Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/07/2018 - 19:37Atualizado em 18/07/2018 - 20:32

Tribunal Regional Eleitoral acaba de decidir pela cassação do mandato do vereador Daniel Freitas, de Criciúma.  Ele foi enquadrado na lei da infelidelidade partidaria porque trocou o PP pelo PSL.

A ação contra o vereador Daniel foi iniciativa do PP de Criciúma.

O TRE mandou convocar imediatamente o primeiro suplente do PP para assumir a cadeira, no caso o suplente Edson do Nascimento, o Paiol.

Na eleição, Angela Mello ficou como primeira suplente do PP. Mas, ela perdeu a "vaga", não será chamada porque trocou de partido, foi apara o MDB. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 18/07/2018 - 05:39Atualizado em 18/07/2018 - 09:12

Elogiável, porque respeita a historia, mas não é unânime a proposta do prefeito Helio Alemão Cesa, MDB, de mudar o nome de Sideropolis. Longe disso.

Depois de lançar a proposta durante a missa em homenagem a colonização italiana, no domingo, Alemão passou a receber manifestações diferentes.

De um lado, foi elogiado pelos “tradicionais”, que lançaram movimento faz alguns anos pela recuperação de Beluno como nome da cidade. Ou, Nova Beluno.

Mas, também ouviu críticas. Do tipo - “vocês não tem mais o que fazer? “. Ou, “se mudar o nome vamos que trocar documentos e placas dos carros, não faz sentido!”.

Os críticos são, via de regra, moradores e eleitores com menos de 40 anos. Que não tem o mesmo vinculo com a historia do município.

Hoje, Sideropolis está comemorando 127 anos de colonização. E, colonização genuinamente italiana. Foi por isso que nasceu como “Beluno”. 

Na segunda guerra mundial, a ditadura Vargas perseguiu italianos e alemães, porque estavam em blocos diferentes, e mandou trocar os nomes de muitas cidades que remetiam à Italia.

No “segundo batismo”, trocaram Beluno por Siderópolis, por causa da Companhia Siderúrgica Nacional que operava no municipio. Era uma das principais industrias da região.

Mas, nada a ver com os colonizadores, nem com a historia do município.

Alemão acerta em estabelecer o debate. O assunto está latente da cidade faz muito tempo. Não poderia continuar sendo ignorado.

Alemão já foi na câmara de vereadores, que não quer se meter no assunto. Para não correr risco de algum desgaste.

Ele pediu então à procuradoria do município para dar um parecer técnico do que pode ser feito, e como fazer.

Em principio, um plebiscito.

Mas, pode ser uma audiência publica, ou uma pesquisa.

Se eu fosse morador de lá, votaria pelo restabelecimento da historia, respeito aos colonizadores e fundadores, e a volta do nome Beluno.


Território italiano

Empolgado com o debate aberto pelo prefeito Alemão, o sideropolitano (ou belunense) João Lazaris Neto problema ontem - "Vamos restabelecer o trivêneto:  Belluno - Treviso - Veneza”.


Cesa - "Vale ficará descoberto”

O presidente do MDB de Araranguá, empresário Cesar Cesa, estará ao lado do deputado Manoel Mota, hoje, 10h, na coletiva que ele convocou para anunciar a desistência da candidatura a reeleição.

Cesa ja convocou para amanha uma reunião da executiva do partido para avaliar o quadro e decidir o que fazer.

Disse que ninguém da direção estadual do MDB telefonou para tentar contornar a situação e que Mota reclama muito da forma como vem sendo tratado. 

“Um homem que dedicou mais de 30 anos da sua vida ao partido, não poderia estar sendo tratado desta forma”, comentou/ 

Cesa avalia que o MDB não terá novo candidato a deputado no Vale. E arremata:

“Aqui a obra na serra de Praia Grande parou, na serra da Rocinha vai parar, a interpraias é só conversa, a barragem rio do salto é só conversa, e ainda perdemos em representação politica, só vai piorar ainda mais!”.


Até três

Os movimentos de ontem entre operadores de candidaturas majoritárias no estado sinalizaram que entre PSD, PP, PSDB e DEM, pode ter apenas um ou três candidatos a governador.

Esperidião Amin segue articulando, e tem o apoio do PP para ser o candidato a governador. Mas, se não for candidato, não terá poder para definir quem o partido vai apoiar.

Paulo Bauer, da mesma forma. Tem o apoio do PSDB para ser candidato. Mas, não define o rumo do partido se não for o candidato.

Um candidato está consolidado - Gelson Merisio, PSD.

Pode ter mais dois - Amin e Bauer.  

Mas, se Amin não for, o PP fechará com Merisio.

Se Bauer não for, o PSDB não fechará com Merisio. Vai compor com Amin, ou com o MDB.


Colombo na área

O ex-governador Raimundo Colombo, PSD, será recebido hoje pelo prefeito Clesio Salvaro, PSDB.

Raimundo é candidato a senador e começa a correr o estado.

Na reunião com Clesio, deve tratar da eleição e de articulações. Mas, os dois sabem que PSD e PSDB não estarão juntos.

De qualquer forma, Colombo vai pedir apoio de Clesio, “pelo menos no segundo voto”, para eleição ao senado.

Ontem à noite, Colombo foi homenageado pelo deputado Ricardo Guidi.


Pedindo passagem

Na reunião da executiva estadual do PSDB, segunda-feira, o vereador Aroldinho Frigo, de Nova Veneza, reafirmou disposição de ser candidato a deputado estadual em outubro.

Ontem, na radio Som Maior, o presidente estadual do partido, Marcos Vieira, disse que Aroldinho é um “excelente candidato”.

À noite, na sessão da câmara de Nova Veneza, Aroldinho entregou moção de aplauso à deputada federal Geovania de Sá pelos serviços prestados ao municipios.


Chapa pura

O candidatura do deputado Décio Lima a governador pelo PT será homologada na convenção estadual do partido no dia 5 de agosto (ultimo dia do prazo legal).

Com ele, o candidato a senador, Ledio Rosa de Andrade.

O segundo candidato a senador e o vice também devem ser do PT.

O ex-prefeito de Araranguá, Sandro Maciel, deve estar na chapa. Como candidato a vice ou suplente do senado.


Voltou antes

O prefeito Mariano Mazzuco, PP, ja reassumiu a prefeitura de Araranguá. Dez dias antes do previsto.

Ele se afastou para uma cirurgia em Porto Alegre e deveria voltar apenas no final de julho.

Mas, disse ontem, a cirurgia foi muito bem sucedida, a recuperação melhor que o esperado, e por isso decidiu “voltar ao trabalho”.

Mariano já projeta candidatura a reeleição em 2020.


Fios soltos!

Pedestres aumentam reclamações sobre fios soltos em várias ruas da área central de Criciúma.

Primeiro, porque é muito feio.

Segundo, porque ninguém sabe se é perigoso.

Tem fio de energia, cabo de telefone, de internet, tv a cabo, e muito mais.

Estão arrebentados no chão, pendurados ou amarrados em postes.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 17/07/2018 - 06:44Atualizado em 17/07/2018 - 13:25

Prefeito Clesio Salvaro foi um dos últimos a falar na reunião de ontem do comando estadual do PSDB, em Florianópolis, mas foi o principal discurso.

Ele fez a defesa veemente de aliança para eleição de outubro, contra a proposta de chapa pura.

Clesio quer que o PSDB faça aliança com Esperidião Amin e o PP, mas não chegou a dizer isso ontem. Ficou apenas na defesa de aliança, contra o isolamento do partido.

A deputada federal criciumense Geovania de Sá também fez discurso na defesa de aliança.

Ela defendeu, inclusive, a formação de uma comissão de negociação. Que não foi levada adiante. 

Se o caminho do PSDB for por chapa pura, Geovania será a candidata a vice. Mesmo contra a sua vontade.

No final, a decisão tomada na reunião foi a confirmação da candidatura do senador Paulo Bauer a governador.

Mas, na pratica, o PSDB está negociando. Com Esperidião e o PP, e com Mauro Mariani e o MDB.

Antes da reunião de ontem, um grupo de “cardeais" do PSDB teve reunião com o deputado João Paulo Kleinübing, presidente do DEM.

Durante a reunião, chegaram Esperidião Amin e Silvio Dreveck, presidente do PP.

A conversa foi inconclusiva.

O saldo final é que vão continuar conversando. Deixaram as “portas abertas”.

Esperidião deve aguardar a convenção estadual do PSD para avançar nas tratativas com o PSDB.

Afinal, pela sua tese, Merisio quebrou o acordo ao convocar a convenção, porque teriam acertado que as convenções só seriam convocadas quando os partidos concluíssem as negociações.

A convenção do PSD, então, será a confirmação do rompimento.


Xeque mate

Merisio deve aprovar na convenção a sua candidatura ao governo e a de Raimundo Colombo ao senado, deixando duas vagas abertas ao PP. Vice-governador e a segunda candidatura ao senado.

E a partir dai, Merisio pode colocar Amin em xeque-mate.

Ou ele capitula ao projeto de Merisio e aceita a candidatura ao senado, ou confirma candidatura ao governo pelo PP, com quem conseguir reunir ao seu lado e as alianças que conseguir fechar.


Sem volta

A disputa pelo governo do estado já tem três candidatos definidos/consolidados - Mauro Mariani - MDB, Decio Lima - PT e Gelson Merisio - PSD.


As causas da retirada de Mota

O suplente de deputado Manoel Mota, MDB, negou ate o fim de semana que renunciaria a candidatura.

Mas, quando convocou ontem a tarde uma coletiva para amanhã, nove em cada dez peemedebistas passaram a afirmar que ele vai dar as razões de sua batida em retirada.

O deputado Mauro Mariani, presidente estadual do MDB e candidato a governador, ainda tenta convencê-lo a ficar.

Mota está desgastado, fragilizado, e muito chateado (com o governo do MDB).

Ele perdeu apoios importantes no MDB, como ex-prefeito Volnei Weber, que coordenava suas campanhas na Amurel, e agora é candidato a deputado.

Mas, ele também tem um problema fora o partido. O ex-prefeito do Arroio, Evandro Scaine, PSD, candidato a deputado.

Scaine está fazendo uma campanha forte em Araranguá, praticamente casa a casa, procurando muitos cabos eleitoral que trabalharam para Mota.

 
Liberado

Ex-governador Raimundo Colombo tira o equivalente a uma tonelada das costas com a decisão da Justiça Federal de arquivar as delações da JBS que o citavam, junto com o ex-secretário da fazenda do estado, Antônio Gavazoni.

Na delação, foi dito que a JBS repassou r$ 10 milhões como caixa dois de campanha mediante compromisso de Colombo de privatizar a Casan, o que não aconteceu.

Justica mandou arquivar, seguindo recomendação do ministério público, por falta de provas.

Colombo fica “mais leve” para encaminhar sua campanha ao senado.

Hoje ele chega à cidade para uma agenda de dois dias.

Terá reunião com o prefeito Clesio Salvaro e será homenageado pelo deputado Ricardo Guidi.


Mudar de nome

Decisão corajosa, mas inteligente e democrática, a que foi anunciada pelo prefeito Helio Alemão Cesa, de Siderópolis.

Vai abrir discussão com a comunidade, quer que a câmara de vereadores esteja junto, para definir a mudança do nome da cidade. Em respeito aos fundadores que a “batizaram” como Nova Beluno.

O nome foi trocado pela ditadura, por causa guerra. Como foi imposto, ficou atravessado.

O prefeito fez o anuncio durante a missa (rezada em italiano) em homenagem ao aniversario colonização do município.

Se voltará a ser Beluno, ou Nova Beluno, ou Siderópolis Beluno, a cidade vai decidir.

