Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/05/2020 - 18:02Atualizado em 28/05/2020 - 18:05

Terminou há pouco o julgamento de recurso pelo Tribunal de Justiça no processo que ficou conhecido em Criciúma como o caso da CPI das Lajotas (que teve origem ainda no primeiro mandato do prefeito Salvaro).

Depois de oito anos, e por 2 votos a 1, os desembargadores do Tribunal de Justiça reverteram as condenações que haviam sido aplicadas em sentença de primeira instância na ação criminal.

Foram absolvios, Luiz Juventino Selva, na época diretor de logística e presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura, e o empresário Hudson Ricardo Colonetti, proprietário da empresa de artefatos de cimento Artevila, prestadora de serviços para a prefeitura.

Na maioria, o entendimento dos desembargadores foi que não houve dolo, nem prejuízo ao erário público, que tenha sido praticado pelos dois.

De outro lado, foram mantidas as penas aplicadas contra o ex-secretário de Infraestrutura de Criciúma, Abrahão Artur de Souza; o servidor da secretaria de Infraestrutura na época Nilton João Spillere e o ex-servidor Woimir Wasniewski Junior.

Os três poderão fazer recurso ao Supremo Tribunal Federal.

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/05/2020 - 11:52Atualizado em 27/05/2020 - 12:04

Os vereadores do PSD de Morro Grande, Ricardo Bittencourt e Anilson Dalmollin, anunciaram apoio a candidatura a prefeito do vereador Edio Tomazzi,  PL.

Agora, os três vereadores estão tentando fechar com outros partidos a composição de candidatura única em Morro Grande.

O argumento é que permitir a união de forças e idéias em torno de um projeto de desenvolvimento para Morro Grande.

O município mergulhou recentemente numa grave crise com o fechamento da fábrica da JBS.

 

Em Içara

O PSD do vereador Alex Michels, candidato a prefeito, deverá receber o apoio do PRB.

O acordo foi fchado na Capital, entre os deputados Julio García, PSD, e Sergio Mota, PRB, comandantes dos dois parridos no sul do estado.

O PSD lançou a candidatura de Michels a prefeito e avalia a possibildade de montar chapa pura, frchando "dupla" com o empresário Anselmo Freitas, pesidente da executiva municipal do partido.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/05/2020 - 07:15Atualizado em 27/05/2020 - 07:25

A pandemia vai passar. Não temos dúvidas. Como estarão nossas empresas depois da pandemiia? É preciso tratar delas. Do CNPJ. Elas que dão receita, sustento, elas que fazem girar a roda, elas que garantem as cidades. É preciso tratar delas pois elas representam emprego, renda e receita para as cidades. Temos que enfatizar sempre.

A Unesc, a nossa Universidade, a Universidade que tem uma relação direta com o fomento à economia, e nesse espírito, de pensar no amanhã, independente de a pandemia passar agora ou amanhã, com esse pensar, a Unesc faz hoje um debate oportuno, uma live sobre a economia pós pandemia. Para isso, e sobre isso, eu fui saber como estão tratando lá fora, pois ninguém vai se levantar sem ajuda, sem apoio. Ninguém caiu porque quis. As empresas atolaram, enfrentaram crises, crise que é mundial, ninguém estava preparado. 

Foi tipo um tsunami que levou tudo. Procurei saber como estão tratando lá fora as empresas e os empreendedores. O primeiro que tem que apoiar o empreendedor é quem recebe todos os meses dinheiro graúdo das empresas, o governo. Eu fui atrás. Na Alemanha, empresas com até cinco funcionários recebem do governo duas parcelas de 5 mil euros, recurso repassado sem compromisso de devolução. Não é empréstimo. No caixa, estamos juntos. Só precisa depois confirmar a aplicação do dinheiro.

Empresas médias, maiores, recebem 30 mil euros do governo alemão. É aporte. Só precisa depois comprovar a destinação. E os médios  e pequenos podem fazer empréstimo de 25% do faturamento com juro de 3% ao ano. Ali do lado, na Itália, o governo garante 25 mil euros para pequenas empresas, sem necessidade de avaliação da capacidade creditícia do beneficiado. Ter que dar garantias reais? Não. Está todo mundo quebrado. Não tem como dar essas garantias.

