Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/11/2018 - 05:53Atualizado em 26/11/2018 - 10:19

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) deve anunciar até quinta-fera dois integrantes da sua equipe. Um deles pode ser Paulo Eli, atual secretário da fazenda, que pode continuar. Ele é funcionário de carreira da fazenda faz mais de trinta anos.

Moisés tem elogiado a capacidade demonstrada por Paulo Eli, e faz questão da sua presença em todas as reuniões sobre assuntos da pasta, inclusive com o futuro ministro da economia, Paulo Guedes.

Também podem ser anunciados até quinta feira, Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL (citado para articulação nacional ou casa civil), Silvestre ou Salesio Herdt (cotados para educação) e o coronel Araujo Gomes, comandante geral da PM, que também pode ser mantido.

Lucas vai depender do julgamento de amanha no TSE.

Na sexta-feira, via facebook, sem coletiva, Moisés o primeiro nome da sua equipe. Delegado Paulo Koerich, futuro chefe da policia civil no estado. Pegou bem. A repercussão foi muito positiva. Trata-se um profissional respeitado na categoria.

No sábado, Moisés participou de encontro organizado pelo deputado federal eleito Daniel Freitas com todos os deputados eleitos pelo PSL no estado.

O encontro foi na Prainha, município de Governador Celso Ramos, na casa de praia da família de Daniel.

Não teve caráter politico, ou de governo. Foi apenas para confraternização de um grupo que mal de conhecia, porque o PSL foi organizado praticamente em 2018 para disputar a eleição, teve uma vitória coletiva histórica, e agora vai trabalhar junto. 

Todos os eleitos estavam presentes, o que confirma a liderança do criciumense Daniel Freitas, que já é principal canal de comunicação de Criciúma com o futuro governo.


A força do sul

Na foto, os três deputados do PSL eleitos no sul no encontro da Prainha. Felipe Estevão, deputado estadual, Daniel Freias e Jesse Lopes. Completando o grupo, o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, de Tubarão.

Não tinha outros políticos. Além dos eleitos do PSL, só familiares de Daniel.


A liderança

Onde estava, no PP, Daniel Freitas estava na fila. E a fila ela longa, com muitos na sua frente.

Na eleição, o PP de Criciúma e região da Amrec não elegeu ninguém.

Daniel foi para o PSL, se elegeu com votação consagradora (mais de 140 mil votos), já se movimenta com a desenvoltura de um líder e assume ao natural condição de protagonista.


Resgate

Daniel está recuperando a tradição política da família Freitas e do seu bisavô, Diomicio Freitas, que foi deputado federal pela UDN.  

No encontro de sábado, estava o seu avô, Hilario Freitas, que fez política na região, ao lado de Diomicio. 

Ele foi homenageado por Ronaldo (seu filho, e pai de Daniel) e o neto, Daniel.


Abrindo o leque

Ontem, já em Criciúma, Daniel Freitas participou de evento ainda para agradecer a eleição no bairro Presidente Vargas, Içara. Com ele estavam dois vereadores do PSDB, Julio Kaminski e Alisson Pires.


Dia de decisão

Está marcado para amanhã, no TSE, o julgamento do recurso do Ministério Público pedindo a cassação de Beto Martins (PSDB), segundo suplente do senador eleito Jorginho Mello (PR).

Se o TSE atender o Ministério Público, será cassada toda a chapa de Jorginho e Lucas Esmeraldino (PR), terceiro colocado na eleição, assumirá como senador.


Reforma em Içara

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), convencido da necessidade de fazer mudanças no seu governo para os últimos dois anos, já comunicou aos secretários que todos devem ficar em “período de aviso prévio” a partir de hoje. Para ninguém ser pego de surpresa.

Mas, alterações serão feitas no fim do ano. Com diminuição de secretarias e uma nova equipe a partir de janeiro.


Nova Vara

A segunda Vara Cível da Comarca de Jaguaruna será instalada nesta segunda-feira, 10h, no Fórum Municipal. 

Logo em seguida, 11h, a Câmara de Vereadores fará a entrega de Moções e Homenagens ao presidente do Tribunal de Justiça, Rodrigo Colaço, e ao deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), por iniciativa do vereador José Gonçalves Guimarães, presidente da Comissão Pró Instalação Segunda Vara Cível de Jaguaruna.


Em Forquilhinha

Ana Paula Warmling, professora, fez prova para concurso de acesso em Forquilhinha, ontem, e depois escreveu no facebook:

"Agora para dar aula no município de Forquilhinha tem que saber até o dia que o Bolsonaro saiu do hospital, onde levou a facada e foi para o hospital em SP. Piada né! 

Pior que é sério! E fui olhar no Google a pouco e chutei errado.

Nem fala. Pagamos para nos inscrever, xerox, corre aqui e ali, e chega na prova coisas nada da realidade”.


Não poderia cair!

Em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, no sábado, o Zé acordou cedo. Colocou a camisa do Criciuma, e começou a concentrar.

Foi até pedir ajuda para a freira para reforçar a reza.

Passou o dia angustiado. 

Porque ele é torcedor apaixonado do Tigre. 

Saiu de Jacinto Machado ainda garoto, foi para Novo Hamburgo trabalhar numa fabrica de calçado e ficou por lá.

Depois da fabrica, virou comerciante. 

Mas, faz questão de manter vínculos com as suas “origens”. E o Tigre está inserido nesse contexto.

O Zé acompanhou o jogo na Som Maior, vibrou, gritou e se divertiu com o Jota, se emocionou, e terminou o fim de semana aliviado. Feliz.

E quantos Zés existe pelo mundo afora?

Faz 10 dias, um grupo de torcedores do Tigre chamou a atenção no amistoso do Brasil em Londres.

É por tudo tudo isso que o Criciuma não podia cair!

Por tudo que representa. E apesar de tudo!

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/11/2018 - 06:45

O atual secretário da Fazenda do Estado, Paulo Eli, pode continuar no cargo no governo do Comandante Moisés. A possibilidade está sendo considerada pelo conhecimento técnico e a capacidade de gestão demonstrados pelo secretário.

Paulo Eli tem participado da maior parte das reuniões técnicas do grupo de transição, conversa diariamente com o governador eleito e estava com ele na reunião com o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, na quinta-feira, em Brasília.

Além do Comandante Moisés e Paulo Eli, só estavam na reunião, por Santa Catarina, o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, e os criciumenses Daniel Freitas, deputado federal eleito (PSL), e Ricardo Faria, empresário.

Paulo Eli é funcionário de carreira da Secretaria da Fazenda faz 34 anos. Assumiu como secretário em fevereiro de 2018, quando Eduardo Moreira foi empossado governador.

Paulo Eli é casado com Sidirlei, de Içara, e é compadre de Julio De Luca, diretor do Hospital São Donato.

Do atual governo, outro que pode ficar no cargo é o Coronel Araújo Gomes, comandante da Polícia Militar, técnico respeitado nacionalmente. Araújo tem o apoio de um grupo de coronéis ligados ao governador eleito.

Nesta sexta-feira, via Facebook (numa live), o Comandante Moisés anunciou o primeiro integrante a sua futura equipe de governo. Delegado Paulo Koerich será o chefe da Polícia Civil. Bola dentro. Começou bem. Escolha muito elogiada, inclusive por adversários políticos.

Agora, os nomes começarão a ser anunciados, provavelmente um por vez. Moisés está fazendo conversas separadas com os “candidatos" aos cargos.

Do Sul do estado, deve ter no colegiado um secretário de Criciúma e dois de Tubarão.

O secretário da Educação deve ser Tubarão, e ligado a Unisul. Três nomes cotados - os ex-reitores Silvestre e Salésio Herdt, e o professor Felipe Felisbino.

O outro de Tubarão é Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL. Ele só não será secretário se o TSE cassar Jorginho Mello e ele assumir o Senado.

Mas, não há data, nem prazo, para anúncio dos próximos nomes do futuro colegiado. Moisés vai fazendo ao seu estilo. Mineiramente, sem holofotes.

 

Curiosidade

Paulo Koerich, escolhido por Carlos Moisés para comandar a Polícia Civil, atuou no Gaeco de Blumenau, coordenado pelo promotor de Justiça Odair Tramontin, que chegou a ser anunciado como secretário de Segurança Pública de Gelson Merisio (PSD) durante a campanha.

 

Elogios

Delegado Ulisses Gabriel definiu assim a escolha de Comandante Moisés para delegado-geral do Estado: “Foi um golaço”. Ulisses firmou boa relação com Paulo Koerich especialmente quando presidiu a Adepol (Associação dos Delegados de Polícia). Ulisses Gabriel foi candidato a deputado estadual pelo PSD (de Merisio, adversário de Moisés).

 

Um mandato

Durante a live que fez para anunciar Paulo Koerich, o primeiro nome do novo governo, Comandante Moisés deu a entender que não irá concorrer à reeleição. Falou que o sentimento que captou nos bastidores do novo governo em Brasília é contra a reeleição e que isso vem ao encontro do seu pensamento.

 

Desafio

Comandante Moisés tem repetido que a prioridade para sua equipe é equalizar as contas públicas, cortar gastos, e garantir pagamento dos salários. Ele calcula que a extinção das secretarias regionais vai representar R$ 200 milhões.

A primeira “pauta" com o governo Bolsonaro é renegociar a dívida do Estado, pelo menos ampliando o prazo de pagamento.

 

Fila na Br 101

Fim da tarde de sexta-feira, trecho Sul da BR-101, filas de dois quilômetros antes do posto da Polícia Rodoviária Federal. Porque colocaram os cones para fechar uma pista (de novo).

Só fazem isso no posto de Tubarão. Direção estadual da PRF diz que é decisão do chefe do posto.

O argumento é que fazem isso para forçar redução de velocidade!

Mas, então, porque não usam radar, ou lombada eletrônica.

O Sul lutou tanto pela duplicação da rodovia para fazer fluir o trânsito. Agora, a polícia rodoviária decide "matar" uma pista!

Até quando?

 

Vagas preenchidas

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), anunciou que Içara conseguiu as inscrições de nove médicos brasileiros que irão ocupar as vagas deixadas pelos cubanos através do Mais Médicos. Içara era um dos municípios com maior número de profissionais de Cuba. Se tudo ocorrer dentro do esperado, os novos médicos devem iniciar a atuação já no final da próxima semana.

 

Encontro dos prefeitos

As emendas parlamentares destinadas para a região e o ISS das operações de cartão de crédito (os municípios precisam se adequar para receber o imposto) estiveram na pauta das reunião dos prefeitos da AMREC, que aconteceu em Treviso devido a realização da Festa do Colono na cidade. A prática tem sido uma constante no sentido de prestigiar o prefeito anfitrião (foto).

 

Com 48 emendas

Vai a votação, na sessão desta segunda-feira, o Orçamento de 2019 do município de Criciúma. A previsão de arrecadação é de quase R$ 1 bilhão. Os vereadores apresentaram 48 emendas ao projeto de lei. A maioria delas destinando verba para pavimentações de ruas específicas.

 

Os premiados

Quando a equipe de A Tribuna ainda comemorava o prêmio nacional da jornalista Francine Ferreira, vieram mais dois prêmios regionais. Para as jornalistas Francine Ferreira (de novo) e Francieli Oliveira, que assinam juntas a reportagem, e o repórter fotográfico Guilherme Hann. A grande final acontece em Florianópolis, dia 4.

É mais uma prova da qualificação da redação de A Tribuna. Maior orgulho de fazer parte da equipe.

 

Nomes e marcas

O professor Renato Rampinelli, fundador e proprietário do Instituto IPC, é o entrevistado deste sábado do programa Nomes e Marcas, na Som Maior FM, 9h30 (reprise no domingo, 12h).

Renato fala dos seus tempos de “Vila Seca”, seminário, das pressões (e ameaças) que recebeu por causa de pesquisas e o caminho para fazer o seu instituto respeitado no estado.

 

Trafego intenso

O movimento no gabinete do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) nos últimos dias tem sido intenso. Políticos com mandato e sem mandato, ex-vereadores, líderes comunitários, tem sido chamados para avaliar o processo político local depois da eleição de outubro.

E o prefeito vai fazendo amarrações para a eleição de 2020.

 

Sem novidade

A ex-vereadora Tati Teixeira (PPS) não confirma sua ida para o PR. Pelo menos por enquanto.

Diz que tem ótima relação com o deputado e senador eleito Jorginho Mello, mas que não tem nada ainda encaminhado.

 

Três perguntas para Kaminski

1. Como está sua situação no PSDB? Já em definição sobre a saída?

Julio Kaminski: “Não fui informado ainda por ninguém do partido sobre decisão de me liberar, e não tenho nada definido. Nem em relação ao PSDB, e muito menos se isso vier a se concretizar, em relação a outro partido.

2. Candidatura a prefeito é um projeto?

JK: “Sinceramente, é muito prematuro falar sobre isso nesse momento”

3. Vai fazer parte do governo do Comandante Moisés?

JK: “Não sei como será composto o time do governador eleito. Qualquer decisão (ou convite) que eventualmente ocorrer, será muito bem avaliada”.

 

Deixa passar

Arleu da Silveira vai responder interinamente pela presidência da Fundação Cultural pelo menos até o fim do ano.

Prefeito Clésio Salvaro decidiu que não vai tratar do assunto por enquanto. Provavelmente, só quando 2019 começar.

