Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 18/05/2018 - 13:14Atualizado em 18/05/2018 - 13:15

Acompanhe o programa Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta sexta-feira, dia 18. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Waldeci Rampinelli, Sarandi, Jonathas Roberge e Vinícius Schambeck.

Em pauta: Consultas médicas em Criciúma, política e futebol.

O repórter Denis Luciano trouxe as informações do Tigre, que busca reforços, inaugurou o CT oficialmente e prepara o time para encarar o Fortaleza na próxima terça-feira, dia 22.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 17/05/2018 - 13:13Atualizado em 17/05/2018 - 13:39

Acompanhe o Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta quinta-feira, dia 17. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Delegado Márcio Campos Neves, Coronel Márcio Cabral e Fernanda Zampoli.

Em pauta: Armamento da população e situação da Venezuela.

O repórter Denis Luciano trouxe as informações do Tigre, que hoje inaugura oficialmente o CT do bairro Cristo Redentor.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 16/05/2018 - 19:12Atualizado em 17/05/2018 - 14:44

Uma “conta salgada”...

Não adiainda mais discutirmos exaustivamente sobre treinador, comissão técnica ou jogadores. Independentemente dos nomes que estejam atualmente “dando a cara para bater”, o grande responsável pela fase do Criciúma é o presidente Jaime Dal Farra. E a responsabilidade no processo passa por vários motivos. Desde a falta de convicção, passando por atitudes equivocadas, entrevistas infelizes e a falta de controle no vestiário. E todas essas questões giram em torno das más escolhas do comandante. Por exemplo, onde está o Nei Pandolfo? É mais um que veio para dizer “amém” a todas as decisões da direção? Quando se esperou uma boa ação do diretor, ela não veio. Parece que vai continuar restrito às limitações financeiras do clube. O mais correto seria buscar pelo Brasil as peças que se encaixam nas necessidades de momento no clube. Já passou da hora de o Tigre acertar nas contratações. Se não houver um acréscimo de qualidade, o Tigre está fadado ao descenso. Mazola pegou uma herança pesada. A conta chegou e é “salgada”.

Nei Pandolfo tem sido mais uma vítima da falta de recursos do clube (Foto: Daniel Búrigo)

Deu de paliativo

O Criciúma vive de remendos. De paliativos. Sobrevive de ações que ajudam no momento, mas que não permitem uma sequência no trabalho. É difícil tirar lições agora, aprender para errar menos no futuro, pois o clube precisa escapar da degola esse ano. Uma queda mudará todos os planejamentos. Mas é duro imaginar que as coisas possam melhorar pelo jeito que o Criciúma trata o futebol. A ação da torcida na terça-feira foi a mais enérgica da era Dal Farra. O presidente precisar ouvir a voz da ruas. Se a saída do clube foi o melhor para o time, então que o faça. O torcedor está cansado de “apanhar”.

Ansiedade sobre o Próspera

Desde a confirmação do retorno do Próspera ao futebol profissional, a cidade de Criciúma, e especialmente os prosperanos, vivem uma grande expectativa em relação à participação na Série C do Catarinense. Não há como negar que a expectativa é de um acesso, mesmo que saibamos também das dificuldades em fazer futebol na atualidade. Talvez essa tentativa de terceirizar o futebol possa ser uma saída para montar um time competitivo e em condições de brigar pela única vaga na Série B de 2018.

Plano de sócios

O Esporte Clube Próspera dá mais um passo para aproximar o clube da torcida. Além da reforma no Estádio Mário Balsini e a confirmação na Terceira Divisão, o time lança o plano de Sócio Torcedor Time da Raça, que vai fazer o torcedor contribuir e acompanhar o time. Muito bom!!

Alow, torcedor prosperano!!

No primeiro momento, três modalidades de sócios serão lançadas: o Time Família, no valor de R$ 40 e mais R$ 10 para cada dependente (pai, mãe e filho). Também tem o Time da Raça, no valor de R$ 30 mês. Também tem a modalidade Time do Coração, que fica no valor de R$ 15 por mês apenas para colaborar com o clube, sem poder assistir aos jogos. Para se associar, pode ir na secretaria do clube, em horário comercial ou ligar no telefone 3478.6819.

Destaque A Tribuna

O Atlético de Madrid confirmou a boa fase na temporada e faturou o título da Liga Europa. A equipe espanhola venceu o Olimpique de Marselha por 3 a 0, em Lyon, e chegou ao terceiro título da Liga Europa.

Nota Zero

Esse pseudo-torcedores do Criciúma, que quebraram o carro do atacante Zé Carlos, merecem uma severa punição. Ficar fora do Estádio Heriberto Hulse é o mínimo que se espera do clube e autoridades competentes.

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 16/05/2018 - 13:26Atualizado em 16/05/2018 - 13:43

Acompanhe o Programa Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta quarta-feira, dia 16. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Sarandi, Itá, Plácido Pizetti e Fabrício Schambeck.

Em pauta: a crise interminável no Tigre.