O mais importante é o processo. Que respeita a história.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/07/2018 - 09:00Atualizado em 14/07/2018 - 09:01

A sexta-feira foi movimentada. O que parecia “encaminhado" caiu por terra. Gelson Merisio, PSD, foi pessoalmente ao deputado João Paulo Kleinübing, DEM, para convidá-lo a ser o vice na sua chapa e ouviu um "não, obrigado".

Kleinübing foi alem. Disse que não será vice de Merisio, mas está conversando com o PP de Amin e com o MDB Mauro Mariani, podendo compor de vice com um, ou com outro.

Merisio havia entendido que Kleinübing de vice era a “senha" para Esperidião Amin, PP, fechar a aliança PP-PSD, e encaminhar sua candidatura ao senado. Ledo engano.

O primeiro movimento de Merisio logo depois da negativa de Kleinübing foi abrir ao PP a possibilidade de duas vagas na chapa majoritária. Vice e senador.

Outro movimento - sabendo que Amin está articulando intensamente nos bastidores, despachou emissários para abrir conversações com o PSDB. Liberou que falassem em duas vagas majoritária.

Ou seja, Merisio sente risco real de perder Amin e o PP, e tenta compensar com o PSDB. Alem de tentar evitar que o PSDB siga com Amin.

O grupo de comando do PSDB passou o dia em reuniões. Uma parte em Balneário Camboriu, junto com o deputado Leonel Pavan, e outra parte em Florianópolis.

Por telefone, prefeitos e deputados articularam muito para a reunião de segunda-fera a executiva estadual.

Está definido que alguns prefeitos vão defender aliança com PP, apoiando Amin para governador e ficando com duas vagas na chapa (vice e senado).

Se a proposta não passar, vão exigir que conste em ata que não será feita nenhuma outra aliança nestas condições - duas vagas na chapa majoritária.

Neste domingo, fim da tarde, Amin, Merisio e Kleinübing voltam a se reunir com Raimundo Colombo (PSD) e Paulinho Bornhausen (PSB). Nada devem decidir. Tudo ficará para depois da reunião do PSDB.

 

MDB na sexta

O governador Eduardo Moreira fará “comício" com Mauro Mariani, candidato do MDB a governador, na sexta-feira, em Içara.

Data e local foram definidos pelos prefeitos do partido, reunidos durante a festa da tainha, no Rincão.

 

Sul de fora

De todas as especulações feitas até agora sobre composição de chapa majoritária, o único nome do sul que foi citado foi o da deputada Geovania de Sá, para candidatura a vice-governador. Qu ela não quer!

A tendência é que o sul fique fora do núcleo de poder do futuro governo.

 

Quatro candidatos

O presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, disse ontem na Som Maior que quatro candidatos a governador estão consolidados, não recuam mais. Paulo Bauer (PSDB), Mauro Mariani (MDB), Gelson Merisio (PSD) e Décio Lima (PT).

Ele disse que “não dá para saber" o que vão fazer o PP de Amin e o DEM de Kleinübing.

 

Com a faca e o queijo

Esperidião Amin, de novo, está coma faca e o queijo na mão. O quadro para a eleição será montado a partir da sua decisão sobre a candidatura que vai assumir, e com quem.

Pela sua força eleitoral, tem autonomia para decidir para onde vai.

 

Reforço

O terceiro suplente de vereador do PP de Criciuma, arquiteto André de Luca, migrou para o PSD.

O ato de filiação foi nesta sexta-feira, durante reunião com o deputado Ricardo Guidi, ex-deputado Julio Garcia, vice-prefeito Ricardo Fabris e o ex-prefeito Anderlei Antonelli.

Fabris foi responsável direto pela adesão de André. Os dois foram da equipe de governo quando Antonelli foi prefeito.

Na eleição de 2016, André fez 1.300 votos.

 

Com o “ex-chefe”

O empresário criciumense Gilson Pinheiro, dono de uma construtora e do hotel Interclass, esteve ontem com o ex-prefeito José Augusto Hülse.

Ele foi secretario municipal quando Hulse foi prefeito (inicio da dedada de 80).

Com dois, estava o empresário José Luiz Hulse, filho de José Augusto. 

 

Investimento feito

A deputada federal criciumense Geovania de Sá, PSDB, foi conferir a calçada de 600 metros que está sendo construída em Forquilhinha com verba de r$ 250 mil do seu mandato.

 

No Instituto

O deputado federal Jorge Boeira visitou obras de ampliação do IFSC Criciúma.

O  deputado destina boa parte de suas verbas parlamentares ao Instituto. 

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/07/2018 - 07:40Atualizado em 13/07/2018 - 09:49

Os últimos detalhes para prefeitura efetivar a transferência do hospital materno infantil para o governo do estado serão ajustados até segunda-feira.

Hoje, em Florianópolis, o secretario de saúde do estado, Acelio Casagrande, vai se reunir com o governador Eduardo Moreira para definir a data em que ele e o prefeito Clesio Salvaro vão fazer a assinatura dos atos.

Por seu lado, o prefeito Salvaro apresentará hoje aos vereadores (e fará apelo para tramitação célere) o projeto de lei que autoriza a transferência do imóvel e patrimônio do hospital para o estado.

Nos dois lados, o assunto é dado como “fato consumado”. Não corre mais risco de recuo. A “estadualização" do Santa Catarina vai sair.

É uma das prioridades do prefeito Salvaro desde que assumiu.

Vai representar “economia" aos cofres da prefeitura de pelo menos r$ 750 mil / mês. O equivalente a praticamente dois meses e meio de custeio da UPA da Próspera.

Além disso, vai corrigir uma distorção, porque Criciuma hoje sustenta uma estrutra que faz atendimento regional.

A estadualização será a "maior obra” do atual período de Eduardo Moreira como governador em Criciúma, sua principal base política.

Hoje, o hospital não passa de um “pronto atendimento”.

Com a transferência para o estado, vai ser equipado e estruturado para funcionar como um hospital materno infantil completo. Com possibilidade para fazer todos os partos e até gestação de alto risco.

Hoje, gestação de risco na região só é feita em Tubarão ou Florianópolis.

Para isso, serão concluídas as obras da ala que estão inacabadas desde 2002.

A projeção é que o “novo hospital”, completo, seja inaugurado durante o mês de setembro.

Ontem, técnicos da secretaria de saúde do estado passaram o dia em Criciúma, reunidos com a secretária municipal de saúde, Francieli Gava, e o gerente regional de saúde do estado, Fernando de Faveri.

Praticamente tudo definido, ajustado, acertado. Ficaram faltando apenas alguns detalhes operacionais, que serão resolvidos no fim semana entre o prefeito Salvaro e o secretário Acélio.


Desatador de nós

O gerente regional de saúde, Fernando de Faveri, vem se firmando como um gestor eficiente. Que resolve os problemas.

Primeiro, foi a divida com o hospital São Jose. Que ninguém se entendia. Ele fez conferência de dados, consolidou o que é divida do estado e acertou o pagamento parcelado. Que está sendo cumprido.

Agora, operou o processo para transferência do hospital Santa Catarina.


Os constituintes

O congresso de advocacia do sul catarinense, que começa hoje, em Nova Veneza, vai reunir dois dos deputados constituintes da região. Ruberval Piloto e Walmor de Luca. 

O terceiro constituinte era Eduardo Moreira, hoje governador, que estava confirmado até ontem, mas cancelou presença no fim do dia.

O congresso vai reunir os principais nome do direito no estado.

Um dos palestrantes será o advogado Marlus de Oliveira, que vai falar sobre “os tempos de Lava Jato”. Ele é o advogado do ex-deputado Eduardo Cunha.


Só domingo

Esperidião Amin e Gelson Merisio só voltarão a se reunir para tratar de aliança no domingo, à tarde. Com eles, estarão Raimundo Colombo, Paulinho Bornhausen, Silvio Dreveck e João Paulo Kleinübing.

No sábado, Amin terá lançamento de sua candidatura ao governo no oeste do estado.

Até domingo, Amin e Merisio mantêm candidaturas ao governo.


Aposta

O deputado federal Jorge Boeira, PP, projetou ontem - “esse jogo vai terminar assim como está hoje, Merisio será candidato a governador, e Esperidião será candidato a governador, nenhum dos dois vai desistir”.


Dos tucanos

A direção estadual do PSDB vai discutir na segunda-feira a possibilidade de apoiar a candidatura de Esperidião Amin a governador, indicando o candidato a vice e um senador.

A proposta será apresentada na reunião.

Sabendo disso, é provável que Esperidião opere para postergar a decisão sobre aliança com o PSD de Merisio para depois de domingo, durante a próxima semana.


Nova chapa

Se tiver sinalização concreta do PSDB, é possível que Amin feche aliança sem o PSD. Com PSDB e DEM.

Napoleão seria o candidato a vice e Paulo Bauer ao senado.

A outra candidatura ao senado pode ser de João Paulo Kleinubing.


Primeiras opções

Como o PSDB não participa das conversações de PP, PSD, DEM e PSB, as possíveis chapas especuladas (e avaliadas) para essa aliança  são Gelson Merisio - governador e João Paulo Kleinübing de vice, ou Amin - governador e Merisio de vice.


Ainda não é hora

Gelson Merisio procurou o ex-deputado Julio Garcia para tentar recompor a relação.

Os dois estão rompidos politicamente faz dois anos.

Acertaram que voltarão a conversar objetivamente depois da convenção do PSD, se Merisio for confirmado candidato a governador.

Por enquanto, nada mudou.


Colombo na área

Ex-governador Raimundo Colombo aterrissa em Criciúma na terça-feira para agenda política durante dois dias. 

Ele telefonou ao prefeito Salvaro e pediu reunião. Quer falar sobre a eleição, e composições.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/07/2018 - 05:54Atualizado em 12/07/2018 - 11:20

É claro que é melhor ter 10 deputados ativos, articulados, respeitados, do que 10 sem influência. Mas, o pior é não ter nenhum.

Oito de deputados, mesmo que não sejam os mais influentes no parlamento catarinense, que não sejam lideres de blocos, nem formadores de opinião, podem fazer muito pela cidade, a partir do momento que passem atuar de maneira conjunta, e bem articulados.

Quando não emplacar pela influencia política, pelo transito nas instâncias de poder, que seja pela quantidade.

Não tem governador, ou secretário de estado, que não pare para ouvir, e que respeite o que seja levado, por um grupo de oito deputados. Afinal, isso é 20% de toda a Assembléia. 

Vale citar Antonio Carlos Magalhães, o grande líder da Bahia, já falecido, chamado por uns de ACM, e por outros de “toninho malvadeza”.

Quando ele não conseguia o que queria pela conversa, invadia os gabinete oficiais de Brasilia, com a “bancada da Bahia” a reboque. Ali, pesava o numero.

E ele saia de lá com o assunto resolvido.

Mas, conseguia reunir “em defesa dos interesses da Bahia”, adversários, concorrentes e até inimigos pessoais.

É fato que hoje a cidade e a região não tem hoje um líder politico que tenha a capacidade de mobilização que tinha ACM.

Mas, ele vai surgir. Naturalmente. E enquanto isso, entidades podem assumir o papel de liderar e conduzir o processo. 

Ouço dizerem que melhor do que ter um deputado da cidade ou da região que não seja influente, é ter um deputado de outra região, que seja ético, e influente. Errado!

Se todos pensarem assim, vamos eleger uma bancada minúscula, que não terá peso, nem influencia, para pressionar pelo encaminhamento de assuntos importantes para a cidade.

E vamos ajudar a reforçar politicamente outras cidades e regiões. 

A mostrar que a campanha pelo voto em candidatos da cidade e região é uma necessidade.

Porque pior (mas, muito pior) ficará sem eles!