Lá, na Itália e na Alemanha, o dinheiro é liberado em três, quatro dias. Não tem esse negócio de eternidade.

É o caminho a ser trilhado nesse momento por aqui. Isso é trabalhar com o mundo real. Não adianta ficar projetando muito à frente. Não se tem certeza de quantos estarão vivos. É por aí que nossos políticos devem trilhar. Não adianta chorar as pitangas e reclamar do mundo. Não é hora de briga política. Tem que buscar soluções, como essas que o mundo desenvolvido encaminha.

A Unesc presta um grande serviço para a discussão do mundo real. Parabéns à Universidade. No mundo pós pandemia, será momento também de refazer ou consolidar relações. Quem é parceiro, é nessas horas. Quem não é parceiro agora, não merece parceria depois. A tempestade vai passar e no tempo bom todo mundo aparece. Lembre de quem te estende a mão. A ordem é postergar. Quem te afogar com juros, cartório, não é teu parceiro. Anota, e depois troca. Troca de banco, de locador, de fornecedor. Troca. Na crise é hora também de fidelizar quem merece. Se for o caso, desapega, troca, faça novas relações. É uma dica para o pós pandemia.

Pensem nisso, e vamos em frente!

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/05/2020 - 05:33Atualizado em 27/05/2020 - 06:54

A publicação polêmica do deputado Jessé Lopes, na segunda-feira, além do alvoroço, produziu desdobramentos no ambiente político.

Jessé publicou na sua conta do twitter que uma funcionária do governo estaria gravida e que o pai seria o Governador Moisés ou o ex-chefe da Casa Civil, Douglas Borba.

Escreveu disso com todas as letras e todos os nomes.

O primeiro desdobramento foi a saraivada de criticas. O deputado recebeu, inclusive, uma reprimenda pública da Assembléia Legislativa, por nota oficial.

Depois disso, o que se viu foi o Governador Moisés receber manifestações de apoio e solidariedade de todos os lados.

Aliados e adversários políticos, empresários e dirigentes de entidades se manifestaram.

Uma nota com assinaturas de dezenas de entidades foi distribuida.

Ontem, as principais federações representantes do setor produtivo estiveram com Moisés.

A mostrar que, no momento em que o Governador precisava desesperadamente sair do isolamento em que estava, para tentar evitar o impeachment e dar a volta na crise dos respiradores, a nota do Jesse acabou fazendo a ponte para isso.

Por fim, ainda como desdobamento daquela nota sem noção, Jessé vai enfrentar processo na Assembléia por quebra de decoro e corre risco real de cassação de mandato.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/05/2020 - 06:57Atualizado em 26/05/2020 - 07:49

Empresa de Araranguá aparece no caso dos respiradores. A Edera. 
No depoimento que fez ao Ministério Público, o ex-secretario Douglas Borba cita operação feita com a empresa.

Ele afirmou que foram pagos R$ 4 milhões por 30 respiradores via a empresa Edera, pagamento tambem adiantado e os equipamentos tambem não entregues.

As revelações de Douglas foram publicadas pelo jornal Noticias do Dia, de Florianópolis, que teve acesso ao depoimento que consta no processo dos respiradores.

Douglas disse:
“Um fato novo que eu trago, desde que a gente descobriu essa compra dos respiradores, é que o governador ordenou que fosse feita uma sindicância, uma varredura em todos os contratos durante a pandemia e nós detectamos mais um processo grave ocorrido na Secretaria da Saúde, datado de 19 de março, de mais uma compra de respiradores”.

O ex-secretário disse mais:
“Na verdade, são dois processos, um de 20 e outro de 10 respiradores. Totalizam cerca de R$ 4 milhões, de uma empresa chamada Edera, o pagamento de igual forma foi feito antecipado e também não foram recebidos pelo governo do Estado os equipamentos comprados.

O jornal Noticias do Dia acrescenta:

No dia seguinte, o ex-secretário da Saúde, Helton Zeferino, também prestou depoimento e confirmou o que disse Douglas.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/05/2020 - 17:15Atualizado em 25/05/2020 - 17:32

O prefeito Dimas Kammer, de Forquilhinha, acaba de anunciar, por vídeo públicado na redes sociais, que não vai disputar a reeleição e que o candidato do PP será o ex-prefeito Lei Alexandre.

