Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/06/2018 - 08:09Atualizado em 28/06/2018 - 09:49

Apesar do lançamento feito em Criciúma no sábado, dia 23, e da liderança folgada em todas as pesquisas, a candidatura de Esperidião Amin ao governo ainda gera duvidas ele políticos e partidos. Aliados e adversários.

Quase todos os envolvidos nas articulações de alianças não acreditam que Amin realmente seja candidato a governador. E esperam o desfecho para avançar nas negociações.

É mais ou menos como numa mesa de pôquer, quando desconfiam que alguém está blefando. Todos passam a segurar o jogo e aumentar as apostas.

O próprio MDB, do candidato Mauro Mariani, espera que Amin se retire do processo para afunilar conversações com PSDB e DEM.

O PSD, do candidato Gelson Merisio, conta com a retirada de Amin para confirmar apoio do PP para o seu projeto, com os outros partidos que ja estão alinhados, e tentar atrair o DEM.

O PSDB da mesma forma. Espera pelo desfecho para confirmar chapa pura, fechar com MDB ou se acertar com o PSD.

O PP foi a Merisio, na semana passada, pedir que ele pratique o gesto e aceite ser o vice de Amin. Chegaram a cogitar um prazo até o dia 10 de julho para ter a operação concluída.

Mas, a duvida sobre a candidatura de Amin fez com que aliados de Merisio fizessem movimento em sentido contrário. PSB e Solidariedade distribuíram notas com praticamente o mesmo texto. Deixando evidente que fizeram juntos. Apoiando Merisio e sinalizando que não ficarão na aliança se o candidato for Amin.

Merisio, por sua vez, marcou a convenção do PSD para 21 de julho, primeiro dia depois de aberto o prazo previsto em lei.

Ele quer Amin na sua chapa, mas só como candidato ao senado.

Do jeito que as coisas estão encaminhadas, o processo só vai destravar depois que Amin oficializar seu caminho. Que pode ser uma chapa com João Paulo Kleinübing, DEM, de seu vice.


Indicio

Em Brasilia, PP e DEM lideram um bloco que é considerado o maior ativo politico do congresso.

Os dois partidos tem hoje, juntos, quase 100 deputados (44 do DEM, 53 do PP). Entre eles, Amin-PP e João Paulo Kleinübing-DEM.

Os dois partidos não terão candidato a presidência da república e estão fechadíssimos com a eleição de Rodrigo Maia para presidência da Câmara, em 2019.


Cinco chapas

Se Amin fizer chapa sem PSDB e PSD, o processo eleitoral em Santa Catarina poderá ter cinco candidatos a governador pelos chamados “principais partidos”.

PP - Amin, PSDB - Paulo Bauer, PSD - Merisio, MDB - Mauro Mariani e PT - Décio Lima.


Geovânia na majoritária

A executiva estadual do PSDB pediu que a deputada federal criciumense Geovania de Sá autorize que seu nome seja “mapeado” para a chapa majoritária, no caso de o partido disputar a eleição com chapa pura.

Geovania registrou que seu projeto é a reeleição e está trabalho para isso. Mesmo assim, deu o “de acordo”.

Ela poderá ser candidata a vice-governadora ou senadora.

Pesaram na escolha do seu nome, o ação estadual que fez durante o mandato, o fato de ser mulher e ser do sul, região que ficou aberta com a desistência de Eduardo Moreira, MDB.


Na pesquisa

O senador Paulo Bauer, PSDB, contratou uma pesquisa qualitativa, que ficará pronta até o fim da semana, para avaliar o "estrago" causado pelo inquérito determinado pelo STF para apurar o seu envolvimento em lavagem de dinheiro, por citação em delação da Lava Jato.   

O resultado da pesquisa vai influenciar diretamente no futuro da sua candidatura a governador.


Lista de vices

A executiva estadual do PT, reunida ontem em Florianópolis, deliberou pela confirmação das candidaturas do deputado Decio Lima a governador e o desembargador aposentado Ledio Rosa de Andrade a senador. As outras duas vagas na chapa majoritária ficarão abertas a possíveis alianças.

Mas, foi montada uma lista de 10 possíveis candidatos a vice, em caso de chapa pura.

Entre eles, a ex-ministra Ideli Salvati e o ex-ministro José Fritsh. Do sul, os ex-prefeitos Decio Goes, Olávio Falcheti e Sandro Maciel.


Para o senado

O deputado federal Jorginho Mello, PR, reafirmou ontem que será candidato em outubro a senador, descartou nova reeleição, e disse que está mais próximo do MDB para fechar aliança.

Mas ele impõe uma condição. O partido do candidato a governador com quem vier a coligar, não terá candidato a senador.


Na próxima semana

O deputado Mauro Mariani, candidato do MDB ao governo, se reuniu ontem, em Florianópolis, com o governador Eduardo Moreira, MDB. Acertaram que vão se reunir na próxima semana com os prefeitos do partido no sul do estado. Provavelmente na terça-feira.

Mariani viria amanhã para o sul, mas mudou a agenda. Só virá depois da reunião com os prefeitos.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/06/2018 - 06:02Atualizado em 27/06/2018 - 09:47

O deputado federal Mauro Mariani, candidato a governador do MDB, se reuniu ontem em Brasilia com o senador Paulo Bauer, PSDB. Discutiram a possibilidade de aliança.

Mariani repetiu que o MDB abre duas vagas na chapa majoritária ao PSDB. Em principio, Vice-governador e uma vaga ao senado.

Bauer reafirmou que é candidato a governador e que uma eventual aliança deve partir da premissa de o MDB apoiá-lo.

A reunião foi iniciativa do deputado Mariani e não foi conclusiva.

Mas, Mariani a considerou “boa”, principalmente porque ficou aberta a possibilidade de novas reuniões. Ele diz que nos próximos 15 a 20 dias todo mundo vai conversar com todo mundo. 

Um ponto que aproxima os dois é a regionalidade. Eles são de Joinville e a confirmação das duas candidaturas vai fazer com que um atrapalhe o outro. Ele podem se anular.

Se sair um entendimento, podem fazer uma candidatura muito forte.

Hoje, 10h30, Mariani vai se reunir com o governador Eduardo Moreira, em Florianópolis, para tratar das discussões sobre alianças e montagem de chapa.

Vai detalhar a conversa com Bauer e definir estratégias para tentar atrair os tucanos.

Por sua vez, Eduardo vai definir com Mariani a data em que os dois vão se reunir com os prefeitos do sul e quando será feito o encontro regional do MDB em Criciúma.

Os dois eventos foram definidos ontem, durante reunião de Eduardo Moreira com 10 prefeitos do MDB do sul.

Os prefeitos se mostraram preocupados com a situação da campanha no sul, depois que ele desistiu.

Eduardo revelou que a pior situação do MDB para a campanha é o sul. Por isso, a agenda dele e de Mariani será direcionada para a região nos próximos 30 dias.


Ada na chapa

Na reunião dos prefeitos do MDB com Eduardo Moreira foi levantada a possibilidade de o sul ter um nome na chapa majoritária, como forma de “esquentar" a campanha na região.

Seria uma candidatura “patrocinada" pelo governador.

Ada de Luca, deputada estadual de terceiro mandato, foi o primeiro o nome citado. Mas, ela está com reeleição bem encaminhada e provavelmente não aceitará mudar os planos.


Pode ser Edinho

Depois de Ada, o nome citado pelos prefeitos foi do suplente de deputado federal Edinho Bez.

Ele deve assumir nos próximos dias, na vaga de Mauro Mariani que vai pedir licença para se dedicar à campanha de governador.


Geovania na chapa

O deputado Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, repetiu ontem na radio Som Maior FM que não existe a possibilidade de o PSDB não ter candidato a governador.

Voltou a falar em chapa pura do partido para disputar governo e senado, em caso de fracassadas as negociações com PP, PSD e MDB.

Disse que nesse caso, a deputada federal criciumense Geovania de Sa pode integrar a chapa, como candidata a vice ou ao senado.

Apesar da ênfase na declaração, a possibilidade de se confirmar é remota. O PSDB deve firmar aliança. Com um lado, ou o outro.


Nova dupla

Nova possibilidade de chapa circulava ontem nos bastidores da Assembléia. Esperidião Amin, PP, para o governo e João Paulo Kleinubing, DEM, para vice.

Seria a opção no caso de Gelson Merisio, PSD, firmar o pé e não abrir mão da candidatura ao governo.

A duvida é se caso o PP rompe com Merisio e vai com Amin.


No plenário

Enquanto rolava a sessão da Assembléia Legislativa, ontem à tarde, deputados Gelson Merisio, PSD, Marcos Vieira , PSDB, e Valmir Comin, PP, atualizaram as informações sobre negociações para alianças. Merisio e Comin estão fechadíssimos no mesmo projeto politico.  


Clesio: “Tem que conversar”

Três perguntas para Clesio Salvaro, prefeito da maior cidade do estado administrada pelo PSDB?

