Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/08/2018 - 16:24Atualizado em 01/08/2018 - 16:45

O ex-prefeito Marcio Burigo, PP, ainda não oficializou sua candidatura a a deputado federal, mas já está encaminhando a campanha.

Depois de almoço hoje com o deptado federal Jorge Boeira, PP, que não será candidato a reeleição, Márcio participa de reuniões e tem agenda a cumprir até o fim de semana.

Ele conversou ontem a noite com o candidato a governador, Esperidião Amin, e voltará conversar hoje a noite.

A sua candidatura será homologada no domingo.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/08/2018 - 06:08Atualizado em 01/08/2018 - 09:56

O ex-prefeito Márcio Burigo, PP, vai se reunir hoje com o deputado federal Jorge Boeira, PP, para discutir a possibilidade de assumir a candidatura a federal na sua vaga.

Boeira está pleiteando no PP uma candidatura ao senado e já anunciou que não será candidato a reeleição.

Márcio está desde 2017 avaliando uma candidatura a deputado. Já especulou estadual e federal.

Como o espaço no PP estava “apertado”, chegou a considerar uma mudança de partido. Manteve conversações com DEM e PTB, entre outros partidos. Mas, decidiu ficar no PP e “congelar" a candidatura.

Agora, com a decisão de Boeira de disputar o senado, e o PP precisando de um substituto, Márcio voltou ao “jogo”.

Ontem, conversou com o presidente do PP em Criciúma, advogado Itamar da Silva.

Depois, Itamar fez algumas consultas com políticos do partido na região e candidatos a deputado.

A decisão de Márcio sobe a candidatura vai depender da conversa que terá com Boeira.

Na sexta-feira, Esperidião Amin vai se reunir com os candidatos a deputado do PP e até lá o “sucessor" de Boeira deverá estar definido.

Márcio Burigo é uma liderança política controversa. Na primeira eleição que disputou, foi vice-prefeito de Clesio Salvaro, PSDB.

Os dois tinham uma relação tão próxima que a expressão “Márcio e eu”, usado constantemente pelo prefeito, foi uma das marcas do mandato.

A “chapa” foi reeleita em 2012, mas não assumiu porque Clesio foi cassado. Na eleição suplementar, em março de 2013, e com apoio ostensivo de Clesio, Marcio foi eleito prefeito com 72,77% dos votos.

Logo que assumiu, rompeu com Clesio e administrou sem o PSDB no governo.

Na tentativa reeleição, em 2016, ele enfrentou Clesio e sofreu derrota acachapante. Fez apenas 11,9% dos votos, enquanto Clesio somou 75,87% dos votos.

Se ele for candidato a federal, terá a retaguarda do partido que tem o maior número de prefeitos do sul, organizado em todos os municípios, mas terá como principal adversário, de novo, o prefeito Salvaro. Que vai fazer campanha para os seus candidatos, e contra ele.


Acreditando

O deputado Jorge Boeira teve longa conversa ontem por telefone com Esperidião Amin.

Ouviu que a sua candidatura a senador é muito provável.

Mas, Amin disse que é preciso aguardar até domingo, para que sejam concluídas az negociações com outros partidos sobre alianças.


O espolio

Com Boeira fora da disputa para federal, a tendência é que a maior parte do seu “eleitorado” na região deva migrar para Ricardo Guidi, PSD, e Geovânia de Sá, PSDB.

Guidi pela relação histórica do seu pai, Altair Guidi, e da sua família com o PP.

Geovânia, pelas posições muito semelhantes em relação as reformas.


A esperança

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, PP, recebeu ontem o deputado João Paulo Kleinübing, DEM, candidato a vice de Esperidião Amin.

Disse que ainda espera “relâmpagos de bom senso” dos lideres políticos e que o entendimento PP-PSD possa ser refeito.


O recado

Numa conversa direto com Esperidião Amin, Ponticelli alertou - "se não aumentar o time, vai complicar”


Nova aliança

O prefeito de Criciúma, Clesio Salvaro, conversou ontem por telefone com o deputado Gelson Merisio, candidato a governador pelo PSD.

Merisio está operando junto aos lideres do PSDB por uma aliança. Mas, quer apoio para sua candidatura.

Clesio insistiu que Merisio deve ser vice de Paulo Bauer, PSDB. A conversa foi inconclusiva.

Depois, Clesio também conversou com Marcos Vieira, presidente do PSDB no estado.


Troca de posição

Clesio confidenciou ontem para Merisio e João Paulo Kleinübing, em conversas diferentes, que o PSDB pode mudar a chapa majoritária. Napoleão Bernardes, que está “escalado" candidato a senador, pode virar candidato a vice de Paulo Bauer.

O deputado Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, passaria a ser o candidato a senador.


Perigo!

O deputado federal Valdir Colatto, MDB, está telefonando aos prefeitos do partido, pedindo apoio para ser candidato ao senado.

Ele garante vai apresentar a candidatura na convenção do partido, no sábado.

Aliados de Mauro Mariani dizem que já está articulado para derrotar qualquer candidatura ao senado que se apresentar na convenção.

O acordo que ele fechou com o PR é que o deputado Jorginho Mello vai disputar o senado pela sua chapa e que o MDB não vai lançar candidato.


Difícil mudar

Pelo ambiente, é cada vez mais provável que o quadro da eleição seja confirmado com cinco candidaturas dos chamados “grandes partidos”- Mauro Mariani/MDB, Gelson Merisio/PSD, Paulo Bauer/PSDB, Esperidião Amin/PP e Decio Lima/PT.

Está muito difícil para qualquer um dos cinco desista em favor de outro. Pelo clima entre eles


Quer consenso

O vereador Miri Dagostim, PP, está trabalhando forte nos bastidores não mais para ser eleito o novo vice-presidente da câmara de Criciúma. Mas, para ser eleito por consenso.

Miri ja tem o apoio do grupo dos nove, mas está se reunindo com todas as bancadas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/07/2018 - 06:04Atualizado em 31/07/2018 - 09:17

O PP de Criciúma já discute quem será o candidato a deputado federal pela região na vaga de Jorge Boeira, que não disputará a reeleição. Amanhã, o presidente do partido em Criciúma, advogado Itamar da Silva, vai tratar do assunto em Florianópolis com o presidente da executiva estadual, Silvio Dreveck, e o candidato a governador, Esperidião Amin.

Ontem, Itamar reuniu em Criciúma os dois deputados estaduais, Valmir Comin e Jose Milton Schefer, os dois candidatos, Pepe Colaço e Lei Alexandre, e o próprio Jorge Boeira.

Foi feito uma apelo para que Boeira disputasse a reeleição se não conseguir emplacar candidatura a senador, mas ele repetiu que sua posição é irreversível. Não vai disputar novo mandato de federal. Só será candidatos senador. Ou, não será candidato a nada.

Os dois deputados e os dois candidatos também descartaram a possibilidade de assumir a candidatura a federal.

Jorge Boeira, mesmo que não seja em2018, não pretende sair da política, e já tem “plano b” definido.

Se não disputar o senado, ou se disputar e não se eleger, ele pensa em se articular para disputar a prefeitura de Criciúma em 2020.

Ficando na cidade em tempo integral, sem compromisso de estar em Brasilia por causa do mandato, terá mais tempo para participar das ações locais e desenvolver um projeto para sustentar uma eventual candidatura.

Boeira já foi estimulado pelo menos duas vezes a disputar a prefeitura. A última foi na eleição suplementar, quando Clesio Salvaro foi eleito e cassado, em 2012.

Na outra vez, ele chegou a transferir o titulo de eleitor para Criciúma.


A força do PP

Itamar da Silva, presidente do PP de Criciúma, sobre a “sucessão" de Boeira - “O PP é muito forte na região, Amin em todas as pesquisas tem entre 36% e 39% das intenções de votos, não faz sentido não ter aqui candidato a federal”.


Vaga de federal

Perguntar não ofende - “Daniel Freitas faria a troca de partido se imaginasse que Boeira desistiria da reeleição e o PP ficaria sem candidato a federal?”.


Jorginho com MDB

O deputado federal Jorginho Mello, PR, teve reunião ontem, em Florianópolis, com o deputado João Paulo Kleinübing, DEM.

A especulação feita é que Kleinübing teria convencido Jorginho a desistir da aliança como MDB e fechar com Amin.

Jorginho descartou - “Estamos acertados com o Mauro Mariani, serei candidato a senador com apoio do MDB”.


Sem Paulo Afonso

Jorginho Mello está seguro que a convenção do MDB não vai aprovar o ex-governador Paulo Afonso ao senado, que é uma de suas exigências para a aliança.

Ele não aceita que o partido do candidato a governador tenha candidato ao senado.

Nos bastidores é dito que Mauro Mariani está preparado para derrotar Paulo Afonso na convenção, se ele apresentar candidatura ao senado. Isso serviria para passar a impressão que Mauro não está ligado a Paulo. 

A convenção do MDB será no sábado, dia 4. A do partido de Jorginho, o PR, será no dia 5.


Merisio e os tucanos

O deputado Gelson Merísio, PSD, se reuniu ontem em Florianópolis com o senador Paulo Bauer.

Os dois querem a aliança PSD-PSDB, mas esbarram na candidatura “cabeça de chapa”. Os dois estão com candidaturas homologadas pelas convenções.

Ontem, não chegaram a tratar da chapa. Ficaram na fase “quebra gelo” e "manifesto de intenções”.

Nos bastidores dos dois partidos, há movimentos pela chapa Napoleão Bernades/PSDB candidato a governador e Merisio de vice.


