Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/10/2018 - 10:55Atualizado em 23/10/2018 - 11:04

A reitora da Unesc, professora Luciane Ceretta, foi convidada para ser secretária de educação do eventual governo de Gelson Merisio, mas declinou.

Primeiro, Ceretta recebeu uma sondagem do deputado eatadual Rodrigo Minotto (PDT), que está na aliança de Merisio.

Ela agradeceu, mas declinou. 

Mesmo assim, o deputado federal João Paulo Kleinübing (DEM), vice de Merisio, veio a Criciúma na segunda-feira para formular o convite à reitora.

Ela de novo agradeceu, mas declinou.

Aos dois, Ceretta destacou que não tem filiação partidária. assegurou que não tem intenção de ingressar na politica, nem ocupar cargos na gestão público, e que está focada apenas na gestão da Unesc.

Diante da negativa de Luciane Ceretta, o candidato Gelson Merisio anunciou no debate de hoje na Som Maior a professora Lucia Dalagnelo como secretária de educação no seu eventual governo.

É a segunda vez que Merisio tenta emplacar um secretário de Criciuma, sem êxito. 

Faz 10 dias, o empresário Oscar Balsini foi convidado para assumir a secretaria de inovação e tecnologia, aceitou, mas desistiu poucas horas antes do anúncio. 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/10/2018 - 09:56Atualizado em 23/10/2018 - 10:56
(foto: Guilherme Hahn/ A tribuna)

Escrevi que o debate de hoje seria a última oportunidade para Gelson Merisio (PSD) tentar quebrar o favoritismo do Comandantes Moisés (PSL) e começar a virar o jogo. Porque agora só vai ter mais um debate, na quinta-feira à noite, na NSC Tv. Pouco tempo antes da eleição. Em cima do laço. Sem espaço para virar uma tendência .

Então, o debate de hoje seria uma espécie de "última bala na pistola" para Merísio.

E ele veio para o debate nesse clima. No ataque.  Para tentar desconstruir Moisés.

Só que Moisés, normalmente calmo e sereno, também veio no ataque.

E os dois fizeram o debate de melhor conteúdo entre todos que foram realizados.

Desde as perguntas feitas por jornalistas de Som Maior, A Tribuna e 4oito, às perguntas entre eles, os dois falaram objetivamente de planos e propostas.

Repetiram muito do que já haviam dito, o que é natural/compreensível porque estamos em fim de campanha.

Um tentou pegar o outro na cotradição. Seja na aposentadoria de Moisés, como nos gastos elevados de Merísio no seu gabinete na Assembléia.

Merisio tentou de novo vincular Moises ao MDB, disse que ele foi nomeado por Ronaldo Benedet. Moisés disse que entrou no governo como concursado muito antes de Benedet entrar na estrutura de poder e que não tem compromisso, nem acordo, com ninguem do MDB ou de qualquer partido. E emendou: "apoio a gente não rejeita, não nega, inclusive muitos prefeitos do seu partido estão me apoiando, o que não quer dizer que eu tenha qualquer acordo com o PSD".

Merisio anunciou mais um integrante do seu eventual futuro governo - Lucia Dalagnelo, mapeada para o comando da secretaria de educação.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/10/2018 - 06:35Atualizado em 23/10/2018 - 08:53

Para Gelson Merisio (PSD), o debate de hoje na Som Maior FM é a última oportunidade para tentar quebrar o favoritismo do Comandante Moisés (PSL) e começar a virar o jogo.

Mas para isso, Merisio precisa gerar um fato novo muito forte, impactante, de balançar as estruturas, porque a diferença a favor de Moisés é expressiva.

Merisio não contava com isso.

Pensou e estruturou a sua campanha para enfrentar o MDB no segundo turno. Não passou pela sua cabeça em nenhum momento que o adversário final fosse o candidato do PSL. Até então, um desconhecido.

Só que Merisio não contava com o fracasso que foi a campanha de Mauro Mariani (MDB).

Com Moisés de adversário no segundo turno, e sem ter o que explorar, Merisio passou a bater na sua aposentadoria. Não deu o resultado necessário.

Alardeou que o MDB está com Moisés e retomou os ataques ao MDB. Assim, procurou atingir Moisés por tabela.

Até agora, também não deu o resultado esperado.

Ontem, voltou a bater na aposentadoria no programa de televisão, à noite.

Depois do debate de hoje, só terá mais o da NSC TV, quinta-feira à noite. Mas, praticamente em cima da eleição.

Se até lá não mudar o quadro de hoje, não muda mais.

Por isso, hoje é a última bala na pistola!

Enquanto isso, Moisés segue tranquilo.

Ao passar para o segundo turno, passou a ter personalidade própria.

Mostrou-se ponderado, inteligente, com fala mansa, que se fechou e não abriu espaço para aproximação de nenhum partido. Cresceu nas pesquisas.

Agora, só tem que esperar o tempo passar. Até chegar o domingo.

Ao contrário de Merisio, não precisa fazer nada, nem gerar fato novo, porque está na condição de favorito, com reais possibilidade de vitória.

O debate vai acontecer no estúdio da Som Maior FM, a partir de 7h30.


O tempo da onda

Se Bolsonaro e Comandante Moisés vencerem no domingo, e com as vantagens previstas, vão assumir legitimados e com aval para encaminhar as mudanças necessárias.

Se tiverem governos razoáveis, com resultados efetivos, a onda da mudança pode chegar a 2020 e influenciar nas eleições de prefeito.


Vai ficar

O deputado federal Jorge Boeira (PP), que não disputou eleição em 2018, reafirmou ontem que não pretende sair do partido.

Mas, quer participar de um processo de reestrutura e renovação do PP na região Sul.

Ele diz que não “pendurou as chuteiras”, e que poderá disputar em 2020 ou 2022.


Segundo nome

Gelson Merisio anunciou ontem o segundo nome para o seu eventual governo. Cristina Pires Pauluci, médica, especializada em gestão. É funcionária de carreira da Secretaria de Saúde do Estado.


Candidato a presidente

O governador Eduardo Moreira vem sendo estimulado a assumir a presidência estadual do MDB.

Mauro Mariani é o atual presidente, mas perdeu a condição política para continuar no cargo depois de levar o partido a um vexame na eleição, ficando fora do segundo turno.

O seu mandato termina em dezembro. Eduardo tem sinalizado que deve assumir.


Como vota

Jorge Konder Bornhausen, ex-ministro, ex-governador, para o colunista Moacir Pereira:

"Como será seu voto no segundo turno? Votarei para presidente da República, por exclusão e não por convicção, no deputado Jair Bolsonaro. E, aqui, por ter informações de ser um homem sério, no Comandante Moisés”.


Poderia ser ele

O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, confirmou ontem no programa Pânico, da Jovem Pan, que foi convidado pelo candidato Jair Bolsonaro a ser candidato a governador ou senador por Santa Catarina.

Mas, decidiu apenas fazer campanha política, sem disputar eleição.


Não passou

Os vereadores de Içara, por maioria, não aceitaram a mudança. Decidiram deixar a porta aberta para assumir como secretário da Prefeitura.

O vereador Israel Rabelo tentou convencê-los. Bateu na tecla que “lugar de vereador é na Câmara”. Mas, os outros vereadores estavam surdos para ele.

Também não adiantou dizer que vereador que assume cargo na Prefeitura passa a ser funcionário de quem vai ter que fiscalizar.


Foi ver de perto

O vereador de Criciúma, Ademir Honorato (MDB), foi até a Câmara de Içara para acompanhar a votação sobre a inconstitucionalidade do projeto de lei para proibir que vereador assuma cargo no Executivo sem que renuncie o mandato. Viu o projeto ser arquivado. Ademir já tentou por mais de uma vez aprovar projeto semelhante em Criciúma e não conseguiu êxito. Pretende retomar o assunto na Câmara de Criciúma em 2019. O vereador do Balneário Rincão, Ramires Lino (PSD) também acompanhou a sessão na cidade de Içara.


Não vem

O governador Eduardo Moreira não virá amanhã a Criciúma para inauguração da nova sede do Instituto de Meio Ambiente (antiga Fatma).

Eduardo estará em São Paulo, tratando da implantação de uma grande empresa no norte do estado.


Resposta

O vereador Zairo Casagrande (PSD) respondeu sutilmente às críticas feitas pelo colega Aldinei Potelecki (PRB) na sessão da semana passada sobre apresentações de emendas ao projeto de lei de incentivo à inovação em Criciúma construída pelo Executivo e entidades, mas de iniciativa e participação de Potelecki. Zairo citou artigos do regimento interno que fazem referência ao dever do vereador de apresentar propostas, entre elas, as emendas.


No ar

O presidente Julio Colombo (PSB) iniciou a instalação do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Garante que é somente para cumprir o regimento interno já que ainda não havia feita essa instalação. Mas, a iniciativa, agora, chama atenção para uma possível denúncia.


Avaliação positiva

O vereador Paulo Ferrarezzi (MDB) voltou à tribuna da Câmara para falar sobre as filas para consultas e exames em Criciúma, mas desta vez para fazer uma avaliação positiva. Ele, que é presidente da Comissão de Saúde do Legislativo esteve com a secretária de Saúde, Francielle Gava, e recebeu a notícia de que as filas estão andando após a compra de consultas através de um convênio feito pela prefeitura e a compra de dois aparelhos de ultrassonografia. Também anunciou que o secretário de Saúde do Estado, Acélio Casagrande, está viabilizando o tratamento de glaucoma, realizado hoje somente em Florianópolis, seja realizado em Araranguá.


