Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/03/2020 - 07:07Atualizado em 01/03/2020 - 07:08

Pelo que está encaminhado, o candidato do governador Carlos Moisés a prefeito de Criciúma será o vereador/advogado Julio Kaminski, que vai se filiar no PSL na próxima semana.
Ele fez um movimento importante na semana passada, juntando dois grupos políticos, e encorpando a sua candidatura.
Em se tratando de partidos da base de apoio do governador na Assembléia, tem mais dois candidatos no páreo. Anibal Dário, MDB, e Rodrigo Minotto, PDT.
Anibal está em plena campanha, muito animado, recebendo manifestações de estímulo de vários setores.
Ele ainda não se filiou no MDB, mas o fará durante o mês de março.
O seu desafio é fazer uma campanha de renovação no partido que é o “mais velho” de todos que estão no processo (é que o tem mais tempo de vida).
Minotto foi praticamente o primeiro dos três a se apresentar, está tratando com técnicos, profissionais liberais e professores das universidades faz mais de um ano.
Em curto prazo, nenhum dos três vai admitir jogar a toalha.
Mas, é uma possibilidade.
Na medida em que o governador decide enfrentar o prefeito Salvaro nas urnas, um possível adversário para 2022,  não perder de goleada, nem pagar mico.
Então, apesar do que está posto, as circunstâncias do processo e o andar da campanha é que devem influenciar nas decisões.

Kaminski e cia com Moisés
O grupo de políticos de Criciúma que anunciou migração para o PSL na semana passada, liderado por Julio Kaminski e Jeferson Monteiro, será recebido pelo governador Carlos Moisés na segunda-feira, 14h.
Vão acertar na oportunidade a vinda do governador à Criciuma para um ato politico de filiação coletiva.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/02/2020 - 18:31Atualizado em 28/02/2020 - 18:33

O vice-presidente Hamilton Mourão deixou a melhor das impressões na palestra de hoje em Florianópolis. Cauteloso, faz um contraponto ao presidente Jair Bolsonaro, sem divergir do foco, que é semelhante, mas a forma de expor e a postura são elogiadas. Muitos empresários da região foram a Florianópolis acompanhar a palestra.

Kaminski com Moisés

Por aqui, o grupo do vereador Kaminski, que acaba de migrar para o PSL, com Kaminski candidato a prefeito, tem o grupo de aliados do veredor e o de aliados de Jeferson Monteiro, todo esse grupo novo será recebido pelo governador Carlos Moisés na próxima segunda-feira. Será a primeira vez que a comitiva vai ser recepcionada pelo governador. Nessa oportunidade será definida a data que Carlos Moisés virá a Criciúma para o ato político de filiação de todos eles. Essa data será definida na segunda-feira, 14h.

Movimentos no Arroio do Silva

No começo da semana a técnica da área de Saúde Patrícia Paladini, do Arroio do Silva, que foi chefe da Regional de Saúde em Araranguá e hoje é da diretoria do Instituto Maria Schimitt, encaminhou sua migração para o PL, que é presidido pelo senador Jorginho Mello. Pelo PL, ela pode ser candidata a prefeita ou vice do ex-prefeito Evandro Scaini, que está indo do PSD para o PSL. Tudo encaminhado, inclusive com o grupo do PSD indo com ela para esse processo. Rapidamente, a vereadora Greyce Copetti sentou com o coordenador regional do PL, Márcio Búrigo, e passa a ser a candidata do PL para a majoritária no Arroio do Silva. Greyce Copetti passou à frente de Patrícia Paladini, e passa a ser o nome do partido na cidade. Mas Greyce não será vice de Evandro Scaini, mas sim de Jairo Borges ou então candidata a prefeita.

Em Araranguá, chapa do PL

Outra do dia, também do PL, senador Jorginho Mello esteve em Capivari de Baixo. Lá esteve também Márcio Búrigo. Jorginho conversou com Primo Menegalli Júnior, vice-prefeito pelo PL e que deverá ser candidato a prefeito em Araranguá. Na conversa com Jorginho, bateu o martelo, e terá o vereador Igor Batista, que se elegeu pelo PV e está indo para o PL, como vice-prefeito. Primo Júnior com Igor Batista, chapa formada.

