Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 23:48Atualizado em 26/11/2018 - 23:59

Fizemos uso dos nossos pouco mais de 3,1 mil seguidores no Twitter para uma consulta nas últimas horas. Lançamos lá uma pergunta sobre Mazola Júnior e outra a respeito de Zé Carlos. A intenção? Saber da aceitação de cada um dos dois perante à torcida do Criciúma pensando em 2019. Os números foram inversamente proporcionais.

Começamos pelo primeiro. Sobre Mazola, indagamos: "O Criciúma tem que renovar com o técnico Mazola Júnior?". As respostas: Sim, 67%. Não, 33%.

Em seguida, sobre Zé, questionamos: "O Criciúma tem que ficar com Zé Carlos?". O resultado: Não, 68%. Sim, 32%.

Longe de ter qualquer caráter científico. É um mero apanhado de uma fração da torcida. Fomos ao Facebook. Lá abrimos a pergunta com respostas. Livre, plural, democrático. Neste campo, a aceitação a ambos parece maior. São escassas as críticas ao treinador, e Zé cresce na preferência.

São, certamente, duas grandes incógnitas que o Criciúma tem a resolver e logo, afinal, já está a menos de dois meses da sua próxima competição.

Fotos: Denis Luciano / 4oito / Arquivo

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 23:23Atualizado em 26/11/2018 - 23:35

Conforme prometido no sábado, após a partida contra o Sampaio Corrêa, Mazola Júnior adiou em dois dias o início das férias para ter uma conversa com o presidente Jaime Dal Farra já projetando a próxima temporada do Criciúma. A conversa efetivamente ocorreu nesta segunda-feira, porém sem resultado prático.

Não houve qualquer encaminhamento, ainda, sobre uma futura renovação de contrato. Dal Farra e Mazola trocaram ideias sobre o planejamento do clube para 2019, porém não houve avanços relativos a renovação do vínculo.

Mazola decidiu viajar para Campinas nesta terça-feira, onde "tem sérios problemas familiares a tratar", como ele próprio colocou ainda no sábado. Situação semelhante envolve o diretor executivo de futebol Nei Pandolfo. Não há, ainda, conversas conclusivas sobre permanência dele ou não no Tigre.

Dal Farra deve avançar nos planejamentos para o ano que vem em conversa com o superintendente Róbson Izidro nesta terça-feira.

Foto: Denis Luciano / A Tribuna

R$ 2,8 milhões da Caixa

Enquanto isso, o Criciúma trabalha fora de campo para viabilizar patrocínios. O clube espera para os próximos dias um retorno da Caixa Econômica Federal quanto à renovação da parceria. Se a Caixa mantiver o aval para investimentos nas séries A e B  o novo contrato com o Criciúma está garantido. Ocorre que o clube pediu um reajuste, dos atuais R$ 1,5 milhão para algo em torno de R$ 2,8 milhões.

"Cumprimos todas as obrigações, houve uma boa exposição da marca e a Caixa reconhece que teve retorno com o Criciúma", observa Izidro. O clube acertou a permanência da marca da Uninter na camisa e nos próximos dias manterá reunião com a direção da Hipper Freios, visando também a continuidade da parceria. A Embratex segue sendo a fornecedora de material esportivo e o clube busca outros patrocinadores.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 22:45Atualizado em 26/11/2018 - 22:58

O Sport conseguiu um importante ponto na luta contra o rebaixamento no fechamento da penúltima rodada da Série A. O empate em 0 a 0 com o São Paulo, no Morumbi, fez o time pernambucano alcançar 39 pontos. Segue na zona de rebaixamento, mas a dois da Chapecoense, o primeiro time fora do Z-4.

O Ceará livrou-se de qualquer risco de cair. Com isso, haverá um clássico cearense na Série A em 2019, já que o Fortaleza foi o campeão da Série B. O desempenho do Ceará coroou o trabalho do técnico Lisca, que começou a temporada no Criciúma e chegou no clube nordestino em difícil situação no Brasileirão.

Na rodada final, o Sport, do técnico Milton Mendes, recebe o Santos na Ilha do Retiro. Terá que vencer e torce por tropeços de dois times entre América (MG), Chapecoense e Vasco. É o time em situação mais complicada.

A parte de baixo da tabela / Reprodução / GloboEsporte.com

O América precisa ganhar de um concorrente direto, o Fluminense, no Rio de Janeiro. Com isso, já estará livre. A Chapecoense também depende apenas de si. Se vencer o São Paulo estará salva. Até o empate pode bastar, caso Sport ou América não vençam.

Ainda sob riscos estão Vasco e Fluminense. O Vasco cai se perder para o Ceará fora de casa e houver dois vencedores entre Chapecoense, América e Sport. O Fluminense pode cair se perder para o América e o Vasco empatar, Chapecoense ou Sport vencerem. Abaixo, a rodada e os times que brigam contra o Z-4 no domingo:

Fluminense x América (MG)

Ceará x Vasco

Chapecoense x São Paulo

Sport x Santos

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 13:50Atualizado em 26/11/2018 - 13:53

Ano passado, o Orleans. Neste, o Próspera, que logo na retomada subiu de divisão. A Série C deve ser cenário para mais uma novidade no futebol do sul catarinense em 2019: a volta do Araranguá Esporte Clube. Licenciado desde 1996 - disputou o Campeonato Catarinense profissional pela última vez em 95, na Série A - o Araranguá já manifestou à Federação Catarinense de Futebol (FCF) a intenção de retornar na próxima temporada.

"Estamos trabalhando muito", confirma o presidente Felipe Sasso. As despesas são elevadas, e o AEC vem se preparando faz alguns anos para o resgate. Voltou pelo futebol amador, consolidou-se com conquistas na região e este ano reduziu os investimentos para fazer caixa visando o ano que vem.

Um dos trunfos é o Estádio Municipal, que está sendo construído pela prefeitura. Na falta de outro campo em condições, é com ele que o AEC conta para mandar as suas partidas.

Os bons tempos do AEC, campeão da Copa SC em 1991

Segundo informou hoje a FCF, o Araranguá está entre os 15 clubes que pediram vagas. A lista é sortida. Vai desde o Operário de Mafra, rebaixado da Série B deste ano, e passa pelos remanescentes da Terceirona deste ano, casos do Itajaí (o vice-campeão), Caçador, Carlos Renaux, Orleans, Curitibanos, Porto e Jaraguá. Há outros licenciados que planejam retornar, casos de Imbituba, Atlético Hermann Aichinger de Ibirama, XV de Outubro de Indaial e Santa Catarina, e novidades como a Portuguesa de Navegantes e outra volta de tempos antigos, o Guarani de São Miguel do Oeste.