Amin tem marketeiro

A partir de ontem, o deputado Esperidião Amin tem um especialista em marketing eleitoral na sua equipe de campanha.

Pode ser um indicativo que ele está efetivamente levando a serio sua candidatura ao governo.


Dia de decisão

Gelson Merisio (PSD), Esperidião Amin (PP) e João Paulo Kleinübing (DEM) passaram o dia de ontem em reuniões em Brasilia. Ainda sobre acordo para aliança e chapa para a eleição.

O dia terminou com Amin e Merisio ainda candidatos ao governo. Mas, ambos querendo aliança.

Hoje pode sair o acordo.


Só amanhã

Um dado para reforçar reforçar a tese de fechamento de acordo durante o dia de hoje - o deputado Gelson Merisio foi procurado para agendar entrevista e disse que só fala amanhã.


Por cima

Esperidião Amin e João Paulo Kleinubing também conversaram ontem em Brasília com os presidentes nacionais dos seus partidos - Ciro Nogueira (PP) e Rodrigo Maia (DEM).

Tiveram garantia de autonomia para fechamento de acordos e chapas, e apoio para a campanha.


Tucano se isola

O PSDB reluta em encaminhar aliança com Esperidião Amin, para apoiar sua candidatura ao governo e indicar o vice.

Sem o PSDB, e sem Merisio de vice, Amin pode desistir da candidatura ao governo, optando pela disputa de vaga ao senado, que tem reais possibilidades de eleição.

No final das contas, só vai restar ao PSDB fechar aliança com o MDB, indicando candidato a vice e senador.

Porque chapa pura é operação de altíssimo risco e aliança com PSD não sai porque Merisio não quer.

Só que aliança com MDB divide o PSDB. O primeiro a abrir baterias contra é o prefeito Clesio Salvaro.


Mantido o rotativo

Tribunal de Justiça decidiu ontem, fim da tarde, que é ilegal a tarifa cobrada do estacionamento rotativo de Ararangua.

À noite, o prefeito em exercício Primo Junior emitiu nota oficial informando que determinou estudo de medidas adequadas para sanar as irregularidades e melhorar o serviço. Mas, como a decisão ainda não transitou em julgado, vai manter a cobrança.


ANEEL chama para acordo

Cooperativa de Forquilhinha (Coopera) e Celesc foram chamadas ontem pela direção da ANEEL (agencia nacional de energia eletrica) para uma reunião no dia 25, em Brasilia, para definir quem vai atender os clientes da região de Quarta Linha, Criciúma.

A reunião foi convocada depois que os vereadores Tita Beloli e Ademir Honorato, e o deputado federal Ronaldo Benedet, protocolaram documentos da comunidade contra a migração de clientes da região da Coopera para a Celesc.

E depois que o presidente da Celesc, Cleverson Sivert, foi dar suas explicações.


Conselheiro

O empresário criciumense Edio Castanhel é o novo integrante do conselho do porto de Imbituba. A sua nomeação já foi publicada no diário oficial.


Preserva mandato

Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu ontem pelo arquivamento do processo de cassação de mandato do deputado federal catarinense João Rodrigues (PSD). 

O relator do processo, deputado Ronaldo Lessa (PDT) defendeu a improcedência da denúncia feita por parlamentares da Rede e, por votação unânime (12 votos favoráveis), o processo foi arquivado.

Isso garante a João o cumprimento o mandato ate o fim do ano. Mas, não libera sua candidatura. Ele continua inelegível.


Festa de Eduardo

No dia do seu aniversario, ontem (completou 69 anos), o governador Eduardo Moreira, recebeu na residência oficial alguns amigos, secretários de estado, políticos e familiares para  comemorar.

Descontraído, Moreira relembrou situações "emblemáticas" que vivenciou percorrendo Santa Catarina, pela sua atividades política, como a porta do avião que abriu durante o vôo, os carros atolados, acidente na BR 101.

Ele foi presenteado com um vídeo com depoimentos e imagens que marcaram sua carreira.


Corrigindo

Secretaria de ação social do estado, Romanna Remor, esteve ontem com o prefeito de Morro da Fumaça , Noi Coral. Tratou da construção do CRAS no município, que está parada. 

Acontece que a empresa que ganhou a licitação não cumpriu com os prazos acordados para a obra.

Romanna explicou que os contratos serão rescindidos para que outra empresa possa dar continuidade ao trabalho.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/07/2018 - 06:16Atualizado em 11/07/2018 - 09:56

A deputada federal Geovania de Sá, PSDB, repetiu ontem à noite, em Brasilia, aos senadores Dalirio Beber e Paulo Bauer, PSDB, que não quer ser candidata a vice-governadora.

Está em campanha para reeleição e quer seguir com este projeto.

A propósito, Geovania ampliou bem a sua base, estatualizou a atuação parlamentar e passou a ser a única candidata à câmara federal pela sua igreja. Tem condições fazer a maior votação do partido no estado entre todos os candidatos a deputado federal.

Mesmo assim, Geovania deixa uma "porta aberta” para a candidatura a vice- “o único que pode me convencer a fazer mudança de planos é o prefeito Salvaro, só se isso partir dele”.

Informado a respeito, Clesio Salvaro comentou - “em chapa pura do PSDB, ela (Geovania) é o melhor nome para vice”. Mas, completou - "antes disso, o partido tem que esgotar todas as possibilidades de composição”.

Na segunda-feira o PSDB terá reunião da executora estadual para ratar do assunto.

A proposta de chapa pura, segundo a deputada, cresceu no PSDB catarinense nos últimos dias. Principalmente pela perspectiva de quatro ou cinco candidatos.

Mas, ao mesmo tempo, avalia que a aliança com o MDB, improvável até pouco tempo, parece hoje “mais próxima”.

Num eventual acordo com o MDB, o PSDB teria duas vagas na chapa majoritária. Provavelmente para Napoleão Bernardes e Paulo Bauer.

Mesmo que a deputada não trate como provável, ainda é possível um acordo com o PP,  no caso de Esperidião Amin sair candidato a governador em o PSD de Gelson Merisio.

Amin tem conversas diárias com Paulo Bauer em Brasilia sobre o assunto.

Bauer confidenciou para poéticos tucanos do sul no fim de semana que a aliança com Amin é uma “possibilidade real”. Mais fácil do que chapa pura.


Finaleira

Prefeito Salvaro calcula que a reunião de segunda-feira vai definir posição sobre as conversações em curso.

Pela sua vontade, o partido fechará aliança com Esperidião Amin e o PP.


Merisio com Amin e João Paulo

O deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, vai hoje a Brasilia para mais uma reunião com os deputados Esperidião Amin, PP, e João Paulo Kleinübing, presidente estadual do DEM.

Vão tentar o entendimento para fechamento de aliança e composição de chapa majoritária.

Por enquanto, os três são candidatos ao governo. E, numa aliança, estarão na chapa. O “quarto elemento” será o ex-governador Raimundo Colombo, PSD.


O prazo

Em sete dias, hoje será a quinta vez que Amin e Merisio vão se reunir para, a rigor, tratar da mesma pauta.

Na reunião que tiveram no domingo, em Florianópolis, junto com outros poéticos de PP, PSD, DEM e PSB, chegaram a “apalavrar” um prazo até quinta-feira (amanhã) para resolver o assunto.


Opções do sul

Desde o início das articulações, o sul do estado já teve várias possibilidades de ter representante da disputa majoritária do estado.

A principal, com o governador Eduardo Moreira, MDB, que seria candidato a reeleição.

Mas, também foram citados como possíveis candidatos a vice, Jorge Boeira - PP, Julio Garcia - PSD e Geovania de Sá - PSDB. Só Geovania continua no “radar”.


O time do governo

Eduardo Moreira reuniu segunda-feira à noite, na casa da agronômica, em Florianópolis, todos os “cargos de confiança” do governo com o candidato a governador Mauro Mariani, MDB.

Foi mais um movimento de Eduardo a favor da candidatura de Mariani.

Amanhã, os prefeitos do MDB da região devem definir a data para um encontro que Eduardo pretende comandar no sul do estado com Mariani.


Não sai

Deputado Manoel Mota, MDB, ontem à noite, sobre a especulação sobre retirada de sua candidatura a reeleição - "inventaram isso, não tem fundamento, me causaram um prejuízo politico muito grande”.


Maurique ouve Favreto

O juiz federal Jorge Maurique, desembargador do Tribunal Regional Federal, residente em Criciúma, estava na sessão do Tribunal, nesta semana, em que os desembargadores Rogerio Favreto e Gebran Neto nem se olharam. Ainda reflexo da confusão jurídica a partir da ordem de soltura para Lula.

Favreto reclamou para Maurique que o ator Alexandre Frota divulgou o numero do seu telefone nas redes sociais e passou a receber várias ameaças de morte.

A cerimonia que reuniu todos os desembargadores do Tribunal foi a posse do novo integrante da corte, o juiz federal Osni Cardoso Filho, que trabalhou em Criciúma de 1993 a 1996, respondendo pela segunda vara da justiça federal.


Vítima de estupro

Deputada criciumense Ada de Luca, MDB, protocolou ontem na Assembleia projeto de lei para instituir o programa de atenção e proteção às vitimas de estupro.

Ela diz que o projeto é reflexo dos assustadores índices  de estupro no estado.

De janeiro a abril de 2017 foram 930 casos de estupro consumado e 179 tentativas. 

Em 2018, no mesmo período, foram 1.116 casos de estupro consumado e 210 tentativas.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/07/2018 - 06:18Atualizado em 10/07/2018 - 09:27

Depois da desistência de Eduardo Moreira, MDB, o deputado federal João Paulo Kleinübing, presidente estadual do DEM, passou a ser a alternativa "mais próxima” de o sul catarinense estar representado numa chapa majoritária para a eleição de outubro.

João Paulo não é nascido no sul, nem tem sua base eleitoral na região, mas sua esposa, Patricia, é de Criciuma.

Ele é genro do ex-vereador Woimer Loch e cunhado do empresário Rodolfo Loch. Por causa deste vínculo, está com frequência na cidade.

Na próxima semana, inclusive, deve ficar aqui alguns dias do recesso parlamentar e das férias escolares das filhas. 

Kleinübng foi o “fato novo" na reunião de domingo, no escritório de Esperidião Amin, em Florianópolis, com os comandantes de PP, PSD e PSB para discussão sobre aliança.

Além dele, estavam Gelson Merisio e Raimundo Colombo - PSD, Esperidião Amin e Silvio Dreveck - PP, e Paulo Bornhausen - PSB. 

A reunião não foi conclusiva. Não foi definida uma chapa. Mas, ficou encaminhado que o entendimento passa por uma chapa com Gelson Merisio, Esperidião Amin, Raimundo Colombo e João Paulo. Falta definir as posições de cada um.

Kleinübing tem ligação pessoal e política com Esperidião Amin, que pode “apadrinhá-lo” para uma vaga na chapa. Seja como candidato a vice-governador ou ao senado.

Na possibilidade de Esperidião desistir da disputa ao governo, a indicação de Kleinübing como vice de Gelson Merisio pode ser a “ponte" para o acordo.

Se Amin for candidato ao governo e Merisio o vice, João Paulo deve disputar o senado. 

Outra - se Amin sair candidato ao governo sem PSD e PSB, ele pode ser o vice.

No outro lado, o MDB também conta com Kleinübing.

Mauro Mariani acredita que pode atraí-lo no caso de Amin não sair candidato ao governo.

Na chapa do MDB, seria candidato a vice ou senado. 


Amin só com PSDB

Na reunião com PSD, PSB e DEM, Esperidião Amin estabeleceu um prazo até sexta-feira para finalizar negociações.