O repórter Denis Luciano trouxe as informações do Tigre, que terá reuniões hoje na busca por reforços e pela identidade dos torcedores que apedrejaram o caarro do atacante Zé Carlos. 

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 15/05/2018 - 23:28Atualizado em 16/05/2018 - 00:09

Como era sabido, o problema do Criciúma não é técnico. Veio Mazola Júnior e o Tigre foi de uma mesmice sem tamanho. Repetiu a ruindade dos últimos jogos da Série B. E teve mais um destempero do lateral-esquerdo Marlon. Antes de perder um jogador por expulsão, o Tricolor até empurrou o Juventude para o campo de defesa. Resultado da fraqueza do adversário e também das mexidas do técnico estreante.

Depois de um primeiro tempo fraco tecnicamente, Mazola alterou a equipe. Voltou para a etapa final com Luiz Fernando, na vaga de Jean Mangabeira. Depois Andrew e Nicolas entraram para as saídas de Alex Maranhão e Zé Carlos. Durou apenas cinco minutos a vantagem numérica em campo do Ju.

Depois houve também duas expulsões do time gaúcho. No 10 contra 9, o Tigre foi para o tudo ou nada. No velho e bom abafa, desperdiçou algumas faltas próximas a área e nem mesmo com a bola parada soube tirar proveito da vantagem na reta final do confronto. Foi apenas um primeiro ponto, mas que ainda dá margem para várias dúvidas sobre a sequência da competição. O time acabou o jogo sem um meia de armação e dependeu da velocidade do garoto Andrew.

Pouco para uma equipe que precisa de pelo menos mais 44 pontos para escapar da Série C. Para o próximo jogo, contra o Fortaleza, na terça-feira, dia 22, o Tigre terá desfalques nas duas laterais, o que pode piorar ainda mais a situação na classificação. A coisa tá feia, torcedor carvoeiro!! 
 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 15/05/2018 - 13:32Atualizado em 15/05/2018 - 13:51

Acompanhe o Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta terça-feira, dia 15. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Dr. Márcio Campos Neves, Coronel Márcio Cabral, Dr. Anderlei Antoneli e Claiton Pacheco.

O programa saiu do estúdio e foi para a Destak Transportes, empresa que patrocina os destaques do Debate Aberto. O presidente da empresa, Franck Citadin, e a diretora comercial, Sil Citadin, recepcionaram os convidados do programa, que fizeram mais um belo encontro em Fm100,7.

Foram abordados os seguintes assuntos: projeto do mirante do Morro Cechinel em Criciúma, a crise na saúde na região carbonífera, além do Tigre.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 15/05/2018 - 11:06Atualizado em 15/05/2018 - 11:11

Arrumando a cozinha lá atrás

Mazola Junior, auxiliado por Grizzo, faz o correto. Monta um Criciúma mais precavido na marcação diante do Juventude. É a atitude mais sensata pois está claro que o time carvoeiro precisa “arrumar a cozinha” lá atrás, para depois se dar ao luxo de atacar o adversário. E os ajustes não foram bem lá atrás. A mudança vem no meio-campo, como uma maneira de fazer a bola chegar mais “quebrada” na zaga tricolor. Se o técnico estreante sentir que tem condições de atacar o time gaúcho, poderá colocar mais um atacante. Colocar dois volantes foi a medida mais simples, porém necessária para o momento. O Criciúma está recomeçando hoje uma história. Não há espaço para novos erros. Mas é importante o torcedor e todos segmentos do clube terem paciência para alcançar o objetivo que é permanecer na Série B.

Mazola Júnior tem a missão de livrar o Tigre do rebaixamento (Foto: Mateus Mastella)

Sem Arthur e com Taison

Finalmente veio a tão aguardada convocação do técnico Tite. Para mim houve duas injustiças. A primeira é a ausência de Arthur no meio-campo da Seleção. O jovem do Grêmio é disparado o melhor volante passador do Brasil. Pelo menos deverá fazer parte da renovação pós-copa. E a outra injustiça é com o bom futebol. Taison não tem a capacidade de mudar o rumo de uma partida. Não tem peso para disputar um Mundial, mas Tite vê características importantes no jogador. Tite explicou, mas não convenceu.

Taison tem a confiança do técnico. Maioria da torcida não aprova convocação (Foto: Pedro Martins)

Tite exagera na moral que possui

A grande verdade é que Tite usufrui da total aceitação que possui entre os brasileiro e, por isso, teve a toda tranquilidade para chamar quem bem quisesse. Não há grandes polêmicas na lista dos 23. Nem mesmo Taison, que talvez seja o único nome com rejeição entre os torcedores, podem ser considerado como uma supresa, afinal o jogador esteve na maioria das convocações de Tite.

Difícil agradar a todos

Sempre há o “patinho feio” nas convocações da Copa do Mundo. Em 2010, no Mundial da África, Grafite foi chamado. Josué também esteve na lista. Em 2014, teve algumas convocações surpreendentes de Felipão. Lá em 2007, na Copa América, Afonso foi chamado por Dunga. É sempre difícil um treinador conseguir agradar a todos numa convocação. Seja por visões diferentes de futebol ou por puro clubismo.

