Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/11/2018 - 06:53Atualizado em 14/11/2018 - 08:58

O comandante da 6ª Região da Polícia Militar, coronel Cosme Manique Barreto, foi à Câmara de Vereadores, ontem à tarde, pedir apoio para uma proposta surpreendente (e difícil de entender).

Ele quer o prédio do Centro Cultural Jorge Zanatta seja utilizado para a instalação da sede da 6ª Região da PM.

Na proposta, ele “admite" que a parte dos fundos do prédio seja destinada à cultura.

Quando os vereadores destacaram que o prédio já é o Centro Cultural Jorge Zanatta, ele reagiu: “Cultura? Mas que cultura é essa que abandona?!”, dando a entender que o evolvidos com o setor cultural é que abandoaram o prédio.

Na verdade, o coronel sabe, como qualquer criciumense, que o prédio foi abandonado pelo poder público, que não fez manutenção durante anos.

Na proposta levada aos vereadores, funcionaria no local também uma base para a polícia comunitária da região central, central de monitoramento de câmeras, setor de trânsito e de termos circunstanciados.

Trazer tudo isso para um local só no centro da cidade, é pertinente, louvável. Mas, não ali!

Houve uma grande luta do setor cultural para que o Jorge Zanatta fosse restaurado, o que aconteceu no ano passado.

Agora, às vésperas da inauguração, já anunciada para 14 de dezembro, é inconcebível imaginar destinação do prédio para outra finalidade.

Agora, a Fundação Cultural já está designada para fazer a gestão do local e, inclusive, voltará a ter sua sede lá, como foi de 1993 a 2015.

Erguido na década 40, no auge do carvão, o prédio pertencia à União até o ano passado, quando o Governo do Município conseguiu a cessão e a possibilidade de restauração.

Os vereadores apresentaram alternativas ao coronel Barreto, como o prédio do antigo INSS, que também está sendo restaurado pela Prefeitura e fica na área central da cidade.

Mas, o coronel foi enfático. Quer o prédio do centro cultural. Disse que é um sonho.

E devolveu a proposta - que o centro cultural se mude para o prédio do INSS.

A conversa de Manique Barreto na Câmara pegou o prefeito Clésio Salvaro de surpresa, que nunca havia ouvido falar na proposta, e pediu prazo para se inteirar. Provavelmente, para conferir se era isso mesmo. E respirar fundo.

Pergunta inevitável: por que o coronel não pensou nisso quando o prédio estava abandonado, ou incendiado?


As sugestões

Os vereadores Toninho da Imbralit (MDB), Salésio Lima (PSD) e Tita Belolli (MDB) chegaram a sugerir outras possibilidades, como o prédio onde está atualmente a Fundação Cultural, que fica na Praça Nereu Ramos ou outro que poderia ser alugado pelo Estado. O vereador Ademir Honorato (MDB) fez proposta de levar a regional da PM para a Quarta Linha, numa das entradas da cidade. O coronel se manteve inflexível.


Reação

O setor de Cultura irá reagir ao pedido e já articula um abraço ao local, repetindo ato realizado antes da restauração do prédio, ainda em 2015.


Denúncia aceita

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aceitou por unanimidade, na sessão plenária da ontem, denúncia contra a deputada estadual Ada De Luca (MDB) por irregularidades na prestação de contas da campanha de 2010. Já se passaram mais de oito anos, dois mandatos na Alesc e mais uma reeleição agora em 2018. Só que a denúncia foi feita somente neste ano, é um desdobramento de uma operação da Polícia Federal no ano passado que envolveu a deputada e investigou caixa dois na campanha de 2014. Foram aceitas as denúncias contra a deputada e um cabo eleitoral, já contra Valmor De Luca, o TRE entendeu que houve a prescrição, que tem o tempo reduzido quando envolve pessoas acima dos 70 anos.


Mais um vereador

Este mandato é marcado pela instabilidade na Câmara de Vereadores de Sombrio. Ontem, o TRE cassou, por 6 x 1, o mandato do presidente do Legislativo, Fabiano Rogério Pinho (PSDB), eleito pela coligação PSDB-PR-PTB-PSC-PCdoB. O motivo foi o mesmo da cassação de outros cinco vereadores da coligação do MDB-PSB. Estes seguem no cargo por um efeito suspensivo. Caso as sentenças sejam confirmadas, a Câmara terá uma renovação de 70% antes do fim do mandato. Todas as coligações são acusadas de não cumprir a quota de candidatura feminina.


Adiado

O julgamento do recurso do Ministério Público que pede a cassação da candidatura de Jorginho Mello (PR) foi adiado. O processo estava na pauta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ficou para a próxima semana. O recurso é contra o suplente Beto Martins (PSDB) que não teria apresentado documento de filiação a tempo, mas cassa a chapa toda. A expectativa é grande por parte de Lucas Esmeraldino, do PSL, que ficaria com a vaga.


Não entrou

Outro processo que pode mexer na composição de eleitos por Santa Catarina neste ano é do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD). A matéria não entrou na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) de hoje, como era previsto. Caso João Rodrigues tenha o recurso aceito quem perde a vaga na Câmara Federal é Ricardo Guidi (PSD).


Só elogios

O discurso do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) durante o ato de assinaturas de convênios com a Casan, terça-feira, mostra que não há predisposição de qualquer rompimento por parte da Prefeitura de Criciúma com a estatal. Somente no ato de ontem foram mais de R$ 15 milhões e dá continuidade à implantação do esgotamento sanitário e pavimentações na região da Linha Batista, contrapartida pela construção da Estação de Tratamento de Esgoto. O prefeito citou que há muitos municípios querendo desfazer o Samae e voltar para a Casan em alfinetada ao vereador Julio Kaminski (PSDB) que faz discursos contundentes de rompimento com a estatal.


Não veio

O governador Eduardo Moreira (MDB) não conseguiu participar do ato de ontem em Criciúma. Compromisso em Florianópolis, à noite, não permitiu a vinda.


Fim do recesso

O deputado eleito pelo PSL, Felipe Estevão, já anunciou que irá apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), logo no início da nova legislatura em fevereiro, para mudar o Artigo 46 da Constituição Estadual e acabar com o recesso parlamentar de meio de ano. Será o primeiro teste para os 40 deputados eleitos, mais da metade, em primeira experiência no Legislativo estadual.


Homenagem

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, está entre os homenageados da Comenda do Legislativo Catarinense, em sessão solene da Alesc. A indicação é do deputado estadual Ricardo Guidi (PSD).

O diretor do Hospital São José, Altamir Bittencourt, e o prefeito de Lauro Muller, Valdir Fontanella, também estão na lista dos homenageados. Foram indicados pelos deputados José Milton Scheffer (PP) e Valmir Comin (PP).


Próxima legislatura

Deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) recebeu, na terça-feira, no gabinete, o deputado estadual eleito Onir Mocellin (PSL), que será o líder do governo na Assembleia Legislativa (foto). Antes, Minotto esteve com a também deputada Paulinha da Silva (PDT). Os dois pedetistas tem tratado em conjunto as questões referentes a Alesc e devem trabalhar alinhados.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/11/2018 - 06:48Atualizado em 13/11/2018 - 09:33

Os jornalistas que tem a missão de cobrir o governador eleito Comandante Moisés estão “sofrendo”. Os políticos, também. Porque ele não dá espaço. Não conversa com ninguém além da sua equipe de transição (de poucos técnicos) e aqueles com quem ele quer se encontrar.

Para a imprensa, as informações (e áudios) são repassados (a conta gotas) pela assessoria de imprensa do governo.

Moisés não está usando nem a assessoria de imprensa do partido (e da campanha).

Ele se afastou de tudo (e de todos).

O seu foco é 100% na busca de informações sobre a situação do governo para montagem do “plano de voo”.

E ele segue determinado, não desvia um milímetro, ao melhor estilo militar.

Só depois, pelo que disse, é que passará a falar com “o mundo externo”.

A inquietação aumenta porque o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro vai sendo montado, com um ministro anunciado por dia. Enquanto isso, por aqui nada sai.

Mas, isso não quer dizer que o Comandante Moisés esteja errado, ou que o seu isolamento deva ser tratado como "má noticia”. Seria precipitado qualquer avaliação do tipo.

Por enquanto, é apenas um jeito diferente (e novo) de fazer, saindo do estilo tradicional, que estava velho (e contaminado).

Pior se já partisse para composições e acordos políticos, se achando pronto para o exercício de poder. Seria engolido com facilidade pela estrutura de poder.

Mas, o segundo passo vai levá-lo inevitavelmente ao ambiente político.

Ele quer aprovar na Assembleia Legislativa a reforma administrativa que pretende para o governo.

Para isso, terá que para tratar com os atuais deputados, muitos que não se reelegeram (a começar pelo presidente), e alguns liderados pelo seu adversário do segundo turno no plenário.

Com quem ele vai estar nessa “operação”, e como vai fazer, podem definir o norte e o perfil político do seu mandato.


Mudança no meio ambiente

Uma proposta que vem sendo avaliada pelo grupo de estudos do governador eleito Comandante Moisés é o deslocamento de todas questões de governo ligada ao meio ambiente para a Secretaria de Desenvolvimento Social. No entendimento que meio ambiente deve ser preservado, respeitado, não pode travar o desenvolvimento.


Dois nomes

Apesar de o Comandante Moisés repetir que não autoriza nenhuma especulação de nomes para o futuro secretariado, dois nomes são considerados certos.

Daniela Reinehr, vice-governadora, na Secretaria de Agricultura, e Lucas Esmeraldino, na Secretaria de Articulação Nacional em Brasília.


Pode ficar

O atual secretário de Comunicação do Estado, Gonzalo Pereira, pode ser mantido no cargo no governo do Comandante.

Gonzalo é técnico, não tem vinculação política e desfruta de bom trânsito no setor de comunicação.


Com Bolsonaro

O governador eleito Comandante Moisés estará hoje em Brasília com o presidente eleito Jair Bolsonaro e outros governadores eleitos.

Poderá ficar em Brasília para audiência na quarta-feira que foi marcada pelo deputado federal eleito Daniel Freitas com a futura ministra da Agricultura, deputada Teresa Cristina.


Sinal vermelho

O detalhamento das contas do Estado está preocupando o governador eleito Carlos Moisés. Em encontro com os desembargadores do Tribunal de Contas (TCE) ele admitiu que o sinal vermelho está aceso e que o Estado pode ficar impagável. O TCE vai elaborar um relatório para auxiliar o governador eleito na tomada de decisões. O documento irá levar em consideração a execução orçamentária do Executivo nos últimos anos e a estrutura patrimonial.


Vão trabalhar!

O juiz da comarca de Meleiro, Manoel Donizete de Souza, tratou de dar um “stop" na briga entre o advogado Jeferson Monteiro e o delegado Leandro Loreto.

Jeferson entrou em confronto com Loreto ao fazer a defesa da vereadora e advogado Maria Ondina Pelegrini, que também se declarou perseguida e ameaçada pelo delegado.

Na sentença em que negou o pedido de habeas corpus do advogado, que se disse ameaçado pelo delegado, o juiz arrematou:  "Recomendo que o impetrante e sua cliente e o impetrado procurem se concentrar em suas atuações no âmbito do(s) processo(s) e cessem com essa "guerrinha ridícula" de rusgas através da imprensa”. E ponto final!


Psicóloga cassada

O deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) se posicionou, ontem, contra decisão do Conselho Regional de Psicologia que cassou o registro profissional da psicóloga Patrícia de Souza Teixeira, de Tubarão.

A punição foi aplicada porque ela criticou em vídeo a ideologia de gênero nas escolas, defendendo a família tradicional. O processo tramita desde 2015.

Independente da posição, cassar o diploma e proibir de trabalhar porque é contra ou a favor determinada posição/proposta é uma agressão!


Contas aprovadas

Prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), teve suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas, referentes ao exercício 2017.

A relatora do processo, conselheira Sabrina Locken, deu parecer favorável e foi seguida pelo plenário.


Mais água

O presidente da Casan, Adriano Zanotto (a direita, de casaco preto) e o prefeito de Pescaria Brava, Deyvison Souza (ao lado de Zanotto), assinaram, ontem, contrato para instalação de uma agência da estatal no município.

Hoje, os serviços da Casan são encaminhados pela agência de Laguna.

O deputado Luiz Fernando Vampiro encaminhou o entendimento.

