Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
João Nassif
Por João Nassif 24/03/2021 - 06:00

Apesar de algumas Confederações já terem partidas disputadas pelas eliminatórias, a pandemia suspendeu o calendário e agora retorna, mesmo que precariamente para a disputa efetiva visando o Mundial do Catar em 2022.

As duas principais Confederações filiadas à FIFA são inegavelmente a CONMEBOL (Confederação Sul-Americana de Futebol) e a UEFA (União Europeia de Futebol). 

A CONMEBOL já realizou quatro rodadas em 2020 e tem o Brasil como líder com 100% de aproveitamento. A Argentina vem em segundo com 10 pontos e o Equador em terceiro com nove.

A quantidade de jogadores convocados para as seleções da América do Sul é enorme, a maioria joga na Europa e como os clubes europeus não permitiram a viagem de seus jogadores, a FIFA cancelou as duas rodadas que estavam programadas para este mês. A seleção brasileira jogaria contra a Colômbia hoje em Bogotá e contra a Argentina dia 30 no Recife.

Já na Europa, como o deslocamento é mais fácil os locais dos jogos possam ser alterados de acordo com os protocolos sanitários de cada país as duas primeiras rodadas das eliminatórias estão confirmadas. Pelo número de seleções (55) e a quantidade de jogos as partidas serão realizadas de hoje, dia 24 até o próximo dia 31.

As outras Confederações terão jogos neste final de mês. A FIFA pretende encerrar as eliminatórias até o final de 2021.

João Nassif
Por João Nassif 23/03/2021 - 06:00Atualizado em 23/03/2021 - 07:13

Depois do comentário que fiz ontem abordando conceitos de futebol, recebi de uma fonte digna de confiança e que está muito bem-informada das ações promovidas pelo departamento de futebol do Criciúma EC que o momento atual era esperado, que alguns tropeços fazem parte do jogo e que tudo foi preparado para uma grande temporada.

o disse, confio na fonte, então passo neste momento a dar crédito ao que ouvi e fico na esperança de que o caminho está bem pavimentado e que o time irá rapidamente mudar o rumo, chegar às vitórias e devolver a alegria a seus torcedores um pouco indignados pelos resultados obtidos até agora.

 

O jogo contra o Brusque é crucial para definir o futuro no campeonato, a penúltima colocação é indigesta e pelo seu histórico a necessidade da vitória para aliviar a pressão, principalmente interna e que todos possam trabalhar com tranquilidade na busca dos resultados.

Então vamos combinar, depois de muito tempo o Criciúma voltará a honrar suas tradições e conquistas. É o que espero e certamente a totalidade de seus fanáticos torcedores.    
 

João Nassif
Por João Nassif 22/03/2021 - 06:00Atualizado em 22/03/2021 - 07:12

A montagem de um plantel de futebol tem muito a ver com o conceito do clube e com a execução do treinador de plantão.

O Criciúma em reconstrução ainda não tem um conceito definido por isso apostou em Hermerson Maria que tem uma forma definida de jogar que mostrou nas equipes por onde andou em tantos anos à beira do campo. 

Hemerson Maria é um organizador defensivo e sua aplicação no Criciúma até se entende por ser obrigado a dar uma resposta rápida e formar um plantel com apenas dois remanescentes da temporada anterior. Mesmo com o péssimo início em se tratando de resultados, sofreu apenas quatro gols em cinco jogos que disputou em 2021. Boa média.

Agora em termos ofensivos o time do Hemerson Maria é um desastre. Marcou apenas um gol na temporada e não conseguiu dar um mínimo de padrão para se encontrar com as vitórias. Isso que jogou contra equipes, como por exemplo. Marília e Figueirense que com todo respeito teriam dificuldades para se classificar em qualquer competição do futebol amador. Média ridícula.

Não interessa o nível dos adversários, mas a forma cautelosa até covarde como o Criciúma enfrenta este tipo de adversário é que é inconcebível. Um mínimo de leitura sem muita profundidade fica logico que adiantando o time para marcar em cima e usufruir da falta de qualidade dos adversários que erram dezenas de passes poderia fazer o time sair desta síndrome de abstinência de gols e ter mais confiança em seu futuro.

E aí coloco outra questão. O time tem capacidade e qualidade para ser ofensivo? Se não tem, o técnico tem que buscar alternativas, que afinal é o único responsável.