Destaque A Tribuna

Se tiveram divergências entre os torcedores na lista, houve também uma unanimidade confirmada por Tite. O zagueiro Pedro Geromel vive uma ótima fase desde o ano passado, fez um ótimo jogo contra o Real Madrid, e quebrou o estigma de que jogador da Europa tem vantagem sobre os nacionais. Se bobear, Geromel poderá brigar pela titularidade. Os dois amistosos antes da Copa poderão ajudar o treinador a dirimir as últimas dúvidas, se é que existem, em relação aos 11 que começaram a Copa.

Nota Zero

A notícia caiu como uma bomba para o Peru e o Flamengo. E principalmente para o atacante Paolo Guerrero. A suspensão por doping confirmada pela FIFA, que o afasta do Mundial, serve como exemplo para outros jogadores. Doping é algo sério e não combina com o esporte. Por mais que a defesa de Guerrero explique como foi o uso do medicamento, não há como negar que a suspensão serviu como exemplo para o restante do mundo. O atletismo, UFC, entre outros, já dão péssimos exemplos no controle de dopagem. O futebol não poderia prestar esse desserviço ao esporte.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 14/05/2018 - 13:24Atualizado em 14/05/2018 - 13:26

Acompanhe o Programa Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta segunda-feira, dia 14. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Sarandi, Itá, João Pedro Hermann e Denis Luciano.

Em pauta: Mazola Jr no Tigre a a convocação da Seleção Brasileira.

O repórter Denis Luciano trouxe as informações do Tigre, que terá novidades na escalação diante do Juventude, na estreia do novo treinador.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 13/05/2018 - 17:56Atualizado em 13/05/2018 - 18:14

Mais um final de semana de Campeonato Brasileiro e Santa Catarina com representantes nas quatro divisões. Na Série B, que conta com Criciúma, Figueirense e Avaí, chamou atenção o resultado do clássico da capital.

No encontro de Figueira e Leão, no Scarpelli, neste sábado, dia 12, quem se deu melhor foi o time visitante. O Avaí venceu por 1 a 0 e provou que teve uma melhora com o técnico Geninho. O Leão é o oitavo colocado, com oito pontos, enquanto o Alvinegro é o sexto colocado, com nove pontos.

Avaí venceu o Figueirense por 1 a 0 em pleno Orlando Scarpelli (Foto: Clicrbs)

O Criciúma se manteve na penúltima posição mesmo sem entrar em campo no final de semana. Com a derrota do Boa Esporte-MG para o CSA-AL por 1 a 0, o Tigre permaneceu na vice-lanterna, sem pontuar na competição.

Na Série A

Neste domingo, dia 13, a Chapecoense fez mais um jogo pela Série A. No quinto jogo na competição nacional, a Chape finalmente venceu pela primeira vez. O Verdão do Oeste fez 3 a 2 sobre o Flamengo, na Arena Condá. O resultado deixa o time de Gilson Kleina na 12ª posição, com seis pontos.

Foi a primeira vitória do Verdão do Oeste na Série A (Foto: O Globo)

Série C

No Campeonato Brasileiro da Série C, o Joinville manteve o calvário na competição. Diante do Cuiabá, neste sábado, dia 12, o JEC perdeu por 3 a 2, na Arena Joinville, mantendo-se na lanterna da chave B, com três pontos. Nesta segunda-feira, dia 14, a direção do JEC fará uma reunião e poderá demitir o técnico Matheus Costa.

Quarta derrota em cinco jogos pode causar troca de comissão técnica no Joinville (Foto: A Notícia)

Série D

Já na Série D, o Atlético Tubarão venceu a Ferroviária-SP por 1 a 0, fora de casa, e manteve-se na liderança da chave A16, com 12 pontos. O Peixe já garantiu vaga na próxima fase. Na chave A17, neste domingo, dia 13, o Brusque venceu o Mogi-Mirim por 2 a 1, no Augusto Bauer, ficando com a segunda posição, com nove pontos. Já o Inter de Lages, na chave A15, perdeu para o Mirassol por 2 a 0, fora de casa, ficando com a terceira posição, e seis pontos conquistados.

Brusque derrotou o Mogi e praticamente garantiu vaga na 2ª fase (Foto: Divulgação)

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 13/05/2018 - 17:25Atualizado em 13/05/2018 - 17:34

Tigre optou pelo novo

O Criciúma optou pelo novo. Contratou um técnico “diferente”. Mazola Junior nunca trabalhou no Sul. Isso não significa que terá dificuldades de adaptação, até porque o clube não está disputando uma competição regional. Sobre competições nacionais, Mazola tem experiência. Já conquistou acessos importantes. Mas a missão no Tigre é outra. Ele precisará livrar a equipe do rebaixamento. Não há tempo para testes. Mazola precisará ser auxiliado pelos profissionais que estavam aqui e, acima de tudo, ouvir os jogadores. É preciso “fechar o grupo”. Somente com muita união, o grupo carvoeiro terá condição de escapar da degola. Essa será a tônica das próximas 33 rodadas.