Deve até lá tentar assegurar apoio do PSDB. Seja para uma aliança PP-PSDB-DEM, ou mais ampla, adicionando mais PSD e PSB.

Sem apoio do PSDB, Amin deve fazer mudança de rota e se encaminhar para candidatura ao senado.


O caminho dos tucanos

Se Amin confirmar candidatura ao senado, o PSDB deve fechar com MDB ou se aventurar com chapa pura.

Os políticos do PSDB (na ampla maioria) não querem aliança com Merisio, e Merisio não quer compor com PSDB.


Carta branca

O deputado federal Mauro Mariani ganhou “carta branca” dos membros da direção estadual do MDB para negociar aliança com outros partidos, com liberdade para oferecer as duas vagas ao senado e a de vice-governador.

So teve um voto contra - do ex-governador Paulo Afonso, que pretende ser candidato ao senado.

Com o respaldo do partido, Mariani vai agora avançar nas conversações com DEM e PSDB.

Ja tem o apoio de seis pequenos partidos.


Já sabia

Eduardo Moreira já teria antecipado a alguns médicos de Criciuma, da sua relação pessoal, que não seria candidato a governador.

Revelação teria sido feita durante almoço oferecido os médicos, na Casa da Agronômica, praticamente um mês antes do anúncio da desistência.


O que vai, volta

Mauro Mariani, durante discurso em Chapecó, disparado em Merisio - “Eles estavam no governo até poucos dias atrás e agora posam de oposição. Mas quem estava na Secretaria da Fazenda nos últimos anos não era o meu cunhado”.


Cardeal no comando

Menos de uma semana depois de migrar do MDB, o empresário Joelson Cardoso, o Cardeal, assumiu ontem a presidência do PDT de Içara.

Cardeal era um dos tradicionais do MDB, membro da executiva, e cotado para candidato a prefeito.

Ele vai compor a executiva do PDT com Edileana Rosso e Walmor Pacheco, o Borracha.

Jorge Foles também saiu do MDB e está se filiando no PDT.

Os quatro vão participar da coordenação da campanha a reeleição do deputado Rodrigo Minotto, PDT.


Mais cargos criados

Lei que cria mais cargos na estrutura da prefeitura de Forquilhinha foi aprovado ontem pela câmara de vereadores.

Projeto cria vagas para cargos de eletricista, analista de RH, técnico em contabilidade e técnico em informática. Foi aprovado por 5 votos a 4.

Após votar contra em 2017, o vereador Célio Elias (PT) mudou o voto e foi a favor. Com isso, votação empatou 4 x 4. Coube ao presidente da câmara, vereador Maciel Da Soler (MDB) o voto de desempate - pela aprovação do projeto que criou mais cargos.

Foi rejeitada uma emenda da comissão de finanças que mantinha somente o cargo de eletricista com base na NR10 que exige o trabalho em dupla. Célio foi contra a emenda.


Alvará do Case

Prefeito Clesio Salvaro vai conversar hoje com o secretário de justiça do estado, Leandro Lima, sobre as medidas compensatórias prometidas para moradores vizinhos do CASE.

Quer pelo menos um compromisso do secretário sobre as obras listadas.

Só assim, para liberar o alvará para operação do CASE. Que está concluído, só esperado por isso para ser inaugurado.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 09/07/2018 - 05:57Atualizado em 09/07/2018 - 11:40

Foi inconclusiva a reunião de PSD, PP, PSB e DEM sobre aliança e montagem de chapa, realizada ontem, no escritório do deputado Esperidião Amin, em Florianópolis. 

Duas candidaturas ao governo continuam postas. Gelson Merisio, PSD, e Esperidião Amin, PP.

Participaram da reunião, Gelson Merisio e Raimundo Colombo - PSD, Esperidião Amin e Silvio Dreveck - PP, João Paulo Kleinubing - DEM e Paulo Bornhausen - PSB.

Merisio teria sido mais enfático sobre não recuar da candidatura.

Esperidião também manteve sua condição de candidato, mas enfatizou a importância da aliança ampla com reais possibilidades de sucesso eleitoral.

Foi a primeira reunião com os quatro partidos e com característica de “finalmente”.

Mas, vão continuar conversando pelo menos mais uma semana

Em principio, as datas para as convenções de PSD e PP estão em aberto.

No dia 21, quando seria a convenção do PSD, deve acontecer a convenção conjunta de pequenos partidos que estão fechados com Merisio, como PSB e Solidariedade. 

A convenção devem confirmar apoio à Merisio.

O deputado Silvio Dreveck, presidente estadual do PP, disse ontem à noite, que o PP reafirma decisão da sua convenção, realizada em agosto de 2017, de aliança com o PSD. Mas, vai continuar discutindo a composição da chapa.

Ele acredita que isso estará sacramentado até o fim de semana.

Mesmo que nada tenha sido encaminhado de maneira objetiva, é possível especular duas possibilidades para a chapa com PSD, PP, DEM e PSB.

A primeira - Merisio para governador, João Paulo Kleinubing de vice, Esperidião e Colombo ao senado.

A segunda - Amin para governador, Merisio de vice, Colombo e João Paulo para o senado.


O rumo dos tucanos

Se o acordo for efetivamente fechado entre PP-PSD-PSB-DEM, restarão ao PSDB dois caminhos. Chapa pura ou acordo com o MDB.

O PSDB tem repetido que para fazer aliança quer duas vagas na chapa majoritária. Por enquanto, só o MDB atende tal exigência.

Mas, um acordo com o MDB sofre resistências internas. 

O prefeito Clesio Salvaro, maior líder do PSDB no sul, é um dos primeiros a reagir.


Ao telefone

Esperidião Amin teve longa conversa por telefone no fim de semana com o prefeito de Criciúma, Clesio Salvaro. Pauta única - eleição de outubro.

Amin conversou também com o deputado federal do PSDB Vicente Caropreso.

Se conseguir o apoio do PSDB, candidatura de Amin pode se tornar irreversível.


Na estrada

Os candidatos do PSDB ao governo e senado, Paulo Bauer e Napoleão Bernardes, continuam cumprindo agenda de campanha.

No fim de semana, fizeram reuniões em Rio o Sul, Piratuba, Concordia, Joacaba, Videira e Herval do Oeste (foto).


As chapas

A rigor, a semana começa com quatro candidaturas postas - Gelson Merisio ou Amin - PP-PSD, Mauro Mariani - MDB, Decio Lima - PT e Paulo Bauer - PSDB.


Dona Vita

Dona Vita Barato ficou muito conhecida pelos seus dotes na cozinha e as ações sociais que apoiava.

Além disso, cumpriu bem a condição de “matriarca líder” da família Barato, depois do falecimento do seu marido, o empresário Fidelis Barato.

Era uma pessoa doce, fina, atenciosa, e muito presente em todos os movimentos da familia. Tanto os politicos, quanto os empresariais.

Idalina Silvestre Barato, a Dona Vita, faleceu aos 89 anos, foi sepultada ontem à tarde.


No vestibular

O deputado federal Jorge Boeira, PP, fez questão de acompanhar pessoalmente a chegada dos candidatos ao primeiro vestibular para o curso de medicina no campus da UFSC em Araranguá.

Boeira tratou a implantação do curso como uma das prioridades do seu mandato.

O assunto é tratado pelo deputado como uma “grande obra” para a região.

O vestibular de medicina na UFSC campus Araranguá ofertou 60 vagas e contou com 9.128 inscritos.


Na campanha

O vice-prefeito Ricardo Fabris, PSD, “colou" no deputado Ricardo Guidi e no ex-deputado Julio Garcia, candidatos a deputado federal e estadual. 

Ele define as agendas dos dois em Criciúma e coordena as duas campanhas.

No fim de semana, depois da agenda de reuniões, participaram da festa de aniversario do Nelo, na Linha Batista.


Embaixadora

A professora Regina Vanderlinde, natural de Braço do Norte, eleita presidente da Organização Internacional do Vinho, durante assembléia em Paris, diz que pretende ser a “embaixadora do vinho brasileiro”.

Ela é formada pela UFSC em farmácia bioquímica e tecnologia de alimentos, e doutora em enologia pela Universidade de Bordeaux, na França.

Moradora de Caxias do Sul faz 20 anos, e professora da universidade da cidade, a UCS.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/07/2018 - 19:47Atualizado em 08/07/2018 - 20:02

O primeiro domingo pós-Copa para o Brasil foi agitado. A politica voltou ao foco. Uma decisão que mandava colocar o ex-presidente Lula em liberdade provocou a maior confusão. Juizes e desembargadores em férias tiveram que voltar ao trabalho. Desembargador foi desautorizado pelo superior (o presidente do Tribunal).

Capitulo final - Lula vai continuar preso.

Após uma série de decisões conflitantes neste domingo, o presidente Tribunal Regional Federal da 4ª Região, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, determinou que o ex-presidente Lula permaneça preso. O petista está na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 7 de abril

A decisão foi emitida na noite de ontem (domingo), após decisões contraditórias dos desembargadores do Tribunal Rogério Favreto, que determinou a libertação de Lula, e João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato na Corte, que determinou que determinou a manutenção da prisão.

Thompson Flores afirma em sua decisão que deve ser preservada a decisão de Gebran Neto.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/07/2018 - 14:48Atualizado em 08/07/2018 - 14:53

Não se sustentou a decisão do desembargador de plantão do Tribunal Regional Federal que mandou soltar Lula.

Poucas horas depois da decisão do desembrgador Rogerio Fraveto, que mandou Lula, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal, revogou a decisão.

Trecho da decisão de Gebran:

“A decisão proferida em caráter de plantão poderia ser revista por mim, juiz natural para este processo, em qualquer momento, determino que a autoridade coatora e a Polícia Federal do Paraná se abstenham de praticar qualquer ato que modifique a decisão colegiada da 8ª Turma. Considerando a reiteração de pedidos de tal espécie em feitos já examinados por todas as instâncias recursais, o que afastaria, por si só o exame do caso em plantão, avoco os autos e determino o imediato retorno ao meu gabinete onde seguirá regular tramitação”.

O desembargador Rogério Favreto havia decidido conceder liberdade ao ex-presidente Lula, preso desde 7 de abril deste ano em Curitiba. 

O despacho determinava a suspensão da execução provisória da pena e a liberdade de Lula. 

Trecho da sua decisão:

"Cumpra-se em regime de URGÊNCIA nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente", diz trecho da decisão.

O desembargador havia acatado habeas corpus apresentado na sexta-feira pelos deputados federais Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, todos do PT.

Os deputados já estavam na sede da Policia Federal em Curitiba aguardando o cumprimento da decisão. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/07/2018 - 12:33Atualizado em 08/07/2018 - 13:06

Decisão divulgada neste domingo - Tribunal Regional Federal aceita recurso da defesa de Lula e manda libertar o ex-presidente.

O desembargador Rogério Favreto do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, decidiu conceder liberdade ao ex-presidente Lula, preso desde 7 de abril deste ano em Curitiba. 

O despacho determina a suspensão da execução provisória da pena e a liberdade de Lula. 

"Cumpra-se em regime de URGÊNCIA nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente", diz trecho da decisão.

O desembargador acattou habeas corpus apresentado na sexta-feira pelos deputados federais Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, todos do PT.

Os deputados estão agora na sede da Policia Federal em Curitiba aguardando o cumprimento da decisão. 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 07/07/2018 - 08:49Atualizado em 07/07/2018 - 09:42

Sem Copa para o Brasil, as atenções se voltam para o processo político. É pé no acelerador nas conversações, negociações, articulações, para fechamento de alianças e montagem de chapas.

O prazo legal para as convenções definitivas passará a ser contado a partir do dia 20.

Esperidião Amin, PP, “peça chave” para montagem do quadro da eleição, quer definir o seu caminho na próxima semana.

