Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/08/2021 - 08:05Atualizado em 12/08/2021 - 08:05

Nós usamos o microfone para defender os interesses do lugar onde vivemos, para sustentar as bandeiras que interessam ao Sul catarinense. Para fazer com que ele seja a voz das pessoas e um instrumento aos contribuintes da nossa cidade. 

Por isso cobramos muito duplicação da BR-101 e fizemos campanhas e participamos de movimentos e mobilizações. Colocamos um microfone a serviço de tudo isso.
Depois brigamos pela duplicação do trecho Sul também da BR-101, quando só fizeram sentido norte. 

Em seguida, a conclusão do trecho Sul e a construção pela ponte de Laguna que estava atrasada.

Numa campanha eleitoral para presidente, entrevistamos quem venceu a eleição, que disse que faria a  ponte de Laguna e concluiria a obra logo no primeiro ano. Pois ganhou, assumiu e a obra não foi retomada. 

Colocamos no ar uma campanha com aquele trecho da entrevista, cobrando o cumprimento do compromisso assumido. 

Ouça o áudio completo abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2021 - 23:13Atualizado em 12/08/2021 - 08:31

O ex-governador e ex-prefeito de Criciúma, Eduardo Pinho Moreira, MDB, foi nomeado diretor do BRDE pelo governador Carlos Moisés, que está sem filiação partidária.

O ato de nomeação de Eduardo já está publicado no Diário Oficial.

Eduardo vai ocupar o cargo de diretor representante de Santa Catarina na diretoria do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Com a nomeação, Eduardo deve arquivar a candidatura a deputado estadual que vinha sendo articulada.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2021 - 18:34Atualizado em 11/08/2021 - 21:03

Para fácil entendimento, o curso de Medicina da UFSC de Araranguá é conquista da cidade e destaco o ex-deputado Jorge Boeira que pegou  assunto como bandeira, se empenhou e conseguiu. Talvez seja por isso, lamentável se for, que alguns políticos não querem se envolver.

Isso é da região, não é do Boeira!

O curso de Medicina para Araranguá traz receita para a cidade, tem gente do país todo morando na cidade por causa do curso. Alunos atendendo em postos de saúde. Quando chega na nona fase entra no chamado internato e poderão estar habilitados para atender no Hospital Regional de Araranguá, na UPA. Trabalharam na campanha de vacinação. São muitas e muitas vantagens.

A origem de tudo é que o curso foi implantado e para começar a funcionar precisa em  torno de 60 professores e 30 técnicos. Na primeira fase não precisa tudo isso, então, o compromisso assumido era ter o básico e ir ampliando conforme a necessidade.
Começou com 26 professores e sem técnicos. Só que já está na sétima fase e está assim até agora. O curso já teria parado em 2019 se não fosse a pandemia. As aulas presenciais pararam e foi para o virtual, mas nem o virtual está com condições de manter.

Os alunos tentaram muitas reuniões e não resolveu, por isso protocolaram uma notificação ao Ministério Público Federal (MPF) contra a reitoria da UFSC pelos problemas identificados.

Eles querem que a universidade se explique e garanta o prosseguimento das aulas. Se não for restabelecido, que se abra uma ação civil para investir.

Esta situação é grave. O problema não é dos alunos, é de toda a região. O prefeito deveria ter assumido a dianteira disso. Envolver os deputados.

A Aciva está cumprindo o seu dever. Tentou audiência com o prefeito e conseguiu só para a semana que vem. Os deputados federais precisam se envolver, pois isso também envolve o Ministério da Educação, para que uma solução seja encontrada.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2021 - 16:33Atualizado em 11/08/2021 - 16:50

Os alunos do curso de medicina da UFSC, campus de Araranguá, através do Centro Acadêmico Livre, protocolaram agora à tarde no Ministério Púbico Federal representação contra a reitoria da Universidade pelos problemas identificados no curso, que podem levar a paralisação das atividades até outubro.

O advogado Leandro da Silva Costa é quem representa os acadêmicos.

O assunto foi levado à publico nesta semana pelo presidente da ACIVA (Associação Empresarial do Vale do Araranguá), depois de ouvir relatos dos acadêmicos, e documentos, indicando que o curso será paralisado em outubro (total ou parcialmente), se providências não forem tomadas.

A principal causa é falta de professores.