Mazola estreia na terça-feira contra o Juventude em casa (Foto: Fernando Ribeiro)

Pressão a cada rodada

Afirmar que há tempo para uma recuperação parece simplificar a tarefa da nova comissão técnica tricolor. Mas não é bem assim. Cada jogo daqui pra frente terá um componente a mais de dificuldade. A pressão por estar no Z-4 e ainda fazer dois jogos seguidos fora de casa, após enfrentar o Juventude em casa, faz o técnico Mazola Júnior ter uma ideia da grande bomba que ele tem em mãos.

Política da boa vizinhança

Mazola disse, em entrevista coletiva, que “herdou um trabalho bem feito”. É óbvio que o novo comandante fez a velha política da boa vizinhança. Foi uma resposta com um tom corporativista. Não quis atacar o antigo treinador e companheiro de profissão. A verdade é que o Criciúma não se entende em campo. A herança é pesada. Sem falar que jogadores importante precisam ser recuperados fisicamente. São muitas necessidades no momento.

Vencer ou vencer

Não importa a maneira. O importante é o Criciúma vencer o Juventude, que por sinal não é nenhum bicho de sete cabeças. Os três pontos darão um pouco mais de tranquilidade para o grupo trabalhar. A calmaria se faz ainda mais necessária pelo fato de o Tigre fazer dois jogos contra adversários que vivem uma boa fase. Após encarar o Ju, o Tricolor pega o Fortaleza e o Avaí, longe do torcedor.

Convocação

Nesta segunda-feira, dia 14, sai a lista de Tite para a Copa do Mundo. Aposto em Fágner e Danilo para a lateral-direita, após o corte de Dani Alves. Acredito que Cássio será o terceiro goleiro. Geromel completará a lista de zagueiros. A dúvida está no meio-campo. Será que Arthur vai a Rússia ou Fred e Giuliano brigam pela vaga? No ataque, Douglas Costa garantiu a vaga pelas últimas atuações. A convocação sai às 14h, no Rio de Janeiro.

Recuperação

Lewis Hamilton, da Mercedes, venceu em Barcelona, no quarto GP da temporada 2018 da F-1. Verstapen, da RBR, foi o segundo. E Bottas, da Mercedes, completou o pódio. Com o resultado, o atual campeão da categoria abre vantagem contra o alemão da Ferrari na classificação do Mundial de Pilotos. Agora Hamilton soma 95 pontos, contra 78 pontos, e Vettel e 58 de Bottas.

Hamilton venceu a segunda prova na temporada (Foto: Reuters)

Destaque A Tribuna

Uma verdadeira aula de convicção. Essa é a lição que o Criciúma pode tirar com a campanha do Atlético Tubarão, na Série D do Campeonato Brasileiro. O Peixe manteve o técnico Waguinho Dias após um mau começo no Estadual e soube remontar o elenco após as saídas de peças importantes. Já classificado a próxima fase da Quarta Divisão, o Peixe é um sério candidato ao acesso a Série C. Lembrando que a meta é chegar na Série B até 2025.

Nota Zero

Se o Peixe dá um bom exemplo na “D”, o JEC faz justamente o contrário na Série C. O time da Manchester perdeu mais uma no final de semana. No sábado, em casa, o JEC perdeu para o Cuiabá por 3 a 2, amargando a lanterna do grupo B. É um sério candidato ao descendo. A grande decepção ficou por conta do técnico Matheus Costa, que foi contratado com uma grande expectativa. Mas, infelizmente, não conseguiu emplacar o jeito necessário para o time trilhar o caminho das vitórias.

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 11/05/2018 - 23:17Atualizado em 12/05/2018 - 02:24

A negociação com Luiz Carlos Winck se tornou difícil para o Tigre, em virtude da alta pedida salarial do treinador. E o mais novo nome a ser cotado no Majestoso é de Mazola Júnior. O paulista de 53 anos esteve recentemente no CRB-AL e trabalhou inclusive com o atacante Zé Carlos. Mazola já dirigiu equipes como Sport-PE, Paysandu-PA, Ituano, Cuiabá, Bragantino e Botafogo-SP. Nunca teve uma experiência no Sul do país.

Mazola nunca trabalhou numa equipe do Sul do país (Foto: Pei Fon/ Portal TNH1)

O acerto pode acontecer já neste sábado. Caso haja um acordo entre as partes, Mazola já comanda o Tigre na terça-feira, dia 15, diante do Juventude, no Heriberto Hülse.