Perigo

Os vereadores de Criciúma levantaram uma questão que precisa de muita atenção na sessão de ontem. O vereador Jair Alexandre (PSC) apresentou requerimento pedindo que o Executivo troque a fiação do Teatro Elias Angeloni. O vereador Tita Belloli (MDB) afirmou que o perigo de incêndio é admitida até mesmo dentro da Fundação Cultural de Criciúma. Incêndios como no próprio Paço Municipal e Centro Cultural Jorge Zanatta aumentam o alerta.


Para prefeito

No próximo domingo a maioria dos brasileiros irão eleger os governadores e presidente do país, mas em algumas cidades será diferente e terá votação suplementar para prefeito. O caso de Vidal Ramos em Santa Catarina e mais 20 cidades no Brasil.


Contas aprovadas

O prefeito de Nova Veneza, Rogério Frigo, teve as contas referentes a 2017 aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina. Frigo acompanhou a sessão plenária em Florianópolis ao lado do vice-prefeito Zé Spilere, do secretário de Administração e Finanças, Osnir Ângelo Ghellere, do procurador do município, Ricardo de Souza Melo Filho, do presidente da Câmara de Vereadores em exercício, Arlindo da Silva e do vereador Aroldo Frigo Jr.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/10/2018 - 07:16Atualizado em 22/10/2018 - 07:18

Mais um fim de semana com o povo nas ruas a favor de Bolsonaro. Em Criciuma, o amarelo e verde tomaram a avenida Centenário. Milhares de pessoas. Manifestação espontânea, supra-partidária, que reuniu indignados com o ambiente politico predominante no país, e clamando por mudanças (foto).

A pesquisa feita pelo Ibope, divulgada no fim de semana, mostrou que Santa Catarina continua sendo o estado mais “bolsonarista" do pais. E Criciúma, a cidade onde a "onda" é maior. 

Mostrou também a vinculação ao Comandante Moisés. Os dois comandam o processo. Estão na liderança, com boa margem.

Moisés tem no estado a mesma vantagem na intenção de votos que Bolsonaro tem na disputa para presidente. Bolsonaro 59% x 41% Haddad, Moisés 59% x 41% Merisio. 18 pontos. Com tendência de ampliar nos últimos dias.

Se Bolsonaro é favorito e a sua eleição está encaminhada, Moisés está na mesma condição.

A rigor, Moisés e Bolsonaro só perdem para si. Ou, se acontecer um novo tsunami eleitoral.

Processo entra hoje na reta final, último ato será no domingo, com o segundo turno, mas ficarão pendências importantes a serem tratadas.

A principal delas é o uso fraudulento da internet, com a disseminação paga de fake news por empresas que tem a capacidade de disparar mensagens para até 80 milhões de pessoas.

A justiça eleitoral não estava preparada para isso. Não criou mecanismos de controle. Não conseguiu conter. Mas, vai ter que apurar as tantas denuncias e, principalmente, se preparar para as próximas eleições.

Há vários crimes nesse tipo de pratica, que vão desde a proliferação de noticia falsa, até o abuso de poder econômico. Porque tudo isso é pago, e bem pago.

O problema não se deu apenas na campanha para eleição nacional, nem ficou restrita aos grandes centros. Há ocorrências locais, que passam a ser tratados pelos magistrados. 

Porque isso não pode prosperar. Sob pena de comprometer a lisura das eleições.

 

Na Paulista

Deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) e o empresário criciumense Ricardo Faria se encontraram com o candidato a governador João Doria (PSDB), ontem, em São Paulo, no ato que reuniu milhares de pessoas na avenida Paulista a favor de Bolsonaro.

 

Na Centenário

O vereador Ademir Honorato (MDB) e o deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) estavam juntos no ato a favor de Bolsonaro na avenida Centenário, Criciúma.

 

Debate em Criciúma

Será amanhã, a partir de 7h30, o debate na rádio Som Maior FM entre Comandante Moisés (PS) e Gelson Merisio (PSD), eleição de segundo turno para governador.

As regras para o debate foram aprovadas pelos representantes dos candidatos na sexta-feira, em reunião na Som Maior.

Depois, só terá o debate na NSC Tv, quinta-feira à noite.

 

Amin no comando

O senador eleito Esperidião Amin (PP) já está na lista de possíveis candidatos à presidência do senado.

Na edição de ontem a Folha de São Paulo incluiu Amin na lista dos cinco mais cotados e escreveu o seguinte:

“Ex-colega de partido de Bolsonaro, ele já foi senador e agora volta à Casa com a chance de ser um nome que agradaria ao centro e também ao presidenciável”.

 

Mais Amin

Esperidião Amin foi um dos maiores vencedores na eleição em Santa Catarina. Primeiro, porque conseguiu vencer o tsunami da mudança e se elegeu como o mais votado ao senado.

Depois, porque os seus adversários internos, que trabalharam para diminuir o seu poder no partido, foram derrotados na eleição. Por aqui, destaque para Valmir Comin, Leodegar Tiscoski e Joares Ponticelli (que perdeu, sem ser candidato).

Por fim, Angela e João Amin, mulher e filho, se elegeram.

E o PP catarinense volta naturalmente ao comando politico de Esperidião.

 

Três Salvaros

A eleição de 2020 pode ter três Salvaros prefeitos na região.

Frank Salvaro em Siderópolis, Cleiton Salvaro em Treviso e Clesio em Criciúma (candidato a reeleição).

As candidaturas de Frank e Cleiton ainda serão tratadas, mas passam a ser consideradas, pelas boas votações que Cleiton teve nas duas cidades, o que é considerado como efeito do patrimônio eleitoral da familia.

 

O vice

Na praia de Ipoã, região do Farol de Santa Marta, Luiz Pelegrin (da Fabrica de Costela) é presidente do condomínio e o Comandante Moisés é o vice.

Na Fabrica, no sábado, a duvida - se for eleito para o governo, Moisés continuará “respeitando" a hierarquia e a autoridade do Luiz?

 

Pai e filho

Julio Lopes, presidente do PSL de Criciúma, e o seu filho, deputado estadual eleito Jessé Lopes, comandaram o movimento para novas filiações, sábado pela manhã, na praça Nereu Ramos. Mais de 500 adesões.

Julio foi o coordenador da campanha do filho, que foi o mais votado em Criciúma, Içara e Cocal do Sul.

 

Equipe de governo

Técnicos de carreira do governo do estado estão participando de reuniões diárias com o Comandante Moisés e sua equipe para tratar da montagem do plano de governo.

Alguns, já estão sendo citados para o eventual governo de Moises. Na saúde, Karin Leopoldo é citada como possível secretaria de saúde. Na defesa civil, coronel João Batista. 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/10/2018 - 17:50Atualizado em 21/10/2018 - 17:56

Os criciumenses Daniel Freitas, deputado federal eleito (PSL), e Ricardo Faria, um dos mais importantes empresários da avicultura brasileira, participam agora de manifesto pró-Bolsonaro na avenida Paulista, em São Paulo (foto).

Milhares de pessoas participam do ato.

Os dois encontraram o ex-prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), candidato a governador que disputa o segundo turno (foto).

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/10/2018 - 17:45Atualizado em 21/10/2018 - 17:55

Acontece agora, em Criciúma, manifestação de defensores da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

Manifesto começou no Parque das Nações e depois derivou para uma caminhada pela avenida Centenário (foto).

Foi mais uma manifestação expressiva, à uma semana da eleição de segundo turno.

Entre os manifestantes estavam o deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) e o vereador Ademir Honorato (MDB).

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/10/2018 - 07:20

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) está decidido a levar adiante a candidatura da deputada federal reeleita Geovania de Sá (PSDB) à presidência da executiva estadual do partido.

Clésio e Geovania se reuniram para tratar do assunto e o prefeito recebeu “sinal verde” para levar o projeto adiante.

Ele está tratando primeiro com os prefeitos do PSDB.

Começou a se movimentar logo depois dos resultados do primeiro turno da eleição em Santa Catarina, e as conversas estão fluindo fácil diante do desempenho muito ruim do partido.

O PSDB saiu menor da eleição, com redução do números de deputados estaduais e federais, perdendo duas vagas no Senado Federal e fora do governo.

Salvaro tem dito que a candidatura de Geovania a presidente, na sucessão do atual presidente, deputado Marcos Vieira, seria o reconhecimento à sua vitória expressiva nas urnas, quando praticamente dobrou a votação (apesar do “tsunami”) e passou a ter o maior patrimônio eleitoral do partido no estado.

Além de estar trabalhando pela eleição de Geovania no partido, Clésio tem dois projetos políticos. Buscar a reeleição na Prefeitura em 2020, com nova votação expressiva, e depois viabilizar uma candidatura ao Governo do Estado.

Clésio já poderia ter encaminhado uma candidatura majoritária nessa eleição. Na condição de político mais popular do Sul, chegou a ser procurado, falou a respeito e algumas articulações foram feitas.

