Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/10/2018 - 19:12Atualizado em 03/10/2018 - 19:16

Ibope acaba de divulgar o resultado de mais uma pesquisa de intenção de voto para presidente.

De novo, Bolsonaro subiu, mas desta vez Haddad também.

Em relação a pesquisa anterior (de segunda-feira), Bolsonaro passou de 31% para 32% e Haddad foi de 21% para 23%.

Ciro caiu um ponto - de 11% com 10%. Alckmin também caiu um - de 8% para 7%.

Marina se manteve com 4%. 

Os indecisos foram de 5% para 6% e os brancos ou nulos, de 12% para 11%.

Contando apenas os votos validos, Bolsonaro tem 38%, Haddad 28%. 

Os numeros:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/10/2018 - 06:11Atualizado em 03/10/2018 - 07:06

Professor Renato Rampinelli, diretor do Instituto IPC, analisando os números do Ibope de segunda-feira à noite, projetou ontem que Jair Bolsonaro (PSL) pode ganhar a eleição para presidente no primeiro turno se atingir entre 39% e 40% das intenções de votos. Seria o suficiente para fazer mais de 50% dos votos validos.

À noite, o Instituto DataFolha mostrou que Bolsonaro já chegou a 32% das intenções de voto. Se considerar a margem de erro, de dois pontos, ele pode estar com 34%. A mostrar que está perto da vitoria no primeiro turno.

Além disso, o principal adversário, Fernando Haddad (PT), caiu um ponto nas intenções de voto e aumentou o percentual de rejeição. E os outros, ou estagnaram, ou caíram. Sinal que o voto útil está funcionando a favor de Bolsonaro.

O sentimento antipetista está decidindo a eleição.

Quando ficou evidente que a eleição seria decidida entre a volta do PT ou Bolsonaro, e que Bolsonaro perderia no segundo turno, acabou prevalecendo o voto útil. Para não correr o risco de ter a volta do PT ao poder.

Geraldo Alckmin (PSDB) contribuiu para isso, quando passou a alertar para a possibilidade real se o PT vencer no segundo turno contra Bolsonaro. Mas, não se beneficiou. Ajudou Bolsonaro, que foi quem encarnou o sentimento anti-PT.

Até 2014 esse espaço era do PSDB, mas o partido se perdeu pelo meio do caminho. E Alckmin pagou a conta.

Além disso, Bolsonaro conseguiu se colocar como o depositário da indignação do cidadão comum pagador de impostos (e de todo tipo de indignação).

É verdadeiro que pesquisa constata tendências e movimentos do eleitorado, não é antecipação de resultado. Tudo pode mudar até domingo. Mas, só se tiver um fato muito importante, uma bomba, para conseguir conter a água que começa a descer morro abaixo.

Ou, a onda pode aumentar e virar tsunami.

 

Os números

Pesquisa DataFolha, de ontem à noite: Bolsonaro 32%, Haddad 21%, Ciro 11%, Alckmin 9%, Marina 4%

Bolsonaro subiu de 28% para 32%, Haddad caiu de 22% para 21%, Ciro repetiu o que ja tinha, Alckmin caiu de 10% para 9% e Marina caiu de 5% para 4%.

Os outros: Amoedo 3%, Alvaro Dias, Meireles e Cabo Daciolo estão empatados com 2%. 

Pela movimentação dos números, Alvaro Dias e Meireles, caindo, podem perder para o Cabo Daciolo, subindo. 

E Marina, caindo, deve ser superada por Amoedo, subindo.

 

Querem Bolsonaro, e querem o PT

Em Santa Catarina, o quadro é outro. Decisão em primeiro turno, sem chance.

Segundo turno deve ser disputado entre Mauro Mariani (MDB) e Gelson Merisio (PSD).

Merisio já está com Bolsonaro e vai tentar o seu apoio. 

Mariani também vai fechar com o “Mito" e espera neutralizar eventual apoio a Merisio pelos deputados Peninha e Colato (ambos MDB), amigos pessoais de Bolsonaro.

Mas, tanto Merisio quanto Mariani querem os votos do PT. E já negociam para isso.

 

As ondas

Decio Lima (PT) chegou a alimentar a possibilidade de buscar uma vaga no segundo se tivesse uma “onda Haddad” no estado. Que não aconteceu. 

Agora, Decio tem que cuidar para que a “onda Bolsonaro” não cole no Comandante Moisés.

 

Declaração de voto

Na sessão de ontem à noite da câmara de Criciúma, o vereador Ademir Honorato (MDB) fez discurso citando versículos da Bíblia e encerrou com a frase/slogam de Bolsonaro - “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

 

Fazendo as contas

Ainda tem muito voto sendo dado para candidato de fora, mas pelas contas, considerando o volume de campanha dos candidatos e os levantamentos feitos, é possível projetar para Criciuma a eleição de 3 a 4 federais (com uma surpresa) e 5 a 6 estaduais (também com uma surpresa).

 

Três na disputa

A eleição para o senado em Santa Catarina está sinalizando para uma disputa tripla pela segunda vaga. Raimundo Colombo (PSD), Paulo Bauer (PSDB) e Jorginho Mello (PR).

A primeira parece encaminhada para Esperidião Amin (PP)

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/10/2018 - 19:07Atualizado em 02/10/2018 - 19:11

Acaba de sair pesquisa DataFolha sobre eleição presidencial. Pesquisa nacional.

Jair Bolsonaro (PSL) cresceu quatro pontos percentuais e ultrapassou, pela primeira vez em pesquisa do DataFolha, a barreira dos 30% e abriu vantagem sobre o segundo colocado, Fernando Haddad (PT), que parou de subir. 

Jair Bolsonaro passou de 28% para 32%;  Haddad baixou de 22% para 21%; Ciro sem manteve com 11%; Alckmin baixou de 10% para 9%; 

Os indecisos se mantiveram em 5% e os brancos ou nulos, baixaram de 10% para 8%.

Os numeros dos DataFolha confirmam a mesma tendência apontada pelo Ibope de possibilidade de vitoria de Bolsonaro no primeiro turno.

Os números:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 32%
  • Fernando Haddad (PT): 21%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
  • Marina Silva (Rede): 4%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 2%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • Branco/nulos: 8%
  • Não sabe/não respondeu: 5%
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/10/2018 - 06:55Atualizado em 02/10/2018 - 08:58

O candidato a governador do PT, deputado Décio Lima, falaria hoje às 7h35min, ao vivo, na Rádio Som Maior FM, na sequência da série de entrevistas com os candidatos na reta final da campanha. Estava marcado, e confirmado. Mas, ele mesmo telefonou para pedir que fosse remarcado para amanhã, porque quer ficar o dia todo se preparando para o debate na NSC TV, à noite. 
A decisão de Décio Lima deixa evidente a importância que está sendo dada ao debate de hoje à noite, o último da campanha.
E não só por ele. Os candidatos Gelson Merisio (PSD) e Mauro Mariani (MDB) também alteraram suas agendas. Ficarão boa parte do dia “concentrados”.
Isso tem a ver com as circunstâncias que marcam a eleição de 2018.
Um prefeito da região disse ontem: “sinceramente eu não sei o que virá das urnas no domingo, o ambiente na rua é muito estranho”.
Em outros tempos, nessa época a campanha para governador tomava conta das ruas. Hoje, não se vê praticamente nada. Ou, nada que seja espontâneo.
Para presidente, todo mundo tem opinião, tem argumentos, topa discutir. Mas, para governador, nada.
Por isso, um deslize maior, um “tiro certo” ou um fato novo relevante no debate de hoje pode efetivamente mudar o que está projetado.
No sábado, durante um casamento com mais de 600 pessoas, em Criciúma, o assunto mais falado foi eleição. Mas basicamente sobre Bolsonaro x Haddad, Ele sim x Ele não, porque Alckmin não subiu, a performance de Amoêdo e os movimentos de Ciro. Ninguém queria tratar da eleição para governador. 
O que mais se ouvia era “para governador, ainda não sei”!
Isso porque os candidatos não empolgam, não apresentaram propostas impactantes, fizeram campanhas frias.
E aí, ninguém briga por eles, ninguém fala deles.