Mas, clube que não tem conceito de time sempre vai sofrer com os resultados negativos.

Segurar um empate em Marília até se compreende, pois lhe dava o direito da classificação, mas não agredir o Figueirense é inadmissível.   

João Nassif
Por João Nassif 19/03/2021 - 06:00Atualizado em 19/03/2021 - 08:11

Quem acompanhou o jogo de ontem deve ter pensado que o Marília é um time em extinção. Fazia tempo que eu não via algo tão horroroso numa equipe que não conseguia acertar passes laterais de dois metros, que tentava uma bola vertical e entregava nos pés dos jogadores do Criciúma, passes sem coordenação para fora do campo, e por aí vai. Podem imaginar qualquer situação de calamidade técnica e ainda será pouco pelo visto ontem no Espírito Santo.

E agora? O que dizer do Criciúma. Tem nível um pouco melhor, mostrou uma estratégia de jogo que priorizou em todos os momentos o setor defensivo para garantir o empate e a classificação. 

Foi de uma covardia exemplar na parte final do jogo quando permitiu que o Marília fizesse a pressão desesperada para conquistar a vaga. O técnico Hemerson Maria que me desculpe, mas ficar retrancado contra este tipo de adversário é inconcebível. Mesmo com todo espaço para pressionar o Marília foi totalmente impotente para ameaçar o empate que o Criciúma defendeu com muita galhardia.

Se o Marília é vice-líder da A-3 paulista fico imaginando o resto. O Criciúma de novo sem fazer gols, é o terceiro jogo seguido na temporada e mostrou ontem porque é o lanterna do campeonato catarinense.

Mas, classificou e garantiu mais de R$ 1,2 milhões de cota e agora espera pelo calendário marcar o jogo contra a Ponte Preta pela segunda fase da Copa do Brasil. Afinal era o que interessava no momento.
 

João Nassif
Por João Nassif 18/03/2021 - 06:00

Desde 2012 0 Criciúma disputa ininterruptamente a Copa do Brasil. Portanto, hoje à tarde no Espírito Santo vai para sua 10ª edição consecutiva.

A CBF mudou em 2017 o regulamento do torneio que em sua primeira fase é disputada em jogo único com o visitante tendo o privilégio do empate. Para se apurar quem visita quem, é usado o Ranking de Clubes da Confederação.

No ano da mudança do regulamento, o Criciúma enfrentou na primeira fase o Santo André em São Paulo e venceu por 1x0. Na segunda fase foi definido por sorteio o local do jogo e o Criciúma jogou em casa contra o Altos-PI, empatou e venceu nos pênaltis. Foi em seguida eliminado pelo Fluminense.

Em 2018 passou pelo São Caetano na primeira fase no interior de São Paulo e foi eliminado na segunda, derrotado pelo Cianorte no Heriberto Hülse.

Em 2019 derrotou o São Raimundo do Pará fora de na primeira fase, derrotou em casa o Oeste na segunda e na sequência foi eliminado pela Chapecoense.

E em 2020 caiu na primeira fase, goleado em São Paulo pelo Santo André por 4x1.

Resumindo nas quatro edições neste novo formato de Copa do Brasil o Criciúma ultrapassou a primeira fase em três oportunidades.

Agora o desafio é o Marília que por força das restrições no Estado de São Paulo não poderá jogar em seu estádio. Mas o visitante é o Criciúma que tem a teórica vantagem de jogar pelo empate.

Houve desgaste das duas equipes que programaram o primeiro jogo em Marília, houve o veto e a CBF marcou para Varginha-MG que também foi vetada pelo governo mineiro e a solução foi Cariacica, cidade da grande Vitória-ES. 

O Marília é o segundo colocado com 07 pontos em três rodadas na A-3 paulista, correspondente a terceira divisão, enquanto o Criciúma, também em três rodadas é o lanterna do campeonato catarinense com apenas um ponto ganho.

Mais do que o aspecto técnico é de vital importância a questão financeira, o Criciúma tem como cota R$ 560 mil pela participação no torneio, se ultrapassar o Marília garantirá mais R$ 675 mil, que convenhamos seria importantíssimo para as receitas do clube.
 