O quadro em Araranguá se desenha com Mariano Mazzucco à reeleição, César Cesa pelo MDB, Primo Júnior pelo PL, Ricardo Ghellere candidato a prefeito pelo PSL e, provavelmente, um candidato do PT. Esse é, de momento, o quadro mais provável para a eleição em Araranguá.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/02/2020 - 14:47Atualizado em 28/02/2020 - 15:04

A vereadora Greyce Copeti, de Arroio do Silva, acaba de definir sua filiação no PL, durante reunião com o ex-prefeito Marcio Burigo, coordenador do PL na região.

A reunião aconteceu em Criciúma. Filiação será formalizada na sexta-feira, em Florianópolis, em reunião com o senadorJorginho Mello, presidente estadual do PL.

Com a filiação, Greyce passa a ser o nome do PL para a chapa majoritária em Arroio do Silva. Como candidata a prefeita em chapa pura, ou a vice em caso de composição.

Um grupo filiado ao PSD vai seguir a vereadora. O ex-vereador Regio Coelho estava na reunião e já acertou filiação.

O presidente do PL no Arroio deve ser o advogado Anderson Silveira.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/02/2020 - 06:10Atualizado em 28/02/2020 - 06:48

Empresários de Criciúma procuraram a Acic, a prefeitura e devem ir à Câmara de Vereadores, para defender que o SAER seja deslocado para o aeroporto Diomício Freitas. Lá, inclusive, nem será necessário construir hangar. Já tem a disposição.

Nesta quinta-feira, 27, foi anunciado que o deputado Daniel Freitas garantiu liberação, por emenda parlamentar, de R$ 730 mil para construção de um hangar no Parque dos Imigrantes, para onde deve ser deslocado o SAER.

Sustentam os empresários que o aeroporto é o local adequado, onde o helicóptero precisa ir todos os dia para abastecer. Alem disso, a operação do SAER, mais os vôos privados, podem garantir sustentação do aeroporto.

Aeroporto 2

A Acic deve reunir os proprietários de aviões particulares que operam no aeroporto Diomício Freitas para discutir a possibilidade de eles assumirem a gestão do aeroporto.

Outra possibilidade que circula no bastidores é que o prefeito Clesio Salvaro, se reeleito, pode tentar negociar o aeroporto com o município de Forquilhinha. Ele já teria sinalizado positivamente.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/02/2020 - 06:09Atualizado em 28/02/2020 - 06:45

Abre na próxima semana a tal “janela de transferência”. Projetos eleitorais de vários políticos dependem dela. Com a permissão da lei, políticos com mandato que vão disputar a eleição de outubro podem trocar de partido sem o risco de enquadramento na lei da “infidelidade”.

Na câmara de Criciúma pelo menos cinco dos 17 vereadores  já estão com “passaporte carimbado”. Outros cinco, ainda avaliam possibilidades, e sete vereadores não tem projeto de mudança de endereço.

Entre os cinco que vão mudar de partido, um já está candidato a prefeito. Julio Kaminski. Ele vai sair do PSDB para o PSL. Edson Paiol, hoje no PP, deve acompanhá-lo. Pastor Jair, no PSC, está apalavrado com o PSD. Zairo Casagrande, saindo do PSD, deve migrar para o PDT.

Julio Colombo, ainda no PSB, estava até pouco tempo entre o PSDB e o PSD. Até que a nora, Julia Zanatta, se firmou candidata a prefeita pelo PL, representando os bolsonaristas. E ele pode acompanhá-la.

No MDB, o vereador Ademir Honorato, que já era considerado “carta fora”, pode ficar e disputar a reeleição. Mas, ainda pode sair. De outro lado, os vereadores Tita Beloli e Toninho da Imbralit, tem futuro indefinido. Os dois são aliados de Salvaro e podem seguir para o PSDB ou um dos partidos aliados do prefeito. Há conversações em andamento. Ontem, inclusive.