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 11/05/2018 - 22:15Atualizado em 12/05/2018 - 02:30

Um gigante adormecido. Essa é uma definição que pode traduzir o sentimento sobre o Criciúma Esporte Clubes nos dias atuais. São cinco anos sem título e quatro temporadas longe da elite nacional. Pois o maior clube do Sul de Santa Catarina está completando 70 anos neste domingo, mas sem muitos motivos para comemorar. A atual campanha na Série B, inclusive, esfriou qualquer tipo de ação do clube. Mas com a chegada de mais um dia 13 de maio, o torcedor mais saudosista vai lembrar do título do Comerciário de 1968, numa época onde havia uma rivalidade local. Os times da Liga Atlética da Região Mineira (Larm) ainda brigavam pelas competições da região carbonífera. Exatamente 10 anos depois da conquista do considerado time do centro da cidade, e de um enfraquecimento dos demais clubes da região, veio a troca de nome para Criciúma.

Comerciário faturou o título do Campeonato Catarinense de 1968 (Foto: Arquivo/Larm)

Resistência

Mesmo com o novo nome, o Criciúma ainda não conseguia se firmar como unanimidade no município. O motivo estava relacionado a conservação das cores do Comerciário. Foi aí então que começou uma campanha para trocar também as cores da camisa. Muita polêmica foi gerada. Alguns opinavam por uma mistura das cores de todas as equipes que a cidade já teve. Outros queriam as cores da bandeira do município.

Camisa azul e branco resistiu até 1984 (Foto: Arquivo/CEC)

Finalmente a troca

Depois de muitas reuniões entre a diretoria da época, foi decidido que as novas cores seriam o amarelo, preto e branco. O amarelo demonstraria a riqueza da região. O preto simbolizaria o carão. E o branco lembraria os demais clubes que a cidade já teve. A estreia com a camisa aconteceu no dia em que o clube completou 37 anos, em 13 de maio de 1984, em jogo pelo Campeonato Catarinense. Contra o Joinville, no Heriberto Hülse, o Criciúma arrancou um empate em 2 a 2, após sair perdendo por 2 a 0.

Em 1984, Tigre estreava a camisa tricolor (Foto: Reprodução)

Arrancada

Um ano depois de estrear a camisa tricolor, o Criciúma fez a pior campanha no Campeonato Catarinense e teve que lutar contra o rebaixamento na edição de 1985. O Tigre disputou o hexagonal da morte e correu o risco de cair para a segunda divisão de Santa Catarina. Mesmo assim, naquele ano o Tigre teve o artilheiro da competição. Jorge Veras foi o maior goleador do evento com 17 gols. Em 1986, o Tricolor conquistou o título estadual, após o Comerciário ter levantado a taça 18 anos antes. No ano seguinte foi oitavo colocado na Copa União, uma espécie de Campeonato Brasileiro da época. O terceiro título estadual veio em 1989. Nos dois anos seguintes mais dois títulos: 1990 e 1991.

Primeiro título como Criciúma veio em 1986 (Foto: Arquivo/CEC)

Maior título da história

O quinto lugar na Taça Libertadores de América 1992 foi inédito, mas a maior conquista do Criciúma veio uma temporada antes. Em 1991, sob o comando do técnico Luiz Felipe Scolari, o Tigre fez uma campanha impecável com seis vitórias e quatro empates, sendo campeão invicto da Copa do Brasil. Mas para o capitão daquele time, Antônio Luis Sartoretto, o Capitão Itá, o melhor técnico da história do clube não foi Scolari. “Nossa base foi muito bem montada por Levir Culpi ainda em 1986. Ele foi o grande responsável por formar aquele grupo campeão”. A opinião é compartilhada pelo lateral-direito da época e hoje também comentarista da rádio Som Maior, Idemar Angelo Tomasi, o Sarandi. “Tivemos um amadurecimento com o Levir. Foi o técnico com o maior leque de estratégias que passou Heriberto Hülse”, disse.

Invicto, Criciúma faturou o título da Copa do Brasil de 1991 (Foto: Ulisses Job)

CAMPANHA DA LIBERTADORES 1992

Primeira fase

CRICIÚMA 3x0 São Paulo

San José de Oruro-BOL 1x2 CRICIÚMA

Bolívar-BOL 1x1 CRICIÚMA

São Paulo 4x0 CRICIÚMA

CRICIÚMA 5x0 San José de Oruro

CRICIÚMA 2x1 Bolívar

Oitavas-de-final

Sporting Cristal-PER 1x2 CRICIÚMA
CRICIÚMA 3X2 Sporting Cristal-PER

Quartas-de-final

São Paulo 1x0 CRICIÚMA
CRICIÚMA 1X1 São Paulo

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 11/05/2018 - 21:55Atualizado em 11/05/2018 - 23:32

Sem sinal de fumaça branca no Majestoso. Quando a fuligem sai da chaminé da Capela Sistina, no Vaticano, é porque o novo papa está definido. No Criciúma, ainda não saiu a tão aguardada fumaça. Isso significa que as negociações ainda continuam, mas não houve um consenso entre as partes. No caso específico do Tigre, ainda não houve um entendimento entre a direção do clube e o empresário do técnico Luiz Carlos Winck. O treinador que passou pelo Tricolor no ano passado está valorizado no Caxias-RS e fez uma alta pedida salarial. O diretor de futebol, Nei Pandolfo, não abriu muito o jogo nesta sexta-feira, e manteve a ideia de anunciar, através do site oficial, o nome do novo treinador até o domingo. “A ideia é acertar com o treinador antes da partida de terça-feira. A intenção é acertarmos com o novo profissional neste final de semana”, disse.

