Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Cade aprova e Duratex assume o comando da Cecrisa

Negociação foi fechada em maio. Transação envolveu mais de R$ 530 milhões
Por Redação Criciúma, SC, 01/08/2019 - 16:38Atualizado em 01/08/2019 - 16:46
Foto: Denis Luciano / 4oito / Arquivo
Foto: Denis Luciano / 4oito / Arquivo

A aquisição da Cecrisa pela Duratex, anunciada em 22 de maio, foi concluída nesta quarta-feira, 31, após aprovação sem restrições pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), no final de junho.  O valor total da operação foi de R$ 539 milhões, composto por pagamento de R$ 264 milhões em dinheiro e preço adicional de até R$ 275 milhões, na hipótese de verificação futura de determinadas condições suspensivas. O valor da dívida líquida da companhia é de R$ 442 milhões.

Com esse novo negócio, a Duratex amplia seu portfólio que reúne atualmente as marcas Deca (louças e metais sanitários), Hydra (produtos para aquecimento de água e válvulas), Ceusa (revestimentos cerâmicos), Duratex (painéis de madeira e revestimentos de paredes e forros) e Durafloor (pisos laminados e LVT).

A Cecrisa é referência para indústria nacional por oferecer qualidade e confiança em seus produtos, além de ser detentora da marca premium Portinari, uma das mais conhecidas do mercado. Possui capacidade de produção de 20 milhões m²/ano em três unidades fabris no Brasil, sendo duas em Criciúma (Santa Catarina) e uma em Santa Luzia (Minas Gerais), contando com o efetivo de 1.700 colaboradores. A empresa apresentou receita líquida de R$ 652 milhões e EBITDA de R$ 112 milhões em 2018. Com a assinatura final de compra, a empresa será incorporada aos resultados financeiros da Duratex a partir de agosto, com expectativa de capturar gradualmente sinergias operacionais e administrativas acima de R$ 250 milhões. 

A aquisição integra a estratégia da Duratex de atuar em quatro grandes segmentos: madeira; louças e metais sanitários (Deca/Hydra); celulose solúvel e revestimentos cerâmicos.

Sinergia

Somando os 20 milhões de metros quadrados da capacidade produtiva atual da Cecrisa, aos 11 milhões de Ceusa, a Duratex terá capacidade para produzir 31 milhões de metros quadrados anuais de revestimentos, consolidando-se como uma das maiores empresas do segmento.

De acordo com Antonio Joaquim de Oliveira, presidente da Duratex, há espaço para mais consolidações no setor de revestimento cerâmico no Brasil. Com Ceusa e Cecrisa juntas, a companhia passa a deter cerca de 3% desse mercado, que é muito pulverizado. “Estaremos entre as maiores empresas de porcelanato. Nosso objetivo é sermos líderes em rentabilidade. Temos condições de manter, no segmento, as margens que possuímos na Ceusa”, destaca.

A Duratex

A Duratex é controlada pela Itaúsa - Investimentos Itaú S.A. - e pela Companhia Ligna de Investimentos. Com as marcas Deca, Hydra, Duratex, Durafloor e Ceusa, é considerada uma das 10 maiores empresas do mundo nos setores nos quais atua e a maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul. Com sede em São Paulo, possui 22 unidades industriais e florestais estrategicamente localizadas (Estados de Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além de três fábricas de painéis na Colômbia - Duratex Colômbia. A Duratex também é proprietária da LD Celulose por meio de joint venture com o Grupo Lenzing e da Caetex, joint venture criada para o plantio de florestas de eucalipto em Alagoas. Suas ações estão listadas no Novo Mercado (o mais elevado padrão de Governança Corporativa) e na versão 2019/2020 da B3 - ISE.

Confira também:

 

Um dia normal e de expectativas na Cecrisa

Cecrisa foi vendida por R$ 981 milhões