 

João Nassif
Por João Nassif 17/03/2021 - 06:00Atualizado em 17/03/2021 - 07:30

Não vou entrar no mérito, mesmo porque não entendo absolutamente nada do que hoje atinge a população mundial. O vírus, a pandemia, a vacina, o tratamento preventivo, tratamento precoce, produtos essenciais ou não essenciais. Só sei que evito aglomerações, uso máscara e tento me proteger com álcool em gel e outros componentes que podem fazer com que eu evite o contágio.

Agora, falando sobre esta polemica do futebol que tem seus dirigentes no desespero para cumprir o calendário, continuo entendendo menos ainda. Por onde anda o vírus? Quais o ponto em que ele mais atua? Qual o horário em que ele ataca e contamina as pessoas?

As autoridades, secretários de saúde não conseguem uma ação uniforme no combate, cada qual faz o que lhe dá na telha. Fecham os restaurantes, mas deixam o transporte público abarrotado. Não pode ir à praia, mas pode aglomerar nas portas dos bancos. E tem o fecha hoje e abre em 15 dias, tem o fecha no final de semana e abre na segunda-feira e por aí vai.

O futebol, até penso que deveria ser paralisado até a situação se acalmar, passa pelas mesmas questões. Uns proíbem todos os jogos em seus estados e permitem treinamentos nos CTs.

Outros permitem jogos entre times do estado, mas vetam jogos de outras Federações. E outros estão completamente abertos para qualquer competição de outros estados.

É um balaio de gatos, não há uniformidade no combate ao vírus, por isso passamos quase toda a semana discutindo se CBF e Federações têm razão quando apresenta seus protocolos.

E não vamos nos esquecer das questões políticas que estão prevalecendo e levando a população à morte, seja pelo vírus ou pela fome por gestores que estão feito aquela barata tonta quando atravessa um galinheiro ou não, apenas fazendo politicagem.

E depois de Marília e Varginha o Criciúma vai jogar amanha em Cariacica, a menos que o governador do ES ou o prefeito da cidade mudem de ideia nas próximas 24 horas.

E durma-se com uma confusão dessa! 

João Nassif
Por João Nassif 16/03/2021 - 06:00Atualizado em 16/03/2021 - 07:25

O Criciúma vai começar a 21ª participação na Copa do Brasil. Será a 10ª presença consecutiva no segundo maior torneio em importância no país.

Ficará eternamente na lembrança de todos a campanha campeã de 1991 e a quase final no ano anterior. Tem sido motivo de glória e reconhecimento por todo país, o primeiro time do interior do Brasil campeão do torneio.

Eram outros tempos, tempos que deixaram saudades pelas conquistas dos campeonatos estaduais, da participação na Libertadores e tudo que os torcedores poderiam sonhar de um time que começou modesto e se tornou o maior da história do clube.

Me vieram à lembrança estes momentos de glória que sofreram interrupção com uma ou outra campanha digna de registro como a série B de 2002, a série C de 2006 e porque não o campeonato estadual de 2013, último título na história do clube.

Lá se vão sete temporadas de fracasso e insucessos e o momento é de poucas perspectivas numa temporada que será exigente ao extremo, principalmente se falarmos da obsessão de todos para o acesso à segunda divisão do futebol brasileiro.

O início desta temporada é preocupante, pois mesmo com todo tempo de treinamento pelo calendário absurdo do futebol brasileiro que se estende pelo catarinense açoitados pela pandemia o time não evoluiu deixando um rastro de dúvidas com relação ao futuro.

O futebol tem lá suas surpresas, mas vejo como difícil neste momento uma evolução que possa dar confiança numa reviravolta e o retorno de Varginha com um resultado positivo e um pouco mais de receita para fechar um orçamento que tem influência direta na montagem de um time vencedor. 


 

João Nassif
Por João Nassif 15/03/2021 - 06:00Atualizado em 15/03/2021 - 07:11

No futebol uma sequência de resultados negativos, mesmo em início da temporada gera uma crise com final previsível, normalmente a queda do técnico e a quebra de um trabalho que poderia ser promissor.

Dito isso, o Criciúma deslocou seu staff do futebol até a sala de imprensa do Heriberto Hülse para dar satisfação aos torcedores, logo após a derrota para a Chapecoense, a segunda em três jogos e a confirmação da lanterna do campeonato.

Mas, foi muito mais para avisar que o trabalho continua como foi projetado e que no futuro a situação vai melhorar pela confiança depositada na forma planejada. Afinal todos estão trabalhando para recolocar o Criciúma num caminho vitorioso.

