Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Duratex fecha unidade em Minas e reforça Criciúma

Fim das operações em Santa Luzia vai aumentar capacidade produtiva da unidade criciumense da Cecrisa
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 04/09/2019 - 14:06Atualizado em 04/09/2019 - 14:13
Foto: Amanda Farias / 4oito / Arquivo
Foto: Amanda Farias / 4oito / Arquivo

O fechamento da unidade da Cecrisa em Santa Luzia (MG), anunciado no começo da semana pela Duratex, vai reforçar as operações fabris da empresa em Criciúma. Ocorre que a Duratex assumiu recentemente o controle da Cecrisa, e transferirá para o complexo em Criciúma as atividades que eram desempenhadas nas instalações recém fechadas em Minas Gerais.

A operação com revestimentos cerâmicos em Santa Luzia, sob a marca da Cecrisa, estava suspensa desde junho do ano passado, e até então vinha com pouca produção em disparidade com o alto custo de manutenção. A empresa assegura que não haverá impacto na capacidade de produção dos revestimentos, já que toda a demanda será transferida para Criciúma. A Duratex já havia anunciado o fechamento de uma fábrica no Rio Grande do Sul. 

Unidade da Cecrisa e Portinari na Rodovia Luiz Rosso / Foto: Denis Luciano / Arquivo / 4oito

Abaixo, a nota oficial lançada pela Duratex sobre o fechamento da fábrica de Minas Gerais:

Comunicado ao mercado
 

Encerramento da operação da Unidade de Revestimento Cerâmico de Santa Luzia (MG)

 

DURATEX S.A. (“Duratex” ou “Companhia”) comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, na data de hoje, encerrou as operações da unidade de revestimentos cerâmicos de Santa Luzia (MG), que operava sob a marca Cecrisa e se encontrava com as operações suspensas desde junho passado. A decisão deu-se em decorrência da baixa escala de produção e dos elevados custos da unidade.

 

Os ativos fabris serão transferidos para a unidade de Criciúma (SC), não impactando assim a capacidade produtiva de revestimentos cerâmicos da Companhia e mantendo o atendimento aos clientes inalterado.

 

Com o encerramento das operações de Santa Luzia (MG), a Duratex irá ampliar a capacidade produtiva de grandes formatos da unidade de Criciúma (SC), além de aumentar a produtividade deste parque fabril e aperfeiçoar o sistema logístico com a consolidação de cargas. Desta forma, os gastos envolvidos com o fechamento da unidade serão rapidamente compensados pela redução dos custos e pelos ganhos em rentabilidade advindo do aumento da exposição a produtos com maior valor agregado.

 

Com essa iniciativa, a Companhia reforça o seu empenho no processo de integração da Cecrisa S.A. em sua divisão de revestimentos cerâmicos, buscando maximizar a produtividade de suas operações, e o seu compromisso de geração de valor para seus acionistas. 

 

A Duratex agradece aos colaboradores por todo o profissionalismo que ao longo desses anos permitiu a operação desta unidade.

 

São Paulo (SP), 2 de setembro de 2019.
CARLOS HENRIQUE PINTO HADDAD
Diretor de Relações com Investidores

A compra

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) anunciou no começo de agosto a aprovação formal da compra da Cecrisa pela Duratex, em uma operação que envolveu o total de R$ 539 milhões, sendo R$ 264 milhões em dinheiro. Há uma dívida líquida assumida de R$ 442 milhões, perfazendo um total próximo de R$ 1 bilhão.

Confira também

 

Mesmo com a Duratex, Cecrisa e Portinari mantêm identidade

Ceusa dá início ao projeto de expansão em Urussanga

Um dia normal e de expectativas na Cecrisa

Cecrisa foi vendida por R$ 981 milhões

Cecrisa: Há um ano a meta era vender ainda mais

Quem é a nova proprietária da Cecrisa e Portinari

Cecrisa emite nota sobre a venda para a Duratex

Ceusa, Eliane, Cecrisa: os negócios milionários