 
Dois julgamentos

Em Brasília, será julgado, hoje, o recuso do Ministério Público Federal que pede a cassação da candidatura de Jorginho Mello ao senado. Motivo - o segundo suplente, Beto Martins, de Imbituba, teria se filiado fora do prazo.

Se o recurso for acolhido, cai toda a chapa de Jorginho, ele perde a eleição para o Senado, e a vaga será de Lucas Esmeraldino, de Tubarão.

Amanhã, o STF deve julgar o recurso do deputado João Rodrigues, que ameaça o mandato do deputado federal eleito Ricardo Guidi.


Crescimento

Prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, esteve na sede da Librelato, ontem à tarde, em reunião com o CEO da empresa, José Carlos Sprícigo.

Trataram da ampliação do parque fabril, onde serão investidos R$ 9 milhões.

A empresa conta com atualmente 1.500 colaboradores.


A despedida do Bolan

Nilton Bolan era diretor dos supermercados Martins, e trabalhava na sede, Bairro Pinheirinho, ao lado do Bairro da Juventude. Praticamente todos os dias cruzava a divisa e ia lá ajudar. De alguma forma.

Até que um dia surgiu a ideia de unir cinco redes de supermercados para uma campanha pelo Bairro. E ele foi dos maiores entusiastas.

Todos os meses, quando era feita a prestação de contas na Rádio Som Maior, ele vibrava como se um título do seu time do coração.

Bolan era um homem bom. Além do Bairro, apoiou muitas outras organizações da comunidade.

Faleceu ontem, e deixou uma boa história de vida.


Top de Marketing

A empresa içarense Tintas Farben é a única representante do Sul entre as 18 premiadas pelo Top de Marketing da ADVB/SC. O case vencedor foi a Campanha de Prêmios - Copa Farben 25 anos, ação comercial direcionada a revendas e lojistas. A premiação será entregue, em Florianópolis, 28 de novembro.


Eduardo em Criciúma

Eduardo Moreira (MDB) faz uma de suas últimas agendas em Criciúma como governador. Hoje, ele estará na cidade para assinar ordens de serviço para a continuação da obra de esgotamento sanitário nos bairros São Luiz e Michele e as pavimentações, na região da Linha Batista, em contrapartida à construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que atende a região da Próspera. As assinaturas acontecem no Paço Municipal, Bairro Demoboski e Linha Batista.


Eleições na Unesc

Os mais de 10 mil alunos da Universidade do Extremos Sul Catarinense, a Unesc, escolhem, hoje, o novo presidente do Diretório Central dos Estudantes. A disputa é entre o atual presidente Alexandre Bristot, do curso de Direito, e Nícolas Crispim, também do Direito. Ontem à noite, os dois participaram de um debate (foto). O processo eleitoral neste ano ficou mais restrito ao ambiente da universidade.


Pedágio na BR

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realiza mais um encontro para debater a concessão do trecho Sul da BR-101. Será no dia 19 de novembro, em Florianópolis. Na parte da manhã será detalhado do projeto de concessão e à tarde os técnicos da ANTT vão fazer pequenos grupos de trabalho para discutir as demandas dos municípios. Será mais uma oportunidade para se bater na tecla de que quatro praças de pedágios é considerada um exagero para o Sul do estado. O fechamento de questão entre as lideranças regionais é de duas praças.


Exemplo vem de casa

O vereador Salésio Lima (PSD) tocou num ponto que vem sendo bem cobrado durante os últimos meses: o exemplo tem que vir de casa. Neste caso, Lima apresentou imagens de prédios públicos que ou não possuem ou apresentam calçadas muito deterioradas e próximos a esses prédios moradores são cobrados para que façam as suas calçadas. Um requerimento quer saber se existe alguma fiscalização neste sentido.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/11/2018 - 15:56Atualizado em 12/11/2018 - 17:57

O juiz da comarca de Meleiro, Manoel Donisete de Souza, negou pedido de habeas corpus do advogado Jeferson Monteiro em função de "ameaças" que teriam sido feitas pelo delegado Leandro Loreto.

O fato gerador foi uma entrevista do advogado na Rádio Som Maior, sexta-feira, quando disse estar recebendo ameaças do delegado. Convidado para vir ao estúdio tratar do assunto junto com o advogado, o delegado anunciou: "não vou, porque se eu for vou dar ordem de prisão ao Jeferson".

O advogado concedeu entrevista quando acompanhava a vereadora Maria Ondina Pelegrini, sua cliente, que teve prisão domiciliar revogada, e que também acusou o delegado de perseguição.  

A OAB de Criciúma já se manifestou em defesa do advogado Jeferson Monteiro e vai definir que medidas poderá tomar.

O Juiz Manoel de Souza afirmou em seu despacho:

"Examinando de forma minudente os fatos narrados na inicial, não encontrei elementos suficientes para deferir o salvo-conduto almejado pelo impetrante, pois o que existe de concreto, a meu ver, é uma ridícula 'guerrinha' de entrevistas e outras matérias em jornais e rádios, nada mais".

Mais adiante, o juiz registra na sentença, se referindo à ameaça de prisão:

"Só há três possibilidades de o impetrante vir a ser preso: a) prisão preventiva decretada; b) prisão temporária; c) prisão em flagrante. Ora, as duas primeiras obrigatoriamente exigem uma decisão judicial, que, ao que tenho conhecimento até este momento, não existe".

Quanto a terceira hipótese, o juiz diz ter a impressão que o delegado "estava se referindo à possibilidade, em tese, de prender o impetrante em flagrante possivelmente por crime de Desacato, o que, a princípio, uma vez configurado o crime, não teria ilegalidade, pois Advogado também se sujeita ao Código Penal, sim".

Por fim, o juiz nega a medida protetiva solicitada por não vislumbrar elementos concretos a demonstrar risco potencial de o advogado estar na iminência de vir a sofrer coação ilegal em sua liberdade de ir, vir e permanecer. E assim arremata nas últimas linhas: "Ainda, recomendo que o impetrante e sua cliente e o impetrado procurem se concentrar em suas atuações no âmbito do(s) processo(s) e cessem com essa "guerrinha ridícula" de rusgas através da imprensa".

A sentença foi assinada hoje .

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/11/2018 - 06:03Atualizado em 12/11/2018 - 09:57

O PSL tem uma disputa velada pela posição de protagonista neste processo de transição até a chegada ao poder.

Envolve dois políticos do sul do estado. Daniel Freitas, de Criciúma, deputado federal eleito com mais de 140 mil votos, e Lucas Esmeraldino, de Tubarão, presidente estadual do partido, que não se elegeu senador por apenas 18 mil votos (fez mais de 1 milhão de votos).

Daniel foi o mais votado do partido e o segundo mais votado do estado para deputado federal.

Lucas ainda acredita na possibilidade de cassação da candidatura se Jorginho Mello, em recurso do Ministério Público Federal, e que ele possa assumir o senado.  

Daniel já se colocou na articulação nacional do partido, tem se reunido com autoridades do futuro governo, faz conversas frequentes com os Bolsonaro (Jair e os filhos) e mantêm sintonia fina com o governador eleito Comandante Moisés.

Na sexta-feira, antes da reunião do partido, em Aguas Mornas, Daniel e Moisés se reuniram.

Daniel marcou reunião de Moisés com o futuro ministro da economia, Paulo Guedes.

Daniel não será secretário de estado, mas terá condições políticas de indicar quem será. 

Lucas mantêm boa relação com Moisés, mas foi afastado de todas as reuniões que vem sendo encaminhadas para montagem do futuro governo. Não foi convidado para nenhuma delas.

Na reunião estadual do partido, sexta-feira à noite, Daniel e Lucas chegaram a se contrapor em algumas questões, no primeiro sinal externo da disputa pelo protagonismo do processo.

Logo depois da eleição, Lucas Esmeraldino chegou a ser tratado como “primeiro ministro” ou “homem forte” do futuro governo. Nos bastidores, era dito que as decisões passariam por ele, até porque Moisés era seu assessor, foi ele que o levou para o partido e bancou sua candidatura ao governo.

Hoje é dito que se Lucas fizer parte do futuro governo, será nomeado secretário de articulação nacional em Brasilia (pasta que foi ocupada por Acelio Casagrande até início de 2018).

A mostrar que o Comandante não vai correr risco de um "poder paralelo" dentro do seu governo.


De passagem

Como previsto, o governador eleito Comandate Moisés participou da reunião estadual do PSL, sexta-feira à noite em Aguas Mornas. Mas, por apenas 25 min.

Moisés fez apresentação da equipe de transição, reafirmou que não está tratando ainda do secretariado e que sua prioridade hoje é a definições de ações de governo.

Está confiante em conseguir aprovar ainda neste ano uma reforma administrativa para redução da maquina, com destaque para extinção de todas as secretarias regionais e fusão ou incorporação de secretarias.


OAB questiona delegado

As ameaças feitas pelo delegado Leandro Loreto ao advogado Jeferson Monteiro, na sexta-feira, durante entrevista ao repórter Jota Del Fabro, da radio Som Maior, provocaram reação da OAB.

O presidente da OAB de Criciúma, advogado Fabio Jeremias de Souza, classificou como “graves” as afirmações feitas pelo delegado.

Hoje, a direção da OAB vai se reunir com o advogado Jeferson Monteiro para decidir os encaminhamentos aplicáveis ao caso.

Na sexta-feira, o advogado disse na Som Maior que o delegado o ameaça e persegue. Ao ser convidado para um debate, o delegado afirmou: “eu não vou ao debate porque se eu for eu prendo o Jeferson na hora; eu já estive perto de prendê-lo na semana passada”.

O presidente da OAB disse que repudia a manifestação do delegado.


Salesio candidato

Se o PSD tiver candidato a presidência da câmara de Criciúma será o vereador Salesio Lima.

Ele teve declaração de apoio da vereadora Camila do Nascimento na reunião do partido no sábado.

Como são três vereadores na bancada, Salesio passa a ter maioria.

O terceiro vereador da bancada, Zairo Casagrande, também apresentou sua candidatura.


Mais dez

A câmara de Criciúma ainda terá 10 sessões ordinárias até encerrar o ano. 

A última será no dia 11 de dezembro e deve ser marcada pela eleição da nova Mesa Diretora. Até lá ainda terão que ser avaliados projetos importantes como as isenções dos tributos municipais e o orçamento do município para 2019. São projetos que devem ser colocados em pauta nas próximas sessões. 

No dia 12 de dezembro, ainda terá uma sessão solene com entrega de títulos a pessoas que contribuem de alguma forma com o desenvolvimento da cidade.


Lucro da Criciuma

O advogado Marcos Rinaldi Fernandes, que representa grupo de credores da Criciúma Construções, garante que só em dois empreendimentos da empresa que serão concluídos, o empresário Rogerio Cizeski terá “uma sobra” de mais de r$ 6 milhões.

Pelo processo da recuperação judicial que está e curso, os empreendimentos são tratados individualmente e o "lucro" de um não pode ser usado para conclusão ou construção de outro.


Juiz vai se manifestar

O juiz Rafael Milanese, que está responsada pelo processo de recuperação judicial da Criciúma Construções, vai conceder entrevista coletiva amanhã, 15h, na Acic.

Vai esclarecer principalmente sobre a possibilidade de conclusão do processo até os primeiros meses de 2019 e devolução da empresa para Rogerio Cizeski.

Também participarão, o administrador judicial Agenor Dalfemback Junior, o gestor judicial Zanoni Elias e os advogados Lucas e Alexandre Farias, que representam Cizeski.


Custodinho

Faleceu no sábado o criciumense Custodio de Souza, 63 anos, evangélico, liderança política, atuante por mais de 20 anos. Chegou a assumir como vereador de Criciúma.

Ele era o chefe de gabinete do deputado Kennedy Nunes (PSD).

Foi internado na quinta-feira após sentir-se mal e faleceu por infecção generalizada.


Projeto

Câmara de vereadores vai votar projeto do vereador Ademir Honorato (MDB) que pretende isentar do pagamento do IPTU o imóvel de pessoas portadoras de doenças graves. São listadas como passíveis de isenção: câncer, paralisia irreversível e incapacitante, Parkinson e Alzheimer, esclerose múltipla e esclerose lateral amiotrófica, conhecida como ELA. Porém para passar a valer a partir do ano que vem, o projeto precisa ser aprovado no Legislativo e sancionado em seguida pelo prefeito Clésio Salvaro. 