No PSDB, o vereador Dailto Feuser já esteve mais distante do governo, e reaproximou. Ele tem convites, no entanto, e também é incluído na coluna dos “indefinidos”.

Único integrante da atual legislatura que não deverá disputar eleição é Camila do Nascimento, do PSD.

Se todos os indefinidos optarem pela mudança de partido, será praticamente 2/3 do plenário. A maior “dança das cadeiras” na câmara de Criciúma. Efeito das circunstâncias locais de momento, mas também do novo ambiente politico no país e da fragilidade dos partidos.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2020 - 16:41Atualizado em 27/02/2020 - 16:45

O presidente do MDB de Criciuma, advogado Rodrigo Ganso, acaba de se reunir com os quatro vereadores do partido.

Trataram da eleição de outubro e o presidente fez apelo para que todos permaneçam no partido.

Na saída da reunião, o presidente afirmou: "Estamos todos juntos no mesmo projeto, trabalhando em prol à construção de uma nominata forte de vereadores e unificados na pré-candidatura majoritária que o partido homologou (médico Anibal Dário)".

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2020 - 06:18Atualizado em 27/02/2020 - 06:46

O deputado federal Daniel Freitas e o ex-prefeito Marcio Búrigo passaram o dia juntos, ontem, articulando candidaturas e filiações para o PL. Márcio é coordenador do PL na região. Daniel diz que o PL é o partido que terá o selo “bolsonarista" em Criciúma e região. Os candidatos do partido terão o seu apoio e do deputado estadual Jesse Lopes.

Daniel 2

Daniel e Márcio tiveram reuniões com vereadores de Criciúma, na Câmara, ontem à tarde.

O deputado avalia que pelo menos dois devem se filiar ao PL para disputar reeleição. “Fizemos questão de deixar claro aos vereadores que revogada aquela deliberação de não aceitar quem já tem mandato”, reforçou.

À noite, Daniel teve reunião em Siderópolis, e durante o dia tratou, junto com Márcio Burigo, de candidaturas em Cocal do Sul e outros municípios da região.

Daniel 3

O deputado Daniel diz que tem orientação do presidente Bolsonaro para “encorpar" a chapa do PL em Criciuma, com montagem de boa nominata de candidatos a vereador e atraindo aliados para a candidatura de Julia Zanatta a prefeitura. “Vamos conversar com todos os partidos autorizados pelo presidente Bolsonaro, o que exclui a esquerda e o PSL”, completou.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2020 - 06:18Atualizado em 27/02/2020 - 06:42

Em uma das reuniões com os vereadores de Criciuma nesta quarta-feira, 27, o deputado Daniel Freitas comunicou ao presidente da Câmara, Tita Beloli, que está feita a operação para garantir permanência do SAER em Criciúma.

Foram viabilizados R$ 730 mil, por emenda parlamentar, para construção de um hangar junto ao Parque dos Imigrantes, no Rio Maina.

O imóvel onde está hoje o SAER foi reajustado, o valor ficou acima do mercado, o governo não aceitou renovar, e o SAER estava em vias de ser transferido para Tubarão.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/02/2020 - 06:17Atualizado em 27/02/2020 - 06:49

Depois de duas operações que parecem bem sucedidas, o empresário Cesar Cesa (MDB) deve confirmar a sua candidatura a prefeito de Araranguá nos próximos dias.

A primeira operação foi sacramentar a unidade no MDB em torno do seu nome. A segunda, foi o encaminhamento do vereador Cristiano Costa, o Tano, ainda filiado ao PP, como seu candidato a vice.

Tano é empresário, foi o vereador mais votado de Araranguá em 2016, e vai se filiar no PSD logo que a janela de transferência abrir (a partir de 4 de março, próxima semana). Além de se tratar do vereador “campeão de votos”, a operação com Tano é importante porque faz um racha no PP, que é uma espécie de "bloco monolítico” na política local. A operação com Tano foi feita pelo presidente do PSD local, Jairinho Costa.

