Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito
Henrique Packter
Por Henrique Packter 05/12/2019 - 13:12Atualizado em 05/12/2019 - 13:19

Nyra pensou em cursar Filosofia antes de decidir-se por Medicina.

No Hospital São João Batista (HSJB) de Criciúma, NYRA desenvolveu sua Gineco-Obstetrícia, excetuando os dois últimos anos de vida, encerrados em 2000, quando vinculou-se ao HSJ. A princípio tinha consultório no próprio no HSJB, residindo em apartamento alugado ao empresário Jorge Zanatta, frente à COMASA. Valdir da Silva, consagrado cavaquinho do Grupo da Seresta, era funcionário encarregado por Jorge para fornecer a Nyra recibos de importâncias pagas pelo aluguel do imóvel,

O HSJB, fundado em 1963 pelos médicos Lourenço Cianci Filho (criador do HSC), e Olavo de Assis Sartori, foi depois vendido a Santos Guglielmi, que já adquirira o HSC. O HSJB rompeu convênio com o SUS.

Lourenço Cianci Filho, SP, 10.3.1929, formado pela FMUFPR (1954), vem a Criciúma (1957), atender no SAMDU. Especializa-se em Radiologia (SP, 1960). Em 1961, apoiado financeiramente pelo empresário João Soratto, constrói o HSJB, inaugurado em 13.5.1962. No final de 1962 transferiu residência para Joinville dedicando-se à radiologia no Hospital Municipal São José, Clínica Dr. Pedro Lobo e Hospital Dona Helena. Em 1971 (RJ), Lourenço especializa-se também em Pediatria. Sócio Jubilado da Associação Catarinense de Medicina (1982), morre a 17.7.1992, Joinville, 63 anos.

Sartori (Ubá, MG, 11.6.1916), graduado na Faculdade Nacional de Medicina (RJ, 1938), radica-se em Criciúma a 3.7.1943, trabalhando exclusivamente no HSJ. Faleceu entre nós a 19.6.1989.

A Unimed de Criciúma assumiu em 11.9.2019 o HSJB, da família Guglielme, assinando contrato de arrendamento por 20 anos, com opção de compra. A marca Hospital São João Batista será preservada, assim como o atendimento prestado a todos os usuários de planos de saúde e clientes particulares.

Dia 12.9.2019, 10h, o presidente da Unimed, Leandro Avany Nunes, concedeu entrevista coletiva para detalhar a nova gestão do hospital. A Unimed tem agora dois hospitais em Criciúma: Hospital Unimed e HSJB.

Família Froelich–Búrigo

Erika, Karin Marlise e Odilon Érico Froelich Filho, são filhos de Odilon pai e de Nyra.

Odilon Filho é médico em Cascavel, PR.

Karin Froelich Rua Carlos Heinze, 381- Santa Rosa, RS CEP: 98900-000 é empresária (Individual) desde 24.04.2003. Atividade: Comércio Varejista De Artigos Do Vestuário e Acessórios.

Erika Froelich, filha mais velha de NYRA foi colega de minha filha no Marista de Criciúma. Erica Froelich é hoje estabelecimento de saúde tipo Consultório, que executa serviços de saúde em Curitiba. Marcar consultas, agendamento médico ou exames, emissão de guias ou questões comerciais: Rua Tenente Francisco Ferreira de Souza, 1490 - Hauer, Curitiba. CEP: 81630-01. Trata-se de Consultório especializado em atendimento presencial Básico de Saúde.

Histórias de Nyra

Nyra contava histórias relativas à sua atividade profissional. Havia aquela do pai de primeira viagem e que optara por não ser pai, de início apoiado nesse propósito pela cara-metade. Cedo desistem da decisão comum e passam a planejar vinda de herdeiro ou herdeira. Na época ainda não se determinava o sexo dos nascituros. Ela engravida, chega o dia do parto. O pai, ansioso, indaga a cada instante:

- É menino?