Ele gostou da ideia de ser vice de Udo Döhler (MDB), prefeito de Joinville. Mas, Udo não saiu da Prefeitura para disputar eleição, e ele também se recolheu.

Agora, está decidido a buscar eleição estadual. Pode ser em 2022 ou 2026.

 

Todos os municípios

Geovania de Sá (PSDB) não comemora somente a boa votação que teve, praticamente dobrando a quantidade de votos, mas também a sua boa aceitação no estado. Ela fez votos em todos os 295 municípios. Cem a mais do que na eleição de 2014, quando teve eleitores em 195 cidades catarinenses. Atribui a votação às suas posições na Câmara Federal neste primeiro mandato.

 

Efeito

Não só em Santa Catarina, mas em Brasília sua votação já reflete. Na semana passada, na volta aos trabalhos foi convidada a presidir a Câmara, na quarta-feira.

 

A venda da Eliane

Sendo bairrista, a venda da Eliane representa que uma das maiores e tradicionais empresas da região deixa de ser “nossa”. O dono não é mais criciumense.

Ainda mais em se tratando da Eliane que sempre teve uma forte ligação com a cultura e as atividades comunitárias da região. Garantiu retaguarda ao “Tigre" nos melhores tempos. Fez um colégio para garantir formação aos jovens.

Mas, sob ponto de vista da economia da região, foi um negócio importante, que vai trazer resultados positivos. Porque novos investimentos serão feitos, que vão incrementar geração de emprego e novas receitas.

Há se destacar no processo o papel do presidente da Eliane, Edson Gaidzinski Junior. Um craque.

Ele assumiu a empresa no pior momento. Situação muito delicada. Vendê-la na época, não tinha condições.

Edson mergulhou, colocou em prática todos os seus conhecimentos, recuperou a empresa, modernizou, recolocou no patamar das mais importantes e premiadas do país, a ponto de torná-la de novo “atraente”.

Por isso, a venda da Eliane é uma boa notícia.

 

Vantagem folgada de Moisés

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira à noite mostra o Comandante Moisés (PSL) na liderança das intenções de voto no estado com 18 pontos de vantagem sobre Gelson Merisio (PSD).

Os números: Comandante Moisés - 51%, Merisio 35%, Branco/Nulo 9% e Não sabe 6%.

Votos válidos: Moisés 59% x Merisio 41%.

 

O voto de Vampiro

O deputado estadual reeleito Luiz Fernando Vampiro (MDB) já votou Bolsonaro no primeiro turno e agora votará também no Comandante Moisés (PSL) para governador.

Ele diz que Gelson Merisio (PSD) conseguiu unir o MDB contra ele.

 

Na Fiesc

Gelson Merisio e Comandante Moisés fizeram apresentação de propostas e planos de governo aos empresários do estado, em reunião conjunta do sistema Fiesc com o Conselho das Entidades Empresariais de Santa Catarina (Cofem), ontem, em Florianópolis.

O empresário criciumense Olvacir Fontana, diretor da Fiesc, abriu seu voto em Moisés e disse que gostou muito da postura do candidato (foto).

Moisés assumiu compromisso de não aumentar impostos.

 

Na mão de um catarinense

A ação do PT no TSE sobre a suposta compra ilegal de pacotes do WhatsApp em apoio a Jair Bolsonaro (PSL) está nas mãos de um ministro catarinense.

O processo foi distribuído para o ministro Jorge Mussi, o corregedor-geral eleitoral.

 

TRE se reúne com os candidatos

O presidente do TRE, Ricardo Roesler, vai receber os dois candidatos ao Governo do Estado de Santa Catarina na próxima segunda-feira. Quer solicitar apoio de Gelson Merisio (PSD) e Comandante Moises (PSL) para garantir a tranquilidade, a segurança, a ordem e a liberdade do voto no segundo turno. O TRE também está com uma forte campanha contra as fake news.

 

Dos pedágios

Muito bem posicionado o presidente da Acic, Moacir Dagostim, sobre a implantação das praças de pedágio no Sul catarinense.

Ele tem enfatizado que a reação não é contra a implantação de pedágio. É quanto ao preço e o número de praças. "Nós entendemos que a praça de pedágio é interessante e tem que ter. Só que façam de acordo com a igualdade do estado”, diz.

Não faz sentido o pedágio ser mais caro no Sul do que no Norte do estado. Na mesma rodovia.

Também não faz sentido que a distância entre as praças de pedágio no Norte seja de 80 quilômetros e no Sul 50 quilômetros.

Só depende agora da capacidade de articulação dos políticos. Porque é só cobrar isonomia.

 

Na gôndola

A bailarina e palestrante Ana Botafogo, que veio a Criciúma para participar do Unesc em Dança, ficou encantada com Nova Veneza.

Foi levada para jantar, e fez questão de sentar na gôndola.

Depois, caminhou pelas ruas da cidade. Disse que achou tudo muito "arrumadinho".

 

Almoço do Varejo

Acélio Casagrande, que está nos últimos meses como secretário de Estado de Saúde, segue sua rotina de reuniões no Sul do estado às sextas-feiras. Nesta semana ele esteve no Almoço do Varejo da CDL de Criciúma. Fez uma apresentação da trajetória profissional na Saúde, desde 1993, no governo de Eduardo Pinho Moreira prefeito de Criciúma, até agora, como secretário estadual da pasta. Os presentes aproveitaram para tirar as dúvidas sobre o Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC).

 

Primeira visita

Acélio também aproveitou e fez primeira visita formal à nova diretora-geral do Hospital São José (HSJ), Irmã Isolene Lofi, que substituiu recentemente a Irmã Líbera Mezzari (foto). Na pauta, a garantia de que os pleitos do hospital continuarão recebendo atenção até o final do atual governo estadual.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/10/2018 - 19:31Atualizado em 19/10/2018 - 19:35

Acaba de ser divulgada pela NSC Tv a primeira pesquisa do Ibope sobre a eleição de segundo no estado para governador.

Comandante Moisés (PSL) larga na frente com vantagem de 18 pontos sobre Gelson Merisio  (PSD).

É a mesma que Bolsonaro tem sobre Haddad.

Os números:

Comandante Moisés - 51%

Gelson Merisio - 35%

Brancos/Nulos - 9%

Não sabe - 6%

 

Votos válidos:

Comandante Moisés - 59%

Merisio - 41%

 

   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/10/2018 - 06:09Atualizado em 19/10/2018 - 09:03

Não faz sentido o sul do estado ter cinco praças de pedágio e pagar quase o dobro da tarifa cobrada no trecho norte. Porque é aí que está problema. 

O grito que o sul está dando não é contra o pedágio. Mas, como pretendem implantar.

A br 101 em Santa Catarina é dividida em Florianópolis. De lá para Curitiba é o lado norte, e para cá, é o lado sul.

Sendo assim, o pedágio de Paulo Lopes (que não é mais em Palhoça faz anos) está no trecho sul.

Por isso, somando com as quatro praças de pedágio que o governo quer implantar por aqui, ficarão cinco no sul.

Assim, quem sair de Criciuma, ou Jaguaruna, para ir a Florianópolis, ou São José, vai pagar três pedágios. Ida e volta, seis pedágios. Em menos de 200 quilômetros. Não parece correto.

Os estudos técnicos que definiram três praças a partir de Florianópolis até o Paraná, não podem determinar mais que três no lado de cá.

Ademais, por que a tarifa no trecho norte r$ 2,70 e para o lado sul já está em r$ 4,20?

Pela proposta original seria r$ 3,97, mas a valores de 2016. Fazendo a atualização monetária, vai a r$ 4,20.

A parte mais rica do estado paga mais barato por que?

O pedágio no trecho sul da br 101 virá, não tem volta, é uma necessidade.

Não tem outra saída para garantir estradas seguras e conservadas.

Mas, o sul do estado não pode se prejudicado, de novo.

Quando fizeram a duplicação, foi só no lado norte. Para o sul, nem projeto. E a região perdeu muito, seus indicadores econômicos caíram, as cidades ficaram mais pobres.

Só depois de concluído e entregue o trecho norte é que começaram a tratar do lado sul. Deu-se um hiato de praticamente 10 anos.

Agora, com as praças de pedágio, que o sul tenha pelo menos o mesmo tratamento do norte.


Acélio, novo rumo

O secretário de saúde do estado, Acelio Casagrande, está projetando retorno à Criciuma quando deixar o cargo, em 31 de dezembro.

Tem dito aos mais próximos que tem projeto eleitoral a encaminhar na cidade, que pode começar pela sua transferência para o PR.

O assunto estaria sendo tratado em sintonia com o Paço.


Perdas no PP

Políticos do PP da região, inclusive dirigentes de executivas municipais, tem dito que no primeiro se empenharam e votaram em Merisio pela aliança, mas principalmente porque a disputa era contra o MDB.

Agora, sem o MDB da disputa, estão se considerando descompromissados e migrado para o Comandante Moisés.


Ouvindo

Tem pelo menos um técnico de Criciúma, não filiado a partido politico, que nunca disputou eleição, e que já foi chamado pelo Comandante Moisés (PSL) para discutir alternativas para gestão pública na sua área.

O “conselheiro" é reconhecido na cidade pela competência na sua área de atuação.