 

Sem festival

Itamar Benedet, indignado com a não realização do Festival Internacional de Corais em Criciúma:

"Criciúma, faz pouco tempo foi uma referência no canto coral na América do Sul, com repercussão em países de outros continentes. Mas, tudo isso está se esvaindo. Festival não será realizado depois de mais de 30 edições ininterruptas. Para Cultura de nossa região um verdadeiro nocaute mortal”.

 

Demissão coletiva

Todos os secretários municipais de Içara deverão apresentar carta de demissão até segunda-feira.

A medida virá seguida de uma reforma administrativa no governo, que vai enxugar a estrutura.

Foi o prefeito Murialdo Gastaldon (MDB) quem pediu que todos os secretários entreguem os cargos. E o fez em reunião do colegiado.

 

Reconhecimento

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) recebeu o reconhecimento pelo trabalho que vem realizando na área de educação e de desenvolvimento de pessoas. A entidade foi contemplada com Prêmio Ser Humano da Associação Brasileira de Recursos Humanos de Santa Catarina (ABRH-SC) pelos projetos Prêmio Acic de Matemática e Triple C – Espaço Corporativo, Colaborativo e Cultural. Na foto, a diretora executiva da Acic, Maria Julita Volpato, e a coordenadora de projetos educacionais da entidade, Rose Reynaud.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/11/2018 - 17:12Atualizado em 23/11/2018 - 17:19

O governador eleito Comandante Moisés acaba de anuncia o primeiro integrante da sua futura equipe de governo. Paulo Koerich será o delegado geral da polícia civil.

Destacou que se trata de um nome técnico, sem vinculação politica.

Ele é de Blumenau, delegado de policia, já foi delegado regional e fez pate da equipe do Gaecco.

Durante a semana o nome de Koerich já vinha sendo especulado.

Anúncio foi feito agora pelo próprio governador eleito numa live (transmissão ao vivo pelo facebook).

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/11/2018 - 05:54Atualizado em 23/11/2018 - 09:17

Episódio lamentável, tudo errado, que terminou da pior forma. A peça polêmica colocada na Casa da Cultura tirou da fundação de cultura uma das principais lideranças do setor, uma autoridade no assunto.

Mas, o equívoco foi marcado por uma “coleção” de equívocos. Provavelmente porque não estava previsto, pegou todo mundo de surpresa e as reações foram impensadas.

Não poderia ter sido assim!

Na quarta-feira, o prefeito Clesio Salvaro chamou Serginho Zapellini para acertar o termos de sua saída da presidência da fundação de cultura, por causa do episódio da peça. O prefeito havia sido vencido pela pressão externa.  

Serginho não queria sair, tentou ficar, mas teve que aceitar. A decisão estava tomada. 

Ficou acordado que ficaria no cargo até 6 de janeiro, comandaria as inaugurações e os eventos previstos, e teria seu nome nas placas das obras que serão entregues (principalmente centro cultural e parque do imigrante).

Ontem cedo, Salvaro estava chegando numa das empresas da família quando Serginho começou entrevista na Som Maior FM. E ele não gostou do que ouviu. Ficou irritado. 

Principalmente pelo que Serginho disse a seu respeito.

Quando voltou para a prefeitura, chamou o secretário geral, Arleu da Silveira, e determinou desligamento imediato do presidente da fundação.

Ato contínuo, determinou que Arleu respondesse interinamente pela fundação, até definição do sucessor. O que só deve acontecer na virada do ano.

Página virada, Serginho continuará envolvido com a cultura, mesmo fora do poder público. Como sempre fez.

E a fundação terá que dar seqüência aos projetos culturais em andamento e gerar novas ideias.

Mas, para isso, terá que ter garantia de recursos. E a prefeitura não vai dar tal garantia. Porque não tem caixa.

Então, do limão à limonada.

Quem vier a assumir a fundação, terá que estar focado na busca de recursos externos, da iniciativa privada, via leis de incentivo a cultura.

É o caminho também para o centro cultural Jorge Zanatta. Para o prédio não estar de novo caindo as pedaços daqui 10 anos.


Carvalho no Paço

O empresário e administrador Renato Carvalho será o próximo “reforço” na equipe de governo do prefeito Salvaro.

Deverá ser nomeado para o comando da Casa do Empreendedor.

Pode ser empossado junto com Nicola Martins, que assumirá a fundação de esportes no início de dezembro.


Acelio no hospital

Depois que deixar o governo do estado, dia 31 de dezembro, Acelio Casagrande poderá assumir a gestão do hospital materno infantil Santa Catarina.

Para isso, terá que ser contratado pelo Instituto Ideas, que tem contrato de 10 anos para administrar o hospital.

O hospital será inaugurado no próximo sábado, 1 de dezembro (dia do aniversario de Acelio).


Maior obra

A conclusão do hospital materno infantil Santa Catarina é a melhor noticia de Criciúma em 2018.

Maior obra do período de governo de Eduardo Moreira em Criciúma, onde foi prefeito (na década de 90).

Nos próximos dias, 200 profissionais serão contratados para o hospital.

Vão se juntar aos 130 que já estão trabalhando.


Derrota política

O governador Eduardo Moreira amargou derrota política, ontem, em Florianópolis.

Ele fechou terça-feira à tarde, no seu gabinete, com presidente da Fiesc, Mario Cesar de Aguiar, e dirigentes de outras entidades empresariais, para eleição da direção executiva do Sebrae.

Pelo acordo, Carlos Henrique Fonseca, indicado pela Fiesc, seria o diretor presidente, e Miguel Ximenes, patrocinado por Eduardo, seria um dos diretores.

Ontem, na eleição, Carlos Henrique foi confirmado, mas Ximenes “rodou”.

Eduardo ficou subindo paredes. Se achou traído.


Secretário de Tubarão

O governador eleito Comandante Moisés ainda não convidou ninguém para o secretariado. Mas, alguns nomes que estariam encaminhados.

Para a secretaria de educação é dado como certo que o titular será de Tubarão. Silvestre Herdt, Salesio Herdt ou Felipe Felisbino.


Moises com Paulo Guedes

O governador eleito Comandante Moisés (PSL), se encontrou ontem, em Brasilia, com o futuro ministro da economia, Paulo Guedes (homem forte do governo Bolsonaro).

Com Moisés, o deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) e o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino. 

Falaram da necessidade de revisão do pacto federativo e alternativas para renegociação das dividas dos estados.


Em familia

Deputado Rodrigo Minotto (PDT) concunhado do ex-prefeito Lei Alexandre (PP), disse que será candidato a prefeito de Forquilhinha em 2020 se Lei também for. Quer enfrentá-lo.

Lei respondeu: "Todo cidadão morador e eleitor de Forquilhinha tem direito de disputar eleição municipal. Sempre participei de pleitos eleitorais com propósito de contribuir com a cidade, região e principalmente com objetivo de melhorar a vida das pessoas. Sempre foi e será com esse objetivo... nunca em uma disputa pessoal”.


Pelas pessoas com deficiência

A deputada federal reeleita Geovânia de Sá (PSDB), campeã de votos do seu partido em outubro, foi ontem no Ministério Público Estadual para tratar de ações em apoio às pessoas com deficiência e os idosos.

A deputada se reuniu com a promotora de justiça Ariadne Clarissa, coordenadora-adjunta do centro de apoio operacional dos direitos humanos e terceiro setor.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/11/2018 - 06:54

A eleição do novo presidente (e outros membros da mesa diretora) da Câmara de Vereadores de Criciúma será no dia 11 de dezembro, com prazo aberto para inscrição de chapas até o dia 8. Será surpresa se o vereador Miri Dagostim (PP) não for eleito presidente.

A sua eleição está prevista no acordo do grupo dos nove, fechado em 2016, e que garantiu os primeiros dois anos como presidente para o vereador Julio Colombo (PSB).

Além disso, o grupo dos nove está mantido em torno ao acordo.

Havia especulações sobre possíveis dissidências, mas eles se reuniram e ratificaram os termos do acordo.

Mas, se ficar só nisso, a eleição vai interessar apenas aos políticos e aos que estão no ambiente da Câmara. Não terá sintonia com a voz das ruas.

O eleitor/cidadão/contribuinte merece e quer mais.

O momento é de mudanças. O modelo que está aí, envelheceu. Inclusive, na Câmara de Vereadores. É preciso fazer diferente. Cortar custos, e rever despesas.

Câmara de Vereadores não faz obras, e não pode (por lei) utilizar recursos para qualquer iniciativa ou ação externa. Só pode usar dinheiro para manutenção da sua estrutura.

Sendo assim, não faz sentido manter a lei que determina repasse mensal de um percentual da receita do município, independente do tamanho da receita, da necessidade da Câmara, ou da situação financeira da Prefeitura.

Aí, quando sobra, e o presidente tem boa vontade, a Câmara devolve para a Prefeitura.

A Câmara deve voltar a receber, no final de cada mês, apenas o necessário para custear as suas despesas (como era até a década de 80).

Além disso, tem espaço (e ambiente) na cidade para discutir a redução do número de vereadores (hoje são 17).

A cidade já teve mais, e já teve menos vereadores. Mas, a representatividade política e o nível dos debates não ficaram comprometidos quando o número foi menor.

Pobres e ricos, intelectuais e pouco alfabetizados, patrões e empregados, estiveram representados com poucos e com muitos vereadores.

Por fim, vereador não é profissão. É representação política. Ninguém precisa deixar o emprego para ser vereador (e nem deve). Sendo assim, vereador não deve ter salário. Muito menos décimo terceiro. No máximo, ajuda de custo para despesas em torno do mandato.

São mudanças em sintonia com a voz das ruas. Se nada disso for feito (ou encaminhado), e tudo acontecer como sempre foi, os envolvidos na eleição da Câmara não terão compreendido nada do grito das urnas.

 

A queda de Serginho

Serginho Zappelini é da relação pessoal do prefeito Clésio Salvaro, e da sua confiança absoluta. Ficaria no governo até o último dia. Mas, nem assim ele resistiu ao desgaste provocado pela exposição da "peça polêmica" na Casa da Cultura.

A peça ficou pouco tempo aberta ao público. Mas, foi fotografada e logo viralizou nas redes sociais.

Na Câmara de Vereadores, uma moção assinada por quase todos os vereadores, iniciativa do vereador Pastor Jair, foi aprovada, condenando a peça e pedindo “providências”.

Em condições normais, uma peça como aquela já era para uma sala fechada. Mas, no ambiente de hoje, com forte carga de conservadorismo, a peça exposta para todos foi como colocar fogo na gasolina.

 

Coronel causando

O coronel Cosme Manique Barreto, comandante regional da PM, vem chamando a atenção pela posturas nos últimos dias.

Primeiro, foi à Câmara e surpreendeu a todos ao pedir apoio para que o prédio do Centro Cultural fosse ocupado pela Polícia Militar.

Depois, “chutou o balde” na audiência pública sobre a agência reguladora que trata dos valores da tarifa de água/esgoto.

Ontem, no debate sobre a peça exposta na Casa da Cultura, escreveu no Facebook: “será que quem criou tal obra queria fazer um banco??”.

 

Apoio para o Bairro

Instituto Martinelli, entregou um cheque, ontem, à direção do Bairro da Juventude, doação dos funcionários (foto).

O Instituto e de Joinville, da Martinelli Advogados, mas os seus proprietários são de Siderópolis.

A empresa tem filial em Criciúma e em vários estados.

Fizeram doações os funcionários de todas as filiais.

 

Na capital

Os vereadores mirins de Criciúma foram até Florianópolis, ontem, para participar do 9º Encontro Estadual de Vereadores Mirins, realizado anualmente na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), e que reúne alunos de 31 cidades, com integrantes de 75 câmaras mirins do estado.

Além de acompanhar palestras, eles conheceram a estrutura do Legislativo catarinense e teve contato com deputados do Sul. A vereadora Geovana Zanette (PSDB), responsável pelo projeto em Criciúma, acompanhou os 17 representantes da cidade (foto).

 

Contas no TCE

O Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE) está em fase de análise das contas dos municípios referentes ao ano passado.

Até o momento, nove municípios da região tiveram suas contas julgadas: Balneário Rincão, Lauro Müller, Nova Veneza e Urussanga pela Amrec. Balneário Arroio do Silva, Ermo, Sombrio, Timbé do Sul e Turvo pela Amesc. Todas com parecer prévio pela aprovação. A decisão final é sempre das Câmaras de Vereadores.

 

Em sintonia

A vice-governadora eleita Daniela Reinehr (PSL) representou o novo governo no pré-lançamento da Operação Veraneio, ontem, em Florianópolis. Ela esteve ao lado do governador Eduardo Moreira (MDB) mostrando a sintonia da transição que está sendo realizada em Santa Catarina (foto).

 

Ao lado de Bolsonaro

O governador eleito Carlos Moisés participou, em Brasília, da reunião nacional do PSL, conduzida pelo presidente da sigla, Luciano Bivar. O encontro reuniu os eleitos de outubro e Jair Bolsonaro fez uma passagem rápido de cerca de 10 minutos. Neste período, esteve ao lado de Moisés (foto).

 

Data definida

Está definida a data de inauguração das obras do Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC). Essa é a principal "obra" do governo de Eduardo Moreira (MDB) em Criciúma.

A cerimônia está confirmada para o dia 1º de dezembro, às 10h30min. A partir daí a unidade será a principal referência do Sul em maternidade de alto risco.

 

Correria

Prefeitos da região carbonífera acompanham, com real atenção, a formação dos diretórios do PSL em seus municípios. Muitos veem como possíveis aliados, outros como eventuais adversários nas eleições de 2020. Tudo isso ainda é resultado evidente da onda Bolsonaro. Até então, o PSL praticamente inexistia nas cidades vizinhas a Criciúma.