Cesar vai disputar a prefeitura pela segunda vez. Em 2012 perdeu por menos de 2 pontos percentuais. Antes disso, foi vice-prefeito entre 2005 e 2008, exatamente de Mariano Mazzuco, atual prefeito, que deverá ser seu adversário em outubro. Mas, a parceria entre os dois naquele mandato durou pouco. Tiveram uma briga feia ainda no primeiro ano, e Cesar se afastou do governo.

Os outros

Além do prefeito Mariano Mazzuco (PP) candidato a reeleição, e Cesar Cesa (MDB), a disputa pela prefeitura de Araranguá deve pelo menos mais três candidatos. Primo Junior (PL) atual vice-prefeito, Ricardo Ghellere (PSL) e um candidato do PT que  provavelmente será a professora Sayonara.

No Arroio

O empresário Leonilton de Paula Carlos, o Nito, deverá ser candidato do PT a prefeito de Arroio do Silva.

Ele é proprietário da lojas Nito Materiais de Construção.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/02/2020 - 16:43Atualizado em 26/02/2020 - 16:49

Decisão da reunião de hoje à tarde, em Florianópolis, entre a direção municipal do DEM e o presidente da executiva estadual, João Paulo Kleinubing, é que o partido se vê em condições de pleitear vaga na majoritária numa aliança, ou lançar candidato próprio a prefeito em Criciúma.

Não foi fechada posição em relação a possíveis aliados.

"Temos um bom tempo pela frente até o prazo para as convenções e vamos conversar com praticamente todos os partidos", acentuou a professora Lisi Tuon, presidente da executiva municipal.

Desta forma, o DEM não fecha aliança com Julio Kaminski, candidato a prefeito do PSL, que convidou Lisi para ser a sua vice, mas também não descarta a possibilidade, nem fecha acordo ainda com o prefeito Salvaro. Mantêm todas as possibilidades em aberto e alonga prazo para negociações.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/02/2020 - 06:17Atualizado em 26/02/2020 - 06:50

DEM deve ter seu encaminhamento definido para eleição em Criciúma durante reunião que acontecerá hoje, meio dia, em Florianópolis, entre a presidente da executiva municipal, Lisiane Tuon, e o presidente da executiva estadual, João Paulo Kleinubing.

Lisi Tuon tem convite para ser a vice de Julio Kaminski, candidato do PSL à prefeito. Os candidatos a vereador do parido teriam aprovado a composição. Mas, há entendimentos entre DEM e PSDB no âmbito estadual, que podem incluir o apoio do DEM para Salvaro.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/02/2020 - 06:14Atualizado em 26/02/2020 - 06:48

O PP de Criciúma volta do carnaval sem comando, com a convenção anulada e a executiva destituída. Na segunda-feira, a direção estadual baixou ato, atendendo recurso da ala do partido liderada pelo vereador Miri Dagostim que denunciou irregularidades no processo.

O ex-deputado federal Jorge Boeira discorda da decisão tomada. Entende que não era necessário, que vai provocar “dissabores”, e até desfiliações. Garantiu que há filiados “chateados” com o encaminhamento, inclusive alguns “históricos" do partido.

Boeira tentou durante 15 dias convencer a direção estadual de tentar a unidade, sem destituir a executiva, nem anular a convenção. Mesmo assim, ele garante que não vai sair do partido.

O PP de Criciúma saiu rachado da eleição da executiva, em 2019, quando Paulo Conti venceu por 1 voto. Com a possível candidatura a prefeito de Boeira, a divergência ficou administrada, e o recurso na direção estadual pedindo anulação da convenção foi colocado stand by. A candidatura uniria o partido.

Quando Boeira anunciou que não será candidato, os dois grupos retomaram os conflitos, e o recurso voltou a tramitar na direção estadual. Como pano de fundo, existe a divisão no PP de Criciúma entre compor com o prefeito Salvaro ou participar de outro projeto em oposição ao prefeito.

