 2015.

Com o novo formato, os times participantes da Libertadores da América voltaram disputar a Copa do Brasil, entrando no torneio nacional diretamente nas oitavas de final. A partir de 2016 esse número ficou em 86 participantes e a partir de 2017 está sendo disputada por 91 participantes.
 

João Nassif
Por João Nassif 01/02/2019 - 07:35

Quando se faz bem o dever de casa não há obrigação de vitória jogando fora de sua base. O Criciúma não conseguiu vencer o Brusque no Heriberto Hülse, aliás foi derrotado e assim terá obrigatoriamente que vencer domingo na Ressacada para não ver seus adversários escaparem na tabela de classificação. Tenho desde o início afirmado que o time do Doriva poderia perfeitamente passar a primeira fase dentro do G-4 e alcançar as semifinais, só que as três derrotas em cinco rodadas o colocam fora desta zona e ameaçado por outros com a mesma pontuação que estão atrás pelos critérios. 

VELOCIDADE  
Pode não parecer, mas o campeonato é muito rápido, foram cinco rodadas somente em janeiro e no dia 20 de fevereiro estará terminado o primeiro turno, intercalando com a estreia na Copa do Brasil. São jogos em cima de jogos com mudanças no time pelos mais variados motivos, lesões, suspensões, saídas que colocam em risco o alcance dos objetivos. Para atingi-los a reação do Criciúma terá que ser rápida.

REPETECO  
No tópico MEMÓRIA aí embaixo reproduzo minha coluna em A TRIBUNA em 2006 e podem perceber que tem alguma semelhança como o momento atual do Criciúma. Como existe um teto salarial incompatível com o futebol atual, gasta-se muito sem buscar soluções ao passo que investindo em menor quantidade, mas com qualidade alguns problemas seriam solucionados. Só lembrando que em 2006 o Criciúma não tinha dono.

JOGANDO PELO TROCO
Incrível, mas verdadeiro. O Flamengo tem levado ao Maracanã um público espetacular em seus jogos pelo campeonato carioca. Terça-feira contra o Boa Vista mais de 32 mil torcedores estiveram presentes e a renda que passou dos R$ 700 mil deixou para o rubro-negro um prejuízo de R$ 208 mil. Contra o Bangu na estreia com quase 44 mil pessoas e renda de mais de um milhão de reais o saldo positivo foi de apenas R$ 13 mil.

MAIS PREJUÍZOS
As altas taxas de custeio e operação do estádio impedem o Flamengo de alcançar os lucros compatíveis com a força de sua torcida. E pior, o contrato com a gestora do Maracanã tem vigência de dois anos e meio com a obrigação do time jogar por lá no mínimo 35 partidas por ano.

UTOPIA
A CBF está estudando implantar o fair play financeiro para clubes da série A a partir de 2020. Dificilmente irá conseguir, pois são tantos os que gastam mais do que arrecadam que se for realmente adotado alguns terão dificuldades em se manter na elite do futebol brasileiro. A cultura da grande maioria dos clubes é do calote, não pagar as compras que fazem, ficar inadimplente com salários e obrigações tributarias. E falta fiscalização, tanto do governo como de órgãos que impõe as regras do desporto. Sem chance do projeto ser implantado. 

MEMÓRIA
01/02/2006 – “ESTRATÉGIA”

No momento em que todos dentro do HH descobriram que falta um atacante estilo centro avante, aquele de presença na área, um verdadeiro matador, fico pensando no tempo e dinheiro perdidos pelo Criciúma ao longo dos últimos três anos, com dezenas de contratações inconsequentes que visaram apenas a possíveis negócios em detrimento do aspecto técnico, cujo índice baixíssimo jogou o time para o fundo do poço.

João Nassif
Por João Nassif 31/01/2019 - 11:29

Em 2019 será disputada a 31ª edição da Copa do Brasil que irá começar no dia 05 de fevereiro com 91 clubes com encerramento para o dia 11 de setembro.

São 20 datas disponíveis e o torneio terá oito fases, sendo que as duas primeiras serão em jogos únicos e o campeão estará classificado para a Copa Libertadores da América de 2020.

Santa Catarina terá sete representantes no torneio deste ano quatro classificados nas competições oficiais da Federação e três credenciados pelo Ranking Nacional de Clubes da CBF.

Pelas competições estaduais catarinenses estarão na Copa do Brasil de 2019 o Figueirense, campeão da série A em 2018, a Chapecoense vice-campeã, o Tubarão 3º colocado e o Brusque, campeão da Copa Santa Catarina, troféu Milioli Neto. Pelo Ranking mais três, o Avaí 21º colocado, o Criciúma 29º e o Joinville 39º.

São Raimundo-PA adversário do Criciúma na 1ª fase

Brusque e Joinville farão suas estreias no próximo dia 06, Figueirense, Chapecoense, Avaí e Criciúma no dia 13, o Tubarão no dia 14.

Entre todos somente Brusque e Tubarão é que jogarão a primeira fase como mandantes. Como as duas fases iniciais serão em jogos únicos, os visitantes jogarão pelo empate para chegar à fase seguinte. 

Só lembrando que Santa Catarina teve um único campeão da Copa do Brasil na história. O Criciúma ganhou o título na decisão contra o Grêmio com dois empates, 1x1 no Estádio Olímpico e 0x0 no Heriberto Hülse. 
 