Referência em pesquisa
O RUF (Ranking Universitário Folha), elaborado pela Folha de São Paulo, divulgado ontem, coloca a Unesc entre as 10 universidades não públicas do país que se destacam em pesquisa. É a universidade não pública do estado.
A Unesc ficou em sétimo lugar nesse indicador.
A fórmula do ranking da Folha é baseada em cinco indicadores - ensino, pesquisa, mercado, inovação e internacionalização.

Pesquisa IBOPE
O IBOPE divulgou ontem à noite nova pesquisa nacional sobre a intenção de votos para presidência da República.
Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos e agora tem 31%.
Haddad repetiu o mesmo número da pesquisa passada - 21%.
A rigor, Bolsonaro foi o único que cresceu.
Os indecisos foram de 7% para 5% e os brancos ou nulos, de 11% para 12%.

Jorginho com Bolsonaro
O candidato ao Senado, deputado Jorginho Mello (PR), trata de colar seu nome com Jair Bolsonaro na reta final da campanha. 
Ontem à noite, colocou no ar depoimento de Bolsonaro elogiando o senador Magno Malta (PR), dizendo que ele será o seu vice de honra. 
Depois, colocou depoimento de Malta pedindo para eleitores de Bolsonaro votar em Jorginho Mello para senador.

Emocionada

No comício do candidato a governador Mauro Mariani (MDB), ontem, em Joinville, a viúva do ex-governador Luiz Henrique, Ivete Appel da Silveira, não conteve a emoção e foi às lagrimas (foto).
Ela lembrou do marido e pediu que Mauro desse continuidade ao trabalho que ele fez, levando desenvolvimento ao estado.

Na Igreja
Na missa de domingo, o padre Marcos Ferreira pediu que todos votem, cumprindo o dever de cidadão.
Além disso, pediu que votem em candidatos da região.

Primeira conta
Numa conta rápida, feita ontem - Criciúma e região correm o risco de sair da eleição com apenas dois ou três deputados federais e seis estaduais. Menor do que entrou.

Na rede
O candidato a deputado federal Leodegar Tiscoski (PP) tem se movimentado bem nas redes sociais, com Instagram, Facebook, Wtahsapp e o site (tiscoski.com).
Ele fez um mapa com mais de 50 obras que foram viabilizadas no seu último mandato de deputado federal.

Primeiro ganhador
Não se sabe ainda quem será o próximo presidente. Mas, a eleição já tem um vencedor - João Amoêdo.
Desconhecido, partido ainda nanico, primeira eleição, falando para um segmento, ele já encostou nas pesquisas em Marina Silva (Rede) e passou nomes conhecidos como Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB).
Dependendo de como se posicionar nos próximos anos, poderá estar na disputa de fato da eleição de 2022.

Prioridades
O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) citou ontem na Som Maior FM duas ações que projeta para o Sul - conclusão da pavimentação na Serra do Corvo Branco e um parque tecnológico em Criciúma. 

Nova UPA
Prefeito Clésio Salvaro aterrissa hoje em Brasília com pacote de projetos para encaminhar no Ministério da Saúde. O mais importante é que tenta recursos para construção de uma UPA no distrito de Rio Maina.
Ele diz que a UPA da Próspera é um “sucesso”, com ais de 8.500 atendimentos/mês.

Cortado
A secretária Katia Smielevski, de Infraestrutura, fez ontem o encaminhamento para rompimento do contrato com um dos fornecedores da Prefeitura e inclusão na lista de “inidôneos”.
A empresa em questão é fornecedora de pó de brita e “deixou a Prefeitura na mão”. Mais uma vez. 
Katia confirmou ontem que quatro fornecedores já foram “cortados" por não cumprimento do contrato.

Em cima dos números
O vereador Zairo Casagrande usou boa parte do horário político, na sessão de ontem na Câmara dos Vereadores, com tempo cedido pelos colegas, para apresentar alguns números das finanças da Prefeitura de Criciúma. Se ateve a somente expor os dados, promete análise crítica somente após a Comissão de Finanças, a qual ele faz parte, realizar estudo mais detalhado. Os números: em março a Prefeitura arrecadou R$ 63 milhões e pagou R$ 69 milhões; em abriu arrecadou R$ 59 milhões e pagou R$ 46 milhões e em maio arrecadou R$ 55 e pagou R$ 58 milhões. Em 1º de abril, tinha R$ 43,6 milhões em caixa e em 1º de maio R$ 60 milhões, sem contar a verba carimbada.

CriciúmaPrev
Dentro dos números apresentados por Zairo o que mais vem chamando atenção é a dívida com o CriciúmaPrev, que em 1º de abril era de R$ 34,2 milhões e passou para R$ 36 milhões em 1º de maio, já que não vem sendo repassado os R$ 2 milhões do patronal. O vereador chamou atenção para um novo pedido de parcelamento que pode chegar até o fim do ano na Câmara e que para ele só pode ser aceito junto com uma solução definitiva. A dívida autuarial com o CriciúmaPrev é de R$ 600 milhões.

Vai dar o que falar
Ainda vai dar o que falar as sugestões de pedágios para o Sul do estado. Conforme o edital de chamamento para audiências públicas constam quatro pontos: em São João do Sul; entre Maracajá e Araranguá; entre Tubarão e Jaguaruna, entre Imbituba e Laguna. Por enquanto, não há nenhuma mobilização de grupos contrários, muitos estão sabendo das intenções da ANTT pela imprensa. No dia 18 de outubro terá uma audiência em Criciúma, no período da tarde, e que se não houver articulação passará despercebida.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/10/2018 - 21:13Atualizado em 01/10/2018 - 21:23

IBOPE divulgou agora à noite a mais nova pesquisa nacional sobre  a intenção de voto para presidência da república.

Jair Bolsonaro (PSL) subiu 4 pontos em relação a pesquisa passada e agora tem 10 pontos de vantagem sobre Fernando Haddad (PT).

Haddad repetiu o mesmo percentual da pesquisa passada.

A rigor, Bolsonaro foi o único que cresceu.

Os indecisos foram de 7% para 5% e os brancos ou nulos, de 11% para 12%.

Os números: 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/10/2018 - 07:07Atualizado em 01/10/2018 - 09:41

São duas ameaças que “rondam" Criciúma. Diminuição da sua representação parlamentar e falta de compromissos importantes dos candidatos ao governo com ações na cidade.

A campanha entra hoje na última semana, reta final, e pelo que está colocado, Criciúma pode sair com numero menor de deputados estaduais e federais e sem ter grandes compromissos públicos para cobrar depois.

Há muitos candidatos a deputado estadual e federal de outras regiões que estão vindo buscar votos aqui e conseguindo se posicionar bem na cidade, ocupar bons espaços.

Há políticos de Criciúma pedindo votos, e fazendo campanha aberta, para candidatos de fora.

Isso é ruim, muito ruim.

Criciúma já estará fora do núcleo de poder do estado a partir de janeiro porque não terá governador, nem vice.

A forma de compensar, é ter bom número de deputados eleitos, e organizar (via ACIC) para que tenham uma ação conjunta. Que formem a “bancada de Criciuma”.

Mas, se permitir a diminuição do números de deputados estaduais e federais, a perspectiva de atendimento dos pleitos da cidade e região ficará reduzida.

Um exemplo - a Via Rápida não teria sido construída, ou não seria concluída no tempo que foi, se o vice-governador e o secretário de infra-estrutura do estado não fossem de Criciuma.

A partir de janeiro, não terá vice, mas pode ter secretários de estado. Talvez até, o de infra-estrutura. Mas, vai depender do peso politico da cidade.

Só uma representação parlamentar expressiva vai manter Criciuma no radar.

Enfim, votar em candidatos de fora nessa eleição, mais do que em qualquer outra é votar contra os interesses da cidade. 


Campanha na Praça

Só as mulheres do “Ele Não”, contra Bolsonaro, foram para a praça Nereu Ramos, no sábado.

Fizeram a manifestação e caminharam no entorno da praça.

Quando passaram no “redondo” (o bar no centro do calçadão), ouviram vaias. Mas seguiram adiante, com palavras de ordem e cantos.

As mulheres do “Ele Sim”, a favor de Bolsonaro, vão para a praça no próximo sábado.


Os últimos programas

Os candidatos a governador ter mais dois programas no horário eleitoral no radio e televisão.