Vai devolver

O ex-prefeito de Nova Veneza, Evandro Gava (PP), foi condenado pelo Tribunal de Contas do estado a devolver quase r$ 35 mil aos cofres públicos e ainda pagar multa de 10%.

O relator do processo foi o conselheiro Gerson Sicca.

Evandro foi condenado em processo movido pelo vereador Aroldo Frigo (PSDB) em função de abastecimento de veículos da prefeitura que não estavam circulando. “Os veículos estavam em cima do toco”, disse o vereador.

Decisão do Tribunal saiu ontem.


Reconhecimento internacional

A comitiva haitiana que esteve em Santa Catarina vai cruzar o oceano levando na bagagem o conhecimento das práticas aplicadas no sistema prisional catarinense. O grupo, formado por técnicos e agentes da cúpula do setor no Haiti, gostou do que viu nas penitenciárias do Estado. 

Por aqui, a oferta de trabalho e estudo para os detentos se tornaram uma referência, com respaldo do ministério da Segurança Pública. A diretora da Penitenciária Sul, de Criciúma, Maira Montegutti, foi quem recebeu, em nome de todos os servidores da secretaria de Estado de Justiça e Cidadania, os elogios da comitiva. 

“O modelo de Santa Catarina deve ser copiado e nós vamos adapta-lo ao nosso país”, garantiu o chefe de gabinete do departamento penitenciário do Haiti, Louis Guerro Plancher. A observação foi reproduzida por um tradutor, mas o reconhecimento é internacional.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/10/2018 - 10:55Atualizado em 18/10/2018 - 11:19

O deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) acaba de distribuir audio via redes sociais para desmentir informação sobre suposta escolha do deputado federal Ronaldo Benedet (MDB) para ser secretário de segurança pública no eventual governo do Comandante Moisés (PSL).

Daniel diz que esteve ontem com Moisés e que a informação não tem o menor fundamento.

Além disso, alerta para a enxurrada de fake news na reta final da campanha.

Benedet é deputado federal pelo MDB de Criciúma, mas não conseguiu se reeleger. Ficará sem mandato a partir de janeiro de 2019. Mas, no audio, já é tratado por Daniel como "ex-deputado".

Abaixo, o audio do deputado federal eleito.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/10/2018 - 06:55Atualizado em 18/10/2018 - 09:24

As declarações do deputado eleito Júlio Garcia (PSD), fortes, fragilizaram ainda mais a já combalida candidatura a governador do deputado Gelson Merisio (PSD).

Não apenas pelo que foi dito, mas pelo autor.

Júlio é um dos políticos mais respeitados do estado e foi campeão de votos da coligação na eleição de 7 de outubro, depois de ter feito a campanha totalmente desvinculada de Merisio.

Ele não usou recursos do fundo partidário (porque não aceitou), não gravou programas de rádio e televisão, não participou de nenhuma reunião com Merisio e não quer saber de aproximação com ele no segundo turno.

“Se eu não fiz campanha junto com o Merisio quando eu era candidato, imagina agora que estou eleito. Eu fiz uma campanha independente e independente continuo”.

Júlio disse que pelo “ambiente nas ruas”, que o Comandante Moisés é o favorito em Santa Catarina.

Ele não abriu voto para o segundo turno, mas disparou chumbo grosso contra Merisio.

_ “No segundo turno, nós temos duas candidaturas ao governo. Uma é imposta, arrogante, prepotente. Quanto a outra, eu não conheço o Comandante Moisés, nunca conversei com ele e não vou conversar até a eleição, mas pesquisei a respeito dele, fui atrás de informações, e percebo que é uma pessoa honesta, equilibrada e que representa verdadeiramente o novo, o que é muito importante nessa eleição”.

Na sequência, arrematou - “eu não me identifico com o jeito de fazer política do Gelson Merisio”.

Nenhum adversário foi tão duro com Merisio durante toda a campanha. A entrevista dada à Rádio Som Maior, ontem pela manhã, foi o principal fato da campanha no estado desde o final do primeiro turno.

Antes disso, em março de 2018, Júlio havia comparado a candidatura de Merisio ao governo a um "Titanic encalhado”.

Agora, responsabiliza Merisio pela derrota do partido na eleição de 7 de outubro. O PSD saiu menor da eleição na sua representação parlamentar.

_ “Isso aconteceu pela má condução da direção estadual do partido, que foi autoritária, impôs uma candidatura a governador que não era desejada, e os resultados estão aí. Foi a pior eleição do partido desde a sua fundação em 1986, pela falta de bom senso de Merisio no comando”.


Avassaladora

Se depender do eleitor de Criciúma, de acordo com a pesquisa do Instituto IPC, a eleição está resolvida. Não tem mais volta. Bolsonaro e Comandante Moisés serão consagrados nas urnas.

Para governador, o Comandante Moisés tem 72,74% dos votos válidos. No primeiro turno, recebeu 36,76%.

Merisio tem apenas 27,53%. É menos do que recebeu na votação do dia 7 de outubro, primeiro turno, quando alcançou em Criciúma 34,74%.

Considerando que o Comandante Moisés teve 36,76% dos votos válidos no primeiro turno em Criciúma, a pesquisa indica que todos votaram em outros candidatos e mais uma parte que votou em Merisio está migrando para o “17”.


Avassaladora 2

Para presidência, os números são mais impactantes e impressionantes. Nunca antes na história da cidade aconteceu algo assim. Bolsonaro tem 82,98% dos votos válidos.

Na eleição de primeiro turno, teve 72,35% dos votos.

A mostrar que Criciúma se encaminha para confirmar a marca de “cidade mais bolsonarista” do estado, e talvez do país.


O "risco"

Diante dos números de todas as pesquisas apresentadas até agora, locais e nacionais, é possível cravar que Comandante Moisés e Jair Bolsonaro só perdem a eleição para si.


O nome do Sul

Depois de um mandato em que a região teve vice-governador e governador, a partir de janeiro a principal representação no núcleo de poder do estado pode ser a “primeira-dama”.

Késia da Silva, mulher do Comandante Moisés, nasceu em Imbituba, mas cresceu e viveu em Tubarão até o casamento.

Eles tem casa de praia no Ipoã, região do Farol de Santa Marta, Laguna.


Bom trânsito

Deputado estadual reeleito Rodrigo Minotto (PDT) está em Brasília com prefeitos e lideranças de Santa Catarina. Ele esteve com o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, levado pelo senador eleito Jorginho Mello (PR).

Mesmo participando da aliança liderada pelo PSD, Minotto abriu voto na eleição para Jorginho (que estava na coligação do MDB) e Esperidião Amin (PP).

Ele recusou o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) no seu material de campanha.


Do pedágio

Walterney Junqueira, médico, presidente da Unimed Criciúma:

"Fico impressionado com a cultura da nossa região. É por isso que a região norte do estado é mais próspera - tem uma visão econômica bem mais apurada. Ser contra pedágio é um absurdo. O pessoal aqui tem é que andar em estrada esburacada e ruim. Com essas atitudes não vamos evoluir nunca”.

Hoje, 14h, acontece em Criciúma a audiência pública sobre a implantação de quatro praças de pedágio no Sul.


Do pedágio 2

Ontem, foi realizada em Florianópolis a primeira audiência pública sobre o pedágio no Sul.

Prefeitos e deputados da região participaram.

O deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) criticou a quantidade de praças de pedágios projetadas, que considerou excessiva.

Também questionou alto valor proposto para a tarifa, que é maior a que hoje é praticada no pedágio em Paulo Lopes.

“A região Sul do estado já foi muito prejudicada economicamente com o atraso na duplicação da BR-101. Quatro pedágios é um absurdo, é demais e o valor muito alto”, arrematou. 


Transição

O governador Eduardo Pinho Moreira afirmou nesta quarta-feira, durante o lançamento de um software para a Secretaria de Estado da Assistência Social, que pretende iniciar a transição com o governador eleito na semana seguinte ao término das eleições. Nas palavras de Moreira, é importante que o próximo mandatário tome conhecimento imediato da máquina pública, até para que Moreira consiga adequar seus atos finais de governo com a linha a ser adotada pelo futuro morador da Casa D´Agronômica.


Do pedágio 3

Os mais atentos que passam pela BR-101 em Araranguá notam que uma das empresas interessadas em participar da licitação para as praças de pedágios montou uma barraca às margens da BR-101 para fazer a contagem de carros. Quer saber se vale à pena participar do processo.


PT foca em Haddad

O PT de Santa Catarina esteve reunido, ontem, e tirou como prioridade absoluta a eleição de Fernando Haddad (PT) à presidência da República. Para o Governo do Estado, indica a seus filiados a não votar no 17 do Comandante Moisés.


Assinado

Foi assinado, na tarde de ontem, no gabinete do senador Dário Berger, em Brasília, o empenho com a liberação de aproximadamente R$ 20 milhões do Governo Federal para que as obras de contenção de encostas na Serra do Rio do Rastro possam sair do papel. A liberação havia sido oficializada na semana passada por ministros do governo Michel Temer ao governador Eduardo Moreira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/10/2018 - 16:03Atualizado em 17/10/2018 - 16:11

As declarações do deputado eleito Julio Garcia (PSD) fragilizaram ainda mais a já combalida candidatura a governador do deputado Gelson Merísio (PSD).