1- Vai até quando o prazo do PSDB para fechar aliança?

Clesio - As conversas estão acontecendo. Procuramos alguns partidos e outros nos procuram. Paulo Bauer tem autoridade para tratar disso. Mas, acredita que nada será definido até a convenção.

2- Aprova chapa pura do PSDB?

Clesio - Nós temos no estado um histórico de eleições muito disputadas. Por isso, acredito e defendo que o partido busque aliados, pois ainda que seja possível vencer eleição com chapa pura, não governará sozinho. Defendo coligação.

3- Em caso de aliança, PSDB deve fechar com MDB, PP ou PSD?

Clesio - Para fechar aliança, depende muito das conversas. Paulo Bauer é experiente e a ele foi repassada essa missão. Deve dialogar muito com os três partidos.

   
Pesquisa do senado

A pesquisa do Instituto IPC mostra que a eleição para o senado tem hoje dois nomes fortes. Esperidião Amin e Raimundo Colombo.

Se Amin disputar o governo, Colombo fica com eleição encaminhada.

Depois deles, quem mais se aproxima é Paulo Bauer. Mas, com metade deles.

Diante disso, Colombo é o maior interessado na chapa Amin governador e Merisio vice. Mesmo que não venha a fazer nada para que isso aconteça.


Café requentado

A preocupação anunciada pelo senador Paulo Bauer com corte de recursos do governo federal com Santa Catarina, incluindo a verba programada para a serra da rocinha, parece ter sido noticia da semana retrasada.

O deputado Ronaldo Benedet esteve ontem à tarde no palácio do planalto e ouviu que os r$ 23 milhões anunciados na semana passada para as oras na serra da rocinha estão garantidos.

O corte foi feito no valor total projetado inicialmente, que será r$ 47 milhões.


Em nome do Dr Antônio

O prefeito Clésio Salvaro recebeu ontem em gabinete familiares e amigos do médico reumatologista Antonio Althoff.

Na sexta-feira, o dr Antônio será homenageado com seu nome dando nome UPA da Próspera.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 26/06/2018 - 05:50Atualizado em 26/06/2018 - 08:57

Sem o governador Eduardo Moreira, MDB, que desistiu da candidatura no início da semana passada, o cenário eleitoral em Criciúma é dominado por Esperidião Amin, PP.

Nos cinco cenários em que é incluído para avaliar a intenção de voto dos eleitores criciumenses, Amin dispara em todos.

Faz entre 27,04% a 29,76%. Os que chegam mais perto dele, em cenários diferentes, são o deputado Decio Lima, PT, e o senador Paulo Bauer, PSDB. Ambos batem 9,6%. Que é praticamente um terço do atribuído à Esperidião.

A propósito, Decio Lima tem desempenho que pode ser considerado surpreendente pelas circunstâncias políticas.

Afinal, o PT em Criciúma praticamente desmanchou. Não conseguiu eleger um vereador e não terá candidato a deputado. 

Além disso, há que ser somado o desgaste nacional do PT.

Mesmo assim, Décio polariza com Paulo Bauer, que é do partido do prefeito Clesio Salvaro, o político mais popular e com maior potencial de votos da região.

De outro lado, a pesquisa do IPC mostra dificuldades enormes em Criciúma para Mauro Mariani, MDB, e Gelson Merisio, PSD.

O máximo que Merisio consegue é 3,68% num cenário que não tem Amin. Nos outros, não chega a 3%.

E no cenário que Merisio faz 3%, Décio Lima faz quase quatro vezes - chega a 11,36%. Mauro Mariani chega a 7,8%.

É a segunda pesquisa aplicada pelo IPC em Criciúma, as convenções serão realizadas a partir do dia 20 de julho, ainda tem muita água para passar por debaixo da ponte, mas já é possível estabelecer parâmetros e considerar algumas tendências que ficam muito evidentes.


Merisio ganha apoio

As executivas estaduais de PSB e Solidariedade, partidos aliados do deputado Gelson Merísio, PSD, distribuídas notas oficiais ontem ratificando apoio à sua candidatura a governador.

O PSB deixou dito nas entrelinhas que poderá lançar candidato, se Merisio não disputar o governo.

Os manifestos vêm depois de especulações (e fortes articulações) para o deputado Esperidião Amin seja o candidato a governador, com Merisio de vice.


Divisão em familia

A família Bornhausen está posições diferentes (e até conflitantes) na fase de articulação para alianças e definição de chapas.

Paulo Bornhausen, principal comandante do PSB, está fechadíssimo com Gelson Merisio para governador. E só com ele.

O seu pai, Jorge Bornhausen, não quer Merisio. O seu “plano a” é Paulo Bauer. E o “plano b” é Amin.

Não aposta uma ficha na candidatura de Merisio.


Perdemos o Pepê

Dona Lourdes, minha mãe, sempre disse - "o Pepê sozinho é uma festa". 

Não tem definição melhor para o Pedro Paulo Mendonça Mendes.

No casamento do Arthur, colocou grinalda na cabeça e brincou com Alice na pista boa parte da noite. Era o mais divertido. 

Ali, ninguém poderia imaginar que ele já estava duelando com os problemas de saúde.

Mas, homem forte, segurou enquanto foi possível. Esticou ao máximo o seu tempo entre nós.

Dentista de profissão, gente boa por formação.

Lagunense de nascimento, araranguaense por opção.

Perdê-lo é muito triste.

Era um amigo (dos mais leais que conheci), como se irmão fosse, um grande parceiro, um conselheiro sincero.

Foi um dos tradicionais da odontologia em Araranguá, gerente regional de saúde, chefe do Inamps.

Casado com minha cunhada.

O melhor interprete de “perfídia” que conheci. Era musica certa em todas as festas de família.

Pepê era amigo de várias tribos. Se relacionava com a “gurizada” e com os “coroas”. Dependendo do ambiente, ajustava o tom da conversa.

Com ele não tinha tempo ruim.

Vai fazer muita falta.

Gente do seu tipo deveria ter sete ou oito vidas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/06/2018 - 14:16Atualizado em 25/06/2018 - 14:57

Instituto IPC aplicou pesquisa em Criciúma, intenção de votos para governador e senador de Santa Catarina. Os primeiros números serão divulgados a partir de 18h,

na rádio Som Maior FM, programa Ponto Final.

Pesquisa completa amanhã em A Tribuna.

Pesquisa exclusiva para radio Som Maior e jornal A Tribuna.

Registro feito na Justiça Eleitoral sob números BR-09111/2018 e SC-3869/2018.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 25/06/2018 - 06:14Atualizado em 25/06/2018 - 09:04

Dois fatos políticos importantes marcaram o fim de semana. O “comício" que o PP de Criciúma fez para lançamento da candidatura de Esperidião Amin ao governo, que teve Gelson Merisio, PSD, e João Paulo Kleinubing, DEM, e a reunião da direção estadual do PSDB.

Em Criciúma, é evidente que nem Merisio, nem Kleinubing, anunciaram retirada de suas candidaturas ao governo para apoiar Amin. Ninguém contava com isso. Mas, as suas presenças cumpriram o papel de fortalecer a aliança e deixar publica a intenção de compor.

A presença de Merisio foi mais significativa, porque ele vinha sendo mais enfático que não vai abrir mão da candidatura. Inclusive, não convidou o PSDB para o “comício" de Chapecó e descartou o partido da sua aliança porque os tucanos tem candidato ao governo. 

A sua assessoria havia informado na noite anterior que ele não iria em Criciúma por “choque de agenda”. Mas, mudou na última hora. Resolveu atrasar a chegada no Arroio do Silva e depois do compromisso em Forquilhinha, passou no “comício" de Amin.

Fez discurso em defesa da unidade contra o governo do MDB e fechou dizendo que o PP foi seu primeiro partido, e é o partido do seu coração.

Nas conversas de bastidores dos últimos dias com lideres e dirigentes do alto comando do PSD, Merisio já sinalizou que deve apoiar Esperidião e aceitar ser o vice de sua chapa.

No ambiente do PSDB, a direção estadual fez reunião em Florianópolis, confirmou a candidatura do senador Paulo Bauer ao governo e o autorizou a negociar com outros partidos.

Ele passa a trabalhar com duas possibilidades. Convencer o MDB a apoiá-lo, abrindo mão da cabeça de chapa e indicando o vice. 

Ou, encaminha acordo com Amin, abre mão da candidatura ao governo e  indica um candidato ao senado (provavelmente ele mesmo).

O presidenciável Geraldo Alckmin pode (e deve) interferir neste processo, pois ja deixou registrado (várias vezes) que tem preferência por estar em um “palanque" com Amin em Santa Catarina.


A data

Esperidião Amin voltou a projetar uma definição nas discussões e negociações para montagem da chapa em torno do dia 10 de julho.

O seu entendimento é que quando a Copa do Mundo terminar (15 de julho), o assunto deve estar resolvido.