Dimas disse que Lei foi melhor nas pesquisas, e era o critério definido no partido para escolha do candidato.

A desistência de Dimas e definição da candidatura de Lei pelo PP foram antecipadas pelo blog.

Os dois se reuniram na sexta-feira à noite, junto com a executiva municipal do partido, quando foram analisados os números da pesquisa.

Durante a semana, o diretório do PP vai se reunir para oficializar a candidatura de Lei.

Abaixo, o depoimento do prefeito Dimas, em video.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/05/2020 - 07:27Atualizado em 25/05/2020 - 17:14

Numa segunda-feira que não precisava de mais nada para fazer movimentado o ambiente na Assembléia Legislativa, a saudação feita pelo senador Dário Berger e o deputado federal Celso Maldaner, presidente estadual do MDB, ao deputado estadual Mauro De Nadal, acabou agitando um pouco mais.

Na live com militantes do partido do oeste, Berger e Maldaner trataram De Nadal como "futuro presidente da Assembléia".

Nadal é hoje o primeiro vice-presidente.

O problema é que não tem nada acertado para eleição do  futuro presidnete, em fevereiro, e dentro do próprio MDB há outros pretendentes.

O deputado Valdir Cobalchini, "veterano" da bancada do MDB, é um deles.

Sobre o assunto, Cobalchini disse ao blog:

"Esse assunto não está em pauta. A prioridade agora é o combate ao covid-19. Depois, o calendário nos remete às eleições municipais. Por último teremos a sucessão da mesa da AL. Além do mais, devemos tratar internamente"

Consultado a respeito, o atual presidente, Julio Garcia, garante que não tem nada fechado, ou amarrado, para a eleição co próximo presidente.

"Isso será tratado somente no final do segundo semestre e há vários interessados", afirmou.

Julio foi eleito presidente com os votos de todos os 40 deputados.

Hoje, há "candidatos" no PP, MDB, PDT e PSDB. Mas, ninguém ainda sequer apresentou a candidatura.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/05/2020 - 20:54Atualizado em 25/05/2020 - 04:59

O ex-presidente estadual do PSL, o tubaronense Lucas Esmeraldino, anunciou a sua desfiliação do partido.

A decisão surpreendeu porque não havia nenhuma sinalização.

Lucas é secretário de desenvolvimento econômico do governo Moisés.

Ele foi o articulador do partido para a eleição de 2018 em Santa Catarina e encaminhou pessoalmente quase todas as candidaturas.

Carlos Moisés era seu assessor pessoal quando foi definido pelo partido como candidato a governador.

No início de 2019, um grupo de deputados se insurgiu à sua liderança e negociou com a direção estadual a montagem de uma nova executiva estadual, presidida pelo deputado federal Fabio Schiocheti.

Por nota, ele anuncia a decisão de se desfiliar e diz que seguirá "novos desafios", mas não diz quais são.

Voltam as especulações sobre sua possível saída do governo.

Abaixo, a nota na íntegra:

"Chegou a hora de partir para um novo desafio e construir uma nova história. 

 

Após dois anos e dois meses no PSL, chegou o momento de encerrar minha participação num ciclo vitorioso. 

 

Quando me filiei à sigla, recebi a missão de estruturar, em menos de seis meses, o partido no Estado e, especialmente, de mudar a forma de se fazer política. Foi o que aconteceu. Alcançamos os objetivos. 

 

Entregamos o melhor resultado do País. Com o aval e apoio do nosso Presidente Bolsonaro, estruturamos um partido praticamente desconhecido pelos catarinenses e formamos um time de entusiastas e guerreiros que ajudou a fazer quatro federais, seis estaduais, um governador, sua vice e, por muito pouco, não consegui ser eleito senador. 

 

Foi uma honra ter feito parte dessa grande família. 

 

Minha gratidão aos meus familiares, amigos, a quem me acompanha e confia no meu trabalho e, sobretudo, a cada um dos membros do partido,  por colocarem seus corações e almas em cada etapa desse percurso. Juntos, fizemos toda a diferença e deixamos um grande  legado. 

 

Sigo para mais um desafio, inspirado nos ideais da família, da nossa pátria e da liberdade econômica. 