Grizzo na interinidade

Enquanto o novo técnico não chega, o técnico interino Grizzo orientou o treinamento desta sexta-feira, no CT do bairro Cristo Redentor. O meia Elvis está suspenso e desfalca a equipe. O zagueiro Sandro e o atacante Lucas Coelho, lesionados, também não devem jogar. O lateral-esquerdo Marlon, poupado no treino, é dúvida, pois sente um desconforto. O goleiro reserva Ronaldo também corre o risco de ficar fora da relação. Lembrando que Vinícius, primeiro reserva, está com a Seleção Brasileira Sub-20. Nino deve fazer dupla de zaga com Fábio Ferreira. A definição do time titular começa a ser feita nos trabalhos deste final de semana.

Grizzo orienta os treinos do Tigre até a chegada do novo trenador (Foto: Reprodução)

No mesmo embalo

A equipe Sub-20 do Criciúma está na mesma batida do profissional. O time do técnico Lalo perdeu para o Atlético Tubarão por 2 a 1, nesta sexta-feira, no CT do Cristo Redentor, e se manteve na lanterna do Campeonato Catarinense 2018. São três derrotas e dois empates até o momento.

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 11/05/2018 - 21:05Atualizado em 12/05/2018 - 02:33

No começo da tarde desta sexta-feira, dia 11, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) lançou uma resolução sobre afixação de faixas nos estádios de futebol de Santa Catarina. Num primeiro momento, por solicitação da Polícia Militar e Ministério Público, após reunião com representantes de Figueirense e Avaí, estava proibida a colocação de faixas em qualquer setor das praças desportivas, sob a alegação de que iria proporcionar uma melhor visualização e controle da segurança.

A notícia veiculada no site da FCF, redigida pelo procurador jurídico da entidade máxima do futebol catarinense, Rodrigo Capella, logo viralizou na internet. Ao se espalhar, causou uma forte reação dos clubes que não participaram do encontro e das demais torcidas que se viram prejudicadas com a decisão. Foi aí então que a FCF lançou uma nova nota, confirmando que a proibição valeria apenas para os clássicos entre Figueirense e Avaí, no Campeonato Brasileiro da Série B deste ano.

O primeiro embate entre os dois é neste sábado, dia 12, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis. O jogo é válido pela sexta rodada da competição. O mesmo acontecerá no embate do returno, quando as equipes irão se enfrentar na Ressacada.

Determinação

O presidente da FCF, Rubens Angelotti, disse que é preciso cumprir o que foi determinado na reunião com o Ministério Público, mas também tratou de encerrar qualquer polêmica. “Essa foi uma determinação que veio em virtude da preocupação da segurança pública, especialmente com o clássico entre Figueirense e Avaí, que acontece neste sábado. Nada que tape a visão dos policiais, dos seguranças e do sistema de monitoramento, poderá ficar fixado. Teremos um clássico mais seguro, sem dúvida”, ressaltou Rubinho.

Angelotti ressaltou que medida ajudará o clássico da capital a ser mais seguro (Foto: Divulgação)

Solidariedade às torcidas da capital

Mesmo à distância, e sem ter o direito retirado com a medida, a novidade não foi bem recebida pelos torcedores do Criciúma. “Estão acabando com as torcidas. Já estão proibidos os mastros, entre outras coisas que avaliamos como importantes na forma de torcer. É uma decisão autoritária. Foi tudo decidido sem uma conversa com as torcidas. O pior é ver os nossos clubes envolvidos coniventes com tudo isso que está acontecendo”, enfatizou Cleiton Ramos, presidente da Guerrilha Jovem.

Contrariedade

Já a torcida Os Tigre, que na verdade não pode ser considerada uma organizada, também reagiu com inconformismo. “Não podemos concordar com o que está sendo feito. Mas creio que seja uma ação pontual apenas para o clássico de lá. Mas, sem dúvida, tira o brilho do espetáculo. Aqui no Heriberto Hülse já passamos por uma revista severa antes de entrar no estádio. Estamos agindo corretamente sempre. Nossos trapos são revistados pelos seguranças do clube e a pela polícia militar”, disse Luiz Gustavo Nuernberg, mais conhecido como Ruigi, responsável pelos eventos da Barra carvoeira.
 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 11/05/2018 - 13:35Atualizado em 11/05/2018 - 13:36

Acompanhe o Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta sexta-feira, dia 11. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Ney Lopes, Sarandi, Waldeci Rampinelli e Jairton Manique Barreto.