 

Artigo 170

A Unesc sediou, ontem, uma audiência pública da Assembleia Legislativa sobre o repasse de bolsas através do Artigo 170. A iniciativa partiu do Diretório Central de Estudantes (DCE). Tramita no Parlamento catarinense uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), de autoria do suplente de deputado Dóia Guglielmi (PSDB), que modifica o repasse desses recursos que até então é destinado somente às universidades comunitárias. O encontro ainda tratou do repasse incompleto realizado pelo Governo do Estado. Os deputados Luciane Carminatti (PT), Ada De Luca (MDB) e Rodrigo Minotto (PDT) representaram a Alesc (foto).

 

Novos representantes

O presidente da Regional Sul da Fiesc, Diomício Vidal, comandou a primeira reunião com os novos eleitos pela região na diretoria estadual. Ao todo, 15 pessoas representam a regional (ninguém na diretoria executiva). 

A reunião contou com a presença dos presidentes dos sindicatos patronais e representantes do Sul nas Câmaras Especializadas da Fiesc. O objetivo foi detalhar as demandas dos eleitos e o planejamento para 2019

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/11/2018 - 06:55

O governador Eduardo Moreira (MDB) definiu ontem o “roteiro" para os primeiros 90 dias depois que deixar o poder. Em janeiro ficará na Africa do Sul, os primeiros 15 dias de fevereiro em Florianópolis e depois 45 dias na Inglaterra. Na volta, mergulhará nas articulações para voltar à presidência estadual do MDB, que tem eleição prevista para maio.
Eduardo preferia que a eleição para presidência do MDB fosse em dezembro, como estava previsto, mesmo que a direção nacional tenha prorrogado as executivas estaduais para maio de 2019. Mas, como o atual presidente, Mauro Mariani, assimilou a decisão da nacional e “esticou" o seu mandato, readaptou seus planos, mas mantêm o projeto de reassumir o partido. Inicialmente, ele ficaria mais tempo na Inglaterra.
Diante de informações de bastidores sobre possível candidatura a presidente do partido do senador Dario Berger, ele resolveu fazer uma conversa “olho no olho” para ajustar a sintonia:
“Dário, se você quiser ser o presidente do partido em maio, ok. Será. Mas, se você tiver intenção de ser candidato a governador em 2022, melhor ser presidente do partido depois de 2020. Eu não serei mais candidato a governador. Se der, vou disputa o senado”.
Dário teria sinalizado positivamente.
Eduardo tem manifestação de apoio para comandar o partido de quase os deputados estaduais eleitos,  do prefeito de Joinville, Udo Döhler, de maioria dos prefeitos e do deputado federal reeleito Rogerio Peninha. 
O deputado federal eleito Carlos Chiodini, ligado a Mauro Mariani, também tem se declarado candidato a presidente.
Eduardo ja presidiu o partido por 10 anos.
Sua intenção agora é ser eleito por “entendimento amplo”, sem disputa. Mas, se não tiver acordo, admite “bater chapa”.

Disputa familiar
Deputado estadual reeleito Rodrigo Minotto (PDT), ontem, sobre possível candidatura a prefeito de Forquilhinha: “serei candidato se o Lei também for”.
Estava se referindo a Lei Alexandre (PP), ex-prefeito, provável candidato.
Eles são concunhados (as duas mulheres são irmãs), mas a relação não é "amistosa".
Na eleição de outubro, eles foram candidatos a deputado estadual.
Agora, Minotto está motivado a enfrentá-lo na disputa pela prefeitura.

No gabinete do vice
O governador eleito Comandante Moisés (PSL) já despacha no Centro Administrativo, acomodado no gabinete do vice-governador.
Quando Eduardo Moreira “se mudou” para o gabinete do governador, manteve parte de sua equipe do espaço do vice. Mas, depois da eleição mandou desocupar e liberou para o Comandante Moises.
Ali, o governador eleito faz seus despachos e reuniões reservadas. 
Enquanto isso, a sua equipe de transição esta instalada no andar térreo.

Favorável para Guidi
Decisão de ontem na justiça complica situação do deputado João Rodrigues (PSD) e reduz ameaça sobre o deputado criciumense Ricardo Guidi (PSD).
A juíza Leila Cury expediu intimação para João cumprir o restante da pena de prisão, em regime semiaberto, na penitenciária da Papuda, em Brasilia.
Com ele preso, diminui a chance de o STF anular a sentença e validar sua reeleição.
Guidi perderia o mandato se João confirmar sua reeleição.

No comando
O deputado federal Ronaldo Benedet pode assumir o comando do MDB de Criciúma para liderar o processo de reorganização e renovação.
Ronaldo não se reelegeu em outubro. 
O maior desafio seria preparar o partido para disputar a eleição para prefeitura em 2020.
  
Nova direção do Sebrae
O engenheiro e administrador Carlos Henrique Ramos Fonseca, indicado pela Fiesc, será o novo diretor executivo do Sebrae em Santa Catarina. A eleição será feita amanhã.
Ontem à tarde, o governador Eduardo Moreira fechou acordo com dirigentes de várias entidades que apoiam Fonseca para sua eleição por consenso. 
Eleição deveria ter sido definida ontem. Três candidatos estavam na disputa. 
O atual diretor, Guilherme Zigheli, teve três votos. Carlos Fonseca e Alcides Andrade empataram com 7 votos cada um. Alcides era o candidato de Eduardo.
O presidente do conselho, Alaor Tissot, marcou “segundo turno” entre os dois mais votados para amanhã. Mas, horas depois o acordo foi selado.
O ex-deputado Miguel Ximenes, atual chefe de gabinete do governador, responderá por uma das diretorias.

Vai pagar
Prefeitura de Criciúma, representada pelo secretário da fazenda, Celito Cardoso, encaminhou ontem à noite pagamento da divida que tem com o hospital São José.
Na reunião, o hospital apresentou uma conta de quase R$ 8 milhões, enquanto Celito admitiu divida de R$ 6 milhões.
Mas, o secretário assumiu compromisso de começar a para a divida a partir de janeiro.

Vai recorrer
O advogado Alexandre João espera para hoje a publicação do acórdão com a sentença do TRE que cassou o mandato da vereadora Ângela Mello (MDB) para encaminhar o recurso.
Primeiro, embargos para esclarecer duvidas. Depois, recurso ao TSE.
Alexandre vai pleitear que Ângela continue no mandato enquanto tramitar o recurso.
O advogado Alessandro Abreu, que defende o suplente Edson Paiol (PP), aposta que ele assumirá na câmara (na vaga de Ângela) em até 15 dias.

Novos investimentos
A Construtora Locks, do grupo Setep, lançou ontem o segundo empreendimento em Governador Celso Ramos. Um loteamento com mais de 1.400 lotes, divididos em áreas residencial, comercial e industrial.
O presidente do grupo, José Locks, e o diretor, Ademir Locks, comandaram a cerimônia.  
É o quarto empreendimento do grupo na Grande Florianópolis.

Posto
Cerca de 300 moradores da Próspera participaram de assembleia que aprovou moção contra unificação dos postos de saúde do Centro Social Urbano, da Próspera e do Brasília em uma unidade só, para operar no antigo 24 Horas. A intenção da prefeitura já foi levada ao Conselho Local de Saúde. Ontem, na Câmara, o vereador Toninho da Imbralit (MDB), que é da região, disse ser a favor a medida, pois assim a Próspera ganhará um novo e moderno posto de saúde. Vereador Zairo Cassagrande (PSD) disse que foi à reunião da comunidade e sentiu a falta de Toninho. Ele respondeu que “algumas algumas pessoas procuram ele pra pedir emprego na empresa, pra fazer festa na associação, mas não convidam ele para eventos como esse”.
 
Aprovado
Passou na Câmara ontem, por unanimidade, projeto que autoriza a prefeitura de Criciúma a firmar convênio com outros municípios para abrir vagas nas escolas municipais para alunos que residem em cidades vizinhas. O convênio deve ser firmado com Içara, já que os prefeitos dos dois municípios entraram em acordo para que os estudantes residentes em Içara possam continuar estudando nas escolas criciumenses. Içarense pagará o excedente financeiro que o aluno representa ao governo de Criciúma
 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/11/2018 - 17:24Atualizado em 20/11/2018 - 17:56

Foi retirado de novo da pauta do TSE o recurso do Ministério Público Federal que pode cassar a chapa do senador eleito Jorginho Mello (PR) e dar posse a Lucas Esmeraldino (PSL), que é de Tubarão.

O processo foi incluído na pauta hoje pela manhã. Era o sexto, pela ordem.

Mas, durante a tarde, foi retirado.

Agora, talvez seja pautado para a próxima semana.

Jorginho está "ameaçado" porque o segundo suplente, Beto Martins, teria  se filiado depois do prazo.

O TSE já indeferiu a candidatura de Beto, mas ele recorreu  e o mesmo TSE revogou decisão.

So que o Ministerio Público Federal recorreu  para derrubar segunda decisão  do TSE e restabelecer a inelegibilidade de Beto.

Agora, como já passou a eleição, se o recurso for aceito, "cai toda a chapa".

 

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/11/2018 - 11:43Atualizado em 20/11/2018 - 11:59

Entrou na pauta do STF para hoje o processo que pode dar mandato de senador para Lucas Esmeraldino (PSL), de Tubarão.

Processo trata de recurso do Ministério Publico Federal contra a chapa de Jorginho Mello (PR), eleito senador.

O problema é Beto Martins (PSDB), segundo suplente de Jorginho, teria se filiado depois do prazo legal.

O caso já teve decisão do TSE pelo indeferimento da candidatura de Beto, mas ele recorreu e o TSE revogou decisão.

Depois disso, o MPF entrou com recurso contra a revogacao do TSE, pleiteando a confirmação da inelegibilidade de Beto Martins. 

Agora, como já passou a eleição, se o STF acolher recurso do MPF, cai a chapa inteira e Jorginho será cassado, assumindo Lucas Esmeraldino, terceiro   colocado na eleição 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/11/2018 - 06:55

A decisão de ontem do TRE estava prevista. Em julho, quando o mesmo Tribunal cassou o mandato do vereador Daniel Freitas, já foi proclamado que a vaga seria do suplente do PP, porque o espaço é do partido, e não da coligação.

Mas, para evitar a posse do suplente do PP, foi feita uma manobra regimental, com a renúncia da Daniel Freitas antes da comunicação formal/oficial à Câmara. Ato contínuo, a mesa diretora deu posse a Angela Mello, suplente da coligação.

PP e MDB fizeram coligação em 2016. Angela foi candidata pelo PP, ficou na primeira suplência da coligação, mas depois da eleição passou para o MDB.

Depois que Daniel renunciou e Angela assumiu, o PP (pela direção estadual) entrou com ação no TRE direto contra Angela por infidelidade partidária. No julgamento de ontem, venceu por unanimidade.

As partes vão aguardar a publicação do acordão (que tem o detalhamento da sentença) para definir novos procedimentos.

Angela Mello orientou o seu advogado, Alexandre João, a entrar com recurso. Mas, em princípio, recurso neste caso não tem efeito suspensivo. Ela teria que recorrer fora da Câmara.

O advogado do PP, Alessandro Abreu, vai se empenhar para que os procedimentos sejam agilizados e a posse de Edson Paiol, o suplente do PP, seja efetivada o mais rápido possível (pode ser em até 10 dias).

Se Paiol assumir antes do dia 8 de dezembro, pode alterar o quadro para eleição do novo presidente da Câmara.

Porque ele não é do grupo dos nove, e não tem compromisso com os seus membros.

Ele passa a ser o novo voto, e fiel da balança. Pode decidir a eleição.

A eleição está prevista para entre os dias 8 e 10 de dezembro.

 

Análise fora do voto

Antes de proferir o voto a favor da cassação da vereadora Angela Mello, o relator Wilson Pereira Junior, fez uma análise pessoal. Lembrou a cassação como uma fatalidade política. Segundo ele, como a coligação de Angela era oposição ao prefeito Clésio Salvaro seria impossível que um suplente pudesse assumir o mandato por força de algum vereador ser chamado a assumir cargo no Executivo e esse era o cenário quando a opção pela troca de sigla foi feita por Angela que não poderia prever o que ocorreria no futuro com a saída de Daniel Freitas e a possibilidade de assumir o cargo por mais de dois anos. Disse ainda que se entristece porque Angela fez “uma daquelas campanhas femininas que nós sonhamos”. Na hora de proferir ao voto, levou em conta a legislação em vigor.

 

O mapa

O grupo dos nove, formado em 2016, logo depois da eleição, elegeu Julio Colombo (PSB) presidente da Câmara para 2017/2018, e acertou eleição de um vereador do PP para presidente em 2019 e um do MDB em 2020.

Faz 15 dias, vereadores do PSDB e PSD, que não fazem parte do acordo, se articulam para “quebrar” a unidade do grupo dos nove. As duas bancadas juntas tem oito vereadores (cinco do PSDB, três do PSD).

 

A renúncia

Faz dois meses, tentaram convencer a vereadora Angela Mello a renunciar o mandato, antes do julgamento do recurso pelo TRE.

Se ela aceitasse renunciar, assumiria o suplente do MDB, Vanderlei Zilli, e a ação no TRE poderia “caducar”, porque perderia o objeto, já que a ação era contra Angela, que não seria mais vereadora.

O próprio Zilli tentou convencê-la.

Mas, ela não aceitou. Tinha convicção que venceria no TRE.