A reunião desta terça na FCF é justamente para os novos e os que estão retornando. Rebaixado e remanescentes não precisam aparecer. Os novos precisam se adiantar para cumprir uma série de normas, e todos terão até 30 de abril para enviar laudos dos estádios. O conselho técnico para definir a competição será em 6 de maio.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 10:17Atualizado em 26/11/2018 - 10:25

Passado o sufoco da fuga do rebaixamento na Série B, o Criciúma já está de olho em 2019. A meta é seguir à risca a sugestão que o técnico Mazola Júnior deixou após os 2 a 0 de sábado frente ao Sampaio Corrêa. "O Criciúma precisa se dar conta que a Série B começa em novembro", disse ele.

Vacinado, depois de dois anos namorando o Z-4, o Criciúma não quer perder tempo. Tanto que a segunda-feira já tem como pautas prioritárias as possíveis renovações de contrato com o técnico Mazola Júnior e com o diretor executivo de futebol Nei Pandolfo. O dia será de reuniões.

Dal Farra, Mazola e Pandolfo. Hoje tem reuniões entre eles / Foto: Denis Luciano / Arquivo

Ao que tudo indica, Mazola reúne unanimidade interna. Já para Pandolfo será necessário vencer uma que outra barreira. E a questão é que Mazola já deixou claro que quer trabalhar com Pandolfo. "Nossa sintonia foi muito grande", disse, no sábado, em tom de aviso à diretoria. "É profissional de Série A", rotulou.

E o presidente deu uma informação valiosa no sábado à noite, após a partida. Ao colega Reginaldo Corrêa, que comigo divide o Programa Papo de Bola nos domingos à noite, na RTV, Dal Farra enviou uma mensagem avisando: "Eu vou investir".

Dal Farra promete investir. Isso pode ajudar Mazola a ficar / Fotos: Caio Marcelo / Criciúma EC

A predisposição do presidente nos foi confirmada no Papo de Bola de ontem à noite pelo superintendente do Criciúma, Róbson Izidro. "O presidente está aliviado, empolgado e valeu o aprendizado. Vamos errar menos, com certeza", afirmou, lembrando os mais de R$ 3 milhões citados outro dia por Dal Farra como a conta do desperdício em contratações equivocadas. Deixou claro que a análise de desempenho do clube terá mais peso, e o Criciúma será mais cauteloso e pontual nas contratações.

Para medir a febre do torcedor, lancei ontem à noite duas enquetes em minhas redes sociais sobre ficar ou não com Mazola. A preferência pelo treinador é de quase 100% via Facebook. No Twitter @denisluciano, deu 67% a favor, 33% pela troca.

Antes do jogo, no sábado, perguntei ao Róbson na Som Maior e ele repetiu ontem na RTV: "o perfil do nosso futuro técnico é vencedor. E o Mazola tem perfi para ser vencedor. Ele vai ser um dos grandes treinadores do Brasil". Mais um indicativo, além do adiamento do início das férias pelo próprio treinador, de que ele pode renovar.

Barreto e Marlon voltam

Mas espere-se uma grande renovação no elenco. Dentre as poucas informações a respeito dadas por Izidro, está a constatação de que "sim, vamos ter bastante renovação no elenco". Não será de se estranhar que o Criciúma priorize as renovações com o zagueiro Sandro, o lateral Marlon e o meia Gabriel, este último uma aposta para o futuro. O goleiro Luiz tem contrato em vigor e, claro, fica. O goleiro Vinícius, o zagueiro Nino e o volante Eduardo são realidades que ficam e com prestígio em alta.

O Criciúma estará recebendo dois jogadores de volta em breve: o lateral esquerdo Marlon Xavier e o volante Barreto. Ambos tem contrato em vigor com o Criciúma e os empréstimos para Fluminense e Chapecoense, respectivamente, estão terminando. Ambos aparecem nos planos do Tigre para o ano que vem.

Volante Barreto voltando / Foto: Denis Luciano / Arquivo

Izidro reconheceu dificuldades para renovar o contrato com o volante Jean Mangabeira. O jogador estaria colocando algumas resistências, alguns poréns (talvez financeiros) que estariam dificultando o acerto. Mas é intenção do Criciúma também renovar com ele. Deve dar certo.

Não está tão tranquila a renovação com Jean Mangabeira / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

Há uma tentativa pela permanência do volante Liel. Artilheiro do Criciúma na Série B com oito gols, o jogador está no topo das tentativas de renovação. O Atlético Tubarão só aceita negócio se o Criciúma exercer a prioridade de compra. O valor é até alto, mas poderia ser mais se o contrato não tivesse sido firmado lá no fim do Catarinense, com Liel ainda desconhecido e tendo que abrir espaço. "Ele foi muito bem aqui. Jogou até com o nariz quebrado. Tem chance de ele ficar conosco", conta o superintendente.

Marlon tem chances de ficar / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

São pouco prováveis as permanências do lateral Sueliton e do zagueiro Fábio Ferreira. Emprestados, como o atacante Vitor Feijão e os volantes Marlon Freitas e Ralph voltam aos seus destinos e também é praticamente certo que não voltem para 2019. Deve ser o mesmo caso do goleiro Belliato, embora o desempenho razoável dele no Criciúma. Acontece que, no ano que vem, o clube quer dar mais chances a Vinícius, e Belliato tem contrato com o Tubarão. O zagueiro Jacy Maranhão segue emprestado pelo Atlético (PR) e pode continuar por aqui. Não é o caso do meia Luiz Fernando, o primeiro a sair, que na semana passada já retornou para o Cruzeiro.

Vitor Feijão volta para o Paraná / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

O meia Alex Maranhão já se despediu, sábado em entrevistas e ontem nas redes sociais disparou uma série de mensagens agradecendo ao Criciúma. Outro dia, no Do Avesso na Som Maior, ele indicou que vai ficar morando em Criciúma.

A despedida de Alex Maranhão via Facebook

Se Mazola renovar, cresce a cotação para dois jogadores ficarem: Elvis e Zé Carlos. O treinador gosta do Elvis, viu empenho suficiente nele para continuar. E sobre Zé, a chance dele permanecer no Tigre é com Mazola. O mesmo vale para o volante Ronaldo, que veio emprestado da Ponte Preta e, caso o treinador renove, há chances de o Criciúma trabalhar pela permanência dele.

Zé Carlos, com Mazola, tem chances de ficar / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

Patrick e Iago serão devolvidos ao Grêmio. Joanderson, para o Internacional. Nicolas não deve ficar também. E não será surpresa se o Criciúma trabalhar pela permanência de João Paulo. O atacante, que sofreu aquele edema ósseo contra o Londrina, ainda no turno, voltou para Criciúma faz poucos dias e está em recuperação física. Ele é do São Paulo, que certamente vai emprestá-lo de novo no ano que vem.

Andrew está na cota daqueles da casa, e fica. O Tigre aposta nele, com reforço muscular caprichado, claro. Kalil poderá ser emprestado. Carlos Eduardo, idem. Walacer não fica. Lucas Coelho, idem. E tem a turma que vem da base com respaldo e olhar atento, casos dos goleiros Ronaldo e Diego, do zagueiro Christian, do meia Reinaldo e do atacante Julimar.