 

De coração, muito obrigado a todos e que Deus siga nos abençoando".

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/05/2020 - 16:46Atualizado em 24/05/2020 - 18:40

O PP de Forquilhinha deve anunciar durante a semana Lei Alexandre como seu candidato a prefeito.

Decisão ficou encaminhada depois de reunião entre Lei, o prefeito Dimas Kammer e a executiva do partido, na sexta-feira.

Na reunião, o prefeito Dimas teria confirmado a retirada de sua candidatura à reeleição.

Falta apenas a aprovação do diretório, que deverá ser convocado dutante a semana para deliberar a respeito.

Lei deve ser homologado como candidato de consenso no PP.

Ele já foi prefeito por dois mandatos, apoiou Dimas na sua sucessão e responde hoje pela diretoria executiva da Amrec.

A definição no PP deve deflagrar o processo para montagem de chapas e alianças em Forquilhinha.

Estão listados como possiveis candidatos, Neguinho (PSD), Giovani de Godoi (PL), Felix Hobold (PT) e Maciel Da Soler (PDT). 

Lei Alexandre disse ao blog que vai tratar das conversações com possíveis aliados a partir da definição do diretório.

 

Em Nova Veneza

Outra definição importante na região de candidato do PP será tomada em Nova Veneza.

Neste caso, não sairá de reunião partidária, mas familiar.

Wagner Ghislandi vai reunir a familia, incluindo tios e primos, para discutir a sua candidato a prefeito.

Ele ocupa a diretoria de marketing da rede Bistek de Supermercados, que é da família Ghislandi.

Ao blog, ele disse hoje estar consciente que será uma disputa dificil, porque terá que enfrentar o prefeito Rogério Frigo, cadidato à reeleição, mas que tudo vai depender da decisão da familia.

 

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/05/2020 - 08:34Atualizado em 23/05/2020 - 09:47

O prefeito Clesio Salvaro vinha numa condição muito segura na sua candidatura para reeleição, líder absoluto em todas as pesquisas, e veio o coronavírus.

Com isso, as discussões sobre a eleição de outubro na cidade foram arquivadas. Nada mais se falou.

Em condições normais, debates já estariam sendo realizados. Os candidatos ocupariam espaços na mídia com propostas e confrontando idéias.

Clesio, como prefeito, governo em andamento, líder e favorito no processo, seria alvo de todos os outros.

Não dá para dizer se isso daria o resultado que os adversários querem, atingindo a sua larga margem de vantagem. Mas, seria um tiroteio. Jogo pesado.

E numa guerra, tudo é possível. Ou, quase tudo.

No caso, dependeria muito da munição que viesse a ser usada.

De qualquer forma, com a vinda do coronavirus, foi congelado o quadro de dois meses e meio atrás. E isso beneficiou Clesio. Porque parou tudo quando ele estava lá em cima.

Além disso, a sua condução no enfrentamento ao coronavírus é digna de elogios. Fez tudo certo. Inclusive quando no enfrentamento ao governo do estado.

 

Aninha candidata

A vice-prefeita Aninha Sacarpato foi definida candidata do PP a prefeita de Cocal do Sul.

Decisão saiu na reunião da executiva do partido. Operação política foi conduzida pelo prefeito Ademir Magagnin.

Outra decisão da executiva, é que a partir de agora Aninha ficará a frente das negociações com outros partidos e efetivação de alianças em torno da sua candidatura.

Aninha era filiada ao PSD e tinha o compromisso do prefeito Ademir, PP, de apoiá-la para sucessão.

Mas, o prefeito não conseguiria fazer a operação se ela continuasse no PSD. Por isso, ela migrou para o PP em abril deste ano.

 

Arnaldinho ampliando

Em Içara, Arnaldinho Lodetti continua ampliando o leque em torno de sua candidatura a prefeito pelo MDB.

Ontem, ele fez a filiação no MDB do vice-presidente da CooperAliança, o empresário Paulo da Silva, o Paulinho.

Ele não tinha filiação partidária, é uma liderança nova no meio empresarial, e faz parte de uma diretoria até aqui aprovada/elogiada na cooperativa pelo modelo profissional de gestão.

Além disso, Paulinho é muito próximo de Anselmo Freitas, também da diretoria da cooperativa, e presidente do PSD.