O primeiro, hoje, O ultimo, na quarta-feira.

O publicitário Fábio Veiga, chefe de produção dos programas de Gelson Merísio (PSD), garante: "os dois programas serão “positivos, otimistas, com propostas simples, porém séria, sem projetos com nomes bacaninhas tentando enganar o eleitor”.

O jornalista Marco Aurelio Braga, chefe de produção dos programas de Mauro Mariani (MDB), garante: “os programas serão na linha de consolidação, numa linha mais de propostas para todas as regiões, e sem qualquer tipo de ataque”.


O último debate

Foi morno, de novo, sem nenhuma situação que tenha chamado a atenção, o debate entre os candidatos a governador realizado pela RIC TV, no sábado à tarde.

O último debate do primeiro turno será realizado amanhã à noite, 22h15, pela NSC TV.


A última pesquisa

A última pesquisa estadual sobre eleição para governador, feita pelo IBOPE, será divulgada na sexta-feira pelos veículos do grupo NSC.


Denúncia contra Merisio

Procuradoria da República de Chapecó instaurou procedimento preparatório para investigar suposto enriquecimento ilícito e ocultação de patrimônio do candidato ao governo Gelson Merisio (PSD).

A assessoria do candidato distribuiu nota onde afirma: 

“Para Merisio, toda e qualquer investigação sobre pessoa pública é necessária e fundamental. Considera muito importante que uma pessoa com cargo público tenha sua vida virada do avesso. Qualquer cidadão pode fazer representação junto a qualquer órgão competente para apuração. A investigação é que pode confirmá-la ou não”.

Acrescenta que Merisio desconhece, até o momento, o citado procedimento do Ministério Público Federal, mas reafirma que, se necessário, está disponível para prestar os esclarecimentos.

O Ministerio Público Federal encaminhou cópia da denuncia para Procuradoria Eleitoral.


Por cima

O domingo foi movimentado no Arroio do Silva por dois helicópteros que transportaram candidatos em campanha.


No Tribunal

O juiz federal criciumense Jorge Maurique, desembargador no Tribunal Regional Federal foi eleito membro suplente do Tribunal Regional Eleitoral catarinense.


Tempo para o neto

Governador Eduardo Moreira vai cumprir agenda de campanha no sul do estado durante quase toda a semana. 

Só na quarta-feira será sem agenda. Ele voltará à Florianópolis para acompanhar o nascimento de mais um neto, Antonio, filho de Roberto Moreira.


Na área

O candidato ao senado Jorginho Mello (PR) estará hoje em Criciúma e região.

No fim de semana, ele fez campanha no Vale do Itajaí com o candidato a vice-governador Napoleão Bernardes (PSD).


Com Bolsonaro

Prefeito Clesio Salvaro (PSDB) vai ficar com o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) até o fim. Mas, se o segundo turno ficar entre Bolsonaro e Haddad, ele já fez todas as sinalizações que estará com Boslonaro.

No fim de semana, encontrou um eleitor de Bolsonaro, de camiseta, e indicou voto

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/09/2018 - 06:30Atualizado em 01/10/2018 - 06:48

São duas ameaças que “rondam" Criciúma. Diminuição da sua representação parlamentar e falta de compromissos importantes dos candidatos ao governo com ações na cidade.

A campanha entra hoje na última semana, reta final, e pelo que está colocado, Criciúma pode sair com numero menor de deputados estaduais e federais e sem ter grandes compromissos públicos para cobrar depois.

Há muitos candidatos a deputado estadual e federal de outras regiões que estão vindo buscar votos aqui e conseguindo se posicionar bem na cidade, ocupar bons espaços.

Há políticos de Criciúma pedindo votos, e fazendo campanha aberta, para candidatos de fora.

Isso é ruim, muito ruim.

Criciúma já estará fora do núcleo de poder do estado a partir de janeiro porque não terá governador, nem vice.

A forma de compensar, é ter bom número de deputados eleitos, e organizar (via ACIC) para que tenham uma ação conjunta. Que formem a “bancada de Criciuma”.

Mas, se permitir a diminuição do números de deputados estaduais e federais, a perspectiva de atendimento dos pleitos da cidade e região ficará reduzida.

Um exemplo - a Via Rápida não teria sido construída, ou não seria concluída no tempo que foi, se o vice-governador e o secretário de infra-estrutura do estado não fossem de Criciuma.

A partir de janeiro, não terá vice, mas pode ter secretários de estado. Talvez até, o de infra-estrutura. Mas, vai depender do peso politico da cidade.

Só uma representação parlamentar expressiva vai manter Criciuma no radar.

Enfim, votar em candidatos de fora nessa eleição, mais do que em qualquer outra é votar contra os interesses da cidade. 

 

Campanha na Praça

Só as mulheres do “Ele Não”, contra Bolsonaro, foram para a praça Nereu Ramos, no sábado.

Fizeram a manifestação e caminharam no entorno da praça.

Quando passaram no “redondo” (o bar no centro do calçadão), ouviram vaias. Mas seguiram adiante, com palavras de ordem e cantos.

As mulheres do “Ele Sim”, a favor de Bolsonaro, vão para a praça no próximo sábado.

 

Os últimos programas

Os candidatos a governador ter mais dois programas no horário eleitoral no radio e televisão.

O primeiro, hoje, O ultimo, na quarta-feira.

O publicitário Fábio Veiga, chefe de produção dos programas de Gelson Merísio (PSD), garante: "os dois programas serão “positivos, otimistas, com propostas simples, porém séria, sem projetos com nomes bacaninhas tentando enganar o eleitor”.

O jornalista Marco Aurelio Braga, chefe de produção dos programas de Mauro Mariani (MDB), garante: “os programas serão na linha de consolidação, numa linha mais de propostas para todas as regiões, e sem qualquer tipo de ataque”.

 

O último debate

Foi morno, de novo, sem nenhuma situação que tenha chamado a atenção, o debate entre os candidatos a governador realizado pela RIC TV, no sábado à tarde.

O último debate do primeiro turno será realizado amanhã à noite, 22h15, pela NSC TV.

 

A última pesquisa

A última pesquisa estadual sobre eleição para governador, feita pelo IBOPE, será divulgada na sexta-feira pelos veículos do grupo NSC.

 

Denúncia contra Merisio

Procuradoria da República de Chapecó instaurou procedimento preparatório para investigar suposto enriquecimento ilícito e ocultação de patrimônio do candidato ao governo Gelson Merisio (PSD).

A assessoria do candidato distribuiu nota onde afirma: 

“Para Merisio, toda e qualquer investigação sobre pessoa pública é necessária e fundamental. Considera muito importante que uma pessoa com cargo público tenha sua vida virada do avesso. Qualquer cidadão pode fazer representação junto a qualquer órgão competente para apuração. A investigação é que pode confirmá-la ou não”.

Acrescenta que Merisio desconhece, até o momento, o citado procedimento do Ministério Público Federal, mas reafirma que, se necessário, está disponível para prestar os esclarecimentos.

O Ministerio Público Federal encaminhou cópia da denuncia para Procuradoria Eleitoral.

 

Por cima

O domingo foi movimentado no Arroio do Silva por dois helicópteros que transportaram candidatos em campanha.

 

No Tribunal

O juiz federal criciumense Jorge Maurique, desembargador no Tribunal Regional Federal foi eleito membro suplente do Tribunal Regional Eleitoral catarinense.

 

Tempo para o neto

Governador Eduardo Moreira vai cumprir agenda de campanha no sul do estado durante quase toda a semana. 

Só na quarta-feira será sem agenda. Ele voltará à Florianópolis para acompanhar o nascimento de mais um neto, Antonio, filho de Roberto Moreira.

 

Na área

O candidato ao senado Jorginho Mello (PR) estará hoje em Criciúma e região.

No fim de semana, ele fez campanha no Vale do Itajaí com o candidato a vice-governador Napoleão Bernardes (PSD).

 

Com Bolsonaro

Prefeito Clesio Salvaro (PSDB) vai ficar com o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) até o fim. Mas, se o segundo turno ficar entre Bolsonaro e Haddad, ele já fez todas as sinalizações que estará com Boslonaro.