Feito esse breve balanço, confirmamos a impressão passada ontem pelo Róbson: a renovação vai ser grande. Lembrando que o Criciúma já está a menos de dois meses de seu próximo jogo: 17 de janeiro, no Heriberto Hülse, a estreia no Catarinense contra o Figueirense. Ah, para ilustrar os sustos recentes no Brasileiro, é bom recordar, abaixo, as campanhas do Criciúma nos três anos da gestão Dal Farra na Série B:

2016 - 8º lugar com 56 pontos - 7 atrás do G-4 (Atlético-GO, Avaí, Vasco e Bahia), 16 à frente do Z-4 (Joinville, Tupi, Bragantino e Sampaio Corrêa)

 

2017 - 13º lugar com 48 pontos - 4 à frente do Z-4 (Luverdense, Santa Cruz, ABC e Náutico), 16 atrás do G-4 (América-MG, Internacional, Ceará e Paraná)

 

2018 - 14º lugar com 47 pontos - 4 à frente do Z-4 (Paysandu, Sampaio Corrêa, Juventude e Boa Esporte), 13 atrás do G-4 (Fortaleza, CSA, Avaí e Goiás)

Denis Luciano
Por Denis Luciano 26/11/2018 - 00:08Atualizado em 26/11/2018 - 00:19

Na sua estreia como treinador em Santa Catarina, Paulo Baier foi campeão da Série C estadual pelo Próspera. E já tem sua próxima empreitada definida. Ele assume o Brusque a partir da apresentação do elenco de 2019 marcada para o próximo dia 10 de dezembro

O acerto do Brusque com Baier ocorreu durante a semana, mas só está sendo formalizado agora, já que o time estava envolvido na decisão da Copa Santa Catarina. Neste domingo, o Brusque ganhou a Taça Milioli Netto, ao vencer o Hercílio Luz nos pênaltis, em Tubarão.

A decisão era a despedida do técnico Pingo, já acertado com o Caxias para disputar o Campeonato Gaúcho na próxima temporada. Com o título da Copa, o Brusque acrescentou ao seu calendário a Copa do Brasil e vai colocar ao menos R$ 500 mil na conta, por disputar a primeira fase do torneio nacional. No time atual do Brusque, que ganhou a Copa SC, figuram jogadores conhecidos do torcedor do Criciúma como o zagueiro Ianson e o atacante Hélio Paraíba.

Baier terá o Campeonato Catarinense como principal missão e o time tem também vaga garantida na Série D do Brasileiro. A estreia do Brusque, e de Baier, será dia 16 de janeiro em casa, no estádio Augusto Bauer, contra o Joinville. No mesmo dia a rodada inaugural do Catarinense terá o clássico Tubarão x Hercílio Luz. No dia 17 jogam Criciúma x Figueirense, Avaí x Metropolitano e Chapecoense x Marcílio Dias.

(Colaboração: Rodrigo Santos)

Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/11/2018 - 21:17Atualizado em 25/11/2018 - 21:25

O Criciúma conheceu na noite deste domingo mais um dos seus adversários na Série B do Campeonato Brasileiro em 2019. É o Vitória da Bahia, que acabou matematicamente rebaixado após o 0 a 0 de Corinthians e Chapecoense em São Paulo.

Com o resultado, a Chape, que ainda corre risco de descenso, chegou a 41 pontos. É o primeiro time fora do Z-4. O Vitória, vice-lanterna, tem 37 e chega no máximo a 40 pontos. Por isso, caiu. Vai disputar amistoso de entrega de faixas no domingo que vem em São Paulo, contra o campeão Palmeiras.

O Sport tem um jogo a menos. Encara o São Paulo nesta segunda. Se ganhar, empurra a Chapecoense para o Z-4. O outro time atual do Z-4 é o América, que neste domingo ganhou um fôlego vencendo o Bahia por 1 a 0. A Chapecoense vai despedir-se em casa no domingo que vem, contra o São Paulo, e se conseguir escapar serão dois catarinenses na elite do ano que vem, já que o Avaí subiu.

Ainda sob risco estão Vasco, Fluminense e Ceará.

A parte de baixo da tabela / Futebol Interior / Reprodução

A Série B será uma competição do centro sul do Brasil em 2019, com base nos 18 times já confirmados. O Vitória é, recém, o segundo nordestino. São seis paulistas e quatro paranaenses, mais dois catarinenses e um gaúcho. Completam a lista um alagoano, um matogrossense e dois goianos. Confira a lista:

Santa Catarina - Criciúma e Figueirense

Rio Grande do Sul - Brasil de Pelotas

Paraná - Paraná, Londrina, Coritiba e Operário

São Paulo - Ponte Preta, Guarani, São Bento, Oeste, Botafogo de Ribeirão Preto e Bragantino

Goiás - Atlético e Vila Nova

Mato Grosso - Cuiabá

Alagoas - CRB -

Bahia - Vitória

Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/11/2018 - 20:15Atualizado em 25/11/2018 - 20:19

Houve até instantes que o torcedor sonhou com o acesso. Como quando daqueles 3 a 2 sobre o Avaí no Heriberto Hülse que levaram o Criciúma à sua melhor colocação na Série B ontem encerrada, quando o Tigre chegou ao 12º lugar na 27ª rodada. "Mas eu nunca deixei esse discurso se criar, pois eu sabia das dificuldades. Era uma utopia muito grande sonhar com acesso esse ano", lembrou o técnico Mazola Júnior ontem, depois dos 2 a 0 sobre o Sampaio Corrêa que livraram o Tigre do risco de cair à Série C.

Mas o Criciúma chegou a estar rebaixado. Durante onze agoniantes minutos, entre as 17h20min e 17h31min, o Paysandu vencia o Atlético Goianiense por 1 a 0 enquanto o 0 a 0 persistia no placar do Heriberto Hülse. Essa combinação derrubava o Tigre.

Fotos: Guilherme Hahn / A Tribuna

Embora o som do estádio não tenha anunciado um gol sequer dos 5 a 2 que o Paysandu tomou no seu  descenso perante ao Atlético em Belém, os jogadores sabiam do que acontecia lá. Trabalhei no segundo tempo ao lado do Wallacer, do Marcinho Júnior e de outros reservas, esses dois em especial vinham a todo momento perguntar. "Saindo gol em Belém me avisa, tá", pediu Wallacer. Atendi, claro.

E aqueles 11 minutos de rebaixamento coincidiram com o pior momento do Criciúma diante do Sampaio. Um time titubeante, pouco objetivo e que chegou a ser pressionado. O clima era pesado, sufoco que só  foi sumir com os gols de Zé Carlos e Elvis. 

As melhores rodadas do Criciúma foram a 27ª e a 30ª, nas quais ficou em 12º / CBF / Reprodução

"Gostou do seu trabalho?"

Perguntei isso ao Mazola na coletiva, se ele gostou do que fez nas 33 rodadas em que comandou o Criciúma. "Se a gente for pensar nos números. Se contar a partir da oitava rodada, que foi quando começou de verdade o meu trabalho, tivemos 50% de aproveitamento", comentou.