 

PSDB vai liberar Kaminski

A executiva municipal do PSDB de Criciúma, reunida ontem, com a presença do prefeito Clésio Salvaro, decidiu encaminhar proposta ao diretório municipal para “liberar" o vereador Julio Kaminski.

Ele poderá procurar outro partido para se filiar, sem correr o risco de perder o mandato por processo de infidelidade partidária.

Kaminski não participou da reunião, mas os outros quatro vereadores da bancada estavam presentes.

No primeiro semestre, Kaminski sustentou no TRE um processo para que fosse permitido que trocasse de partido sem o risco de perder o mandato. Alegou problemas de relacionamento e “perseguição" do Paço. O TRE negou, não identificando motivos para isso.

Kaminski diverge do prefeito Salvaro desde o início do mandato. Em determinados momentos, foi o principal vereador de oposição, apesar de ser do mesmo partido.

Depois da eleição de outubro, Kaminski passou a ser especulado como provável candidato a prefeito em 2020 pelo PSL.

 

Eleição no MDB só em 2019

Eduardo Moreira fez reunião com os deputados do MDB, semana passada, para anunciar candidatura à presidência da executiva estadual do partido. Mas, impôs duas condições. Eleição em dezembro de 2018 e candidatura de consenso.

Ontem, a executiva estadual anunciou que a eleição da nova executiva será em maio de 2019. E tem mais dois candidatos a presidente - deputado Carlos Chiodini e senador Dario Berger. Os dois, ligados a Mauro Mariani, atual presidente, derrotado na eleição para governador.

 

Não estão na pauta

Saiu ontem a pauta das sessões do STF durante a semana. Não consta o recurso do deputado João Rodrigues, que ameaça a posse do deputado federal eleito criciumense Ricardo Guidi.

A expectativa dos advogados de João Rodrigues é que o ministro Gilmar Mendes, relator do processo, decida monocraticamente a seu favor.

Também não consta da pauta do TSE o processo contra Beto Martins, suplente de Jorginho Mello, que pode cassar a chapa e garantir a posse de Lucas Esmeraldino, de Tubarão.

 

Dinheiro em caixa

A melhor notícia do mês para o prefeito Clésio Salvaro foi a assinatura, ontem, do contrato de R$ 30 milhões com a Caixa. Tudo para pavimentação de ruas.

Além disso, Salvaro ouviu da direção da Caixa que Criciúma recuperou capacidade de endividamento e está em condições de assinar contrato com o Fonplata (em torno de R$ 60 milhões).

 

Verba foi liberada

Moradores da região do CASE foram informados, ontem, na Secretaria Regional de Criciúma que o Governo do Estado liberou R$ 2 milhões para a Prefeitura encaminhar as obras relativas às medidas compensatórias.

O Tribunal de Justiça já teria liberado R$ 1 milhão (no período em que o presidente do Tribunal assumiu como governador).

O assunto deve ser levado hoje à sessão da Câmara de Vereadores e uma comissão da comunidade pretende ir à Prefeitura para esclarecer com o prefeito Clésio Salvaro.

 

Dívida engordou

Consta no Portal da Transparência da Prefeitura de Criciúma - dívida com o Hospital São José está chegando em R$ 8 milhões. Já são emitidos sinais de preocupação no hospital.

 

Pedágio vai ficar para Bolsonaro

Na reunião de ontem, em Florianópolis, o superintendente da ANTT, Fabio Freitas, anunciou que será feito um novo estudo sobre a implantação de pedágio no Sul do estado, com a possibilidade de apenas três praças (o projeto original prevê quatro). Também ficou definido reestudo de trafegabilidade levando em consideração a movimentação de caminhões ao Porto de Imbituba e a conclusão da Serra da Rocinha. A iniciativa pode reduzir o valor cobrando em cada praça – hoje projetado por volta de R$ 4.

Sendo assim, o assunto não será resolvido em 2019 e ficará para ser encaminhada pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, que vai assumir em janeiro.

Faz mais sentido. O atual governo tem praticamente um mês de mandato. Uma questão tão importante não pode ser encaminhada a "toque de caixa”.

 

Em peso

Todos os seis prefeitos dos municípios da AMESC que são cortados pela BR-101 participaram da reunião da ANTT, em Florianópolis (foto). Os chefes do executivo de Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul, São João do Sul e Passo de Torres explanaram aos técnicos da ANTT os principais conflitos e demandas dos municípios quanto a BR 101.

 

Pela ciclovia

O prefeito de Sombrio Zênio Cardoso (MDB), de Sombrio, protagonizou uma das discussões mais acaloradas da tarde. Quer uma ciclovia nas vias marginais. Para a ANTT essa seria uma responsabilidade do Município e não da ANTT.

 

Noite de gala

A noite foi de homenagens na Alesc com a entrega da Comenda do Legislativo. Reitora da Unesc, Luciane Ceretta, foi uma das representantes do Sul a receber a maior honraria do Parlamento catarinense. Presidente da Acic, Moacir Dagostin, acompanhou a cerimônia e fez questão de cumprimentar a reitora (foto) e os representantes da região. Altamiro Bittencourt, gestor do Hospital São José, foi o escolhido para falar em nome dos homenageados. O prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella, e a Abadeus também receberam a Comenda Legislativa.

 

Com o BNDES

O governador eleito Carlos Moisés (PSL) recebeu, ontem, técnicos do BNDES que apresentaram propostas para financiamentos nas esferas pública e privada para uso do Estado, além de alguns projetos já aprovados que aguardam liberação de recursos.

 

Ano que vem

O projeto de reforma administrativa do novo governador Carlos Moisés estará estruturado até o fim de novembro, porém a votação na Assembleia Legislativa ficará para o próximo ano. A informação foi confirmada pelo professor Luiz Felipe Ferreira, coordenador do processo de transição.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/11/2018 - 16:05Atualizado em 19/11/2018 - 16:54

O TRE acaba de decidir, por unanimidade, pela cassação do mandato da vereadora de Criciúma Ângela Mello, hoje no MDB.

Decidiu também que deve assumir a sua vaga na Câmara de Criciúma o suplente do PP, Edson Paiol.

O plenário do TRE seguiu o voto do relator da matéria, Wilson Pereira Junior.

Julgamento aconteceu na tarde desta segunda-feira (19) e durou poucos minutos.

Falaram na sessão os advogados Alessandro Abreu, pelo PP, e Alexandre João, em defesa de Ângela.

O MDB pediu que, no caso de cassação de Ângela, que assuma o seu primeiro suplente, Vanderlei Zilli. Pedido não foi aceito.

O PP quer a confirmação que a vaga é do partido.

Ângela foi candidata em 2016 pelo PP e ficou primera suplente. Mas, mudou para o MDB no final de 2017.

Com a cassação e posterior renuncia de Daniel Freitas, ela assumiu, mas o PP sustentou que a cadeira é partido, e teve ganho de causa no TRE.

Daqui a pouco, mais infomações sobre desdobramentos da decisão, e cobertura completa no Ponto Final, Rádio Som Maior, 18h. 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/11/2018 - 06:54Atualizado em 19/11/2018 - 09:43

Quem não se convenceu que a eleição de outubro foi muito além de eleger novos agentes políticos, não entendeu o que aconteceu.

Porque a eleição trouxe um grito das ruas contra o jeito surrado de fazer política e gestão pública. O eleitor/cidadão determinou mudanças.

Não dá mais para colocar panos quentes e circular em torno dos reais problemas. É preciso fazer cortes profundos e rever práticas que não tem mais espaço.

O momento exige gestão pública enxuta e moderna, otimização dos gastos, eliminação de benefícios e privilégios.

Os políticos que não entenderem o recado, correm o risco de atropelamento.

Em Chapecó há um movimento interessante.

Por algumas circunstâncias políticas locais, foi levado ao prefeito Luciano Bulligon um documento com 10 propostas. A maioria, de impacto e intensa repercussão (se forem adotadas).

O documento foi entregue pelo PSD, partido aliado de Bulligon, que hoje está sem partido.

Primeira medida proposta - alteração da lei orgânica para redução do número de vereadores e do percentual de repasse da receita do Município para a Câmara.

Na sequência, pede redução do número de secretarias, de cargos em comissão, fim do pagamento de verba de representação para cargos em comissão e do pagamento de diárias, e revisão das funções gratificadas.

Também faz parte do documento a revisão do contrato de concessão água e esgoto com a Casan.

Tudo isso, se aplicado, vai garantir mais recursos nos cofres públicos, para que obras e ações possam ser executadas, atendendo os interesses da população.

São medidas do tipo que o eleitor está cobrando (e esperando).

Não adianta mais tapar o sol com peneira. O momento é delicado e requer ações firmes.

Criciúma tem espaço para discutir todas as medidas propostas para Chapecó.


Clésio vai dar alvará

O prefeito Clésio Salvaro comunicou, ontem à noite, aos representantes da comunidade que mora na região do CASE, que vai conceder alvará de funcionamento assim que for noticiado.

Disse que não tem como não cumprir uma decisão do Tribunal de Justiça. Mas, que vai recorrer.

É o que lhe cabe.

Ele havia tomando uma decisão política, ao não liberar o alvará enquanto o Governo do Estado não cumprisse com o compromisso das medidas compensatórias. Mas, sabia que não tinha amparo legal. Assim que o judiciário fosse acionado, terei que conceder. E foi o que aconteceu.

O Governo do Estado deveria ter pelo menos tentado renegociar com a comunidade as medidas compensatórias, talvez por mais prazos.

Preferiu, no entanto, virar as costas, ignorar a movimentação da comunidade e levar o assunto ao judiciário.


Minotto na disputa

O deputado estadual reeleito Rodrigo Minotto (PDT) está fazendo conversas com vários partidos sobre a possibilidade de disputar a Prefeitura de Forquilhinha.

Já recebeu manifestações de apoio de políticos do PSDB e sinalizações de outros partidos.


Dos médicos cubanos

Em Içara, teve maior repercussão (e desdobramento) a volta para casa dos médicos cubanos.

O modelo que prevaleceu no acordo entre os países era realmente questionável. Mas, isso é assunto encerrado.

A discutir agora é a substituição dos médicos cubanos. Porque eles tiraram o lugar de médicos brasileiros.

Eles foram, via de regra, para onde médicos brasileiros não vão.

Cabe ao governo brasileiro criar programas para garantir a ida de médicos brasileiros às cidades onde estavam os cubanos. Principalmente onde não é bom lugar para ganhar dinheiro.


Na pauta

Está na pauta de hoje no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o processo contra a vereadora do MDB de Criciúma Angela Mello. O PP solicita o cargo ocupado por Angela desde que o mesmo TRE entendeu pela perda de mandato de Daniel Freitas (PSL) em processo também movido pelo PP. Tudo iniciou em abril deste ano quando Daniel deixou o PP para ingressar no PSL, por onde foi eleito deputado federal em outubro. Em julho, poucos dias antes de a Câmara ser notificada da decisão do TRE, Daniel optou pela renúncia. Angela, que se elegeu pelo PP e depois migrou para o MDB, assumiu o cargo e os progressistas ingressaram com nova ação na Justiça Eleitoral. O PP entende que a vaga é do suplente Edson do Nascimento, o Paiol.


Oficialização

Prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), encaminhou para a Câmara de Vereadores projeto de lei para que Criciúma possa tanto receber quanto repassar verbas complementares ao Fundeb. A proposta, que terá que ser avaliada pelos vereadores, é uma complementação ao acordo firmado com Içara para que alunos do município vizinho possam seguir o próximo ano letivo em escolas de Criciúma. Por ora, falta o prefeito de Forquilhinha, Dimas Kammer (PP), atender a solicitação de pais para que alunos da cidade sigam em escolas de Criciúma. O impasse começou depois que a Secretaria de Educação de Criciúma anunciou que não aceitaria rematrículas de alunos de outros municípios. Após manifestações contrárias, uma reunião entre os prefeitos chegou ao acordo com Içara. Prefeito Murialdo Gastaldon (MDB) afirmou que repassará o recurso para complementar o Fundeb.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/11/2018 - 09:12Atualizado em 17/11/2018 - 09:20

Do limão, a limonada!

O que o Centro cultural precisa é de um modelo para garantir manutenção

Até agora ainda não deu para entender o que passou pela cabeça do coronel Cosme Manique Barreto, para ter ido à câmara de vereadores pedir apoio para que o prédio do centro cultural Jorge Zanatta, agora reformado/restaurado, seja destinado à polícia militar, e não volte a ser mais centro cultural.

Surpreendeu a todos, e só foi fazer isso quando o prédio está pronto, foi reformado/restaurado, e sua reinauguração como centro curta está marcada, e divulgada, para o dia 14 de dezembro. Quando o prédio estava abandonado, literalmente caindo aos pedaços, nunca falou nada semelhante. 

Não li, nem ouvi, uma manifestação sequer a favor da “idéia" do coronel Cosme. Ou que pelos menos tenha "compreendido" a sua intenção.

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB), para não ficar nenhuma duvida, registrou no facebook que o prédio será centro de cultura, sem nenhuma possibilidade de mudança.

Mesmo assim, chamou o Coronel/Comandante para um café, ontem, na prefeitura (foto). 

Foi educado, e respeitoso. Disse pessoalmente o que havia escrito e dito, colocando ponto final do assunto.

Mas, do limão à limonada.

Já que o centro cultural voltou à ordem do dia, o que cabe discutir é como fazer para garantir a sua manutenção, sem recursos públicos.