João Nassif
Por João Nassif 31/01/2019 - 07:20

Jogou como nunca e perdeu como sempre. Ouvi de alguns mais ligados ao clube que o Criciúma fez um bom jogo e esbarrou no goleiro e nas traves e desta forma sofreu a segunda derrota dentro de casa no campeonato. O sucesso no futebol depende somente de gols, o mais é pura viagem para justificar os fracassos. Com a certeza da competência do técnico Doriva tenho projetado um time mais forte à medida do andamento do campeonato, mas se os resultados não são alcançados a pressão vai aumentando e o futuro fica incerto. 

SE NÃO CONTRATAR, JÁ ERA
Colocar na arbitragem e no dilúvio a derrota em Chapecó, nas traves e no goleiro a derrota para o Brusque são desculpas que não condizem com o futebol que o Criciúma vem apresentando. No início vi no Doriva um técnico capaz de fazer um time limitado jogar um futebol de bom nível, mas me rendo que se não houver investimento não haverá milagre. Ou abre o presidente abre o cofre ou já era também em 2019.  

SOLTARAM A ZEBRA
A quinta rodada foi recheada de surpresas, os grandes do estado foram surpreendidos pelo baixo clero em quatro jogos que apresentaram escores impensáveis. Empate da Chapecoense com o Tubarão e do líder Figueirense em casa como o Metropolitano que até então não havia marcado um gol sequer, vitória do Marcílio Dias sobre o Avaí e do Brusque em Criciúma. 

100%
Somente dois times estão com aproveitamento total nos principais campeonatos do país. Se me permitem, listo cinco competições da mais alta importância no futebol brasileiro, os campeonatos paulista, carioca, mineiro e gaúcho e podem discutir o catarinense, afinal estamos por aqui e são cinco candidatos ao título que o fazem ser uma competição do maior equilíbrio. Os times com 100% de aproveitamento são o Vasco da Gama com quatro vitórias em quatro jogos no carioca e o Santos em São Paulo. O Santos está com três vitórias em seus três primeiros jogos e hoje irá enfrentar o Bragantino para igualar a marca time vascaíno. O Figueirense perdeu o rendimento total ao empatar com o Metropolitano dentro do Scarpelli. No empate em 1x1 o time de Blumenau fez na quinta rodada seu primeiro gol no campeonato.

O SUPER HERÓI
Os exames feitos no jogador Neymar confirmaram a gravidade de sua lesão que o afastará dos gramados por pelo menos 10 semanas. O Tite deve ter ficado descabelado com o tamanho do desfalque que sofrerá a seleção brasileira. Mas, o atleta está conformado e postou uma mensagem dizendo que parece filme de Super Herói. Começa dando errado, aí vem o final que mostra quando se luta por seus objetivos vem a vitória. 

MEMÓRIA
31/01/2003

Não é muito correto, mas a cada jogo do Criciúma lembramos do passado recente quando o time correspondia, a direção respaldava e o comando do grupo era muito forte. Agora a diretoria respalda, o comando não é firme e o time não corresponde. Comando ou time, onde está a diferença? O time é o mesmo, até reforçado, então penso que o comando é que está fazendo a diferença. Não adianta ter os melhores profissionais se o comandante não consegue trazê-los para si. Em qualquer segmento, seja na loja, na fábrica, na rádio ou no jornal, sem uma voz competente as equipes não produzem. Infelizmente hoje, o Criciúma não tem esta voz forte e por isso está em situação delicada num campeonato.

João Nassif
Por João Nassif 30/01/2019 - 12:00

O Troféu Bravo  é uma premiação anual entregue pela revista italiana Guerin Sportivo ao melhor jogador jovem da Europa.

O prêmio começou a ser entregue em 1978, e o primeiro vencedor foi o inglês Jimmy Case. Até 1992, apenas jogadores abaixo de 23 anos que participassem de uma das três copas europeias de clubes (Liga dos Campeões da UEFA, Copa da UEFA, Taça dos Clubes Vencedores de Taças) concorriam ao prêmio. Desde então, qualquer jogador abaixo de 21 anos e de qualquer liga europeia concorre ao prêmio.

O Golden Boy é uma premiação anual entregue pelo jornal italiano Tuttosport desde 2003, destinada ao melhor jogador com idade abaixo de 21 anos atuando na Europa. É similar ao Trofeo Bravo, entregue pela Guerin Sportivo, porém o Golden Boy foi fundado mais recentemente. 

Poucos brasileiros foram escolhidos nas duas premiações. Primeiro foi Ronaldo Fenômeno que ganhou por duas vezes consecutivas o Troféu Bravo. A primeira foi aos 21 anos em 1997 quando atuava pelo Barcelona e a segunda quando defendia e Internazionale de Milão.

Anderson e o Troféu Golden Boy

Pelo troféu Golden Boy foram contemplados outros dois brasileiros. Com 20 anos o meia Anderson, revelado pelo Grêmio ganhou o troféu quando jogava pelo Manchester United da Inglaterra.

Alexandre Pato foi o Golden Boy de 2009 atuando pelo Milan da Itália.
 