Falou o técnico Hermerson Maria, com a sobriedade e caráter de sempre, blindando os jogadores, demonstrou sua confiança no grupo, vai continuar testando garotos da base e formar um grupo vencedor.

Depois o vice de futebol Waldeci Rampinelli, com exemplos pontuais de como formatar um grupo afirmando que confia no trabalho e pedindo calma à torcida. 

E finalmente o gerente de futebol Giuliano Bitencourt que insistiu em afirmar que tudo está no caminho certo.

A medida para abafar uma eventual crise foi importante, pois evita especulações e dá a noção exata de como os dirigentes estão encarando este início de temporada. O título catarinense é hoje uma hipótese que me parece inviável, mas a temporada não para por aí. 

Já quarta-feira o time tem um grande desafio com um jogo decisivo pela Copa do Brasil. Uma vitória será fundamental para um alívio de caixa, pois o orçamento é curto para 2021. E depois vem o campeonato brasileiro, grande alvo do clube na temporada pelo tão desejado acesso.

Os desafios são enormes, mas para superá-los o time terá que reagir. Da forma como começou e as perspectivas apesar do otimismo não sugerem um ano de pouca turbulência e mostra dificuldades para que o objetivo maior seja alcançado.


 

João Nassif
Por João Nassif 13/03/2021 - 14:36Atualizado em 13/03/2021 - 14:36

O Figueirense, um dos maiores clubes de futebol de Santa Catarina afogado em dívidas entrou com pedido de recuperação judicial na Vara competente de Florianópolis, pedido que foi negado no dia seguinte pelo juiz Luiz Henrique Bonatelli.

O magistrado apontou que o Figueirense é uma associação sem fins lucrativos e por isso não se enquadra no pedido. O clube solicitava uma paralisação de 30 dias na execução da dívida, sob risco de falência.

O Figueirense é o clube com 18 títulos do campeonato estadual, o maior vencedor. O Figueirense é o clube de Santa Catarina que mais jogou a série A do campeonato brasileiro com 11 participações. Não teve nenhum título relevante no futebol brasileiro, apenas foi em 2008 campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Tem um estádio, o Orlando Scarpelli, com capacidade para quase 20 mil espectadores, um bom CT e uma torcida fanática e algumas vezes violenta como uma parcela de torcedores espalhados pelo país.

Infelizmente um clube da grandeza do Figueirense não teve diretores competentes que pudessem administrar o clube com uma gestão profissional e compatível com os parâmetros normais do bom gerenciamento.

A dívida é monstruosa, R$ 165 milhões, com uma folha de pagamento na ordem de R$ 330 mil, certamente impossível de ser quitada, pois hoje o clube é série C do campeonato brasileiro. 

Receitas quase nenhuma, o plano de sócios sofreu com a proibição de torcida no estádio, enfim o cenário é o pior possível e poderemos ter nos próximos dias W.O. nos jogos e o fim fica logo aí.

Tags: Figueirense

João Nassif
Por João Nassif 12/03/2021 - 06:00Atualizado em 12/03/2021 - 07:16

São tantos decretos, lockdown, atividades essenciais e não essenciais, as idas e vindas do futebol que passei quase toda semana comentando as possiblidades de jogos, suas alterações e parece que agora temos uma definição.

Espero que seja por completo e não embaralhem ainda mais a cabeça do comentarista.

Assim como prometi não mais emitir opinião sobre a volta do futebol, gostaria de não mais comentar sobre cancelamento e/ou adiamento de jogos tanto do campeonato estadual como da Copa do Brasil.

Gostaria também de comentar sobre os jogos, com a bola rolando e avaliando a capacidade do Criciúma na disputa do campeonato catarinense e na Copa do Brasil.

Seria ótimo se fosse confirmado para domingo Criciúma x Chapecoense aqui no Heriberto Húlse e Marília x Criciúma pela Copa do Brasil em qualquer estádio do país.

O Criciúma está fazendo uma campanha modesta com um empate e uma derrota e a Chapecoense vem de duas vitórias e uma derrota, ontem venceu o Avaí em Itajaí.

A paralisação deu um tempo a mais para que Hemerson Maria melhorasse o padrão do time que foi muito mal nos dois primeiros jogos, foi um time confuso com poucas alternativas, uma defesa insegura que comprometeu os resultados.