A partir dele, as coisas se acomodam. Por eliminação, exclusão, adequação, ou por conveniência.

Esperidião estava nesta sexta-feira no norte do estado, junto com o presidente estadual do PP, Silvio Dreveck. Assistiram juntos o jogo do Brasil em Canoinhas.

Vão se reunir com Gelson Merisio, PSD, durante o fim de semana.

A intenção é convencer Merisio que Amin tem maior densidade eleitoral, pode “juntar" mais num eventual segundo turno, e tem condições de fazer aliança mais ampla no primeiro turno.

Mas, sabem que Merisio resiste. Porque ele também entende que pode fechar aliança ampla no primeiro turno (ja tem praticamente 10 partidos fechados), que pode crescer durante a campanha porque é “novidade" e polariza com o MDB.

Enfim, não será fácil de um convencer o outro. As posições estão muito firmes. Mas, os dois lados sabem que uma aliança consolida perspectiva real de vitória.

Três desfechos possíveis. 

O primeiro - Amin abre mão da candidatura ao governo, vai para o senado, Merisio é confirmado candidato com o apoio do PP.

Neste caso, o PSDB deve ter candidato, talvez com chapa pura, ou compor com o MDB (já esteve mais próximo).

O segundo - Merisio abre mão, passa a ser vice de Amin.

Pode ser fechada uma aliança maior, com a inclusão do PSDB. Hoje, a rigor, só Amin pode fazer isso, já que Merisio “descartou" composição com o PSDB.

Se isso for feito, consolida uma composição com reais possibilidade de vitoria.

O terceiro desfecho - Merisio confirma candidatura, Amin também.

Neste caso, o PSDB pode compor com Amin, passando a apoiar a sua candidatura, indicar vice e senador de sua chapa.

Ou, o PSDB também pode confirmar chapa, e aí teríamos uma eleição aberta, quebrando provavelmente a bipolarização.

 

Os vínculos

Os deputados estaduais do PP acendem velas para todos os santos para que se entendam Amin e Merisio, PP e PSD, que a aliança seja confirmada, e que os dois estejam na chapa.

Se dependesse apenas deles, encaminharam pela candidatura de Merisio ao governo, com Amin para o senado.

Porque se relacionam com Merisio na Assembléia faz muito tempo, operam juntos, repassam e recebem apoios. 

Eles já estavam fechadíssimos com Merisio quando Amin se lançou.

Agora, estão com os pés em duas canoas.

Sabem que Amin é forte e querem estar com ele. Mas, tem compromisso e relação próxima com Merisio.

 

No outro lado

Mauro Mariani, MDB, tem operado politicamente ao melhor estilo “mineiro”. Sem fazer barulho. Discreto. Sem deixar nada vazar.

Mas, conversa com quase todo mudo. Menos PP e PSD.

Com o PSDB, mantêm conversas permanentes. Tem acordo encaminhado com  Jorginho Mello, PR, provável candidato ao senado.

Na segunda-feira, durante reunião da executiva estadual do MDB, vai pedir autorização formal para negociar alianças.

 

Vice do sul

O PT deve ser o primeiro a fechar sua chapa. Provavelmente, toda petista.

O ex-prefeito de Araranguá, Sandro Maciel, está cotado para ser candidato a vice.

Os dirigentes estão “empolgados" com os números do candidato ao governo, Decio Lima, nas pesquisas.

Apostam que ele pode “surpreender" ou seu apoio pode decidir o segundo turno.

 

O fato novo

Uma novidade foi “ensaiada" durante a semana. Uma composição entre Rede e PC do B.

Rogerio Portanova, Rede, e o deputado Cesar Valduga, Pc do B, se reuniram. Falaram em compor chapa. Mas, nada ficou definido. E nada descartado.

 

Eleita 

A professora Regina Vanderlinde, de Braço do Norte, foi eleita nesta sexta feira, em Paris, presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho.

Ela é professor de biotecnologia da Universidade de Caxias do Sul.

A Organização é quem define os padrões internacionais para a produção de vinhos e derivados da uva.

Regina é formada em farmácia, bioquímica e tecnologia de alimentos pela UFSC. Tem mestrado e doutorado pela Universidade de Bordeaux, na França, e trabalha na Organização Internacional da Vinha e do Vinho desde 2011.

 

É preciso discutir

A polêmica do bairro Pio Correia, principal assunto da semana, deixa a dica - é preciso estar preparado para discutir, convencer, contraditar, ser questionado. Todos.

Sejam técnicos e autoridades do poder público, ou representantes da comunidade. Ou, apenas pagadores de impostos. Com espirito desarmado.

Quem está seguro das suas posições, e opiniões, por que não discutir?

E quem tem duvida, está intrigado, preocupado, por que não tem o direito de discutir, e questionar?

Evidente que tudo deve ser feito com respeito.

Mas, na discussão feita no Pio Correia antes, durante e depois da assembléia, não teve ofensa, ou agressão a quem quer seja.

O que teve foi a reação de quem foi pego de surpresa com algo que poderia alterar radicalmente o ambiente em que vive. Ninguém aceita isso com facilidade. Passivamente. Nem deve.

A reação no Pio Correia foi mais ou menos com na Vila Selinger, quando foi anunciada uma estação de tratamento de esgoto seria construída lá.

E isso poderia representar o mal cheio, a “catinga”, que vinha atormentado os moradores da Santa Luzia.

E o prefeito Salvaro se posicionou a favor dos moradores. Entendendo que o governo do estado deveria ouvi-los, dar explicações e esclarecer, até ajustar a sintonia.

Por que não pode fazer o mesmo com o Pio Correia?

E por que agora decidir não fazer mais nada no Pio Correia? Nem o que já estava encaminhado!

Punição, ou represália, para quem pedia explicações? Por que não foi cordato?

Hoje o Pio Correia tem congestionamentos em vários horários durante a semana por causa da circulação de 2 mil alunos dos dois colégios (um privado, outro público).

Nada foi dito que o problema será resolvido. O receio é que fique pior. 

Também por isso os moradores se mobilizaram. E não foi coisa de meia dúzia. Tinha muita gente.

  

Duas "vias rápidas"

A perda de receita da região de Criciúma do ano 2000 para cá, apurada por técnicos da Amrec, daria para construir duas Vias Rápidas e praticamente refazer a rodovia Jorge Lacerda.

Só em 2017 foram r$ 30 milhões. Foi o pior período. Mas, se considerar uma perda media/ano de r$ 15 milhões dá um total de r$ 255 milhões. 

Esses números devem ficar martelando na cabeça dos gestores e formadores de opinião de Criciúma, cidade polo do sul.

Porque reverter este quadro é uma necessidade.

Os mais simplistas argumentam que Itajaí foi o município que mais cresceu na receita/arrecadação por causa do porto. O oeste do estado, por causa do agronegócio. E é isso mesmo.

O problema é que a região não tem hoje um “segmento puxador” da economia. Como foi o carvão em outros tempos, ou a cerâmica.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 06/07/2018 - 06:00Atualizado em 06/07/2018 - 10:18

Os novos números apurados sobre o desempenho econômico da região, números oficiais, reforçam a situação delicada, pela queda abrupta de receita.

A pedido de prefeitos da região, a equipe técnica da AMREC fez um comparativo dos números de hoje, referência 2017, com os dados relativos ao ano 2000.

Principal resultado - a AMREC r$ 31,4 milhões de receita perdida.

No rateio do ICMS, a região tinha retorno de 5,84% em 2000 e caiu para 5,11% (ultimo índice apurado).

A projeção dos técnicos para 2018 é de uma perda ainda maior, porque os índices estão piores.

Os números são negativos em todo o sul. 

AMESC e AMUREL também tiveram perdas expressivas.

Na AMESC, r$ 11,7 milhões. Na AMUREL, r$ 18 milhões. No total, em todo o sul, a perda chega a r% 61,4 milhões.

Mas, só a AMREC representa praticamente a metade.

De súbito, alguém pode atribuir os números negativos a crise nacional. Onde todos perderam.

Mas, os dados derrubam tal raciocínio. Porque outras regiões do estado cresceram no período.

Região de Joinville teve ganho de r$ 3,9 milhes no período.

Região de Chapecó teve mais de r$ 40 milhões de ganho de receita. 

Região de Itajaí explodiu - mais de r$ 200 milhões de ganho de receita.

É fato que o crescimento de Itajaí está diretamente ligado ao porto. No oeste, ao agronegócio. São os chamados "puxadores da economia”.

Que foram ativados, incrementados ou atraídos.

É o que o sul precisa para refazer o caminho do crescimento.

A região teve seus problemas de logística praticamente todos resolvidos. Eram os motivos usados até pouco tempo para os números em queda.

Agora, tem que ter receita nova, novos negócios, industrias fortes.

A ultima grande industria que se instalou em Criciuma foi a cerâmica Elizabeth, que iniciou operação em agosto de 2009. Faz 9 anos.

 

Sem alvará para Case

Prefeito Clesio Salvaro não vai liberar alvará de funcionamento para o CASE, que foi construído pelo governo do estado na região de Morro Albino e Espigão da Pedra.

Decisão foi comunicada a uma comissão de moradores (foto).

O problema é que o governo do estado prometeu uma serie de ações e obras na região como medidas compensatórias para liberação da obra, e até agora o compromisso não foi cumprido.

O prefeito ligou durante a reunião para o secretário de justiça do estado, Leandro Lima, para cobrar o cumprimento do acordo.

O CASE está pronto e o governo do estado quer inaugurar. Mas, sem alvará, não pode inaugurar.

A vereadora Geovana Zanette, PSDB, acompanhou os moradores.

 

Azedou

Não houve até agora nenhum conflito público grave, com quebra de pratos. Mas, os últimos fatos deixam evidente que azedou (de novo) a relação entre o prefeito Clesio Salvaro, PSDB, e o governador Eduardo Moreira, MDB.

A decisão de não liberar o alvará para o CASE é o mais recente.

No dia anterior, o governo do estado confirmou a liberação do recurso para construção do centro de inovação, mas desistiu de fazer convênio com a prefeitura para isso. Obra será feita pela secretaria regional.

E também não saiu mais a “estadualização" do hospital Santa Catarina, que já havia acertada. Entre outros casos.

 

Azedou 2

A única faísca publica entre Eduardo e Clesio foi no dia 22 de junho, quando teve cerimonia na prefeitura, para assinatura de atos que garantiram repasse de r$ 71 milhões do governo do estado para obras em Criciúma.

No seu discurso, o prefeito falou de obras do estado que estão paradas na cidade e outros pleitos.

O governador retrucou - “deveria pelo menos agradecer, ou destacar o que está sendo entregue hoje, e depois vamos tratar do restante”.

 

Pio Correa é assunto encerrado

O prefeito Clesio Salvaro chamou ontem a secretaria Katia Smielevski, de infraestrutura, e comunicou - “não se fala mais sobre mudanças no transito no bairro Pio Correa, nem abertura de ruas, tira assunto da tua agenda”.

O prefeito determinou, inclusive, que seja devolvido o terreno adquirido para obras que estavam projetadas.

Ele não gostou da forma como a audiência pública tratou do assunto.

 

Cardeal no PDT

Três perguntas para o empresário Joelson Cardoso, o Cardeal, liderança importante no MDB de Içara, que saiu do partido e migrou para o PDT.  

1- Por que trocou de partido?

Cardeal - Decepção. Minha família é tradicional, é dos históricos do MDB. Eu estava filiado desde 1992 e fazia parte da executiva. Mas, não deu mais.

2- Será candidato a prefeito em 2020?

Cardeal - Quanto a isso, será um projeto do PDT.