João Nassif
Por João Nassif 30/01/2019 - 07:39

Nos últimos anos o público tem sido muito pequeno nas partidas disputadas em casa pelo Criciúma. Como o time não tem correspondido às ansiedades de seus torcedores a tendência é que cada vez mais fica difícil aumentar a média que hoje gira em torno de 3 mil pessoas por jogo. Pouco para quem já teve quase 15 mil sócios e já alcançou a média de 10 mil por partida. Como a direção do clube não investe para montar times competitivos o torcedor não aparece, se brigar por títulos e acessos a casa voltará a encher. 

APELOS
Mesmo com vários tipos de promoções que já foram feitas, até troca de chopp por ingresso, sem time não tem torcida. Até parece que os dirigentes não enxergam o obvio. Mas, fazer o que? O clube tem um dono que teima em determinar um teto salarial que hoje é incompatível com qualidade, por isso o time vai vivendo de lampejos e sofrendo para vencer qualquer adversário mesmo quando joga em casa. E não adianta falar.

MATADOR
Se falarmos em Hélio Alves da Silva Júnior poucos ou ninguém saberá que é. Agora se falarmos em Hélio Paraíba certamente quem acompanha o futebol catarinense dirá que é o artilheiro do campeonato estadual com quatro gols marcados em quatro jogos jogando com a camisa do Brusque adversário do Criciúma hoje à noite no Heriberto Hülse. O atacante veio para o Criciúma depois de se destacar pelo Guarani da Palhoça no estadual de 2016. Ficou por aqui até o primeiro semestre de 2017, fez um total de 20 jogos e marcou apenas cinco gols. Pelo momento que vive terá que ser muito bem cuidado pela defesa do Criciúma. 

TREM DA ALEGRIA
Desfrutando as benesses do poder e com o argumento de observar jogadores a cúpula da comissão técnica da seleção brasileira está na Europa e na agenda o acompanhamento de vários jogos das mais diversas Ligas. Foram anunciados os jogos que terão os olhos do técnico Tite e seus auxiliares. Os jogadores que irão ver são todos conhecidos e já convocados, inclusive vários titulares. Enquanto isso o futuro do futebol brasileiro está empenhado no sul-americano sub-20 e ninguém do staff principal da CBF está presente. Afinal, ninguém é de ferro, se posso viajar para a Europa às custas da CBF, que se dane os garotos, o Chile não tem o mesmo glamour.

COINCIDÊNCIA
Os dois finalistas da Copa da Ásia que está sendo disputada nos Emirados Árabes Unidos estarão, como convidados, presentes no Brasil em junho para a disputa da Copa América. Japão e Qatar são os finalistas, o primeiro já venceu quatro vezes o torneio, enquanto o segundo disputará a decisão pela primeira vez. A final será no sábado e será interessante observarmos o que os dois poderão apresentar na competição sul-americana.

MEMÓRIA
30/01/2010 – “DECISÃO INDIGESTA”

O Criciúma foi à Jaraguá para sua primeira decisão na temporada. Ocupa com o Juventus a última posição na classificação do campeonato e está no penúltimo lugar apenas pelos critérios de desempate. As duas equipes conquistaram apenas um ponto em 12 disputados. Finalmente nesta quinta rodada posso dizer que o Criciúma é favorito para vencer uma partida no estadual. Mesmo com seu baixo rendimento o Criciúma deverá vencer o jogo, pois duvido que seja pior que o Juventus. Além de tudo tem a hierarquia no futebol catarinense. Claro que história não ganha jogo, mas convenhamos a distância é enorme.

João Nassif
Por João Nassif 29/01/2019 - 11:29

Falando um pouco mais de Mário Filho, jornalista e escritor, irmão do também escritor e jornalista Nelson Rodrigues, foi na literatura esportiva que Mário se tornou referência nacional.

São seis obras publicadas tendo como tema futebol e a maior delas foi “O negro no futebol brasileiro” em que Mário Filho aborda a dificuldade da inserção do negro neste esporte que durante os primeiros anos do século passado era praticado somente por brancos e mais, das famílias tradicionais do Rio de Janeiro.

Por ser um cronista dos principais jornais da então Capital Federal, o foco de sua grande obra foi abordando os negros do futebol carioca.

Mário Filho faz uma descrição minuciosa abordando jogadores em particular, até que o futebol passou a ser um esporte de alta competição e a inserção do negro em seu meio foi inevitável.

Muitos clubes resistiram, outros preferiram encerrar as atividades, mas a força dos negros acabou prevalecendo e alguns se tornaram os maiores craques do futebol brasileiro. 

Pelé em família

Numa passagem do livro, já analisando a participação dos negros na seleção brasileira e por times de outros estados que fizeram história, Mário Filho cunhou uma frase sobre o maior jogador de futebol de todos os tempos. “Dondinho era preto, preta dona Celeste, preta vovó Ambrosina, preto o tio Jorge, pretos Zoca e Maria Lúcia. Como se envergonhar da cor dos pais, da avó que lhe ensinara a rezar, do bom tio Jorge que pegava o ordenado e entregava-o à irmã para inteirar as despesas da casa, dos irmãos que tinha de proteger? A cor dele era igual. Tinha de ser preto. Se não fosse preto não seria Pelé”
 

João Nassif
Por João Nassif 29/01/2019 - 07:48

Recebemos no Debate Aberto de ontem na Som Maior o Diretor Comercial e de Marketing do Criciúma, Júlio Remor. Adiantou o novo plano para captação de sócios com a campanha “Juntos com alma, garra e coração”. É mais uma entre tantas tentativas do clube em aumentar seu quadro associativo hoje em torno 3,1 sócios. É uma boa iniciativa, mas se não for feito um time competitivo que traga o torcedor de volta de nada adiantará somente a boa vontade. Time forte é melhor que qualquer iniciativa de marketing.  

