Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Erros absurdos da arbitragem no domingo de futebol brasileiro

Mandantes com casa cheia foram beneficiados
Por João Nassif 29/11/2021 - 07:01 Atualizado em 29/11/2021 - 17:40

O domingo no futebol brasileiro ficará marcado como o mais polemico no que diz respeito às arbitragens. Muitos erros que definiram resultados, título e acesso. Pudemos ver três lances que escancaram a pobreza da arbitragem brasileira, covarde, submissa e sem nenhum critério.

E não adianta a CBF ficar trocando de chefe do departamento da arbitragem. A falta de personalidade dos árbitros está incrustada desde há muito em nosso futebol e a correção das barbaridades cometidas somente poderão ser minimizadas com a profissionalização de todos e a saída do jugo da Confederação.

Além dos interesses que colocam em dúvida a lisura das decisões, se percebe que os times mandantes e os grandes no confronto com os pequenos levam enorme vantagem nas decisões que podem ser polêmicas, mas existem erros crassos que privilegiam os clubes de maior poderio.

Os pênaltis marcados a favor do Atlético-MG contra o Fluminense no Mineirão, a favor do Corinthians contra o Athletico Paranaense no Itaquerão e a segunda cobrança a favor do Avaí contra o Sampaio Correa formaram a trinca das barbaridades cometidas no domingo.

Em Minas o árbitro não marcou um toque no braço do lateral Marlon num lance totalmente sem intenção. Foi chamado pelo VAR e induzido a voltar atras e marcar o pênalti que resultou no empate do Atlético quando o Fluminense vencia o jogo. Depois o time mineiro virou o resultado e praticamente garantiu o título depois de 50 anos.

Em São Paulo o jogo estava enroscado num 0x0, mas depois de um lance típico de bola no braço do jogador que estava em queda, o árbitro foi inflexível, contrariou a regra ao marcar o pênalti que permitiu a vitória do Corinthians que praticamente garantiu classificação para a Libertadores.

E na Ressacada, depois do Edilson do Avaí perder um pênalti defendido pelo goleiro o VAR chamou o árbitro que também foi influenciado e alegou invasão da área de um jogador do Sampaio Correa. Muitos invadiram, mas a arbitragem resolveu mandar repetir a cobrança que deu ao Avaí o gol de empate, expulsou por reclamação um jogador do time maranhense e a virada no placar foi consequência. Com a vitória o Avaí subiu para a série A do campeonato brasileiro. 
 

Tags: VAR CBF

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito