Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/09/2021 - 07:36Atualizado em 01/09/2021 - 07:36

Quando você contrata uma construtora para a execução da sua casa, transfere a responsabilidade para que a empresa transforme o seu sonho em realidade, pois é ela que passa a ser fiscal da obra. 

Na gestão pública, acontece mais ou menos assim. O projeto é da comunidade e região até que o compromisso seja assumido pelo poder público. 

Na semana passada, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, fez um roteiro para anunciar um pacote de obras no Sul do estado, de R$ 350 milhões. Nunca antes foi liberado um volume tão expressivo de uma vez só.

As obras que estavam paradas faz anos, vão sair do papel e serão retomadas devido a esse investimento histórico. 
 

Ouça o áudio completo na íntegra: 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/08/2021 - 18:41Atualizado em 31/08/2021 - 19:19

Conversamos ontem no programa Parlatório com o senador Esperidião Amin (PP) que deixou claro que o PP tem dois pré-candidatos a governador e os dois são do Sul: Joares Ponticelli e Jorge Boeira.

Ponticelli dá sinais que está fora do jogo. O Boeira está animado, articulando, se mexendo. 

Percebemos que o Esperidião deu uma inflada na candidatura do Boeira, Dependendo do entendido do Boeira com o Ponticelli, se chegarem juntos na reunião do PP no dia 13, se o Sul chegar fechado com a  candidatura do Boeira, ela será formalizada.
A candidatura do Sul, que antes era em torno do Salvaro, pode convergir para o Boeira.

Já a bancada do MDB recebeu hoje o Antídio Lunelli, que “fez carinho", prometeu apoio e saíram da reunião com boa relação. Até que ponto isso segura o Antídio até as prévias não, se cabe, até porque outros partidos assediam o Antídio para ser candidato a governador no ano que vem.

Informação de ontem à noite, a negociação da Jorge Lacerda fechada pela Engie é uma boa notícia para a economia do Sul de  Santa Catarina.

Ninguém investe em um um negócio quebrado, ainda mais um fundo de investimento internacional. Se a FRAM Capital fechou o negócio fazendo condicionantes e assina o contrato, é porque as coisas estão bem encaminhadas. Boa notícia para a indústria do carvão.
O que fica disso é que é  fundamental que se aproveite este novo tempo para identificar uma nova alternativa ao carvão, mas esta é uma conversa para ser levada com mais tempo.

Para finalizar: o projeto do Estado que destina recurso para a  Serra da Rocinha será protocolado amanhã na Alesc. A obra poderá ser retomada com dinheiro do Estado porque o Federal cortou tudo que tinha neste  ano para a BR-285. Pelo menos é um alento. Ruim para o Governo Federal. Ruim para o Sul, mal cotado no Governo Federal.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/08/2021 - 17:49Atualizado em 31/08/2021 - 18:00

Será protocolado hoje na Assembleia Legislativa, projeto do governador Carlos Moisés aprovar investimentos do Estado nas obras da rodovia federal BR-285, na Serra da Rocinha.

O aporte previsto será de R$ 15 milhões, confirmando o que havia sido antecipado pelo próprio governador, semana passada, na agenda que cumpriu no Sul.

O governador Moisés vai enviar para a Assembleia Legislativa o projeto de lei que autoriza o aporte de mais R$ 115 milhões para obras em  rodovias federais.

Serão R$ 100 milhões para os lotes 3 e 4 da duplicação da BR-470, no Vale do Itajaí, e R$ 15 milhões para a BR-285 até a divisa com o Rio Grande do Sul, na Serra da Rocinha.

Caso seja aprovado, o total a ser investido nas rodovias pelo Governo do Estado chegará a R$ 465 milhões, sendo R$ 300 milhões para a BR-470, r$ 100 milhões para a recuperação da BR-163, no Oeste, R$ 50 milhões para a duplicação da BR-280 e R$ 15 milhões para a BR-285.

O projeto de lei faz parte de um pacote de proposições que será entregue pelo chefe da Casa Civil, Eron Giordani, e pelo secretário da Infraestrutura, Thiago Vieira, e outros representantes do Executivo ao presidente da Alesc, deputado Mauro De Nadal.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/08/2021 - 15:47Atualizado em 31/08/2021 - 16:04

Prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, saiu motivado do encontro com a bancada estadual do MDB. Convidado para o almoço semanal dos deputados, manteve conversa animada e adiantou a disposição de seguir cumprindo roteiros regionais em contatos com as bases emedebistas. 

O convite ao prefeito foi feito pelo líder do MDB, deputado Valdir Cobalchini. Todos os parlamentares estavam presentes, a exceção da deputada Ada de Luca, que cumpre agenda em Brasília, representando a Procuradoria da Mulher da Alesc em encontro na Câmara dos Deputados, relativo aos 15 anos da Lei Maria da Penha.

Antídio aproveitou a agenda na Assembleia. Na saída do almoço com a bancada, encontrou o ex-governador Raimundo Colombo e aproveitou para estender a conversa. Depois visitou o gabinete do deputado Vicente Caropreso (PSDB), que é de Jaraguá do Sul. E do Palácio Barriga Verde saiu com hora agendada no Tribunal de Justiça, onde tinha audiência com o presidente do poder, o desembargador Ricardo Roesler.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/08/2021 - 07:46Atualizado em 31/08/2021 - 07:46

Vamos falar de desenvolvimento e do amanhã. Do crescimento: vamos falar da Via Rápida!

A rodovia será iluminada e trata-se de uma das maiores obras públicas, realizadas em Criciúma, Içara e na região, nos últimos anos. É uma utilidade pública comprovada desde o primeiro dia.

Não é uma coisa que foi acabada e agora será iluminada. É fundamental que o processo esteja sendo encaminhado e os serviços de iluminação sejam feitos. 

A Via Rápida será estendida, hoje termina na BR-101 e depois será estendida até a região dos lagos. O governador Carlos Moisés já divulgou e assumiu os recursos.

Ouça o aúdio completo na íntegra: 
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/08/2021 - 20:14Atualizado em 30/08/2021 - 20:17

A administração da ENGIE Brasil Energia, após aprovação do Conselho de Administração da Companhia, assinou hoje, 30 de agosto, o contrato de venda para a FRAM Capital do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo,  cuja capacidade anual instalada é de 857 MW.

A transação ocorre 6 meses após o início do período de exclusividade concedido à FRAM Capital para o processo de due diligence do ativo. O preço de aquisição de 100% da participação acionária da empresa controlada Diamante Geração de Energia, detentora do CTJL, será de até R$ 325 milhões, sendo que R$ 210 milhões serão pagos no fechamento da operação e R$ 115 milhões estão sujeitos ao cumprimento de determinadas condições previstas no Quota Purchase and Sale Agreement (QPA).

“A venda do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda possibilitará uma transição gradual para a economia da região Sul de Santa Catarina, reduzindo potenciais impactos socioeconômicos locais quando comparada a um processo de descontinuidade das operações”, disse Eduardo Sattamini, Diretor-Presidente e de Relações com Investidores da ENGIE Brasil Energia. A transação ainda requer cerca de 60 dias para ser concluída.

Atualmente, aproximadamente 90% da matriz da ENGIE no Brasil é renovável, proveniente de fontes de geração hidrelétrica, eólica, solar e biomassa. “O processo gradual de descarbonização do portfólio da ENGIE no Brasil está alinhado à estratégia global de acelerar a transição para uma economia neutra em carbono, direcionando investimentos para geração renovável e infraestrutura”, afirmou o Presidente do Conselho da Companhia e CEO da ENGIE no Brasil, Maurício Bähr.

Além da assinatura do contrato de venda do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, a Companhia também está recebendo propostas para a venda da Usina Termelétrica Pampa Sul, térmica a carvão situada no Rio Grande do Sul.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/08/2021 - 19:40Atualizado em 30/08/2021 - 19:46

O debate que acompanhei na Câmara de Vereadores sobre o caso do professor demitido e sobre as declarações do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) impressionou pela contundência do discurso. Muitos sem ter a ver com o que aconteceu na sala de aula.

Não conheço o professor. Nunca falei com ele nem com o seu advogado. Pelo que li, ele fez uma aula para falar de diversidade.

Aliados do prefeito se reuniram no palco e uma decisão tomada é fazer a defesa do prefeito pela postura, o assunto acabou sendo politizado.

O vídeo apresentado pelo professor é exagero? Mas se aquilo é exagero, é café pequeno perto dos Secos e Molhados na época da ditadura militar. Exagero aquilo? Mas é café pequeno perto da banheira do Gugu em TV aberta para todo mundo ver aos domingos.

O assunto teve um desvio de foco ruim e a definição de tudo foi o termo “viadagem”. Que foi exagerado. 