CLUBE FORMADOR
Meu amigo Plácido fica indignado quando ouve que as crias talentosas do Criciúma são emprestadas ou vendidas para clubes grandes do país. Entendo a indignação, mas não concordo. O Criciúma tem a missão de revelar e repassar estes jogadores como forma de conseguir recursos para ir se equilibrando na sua trajetória pelo futebol brasileiro. A questão é saber como repor, não somente vender o que tem no momento, mas ir revelando novos atletas para manter um padrão que faça girar com sucesso a engrenagem do mercado.

GANGORRA DA RIVALIDADE
Com dois times na série “A” do campeonato catarinense Tubarão já desde o ano passado vive um forte clima de rivalidade entre seus dois representantes na competição. Em 2018 o Tubarão começou mal o campeonato, mas reagiu e conseguiu ao final ficar na terceira colocação. Em contrapartida o Hercílio Luz ficou o tempo todo rondando a zona de rebaixamento e terminou uma posição acima escapando pelo melhor saldo de gols que o Internacional de Lages que foi rebaixado.
Este ano o Hercílio começou melhor, está colado no G-4 enquanto o Tubarão é o lanterna depois de quatro rodadas.

PURA DEMAGOGIA 
Quando soube da possível nova cirurgia que será feita no pé direito de Neymar, o mesmo fraturado meses antes do Mundial na Rússia, o técnico Tite não perdeu a oportunidade de mais uma vez proferir frases de efeito, aproveitando que o jogador é referência na seleção e também na mídia mundial. “Neymar não vai pagar o preço por causa da saúde. Perco meu emprego, mas não vou carregar essa responsabilidade de convoca-lo”. Mas, Cristo, já viram algum treinador convocar jogador machucado, ainda mais para jogos amistosos. Os franceses não entendem a demagogia e da embromação do treinador brasileiro.

PEITO ESTUFADO
O Vitória da Bahia acabou de vender para o alemão Hoffenheim o zagueiro Lucas Ribeiro de apenas 20 anos. O jogador fez apenas 16 jogos pelo time principal do clube baiano e vai imediatamente para a Bundesliga. O contrato tem um termo de confidencialidade e não permite a divulgação do valor recebido pelo Vitória que afirma ser a maior venda da História do futebol nordestino. 

MEMÓRIA
29/01/2009 – “LUZ AMARELA”

A CBF divulgou ontem em seu site os estádios que receberão jogos da Copa do Brasil e que ainda não foram aprovados pela vistoria feita pela entidade. O Heriberto Hülse é um deles. De acordo com o site, até as 18 horas de terça-feira faltavam os laudos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Para que as equipes não fiquem impedidas de jogar em casa todos terão que estar em ordem até amanhã no final da tarde. O estádio do Tupi, adversário do Criciúma na primeira fase da competição também tem pendências da PM e da Vigilância Sanitária. A promessa é que ainda hoje o Criciúma obterá os laudos para aprovação do HH.

João Nassif
Por João Nassif 28/01/2019 - 14:05

Aqui no Almanaque da Bola tenho falado bastante sobre seleções, clubes, campeonatos, jogadores, enfim do futebol brasileiro e internacional. Às vezes abordo outros esportes com suas competições e destaques.

Hoje e nos próximos dias vou fazer no Almanaque uma reverencia a um dos ícones do jornalismo esportivo brasileiro. Falo de Mário Filho, pernambucano que fez toda sua carreira no Rio de Janeiro e publicou várias obras sobre o futebol brasileiro tendo em “O negro no futebol brasileiro” sua obra mais impactante.

Mário Filho

Mário Filho é irmão de Nelson Rodrigues outra figura relevante do jornalismo brasileiro que foi durante décadas consumido por milhares de leitores esparramados por todo país.

Neste primeiro Almanaque sobre Mário Filho vou destacar duas ações emblemáticas que até hoje são lembradas, uma foi apoiar a expressão Fla-Flu que abrevia o um dos maiores clássicos do futebol brasileiro entre Flamengo e Fluminense. Outra foi lutar em suas colunas contra o então vereador Carlos Lacerda para que o estádio que abrigou a Copa de 1950 fosse construído no bairro do Maracanã. Carlos Lacerda queria o estádio em Jacarepaguá e Mário conseguiu convencer a opinião pública para que o novo estádio fosse construído no terreno do antigo Derby Clube, no bairro do Maracanã e que este estádio fosse o maior do mundo.

Após seu falecimento em 1966 aos 58 anos o antigo Estádio Municipal do Maracanã ganhou o nome de Estádio Jornalista Mário Filho.

Amanhã mais de Mário Filho e sua importância na popularização do futebol no Rio de Janeiro e no Brasil.    
 