Nyra aparece, cigarro na mão:

- Bem, o do meio é... 3.251

CONTINUA PRÓXIMA SEMANA, TERÇA-FEIRA

Henrique Packter
Por Henrique Packter 03/12/2019 - 06:03Atualizado em 03/12/2019 - 06:27

Dentro de poucos anos terei morrido; mais alguns anos e terão morrido todas as pessoas que me conheceram. Mais um pouco de tempo e será como se eu nunca tivesse existido.

ADELOR LESSA compartilha deste pensar. Daí e-mail de 24.8.2015, um convite para escrever, aos sábados, sobre PIONEIROS MÉDICOS de nossa região no A TRIBUNA, sucessora da TRIBUNA CRICIUMENSE. Também acenava com pequena participação no seu exitoso e já tradicional programa das manhãs, com término às 9 horas e que leva seu nome, na RÁDIO SOM MAIOR, sendo minha participação limitada ao último segmento do programa. Aceitei, arregacei imaginárias mangas ergonômicas e procurei corresponder da melhor maneira ao compromisso voluntariamente assumido.

Passados quatro anos, alguns meses e poucos dias, nesta quinta-feira, 21.11.2019, nova direção jornalística encerrou a publicação do artigo. Mas, já no dia seguinte, 22 de novembro, ADELOR LESSA convidou-me para continuar o trabalho de cultuar nossos PIONEIROS MÉDICOS, manter minha labuta formiguinha, não deixar velhos nomes hipocráticos sul catarinenses   caírem na vala comum do esquecimento, destino a que estavam sendo relegados.

Nesta nova plataforma, tratarei do drama da solidão individual e coletiva de doentes marginalizados, dos desencontros, das angústias e insatisfações. Tratarei da vida pequena e pobre, vazia de sentido; da mineralização da sensibilidade, do amesquinhamento e até petrificação das relações humanas.   
       
RESSURREIÇÃO, de Walt Whitman
       
Em vão pregaram-me cravos nas mãos.
Relembro a crucificação e a coroação sangrenta.
Relembro os escárnios e os insultos brutais
O sepulcro e o linho branco libertaram-me
Estou vivo em Nova York e San Francisco,
Nem todas as tradições vão vitalizar as igrejas
Elas não são vivas, são só argamassa e tijolo frios,
Eu posso construir uma igual, e tu também:
Volto a trilhar as ruas dois mil anos depois.
                 
 
O NOVO PASSADO   

A brusca interrupção do relato da vida de nossa primeira médica em Criciúma, a gineco-obstetra NYRA TEREZINHA BÚRIGO ESCOUTO (NYRA TEREZINHA BÚRIGO FROELICH), merece conclusão mais digna. Por esta razão, faço pequeno resumo da parte já publicada, em respeito a esta pessoa tão sofrida e tão estimada. 

ALGUNS DADOS IMPRESCINDÍVEIS

DIZELDA CORAL BENEDET, conforme já informei, era pessoa muito ligada ao casal Nyra-Odilon. Conforme dados por ela coletados, ficamos sabedores da graduação do casal no Curso de Medicina pela Universidade Católica do Paraná, em 1968.

Apenas um ano antes, em 1967, o prefeito Ruy Hülse de Criciúma, transferiu a Câmara de Vereadores para sala da Galeria Benjamim Bristot. Somente em 1986 a edilidade passaria a ocupar andar do Centro Profissional, onde até hoje se encontra.

Uma semana após a formatura, novembro de 1968, Nyra e Odilon casam-se. Como se sabe, 1968 foi o ano que não terminou.

Em seguida vão para residência médica no RJ, onde ingressam em 31.12.1969, NYRA no Hospital Moncorvo Filho, de Ginecologia e Obstetrícia. ODILON faria cirurgia geral, tudo isso, naturalmente, após aprovação em concurso público. 

CONTINUA NA PRÓXIMA QUINTA-FEIRA (5)

1 2 3 4 »