A direção estadual sempre defendeu composição com Salvaro, desde que Boeira não fosse candidato.

A reação

O ex-presidente do PP, Itamar da Silva, o vereador Edson Paiol e já ex-presidente da executiva (presidente destituído), Paulo Conti, devem se reunir hoje, em Florianópolis, com o senador Esperidião Amin e o secretário geral do PP catarinense, Aldo Rosa, para tentar reverter a decisão tomada.

Ontem à noite se reuniram Paulo Conti, Abhraão Souza e o vereador Edson Paiol, no gabinete do vereador na Câmara municipal. Eles divergem da decisão, entendem que não há motivo para isso, e destacam que não tiveram oportunidade para fazer o contraponto ao recurso encaminhado pelo grupo do vereador Miri Dagostim.

Animado

O vereador Miri Dagostim (PP), ex-presidente da câmara, aprovou a decisão da executiva estadual.

Disse ontem que o partido vai viver um novo momento a partir desta decisão, e que trabalhou o dia todo para composição de novo diretório e nominata de candidatos vereador.

Novo comando

O novo presidente do PP de Criciúma pode ser o ex-deputado Valmir Comin. É o nome preferencial da direção estadual.

Ele tem trânsito com o prefeito Salvaro, e teria facilidade para encaminhar o ingresso do PP na aliança em torno do prefeito.

O rito

Pela regra estatutária do PP, a comissão provisória anterior à convenção reassume o partido, com a missão de fazer nova convenção em até 15 dias. O presidente da provisória é o ex-vereador e advogado Itamar da Silva, que seria notificado ontem ainda, ou será hoje cedo.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/02/2020 - 14:36Atualizado em 24/02/2020 - 14:45

A executiva estadual do PP decidiu anular a convenção realizada em Criciúma, em agosto de 2019, e determinou a realização de nova convenção em até 15 dias.

Decisão foi assinada agora a pouco.

Com isso, fica anulada também, por conseqüência, a eleição da atual executiva municipal e Paulo Coti não é mais presidente.

A executiva seguiu parecer da assessoria jurídica, assinado pelo advogado Alessandro Abreu (texto final, abaixo).

Desde que foi eleita a nova executiva municipal, com vitória de Paulo Conti por apenas 1 voto, a executiva avalia recurso do grupo liderado pelo vereador Miri Dagostim, que enumerou irregularidades e ilicitudes no processo. A decisão de agora representa o acolhimento das denúncia.

Trecho final do parecer da assessoria jurídica, que sustentou a decisão de anulação da convenção.

"Diante de todo o exposto, demonstrados a plausibilidade do direito – através da prova documental e das circunstâncias acima mencionadas – e o perigo da demora – haja vista que estamos diante de período pré-eleitoral cujo Diretório Municipal tem papel fundamental e qualquer ato praticado pelo mesmo estará coberto por vício – deve ser declarada nula, em caráter liminar, com base nos arts. 98 e 100 do Estatuto partidário, a Convenção que elegeu o Diretório Municipal de Criciúma.

Ato contínuo, em face da necessidade do cumprimento dos atos inerentes à eleição que se aproxima, deve ser realizada Convenção para a escolha do novo Diretório Municipal no prazo máximo de 15 dias, sob pena de que a Comissão Executiva Estadual nomeie Comissão Provisória para tanto.

É o parecer. 

Alessandro Abreu 

OAB/SC 15.740"

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/02/2020 - 05:58Atualizado em 24/02/2020 - 06:50

O empresário Jairo Borges (PP) está decidido, vai disputar a prefeitura de Arroio do Silva. Está construindo uma aliança sólida em torno do seu nome, que pode incluir PSD e PSDB.

Jairo é de família tradicional de pescadores, praticamente fundadores do Arroio, e tem sua atividade empresarial faz 20 anos. E todas as eleições, ele é citado. Mas, esperou a sua vez. Primeiro, o candidato da família foi o irmão, Juca, primeiro prefeito do Arroio. Depois, foi o sobrinho, Fernando.