Miri será o vice

O "grupo dos nove”, que elegeu a mesa diretora da câmara, decidiu ontem manter a vice-presidência com o PP. 

Daniel Freitas era o vice, até a renuncia, e agora será substituído por Miri Dagostim.


Definição dia 5

Diferente de outros anos, a definição das candidaturas deve acontecer mesmo até o fim o prazo para as convenções. A ata precisa estar registrada 24h depois do prazo, dia 6 de agosto. Com a  possibilidade de esticar até 15 de agosto, quando termina o prazo para o registro das candidaturas.


Perde força

O sul do estado, especialmente o vale do Araranguá, não terá a parir de janeiro dois dos deputados do atual mandato. Um estadual, outro federal. Os dois desistiram da reeleição.

Primeiro, foi Manoel Mota, MDB. No sábado, foi Jorge Boeira, PP.


Climão

No PSDB, dirigentes estão indignados com João Paulo Kleinubing, DEM, que teria encaminhado aliança,  e apertado a mão, mas acabou fechando com Amin e o PP.

Na cúpula do PSD, a indignação é com Esperidião Amin. Muito forte.  

A situação chegou a um ponto que é mais fácil PSD se recompor com MDB, do que com PP e Amin.


A recuperação de Pavan

O deputado estadual Leonel Pavan está bem recuperado do AVC. Nessa eleição vai apoiar o seu filho Pavan Júnior para deputado federal e deverá ocupar a vaga de suplente de Napoleão Bernardes na candidatura ao Senado.


Tucanos do Sul

O vereador Aroldinho Frigo, PSDB, Nova Veneza, vai se reunir na quarta-feira com o presidente estadual do partido, Marcos Vieira, para decidir sobre sua candidatura a deputado estadual.

O seu nome foi homologado na convenção de domingo, mas ele ainda avalia a possibilidade.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/07/2018 - 06:05Atualizado em 30/07/2018 - 10:18

O deputado federal Jorge Boeira fez o principal fato novo para a região sul nas convenções do fim de semana. Em discurso inflamado na convenção estadual do PP, anunciou que não será mais candidato a reeleição e se apresentou como candidato a senador.

Depois da convenção, disse que não é politico profissional, que cumpriu seu papel na câmara federal e não tem motivação para um quinto mandato. “Está ficando mecânico, é mais do mesmo, isso não é para mim”, disse no sábado, durante um casamento em Criciúma.

Boeira foi o deputado federal mais votado entre os candidatos do sul do estado em 2014 com 123.770 votos.

A sua saída beneficia todos que ficam na disputa, dos vários partidos, cada um pega uma parte do eleitorado de Boeira, mas o principal beneficiado por ser o deputado Ricardo Guidi, PSD. 

O PP do sul não se preparou para substituir Boeira. Por via das duvidas, a convenção a candidatura de Dalvânia Cardoso, ex-secretária de Criciúma no governo de Mário Burigo e candidata a prefeitura de Içara em 2016.

Chegaram a ser feitas especulações sobre a possibilidade de o deputado estadual José Milton Scheffer passar a ser candidato a federal, ou mesmo o ex-prefeito de Criciúma, Marcio Burigo. Mas, a candidatura de Ângela Amin a federal, que entra forte no sul, acaba esfriando outras articulações.

Em contrapartida, a deputada federal Geovania de Sá teve confirmada sua candidatura a reeleição pelo PSDB. Como previsto, ele bateu o pé e não aceitou candidatura a vice-governadora em chapa pura do partido.

No mais, as convenções estaduais confirmaram Esperidião Amin, PP, e Paulo Bauer, PSDB, como candidatos a governador.

A convenção do PP, realizada no sábado, em Florianópolis, aprovou aliança com DEM e a candidatura do deputado João Paulo Kleinübing de vice, e não indicou candidato ao senado. Deixou em aberto para negociações.

A convenção do PSDB, realizada ontem em Joinville, numa grande festa, confirmou chapa pura, mas sem nomes para vice e segunda vaga do senado.

PP e PSDB deixaram suas atas abertas para negociações durante a semana. PSD já havia feito assim.

Os próximos dias serão de intensas negociações, antes das ultimas convenções no fim de semana.

A rigor, a fragmentação do quadro, com estabelecimento de cinco candidaturas entre os maiores partidos, acaba favorecendo MDB e PT.

Mas, é muito provável que o que está colocado não seja definitivo. Operadores políticos trabalham forte nos bastidores por composição de novo alianças.


Como está

Hoje, já estão aprovados/homologados por convenções dos seus partidos como candidatos a governador - Gelson Merisio/PSD, Esperidião Amin/PP e Paulo Bauer/PSDB.

Até domingo, estão programadas convenções para homologar Mauro Mariani/MDB e Decio Lima/PT.

Como todos os partidos que fizeram convenções deixaram sua atas “abertas”, as candidaturas aprovadas ainda podem ser alteradas.


Definição dia 5

Diferente de outros anos, a definição das candidaturas deve acontecer mesmo até o fim o prazo para as convenções. A ata precisa estar registrada 24h depois, ou seja, dia 6 de agosto. Não dando a possibilidade de esperar até 15 de agosto, quando termina o prazo para o registro das candidaturas.


Juntos, outra vez!

O deputado Gelson Merisio, candidato do PSD ao governo, conversou por telefone ontem com o ex-deputado Julio Garcia, que estava cumprindo agenda em Araranguá. Marcaram para conversar pessoalmente hoje em Florianópolis.

Julio é respeitado articulador no estado, com transito em praticamente todos os partidos.

Merisio pediu o seu envolvimento nas conversações de bastidores para a reta final.


O que disse

No dia 23 de junho, nesta coluna, Julio Garcia previu - “Merisio será vice de Amin ou vai para o suicídio politico”.


Aliviada

Com o prefeito Clesio Salvaro ao seu lado, a deputada federal Geovania de Sá participou da convenção do PSDB, em Joinville, com o sentimento de “alivio".


Perde força

O sul do estado, especialmente o vale do Araranguá, não terá a parir de janeiro dois dos deputados do atual mandato.

Primeiro, foi Manoel Mota, MDB, que desistiu. No sábado, Jorge Boeira, PP.   


A vez do MDB

Das ultimas convenções marcadas, expectativa para MDB e PR.

Os dois partidos tem coligação encaminhada, com candidatura do deputado Jorginho Mello a senador.

Só tem uma pendência a resolver - Jorginho não aceita que o MDB tenha candidato ao senador, mas o ex-governador Paulo Afonso garante que vai apresentar sua candidatura na convenção do MDB.

Se a candidatura de Paulo Afonso for homologada, Jorginho pode migrar para chapa de Esperidião Amin.


Climas diferentes

Quem circulou pela Assembleia Legislativa, durante a convenção do PP, com um olhar um pouco mais atento, pôde perceber dois climas bem distintos. Enquanto alguns ainda digeriam o fim da aliança com o PSD, outros comemoravam a candidatura de Esperidião Amin como gol em fim de campeonato. Essa animação era percebida, principalmente, na base.


Negação

Coube ao secretário estadual do PP, Aldo Rosa, fazer leitura de oficio encaminhado pelo PSD oferecendo aliança ao partido, com possibilidade de indicar candidatos a vice-governador e senador.

Houve principio de vaia enquanto era feita a leitura e depois. A proposta não foi considerada.

Mas, os principais dirigentes do PP, e o próprio Amin, repetiram discursos negando que tenham rompido acordo com o PSD.

Disseram ainda acredita em acordo. Mas, ficou difícil. As relações ficaram pesadas.


Do Sul

Na convenção do PP, além de Valmir Comin e José Milton Scheffer que tentam a reeleição à Assembleia Legislativa, o ex-prefeito de Forquilhinha Lei Alexandre e o vereador de Tubarão Pepê Colaço representam o Sul do estado na corrida eleitoral.

Pela coligação com DEM, ainda terá a candidatura da professora Lisi Tuon a deputada estadual.


Dificuldade

O PP teve dificuldades em encontrar candidatas para cumprir o percentual exigido por lei pelas mulheres. Na convenção de sábado, surgiu o nome de Silvia da Silva, de Balneário Arroio do Silva. O secretário do partido Aldo Rosa chegou a se confundir na hora de anunciar o nome.


Inegociável

Inegociável foi a palavra usada por Paulo Bauer para caracterizar sua candidatura ao Governo do Estado. A convenção também homologou o nome de Napoleão Bernardes para o Senado. A ata ficou em aberto para definir as coligações e os próximos nomes.


Climão

No PSDB, dirigentes estão indignados com João Paulo Kleinubing, DEM, que teria encaminhado aliança,  e apertado a mão, na quarta-feira.

Na cúpula do PSD, a indignação é com Esperidião Amin.


As possibilidades

Entre as possibilidades de vice está o presidente do PSDB, Marcos Vieira. Ele não esconde a preferência por disputar a reeleição à Assembleia Legislativa, mas também deixou o nome à disposição para a majoritária em caso de os tucanos saírem em chapa pura.


A recuperação de Pavan

O deputado estadual Leonel Pavan esteve no evento do PSDB (foto). Está bem recuperado de um AVC que sofreu. Nessa eleição vai apoiar o seu filho Pavan Júnior para deputado federal e deverá ocupar a vaga de suplente de Napoleão Bernardes na candidatura ao Senado.


Tucanos do Sul

O PSDB terá três candidatos na proporcional no Sul do estado. Geovania a federal e Aroldinho Frigo e Doia Guglielmi a estadual.


Novo vice na Câmara

A eleição para o novo vice-presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma acontece na sexta-feira, em sessão extraordinária. Todos os vereadores podem se inscrever. A vaga se abriu com a renúncia de Daniel Freitas (PSL).