Se o técnico soube aproveitar bem este tempo a mais, poderemos ter um Criciúma modificado e a possibilidade de uma reação na competição.

Enquanto isso, fico na torcida para que as autoridades produzam seus decretos de forma coerente zelando acima de tudo pela saúde de todos envolvidos com o futebol e com a sociedade brasileira.
 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2021 - 11:26Atualizado em 11/03/2021 - 11:29

O governo do Estado de São Paulo comunicou o presidente do TJD paulista que o campeonato paulista será paralisado a partir do final de semana. A informação será confirmada pelo governador João Doria numa entrevista coletiva no começo da tarde desta quinta-feira.

As informações são do Globo Esporte.

O secretário geral da CBF, Walter Feldman afirmou na quarta-feira que partidas da Copa do Brasil marcadas para estados com restrições seriam disputadas em local onde não há proibição da realização de partidas. 

Pelo decreto do governo paulista o jogo do Criciúma em Marília está cancelado, a CBF deverá marcar outro local para que a partida seja realizada. 
 

João Nassif
Por João Nassif 11/03/2021 - 06:00Atualizado em 11/03/2021 - 07:59

A CBF bateu o martelo e amparada por decisão da reunião geral virtual que aconteceu na noite de ontem com os representantes de clubes de todas as quatro séries do campeonato brasileiro confirmou a realização das competições sob sua responsabilidade.

Os clubes se mostraram favoráveis para o prosseguimento dos campeonatos estaduais e garantiram seguir todos os protocolos contra COVID-19.

O presidente da entidade Rogério Caboclo usou como base o fato de terem sidos realizados mais de 80 mil testes e taxa de positividade de 2,2%.

A CBF banca testes de 23 atletas e treinador para cada partida, mas não se definiu de que forma se tomarão medidas com relação aos funcionários envolvidos no departamento de futebol que não passam por testagens tão constante quanto atletas e treinadores.

A Federação Catarinense, no embalo da CBF, publicou um dossiê que tem como título “O futebol não é vilão”.

A entidade questiona os decretos municipais em algumas cidades de Santa Catarina que contém lockdown, restrições e proibições das mais diversas.

Faz parte do dossiê o elevado número de testes com um grupo grande de pessoas. No total são quase 11 mil testes realizados em 2020 nos jogos dos campeonatos das três divisões catarinenses.

Afirma que por partida são realizados perto de 100 testes, pois cada clube vai para o jogo com uma delegação de 30 pessoas, contando também com equipe de arbitragem, gandulas, profissionais da saúde e da imprensa.

Cita também o lado social com inúmeras famílias dependendo do futebol para seu sustento.

CBF, Federação Catarinense, cada qual a seu modo buscaram sensibilizar as autoridades para permitir a volta do futebol sem interrupções. A CBF já conseguiu dar sequencia a Copa do Brasil e começar em maio seus campeonatos brasileiros. A FCF depende ainda de negociar com alguns prefeitos a revogação dos decretos que impedem jogos em algumas cidades.

O COVID-19 avança assustadoramente em Santa Catarina e em grande parte do país, as vacinas estão chegando e para o bem do futebol uma regressão na curva da pandemia seria o ideal. 

Tags: CBF FCF COVID-19

João Nassif
Por João Nassif 10/03/2021 - 06:00Atualizado em 10/03/2021 - 09:59


Está novamente bagunçado o calendário do campeonato catarinense. Com a proibição de jogos em várias cidades a FCF tem que fazer verdadeira magica para remanejar os jogos marcados para cidades que proibiram jogos nos estádios com clubes na série A da competição.

Estão liberados jogos em Brusque, Concórdia, Itajaí e Ibirama, caso o Metropolitano que consiga a liberação no Hermann Aichinger. Nas outras praças, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville e Tubarão os decretos dos respectivos prefeitos proíbem a realização de jogos.

São quatro jogos que não foram realizados até aqui. Pelo fato da tabela do campeonato ter sido alterada para que a quarta rodada seja realizada daqui a 10 dias, o próximo final de semana será usado para os jogos adiados, três confirmados e um ainda em aberto.

Está em aberto Criciúma x Chapecoense que  a FCF marcou para Jaraguá do Sul, Acontece que o João Marcatto somente será liberado dia 15 e o Criciúma tem estreia marcada em Marília dia 17 pela Copa do Brasil.