O professor fez uma aula sobre diversidade para alunos de 14 anos, não de oito. Querem incutir nos alunos que não é para conviver com os gays? Tem que ensinar que tem que conviver com todos.

O prefeito de Criciúma tem como seu candidato a presidente o único assumido gay que é o Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul.

A discussão mostra que a sociedade precisa realmente discutir mais sobre o assunto, sobre diversidade e respeito às pessoas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/08/2021 - 07:29Atualizado em 30/08/2021 - 07:29

Gostaria de continuar falando apenas de recursos passados na cidade, investimentos de obras e dados positivos. Mas o caso do professor demitido da Rede Municipal de Ensino, continua repercutindo. 

No meio desse tiroteio e em torno do caso, uma professora de rede pública, Marina Marina Borba Nakagaki, escreveu em sua rede social: 
 

Professor tem que dar a matéria de sua disciplina e pronto.

 

Ok. Vou dar alguns detalhes de alunos meus:

 

1. Minha aluna de 12 anos já havia visto 8 pessoas mortas, assassinadas, no bairro em que mora;

 

2. Minha aluna de 9 anos tinha que cuidar dos 4 irmãos menores, porque os pais se drogavam;

 

3. Meu aluno de 11 anos teve que filmar o irmão dele, adulto, matando um outro a pedradas;

 

4. Minha aluna de 14 anos, só esperava fazer 16 anos para poder parar de estudar, sem o Conselho Tutelar cobrar da família, pois os pais já concordavam com a ideia,

 

5. Minha aluna de 9 anos era molestada pelo padrasto;

 

6. 3 alunos (irmãos), menores de idade, viviam por conta, pois a mãe era viciada em crack.
*todos fatos reais de meus alunos.
Agora eu pergunto: professor tem que dar a matéria e pronto?
Fácil dar opinião, né?

Tem muita coisa a tratar se realmente estão preocupados com as nossas crianças. Aquele vídeo que o professor usou é perfumaria diante do mundo real e detalhe: falam em preservar as crianças, mas o clipe foi passado para adolescentes de 14 anos. Não eram crianças. O professor usou para falar sobre diversidade. 
 

Ouça o áudio completo na íntegra:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/08/2021 - 18:52Atualizado em 27/08/2021 - 19:27

Falamos em R$ 60 milhões liberados pelo governador Carlos Moisés em Criciúma, mas isso é só́ o conveniado com a prefeitura. No total chega a R$ 70 milhões.

Não lembro de um governador que deixou um montante como este em uma passagem.

Ele surpreendeu ao anunciar a duplicação da SC-108, obra de R$ 200 milhões, que deve lançar o edital de licitação em setembro em passagem por Cocal do Sul. Também  encaminhou a duplicação da SC-445, em Içara. Deixou R$ 60 milhões em Criciúma e a ordem de serviço do Centro de Inovação.

Moisés que é candidato à reeleição. Ontem ele fez uma agenda em uma estratégia inteligente. Ao invés de apresentar projetos, assumiu projetos dos municípios e está com os cofres cheios e liberando recursos.

Ontem à noite teve um jantar com empresários de Criciúma e da região, quando  deixou claro que é candidato e deve definir sua filiação partidária no começo do ano que vem. Pode ir para o MDB que ou para partidos menores como o Republicanos.

Outro assunto: Ontem recebi a informação de que estava resolvido o caso da BR-285, a Serra da Rocinha. O governo tinha enviado o PLN para o Congresso, onde destina os R$ 15 milhões necessários para finalizar a obra. Mas eu e a deputada Geovania de Sá fomos alertados pela deputada Angela Amin de que o governo enviou o PLN somente para o ano que vem. Não tem dinheiro para retomada em 2021. O governo recompõe para retomar em 2022, não agora. A deputada Angela e Geovania estão trabalhando para o recurso ser liberado agora. A alternativa mais provável é o dinheiro do Estado para as rodovias federais.

Inicialmente seria para três rodovias, mas Moisés assumiu o compromisso de colocar dinheiro na SC-285, enviar projeto para a Alesc e nos próximos dias pode disponibilizar estes R$ 15 milhões para a BR-285.

O governo Moisés vai solucionar um problema de uma rodovia federal que está parada.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/08/2021 - 07:54Atualizado em 27/08/2021 - 09:38

Criciúma foi falada pelo país afora, nos principais portais do país e de Santa Catarina. Por causa de um vídeo polêmico que anuncia a demissão do professor com tolerância zero ao que chama de “viadagem”.