O principal objetivo de Armaldinho agora é trazer o PSD para a sua coligação.

 

Darlan em Brasilia

O procurador da república Darlan Dias, que trabalhou durante uma década em Criciúma, decidiu renunciar a chefia do Minisério Público Federal em Santa Catarina para assumir cargo de diretoria no Ministério Público Federal em Brasília.

Será o secretário nacional de TI do Ministério Púbico Federal. Deve assumir na próxima semana. Foi convidado pelo Procurador Geral da República, Augusto Aras.

Ele ainda teria 1 ano e quatro de mandato na chefia do Ministério Público Federal em Santa Catarina (para o qual foi eleito).

O seu substituto já está definido. Procurador Daniel Ricken, que é do sul do estado, natural de Rio Fortuna.

Ricken foi procurador da república em Tubarão e estava lotado em Itajaí.

Ele conduziu durante algum tempo o processo sobre desocupação de aéras de marinha na praia da Galheta, em Laguna.

Ricken deve assumir o Ministério Público em Santa Catarina também durante a próxima semana

 

 

 

 

 

   

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/05/2020 - 19:37Atualizado em 22/05/2020 - 20:04

Se o tão falado vídeo era a munição que o ex-ministro Sérgio Moro contava para o enfrentamento ao Presidente Bolsonaro, pode esquecer.

Sinceramente, não ví no vídeo nada que seja suficiente para representar ameaça ao Presidente.

O que ví foi uma "aula" de grosseria, falta de respeito, despreparo para as funções e como não se deve tratar os que pensam diferente.

O nível da reunião oficial do colégio de ministros com o Presidente da República, que vai para os anais da história da República, é o que cabe numa conversa de botequim, depois da quarta rodada.

Como diria o escritor Sergio Porto, foi um autêncito Febeapá - festival de besteiras que assola o País.

Não se trata do que defenderam, nem do alinhamento ideológico.  É postura.

Os ministros do Supremo Tribunal, os congressistas e governadores, para ficar nos que foram citados, dão motivos para criticas e para a contradição.

Mas, não podem ser tratados em reunião oficial do mais alto escalão da República, como porcos, bostas, estrumes, e vagabundos, que foram os termos usados.

Não ví nada no vídeo que possa sustentar pedido de impeachment ou que ameace o Presidente.

Mas, foi chocante, deprimente, o nível das conversas. Em especial do ministro da educação. Logo, o da educação.

Não precisa ter o jeito de um "lorde inglês".

Mas, um mínimo de padrão, de respeito, e postura.

O vídeo vai inflamar os blosonaristas.  Vai colocá-los nas ruas. Ok.

Mas, não soma nada para o País. Não ajuda em nada para resolver os problemas que afligem os brasileiros/e brasileiras.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/05/2020 - 17:19Atualizado em 22/05/2020 - 17:28

Boa notícia para terminar a semana.

Senador catarinense Jorginho Mello se reuniu hoje com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, pediu pela regulação da concessão de linhas de crédito para micro e pequenos empresário, e ouviu que na próxima semana deverá ser tudo assinado.

Senador apresentou projeto no Senado, foi aprovado pelas duas casas do Congresso (Senado e Câmara Federal), sancionado pelo presidente Bolsonaro, e como lei foi transformado no Pronampe.

Ontem, durante entrevista coletiva, o secretário executivo do Ministério da Fazenda assegurou que o programa será o principal instrumento oferecido pelo Governo Federal para apoiar os empreendedores na crise.

Senador disse depois da reunião com o Presidente:

"A expectativa é que a regulação do Pronampe aconteça na próxima semana, o Presidente compreende a nossa busca. Além da lei que beneficia os micro e pequenos, tratei com o Presidente sobre Santa Catarina, ele tem muito carinho pelo nosso estado".

Denis Luciano
Por Denis Luciano 22/05/2020 - 08:18Atualizado em 22/05/2020 - 08:21

CPI você sabe como começa, não sabe como termina. Já vi prefeito estimulando abertura de CPI para desestabilizar a oposição, daí a CPI acaba virando uma arma contra o prefeito. Já vi de tudo em CPI.

Essa CPI dos Respiradores na Alesc, montada para apurar inicialmente a denúncia de irregularidades na compra dos respiradores, está se configurando um balaio de siri. Vai puxando uma coisa, e outra, e outra. 