Na representação, o advogado Leandro Costa pede que a reitoria da UFSC seja intimada para que apresente esclarecimentos sobre as irregularidades apontadas e outros fatos noticiados no documento, alem de apresentar plano de ações efetivas para assegurar o regular prosseguimento do curso.

Na hipótese de ser confirmada a paralisação do curso a partir da sétima fase, pede que seja promovida a abertura de inquérito civil para apuração de ilícito administrativo omissivo, responsabilizando pessoalmente os administradores pelos prejuízos aos acadêmicos e ao erário público.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2021 - 16:17Atualizado em 11/08/2021 - 16:19

2ª Vara da Fazenda concede liminar para o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma (SISERP) proibindo a Prefeitura de Criciúma de anotar faltas e proceder qualquer desconto salarial em relação aos servidores da rede de educação pública municipal enquanto durar a pandemia de Covid-19.

Veja Decisão

A 2ª Vara da Fazenda de Criciúma, concedeu liminar em favor do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região , Siserp, em face da Prefeitura Municipal de Criciúma.
A decisão de caráter liminar foi proferida através do Agravo de Instrumento n. 5041671-40.2021.8.24.0000/SC, ao qual o regime de trabalho remoto foi mantido em relação aos servidores da rede de educação que se enquadraram nos grupos de risco de contágio para o Covid-19. 
Segundo o Magistrado Evandro Volmar Rizzo, “com base nos fatos trazidos à apreciação judicial, a conduta adotada pela Fazenda Pública Municipal de Criciúma de exigir o retorno imediato dos servidores às atividades presenciais sob pena de registro de falta e desconto salarial afronta a decisão judicial, na medida em que visa unicamente coagir os trabalhadores a não se beneficiarem daquilo que lhes foi assegurado judicialmente.
O Magistrado pontuou também, “que no atual contexto pandêmico, os descontos realizados pelo Município, são aptos a afetar o orçamento familiar dos servidores e ocasionar danos irreparáveis.”
Segundo o jurídico da entidade, o advogado Fábio Colonetti @fabiocolonetti , ressalta a importância da decisão, “para os servidores municipais de Criciúma, possam atuar de forma remota, sem ameaça que vinham sofrendo do desconto dos dias”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/08/2021 - 07:39Atualizado em 11/08/2021 - 09:05

Vamos voltar para 1995: Em Brasília, o Governo Federal tomava medidas que levariam a  lona um banco da Bahia.

Políticos baianos tentaram e nada resolveram. O governo seguia determinado, até que um dia todos os deputados federais da Bahia, governadores, presidente da Assembleia Legislativa e outras autoridades entraram no Planalto do Palácio adentro.

Anunciaram: - estão mexendo com os interesses, nosso partido é a Bahia e queremos a solução! 

Depois seguiram até o gabinete do presidente, Fernando Henrique Cardoso. 

Com os encaminhamentos normais , não foi possível resolver, então apelaram para a forma política e resolveram. 

Pois eu lembrei disso nesta terça-feira, 10, quando tratamos um assunto no programa Ponto Final, da rádio Som Maior. Falamos sobre as negociações da Usina Termelétrica Jorge Lacerda.

Ouça o áudio completo abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/08/2021 - 19:23Atualizado em 10/08/2021 - 19:56

As notícias de Brasília nesta terça-feira, 10, não foram nada empolgantes.

Comitiva de lideranças da região foi em busca de solução para o Complexo Jorge Lacerda. O problema não é a Engie. Ela a Usina comprou do Governo Brasileiro e pagou.

O Governo Brasileiro fez concessões para funcionamento da Jorge Lacerda, concedeu subsídio no preço do carvão. Não vou dizer se é certo ou errado.

Passou a cobrar Cofins de hoje e do passado. A FRAM só compra se tiver subsidio, se tiver encaminhamento para o passivo ambiental. Este é o X da questão.

O governo tem hoje a posição de não conceder subsídio, nem estímulos fiscais e não isentar a cobrança de Cofins. O ministro lançou uma política do carvão, mas se não resolver a situação da Jorge Lacerda, para aonde vai o carvão daqui? Se não resolver esta questão do estímulo, a Jorge Lacerda fica comprometida.