Não apenas pelo que foi dito, mas pelo autor.

Julio é um dos políticos mais respeitados do estado e foi campeão de votos da coligação na eleição de 7 de outubro, depois de ter feito a campanha totalmente desvinculada de Merísio.

Ele não usou recursos do fundo partidário (porque não aceitou), não gravou programas de rádio e televisão, não participou de nenhuma reunião com Merísio e não quer saber de aproximação com ele no segundo turno.

“Se eu não fiz campanha junto com o Merísio quando eu era candidato, imagina agora que estou eleito. Eu fiz uma campanha independente e independente continuo”.

Julio disse que pelo “ambiente nas ruas” o Comandante Moisés é o favorito em Santa Catarina.

Ele não abriu voto para o segundo turno, mas disparou chumbo grosso contra Merísio.

“No segundo turno, nós temos duas candidaturas ao governo. Uma é imposta, arrogante, prepotente. Quanto a outra, eu não conheço o Comandante Moisés, nunca conversei com ele e não vou conversar até a eleição, mas pesquisei a respeito dele, fui atrás de informações, e percebo que é uma pessoa honesta, equilibrada e que representa verdadeiramente o novo, o que é muito importante nessa eleição”.

Na seqüência, arrematou: “eu não me identifico com o jeito de fazer política do Gelson Merísio”.

Nenhum adversário foi tão duro com Merísio durante toda a campanha.

Antes disso, ele havia projetado em março de 2018 que "a candidatura de Merísio ao governo é como um Titanic encalhado”.

Agora, responsabiliza Merísio pela derrota do partido na eleição de 7 de outubro. O PSD saiu menor da eleição na sua representação parlamentar. 

“Isso aconteceu pela má condução da direção estadual do partido, que foi autoritária, impôs uma candidatura a governador que não era desejada, e os resultados estão aí. Foi a pior eleição do partido desde a sua fundação em 1986, pela falta de bom senso de Merisio no comando”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/10/2018 - 05:59Atualizado em 17/10/2018 - 11:28

Desligado da eleição de segundo turno, o prefeito Clesio Salvaro (PSDB) fez a sua analise do “recado das urnas”, estudou o novo mapa politico da cidade, e começou a se movimentar para eleição municipal de 2020, quando será candidato a reeleição.

Ainda não tem definido o time de aliados, mas terá o MDB como um dos adversários. Não tem como estar junto.

A saber, como ficarão PP, PSL (fato novo e forte no ambiente politico) e PSD.

O PSD é o principal aliado de hoje, tem o vice-prefeito Ricardo Fabris, mas não há nenhuma definição sobre repetição da “dobradinha”, nem da aliança.

O prefeito faz conversações com o PR, comandado no estado pelo senador eleito Jorginho Mello, e liderado em Criciúma pelo jornalista Nicola Martins.

Mas, antes de encaminhar acordos com partidos, Salvaro está tratando com políticos. Especialmente, vereadores. Quer “encorpar" o PSDB e ampliar sua base de apoio.

Deve trazer para o seu lado (filiando no PSDB ou em algum partido aliado) três ou quatro dos atuais vereadores.

Miri Dagostim (PP), Pastor Jair Alexandre (PSC) e Aldinei Poteleck (PRB) são os mais “prováveis”. Ele tem relação muito próxima de Salvaro desde o inicio do mandato.  

Um vereador do MDB também está no “radar”.

O vereador Julio Colombo (PSB), presidente da Câmara, já foi procurado.

Ele é presidente municipal do PSB, mas está afastado do partido. Na eleição do dia 7 de outubro esteve ligado ao PSD.

O fim das coligações na eleição proporcional (para vereador) pode facilitar o trabalho de Salvaro para atrair vereadores e possíveis candidatos.

Salvaro deve ser candidato à eleição majoritária estadual em 2022 (governador, vice ou senado). Mas, para chegar lá, tem que contabilizar vitória marcante na sucessão de 2020. Por isso, começou a trabalhar mais cedo.


A nova “marca"

A cidade de Joinville, maior do estado, decidiu fazer o reposicionamento da sua marca no contexto turístico

Para isso, a prefeitura contratou a Touch Branding, uma empresa de reposicionamento de marcas de empresas, instituições e organismos públicos.

Trazendo o assunto para o ambiente doméstico (local), o fato sugere duas anotações. 

A primeira, é quanto ao profissionalismo como o assunto é tratado. Tecnicamente. Como deve ser para quem vai ao “mercado”.

A segunda, é que Joinville está tratando de Joinville. Não é de todo o norte. Porque a região no entorno vai crescer por gravidade, a partir do desenvolvimento da cidade polo.


Nova pesquisa IPC

Sai hoje, 18h, resultado da nova pesquisa do Instituto IPC sobre intenção de votos do eleitor de Criciúma para o segundo turno na eleição para governador.

Os números serão revelados no programa Ponto Final, na radio Som Maior.

A coleta de dados será concluída pela manhã.


Debate 

Gelson Merisio e Comandante Moisés participam de debate hoje, a partir de 9h, que será realizado pela Acaert (associação de rádios do estado).

A rádio Som Maior vai retransmitir o debate na íntegra. Mais de 50 emissoras do estado estarão ligadas em rede.


Debate 1

Na segunda-feira à noite teve debate entre Merisio e Moises no SBT. O problema é que começou muito tarde. Quase meia noite.

Merisio voltou a insistir que o MDB está apoiando o Comandante Moises e que o MDB nunca dá apoio de graça.

Moisés negou qualquer conversa com dirigente ou representante do MDB ou de qualquer outro partido.

Tanto no debate, quanto nos programas eleitorais, Merisio está no ataque. Tenta reverter a “onda”.

Moisés se mantêm calmo, fala mansa, e tem reagido bem à pressão.


Novo comando

O PSL, parido de Bolsonaro, tem novo comando em Criciúma. O dentista Julio Lopes assumiu a presidência.

Ele é fundador do partido, pai do deputado eleito Jessé Lopes.


Esquentou

O clima esquentou na sessão de ontem da Câmara de Vereadores de Criciúma após o vereador Aldinei Potelecki (PRB) usar a tribuna para reclamar das 20 emendas apresentadas por Zairo Casagrande (PSD) ao projeto que institui a Lei de Inovação na cidade. Atribuiu o fato à falta de ética e desrespeito aos colegas vereadores, lembrou que cada um dos parlamentares têm as suas bandeiras e que ele vem trabalhando junto ao Executivo e entidades desde o início do mandato o tema inovação e que Zairo não participou de nenhum encontro. 

Zairo já tinha usado a tribuna anteriormente.


Há 20 anos

O assunto da gestão dos cemitérios foi novamente tratado na sessão de ontem da Câmara de Vereadores com tom de alerta. 

Toninho da Imbralit lembrou que até hoje a população mais carente paga pelo atual modelo de gestão. Foi além, lembrou que dos 21 vereadores que estavam na Câmara de Criciúma em 1998, quando o projeto chegou ao Legislativo, a minoria foi contrária: Arleu da Silveira (atual secretário de Governo), José Argente Filho, Adair Locks, Nei Teixeira, Zé Paulo Serafim e Adão da Silva, além do próprio Toninho, que agora reforça que não se pode cometer o mesmo erro do passado.


Em mãos

Os vereadores de Criciúma também aprovaram uma moção de repúdio à Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT. São contrários às quatro praças de pedágios propostas para o trecho Sul da BR-101. O vereador Tita Belloli, que propôs a moção assinada também pelos colegas, convocou a todos para que entreguem o documento em mãos na audiência de amanhã, às 14h, no Siso’s, em Criciúma.

Hoje, 9h, será realizada a primeira audiência pública em Florianópolis.


Amesc contra

Assim como já tratado na coluna de ontem, os prefeitos da Associação dos Municípios do Extremo Sul (AMESC) definiram em reunião, na tarde de ontem, posição contrária à instalação das praças de pedágios no momento. Acreditam que é preciso esperar o próximo presidente, no ano que vem. Entendem que o atual governo, em fim de mandato, não tem legitimidade para tal ato. As três associações de municípios da região se reúnem, em Criciúma, antes da audiência pública de quinta-feira. As outras duas devem seguir a mesma decisão.


Passou fácil

Não é a municipalização propriamente dita, mas é um passo importante e passou fácil pela Câmara de Vereadores o convênio com o Estado para que a Prefeitura realize obras na Escola Luiz Lazzarin, no Rio Maina. É um benefício para a comunidade. O espaço será melhor utilizado, com mais alunos do que tem hoje, cerca de 200. O presidente do Legislativo, Julio Colombo, estudou lá e já disse que vai reunir todos os formandos para juntos participarem do ato de municipalização, quando ocorrer, que dará sobrevida à tradicional escola.


SC pioneira

Em momentos importantes a Justiça Eleitoral de Santa Catarina se mostrou pioneira e não é diferente neste ano com o combate a grande propagação de fake news. Depois do TRE encaminhar denúncia à Polícia Federal, foi a vez do Ministério Público Eleitoral instaurar inquérito no mesmo sentido. O procedimento foi instaurado para obter informações, ouvir testemunhas e envolvidos e pode resultar em representações, ações de investigação judicial eleitoral e ações criminais e cíveis. Os eleitores que fizeram reclamações em ata, dependendo do caso, podem ser intimados para prestarem esclarecimentos.