Ontem o depoimento foi do controlador geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira. A controladoria foi uma ferramenta nova criada pelo Governo Moisés para controlar compras. O depoimento do controlador demonstrou que o que o governo não tem é controle. Ele não participa das decisões, é um burocrata sem poder que não controla nada, sofria intimidação do então chefe da Casa Civil, Douglas Borba. O depoimento dele foi uma bomba. 

Ele foi super sincero, contou tudo, abriu o jogo. Enrolou muita gente do governo. Chegou ao ponto de dizer que "nós identificamos a questão do roubo, a questão da ilicitude se verificou em 18 de abril". Em seguida, percebendo a gravidade, corrigiu usando "a ilicitude". Daí o deputado João Amin (PP) o aparteou pedindo para reforçar o uso da palavra original. "O senhor falou roubo", e Luiz Felipe realçou, "ilicitude".

Foram sete horas de reunião na CPI. Essa do controlador foi nitroglicerina pura. Está sendo colocada a proposta de chamar o governador para depor. Ele pode definir local e horário onde prestar. Ele pode não ir na Alesc, receber os deputados no Palácio da Agronômica. Isso não está decidido ainda, é uma possibilidade.

Ouça o comentário no podcast:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/05/2020 - 07:13Atualizado em 22/05/2020 - 07:32

Ontem foi até bonito de ver. Mexeu com o astral. Era muito ruim, dava um baixo astral ver aquela briga de políticos, um chamando o outro disso, daquilo, mas ontem foi bonito de ver a reunião do presidente com os governadores. Todos muito respeitosos, cumpriram o protocolo, não concordaram em tudo, mas não se agrediram, todos civilizados. É disso que precisamos. Agora não é hora de disputa política nem de pensar em votos. Não é hora.

A reunião de ontem serve de exemplo. Tudo isso acaba estimulando. Se eles brigam lá, eu brigo aqui. Se passa um clima civilizado, respeitoso, isso acaba também contaminando positivamente. O que precisamos agora é que as principais autoridades tenham a capacidade de conversar, contraditar, divergir de maneira educada. Ainda mais em um momento de grave crise que afeta a todos, em maior ou menor grau. O momento não é para briga, é para entendimento. Mas as maiores autoridades estavam se xingando, um queria decidir o que era da competência do outro.

Ruim. Enquanto isso perde o país, os cidadãos. Na base, as torcidas entrando na onda, como se fosse final de campeonato. O que nós da planície precisamos é de entendimento, ações conjuntas, para resolver problemas e apoiar a passagem da crise. O poder público tocado por políticos deve oferecer tábuas de salvação. As linhas de crédito do governo não chegaram na base. Os bancos agem como se nada estivessem acontecendo. Pequenos negócios morrem a cada dia. Ontem o Fórum Parlamentar Catarinense reuniu autoridades em São João Batista.

Essa reunião de ontem foi para discutir alternativas para todos vencer a crise. O governador participou online mas não disse nada. Não disse nada daquilo que todos esperavam. Possibilidades, alternativas de apoio, nada. Não anunciou linha de crédito, nem janelas, nem subsídios, nem suspensão de tributos. Nada. Situação de comerciantes e pequenos empresários é desesperadora. Já existe um exército de desempregados. E fica aqui batendo aquela história dos R$ 33 milhões para a compra de respiradores fantasma, para isso teve dinheiro.

O ambiente de ontem foi um alento. Que passem a discutir juntos o que fazer para dar apoio à economia, e aos que fazem a economia rodar. Cuidar da saúde das pessoas e das empresas.

Pensem nisso, e vamos em frente!

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/05/2020 - 01:05

Depois do stress da disputa interna, quando impôs derrota ao vice-prefeito Sandro Serafim, e provocou uma crise no partido, Arnaldinho Lodetti está conseguindo unir o MDB em torno da sua candidatuta a prefeito.

Está previsto para hoje o anúncio de apoio do deputado Luiz Fernando Vampiro, do presidente da Cooperativa Cooperaliança, Reginaldo Dedê de Jesus, e do ex-presidente da Cooperativa, empresário Jorge Rodrigues, o JR.