João Nassif
Por João Nassif 28/01/2019 - 12:01

Thiago Ávila *

Voltamos para o último final de semana de janeiro com mais uma etapa da Formula-E, a principal categoria de carros elétricos, a que mais cresce no mundo e, talvez, a mais competitiva, já que praticamente todos os carros tem condições bem parelhas para disputar uma vitória.

Dessa vez chegamos a Santiago, no Chile. Um dos traçados mais complicados de se guiar, com duas curvas muito fechadas “à lá Canadá” e uma chicane, nas curvas 9 e 10, tão estreita que não passa mais de um carro. Nos treinos livres, muita gente acertou o muro, mas já na classificação, zero acidentes.

Depois de mais de um ano, o brasileiro Lucas Di Grassi voltou a fazer uma pole position, seguido de Buemi, Pascal Wehrlein – fazendo a segunda corrida na categoria – Daniel Abt e Sam Bird, fechando o top-5. Já os líderes do campeonato e grandes favoritos ao título, Jean-Éric Vergne, António Félix da Costa e Jerome d’Ambrosio, mal chegaram aos dez primeiros.

Horas antes da corrida começar, a FIA informou que Lucas havia perdido a pole position por infringir uma regra nova ainda na primeira parte do treino. De acordo com o regulamento, o piloto, em sua volta aos boxes, deve usar o sistema de recuperação de energia da mesma proporção que em suas voltas rápidas. “Uma regra estúpida”, segundo o brasileiro, que foi obrigado a largar em último.

Na largada, Bird passa Abt e fica atrás apenas de Wehrlein e Buemi. Por incrível que pareça, os carros alinhados conseguem passar ileso pela chicane, um piloto com um pouco menos experiente – ou um Pastor Maldonado – já teria acertado o muro e feito uma fila de vítimas. Na terceira volta, Wehrlein sai um pouco do traçado e pega o modo ataque – que dá um pouco mais de potência ao carro – e acaba perdendo posição para Bird.

A corrida é marcada também por diversos acidentes, envolvendo principalmente pilotos mais “tiozões” na categoria, como Vergne, Di Grassi e Félix da Costa, o que trouxe diversas vezes a bandeira amarela em toda a pista. Na frente Buemi liderava, com Bird e Wehrlein colados atrás. Há quinze minutos do fim, após conseguir passar pela chicane, o suíço encontra o muro, perde o bico e a proteção das rodas. A volta às vitórias desde 2017 do piloto da Nissan vai por água abaixo.

Sem Buemi, sobrara apenas o “passarinho” e Pascal Wehrlein. E logo depois que a relargada é liberada o alemão da Mahindra pega o modo ataque e parte para cima do inglês. Faltando três minutos para o fim a diferença dos dois é quase nula. Ao final do modo ataque, o trem de força da Audi falou mais alto e mesmo com menos bateria que o adversário, Sam Bird levou a vitória.

Com 43 pontos, o inglês pula para a liderança do campeonato, dois pontos na frente de d’Ambrosio, que é seguido por Félix da Costa, Vergne e Robin Frinjs, empatados com 28. Na classificação das equipes, a Virgin, equipe de Bird, assume a ponta com 72 pontos, seguido da Mahindra com 59 e a Techeetah com 47. A Formula-E volta dia 16 de fevereiro na Cidade do México.

* Estudante de jornalismo da PUC-RS


 

João Nassif
Por João Nassif 28/01/2019 - 07:50Atualizado em 28/01/2019 - 12:25

Mais transpiração e menos inspiração, foi o que se viu ontem no Heriberto Hülse no jogo em que o Criciúma penou para derrotar o lanterna Tubarão que em quatro jogos conquistou apenas um misero pontinho. O Criciúma ainda não esqueceu a receita do Mazola Júnior e novamente ficou levantando bolas na área e mais uma vez sem qualquer aproveitamento. Quando cruzou por baixo surgiu o gol da vitória. O repertorio terá que ser incrementado para evitar tanto sofrimento, principalmente nos jogos dentro de casa.

MANTENDO POSIÇÃO
O campeonato ainda está muito equilibrado, são apenas quatro rodadas e os times ainda estão na busca do ajuste definitivo para as 14 rodadas que ainda faltam para terminar a fase de classificação. O Criciúma mantém a quarta posição e terá no meio de semana outro jogo em casa e poderá subir uma posição desde que o Avaí não vença o Marcílio Dias em Itajaí. Como venho afirmando o importante é não ficar para trás na tabela e aos poucos o Doriva ir colocando os reforços e acertando seu esquema no formato ideal para conseguir ao final brigar pelo título.

QUEM SEGURA?
O Figueirense, atual campeão catarinense está fazendo um início de campeonato espetacular com quatro vitórias sendo o único time com 100% de aproveitamento. Já derrotou dois dos sempre favoritos ao título, Criciúma fora de casa e ontem o Avaí no Scarpelli, mostrando autoridade e o trabalho competente do técnico Hemerson Maria. Está recheado de garotos da base e tem reforços que ainda não adquiriram condições de jogo. Segue forte na busca do bicampeonato.