Se deixar para a prefeitura fazer manutenção (e modernização), em pouco tempo estará de novo abandonado, caindo aos pedaços. Porque a prefeitura não tem dinheiro para isso.

O prédio foi restaurado pela primeira vez e transformado em centro cultural porque Henrique Packter era o presidente da fundação cultural e conseguiu recursos de empresários e apoio de políticos de atuação nacional, com trânsito em Brasília.

E ele funcionou durante anos como principal centro de referência e fomento da cultura local, enquanto teve apoio (e aporte) externo. Quando passou a depender só do poder público, foi sendo abandonado aos poucos.

Criciúma precisa aproveitar o momento (e o ambiente) para criar um novo modelo de proteção ao centro cultural. E o caminho é pela iniciativa privada, com participação/anuência do poder público.

Há modelos no país que deram muito certo, usando leis de incentivo à cultura.

A Pinacoteca de São Paulo é um exemplo a ser estudado. Funciona mito bem. E seria inteligente tentar algo semelhante para o centro cultural Jorge Zanatta.


Case tem que funcionar

Era prevista a liminar concedida pelo Tribunal de Justiça que mandou a prefeitura de Criciúma liberar habite-se para funcionamento/operação do CASE.

A decisão do prefeito Clesio Salvar de não liberar operação do CASE foi política.

O prefeito queria pressionar o governo do estado a cumprir o que havia dito (e prometido) em reuniões com a comunidade.

O governo não falou mais a respeito. Deixou o tempo correr. E foi à justiça. 

Vai abrir o CASE “na marra”, sem cumprir as medidas compensatórias prometidas. Pela segunda vez. 

Porque quando foi feita a penitenciária regional, na mesma região, foram prometidas obras na região, como medida compensatória, que não foram feitas até hoje.

A liminar que mandou liberar o CASE foi assinada pelo desembargador Paulo Henrique Moritz da Silva, que já foi juiz em Criciúma por uma década, reconhecido pelo conhecimento técnico.


Novo comando

Nova direção do Sebrae de Santa Catarina será eleita na segunda-feira.

Dois nomes estão no páreo. Guilherme Zigheli, atual superintendente estadual, e Alcides Andrade, presidente da Fampesc. Os dois são ligados ao PSD.

Governador Eduardo Moreira está operando para eleição de Alcides Andrade.


O chega pra lá!

O governador eleito Comandante Moisés continua fechado em copas, evita contatos com a imprensa, deixa a impressão que não faz movimentos políticos, mas quando foi preciso dar um “chega pra lá” num dos principais aliados, avalista de sua candidatura, não teve o menor receio. Fez logo depois da eleição. Porque era necessário.

O aliado falou demais, disse o que não devia. 

E agindo assim, Moisés não deixou que se criasse uma imagem de governo de compadrio, ou sociedade de amigos.

Foi a primeira decisão política importante, delicada, e marcante do governador eleito.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/11/2018 - 05:53Atualizado em 16/11/2018 - 05:56

O MDB de Criciúma assumiu a prefeitura pela primeira em 1983 com a eleição do prefeito José Augusto Hulse. A partir daí, sempre esteve no poder. No governo do estado, na prefeitura ou no governo federal. Muitas vezes, nas três instâncias. Aproveitando-se disso, o partido se fez o maior do município. E se acostumou a fazer militância através da estrutura de poder. 

Mas, a partir de janeiro, o MDB de Criciúma, derrotado em outubro, estará totalmente fora do poder, depois de décadas. E corre o risco de diminuir. 

Na prefeitura está Clesio Salvaro (PSDB), adversário histórico, que até se relaciona harmoniosamente com o governador Eduardo Moreira (MDB), mas apenas por interesse administrativo. Politicamente, continuam sendo água e óleo.

Na eleição de outubro, Salvaro colocou o “15" no peito, obedecendo coligação estadual, mas ouviu reações das bases. Teve que dar explicações e se desgastou.

Nos bastidores, Salvaro opera para enfraquecer o MDB. Deve, inclusive, levar para o seu lado um dos vereadores do partido.

No governo do estado estará o Comandante Moisés (PSL). A não ser que mude o curso, não dará guarida ao MDB.

No governo federal, assumirá Jair Bolsonaro (PSL), sem vínculos com o MDB, comprometido com o novo.

Os aliados de Bolsonaro e Moisés na cidade não querem abrir espaço para abrigar o MDB.

O politico do MDB de Criciúma que se salvou na eleição de outubro e saiu com mandato (e com agua estrutura de poder), foi o deputado estadual reeleito Luiz Fernando Vampiro. Mas, o seu gabinete na Assembleia não conseguirá abrigar todos do MDB que ficarão desalojados a partir de janeiro.

O deputado federal Ronaldo Benedet, que comanda o partido no município faz décadas, não se reelegeu, fez votação muito pequena, saiu enfraquecido, e praticamente se recolheu depois da eleição.

Centenas de comissionados, cabos eleitorais e dirigentes do partido ficarão sem espaço (e desempregados). E a eleição de 2020 chegará em seguida. 

Hoje o partido tem cinco vereadores, mas terá muito trabalho para não perder alguns no meio do caminhos, e não ter redução na sua lista de candidatos. Porque o assédio de todos os outros será intenso. E já começou.

 

Promessa não cumprida

O ano está ano está terminando, e nada do centro de inovação de Criciuma.

Foi anunciado em 2014, junto com projetos de mais 12 pelo estado. Todos os outros estão em obras ou funcionando, e o de Criciuma, nem licitação foi feita.

No sul, o de Tubarao está quase pronto. Em abril, o governo do estado liberou r$ 5 milhões para sua conclusão.

E o de Tubarao, foi anunciado depois.

O governador Eduardo Moreira anunciou na ACIC, antes da palestra do ex-ministro Henrique Meireles, r$ 10 milhões para construção do centro de inovação de Criciúma. E acrescentou: "se for preciso mais, podem contar”. Mas, não foi além do anúncio!

O projeto está parado, estacionado, travado!

Criciuma está perdendo com isso.

O estado catarinense se transformou em um pólo importante para startups. Mas, Criciuma vai ficando para trás, porque não tem investimento público na área.

É preciso dizer que a Associação empresarial de Criciuma tem se movimentado, e muito. O presidente Moacir Dagostim já foi e voltou a Florianópolis várias vezes para isso. Fez muitas reuniões aqui. Mas, não depende dele. Ele faz o que pode.

A culpa é do governo do estado?

Principalmente.

Só que teve também uma disputa de vaidade, por causa do local do centro de inovação, que atrapalhou bastante.

É preciso virar a página e dar solução no assunto.

O atual governo do estado ainda pode resolver, e pelo menos deixar encaminhado, com a obra licitada, não ficar em debito com a cidade.

Ou, que os políticos dos novos mandatos, a partir de janeiro, tratem o projeto que a importância que ele merece.

 

PM no Centro Cultural

O prefeito Clesio Salvaro chamou o comandante regional da Policia Militar, coronel Cosme Manique Barreto, para um café, hoje, no Paço. Quer entender de onde ele tirou a idéia de levar a sede regional da PM para o prédio restaurado do centro cultural Jorge Zanatta.

Por via das duvidas, Salvaro já adiantou que não existe a menor possibilidade de isso acontecer.

No feriado, escreveu no facebook: 

"Diante dos rumores sobre possível base da Polícia Militar no centro Cultural Jorge Zanatta,  ressalto: a atitude é louvável mas inviável. O centro Cultural é um prédio histórico da década de 40 que vai ser utilizado para promover atividades culturais inclusive daqui a um mês, dia 14 de dezembro às 19 horas vamos reinaugurar a estrutura, que estava abandonada, em ruínas”.

 

Dos pedágios

A Fiesc fechou posição, vai defender a mudança no sistema de cobrança de pedágio no trecho sul da br 101. Quer a adoção do sistema free flow (fluxo livre), sem praças de pedágio.

Os seus representantes já falaram sobre isso na reunião que teve na Acic sobre os pedágios, faz 10 dias.

A Fiesc vai levar esta proposta à audiência que a ANTT (agencia nacional de transporte terrestre) vai fazer em Florianópolis, segunda-feira.

Decisão foi consolidada na reunião do conselho da Federação, quarta-feira.

A pergunta que cabe ao caso: “no trecho norte também vão mudar o sistema de cobrança? Ou o novo sistema seria apenas para o treco sul?”.

 

Em Brasília

Governador eleito Comandante Moises esteve em Brasilia para reunião com o presidente eleito Jair Bolsonaro e se encontrou com o futuro ministro da Casa Civil, deputado Onix Lorenzoni (DEM).

Estava acompanhado do deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) e o presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino.

 

PSL em Orleans

A deputada estadual eleita Ana Campagnolo (PSL), defensora ferrenha do projeto escola sem partido, que ganhou mídia nacional pelas suas posturas, esteve em Criciúma no feriado, a convite do deputado estadual eleito Jesse Lopes (PSL).

Ela fez palestra em Orleans sobre “feminismo e entendendo direita esquerda”

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/11/2018 - 06:53Atualizado em 14/11/2018 - 08:58

O comandante da 6ª Região da Polícia Militar, coronel Cosme Manique Barreto, foi à Câmara de Vereadores, ontem à tarde, pedir apoio para uma proposta surpreendente (e difícil de entender).

Ele quer o prédio do Centro Cultural Jorge Zanatta seja utilizado para a instalação da sede da 6ª Região da PM.

Na proposta, ele “admite" que a parte dos fundos do prédio seja destinada à cultura.

Quando os vereadores destacaram que o prédio já é o Centro Cultural Jorge Zanatta, ele reagiu: “Cultura? Mas que cultura é essa que abandona?!”, dando a entender que o evolvidos com o setor cultural é que abandoaram o prédio.

Na verdade, o coronel sabe, como qualquer criciumense, que o prédio foi abandonado pelo poder público, que não fez manutenção durante anos.

Na proposta levada aos vereadores, funcionaria no local também uma base para a polícia comunitária da região central, central de monitoramento de câmeras, setor de trânsito e de termos circunstanciados.

Trazer tudo isso para um local só no centro da cidade, é pertinente, louvável. Mas, não ali!

Houve uma grande luta do setor cultural para que o Jorge Zanatta fosse restaurado, o que aconteceu no ano passado.

Agora, às vésperas da inauguração, já anunciada para 14 de dezembro, é inconcebível imaginar destinação do prédio para outra finalidade.

Agora, a Fundação Cultural já está designada para fazer a gestão do local e, inclusive, voltará a ter sua sede lá, como foi de 1993 a 2015.

Erguido na década 40, no auge do carvão, o prédio pertencia à União até o ano passado, quando o Governo do Município conseguiu a cessão e a possibilidade de restauração.

Os vereadores apresentaram alternativas ao coronel Barreto, como o prédio do antigo INSS, que também está sendo restaurado pela Prefeitura e fica na área central da cidade.

Mas, o coronel foi enfático. Quer o prédio do centro cultural. Disse que é um sonho.

E devolveu a proposta - que o centro cultural se mude para o prédio do INSS.

A conversa de Manique Barreto na Câmara pegou o prefeito Clésio Salvaro de surpresa, que nunca havia ouvido falar na proposta, e pediu prazo para se inteirar. Provavelmente, para conferir se era isso mesmo. E respirar fundo.

Pergunta inevitável: por que o coronel não pensou nisso quando o prédio estava abandonado, ou incendiado?


As sugestões

Os vereadores Toninho da Imbralit (MDB), Salésio Lima (PSD) e Tita Belolli (MDB) chegaram a sugerir outras possibilidades, como o prédio onde está atualmente a Fundação Cultural, que fica na Praça Nereu Ramos ou outro que poderia ser alugado pelo Estado. O vereador Ademir Honorato (MDB) fez proposta de levar a regional da PM para a Quarta Linha, numa das entradas da cidade. O coronel se manteve inflexível.


Reação

O setor de Cultura irá reagir ao pedido e já articula um abraço ao local, repetindo ato realizado antes da restauração do prédio, ainda em 2015.


Denúncia aceita

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aceitou por unanimidade, na sessão plenária da ontem, denúncia contra a deputada estadual Ada De Luca (MDB) por irregularidades na prestação de contas da campanha de 2010. Já se passaram mais de oito anos, dois mandatos na Alesc e mais uma reeleição agora em 2018. Só que a denúncia foi feita somente neste ano, é um desdobramento de uma operação da Polícia Federal no ano passado que envolveu a deputada e investigou caixa dois na campanha de 2014. Foram aceitas as denúncias contra a deputada e um cabo eleitoral, já contra Valmor De Luca, o TRE entendeu que houve a prescrição, que tem o tempo reduzido quando envolve pessoas acima dos 70 anos.


Mais um vereador

Este mandato é marcado pela instabilidade na Câmara de Vereadores de Sombrio. Ontem, o TRE cassou, por 6 x 1, o mandato do presidente do Legislativo, Fabiano Rogério Pinho (PSDB), eleito pela coligação PSDB-PR-PTB-PSC-PCdoB. O motivo foi o mesmo da cassação de outros cinco vereadores da coligação do MDB-PSB. Estes seguem no cargo por um efeito suspensivo. Caso as sentenças sejam confirmadas, a Câmara terá uma renovação de 70% antes do fim do mandato. Todas as coligações são acusadas de não cumprir a quota de candidatura feminina.


Adiado

O julgamento do recurso do Ministério Público que pede a cassação da candidatura de Jorginho Mello (PR) foi adiado. O processo estava na pauta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ficou para a próxima semana. O recurso é contra o suplente Beto Martins (PSDB) que não teria apresentado documento de filiação a tempo, mas cassa a chapa toda. A expectativa é grande por parte de Lucas Esmeraldino, do PSL, que ficaria com a vaga.