A reação dos sindicatos

Carlos de Cordes, o Dé, presidente do sindicato dos químicos e vice-presidente da federação dos trabalhadores na industria do estado, reagiu ao anuncio de ação judicial do deputado federal Ronaldo Benedet, MDB, contra o sindicato dos trabalhadores na alimentação.

O fato motivador da ação é uma campanha veiculada pelo sindicato da alimentação contra Benedet por suas posições em relação as reformas trabalhista e da previdência.

Dé afirma que a veiculação não é do sindicato dos trabalhadores da Alimentação, mas do "Movimento Sindical Sul Catarinense”. E completa: "estranhamos a posição do deputado, pois quando da votação sobre a reforma trabalhista ele afirmou que a reforma trabalhista resolveria os problemas da economia e, sobretudo, criaria empregos. Nada disto, no entanto, aconteceu. O desemprego aumentou, os salários foram achatados, as condições de trabalho foram precarizadas e, ao final das contas, perderam os trabalhadores”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/07/2018 - 11:56Atualizado em 28/07/2018 - 11:58

O deputado federal Jorge Boeira acaba de se apresentar como candidato ao senado em discurso inflamado na convenção estadual do PP.

Disse que, assim como Esperidião abdicou de uma eleição encaminhado ao senado, ele abdica de reeleição encaminhada para se apresentar como candidato ao senado.

  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/07/2018 - 08:05Atualizado em 28/07/2018 - 08:11

Esperidião Amin, PP, queria desde o inicio montar chapa com João Paulo Kleinübing, DEM, para disputar o governo. Mas, fez movimentos em várias direções. Abriu várias possibilidades. Em respeito ao acordo encaminhado pelo seu partido, tentou fazer Gelson Merisio, PSD, ser o seu vice.

Mas, Merisio rejeitou ser vice e no momento de decidir, Amin confirmou a chapa com Kleinübing.

Politicos do PSD, do proprio PP e dos outros partidos, como MDB e PSDB, apostavam que Esperidião estava “blefando" quando falava em ser candidato, e que buscava apenas influenciar na aliança PP-PSD e garantir espaço para aliados mais próximos (como Kleinübing).

De repente, na reta final, Esperidião 'bateu o jogo', pegando todos de surpresa.

A convenção estadual do PP vai homologar, por aclamação, neste sábado, em Florianópolis, a aliança com o DEM e a chapa montada por Esperidião.

Eleitoralmente, uma chapa forte. Esperidião é o politico do estado com maior potencial de votos, líder absoluto em todas as pesquisas.

Kleinübing foi prefeito duas vezes de Blumenau e representa a região do Vale, que tem o maior número de eleitores no estado.

Alem disso, uma "dupla" que não tem “inscrição" na Lava Jato. Nem por citações, denúncias ou processos.

A convenção do PP deve deixar abertas na chapa as duas vagas ao senado e a possibilidade de fazer ajustes/adendos na ata, para incluir alianças que ainda poderão ser fechadas nos próximos dias. Com o PSDB, por exemplo.

O PSDB fará convenção neste domingo, já com Amin homologado candidato pelo PP.

Há um grupo de “cardeais" do PSDB que defende (e desde sempre) aliança com o PP para apoiar Amin. O prefeito Clesio Salvaro é um dos principais defensores da proposta.

O PR, do deputado Jorginho Mello, que tem entendimento bem encaminhado com o MDB, teria dado sinais nesta sexta feira que pode recuar e fechar com Amin e o PP. Jorginho seria o candidato a senador.

E há outras possibilidades.

O que parece difícil (improvável até) é a recomposição da aliança entre PP e PSD.

Não foi nada boa a última conversa entre Esperidião Amin e Gelson Merisio, na sexta-feira pela manhã, quando Amin foi  comunicar em definitivo que seria candidato a governador.

 

Cinco chapas

A rigor, o quadro da eleição, até este sábado, tem cinco candidatos a governador entre os principais partidos.

Amin - PP, Mauro Mariani - MDB, Merisio - PSD, Paulo Bauer - PSDB e Decio Lima - PT.

 

O gesto

Se não fechar com PSDB, o PP de Amin deve ter na sua chapa apenas um candidato ao senado.

Seria um gesto praticado em favor de Raimundo Colombo, que será candidato ao senado pelo PSD.

Além da consideração ao ex-governador, Amin e o PP já estarão projetando o segundo turno.

Num eventual segundo turno de Amin com outro adversário que não seja Merisio, se Colombo for eleito senador, será o “grande líder” do PSD no estado. E vai direcionar o apoio do PSD.

 

A reação

Depois de emitir nota cobrando o acordo do PP, Gelson Merisio procurou o PSDB.

No bastidores foi dito que teria admitido até abrir mão da candidatura ao governo. Isso não foi confirmado publicamente.

 

A “noiva" 

O PSDB havia se isolado no processo com a insistência na candidatura própria. Estava numa situação delicada, correndo o risco de não ter nomes para fechar a chapa.

O movimento de Amin, com o anúncio da candidatura, trouxe o PSDB de volta ao jogo.

O partido passou a ser “assediado" por PP, PSD e MDB. Todos oferecendo duas vagas na chapa majoritária. Havia especulações de até três vagas.

 

Aliviada

A deputada do sul, Geovania de Sá, respirou aliviada quando o jogo virou, após o anuncio de Amin.

Ela já havia comunicado ao comando do partido que não seria candidata a vice-governadora em chapa pura, mas a pressão seria intensa sobre ela na convenção deste domingo.

Agora que a chapa pura parece ter sido arquivada em definitivo, Geovânia tira um peso das costas.

 

Com deputados

Esperidião Amin se reuniu no diretório do PP com deputados do partido. Deu detalhes das conversas com Merisio e com Raimundo Colombo na quinta-feira e sexta feira. Com Merisio, foram mais de 10 horas de conversas em dois dias.

Jorge Boeira disse depois da reunião: “Esperidião está muito seguro, otimista, empolgado, está com muitas informações e tem reais possibilidades de vitoria”.

 

Na articulação

O prefeito Clesio Salvaro viajou nesta sexta-feira, fim da tarde, para Florianópolis. Foi se integrar ao grupo de comando do partido e participar das articulações. À noite, já participou da primeira para avaliação sobre as ultimas propostas de aliança.

 

Os estaduais

O PP deve homologar na convenção três candidatos a deputados estadual pela AMREC e AMESC - Valmir Comin e José Milton, atuais deputados/candidatos a reeleição, e Lei Alexandre, ex-prefeito de Forquilhinha. No sul, serão quatro candidatos, somando Pepê Colaço, de Tubarão.

Na aliança PP-DEM, serão cinco candidatos, incluindo a professora Lisiani Tuon, DEM.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/07/2018 - 12:11Atualizado em 27/07/2018 - 18:59

O deputado Esperidião Amin se reuniu com deputados do partido e anunciou entendimento fechado para o deputado João Paulo Kleinübing,  DEM, ser o seu candidato a vice.

A chapa será aprovada na convenção estadual do PP, neste sábado, em Florianópolis.

Amin terminou faz poucos minutos reunião com os deputados do sul do estado, Jorge Boeira e Valmir Comin.

Pela manhã, ele teve reuniao com o ex-governador Raimundo Colombo, PSD, e depois com Gelson Merisio, PSD, quando comunicou que será candidato a governador. O PP nao vai apoiá-lo para governador.

A conversa entre os dois terminou "pesada".

Por orientação de Esperidião, o PP vai aprovar na convenção a chapa Amin-Kleinübing e deixar abetas as vagas ao senado.

Amin vai esperar o PSDB, que fará convenção no domingo, em Joinville.

Se os tucanos decidirem por aliança com PP e Amin, terão duas vagas na chapa majoritária.

Se os tucanos seguirem outro caminho, o PP pode colocar só um candidato ao senado (o citado é Hugo Bihel), não ocupando a segunda vaga, fazendo um gesto para Raimundo Colombo, PSD

Esperidião virou de novo de pernas para o ar o ambiente da eleição quando passou a se movimentar como candidato, e principalmente quando confirmou a candidatura, ontem.

As convenções de sabado e domingo, de PP e PSDB, devem definir o quadro da eleição.

Abaixo, entrevista de Amin, informações da jornalista Francieli Oliveira e mais opinião - material reproduzido na Som Maior FM. 

 

 

Tags: Amin

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/07/2018 - 05:57Atualizado em 27/07/2018 - 10:35

O TRE pegou pedindo do advogado do PP, Alessandro Abreu, para anular ato do presidente da Câmara de Criciuma, vereador Julio Colombo, PSB, que convocou a suplente Angela Mello, MDB, para assumir na vaga do ex-vereador Daniel Freitas, PSL, que renunciou ao mandato na terça-feira.

Mas, na decisão o juiz Wilson Moreira Filho, escreveu:

“circunstância (a renúncia de Daniel) que não altera o fundamento da vacância do cargo, que permanece, portanto, como infidelidade partidária, devendo o cargo vago, nessa hipótese, ficar com o partido e não com a coligação”.

A partir disso, o PP desistiu de recorrer da decisão de ontem e vai protocolar hoje no TRE nova ação pedindo a cassação de mandato (ou perda de mandato, como diz a lei) da vereadora Angela Mello, já que ela foi empossada como suplente da coligação PP-MDB.

A previsão é que seja dada sentença nesta ação em até 60 dias. Contra ou a favor.

O advogado do PP se diz seguro que Angela só será vereadora até o julgamento da ação.