SIMPLES ASSIM
Empatar na estreia contra o Joinville, mesmo jogando em casa, conquistar outro empate em Tubarão com o Hercílio Luz que faz boa campanha neste início de campeonato e ser derrotado pelo Figueirense jogando no Augusto Bauer foi o suficiente para que o técnico Paulo Baier fosse demitido do comando do Brusque. Se olharmos apenas a campanha veremos que não foi de toda mal, o time tecnicamente é limitado, mas a ânsia por resultados faz com que os dirigentes optem pelo mais fácil. Pena que ainda no início de nova carreira Paulo Baier, campeão da série C com o Próspera seja vítima do futebol de resultados que impera no futebol brasileiro.

FILIAL
Tudo indica que o Fluminense irá se tornar nesta temporada um “puxadinho” do Criciúma. É força de expressão, mas por lá já estão o lateral Marlon e o volante Douglas Moreira, além do zagueiro Matheus Ferraz, importantíssimo na campanha do acesso em 2012. O próximo que deverá se encaminhar para as Laranjeiras é o zagueiro Nino par completar o setor defensivo do time treinado pelo Fernando Diniz. Tem torcedor do Fluminense aqui em Criciúma preocupado com o futuro do time na temporada.  

MEMÓRIA
28/01/2008 – “PREDOMÍNIO DA JUVENTUDE”

Mateus, Uendel, Jean Coral e agora o Jael e o Patrick representam o futuro e fazem do presente a base para este começo fulminante no campeonato catarinense. Claro que a segurança do Zé Carlos, a experiência dos zagueiros, a combatividade do volante Basílio e qualidade do atacante Beto são o suporte ideal para que os garotos possam desenvolver todo seu potencial. E o Leandro Machado trabalha bem a garotada.

João Nassif
Por João Nassif 28/01/2019 - 05:40

Dr. Luiz Carlos Custódio Fontana *

Não são raras as notícias de pessoas que sofreram desde lesões osteomusculares até morte súbita ao praticarem exercícios sem avaliação e orientações adequadas. Estas situações trazem à tona a importância do auxílio de um médico especializado. 

Para alertar a população com relação a necessidade por um médico do esporte antes de inserir o exercício físico em sua rotina, foi criada a campanha do Janeiro Dourado - Porque sua vida vale Ouro. O mês para a conscientização da saúde do esportista.

O objetivo da campanha é promover o conhecimento e divulgar informação sobre os benefícios alcancados com hábitos mais saudáveis, além de esclarecer sobre o papel da Medicina Esportiva e do Médico do Esporte na rotina do praticante de atividade física.

Foi escolhido o mês de Janeiro porque é o mês em que a população em geral inicia o ano com a promessa de cuidar melhor da saúde e inserir a prática de exercício físico à sua rotina. O Dourado arremete à medalha de ouro nos esportes. Não buscamos medalhistas de ouro, mas pessoas que valorizem a própria vida, pois ela vale mais que ouro.
 

* Médico do Esporte
luizcarlosfontana@hotmail.com 
@luizcarlosfontana

 

João Nassif
Por João Nassif 27/01/2019 - 22:15

A Copa Roca foi instituída em 1914 para que as seleções brasileira e argentina pudessem se enfrentar amistosamente. No dia 27 de setembro as duas seleções se enfrentaram em Buenos Aires no Estádio do Gymnasia y Esgrima com vitória brasileira por 1x0.

Este jogo marcou o início de uma rivalidade que existe até hoje e os confrontos atuais são denominados Superclássico das Américas.

Seleção brasileira vencedora da 1ª Copa Roca

A Copa Roca levou este nome em homenagem ao presidente da Argentina em 1914, Júlio Argentino Roca. A Copa Roca foi disputada até 1976.

Depois de 35 anos o torneio foi ressuscitado com o nome de Superclássico das Américas ou Troféu Dr. Nicolás Leoz, então presidente da CONMEBOL, a Confederação Sul-Americana de Futebol.  

Na última Copa Roca em 1976 a seleção brasileira levou vantagem depois de dois jogos, vencendo o primeiro no Monumental de Nuñez em Buenos Aires por 2x1 e o segundo no Maracanã por 2x0.

O primeiro Superclássico das Américas disputado em 2011 também foi vencido pela seleção brasileira que empatou por 0x0 em Córdoba e derrotou os argentinos por 2x0 em Belém do Pará. 
 

João Nassif
Por João Nassif 26/01/2019 - 11:04

Antes da primeira edição oficial da Copa Libertadores, realizada em 1960, a CONMEBOL organizou um campeonato experimental sul-americano de clubes em 1948.

Para definir qual seria o representante brasileiro neste torneio piloto a CBD escolheu o Vasco da Gama, campeão carioca de 1947 em razão da Seleção Carioca ter sido campeã do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais de 1946.

Então em 1960 a Confederação Sul-Americana de Futebol iniciou a Copa Libertadores e o Bahia foi o primeiro representante brasileiro no torneio. O time baiano havia vencido a Taça Brasil de 1959.

Somente na edição de 1970 o Brasil não teve representante na Copa Libertadores. 

O motivo alegado pela CBD foi sua discordância com o regulamento que previa datas conflitantes com a preparação da seleção brasileira para o Mundial do México. Até que a CBD tentou, mas como a CONMEBOL não alterou a tabela de jogos o Brasil ficou sem disputar a Copa Libertadores de 1970.

Hoje são oito clubes brasileiros que disputarão o torneio em 2019. Três clubes detém o recorde de participações na Libertadores. Grêmio, Palmeiras e São Paulo já estiveram presentes em 19 edições do torneio.