Algumas vezes perguntamos se ele ficaria. Mazola nunca gostou dessas perguntas. Dessa vez, não escapou e disse que nesta segunda pode ter novidade. "Para provar que nunca houve nada em relação ao futuro, eu adiei a minha viagem, tenho um sério problema familiar em Campinas, eu ia embora amanhã (hoje) para dar uma atenção especial ao presidente, que merece. Sinceramente não achei justo esse discurso do final, foi o único senão do torcedor. O Jaime não merecia".

Mazola no Criciúma

33 jogos, 11 vitórias, 14 empates, 8 derrotas, aproveitamento de 47,4%

Prioridade, o executivo

Mazola comentou a importância de, antes de contratar técnico, o Criciúma acertar com um executivo de futebol. E encheu a bola de Nei Pandolfo. "Vou ter uma conversa com a direção, a comissão técnica. É muito importante, mais que o treinador, a situação do diretor executivo. Na segunda deve sair alguma coisa, ao menos um alinhamento da nossa permanência ou não". Ele destacou que teve uma sincronia muito boa com Pandolfo.

O treinador fez um contundente alerta sobre a realidade financeira do Criciúma. "Eu sou um estudioso da Série B e tenho acompanhado. Eu sabia, desde que cheguei, que não teríamos orçamento para investir e dar a volta, como o Goiás fez. O Criciúma estava com orçamento estourado e déficit mensal de R$ 500 mil. Então criamos alternativas". E foi além.  "Série B é extremamente deficitária. O Criciúma tem que repensar muito isso, pois nos últimos anos, e esse ano de novo, a Série B adiantou um mês, então aquele projeto orçamentário de um time no Estadual e outro na Série B caiu por terra". E completou. "O Criciúma precisa resolver um problema seríssimo, gasta mais que arrecada".

Jean Mangabeira, o camisa 15, tem moral com Mazola

Sobre as razões para a difícil campanha tricolor, elencou o planejamento. "O clube tem que entender que a Série B começa a ser disputada em novembro, não em abril, muito menos em junho. Ano passado o Criciúma fez 48 pontos. Esse ano, 47. São provas, dois anos seguidos, que o planejamento esportivo tem que mudar. Administrativo e financeiro, fantástico".

Lembrou, ainda, que na montagem a Série B tem que começar já. "Em novembro. Planejamento anual. Você não pode trocar de executivo no início do ano, não pode ter três treinadores no ano, e sem críticas, os caras são bons, olha o trabalho do Lisca no Ceará, o Argel renovou no Coritiba".

Os demais técnicos da temporada:

Lisca - 4 jogos, 1 vitória, 1 empate, 2 derrotas, aproveitamento de 33,3%

Grizzo - 7 jogos, 1 vitória, 4 empates, 2 derrotas, aproveitamento de 33,3%

Argel - 14 jogos, 5 vitórias, 2 empates, 7 derrotas, aproveitamento de 40,4%

Trabalho mais difícil da carreira

Os jogadores disseram no fim da partida com o Sampaio que não comemorariam. Mazola divergiu. "Eu discordo dos jogadores. Eu vou comemorar bastante. Foi o trabalho mais difícil da minha vida. Nem no Cuiabá, onde tivemos que ir a Brasília rebaixar o Brasiliense, foi mais difícil. Vou comemorar e bem e amanhã (hoje) vou agradecer à minha Santa lá no Caravaggio".

Zé Carlos elogiado por Mazola

E Mazola reforçou o seu sonho, trabalhar na Série A. "Se eu caio no Criciúma todo o meu projeto profissional iria para o saco. Eu estou no futebol pois eu sonho e busco uma oportunidade na Série A. Se eu tiver essa oportunidade e não aproveitar, eu vou encerrar a minha carreira, eu vou sair do futebol. Sou fissurado e quero e trabalho e estudo muito por isso. Dia 4 estou enfiado na Granja Comary, dez dias com Tite, Dunga, Mano Menezes e os caras da Série A. O meu sonho é ser treinador da Série A, enquanto eu não tiver essa oportunidade eu não vou sossegar", completou.

Ouça, no podcast abaixo, a última entrevista coletiva de Mazola Júnior na temporada, que a gente acompanhou no Futebol Som Maior deste sábado.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 25/11/2018 - 17:25Atualizado em 25/11/2018 - 17:28

O Criciúma terminou o Campeonato Brasileiro - após os 2 a 0 de ontem diante do Sampaio Corrêa - a quatro pontos da zona de rebaixamento, em 14º lugar. No Campeonato Catarinense, as quatro vitórias nas quatro últimas rodadas mascararam uma luta contra o rebaixamento, e o quarto lugar na classificação geral disfarça um pouco o vexame que o Tigre quase proporcionou. Foi um ano em que, nos números absolutos, o Tigre mais perdeu que ganhou.

O ano do Criciúma

58 jogos, 18 vitórias, 21 empates, 19 derrotas, 67 gols marcados, 69 gols sofridos, aproveitamento de 43,1%

 Vestiram a camisa do Tigre nos 58 jogos oficiais exatos 47 jogadores, desde Elvis, o que mais atuou, em 49 partidas, até Marcinho Júnior, Matheusinho e Arthur, com apenas uma partida.

Os que mais jogaram:

Elvis - 49 jogos, Nino - 46, Luiz - 44, Jean Mangabeira - 39, Alex Maranhão - 38, Andrew - 36, Sandro - 36, Marlon - 34, João Paulo - 31, Sueliton - 30, Liel - 29, Zé Carlos - 29, Eduardo - 27, Vitor Feijão - 27, Luiz Fernando - 26

Elvis foi quem mais jogou neste ano pelo Tigre / Fotos: Guilherme Hahn / A Tribuna

Entre os autores dos 67 gols tricolores, o artilheiro geral do ano foi Zé Carlos, que marcou dez vezes, seguido pelo volante Liel, com oito gols. Foram 17 jogadores diferentes marcando gols pelo tricolor neste ano.

Os artilheiros de 2018

Zé Carlos - 10 gols, Liel - 8, Elvis - 6, João Paulo - 6, Vitor Feijão - 6, Alex Maranhão - 5, Mailson - 5, Sandro - 5, Andrew - 4, Eduardo - 3, Lucas Coelho - 2

Uma temporada de muitos cartões. Foram 117, recebidos por 32 jogadores, sendo Jean Mangabeira o mais advertido, 15 vezes, seguido por Sueliton, com 14, e Elvis, 11 amarelos.

Os cartões amarelos

Jean Mangabeira - 15, Sueliton - 14, Elvis - 11, Douglas Moreira - 10, Marlon - 10, Eduardo - 9, João Paulo - 9, Andrew - 8, Liel - 8, Nino - 8, Sandro - 8 cartões

Entre os cartões vermelhos, o Criciúma teve 15 expulsões na temporada. Marlon, o campeão, tomou quatro cartões vermelhos. Foram três para Elvis e Zé Carlos. Levaram um cartão Alex Maranhão, Barreto, Iago, Jean Mangabeira e Vitor Feijão.