Os advogados de Angela Mello são Alexandre João, Fabio Geremias e Pierri Vanderlinde. Eles entendem que Julio Colombo fez o correto e que agora terão que ser discutidos os motivos que motivaram Ângela sair do PP. Se foi causa justa, ou não.

Ela foi empossada ontem à tarde, numa cerimonia rápida, no gabinete da presidência.

Mais de 20 políticos do MDB acompanharam a posse. Quase todos do grupo da deputada estadual Ada de Luca. Entre outros. prefeito e vice de Içara, Murialdo Gastaldon e Sandro Serafim, e o ex-prefeito de Morro da Fumaça, Claudionor de Vasconcelos. 


O retorno

Com a posse de Ângela Mello, a deputada Ada de Luca volta da ter “representante" na câmara de Criciuma. 

Até o inicio do ano, o vereador Toninho da Imbralit era do grupo de Ada, mas passou para o “time" do deputado Luiz Fernando Vampiro.

Os outros três vereadores do MDB já eram ligados a Vampiro.


Contra sindicato

O deputado federal Ronaldo Benedet, MDB, acionou assessoria jurídica para entrar na justiça contra o sindicato dos trabalhadores na alimentação.

O “fato motivador” é uma campanha de mídia veiculada pelo sindicato nas rádios de Criciúma conta o deputado Benedet por sua postura a favor das reformas trabalhista e da previdência.

O deputado vai pedir a retirada do seu nome da veiculação.


Amin decide

Esperidião Amin voltou com toda força nas articulações, ontem, reascendendo a sua possível candidatura ao governo, na ante-véspera da convenção estadual PP.

No início da tarde, entrou iniciou numa reunião com o deputado Gelson Merisio, candidato do PSD a governador, que durou cinco horas e não foi conclusiva.

À noite, voltaram a conversar.


O terceiro elemento

O deputado João Paulo Kleinubing, presidente estadual do DEM, participou da primeira parte da reunião com Amin e Merisio.

Depois, viajou para Blumenau, onde se reuniu à noite com os tucanos Dalirio Beber e Napoleão Bernardes.


O sinal

Esperidião Amin telefonou ontem para o prefeito Clesio Salvaro, antes da reunião com Gelson Merisio.

Disse que será candidato ao governo, proveniente com Gelson Merisio de vice.


As possibilidades

Enquanto Amin e Merisio estavam reunidos, os bastidores eram abastecidos por especulações.

As mais citadas: 1 - Amin candidato a governador com Merisio de vice, Kleinubing e Raimundo Colombo para o senado. 2 - Amin governador em aliança com o PSDB e DEM, Napoleão de vice, Kleinübing e Colombo ao senado.


Replay

Um prefeito da região, ligado nas articulações estaduais, disse ontem a noite - "Merisio está esticando demais a corda como Joares Ponticelli em 2014, que não soube a hora de recuar”.


Não vai

De tudo o que vem sendo especulado sobre chapa majoritária, o que é certo é que a deputada Geovania de Sá não será candidata a vice de Paulo Bauer em chapa pura do PSDB.


Na chapa

Criciúma tem dois candidatos pelo PSTU para eleição de outubro.

O professor Ederson da Silva, do Sinte, é candidato a vice-governador.

A estudante Rafaela Brito Pereira, ex-dirigente do DCE da Unesc, é candidata a deputada estadual.

Ingrid Leitemberg é a candidata a governadora pelo PSTU, chapa pura no estado.


E o sigilo?

Helio Nunes Vieira, por e-mail:

"Após 36 anos de contribuição e algum tempo lutando contra o INSS, saiu minha aposentadoria.

Mas, na verdade, só acreditei quando comecei a receber ligações de outros estados e mensagens oferecendo empréstimo “sem comprovação de renda ou mesmo negativado no SERASA”. Pronto! Acabou o sossego! Mais de trinta ligações ... Celular e empresa.

Eu até já tinha conhecimento deste fato por outros aposentados ..

Fica aí uma grande dúvida: quem violou meu sigilo, meus dados, minha vida pessoal? Seria esse um caso de polícia?”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/07/2018 - 18:51Atualizado em 26/07/2018 - 20:24

O PP mudou de estratégia em relação a vaga na câmara de vereadores de Criciúma, aberta com a renúncia de Daniel Freitas, PSL.

Desistiu de insistir no cumprimento da sentença do TRE que cassou o mandato de Daniel, por ter trocado partido, onde determina a posse do primeiro suplente filiado no PP, Edson do Nascimento, o Paiol.

Vai protocolar nesta sexta-feira ação direto no TRE pela cassação de mandato de Angela Mello, empossada hoje, pelo mesmo motivo - troca de psrtido. Ela saiu do PP e migrou para o MDB.

Hoje, o juiz Wilson Pereira Junior, do TRE, negou recurso do PP para impedir a posse de Angela. Mas, registrou que Daniel Freitas renunicou ao mandato depois de ter sido cassado pelo Tribunal, por unanimdiade.

Diante disso, ele acrescenta - "circunstância (a renúncia) que não altera o fundamnto da vacância do cargo, que permanece, portanto, como infidelidade partidária, devendo o cargo vago, nessa hipotese, ficar com o partido e não com a coligação".

O presidente da Câmara, vereador Julio Colombo, entendeu que a vaga é da coligação e por isso convocou Angela Mello, que foi empossada hoje à tarde.

 

  

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/07/2018 - 16:13Atualizado em 26/07/2018 - 16:26

Angela Mello, MDB, é a nova vereadora de Criciuma. Acaba de ser empossada.

Em cerimonia no gabinete do presidnete Julio Colombo, com a presença de politicos do MDB.

Ela foi empossada na vaga de Daniel Freitas, que renunciou na terça-feira.

Mais detalhes, em seguida.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/07/2018 - 05:58Atualizado em 26/07/2018 - 09:12

O presidente da Câmara de Criciúma, vereador Julio Colombo, PSB, será denunciado ao Ministério Público pelo PP se consumar o ato de posse para a suplente Ângela Mello, ex-PP, hoje no MDB.

O anúncio foi feito ontem à noite pelo advogado do PP, Alexandro Abreu.

Ele já comunicou ao Tribunal Regional Eleitoral da intenção do presidente Colombo, pelo seu entendimento, de “desrespeitar decisão judicial”, exarada pelo próprio TRE.

Ontem, Colombo expediu convocação e programou posse para hoje à tarde da suplente Ângela Mello na vaga do ex-vereador Daniel Freitas, PSL, que renunciou durante a sessão de terça-feira.

Colombo disse que a Câmara não foi ainda notificada formal e oficialmente da decisão do TRE de mandar dar posse ao segundo suplente do PP, Edson Nascimento, o Paiol, e diz que vai seguir o regimento interno.

Ontem à tarde, Paiol protocolou na Câmara a decisão do TRE no julgamento de Daniel Freitas, que por unanimidade determinou perda do mandato, pela troca de partido, e posse do suplente que esteja filiado ao partido, no caso Edson Paiol, o segundo suplente.

Colombo entende que os documentos não são oficiais e por isso não tem validade. Não se trata de notificação do TRE.

Alessandro Abreu afirma que a postura de Julio Colombo é política e que isso pode caracterizar crime de responsabilidade, por descumprimento a ordem judicial.

Ele lembra que o próprio Daniel Freitas, no seu discurso de renúncia na tribuna da Câmara, afirma que não concorda, mas acata decisão do Tribunal.

“Ele não pode alegar desconhecimento da decisão judicial, mas na dúvida deveria ao menos fazer uma consulta ao TRE”, acrescenta.


No plenário

Em paralelo à questão jurídica, que deve ser resolvida no Poder Judiciário, a posse de Angela Mello na Câmara de Criciúma vai colocar o MDB na condição de maior bancada, junto com o PSDB, ambos com cinco vereadores.

Alem disso, vai fazer a deputada Ada de Luca voltar a ter um “representante" na bancada do partido.

De outro lado, se Paiol assumir o PP voltará a ter dois vereadores. Até lá, ficará apenas com Miri Dagostim.


Não existe

O governador Eduardo Moreira, que está no exterior, reagiu ontem com uma risada ao telefone quando informado sobre especulação de que pode voltar a se colocar como candidato à reeleição.

“Isso é maluquice, não existe nenhuma possibilidade, chance zero, nunca pensei nisso, nunca falei sobre isso”, arrematou.

Eduardo sugeriu que a especulação pode ser “obra" de quem pretende tumultuar o processo e prejudicar as articulações encaminhadas por Mauro Mariani, candidato do MDB ao Governo.

“Eu vou trabalhar para encerrar o mandato da melhor forma e ajudar o Mauro na campanha”, completou.


Boeira para vice

PP do Sul do Estado aprovou ontem à ontem a indicação do deputado federal Jorge Boeira como candidato a vice de Gelson Merisio, na aliança com o PSD.

Decisão foi tomada durante reunião em Tubarão com seus prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, dirigentes municipais do partido e dois candidatos a deputado (Pepe Colaço e Lei Alexandre).

Os dois deputados estaduais do partido no sul, Valmir Comin e José Milton, não participaram.

O prefeito Joares Ponticelli, que coordenou a reunião, destacou que o movimento nao é para confrontar, nem afrontar. É de apoio a aliança PP-PSD e, na eventualidade da segunda ao PP na chapa majoritária, a indicação do deputado Boeira é reflexo da força do partido no sul.

Proposta será levada a convenção estadual do PP, no sábado, em Florianópolis.


Esperidião ao senado

Os últimos movimentos deixam evidente que Esperidião Amin deve recuar de intenção de disputar o Governo e encaminhar candidatura ao Senado na convenção do PP, no sábado.