No fim de semana, encontrou um eleitor de Bolsonaro, de camiseta, e indicou voto.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/09/2018 - 21:05Atualizado em 28/09/2018 - 21:11

O Datafolha divulgou agora a noite os números  da ultima pesquisa para eleição presidencial.

A margem de erro é de 2 pontos, para mais ou para menos. 

Jair Bolsonaro continua líder, mas repetiu o mesmo percentual da pesquisa anterior - 28%.

Fernando Haddad subiu seis pontos e se isolou no segundo lugar - 22%.

Ciro Gomes e Alckmin estão empatados em terceiro lugar.

Marina caiu de novo e já está empatando com João Amoedo em quinto lugar.

Os números: 

Jair Bolsonaro (PSL): 28%

Fernando Haddad (PT): 22%

Ciro Gomes (PDT): 11%

Geraldo Alckmin (PSDB): 10%

Marina Silva (Rede): 5%

João Amoêdo (Novo): 3%

Henrique Meirelles (MDB): 2%

Alvaro Dias (Podemos): 2%

Cabo Daciolo (Patriota): 1%

Vera Lúcia (PSTU): 1%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Eymael (DC): 0%

. Branco/nulos: 10%

. Não sabe/não respondeu: 5%

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/09/2018 - 11:25Atualizado em 28/09/2018 - 11:37

O candidato a governador Mauro Mariani (MDB) afirmou hoje pela manhã na rádio Som Maior FM que o seu partido "caminha na direção de Bolsonaro".

Perguntando sobre um eventual segundo turno entre Bolsonaro e Haddad na disputa pela presidência da república, Mariani disse que ainda haverá discussão a respeito, mas acrescentou que os movimentos e manifestações no ambiente do MDB são a favor de Bolsonaro.

Ele citou o manifesto de mais de 30 prefeitos do MDB de apoio a Bolsonaro, anunciado ontem.

Mas, emendou: "nós só vamos discutir segundo turno, no segundo turno; antecipar a discussão de apoio para o segundo turno, é muito mais oportunismo politico do que outra coisa, e tudo o que eu não quero na politica é passarp or oportunista".

Abaixo, o trecho da entrevista.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/09/2018 - 06:54Atualizado em 28/09/2018 - 08:53

O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) é um político que estuda, projeta e avalia bem cada movimento. Não é de rompantes. Ele não acordou e decidiu apoiar Bolsonaro do nada. Vinha pensando nisso faz tempo.
Ele não tomaria uma decisão tão delicada, na reta final do primeiro turno, sem fazer as avaliações de possíveis perdas e ganhos políticos.
Mas, as primeiras reações ao anúncio, no ambiente dos partidos, passaram a impressão que ele perdeu mais do que ganhou.
De imediato, perdeu o Podemos, um dos partidos da sua aliança, que decidiu romper. O Podemos tem candidato a presidente, Álvaro Dias.
PCdoB e PDT sinalizam que podem abrir dissidência no segundo turno. Agora, contrariados, ficam na aliança para tratar de eleger os seus deputados.
PCdoB é o partido de Manuela D'Ávila, vice de Haddad, e PDT, do presidenciável Ciro Gomes.
O PSL, partido de Bolsonaro, distribuiu nota criticando o anúncio de Merisio. O candidato a governador, Comandante Moisés, se declarou indignado e disse que Merisio só quer “surfar na onda Bolsonaro”.
Nada disso surpreendeu. Era previsto.
Acontece que Merisio está mirando além do ambiente dos partidos.
Aponta que Bolsonaro tem praticamente metade das intenções de votos em Santa Catarina. E não é por causa de partidos, políticos, ou alianças. É porque se transformou no depositário da indignação do cidadão comum (de todo o tipo de indignação).
Enquanto isso, a eleição para governador mantêm 32% de indecisos ou indefinidos. E boa parte de todos esses está entre os seguidores/eleitores de Bolsonaro.
É aí que está o foco de Merisio. Os eleitores de Bolsonaro. Fora dos partidos. Aqueles indignados com a política e os políticos. E que passam a ter algo em comum com ele.


Parceria

Como previsto, o deputado João Paulo Kleinübing (DEM), vice de Gelson Merisio, também anunciou voto em Jair Bolsonaro para presidente.
Segundo ele, vão fazer o mesmo os candidatos a senador da coligação, Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD).


Agora não

O candidato a governador Mauro Mariani (MDB) não foi para Bolsonaro, nem para Haddad. Resistiu aos movimentos de pressão que foram feitos nos dois sentidos. 
Por nota, anunciou que vai votar no candidato do seu partido, o ex-ministro Henrique Meirelles. E sobre disputa de segundo turno, só vai pensar depois do primeiro turno.


Bolsonaro no MDB

O deputado federal Rogério Peninha (MDB),fez concentração política ontem em Ibirama para anunciar voto e apoio a Jair Bolsonaro.
O candidato ao Senado Jorginho Mello (PR), presente no encontro, já saiu de lá com carro “adesivado”.
O deputado federal Valdir Colato (MDB) também entrou na campanha de Bolsonaro.
A mostrar que Mauro Mariani não foi, mas passa a ter representante.


Da nota

Trecho da nota do Comandante Moisés, candidato do PSL a governador, contra o anuncio de Merisio:
"Tal fato me causou surpresa e uma certa indignação. Considero que esta atitude reprovável não deve fazer parte do jogo democrático. Além do que, os compromissos assumidos, sejam eles na política ou na vida pessoal, devem ser cumpridos. Devemos, como homens públicos, dar o exemplo e pautar nossas atitudes na honestidade, responsabilidade e retidão do nosso caráter”.

No hospital

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, visitou Jair Bolsonaro ontem no hospital, gravou um vídeo e distribuiu nos seus grupos de wathsapp e entre amigos. 


Dois movimentos

Na reta final da campanha, dois movimentos acontecem na disputa presidencial.
O primeiro, de Geraldo Alckmin (PSDB). Ele tenta recuperar o sentimento do antipetismo, que era do PSDB e passou para Bolsonaro.
O segundo, dos aliados de Bolsonaro que tentam fazer valer o voto útil para resolver no primeiro turno, eliminado a possibilidade de o PT voltar ao poder.


Na ACIC

A Associação Empresarial de Criciúma, sob comando do presidente Moacir Dagostim, recebeu ontem o deputado João Paulo Kleinübing (DEM), vice de Gelson Merisio.
Foi entregue a relação dos pleitos de Criciúma e região. 
Entre outros, destaque para continuidade da gestão do Hospital Infantil Santa Catarina pelo Governo do Estado.


Na Serra

O deputado Ricardo Guidi (PSD), candidato a federal, recebeu o apoio do ex-prefeito e ex-presidente do Deinfra, Vanderlei Agostini, durante reunião em Curitibanos.
Agostini foi candidato a deputado estadual em 2014 (ficou terceiro suplente).
Por região, Guidi deve fazer sua segunda maior votação na Serra. Ele está entre os cotados para uma das vagas do PSD.


No Arroio

O ex-deputado Julio Garcia, PSD, candidato a deputado estadual, recebeu ontem à noite manifestação pública de apoio do prefeito de Arroio do Silva, Juscelino Guimarães, o Mineiro. 
O salão estava lotado.


Na justiça

Um candidato deputado da região não deixou barato. Já processou três e ontem processou mais um por publicações feitas nas redes sociais.