3- Gentil da Luz, ex—prefeito, é seu amigo pessoal. Ele sabia da sua decisão de sair?

Cardeal - Acho que ele não sabia.

 

Aquecimento

PSD de Criciúma fez ontem primeira reunião do novo diretório, agora sob a presidência do vice-prefeito Ricardo Fabris.

Foram discutidas estratégias para incremento nas campanhas de Julio Garcia a deputado estadual, e Ricardo Guidi deputado federal.

 

Veto à isenção

Governador Eduardo Moreira vetou o projeto de lei aprovado na Assembléia, iniciativa do deputado José Milton Scheffer, que isentaria microempreendedores individuais de taxas de serviços gerais e de prevenção contra sinistros.

O veto foi publicado no Diário Oficial.

 

Pára com isso!

O deputado Mauro Mariani deve ter telefonado para sua sogra, Simone Schramm, secretaria de educação do estado, e feito um apelo para rever decisão sobre cancelamento de matrículas nos Cedups.

Se não fez, poderia ter feito.

Porque ele pagaria (ou pagará) caro por isso na campanha para o governo.

De qualquer forma, ontem a secretária voltou atrás e cancelou o que havia decidido.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 05/07/2018 - 06:11Atualizado em 05/07/2018 - 08:00

O deputado federal Esperidião Amin repetiu ontem para o presidente estadual do PP, deputado estadual Silvio Dreveck, que é candidato a governador. Mas, defendeu que sejam concluídas as negociações com os partidos aliados.

Os dois se reuniram em Brasilia e definiram os encaminhamentos para definição do PP sobre candidatura ao governo.

Amanhã ou sábado (vai depender do retorno de Esperidião de Brasilia), o PP vai reunir em Florianópolis os membros da executiva estadual, deputados e prefeitos. 

Pauta da reunião - estabelecimento das bases para o entendimento.

Depois disso, os partidos com quem o PP vem discutindo aliança serão procurados para o fechamento das conversações. O primeiro será o PSD, do deputado Gelson Merisio, que também é candidato ao governo.

Dreveck e Amin voltaram a falar ontem no dia 10 de julho (terça-feira) como “prazo ideal” para o assunto estar resolvido.

Admitiram, no entanto,  que pode ficar para 15 de julho (dia da final da Copa). Mas, não além disso.

O entendimento de Amin é que as indefinições não devem se estender além da Copa. E acrescentou - “nós só devemos fazer as convenções depois de concluídas as negociações”.

Amin também esteve com o ex-governador Raimundo Colombo para falar dos encaminhamentos para eleição, aliança e montagem de chapa. De novo, falaram em 10 de julho, ou até a final da Copa.

Na prática, a decisão de Amin vai encaminhar a definição do quadro para a eleição no estado.

PSDB, PSD, DEM e até o MDB (adversário histórico) aguardam o rumo que será tomado no PP para definir os passos seguintes.

A movimentação dos partidos no estado está sendo monitorada pelos dirigentes nacionais. Que podem interferir na tomada de decisão.

 

Usando o BATNA

Na universidade, quem estuda sobre negociação está acostumado com o “BATNA”. Sigla de Best Alternative To a Negotiated Agreement. Traduzindo, a melhor alternativa a um acordo.

Trata-se de um conceito desenvolvido por dois grandes negociadores, William Ury e Roger Fisher.

Em resumo, BATNA é a melhor saída caso haja um impasse na negociação. Ou, a melhor alternativa caso o acordo não dê certo.

Na UFSC, Esperidião foi professor de empreendimentos e modelos de negociação (hoje está aposentado). Usou muito as técnicas do BATNA no trabalho com os alunos.

Hoje ele já está aposentado como professor. Mas, ultimamente tem recorrido às suas anotações do BATNA.

 

O compromisso

A operação do acordo PP - PSD e definição do candidato a governador é mais complicada pelo que foi assumido antes.

O comando do PP, que inclui deputados estaduais e alguns prefeitos, já havia assumido (desde 2016) compromisso com a candidatura de Merisio ao governo. Em 2017, foi tornado público.

Só depois de ter o PP foi que Merisio colocou o “bloco na rua” como candidato.

Com o apoio do PP assegurado, ele até descartou o PSDB.

Chegou a “escalar" a chapa, com Ninfo Köenig, PSB, como candidato a vice, Esperidião e Raimundo Colombo ao senado.

Acontece que nem Merisio, nem o PP, não contavam com a disposição de Amin de disputar o governo.

E agora, recuar não é operação simples.

 

MDB dá duas vagas

O deputado federal Mauro Mariani, candidato a governador do MDB, está colocando a disposição dos partidos para fechamento de aliança as duas vagas de candidatura ao senado e a de vice-governador.

Sonho de consumo do MDB é que o PSDB indique um candidato ao senado e o vice. Paulo Bauer, Napoleão Bernardes e Marcos Vieira são os tucanos citados para as duas posições.

A outra vaga do senado seria reservada para Jorginho Mello, PR.

 

A pedra

O que pode atrapalhar a articulação de Mariani, ou exigir um esforço maior, é que o ex-governador Paulo Afonso, MDB, protocolou ontem no diretório estadual o seu pedido de inscrição como candidato ao senado.

 

Vai sair, de outra forma

Secretário de desenvolvimento econômico sustentável, Adenilso Biasus, esperou a comitiva de Criciúma ontem, no seu gabinete, com o anuncio pronto - “o governador Eduardo Moreira mandou informar que os recursos do centro de inovação estão assegurados, serão liberados amanhã (hoje), mas a obra será feita pela secretaria regional, não mais em convênio com a prefeitura”.

Em principio, a mudança tem a ver com uma questão técnico-legal. Um convênio com a prefeitura teria que se enquadrar a lei eleitoral. Obra feita pelo estado, não.

De qualquer forma, o importante é que os r$ 9,3 milhões para construção do centro de inovação estão assegurados.

A obra deve começar em curto prazo.

A comitiva de Criciuma foi liderada pelo presidente da Acic, Moacir Dagostim, e o presidente do comitê do centro de inovação, Mario Sorato Gaidzinski. Também tinha representantes da Unesc e prefeitura.

 

Fumaça branca

O vereador Julio Kaminski disse que o prefeito Clesio Salvaro foi “elegante" na ligação que lhe fez, logo depois que o TRE negou “justa causa” para ele sair do PSDB.

Os dois marcaram de conversar pessoalmente hoje ou amanhã.

Sobre o que vai fazer, o vereador foi enigmático - “agora eu me recolho e foi avaliar a situação, dentro do partido inclusive, para decidir o futuro”. 

 

Rota das neves

O senado federal derrubou ontem o veto do presidente Michel Temer ao projeto de lei que tratou da federalização da rodovia entre Bom Retiro, Santa Catarina, e Bom Jesus, Rio Grande do Sul, passando por Bom Jardim da Serra, conhecida como Rota das Neves. 

No dia anterior, os deputados federai já derrubado o veto.

Agora, a lei será promulgada pelo Congresso e a Rota será incluída no Sistema Rodoviário Federal.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/07/2018 - 07:51Atualizado em 04/07/2018 - 10:07

O deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, comunicou ao PP que não vai desistir da candidatura ao governo do estado.

Por conseqüência, descarta a possibilidade de ser vice de Esperidião Amin.

A informação foi dada pelo presidente estadual do PP, deputado Silvio Dreveck, ao ex-prefeito Genesio Spillere, ontem, em Balneário Camboriu.

Os dois se encontraram durante a cerimônia antes do encaminhamento à cremação do corpo da mãe da ex-deputada Angela Amin, a professora Petrolina Heinzen.

Genesio emendou - “e agora?”.

Dreveck saiu pela tangente - “agora temos que conversar, e conversar muito”.

Merisio também acompanhou a cerimônia, mas não estava por perto quando Genesio e Dreveck conversaram.

Os dois, Merisio e Dreveck, viajaram juntos, em carro oficial da Assembléia, de Florianópolis até Balneário Camboriu.

Com o comunicado de Merisio, o PP terá que discutir internamente se mantêm a candidatura de Esperidião ao governo.

Políticos aliados de Merisio, do PSD e do PP, tem trabalhado intensamente nos bastidores nas ultimas semanas para conseguir a desistência de Amin. 

Por sua vez, Esperidião teria dito em privado a aliados próximos que é candidatíssimo e que vai à convenção estadual do partido.

Ele estaria disposto a disputar mesmo sem aliança com PSD e PSDB, formando chapa com o DEM, tendo o deputado João Paulo Kleinubing como vice.

Se Merisio for candidato sem o PP, deve confirmar o vereador e empresário Ninfo Koenig, PSB, Joinville, como candidato a vice.

Mas, um observador atento da cena política, testemunha de inúmeros momentos de decisão como esse em tempos passados, chamou a atenção - “politico que admite desistir antes do tempo, já desistiu, e ficou fragilizado; até para desistir tem a hora certa”.


Clesio “chama" Kaminski

O prefeito Clesio Salvaro, PSDB, bateu o telefone para o vereador Julio Kaminski, PSDB, minutos depois de o TRE julgar improcedente o seu pedido de “justa causa” para sair do partido.

Clesio “chamou" Kaminski para conversar, disse que ele deve continuar no partido e acrescentou - “se quiser, poderá ser anidra a deputado estadual ou federal”.


A decisão

No julgamento de ontem, o plenário do TRE, por unanimidade, negou a declaração de “justa causa” para o vereador Julio Kaminski se desfiliar do PSDB.

A rigor, o entendimento do TRE é que o problema de Kaminski é com o prefeito Salvaro, não é com o partido.


Pára tudo

Kaminski esperava decisão positiva do TRE. Projetava troca de partido sem risco de perder o mandato.

Estava com conversações bem adiantadas com o MDB.

Mas, com a decisão do Tribunal, pode ser enquadrado na lei da fidelidade partidária e ter mandato cassado, se fizer a migração.


Duelo

O processo de Kaminski no TRE reuniu os dois principais advogados de Criciúma no direito eleitoral, que estão entre os mais respeitados do estado.

Na defesa de Kaminski, o advogado Pierri Vanderlinde.

Na defesa dos interesses do PSDB, o advogado Alexandre João.


Eduardo reune prefeitos

O governador Eduardo Moreira vai reunir hoje prefeitos e vice-prefeitos do MDB do sul do estado com o deputado Mauro Mariani, candidato do partido ao governo.

Vai defender a candidatura de Mariani e pedir o engajamento de todos.

Dirá que vai participar ativamente da campanha.

Vereadores lideres de bancadas do MDB nas câmaras do sul e deputados da região também participarão.

O encontro vai acontecer na casa da agronômica, residência oficial do governador.

Uma das conclusões deve ser a definição de data para um encontro regional do MDB do sul com Mauro Mariani em Criciúma.


Articulando pressão

O prefeito Clesio Salvaro chamou ontem o presidente da Acic, Moacir Dagostim, e a reitora da Unesc, professora Luciane Cereta, para estimular que sigam hoje mesmo para Florianópolis, a fim de pressionar o governo do estado a assinar até amanhã os atos necessários para implantação de uma vez por todas do centro de inovação em Criciuma.

Alertou - se não assinar até amanhã, vai entrar no período pré-eleitoral, e aí, só em 2019. Com o novo governo.

Também participaram da reunião o presidente do comitê do centro de inovação, Mario Gaidzinski, e a vereadora Geovana Benedet, PSDB.


Not have money

Durante a reunião, Salvaro telefonou para uma autoridade do governo do estado e colocou no “viva voz”. Perguntou porque ainda não foi concluído o processo e a resposta foi objetiva - “não tem dinheiro, não tem como pagar”.


Otimista

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, mostrou-se muito otimista ontem durante entrevista para a radio Som Maior sobre a possibilidade de implantação do projeto “hospital escola” no hospital Santa Catarina.