O prefeito Murialdo Gastaldon, que apoiou Sandro Serafim na disputa interna, já está participando de reuniões em busca de apoio à candidatura.

Além disso, Arnaldinho está fechando apoio de outros partidos.

Ontem à noite, o PSDB anunciou apoio, durante reunião com a executiva do MDB.

O presidente do PSDB, ex-deputado estadual Dóia Guglielmi, repetiu que o PSDB oferece como alternativa para compor de vice na chapa de Arnadinho o vereador Valdelir Darolt.

Estavam presentes na reunião, pelo MDB, o presidente Fernando Mazzuchetti, o ex-prefeito Gentil da Luz, o presidente da Cooperaliança, Reginaldo de Jesus, o empresário Jorge Rodrigues e a presidente do MDB Mulher, Eliana Jucoski. 

Representando o PSDB, além de Dóia Guglielmi, estavam o vereador Valdelir Darolt, o  ex-vereador João Batista Rodrigues, o empresário Nei Mendes e o secretário do partido Marcelo Boabaid.

Na segunda-feira, o PC do B deve anunciar apoio para a candidatura de Arnaldinho.

O MDB ainda espera convencer o PSD a integrar a aliança. A "missão" foi passada ao prefeito Murialdo, que já vem tratando com o PSD.

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/05/2020 - 16:01Atualizado em 21/05/2020 - 19:01

O depoimento do prodessor Luiz Felipe Ferreira, chefe da Controladoria Geral do Estado, na CPI dos Respiradores, hoje a tarde, na Assembléia, teve o efeito de uma bomba. Ou, mais uma.

Chegou a ponto de o professor, enquanto era interpelado pelo deputado João Amin, ter dito que "foi identificado o roubo". Minutos depois, ele pediu para substituir "roubo" por "ilícito". Mas, ficou o que estava na "ponta da língua".

O controlador foi duro com o ex-chefe da Casa Ciivl, Douglas Borba. Mas, também complicou situação do ex-secretário da saúde, Helton Zeferino.

Disse que foi constrangido por Douglas para dar seqüência no processo dos respiradores como ele queria e outras compras durante a pandemia.

O depoimento foi um verdadeiro "tiroteio" contra o controlador, que efetivamente não controlou.

O professor Luiz Felipe acabou ratificando a gravidade da situação, que o processo estava totalmente viciado, que há uma situação de descontrole, e que se trata do maior escândalo da gestão pública de Santa Catarina.

Os outros depoimentos, especialmente do chefe de licitações, complicaram a situação do ex-secretário de saúde, Helton Zeferino, e do atual secretário, André Ribeiro, na época adjunto.

Vai se confirmando o que sempre se diz sobre CPIs - que todo mundo sabe como elas começam, mas ninguém imagina como vão terminar.
A situação do Governo Moisés só piora. A cada depoimento.

O que surpreende é a postura passiva do governador Moisés, que ainda tenta minimizar/relativizar os fatos, e defender os acusados/enrolados. Fez isso com Helton Zeferino e Douglas Borba, que só saíram (por demissão a pedido) quando a situação ficou insustentável, e faz agora com André Ribeiro.

Imaginava-se um Governador Moisés indignado, enfurecido, contra os que abusaram da sua confiança para encaminhar o mal feito, o indevido.

Aquilo que o controlador tratou como "roubo".

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/05/2020 - 07:13Atualizado em 21/05/2020 - 07:22

Lá pelos anos 70 se ouvia que Santos Guglielmi queria fazer um cassino em Laguna. Que ele tinha tudo projetado. A construção do Laguna Turist já faria parte desse projeto audacioso. E eu ouvia anos depois que o filho dele, Realdo Guglielmi, projetava um cassino em uma ilha em Balneário Camboriú e outro em Florianópolis. O que é fato é que os dois, pai e filho, estavam sempre pensando longe. O projeto, se implantado, teria resolvido a situação financeira de Laguna e teria feito de Florianópolis uma Mônaco. Eu não tenho dúvida disso. Mas cassino até hoje está proibido no Brasil.