Fim do “cabide”

Esperidião Amin falou para um publico aproximado de 1 mil pessoas. Recebeu no “palanque" políticos do PP, PSD, DEM e PSB. Definiu o encontro como “histórico".

No seu discurso, disparou contra os “cabides de emprego”, lembrando que foi a expressão usada pelo ex-governador Raimundo Colombo para definir as secretarias regionais.

Disse que vai acabar com as regionais e investir nas associações micro-regionais para que os municípios desenvolvam projetos comuns de desenvolvimento.


Pela aliança

Esperidião Amin, no seu discurso em Criciúma:

“Sou candidato ao governo. Mas, acima de qualquer projeto pessoal, temos que ter juízo. 

O governo escolheu seu candidato. Quem quiser continuar com quem destruiu o estado, aquele é o caminho. Para quem quer mudança, temos um caminho comum a trilhar. De mim, não falta desejo. Mas também não vai faltar humildade”.


A “amarelinha"

Durante o seu discurso, o deputado federal Jorge Boeira entregou para Amin uma camisa da seleção brasileira, com o numero 11 (número do partido) e com o nome dele.

Amin vestiu na hora e ficou até o final do comício.

Depois, lembrou que o jogador que fez os gol decisivos da seleção até agora (Philipe Coutinho) tem a camisa numero 11.


Candidata

A ex-deputada e ex-prefeita Angela Amin confirmou no evento de sábado, em Criciúma, que será candidata a deputada federal em outubro.


No café

O deputado estadual João Amin, PP, tomou cafe da manhã no sábado, em Criciúma, com o ex-deputado Julio Garcia, PSD.

Analisaram o processo diante das novas circunstâncias e avaliaram possibilidades.

Antes, João Amin foi levado pelo ex-prefeito Genesio Spillere para rezar no Santuário do Caravaggio.


A diferença

O PP fez por Esperidião Amin em Criciúma o que o MDB de Criciúma não fez por Eduardo Moreira, governador e ex-prefeito da cidade.

Na reunião decisiva no partido, o deputado federal do MDB de Criciúma (Ronaldo Benedet) nem compareceu.


Mariani com Bauer

O deputado federal Mauro Mariani, candidato do MDB ao governo, tem reunião marcada para amanhã com o senador Paulo Bauer, PSDB.

Pela mudança da pauta em Brasilia, por causa do jogo da seleção, a reunião pode ser reagendada.

Mariani disse ontem à noite que está com entendimentos bem adiantados com o PR e PPS para montagem de aliança, e que ainda acredita na possibilidade de contar com PSDB.


Deputados

Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, participou no sábado de lançamentos de candidaturas a deputado de dois aliados.

Em Forquilhinha, do ex-ministro Manoel Dias, PDT, a deputado federal.

Em Arroio do Silva, do ex-prefeito Evandro Scaine, PSD, a deputado estadual.


Festa do neto

Fora da disputa eleitoral, o governador Eduardo Moreira se divide entre agenda administrativa e pessoal.

No sábado, comemorou o aniversário de 8 anos do neto Eduardo Pinho Moreira Neto.

Na sexta-feira esteve no sul do estado onde encaminhou mais de r$ 100 milhões em obras.


A volta do vôo da manhã

A melhor noticia do inicio de semana é a volta do vôo matutino da Azul a partir do aeroporto de Jaguaruna para São Paulo (aeroporto de Campinas). A partir do dia 20 de agosto.

O horário de partida de Jaguaruna será 6h. Com chegada em Campinas prevista para 7h25.

Para o retorno, a saída de Campinas continuará sendo 23h20, com chegada em Jaguaruna aos 55min do dia seguinte.


Troca de comando

O vice-prefeito de Araranguá, Primo Meneghalli Junior, PR, assume hoje a prefeitura e ficará no cargo por pelo menos 20 dias.

O prefeito Mariano Mazzuco, PP, se licencia para tratamento de saúde em Porto Alegre.


Ato falho

Deu o que falar o evento organizado pela Afasc para a praça Nereu Ramos, sábado pela manhã, que foi anunciado como “DEI NA PRAÇA”.

Era do departamento de educação infantil, por isso a sigla DEI, mas produziu desgaste desnecessário.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/06/2018 - 11:06Atualizado em 25/06/2018 - 10:34

O deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, participou nesta manhã do evento organizado pelo PP de Criciuma para lançamento da candidatura do deputado Esperidiao  Amin, PP, ao governo do estado. 

Merisio reafirmou no seu discurso que também é candidato ao governo, mas que PP e PSD estarão juntos na eleição, e o candidato a governador será o que tiver melhor condições de vencer. 

Ele participou do inicio do evento, fez seu discurso e saiu porque tinha compromisso em Arroio do Silva, no lançamento da candidatura do ex-prefeito Evandro Scaine, PSD, a deputado estadual.

 Também participou do evento de Amin o deputado João Paulo Kleinubing, presidente estadual do DEM e também candidato a governador.

Politicos de PP, PSD e PSB estavam no evento.

Prefeito Joares Ponticelli falou no evento em nome dos prefeitos.

Antes de Amin, discursaram os deputados estaduais José Milton Scheffer, Valmir Comin, João Amin e Silvio Dreveck, presidente estadual do PP.

Os deputados federais Jorge Boeira, PP, e João Paulo Kleinubing, DEM, também discursaram.

Alem dos deputados, falaram os candidatos Pepê Colaço e Lei Alexandre, ambos do PP.

Itamar da Silva, presidente municipal do PP, e Marcio Burio, ex-prefeito, deram as "boas vindas" aos presentes.

O salão da casa do baile estava praticamente lotados.

Esperidião Amin fez discurso de 14 min, onde reafirmou que é candidato, mas que não será impecilho para o entendimento.

Sua prioridade, disse, é tirar o MDB do poder e recolocar o estado sob o comando dos partidos que "nasceram" do antigo PDS, fazendo referência a PP, PSD e DEM.

Ele prometeu também acabar o "cabide de emprego" (referindo-se as secretarias regioanis), e fortalecer as associações microregionais.

  

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 23/06/2018 - 08:25Atualizado em 24/06/2018 - 08:09

O ex-deputado Julio Garcia, PSD, está projetando que o deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, será o vice do deputado Esperidião Amin, PP, na chapa que vai disputar o governo do estado pela aliança PP-PSD.

O seu entendimento é que o processo politico afunilou e que deputado Merisio não terá outra alternativa viável. “É uma questão de poucos dias para isso se definir”, prevê.

Julio foi presidente da Assembléia Legislativa duas vezes, é um articulador politico respeitado no estado, passou pelo Tribunal de Contas do Estado, e está em campanha para voltar a se eleger deputado pelo PSD.

Apesar de estar no partido comandado por Merisio, alimenta divergências profundas com ele.

Ele diz que Merisio errou ao adotar a estratégia do isolamento politico.

“Primeiro, isolou os dois maiores líderes do PSD, os deputados João Paulo Kleinubing e João Rodrigues. Depois, se isolou do MDB. Depois, tentou isolar Amin no PP, tirando-o da presidência do partido. Continuou a estratégia, se isolando do PSDB” .

Julio acrescentou que a estratégia adotada por Merisio mostrou-se equivocada na medida em que ele ficou, usando uma expressão popular, como "rato em guampa". 

Por isso, diz, restam-lhe duas alternativas: 

“ou Merisio será vice do Amin, que é o mais provável, ou vai para o suicídio politico, se insistir na candidatura a governador com apoio alguns partidos (bem menos que os 10 anunciados), levando a nau pessedista a pique”.

Por fim, Julio reconhece méritos em Merisio, diz que ele trabalhou muito, “gastou muito, também”, mas arremata - "ele não conquistou o eleitor catarinense, que é dos mais esclarecidos do país”.

Julio Garcia não esteve na festa de lançamento de Merisio em Chapecó, no dia 9 de junho, e também não estará no evento deste sábado, em Criciúma, organizado pelo PP local, que vai consolidar a candidatura de Amin.

Mas, aposta que o jogo está praticamente “batido”.

 

Festão do Amin

O evento deste sábado organizado pelo PP de Criciúma virou o grande fato politico do fim de semana.

Será lançada a candidatura de Esperidião Amin a governador com todos os indícios e sinais que se faz irreversível. Pelas circunstâncias políticas, pela força eleitoral de Amin e pelo arco de alianças que ele está consegue atrair.

 

Vai/não vai

O deputado João Paulo Kleinubing, presidente estadual do DEM, estará no ato de Amin.

O deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, estará na região, mas não vai no evento de Amin. Para consumo externo, por choque de agenda.

Merisio estará no lançamento da candidatura de Evandro Scaine a deputado, no Arroio do Silva.

 

Criciúma no foco

A semana começou com um grande fato politico, uma verdadeira “bomba”, que foi o anuncio do governador Eduardo Moreira, ex-prefeito de Criciúma, de retirar sua candidatura à reeleição.