Por consequência, o PP vai confirmar apoio à candidatura de Gelson Merisio, PSD, a governador.


O caminho de JP

O prefeito Clesio Salvaro conversou várias vezes por telefone com o deputado João Paulo Kleinübing, DEM, nos ultimas dias. Ontem à noite, ele disse acreditar que João poderá ser o vice de Paulo Bauer ao governo, na aliança PSDB-DEM, seguindo acordo nacional.


O caminho 2

João Paulo Kleinübing está em Brasilia desde segunda-feira e em reuniões praticamente todo o tempo. Inclusive com a direção do seu partido, o DEM, e com dirigentes nacionais de outros partidos.

Quando não está em reunião, está ao telefone. É praticamente a última peça a se movimentar para definir o tabuleiro da eleição.

Ele terá que decidir entre três possibilidades - vice de Paulo Bauer/PSDB, vice de Mauro Mariani/MDB ou vice de Merisio/PSD. E ainda tem a possibilidade (mesmo que remota) de bancar candidatura própria ao governo.


Paulo mantêm Geovania

Mesmo que a deputada Geovania de Sá tenha comunicado de forma clara e enfática na reunião com a executiva estadual do PSDB, terça-feira, que não será candidata a vice-governadora, o senador Paulo Bauer, candidato ao governo, repetiu ontem que ela será candidata, no caso de o partido disputar a eleição com chapa pura.

Geovania cumpriu roteiro de campanha para reeleição a federal durante todo o dia de ontem na região.

Os seus aliados e familiares garagem que ela não será candidata a vice.

A convenção estadual do PSDB será realizada no domingo, em Joinville.


Lembrando LHS

Ivette Appel da Silveira participou de reunião em Joinville com o deputado federal Mauro Mariani, candidato ao Governo pelo MDB (foto).

“Dona" Ivette é viuva do ex-governador Luis Henrique da Silveira. Ela fez discurso e disse que vai “cair na campanha”.


Clareando a política

O jornalista Nícola Martins e o advogado Luiz Eduardo Conti fizeram palestra na terça-feira, em Orleans, sobre o cenário político e econômico para eleição e os meses seguintes.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/07/2018 - 05:58Atualizado em 25/07/2018 - 09:12

A deputada Geovania de Sá foi taxativa ontem na reunião com o comando estadual do PSDB. Não será candidata a vice de Paulo Bauer em chapa pura.

Repetiu que vai disputar reeleição a câmara federal.

Além disso, registrou posição, de novo, contra o encaminhamento do partido de disputar a eleição com chapa pura. Voltou a defender alianças.

O prefeito Clesio Salvaro ainda tentou convencê-la a aceitar a “missão partidária”, mas ela manteve-se irredutível.

Bauer fez apelo veemente, mas ela não cedeu.

A reunião de ontem se arrastou por praticamente cinco horas, e quase todo o tempo foi consumido pelos dirigentes tucanos para tentar reverter a posição de Geovania. Em vão.

Ela disse que 100% do seu grupo de apoio não admite nem conversar sobre a possibilidade de trocar a candidatura a reeleição pela vaga de vice numa “chapa pura”.

Geovânia cumpre primeiro mandato de deputada federal, mas conseguiu estadualizar a sua atuação, principalmente pelo envolvimento com a igreja evangélica Assembleia de Deus.

Ela foi aprovada em convenção da igreja como única candidata apoiada em todo o estado para a câmara federal.

Além disso, ampliou muito a sua atuação fora da igreja. Hoje tem articulação em todos os municípios.

A tendência é que faça a maior votação do partido em outubro.

O deputado federal Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, também descartou ontem a possibilidade de ser candidato a senador, como vinha sendo especulado.

Agora, o PSDB tem dificuldades para fechar a chapa. Poderá lançar apenas um candidato ao senado (Napoleão Bernardes).

Mesmo assim, Paulo Bauer insiste na chapa pura.

A convenção estadual do PSDB será no domingo, dia 29. Um dia depois da convenção do PP.


Boeira vice de Merisio

O PP do sul vai se reunir hoje em Tubarão, sob a coordenação do prefeito Joares Ponticelli, para consolidar movimento por uma vaga na chapa majoritária.

O deputado Jorge Boeira deverá ser indicado candidato a vice-governador na chapa de Gelson Meriso, na possibilidade de o PP confirmar aliança com o PSD e Esperidião Amin decidir disputar o senado (que é o desfecho mais provável).


A preferência

Amin não vai mais levar o PP a romper com Merisio e o PSD, sendo ou não candidato a governador.

Mas, na reta final das negociações, pode estar levando uma segunda na chapa para o PP.

Além de Boeira, dois nomes são citados: Silvio Dreveck, presidente do partido (mais provavel) e Jandir Belini, ex-prefeito de Itajai.

O nome preferido de Merisio era a ex-deputada Angela Amin. Mas, fora de jogo pela candidatura ao senado.


O futuro de João

O deputado João Paulo Kleinübing, presidente estadual do DEM, rejeitou ser vice de Gelson Merisio e esteve mapeado para vice e Amin. Mas, com o recuo de Amin, tem dois caminhos - ser vice do MDB ou vice do PSDB.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/07/2018 - 05:50Atualizado em 24/07/2018 - 09:16

O fórum que será realizado hoje, a partir de 7h30, na Unesc, é da cidade, feito para todos que entendam necessário/oportuno discutir as prioridades, considerando as novas circunstâncias.

A Unesc e a Som Maior FM são apenas os “tocadores de bumbo”. Sem a pretensão de ter a paternidade.

Até a campanha passada, a lista era consenso. Via rápida, anel viário, aeroporto regional e porto. Basicamente isso. E tudo está resolvido.

O anel ainda falta um trecho, mas está encaminhado para o segundo semestre.

Agora, tem que fazer lista nova. Porque a campanha está chegando. E quem não sabe o que quer, recebe o que sobra.

Os candidatos a governador estarão todos definidos dentro de poucos dias, e passarão por aqui em campanha, ou para participar de debates. O que vamos tratar com eles, e ao mesmo tempo tentar que assumam compromissos para o próximo mandato?

Depois, é preciso definir para onde deve caminhar a cidade e região nas próximas décadas?

Porque quem não sabe para onde ir, acaba se perdendo no meio do caminho.

Talvez seja o caso de montar um plano de desenvolvimento. Que sirva de bússola para a sociedade dar a direção aos políticos que venham a ser eleitos.

Para não corrermos o risco de mudar tudo a cada quatro anos. Ou, dois.

A economia, que inclui geração de receita e renda, precisa de atenção especial.

Faz quase duas décadas que a região de Criciuma cresce menos que a média estadual.

Criciúma, isoladamente, já foi a quarta cidade em arrecadação no estado na década de 70. Hoje, é décima segunda.

É fato que a região de Chapecó, que passou a de Criciúma, tem o agro-negócio como grande “puxador" da economia.

Assim como o porto é para Itajaí e região!

E qual é hoje o “puxador" da economia de Criciúma?

Os problemas com logística e infraestrutura, que dependiam do poder público, foram resolvidos.

Agora, tem que dar o passo adiante. É preciso atitude.


PP do sul na majoritária

Políticos do PP do sul do estado estão iniciando movimento por uma vaga na chapa majoritária para eleição de outubro.

Amanhã, será realizada reunião em Tubarão, liderada pelo prefeito Joares Ponticeli, para tratar do assunto.

Deputados Jorge Boeira, Valmir Comin e Jose Milton Scheffer devem participar.

Prefeitos, vereadores e dirigentes do PP do sul estão envolvidos no movimento.

O argumento principal é que o sul é onde o PP é mais forte no estado, o que lhe dá direito a pleitear um espaço diferenciado.


Geovania na vice

A deputada federal criciumense Geovania de Sá participa hoje, em Florianópolis, de reunião com os “cardeais" do PSDB catarinense.

Vai repetir que está a disposição para compor como candidata a vice-governadora em chapa pura.

Mas, vai repetir que o partido deve empreender todos os esforços para fechar alianças.


Com Alckmin

Jorge Bornhausen, Paulinho Bornhausen e Raimundo Colombo estiveram reunidos em São Paulo, no domingo, com o presidenciável Geraldo Alckmin.

O presidente nacional do PSD, ministro Gilberto Kassab, também participou.

Discutiram as possibilidades de alianças para a eleição em Santa Catarina.


Com Amin

Ao mesmo tempo em que Alckmin se reunia em São Paulo com Jorge, Paulinho e Colombo, o senador tucano Paulo Bauer se reunia em Florianópolis com Esperidião Amin.


Sem rompimento

Por tudo o que está posto, a tendência é que Esperidião Amin dispute a eleição em aliança com o PSD. Como candidato a governador, ou senador.

Se for candidato a governador, deve ter Merisio de vice, o PSDB na chapa (com o segundo candidato ao senado) e o apoio do DEM. 

Se Amin for candidato a senador, Merisio deve disputar o governo e o PP indicar o vice. Sem o PSDB na chapa. E provavelmente sem o DEM.


Com o MDB

Se Amin não for candidato ao governo, o MDB pode ter DEM e PSDB na sua aliança.

Mauro Mariani já sinalizou que pode dedicar a vaga de vice e as duas do senado para os dois partidos.


Visão do sul

Clesio Salvaro deve participar da reunião dos “cardeais" do PSDB catarinense.

Vai dizer que o PSDB do sul defende aliança e não quer estar no palanque do MDB.


Fazendo diferente

O desembargador aposentado Ledio Rosa de Andrade lançou sua “vaquinha eletrônica” para arrecadação de doações de campanha com um slogan tudo a ver com o ambiente de hoje - “uma forma honesta de fazer política”.