Sueliton concorda, "não tem que o que comemorar"

"Não tem o que comemorar. Não era para estar nessa situação. O Criciúma é grande. Não tem que comemorar. Não era mais que obrigação dentro de casa", disse o lateral direito Sueliton ontem, após os 2 a 0 contra o Sampaio Corrêa. "Vamos esperar o ano que vem. O que eu desejo para o clube são títulos, fomos campeões aqui e sentimos o que essa torcida", completou.

Campeonato Catarinense, 4º lugar

18 jogos, 7 vitórias, 5 empates, 6 derrotas, 20 gols marcados, 18 gols sofridos, aproveitamento de 48,1%

O atacante Patrick entrou ainda no primeiro tempo da partida contra o Sampaio. Um dos sete jogos dele com a camisa tricolor. E no segundo tempo ele perdeu uma grande chance de gol. "Tive a chance. Sempre treinei forte, estou feliz pelo empenho da equipe, a gente merece coisa melhor. Infelizmente tivemos algumas adversidades no campeonato".

O volante Ronaldo veio durante a Série B, com aval do técnico Mazola Júnior. Fez ontem o último dos seus 12 jogos no Criciúma. "Não foi o ano que a gente esperava, até pela reação da metade do campeonato, mas saio com o sentimento de ter deixado o Criciúma na Série B para que no próximo ano possa conseguir esse acesso", disse o volante. 

Campeonato Brasileiro, 14º lugar

38 jogos, 11 vitórias, 14 empates, 13 derrotas, 45 gols marcados, 49 gols sofridos, aproveitamento de 41,2%

O goleiro Belliato fez defesas importantes novamente. Foi uma das 12 partidas do jogador emprestado pelo Tubarão. "Graças a Deus, acabou o sufoco. Não era para o Criciúma passar por isso, mas o futebol tem dessas coisas. Agora a sensação é de alívio, complicado você jogar em um clube como o Criciúma e brigar para não cair, a pressão é muito grande. Agora eu quero ir para casa curtir a minha filha que vai nascer", disse Belliato, que sofreu 19 gols pelo Tigre.

Além de ter sido o jogador com mais cartões amarelos no ano do Criciúma, Jean Mangabeira foi o quarto que mais jogou: 39 das 58 partidas. Ele valorizou o papel do torcedor na despedida de ontem. "É bom ver o estádio desse jeito, o torcedor lotando, isso faz diferença e facilitou muito o nosso trabalho, a torcida".

Copa do Brasil, 47º lugar

2 jogos, 2 empates, 2 gols marcados, 2 gols sofridos

Zé Carlos com gol na despedida

E Zé Carlos, ao que tudo indica, despediu-se do Criciúma. "Eu quero descansar. Foi uma pressão muito grande", disse o atacante, após o jogo e o gol de cabeça contra o Sampaio Corrêa. Zé encerrou a temporada totalizando, na soma das três passagens, 67 gols em 109 jogos pelo Criciúma. Consolidou-se como terceiro maior artilheiro da história do clube, atrás de Soares, com 82, e Vanderlei, 84 gols. Abaixo, o gol dele ontem.

"Comemorar esse tipo de permanência é difícil. Sou acostumado a brigar por objetivos, rebaixamento não me empolga", disse Zé. Sobre o gol marcado ontem, muitos elogios ao lateral Marlon, autor do cruzamento. "Conheço o Marlon desde 2012, é um amigo meu, podemos ajudar ele com o cruzamento e eu com o gol".

O atacante aproveitou para se justificar perante aos críticos. Quero agradecer todos que compareceram e todos os que me criticam. Tenho 35 anos e posso jogar mais que eu estou jogando, sei que estou em um desgaste físico muito grande. Muitas vezes eu errei mas sempre buscando ajudar o Criciúma. Quem me conhece sabe do meu caráter, tudo o que passamos aqui a gente merece ficar na Série B".

Confira as entrevistas que fizemos no Futebol Som Maior com os jogadores na saída de campo, após a partida de ontem.

Marlon viveu um ano difícil. Quatro expulsões durante a Série B forçaram uma volta por cima. Ele não fala do assunto, mas chegou a pensar em encerrar a carreira durante a temporada. Conseguiu reagir e terminou o ano com o bonito cruzamento para o gol decisivo de Zé. "Uma jogada que só de eu olhar para o Zé ele sabe onde eu vou colocar. Fui muito feliz no passe, encontrei ele de frente para o gol e ele foi muito feliz na conclusão".

O lateral reconheceu que Mazola teve papel preponderante na sua reação no ano. "Eu tive um começo muito abaixo do esperado, aquelas expulsões me prejudicaram um pouco. Mas o Mazola sempre procurou conversar comigo, eu fui recuperando a minha autoestima e desenvolvendo o meu futebol. De uns tempos para cá venho melhorando e ajudando a equipe a sair dessa situação".

Ele foi um dos que destacou que nada havia a comemorar com o resultado e a fuga do descenso. "Um clube do tamanho do Criciúma não pode estar passando por isso. Não tem o que comemorar não. Tem que só pedir desculpas ao torcedor, esperava muito desse time, temos um elenco muito bom, mas infelizmente não deu resultado. Mas agora é o clube se planejar para não passar mais por isso". Ouça abaixo a entrevista coletiva com Marlon.

O jogo marcou a despedida de Alex Maranhão do Criciúma. O próprio jogador anunciou isso após a partida, em entrevistas e também nas suas redes sociais. Foi dele o passe para o último gol da temporada, anotado por Elvis.

Liel, artilheiro do Tigre na Série B com oito gols. Vice-artilheiro do ano

Os números aqui utilizados são do Meu Time na Rede.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/11/2018 - 00:15Atualizado em 24/11/2018 - 00:20

Precisamos hoje voltar 22 anos no tempo. Em 24 de novembro, mas em 1996, um bravo mas encrencado Criciúma ia a Curitiba encarar o Atlético Paranaense. Precisava vencer para escapar de um iminente rebaixamento à Série B. E não é que a façanha se realizou? O Criciúma fez 2 a 1, manteve-se na elite e ajudou a fazer despencar o Fluminense, que dali rolaria mais um pouco ate à Terceira Divisão e depois aquele rumoroso retorno, muito criticado até hoje.

O tempo passou, o Tigre caiu, subiu, voltou, despencou e, em altos e baixos, está aí, diante de uma nova decisão. Neste sábado, contra o Sampaio Corrêa, vencer significará ficar na Série B sem depender de resultados paralelos. Qualquer outro placar e o drama estará fortemente instalado.