E a semana fecha com o fato politico mais importante do estado, a ser realizado em Criciúma.

 

Na canela

Eduardo Moreira está fora da eleição, mas não do processo.

Na passagem por Criciúma para tos oficiais, nesta sexta feira, ele não perdeu a chance de dar uma "cutucada" em Esperidião Amin - “Nós do PMDB trouxemos muitas obras para Criciúma, como agora mais uma etapa do tratamento de esgoto, enquanto aquele que foi governador antes do Luiz Henrique (Amin) o máximo que trouxe foi um trevo no bairro Presidente Vargas”.

 

Dia de decisão tucana

Enquanto o PP estiver lançando Amin ao governo em Criciúma, o comando estadual do PSDB estará reunido para avaliar as “novas circunstâncias” do processo e os encaminhamentos para a eleição.

Nos bastidores, é dito que a candidatura de Paulo Bauer ao governo poderá ser “reavaliada”.

 

Nomes e marcas

Antonio Pereira, o Tonhão, dono do AM Master Hall, a maior casa de eventos do sul do estado, será o entrevistado deste sábado do programa Nomes e Marcas na radio Som Maior, 9h30.

De origem humilde, Tonhão começou na vida como auxiliar de marceneiro, virou chefe da fabrica, fez a sua fabrica, montou uma banda, depois uma empresa de formaturas (a maior do sul do país) e fez o AM Master Hall.

 

Na festa da Unesc

A sexta-feira foi de intensa e de muitas emoções na Unesc.

Os 50 anos foram muito bem comemorados.

O ex-prefeito Rio Hulse foi homenageado e falou (por telão) da sua "maior obra”.

Pela manhã, fizemos um programa especial pela radio Som Maior no campus da Unesc, com pessoas que fizeram historia ou estão envolvidas nos dias de hoje. 

Destaque para o professor Toninho Milioli, ex-reitor, que está se recuperando de um problema de saúde. E por isso havia gravado entrevista. Mas, fez questão de estar de corpo presente.

Ainda pela manhã, todas as mesas de todas as salas de aula da Unesc tinham a edição de historia de A Tribuna. Com 68 paginas e 15 mil exemplares.

Nunca antes na história do sul um jornal circulou com tantas paginas e exemplares.

À noite, a sessão solene comandada pela reitora Luciane Cereta fechou o dia especial com chave de ouro.

Teve momentos de descontração, como a participação do “gato pintado”, e teve momentos de forte emoção, quando todos que estavam no auditório (lotado) aplaudiram de pé o ex-reitor Toninho Milioli. E nada estava combinado.

Até eu fui arrastado para o clima de emoção.

Estava fazendo o cerimonial, e por isso estava lá, quando fui surpreendido pela reitora chamando minhas filhas para me homenagear pela militância no movimento estudantil, final dos anos 70, inicio dos nos 80.

Fiquei honrado.

Não tinha delegação para representar os acadêmicos e ativistas da época no movimento estudantil.

Mas, estendo a homenagem ao Eraldo, Regis, Clair, Luizinho, Zé Vitor, Nascimento, Luzitano, as “inconformadas”, e a todos os parceiros da época.

Era uma time de jovens que brigava por questões pontuais, como o valor da mensalidade, mas principalmente pela autonomia da universidade, com a sua desvinculação total da prefeitura e do mando dos prefeitos e operadores políticos.

E hoje a diferença fica evidente.

A Unesc está solida, crescendo, com mais de 13 mil alunos e investimento pesado em pesquisa, enquanto outras universidades que continuam dependentes de prefeituras estão contaminadas pelos vícios de políticos, e algumas à beira da falência.

 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/06/2018 - 14:26Atualizado em 21/06/2018 - 15:35

Esperidião Amin (PP) e Gelson Merísio (PSD) estiveram reunidos agora há pouco, em Florianópolis, para tratar da aliança para as eleições desse ano.

Em dado momento, Raimundo Colombo (PSD) foi chamado para a conversa, mas estava em Imbituba.

O presidente estadual do PP, depuado Silvio Dreveck, também participou.

A reunião foi iniciativa de Amin e Dreveck.

Os três confirmaram encaminhamentos para aliança entre PP e PSD, vão ampliar conversações com outros partidos, e decidiram começar a tratar da montagem da chapa majoritária nos proximos dias.

Devem estar com a chapa definida até o final da primeira quinzena de julho.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 21/06/2018 - 06:10Atualizado em 21/06/2018 - 09:25

O comando estadual do PP está convencido que a candidatura de Esperidião Amin a governador está consolidada. Os dirigentes não acreditam mais na possiblidade de recuo. Por isso, devem procurar Gelson Merisio, PSD, para pedir que ele pratique o gesto, passe a apoiar Amin e aceite ser o seu vice.

Um deputado da região disse ontem à noite ter ouvido de um dirigente graduado do PP que Merisio será procurado nos próximos dias. Logo depois do lançamento da candidatura de Amin em Criciuma, no sábado.

O raciocínio é que o PP foi leal com Merisio desde o início, mas ele não decolou nas pesquisas, não ampliou alianças, descartou o PSDB, enquanto Esperidião lidera com folga todas as pesquisas e tem maior facilidade para ampliar as alianças. Especialmente com PSDB e DEM.

O comando estadual do PP sempre foi o principal apoio de Merisio.

Era dito que Amin não tinha maioria entre os delegados e seria derrotado se tentasse algo diferente da orientação da executiva. Mas, o jogo mudou.

Amin foi beneficiado pelas circunstâncias e vive um momento politico favorável. Está fora de todas as denúncias de Lava Jato e operações do tipo, não tem o desgaste do governo Temer, é oposição ao governo do estado. 

Com o passar do tempo, e pelos fatos policias gerados, ele foi ganhando espaço, sentiu que os ventos eram favoráveis, e aos poucos foi assumindo a candidatura.

Faz poucos dias, estava com a sua mulher, ex-deputada Angela Amin, no mercado publico de Florianópolis, quando foi abordado por um jornalista da capital - “quem já foi governador duas vezes, tem uma eleição de senador relativamente segura, vai tentar nova disputa ao governo?”

Ele respondeu de pronto - “sim, eu sou candidato”.

Antes disso, havia telefonado para o deputado Jorge Boeira só para registrar - “sou candidato, acredite, não estou de brincadeira”.

Uma situação deve ter influenciado na tomada de posição de Amin. A preferência por ele manifestada pelo presidenciável tucano Geraldo Alkmin.

Para todos com quem tem conversado sobre a eleição em Santa Catarina, o ex-governador paulista tem registrado que quer “estar com Amin”.

Alckmin teria dito isso ao próprio Eduardo Moreira, MDB, seu amigo pessoal desde os tempos de faculdade de medicina. Tanto é que Alckmin foi um dos poucos políticos no casamento de Eduardo.


PSDB - reunião de ultima hora

O prefeito Clesio Salvaro foi convocado ontem à noite pelo presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, para uma reunião "fora da agenda” no sábado, dia 23, em Florianópolis.

Na pauta - a candidatura a governador de Paulo Bauer e a eleição de outubro.

Vão participar os membros da executiva, deputados e principais prefeitos do partido no estado.


MDB - prefeitos avaliam

Seis prefeitos do MDB do sul se reuniram ontem para avaliar o quadro estadual, depois da desistência de Eduardo Moreira.

“O sul tinha chance real de ter o governador, e agora não deve nem estar em nenhuma chapa majoritária”, registrou o prefeito Murialdo Gastaldon, de Içara.

Durante a reunião de ontem, ele conversaram por celular (viva voz) com o deputado Ronaldo Benedet e vão agendar encontro com Eduardo Moreira na sexta-feira, quando ele estará em Criciúma.


Apoio estratégico

O deputado estadual Rodrigo Minotto, PDT, anunciou ontem o apoio que passou a receber para sua reeleição do vereador Flávio de Souza, de Bombinhas.

É o segundo vereador do PDT de Bombinhas a anunciar apoio a Minotto.

A principal ameaça à Minotto no PDT é a ex-prefeita de Bombinhas, Paulinha Silva, que tem ampliado a sua campanha no sul do estado. 

 
No social

A primeira dama do estado e presidente da Fundação Nova Vida, Nicole Torret Moreira, cumpre agenda na região hoje e amanhã para entrega de mantas, fraldas, macas e outros itens para pacientes de instituições. 

Até semana passada, estava agendada reunião para hoje à noite no diretório do MDB de Criciúma, junto com Eduardo Moreira. A reunião foi cancelada na segunda-feira.

Nicole estará em Jacinto Machado, Meleiro, Criciúma e Urussanga.


Na feira

O presidente da rede Giassi de supermercados, Zefiro Giassi, está participando da Exposuper,em Joinville, e visitou o estande da Agua da Serra.. Foi recebido pela direção da empresa e conheceu os novos produtos lançados.