Aliás, já tramita na Câmara de Vereadores o projeto encaminhado pelo Executivo garantindo isenções do IPTU já exercidas pelo Município e que precisam ser atualizadas após o novo Código Tributário.


Serviço Aeromédico

O vereador Tita Belloli (MDB) faz requerimento na sessão de hoje para oficializar o que vem cobrando nas últimas sessões. Solicita que uma comissão seja criada para tratar da implantação do serviço aeromédico no Sul do estado.


Extinção cartórios

Um projeto de lei foi encaminhado pelo Tribunal de Justiça para a Assembleia Legislativa para a extinção 75 cartórios espalhados em distritos. O motivo foi a falta de interessados em administrar esses cartórios. Do Sul estão na lista, Aiurê e Invernada (Grão-Pará), Azambuja (Pedras Grandes), Barro Branco e Guatá (Lauro Müller), Hercílio Luz (Araranguá), Pindotiba (Orleans), Rio D'uma (Imaruí), Vargem dos Cedros (São Martinho) e Vila Conceição (São João do Sul).


Empresário piloto

O empresário criciumense André Gaidzisnki, ex-presidente e atual vice-presidente da Facisc (Federação de Associações Empresários do estado) foi segundo colocado na última etapa da Porsche GT3 Cup 3.8, realizada no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Prova foi disputada antes da Formula 1.

Com o segundo lugar, André subiu ao podium e ficou em sexto na classificação geral.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/11/2018 - 14:25Atualizado em 10/11/2018 - 14:31

O governo de Criciúma está fechando 2018 bem diferente de 2017. Muito melhor. As contas estão equilibradas e vão fechar "no azul”. A receita própria teve crescimento expressivo, passando a ser maior que os repasses do Governo Federal e Governo do Estado e há uma previsão de aporte de R$ 150 milhões para investimentos.

O primeiro sinal da nova fase é o orçamento do Governo do Município para 2019 - 42,14% maior que 2018. Passa de R$ 700 milhões para R$ 995 milhões.

A primeira explicação para o aumento é evitar o que aconteceu nesse ano, quando o orçamento foi muito “apertado” e a partir de setembro em muitas áreas a Prefeitura tem dinheiro em caixa, mas não tem dotação orçamentária para liberação. Isso amarra a gestão, exige negociações com a Câmara de Vereadores para aprovar transposições, transferência e outras “manobras”.

Mas, não é só isso. A economia aqueceu, os números estão melhores e a previsão de receita é otimista.

O secretário da Fazenda, Celito Cardoso, de atuação elogiável, fez crescer a receita própria, adotando medidas como “desconto zero” no IPTU e maior eficiência na cobrança de impostos.

Os novos auditores que entraram na Fazenda, aprovados em concurso público, tiveram participação decisiva. Eles fizeram diferença e ajudaram a aquecer a receita.

Hoje (pela primeira vez) a receita própria da Prefeitura já representa 55% da receita. Sempre foi o inverso. Maior volume era dos repasses do Governo do Estado e Governo Federal (principalmente ICMS).

A previsão para 2019 é que a receita total não seja menor que R$ 800 milhões. Mas, se “entrar" tudo o que está projetado, pode até ultrapassar a marca histórica de R$ 1 bilhão.

Sobre a sua mesa, o prefeito Clésio Salvaro tem uma programação de “aportes" possíveis para a Prefeitura, escrita por ele de próprio punho.

Só do Fonplata, mais de R$ 70 milhões. Da Caixa, R$ 30 milhões. Somando outros todos, chega a R$ 150 milhões.

Não quer dizer que 2019 será um ano de vacas balofas. Mas, é fato que o tempo de vacas magérrimas passou.

Se tudo sair como combinado/programado, o ano será marcado por muitas novas obras no município.

 

A reação

Numa loja de móveis para escritório, área central de Criciúma, a proprietária, animada, comentou: “depois da eleição, não parei de fazer orçamentos, encomendas e negócios; parece que estava todo mundo esperando o que ia dar”.

É o sentimento geral. A impressão é que o país “destravou".

O setor produtivo estava numa espécie de “greve branca”. Parado, esperando o que ia acontecer, para depois decidir sobre investimentos.

 

Salvaro e a eleição na Câmara

PSDB e PSD, na formalidade, são partidos do Governo Salvaro na Câmara. PSDB é o partido do prefeito, PSD é o do vice.

Vereadores Dailto Feuser, PSDB, ex-presidente do partido, e Salésio Lima, PSD, articulam nos bastidores para fazer maioria no plenário e eleger os presidentes da Câmara para 2019 e 2020 (eleição será no início de dezembro). Em princípio, os dois seriam os presidentes.

Mas, para isso, eles têm que “quebrar" o grupo dos nove, formado depois da eleição de 2016, que elegeu o presidente Julio Colombo e acertou que os presidentes em 2019 e 2020 serão do PP e MDB.

Salésio e Feuser precisam tirar de lá (do grupo dos nove) dois vereadores. E estão fazendo conversas para isso.

O prefeito Salvaro, se quiser, e decidir se envolver, decide o jogo e garante vitória na operação de Feuser e Salésio.

Mas, se o acordo do grupo dos nove for cumprido, os novos presidentes serão Miri Dagostim (PP) e Tita Beloli (MDB), que são muito próximos dele. Mais até que vereadores de PSD e PSDB. Em muitas situações, mais até que os dois aliados na formalidade que lideram a nova articulação (Salésio e Feuser).

Diante disso, Clésio deve fazer olhar de paisagem quando alguém puxar o assunto com ele. Não deve se envolver. E isso será na pratica um estimulo à manutenção do grupo dos nove.

Ele já fez assim em 2016, quando o grupo dos nove elegeu Julio Colombo presidente da Câmara.

Julio Kaminski era o candidato do PSDB, seu partido. Mas, Colombo era mais próximo, mais aliado.

 

Criciumense é destaque em Brasília

O criciumense Fabricio da Soller, procurador geral da Fazenda Nacional, foi homenageado em Brasília pela sua atuação no cargo desde 2016 (na foto, ao centro).

Faz poucos dias, ele também recebeu homenagem da Aeronáutica e Marinha.

Ele é funcionário de carreira como procurador da Fazenda faz 20 anos e chegou à função por critério técnico, sem interferência política.

 

Está saindo

Calçadão no Balneário Rincão está saindo (foto de ontem). Obras a todo vapor.

Será um fato histórico no balneário, um divisor de águas.

Todos falaram em fazer, mas disseram que esbarraram nos órgãos ambientais.

Na real, era só fazer projeto bem feito, seguindo as exigências técnicas.

 

Juntos e misturados

Julio Lopes, presidente do PSL de Criciúma, coordenador do partido na região, reuniu todos os dirigentes do partido de Garopaba e dos municípios da Amrec, colocou dentro de um ônibus, e levou para a reunião de ontem à noite com o Comandante Moisés. A primeira reunião do partido com o governador eleito.

 

Prêmio da Damyller

Damyller, uma das mais sólidas e importantes empresas da região, venceu ontem o prêmio Eco 2018. Modalidade - moda planeta grandes empresas.

Um prêmio nacional que tem a ver com os novos tempos, e com jeito moderno de pensar e agir.

Foi a segunda vez que a Damyller venceu esse prêmio.

 

Representatividade feminina

Um palanque dominado por mulheres no evento de encerramento do Mutirão de Conciliação, realizado em parceria do Fórum e Prefeitura de Criciúma. A procuradora Ana Cristina Youssef representou o Executivo ao lado de secretárias e representantes de setores e foram recebidas pelas juízas Débora Zanini e Eliza Strapazzon. O cerimonial foi feito pela jornalista Vivian Sipriano (foto). Uma cena que já deveria ser comum, mas que ainda chama atenção.

 

R$ 34,5 mil em acordos

O resultado do Mutirão de Conciliação foi aproximadamente 200 audiências e mais de R$ 34,5 mil em acordos de dívidas de IPTU.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/11/2018 - 06:14Atualizado em 09/11/2018 - 09:13

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) teve que fazer uma “live" ontem, 18h30, para garantir que nenhum secretário ainda está definido. Disse que “as listas que circulam”, são apenas especulações. 

Admitiu que vem conversando com possíveis integrantes do futuro governo, mas reforçou que nenhum convite foi feito.

O estilo do governador eleito vem alimentando especulações, e angustiando os aliados.

Moisés está agindo diferente de todos os outros governadores eleitos, e do próprio presidente eleito do seu partido, Jair Bolsonaro.

Está totalmente distante da mídia e do partido, fechado com um grupo de técnicos, com quem tem estudado a “máquina pública”.

O primeiro contato com o partido depois de eleito será hoje à noite, em Aguas Mornas.

O presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, convocou reunião com os dirigentes das executivas municipais e deputados eleitos.

Comandante Moisés vai para “acalmar" o grupo.

Poderá, inclusive, fazer anuncio dos primeiros nomes do novo governo. Mas, se o fizer será de surpresa, porque nada está programado.

O certo é que Moisés vai repetir que o governo será de perfil técnico, incluindo servidores de carreira, e que não vai levar deputados para o secretariado.


Presidência

Moises também não vem fazendo conversas políticas sobre a eleição para presidência da Assembléia. O único movimento que fez até agora foi orientar os deputados do seu partido, o PSL, que negociem com um grupo politico alinhado com as teses do futuro governo.


O espaço de Lucas

Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL, chegou a ser tratado logo depois da eleição de “futuro super-secretário”.

Mas, hoje existe a duvida se Lucas participará do governo.

Moisés não o levou para nenhuma das reuniões.

Além disso, repetiu mais de uma vez que Lucas terá a partir de agora "uma grande missão”, que é estruturar e organizar o partido. 

Pode ter sido a sinalização que ele não será secretário.

Moises era assessor de Lucas, que "bancou" sua candidatura ao governo.


Dani com Maia

O deputado federal eleito Daniel Freitas levou ontem a futura bancada federal catarinense do PSL para um encontro com o deputado federal carioca Rodrigo Maia (DEM), que trabalha para ser eleito presidente da Câmara.

Antes, Daniel conversou com o deputado reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL), que deu “sinal verde”. Só recomendou que ainda não assumissem compromisso.

Daniel está alinhadíssimo com o presidente eleito Jair Bolsonaro, e votará para presidente da Câmara no candidato que ele indicar.


Nicola aceitou

O prefeito Clesio Salvaro (PSDB) garantiu ontem à noite que o jornalista Nicola Martins, presidente da executiva municipal do PR, aceitou o seu convite e vai assumir a presidência da fundação de esportes.

Os dois se reuniram ontem pela manhã para tratar de planos e projetos para a fundação.   

O convite de Salvaro foi feito na segunda-feira. 

No final da tarde, Nicola disse que ainda dependia de uma resposta de Salvaro às sugestões que havia apresentado.


Liberada

O juiz Marciano Donato, da comarca de Meleiro, revogou ontem à tarde a decisão que mantinha a vereadora Maria Ondina Caldas Pelegrini em prisão domiciliar.

Além disso, o juiz restabeleceu o seu direito de exercido da função de vereadora. Ela reassumirá hoje na câmara de Meleiro.

Maria Ondina chegou a ser recolhida ao presidio em 2017, mas estava em recolhimento domiciliar desde março.


Mantida a agonia

Pelo mesmo motivo da semana passada (falta de ministros na sessão), foi adiado de novo o julgamento no STF do recurso do deputado João Rodrigues (PSD), que ameaça o mandato do deputado criciumense Ricardo Guidi (PSD).

Em principio, o julgamento deve sair na próxima semana.


Com Udo

A diretora executiva do Bairro da Juventude, Silvia Zaneti, e o diretor de projetos, Nei Souza, foram recebidos em Joinville pelo prefeito Udo Döhler.

O prefeito visitou o Bairro no primeiro semestre, ficou bem impressionado, e ao receber os seus diretores fez questão de chamar os secretários municipais para ouvi-los.


Vereadora de Treviso

A denuncia contra a vereadora Crisleide Cimolim (MDB), de Treviso, que pedia a cassação do seu mandato, foi assinada pelos vereadores Nelson Levati (PP), Rodrigo Nava (PSB) e Gabriel Mariani (PP), e também pelo prefeito Jaimir Comin (PP), o vice-prefeito Rodrigo Fenile (PSB) e 13 moradores do municipio.

A acusação é que ela não reside em Treviso, mas em Siderópolis, o que não é permitido pela Lei Orgânica Municipal.