Leio agora que o Governo Federal volta a tratar da liberação de cassinos no Brasil. Por que não? Se o governo encaminhar com propostas, limites, isso vai gerar receita nova, emprego. Não está na hora de o Brasil se abrir para isso? Uruguai, Argentina, Paraguai têm. Outros países também. O Ministro do Turismo disse que as conversas sobre o assunto foram paralisadas pela pandemia de Covid-19. A ideia de início é autorizar cassinos em resorts. Os críticos entendem que isso vai servir para lavagem de dinheiro, que vai explorar prostituição, servir de lugar para crime organizado. Mas nada disso é novidade no Brasil, já acontece tudo isso. Nada disso seria novo no país.

Cabe ao poder público fiscalizar, estabelecer limites, agir. E poderia ter mais recursos para enquadrar com as receitas vindas dos cassinos. Isso vai gerar empregos, milhares de empregos, e vai gerar receita nova, receita quente para as cidades. Depois, país que tem Mega Sena e um rol de loterias e jogos tocados por um banco do governo, porque tão pudico com tantas restrições aos cassinos. Nada bem fiscalizado tem problema. Tudo bem fiscalizado pode funcionar com limites e produzir bons resultados. É preciso aprimorar e rever conceitos. A vida é assim. É preciso avançar. Então, que tal?

Pensem nisso e vamos em frente!

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/05/2020 - 20:41Atualizado em 20/05/2020 - 20:54

O PL de Içara surpreendeu ao lançar o vereador Toninho de Mello como candidato a prefeito.

Pelo menos até nova avaliação do quadro local, o partido sustenta candidatura própria e descarta a possibildade de ter candidato a vice de qualquer cologação.

A decisão foi tomada agora à noite em reunião da execuiva municipal do PL (Toninho é o segundo a partir da esquerda, de camisa vermelha).

Também foi montada  uma comissão eleitoral para tratar com outros partidos, em busca de apoio para Toninho.

Alem do candidato a prefeito, tembém integrama comissão, o empresário Adilton Tramontin, o presidente do partido, Pedro Paulo, e o coordenador regional adjunto do PL, Giovanni Fellipe.

O PDT será primeiro partido a ser procurado pelo PL. O empresário Joelson Cardoso, indicado pelo PDT para chapa majoritária, pode ser vice de Toninho.

 O PL é o partido que mais cresceu na cidade nós últimos dias, com a filiação de 500 novos eleitores em 60 dias.

 

 

 
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/05/2020 - 17:49Atualizado em 20/05/2020 - 20:57
A Assembléia Legislativa acaba de aprovar em plenário por 26 x 3 o requerimento do deputado Milton Hobus que pede o afastamento imediato do secretário de saúde do estado, André Ribeiro, por suspeitas de envolvimento no escândalo dos respiradores.
O requerimento havia sido aprovado horas antes na reunião da comissão especial de deputados formada para acompanhar as ações do Governo em relação à pandemia do coronavírus.
Os deputados do sul José Milton Schefer e Luiz Fernando Vampiro não votaram.
O deputado Ricardo Alba, do PSL, alinhado com o Governo Moisés, votou a favor.
A lider do governo, deputada Paulinha, se absteve.

Durante discussão na comissão especial, o deputado Milton Hobus fez denúncias contra o secretário André Motta Ribeiro.

 Segundo ele, Ribeiro era secretário-adjunto até o início do mês e sabia das irregularidades na compra dos respiradores.

Ele mostrou um documento enviado à secretaria de saúde no dia 2 de abril pela Exxomed, representante da fabricante chinesa que produz os respiradores comprados pelo estado junto à Veigamed.

A Exxomed destaca a Veigamed não tem autorização para venda ou comercialização e que os preços pagos por Santa Catarina estão mais altos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/05/2020 - 17:00Atualizado em 20/05/2020 - 17:16

O ator Mário Frias está confirmando como futuro secretário de cultura do governo Bolsonaro, em substituição a atriz Regina Duarte.

O site O Antagonista acaba de informar:

"Jair Bolsonaro bateu o martelo e confirmou o ator Mário Frias como novo secretário especial da Cultura, no lugar de Regina Duarte.

A expectativa no Planalto é que a nomeação de Frias para o cargo saia até amanhã,  quinta-feira, dia  21".

Mário Frias é casado com uma criciumense e amigo pessoal do deputado federal Daniel Freitas, que aprovou na Câmara de Criciuma, quando era vereador, a concessão para ele do titulo de cidadão honorário.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13