Igual a formiga

Vice-prefeito Ricardo Fabris reuniu seu grupo de apoio e aliados com o deputado Ricardo Guidi, candidato a federal, e ex-deputado Julio Garcia, candidato a estadual.

Ao chegar na reunião, José Zanoli, do PSD de Içara, comentou - “está aparecendo gente igual a formiga”.

Mais de 450 pessoas participaram.


Crescendo

Um dia depois da convenção estadual do PDT, a candidata a deputada estadual Paulinha da Silva, ex-prefeita de Bombinhas, fez ontem à noite reunião com grupo de apoio de Criciúma

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/07/2018 - 18:12Atualizado em 23/07/2018 - 18:36

Politicos do PP do sul do estado estão desencadeando movimento por uma vaga na chapa majoritária para eleição de outubro.

Na quarta-feira sera realizada reunião em Tubarão, liderada pelo prefeito Joares Ponticelli para tratar do assunto.

Deputados Jorge Boeira, Valmir Comin e Jose Milton Scheffer devem participar da reunião.

Prefeitos, vereadores e dirigentes do PP do sul estão envolvidos no movimento.

O argumento é que o sul é onde o PP é mais forte no estado, e por isso tem direito a um espaço diferenciado.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/07/2018 - 05:54Atualizado em 23/07/2018 - 16:19

No sábado, início da manhã, o celular do prefeito Clesio Salvaro recebeu mensagem do senador Paulo Bauer - “é assim que uma candidatura começa a cair”. Juntou print da informação exclusiva dada nesta coluna, edição de sábado, sobre o convite feito para a deputada Geovania de Sá ser candidata a vice-governadora, que ela recusou. Disse que preferia ser candidata à reeleição.

Bauer veio em silêncio ao sul na sexta-feira, sozinho, só para se reunir com Geovania e fazer o convite. Eles conversaram em Laguna, onde a deputada cumpria roteiro de campanha à reeleição.

Logo que recebeu a mensagem, Clesio telefonou para Bauer, mas não falaram.

Então, devolveu mensagem. Disse que Geovania sempre defendeu aliança, é contra chapa pura e não pode agora ser cobrada por nada.

Depois disso, cutucou - “quem defende chapa pura é que deve se apresentar”. Numa referência indireta ao deputado Marcos Vieira e ex-prefeito Napoleão Bernades.

Mas, a “cobrança" de Bauer não foi isolada. O comando do partido fez o mesmo discurso durante todo o fim de semana. 

O prefeito Salvaro acabou responsabilizado pela posição de Geovania. O argumento é que ele faz isso porque defende aliança com o PP de Amin.

No sábado, o senador Dalirio Beber convidou Clesio para uma reunião do partido em Ituporanga. Ele não foi. Conversou com Dalirio por telefone. E também com o presidente estadual do partido, deputado Marcos Vieira.

Clesio repetiu no fim de semana que defende aliança e voltou a alertar para o risco de isolamento do partido, que não interessa nem ao presidenciável Geraldo Alckimin.

Ontem à noite, no entanto, ao perceber que estava aumentando a cobrança sobre a deputada Geovania de Sá, e contra ele próprio, inclusive imputando aos dois possíveis desdobramentos, o prefeito procurou a deputada e aconselhou que aceitasse o convite para ser vice. 

Ela comunicou ontem à noite a sua decisão à direção estadual do PSDB e deve participar hoje na reunião da executiva estadual, em Florianópolis.


Na vaga de Geovania

Clesio Salvaro e Geovania de Sá vão tratar juntos durante a semana  da “sucessão” na candidatura a deputado federal pelo sul, se for confirmada a chapa pura e Geovania na vice.

O vereador Aroldo Frigo, de Nova Veneza, e o vereador Julio Kaminski, de Criciuma, estão cotados.


Tem lado

Pela preferência pessoal Clesio Salvaro, o PSDB faria aliança com o PP e apoiaria a candidatura do deputado Esperidião Amin a governador. 

Pelas suas contas, mais de 90% das bases do PSDB no sul rejeitam aliança com o MDB.

Mas, em público, ele apenas defende aliança. Sem direcionar com quem.


Semana tucana

PSD e PP esticaram a decisão sobre aliança porque vão esperar o PSDB, que fará convenção no próximo sábado.

A semana será de articulação dos tucanos, e em torno deles.

MDB e PP disputam o apoio do PSDB.

Mauro Mariani, MDB, e Esperidião Amin, PP, pilotam pessoalmente as conversações.


A chapa de JKP

Trecho de mensagem enviada pelo ex-senador e ex-ministro Jorge Bornhausen ao colunista Prisco Paraíso, sobre composição de chapa: 

“Juntar numa chapa só os que têm votos será bom para SC. Torço que isto aconteça. Desejo, na mesma chapa, Raimundo (Colombo), Paulo Bauer, (Esperidião) Amin e (Gelson) Merisio. Espero que a racionalidade e o espirito público os levem a um entendimento”.

Bornhausen defendia Bauer como candidato a governador e passou a defender Amin.


Centro das atenções

A principal atração na convenção do PSD, sábado, foi o deputado Esperidião Amin, PP.

Com o presidente do partido, Silvio Dreveck, ao seu lado, e toda a cúpula do partido, Amin falou muito, mas disse pouco. Não fechou nada. Deixou tudo em aberto.

Repetiu o discurso da “frente ampla” de oposição ao MDB e pediu PSDB e DEM na aliança.


Tudo pode!

O PSD fez o que foi previsto. Convenção aprovou a candidatura de Gelson Merisio ao governo e Raimundo Colombo ao senado, mas delegou poderes a executiva para fechar aliança e chapa.

A rigor, tudo pode mudar. Até a candidatura ao governo. Só que neste caso, Merisio agora precisa renunciar. E a executiva indicaria novo candidato, que pode ser de outro partido.


Tudo definido, mas indefinido

Assim como já era esperado, a convenção do PSD confirmou o nome de Gelson Merisio na corrida pelo Governo do Estado e de Raimundo Colombo ao Senado. As outras duas vagas da majoritária seguem aberto para atrair novas coligações. Merisio fez um discurso de fortes críticas ao MDB e com postura de candidato ao governo. Citou, inclusive, o combate as desigualdades entre as regiões do estado, entre elas, o Sul. Mas, depois admitiu aos jornalistas, que nada impede que ele ainda abra mão da posição e que conversas seguem. Tudo se definirá em 5 de agosto.


A presença do PP

Esperidião Amin chegou empolgado à Assembleia Legislativa para a convenção do PSD. Com seu jeito característico cumprimentou todos e brincou, fez piadas. Ao encontrar com Gelson Merisio seguiu no mesmo clima. Deu um ar de entendimento. Mas, sempre sem deixar claro o que acontecerá até o prazo final, dia 5 de agosto.


Os que não foram

A presença do PP na convenção do PSD dá sinais de que se ainda não houve entendimento, pelo menos, se busca um. Por outro lado, PSDB e DEM não foram. As falas de quem estava presente seguiram no mesmo caminho: o diálogo permanece aberto.


Apoio ao projeto

Além da convenção do PSD, outras 10 aconteceram no mesmo espaço da Alesc e em salas ao redor. Gelson Merisio fez questão de passar em todas elas. Depois, todos se reuniram na convenção do PSD e cada líder levou sua mensagem de apoio. PRB, Solidariedade, PSB, PSC, PDT, PROS, PRP, Podemos, PHS e PCdoB confirmaram aliança.


Presidenciável

A maior convenção, em números de presentes, foi a do PDT. O Auditório Antonieta de Barros ficou superlotado. Teve direito à até bateria de escola de samba. O candidato do PDT à presidência da República, Ciro Gomes, homologado um dia antes na convenção nacional, esteve presente.


Novas siglas

O PSD ainda conversa com o PSL, de Jair Bolsonaro. Merisio acredita que nessa semana pode ter o anúncio de mais esse apoio.


Palanque

Gelson Merisio garante que não irá, pessoalmente, se definir por um candidato a presidente no primeiro turno. A coligação que o cerca conta com, pelo menos, dois presidenciáveis: Ciro Gomes (PDT) e Álvaro Dias (Podemos). Sem contar que o PSD nacional está com Geraldo Alckmin, do PSDB. Agora, terá a chance de ter Jair Bolsonaro, do PSL.


Proporcional

Para a proporcional se encaminham duas chapas. Uma com todas as siglas consideradas menor, o chamado chapão, e outra com o PSD e PP (se confirmar aliança).


Maioria na Alesc

O cálculo de Gelson Merisio o coloca com maioria na Assembleia Legislativa. Espera eleger 23 deputados. Sendo, sete ou oito do chapão e mais 15 do PSD/PP. Se o PSD ficar sozinho, espera eleger oito ou nove deputados estaduais. A projeção para a Câmara Federal é de nove deputados – dois ou três do chapão e seis do PSD/PP.

Unidade

Prefeitos e dirigentes do MDB do sul ficaram impressionados com o comício de Içara com Mauro Mariani, na sexta-feira à noite, pela número de pessoas e o ambiente de unidade.

Prefeito Murialdo Gastaldon afirmou - “foi o maior evento político realizado no sul neste ano”.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/07/2018 - 20:45Atualizado em 22/07/2018 - 20:52

A deputada federal Geovania de Sa, PSDB, anunciou hoje a noite, depois de reunião com o prefeito Clesio Salvaro, PSDB, que vai aceitar o convite de Paulo Bauer para ser candidata à vice na sua chapa para disputar o governo.

Na sexta-feira, Geovania recusou o convite em reunião com Bauer.