Ontem a cidade estava assinando um documento do Governo do Estado, recebendo R$ 60 milhões, o maior aporte já feito em uma só vez. Mas esse assunto ficou em segundo plano, teve maior espaço no vídeo. 

O Ministério Público (MP) já disse que vai ajuizar ação contra o prefeito. Eu não vou entrar no mérito, só penso que o assunto deveria ser tratado dentro da escola e não fora dela.

Até que ponto esse assunto vai ajudar a fazer a cidade melhorar a atrair mais investimentos para a cidade, gerar mais empregos e renda ou resolver problemas da cidade?

Não entro no mérito da questão do que fez o professor. E, penso que Salvaro é o melhor gestor que Criciúma já teve. Tornou a cidade como a dos Parques.

Ouça o áudio completo abaixo: 
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/08/2021 - 08:26Atualizado em 26/08/2021 - 08:46

A denúncia foi protocolada ontem, no Poder Judiciário e pega o entorno do governador Carlos Moisés, pois os principais atingidos estavam ao lado dele. 

Foram denunciados os dois secretários mais próximos de Moisés, um deles era o primeiro ministro do governo, homem da sua absoluta confiança. O outro, um coronel bombeiro como o governador, e seu amigo pessoal. 

Nenhum dos dois foi demitido do governo, mesmo já tendo sido investigados no caso dos respiradores. E, um deles já estava detido pela polícia! Os dois pediram demissão e ontem ainda, depois da denúncia, disse que não se sente traído por eles. 

Ouça o áudio completo na íntegra:

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/08/2021 - 16:08Atualizado em 25/08/2021 - 17:50

O Ministério Público de Santa Catarina ingressou agora à tarde na Justiça com uma ação penal para punir 14 pessoas, incluindo empresários e agentes públicos, por vários crimes que teriam sido praticados na venda de 200 respiradores pulmonares não entregues ao Estado de Santa Catarina, o que lesou os cofres públicos em R$ 33 milhões. A denúncia foi protocolada na Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis.

Os ex-secretários de estado Douglas Borba, Casa Civil, e Helton Zeferino, Saúde, e a servidora pública Márcia Pauli, estão entre os denunciados.

Havia especulações sobre a possibilidade de inclusão do empresário e ex-secretário de estado Amândio Silva, o que não se confirmou. Ele não está entre os 14.

Os 14 denunciados foram:

. Douglas Borba e Helton Zeferino, ex-secretários da Casa Civil e da Saúde;

. Marcia Pauli, Carlos Campos Maia e Carlos Costa Junior, servidores do estado;

. Fabio Guasti, Cesar Martinez Braga, Pedro Araujo, Samuel Rodovalho, Davi Perini, José Edson da Silva, Mauricio de Mello, Leandro de Barros e Rosimeri Araújo, identificados como empresários. 

Rosimeri é identificada como "laranja" (empresa estava no seu nome).

Os empresários denunciados vão responder por organização criminosa, estelionato, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. Um ex servidor responderá por estelionato e obstrução da investigação. Uma servidora responderá por peculato culposo, uso de documento falso e obstrução da justiça. E os demais servidores responderão por peculato culposo, por terem sido supostamente negligentes.  

A Operação O2 foi deflagrada em maio do ano passado pela força-tarefa composta pelo MPSC, Polícia Civil e Tribunal de Contas (TCE). Dividida em duas fases, a operação colheu mais de 50 depoimentos e cumpridos 51 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão preventiva. 

Um mês depois, em junho do ano passado, os autos da investigação foram remetidos para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apurou os fatos durante um ano. O STJ devolveu a apuração para a força-tarefa catarinense em julho desse ano.

De acordo com a ação penal, uma suposta organização criminosa teria sido constituída para que seus membros obtivessem vantagem patrimonial aproveitando-se da necessidade urgente de aquisição de equipamentos e materiais por entes públicos e privados para o enfrentamento da pandemia de coronavírus. A organização criminosa seria chefiada por um dos empresários, que contou com auxílio direto de um agente político. 

Os empresários ofereciam para a venda respiradores pulmonares que não existiam. Naquele momento esses equipamentos eram essenciais para o tratamento de casos graves de covid-19 e, por isso, extremamente escassos e com valores muito elevados na ocasião. A negociação envolvia a exigência de pagamento antecipado. Utilizando os mesmos métodos, o grupo também negociava com entes públicos e privados de outros estados.  