O relator do processo deu parecer pelo arquivamento da denuncia, e o seu parecer foi aprovado pela maioria.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/11/2018 - 06:13Atualizado em 08/11/2018 - 10:27

Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas pelo que foi dito e apresentado ontem, são dois casos em que o cidadão vai levar prejuízo.

Na Criciúma Construções, o período de dois anos do processo de recuperação judicial está se encerrando e a tendência é que o empresário Rogerio Cizeski reassuma a empresa no primeiro trimestre de 2019.

Quase 30 empreendimentos continuam pendentes, alguns inacabados, outros nem iniciados, mas Cizeski não terá obrigação de concluir e entregar as obras.

Se o “credor" quiser (e puder) vai ter que aportar mais recursos para concluir as obras. Caso contrário, vai “morrer" com o que já pagou.

Cizeski poderá ter lucro com o saldo de negócios que vierem a ser feitos com o “estoque” de empreendimentos que estão prontos, ou que venham a ser concluídos.

Mas, o saldo positivo de um empreendimento não poderá ser “arrastado" para concluir o outro. São regras da recuperação judicial. 

No fim das contas, pelo que está encaminhado, se realmente o processo for concluído no fim do ano, Cizeski vai reassumir livre, leve e solto, e o processo todo serviu para ajustar as contas da empresa para ele. O prejuízo ficará só com o credor.

Isso não está pegando bem!

Tudo isso foi dito ontem, por quase 1hora, na Som Maior FM, ao vivo, quando o assunto foi dissecado com o gestor judicial, o administrador judicial e o advogado contratado pelo gestor judicial. As reações do público, por wathsap, foram muito ruins.

O pensamento majoritário é que o cliente/credor que foi lesado estava até agora calado, esperando, porque o assunto estava sob controle da justiça, com Cizeski de fora. 

Mas, agora a justiça está em vias de dar por encerrada a sua participação, se retirando do casso, e Cizeski volta à cena sem compromisso com o que ficou “pendente”, muda tudo.


Pedágio - conversa ruim

Na Acic, à tarde, outra conversa atravessada, com indicativo de prejuízo no bolso do cidadão.

Nada contra a implantação de pedágio. Que precisa ser implantado, o quanto antes, para garantir manutenção da rodovia duplicada. Mas, não de qualquer jeito.

Os argumentos técnicos da equipe da Fiesc não foram convincentes. Porque nada justifica tratamento diferente entre os trechos norte e sul, com prejuízo "de novo” para o pessoal do sul.


Falando grosso

Foi bom ouvir o prefeito Valdir Fontanella, de Lauro Muller, empresário do setor de transporte, falando grosso contra as que estão pretendendo impor no trecho sul da br 101, com tarifa mais cara e distância menor entre as praças de pedágio.

Melhor ainda é saber que a sua postura não é isolada. Os prefeitos estão na mesma sintonia. E os empresários também.


São cinco praças

Se considerar que o trecho sul da br 101 é a partir de Florianópolis, serão cinco praças de pedágio. Porque já tem uma em Paulo Lopes, e serão implantadas mais quatro.

De Florianópolis em direção ao Paraná, que é o trecho norte, são só três praças.


O documento

A comissão de empresários e políticos vai se reunir hoje para aprovar redação final do documento que será entregue no governo federal com a posição do sul do estado sobre as praças de pedágio.

Em síntese, deve insistir no mesmo valor de tarifa para os trechos sul e norte, e a mesma distâncias para as praças de pedágio.

Hoje a tarifa no trecho norte é r$ 2,70 e o projetado para o sul é r$ 4,20 (valor de hoje).

As praças de pedágio no norte ficam distante 100 quilômetros uma da outra, e para o sul a distância projetada é de 50 quilômetros.


Novo governo

Governador eleito Comandante Moisés (PSL) tem que ser acionado para entrar no assunto dos pedágios no sul.

Os deputados do seu partido no sul (dois estaduais e um federal) devem tratar do assunto com ele com urgência.

Moises e o PSL do estado precisam aproveitar o alinhamento com o presidente eleito Jair Bolsonaro e pedir sua intervenção no caso. Se ele pedir, o atual governo pára tudo. E o assunto será decidido, com calma, e coerência, em 2019.

Está aí a primeira missão, o primeiro desafio, para os novos eleitos.


Atual governo

O governador Eduardo Moreira (MDB), que é do sul, ex-prefeito de Criciúma, não usou da força do cargo para frear ou fazer um ajuste de rota no caso dos pedágios.


Time de transição de Moisés

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) surpreendeu de novo. A sua equipe de transição, que anunciou ontem à tarde, não tem nenhum integrante da coordenação da sua campanha, nenhum politico e ninguém do partido.

São técnicos, desconhecidos da direção do partido, e militares, da relação pessoal do governador eleito.

Ontem, fim da tarde, o governador eleito fez primeira reunião com a equipe de transição (foto). 

Amanhã, ele terá reunião com a direção estadual do PSL, executivas municipais e deputados eleitos.


Lider da bancada

O deputado eleito do sul, Felipe Estevão, será o líder da bancada do PSL na Assembléia.

Anúncio será feito amanhã, na reunião dos deputados com o Comandante Moisés.


Garantido

O deputado Ronaldo Benedet (MDB) esteve ontem no Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), em Brasília, e recebeu a notícia de que ainda restam cerca de R$ 20 milhões já empenhados, o que garante a continuidade até fevereiro/março. 

O restante da verba, aproximadamente R$ 50 milhões, está em tramitação no Congresso Nacional. 

O deputado acredita que não haverá problemas na aprovação e que o lado catarinense da br 285 deverá ficar pronto ainda em 2019.

Já o lado gaúcho, onde não houve empenho político, as notícias são ruins. Sem previsão sequer de orçamento. 


Troca de comando

O vice-prefeito Xande Feltrin (MDB) assumiu ontem a prefeitura de Sideropolis. Ficará como prefeito por 20 dias.

O prefeito Helio Alemão Cesa (MDB) pediu licença para tratamento de saúde.


No terminal

Faz dois meses que um caminhão derrubou uma parte do telhado do terminal de ônibus do bairro Pinheirinho. Até hoje não foi feito conserto.


Premiado

Sabrina Pacheco representou o Sicredi de Criciúma no evento da Você S/A, em São Paulo, quarta feira à noite, na entrega do prêmio “melhores empresas para trabalhar”.

O Sicredi nacional recebeu o prêmio como primeiro lugar na categoria “cooperativas de crédito”. Foi o segundo ano consecutivo.

É o oitavo ano consecutivo que a instituição é incluída no ranking. 


Vereadora fica no cargo

A vereadora de Treviso Crisleide Cimolim (MDB) contou com os votos de quatro colegas para permanecer no cargo. Ela enfrentou processo de cassação, acusada de não residir em Treviso, mas em Siderópolis, o que não seria permitido pela Lei Orgânica Municipal. 

A denúncia foi feita pelos vereadores Nelson Levati (PP), Rodrigo Nava (PSB) e Gabriel Mariani (PP) ao Ministério Público, que encaminhou o fato para que passasse por votação no Legislativo. Esses três vereadores e a acusada não puderam votar. Com isso, Reginaldo Rizzati (MDB), Luciano Miotelli (MDB), José Bonomi (MDB) e o presidente Sidnei Viola (PP) votaram a favor do parecer do relator (Rizzati) que favorecia a vereadora. O voto contrário foi de Jhotanan Kurtz (PSB). Detalhe é o voto do presidente, que mesmo sendo do PP se elegeu ao cargo com o apoio do MDB. 


À frente dos negócios

Empresas da região que são comandadas por mulheres serão apresentadas, hoje, durante a 2ª Mostra Feminina de Negócios na sede da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC). A intenção é evidenciar o trabalho da mulher em cargos de lideranças. A realização é do Núcleo da Mulher Empresária.


Com Grazzi

O criciumense Rubens Angelotti Junior, o Rubão, fez sessão de fotos ontem com Grazzi Massafera.

Ele está trabalhando para uma marca nacional que lançará campanha nos próximos meses.

Rubão é um dos melhores diretores de fotografia (e de imagens) do país.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/11/2018 - 15:42Atualizado em 07/11/2018 - 15:47

O governador eleito Comandante Moises (PSL) anunciou agora à tarde o seu grupo de transição.

No total, 11 pessoas, nenhum politico. Todos técnicos, incluindo dois militares.

A coordenação do grupo será do professor Luiz Felipe Felipe, da UFSC.

A equipe será nomeada pelo atual governador, Eduardo Moreira, e terá liberdade para trabalhar a partir de agora em espaço próprio no Centro Administrativo na busca de dados e formulação de planos/idéias para futuro governo    

Seguem os nomes e suas areas de atuação:

Luiz Felipe Ferreira – Contábil/Financeira

Fabiano Ramalho – Jurídico/Compliance

Marcelo Haendchen Dutra – Contábil/Financeira

Valdez Rodrigues Venâncio - Militar

André Pinheiro de Oliveira - Auditor

Naiara Czarnobai Augusto – MPSC

Jorge Eduardo Tasca - Militar

Wanderlei Pereira das Neves - Auditor

Iara Costa Leite – Professora de Relações Internacionais

Queila de Araújo Duarte – Procuradora do Estado

Luis Augusto Araujo – Engenheiro Agrônomo

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/11/2018 - 09:23Atualizado em 07/11/2018 - 10:57

Ficou para amanhã o julgamento no STF do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD), que ameaça a posse de Ricardo Guidi como deputado federal (PSD).

Julgamento seria hoje, mas acabou pautado para amanhã. O relato do processo é o juiz Gilmar Mendes.

João Rodrigues pede o reconhecimento da prescrição da sentença que o levou à prisão.

Se o recurso for acolhido pela maioria do STF, ele estará liberado, elegível e os seus votos serão validados.

Nesta condição, ele estará reeleito e pegará a vaga que hoje é do criciumense Ricardo Guidi (PSD).

Mas, se perder o recurso, voltará para a cadeia e Guidi estará confirmado deputado federal.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/11/2018 - 06:55Atualizado em 07/11/2018 - 09:17

O governador Eduardo Moreira oficializou na reunião com deputados estaduais do MDB, ontem, em Florianópolis, a sua intenção de voltar a presidir a executiva estadual do partido. Mas, sem disputa.

Ele enfatizou que não tem disposição para disputar a presidência com outros pretendentes.

Antes, lembrou que presidiu o partido por 10 anos e deixou o posto para encaminhar o consenso em torno do deputado Mauro Mariani, que o sucedeu.

Depois, como governador, era candidato natural à reeleição, mas abriu mão de novo em favor Mariani, para evitar a disputa interna, com tendência de racha.

Agora, disse que está estimulado para a missão de motivar o partido, ampliar sua capilaridade e modernizar a gestão.

O prefeito de Joinville, Udo Döhler, estava na reunião e sinalizou apoio para candidatura de Eduardo.

Eduardo, Udo e o deputado estadual reeleito Luiz Fernando Vampiro se reuniram depois na Casa da Agronômica (foto).

A maioria da bancada do MDB apoia Eduardo.

Ele deu a entender que pode rever a decisão de morar alguns meses no exterior em 2019, se for eleito presidente do partido.

Ao lado de Eduardo estava sentado o deputado federal eleito Carlos Chiodini, ligado a Mauro Mariani, que também se apresenta como candidato à presidência do partido.

Em princípio, a eleição da nova executiva estadual do MDB está marcada para o dia 8 de dezembro. Mas, o grupo de Mariani e Chiodini tenta prorrogar para 2019.


PR deve filiar Tati

O PR está em vias de confirmar a filiação da ex-vereadora Tati Teixeira, hoje filiada ao PPS.

Ela foi candidata a deputada estadual e recebeu 7.010 votos em Criciúma. Foi a quarta mais votada no município.

No total, fez 11. 256 votos.

A filiação de Tati, se confirmada, faz parte da estratégia do partido de se fortalecer para eleição de 2020.


Nicola assume Fundação

O jornalista Nicola Martins, presidente municipal do PR, será anunciado até amanhã como novo presidente da Fundação Municipal de Esportes. Com isso, o PR passará a fazer parte do governo do prefeito Clésio Salvaro e do seu projeto em buscar a reeleição em 2020.

Nicola foi convidado na segunda-feira, recebeu sinal verde do senador eleito e presidente estadual do partido, Jorginho Mello, e já decidiu aceitar.