Mas, a pressão sobre ela e o prefeito Salvaro foi intensa no fim de semana.

Ela já comunicou ao comando do partido e ao próprio Bauer.

Todos os detalhes, os bastidores, na edição desta segunda-feira de A Tribuna e a partir de 7:00 na radio Som Maior FM.

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/07/2018 - 09:03Atualizado em 21/07/2018 - 09:03

O senador Paulo Bauer, candidato do PSDB ao governo, pegou a Br 101 nesta sexta-feira com uma missão a cumprir. Convidar a deputada federal criciumense Geovania de Sá a ser sua vice em chapa pura.

Os dois se encontraram em Laguna, onde a deputada estava cumprindo agenda. Falaram por duas horas. 

A intenção de Paulo Bauer era fechar a chapa com Geovania de vice, Napoleão Bernardes para o senado e o deputado Leonel Pavan na outra vaga ao senado.

Mas, a deputada não aceitou o convite. Disse que está focada na campanha para reeleição e não tem disposição de mudar.

Além disso, ela ponderou que chapa pura é um projeto “de alto risco”, ainda mais de se PP, PSD e DEM estiverem juntos.

Ela acredita que, depois do acordo fechado nacionalmente entre PSDB e Centrão, o presidenciável Geraldo Alckimin deverá estar no palanque de PP e DEM em Santa Catarina.

Ou seja, o PSDB com chapa pura nem teria “exclusividade" do seu candidato a presidente.

Geovania defendeu que o partido faça todos os movimentos possíveis para fechar aliança, abrindo mão das outras três vagas na chapa majoritária, se for necessário. 

O que não pode, segunda ela, é ficar isolado. 

É a mesma posição que vem sendo sustentada pelo prefeito Clesio Salvaro.

A única possibilidade que Geovânia deixando em aberto para uma possível candidatura a vice é se os chamados grandes partidos de dividirem e cada um lançar o seu candidato - PP, PSD, MDB e PSDB. “Ai, pode ser, dá para discutir”, disse ela.

A vinda de Paulo Bauer ao sul pode ter sido um movimento para contrapor as articulações de outros grupos do PSDB por aliança com o PP de Esperidião Amin ou o MDB de Mauro Mariani.

Bauer tem o PSDB consigo se for o candidato a governador. Se for para fazer aliança, não terá autonomia para decidir.

E para ser candidato a governador, neste momento, só se for em chapa pura.

 

A chapa 1

Na possibilidade de PSDB descartar chapa pura, pode fechar aliança com PP e DEM. 

Nesta sexta-feira, a chapa que circulava nos bastidores era Amin - governador, Napoleão Bernardes - vice, Paulo Bauer e João Paulo Kleinubing - senado.

 

A chapa 2

Na alternativa de “aliança ampla”, com PSDB, PP, DEM e PSD, a chapa mais especulada tem Amin - governador, Merisio - vice, Napoleão ou Paulo Bauer e Colombo - senado.

 

A chapa 3

Sem o PSDB encaminhar aliança com o MDB (improvável depois do acordo nacional do PSDB com Centrão), a chapa pode ser Mauro Mariani - governador, Napoleão - vice, Jorginho Mello e Paulo Bauer - senado.

 

Mais uma semana

Nada será decidido neste fim de semana, mesmo com a realização das convenções do PSD e os 10 partidos aliados.

PP e DEM vão continuar discutindo, e articulando, pelo menos até o final da próxima.

Vão na convenção do PSD para confirmar a intenção de “estar junto”, mas vão exigir que tudo fique em aberto por mais “alguns dias”.

 

A convenção do PSD

Os convencionais do PSD vão aprovar por consenso neste sábado as candidaturas de Gelson Merisio a governador e Raimundo Colombo a senador. 

Deixarão duas vagas abertas (senado e vice) para possíveis composições. De preferência, com PP, DEM e PSB.

A convenção vai delegar poderes à executiva para fechar as composições. 

 

A renúncia

Gelson Merisio tem dado todos os sinais que não vai abrir mão da candidatura ao governo.

A partir da convenção deste sábado, ficará mais consolidado. Terá respaldo legal. Só não será mais candidato se renunciar.

Neste caso, a executiva do PSD poderá substituí-lo, inclusive por candidato de outro partido.

 

Os senadores

Mauro Mariani tem um problema sério a administrar "dentro de casa”.

As possibilidades de aliança estão se esvaindo. Estão sobrando praticamente, de certa expressão (e peso politico), o PR e o PPS.

Pelo PR, o deputado Jorginho Mello quer ser candidato a senador. Mas, impõe uma condição. Que o partido do candidato a governador (MDB) não tenha candidato ao senado.

E no MDB o ex-governador Paulo Afonso anuncia que não abre mão de submeter a sua candidatura a convenção do partido.

Além dele, o ex-prefeito Edson Piriquito e o deputado Valdir Colato também quer a candidatura ao senado.

 

Sem chance

Especulação que circulou nesta sexta-feira - Eduardo Moreira poderia reassumir candidatura ao governo, com apoio do PSDB.

Ouvido à noite, antes do comício de Icara, ele não deixou nenhuma margem de dúvida - “não existe a possibilidade, chance zero”.

 

A vice

O secretário municipal Juventino Selva, militar da reserva, foi colega de turma de Jair Bolsonaro.

O general Heleno, que Bolsonaro queria como vice, foi seu comandante.

Depois que o partido do general Heleno negou aliança com Bolsonaro (e vetou sua indicação como vice), Selva passou mensagem de celular para o presidenciável sugerindo uma mulher para vice na sua chapa. Maria da Penha. Aquela que inspirou a lei para prover as mulheres de agressões.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/07/2018 - 06:12Atualizado em 20/07/2018 - 09:22

O decreto do prefeito Clesio Salvaro não vai "desfritar o ovo”. O que está feito, está feito. Quem já recebe gratificações por horas de aperfeiçoamento, não vai perder. Continuará recebendo. Agora, os processos com pedidos de analise de novas gratificações vão ficar congelados. Qualquer decisão, só depois de apuradas as denúncias de fraude, falcatrua, ilicitude, na concessão de diplomas. Tudo será encaminhado ao Ministério Público e Gaecco para investigação.

Ontem à tarde o prefeito Clesio Salvaro chamou Observatório Social, Câmara de Vereadores, CDL, Acic e jornalistas para expor a situação.

O relato sobre vários indícios de fraude foram detalhados primeiro pela procuradora do municipio, advogada Ana Cristina Youssef, que é servidora de carreira.

Depois, teve o reforço de secretários municipais, especialmente Celito Cardoso, de finanças. 

Prefeito lembrou o caso do servidor que tinha salário de r$ 2,5 mil e se aposentou com r$ 25 mil/mês - “Vocês pensam que aquele foi caso único? Longe disso. Temos vários e vários igual aquele”!.

Em resumo, pelo que foi apresentado, era uma “farra”.

A decisão do prefeito de parar tudo foi necessária e corajosa (na medida em que representará inevitavelmente um confronto com o sindicato dos servidores).

Mas, a medida (via decreto) não é contra os servidores, nem contra o servidor correto, que faz cursos dentro dos padrões legais, e éticos. É uma medida a favor do município e que deve fazer respeitar o interesse público e restabelecer seriedade no processo.

A gratificação por horas de aperfeiçoamento não pode ser uma manobra, ou falcatrua, para aumentar salário e aposentadoria.

Há denúncias de diplomas e comprovantes de participação em cursos que foram comprados pela internet, ou vendidos por servidores da prefeitura. Algumas fraudes são primárias.

A media de processos com pedido de gratificação é 10 por dia. Depois que foi encaminhado projeto para câmara de vereadores, pretendendo rever regras, o número de processos pulou para 15 por dia.

Hoje o governo paga 16 milhões/ano para gratificações do tipo.

 
Enxugar

Prefeito Salvaro anunciou a contratação de uma empresa privada para fazer o que chamou de  “higienização” da folha de pagamento da prefeitura.

Traduzindo - vai identificar os “penduricalhos" indevidos, ilegais, que serão “cortados”.


Teto

Outra informação de Salvaro - encaminhará projeto de lei à câmara de vereadores para estabelecer teto de 40% da receita para pagamento de pessoal.

Hoje, oscila em torno de 37%.


Vai quebrar

Com o respaldo do presidente do Observatório Social, Sinesio Volpato, que estava estava ao seu lado, prefeito Salvaro assegurou - “se continuar como está, o CriciumaPrev quebra em 2025”.


Sobre a concessão

A concessão de gratificação por hora de aperfeiçoamento, estabelecida no mandato passado, foi detonada por Salvaro - “isso é uma vergonha, uma indecência, incorpora ao salário e incorpora na aposentadoria, o prefeito anterior se acertou com o sindicato, e não fez conta, isso vai quebrar o sistema, daqui a pouco não tem mais como pagar”.


Nova eleição

Prefeito Clesio Salvaro disse ontem na abertura da reunião - “se tudo der certo na minha vida, tudo 100%, serei prefeito até 2022”.

Isso que dizer que consta nos planos de Salvaro a busca da reeleição em 2020 e, conseguindo, ficar no cargo até 2022. Quando deixaria o cargo para buscar, provavelmente, uma eleição majoritária (governador, vice ou senado).


Centrão no estado

Esperidião Amin telefonou ontem à tarde para Clesio Salvaro para dar em primeira mão a noticia do fechamento do acordo fechado pelos partidos do “centrão" para apoiar Geraldo Alckimin, PSDB.

Clesio deu a noticia na reunião com vereadores e entidades antes que saísse na mídia nacional.