Jairo sempre foi filiado ao PP, mas tem relações em vários partidos e grupos políticos, pela sua postura.

O adversário

A filiação no PSL do ex-prefeito de Arroio do Silva, Evandro Scaini, ficou para depois da Arrancada de Caminhões. Provavelmente, dia 14.

Evandro deve levar consigo três vereadores do PSD. Ele será o principal adversário de Jairo Borges na eleição de outubro.

O ex-prefeito foi secretário nos governos de prefeitos do PP e MDB e prefeito duas vezes pelo PSD. Mas, está rompido com a direção estadual e regional do PSD.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/02/2020 - 05:57Atualizado em 24/02/2020 - 06:47

Tenho acompanhado os movimentos para tentar atrair uma fábrica da Tesla para Santa Catarina. E, no estado, tentar que venha para o sul.

O deputado Daniel Freitas tem levado o assunto adiante. É o politico mais envolvido com o assunto. Ele já esteve no Governo Federal, no Governo do Estado, e agora vai aos  Estados Unidos.

Troquei mensagens com o secretario da Fazenda do Estado, Paulo Eli, que assegurou: “é possível, sim”. Mas, são primeiros movimentos, primeiros contatos.

Outro dia, num grupo de Whatsapp, diante de apostas de que isso não daria em nada, que sul não tem as condições para receber uma fábrica da Tesla, argumentei que as condições podem ser criadas, desde que seja da "vontade oficial”. Ontem, no portal NSC Total, o jornalista/colunista Claudio Loetz, de Joinville, escreveu a respeito da intenção de trazer para o sul: “lá (no sul) ainda é incipiente a cadeia de fornecedores apta a atender uma companhia do porte da Tesla; e a região não tem a mão-de-obra requerida”. E acrescentou: "Norte de SC oferece mais infraestrutura para a Tesla”.

Está lançado o desafio para o sul catarinense. Mostrar que a região tem plenas condições de oferecer as condições exigidas, no tempo necessário. Afinal, uma fábrica não se instala do dia para a noite. Região nenhuma está com tudo pronto para receber uma fábrica de automóveis. O norte também teve que fazer ajustes e investimentos para receber a BMW. Todos querem uma fábrica como a Tesla, e na medida em que houver sinalização efetiva que é possível, todas as regiões vão brigar com todas as forças.

O assunto já está chamando a atenção do norte do estado. Claudio Loetz escreveu também: “Caso o Estado de Santa Catarina consiga se sobrepor aos outros concorrentes, há o interesse do governo Moisés em fomentar a ida da companhia para a região Sul. Aí, Criciúma ganharia a preferência”. É o que está sendo dito no norte do estado.

O sul tem que se mexer mais em torno do assunto, e de forma unida, organizada, objetiva. O deputado Daniel está cumprindo o seu papel. Mas, ele não pode estar sozinho.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/02/2020 - 08:27Atualizado em 22/02/2020 - 08:43

Ficou para segunda-feira, 24, a decisão da executiva estadual do PP sobre o pedido para anulação da convenção do partido em Criciúma, realizada em agosto de 2019, ou eleição de nova executiva.

Informação do secretário geral, Aldo Rosa: ele garantiu que assessoria jurídica só entregará o parecer às 14h de segunda-feira.

Decisão 1:

O pedido para realização de nova convenção no PP foi protocolado por filiados representantes do grupo liderado pelo vereador Miri Dagostim, alegando irregularidades que teriam sido cometidas no processo.

A informação de bastidores é que politicamente a decisão já está tomada, pela eleição de nova executiva municipal no prazo de até 15 dias, mas a direção posterga o anúncio porque estariam feitas negociações internas.

Perdas

O ex-deputado Jorge Boeira não concorda com a anulação na convenção, nem com eleição de nova executiva.