Não entrou

Outro processo que pode mexer na composição de eleitos por Santa Catarina neste ano é do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD). A matéria não entrou na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) de hoje, como era previsto. Caso João Rodrigues tenha o recurso aceito quem perde a vaga na Câmara Federal é Ricardo Guidi (PSD).


Só elogios

O discurso do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) durante o ato de assinaturas de convênios com a Casan, terça-feira, mostra que não há predisposição de qualquer rompimento por parte da Prefeitura de Criciúma com a estatal. Somente no ato de ontem foram mais de R$ 15 milhões e dá continuidade à implantação do esgotamento sanitário e pavimentações na região da Linha Batista, contrapartida pela construção da Estação de Tratamento de Esgoto. O prefeito citou que há muitos municípios querendo desfazer o Samae e voltar para a Casan em alfinetada ao vereador Julio Kaminski (PSDB) que faz discursos contundentes de rompimento com a estatal.


Não veio

O governador Eduardo Moreira (MDB) não conseguiu participar do ato de ontem em Criciúma. Compromisso em Florianópolis, à noite, não permitiu a vinda.


Fim do recesso

O deputado eleito pelo PSL, Felipe Estevão, já anunciou que irá apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), logo no início da nova legislatura em fevereiro, para mudar o Artigo 46 da Constituição Estadual e acabar com o recesso parlamentar de meio de ano. Será o primeiro teste para os 40 deputados eleitos, mais da metade, em primeira experiência no Legislativo estadual.


Homenagem

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, está entre os homenageados da Comenda do Legislativo Catarinense, em sessão solene da Alesc. A indicação é do deputado estadual Ricardo Guidi (PSD).

O diretor do Hospital São José, Altamir Bittencourt, e o prefeito de Lauro Muller, Valdir Fontanella, também estão na lista dos homenageados. Foram indicados pelos deputados José Milton Scheffer (PP) e Valmir Comin (PP).


Próxima legislatura

Deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) recebeu, na terça-feira, no gabinete, o deputado estadual eleito Onir Mocellin (PSL), que será o líder do governo na Assembleia Legislativa (foto). Antes, Minotto esteve com a também deputada Paulinha da Silva (PDT). Os dois pedetistas tem tratado em conjunto as questões referentes a Alesc e devem trabalhar alinhados.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/11/2018 - 06:48Atualizado em 13/11/2018 - 09:33

Os jornalistas que tem a missão de cobrir o governador eleito Comandante Moisés estão “sofrendo”. Os políticos, também. Porque ele não dá espaço. Não conversa com ninguém além da sua equipe de transição (de poucos técnicos) e aqueles com quem ele quer se encontrar.

Para a imprensa, as informações (e áudios) são repassados (a conta gotas) pela assessoria de imprensa do governo.

Moisés não está usando nem a assessoria de imprensa do partido (e da campanha).

Ele se afastou de tudo (e de todos).

O seu foco é 100% na busca de informações sobre a situação do governo para montagem do “plano de voo”.

E ele segue determinado, não desvia um milímetro, ao melhor estilo militar.

Só depois, pelo que disse, é que passará a falar com “o mundo externo”.

A inquietação aumenta porque o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro vai sendo montado, com um ministro anunciado por dia. Enquanto isso, por aqui nada sai.

Mas, isso não quer dizer que o Comandante Moisés esteja errado, ou que o seu isolamento deva ser tratado como "má noticia”. Seria precipitado qualquer avaliação do tipo.

Por enquanto, é apenas um jeito diferente (e novo) de fazer, saindo do estilo tradicional, que estava velho (e contaminado).

Pior se já partisse para composições e acordos políticos, se achando pronto para o exercício de poder. Seria engolido com facilidade pela estrutura de poder.

Mas, o segundo passo vai levá-lo inevitavelmente ao ambiente político.

Ele quer aprovar na Assembleia Legislativa a reforma administrativa que pretende para o governo.

Para isso, terá que para tratar com os atuais deputados, muitos que não se reelegeram (a começar pelo presidente), e alguns liderados pelo seu adversário do segundo turno no plenário.

Com quem ele vai estar nessa “operação”, e como vai fazer, podem definir o norte e o perfil político do seu mandato.


Mudança no meio ambiente

Uma proposta que vem sendo avaliada pelo grupo de estudos do governador eleito Comandante Moisés é o deslocamento de todas questões de governo ligada ao meio ambiente para a Secretaria de Desenvolvimento Social. No entendimento que meio ambiente deve ser preservado, respeitado, não pode travar o desenvolvimento.


Dois nomes

Apesar de o Comandante Moisés repetir que não autoriza nenhuma especulação de nomes para o futuro secretariado, dois nomes são considerados certos.

Daniela Reinehr, vice-governadora, na Secretaria de Agricultura, e Lucas Esmeraldino, na Secretaria de Articulação Nacional em Brasília.


Pode ficar

O atual secretário de Comunicação do Estado, Gonzalo Pereira, pode ser mantido no cargo no governo do Comandante.

Gonzalo é técnico, não tem vinculação política e desfruta de bom trânsito no setor de comunicação.


Com Bolsonaro

O governador eleito Comandante Moisés estará hoje em Brasília com o presidente eleito Jair Bolsonaro e outros governadores eleitos.

Poderá ficar em Brasília para audiência na quarta-feira que foi marcada pelo deputado federal eleito Daniel Freitas com a futura ministra da Agricultura, deputada Teresa Cristina.


Sinal vermelho

O detalhamento das contas do Estado está preocupando o governador eleito Carlos Moisés. Em encontro com os desembargadores do Tribunal de Contas (TCE) ele admitiu que o sinal vermelho está aceso e que o Estado pode ficar impagável. O TCE vai elaborar um relatório para auxiliar o governador eleito na tomada de decisões. O documento irá levar em consideração a execução orçamentária do Executivo nos últimos anos e a estrutura patrimonial.


Vão trabalhar!

O juiz da comarca de Meleiro, Manoel Donizete de Souza, tratou de dar um “stop" na briga entre o advogado Jeferson Monteiro e o delegado Leandro Loreto.

Jeferson entrou em confronto com Loreto ao fazer a defesa da vereadora e advogado Maria Ondina Pelegrini, que também se declarou perseguida e ameaçada pelo delegado.

Na sentença em que negou o pedido de habeas corpus do advogado, que se disse ameaçado pelo delegado, o juiz arrematou:  "Recomendo que o impetrante e sua cliente e o impetrado procurem se concentrar em suas atuações no âmbito do(s) processo(s) e cessem com essa "guerrinha ridícula" de rusgas através da imprensa”. E ponto final!


Psicóloga cassada

O deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) se posicionou, ontem, contra decisão do Conselho Regional de Psicologia que cassou o registro profissional da psicóloga Patrícia de Souza Teixeira, de Tubarão.

A punição foi aplicada porque ela criticou em vídeo a ideologia de gênero nas escolas, defendendo a família tradicional. O processo tramita desde 2015.

Independente da posição, cassar o diploma e proibir de trabalhar porque é contra ou a favor determinada posição/proposta é uma agressão!


Contas aprovadas

Prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), teve suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas, referentes ao exercício 2017.

A relatora do processo, conselheira Sabrina Locken, deu parecer favorável e foi seguida pelo plenário.


Mais água

O presidente da Casan, Adriano Zanotto (a direita, de casaco preto) e o prefeito de Pescaria Brava, Deyvison Souza (ao lado de Zanotto), assinaram, ontem, contrato para instalação de uma agência da estatal no município.

Hoje, os serviços da Casan são encaminhados pela agência de Laguna.

O deputado Luiz Fernando Vampiro encaminhou o entendimento.

 
Dois julgamentos

Em Brasília, será julgado, hoje, o recuso do Ministério Público Federal que pede a cassação da candidatura de Jorginho Mello ao senado. Motivo - o segundo suplente, Beto Martins, de Imbituba, teria se filiado fora do prazo.

Se o recurso for acolhido, cai toda a chapa de Jorginho, ele perde a eleição para o Senado, e a vaga será de Lucas Esmeraldino, de Tubarão.

Amanhã, o STF deve julgar o recurso do deputado João Rodrigues, que ameaça o mandato do deputado federal eleito Ricardo Guidi.


Crescimento

Prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, esteve na sede da Librelato, ontem à tarde, em reunião com o CEO da empresa, José Carlos Sprícigo.

Trataram da ampliação do parque fabril, onde serão investidos R$ 9 milhões.

A empresa conta com atualmente 1.500 colaboradores.


A despedida do Bolan

Nilton Bolan era diretor dos supermercados Martins, e trabalhava na sede, Bairro Pinheirinho, ao lado do Bairro da Juventude. Praticamente todos os dias cruzava a divisa e ia lá ajudar. De alguma forma.

Até que um dia surgiu a ideia de unir cinco redes de supermercados para uma campanha pelo Bairro. E ele foi dos maiores entusiastas.

Todos os meses, quando era feita a prestação de contas na Rádio Som Maior, ele vibrava como se um título do seu time do coração.

Bolan era um homem bom. Além do Bairro, apoiou muitas outras organizações da comunidade.

Faleceu ontem, e deixou uma boa história de vida.


Top de Marketing

A empresa içarense Tintas Farben é a única representante do Sul entre as 18 premiadas pelo Top de Marketing da ADVB/SC. O case vencedor foi a Campanha de Prêmios - Copa Farben 25 anos, ação comercial direcionada a revendas e lojistas. A premiação será entregue, em Florianópolis, 28 de novembro.


Eduardo em Criciúma

Eduardo Moreira (MDB) faz uma de suas últimas agendas em Criciúma como governador. Hoje, ele estará na cidade para assinar ordens de serviço para a continuação da obra de esgotamento sanitário nos bairros São Luiz e Michele e as pavimentações, na região da Linha Batista, em contrapartida à construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que atende a região da Próspera. As assinaturas acontecem no Paço Municipal, Bairro Demoboski e Linha Batista.


Eleições na Unesc

Os mais de 10 mil alunos da Universidade do Extremos Sul Catarinense, a Unesc, escolhem, hoje, o novo presidente do Diretório Central dos Estudantes. A disputa é entre o atual presidente Alexandre Bristot, do curso de Direito, e Nícolas Crispim, também do Direito. Ontem à noite, os dois participaram de um debate (foto). O processo eleitoral neste ano ficou mais restrito ao ambiente da universidade.


Pedágio na BR

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realiza mais um encontro para debater a concessão do trecho Sul da BR-101. Será no dia 19 de novembro, em Florianópolis. Na parte da manhã será detalhado do projeto de concessão e à tarde os técnicos da ANTT vão fazer pequenos grupos de trabalho para discutir as demandas dos municípios. Será mais uma oportunidade para se bater na tecla de que quatro praças de pedágios é considerada um exagero para o Sul do estado. O fechamento de questão entre as lideranças regionais é de duas praças.


Exemplo vem de casa

O vereador Salésio Lima (PSD) tocou num ponto que vem sendo bem cobrado durante os últimos meses: o exemplo tem que vir de casa. Neste caso, Lima apresentou imagens de prédios públicos que ou não possuem ou apresentam calçadas muito deterioradas e próximos a esses prédios moradores são cobrados para que façam as suas calçadas. Um requerimento quer saber se existe alguma fiscalização neste sentido.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/11/2018 - 15:56Atualizado em 12/11/2018 - 17:57

O juiz da comarca de Meleiro, Manoel Donisete de Souza, negou pedido de habeas corpus do advogado Jeferson Monteiro em função de "ameaças" que teriam sido feitas pelo delegado Leandro Loreto.

O fato gerador foi uma entrevista do advogado na Rádio Som Maior, sexta-feira, quando disse estar recebendo ameaças do delegado. Convidado para vir ao estúdio tratar do assunto junto com o advogado, o delegado anunciou: "não vou, porque se eu for vou dar ordem de prisão ao Jeferson".

O advogado concedeu entrevista quando acompanhava a vereadora Maria Ondina Pelegrini, sua cliente, que teve prisão domiciliar revogada, e que também acusou o delegado de perseguição.  

A OAB de Criciúma já se manifestou em defesa do advogado Jeferson Monteiro e vai definir que medidas poderá tomar.

O Juiz Manoel de Souza afirmou em seu despacho:

"Examinando de forma minudente os fatos narrados na inicial, não encontrei elementos suficientes para deferir o salvo-conduto almejado pelo impetrante, pois o que existe de concreto, a meu ver, é uma ridícula 'guerrinha' de entrevistas e outras matérias em jornais e rádios, nada mais".

Mais adiante, o juiz registra na sentença, se referindo à ameaça de prisão:

"Só há três possibilidades de o impetrante vir a ser preso: a) prisão preventiva decretada; b) prisão temporária; c) prisão em flagrante. Ora, as duas primeiras obrigatoriamente exigem uma decisão judicial, que, ao que tenho conhecimento até este momento, não existe".

Quanto a terceira hipótese, o juiz diz ter a impressão que o delegado "estava se referindo à possibilidade, em tese, de prender o impetrante em flagrante possivelmente por crime de Desacato, o que, a princípio, uma vez configurado o crime, não teria ilegalidade, pois Advogado também se sujeita ao Código Penal, sim".