Em pauta: Técnico Luiz Carlos Winck cogitado no Tigre.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 10/05/2018 - 21:37Atualizado em 10/05/2018 - 21:46

O Tribunal de Justiça Desportiva manteve a exclusão do Água Verde de Pescaria Brava, em julgamento realizado na noite de hoje, em Balneário Camboriú. Mas ainda cabe recurso no Superior Tribunal de Justiça. Mesmo com nova derrota jurídica, o Água Verde segue sendo pivô da polêmica paralisação da Copa Sul dos Campeões. Isso atrasa a competição, o que complica a programação do Ouro Negro de Forquilhinha, que depende do resultado dos tribunais para iniciar a briga por vaga na semifinal.

Recursos do Água Verde nos Tribunais atrasa reinício da Copa Sul (Foto: LARM)

O time de Forquilhinha enfrentará o Santos Salvan de Sangão ou o Água Verde nas quartas-de-final. Os outros três times da Liga Atlética da Região Mineira (Larm) também ficam parados enquanto não acontece a definição nos tribunais. Uma semifinal já está encaminhada: Turvo x Metropolitano. Já o Araranguá aguarda o adversário na outra disputa por vaga na final. Se o Água Verde não recorrer até segunda-feira, dia 14, a Liga Atlética Vale do Mampituba (LAVM) poderá marcar o reinício da competição.

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 10/05/2018 - 20:36Atualizado em 10/05/2018 - 20:43

Ele de volta?

A bola da vez no Majestoso é o técnico Luiz Carlos Winck. O treinador, que dirigiu o Criciúma na Série B do ano passado, é o nome mais cotado para assumir o clube para o restante do ano. Os dirigentes do Tigre negam a informação, mas segundo a imprensa de Caxias do Sul, o treinador está negociando um possível retorno ao futebol de Santa Catarina. Essa possibilidade ganhou ainda mais força depois que o próprio técnico atrasou em uma hora a entrevista coletiva tradicionalmente feita antes das viagens das equipes. O time gaúcho joga no sábado, dia 12, contra o Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, pela abertura do returno do Brasileiro da Série D. A equipe grená lidera a chave A15, com sete pontos.

Luiz Carlos Winck pode ter uma segunda chance no Tigre (Foto: SER Caxias)

Justificativas sem convicção

Perguntado sobre a possibilidade de treinar o Criciúma novamente, Winck não mostrou a mesma convicção de outrora quando tinha o nome cogitado por outras equipes. “Estávamos analisando o pessoal da viagem ao Rio de Janeiro, vendo quem tem condição de jogo. Nosso DM está nos complicando”, disse Winck, arrancando risos dos jornalistas e setoristas do Caxias.

Em coletiva de imprensa, Winck tentou fugir das perguntas sobre o Tigre (Foto: SER Caxias)

Sem espaço para novos erros  

“Temos que minimizar os erros ou não erra mais”, enfatizou o diretor de futebol do Criciúma, Nei Pandolfo, no primeiro dia de treinos sem o técnico Argel Fucks. O recado foi dado. O clube sabe que precisa melhorar e por isso vai atrás de um treinador com um perfil vencedor. Mas os jogadores também não ficaram imunes das cobranças na primeira entrevista concedida pelo departamento de futebol do Tigre, após a mudança na comissão técnica. Bastante sereno, Nei procurou mostrar serenidade nas falas e tentou passar tranquilidade ao torcedor. “Os números não ganham jogos. Estamos bem em alguns fundamentos, mas precisamos traduzir a superioridade em vitória. Os jogadores também tem a responsabilidade de uma recuperação”.

Data limite

A expectativa é acertar com o novo treinador até o final de semana. Nei Pandolfo não quis comentar nenhum nome em especial e tentou fugir das perguntas sobre o novo comandante. O auxiliar técnico Grizzo não chegou a comandar o treino de ontem. O treinamento foi um coletivo contra uma formação sub-17. Ficou evidente que desta vez o clube não irá apostar em Grizzo. “No mais tardar até o domingo vamos anunciar o novo treinador, que irá dirigir a equipe contra o Juventude”, sinalizou.

NÚMEROS DE LUIZ CARLOS WINCK NO TIGRE

21 JOGOS

09 VITÓRIAS

07 EMPATES

05 DERROTAS

(Fonte: Meu Time Na Rede)

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 10/05/2018 - 13:16Atualizado em 10/05/2018 - 13:19

Acompanhe o Debate Aberto da Som Maior FM100,7, desta quinta-feira, dia 10. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Fernanda Zampoli, Coronel Márcio Cabral, Chico Baltazar e João Pedro Hermann.

Em pauta: Saída de Argel Fucks do Tigre e a política nacional.

 

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 09/05/2018 - 22:02Atualizado em 09/05/2018 - 22:10

O lado fraco da corda...