Agenda no Sul

Depois de anunciar apoio ao candidato a presidente Jair Bolsonaro, PSL, o candidato ao Governo do Estado, Gelson Merisio, PSD, cumpre extensa agenda no Sul do estado. A primeira parada foi em Tubarão e junto com o prefeito Joares Ponticelli, PP, (foto) e com o seu candidato a vice-governador, João Paulo Kleinübing, DEM, fez caminhada na região central. Durante o percurso, um grupo de apoiadores de Bolsonaro que distribuíam santinhos integraram ao grupo e caminharam juntos. Depois ainda esteve em Urussanga. Hoje, passa por Criciúma, Imbituba, Laguna, Cocal do Sul e finaliza em Araranguá.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/09/2018 - 09:01Atualizado em 27/09/2018 - 09:14

O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) acaba de anunciar em publico o seu apoio ao candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Merisio gravou e está fazendo distribuir video com a sua declaraçao de voto e justificativas.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/09/2018 - 06:55Atualizado em 27/09/2018 - 10:58

O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) está decidido a declarar voto para Jair Bolsonaro (PSL) faz tempo. Mas, tinha circunstâncias políticas internas a administrar para evitar perdas na reta final da campanha. Principalmente entre os partidos à esquerda, como PCdoB e PDT.
O PDT tem candidato a presidente, Ciro Gomes, amigo pessoal do deputado Rodrigo Minotto e do ex-ministro e candidato a federal, Manoel Dias.
O PCdoB é o partido de Manoela D'Ávila, vice candidata de Fernando Haddad (PT), que deve ir para a disputa de segundo turno contra Bolsonaro.
Mas, Merisio conseguiu administrar. Não corre o risco de perder nem PCdoB, nem PDT.
Os dois partidos divergem, mas descartam dissidência ou rompimento.
A ex-deputada Ângela Albino (PCdoB) disse, ontem, que Merisio assegurou que mantém pactuação de palanque aberto a todos os candidatos das forças políticas representadas na aliança, e que a posição a favor de Bolsonaro é “voto pessoal”.
O deputado Minotto trata também como “posição pessoal” e considera “desnecessária”. Para ele, só justificaria se fosse para garantir eleição no primeiro turno. Que não é o caso.
Com tudo resolvido, ajustes feitos, Gelson Merisio bateu o martelo e decidiu que vai fazer o anuncio amanhã, em Criciúma, ao lado do seu vice, João Paulo Kleinübing.
Pelo que está encaminhado, será uma posição da chapa majoritária, seguida também pelos candidatos ao Senado, Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD).
A intenção de Merisio é atrair votos de Bolsonaro para ser o mais votado no primeiro turno e entrar com arco de alianças mais forte no segundo turno.


Não vale para o Senado

PCdoB e PDT estão na aliança liderada por Merisio, estão fechadíssimo com sua candidatura ao governo, mas sem compromisso para o Senado.
Ângela Albino disse ontem: “PCdoB não tem compromisso com nenhuma candidatura ao Senado”.
Rodrigo Minotto garantiu: “Nós (PDT) só temos um candidato ao Senado. Esperidião Amin”. Colombo, fora da cédula.


Apoio do Bolsonaro

Com Jair Bolsonaro ainda internado, e com visitas controladas, o seu filho, Flavio Bolsonaro, candidato ao Senado pelo Rio, gravou vídeo pedindo votos para o criciumense Daniel Freitas, candidato a deputado federal (foto).
Disse que Daniel “é um cara do bem”, que será importante no Congresso para ajudar Bolsonaro a governar.


Compromisso com o hospital

O deputado João Paulo Kleinübing (DEM), candidato a vice de Gelson Merisio (PSD), disse ontem que apoia a manutenção do acordo do Governo do Estado com a Prefeitura de Criciúma para manutenção e operação do Hospital Materno Infantil Santa Catarina.
O ex-prefeito Napoleão Bernardes (PSDB), candidato a vice de Mauro Mariani (MDB), também apoia a preservação do acordo.


Na ACIC

O presidente da ACIC, Moacir Dagostim, entregou ontem para Napoleão Bernardes a lista de prioridades de Criciúma e região.
A estadualização do Hospital Materno Infantil Santa Catarina é uma delas.
E enquanto não estadualizar de fato, na lei, que o governo mantenha o acordo que está valendo, por onde o Estado assume a operação (e o custo).
O governador Eduardo Moreira acompanhou Napoleão e reforçou apoio ao pleito da ACIC (foto).
Hoje, 11h, o presidente Dagostim vai receber João Paulo Kleinübing, vice de Merisio.
    

Esperando Merisio

João Paulo Kleinübing chegou ontem em Criciúma para cumprir agenda de campanha na região até sexta-feira, quando se encontrará com Gelson Merisio.
Kleinübing esteve na sede da Tribuna/Som Maior/4Oito acompanhado do seu fiel “escudeiro”, o sogro Woimer Loch (foto).
Ele projetou que Merisio chegará na frente de Mauro Mariani no final do primeiro turno.


Comício móvel

O governador Eduardo Moreira (MDB) “inaugurou" um modelo de campanha na agenda que cumpriu ontem na região. Com microfone em punho, saiu caminhando pelas ruas e fazendo seu discurso em defesa de Mauro Mariani (foto). 
Com ele, militantes, políticos e candidatos do MDB e PSDB com bandeiras e faixas.


Em casa

Napoleão Bernardes (PSDB), vice de Mauro Mariani (MDB), encerrou roteiro de campanha na região ontem à noite com reunião no diretoria do PSDB de Criciúma (foto).
Na mesa, Acélio Casagrande e Sandro Serafin (MDB), prefeito Clésio Salvaro e Beto Martins (PSDB).


Refis

A Prefeitura de Criciúma encaminhou para a Câmara de Vereadores projeto de lei para lançar o Refis, programa que permite renegociação de dívidas com impostos. Ontem, representantes do Executivo se reuniram para apresentar a proposta aos vereadores.


Foi bem

Circulou pelas redes sociais que santinhos do NOVO estavam espalhados por via pública em Criciúma. O único candidato do partido na região, Luiz Baldin, rapidamente gravou vídeo explicando que uma caixa havia caído do carro sem que a pessoa que fazia o transporte percebesse e reuniu voluntários para fazer a limpeza da rua.


Candidatura confirmada

O Tribunal Regional Eleitoral, TRE, aceitou o recurso proposto por Manoel Dias (PDT) e confirmou o registro de sua candidatura a deputado federal. No primeiro julgamento, o registro havia sido negado por irregularidades em contas do PDT, que é presidido por Manoel Dias no estado. Agora, a defesa apresentou termo de acordo realizado em dezembro de 2017 e comprovante de quitação da dívida.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/09/2018 - 09:50Atualizado em 26/09/2018 - 09:56

O governador Eduardo Moreira (MDB) e o candidato a vice-governador Napoleão Bernardes (PSDB) estão cumprindo agenda de campanha na região sul desde ontem à noite.

Agora pela manhã, estiveram em Nova Veneza, onde se encontraram com aliados e militantes do MDB e PSDB.

Aproveitaram para fazer um "passeio" na gôndola que está no lago da praça central (foto).

Pela ordem, secretário de estado Acelio Casagrande, ex-viceprefeito Macos Spillere, empresários Noio e Cide Damiani, governador Eduardo, candidato a suplente do senado Sandro Serafim e Napoleão. De "gondoleiro", o prefeito Geio Frigo.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/09/2018 - 06:55Atualizado em 26/09/2018 - 11:04

Se Geraldo Alckmin (PSDB) não passar para o segundo turno, e a disputa ficar entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), o candidato a vice-governador Napoleão Bernardes (PSDB) vai apoiar Bolsonaro. Ele não quer saber de aproximação com o PT.
“A volta ao passado recente, de jeito nenhum”, diz.
Napoleão é vice de Mauro Mariani (MDB). Ele cumpriu agenda, ontem, em Criciúma e municípios da região.
Durante a semana, dirigentes do PSDB catarinense já haviam sinalizado disposição de assumir Bolsonaro, mas decidiram não fazer nenhum movimento enquanto a candidatura Gerado Alckmin (PSDB) estiver no processo.
A especulação de bastidores é que toda a cúpula do PSDB estadual tem a mesma posição de Napoleão. Contra o PT em qualquer circunstância.
No MDB, aliado do PSDB no estado, tem deputados e candidatos já fechados com Bolsonaro, ou em vias de apoiá-lo.
O maior “cabo eleitoral” é o deputado federal Peninha, candidato à reeleição.
Mas, também existe no MDB também movimentos na direção de Haddad (PT).
O próprio governador Eduardo Moreira, eleitor declarado de Alckmin, já teria liberado emissários para conversas com políticos do PT, projetando um eventual segundo turno.
Há deputados do MDB e candidatos em conversas adiantadas com petistas.
A candidata ao Senado, ex-ministra Ideli Salvatti, tem sido a principal interlocutora do PT com setores do MDB.
O candidato a governador Mauro Mariani não tem sinalizado nem para um, nem para o outro.
A movimentação no MDB e PSDB encaminha “palanque duplo” para Bolsonaro no segundo turno no estado.
O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) já está com Bolsonaro, só falta anunciar. Por via das dúvidas, encaminhou na semana passada dois aliados - prefeitos Luciano Buligon (Chapecó) e Joares Ponticelli (Tubarão).