Por fim, o juiz nega a medida protetiva solicitada por não vislumbrar elementos concretos a demonstrar risco potencial de o advogado estar na iminência de vir a sofrer coação ilegal em sua liberdade de ir, vir e permanecer. E assim arremata nas últimas linhas: "Ainda, recomendo que o impetrante e sua cliente e o impetrado procurem se concentrar em suas atuações no âmbito do(s) processo(s) e cessem com essa "guerrinha ridícula" de rusgas através da imprensa".

A sentença foi assinada hoje .

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/11/2018 - 06:03Atualizado em 12/11/2018 - 09:57

O PSL tem uma disputa velada pela posição de protagonista neste processo de transição até a chegada ao poder.

Envolve dois políticos do sul do estado. Daniel Freitas, de Criciúma, deputado federal eleito com mais de 140 mil votos, e Lucas Esmeraldino, de Tubarão, presidente estadual do partido, que não se elegeu senador por apenas 18 mil votos (fez mais de 1 milhão de votos).

Daniel foi o mais votado do partido e o segundo mais votado do estado para deputado federal.

Lucas ainda acredita na possibilidade de cassação da candidatura se Jorginho Mello, em recurso do Ministério Público Federal, e que ele possa assumir o senado.  

Daniel já se colocou na articulação nacional do partido, tem se reunido com autoridades do futuro governo, faz conversas frequentes com os Bolsonaro (Jair e os filhos) e mantêm sintonia fina com o governador eleito Comandante Moisés.

Na sexta-feira, antes da reunião do partido, em Aguas Mornas, Daniel e Moisés se reuniram.

Daniel marcou reunião de Moisés com o futuro ministro da economia, Paulo Guedes.

Daniel não será secretário de estado, mas terá condições políticas de indicar quem será. 

Lucas mantêm boa relação com Moisés, mas foi afastado de todas as reuniões que vem sendo encaminhadas para montagem do futuro governo. Não foi convidado para nenhuma delas.

Na reunião estadual do partido, sexta-feira à noite, Daniel e Lucas chegaram a se contrapor em algumas questões, no primeiro sinal externo da disputa pelo protagonismo do processo.

Logo depois da eleição, Lucas Esmeraldino chegou a ser tratado como “primeiro ministro” ou “homem forte” do futuro governo. Nos bastidores, era dito que as decisões passariam por ele, até porque Moisés era seu assessor, foi ele que o levou para o partido e bancou sua candidatura ao governo.

Hoje é dito que se Lucas fizer parte do futuro governo, será nomeado secretário de articulação nacional em Brasilia (pasta que foi ocupada por Acelio Casagrande até início de 2018).

A mostrar que o Comandante não vai correr risco de um "poder paralelo" dentro do seu governo.


De passagem

Como previsto, o governador eleito Comandate Moisés participou da reunião estadual do PSL, sexta-feira à noite em Aguas Mornas. Mas, por apenas 25 min.

Moisés fez apresentação da equipe de transição, reafirmou que não está tratando ainda do secretariado e que sua prioridade hoje é a definições de ações de governo.

Está confiante em conseguir aprovar ainda neste ano uma reforma administrativa para redução da maquina, com destaque para extinção de todas as secretarias regionais e fusão ou incorporação de secretarias.


OAB questiona delegado

As ameaças feitas pelo delegado Leandro Loreto ao advogado Jeferson Monteiro, na sexta-feira, durante entrevista ao repórter Jota Del Fabro, da radio Som Maior, provocaram reação da OAB.

O presidente da OAB de Criciúma, advogado Fabio Jeremias de Souza, classificou como “graves” as afirmações feitas pelo delegado.

Hoje, a direção da OAB vai se reunir com o advogado Jeferson Monteiro para decidir os encaminhamentos aplicáveis ao caso.

Na sexta-feira, o advogado disse na Som Maior que o delegado o ameaça e persegue. Ao ser convidado para um debate, o delegado afirmou: “eu não vou ao debate porque se eu for eu prendo o Jeferson na hora; eu já estive perto de prendê-lo na semana passada”.

O presidente da OAB disse que repudia a manifestação do delegado.


Salesio candidato

Se o PSD tiver candidato a presidência da câmara de Criciúma será o vereador Salesio Lima.

Ele teve declaração de apoio da vereadora Camila do Nascimento na reunião do partido no sábado.

Como são três vereadores na bancada, Salesio passa a ter maioria.

O terceiro vereador da bancada, Zairo Casagrande, também apresentou sua candidatura.


Mais dez

A câmara de Criciúma ainda terá 10 sessões ordinárias até encerrar o ano. 

A última será no dia 11 de dezembro e deve ser marcada pela eleição da nova Mesa Diretora. Até lá ainda terão que ser avaliados projetos importantes como as isenções dos tributos municipais e o orçamento do município para 2019. São projetos que devem ser colocados em pauta nas próximas sessões. 

No dia 12 de dezembro, ainda terá uma sessão solene com entrega de títulos a pessoas que contribuem de alguma forma com o desenvolvimento da cidade.


Lucro da Criciuma

O advogado Marcos Rinaldi Fernandes, que representa grupo de credores da Criciúma Construções, garante que só em dois empreendimentos da empresa que serão concluídos, o empresário Rogerio Cizeski terá “uma sobra” de mais de r$ 6 milhões.

Pelo processo da recuperação judicial que está e curso, os empreendimentos são tratados individualmente e o "lucro" de um não pode ser usado para conclusão ou construção de outro.


Juiz vai se manifestar

O juiz Rafael Milanese, que está responsada pelo processo de recuperação judicial da Criciúma Construções, vai conceder entrevista coletiva amanhã, 15h, na Acic.

Vai esclarecer principalmente sobre a possibilidade de conclusão do processo até os primeiros meses de 2019 e devolução da empresa para Rogerio Cizeski.

Também participarão, o administrador judicial Agenor Dalfemback Junior, o gestor judicial Zanoni Elias e os advogados Lucas e Alexandre Farias, que representam Cizeski.


Custodinho

Faleceu no sábado o criciumense Custodio de Souza, 63 anos, evangélico, liderança política, atuante por mais de 20 anos. Chegou a assumir como vereador de Criciúma.

Ele era o chefe de gabinete do deputado Kennedy Nunes (PSD).

Foi internado na quinta-feira após sentir-se mal e faleceu por infecção generalizada.


Projeto

Câmara de vereadores vai votar projeto do vereador Ademir Honorato (MDB) que pretende isentar do pagamento do IPTU o imóvel de pessoas portadoras de doenças graves. São listadas como passíveis de isenção: câncer, paralisia irreversível e incapacitante, Parkinson e Alzheimer, esclerose múltipla e esclerose lateral amiotrófica, conhecida como ELA. Porém para passar a valer a partir do ano que vem, o projeto precisa ser aprovado no Legislativo e sancionado em seguida pelo prefeito Clésio Salvaro. 

Aliás, já tramita na Câmara de Vereadores o projeto encaminhado pelo Executivo garantindo isenções do IPTU já exercidas pelo Município e que precisam ser atualizadas após o novo Código Tributário.


Serviço Aeromédico

O vereador Tita Belloli (MDB) faz requerimento na sessão de hoje para oficializar o que vem cobrando nas últimas sessões. Solicita que uma comissão seja criada para tratar da implantação do serviço aeromédico no Sul do estado.


Extinção cartórios

Um projeto de lei foi encaminhado pelo Tribunal de Justiça para a Assembleia Legislativa para a extinção 75 cartórios espalhados em distritos. O motivo foi a falta de interessados em administrar esses cartórios. Do Sul estão na lista, Aiurê e Invernada (Grão-Pará), Azambuja (Pedras Grandes), Barro Branco e Guatá (Lauro Müller), Hercílio Luz (Araranguá), Pindotiba (Orleans), Rio D'uma (Imaruí), Vargem dos Cedros (São Martinho) e Vila Conceição (São João do Sul).


Empresário piloto

O empresário criciumense André Gaidzisnki, ex-presidente e atual vice-presidente da Facisc (Federação de Associações Empresários do estado) foi segundo colocado na última etapa da Porsche GT3 Cup 3.8, realizada no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Prova foi disputada antes da Formula 1.

Com o segundo lugar, André subiu ao podium e ficou em sexto na classificação geral.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/11/2018 - 14:25Atualizado em 10/11/2018 - 14:31

O governo de Criciúma está fechando 2018 bem diferente de 2017. Muito melhor. As contas estão equilibradas e vão fechar "no azul”. A receita própria teve crescimento expressivo, passando a ser maior que os repasses do Governo Federal e Governo do Estado e há uma previsão de aporte de R$ 150 milhões para investimentos.

O primeiro sinal da nova fase é o orçamento do Governo do Município para 2019 - 42,14% maior que 2018. Passa de R$ 700 milhões para R$ 995 milhões.

A primeira explicação para o aumento é evitar o que aconteceu nesse ano, quando o orçamento foi muito “apertado” e a partir de setembro em muitas áreas a Prefeitura tem dinheiro em caixa, mas não tem dotação orçamentária para liberação. Isso amarra a gestão, exige negociações com a Câmara de Vereadores para aprovar transposições, transferência e outras “manobras”.

Mas, não é só isso. A economia aqueceu, os números estão melhores e a previsão de receita é otimista.

O secretário da Fazenda, Celito Cardoso, de atuação elogiável, fez crescer a receita própria, adotando medidas como “desconto zero” no IPTU e maior eficiência na cobrança de impostos.

Os novos auditores que entraram na Fazenda, aprovados em concurso público, tiveram participação decisiva. Eles fizeram diferença e ajudaram a aquecer a receita.

Hoje (pela primeira vez) a receita própria da Prefeitura já representa 55% da receita. Sempre foi o inverso. Maior volume era dos repasses do Governo do Estado e Governo Federal (principalmente ICMS).

A previsão para 2019 é que a receita total não seja menor que R$ 800 milhões. Mas, se “entrar" tudo o que está projetado, pode até ultrapassar a marca histórica de R$ 1 bilhão.

Sobre a sua mesa, o prefeito Clésio Salvaro tem uma programação de “aportes" possíveis para a Prefeitura, escrita por ele de próprio punho.

Só do Fonplata, mais de R$ 70 milhões. Da Caixa, R$ 30 milhões. Somando outros todos, chega a R$ 150 milhões.

Não quer dizer que 2019 será um ano de vacas balofas. Mas, é fato que o tempo de vacas magérrimas passou.

Se tudo sair como combinado/programado, o ano será marcado por muitas novas obras no município.

 

A reação

Numa loja de móveis para escritório, área central de Criciúma, a proprietária, animada, comentou: “depois da eleição, não parei de fazer orçamentos, encomendas e negócios; parece que estava todo mundo esperando o que ia dar”.

É o sentimento geral. A impressão é que o país “destravou".

O setor produtivo estava numa espécie de “greve branca”. Parado, esperando o que ia acontecer, para depois decidir sobre investimentos.

 

Salvaro e a eleição na Câmara

PSDB e PSD, na formalidade, são partidos do Governo Salvaro na Câmara. PSDB é o partido do prefeito, PSD é o do vice.

Vereadores Dailto Feuser, PSDB, ex-presidente do partido, e Salésio Lima, PSD, articulam nos bastidores para fazer maioria no plenário e eleger os presidentes da Câmara para 2019 e 2020 (eleição será no início de dezembro). Em princípio, os dois seriam os presidentes.

Mas, para isso, eles têm que “quebrar" o grupo dos nove, formado depois da eleição de 2016, que elegeu o presidente Julio Colombo e acertou que os presidentes em 2019 e 2020 serão do PP e MDB.

Salésio e Feuser precisam tirar de lá (do grupo dos nove) dois vereadores. E estão fazendo conversas para isso.

O prefeito Salvaro, se quiser, e decidir se envolver, decide o jogo e garante vitória na operação de Feuser e Salésio.

Mas, se o acordo do grupo dos nove for cumprido, os novos presidentes serão Miri Dagostim (PP) e Tita Beloli (MDB), que são muito próximos dele. Mais até que vereadores de PSD e PSDB. Em muitas situações, mais até que os dois aliados na formalidade que lideram a nova articulação (Salésio e Feuser).

Diante disso, Clésio deve fazer olhar de paisagem quando alguém puxar o assunto com ele. Não deve se envolver. E isso será na pratica um estimulo à manutenção do grupo dos nove.

Ele já fez assim em 2016, quando o grupo dos nove elegeu Julio Colombo presidente da Câmara.

Julio Kaminski era o candidato do PSDB, seu partido. Mas, Colombo era mais próximo, mais aliado.

 

Criciumense é destaque em Brasília

O criciumense Fabricio da Soller, procurador geral da Fazenda Nacional, foi homenageado em Brasília pela sua atuação no cargo desde 2016 (na foto, ao centro).

Faz poucos dias, ele também recebeu homenagem da Aeronáutica e Marinha.

Ele é funcionário de carreira como procurador da Fazenda faz 20 anos e chegou à função por critério técnico, sem interferência política.

 

Está saindo

Calçadão no Balneário Rincão está saindo (foto de ontem). Obras a todo vapor.

Será um fato histórico no balneário, um divisor de águas.

Todos falaram em fazer, mas disseram que esbarraram nos órgãos ambientais.

Na real, era só fazer projeto bem feito, seguindo as exigências técnicas.

 

Juntos e misturados

Julio Lopes, presidente do PSL de Criciúma, coordenador do partido na região, reuniu todos os dirigentes do partido de Garopaba e dos municípios da Amrec, colocou dentro de um ônibus, e levou para a reunião de ontem à noite com o Comandante Moisés. A primeira reunião do partido com o governador eleito.

 

Prêmio da Damyller

Damyller, uma das mais sólidas e importantes empresas da região, venceu ontem o prêmio Eco 2018. Modalidade - moda planeta grandes empresas.