 Se não vender, fecha. E o único comprador diz que se não tiver estimulo, não compra.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/08/2021 - 07:37Atualizado em 10/08/2021 - 07:44

A vacinação está avançando e o número de internados está caindo. Isso é muito bom, era o que se esperava. As informações são positivas, mas o médico Márcio Bittencourt, de São Paulo, uma das maiores autoridades do Brasil no assunto, disse “ainda não é hora de ficarmos brincando de normalidade". 

Além disso, o doutor Renato Matos, do nosso blog do 4oito, também ressaltou esse alerta. Não é momento de baixar a guarda e fazer de conta que a pandemia acabou. É preciso convencer quem não quer vacinar.  Estamos na situação de fevereiro, quando chegamos a 20 pessoas hospitalizadas e logo veio a variante gama, quando tivemos os piores meses da pandemia. Nos Estados Unidos, uma pesquisa mostrou que 97% das pessoas internadas não estão vacinadas. 

Uma dose da vacina contra a Covid-19 tem eficácia de 30%, já as duas atingem 80%. Estimule as pessoas, quem não se vacinou pode comprometer todo o processo de luta contra a pandemia.

Ouça o áudio completo abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/08/2021 - 05:45Atualizado em 10/08/2021 - 07:01

Aumenta a preocupação com o futuro do setor carbonífero do sul catarinense.

Governo Federal repetiu ontem, de maneira oficial, que não vai conceder novos subsídios e nem estender o que já existem para operação da Usina Termelétrica Jorge Lacerda, de Capivari de Baixo.

Decisão pode inviabilizar a negociação para venda da Usina e coloca em risco a continuidade da sua operação e do setor carbonífero.

O prefeito Clesio Salvaro, de Criciúma, está em Brasília. Viajou ontem. Vai participar de reuniões para tentar reverter a decisão.

A psição do Governo veio à público durante a apresentação do Programa Para Uso Sustentável do Carvão Mineral Nacional, aprovado pelo Ministério de Minas e Energia.

A proposta envolve a modernização do parque gerador a carvão no Sul do país, por meio da contratação de energia de termelétricas que irão substituir usinas já desativadas e as que estão em final de vida útil e deverão ser desmontadas nos próximos anos.

Tinha tudo para ser apenas boa notícia.

Mas, foi feito o adendo que teve o efeito de uma ducha de água gelada:

"A contratação de energia proposta pelo governo tem como premissas um requisito mínimo de eficiência na geração; ausência de ônus para o Estado e a não concessão de novos subsídios, nem a extensão dos já existentes; além das adoção de tecnologias ambientalmente apropriadas na mineração e uso do produto".

A portaria que trata do programa foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira, 9 de agosto.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/08/2021 - 20:01Atualizado em 09/08/2021 - 20:07

O governador Carlos Moisés da Silva (sem partido), deve vir à região na segunda quinzena de agosto para assinatura da Ordem de Serviço para as obras de pavimentação da Serra do Corvo Branco.

Na ocasião, ele deve esticar a agenda até Criciúma para convênios com a cidade. 

Este é o encaminhamento da viagem do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) a Florianópolis nesta segunda-feira, 9.

São convênios importantes. Fala-se em repasse de R$ 25 a 30 mil em investimentos. 

Entre os projetos de Salvaro, está a transformação do Hospital Rio Maina em hospital geral pelo SUS. Tipo o Hospital São José, que é filantrópico e atende pelo SUS.

O prefeito tem encaminhamento ainda convênio com a Casan, continuação do Anel Viário, entre outros. Foi tudo isso que ele tratou hoje em Florianópolis.

Amanhã, o prefeito participa em Brasília de reunião sobre a Usina Termelétrica Jorge Lacerda e consequentemente sobre a cadeia do carvão.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/08/2021 - 07:49Atualizado em 09/08/2021 - 07:49

Esta segunda-feira, 9, um dia especial para todos nós da Som Maior. Temos novidades no ar, a partir de hoje, a informação ao vivo começa mais cedo com o jornalista Denis Luciano começando às 6h da manhã, no programa As Primeiras do Dia. São atualizações, informações e destaques

Às 9h teremos o Conexão Sul sendo apresentado pelo jornalista Vitor Netto, junto com Natália Silveira. Outra informação é que também teremos mais espaço para o Som Maior Esportes, que começará às 11h. 