Rubinho homenageado

O presidente da Federação Catarinense de Futebol, Rubens Angelotti, será homenageado pela Câmara de Vereadores de Criciúma, com Moção de Aplauso, na sessão da próxima segunda-feira. Iniciativa é do vereador Zairo Casagrande (PSD).


Restauração

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, anunciou, ontem, a restauração da Igreja da Misericórdia, localizada bem no centro da cidade e com importante fator histórico. A decisão saiu após reunião com representantes da Paróquia São Donato, Conselho Municipal de Políticas Culturais e da Fundação Municipal de Cultura e Esportes, a pedido do padre Antoninho. Amanhã iniciam os encaminhamentos legais para que as obras sejam iniciadas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/10/2018 - 06:55Atualizado em 16/10/2018 - 08:48

Não será tranquila a audiência pública de quinta-feira, em Criciúma, para discutir a implantação de praças para cobrança de pedágio no trecho Sul da BR-101, projetada pelo Governo Federal.

Os prefeitos da região, especialmente os do Vale do Araranguá, estão se mobilizando contra a proposta. Os vereadores de Criciúma também.

O prefeito Zênio Cardoso, de Sombrio, presidente da AMESC, vai reunir hoje os prefeitos do Vale para decidir o que fazer. Mas, já disse que está indignado com a intenção anunciada do Governo Federal de implantar quatro praças de pedágio no trecho Sul, sendo duas entre Araranguá e São João do Sul.

As outras duas praças estão projetadas para Tubarão e Laguna.

Os vereadores Tita Belloli (MDB) e Julio Colombo (PSB) defenderam ontem na sessão da Câmara de Criciúma um “movimento de repúdio" contra a implantação das quatro praças.

Tita fez as contas: “Se colocar todas essas praças, para ir de Criciúma a Florianópolis vamos ter pagar três pedágios, isso é um absurdo, fica inviável”.

No caso, Tita considera as duas novas que seriam implantadas, Tubarão e Laguna, e mais a de Palhoça, que já funciona.

Será a segunda vez que a criação de praças de pedágio na BR-101 no Sul catarinense é levada a discussão em audiência pública.

A primeira, foi em março de2017. Governo não conseguiu passar o que queria. Os prefeitos não deixaram.

Na época, a intenção era implantar uma praça em São João do Sul, sendo que os recursos ali arrecadados seriam usados para manutenção do trecho gaúcho da BR-101.

Depois de uma audiência pública tumultuada, que não encerrou, o Governo Federal passou aquela praça para o Rio Grande do Sul (Três Cachoeiras).

Agora, o assunto volta à tona, com um diferencial. Os recursos arrecadados serão usados para recuperação da rodovia no Sul catarinense. Mas, o problema agora é o número. Quatro praças, é considerado demais.


Criciúma na chapa

A advogada criciumense Andréa Dota foi anunciada candidata a vice na chapa de oposição na eleição da OAB de Santa Catarina.

O candidato a presidente é o advogado Hélio Rubens Brasil.


Criciúma na chapa (2)

Na chapa de situação na eleição da OAB, que tem como candidato a presidente o advogado Rafael Horn, o advogado criciumense Fabio Jeremias, presidente da OAB local, é candidato ao Conselho Federal da Ordem.

A chapa ainda terá outros seis membros de Criciúma como candidatos ao Conselho de Advogados.


Somatem pede para sair

A concessão dos cemitérios de Criciúma à iniciativa privada foi feita no governo Paulo Meller (MDB) e até rende dúvidas e especulações.

As regras estabelecidas justificaram muitas reclamações. O assunto gerou polêmica por muito tempo.

A Somatem operou dentro do que foi acordado. O problema foi a forma como o poder público fez o negócio.

Agora, a Somatem toma a iniciativa de abrir o negócio. Pediu rescisão. Vai embora.

Se o caminho for continuar com a operação terceirizada dos cemitérios, que pelo menos não sejam repetidos os mesmos erros.

Mas, será que é o caso - terceirizar cemitério?


Bolsonaro descola

Na primeira pesquisa do IBOPE no segundo turno da eleição presidencial, Jair Bolsonaro (PSL) já faz vantagem de 18 pontos sobre Fernando Haddad (PT) - 59% x 41%.

Com a garantia da vitória (mais de 50%) a diferença deve aumentar. Bolsonaro pode fazer a maior diferença numa disputa presidencial.

É possível especular que passe dos 65%.


Das aposentadorias

O vereador Ademir Honorato (MDB) continua insistindo no caso das aposentadorias irregulares na Prefeitura de Criciúma.

Na sessão de ontem, fez aprovar mais dois requerimentos à Prefeitura e ao CriciumaPrev.

Ele pede a relação de todos os servidores com pedido de aposentadoria em andamento (em análise), o número total de servidores efetivos ativos que ingressaram no serviço público até dezembro de 2003 e o número dos servidores que ingressaram depois de janeiro de 2004.


Não vai

O secretário de Infraestrutura do eventual governo de Gelson Merisio (PSD) não será o ex-deputado Paulo Bornhausen (PSB).

Bornhausen apoia Merisio, foi um dos articuladores da coligação, mas não fará parte do secretariado.

O secretário de Infraestrutura deve ser de Joinville.


PDT se reúne na quinta

O deputado reeleito Rodrigo Minotto (PDT) segue firme na campanha de Gelson Merisio (PSD) no segundo turno para o Governo do Estado. Sobre a posição na disputa presidencial, aguarda uma reunião do PDT de Santa Catarina que está marcada para quinta-feira.


De Bolsonaro

Ricardo Guidi (PSD) que se elegeu para deputado federal já definiu e vai de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno, assim como no primeiro. Para o Estado fica com Gelson Merisio, do seu partido.


Nomes só depois

Comandante Moisés, que concorre ao Governo do Estado pelo PSL, emitiu nota para reafirmar que não revelará nenhum nome de sua equipe antes do resultado das urnas no segundo turno. Segue mantendo a posição de um governo técnico com profissionais de carreira. Apesar de muitas declarações de votos de figuras conhecidas do MDB, o PSL não admite qualquer aliança com o partido.


Regularização

A regularização do comércio ambulante em Criciúma também foi pauta na sessão, de ontem à noite, na Câmara de Criciúma. O assunto foi puxado pelo vereador Salésio Lima (PSD) que apresentou pedido ao prefeito Clésio Salvaro (PSDB). Alegou que o município está perdendo dinheiro com quem quer trabalhar e regularizar a situação. A atual legislação tem 28 anos e está defasada.


Soltou o verbo

O vereador Julio Kaminski (PSDB) soltou o verbo na sessão de ontem na Câmara de Vereadores de Criciúma. Pediu a rescisão do contrato da Prefeitura com a Agência Reguladora da Água e Esgoto de Santa Catarina, Aresc. Os motivos o valor elevado cobrado, são R$ 0,37 por habitante e a ineficácia na prestação de serviços. O requerimento ainda foi assinado pelos vereadores Camila Nascimento (PSD), Pastor Jair Alexandre (PSC), Ademir Honorato (MDB), e Aldinei Potelecki (PRB).

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/10/2018 - 19:43Atualizado em 15/10/2018 - 19:49

Primeira pesquisa de segundo na eleição presidencial foi divulgada agora a pouco pelo IBOPE.

Mostrou Jair Bolsonaro (PSL) na liderança com 59% de votos validos.

Fernando Haddad (PT) - 41%.

O levantamento foi realizado na sábado (13) e domingo (14), e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

No final do primeiro turno, Bolsonaro teve 49,03% e Haddad 29.28%. Diferença era de 16,75 pontos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/10/2018 - 06:00Atualizado em 15/10/2018 - 09:03

Seria um nome novo. Jovem empresário, bem sucedido, vencedor, sem passado politico. Mas, Oscar Balsini declinou. Preferiu seguir com seus compromissos na iniciativa privada. Vai ficar na torcida de Gelson Merisio (PSD).

No sábado, depois que seu nome foi revelado por essa coluna, Oscar distribuiu nota confirmando o convite recebido de Merisio para ser o secretario de Inovação e Tecnologia do seu eventual governo, e dando as razões para não aceitar.

Na verdade, ele aceitou, e voltou atrás no dia do anuncio.

Merisio procura outro nome de Criciúma, se possível com o mesmo perfil. Quer anunciar nos próximos dias. Conta com a ajuda de empresários da sua relação pessoal na cidade.

Mas, o politico local que terá espaço e peso no seu governo será o deputado Valmir Comin, PP, que não conseguiu se reeleger.

Foi dos principais operadores no PP pela aliança com Merisio. Se não secretário, terá função importante e atuação política efetiva.

No eventual governo do Comandante Moisés (PSL), o deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) poderá ser secretário. Se não for, terá força para indicar.

Mas, sendo secretário ou não, ele será o braço politico do governo em Criciúma e região.

Daniel foi o campeão de votos do PSL no estado e o segundo mais votado do estado entre todos os candidatos. Sai muito califado das urnas.

Já disse que não quer disputar a prefeitura de Criciuma em 2020. Quer fazer um bom mandato de deputado, estadualizar o seu nome e projetar uma candidatura majoritária (governo, vice ou senado).