Especificamente no caso de Santa Catarina, a suposta organização criminosa teria tido como elo com o poder público um agente político, e contado com a atuação facilitadora uma servidora pública. 

Além dos empresários que integravam a organização criminosa, outras pessoas participaram direta ou indiretamente da negociação e foram denunciadas de acordo com a participação na fraude. 

As provas coletadas no curso da investigação, que por um ano foi conduzida pelo STJ, mostram que o procedimento administrativo de compra dos respiradores pulmonares (PSES 37070) foi instruído com duas propostas falsas, de modo a assegurar a contratação da empresa pertencendo à organização criminosa. 

A ação penal foi assinada pelos Promotores de Justiça que integram a força-tarefa O2 - as Promotoras de Justiça Isabela Ramos Philippi, Lara Peplau e Marina Modesto Rebelo e os Promotores de Justiça Maurício de Oliveira Medina e Alexandre Graziotin - e pelo Promotor de Justiça Thiago Carriço de Oliveira, que responde pela 26ª Promotoria de Justiça da Comarca da Capital. 

A denúncia agora será analisada pelo Juízo da Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis. Somente após o recebimento pelo Poder Judiciário os denunciados passam a ser réus. Por conter informações em sigilo, a ação foi protocolada em segredo de justiça. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/08/2021 - 07:19Atualizado em 25/08/2021 - 07:19

O governador Carlos Moisés vai deixar nesta quinta-feira, 26, no Teatro Elias Angeloni, às 19h, praticamente R$ 60 milhões em investimentos.

Nunca um governador deixou antes tanto dinheiro na cidade, em apenas um ato. Somando tudo que está sendo feito, Criciúma terá a partir de então, um volume de obras com investimento de R$ 400 milhões. 

Isto é gestão: números, valores, volume que evidentemente ajudam a entender o desempenho eleitoral do ano passado. 

O volume de recursos  que está sendo investido na cidade tem a ver com a competência política, capacidade de articulação do prefeito Clésio Salvaro em se comunicar, se relacionar e tratar nos bastidores. 

A verdade é que o prefeito conseguiu fazer do limão, uma limonada! E, é preciso ter essa capacidade de relação, pois Criciúma não está no núcleo do poder, não tem um governador, nem vice. 

Ouça o áuido completo na íntegra: 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/08/2021 - 18:38Atualizado em 24/08/2021 - 18:45

O secretário Paulo Eli fez um trabalho importante na Secretaria da Fazenda do Estado. Não pagou juro, fez uma reengenharia, fez o saneamento das contas, tirou o Estado do vermelho e colocou no azul.

Por isso, o governador Carlos Moisés da Silva pode sair pelo estado fazendo investimentos. Está indo nas cidades, recebendo projetos, assumindo os projetos dos municípios.

Conversou com o prefeito Salvaro e vai assinar quinta-feira, em Criciúma, contratos para pavimentação de ruas, elevado, entre outras obras, chegando a quase R$ 30 milhões. Além de obras da Casan, algo em torno de R$ 26 milhões, então, no total, vai liberar praticamente R$ 60 milhões.

Não lembro de outro governador que, em um ato só, deixou R$ 60 milhões em Criciúma. Há ainda outros encaminhamentos, como o Hospital do Rio Maina, que vai ter grande peso para Criciúma.

Fiz as contas, Fonplata I, recurso aqui, recurso ali, recurso próprio, Criciúma tem hoje em obras, investimento que cerca de R$ 400 milhões.

Obras em andamento no Bairro São Luiz, bairro Michel, entre outras obras. Não sei se outro município do estado tem um volume tão alto de obras. 

Isso credencia o Salvaro para ser candidato a governador, mas me convenço cada vez mais que ele não renuncia para ser candidato. 

O governador Carlos Moisés estará em Criciúma na quinta-feira, 26, às 19h, para assinar estes repasses em grande ato no Teatro Elias Angeloni.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/08/2021 - 14:17Atualizado em 24/08/2021 - 14:48

O governador Carlos Moisés estará em Criciúma na quinta-feira, 26, as 19h, para assinatura de atos que vão viabilizar repasse total de quase R$ 56 milhões.

Serão R$ 29,9 milhões em obras de pavimentação e um viaduto em oito vias públicas, e mais R$ 26 milhões que serão investidos pela Casan. Total: R$ 55,9 milhões.