Mas, o projeto está vinculado à possibilidade de o governo do estado "assumir" o hospital Santa Catarina. Que ainda não está garantida. Vai depender do “caixa" do estado e da relação governo-prefeitura.


Lixo

O governo de Criciúma está decidido a investir na coleta seletiva de lixo.

Vai construir um pavilhão para separação do lixo e estimulas a formação de varias cooperativas.

Mas, antes disso, o prefeito Clesio Salvaro vai hoje a Itajai para ver como o município está tratando do assunto.

Faz 15 dias, uma comissão da prefeitura criciumense ja esteve em Chapecó para buscar informações sobre o assunto.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 03/07/2018 - 07:37Atualizado em 03/07/2018 - 09:08

Se prevalecerem as circunstâncias de hoje, Criciúma não terá mais vice-governador a partir de janeiro. Muito menos governador. Não há hoje nenhuma candidatura posta para nenhuma das funções.

Espaço no executivo do estado, no máximo secretário. Dependendo de quem seja o governador eleito.

Além disso, se nada mudar, a cidade ainda corre o risco (real) de ver reduzida sua representação parlamentar. Pelo excesso de candidaturas.

Hoje, há pelo menos uma dúzia de candidatos a deputado estadual pelos vários partidos. Sem contar, os que não são de outras cidades ou regiões, mas que tem esquemas políticos por aqui e acabam “desviando" uma parte do eleitorado.

Hoje, Criciuma tem quatro deputados estaduais. A região sul tem oito. É uma boa “bancada".

Mas, a disputa dentro dos partidos ficou mais acirrada. Há fortes indicativos para pulverização dos votos, o que inviabilizaria reeleições e eleição de nomes novos.

Não é inteligente “encher” de candidatos. Só vai beneficiar postulantes de outras regiões porque os votos daqui vão somar na legenda.

A partir de janeiro de 2019 é quando a região mais vai precisar de uma bancada de deputados que seja representativa e articulada. Porque vai se constituir na força política efetiva do sul.

Se der “sorte”, e conseguir trabalhar em bloco, pode eleger o presidente da Assembléia. Que poderá fazer o papel que poderia ser o vice-governador. Influenciado direto no núcleo de poder do governo.

As entidades representativas da cidade, as mesmas que ontem fizeram o evento do o prefeito Udo Dohler, que foi uma ótima iniciativa, vão daqui a pouco colocar na rua a campanha pelo voto do sul. Nunca foi tão importante como na eleição deste ano.

Em paralelo, no entanto, devem trabalhar junto aos partidos para que administrem o numero de candidatos.


A sogra

Faleceu ontem, em Indaial, a professora Petronila Marta Schmidt Heinzen, aos 97 anos e lúcida.

Era mãe da ex-deputada Angela Amin, sogra do deputado federal Esperidião Amin e avó do deputado estadual Joao Amin.

Esperidião cancelou toda sua agenda política ate amanhã.

Antes disso, ele passou o fim de semana fazendo conversas com possíveis aliados. Afirmou todo o tempo que é “candidatíssimo" ao governo.


No Paço

Antes da palestra na Acic, o prefeito Udo Dholer, de Joinville, foi recebido pelo prefeito Clesio Salvaro no Paco Municipal.

Clesio mostrou a “nova" prefeitura e os dois trocaram informações sobre a gestão publica.


Com prefeitos

Depois da palestra, Udo teve conversa reservada com os prefeitos do MDB da região, liderados por Murialdo Gastaldon, de Içara.

Os prefeitos queriam ouvi-lo sobre o novo quadro, sem a candidatura de Eduardo Moreira ao governo, e o quanto ele vai se envolver na campanha de Mauro Mariani.


O apoio de Eduardo

O governador Eduardo Moreira passou convocação ontem para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores lideres de bancada do MDB em todo o sul para uma reunião com o deputado Mauro Mariani, candidato do parido ao governo, amanhã, 19h.

O encontro será na casa da agronômica, residência oficial do governador.

Os deputados e candidatos a deputado do partido na região também foram chamados.

É o primeiro movimento efetivo de Eduardo para a campanha de Mariani.

No encontro de amanha, deverá ser definida a data para um grande encontro regional do partido em Criciúma. Provavelmente na segunda quinzena de julho.


Fora de sintonia

Como na edição de ontem a nota saiu com erro de digitação e a palavra “cargos" na primeira linha saiu como “carros”, alterando a interpretação, a nota é republicada hoje com a devida correção:

Muito foi dito na semana passada sobre o projeto aprovado aprovado para criação de 800 cargos no judiciário catarinense.

Mas, é preciso destacar que o projeto foi aprovado por quase todos os deputados estaduais apenas dois dias depois de o secretário da fazenda do estado, Paulo Ely, ter feito detalhado relato no plenário da mesma Assembléia sobre a grave crise financeira do estado, que tem deficit projetado para 2019 de r$ 3 bilhões.

Dos deputados do sul, apenas Rodrigo Minotto votou contra. Todos os outros votaram a favor. Uma irresponsabilidade. Porque não tem dinheiro para isso.

O estado está quebrado. Vai fechar 2018 no vermelho.  E a fonte é a mesma!

Está quebrado pelas contas vinculadas, despesas obrigatórias, contratos da divida publica, a previdência e a folha dos servidores. Tudo com a conivência dos mesmos deputados!

Foi assim que o Rio Grande do Sul chegou no fundo do poço!


Vai ficar pior

Os técnicos da equipe do secretário Paulo Ely, da fazenda, projetam paralisação total das obras do Pacto por Santa Catarina, iniciadas no período de governo de Raimundo Colombo. Por absoluta falta de “caixa”.

Proposta foi levada ao gabinete do governador Eduardo Moreira, que teria dado sinal verde.

Mas não há até agora um comunicado oficial do governo.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/07/2018 - 07:40Atualizado em 02/07/2018 - 14:06

A nova diretoria executiva da Federação das industrias do estado (Fiesc) não terá, de novo, ninguém de Criciuma, a principal referência econômica de todo o sul do estado.

Com isso, fica mantida a “tradição". Em70 anos de Fiesc, nunca foi eleito um presidente de Criciúma.

Quem chegou “mais perto” foi o empresário industrial Edson Gaidzinski, presidente da Eliane, pai do  atual presidente da empresa, Edson Junior.

Ele foi candidato a presidente da Fiesc em 1998, mas não se elegeu principalmente porque lhe faltaram votos do sul.

O novo presidente da Fiesc será o empresário de Joinville Mário Cesar Aguiar, hoje vice-presidente.

A nova diretoria foi eleita na sexta-feira e vai comandar a federação até 2021.

O atual presidente, Glauco Corte, completa seu mandato no dia 10 de agosto.

Criciúma terá o vice-regional sul, Diomicio Vidal, e dois diretores, Ramiro Cardoso e Olvacir Fontana. Mas, ninguém na diretoria executiva (presidente, vice, secretários ou tesoureiros), que tem o comando efetivo da federação.

Em suma, Criciuma sempre ficou no entorno, nunca no núcleo do poder na representação formal do setor produtivo do estado. E vai continuar.

Mais ou menos como na política. Criciúma nunca elegeu um governador. E não tem perspectiva.

Chegou a ter três vice-governadores.

O ultimo deles, Eduardo Moreira, atual governador, que assumiu em fevereiro, depois da renuncia de Raimundo Colombo.

Mas, o seu mandato vai terminar em dezembro e não tem ninguém do sul "mapeado" nem para governador, nem para vice.

A partir de janeiro, então, Criciúma ficará ainda mais “distante" do poder do estado.

Tudo isso reflete a incapacidade de Criciuma de se articular. De se unir.

E pode ajudar a explicar os índices negativos da região.

 

Binário no Pio Correia

Na pauta da semana, destaque para a audiência pública que será realizada pela câmara de vereadores na quarta-feira, dia 4, iniciativa do vereador Zairo Casagrande, PSD.

Em discussão, a anunciada intenção da prefeitura de desviar por dentro do bairro Pio Correia, passando pela frente do colégio Marista, o trafego pesado que sai de Criciuma em direção a Cocal do Sul e Urussanga, a partir da construção de um binário.

Os moradores do Pio Correia e pais de alunos do Marista estão em polvorosa. 

Quando o assunto veio à tona, as autoridades do Paço anunciaram que não tinha nada encaminhado a respeito.

Mas, a proposta está inserida no projeto de transporte e mobilidade urbana, “batizado” de Criciúma em movimento, entregue ao Fonplata (fundo financeiro para o desenvolvimento da bacia do prata), para capitação de US$ 20 milhões.

Projeto foi protocolado assim em maio de 2015 pelo ex-prefeito Marcio Burigo, PP. E está tramitando.

Só não foi levado adiante porque Criciuma não conseguiu ainda cumprir as exigências do Fonplata. Mas, está pautado para 2019.

Projeto prevê até as áreas que terão que ser desapropriadas.

 

Fora de sintonia

Muito foi dito na semana passada sobre o projeto aprovado aprovado para criação de 800 cargos no judiciário catarinense.

Mas, é preciso destacar que o projeto foi aprovado por quase todos os deputados estaduais apenas dois dias depois que o secretário da fazenda do estado ter feito detalhado relato no plenário da mesma Assembléia sobre a grave crise financeira do estado, que tem deficit (negativo) projetado para 2019 de r$ 3 bilhões.

Dos deputados do sul, apenas Rodrigo Minotto votou contra. Todos os outros votaram a favor. Uma irresponsabilidade. Porque não tem dinheiro.

E a fonte é a mesma.

O estado está quebrado. Vai fechar 2018 no vermelho. 

E não é só porque tem funcionários ou comissionados demais. São as contas vinculadas, despesas obrigatórias, contratos da divida publica e a previdência. Além da folha dos servidores.

Foi assim que o Rio Grande do Sul chegou no fundo do poço!

 

Candidata do sul

PR, presidido pelo deputado Jorginho Mello, marcou para o dia 5 de agosto a sua convenção para aprovar alianças e candidaturas. Ultimo dia do prazo legal.

Jorginho será candidato a senador. 

No fim de semana, foram definidas as candidaturas a deputado estadual e federal do PR no estado.

Da região, uma candidato a deputada federal - Susana Silveira, de Forquilhinha.

 

Mérito reconhecido

O empresário Emir Bressan, da Usipe, Içara, recebeu da Fiesc a “ordem do mérito industrial de Santa Catarina”.

Do sul, também recebeu o empresário Gilberto Zanette, da Industria Santa Luzia, Braço do Norte.

 

Conferindo

Deputado federal Jorge Boeira, PP, foi acompanhar com o prefeito Ademir Magagnin obra de pavimentação do acesso a comunidade de Linha Tigre, em Cocal do Sul. Obra está sendo feita com recursos de emenda do deputado no valor de R$ 270 mil.

 

O sucesso em números

Pesquisa do Instituto IPC feita durante a gesta de Nova Veneza mostrou que 70% turistas vieram do sul e sudeste do país, de estados como Minas Gerais, São Paulo, Rio Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, e praticamente todo o estado catarinense.

Apenas 30% dos participantes na festa são moradores de Nova Veneza. 

Não que a cidade não tenha participado, mas pelo numero de pessoas na festa.

A pesquisa está na mesa do prefeito Rogerio Frigo, PSDB, que ficou animado com os daods.

Foram avaliados 15 ítens alem da gastronomia.

Importante - 97% dos turistas disseram que se surpreenderam com a cidade e pretendem voltar. 

A média de satisfação positiva foi mais de 80% e para 88%.

 

Chegando

A rede Líder, do ramo supermercadista, está montando sua estrutura em Criciuma, “vizinho" do Parque das Nações.