Será uma mesa com a coordenação de João Nassif, junto a Heitor Araújo que irá alimentar com as últimas notícias do Criciúma, presença do Mário Lima e um convidado diferente por dia. Hoje, o programa terá a presença especial do Capitão Itá e João Pedro Hermann. 

Ouça o áudio completo abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/08/2021 - 07:38Atualizado em 09/08/2021 - 07:40

Clésio Salvaro continua sendo o “number one” de Criciúma e região para eleição de 2022.
Ele ainda não se assume candidato a governador, ou a vice, e faz bem.
Como é prefeito, se disser agora que está buscando candidatura e depois não conseguir, vai contabilizar uma derrota política de graça.

Mas, Clésio já moldou o discurso.
Antes, dizia que cumpriria o mandato de prefeito até último dia.
Agora, diz que o seu foco é Criciúma, com os desafios da hora. 
Isso hoje. Amanhã, vai depender das circunstâncias de amanhã.

Para a eleição majoritária, governador ou vice, Criciúma e região ainda tem Jorge Boeira, Daniel Freitas e Geovânia de Sá.
Jorge, que está no PP, depende de Esperidião Amin (do seu projeto e sua vontade).
Amin não é presidente do partido, mas dá as tintas, define o norte.
Se estiver mesmo decidido, talvez Boeira tenha que trocar de partido para viabilizar o projeto de candidatura a governador (ou vice).

Geovânia depende de Clésio. Os dois são os principais ativos eleitorais do PSDB catarinense.
Se ele não disputar ano que vem, ela passa a ser excelente opção para compor de vice com qualquer um dos candidatos.

Daniel, depende da chapa bolsonarista que será montada.
Ele pode ser ótima opção para vice de Jorginho Mello, por exemplo. 
Vai depender das outras articulações (e alianças) que Jorginho venha a fazer, que envolvam vagas na chapa.

O que é certo é que a região está mobilizada, a conversa está na rua, e em todas as reuniões formais e informais do setor produtivo, sobre eleger um governador ou vice em 2022.
A região até hoje não elegeu um governador do estado.

Para eleição de deputado estadual o quadro é diferente.
Já tem 15 em campo.
Poucos definidos mesmo. Maioria, ainda especulação. O número pode aumentar (diminuir é improvável).

Definidos, fato consumado:
Deputado Jessé Lopes (PSL, a caminho do PTB), deputado Rodrigo Minotto (PDT) e deputado Júlio Garcia (PSD), candidatos a reeleição, e Márcio Búrigo (PL), ex-prefeito de Criciúma.

Prováveis:
Valmir Comin (PP), Júlio Bittencourt (PT), Giovana Mondardo (PCdoB), Fábio Brezola (PSB), Júlio Kaminski (PSL), Camila do Nascimento (PODEMOS), Lisi Tuon (DEM), Eduardo Moreira ou Dr Aníbal, ou os dois (MDB).
São 12 ou 13, dependente do MDB.

Ainda vão entrar na lista os nomes do PSDB 
Tem cinco pré-candidatos, o partido deve escolher dois, mas há movimentos internos para ficar só um. Estão no páreo: Arleu da Silveira, Dóia Guglielmi, Aroldinho Frigo, Acélio Casagrande e Cleiton Salvaro.

Sobe para 14 ou 16

Existe ainda a possibilidade de o vice-prefeito Ricardo Fabris (PSD) disputar a eleição para deputado estadual, se o prefeito Salvaro não renunciar para disputar o governo.
O número então pode subir para 16.

São muitos nomes. A região corre o risco de “espalhar" os votos e acabar potencializando poucos para uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Fazer uma boa “bancada" de deputados da região é importante.
Não resolve tudo o que se precisa.
Mas, ajuda muito.
Principalmente se não tiver governador ou vice.

A representação política tende a fortalecer e facilitar o fluxo de projetos nas instâncias de poder do estado.

Hoje, a região tem oito deputados de todo o grande Sul, mas só de Criciúma e o seu entorno são cinco (Vampiro, Júlio Garcia, Minotto, Jessé e Ada de Luca). 
A partir do trabalho de todos eles, por exemplo, que foi destravado o processo do Centro de Inovação de Criciúma e assegurados os recursos para as obras, que vão ter início durante agosto (finalmente !!!).

Outras ações e obras foram encaminhadas, além do Centro de Inovação.
A mostrar a importância também de uma boa representação parlamentar.
E por isso, tem que cuidar para não ter candidato demais..