Faz muito tempo que Criciúma não recebe um volume tão expressivo de recursos em um único ato para investimentos em obras de infraestrutura.

Abaixo, como relação das vias públicas onde serão feitos os investimentos.

A vinda do Governador à Criciúma está inserida na agenda que será cumprida na região a partir de amanhã, quarta-feira, 25.

Primeiro compromisso, em Praia Grande, será a abertura do processo de licitação para obra de pavimentação da Serra do Faxinal.

Ainda na agenda, o Governador vai entregar a ordem de serviço para obras na Serra do Corvo Branco, em Grão Pará, entre outros compromissos.

 

 

 

 

 

   

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/08/2021 - 18:50Atualizado em 23/08/2021 - 21:01

A semana começa com grandes movimentações na política. Na região, o vice-prefeito de Tubarão, Caio Tokarski, está saindo do PSD e vai definir o novo partido nos próximos dias. Ele será candidato a deputado federal no ano que vem. Vai provavelmente para o Republicanos.

A principal informação da política no estado é a decisão sobre a data das prévias do MDB. Dario Berger queria as prévias para a frente. Antídio Lunelli queria o quanto antes. A bancada estadual empurrou para frente. No entendimento, considerando que a bancada se juntou ao grupo do Dario levou para fevereiro do ano que vem.
Esta decisão pode facilitar também a filiação de Carlos Moisés no MDB para encaminhar sua candidata à reeleição.

Uma chapa falada nos bastidores seria com Moisés candidato a governador, Antídio de vice e Dario de senador. Até que ponto isso vai ser encaminhado, não se sabe. Levando as prévias para o ano que vem, abriu esta possibilidade de Moisés se filiar no MDB.
É uma vitória do Dario e da bancada estadual do MDB, mas quem ganhou indiretamente foi Jorge Boeira que tem possibilidade de ser candidato a  governador pelo PSB.

O PSB tem muita gente ligada ao Dario e era o seu plano B. O MDB levando as prévias para o ano que vem, fica o caminho aberto para Boeira, se quiser, encaminhar candidatura a governador pelo PSB.
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/08/2021 - 18:09Atualizado em 23/08/2021 - 18:21

O vice-prefeito de Tubarão, Caio Tokarski, acaba de anunciar a sua desfiliação do PSD.

Vice-prefeito de segundo mandato, Caio é um dos principais politicos do PSD no sul catarinense, muito ligado pessoal e politicamente com o ex-governador Raimundo Colombo.

O seu projeto politico é disputar eleição para deputado federal provavelmente filiado no Republicanos.

 

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/08/2021 - 14:45Atualizado em 23/08/2021 - 15:39

A decisão do MDB catarinense de fazer prévias em fevereiro de 2022, tomada hoje pela manhã, é o que queriam a bancada de deputados estaduais e o grupo do senador Dário Berger.

De outro lado, ficou longe de ser o que queria o prefeito de Jaraguá do Sul. Antídio Lunelli.

Upiara Boschi, comentarista da rádio Som Maior, cravou logo depois da reunião: "ficou um cheiro de fritada de Antidio no ar".

O deputado Mauro de Nadal, presidente da Assembléia, praticamente "bancou" a decisão, em nome da bancada.

A decisão de hoje também deixou no ar a possibiidade de filiação do governador Carlos Moisés no início de 2022. Levar as prévias para fevereiro, pode ter sido o tempo para o governador se definir.

De outro lado, a decisão favorável ao ex-deputado Jorge Boeira, no seu projeto de ser candidato a governador.

Boeira dá sinais que pode ser candidato pelo PSB, mas Dário tem relações muito próximas com o partido e sempre teve o PSB como seu plano b.

Se não desse no MDB, iria pelo PSB.

Mas, agora Dário fica amarrado no MDB, que fez o jogo que ele queria. Não terá mais como sair, mesmo que não vença como prévias.

Depois, o PSB não vai esperar até março, depois das prévias do MDB, para tratar de seu projeto eleitoral para 2022.

Hoje, 19h, vou tratar da decisão do MDB no Parlatório, junto com Upiara Boschi e Everaldo Silveira. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/08/2021 - 07:43Atualizado em 23/08/2021 - 08:00

Jaison Tupy Barreto fez 88 anos nesta semana.
Filho do delegado de polícia Tupy Barreto, nascido em Laguna, foi médico por pouco tempo e político mais importante da sua geração no estado.