O PP tem dois vereadores em Criciuma, Miri Dagostim e Edson Paiol. Mas, Paiol estava no lançamento do projeto do vereador Julio Kaminski com o PSL e deve trocar de partido no inicio de março, assim que abrir a “janela de transferência”.

O entendimento da cúpula estadual é que o partido vai acabar perdendo Miri também se a troca da direção municipal não for feita logo.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/02/2020 - 08:25Atualizado em 22/02/2020 - 08:40

Se fosse possível saber que o leilão para concessão do trecho sul da BR-101 terminaria assim, o processo teria sido bem mais tranquilo. Porque a tarifa de R$ 1,97 é absolutamente aceitável. Mesmo que passe para R$ 2,00 (que parece provável). Está dentro dos padrões normais. Ainda poderia ser discutido o numero de praças de pedágio. Mas, em outro clima.

O que fez incendiar o debate foi o estudo feito pelo Governo Federal apontando para tarifa de R$ 5,20 (e mais quatro praças de pedágio). Seria um absurdo. Um exagero. Fora de propósito. Principalmente, pelo que é pago no trecho norte da BR-101 catarinense (quase um terço disso).

Mas, a empresa que ganhou a licitação mostrou na prática que o estudo técnico do governo estava totalmente furado. Ou, alguém imagina que a empresa privada que ganhou a licitação está se propondo a operar no prejuízo? E não se trata de uma empresa nova no mercado, sem experiência e sem conhecimento do processo. É a mesma que já tem o trecho gaúcho da BR-101, a freeway e outras rodovias pelo país afora.

Enfim, passou, e foi muito melhor do que o esperado. Agora, é acompanhar de perto o cronograma de implantação e os investimentos previstos (mais de R$ 3,5 bilhões).

A concessão era necessária. Tinha que fazer. É o caminho seguro, que o mundo inteiro adota, para ter rodovia segura.

Vai recorrer

O deputado estadual Volnei Weber anunciou que vai recorrer ao Ministério Público contra o leilão, pedindo a sua anulação. Isso não faz mais sentido.

Tarifa abaixo de R$ 2,00 não vai ter. O que o deputado pode conseguir é uma decisão provisória, uma liminar, para sustar o processo enquanto não julgar o mérito. Só vai atrasar a concessão do trecho. E a estrada vai se deteriorando, esburacando, para prejuízo de quem usa a rodovia.

O deputado vai cumprir bem o seu papel se a partir de agora atuar como fiscal “número um” do cronograma de investimentos. Para não deixar que façam o que fizeram com o anel de contorno de Florianópolis, que era para estar pronto faz mais ou menos cinco anos.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/02/2020 - 11:18Atualizado em 21/02/2020 - 14:57

O governo federal, por seus técnicos, sustentou, e brigou, que o pedágio no trecho sul na BR 101 teria que ser R$ 5,19.

Se não fosse esse valor, daria prejuízo!

Ok.

Aí veio a licitação e a empresa ganhou oferecendo tarifa de R$ 1,97!

Mas, como assim?!

A empresa privada que vai pagar a conta diz que é possivel fazer por R$ 1,97. E ela não iria se propor a fazer uma operação por 30 anos bancando prejuízo!

As concorrentes oferecendo tarifas semelhantes, em torno dos R$ 2.

Mas o governo queria R$ 5,19. Ou, daria prejuízo!

A mostrar que, se fosse implantado pelo governo, o pedágio seria pelo menos R$ 5,19.

Tem que pegar a equipe técnica do governo e dar cartão azul. Pelo menos!

E.T -  Aos mais afoitos, importante esclarecer (e necessário) que quando é citado o "governo" ou "governo federal", não se trata do atual governo, ou o governo do presidente Bolsonaro. Trata-se do governo brasileiro, que tem funcionários públicos concursados, de carreira, que ficam por vários mandatos. O estudo em questão, por exemplo, que apontou tarifa minima de r$ 5,10, é do mandato passado. Mas, para todos efeitos, é do governo brasileiro.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/02/2020 - 08:29Atualizado em 21/02/2020 - 09:19

O presidente estadual do PSL, deputado federal Fabio Schiocheti, e o secretário geral da executiva, Douglas Borba, acabam de afirmar na rádio Som Maior que o coordenador regional, Rangel Loch, será mantido. Não existe nenhuma intenção de substiuí-lo.