Hoje ou sexta

Gelson Merisio programou para hoje o anúncio oficial de sua adesão à candidatura de Jair Bolsonaro.
Mas, ele ainda faz conversas internas, com aliados que estão vinculados a outros candidatos à presidência. PDT, PC do B e PODEMOS.
Não resta mais nenhuma dúvida de sua posição, mas ele quer evitar problemas no ambiente da sua aliança.
Por isso, o anúncio pode ser transferido de hoje para sexta-feira.


A “goleada" de Bolsonaro

Pesquisa do Instituto RealTime, divulgada ontem à noite pela RIC TV, confirmou que Santa Catarina é estado mais “bolsonarista” do país.
Pesquisa foi feita em todo o estado e mostrou Jair Bolsonaro (PSL) com 41% das intenções de votos. Em segundo, Fernando Haddad (PT) com 14%.
Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) estão empatados em terceiro lugar com 5% cada. João Amoêdo (Novo) teve 4%.


Novas pesquisas

Duas pesquisas nacionais estão programadas.
A primeira, hoje, feita pelo IBOPE, será divulgada hoje à noite.
A segunda, feita pelo DATAFOLHA, na sexta-feira.


Clésio com o 15

Prefeito Clésio Salvaro, PSDB, antecipou ontem o fim do expediente na Prefeitura e foi para as ruas às 17h fazer campanha.
Primeiro, na “boca" do terminal central. Depois, com o candidato a vice-governador, Napoleão Bernardas, PSDB, saiu pelas ruas do centro, com 15 no peito, e históricos emedebistas ao seu lado, como Gécio Meller e Neno Patricio (foto).


Misturando o sangue

Pela manhã, ontem, Napoleão esteve em Orleans, onde fez caminhada no centro da cidade com o prefeito Jorge Koch e militantes do MDB (foto). 
Depois fez campanha em Urussanga, Siderópolis, Treviso e Lauro Müller.
À tarde, na sede de A Tribuna, ele disse que na região MDB e PSDB misturaram o sangue.


O outro

Hoje será a vez do candidato a vice de Gelson Merisio, deputado João Paulo Kleinübing, DEM, fazer campanha em Criciúma e região.
À noite, vai participar de reunião regional de representantes dos partidos aliados em Criciúma.


Ghislandi com PT

O ex-prefeito de Nova Veneza, Sergio Ghislandi, fundador do MDB na cidade, gravou depoimento em vídeo, ontem, que foi veiculado nas redes sociais, de apoio ao sindicalista Célio Elias, PT, candidato a deputado federal, e toda a chapa do PT (foto).
Disse que o fez por um dever de gratidão com Lula, porque foi na sua época como presidente que o país teve maior crescimento.


A primeira dama

Adriana Salvaro, esposa do prefeito Clésio Salvaro, mergulhou na campanha à reeleição da deputada federal Geovania de Sá (foto).
As duas estão cumprindo agenda nos bairros.
Clésio projeta que Geovania será a mais votada de Criciúma, superando a votação que teve em 2014.


No hospital

Além de entregar ordens de serviço para obras em rodovias, ontem, o governador Eduardo Pinho Moreira foi visitar o Hospital Dom Joaquim, junto com a primeira-dama, Nicole Torret Rocha Moreira (foto).


Em recuperação

A visita do governador Eduardo Moreira e da primeira-dama ao Hospital Dom Joaquim, em Sombrio, é bastante significativa, como comentou o prefeito da cidade, Zênio Cardoso, já que a entidade hospitalar enfrenta há anos sérias dificuldades financeiras e abre e fecha de portas. Agora administrada pelo Instituto Maria Schmidt e com o incentivo do Estado busca, novamente, a readequação.


Juntos e misturados 

À noite, todos se encontraram e dividiram palanque em Maracajá (foto). Clésio Salvaro (PSDB), Eduardo Moreira (MDB), Napoleão Bernardes (PSDB), Manoel Mota (MDB) e Arlindo Rocha (PSDB).
Hoje eles acompanham a agenda de Napoleão, pela manhã.


Sem alteração

A segunda votação do Código Tributário de Criciúma, ocorreu, na sessão de ontem, na Câmara de Vereadores sem nenhuma alteração. Foram aprovadas a emenda e o projeto, cumprindo apenas o que diz o regimento interno.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/09/2018 - 06:55Atualizado em 25/09/2018 - 08:57

Os três principais candidatos ao governo voltarão a se “encarar" em novo debate de rádio, hoje, a partir de 9h - Mauro Mariani (MDB), Gelson Merisio (PSD) e Décio Lima (PT).

Será o primeiro “embate" depois que duas pesquisas estaduais mostraram que Mauro Mariani (MDB) assumiu a liderança nas intenções de voto e Gelson Merisio (PSD) está em segundo.

Ontem à noite foi divulgada pesquisa pela RIC TV, realizada pelo Instituto RealTime.

Mostrou Mauro com 24% e Merisio 22%.

Eles estão empatados tecnicamente, já que a margem de erro é de 3%. Comparando com a pesquisa anterior, cada um subiu quatro pontos.

Décio está em terceiro com 14%. Desceu dois pontos.

A primeira pesquisa foi divulgada no fim de semana pela NSC TV, feita pelo IBOPE. Os números foram muito parecidos. Mauro teve 21%, Merisio 18% e Décio 17%.

A tendência é Mariani e Merisio no segundo turno. Mas, a rigor, os três tem condições de passar para o segundo turno.

Mesmo Décio, que está 10 pontos atrás de Mariani na pesquisa do RealTime, ou quatro pontos conforme o IBOPE.

Ele pode ser beneficiado pela “onda Haddad”, que está crescendo na reta final.

Eleição pode ser considerada "aberta" pela multidão de indecisos, indefinidos ou inclinados a votar branco ou nulo. Pelo RealTime, mais de 30%. Pelo IBOPE, eles chegam a 35%.

Na semana passada, Merisio e Mariani não foram a outro debate estadual, realizado pela Rádio CBN, de Florianópolis.

Mas agora, com esse quadro, eles precisam ir e tem que endurecer o discurso. Não podem mais continuar evitando perguntas diretas aos adversários/concorrentes, nem fugindo ao exercício do contraditório.

Para eles é uma necessidade acabar com esse ambiente “morno" de campanha.

O debate de hoje será realizado pela Associação Catarinense de Emissoras de Rádio (ACAERT) e retransmitido pela Som Maior FM, a partir de 9h.


Bolsonaro e Haddad na final

Pesquisa nacional do IBOPE, divulgada ontem à noite, confirmou o encaminhamento de disputa de segundo turno na eleição presidencial entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Bolsonaro repetiu o mesmo percentual da pesquisa anterior - 28%.

Haddad subiu mais três pontos - 22%.

A diferença caiu para apenas seis pontos.

E Ciro Gomes (PDT), terceiro colocado, tem metade do percentual de Haddad - 11%.


Para não acontecer

Só duas possibilidades podem impedir a disputa Bolsonaro x Haddad no segundo turno.

1 - Uma “bomba" de feito devastador.

2 - Uma migração de votos dos outros candidatos para Bolsonaro, para evitar uma possível vitória do PT no segundo turno.


Merisio decide amanhã

O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) marcou para amanhã tomada de decisão sobre apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Ele está conversando internamente com os partidos da coligação e os principais aliados. Especialmente com PDT, PCdoB e Podemos, que tem candidatos a presidente da República ou vice.

Nas últimas pesquisas, Bolsonaro teve em torno de 50% das intenções de votos no estado.

Se vier a se decidir por Bolsonaro, Merisio sabe que pode perder alguns pontos, mas vai apostar em ganhar muito mais com a vinculação.


PP intensifica apoio a Merisio

Reunião na noite de ontem, em Morro da Fumaça (foto) intensifica o apoio do PP à coligação liderada por Gelson Merisio (PSD). O processo é liderado pelo prefeito Noi Coral e o vice Eduardo Guollo.


Vai sair

Prefeito Jorge Koch, de Orleans, anunciou ontem, final da tarde, que receberá amanhã o governador Eduardo Moreira para assinatura da ordem de serviço da obra de restauração da rodovia Orleans-Lauro Müller.