Jaison fez medicina e especialização em oftalmologia no Rio de Janeiro. Quando voltou ao estado, já estava estabelecido em Blumenau. Se tivesse seguido na profissão, estaria rico.
Foi fazer política, e hoje tem uma vida simples em Balneário Camboriu.
Não está entre aqueles (tantos) que enriqueceram na política.

Jaison foi deputado federal por dois mandatos, senador da república e “quase" governador em 1982.
Perdeu por uma diferença de apenas 12.650 votos. Por coincidência, diferença “feita" em Laguna, onde nasceu.

Na época era voto impresso, apuração manual, e a fraude era prática comum.

Era um típico politico “palanqueiro”.
Os comícios com ele arrastavam multidões. Os seus discursos sempre contundentes empolgavam aliados e seguidores.

Em Brasília, era dos políticos mais respeitados. Foi da mesa diretora do Senado Federal, comandou comissões importantes, era referência no plenário.

Tive o prazer de correr com ele o estado, na década de 80, fazendo a campanha das “diretas já” - pelo restabelecimento da eleição direta para Presidência da República.

Em maio de 2020, a jornalista Dagmar Spautz, da NSC, ao escrever sobre entrevista que fez com ele, começou assim:
" O único pedido de Jaison Tupy Barreto, quando aceitou falar, foi não ser chamado de senador. A classe está muito desmoralizada, disse” .

Na entrevista, ele arrematou:
"A classe política hoje sofre de falta de lucidez e bom senso”.

Jaison sempre foi da tiradas brilhantes, e os petardos mortais. Os adversários tinham medo da sua “língua”.
Seus discursos tinham efeito de uma metralhadora.
Era daqueles que não levava desaforo para casa, e não poupava ninguém. Se cruzasse no caminho, levava chumbo grosso.
 
Dos episódios marcantes, teve o caso do ex-prefeito que projetava uma disputa com ele por espaço politico na região.
Um jornalista perguntou para o ex-prefeito se ele não temia um “corpo a corpo” com o Jaison. Pela força política do então senador e a sua capacidade de mobilização.

O ex-prefeito tentou aproveitar para tirar uma “casca” e respondeu: “com ele o meu medo é no copo a copo”.

Jaison disparou: “ele não tem problema nenhum com copo porque gato bebe em pires”.

Quando foi candidato a governador, Jaison veio a Criciúma para comício e reuniões políticas, e destacou dois amigos para uma missão.

Antonio Alveti, procurador aposentado, e Chico Pereira, escritor, foram à casa do médico Henrique Packter para convencê-lo a sair candidato deputado federal alinhado com Jaison.
Enquanto isso, o senador foi jantar e ficou esperando na tradicional churrascaria OK.

Dr Henrique era o grande nome da medicina no sul do estado, respeitado por todo o estado. Era uma unanimidade. Mas, sem nenhuma ligação com a vida política, ou com partidos.

O Dr era amigo pessoal dos dois. De longa data. Mas, fazia muito tempo que não os via. E por isso abriu as portas de casa e os recebeu da forma mais fraterna possível.

Depois das preliminares, Alveti e Chico entraram no assunto. Packter levou um susto, se jogou para trás na poltrona, e devolveu: “mas, eu? por que eu” nunca me meti em política!”.

Dona Frida, esposa de Packter, não estava participando da conversa, porque fez questão de deixar os “amigos" mais à vontade.
Mas, quando foi levar água, ouviu para onde estava indo a conversa. E não pensou duas vezes. Acabou com a conversa.

Disseram os amigos do casal que ela se armou de uma vassoura e dispensou os “enviados”. E a missão terminou frustrada.

E Packter continua até hoje no consultório. Longe das urnas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/08/2021 - 07:41Atualizado em 23/08/2021 - 07:41

O curso de medicina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) de Araranguá, continua sem solução e com risco de paralisar em outubro. E, a solução pode estar na Unesc, em Criciúma. 

A Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense (ACIVA) está se mexendo, os alunos estão se mobilizando, mas até agora nada vindo de Brasília, que é de onde tem que vir a solução. 

Este curso foi uma vitória no Sul catarinense, é uma conquista que permite o filho do pobre fazer medicina sem pagar mensalidade. Pode parar porque não tem professor, porque o número de professores é o mesmo do início e os alunos já estão indo para a 7ª fase. 

Ouça o áudio completo abaixo: 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13