Essas idas e vindas dos anos passados, A Tribuna esteve contando, com seu antecessor, o Tribuna Criciumense. Ocorre que o passado nos pregou uma peça. Voltando os exatos 22 anos no tempo, naquela época navegava em boas águas o Jornal da Manhã, hoje extinto, no qual tive a oportunidade de trabalhar em uns três períodos, dois como colunista e o último como editor, em 2016, meses antes do seu lastimável desaparecimento.

Jornal da Manhã, 25 de novembro de 1996

Era um bravo jornal o JM. Tragado pelas dificuldades, abandonou o campo diário e duro da luta jornalística. Mas naquela época, o JM era o diário, o Tribuna Criciumense era semanal. E não tivemos, por uma lacuna do arquivo público municipal, como acessar o nosso antecessor daquela semana decisiva e histórica para o Tigre. Por conta disso é que, na edição deste sábado, o Jornal da Manhã estará estampado na página 37 de A Tribuna. Será uma doce lembrança, E que ajude dando sorte ao nosso Tigre.

Agradecimentos ao colega Lucas Renan Domingos, autor da pesquisa e das reproduções aqui postadas.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 22/11/2018 - 17:13Atualizado em 22/11/2018 - 17:19

Foram divulgados hoje os grupos da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2019. O Tigre, confirmado ontem na competição, está na Chave 10, e vai cruzar com o São Carlos de São Paulo (o dono da casa), o América Mineiro e o Atlântico, da Bahia. A tabela será divulgada posteriormente.

A Chapecoense está na Chave 2, em Penápolis, contra Penapolense, Rio Preto (SP) e São José (RS). Na Chave 16, em Itapira, o Figueirense vai cruzar com Itapirense (SP), Botafogo (SP) e CRB. O Atlético Tubarão está na Chave 27, com sede em Taubaté, e vai encarar Vasco, Carajás do Pará e o Taubaté. O Avaí está na Chave 30, que terá sede em São Paulo e vai jogar contra Juventus, inter de Limeira (SP) e América de Natal (RN).

O time-base do Tigre que vai à Copinha é o que ontem disputou a partida de ida da decisão da Copa Sul Sub-19 e goleou o Grêmio por 4 a 1. Abaixo, as chaves da Copa São Paulo.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 21/11/2018 - 17:48Atualizado em 21/11/2018 - 17:56

O Criciúma está garantido na ediçao 2019 da Copa São Paulo de Futebol Júnior. A inclusão do Tigre na competição nacional foi confirmada ao presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rubens Angelotti, na tarde desta quarta-feira.

O Tigre não foi incluído na relação inicial de participantes do torneio pois há um limite de vagas por estados - quatro no caso de Santa Catarina -, e a FCF optou por colocar os times por ordem de classificação do último Campeonato Catarinense, ou seja, Chapecoense, Atlético Tubarão, Figueirense e Avaí.

Como quinto colocado no Estadual, o Criciúma esperava justamente pela abertura de alguma vaga restante. Outro que também reivindicava um lugar na competição era o Joinville, sexto colocado no Catarinense.

A base da equipe que irá à Copa SP em janeiro estará em campo daqui a pouco, 18h30min, no primeiro jogo da decisão da Copa Sul Sub-19, na qual o Criciúma enfrenta o Grêmio. A partida de hoje ocorre no Heriberto Hülse.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 17/11/2018 - 21:56Atualizado em 17/11/2018 - 21:59

Por 26 minutos, o Criciúma esteve na frente no placar. "Foi um jogo muito duro", definiu o técnico Mazola Júnior. No fim das contas, o Tigre empatou em 2 a 2 com o Vila Nova. "E a gente só depende da gente agora". O treinador tem razão. Com 44 pontos, um à frente do Paysandu, o primeiro do Z-4, o Criciúma escapa sem qualquer resultado paralelo se vencer o rebaixado Sampaio Corrêa no próximo sábado, no Heriberto Hülse.

A despedida, dependendo de Mazola, vai ter um aditivo das arquibancadas. "Vou pedir ao presidente para fazer uma promoção inédita", anunciou. Ele quer o Majestoso abarrotado. "Para a gente salvar esse ano difícil do Criciúma".

São oito jogos sem vencer na Série B. "Todo aquele pesadelo está só dependendo da gente. O torcedor do Criciúma não merece sofrer tanto".

Mas a noite prometeu tensão no Serra Dourada. Favorito natural, brigando pelo acesso, o Vila fez 1 a 0 antes do primeiro minuto de jogo com Geovane, de cabeça.

O Criciúma não esmoreceu e, em um lance parecido com o do gol anotado diante do CRB, Eduardo chutou forte, com categoria, e empatou aos 5: 1 a 1. O chute, de 31 metros de distância, alcançou 94 quilômetros por hora.

E veio a virada. E ao melhor estilo do Tigre. Bola alçada na área por Sueliton, em um escanteio, e Liel, de cabeça, marcou seu oitavo gol na Série B. É o artilheiro do Criciúma. Os oito gols de cabeça, 2 a 1.

Nos acréscimos do primeiro tempo o Vila Nova empatou. Washington lançou para Mateus Anderson que escorou para Elias. Ele girou, venceu a defesa e fulminou Beliatto, 2 a 2.

O Criciúma jogou e empatou com Belliato, Sueliton, Sandro, Fábio Ferreira e Marlon, Jean Mangabeira, Liel, Eduardo e Ronaldo (Alex Maranhão), Andrew (Vitor Feijão) e Zé Carlos (Nicolas). "Esse ponto foi uma vitória", concluiu Mazola.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 16/11/2018 - 23:37Atualizado em 16/11/2018 - 23:49

O Criciúma entra em campo neste sábado, a partir das 19h30min, com um grave risco. De entrar na zona de rebaixamento da Série B faltando apenas mais uma rodada para o término da competição. Isso vai acontecer caso o Tigre seja derrotado pelo Vila Nova por três ou mais gols de diferença no Serra Dourada. Cabe lembrar que o Vila briga pelo acesso, joga sua última cartada e, vencendo, vai vivo para a rodada final.

Tudo se agravou com a vitória pouco esperada da noite desta sexta que o CRB conquistou sobre o Londrina, 2 a 1 no estádio do Café. Além de dar um passo quase definitivo para fugir do Z-4, os alagoanos praticamente tiraram os paranaenses da disputa pelo acesso. Até tem uma chance, mas muito remota.

Sobre o CRB, contou com mais dois gols de Willians Santana, que já havia feito dois contra o Tigre naquele 3 a 3 trágico para o Criciúma na rodada passada no Majestoso. Na última rodada, o time de Alagoas recebe o Figueirense em Maceió em uma partida na qual o empate deve bastar para ambos, logo...

A situação do Criciúma é tão complicada que nem a vitória diante do Vila serve para fugir de vez da agonia. Se ganhar, o Criciúma vai a 46 pontos, abre três do Paysandu, mas há o saldo de gols - hoje o Tigre tem vantagem de dois sobre os paraenses - mas haverá a última rodada, na qual o tricolor pega o Sampaio Corrêa e o Papão encara o Atlético Goianiense, ambos em casa. Teoricamente, claro que a missão mais ingrata é a do Paysandu.