Especulações de bastidores davam conta de sua subtituição, inclusive por não ter participado ontem do ato de adesão em bloco ao partido.

Outra informação importante dada por Douglas Borba, falando em nome da executiva, é que o vereador Maciel Dassoler não será o candidato a prefeito pelo partido em Forquilhinha. "Nós temos projeto para Forquilhinha, e não é com esse vereador", acentuou Douglas.  

Ele acrescentou que as articulaçoes pelo PSL nos municipios na regiao serão feitas apenas por Rangel Loch.     

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/02/2020 - 06:15Atualizado em 21/02/2020 - 06:16

O ato de ontem foi o mais expressivo até agora na preparação para a eleição.
O time do governador Moisés passa a ter dois vereadores (Edson Paiol e Julio Kaminski), um deles candidato a prefeito, um suplente que foi vereador durante quase todo o mandato (Alisson Pires), uma nominata completa de candidatos para disputar vagas na câmara, e pelos menos três partidos aliados.
Enfim, se formou um bloco consistente, que ainda pode “engordar”.
Na quarta-feira, o governador receberá todo o grupo na Casa da Agronômica, e confirmar a presença em Criciuma para um ato coletivo de filiações, provavelmente no dia 5 de março.
A operação teve várias digitais. Políticos (de vários partidos) e não políticos se envolveram.
Mas, o maestro foi o presidente estadual do PSL, deputado Fabio Schiocheti. Todas as conversações, negociações e fechamentos passaram por ele.
O governador Carlos Moises, PSL, se colocou na eleição de Criciúma para fazer o enfrentamento ao prefeito Salvaro.
Se der tudo certo, vai comemorar vitória na casa de um possível adversário para 2022.
Se der errado, vai pagar caro pela derrota numa disputa que não era sua.

O gesto
O sucesso da operação teve muito a ver com o gesto praticado pelo advogado Jeferson Monteiro.
Ele assimilou o encaminhamento da candidatura a prefeito para o vereador Kaminski, arquivou seu projeto, mas colocou o seu time em campo e se apresento para coordenar a campanha.
Combinado ou não, ele projeta retribuição para eleição de 2022.

A coordenação
Sai fragilizado do processo o coordenador regional do PSL, Rangel Loch.
Ele não participou do ato de ontem, nem das articulações.
Não se envolveu nem para atrair o vereador Maciel, da sua cidade.  
A projeção no ambiente do PSL é que ele seja substituído nos próximos dias pelo empresário SanCiro Ghislandi.

Mais um
O vereador Maciel Dassoler participou do ato de ontem, sentou à mesa principal, deverá estar com o governador Moisés na próxima semana, assinar filiação no ato coletivo do dia 5 e sair candidato a prefeito de Forquilhinha.

Pode voltar
O DEM estava no ato, a presidente da executiva municipal, Lisiani Tuon, fez fotos com o vereador Kaminski e era citada como provável candidata a vice.
Mas, a direção estadual pode encaminhar o partido para aliança que vai apoiar o prefeito Salvaro.

Outra vice
A vereadora Camila do Nascimento, PSD, pode ser levada para o PODEMOS e sair candidata a vice de Kaminski.
Operação está sendo tratada.

Nova parceria
Uma nova composição passou a ser considerada para eleição de Nova Veneza.
O advogado Giovani Brogni, pelo PSL, pode ser o vice do prefeito Geio Frigo, PSDB.
Indicação de Brogni tem o “carimbo" de SanCiro Ghislandi.

Ele vai
A filiação do ex-prefeito Evandro Scaine no PSL ficou para depois da Arrancada de Caminhões, no Arroio do Silva.
Evandro deve levar dois ou três vereadores, e confirmar a sua candidatura a prefeito.  

 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13