Primeira peça

A entrada de Nicola é a primeira movimentação que Salvaro faz no “tabuleiro” projetando a eleição de 2020.

Outras mudanças serão feitas até a virada de ano.

Além do PR, outros partidos devem ser atraídos para o governo.

Salvaro também articula para levar pelo menos dois vereadores para o PSDB.


Estrago

O convite de Salvaro para Nicola assumir a fundação de esportes provocou desconforto interno, porque o atual presidente, Sandro Araújo, não sabia de nada. Nem seus aliados (e apoiadores) como o secretário Arleu da Silveira e o empresário Flavinho Spillere.


Sem garantia

Quando Acélio Casagrande, secretário de Saúde do Estado, anunciou a referência em oncopediatria para o Hospital São José, na segunda-feira, não havia nenhuma garantia de recursos para os serviços.

Tanto é que o documento só foi assinado por Acélio como hospital. A Prefeitura não assinou.

Somente ontem à tarde chegou no hospital o documento informando sobre remanejamento de recursos que estavam previstos para atender crianças da região de Laguna no Hospital Joana de Gusmão, em Florianópolis.

Em torno de R$ 14 mil/mês.

Decisão tomada na reunião de ontem, um dia depois da cerimônia feita. E o repasse ainda precisa ser confirmado, dependendo de teto e outras detalhes técnicos.


Dia de decisão

Será hoje, em Brasília, o julgamento no STF do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD), que pede o reconhecimento da prescrição da centena que o levou à prisão.

Se o recurso for acolhido pela maioria, João estará liberado, elegível e os seus votos serão validados.

Nesta condição, ele se reelege e pega a vaga que é do criciumense Ricardo Guidi (PSD).

Mas, se perder o recurso, voltará para a cadeia e Guidi estará confirmado deputado federal.


Só na quente

O jornalista Arthur Lessa perguntou para Acélio Casagrande, no estúdio da Som Maior, segunda-feira, se ele projeta candidatura para eleição de 2020 em Criciúma.

Acélio disse que precisa avaliar, mas arrematou: “eu só não vou mais entrar em fria”.


Com o MP

O governador eleito, Carlos Moisés (PSL) esteve, ontem, no Ministério Público de Santa Catarina. Foi conhecer as ferramentas de gestão oferecidas pelo órgão (foto). Foi uma das únicas reuniões, nos últimos dias, que não fora da estrutura do Governo do Estado onde está focado em adquirir o maior número de informações.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/11/2018 - 06:54Atualizado em 06/11/2018 - 09:15

Uma comissão de técnicos da Fiesc virá a Criciúma, amanhã, especialmente para a reunião com prefeitos e empresários da região sobre a proposta do Governo Federal para implantação de praças de pedágio no trecho Sul da BR-101 e a tarifa pretendida.

A reunião de amanhã, 14h, está sendo convocada pela Amrec.

A vinda da comissão de técnicos foi articulada na Fiesc pelo presidente da Acic, empresário Moacir Dagostim. É, sem dúvida, uma boa notícia, porque garante maior respaldo aos encaminhamentos que serão feitos a partir da reunião.

Mas, a melhor notícia é que prefeitos e empresários da região estão decididos a produzir documento único para ser protocolado no Governo Federal, com sugestões para alterações no cronograma que está apresentado.

O prazo para envio de sugestões para a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) termina na sexta-feira, dia 9.

A única possibilidade de mudar alguma coisa do que está encaminhado é com demonstração de unidade do Sul, com empresários e prefeitos juntos de fato, através de suas associações, com o apoio político explícito de deputados e senadores do estado (os atuais e os que vão assumir em 2019).

O Sul não pode ser contra o pedágio, porque é a única forma de garantir a manutenção da estrada.

Mas, é inadmissível que sejam adotadas regras diferentes para os trechos Norte e Sul da BR-101 no estado.

No trecho Norte, de Florianópolis para cima, a tarifa é R$ 2,70 e tem três praças de pedágio, uma distante 100 quilômetros da outra.

Para o trecho Sul estão projetando mais quatro praças, distante 50 quilômetros uma da outra, e tarifa de R$ 4,20, valor de hoje, que vai sendo atualizado até a implantação.

O mínimo que o Sul deve cobrar é mesmo tratamento. Nem mais, nem menos. Mas, mesmo que pareça óbvio, simples, vai ser preciso muita briga em Brasília.


Uma questão de tempo

Em Florianópolis, ontem, a Câmara de Vereadores aprovou projeto de lei que estabelece horário livre para o comércio.

A proposta do vereador Bruno Souza (PSB) foi aprovada por 16 votos favoráveis, três abstenções e quatro ausências.

Atualmente, a legislação permite que os estabelecimentos comerciais funcionem das 7 às 22h, durante a semana, e das 7 às 20h, aos sábados. Quando o projeto virar lei, cada loja define o seu horário.

A flexibilidade é efeito dos novos tempos e costumes.

Nem todas as lojas precisam abrir ou fechar nos mesmos horários. O comércio precisa se adaptar cada vez mais à disponibilidade do consumidor.

Em Criciúma, a discussão sobre horário livre já foi feita quando Eduardo Moreira era prefeito e Fábio Carpes o secretário de Planejamento, década de 90.


Clésio com o Comandante

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) se reuniu, ontem, com o governador eleito Comandante Moisés (PSL), em Florianópolis.

Foi o primeiro prefeito a se reunir com Moisés depois da sua eleição no segundo turno.

A conversa foi no centro administrativo, a pedido do prefeito, e demorou poucos minutos.

Salvaro informou que precisa tratar do CASE e Moisés garantiu que sua assessoria vai marcar audiência para os próximos dias.

O prefeito estava acompanhado dos vereadores Geovana Zanette (PSDB) e Ademir Honorato (MDB).


Com o Comandante 2

Salvaro recorreu ao governador eleito depois de ouvir do atual governo que não há previsão para execução das obras incluídas nas medidas compensatórias negociadas com a comunidade para operação do CASE.

A obra está pronta, mas enquanto o governo não anunciar o cronograma de obras, a prefeitura não emite licença para operação.


O primeiro

Antes de Salvaro, o governador eleito Comandante Moisés despachou, ontem, com outro criciumense. Secretário Acélio Casagrande, da Saúde.

Mas, a reunião entre eles demorou mais de três horas. Acélio deu todos os detalhes do funcionamento da secretaria e da dívida que vai ficar.

Segundo Acélio, será em torno e R$ 500 milhões, o que representa menos da metade do que recebeu em fevereiro.


Sob nova direção

O deputado estadual eleito Coronel Mocelin (PSL), já anunciado como futuro líder do governo do Comandante Moisés na Assembleia, reiterou, ontem, na Som Maior, que o fechamento das secretarias regionais estará entre os primeiros atos, em janeiro.

Descartou, no entanto, a possibilidade de privatização da Casan e Celesc. “Se a empresa pública dá lucro, não tem que privatizar, e essas duas estão superavitárias, e bem administradas”, argumentou.

 
Do quadro

Mocelin disse também que a equipe de governo terá muitos técnicos que são funcionários de carreira do Estado.

“Em todas as secretarias tem profissionais competentes”, disse


Fora do comando

O deputado Mocelin informou que o PSL decidiu não que não terá candidato à presidência da Assembleia.

Vai compor com outras forças políticas alinhadas ao novo governo.

Disse que o PSL só vai pleitear um cargo na mesa, que será ocupado pelo deputado Ricardo Alba, de Blumenau, o mais votado entre todos os deputados eleitos.

Mas, garantiu que não há nenhuma negociação em andamento.


Julio no páreo

O deputado estadual eleito da região Julio Garcia (PSD) é o mais forte candidato à presidência da Assembleia.

Ele vem recebendo manifestações de apoio de deputados de vários partidos. Mas, por enquanto, ainda não confirmou a candidatura.

Se for eleito presidente, Julio será a principal função política de Criciúma a partir de janeiro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/11/2018 - 06:53

A rodovia Aristides Bolan, conhecida como Via Rápida, foi inaugurada no dia 20 de dezembro. Faz quase um ano. Mas, ficaram pendências que até hoje não foram resolvidas.

Nada diminui a obra. O maior investimento do Governo do Estado em Criciúma e Içara, mais de R$ 120 milhões, que garante acesso rápido à BR-101.

Até hoje, no entanto, não existe sinalização adequada na BR-101 para orientar sobre a existência do novo acesso a Criciúma. Porque quem não mora em Criciúma, ou na região, não sabe da existência da Via Rápida.

A inclusão do nome "Via Rápida" na placa padrão colocada na BR-101, entre outras indicações de bairros, comunidades e cidades, não explica. Não diz o que é.

Além disso, aquele trevo de acesso, para quem vem do Sul, é um quebra-cabeça. Mesmo quem está acostumado, tem que tomar cuidado para não se atrapalhar.

Também falta a iluminação, que foi prometida, mas não instalada.

A manutenção não está sendo feita. O mato está alto. Começam a surgir os primeiros buracos na pista. Teve alguns deslizamentos (pequenos) e problemas no meio fio e acostamento, quase todos por causa de batidas e pequenos acidentes.

Ainda tem indenizações que não foram pagas e o Governo do Estado não faz sequer sinalização de prazo. E são muitos casos.

Os credores são agricultores, que cederam suas terras para que a obra fosse feita e tiveram que aceitar os valores estabelecidos pelo Estado para pagamento. Mas, estão esperando faz anos.

Nada a questionar em relação à obra. Importante, histórica, necessária, coloca a BR-101 mais perto de Criciúma.

Só que o Governo do Estado precisa efetivamente concluir a obra, resolvendo todas as suas pendências.

Na beira da praia

Ontem, a beira da praia do Rincão teve carros fazendo "cavalo de pau” e outras manobras. E teve motos também. Principalmente na Zona Sul.

Moradores e veranistas fizeram vídeos e repassaram. Todos indignados. Porque parecia terra de ninguém!

Aparentemente, motoristas embriagados.

Enquanto isso, adultos e crianças circulavam no mesmo espaço. Em perigo!

Até quando ?!

Na Praça

O vice-prefeito Ricardo Fabris, representando o governo municipal, e a reitora da Unesc, professora Luciane Ceretta, com representantes da rede Angeloni e Duna Veículos, cortaram o bolo de aniversário de emancipação de Criciúma, na festa de sábado, na Praça Nereu Ramos.

Foi um evento especial, organizado mais uma vez pela Som Maior, com show da Camerata Florianópolis.

Apesar da chuva, tinha muita gente. As cadeiras na estrutura coberta e nos camarotes estavam todas ocupadas, e muitos ficaram de pé, de guarda chuva.

A mostrar que o criciumense gosta de música, e de bons espetáculos.

No aeroporto

Um empresário de Criciúma embarcou no Aeroporto de Jaguaruna para São Paulo e deixou o seu carro no estacionamento pago.

Por questão de horário, teve que retornar pelo Aeroporto de Florianópolis.

Quando foi buscar seu carro em Jaguaruna, a surpresa. O estacionamento estava fechado e na guarita um aviso: “já volto”.

Por cima

Na GloboSat, canal pago, foi apresentado, ontem à tarde, no programa “Brasil visto por cima” um material fantástico sobre as serras do Rio do Rastro e Corvo Branco.

Teve imagens de impressionar o mundo dos canyons, do Morro da Igreja (em Bom Jardim, limite com Orleans), da pedra furada.

Bom Jardim, Orleans, Grão Pará, Urubici, Urupema e Lages foram destacadas.

Fake News

O Ministério da Educação teve que se apressar em desmentir uma notícia falsa, que simulando o site G1, circulou dizendo que as provas do Enem haviam sido canceladas por suspeitas de fraudes. As fake news foram o maior desafio durante o pleito eleitoral e pelo jeito seguem desafiando os órgãos competentes. A Polícia Federal deverá investigar de onde partiu a informação falsa.

Pós-eleição

A Associação Empresarial de Criciúma (ACIC) encaminhou ofício para todos os eleitos pela região Sul, são oito deputados estaduais e três federais. Além de parabenizar pela vitória nas urnas, lembrou da campanha do Sul pelo Sul que incentivou o voto em candidatos daqui, mas também elencou uma pauta de prioridades e que agora deve ser cobrada.