A Exposuper é a feita de produtos, serviços e equipamentos, realizada pela Associação Catarinense de Supermercados.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 20/06/2018 - 05:54Atualizado em 20/06/2018 - 11:49

O deputado federal Esperidião Amin vai pedir para a executiva estadual do PP que antecipe a convenção que definirá o candidato a governador e avance nas negociações com os partidos aliados para formação de uma “frente de oposição” para enfrentar o “candidato do governo”, numa referência à Mauro Mariani, MDB.

Amin sustenta que todos os esforços devem ser empreendidos para que a “frente" reúna PP, PSD, PSDB e DEM. Defende que todos esses partidos devem estar na chapa majoritária.

Reafirma candidatura ao governo, mas diz que se coloca como "terceiro” na fila, se esta composição for viabilizada.

O primeiro, é Gelson Merisio, PSD. O segundo, Paulo Bauer, PSDB.

Ele tem repetido que poderá até ser candidato ao senado, abrindo mão de tentar o governo, se Merisio colocar o PSDB e o DEM na chapa, alem do PP e PSB.

Na real, Esperidião é candidatíssimo ao governo. Mas, está se movimentando com habilidade na defesa da unidade dos quatro partidos para não ser o causador da divisão. 

No momento em que a “frente” não for viabilizada, Esperidião deve compor com PSDB e DEM em torno de sua candidatura ao governo.

No sábado, dia 23, o PP da região fará ato em Criciúma para lançamento da candidatura de Amin ao governo.

Deverão participar, dirigentes estaduais do partido, deputados e prefeitos do sul.

Esperidião vive um dos melhores momentos de sua carreira, desde que foi governador pela segunda vez (no início dos anos 2000).

Lidera todas as pesquisas de intenção de votos e os movimentos feitos pelos outros políticos (e partidos) tem lhe beneficiado de forma significativa, a ponto de praticamente consolidar sua candidatura ao governo.


Eduardo anuncia aposentadoria

O governador Eduardo Moreira, MDB, anunciou ontem durante entrevista para a radio Som Maior que não deve mais disputar eleição. 

“Chega né, agora vou cuidar um pouco da minha vida”, afirmou.

Eduardo tem dito para pessoas da relação que pretende morar no exterior durante um período a partir de 2019. Provavelmente na Italia.


Voz isolada

Depois que Eduardo anunciou retirada da candidatura (num discurso de 53 minutos), só quatro falaram na reunião da executiva do MDB.

Ex-governador Casildo Maldaner, senador Dario Berger e prefeito Gean Loureiro, elogiaram sua atitude pela unidade do partido.

Deputado Vampiro foi o único a pedir para Eduardo reconsiderar a decisão e que Mauro Mariani aceitasse candidatura ao senado. 

Todo mundo ouviu, ninguém disse absolutamente nada a respeito, e ninguém aplaudiu. Morreu na casca.


Apareceu

Um dia depois de não aparecer na reunião da executiva do MDB, quando seria discutida a candidatura de Eduardo Moreira ao governo, o deputado Ronaldo Benedet estava ontem no centro administrativo, para assinatura de convênio para implantação da emissão de transferências nos escritórios despachantes. Ronaldo sentou entre o governador Eduardo Moreira e o diretor do Detran, Vanderlei Rosso.


Agora vai

O deputado Mauro Mariani, candidato a governador pelo MDB, deve se licenciar nos próximos dias para se dedicar exclusivamente na campanha.

Na sua vaga, vai assumir o suplente de deputado do sul Edinho Bez, MDB.


Primeiro apoio

Algumas horas depois de ser consagrado candidato do MDB por consenso, Mauro Mariani participou de ato do MDB em Joinville, quando recebeu declaração de apoio (e de voto) do prefeito Udo Dhoeler.

O prefeito não tem boa relação com Mariani, e os dois são da mesma base (Joinville e região).

Mas, prevaleceu entre eles os sentimento do bairrismo. Tipo - Joinville acima das diferenças pessoais!


Luto

Faleceu ontem, em Criciúma, Iolanda Matos, mãe do ex-vereador Douglas Mattos, Pc do B.

O sepultado será hoje 10h30m, no cemitério de Içara.


No meio dos indios

Rogerio Portanova, da Rede Sustentabilidade, fará lançamento de sua candidatura ao governo amanhã na aldeia guarani Yynn Moroti Wherá, em Biguaçu.

A a vice é a ambientalista Miriam Prochnow e o candidato ao senado é consultor em relações internacionais, Diego Mezzogiorno.


Entre mulheres

Com a primeira dama Nicole Moreira à mesa, a deputada criciumense Ada de Luca fez palestra ontem para um auditório lotado no evento “Mulheres Transformadoras”.

Contou um pouco de sua historia política, que passa por 46 anos de MDB.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/06/2018 - 07:54Atualizado em 19/06/2018 - 09:04

O governador Eduardo Moreira se reuniu no domingo à noite com quatro deputados do MDB, de quem recebeu apoio para sua candidatura à reeleição. Discutiram estratégias para a reunião da executiva estadual. Antes, falou com pelo menos uma dezena de prefeitos e deputados por telefone.

Estavam todos preparado para um longo debate na reunião da executiva estadual, ontem pela manhã, pela definição do candidato por consenso ou pesquisa. Sem disputa de prévias.

Pela manhã, ele tomou um café com o ex-deputado Julio Garcia, PSD, seu amigo pessoal, e foi para a reunião do partido com a decisão tomada.

Quando chegou no local da reunião, levou o deputado Mauro Mariani para uma conversa reservada (que durou apenas 10 min) e comunicou decisão de desistir da candidatura.

Mauro disse depois que nem chegou a falar. Só ouviu. Ficou sem capacidade de reação. Porque não esperava. Ninguém esperava. 

Até a assessoria pessoal de Eduardo foi pega de surpresa. Já estava com material pronto para distribuir à imprensa logo depois da reunião sobre sua candidatura (e seu histórico no MDB).

Eduardo tomou uma decisão pessoal, isolada, no domingo à noite.

Ao partido, argumentou que a situação financeira do estado é muito delicada, existe o risco real de não ter condições pagar toda a folha até fim do ano, e por isso seria impossível compatibilizar gestão com campanha eleitoral.

Em privado, listou razões de ordem pessoal, que incluem até o projeto de morar no exterior por um período.

Mas, também é fato que ele não assimilou ter que se submeter a uma disputa de prévia no partido, onde teria prejuízo em qualquer hipótese. Inclusive vencendo. Porque o partido sairia dividido, e ele fragilizado politicamente.

Agora, fora a eleição, vai se dedicar à gestão do estado e o fechamento das contas. Deve fazer novos cortes.


Quem ganha

A rigor, o primeiro beneficiado direto pela desistência de Eduardo é o deputado Mauro Mariani, consagrado candidato do MDB a governador, por consenso.

Indiretamente, quem ganha é Esperidião Amin, PP.

Cada vez mais, ele dá as cartas e joga de mão neste jogo eleitoral que vai se apresentando em Santa Catarina.

Ele fica em plenas condições de atrair PSDB e DEM, e vai definir condições para adesão do PSD.


Plano B

Ontem, na Assembléia, era dito que a desistência de Eduardo pode não ser o último ato para definição do candidato do MDB ao governo.

Há quem aposte (e aposte alto) que o senador Dario Berger ainda pode ser o candidato. Principalmente se for confirmada a candidatura de Esperidião Amin.

Dário ja ganhou três eleições do casal Amin em Florianópolis.


As ausências

Dois deputados do MDB do sul não apareceram na reunião da executiva do MDB. Ronaldo Benedet, federal, e Manoel Mota, estadual. Os dois estavam na região.

A reunião poderia ter embate entre aliados de Eduardo e de Mauro Mariani, se Eduardo não se retirasse.

Mota disse que estava num enterro. A assessoria de Ronaldo disse que ele tinha “compromisso" em Criciúma.


As presenças

Dois deputados do MDB do sul estavam na reunião da direção do MDB. Luiz Fernando Vampiro e Ada de Luca.

Só Vampiro falou em defesa da candidatura de Eduardo.


Cancelado

Minutos depois de anunciada a desistência de Eduardo Moreira, o presidente do MDB de Criciúma, Ricardo Beloli, anunciou o cancelamento da reunião que estava marcada para quinta-feira.

As mulheres do MDB teriam reunião com a primeira dama, Nicole Moreira, e o próprio Eduardo.


Passou 

É possível que também tenha pesado na decisão de Eduardo Moreira o fato de não ter vingado no sul a tese do “bairrismo”. De ter pela primeira vez um governador eleito. Independente do partido.

Mas, a região não fez nenhum movimento efetivo para isso.

Na sexta-feira, Eduardo Moreira pediu um “sinal” do prefeito Clesio Salvaro por sua candidatura, se tivesse um entendimento com o MDB.

Num primeiro momento, até fez. Mas, depois disse que se o PSDB fizesse aliança com o MDB, o candidato poderia ser Eduardo, Mauro Mariani ou Dario Berger. Não teria diferença.