E tem o Oeste ainda. Uma derrota em casa para o Goiás neste sábado deixará o time do técnico Roberto Cavalo ainda sob ameaça. Para piorar a vida do Rubrão, o Goiás pode subir neste sábado caso vença e o Vila não ganhe do Criciúma. Mesmo caminho percorrerá o CSA, que sobe à Série A vencendo o Avaí que, por sua vez, tende a fazer confronto direto por uma vaga na última rodada, em casa, contra a indigesta Ponte Preta.

Classificação da parte de baixo da Série B / Reprodução / GloboEsporte.com

Emoções não vão faltar. Nos encontramos neste sábado, a partir das 18h, na Rádio Som Maior, para contar Vila Nova x Criciúma.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 16/11/2018 - 21:24Atualizado em 16/11/2018 - 21:28

A imagem é corriqueira mundo afora. Mas sempre que se repete, enche de euforia os tricolores daqui. "É o maior de Santa Catarina", repete-se nas redes sociais. E não foi diferente no fim da tarde desta sexta-feira quando, ao abrir imagens desde o estádio do Arsenal, em Londres, a Rede Globo flagrou alguns, não poucos, torcedores do Criciúma.

Orgulhosos, vestiam suas camisas do Tigre, das mais diversas épocas, com as mais diversas marcas estampadas entre o amarelo, o preto e o branco. E como são apaixonados esses torcedores que vivem da distância de casa. Eles, certamente, estariam no Majestoso contra o Sampaio Corrêa, no sábado da semana que vem, no confronto que possivelmente valerá a vida tricolor na Série B. E eles, certamente, não abandonarão o Criciúma caso o pior aconteça.

E carregavam uma faixa "Vamos, Tigre" daquela, dos tempos da Série A em 2013 e 2014. E gritaram pelo seu Criciúma, mesmo sabendo que a realidade hoje é tão distante daqueles impecáveis cenários de seleções e craques e dinheiro abundante do futebol europeu. Anos-luz. A milhares de quilômetros dali, o Criciúma chegava a Goiânia para uma decisão diante do Vila Nova. Pontuar na capital de Goiás será uma façanha.

Brasil comemora o gol feito no Uruguai / Foto: CBF / Divulgação

E enquanto os criciumenses de Londres se abalaram para assistir um Brasil 1x0 Uruguai com gol de Neymar cobrando pênalti - são cinco vitórias em cinco partidas do time do Tite após a queda na Copa do Mundo - os criciumenses daqui roem unhas diante da TV em um Londrina x CRB. Torcendo pelo azul do Londrina...

Solidário ao Criciúma, até o simpático Canarinho, que resgatou sua perdida fama do passado durante a Copa na Rússia, carregou as cores do Criciúma. Certamente a pedido da animada galera na capital inglesa, o mascote dedicou alguns segundos de sua corrida agenda em dia de jogo do Brasil para posar com a tricolor do Tigre. Que seja um bom presságio para que o povo tricolor não fique "pistola" nesses próximos e tensos dias.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 16/11/2018 - 20:38Atualizado em 16/11/2018 - 20:45

O Criciúma vive dias e horas de tensão com o risco de rebaixamento à Série C do Campeonato Brasileiro. O assunto esteve na pauta do Debate Aberto desta sexta-feira, véspera da partida do Tigre contra o Vila Nova neste sábado, em Goiânia.

A repetição de alguns erros ao longo da temporada, como as questões disciplinares e a limitação de investimentos, foram destaques. As dificuldades enfrentadas pelo técnico Mazola Júnior também. 

O Debate Aberto tratou nesta sexta, ainda, do programa Mais Médicos e o anúncio da saída dos profissionais cubanos do Brasil. Na região há previsão de forte impacto principalmente em Içara. O programa contou com as participações de Valdeci Rampinelli, Sarandi, Jonatas Roberge e Jairton Manique Barreto. Confira no podcast.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 14/11/2018 - 14:31Atualizado em 14/11/2018 - 14:37

Matematicamente, cinco times tem chances de cair para a Série C na última vaga do rebaixamento, e acompanhar Sampaio Corrêa, Juventude e Boa Esporte na queda. O crescimento recente do Paysandu fez aumentar, e bastante, o risco do Criciúma.

E tudo piorou ontem, com a vitória do Paysandu sobre o Figueirense por 3 a 2 em Florianópolis. Esta foi a pauta principal do Debate Aberto desta quarta-feira na Som Maior. 

Depois do empate em casa com o Goiás em 2 a 2, e antes de perder para o Londrina por 4 a 2, o Criciúma tinha 1% de risco de cair. Veio a derrota para o Londrina e o empate em casa com o CRB. Em paralelo, a ascensão do Paysandu. O risco, que era de 6% até ontem, subiu para 16% após a vitória dos paraenses em Floripa. 

Os cálculos acima são do portal Chance de Gol. O Criciúma pode fugir de vez do rebaixamento no sábado, se ganhar do Vila Nova e o CRB tiver perdido para o Londrina no sábado. Mas, por outro lado, o Tigre pode ir ao Z-4, caso o CRB vença o Londrina e o tricolor seja derrotado em Goiânia. Ou, ainda, se o CRB empatar no Paraná e o Criciúma perder por três ou mais gols de diferença.

Mazola avisou no sábado, após o 3 a 3 com o CRB, que era preciso "estar pronto para o pior" / Fotos: Guilherme Hahn / A Tribuna

Essas e outras no Debate Aberto de hoje, no qual estivemos com João Pedro Herrmann, Plácido Pizzetti, Antônio Sérgio Fernandes e Fabrício Schambeck. Confira no podcast.

 

Denis Luciano
Por Denis Luciano 13/11/2018 - 21:25Atualizado em 13/11/2018 - 21:31

O drama só aumenta para o Criciúma. O Figueirense vencia o Paysandu por 2 a 0 mas, uma virada nos acréscimos, deu mais um fôlego para o time paraense na luta contra o rebaixamento. Com os 3 a 2 anotados em pleno Orlando Scarpelli, chegou a 43 pontos, ficando atrás do Tigre somente no saldo de gols: -8 a -6. O resultado empurrou provisoriamente o CRB para a zona de rebaixamento, com 42 pontos.

Alagoanos e catarinenses ainda jogam na rodada. O CRB visita o Londrina na sexta-feira e o Criciúma encara o Vila Nova no sábado em Goiânia. Qualquer um dos três envolvidos pode fechar a rodada no Z-4, mas somente o Tigre pode abandonar de vez o descenso no fim de semana. Para tanto, precisará vencer o Vila Nova e torcer por derrota do CRB no Paraná.

Reprodução / GloboEsporte.com

Qualquer resultado que não seja vitória contra o Vila e o Criciúma dependerá da última rodada para escapar. Na pior das hipóteses, o Tigre pode até ir para o Z-4, caso seja derrotado por três ou mais gols de diferença em Goiânia e o CRB empate ou vença em Londrina.