Atendimento ampliado

O Hospital São José passa a ser oficialmente referência em Oncopediatria para todo o Sul do estado. Hoje, o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, a primeira-dama do Estado, Nicole Torret Moreira, a direção do Hospital São José e Casa Guido, assinam o Termo de Compromisso de Alta Complexidade de Oncologia Pediátrica para a Região Sul de Santa Catarina. Na prática, aumentará o atendimento de crianças em tratamento contra o câncer.

Fortalecimento dos hospitais

O Hospital Dom Joaquim, de Sombrio, há anos vem numa luta para não fechar em definitivo suas portas. Agora, parece viver um momento de estabilidade e isso tem a importante participação do secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande. Foram autorizadas pelo Governo do Estado, por meio do contrato para atendimentos pelo SUS, mais 150 cirurgias de varizes e 280 ultrassons com doppler por mês.

Projeto Ver

A Secretaria de Saúde que foi notícia pelo tamanho da dívida, aos poucos, passa a ter dados positivos. O Projeto Ver, de cirurgias de cataratas, comemora R$ 20 milhões investidos que beneficiaram mais de 18,5 mil pacientes e até dezembro deste ano serão 20 mil cirurgias.

Transição

Essa semana marca a transição de gestão no Hospital Regional de Araranguá (HRA) do Ideas, que resolveu por conta própria deixar a entidade, para o Instituto Maria Shmitt, segundo colocado na licitação. Para a oficialização está sendo aguardado o parecer da Procuradoria Geral do Estado, solicitado pela comissão de licitação da Secretaria de Estado da Saúde, para que seja realizada ou não a rescisão do contrato com o Ideas e oficializada a posse do Maria Schmitt.

Adesivaço

Representantes da chapa 81 para a OAB estadual e 101 para subseção de Criciúma realizaram um adesivaço, no fim da tarde deste domingo. O atual presidente da OAB Criciúma, Fábio Jeremias, concorre ao Conselho Federal na chapa que tem Rafael Horn disputando a presidência da Ordem em Santa Catarina. Rafael Búrigo é o candidato a presidente da OAB Criciúma.

Pelas redes sociais

Desde antes e durante a campanha já era costume do agora presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), se comunicar através das redes sociais, tanto é que assim que as urnas confirmaram sua vitória fez primeiro um pronunciamento através do Facebook para depois falar em rede nacional. Agora, o PSL lançou uma página oficial, denominada Muda de Verdade, e onde serão postadas as decisões durante o período de transição a partir desta semana. Ainda há canais no Twitter, Facebook e Instagram.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/11/2018 - 06:55

Enquanto o futuro governo de Jair Bolsonaro já tem cinco ministros anunciados.

Todos os nomes causaram boa impressão, com destaque para o juiz federal Sérgio Moro, o economista Paulo Guedes e o astronauta Marcos Pontes.

O presidente eleito Bolsonaro apresentará na segunda-feira os 24 nomes da sua equipe de transição e anunciará todos os ministros até o final de novembro.

Enquanto isso, em Santa Catarina o governo do Comandante Moisés continua "zerado".

O Comandante está pessoalmente envolvido em longas reuniões fechadas com técnicos do atual governo, conhecendo detalhes da máquina estatal, e praticamente sozinho. Só levou dois professores da universidade federal. Ninguém da sua equipe de campanha. Nem Lucas Esmeraldino, presidente estadual do partido, que o colocou no partido e bancou sua candidatura ao governo.

A vice, Daniela Reinehr, foi convidada para uma das quatro reuniões realizadas.

No entorno do Comandante Moisés tem um grupo de coronéis da reserva e oficiais da

Polícia Militar que o mantêm isolado, inacessível.

Moisés só fez uma reunião política depois de eleito.

Chamou os deputados eleitos do PSL, seu partido, para “comunicar” que o líder de governo será o Coronel Mocelin, que será deputado de primeiro mandato, sem nenhuma experiência política, mas que foi o escolhido porque é seu amigo pessoal de muito anos.

A tradição indica que o líder de governo seja um deputado habilidoso, de bom trânsito com outras bancadas, para ter condições de facilitar o relacionamento do governo e encaminhamento de projetos. Mocelin é conhecido por posições radicais. Ele repudia relação com políticos tradicionais.

O governador eleito não havia feito nenhuma discussão com a direção do partido ou com os deputados sobre a definição do líder de governo. Na reunião, ouviu reação, mas não recuou. Manteve a decisão.

Os primeiros movimentos preocupam até aliados do Comandante.

 

A transição

O Comandante Moisés desmontou o seu comitê de campanha, dispensou todo mundo e passou a usar até a estrutura de imprensa do atual governo.

As informações repassadas são mínimas. Restritas basicamente aos participantes das reuniões com técnicos do governo.

 

Conhecendo

Deputado estadual eleito Jesse Lopes (PSL) tem deixado boa impressão.

Na véspera da eleição de segundo turno, estava em cima do caminhão que liderou a carreata do PSL.

Na apuração do segundo turno, apesar de convidado para estar na Capital, ficou em Criciúma, no Parque das Nações, como o eleitor comum.

Na reunião com outros deputados eleitos de Criciúma, passou todo o tempo buscando informações.

Na semana passada, foi com o pai, Julio Lopes, presidente local do PSL, se reunir com o presidente da Assembleia, Silvio Dreveck (foto).

 

Novos nomes

Em Araranguá, os movimentos para a eleição de prefeito em 2020 indicam para uma disputa entre novos nomes.

Primo Junior (atual vice-prefeito), Beto Risoto (presidente da Aciva) e Evandro Scaini (ex-prefeito de Arroio do Silva, comerciante na cidade) são os que mais tem se movimentado e largam na frente.

 

Giassi exonerado

O Conselho Universitário da Unesc aprovou por unanimidade o desligamento em definitivo, e por justa causa, do professor Dorival Giassi.

Ele já estava afastado das funções e respondendo a inquérito administrativo desde dezembro de 2017. Mas, mesmo afastado, continuava a receber remuneração.

 

Giassi 2

A exoneração de Giassi é mais uma decorrência de sua condenação pela Justiça por improbidade administrativa.

Ele foi denunciado por desvio de recursos na época em que era pró-reitor financeiro da universidade.

No mesmo processo também foi condenado o professor Miguel Mastella, que era funcionário da universidade e secretário do Sistema Econômico da Prefeitura de Criciúma.

A sentença foi assinada pelo juiz Pedro Aujor Furtado Júnior, da Comarca de Criciúma, que obriga os condenados a devolver aos cofres públicos R$ 707 mil.

Giassi era coordenador do curso de Ciências Contábeis em dezembro de 2017, quando foi afastado.

 

Alunos de outras cidades

Na polêmica das rematrículas de alunos de outros municípios nas escolas de Criciúma, chamou a atenção a postura equivocada do prefeito de Forquilhinha, Dimas Kammer.

Não aceita fazer nenhuma compensação financeira. Se mostrou preocupado apenas com o financeiro, e deu de ombros para a situação das crianças.

A rigor, nenhum problema se alguns alunos de uma escola, cinco ou seis, sejam de outros municípios. Mas, na escola do Bairro São Roque, Criciúma, mais da metade é de Forquilhinha.

Alunos de Criciúma não conseguem estudar ali porque a escola está lotada. Não tem mais vagas.

Toda a estrutura da escola é custeada por Criciúma (professores, estagiários, merendeiras, limpeza, etc).

 

Juíza tem parentes no estado

A juíza Gabriela Hardt, que vai assumir os processos da Lava Jato que estavam com o juiz Sergio Moro, é neta de catarinense.

Seu avô, Jorge Hardt, empresário de Indaial, fundou as Lojas Hardt faz quase 100 anos.

Ela é sobrinha de Frederico Hardt, conhecido como Lico, que foi prefeito de Indaial entre 1993 e 1996.

Gabriela Hardt tem 42 anos e ficará à frente dos processos da Lava Jato até que seja escolhido um novo juiz titular - ela não pode assumir em definitivo porque é juíza substituta.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/11/2018 - 16:58Atualizado em 01/11/2018 - 17:10

O Conselho Universitário da Unesc, reunido nesta quinta-feira, aprovou o desligamento em definitivo, e por justa causa, do professor Dorival Giassi.

Ele já estava afastado das funções e respondendo a inquerito administrativo desde dezembro de 2017.

Mas, mesmo afastado, continuava a receber remuneração.

Decisão de ontem no Conselho foi aprovada por unanimidade.

As decisões são decorrência do fato de Dorival Giassi ter sido condenado pela justiça por improbidade administrativa.

Ele foi denunciado por desvio de recursos da época em que era pró-reitor financeiro da universidade.

No mesmo processo também foi condenado o professor Miguel Mastela, que era funcinário da universidade e secretário do Sistema Econômico da Prefeitura de Criciúma.

 A sentença foi assinada pelo juiz Pedro Aujor Furtado Júnior, da Comarca de Criciúma, que obriga os condenados a devolver aos cofres públicos R$ 707 mil.

Giassi era coordenador do curso de ciências contábeis em dezembro de 2017, quando foi afastado. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/11/2018 - 06:55Atualizado em 01/11/2018 - 09:11

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) tem vários secretários definidos, mas só vai fazer anúncios na próxima semana, depois de concluir a busca de informações setoriais junto ao Governo do Estado.

É provável que dois secretários sejam do Sul.

Moisés começou a tratar de nomes para o colegiado depois do debate do segundo turno realizado na Som Maior FM, o último da campanha, no dia 23 de outubro.

De acordo com assessores próximos, a condição de Gelson Merisio (PSD) naquele debate deu a entender que ele havia “registrado o golpe” e que a vitória era perspectiva real.

Naquele debate, Merisio estava abatido, irritado, tenso.

A partir daquele debate, técnicos de carreira do Governo do Estado e da iniciativa privada, professores de universidades, profissionais liberais e gestores públicos passaram a ser envolvidos nas discussões com o Comandante Moisés para montagem do plano de governo.

Na segunda-feira, Moisés informou aos integrantes da coordenação de campanha que faria as reuniões setoriais com o atual governo apenas com o professor Dr Luiz Felipe Ferreira, do departamento de Ciências Contábeis da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), que é da sua relação pessoal.

A primeira reunião foi na terça-feira com o secretário da Fazenda, Paulo Eli, e sua equipe. Ontem, foi com o secretário de Administração, Milton Martini, e seus assessores mais próximos.

Moisés e o professor Luiz Felipe têm feito verdadeiras entrevistas, indo aos mínimos detalhes, para dissecar tudo sobre procedimentos, limites legais, sistemas, estruturas, restrições, processos de licitações.

Hoje, será com Planejamento e Defesa Civil.

Como tem o feriado, amanhã, as reuniões devem se estender até quarta-feira.


Os nomes

Mais um nome do Sul do estado passou a integrar a lista de especulações para o secretariado do Comandante Moisés. Professor Silvestre Herdt, ex-reitor da Unisul. Estaria mapeado para a Educação.

Além dele, estão citados Julio Lopes (para Cultura, Esporte e Turismo) e Julio Kaminski.

O presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, de Tubarão, será secretário de estado se o TSE não cassar o senador eleito Jorginho Mello (PR), o que viabilizaria a sua posse no Senado.


Nada oficial

O deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) esteve, ontem, com o Comandante Moisés e ouviu que ninguém ainda foi oficialmente convidado para compor o futuro secretariado.

Moisés teria confirmado que convites só serão feitos a partir da próxima semana.


Para prefeito

O PSL pode não investir apenas no vereador Julio Kaminski (hoje ainda no PSDB) para ser o candidato a prefeito de Criciúma em 2020.

O empresário Cesar Smielevski, ex-presidente da Acic, já teria sido convidado a filiar com o mesmo objetivo - eleição municipal de 2020.


Mais uma semana

A confirmação da posse do deputado federal eleito Ricardo Guidi (PSD) ficou para a próxima semana.

O ministro Gilmar Mendes, relator do processo que trata no STF do caso do deputado federal João Rodrigues, pediu adiamento durante a sessão de ontem.

O processo estava na pauta de julgamento da sessão do STF, mas o ministro Gilmar justificou o adiamento pelas ausências de dois ministros. Provavelmente, preocupado com o “placar final”.

O parecer de Gilmar é favorável a João Rodrigues. O ministro Luiz Barroso é radicalmente contra. Foi ele quem mandou prender o deputado João.

No recurso, João Rodrigues pede que seja reconhecida a prescrição da pena. Se vencer no STF, será liberado, recupera a elegibilidade e os votos que recebeu no dia 7 de outubro serão validados. E assim, ganhará a segunda vaga do PSD e Guidi vai para a suplência.