O próximo secretário

O ex-deputado Paulo Bornhausen (PSB) deve ser o próximo secretário anunciado por Gelson Merisio para seu eventual governo.

Paulinho está mapeado para secretaria de infraestrutura.

Já foram anunciados Guilherme Zigheli para fazenda, Odair Tramontin na segurança pública e Rodrigo Morateli na secretaria das cidades (que será criada).

Merisio prometeu todos os seus secretários durante a campanha se segundo turno. 


A primeira pesquisa

A primeira pesquisa estadual do segundo turno para o governo do estado será publicada amanhã, pela NSC TV.

Pesquisa feita pelo IBOPE.


A aposentadoria

Se a artilharia de Gelson Merisio contra o Comandante Moises ficar no valor da aposentadoria, não deve produzir o efeito esperado.

O Comandante reagiu bem, explicou, mostrou que não há de ilegal ou irregular, e não baixou o nível.


Com o MDB

Merisio tenta a todo custo colar o MDB na candidatura do Comandante Moises. 

No debate de sábado, na radio Peperí, ele disse que o Comandante está negociando com o MDB e emendou: "O MDB, para apoiar, não é de graça, isso todo mundo já conhece. O MDB gosta de cargos, gosta de participar do governo”.

Moisés garante que não negociando com o MDB e com nenhum outro partido. Está seguindo a campanha com o seu “time" do primeiro turno.


Boeira quer reorganizar PP

O deputado federal Jorge Boeira (PP), que não disputou reeleição, disse ontem que está avaliando o quadro para disputa de segundo turno em Santa Catarina e deve se posicionar até amanhã.

Mas, ele disse que fica no PP e que vai se colocar a disposição para encaminhar o processo de reorganização do partido em Criciúma.

Ele pensa na eleição municipal de 2020.


Muda de vida

O deputado Valmir Comin (PP) estava sexta-feira no mercado, com o filho pequeno, para compras para um churrasco em casa com a família.

Com a derrota na eleição, disse que deve fazer uma mudança na sua vida: “Agora vou cuidar dos negócios da família e acompanhar um pouco o crescimento do meu filho pequeno”, disse.


Assumiu

O tenente coronel Evandro Fraga, que deixou o comando da PM em Criciúma faz 10 dias, abriu seu voto no facebook: "Comandante Carlos Moisés da Silva - 17”.


Criar partido

Aproveitado o clima da campanha do segundo turno, o deputado estadual eleito Jesse Lopes, presidente do PSL em Criciúma, está mobilizando o seu grupo para o “dia de filiações”, sábado. 

Um “banca" será montada na parca Nereu Ramos.

O objetivo é atingir logo o numero mínimo de filiações para que o PSL tenha diretório e direção definitiva, não mais comissão provisória, como é hoje.


Prestigiado

Daniel Freitas conversou com o astronauta Marcos Pontes, que será ministro de Bolsonaro, e o convidou a vir em Santa Catarina (e Criciúma) durante dezembro.


Luto

Um entendido das questões da mobilidade urbana, um pensador da cidade, um defensor de novas alternativas ao sistema viário. Arquiteto Roberto Cabral.

Prestou serviço à cidade e à região estando ou fora do governo. Era um critico do mesmismo. Defendia a busca de caminhos novos.

Faleceu ontem, aos 52 anos, vitima de um câncer devastador que havia descoberto faz mais ou menos 30 dias.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/10/2018 - 11:04Atualizado em 13/10/2018 - 11:15

O empresário criciumense Oscar Balsini confirmou agora pela manhã informação dada pela coluna em A Tribuna e no 4Oito. Foi convidado pelo candidato a governador Gelson Merisio (PSD) para assumir a secretaria de Inovação e Tecnologia no seu eventual governo, mas declinou por questões pessoais e profissionais.

Abaixo, a nota de Balsini:

"Realmente houve o convite por parte do candidato.  Durante nossa conversa, além de honrado, confesso que fiquei impressionado com os planos que Merísio tem para esta área. São propostas inovadoras que beneficiarão muito o cidadão catarinense e a gestão do estado. Infelizmente, devido a compromissos profissionais assumidos e novos projetos recém-iniciados, declinei do convite de participar de um governo que, pessoalmente, avalio como a melhor opção para Santa Catarina. Fico extremamente triste em não poder colaborar com meu estado como Secretário de Inovação e Tecnologia, mas continuarei ajudando o estado e a região sul com aquilo que sei fazer bem, gerando empregos e movimentado a economia à frente das empresas das quais sou sócio. Agradeço ao Merísio pelo convite e pela confiança depositada e sigo torcendo pela sua vitória. Oscar Balsini"    

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/10/2018 - 07:05

O deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) foi o grande campeão de votos de Criciúma em 2018, com 27.654 votos para deputado federal. Foi o segundo mais votado do estado para deputado federal, com 142.571 votos no total. Naturalmente, passou a ser especulado como possível candidato para eleição municipal de 2020, sucessão do prefeito Clésio Salvaro (PSDB). Mas, ele rechaça a possibilidade.

Está focado em participar ativamente da campanha de segundo turno para Bolsonaro no país e o Comandante Moisés no estado, os candidatos do seu partido. Está otimista em relação a vitória “tranquila" dos dois. Depois, quer fazer pelo menos dois mandatos de deputado.

“De forma nenhuma, não penso e não vou ser candidato a prefeito”, reagiu de primeira, sem titubear, ao ser consultado sobre possível candidatura local. “Quero me destacar como deputado”, emendou.

A especulação do nome de Daniel é desdobramento natural do tsunami que se abateu na política e que alterou profundamente a correlação de forças e o mapa político.

Em Criciúma, projetando a eleição municipal, depois do 7 de outubro, os primeiros nomes relacionados são os do próprio prefeito Salvaro (candidato à reeleição, e favorito), deputado eleito Daniel Freitas, vice-prefeito Ricardo Fabris (PSD), deputada Geovania de Sá (PSDB) e deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB).

Como Daniel disse que não vai, o nome do PSL pode ser o vereador Julio Kaminski, ainda filiado ao PSDB, mas que está saindo do partido desde do ano passado, e foi um dos coordenadores da campanha de Daniel.

Fabris saiu fortalecido da eleição por ter coordenado as campanhas vencedoras dos deputados eleitos Julio Garcia e Ricardo Guidi (PSD).

A deputada Geovania de Sá reafirma intenção de continuar deputada, mas é nome natural no caso de Clésio mudar de planos. Mas, só nessa condição.

Vampiro, deputado eleito com boa votação, trabalho elogiado como secretário de estado, é o nome do MDB, mas precisa renovar e reciclar o partido, se tiver intenção de tentar a Prefeitura.

Resta ainda o segundo turno e os primeiros meses dos futuros governos para consolidar o quadro, mas os primeiros movimentos começam a ser feitos em torno desses nomes.

 

A desistência de Balsini

O empresário criciumense Oscar Balsini, dono da Betha Sistemas, foi secretário do eventual governo de Gelson Merisio por três dias.

Iria coordenar a área de ciência e tecnologia, que terá foco diferenciado.

Na segunda-feira à noite, dia 8, numa reunião em Criciúma, tudo ficou definido.

Na quarta-feira, dia 10, Merisio revelou durante entrevista na Som Maior, em primeira mão, que anunciaria o primeiro criciumense do seu governo no ato regional que faria na quinta-feira, 19h.

Mas, quando chegou em Criciúma para o evento, quinta à tarde, Merisio foi comunicado por Balsini que estava declinando. Agradeceu, prometeu ajudar como puder, mas não como secretário.

Um dos motivos teria sido aquisição recente de uma nova empresa em Criciúma.

 

Sem Clésio

Gelson Merisio tentou o apoio do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) no segundo turno. Mas, não levou.

O senador eleito Esperidião Amin (PP) se empenhou para isso.

Mas, Clésio telefonou aos dois para informar que não vai assumir nenhum dos dois candidatos no segundo turno para governador e que vai se dedicar ao trabalho na Prefeitura.

Para presidente, vota e apoia Bolsonaro.

 

Com aliados

Na quinta-feira à noite, Merisio fez encontro em Criciúma com aliados e políticos da coligação que apoia desde o primeiro turno (foto). Estava acompanhado do senador eleito Esperidião Amin (PP). Antes do encontro, os dois caminharam pelo calçadão e o comércio do centro da cidade.

 

O único

O deputado estadual reeleito Rodrigo Minotto (PDT) participou do evento de Merisio em Criciúma.

Minotto é o único parlamentar eleito da Região Carbonífera da base de apoio a Merisio. O pedetista já anunciou que fará um roteiro no estado na campanha do segundo turno.

 

Comando da segurança

No primeiro programa do horário eleitoral de segundo turno, Merisio anunciou o comando da Segurança Pública no seu eventual governo. Odair Tramontin, de Blumenau, promotor de Justiça, será o secretário, e Ivan Ziollowski, delegado da Polícia Federal, o adjunto.

 

No ataque

No início da propaganda eleitoral para o segundo turno, tanto Gelson Merisio (PSD) quanto Comandante Moisés (PSL) partiram para o ataque.

Merisio mostrou a aposentadoria de Moisés, que é de bombeiro militar da reserva, valor de R$ 26 mil.