Os outros

Jorge Boeira, PP, chegou a ser citado como candidato a governador. Não vingou. Até porque, o grande nome da eleição é seu correligionário, Esperidião Amin.

Clesio Salvaro, PSDB, foi até mais falado como possível candidato a governador. Mas, não avançou e ele decidiu seguir na prefeitura. Não se desincompatibilizou em abril.

Agora, o sul vai ajudar a eleger um governador do oeste (Gelson Merisio, PSD), ou da grande Florianópolis (Esperidião Amin, PP), ou do norte (Paulo Bauer, PSDB, ou Mauro Mariani, MDB), ou do Vale do Itajai (Napoleão Bernardes, PSDB, João Paulo Kleinübing, DEM, ou Decio Lima, PT). 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/06/2018 - 12:40Atualizado em 18/06/2018 - 15:06

Como antecipado pelo blog pela manhã, o governador Eduardo Moreira retirou sua candidatura à reeleição durante reunião da executiva estadal do partido.

O candidato do MDB, por consenso, será o deutado federal Mauro Marini.

A decisão foi tomada na reunião da executiva estadual do MDB com os deputados federais e estaduais, hoje pela manhã 

Eduardo fez discurso de 50 minutos, quando falou de compromissos com o MDB e de administrar o estado, e concluiu anunciando a retirada da candidatura. “Atualmente, pensar num processo eleitoral é inconciliável com a missão de administrar o Estado,  na situação de extrema dificuldade que se encontra. Os interesses de Santa Catarina são prioritários”, disse o governador.

O ex-governador Paulo Afonso deverá ser o candidato a senador do MDB.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/06/2018 - 11:24Atualizado em 18/06/2018 - 11:27

A reunião da direção estadual do MDB com deputados estaduais e federais ainda não terminou. Mas, pode estar se encaminhando para definição em torno do deputado Mauro Mariani como candidato de consenso a governador.

O governador Eduardo Moreira, na sua ultima manifestação, abriu mão de disputar a reeleição, em nome do entendimento e a união do partido.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/06/2018 - 05:49Atualizado em 18/06/2018 - 08:35

Os deputados estaduais e federais do MDB vão à reunião da direção estadual do partido, hoje, em Florianópolis, para cobrar uma definição rápida sobre o candidato ao governo, e por entendimento, sem realização de prévias.

Ontem à noite, o deputado Valdir Cobalchini, líder do governo na Assembléia, reuniu os deputados do partido que já estavam em Florianópolis para tratar do assunto.

Ele sustenta que o MDB corre o risco de se isolar no processo se não definir logo o candidato ao governo, porque não conseguirá avançar nas conversações sobre alianças.

Cobalchini disse que os deputados vão insistir no entendimento para definição entre Eduardo Moreira e Mauro Mariani como candidato a governador.

Se não for possível na reunião de hoje, que sejam definidos critérios e marcada a data para definição. Ele reage à proposta de previas. Considera desnecessário e diz que deixa sequelas no partido.

Nos bastidores, o prazo especulado para definição é até 8 de julho e o critério pode ser pesquisa.

Na sua passagem por Criciúma e região no fim de semana, Eduardo Moreira repetiu que vai confirmar sua candidatura na reunião de hoje e que aceitar o critério que venha a ser escolhido, mesmo que seja a disputa em previas. 

Disse estar seguro que vence entre os convencionais.

Na festa de Nova Veneza, e no sábado em Criciuma, Eduardo Moreira conversou muito com dirigentes e prefeitos do PSDB, e com o próprio senador Paulo Bauer sobre a possibilidade de aliança.

O PSDB reafirmou que tem candidato ao governo, mas não descartou a possibilidade de entendimento.


Juntos e misturados

A festa da gastronomia de Nova Veneza reuniu alguns dos principais candidatos ao governo do estado. Eduardo Moreira - MDB, Esperidião Amin - PP, Paulo Bauer - PSDB e João Paulo Kleinubing - DEM.

E mais prefeitos, deputados e dirigentes partidários. Todos ao mesmo tempo, e no mesmo ambiente.

Conversaram muito entre si.


Entre tucanos

No jantar, Eduardo Moreira sentou com Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, Paulo Bauer e prefeito Clesio Salvaro. No cardápio, eleição e alianças. 


No café

Eduardo Moreira e Paulo Bauer tiveram conversa reservada no sábado pela manhã, no hotel em que estavam hospedados em Criciúma.

Discutiram possibilidades para a eleição, fizeram avaliações e agenciaram novas conversas.

Eduardo também teve conversa reservada com Clesio Salvaro, prefeito de Criciuma, e deputado Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB.


Disputa pelas parcerias

Esperidião Amin e Eduardo Moreira, inimigos políticos, disputam hoje os mesmos partidos e políticos para fechamento de alianças em torno de suas candidaturas.

Tanto um, quanto o outro, trabalham para atrair o PSDB e o DEM.

Os dois querem ter João Paulo Kleinubing, DEM, na chapa, e oferecem uma ou duas vagas ao PSDB, que podem ser para Napoleão Bernardes, Paulo Bauer ou Marcos Vieira.


Na agenda

Esperidião Amin voltará à Criciúma no sábado, quando o PP da região fará o ato de lançamento de sua candidato a governador.

Eduardo Moreira voltará à Criciúma na quinta-feira para uma reunião das mulheres do MDB da região com a primeira dama, Nicole Torret Moreira, quando será feita manifestação de apoio à sua candidatura.


Lei candidato

O ex-prefeito Lei Alexandre, de Forquilhinha, fez lançamento de sua candidatura a deputado estadual pelo PP no fim de semana. Destaque para a participação do deputado Esperidião Amin.

Os deputados do PP Valmir Comin (estadual e Jorge Boeira (federal) também participaram.


Celio candidato

O sindicalista Celio Elias, vereador em Forquilhinha, foi lançado candidato a deputado federal pelo PT da Amrec na sexta-feira à noite, com a presença do deputado federal Decio Lima, candidato do paetido a governador.

  
Luto

Foi sepultado ontem pela manhã o ex-vereador de Criciúma Amaro Alves Fernandes.

Foi vereador na década de 80 e exerceu importante influencia no partido durante pelo menos duas décadas.

Estava com problema de saúde faz algum tempo e faleceu no sábado no hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre, onde estava internado.


Bolsonaro na área

O PSL, partido de Bolsonaro, foi organizado em Siderópolis, durante evento no fim de semana. Paulo Cesar Elias é o seu presidente.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/06/2018 - 21:06Atualizado em 16/06/2018 - 21:15

Faleceu neste sábado, em Porto Alegre, no hospital Moinhos de Vento, onde estava internado,  o ex-vereador de Criciuma Amaro Alves Fernandes.

Ele tinha 80 anos.

O velorio acontece na manha deste domingo na capela mortuária do cemitério municipal de Criciuma e o sepultamento será às 11 da manhã.
Amaro Alves Fernandes foi vereador em Criciúma na década de 80 e importante liderança no MDB.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/06/2018 - 08:37Atualizado em 16/06/2018 - 08:38

A definição dos candidatos do PT a deputado estadual e federal na Amrec confirma a pior fase do partido em Criciúma. 

O candidato a federal será o sindicalista Celio Elias, suplente de vereador em Forquilhinha, e o estadual será o médico Lauro Nogueira, vereador em Içara.

O PT de Criciúma ja teve dois deputados estaduais e um federal no mesmo mandato, teve o prefeito da cidade, vereadores e suplente de senador. Hoje, não tem nenhum filiado com mandato e pela primeira vez desde a sua fundação não terá candidato a deputado.

As brigas internas, intensas e agressivas, entre os grupos dos ex-deputados José Paulo Serafim e Décio Goes, e depois a crise da Lava Jato e queda de Dilma, derrubaram o partido, reduzindo a muito pouco o "poder de fogo" na cidade. 

O presidente da executiva municipal, Laércio Silva, está tentando recompor o partido, aproveitando que tem transito (e crédito) em todas as alas. Já conseguiu “recuperar" vários petistas que estavam fora de combate. Mas, não o suficiente ainda para “bancar" uma candidatura a deputado.

Lauro Nogueira foi confirmado candidato a deputado estadual depois de reunião com o presidente da executiva estadual, deputado federal Décio Lima, que é o candidato a governador.

Lauro tinha uma exigência - a garantia que os petistas de Criciúma vão fechar (e ficar) com ele. Não vão “abandoná-lo” no meio do caminho para apoiar candidatos de outras regiões.

Decio Lima veio a Criciúma junto com Ledio Rosa de Andrade, desembargador aposentado, que será candidato a senador pelo PT. Eles participaram do ato de lançamento da candidatura de Célio Elias.

Os dois se disseram convencidos que o pior momento do PT, foi em 2016, na eleição municipal.

Para eleição de outubro desse ano, acreditam que a chapa está mais forte e aposta na manutenção ou crescimento das bancadas estadual e federal do partido.