Inauguração prevista para os próximos dias.

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/06/2018 - 10:21Atualizado em 30/06/2018 - 10:22

Foi ruim para Criciúma o índice Firjan de desenvolvimento municipal. Muito ruim. Não só porque caiu em relação ao ano anterior, mas porque mostra que a cidade patina e não consegue sair lá de onde está, no meio da fila, entre os pequenos municípios do estado.

O índice Firjan é respeitado nacionalmente. É um estudo técnico pelo sistema Firjan (federação das industrias do Rio de Janeiro) que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os municípios do país (mais de 5 mil) em três áreas de atuação - emprego e renda, educação e saúde.

O índice divulgado nesta sexta-feira tem 2016 como ano base.

Criciúma aparece em vigésimo quarto lugar entre os municípios catarinenses. 

Atrás de Itajaí, Jaraguá do Sul, Sao Jose, Brusque, Rio do sul.

Mas, também depois de municípios pequenos como Xaxim, Maravilha, Pinhalzinho, Indaial.

E atrás de Tubarão e Braço do Norte.

Entre todos os municípios do país, aparece na posição duzentos e cinquenta e oito.

No ano anterior (base 2015), Criciúma estava em décimo novo no estado e na posição centro e noventa no país.

A mostrar que a cidade cresceu desceu a escada no quesito desenvolvimento.

Agregado a isso, na produção de receita, está abaixo da media do estado.

Isso é grave. A cidade está patinando!

Tem um povo trabalhador, criativo, ousado. Empreendedores competentes, arrojados, vencedores. Mas, as outras cidades estão conseguindo crescer e desenvolver mais.

É preciso agregar receita nova.

Passou da hora de Criciúma refazer o seu plano de vôo. Não pode mais fugir disso, evitar o assunto.

É preciso estudar as causas e projetar mudanças. Tem que fazer mudança de rota.

A cidade está cuidando bem das suas questões imediatas, dos problemas do dia, da hora, mas não está pensando/projetando o amanhã.

 

Primeiro passo

As entidades representativas do setor produtivo, lideradas pela ACIC, demonstram preocupação com o realinhamento do projeto de desenvolvimento da cidade quando promovem o evento de segunda-feira, que terá o prefeito e empresário Udo Döhler, de Joinville. Ótima iniciativa.

Mas, não pode ser fato isolado.  

O evento de segunda-feira precisa estar ligada em outras ações. E mais outras. Até identificar o caminho novo. 

Para Criciúma parar de "comer poeira" nos rankings todos sobre receita, produção de renda e desenvolvimento.

 

Recuperado

Ex-prefeito Sandro Maciel, PT, Araranguá, recebeu um elogio de onde não esperava, por causa do índice Firjan.

O ex-prefeito Dau Ghizzo, PP, publicou no facebook: “Sandro, criticado e incompreendido, enfrentou uma das piores crises econômica e financeira, assumiu o município nas posições 98 (no estado) e 792 (no país) no índice Firjan e entregou ao sucessor nas posições 86 e 700. Ou seja, no período que ele governou, Araranguá evoluiu 12 posições”.

 

Protocolar

Esperidião Amin e Eduardo Moreira se encontraram ontem na Fiesc, e sentaram muito perto no espaço dedicado as autoridades (foto).

Mas, não encaminharam nenhuma conversa. Ficaram restritos aos cumprimentos protocolares. Duas ou três palavras apenas.

 

Vai estadualizar o Santa!

Na inauguração da UPA, mais um sinal foi dado para estadualização do hospital infantil Santa Catarina. 

No seu discurso, o secretário de saúde do estado, Acelio Casagrande, representando o governador Eduardo Moreira, disse que o prefeito Clesio Salvaro pediu que ele anunciasse a estadualização.

Ele emendou: “isso ja esta anunciado, o que estamos fazendo agora é um entendimento junto com os prefeitos da região, a Unesc, para que tudo se confirme ali na frente”.

Em suma - Acelio disse sim, mas não disse quando.

A intenção de fazer é clara, e real.

Mas, pela grave crise financeira do estado não será uma operação simples. Pode ficar para o próximo mandato.

 

Ufa, a UPA!

Era constrangedor passar por ali e ver aquele prédio inacabado, meio abandonado, dinheiro publico ali empatado. Mas, a obra foi retomada, concluída, e oito anos depois a UPA foi finalmente inaugurada. Neste sábado, já está atendendo a população da grande Próspera. 

Trata-se de uma das obras mais importantes no governo do prefeito Clesio Salvaro.

É quase um mini-pronto socorro. Quando funcionar bem, vai diminuir o fluxo no hospital São José.

 

Da familia

Na cerimonia, homenagem à família do médico Antônio Althoff, que passa a ser o nome de “batismo" da UPA.

Homenagem muito justa, apropriado, à um cidadão que fez o bem para muita gente, alem da sua especialidade médica.

Muitos amigos do “Toninho” foram acompanhar a homenagem.

 

Na rua

A inauguração e o funcionamento da UPA fizeram resolver aquele negocio estranho que tinha na rua, onde uns pedaços eram de asfalto, e outros de paralelepípedo.

Como as ambulâncias passam por ali, ficou tudo asfalto. Melhor para todos.

 

Outras na saúde

Depois da UPA, o próximo investimento entregue pelo governo municipal na área da saúde será o posto de saúde do Cristo Redentor (hoje os pacientes estão sendo atendidos no centro comunitário). Previsão é agosto.

Depois, será a transferência da unidade de saúde do centro (na frente do hospital São José) para o prédio que era do INSS, na rua João Pessoa. Que está sendo reformado.

 

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/06/2018 - 06:13Atualizado em 29/06/2018 - 06:51

Não cabe aqui discutir fato motivador, nem culpa ou inocência, porque tudo isso já foi tratado à exaustão pelo judiciário. O que intriga é a demora no cumprimento de sentença. Principalmente num período em que abundam exemplos pelo país de cumprimento da sentença após decisão de segunda instância. 

O vereador criciumense Moacir Dajori, PSDB, teve recurso julgado no dia 6 de março pelo Tribunal de Justiça, que confirmou sentença de primeira instância. Cassação de mandato. Mas, ele continua cumprindo mandato normalmente. Como se nada tivesse acontecido.

O seu advogado, Giovani Dagostim, protocolou recurso especial no STJ (Superior Tribunal de Justiça) contra a sentença do Tribunal de Justiça. Os autos devem ser remetidos à Brasilia nos próximos dias.

Pela regra “velha”, o recurso era a “salvação. Cumprimento da pena só depois de o processo transitar em julgado na ultima instância.

Mas, isso mudou. Agora, condenação em segunda instância obriga o cumprimento imediato da pena.

É por isso que o ex-presidente Lula está preso. E também o deputado federal João Rodrigues. 

O STF chegou a ser levado a rediscutir a matéria, e a possibilidade de voltar a ser como era antes, mas manteve a nova posição, com aquele voto polêmico decisivo da ministra Rosa Weber.

Mas, isso não vale para o vereador Dajori!

Ademais, o recurso julgado no Tribunal de Justica, que manteve a sentença de condenação, foi na ação civil pública. Ha uma outra sentença, também de condenação, dada em processo criminal antes da sentença no processo civil, que o recurso chegou antes no Tribunal de Justiça, mas ainda não foi julgado. Nem pautado. Enfim, sem previsão. 

Como o recesso no judiciário começa na segunda-feira, certamente não será antes de agosto.

Por fim, importante registrar que os processos (civll e criminal) contra o vereador Dajori estão tramitando desde 2013, quando cumpria primeiro mandato.

Em 2016, o vereador foi condenado pela juíza da comarca à perda do mandato, mas recorreu, disputou reeleição, se elegeu, e cumpre o segundo mandato.

 

Sem chance

A deputada Ada de Luca, MDB, nem permitiu que fosse colocada em discussão, mesmo que fosse preliminar, sobre a sua suposta candidatura ao senado.

Disse que está em campanha pela reeleição, com reais possibilidades de sucesso, e não existe a mínima condição de avaliar qualquer outro projeto.

Acrescentou, no entanto, que pode tratar do assunto para a próxima eleição.

 

As datas

PP PSD anunciaram as datas de suas convenções para definição de candidaturas e alianças.

A primeira será do PSD. Dia 21 de julho, um dia depois de aberto o prazo previsto em lei. A segunda do PP. Dia 18 de julho.

O PSD deve oficializar Gelson Merisio como candidato a governador e aguardar se o PP confirma a candidatura de Esperidião Amin.

As atas deverão ficar “abertas" e depois da convenção do PP pode ter negociação.

 

A última

O MDB fará sua convenção estadual no dia 4 de agosto. Véspera do fim do prazo legal.

O MDB vai aguardar o desfecho das negociações entre PP, PSDB, PSD e DEM.

A tendência é que, independente das negociações com outros partidos, confirme a candidatura de Mauro Mariani a governador.

Mas, nos bastidores continua sendo especulada a possibilidade de Dario Berger entrar em cena na reta final e acabar sendo o candidato.

 

Um absurdo a menos

O governo do Estado revogou ontem a portaria que autorizava o presidente da Assembleia, deputado Aldo Schneider, MDB, a morar na residência oficial do vice-governador.

A portaria havia sido assinada no dia 6 de junho. Mas, houve fortes reações. Por isso, o recuo.

A iniciativa partiu da presidência da Assembléia, que fez por oficio a “devolução" do imóvel.

 

Cuspindo fogo

O governador Eduardo Moreira despachou ofício ao presidente Michel Temer (e fez questão de dar divulgação), para protestar contra os cortes de recursos que estavam projetados para Santa Catarina (mais de r$ 140 milhões).

Eduardo cobrou revisão imediata da medida (corte) e pediu “justiça" na distribuição de recursos.

Enfatizou - “Santa Catarina é o sétimo maior estado em arrecadação de tributos federais, e o quarto que menos recebe de recursos federais”.

 

Do hospital

O deputado federal Jorge Boeira foi ontem no hospital São José para a inauguração da reforma do centro clínico, que teve r$ 500 mil de suas emendas parlamentares. 

O deputado também garantiu mais r$ 1 milhão de reais em emendas para o custeio e manutenção do hospital. 

No seu discurso, irmã Terezinha Buss, diretora do São José, homenageou o deputado descerrando uma placa de agradecimento.

 

Pela saúde

No sábado, um grande evento na Unesc vai marcar a aula Inaugural de uma pós-graduação que vai beneficIar aproximadamente 400 profissionais da área da saúde das Apaes de todo o estado.

A direção da federação das Apaes estará em Criciúma a partir de hoje.

A pós é uma Parceria da Unesc com a Federação das Apaes, é totalmente gratuita, e foi viabilizada a partir de um projeto junto ao governo federal . 

 

Com a velha guarda

O deputado federal criciumense Ronaldo Benedet reuniu na sua casa um grupo de “históricos" do MDB.

Todos são do tempo em que o partido era chamado de “manda brasa” e enfrentava a ditadura.

 

Mestre Cabral

O coronel da reserva Márcio Cabral, comentarista da radio Som Maior, defendeu dissertação de mestrado, perante banca composta por quatro doutores, na Unesc.

Foi o ultimo passo para receber o título de "Mestre em Desenvolvimento Socioeconômico”.

Um grande profissional, técnico reconhecido nacionalmente, agora ainda mais gabaritado.

 

Ver melhor

O Rotary Clube de Criciúma fará hoje a entrega de 50 óculos para crianças beneficiadas pelo projeto “ver melhor”.

Cerimonia será a partir de 10h30, no Paço municipal.

O projeto é desenvolvido pelo Rotary em parceria com a secretaria municipal de saude, medicos, e a ótica Alcidino.

 

5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17