Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mesmo com a Duratex, Cecrisa e Portinari mantêm identidade (VÍDEOS)

Aquisição do grupo girou em torno de R$ 539 milhões. Empresa deverá se fortalecer ainda mais no mercado
Amanda Farias
Por Amanda Farias Criciúma, SC, 07/08/2019 - 18:10Atualizado em 07/08/2019 - 18:14
Fotos / Vídeos: Amanda Farias / 4oito
Fotos / Vídeos: Amanda Farias / 4oito

Foi apresentada nesta quarta-feira, 7, à imprensa a nova equipe que agora compõe o Grupo Duratex, uma das dez maiores empresas do mundo nos segmentos que atua, isso porque desde o início do mês de agosto a empresa adquiriu o grupo Cecrisa/Portinari. Agora, as marcas se unem também à Ceusa, ambas empresas de revestimentos cerâmicos da região Sul que fazem parte do Grupo Duratex. A partir de agora, a companhia ampliará sua atuação no mercado em três fortes segmentos: madeira (Duratex); metais e louças (Deca/Hydra) e revestimentos cerâmicos Ceusa/Cecrisa/Portinari). 

A aquisição da Cecrisa, que foi anunciada em 22 de maio e concluída em 31 de julho, teve o valor total de R$ 539 milhões. Há mais de 70 anos no mercado, a Duratex é uma empresa nacional, privada e de capital aberto, controlada pela Itaúsa e pela Companhia Ligna de Investimentos. Além da aquisição da Cecrisa/Portinari, a empresa também possui as marcas Deca, Hydra, Duratex, Durafloor e Ceusa. Todo o grupo passa a contar com cerca de 13 mil funcionários.

Sinergia entre as duas empresas

Apesar de serem marcas distintas, com identidades, público-alvo e posicionamentos também diferentes, a aquisição das duas empresas deverá fortalecê-las ainda mais no mercado, unindo-as, em vez de competirem, fazendo com que se complementem. O que as marcas carregam em comum é a identidade regional, mas cada uma possui a sua particularidade: a Portinari, com um toque de sofisticação e elegância, harmoniza de forma clássica com cores monocromáticas e neutras, já a Ceusa, carrega uma identidade mais moderna, repleta de cores intensas. 

“Nós estamos aqui para somar valores e não destruir valores, nós não podemos concorrer entre nós mesmos, então está claro que a gente tem posicionamento diferente, mas as empresas se complementam, então o segredo é dar força a isso, continuar investindo nas estratégias de cada marca no sentido de se complementarem e não competir entre si”, arremata Gilmar Menegon, diretor de revestimentos cerâmicos da Duratex. A estratégia, portanto, é manter as características de cada empresa. 

Segundo o diretor comercial no setor cerâmico da Duratex, Paulo Benetton, neste momento a empresa está fazendo um planejamento em relação à fusão de todas as empresas. “Estamos muito felizes de poder participar de um grupo de sucesso, com empresas solidas, marcas fortes e participação relevante no mercado. Estamos muito contentes, motivados, felizes, animados e com esse ânimo vamos transferir isso ao mercado para fazer propostas comerciais, de valor, motivando nosso time e, também, continuar adquirindo e crescer no mercado”, salienta Benetton.

“As marcas são muito fortes – Cecrisa, Portinari e Ceusa. Então o nosso objetivo está em fazer investimentos de modernização tecnológica, a transformação cultural no jeito de ser e fazer Duratex, dentro do nosso propósito que é soluções para melhor viver, buscar oferecer cada vez mais soluções para os clientes, com produtos diferenciados”, destaca Menegon. Ele acrescenta ainda que o maior desafio atualmente é ser a melhor empresa de cerâmica do Brasil, visto que a Duratex possui compromisso com qualidade e responsabilidade.  

Com o investimento de expansão da unidade industrial de Urussanga, quando a Duratex comprou 100% da Ceusa há cerca de dois anos, e agora com a integração da Cecrisa e Portinari, o grupo possui 9% de representatividade no mercado nacional, empatado com outra marca do mesmo segmento em Santa Catarina. No entanto, o foco do grupo Duratex não está em ser a maior empresa do mercado, mas em ser a melhor, com maior rentabilidade e máquinas mais modernas, além de buscar compromisso com a comunidade.

Com a fusão das empresas ao grupo Duratex, a capacidade de produção irá aumentar significativamente.  A partir de agora, a capacidade produtiva será de 31 milhões de metros quadrados anuais, somando os 20 milhões de metros quadrados da Cecrisa, aos 11 milhões da Ceusa. Dessa forma, a Duratex irá se consolidar como uma das maiores empresas do segmento.

Anúncio de investimentos 

No mês de setembro o grupo irá inaugurar uma nova linha, na unidade de Urussanga, a fim de oferecer mais produtos, com as marcas Ceusa, Cecrisa e Portinari. A fábrica irá seguir o modelo de uma indústria 4.0, regada às tecnologias mais avançadas, com foco no mobile, permitindo que os funcionários possam operar as máquinas através do celular. Serão produzidas marcas distintas na mesma fábrica, mas com o produto final moderno e tecnológico.

Além disso, vale ressaltar que depois da aquisição da Duratex, Ceusa investiu mais de R$ 5 milhões em modernização fabril e em tecnologia, visto que até então, o último investimento da empresa havia sido em 2006. Em se tratando da Portinari, o último investimento relevante foi em 2015, portanto há projetos de expansão e investimentos significativos para o futuro.