 

Pode desistir

Deve ser noticia nos próximos dias - um dos cogitados para eleição majoritária em Santa Catarina, nome dado como certo, estaria disposto a desistir do projeto.

Em principio, passaria a ser candidato a deputado federal.

 

Muitas conversas

A sexta feira foi de muitas reuniões e articulações do prefeito Clesio Salvaro.

Desde cedo, no Paço municipal, se reuniu para tratar da eleição de outubro com o senador Paulo Bauer, o deputado Doia Guglielmi e o deputado Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB.

Também se reuniu com o ex-deputado Valmor de Luca.

À noite, se encontrou com o governador Eduardo Moreira, em Nova Veneza, na festa da gastronomia.

 

Só emenda

A deputada Ada de Luca, MDB, acabou encontrando o deputado Marcos Vieira no gabinete do prefeito Salvaro. Mas, foi um encontro casual.

Ela queria tratar de uma emenda que liberou para Criciúma, e o tucanos estava interessado em avaliar possibilidades para a eleição.

 

No ar

Senador Paulo Bauer, PSDB, na rádio Som Maior - “nossa convenção será franciscana, nada perto daquela convenção estilo americana que teve em Chapecó, com oito aviões particulares transportando convidados de todo o estado”.

 

Intervenção

O deputado Decio Lima, PT, disse em Criciúma que o PSB deve sofrer intervenção em Santa Catarina se for fechada a aliança nacional que está sendo tratada entre os dois partidos.

Mais tarde, a direção do PSB no estado divulgou nota se posicionando contra a coligação com o PT.

 

Nomes e Marcas

No clima na Copa, o programa Nomes e Marcas deste sábado, 9h30, na rádio Som Maior será com o arquiteto Fernando Carneiro.

Ele lidera um grupo que está desde terça-fera na Russia, para ver a Copa. Vai comemorar lá os 87 anos.

Fernando é o primeiro arquiteto de Santa Catarina

 

Sob nova direção

O empresário Anselmo Augusto Freitas, filho mais velho do empresário Anselmo Freitas, é o novo diretor geral da Cristalcopo, de Içara, a maior empresa do setor no estado.

A posse foi anunciada por nota distribuída pela empresa ao mercado no final da tarde desta sexta-feira.

Anselmo Augusto passa a responder por toda a parte operacional da empresa.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/06/2018 - 19:01Atualizado em 15/06/2018 - 19:08

A definição dos candidatos do PT a deputado estadual e federal na Amrec confirma a pior fase do partido em Criciúma. 

O candidato a federal será o sindicalista Celio Elias, suplente de vereador em Forquilhinha, e o estadual será o médico Lauro Nogueira, vereador em Içara.

Desde a sua fundação, é a primeira vez que o PT de Criciúma não tem candidato a deputado.

A candidatura de Lauro Nogueira foi definida em reunião com o deputado Decio Lima, presidente estadual do PT e candidato a governador.

Ele está na região junto com Ledio Rosa de Andrade, que será candidato a senador. Os dois participarão hoje à noite do lançamento da candidatura de Celio Elias,

Abaixo, entrevista com Decio Lima, Lauro Nogueira, Ledio Rosa de Andrade, Celio Elias e Laercio Silva, presidente do PT de Criciúma .

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 15/06/2018 - 06:17Atualizado em 15/06/2018 - 09:33

O governador Eduardo Moreira, MDB, telefonou ontem à noite para o prefeito Clesio Salvaro, PSDB, e marcaram uma conversa para hoje, em Nova Veneza, depois da cerimonia na festa da gastronomia.

Vão falar sobre questões administrativas, principalmente a estadualização do hospital infantil Santa Catarina. 

Mas, também vão falar sobre eleição.

Eduardo é candidato a governador, mas o deputado Mauro Mariani também é.

A decisão entre um e outro pode sair na segunda-feira, por entendimento, na reunião da executiva estadual do MDB.

Se não sair por acordo, será marcada a data de uma previa para definição do candidato pelos votos dos convencionais.

Eduardo está articulando internamente, e fora do MDB (com outros partidos). Tem dito que ninguém vencerá a eleição sem uma boa aliança (com densidade eleitoral).

O PSDB é o principal aliado possível para o MDB.

Mas, já tem candidato a governador, que é o senado Paulo Bauer (está na cidade desde ontem).

Só que Bauer ficou fragilizado depois da decisão do STF de abrir inquérito para investiha-lo por corrupção e lavagem de dinheiro.

O PSDB sustenta em publico que Bauer só não será candidato se não quiser.

Ao mesmo tempo, mantêm discussões sobre possíveis alianças com outros partidos.

Clesio Salvaro tem sinalizado à pessoas que tem relações com ele e com Eduardo que, se o PSDB não tiver candidato a governador, e discutir apoio a outro candidato, o fato de Eduardo ser da região (ex-prefeito de Criciúma) deve influenciar na sua posição.

Eduardo também já conversou com o deputado estadual da região, Dóia Guglielmi, secretário da executiva estadual do PSDB.

Ele tem mantido conversações freqüentes com dirigentes e líderes do partido, como o deputado Marcos Vieira, presidente da executiva estadual (conversou ontem) e o ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes (conversou na segunda-feira).


Com Amin

Antes de falar com Eduardo, ontem, Clesio Salvaro conversou pelo menos duas vezes com Esperidião Amin. Que também quer ser candidato ao governo e faz mesmo o caminho de Eduardo - “busca o apoio do PSDB".


Com o PV e Kleinübing

Ontem, Amin participou em Florianópolis do ato de apoio do PV à candidatura a governador do deputado federal João Paulo Kleinubng, DEM (foto).

Amin não foi no sábado, dia 9, no lançamento da candidatura a governador do deputado Gelson Merisio, PSD, em Chapecó.


Ato de Eduardo

Ontem à noite, o PMDB de Criciúma  decidiu em reunião ampliada da executiva fazer um ato na próxima semana, dia 21, quinta-feira, para lançamento da candidatura de  Eduardo Moreira ao governo.

Intenção de reunir prefeitos, vices, vereadores, deputados e mais de 1 mil pessoas


Com a base

Eduardo Moreira abriu as portas da residência oficial, a Casa da Agronômica, para receber vereadores do Sul do Estado.


É preciso reagir!

A receita do estado é uma só. A Assembleia Legislativa recebe uma parte "do bolo” para custear a sua manutenção e funcionamento. A sobra, volta ao executivo para investimentos.

Por isso, é inaceitável que no momento de uma crise sem precedentes no estado, quando não tem dinheiro para tapar buracos nas estradas (rodovia Jorge Lacerda é o exemplo), a Assembléia Legislativa se dá ao luxo de fazer a contratação de funcionários terceirizados ao custo anual de r$ 3,6 milhões.

A mesma Assembléia paga salário de r$ 6,2 mil para ascensorista!

E comprou um prédio no fim de 2017 por r$ 80 milhões (apesar de outro desocupado, sem uso).

É preciso protestar, e cobrar dos deputados estaduais da região. De todos.

Porque não se tem noticia de algum deputado da região que tenha se insurgido contra isso.


Pelo carvão

O presidente da Associação Brasileira do Carvão, Fernando Zancan, será recebido na segunda-feira pelo presidente do BNDES, Dyogo Oliveira. 

Vai tratar de questões ligadas ao carvão.


Na frente

O deputado estadual da região Valmir Comin, PP, foi eleito vice-presidente da Frente Parlamentar de Produção e Industrialização do leite.


Liberal

O grupo de estudos Liberais da Unesc está organizando o I Fórum Liberal de Criciúma - Política e Economia, para o dia 23, na ACIC, 13h45min. 

Na oportunidade, vão tratar de temas liberais, com o tamanho do estado, liberalismo econômico e politico. 

Vão participar da mesa redonda, professores da UFSC, vereadores e dirigentes do Partido Novo.


O filho do mito!

Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL (partido de Bolsonaro), que será candidato ao senado, se reuniu em Brasília com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (filho do presidenciável e Jair Bolsonaro).

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/06/2018 - 05:55Atualizado em 13/06/2018 - 09:24

Quando o jogo parecia definido e sacramentado na aliança PSD-PP em torno da candidatura do deputado Gelson Merisio ao governo do estado, depois daquele ato representativo em Chapecó, no sábado, o PP de Criciúma anuncia a realização de um ato politico para lançamento da candidatura do deputado Esperidião Amin ao governo do estado.

Será no próximo sábado, dia 23.

Ao fazer o anúncio, o PP criciumense listou as presenças de prefeitos, vices, vereadores e deputados do PP da região.

Muitos deles (ou quase todos) estavam em Chapecó no ato de Merisio.

O presidente do PP de Criciúma é o ex-vereador Itamar da Silva, amigo pessoal e aliado politico de sempre de Esperidião e Ângela Amin.

