Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Vereador compra votos e áudio espalha nas redes

Vereador é da Amesc e já disputou varias eleições
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/11/2020 - 07:23

Um vereador da AMESC candidato à reeleição foi gravado fazendo operação de compra de votos.

Negocia com duas mulheres. Tudo muito à vontade.

Acerta por $ 70,00 cada voto, mais a gasolina. São os votos das duas eleitoras e dos parentes. Valor total da Operação - r$ 600,00. Ele paga na hora. Cash.

O áudio está na rede.

O vereador é conhecido, já disputou várias eleições.

Na gravação, depois de fechar a operação de compra e venda, ele dá todas as orientações como votar, e alerta para os cuidados que devem ter para evitar problemas com a polícia.

Para fechar a operação, elas pedem um churrasco para comemorar a eleição.
E ele revela a decisão de ser candidato a prefeito ou vice na próxima eleição, nem que tenha que mudar de partido.

Por fim, o vereador ainda se faz galanteador, dizendo que gosta de mulher, e fica louco quando vê um rabo de saia.

Isso em pleno ano 2020.
Com tudo isso que está acontecendo por aí.
Lava jato, Policia Federal, Gaecco, Justiça Eleitoral, redes sociais.

Que mundo vivem ? Os três!

As duas eleitoras que venderam os votos na maior naturalidade, como se estivessem comprando verdura na feira.
E o vereador, veterano, experiente, bem informado, que compra o voto com naturalidade, a ponto de fazer pechincha.

Vereador que, de acordo com os seus planos e projetos, dentro de quatro anos pode virar prefeito ou vice.

Se hoje compra votos, o que fará se estiver no comando da prefeitura da cidade?

Enfim, desnecessário dizer, mas isso é crime.
Todo mundo sabe. Inclusive os três.

E todos os outros que estão por comprando e vendendo votos.

Apostam na impunidade. Que não vai dar em nada. Que é assim mesmo.

Mas, não é. E não pode ser.
Isso é velho. Vencido. E precisa ter conseqüência.

No caso especifico, e em todos os outros.

O desafio está colocado para as autoridades, que tem obrigação de agir. Provocados, ou não. O fato é público.

A mudança passa pelo eleitor, que deve denunciar práticas do tipo.
Não adianta gritar contra a corrupção dos outros, lá de longe, e por aqui continuar fazendo compra ou venda de voto.
 

4oito

Deixe seu comentário