Grêmio, Santos e São Paulo com três títulos cada um são os brasileiros que mais vezes venceram a Copa Libertadores.
 

João Nassif
Por João Nassif 26/01/2019 - 08:05

Com a saída do patrocínio da Caixa Econômica Federal o Criciúma tenta repor a perda de R$ 1,8 milhão/ano com o loteamento em vários espaços de sua camisa oficial. Entre várias empresas da região que já fecharam a parceria ou estão com negociações em andamento haverá esta possibilidade. Conseguindo uns cinco ou seis patrocinadores possivelmente o valor pagado pela Caixa poderá ser recuperado. Enquanto isso não acontece a empresa do presidente que estampa a marca na frente da camisa continuará bancando o que falta para cobrir o orçamento anual.  

SEM SUSTOS
Até que se mostre diferente estou convicto que o Criciúma fará um campeonato estadual completamente diferente da temporada passada. Se até quase o final correu riscos de rebaixamento em 2018, este ano mesmo com uma pontuação baixa depois de três rodadas o que tenho visto indica que o time pode evoluir e alcançar no mínimo a quarta posição na última rodada que lhe dará direito de disputar a semifinal.  

LUZ AMARELA
Acendeu o alerta no Tubarão em razão do mau início de campeonato. Sem vitórias nas três primeiras rodadas, inclusive a derrota contra o Marcílio Dias em casa que colocou o time na lanterna, mesma situação de 2018 quando perdeu os três primeiros jogos. No campeonato do ano passado o Tubarão teve uma reação fulminante e terminou em terceiro na classificação geral. A reação começou na quarta rodada quando coincidentemente enfrentou o Criciúma e venceu por 3x0. Só que desta vez o jogo será no Heriberto Hülse e a possibilidade do Tubarão vencer é bem menor.

GESTÃO
Desde o início de 2018 o futebol do Tubarão é administrado por uma empresa que tem como objetivo principal colocar o time na série B do campeonato brasileiro em 2025. O desempenho do time no primeiro ano foi espetacular, além do terceiro lugar no campeonato estadual, chegou à segunda fase da Copa do Brasil sendo eliminado num jogo histórico contra o então Atlético Paranaense e avançou até a terceira fase da série D do brasileiro. A gestão é firme, resta saber se terá como repetir a temporada de estreia. 
   
BARBADA
O sorteio dos grupos da Copa América até pareceu que foi direcionado para que a seleção brasileira não corresse nenhum risco na primeira fase. Os jogos contra Bolívia, Venezuela e Peru servirão apenas como testes para encarar a partir das quartas de final adversários mais exigentes. 

TABELA
Apenas um dos cinco jogos da 4ª rodada colocará frente a frente times do G-4, o clássico Figueirense e Avaí. Outro jogo interessante será em Joinville, o time da casa que ainda não venceu, apenas empatou seus três jogos e está em terceiro irá enfrentar a Chapecoense. São como que confrontos diretos ainda no princípio do campeonato, por isso o Criciúma fica na obrigação de vencer em casa para não deixar o pelotão da frente abrir grande vantagem na classificação. 

MEMÓRIA
26/01/2005 – “FOCO”

Ainda não está esclarecida a questão Douglas/futebol turco. Faz mais de um mês que a negociação foi anunciada e até agora nada. As alegações vão desde o desencontro financeiro até o excesso de jogadores não comunitários no time turco. O certo é que a cabeça do jogador deve estar embaralhada e por isso o técnico não o confirma como titular. Saulo, seu substituto tem bom ritmo, mas pela esquerda entorta um pouco. Melhor acertarem logo a vida do Douglas.
 

João Nassif
Por João Nassif 25/01/2019 - 17:30

As cinco primeiras Copas do Mundo não possuíam um regulamento fixo, a FIFA juntamente com as delegações participantes decidia às vésperas do torneio como seria o regulamento. 

Isto devido a muitas ausências, algumas seleções confirmavam presença depois de passar pelas eliminatórias e não possuíam recursos para viajar. Outras se ausentavam por questões políticas e assim não havia como programar as competições num formato único.

A partir de 1958 definiu-se um modelo que foi seguido nas Copas seguintes. Participavam da fase final da Copa 16 seleções que eram divididas em quatro grupos de quatro. 

Os dois primeiros se classificavam para as quartas de final e no sistema mata-mata apurava-se o campeão. Este sistema permaneceu até 1970 com o Brasil vencendo três das quatro Copas disputadas.

Em 1974, na Copa da Alemanha, continuavam 16 seleções divididas em quatro grupos de quatro, só que ao invés de jogos eliminatórios entre as classificadas foram formados dois grupos de quatro com o campeão de cada grupo disputando a final. Este formato foi repetido na Copa da Argentina em 1978.

Com o aumento do número de seleções o regulamento do Mundial foi sendo modificado a partir de 1982. De lá até agora a FIFA foi adaptando o regulamento para conseguir realizar o torneio num espaço de 30 dias, tempo máximo para sua realização. 
 

João Nassif
Por João Nassif 25/01/2019 - 11:43Atualizado em 25/01/2019 - 12:12

Luiz Carlos Custódio Fontana * 

As pessoas começam a fumar sem reconhecer seus efeitos prejudiciais e geralmente inicia-se durante a adolescência. Em geral 3 razões explicam por que os jovens começam a fumar:

1) Pressão exercida pelos companheiros;
2) Desejo de parecer “adulto”;
3) Oposição contra a autoridade.