Itamar não tomaria a iniciativa de fazer o lançamento da candidatura sem tratar do assunto com Esperidião. E se o ato vai sair, é que porque teve o “sinal verde”.

Merisio foi lançado a governador em Chapecó, sua base, e o PP vai lança Amin em Criciúma, que é a segunda cidade/referencia eleitoral.

Alem disso, Criciúma é a cidade/base do governador Eduardo Moreira, MDB, provável adversário na disputa pelo governo.

Com esse movimento, o comando do processo volta para Esperidião Amin.

Merisio de novo corre o risco de ficar sem o PP e a aliança PP-PSDB continua sendo uma possibilidade real.

Além disso, Amin tem ao seu lado o deputado federal João Paulo Kleinubing, DEM, um “campeão" de votos na segunda maior cidade do estado, que é Blumenau. Dois nomes fortes que fariam forte eleitoralmente qualquer chapa majoritária.


Porta fechada

O PSDB, pelas circunstâncias, e principalmente a forma como foi tratado por Merisio, tem três caminhos possíveis para a eleição. Candidatura própria, aliança com Amin ou aliança com o MDB.

Mais com o MDB se o candidato for Eduardo Moreira.


Empolgado

Enquanto Paulo Bauer vai diminuindo seu poder de fogo, pelo desgaste das denuncias e do inquérito por corrupção, Napoleão Bernardes vai avançando no PSDB.

Ontem, ele recebeu o presidenciável Geraldo Alckmin e o levou na Associação empresarial de Joinville.

A recepção foi quase festiva. O ex-prefeito está a cada dia mais empolgado com a possibilidade de assumir a condição de candidato a governador. 

Mas, continua ainda candidatura ao senado.


Batendo

Eduardo Moreira, durante entrevista para a Rádio Som Maior, sobre o lançamento candidatura de Gelson Merisio:

1- “Ele demonstrou também uma grande capacidade financeira, porque aquilo não foi de graça”.

2- "É uma candidato bom de enfrentar”.

3- "Acho q ele será o candidato sim; será o adversário do MDB”.


Konder Reis

Foi um político referência. Postura ética irretocável. Homem probo. Daqueles que não se vê hoje em dia com facilidade. Na real, nem hoje, nem ontem. Porque são pouco do seu padrão em toda a história política do estado.

Antonio Carlos Konder Reis comandou o estado com o slogan “governar é encurtar distâncias”, numa época em que a principal pedida (e grande necessidade) era pavimentação de rodovias e acessos.

Foi nomeado pelo regime militar, mas também foi consagrado pelo voto popular. Foi constituinte. 

Homem culto, de discursos longos, mas de muito conteúdo. Enquanto falava, silêncio geral.

Tinha fortes relações com o sul catarinense. 

O jornalista Archimedes Naspolini foi subchefe da casa civil do seu governo.

Os ex-deputados Ruberval Pilotto e Sebastião Neto Campos foram aliados políticos muito próximos.

Décio Martinhago, amigo pessoal.


A volta de Maneca

O principal “herdeiro" do Brizolismo no estado, Manoel Dias, vai tentar um mandato eletivo.

Será lançado hoje candidato a deputado federal pelo PDT, partido que ajuda a fundar, ao lado de Leonel Brizola.

O ato acontecerá em Florianópolis com a participação do presidenciável Ciro Gomes.


No comando

A professora Lisiani Tuon, candidata a deputada estadual, participou ontem em Brasilia do encontro nacional das mulheres do DEM.

Em discussão, o empoderamento da mulher e orientação para organização da campanha.

Lisi tratou da eleição com os principais políticos do DEM, como o presidente da executiva nacional, o prefeito de Salvador ACM Neto

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/06/2018 - 05:46Atualizado em 12/06/2018 - 08:59

O governador Eduardo Moreira não será candidato a governador por consenso no MDB. O deputado Mauro Mariani também não. Os dois deverão disputar a indicação no voto.

Foi a síntese da reunião da executiva estadual do MDB, ontem.

O deputado Mariani reafirmou sua condição de candidato, mas o governador Eduardo também se apresentou como candidato.

Foi a primeira vez que Eduardo assumiu no partido sua intenção de disputar a reeleição.

Mauro destacou que corre o estado desde o ano passado, apoiado pelo próprio Eduardo e pelos deputados e senador do partido.

Eduardo argumentou que as circunstâncias mudaram, ele assumiu como governador e só poderá disputar a reeleição, enquanto Mauro pode ser candidato a senador.

O único ponto em que os dois tem o mesmo entendimento é que a indefinição do candidato vai acabar isolando o MDB, porque vai dificultar alianças.

Para consumo externo, a executiva do partido, presidida por Mariani, abriu espaço de tempo até segunda-feira para que os dois tentem um entendimento, o que evitaria a disputa interna.

Eles devem se reunir hoje ou amanhã, aproveitando que estão na capital para o congresso catarinense de prefeitos.

Mas, deverá ser uma conversa apenas para cumprimento de tabela. Nenhum dos dois quer pagar o desgaste de negar o dialogo.

Agora, nem um, nem outro, sinaliza a mínima disposição de desistir. Pelo menos até agora.

Na real, a semana será usada para articulações, costuras (e consultas) internas, possíveis composições e discussão sobre as regras para as previas.

Ontem, havia duas possibilidades. Disputa entre os delegados do partido nos municípios, ou os delegados e mais prefeitos e vices.


Não esqueçam de mim

Na reunião da executiva estadual do MDB, o ex-governador Paulo Afonso cumpriu o que havia antecipado na reunião da JPMDB, em Içara, no sábado. Apresentou seu nome como candidato ao senado. E emendou - “se aparecer outro candidato, vamos disputar no voto, na convenção”.

Paulo Afonso está em sintonia com Mauro Mariani.


Alianças

Eduardo Moreira e Mauro Mariani estão tratando de aliança, em conversas separadas, com PR (do deputado Jorginho Mello) e DEM (do deputado João Paulo Kleinübing). Os dois podem estar na chapa majoritária.

Eduardo também tem conversa adiantada com o PSDB (de Napoleão Bernardes).


Ninguém mais tira

Mais do que consolidar candidatura a governador, o deputado Gelson Merisio sacramentou a aliança que ele idealizou. Com o PP e mais nove partidos. 

Ficou evidente no ato de Chapecó que o bloco está fechadíssimo.

Se o deputado Esperidião Amin resistir à chapa com Merisio ao governo e ele ao senado, ficará isolado no PP e pode ficar fora da chapa majoritária.


UPA Antônio Althoff

Gol de placa do prefeito Clesio Salvaro ao decidir “batizar" a UPA da Próspera com o nome do médico Antonio Althoff.

Profissional da saúde dos mais respeitados na cidade e região, um dos tradicionais da medicina, e acima de tudo, um cidadão que gostava de atender e ajudar as pessoas. Indo muito além da sua especialidade. Uma pessoa espiritualizada. Era sempre uma boa conversa.


A mudança no PSD

Como previsto, o vice-prefeito Ricardo Fabris foi eleito presidente do PSD de Criciúma, ontem à noite, durante convenção municipal.

Com apoio do ex-deputado Julio Garcia e do deputado Ricardo Guidi, o novo presidente vai cumprir missão de renovar o partido, atraindo novos filiados. 

Já está marcado para julho, um ato para oficializar em torno de 1 mil novas filiações.


PT terá candidato

O presidente estadual do PT, deputado Decio Lima, estará em Criciúma na sexta-feira para o lançamento da candidatura do sindicalista Celio Elias como candidato a deputado federal. 

Mas, virá como uma missão “extra" - definir um candidato do PT de Criciúma ou da Amrec a deputado estadual. Que hoje não tem.

Decio Lima vai trabalhar com cinco possibilidades - vereador Lauro Nogueira (Içara), Deva, Laércio Silva, Decio Góes e dr Juliano.


Fora de jogo

O deputado federal do sul Jorge Boeira, PP, está de licença. Na sua vaga, assumiu o suplente Osvaldo Mafra, do Solidariedade.


Mudança no colegiado

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, MDB, definiu ontem em reunião com direção do PSD, uma mini-reforma no secretariado.

Pelo PSD, Ivan Reus vai assumir a presidência da fundação de meio ambiente e Fabiana do Amaral a secretaria de ação social.

Pelo MDB, Jaqueline dos Santos será efetivada na secretaria de saúde.  

Os atos de posse, em conjunto, estão projetados para sexta-feira.


110 dias de cadeia

O deputado federal catarinense João Rodrigues, PSD, revelou que estava dividindo cela com o ex-ministro José Dirceu, no presídio da Papuda, em Brasilia.

Outro colega de cela era o ex-senador Luis Estevão, de Brasilia.

João Rodrigues agora vai cumprir pena em regime semi-aberto em cela especial. 

Ele voltou ontem a ocupar o seu gabinete na câmara federal, depois de liberado para cumprir atividade parlamentar por liminar expedida pelo STF.

Estava mais magro e com maior volume de cabelos brancos

6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18