Hoje, Eduardo vai assinar ordens de serviço para obras em rodovias no Vale do Araranguá.


Agenda conjunta

Assim como já ocorreu em outras regiões, o governador Eduardo Moreira (MDB) irá acompanhar a primeira-dama, Nicole Torret Moreira, em compromissos da Fundação Nova Vida. Hoje, eles irão percorrer municípios do Extremo Sul: Sombrio, Turvo e Meleiro. Amanhã, estarão em Criciúma e Nova Veneza.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/09/2018 - 19:23Atualizado em 24/09/2018 - 19:26

RIC Tv acaba de divulgar nova pesquisa para governador do estado feita pelo Instituto Real Time.

Mauro Mariani (MDB) mantêm-se em primeiro com 24%, seguido de Gelson Merisio (PSD) com 22%.

Os dois estão empatados tecnicamente, já que a margem de erro é de 3 pontos.

Cada um subiu 4 pontos em relação a pesquisa anterior.

Decio Lima (PT) aparece em terceiro com 14%. Ele tinha 16% na pesquisa anterior.

O total de indecisos, brancos e nulos soma 31%.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/09/2018 - 19:05Atualizado em 24/09/2018 - 19:15

Ibope acaba de divulgar o resultado de mais uma pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial.A margem de erro é de 2 pontos, para mais ou para menos. 

Os números: 

Jair Bolsonaro (PSL): 28%
Fernando Haddad (PT): 22%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (Rede): 5%
João Amoêdo (Novo): 3%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 12%
Não sabe/não respondeu: 6%

Comparando com a pesquisa anterior, Bolsonaro manteve os 28% e Haddad subiu de 19% para 22%.

Ciro Gomes manteve os 11% e Alckmin subiu de 7% para 8%. 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/09/2018 - 06:55Atualizado em 24/09/2018 - 09:19

A partir de janeiro Criciúma não terá governador, nem vice. Não estará no núcleo de poder do Governo do Estado. Por isso, é preciso preparar já um movimento de pressão, com todas as forças representativas da cidade, para manter o Hospital Materno-Infantil Santa Catarina administrado pelo Estado. Porque é só assim que ele pode funcionar a pleno.

Hoje, o hospital está sob responsabilidade do Estado, mas por acordo de operação. Uma parceria. Ele não foi estadualizado formal e oficialmente.

O acordo representa uma economia de mais de R$ 1 milhão/mês aos cofres da Prefeitura. Praticamente toda a conta está sendo paga pelo Estado.

Além disso, o Governo do Estado está fazendo investimento pesado para conclusão do projeto do hospital materno-infantil completo, que será entregue/inaugurado até novembro. Até agora, o que é tratado como Hospital Santa Catarina é pouco mais que um pronto atendimento infantil. Não é um hospital. Longe disso.

Como hospital, a partir de novembro, será referência para todo o Sul do Estado. Serviços, atendimentos e procedimentos que atualmente precisam ser feitos em outras regiões do Estado, principalmente Florianópolis, passarão a ser feitos aqui.

Porém, a Prefeitura de Criciúma já tem dificuldades de caixa para manter como é hoje e não terá nenhuma condição de manter o hospital completo funcionando.

O próximo governo vai se instalar em janeiro com discurso de corte e enxugamento, porque a situação financeira do Estado é delicada. A tendência é não renovar acordos, convênios e contratos, como o que existe em torno do Hospital Santa Catarina, que foi fechado neste ano. Se não tiver uma articulação forte de todos os representantes de Criciúma e região para agir logo depois da eleição, ainda em 2018, pela manutenção do acordo, e encaminhamento para estadualização definitiva do hospital, a cidade e região correm sério risco.


A maior carreata

Foi, sem dúvida alguma, a maior carreata em campanha política já realizada em Criciúma. No sábado pela manhã, aliados do candidato a presidente Jair Bolsonaro “tomaram” a Avenida Centenário. E em fila dupla praticamente todo o trecho (foto). No comando, o presidente do PSL em Criciúma e candidato a deputado estadual, Jesse Lopes, e o candidato a deputado federal, Daniel Freitas. Antes da saída, no Parque das Nações, foi entoado o hino nacional.


Merísio x Bolsonaro

O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) ainda está avaliando a possibilidade de anunciar apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Deve tomar decisão durante a semana. Ele tem ouvido prefeitos, deputados e aliados importantes. Disse ontem à noite que é uma decisão estratégica importante e que por isso precisa ser bem estudada.


O apoio de Ponticelli

Em Tubarão, também no sábado pela manhã, o prefeito Joares Ponticelli (PP) foi às ruas participar de ‘bandeiraço’ em favor de Bolsonaro. Ele havia anunciado apoio ao presidenciável na quinta-feira. Ontem à noite, o prefeito garantiu que não recebeu qualquer advertência do seu partido pelo apoio a Bolsonaro. “Pelo contrário, só recebi manifestações de apoio de diversos segmentos”, acrescentou.

O PP está na aliança de Geraldo Alckmin (PSDB) e indicou a sua vice, senadora Ana Amélia Lemos.


Salvaro não mudou de lado

Colocaram definitivamente o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) na campanha de Mauro Mariani (MDB). 

Ontem, ele colocou no ar um vídeo reiterando apoio e acusando o “outro lado” de desespero. Foi uma reação à nota publicada no blog do Prisco informando que ele estava em vias de anunciar apoio a Gelson Merisio. “Isso é mentira, isso é calunia”, afirmou. No sábado, a direção estadual do PSDB expulsou o prefeito de Rio do Sul, José Thomé, por ter anunciado apoio a Merisio.


No ar

Na sexta-feira, Clésio já havia gravado depoimento de apoio à candidatura de Mauro Mariani, que será veiculado a partir de hoje no horário eleitoral. Ele fez reuniões com comissionados da Prefeitura para “recomendar” votos em Mariani. Também foram gravados depoimentos do prefeito de Nova Veneza, Geio Frigo (PSDB), e todos os prefeitos e vices do MDB da região.


Na área

Amanhã, o candidato de vice de Mauro Mariani, o ex-prefeito Napoleão Bernardes (PSDB), vai cumprir agenda em Criciúma e região, junto de Clésio Salvaro.


Ainda do Ibope

A pesquisa do Ibope divulgada sexta-feira à noite pelo grupo NSC parece ter colocando fogo na campanha. A diferença já foi percebida na movimentação de rua no sábado pela manhã.
Pelo Ibope, Mauro Mariani está em primeiro com 21%, Gelson Merisio em segundo com 18% e Décio Lima tem 17%.


Engarrafamento provocado

Ontem, fim da tarde, na BR-101, em Tubarão, a Polícia Rodoviária Federal fechou uma pista na frente do seu posto de trabalho, no sentido a Florianópolis. Colocou cones e dois carros atravessados. Sem nenhum policial. Provocou um engarrafamento de mais de dois quilômetros!


Com grupo de mulheres

O deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), candidato à reeleição, recebeu o apoio de mais de 400 mulheres que se reuniram no City Clube, Criciúma.


Com a juventude

A deputada Ada De Luca (MDB), candidata à reeleição, se reuniu com mais de 300 jovens, em Urussanga.
Estavam com ela o governador Eduardo Moreira e sua mulher, Nicole Torret Moreira.


Com "novos" políticos

O candidato a deputado federal Leodegar Tiscoski (PP) fez campanha no fim de semana em Laguna com o vereador Preto Crippa (PP), um “campeão de votos”, e fato novo na política da cidade. Em Florianópolis, outro “campeão de votos”, o vereador Pedrão (PP), gravou vídeo na frente do túnel na Via Expressa, acesso ao aeroporto, obra que foi construída quando Tiscoski foi secretário de Obras do Estado.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/09/2018 - 09:41Atualizado em 22/09/2018 - 09:42

Pesquisa IBOPE

Nem o MDB esperava - Mauro assume liderança e vence Merisio no segundo turno

Os números do IBOPE, divulgados nesta sexta-fera à noite, devem incendiar a campanha em Santa Catarina. A liderança de Mauro Mariani na disputa pelo governo, com três pontos à frente de Gelson Merisio, encerra um período de tensão no MDB. 