Infelizmente esse é o mundo do futebol. O técnico é sempre o lado mais fraco da corda. É mais fácil demitir o treinador, do que dispensar uma dezena de jogadores e saber remontar um elenco mal planejado. E foi assim o fim da terceira passagem de Argel Fucks no Tigre. Ele pagou o preço de uma equipe montada sem investimento. Mas ao mesmo tempo Argel cometeu inúmeros erros, afinal não teria sete derrotas à toa. Teve a teimosia no esquema 4-1-4-1, que mais parecia um 4-3-3, falido. Não conseguiu, mesmo com toda limitação, fazer o time ser minimamente organizado. Teve também as entrevistas infelizes jogando o torcedor contra a direção. Tudo isso contribuiu para a demissão. O Criciúma Esporte Clube é uma empresa e por mais que ela cometa erros, existe uma hierarquia.

Argel teve um aproveitamento de 40% na terceira passagem pelo Tigre (Foto: Caio Marcelo)

Incoerência

As incoerências de Argel começaram logo que os primeiros maus resultados apareceram. Antes, na hora de acertar o contrato com o Tigre, Argel prometeu mundos e fundos. Disse que “jogaria o jogo” da direção. Mas logo pediu reforços, ganhou e, não satisfeito, continuou enfatizando a fraqueza do elenco. Parecia o dono do clube. A grande verdade é que Argel sempre foi assim. Expansivo. Se intrometeu em todos os departamentos. E dependendo da maneira que isso é feito, pode acabar causando atrito com os demais componentes da direção. Argel nunca foi o nome preferido de Dal Farra e isso também pesou.

Discurso contraditório

Após a derrota em Campinas, Argel Fucks defendeu veementemente o esquema tático. E logo depois o superintendente, Robson Izidro, disse que cobraria uma mudança de esquema do treinador. Convenhamos, nem na várzea isso é visto. Erro de Izidro em ter exposto um sentimento de torcedor. E pura teimosia de Argel em não admitir a inoperância do time. A forma que a equipe estava sendo armada não vinha dando certo.

Robson Izidro cobrou mudanças de esquema em entrevista ainda em Campinas (Foto: Denis Luciano)

Aproveitamento pífio

Argel teve um aproveitamento de 40%. Foram as cinco vitórias do famigerado Campeonato Catarinense e só. Teve também dois empates no Estadual. As cinco derrotas da Série B, somadas as duas do Catarinão, culminaram com a saída. É incrível como o presidente Jaime Dal Farra não aprende com os erros. Em meio a tantos equívocos, o Tigre irá para o quarto comandante técnico na temporada. Primeiro foi o Lisca, depois Grizzo, de maneira interina, e por último Argel. Boa sorte ao próximo. Vai precisar.

Faltam 45 pontos

Faltam 33 rodadas para acabar a Série B e o Tigre necessita de 15 vitórias para não cair. É a triste realidade no Majestoso. Para sair dessa situação somente com um trabalho competente, que passa pela contratação de um bom treinador e por um departamento de futebol que saiba achar as peças necessárias. Não adianta demitir todo mundo agora. É preciso ter serenidade, mesmo que pareça improvável alcança-la no momento.

Menos gritaria, mais estratégia

Se o Criciúma acertar com um treinador de perfil motivador irá cometer mais um equívoco. O momento pede um treinador sereno, experiente, estrategista, mas que também saiba da necessidade de o time voltar a vencer logo. Lembrando que dos próximos três jogos, dois serão fora de casa. E um deles é o clássico contra o Avaí. É mole!?

Destaque A Tribuna

Parte da torcida contestou a demissão de Argel Fucks, afirmando que o treinador foi mais um injustiçado. Discordo completamente desse raciocínio. Injustiça foi o que fizeram com Gelson Silva, em 2007, Caio Júnior, em 2014 e com Luiz Carlos Winck, em 2017. Por sinal, Winck é o nome preferido do Tigre. Será que vão conseguir persuadir o treinador? Conversei com o técnico ainda no final do ano passado e ele se mostrou bastante magoado com a direção da época. A bronca era com Edson Gaúcho. Hoje a situação pode ser outra.

Winck está atualmente no Caxias (Foto: Criciúma)

Nota Zero

Levantamento feito pelo jornalista Érick Behenk mostra que o Criciúma nunca escapou de um rebaixamento quando teve cinco derrotas seguidas. A última experiência parecida foi em 2014, quando estava na elite do futebol brasileiro. Além de ter feito o pior começo da história numa competição, seja de nível estadual ou nacional, o Tigre terá que quebrar a escrita que aponta uma grande chance de queda para a Terceira Divisão. Acorda, Tigre!!

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 09/05/2018 - 13:34Atualizado em 09/05/2018 - 13:39

Acompanhe o Debate Aberto, da Som Maior FM100,7, desta quarta-feira, dia 9. Participaram do programa os seguintes debatedores: Marco Búrigo, Sarandi, Joni Márcio, Humberto Feldmann e Márcio Campos Neves.

Em pauta: ICMS, Eleições 2018 e a crise do Criciúma.

Logo na abertura o repórter Denis Luciano trouxe as informações do Tigre, que vive uma crise que parece interminável.

 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13