Os demais Chapecoense x Avaí está marcado para o dia 11 em Itajaí. Joinville x Marcílio Dias também para o dia 11 em Brusque e Metropolitano x Joinville dia 13 também em Brusque.

Esta era a posição da tabela do campeonato até a noite de ontem. Pode ser que hoje tenhamos novidades e a mais esperada virá de São Paulo, pois a possibilidade de fechar tudo é grande. 

O futebol argumenta se a atividade que mais obedece aos protocolos com teste quase que diariamente nos atletas e agregados. Agora não deixa de ser estranho, os decretos proíbem jogos, mas liberam treinamentos onde o contato é o mesmo das partidas. 


 

João Nassif
Por João Nassif 08/03/2021 - 06:00Atualizado em 08/03/2021 - 08:02

QUARTA FEIRA DIA 03/03 - O prefeito de Chapecó, João Rodrigues, ganhou as manchetes quando baixou decreto proibindo jogos da Chapecoense na Arena Condá pela situação caótica do município em razão da pandemia.

QUINTA-FEIRA DIA 04/03 – O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro entrou na onda e proibiu Criciúma e Chapecoense quinta-feira no Heriberto Hülse pela terceira rodada do campeonato. 

SEXTA-FEIRA DIA 05/03 - A Federação reuniu os clubes num Conselho Arbitral e remarcou Chapecoense x Avaí para o próximo dia 11 em Concórdia e Criciúma x Chapecoense para o dia 14 em Jaraguá do Sul. Só lembrando que o jogo Chapecoense x Avaí pela primeira rodada foi adiado por falta de ambulância em Chapecó.

SÁBADO DIA 06/03 – O prefeito de Chapecó revogou o decreto e autorizou Chapecoense x Avaí para a Arena Condá. Acontece que o jogo foi marcado para Concórdia pelo Conselho Arbitral e não pode ser alterado a revelia do Conselho.

A pressão das forças do futebol foram fortes e rapidamente reverteram a situação, dando a impressão de que em Chapecó o COVID-19 está sob controle.

João Rodrigues, velho político jogou para a torcida, por isso vai e vem de acordo com a conveniência. Como Clésio Salvaro foi na pilha do João Rodrigues, também deverá revogar seu decreto.. 

João Nassif
Por João Nassif 06/03/2021 - 13:04Atualizado em 06/03/2021 - 13:07

Tenho sido uma voz entre muitas que não gostariam da continuidade do calendário do futebol brasileiro. Sei de todas as implicações que uma paralisação traria problemas sociais e de comprometimento das finanças dos clubes.

Como tenho recebido diversas manifestações favoráveis ao prosseguimento do calendário, inclusive de clubes e da própria Federação Catarinense resolvi fazer deste post o último relacionado a este assunto.

Mas, para deixar mais uma vez clara minha opinião, vou reportar uma Nota Oficial emitida pelo Atlético Goianiense com um forte apelo para a continuidade, invocando ser o futebol uma das poucas atividades que monitora com grande frequência seus componentes e ajudam evitar a propagação do vírus. 

Diz a Nota: 
05/03/2021
A grande vantagem que temos diante da pandemia de Covid-19 é a ciência. O Atlético Goianiense acredita convictamente na ciência e, por isso, o clube reitera que não há local mais seguro que o ambiente do futebol.

Controle

Semanalmente atletas e staff são testados pelo menos duas vezes, com controle interno de infectados e profissionais que apresentam qualquer tipo de sintoma. Do ponto de vista científico o futebol brasileiro não contribui para propagação do vírus, já que existe o controle de todos os envolvidos em treinamentos e jogos.

Sob responsabilidade dos clubes, os atletas ficam restritos e sob aporte do ambiente de trabalho, com orientações de médicos, nutricionistas, fisioterapeutas e psicólogos que ajudam os profissionais no dia a dia. Com a paralisação do futebol, perderemos a oportunidade de monitorar todos os envolvidos e, com isso, a tendência é um aumento do número de casos de infecção pelo vírus.