Sobre a vitória desta terça do Paysandu, o Figueirense marcou seus gols com Elton, aos 6 e 13 minutos do primeiro tempo. A virada começou com Pedro Carmona cobrando pênalti aos 35 do primeiro tempo. Renato Augusto empatou aos 10 e Timbó virou aos 45 da etapa final. Pouco antes do terceiro o Paysandu teve um outro gol anulado.

Reprodução / PFC

O resultado deixou, ainda, sob remoto risco matemático o próprio Figueirense, com 46, e o Oeste, que tem 45 pontos e joga no sábado, em casa, diante do Goiás. Na última rodada os jogos que envolvem times sob risco de cair são Criciúma x Sampaio Corrêa, Paysandu x Atlético (GO), CRB x Figueirense e Boa Esporte x Oeste.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 12/11/2018 - 00:35Atualizado em 12/11/2018 - 00:54

O estádio Mário Balsini poderá ser capacitado para jogos noturnos do Próspera já na próxima temporada. "Estamos fazendo orçamentos sim", confirma o diretor do clube, Michel Silveira. "É que muitos clubes da Série B do Catarinense tem iluminação", observa o presidente Dorval Arriola. 

Os postes estão lá. "A canalização e as caixas necessárias também. Claro que precisamos revisar tudo, mas os postes, que são caros, nós já temos", observa Michel.

A estreia foi contra o Orleans, 5 a 0 / Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna / Arquivo

E o Time da Raça vai além no incremento da estrutura pensando no novo patamar que alcançou, com o título da Série C estadual conquistado no domingo passado. O clube recebeu, da prefeitura, a cedência do campo do bairro São Luiz para treinamentos. "Precisamos de obras lá, a prefeitura já se comprometeu em fazer o que precisa e nos ceder", detalha o diretor.

Ganhar um campo de treinamento no bairro São Luiz será um passo importante para outra ideia do clube, melhorar o gramado do Mário Balsini. "Já estamos fazendo uns tratamentos, queremos preservar no ano que vem o campo só para as partidas", comenta o presidente. Outra ideia é montar um campo para treinamentos no terreno defronte ao estádio prosperano.

Mais um reforço importante será o ônibus do Próspera. "Teremos um no ano que vem para as nossas viagens", anuncia Michel.

"Próspera teve a melhor média de público da história da Série C", anuncia o diretor Michel Silveira / Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna / Arquivo

E serão bem mais viagens do que nesta temporada, quando o Time da Raça esteve em Itajaí, Paulo Lopes e Orleans na primeira fase, Caçador na semifinal e voltou a Itajaí na decisão. Em 2019, serão nove jogos fora e nove em casa na primeira fase.

O calendário também será maior, com a competição iniciando entre junho e julho. A primeira reunião para organizar a Série B estadual do ano que vem já está marcada. Será no próximo dia 20. O Próspera vai encarar Concórdia e Inter de Lages, que vieram da Série A, mais os remanescentes da Série B: Camboriú, Fluminense de Joinville, Almirante Barroso, Blumenau, Juventus de Jaraguá do Sul, Guarani de Palhoça e Barra.

"Queremos no mínimo chegar entre os quatro para garantir uma vaga na Copa Santa Catarina, mas claro que sonhamos sim com o acesso", estima o presidente Arriola.

Paulo Baier e a torcida na final em Itajaí / Foto: Lucas Colombo / MC10

Ainda não há qualquer sinal de que Paulo Baier possa ser o técnico do Próspera no ano que vem. "Tem sondagens de outros clubes, já falaram dele no Brusque por exemplo", cita Michel. "Essa semana vamos começar a tirar o planejamento de 2019 do papel, mas não temos nada com o Paulo ainda", emenda o presidente.

O volante Jessé, destaque da Série C, foi emprestado para disputar o Campeonato Paulista. "Mas deve voltar para a Série B conosco, assim como o atacante Piauí, que voltou para o Salgueiro de Pernambuco mas o Próspera tem parte e ele volta para jogar o Catarinense com a gente", detalha o diretor.

Próspera quer melhorar o gramado e iluminar o Mário Balsini / Foto: Guilherme Hahn / A Tribuna / Arquivo

Ainda há algumas contas a pagar da temporada. "Tiramos dinheiro do bolso lá no início, mas depois vieram os patrocinadores, os parceiros, várias empresas que nos ajudaram e também o torcedor que se associou", conta o presidente. "Muitos reforços vieram nesse sistema, de empresa bancando diretamente jogadores", disse, quando questionado sobre qual a folha de pagamento do Próspera na conquista da Série C.

Arriola elogia a Federação Catarinense de Futebol (FCF). "Além de nos oferecer uma premiação boa, eles deram bolas e não pagamos arbitragens em dois dos cinco jogos em casa, e nos demais tivemos bons descontos. Isso valeu para todos os times". Entre as pendências, o prêmio e mais algumas despesas. "Mas coisa pequena, nada que nos tire o sono", garante.

Paulo Baier, sonho do Próspera para 2018 / Foto: Guilherme Hahn / A Tribuna / Arquivo

Vai levar mais de seis meses para o Próspera voltar a campo. "Teremos o Estadual de base, que deve ser sub-20 e vai começar antes da Série B. Vai ser bom para organizar o time profissional do ano que vem", conclui o presidente.

Denis Luciano
Por Denis Luciano 10/11/2018 - 22:43Atualizado em 11/11/2018 - 10:37

Os quatro pontos que resultaram de empates nas sete últimas rodadas, o tempo do jejum tricolor, estão castigando o Criciúma na Série B.

Com a vitoria do Paysandu sobre o Guarani em Campinas, 2 a 0 na noite deste sábado, complicou o Tigre. Ocorre que há uma combinação que coloca o Criciúma no Z4 no sábado que vem. Por outro lado, o Tigre pode escapar de vez em Goiânia.

Guarani 0x2 Paysandu / Foto: Letícia Martins / Guarani FC

Resta uma vaga no rebaixamento, pois já caíram Sampaio Corrêa, Juventude e Boa Esporte. Hoje o último rebaixado seria o Paysandu com 40 pontos. Ainda sob ameaça matemática estão CRB com 42, Criciúma com 43 pontos e Oeste, 45. O Figueirense com 46 tem remota chance de cair.

O Paysandu joga na terça em Florianópolis contra o Figueirense. Precisa vencer. Se ganhar, ultrapassa o CRB e empata com o Criciúma. O CRB visita o Londrina na sexta e o Criciúma encara o Vila Nova no sabado.

Na última rodada o melhor cenário é do Criciúma, que recebe o rebaixado Sampaio. Os demais concorrentes também jogam em casa, o Paysandu contra o Atlético-GO e o CRB diante do Figueirense.

Ou seja, o Figueirense está no caminho da fuga do Criciúma. Será bom para o Tigre torcer pelo Figueira...

(fotos: Guilherme Hahn/A Tribuna)

5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17