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/08/2021 - 08:29Atualizado em 06/08/2021 - 08:29

Eu nunca andei de skate, mas fiquei empolgado com a pista que foi construída em Criciúma, principalmente com aquele evento do STU National com os melhores skatistas do país. Na época, foi colocado na mídia nacional e internacional. 

Assisti todas as provas porque era da minha cidade, era esporte e energia. Me emocionei ao ver o Pedro Barros, que participou desse evento, colocando a medalha de prata em Tokyo nas Olimpíadas. Também com a história de Darlan, atleta de arremesso de peso que ficou em quarto lugar e teve que vencer a Covid-19 e uma hérnia de disco. 

A maioria dos atletas brasileiros têm histórias bonitas e emocionantes, carregadas de dificuldades. São as olimpíadas que colocam isso na tela, diante dos olhos de todos, e agora estão chegando ao fim. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/08/2021 - 19:18Atualizado em 06/08/2021 - 09:02

A SC-445 para Içara é como a Centenário para Criciúma. Vai da BR-101 ao limite com Criciúma. Sem dúvida é a obra mais importante de Içara. A principal obra do governo da prefeita Dalvania e uma das mais importantes da região.

Na época falaram que vinha a Via Rápida e ai esqueceram a SC-445, mas ela é um caminho de negócios. A SC-445 continua sendo uma via importante. Todos os dias tem congestionamento. 

A prefeita foi ao governador tratar do assunto e ver a forma mais rápida de fazer. Em 2014 havia um projeto, quando Paulo Meller era secretário, mas era muito complexo. O que tem que fazer ali é uma continuidade da Via Rápida. Acostamento, duas pistas, passarelas. Adequações estão sendo feitas ao projeto. 

O deputado José Milton tem trânsito no governo, levou a prefeita e o governador mandou assinar e pediu a adequação. Está nas mãos do secretário Tiago Vieira;

O que é mais importante para Içara hoje? A SC-445! Importante o passo que a prefeita dá. Importante a sinalização do governo.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/08/2021 - 15:15Atualizado em 05/08/2021 - 15:25

A duplicação da SC-445, Rodovia Paulino Búrigo,  que corta o centro de Içara, foi discutida hoje pela manhã, em Florianópolis, entre a prefeita Dalvânia Cardoso e o governador Carlos Moisés.

A prefeita recebeu do governador a garantia de assinatura de um Termo de Cooperação para fazer as adequações ao projeto de duplicação e humanização da rodovia elaborado em 2014.

Nos próximos dias, a prefeita vai encaminhar à Câmara Municipal um projeto de lei para autorizar a assinatura do termo.

“Com esse termo de cooperação vamos trabalhar juntos para aumentar a capacidade da rodovia, mas mantendo a conexão dela com a cidade pois é uma rodovia urbanizada”, comentou o governador.

“Recolocamos esse projeto na pauta do Governo do Estado. Vamos readequar o que for preciso e vamos voltar a Florianópolis com a sinalização da boa vontade do governador em executar essa obra”, comemorou a prefeita Dalvânia Cardoso.

“Eu também sou empresário e sei muito bem qual é a importância de ter uma rodovia como esta, interagindo urbanisticamente com a cidade e não a dividindo”, completou o vice-prefeito Jandir Sorato, presente na audiência.

No encontro,  o  governador sugeriu que fosse analisada a possibilidade de colocação dos corredores de ônibus na lateral de fora das pistas e não no centro, conforme uma simulação de projeto apresentada. Pediu, ainda, que fossem consideradas as características históricas e econômicas da rodovia.

No encontro, também foi firmado o convênio para a construção da ciclofaixa da obra de pavimentação da rodovia Manoel Gregório Pacheco, conhecida como Rodovia dos Trilhos.

Também participaram do encontro o deputado estadual José Milton Scheffer e o empresário içarense Agenor Castagna.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/08/2021 - 07:04Atualizado em 05/08/2021 - 11:33

Tem fato novo no caso da Usina Jorge Lacerda.

Usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, é para onde vai todo o carvão retirado pelas carboníferas da região sul catarinense.
A Usina era estatal, do Governo Federal, foi privatizada, é da Engie, empresa de um grupo da França.
A Engie decidiu que não quer mais operar com carvão e anunciou que iria fechar a Usina. Marcou data para isso.
Mas, se parar a usina, pára tudo que envolve carvão na região. Todas as carboníferas, e os milhares de negócios e empregos no seu entorno.
Então, para não produzir o caos, a Engie aceitou vender a Usina, e as negociações estão se encaminhando desde o inicio do ano. 

Então, o fato novo.

O presidente da Engie Brasil, Eduardo Sattamini, informou ontem, por ofício (foto abaixo), ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Usina Jorge Lacerda, Luíz Antônio Barbosa:
"A negociação de venda do complexo termelétrico Jorge Lacerda para a Fram Capital, iniciada em fevereiro deste ano, evoluiu de maneira satisfatória, com conclusão do negócio prevista o final deste mes de agosto"

Mas, o presidente ressalta:
"Para que a operação ocorra com êxito, no entanto, são necessárias ações nos âmbitos ambientais e fiscais junto aos governos federal e estadual para equalizar condições que incidem diretamente na manutenção da operação do complexo temelétrico Jorge Lacerda”.

O presidente da Engie informa ainda que o potencial comprador, Fram Capital, está participando das discussões mais relevantes.

É o fato novo, e relevante no caso.
Uma manifestação oficial, documentada, do presidente da Engie sobre a situação do negócio.

Ao mesmo tempo em que se trata de uma boa noticia, é um sinal de alerta. Uma informação que preocupa.

Uma noticia boa na medida em que aponta para uma perspectiva de conclusão do negócio nos próximos dias.
O presidente da Engie estabelece final de agosto como prazo para fechamento do negócio.

Mas, a manifestação alimenta uma inquietação porque as pendências que existiam no caminho no final de 2020, permanecem. 
E ainda surgiram novas.

De início, o que pegava era a manutenção do subsídio no preço do carvão (que tem data para terminar), manutenção de benefícios fiscais e tributários, e solução para a conta do passivo ambiental. Tudo a tratar com Governo federal.

Nada disso foi resolvido.

E ainda surgiu uma divida milionária de Cofins, que não existia, porque a Usina era isenta, mas o Ministério da Economia, Governo Federal, derrubou a isenção e está cobrando a partir de agora e todo o passado.

O prazo para conclusão das negociações era junho, passou para julho, estamos em agosto, e agora o prazo apontado é final do mês.

Sinal de alerta ligado.
A parte que está bem encaminhada é a mais fácil.
É o movimento de quem não quer mais o negócio, que estava decidido a fechar a Usina, com quem aceita comprar, desde que tenha garantia que vai ter determinadas vantagens para ter certeza que vai ganhar, sem risco.

Desde o inicio estava claro que o nó a desatar estava em Brasilia, Governo Federal.
E até agora não foi desatado.
E o tempo está passando.

E a ameaça à economia do sul do estado permanece viva.
É preciso que ela seja vencida, para evitar uma tragédia na economia do sul.
Como? O que fazer? Não sei.
Mas, tem que evitar a tragédia.

Ouça o comentário abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/08/2021 - 17:02Atualizado em 04/08/2021 - 17:12

O ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, PSD, esteve hoje à tarde com o prefeito de Criciúma, Clesio Salvaro, PSDB.

Participou da reunião o vice-prefeito Ricardo Fabris, PSD.

Napoleão reafirmou intenção de disputar a eleição de 2022 como candidato a governador e que está bem impressionado com a receptividade das suas propostas com os filiados do partido.

Ele está cumprindo agenda pelo estado em reuniões com filiados, entidades, universidades e autoridades.

Na sexta-feira, o presidente nacional do PSD. Gilberto Kassab, assegurou em Florianópolis que o PSD terá candidato a governador, descartando qualquer possibilidade de apoio para candidato de outro partido.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/08/2021 - 09:09Atualizado em 04/08/2021 - 10:59

Governador Carlos Moisés vai cumprir agenda administrativa a partir de amanha, e até sexta-feira à tarde, em Laguna, Pedras Grandes e Grão Pará.

Em Pedras Grandes, na sexta-feira, vai assinar atos para obra na rodovia da Imigração Italiana, projeto encaminhado pelo prefeito Aguinaldo Felipe, de Pedras Grandes.

 Em Grão Pará, serão assinados atos para retomada da obra de pavimentação da Serra do Corvo Branco.