Atualmente os clubes de futebol estão muito mais preparados para lidar com a situação em referência ao ano passado. O futebol serve de exemplo para todos, já que se as pessoas fossem testadas da maneira que os clubes atualmente testam seus jogadores, o país estaria melhor resguardado.
Questão econômica

Caso o futebol seja suspenso novamente, os clubes estarão comprometidos do ponto de vista financeiro, sufocando suas folhas salariais e, inevitavelmente, demissões e suspensões de contratos serão concretizadas. São profissionais das áreas administrativa, comercial, serviços gerais, cozinha e, com certeza, do departamento de futebol profissional e de formação de atletas, que estão sob risco de perderem os seus empregos.
Torcida

Já são quase 12 meses sem a presença das torcidas nos estádios de futebol. É importante frisar que o futebol é a grande paixão do brasileiro e, por isso, é grande incentivador para que as pessoas busquem ficar em casa para acompanhar seus clubes do coração. Isso ajuda os governos a manter as famílias isoladas dentro de casa.
Conclusão

Posto todos os pontos, o Atlético Goianiense reitera a sua posição de ser frontalmente contra a paralisação do futebol. O clube entende que o momento exige maiores cuidados, entretanto, também exige atitude firme de todos os envolvidos. O futebol se mostrou um ambiente seguro e que deve ser o exemplo para toda a sociedade no controle e combate a pandemia.
 

Atlético Clube Goianiense
Diretoria

O clube goiano é a favor do “fique em casa”, fazendo coro a governantes que impedem as pessoas de trabalhar. Pela Nota o futebol mantém empregos e salários, não importa o povo. Sou totalmente contra o FICAR EM CASA e não falo mais nisso.
 

Tags: Atlético-GO

João Nassif
Por João Nassif 05/03/2021 - 06:00Atualizado em 05/03/2021 - 10:34

A paralisação dos campeonatos catarinense, paranaense e cearense devido a COVID-19 colocou uma questão relevante sobre o andamento e o encerramento dos campeonatos em todo país.

A CBF ainda não se manifestou, inclusive divulgou a tabela da Copa do Brasil com 40 jogos na primeira fase e resultou num debate sobre a paralisação de todo futebol brasileiro que ganhou proporções após as declarações do técnico Lisca que fez um apelo aos dirigentes para interromper a Copa do Brasil.

O presidente da Comissão Nacional de Combate e Prevenção à violência nos estádios, comissão do MP quer a suspensão de todas as competições nacionais como medida para conter o avanço da COVID-19. O Ministério Público vai recomendar que a CBF suspenda todos os jogos de futebol no Brasil.

A Comissão entende que o futebol não é atividade essencial. As atividades essenciais constam nos decretos estaduais. A CBF ainda não se manifestou. Estas são as informações de ontem.

Agora minha opinião. 

A CBF tem tratado o futebol como uma atividade isolada e se apega nos protocolos que segundo ela estão sendo respeitados por todos os clubes na prevenção. 

O que temos visto desde que a pandemia foi decretada é que vários clubes sofreram com surto da COVID-19 e foram obrigados a jogar, portanto não vejo como a entidade mudará sua postura. Somente se obrigada por governadores e prefeitos como aconteceu em Santa Catarina.

Pelo calendário do futebol brasileiro nos primeiros meses do ano são disputados os campeonatos estaduais, Copa do Brasil, Copa do Nordeste e mais início da Libertadores, da Sul-Americana e as eliminatórias para a Copa do Mundo.

Mexer neste calendário é problema, mas o potencial de entidades contrárias pode fazer com que o futebol seja interrompido.

João Nassif
Por João Nassif 04/03/2021 - 06:00Atualizado em 04/03/2021 - 07:49

Quando a pandemia foi decretada em março do ano passado as competições de todos os calendários estavam em pleno andamento. Houve paralisação de todas as competições e o mundo esportivo ficou na expectativa de seu reinício o que aconteceu seis meses após.

A fase final da Champions League foi toda disputada em Portugal e os atletas confinados numa bolha com rigoroso esquema de segurança sanitária. O Mundial de Clube da FIFA realizado no Catar também foi realizado dentro de uma bolha.

Na NBA houve o mesmo procedimento. As equipes foram para a zona de isolamento em Orlando na Flórida com regras criadas pela entidade com investimento de U$ 170 milhões. Foram disputadas as partidas finais da fase regular em todos os play-offs no ESPN Wide World of Sports Complex.

Tanto na Champions como na NBA e certamente em outros esportes as bolhas foram criadas para proteção total aos jogadores e agregados.

Num campeonato regular de futebol é impossível que sejam criadas bolhas para as disputas. Campeonatos brasileiros e os estaduais não podem jogar em bolhas que ficam inviáveis do ponto de vista financeiro.