Se João Rodrigues perder o recurso, o mandato de Guidi estará assegurado.


Acordo garante rematrícula

Acabou sendo bem resolvida a polêmica das rematrículas na rede pública de Criciúma para alunos de outras cidades.

Em síntese, os municípios onde as crianças vão repassar uma compensação financeira.

O entendimento foi aprovado durante reunião do prefeito Clésio Salvaro com os prefeitos de Içara, Murialdo Gastaldon, e de Forquilhinha, Dimas Kammer.

Mas, só o de Içara bateu o martelo e fechou o acordo.

O prefeito de Forquilhinha pediu tempo para avaliar com sua equipe.


Não é SUS

Nesse caso, quem não pode sair perdendo, ou prejudicada, é a criança. Tem que garantir escola, e no lugar que for melhor.

Mas, Criciúma não pode pagar a conta que é de outros municípios. Não tem SUS na educação.

O Fundeb (fundo de educação básica), repassado pelo Governo Federal, paga só uma parte do custo por criança.

O que o prefeito Salvaro fez foi colocar “o bode na sala”. Anunciou que iria proibir rematrícula de aluno de outras cidades, provocou reações, e fez com que os "prefeitos vizinhos” viessem negociar.


Já está proibido

Acontece que a intenção anunciada por Salvaro de proibir quem é de fora, já é prática em Forquilhinha.

Aluno de fora não matricula na rede municipal. O criciumense Luiz Paulo Zanette Mendes é um caso.

Ele diz que sua mulher trabalha em Forquilhinha, mas mesmo assim não aceitaram os seus filhos rede pública do município.

Ele teve que sair do emprego para cuidar dos filhos (três gêmeos).


Sem demagogia

Depois de encaminhar acordo com os prefeitos, Salvaro se reuniu com vereadores, porque tem que ser aprovado pela Câmara Municipal.

Mas, ele abriu a reunião disparando - “temos que acabar com a demagogia e a hipocrisia, o assunto é sério e tem que ser tratado com responsabilidade”.

Era um recado principalmente ao vereador Pastor Jair Alexandre, que havia se posicionado contra o corte da rematrícula e feito críticas a intenção anunciada.


Parabéns a Você

Depois da reunião sobre a rematrícula, o prefeito Salvaro mandou trazer um bolo para homenagear o vereador Ademir Honorato (MDB), que estava de aniversário. Seguido do parabéns a você.


Regulamentação

A regulamentação de transportes por aplicativos em Criciúma passa a ser discutida na Câmara de Vereadores. O projeto de lei foi encaminhado, nesta quarta-feira, logo após apresentação aos vereadores, que participaram de reunião no Paço Municipal com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB). A intenção de mudar a forma de administração dos terminais de transporte coletivo, por meio de condomínio, também entrou na pauta do encontro.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/10/2018 - 17:18Atualizado em 31/10/2018 - 17:35

Prorrogado o tempo de angústia para o deputado federal eleito Ricardo Guidi (PSD).

O julgamento no STF do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD), que estava pautado para hoje à tarde, foi adiado para a próxima semana.

O ministro Gilmar Mendes, relator do processo, pediu adiamento do julgamento devido ao baixo quórum. Ele preferiu incluir na pauta da sessão do STF da semana que vem. Não estavam presentes os ministros Luiz Fux e Dias Toffoli.

No recurso, o deputado João Rodrigues pede que seja reconhecida a prescrição da sentença que o levou à cadeia no inicio do ano. O parecer do relator é a seu favor.

Se o recurso for acolhido, Rodrigues ficará elegível, seus votos validarão e ele será o segundo deputado federal do PSD, ocupando a vaga de Ricardo Guidi.

Amparado numa liminar, João Rodrigues está em liberdade e disputou reeleição para federal. Mas, os seus votos foram "geladeira", não constam no registro oficial, porque aguardam a decisão do STF.

         

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/10/2018 - 06:10Atualizado em 30/10/2018 - 08:54

A derrota imposta aos principais partidos do estado pelo tsunami eleitoral deve levar a troca dos seus comandos. Em alguns casos, por entendimento/consenso. Em outros, com disputa.

O processo já foi deflagrado logo depois do primeiro turno, e está em curso. Políticos do sul estão diretamente envolvidos.

No MDB, o presidente da executiva estadual, deputado Mauro Mariani, que impôs sua candidatura ao governo e não conseguiu chegar no segundo turno, tomou a iniciativa de jogar a toalha e pedir para sair. Passa o bastão em dezembro. Ele teve humildade para percebeu que sua capacidade de comando se esvaiu depois do “vexame eleitoral”. 

O governador Eduardo Moreira, ex-prefeito de Criciúma, é candidato à presidente e está trabalhando para isso.

No PSDB, o deputado Marcos Vieira, presidente estadual, não demonstra interesse em deixar o cargo, mas existem articulações fortes para isso, em função da derrota do partido nas urnas.

O PSDB tem hoje dois senadores e dois deputados federais, mas no próximo mandato só terá uma deputada federal. A criciumense Geovania de Sá, reeleita com o dobro de votos da eleição anterior.

Ela é candidata a presidente e trata do assunto com o ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes.

No PP, a direção apostou todas as fichas na aliança com Gelson Merisio, PSD, e se deu mal. O partido encolheu na eleição. 

Ademais, os deputados que estão no comando do partido e disputaram a eleição, ficaram na estrada (como Valmir Comin).

O deputado federal Jorge Boeira, que não disputou reeleição, pode se apresentar para liderar o processo de reestruturação do partido. Mas, terá que vencer a resistência da “velha guarda”.

O PSD, presidido por Gelson Merisio, também sai da eleição derrotado, menor, e dividido. 

Merisio teve a maior derrota de toda a historia de Santa Catarina numa eleição para governador pelo voto direto.

É inevitável, o questionamento à sua liderança e às condições políticas para seguir no comando do partido.

A sucessão deve passar pelo deputado eleito Julio Garcia, seu desafeto, que foi o mais votado do partido e na aliança.

Se Julio não for o novo presidente, deve participar da decisão de quem será.


Barrados

Entidades respeitadas, reconhecidas e com bons serviços prestados, como Nossa Casa, Casa Guidi e Bairro da Juventude, não conseguiram aprovar seus projetos no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente para uso de verba do FIA (Fundo da Infância da Adolescência).

Na mesma reunião, o Conselho aprovou dois projetos da Afasc.

A presidente da Associação Nossa Casa, Isabel Cristina Feijo, contrariada com o Conselho, registou: “As entidades vão recorrer dessa decisão inusitada e um tanto suspeita”.


A transição por acaso

O Comandante Moisés procurou o governador Eduardo Moreira para falar da sua segurança pessoal depois da eleição, até a posse. Mas, o governador aproveitou para dar inicio ao processo de transição de governo.

Os dois se reuniram por quase quatro horas. Sem testemunhas. E acertaram efetivamente o inicio da transição para hoje.

Um espaço será colocado a disposição do governador eleito e sua equipe no ambiente do centro administrativo.


Marqueteiro

A campanha do Comandante Moisés na televisão teve a digital de um publicitário de Criciúma, que assinou campanhas eleitorais em Criciúma nos últimos 20 anos. Beto Soares.

Ele integrou a equipe liderada pelo publicitário Sergio Caldara.


Com Paulo Guedes

O deputado federal eleito Daniel Freitas (PSL) vai levar o governador eleito Comandate Moisés para reunião com o futuro ministro da economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes, até quinta-feira.

Encontro ficou acertado ontem, durante reunião de Daniel com o futuro ministro, no Rio.


Com Maia

Daniel Freitas também esteve ontem no Rio com o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (DEM), que está em campanha para continuar no cargo. 

Maia pediu o voto de Daniel, que comunicou que vai seguir orientação do partido.


Dois recados

O Comandante Moisés disse ontem na rádio Som Maior que deputados serão deputados e que Lucas Esmeraldino tem a difícil missão de tocar o partido.

Deu a entender que não vai chamar deputados para o governo, nem Lucas Esmeraldino.

Lucas é de Tubarão, ex-vereador, presidente estadual do PSL, quase eleito senador e responsável por sua candidatura ao governo.


Eleição e o queijo

Julio Scussel, de Sideropolis: 

"Pode-se comparar a eleição estadual às criações disruptivas que acontecem atualmente com a tecnologia. Num dado momento estão todos avançando numa direção e, de repente, vem alguém e arrasa com tudo. 

A derrota de Mauro Mariani e Merisio tem a ver com o que aconteceu com a indústria tradicional de celulares, nas quais todos produziam aparelhos pequenos e com teclas. De repente chega a Apple e lança um aparelho multifunção, sem teclas (i-phone), grande e que desbanca todo mundo.

Para fechar: acho que uma literatura básica a ser recomendada para os políticos tradicionais é “Quem Mexeu no meu Queijo?” de Spencer Johnson”.


Rubinho merece

Câmara de Vereadores prestou justa homenagem ao empresário criciumense Rubens Angelotti, presidente da Federação Catarinense Futebol.

A partir de janeiro, quando Eduardo Moreira não for mais governador, Rubinho será a principal autoridade de Criciúma.

Ele assumiu a Federação para cumprir mandato tampão, com a morte de Delfim Peixoto, mas foi eleito por aclamação um ano e meio depois para novo mandato, pela sua retidão e a capacidade de gestão.


Mario perde a Jussara

Mario Lima, o amigo da galera, perdeu a sua Jussara.

Ela era a sua base, a segurança, a retaguarda.

Jussara foi uma grande mulher, mãe maravilhosa, gestora do seu núcleo familiar.

A melhor definição - uma guerreira.

Mario perdeu um pedaço de si. Todos vão sentir a falta da Jussara.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/10/2018 - 06:54Atualizado em 29/10/2018 - 10:00

Como previsto, deu Bolsonaro e Comandante Moisés. Já havíamos especulado que só um novo tsunami impediria a vitória de um dos dois. Mas não havia nenhuma previsão para isso. Ao contrário.

Bolsonaro ganhou com diferença menor do que estava projetado no início do segundo turno. Não foi goleada.

O Comandante Moisés não apenas ganhou, mas deu “um banho”. Foi a maior vitória de um governador eleito pelo voto popular na história de Santa Catarina.

Haddad perdeu, mas não fez feio. Ele se consolidou como liderança nacional e poderá comandar a reconstrução do PT.

Merisio não apenas perdeu. Foi desmoralizado. Não repetiu os votos que fez no primeiro turno.

Foi uma eleição atípica, marcada pela indignação e pela retirada dos políticos que estão no poder e no seu entorno.

Mudança, uma limpa geral, renovação - foi o que mais se ouviu.

A campanha mostrou que a direita se levantou e se fez protagonista. Ventos da mudança.

A democracia é assim. Hoje um lado está majoritário, amanhã pode ser o outro, e depois o outro.

Acima de tudo, venceu a democracia. As instituição foram preservadas e fortalecidas.

Como escreveu Ruy Castro, "que o Brasil seja grande o suficiente para absorver qualquer dos dois, digeri-lo e, em seu tempo, expeli-lo, até que surja alguém melhor”.

Que as urnas tenham levado o país e o estado para um caminho melhor, de prosperidade, crescimento e desenvolvimento.

E que todos tenham a maturidade para assimilar e administrar vitória e derrota.


Vitória menor

No fim das contas, uma vitória menor para Bolsonaro evita o sentimento de poder absoluto.

Não foi dado um cheque em branco.

Ele tem o apoio da maioria para fazer mudanças necessárias e não repetir as práticas velhas (ou velhacas).

Para tudo isso, terá o apoio do povo nas ruas.


O outro lado

O PT foi levado ao poder porque o eleitor acreditou que ele faria diferente. Não iria dar continuidade ao balcão de negócios para governador, nem às velhas práticas contaminadas pela corrupção. Mas foi aí que o PT decepcionou. E o eleitor, indignado, deu o troco nas urnas.


A dúvida

A pergunta feita depois dos eleitos de ontem - até quando vai se manter o “tsunami da mudança”?

A resposta - se Moisés e Bolsonaro fizerem governos razoáveis, e não decepcionarem no que é fundamental, isso pode ser levado até a eleição de 2020.