Amanhã,  em Laguna, o Governador vai receber titulo de "cidadão honorário" da cidade e participará de cerimônia em comemoração ao Bicentenário de Anita Garibladi.

 

Daniel no PTB ?

O ex-presidente da Fundação Cutura de Criciúma, Júlio Lopes, que acaba de assumir a coordenação regional do PTB e presidência do partido em Criciuma, projetou hoje cedo na rádio Som Maior que o deputado federal Daniel Freitas deve migrar para o PTB.

Daniel já foi convidado e pediu tempo para avaliar. Ele ainda está filiado ao PSL.

Julio lembrou que levou Daniel ao PSL para ser candidato a deputado federal em 2018. Disse que na época defendeu a sua candidatura ao Governo do estado, mas ele não aceitou.

Júlio é pai do deputado estadual Jessé Lopes, que já definiu que vai para o PTB para ser candidato à reeleição.

Outro deputado estadual do sul que que vai para o PTB é Felipe Estevão, também filiado hoje ao PSL.

Só que Felipe será candidato a deputado federal.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/08/2021 - 07:35Atualizado em 04/08/2021 - 07:35

Estamos em clima de olimpíada, nos emocionamos com as medalhas e histórias dos nossos atletas. Muitas delas são de garra e determinação, marcada por dramas. 

A grande maioria vem de favela e depende de alguma entidade ligada ao esporte ou algum programa e entidade. A par de tudo isso fica evidente a falta de apoio oficial público do esporte amador, além de incentivo para crianças e jovens. 

No país, não existe mais nem Ministério do Esporte, nem no estado não existe Secretaria para tratar a respeito. 

Hoje a gente se emociona com os jovens que sobem no pódio, mas deveríamos aproveitar o ambiente para cobrar políticas públicas de apoio ao esporte. 

Confira o áudio completo abaixo:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/08/2021 - 06:30Atualizado em 04/08/2021 - 06:33

Os deputados estaduais vão aprovar hoje à tarde por maioria amplade a reforma da previdência dos servidores.
Os textos da reforma passaram por maioria dos votos ontem nas comissões permanentes da Assembléia.
Mas, os deputados ainda discutem a alíquota de 14% estabelecida aos servidores aposentados com salário acima de um salário mínimo. Hoje o desconto é para quem ganha acima de R$ 6 mil.  A tentativa da Assembleia é incluir uma compensação. O governo nao deve ceder.
A votação em plenário está marcada para a sessão a partir das 14h.
Antes, às 11h, haverá uma reunião de líderes de bancada vai encaminhar os pontos finais.

Ontem, o deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) reforçou da tribuna da Assembleia a necessidade da Reforma da Previdência Social do Estado. No entanto, ponderou que apesar dos esforços do Governador Carlos Moisés e dos avanços na discussão do assunto, a reforma precisa ser mais justa e coerente.

    “O Governo apresenta um déficit anual de R$ 4,8 bilhões com a previdência, mas os números apresentados em cruzamento com a Lei vigente mostram um valor muito diferente. Precisamos saber qual é realmente o déficit da Previdência Estadual”, destacou.

    Minotto apresentou que o gasto do Iprev em 2020 foi de R$ 6.973.982.337, sendo que R$ 2.217.673.463 da parte dos servidores que contribuem com 14%, e o restante, R$ 4.756.308.874 da parte do Governo, porque conforme a Lei Complementar 662, 11 de dezembro de 2015, sem seu Artigo 6º, o Governo contribuirá com percentual em dobro do que os servidores. Na avaliação de Minotto, o déficit real da previdência seria de apenas R$ 320.961.948, já que a parte patronal deveria ter sido de R$ 4.435.346.926.

    “Portanto não são R$ 4,8 bilhões. Essa reforma é dura com os servidores da segurança pública civil, com os servidores da educação e com aposentados e pensionistas. A reforma não pode atrapalhar a vida do servidor que contribuiu por 30, 35 anos e chega agora terá que contribuir novamente com mais 14% do seu benefício”, frisou.

    “Tenho certeza de que até a votação amanhã vamos avançar nas discussões. Reforço a necessidade e a importância da reforma da previdência, mas sabemos que milhares de servidores estão sofrendo, estão dias e dias sem dormir, porque terão um prejuízo de 14% nos seus vencimentos”, finaliza.

3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15