Havia duvidas sobre o andamento da campanha e a sua eficácia sob o ponto de vista eleitoral. As pesquisas internas apontavam números desfavoráveis.

De outro lado, os aliados de Gelson Merisio (PSD) mostravam-se eufóricos. O próprio Merisio disse em privado na quinta-feira à noite, em Criciuma, que já havia assumido a liderança.

Pela pesquisa do IBOPE, Mariani tem 21%, Merisio 18% e Décio Lima 17%.

Mariani praticamente dobrou suas intenções de votos, comparando com a pesquisa de agosto - de 11% para 22%.

Merisio pulou de 6% para 18%. Décio Lima praticamente não mexeu - 16% para 17%. 

A rigor, Mauro e Merisio estão empatados tecnicamente. No limite, já que a margem de erro é 3 pontos.

Merisio e Decio estão empatados, disputando vaga no segundo turno.

Décio Lima deixou a liderança, mas continua na disputa.

De acordo com o IBOPE, Mauro vence Merisio também no segundo turno - 31% x 28%.

Os números do IBOPE devem incendiar a militância do MDB e engajar os aliados, principalmente o PSDB, que estava com pé no freio.

O percentual de indecisos e indefinidos diminuiu bastante, mas ainda está em 35%.

Pelos números próximos entre os três primeiro, é possível afirmar que a eleição está "aberta".

Mas, com indicativo para segundo turno entre Mauro Mariani e Gelson Merisio, pelo crescimento de uma pesquisa para outra.


Ameaçado

A pesquisa do IBOPE ao senado mostra o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) ameaçado pelo senador Paulo Bauer (PSDB). Diferença de apenas 2 pontos - 27% x 25%.

Esperidião Amin (PP) lidera com 30% - empatado tecnicamente com Colombo.

Jorginho Mello (PR) aparece em terceiro com 13%.


MDB vai ao ataque

Antes mesmo da pesquisa do Ibope, o comando da campanha de Mauro Mariani (MDB) já havia decidido "partir para o ataque" a partir de segunda-feira nos programas de radio e televisão.

O alvo será Gelson Merisio (PSD). 


Mudança de time

O publicitário Daniel Araujo, de Florianópolis, deve ser integrado a nova equipe de produção de radio e televisão da campanha de Mauro Mariani (MDB).

O jornalista Marco Aurelio Braga, o Marcão, já assumiu o comando da equipe na quinta-feira, quando deixou a assessoria de comunicação da prefeitura de Joinville.

Está sendo montado um time praticamente novo para produção dos programas.

As mudanças foram definidas depois de 10 dias de intensas (e duras) discussões internas no MDB, puxadas pelo governador Eduardo Moreira.

 

Clesio no ar

O prefeito Clesio Salvaro (PSDB) gravou nesta sexta-feira, fim da tarde, a sua participação no programa de televisão de Mauro Mariani (MDB). Com 15 no peito, ele fez defesa da candidatura.

Mais tarde, se reuniu com o secretário de saúde do estado, Acelio Casagrande, e garantiu que o seu engajamento na campanha se dá em respeito à aliará do PSD com MDB, mas também em reconhecimento pela decisão do governo Eduardo Moreira de assumir a operação do hospital infantil Santa Catarina.


Mobilizou comissionados

Além de gravar depoimento para televisão, Clesio Salvaro também reuniu todos os comissionados da prefeitura no AM Mastar Hall. Uma parte na quinta-feira, outra na sexta-feira. E pediu votos para Mauro Mariani.


Ajustando

O presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, passou a sexta-fera na região. Pela manhã, esteve com o prefeito Arlindo Rocha, de Maracajá. À tarde, com o prefeito de Nova Veneza, Geio Frigo. Depois, conversou com o prefeito Clesio Salvaro.

Disse que estava tratando de "ajustes" para a campanha, mas que agora as "melancias já estavam acomodadas e o caminhão seguindo em estrada asfaltada".


Na linha

Na quinta-feira à noite, quando chegou em Criciúma para o comício do deputado Ricardo Guidi (PSD), Gelson Merisio (PSD) conversou por telefone com o prefeito Clesio Salvaro.


Porteira aberta

O comício de Ricardo Guidi, candidato a deputado federal, na quinta-feira à noite, marcou a entrada do PSD de Criciúma na campanha de Gelson Merisio.

Até ali, Merisio estava se movimentando em Criciúma praticamente sozinho, pelas suas relações pessoais.

Não contava com o PSD local pelas divergência com o ex-deputado Julio Garcia, candidato a deputado estadual, que tem o controle do diretório.

Mas, Julio foi consultado por Guidi e "liberou" a vinculação na campanha.

Na sexta-feira à noite, o vereador Joares de Jesus já fez comício para Ricardo Guidi com material de campanha de Merisio.


Um por vez

Mesmo liberando o PSD de Criciúma para assumir a campanha de Merisio, o ex-deputado Julio Garcia mantêm distância. Na quinta-feira, no comício de Ricardo Guidi, só entrou no ambiente e subiu ao palco depois que Merisio saiu.

Merisio só participou do inicio do evento, foi o primeiro a falar e logo saiu.

Julio chegou de viagem e esperou para entrar.


Boa impressão

O comício de Guidi foi definido por Gelson Merisio e Raimundo Colombo como o mais expressivo da campanha em todo o estado até agora.

Os dois elogiaram o vice-prefeito Ricardo Fabris, pela coordenação dos trabalhos. Merisio o chamou de "pastor".

Julio Garcia, mais tarde, comparou Fabris a Silvio Santos.


Na serra

Raimundo Colombo repetiu em público, o comício de quinta-feira, o que havia anunciado durante um jantar, no mês de julho, em Criciuma.

Disse que está apoiando a candidatura de Ricardo Guidi na serra e projeta em torno de 10 mil para ele na região. 

O ex-presidente do Deinfra, Vanderlei Agostini, primo de Ramudo Colombo, é um dos coordenadores da campanha de Guidi na serra.


Eduardo na área

O governador Eduardo Moreira faz campanha em Criciúma desde sexta-feira à noite, quando participou de reunião no bairro Vila Manaus com o deputado Luiz Fernando Vampiro, organizada pelo vereador Paulo Ferrarezi.

Neste sábado, participa de caminhada no distrito de Rio Maina. 


Mais recursos

Antes de se dedicar à campanha, o governador Eduardo Pinho Moreira anunciou a liberação de r$ 500 mil para as obras da nova unidade do Corpo de Bombeiros Militar de Içara. 


Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/09/2018 - 19:37Atualizado em 21/09/2018 - 19:50

Pesquisa Ibope divulgada no início da noite desta sexta-feira pela NSC TV aponta equilíbrio entre os três primeiros colocados na disputa por duas cadeiras de Santa Catarina no Senado na eleição de 7 de outubro. Esperidião Amin (PP) saltou de 23% para 30%, assumindo o primeiro lugar. Raimundo Colombo (PSD) tinha 27% no levantamento de 17 de agosto e manteve o índice, agora ficando em segundo. Paulo Bauer (PSDB) passou de 19% para 25%, e segue na terceira posição.

Jorginho Mello (PT) tinha 8% e agora está com 13%. Ideli Salvatti (PT) passou de 7% para 8%. Professor Antônio (PSol) caiu de 5% para 4%. Roberto Salum (PMN) baixou de 6% para 3%. Lédio Rosa (PT) cresceu de 2% para 3%. Pedro Cabral (PSol) foi de 5% para 2%. Lucas Esmeraldino (PSL) caiu de 3% para 2%. Andreá Carvalho (PCO) baixou de 4% para 1%. Ricardo Lautert (PSTU) tinha 2% e agora, 1%. Miriam Prochnow (Rede) tinha 1% e segue com 1%. Diego Mezzogiorno (Rede) tinha 1% e agora aparece com 0%.

Os brancos e nulos para o primeiro voto eram 17% e agora são 14%. Para o segundo voto, eram 21% e agora 18%. Os que não sabem ou não responderam baixaram de 49% para 48%.

Foram ouvidos 812 eleitores entre os dias 18 e 20 de setembro, e a margem de erro é de 3 pontos para mais ou para menos, com índice de confiança de 95%.

(Colaboração: Denis Luciano / A Tribuna)

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14