Moisés vinculou Merisio com a velha política e disse que ele foi relator do projeto na Assembleia que deu título de cidadão honorário para Lula e o mostrou ao lado de Ciro Gomes e Dilma. Disse que o apoio que ele deu a Bolsonaro foi oportunismo.

 

Apoio de Bolsonaro

Depois da anunciada neutralidade, Jair Bolsonaro assumiu de vez a campanha do Comandante Moisés no encontro que teve com todo os eleitos do PSL, no Rio, quinta-feira.

Ele gravou depoimento para Moisés, que será veiculado no horário eleitoral nos próximos dias.

Além disso, os principais eleitos do PSL e os filhos de Bolsonaro, eleitos senador pelo Rio e deputado por São Paulo.

 

Sem MDB

Daniel Freitas garantiu ontem à noite: “Não existe nenhuma negociação com MDB para apoio ao Comandante Moises e não terá com nenhum partido; ninguém vai proibir apoio espontâneo, mas o Comandante não vai tratar com nenhum partido”.

 

Não vai para a Esplanada

O empresário criciumense Ricardo Faria, um dos maiores do país na avicultura, garante que não será ministro da Agricultura no eventual governo de Bolsonaro.

Ele é amigo do presidenciável, está em campanha por ele, mas tem projetos ousados para o setor privado que o impedem que assumir compromissos na gestão pública no momento.

Mas, Ricardo vai participar da definição do futuro ministro.

 

Decide amanhã

A deputada federal eleita Geovania de Sá (PSDB) vai decidir amanhã o seu voto para o segundo turno na eleição para governador, entre Merisio (PSD) ou Comandante Moisés (PSL).

Ela está ouvindo aliados e reunirá o seu grupo de apoio para tomada de decisão.

No primeiro turno, Geovania estava ligada à coligação que apoiou a candidatura de Mauro Mariani (MDB).

Ela foi a segunda federal mais votada em Criciúma (16.585) e a mais votada para a Câmara Federal na coligação estadual.

 

Reunidos na Unesc

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, recebeu, nesta sexta-feira, os presidentes de Diretórios Acadêmicos das universidades do Sistema Acafe. Na pauta, foram discutidos assuntos muito importantes para o sistema de universidades comunitárias: fortalecimento das comunitárias, artigo 170, audiências públicas sobre educação, ações articuladas entre todo o sistema. Estiveram presentes alunos desde a Unochapecó até Univille.

 

Boa notícia

Uma notícia boa para o turismo catarinense. O Governo Federal confirmou ao governador Eduardo Moreira (MDB) a liberação de R$ 20 milhões para obras de contenção de encostas na SC-390, a Serra do Rio do Rastro. A notícia foi dada pelos ministros Carlos Marun, da Secretaria de Governo, Vinícius Lummertz, do Turismo, que é de Santa Catarina, e pelo secretário nacional da Defesa Civil, o também catarinense Newton Ramlow. A princípio estava prevista uma visita na serra, mas um problema na aeronave impossibilitou o deslocamento. A liberação desse recurso vinha sendo solicita há meses por Moreira. A obra dará mais segurança a um dos principais cartões postais do estado.

 

Na finaleira

O secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, segue com seu roteiro de visitas às obras do Hospital Materno Infantil Santa Catarina. Desta vez, esteve acompanhado do procurador da República em Criciúma, Fábio de Oliveira, que ficou entusiasmado ao ver o andamento das obras.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/10/2018 - 06:55

Em 24h, o PSL catarinense conseguiu uma “correção de rota” do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em relação ao segundo turno no estado. Novo vídeo foi gravado pelo candidato, ontem à tarde, agora destacando o desempenho do Comandante Moisés (PSL) no primeiro turno e anunciando que está torcendo por ele.

Antes, Bolsonaro agradece o apoio de Gelson Merisio (PSD) no primeiro turno, mas diz que agora tem o Comandante Moisés no segundo turno, do seu partido, que define como um fenômeno assim como ele é na eleição presidencial.

No dia anterior, viralizou outro vídeo com Bolsonaro falando, durante entrevista para a Jovem Pan, em São Paulo, que não apoiaria nenhum dos dois candidatos em Santa Catarina, mesmo um dos candidatos sendo do seu partido, porque foi o mais votado no estado no primeiro turno e se agora ficasse com um lado, iria ficar mal com o outro e perderia votos.

O vídeo de ontem, se não tivesse o primeiro, não teria chamado tanta a atenção.

Afinal, Bolsonaro disse o que parece óbvio. Tem um candidato do partido disputando o segundo turno, o mínimo é cumprimentá-lo e desejar boa sorte.

Conta vai, conta vem, nada disso deve interferir na votação de Merisio. Apenas refaz um mal-estar na campanha do Comandante Moisés.

Agora, os dois pegam a estrada.

Moisés vai hoje para o Rio se encontrar com o próprio Bolsonaro, acompanhado dos quatro deputados federais e seis estaduais do PSL.

Merisio virá para Criciúma, onde fará uma reunião regional de campanha.

Expectativa para o nome do criciumense que ele vai anunciar para o secretariado do seu eventual governo. Será um empresário.

Decisão saiu de uma reunião na terça-feira à noite.

Expectativa também para a possível adesão do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) à sua campanha.

Merisio pediu apoio, mas o prefeito convocou uma reunião do partido, hoje, 12h, para tomar a decisão.

Primeiro voto

O vice-presidente da executiva municipal do PSDB, vereador Alisson Pires, já se adiantou à reunião de hoje da executiva com o prefeito Salvaro, e anunciou, ontem, pelas redes sociais, seu apoio ao Comandante Moisés (PSL).

Faria com o Mito 

O empresário criciumense Ricardo Faria, um dos maiores do país na indústria da avicultura, foi recebido, ontem, pelo presidenciável do PSL na sua residência, no Rio de Janeiro.

Faria estava acompanhado do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, e os deputados federais catarinenses Valdir Colato e Celso Maldaner.

Ele falou em nome do grupo, destacando a votação histórica que Bolsonaro teve no estado e especificamente em Criciúma.

O candidato agradeceu.

Tríplice coroa

O publicitário e marqueteiro Alexandre Costa teve que fazer três festas depois do primeiro turno.

Porque fez as campanhas vencedoras da deputada federal Geovania de Sá (reeleita e campeã de votos na coligação), a deputada estadual eleita Paulinha Silva (mais votada do PDT) e o deputado federal eleito Daniel Freitas (o segundo mais votado do estado, campeão no seu partido).

Tudo como era

As relações entre Clésio Salvaro e o MDB voltam à normalidade depois do primeiro turno - água e óleo. Não se misturam. Já são adversários para 2020.

No primeiro turno, segundo a aliança estatal PSDB-PMDB, Clésio chegou a colocar o 15 no peito. Mas, diz que seu eleitor não gostou.

Não engoliu

Ontem, quem procurou essa coluna no seu espaço tradicional, encontrou no lugar (página 3) um protesto (página inteira) do prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, o Alemão.

A cidade estava duas semanas sem sinal de celular da Vivo, o prefeito cansado de reclamar, não tinha mais para onde recorrer, resolveu registrar “cobrança pública”. E o fez muito bem.

Não há porque engolir essas coisas no seco, e calado.

Se tudo mundo fizesse o mesmo, as operadoras mudariam o tratamento com o cliente.

Memória

O Centro de Cultura e Memória Valdenir Zanette, na Câmara de Vereadores de Criciúma, virou arquivo morto, ou depósito.

Impressionante o desrespeito!

O espaço foi montado em homenagem ao maestro, radialista e ex-vereador Valdenir Zanette, o Zé do Mato.

Sem novidades

Primeira pesquisa Datafolha para o segundo turno de presidente da República não traz muitas surpresas. Jair Bolsonaro (PSL) tem 58% e o candidato do PR, Fernando Haddad aparece com 42%. O levantamento foi realizado nesta quarta-feira.

Refis em Siderópolis

O prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, o Alemão, encaminha para a Câmara de Vereadores, na próxima segunda-feira, projeto de lei para o Refis. Com o projeto aprovado, o contribuinte em dívida com a Prefeitura terá 100% de desconto em juros e multas para pagamento em conta única e 90% para pagar em seis parcelas e por aí vai. A Prefeitura espera recuperar R$ 1,2 milhão. Alemão, que também é presidente da AMREC, disse que todos os municípios estão alinhados nesse sentido.

TRE aciona Polícia Federal

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, desembargador Ricardo Roesler, acionou a Polícia Federal para investigar a disseminação de fake News que atacam a Justiça Eleitoral. As notícias falsas têm sido o grande desafio dessa eleição.

Derrota do MDB

O candidato a governador pelo MDB, Mauro Mariani, não venceu em nenhuma cidade da AMREC. Nem mesmo em Orleans, Siderópolis, Içara ou Balneário Rincão, municípios governados por emedebistas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/10/2018 - 19:17Atualizado em 10/10/2018 - 19:21

Foi divulgado agora o resultado da primeira pesquisa para a eleição nacional de segundo turno, feita pelo Instituto DataFolha.

Considerando apenas os votos validos:

Jair Bolsonaro (PSL) - 58%

Fernando Haddad (PT) - 42%.

No primeiro turno, Bolsonaro teve 46,03% dos votos validos e Haddad 29,28%. 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13