 

Por isso, especificamente aqui no Brasil tanto a CBF como as Federações criaram protocolos de segurança que nem sempre são seguidos pelos clubes e principalmente pelos atletas.

Por isso é que temos a informação quase que diariamente de clubes com surtos do COVID-19, o desfalque em vários jogos e até a impossibilidade de colocarem os times em campo pelo grande número de jogadores positivados.

O bom senso manda ir-se alterando o calendário, mas como esperar bom sendo daqueles que organizam o futebol brasileiro?
 

João Nassif
Por João Nassif 03/03/2021 - 18:00

A iniciativa foi do prefeito de Chapecó, João Rodrigues cancelando por 15 dias jogos do campeonato catarinense na Arena Condá. Um telefone e o prefeito de Criciúma seguiu o mesmo procedimento e cancelou no Heriberto Hülse.

No arrastro do relator todos os prefeitos de cidades com clubes no campeonato catarinense decretaram o cancelamento dos jogos a partir de amanhã, por no mínimo 15 dias. Quer dizer, o campeonato estará suspenso por este período, mesmo com a relutância da Federação e da Associação de Clubes.

No momento em que Santa Catarina passa por sua maior crise em razão da pandemia precisou que os prefeitos tomassem as medidas necessárias com a omissão dos organizadores do campeonato.
 

João Nassif
Por João Nassif 03/03/2021 - 06:00Atualizado em 03/03/2021 - 15:04

No sorteio de ontem da Copa do Brasil deu Marília como adversário do Criciúma na estreia do torneio. Pelo sistema organizado pela CBF os jogos foram divididos em 10 chaves na primeira fase, na segunda os confrontos serão entre os vencedores da primeira e os dois vencedores de cada chave, 20 clubes no total cruzarão com os 12 pré-classificados e na terceira fase começarão os mata-mata.

Caso o Criciúma ultrapasse o Marília em jogo no interior de São Paulo enfrentará o vencedor de Gama x Ponte Preta. Pelo regulamento o Criciúma jogará pelo empate contra o Marília e caso se classifique na segunda fase havendo empate a decisão será por pênaltis.

O time do Hemerson Maria terá a vantagem do empate para ultrapassar a primeira fase, vale lembrar que na edição 2020 o Criciúma também tinha a vantagem do empate, mas sucumbiu frente ao Santo André derrotado fragorosamente por 4x1.

Nova competição, vida nova. Para conseguir avançar o Criciúma terá que melhorar muito pelo futebol que vem jogando. Ainda não está definido quando será a partida, dia 10 ou 17 deste mês, por isso a necessidade de uma reviravolta na forma de atuar que tem sido muito ruim neste início de campeonato estadual.

João Nassif
Por João Nassif 02/03/2021 - 06:00Atualizado em 02/03/2021 - 10:39

Amanhã terá início a Copa do Brasil-2021. Durante a tarde na sede da CBF haverá o sorteio para a primeira fase com 80 clubes divididos, pelo ranking da entidade, em oito potes. Os melhores ranqueados serão colocados nos potes A, B, C e D e os demais nos potes seguintes.

Santa Catarina terá seis clubes no torneio, Avaí, Criciúma, Figueirense, Brusque e Joinville, além da Chapecoense que entrará somente na terceira fase por ter sido campeã da série B do Brasileirão 2020. 

O sorteio terá os clubes colocados nos quatro primeiros potes, enfrentando os colocados nos potes E, F, G e H. O sorteio será direcionado para os clubes do pote A enfrentarem os do pote E, os do B contra os do F e por aí vai.

O Criciúma estará colocado no pote C e irá enfrentar um dos clubes colocados no pote G que são os seguintes: 4 de Julho-PI, Atlético de Alagoinhas-BA, Uberlândia-MG, Cascavel-PR, Juventude-MA, Madureira-RJ, Goianésia-GO, Marília-SP, Rio Branco-ES, faltando definir se Esportivo-RS ou Santa Cruz-RS disputarão o torneio.

Por estar mais bem colocado no ranking, o Criciúma jogará a primeira fase contra um dos clubes do pote G em jogo único e de acordo com o regulamento terá a vantagem do empate. 

A Copa do Brasil terá sua primeira rodada na próxima quarta-feira, dia 10 e o complemento no dia 17.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13