A fumaça do tabaco possui mais de 1200 substâncias químicas tóxicas. Poucos segundos após a inalação, a nicotina afeta o sistema nervoso central, agindo simultaneamente como tranquilizante e estimulante (provoca substancial dependência fisiológica e psicológica). A dependência fisiológica da nicotina é 6 a 8 vezes mais viciante do que o álcool etílico. A dependência psicológica instala-se durante um tempo maior e está associada a atividades calmantes e agradáveis, tais como beber café, álcool...

Existem poucas pesquisas relacionando o tabagismo com o desempenho de exercícios. Fumantes crônicos tendem a apresentar estilos de vida mais sedentários e ter níveis de aptidão físicas menores. Não se sabe o motivo, mas o fumo aumenta a dependência dos carboidratos para geração de energia. Também apresentam menor função pulmonar dinâmica, podendo se manifestar como doença pulmonar obstrutiva crônica.

Em adolescentes o uso crônico obstrui as vias respiratórias e diminui o desenvolvimento da função pulmonar normal. Crianças que fumam apresentam taxas mais elevadas de asma e sibilância, e diminuição na capacidade funcional pulmonar. As mulheres que se exercitam e pararam de fumar alcançaram melhoras ainda maiores em sua aptidão física do que aquelas que treinaram de modo semelhante, porém não pararam de fumar.

O tabagismo representa a maior causa isolada de morte em âmbito mundial e os usuários vivem uma média de 18 anos menos que os não fumantes, com cada cigarro fumado encurtando a vida em 7 minutos.

Se você precisa de ajuda para parar de fumar, procure seu médico do esporte. 

* Médico do Esporte
luizcarlosfontana@hotmail.com
@luizcarlosfontana

 

Tags: Tabagismo

João Nassif
Por João Nassif 25/01/2019 - 07:26Atualizado em 25/01/2019 - 12:12

Não gostei das declarações pós jogo do técnico Doriva. Imputar à arbitragem outra derrota do Criciúma é tentativa de desviar o foco. Colocar também no gramado o resultado negativo também não é o melhor caminho. Na questão arbitragem o gol anulado do Marcinho Júnior, por impedimento, ninguém pode afirmar que houve erro do assistente. O jogo foi transmitido pelo Globoesporte.com que não tem a câmera do impedimento o que dificulta uma melhor avaliação do lance, mesmo que o Doriva tenha informações que o gol foi legal. Com relação ao gramado, ficou ruim para os dois times e a Chapecoense depois da paralização de quase uma hora voltou mais ligada, fez o gol e dominou o jogo até o final.

A MELHOR LEITURA
Doriva foi bem melhor na entrevista quando exaltou a pegada da Chapecoense no retorno depois da chuva. O time voltou mais ligado e mesmo com poucos torcedores, pois a maioria tinha mais o que fazer, mostrou capacidade de reação depois de ter sido dominada no primeiro tempo. Doriva também destacou o mau posicionamento defensivo no gol do adversário, mas entendo que esta é uma situação normal de jogo, ainda mais num time que ainda busca o melhor preparo físico e entrosamento. É por aí e não justificando a derrota pela arbitragem ou gramado.

REVOADA
A movimentação do mercado do futebol quando abrem as janelas de transferências internacionais faz com que o Brasil seja o maior exportador de mão ou pé de obra como queiram. Todos os anos centenas de jogadores são negociados para países da Europa e Ásia e um pouco também para a África. Muitos retornam depois de algum tempo ou por deficiência técnica ou por falta de adaptação, enfim o jogador brasileiro é o maior alvo da cobiça dos clubes estrangeiros.

GRANA PRETA
Tenho notado o retorno de alguns atletas muito bons tecnicamente que vão lá fora, fazem um belo pé de meia e muitas vezes ainda com contrato em vigência forçam a barra para serem repatriados. Tem muito a ver com a família que não se ajusta aos costumes locais e insiste no retorno. Outras vezes os próprios empresários que levaram trabalham pela volta para faturar os percentuais acertados nas negociações, assim a roda fica sempre em movimento envolvendo dólares e euros que muitas vezes atingem cifras astronômicas. 

VAMOS PEDALAR?
Será domingo dia 26 às 16:00hs, no Balneário Rincão, o maior Passeio Ciclístico das Praias do Sul. A Cruz Vermelha e Equipe Multi-Institucional convidam as famílias e os amigos a participar! Mais uma vez aplausos ao Almir Fernandes por coordenar esta iniciativa.

MEMÓRIA
25/01/2010 – “PELA HORA DA MORTE”

O Criciúma tem este ano o pior início de campeonato catarinense de sua história. Desde 1978, ano em que surgiu o Criciúma, sucessor do Comerciário, são 33 campeonatos catarinenses disputados e em nenhum deles o Criciúma perdeu as três primeiras partidas da competição. Muitos afirmam que é o pior time da história, confesso que não acompanhei todos os campeonatos, nas duas vezes em que vim trabalhar na cidade pude presenciar com este de agora 14 estaduais e posso dizer que realmente é um dos piores destes anos todos.