Um prêmio nacional que tem a ver com os novos tempos, e com jeito moderno de pensar e agir.

Foi a segunda vez que a Damyller venceu esse prêmio.

 

Representatividade feminina

Um palanque dominado por mulheres no evento de encerramento do Mutirão de Conciliação, realizado em parceria do Fórum e Prefeitura de Criciúma. A procuradora Ana Cristina Youssef representou o Executivo ao lado de secretárias e representantes de setores e foram recebidas pelas juízas Débora Zanini e Eliza Strapazzon. O cerimonial foi feito pela jornalista Vivian Sipriano (foto). Uma cena que já deveria ser comum, mas que ainda chama atenção.

 

R$ 34,5 mil em acordos

O resultado do Mutirão de Conciliação foi aproximadamente 200 audiências e mais de R$ 34,5 mil em acordos de dívidas de IPTU.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/11/2018 - 06:14Atualizado em 09/11/2018 - 09:13

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) teve que fazer uma “live" ontem, 18h30, para garantir que nenhum secretário ainda está definido. Disse que “as listas que circulam”, são apenas especulações. 

Admitiu que vem conversando com possíveis integrantes do futuro governo, mas reforçou que nenhum convite foi feito.

O estilo do governador eleito vem alimentando especulações, e angustiando os aliados.

Moisés está agindo diferente de todos os outros governadores eleitos, e do próprio presidente eleito do seu partido, Jair Bolsonaro.

Está totalmente distante da mídia e do partido, fechado com um grupo de técnicos, com quem tem estudado a “máquina pública”.

O primeiro contato com o partido depois de eleito será hoje à noite, em Aguas Mornas.

O presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, convocou reunião com os dirigentes das executivas municipais e deputados eleitos.

Comandante Moisés vai para “acalmar" o grupo.

Poderá, inclusive, fazer anuncio dos primeiros nomes do novo governo. Mas, se o fizer será de surpresa, porque nada está programado.

O certo é que Moisés vai repetir que o governo será de perfil técnico, incluindo servidores de carreira, e que não vai levar deputados para o secretariado.


Presidência

Moises também não vem fazendo conversas políticas sobre a eleição para presidência da Assembléia. O único movimento que fez até agora foi orientar os deputados do seu partido, o PSL, que negociem com um grupo politico alinhado com as teses do futuro governo.


O espaço de Lucas

Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL, chegou a ser tratado logo depois da eleição de “futuro super-secretário”.

Mas, hoje existe a duvida se Lucas participará do governo.

Moisés não o levou para nenhuma das reuniões.

Além disso, repetiu mais de uma vez que Lucas terá a partir de agora "uma grande missão”, que é estruturar e organizar o partido. 

Pode ter sido a sinalização que ele não será secretário.

Moises era assessor de Lucas, que "bancou" sua candidatura ao governo.


Dani com Maia

O deputado federal eleito Daniel Freitas levou ontem a futura bancada federal catarinense do PSL para um encontro com o deputado federal carioca Rodrigo Maia (DEM), que trabalha para ser eleito presidente da Câmara.

Antes, Daniel conversou com o deputado reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL), que deu “sinal verde”. Só recomendou que ainda não assumissem compromisso.

Daniel está alinhadíssimo com o presidente eleito Jair Bolsonaro, e votará para presidente da Câmara no candidato que ele indicar.


Nicola aceitou

O prefeito Clesio Salvaro (PSDB) garantiu ontem à noite que o jornalista Nicola Martins, presidente da executiva municipal do PR, aceitou o seu convite e vai assumir a presidência da fundação de esportes.

Os dois se reuniram ontem pela manhã para tratar de planos e projetos para a fundação.   

O convite de Salvaro foi feito na segunda-feira. 

No final da tarde, Nicola disse que ainda dependia de uma resposta de Salvaro às sugestões que havia apresentado.


Liberada

O juiz Marciano Donato, da comarca de Meleiro, revogou ontem à tarde a decisão que mantinha a vereadora Maria Ondina Caldas Pelegrini em prisão domiciliar.

Além disso, o juiz restabeleceu o seu direito de exercido da função de vereadora. Ela reassumirá hoje na câmara de Meleiro.

Maria Ondina chegou a ser recolhida ao presidio em 2017, mas estava em recolhimento domiciliar desde março.


Mantida a agonia

Pelo mesmo motivo da semana passada (falta de ministros na sessão), foi adiado de novo o julgamento no STF do recurso do deputado João Rodrigues (PSD), que ameaça o mandato do deputado criciumense Ricardo Guidi (PSD).

Em principio, o julgamento deve sair na próxima semana.


Com Udo

A diretora executiva do Bairro da Juventude, Silvia Zaneti, e o diretor de projetos, Nei Souza, foram recebidos em Joinville pelo prefeito Udo Döhler.

O prefeito visitou o Bairro no primeiro semestre, ficou bem impressionado, e ao receber os seus diretores fez questão de chamar os secretários municipais para ouvi-los.


Vereadora de Treviso

A denuncia contra a vereadora Crisleide Cimolim (MDB), de Treviso, que pedia a cassação do seu mandato, foi assinada pelos vereadores Nelson Levati (PP), Rodrigo Nava (PSB) e Gabriel Mariani (PP), e também pelo prefeito Jaimir Comin (PP), o vice-prefeito Rodrigo Fenile (PSB) e 13 moradores do municipio.

A acusação é que ela não reside em Treviso, mas em Siderópolis, o que não é permitido pela Lei Orgânica Municipal.

O relator do processo deu parecer pelo arquivamento da denuncia, e o seu parecer foi aprovado pela maioria.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/11/2018 - 06:13Atualizado em 08/11/2018 - 10:27

Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas pelo que foi dito e apresentado ontem, são dois casos em que o cidadão vai levar prejuízo.

Na Criciúma Construções, o período de dois anos do processo de recuperação judicial está se encerrando e a tendência é que o empresário Rogerio Cizeski reassuma a empresa no primeiro trimestre de 2019.

Quase 30 empreendimentos continuam pendentes, alguns inacabados, outros nem iniciados, mas Cizeski não terá obrigação de concluir e entregar as obras.

Se o “credor" quiser (e puder) vai ter que aportar mais recursos para concluir as obras. Caso contrário, vai “morrer" com o que já pagou.

Cizeski poderá ter lucro com o saldo de negócios que vierem a ser feitos com o “estoque” de empreendimentos que estão prontos, ou que venham a ser concluídos.

Mas, o saldo positivo de um empreendimento não poderá ser “arrastado" para concluir o outro. São regras da recuperação judicial. 

No fim das contas, pelo que está encaminhado, se realmente o processo for concluído no fim do ano, Cizeski vai reassumir livre, leve e solto, e o processo todo serviu para ajustar as contas da empresa para ele. O prejuízo ficará só com o credor.

Isso não está pegando bem!

Tudo isso foi dito ontem, por quase 1hora, na Som Maior FM, ao vivo, quando o assunto foi dissecado com o gestor judicial, o administrador judicial e o advogado contratado pelo gestor judicial. As reações do público, por wathsap, foram muito ruins.

O pensamento majoritário é que o cliente/credor que foi lesado estava até agora calado, esperando, porque o assunto estava sob controle da justiça, com Cizeski de fora. 

Mas, agora a justiça está em vias de dar por encerrada a sua participação, se retirando do casso, e Cizeski volta à cena sem compromisso com o que ficou “pendente”, muda tudo.


Pedágio - conversa ruim

Na Acic, à tarde, outra conversa atravessada, com indicativo de prejuízo no bolso do cidadão.

Nada contra a implantação de pedágio. Que precisa ser implantado, o quanto antes, para garantir manutenção da rodovia duplicada. Mas, não de qualquer jeito.

Os argumentos técnicos da equipe da Fiesc não foram convincentes. Porque nada justifica tratamento diferente entre os trechos norte e sul, com prejuízo "de novo” para o pessoal do sul.


Falando grosso

Foi bom ouvir o prefeito Valdir Fontanella, de Lauro Muller, empresário do setor de transporte, falando grosso contra as que estão pretendendo impor no trecho sul da br 101, com tarifa mais cara e distância menor entre as praças de pedágio.

Melhor ainda é saber que a sua postura não é isolada. Os prefeitos estão na mesma sintonia. E os empresários também.


São cinco praças

Se considerar que o trecho sul da br 101 é a partir de Florianópolis, serão cinco praças de pedágio. Porque já tem uma em Paulo Lopes, e serão implantadas mais quatro.

De Florianópolis em direção ao Paraná, que é o trecho norte, são só três praças.


O documento

A comissão de empresários e políticos vai se reunir hoje para aprovar redação final do documento que será entregue no governo federal com a posição do sul do estado sobre as praças de pedágio.

Em síntese, deve insistir no mesmo valor de tarifa para os trechos sul e norte, e a mesma distâncias para as praças de pedágio.

Hoje a tarifa no trecho norte é r$ 2,70 e o projetado para o sul é r$ 4,20 (valor de hoje).

As praças de pedágio no norte ficam distante 100 quilômetros uma da outra, e para o sul a distância projetada é de 50 quilômetros.


Novo governo

Governador eleito Comandante Moisés (PSL) tem que ser acionado para entrar no assunto dos pedágios no sul.

Os deputados do seu partido no sul (dois estaduais e um federal) devem tratar do assunto com ele com urgência.

Moises e o PSL do estado precisam aproveitar o alinhamento com o presidente eleito Jair Bolsonaro e pedir sua intervenção no caso. Se ele pedir, o atual governo pára tudo. E o assunto será decidido, com calma, e coerência, em 2019.

Está aí a primeira missão, o primeiro desafio, para os novos eleitos.


Atual governo

O governador Eduardo Moreira (MDB), que é do sul, ex-prefeito de Criciúma, não usou da força do cargo para frear ou fazer um ajuste de rota no caso dos pedágios.


Time de transição de Moisés

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) surpreendeu de novo. A sua equipe de transição, que anunciou ontem à tarde, não tem nenhum integrante da coordenação da sua campanha, nenhum politico e ninguém do partido.

São técnicos, desconhecidos da direção do partido, e militares, da relação pessoal do governador eleito.

Ontem, fim da tarde, o governador eleito fez primeira reunião com a equipe de transição (foto). 

Amanhã, ele terá reunião com a direção estadual do PSL, executivas municipais e deputados eleitos.


Lider da bancada

O deputado eleito do sul, Felipe Estevão, será o líder da bancada do PSL na Assembléia.

Anúncio será feito amanhã, na reunião dos deputados com o Comandante Moisés.


Garantido

O deputado Ronaldo Benedet (MDB) esteve ontem no Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), em Brasília, e recebeu a notícia de que ainda restam cerca de R$ 20 milhões já empenhados, o que garante a continuidade até fevereiro/março. 

O restante da verba, aproximadamente R$ 50 milhões, está em tramitação no Congresso Nacional. 

O deputado acredita que não haverá problemas na aprovação e que o lado catarinense da br 285 deverá ficar pronto ainda em 2019.

Já o lado gaúcho, onde não houve empenho político, as notícias são ruins. Sem previsão sequer de orçamento. 


Troca de comando

O vice-prefeito Xande Feltrin (MDB) assumiu ontem a prefeitura de Sideropolis. Ficará como prefeito por 20 dias.

O prefeito Helio Alemão Cesa (MDB) pediu licença para tratamento de saúde.


No terminal

Faz dois meses que um caminhão derrubou uma parte do telhado do terminal de ônibus do bairro Pinheirinho. Até hoje não foi feito conserto.


Premiado

Sabrina Pacheco representou o Sicredi de Criciúma no evento da Você S/A, em São Paulo, quarta feira à noite, na entrega do prêmio “melhores empresas para trabalhar”.

O Sicredi nacional recebeu o prêmio como primeiro lugar na categoria “cooperativas de crédito”. Foi o segundo ano consecutivo.

É o oitavo ano consecutivo que a instituição é incluída no ranking. 


Vereadora fica no cargo

A vereadora de Treviso Crisleide Cimolim (MDB) contou com os votos de quatro colegas para permanecer no cargo. Ela enfrentou processo de cassação, acusada de não residir em Treviso, mas em Siderópolis, o que não seria permitido pela Lei Orgânica Municipal. 

A denúncia foi feita pelos vereadores Nelson Levati (PP), Rodrigo Nava (PSB) e Gabriel Mariani (PP) ao Ministério Público, que encaminhou o fato para que passasse por votação no Legislativo. Esses três vereadores e a acusada não puderam votar. Com isso, Reginaldo Rizzati (MDB), Luciano Miotelli (MDB), José Bonomi (MDB) e o presidente Sidnei Viola (PP) votaram a favor do parecer do relator (Rizzati) que favorecia a vereadora. O voto contrário foi de Jhotanan Kurtz (PSB). Detalhe é o voto do presidente, que mesmo sendo do PP se elegeu ao cargo com o apoio do MDB. 


À frente dos negócios

Empresas da região que são comandadas por mulheres serão apresentadas, hoje, durante a 2ª Mostra Feminina de Negócios na sede da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC). A intenção é evidenciar o trabalho da mulher em cargos de lideranças. A realização é do Núcleo da Mulher Empresária.


Com Grazzi

O criciumense Rubens Angelotti Junior, o Rubão, fez sessão de fotos ontem com Grazzi Massafera.

Ele está trabalhando para uma marca nacional que lançará campanha nos próximos meses.

Rubão é um dos melhores diretores de fotografia (e de imagens) do país.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13