O nome

O vereador Julio Kaminski, ainda do PSDB, foi chamado a Florianópolis, ontem à tarde, para participar da comemoração da vitória com o Comandante Moisés, o comando do PSL e os deputados eleitos do partido.

Aliados apostam que será o candidato do partido a prefeito de Criciúma.


Só depois

Comandante Moisés afirmou depois de eleito que primeiro vai tentar encaminhar na Assembleia a alteração da estrutura administrativa do governo, a fim de reduzir o número de secretarias.

Pretende anunciar integrantes de sua equipe de governo só depois.

Mas isso vai depender da transição que fará com o governador Eduardo Moreira e da relação que conseguirá estabelecer com os atuais deputados.


Os nomes

Mesmo que o Comandante Moisés não trate de secretários, alguns nomes são citados como "muito prováveis”.

O primeiro é do Sul. Vereador Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL e quase senador (perdeu vaga para Jorginho Mello por 18 mil votos).

A rigor, ele poderá “escolher" o espaço a ocupar. Mas é citado para Secretaria de Saúde (ele é dentista), Planejamento e Infraestrutura.


Está disposta

A deputada federal reeleita Geovania de Sá participou da cobertura da eleição na Som Maior e admitiu assumir a presidência estadual do PSDB.

Mas ela disse que pretende discutir o assunto com os principais políticos do partido no estado. Não quer entrar numa disputa para assumir um partido rachado.

Geovania deve articular junto com Napoleão Bernardes, que foi candidato a vice-governador, para “reconstrução" do PSDB no estado.


O retorno

O governador Eduardo Moreira repetiu ontem, depois de votar em Criciúma, que vai facilitar o processo de transição no estado.

Sobre a vitória de Moisés e Bolsonaro, disse estar convencido que esse “febrão" vai passar e comparou o PSL ao PRN - “pouco tempo depois da eleição do Collor, o PRN sumiu”.

Eduardo confirmou disposição para assumir a presidência estadual do MDB. Disse que vem sendo “estimulado" para isso.


As datas de posse

Observação pertinente faz o cidadão Luiz Mariano de Souza - " Mudaram a data das eleições na Constituição de 1988 e esqueceram da posse dos eleitos.

As datas atuais de posse, mais de dois meses depois da eleição para o Executivo e quase quatro meses para o Legislativo, não se justificam, são um acinte à democracia e à nossa inteligência.

O que vão fazer até a posse os que perderam, não se reelegeram?

Depois, vai assumir o Executivo (em 1º de janeiro) e não tem Legislativo novo (que só assume em 1º de fevereiro).

Isso é imoral, pois a sociedade atestou nas urnas que não quer mais vê-los".


Na festa da vitória

Publicitário criciumense Alexandre Costa estava no grupo que participou da festa da vitória do Comandante Moisés, ontem à noite, em Florianópolis.


Primeira vice mulher

Santa Catarina terá, a partir de 1º de janeiro de 2019, uma vice-governadora. Daniela Reinehr, do Oeste catarinense. É primeira mulher a ocupar o cargo em toda história catarinense.


Fato triste

O fato lamentável neste domingo na região foi registrado em Criciúma. Uma família foi agredida quando chegava para votar, no Bairro Boa Vista. Foi um fato isolado, sim, mas não pode passar despercebido pela gravidade. Que sirva de lição para que não se repita e o respeito ao próximo sempre prevaleça.


Novo desafio

É praticamente unânime o entendimento de representantes da Justiça Eleitoral de que o grande desafio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para o próximo pleito é o combate às notícias falsas. Ninguém estava esperado essa enxurrada de fake news e, principalmente, voltada contra a própria Justiça Eleitoral e o sistema de votação que utiliza as urnas eletrônicas. O fato fez com que vários juízes, promotores, desembargadores e ministros fossem à imprensa garantir a confiabilidade nas urnas.


Vitória de criciumenses

A vitória de Reinaldo Azambuja (PSDB), no Mato Grosso do Sul, significa também a vitória dos profissionais da Ápice Comunicação, agência de Criciúma, comandada pelos irmãos Lucas e Felipe Borges e que trabalham com Azambuja desde a eleição de 2014. O Instituto de Pesquisas Catarinense (IPC), também de Criciúma, atuou na eleição de Mato Grosso do Sul.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/10/2018 - 20:43Atualizado em 27/10/2018 - 20:53

As ultimas pesquisas do DataFolha e Ibope para eleição presidencial foram divulgadas agora a pouco.

No Ibope, a vantagem de Bolsonaro sobre Haddad caiu para 8 pontos.

Na primeira pesquisa do segundo turno, Bolsonaro tinha vantagem de 18 pontos

Na pesquisa de hoje, considerando só votos validos, Bolsonaro teve 54% e Haddad 46%.

No DataFolha, a vantagem de Bolsonaro é de 10 pontos.

Na primeira pesquisa de segundo turno a vantagem era 16 pontos.

Na pesquisa de hoje, considerando apenas votos válidos, Bolsonaro teve 55% e Haddad 45%.

   

 

  

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/10/2018 - 07:05

Eleição não dá para contar definida antes de aberta a urna. Surpresas acontecem. Como foi a passagem do Comandante Moises (PSL) para o segundo turno no estado.

Mesmo assim, dá para correr o risco e cravar que a eleição está “muito bem encaminhada” para Jair Bolsonaro (PSL) na eleição presidencial e Comandante Moisés (PSL) na disputa pelo Governo do Estado.

Só um novo tsunami eleitoral para reverter esse processo. Muito mais que fatos novos. O tempo é curto e a vantagem dos dois, de acordo com as pesquisas, é folgada.

No estado, Gelson Merisio (PSD) projetou toda a sua campanha para enfrentar o MDB no segundo turno. Mas, deu errado. Ele não se estava preparado para enfrentar Moisés. Não tinha o que dizer dele. E a canoa virou!

No país, Bolsonaro está sendo levado por dois sentimentos muito fortes - a indignação geral e o anti-PT.

Mas, Bolsonaro será eleito e vai assumir o poder pela via democrática. Não será golpe de estado.

As instituições não foram atropeladas, ou derrubadas. Nem a constituição. Há que respeitá-las.

Ele terá apoio maciço das ruas para implementar as mudanças prometidas e necessárias.

Mas, não terá poder absoluto. Nem tudo poderá fazer.

Terá que negociar, articular, transigir. É do processo democrático.

No momento, há alguns exageros no ar.  Que levaram o ministro Barroso, do STF, a ter que afirmar - "Polícia só deve entrar em universidade se for para estudar”.

Porque já estavam falando até em interferência policial nas universidades. Entre outras ideias do tipo. Além de Barroso, os demais ministros do STF e TSE reagiram.

Devagar com o andor!

Por aqui, a Unesc também foi pauta (e alvo). Um grupo foi à reitoria, no embalo da onda, pedir menos esquerda e mais direita.

Mas, isso não é produzido, organizado. As portas da universidade estão abertas. Ninguém fica na porta pedindo carteirinha de direita ou esquerda!

Agora, na tradição, a esquerda faz mais barulho, se mexe mais, e por isso aparece mais. A direita é silenciosa.

A Unesc sempre teve a marca da pluralidade e da liberdade, com garantia de manifestação a todos.

Não há condução da gestão da universidade para esquerda ou direita.

A reitora Luciane Ceretta não é esquerda, nem direita. É uma democrata. De postura elogiável, adequada, que atende a todos da mesma forma.

Os últimos reitores também não eram de perfil de esquerda.

Então, por que mexer onde não precisa?

Há um país a consertar e recolocar no rumo, e um estado para reequilibrar. Já é serviço demais!

Desnecessário ficar colocando chifre em cabeça de cavalo.

 

Ibope mantém 18 pontos

Pesquisa do Ibope em Santa Catarina sobre eleição para governador, concluída ontem, mostrou um quadro consolidado. Os números foram os mesmos da pesquisa divulgada no dia 19.

Comandante Moisés - 59% e Merisio - 41%. Vantagem de 18 pontos para Moisés.

 

A ausência

Foi arriscado para o Comandante Moisés não participar do último debate e deixar o adversário falando sozinho, durante 20 minutos, horário nobre, “depois da novela” da Globo. E a praticamente dois dias da eleição.

Mas, Merisio não aproveitou bem. Parecia nervoso, tenso, e não apresentou dados/fatos novos. Repetiu informações que vinha tratando na campanha. Provavelmente por isso, não mexeu nada na pesquisa.

 

Na justiça

A ausência no debate ainda gerou uma representação no TRE feita pelo Comandante Moisés e o seu partido, o PSL. O fato motivador foi uma fake news que viralizou na quinta-feira à noite.

Foi alterado o título de uma nota do jornalista Anderson Silva, do portal NSC Total, inserindo que Moisés não foi ao debate por medo. O próprio jornalista publicou que era fake.

Moisés justificou ausência por problema de saúde.

 

Na cadeia

Sem dúvida, o ataque mais duro de toda a campanha eleitoral foi feito pelo governador Eduardo Moreira contra o candidato do PSD ao governo, Gelson Merisio.

Pelo twitter, Eduardo previu que Merisio será preso. Antes, disse que ele é mentiroso compulsivo.

A assessoria de Merisio disse que ele não vai responder.

 

O tiro

Texto publicado por Eduardo Moreira:

“Merisio é mentiroso compulsivo. Faz política velhaca. Cadeia nele é questão de tempo”.

Isso escrito por qualquer cidadão, já seria grave. Mas, escrito pelo governador do estado ganha maior peso.

 

Bons números

O portal 4Oito, que acaba de completar um ano, ultrapassou ontem a marca de 400 mil pageviews, mais de 113 mil usuários, apenas dentro de outubro. A tendência é que chegue a 450 mil no fim do mês.

As informações sobre a eleição foram as mais procuradas/visualizadas.

Se contar os últimos 30 dias, foram 117 mil usuários e 426 mil pageviews até 19h de sexta-feira.

São números expressivos, resultado do trabalho/emprenho de uma equipe competente envolvida com o portal.

 

Por vídeo

Comandante Moisés (PSL) gravou um vídeo, na sexta-feira à tarde, agradecendo seus eleitores. Ele fala por apenas alguns segundos com a voz debilitada (foto). O candidato está ausente dos últimos atos de campanha devido a uma inflamação nas vias aéreas e em tratamento em casa.

 

Voto em Tubarão

Comandante Moisés vota em Tubarão, às 11h. E depois segue para Florianópolis de onde deve acompanhar a apuração com a família.

 

Voto em Chapecó

Gelson Merisio (PSD) vota às 8h55min em Chapecó, depois acompanha a esposa Márcia no voto em Xanxerê. Segue para Florianópolis e acompanha o voto do filho Arthur, que está votando pela primeira vez nessa eleição e deve acompanhar a apuração na sua casa, na Capital.

 

Preparados

Mesmo com o ciclone perdendo força, a Justiça Eleitoral de Santa Catarina está preparada em caso de algum estrago causado por ventos. A integração conta com órgão como a Defesa Civil e a Celesc.

 

PF apura notícia de que eleitor votou armado

Chegou até a Justiça Eleitoral a denúncia de que um eleitor teria ido armado votar e feito um vídeo. A denúncia foi feita pelo aplicativo Pardal e foi encaminhado para a Polícia Federal, que irá instaurar um inquérito policial para apurar a veracidade do fato.

 

Processo seguro

A Justiça Eleitoral de Criciúma recebeu a imprensa, ontem, para esclarecer dúvidas especialmente relacionadas às notícias falsas colocando em cheque o sistema eleitoral brasileiro. Juízes, promotores e chefes de cartório eleitoral voltaram a reafirmar a confiança total nas urnas eletrônicas.

 

Primeiras audiências

Estão marcadas para início de novembro as primeiras audiências de crimes cometidos durante o dia de votação do primeiro turno. Um dos casos é um presidente de mesa que supostamente teria pedido voto a um candidato. Ele também não irá atuar na função no segundo turno.

 

Lançamento OAB

O lançamento em Criciúma da “Chapa 81 - Advocacia Unida” que tem o advogado Rafael Horn, candidato à presidência da OAB/SC será na segunda-feira, a partir das 19h, no Criciúma Clube. Também será feita a apresentação dos candidatos da chapa ao Conselho Estadual por Criciúma e da nominata da chapa candidata à Subseção local, que é liderada pelo advogado Rafael Búrigo. As duas candidaturas são de situação. O atual presidente da OAB Criciúma, Fábio Jeremias, está candidato ao Conselho Federal.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13