Amin estava empolgado. Porque participou da articulação para isso acontecer, e porque o acordo nacional pode ser estendido para o estado.


O que pode dar

A repetição no estado do acordo do PSDB com o “centrão”, que inclui PP e DEM,  pode ter o PSD junto, fazendo uma grande aliança, garantindo o maior palanque para Alckimin.

Mas, também pode ser apenas com PSDB, PP e DEM.

Vai depender do entendimento (ou não) quanto a candidatura a governador.


Chapas

Três possibilidades eram especuladas nem à noite.

1 - Amin - governador, Merisio - vice, Colombo e Paulo Bauer - senado.

2 - Amin - governador, Napoleão - vice, Paulo Bauer e Kleinübing - senado.

Neste caso, Merisio seria candidato em aliança com PSB e 10 partidos considerados pequenos.

3 - Paulo Bauer - governador, Merisio - vice, Amin e Colombo - senado.


Convenção

Amin, Merisio, Colombo, Paulo Bauer, Jorge e Paulo Bornhausen, Julio Garcia, Kleinübing e outros “cardeais" da policia do estado continuam estão conversando e negociando quase 24h/dia. Mas, conclusões só devem sair na reta final, últimos dias do prazo legal.

De qualquer forma, o PSD fará sua convenção amanha, uma “mega convenção, em Florianópolis. Vai homologar as candidaturas de Gelson Merisio - governador e Raimundo Colombo - senador, deixar as outras duas vagas da chapa majoritária em aberto, e registrar em ata que a executiva tem plenos poderes para fechar aliança e a chapa. Então, tudo ainda poderá ser alterado.


Mariani na área

Acompanhando as distância os movimentos no ambiente liderado por Amin, Merisio e Bauer, o candidato do MDB ao governo faz hoje o primeiro ato para sua candidatura no sul, com Eduardo Moreira de “cabo eleitoral”.

Os dois vão prestigiar a posse do prefeito de São João do Sul (que troca o PSD pelo MDB) e depois vão comandar comício organizado pelos prefeitos do MDB da região, em Içara.

Mariani espera o que vai dar nas conversas do PSDB e DEM para fechar a sua composição. Ainda tem esperança de atrair os dois para o seu palanque.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/07/2018 - 16:49Atualizado em 19/07/2018 - 18:35

O prefeito Clésio Salvaro acaba de anunciar, depois de reunião no salão de atos, que vai baixar decreto suspendendo o andamento de todos os processos de reconhecimento de aperfeiçoamento dos servidores municipais.

Na prática, os processos representam aumentos indiretos nos salários e nas aposentadorias dos servidores. Hoje representam R$16 milhões/ano. 

Ao mesmo tempo, vai encaminhar denúncia ao Ministério Público e ao Gaeco, com pedido de investigação sobre indícios de fraudes na concessão de diplomas.

“Depois de um amplo estudo feito pelo observatório social, está evidente que se não tomar nenhum tipo de medida, o instituto vai a falência. Uma delas é o aperfeiçoamento”, disse Salvaro. Segundo ele, não existe controle algum, então é importante suspender até que tudo seja apurado.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/07/2018 - 05:54Atualizado em 19/07/2018 - 06:51

O secretário regional de Araranguá, Heriberto Schimit, passou o dia de ontem ao telefone explicando que não pode ser candidato a deputado estadual porque não desincompatibilizou no prazo legal. Seria o candidato natural do MDB na vaga do deputado Manoel Mota, que ontem anunciou oficialmente que não vai disputar a reeleição.

Mas, Heriberto não deixou o cargo exatamente porque o deputado Manoel Mota assegurou que tentaria a “última eleição”.

Como ele tinha preferência e não seria prudente dois candidatos do partido no Vale, Heriberto puxou o freio de mão.

Ontem, durante entrevista ao repórter Ninomar Moro, na radio Imigrante, de Turvo, ele disse que não se arrependeu, mas estava visivelmente chateado.

Mota fez ontem dois anúncios em um só na coletiva de ontem - “renunciou” a candidatura e anunciou apoio para Volnei Weber, ex-prefeito de São Ludgero, região da Amurel. Não pegou bem. Prefeitos e dirigentes do MDB do vale não gostaram porque deixou o partido sem candidato no Vale e ainda tenta abrir espaço para o “candidato de fora”.

Os primeiros “beneficiados” com a retirada de Mota são os deputados Luiz Fernando Vampiro e Ada de Luca, os dois do MDB. Eles já tem grupos de apoio no Vale, mas agora poderão se articular com maior facilidade (e liberado).

Mesmo que seja do PP, adversário politico, também ganha o deputado José Milton Scheffer, que é do Vale.

Mas, o maior beneficiado, sem duvida alguma, é o ex-prefeito de Arroio do Silva, Evandro Scaine, PSD. Ele ja vinha fazendo campanha intensa em Araranguá, casa a casa, e isso também pesou na decisão de Mota de sair do processo.

Agora, Evandro ficará com o espaço livre para atuar na cidade, onde tem sua empresa, e é citado como possível candidato a prefeito em 2020.

Ele passa a ser o mais cotado para “campeão de votos” em Araranguá entre os candidatos a deputado estadual.

Se confirmar a previsão, e não se eleger deputado, estará com a campanha a prefeito efetivamente encaminhada.

 

A cassação de Daniel

O vereador Daniel Freitas, ex-presidente da câmara, não contava com isso - perda de mandato antes de começar a campanha.

Ele tentou ser candidato a deputado no PP, duas vezes, e não conseguiu. Bateu na trave.

Migrou, então, para o PSL para encaminhar candidatura a deputado federal.

Mas, imaginava que isso fosse feito em comum acordo com o PP, sem "quebrar pratos”. E as conversas preliminares até indicaram para isso.

A primeira manifestação publica do presidente do PP, Itamar da Silva, foi que Daniel continuaria “amigo e companheiro” e teria sempre “portas abertas”.

Ficou implícito que, se não obtivesse êxito no projeto de deputado no PSL, Daniel voltaria ao PP.

Só que os suplentes, dirigentes e filiados do partido reagiram. Exigiram processo na justiça para “buscar" a cadeira de Daniel na câmara. A direção estadual do PP também (e colocou advogado a disposição). E o mandato foi cassado ontem à noite.

A decisão do TRE não deixa nenhuma duvida - perda de mandato por decisão unanime dos membros.

TRE mandou dar posse imediatamente ao primeiro suplente do PP, Edson do Nascimento, o Paiol, presidente da UABC.

Seria Angela Mello, que ficou na primeira suplicia na eleição. Mas, assim como Daniel, ela também trocou de partido, saiu do PP, e perdeu a vaga.

 

Amin e Merisio - acordo próximo

Os deputados Esperidião Amin, PP, e Gelson Merisio, PSD, candidatos a governador, voltaram a conversar, os ânimos foram “serenados”, e um acordo para fechamento de aliança (e de chapa) pode ser fechado até amanhã. Antes da convenção estadual do PP.

 

Com PSDB

Amin e Merisio conversaram pelo menos três vezes nas ultimas 48 horas.

Ontem à tarde, Amin se reuniu com o o ex-governador Raimundo Colombo, que ainda opera, junto com Amin, por uma aliança ampla, incluindo PSD-PP-PSDB-DEM-PSB.

O acordo nacional entre PSD e PSDB pode facilitar o entendimento em Santa Catarina.

 

Apostando em Guidi

Raimundo Colombo afirmou em todas as reuniões que fez nos dois dias que ficou na região que projeta Ricardo Guidi como o segundo mais votado do PSD para deputado federal.

Disse que o partido (desde quando era PFL) sempre elegeu três federais no estado.

Também anunciou que está abrindo espaço para Guidi na serra, sua base eleitoral.

 

Cutucou

Ricardo Guidi esteve com Raimundo Colombo durante todo o roteiro do ex-governador.

Ontem cedo, participaram de entrevista no estúdio da rádio Som Maior.

Colombo disse que sua relação com Eduardo Moreira “esfriou” e falou das contas do seu governo.

Garantiu que deixou as contas melhor do que recebeu e cutucou o secretário da fazenda, Paulo Ely - “se eu fosse dar um conselho para o secretário, diria para ele ser mais otimista, mais positivo, porque a impressão que ele passa é que está muito pior do que realmente está”.

 

Reliquia

Ricardo Guidi ofereceu jantar para Raimundo Colombo no sitio da família, na terça-fira a noite. Reuniu prefeitos, vices, vereadores e dirigentes do PSD da região.

Detalhe - o prato usado é da Expo 100, a festa do centenário de Criciúma, em 1980, primeiro mandato do ex-prefeito Altair Guidi, pai de Ricardo. 

Foi a primeira grande festa popular da cidade, que deflagrou o processo para o resgate da cultura das etnias colonizadoras.

 

Fila de banco

O sindicato dos bancários foi na câmara pedir que os vereadores votem contra o projeto encaminhado pelo prefeito Clesio Salvaro que pretende revogar a lei que determina tempo máximo de espera nas filas de lotéricas.

Mas, deveriam ter ido junto todos os clientes e usuários. Porque trata-se de direito adquirido. Não faz sentido mudar.

 

Redução do crime

Governador Eduardo Moreira e o secretário de segurança, Alceu Ponto Junior, apresentaram ontem dados que apontam para redução nos indices mais expressivos de violência e criminalidade no estado.

E anunciaram uma meta ousada - Santa Catarina vai se tornar o estado mais seguro do país ate 2023.

Entre os indicadores mais relevantes estão as quedas de 14,9% no número de homicídios; 30,8% em roubos e queda de 55,4% em roubo/furto à instituição financeira.

 

4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16