Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Semana da Criança: para que serve a brincadeira? Parte III

Ananda Figueiredo
Por Ananda Figueiredo 11/10/2017 - 16:30Atualizado em 11/10/2017 - 17:29

Vamos a mais um post da semana da criança! Está acompanhando? Não? Então confira os dois primeiros aqui e aqui. Enquanto isso, vamos a mais cinco razões para seu pequeno brincar:

11) A brincadeira pode ajudar seu filho ou filha a comer melhor. Como? Não, não estou falando de aviãozinho. Transforme a alimentação em algo interessante para a criança! Você pode levá-la à feira e desafiá-la a acertar as frutas pelo cheiro, pode vendar os olhos e incentivá-la a descobrir qual é o alimento apenas pelo sabor, pode criar um jogo de experimentar um alimento novo a cada dia ou uma disputa de quem bebe mais água... Que tal?

12) A obesidade infantil tem se tornado um frequente problema. Por outro lado, na grande maioria das brincadeiras, a criança precisa mexer o corpo, certo? Pronto, aqui temos uma razão motivada na saúde do seu filho ou filha para incentivá-lo a brincar. Aqui (confira a tabela na página 03) você conseguirá recomendações e sugestões da Sociedade Brasileira de Pediatria  a respeito doc combate do sedentarismo na infância e adolescência, adequadas a cada faixa etária.

13) Desde o "cadê? achou!" do bebê e dos ainda desengonçados primeiros passos até a montagem de pulseiras de miçanga, as brincadeiras permitem que seu filho e filha desenvolva a coordenação motora, da mais ampla à fina. Mas, claro, isto apenas se você permitir que ele corra, tropece, caia e levante novamente ;)

14) É na brincadeira também que fazemos os primeiros ensaios de como se comportar diante das frustrações, de como se adaptar e se desenvolver a partir delas, seja quando a criança perde no jogo ou quando o amigo ou amiga não quer brincar da mesma coisa que ela. Se não superproteger é palavra de ordem na educação de crianças, estas são exclentes experiências para que a criança aprenda a administrar suas decepções e enfrentar as adversidades.

15) O contato com o diverso está presente na brincadeira e isso traz uma lista de benefícios: respeito ao diferente, desenvolvimento da tolerância, criação de novos exemplos e referências... O brincar ainda pode romper com estereótipos, como o de gênero, por exemplo. Diferentemente do que pensam algumas autoridades da nossa região, não há "viadagem" alguma em meninos brincarem de bonecas ou meninas de carrinho. Aliás, uma pesquisa das Universidades de Princeton e Illinois (EUA) concluiram que meninas de nove e dez anos já acreditam que ser "gênio" é algo destinado apenas ao sexo masculino. Que tal usarmos o brincar para educar crianças mais felizes, livres e empoderadas?

Encontro você amanhã, com mais cinco razões. Até logo!

4oito

Deixe seu comentário