Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Só no próximo mandato

Nada será tratado, ou encaminhado, na câmara de Criciúma, ainda em 2019, sobre corte de despesas.
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 12/12/2019 - 06:51Atualizado em 12/12/2019 - 07:05

Nada será tratado, ou encaminhado, na câmara de Criciúma, ainda em 2019, sobre corte de despesas. Foi o que disse ontem à noite, depois da sessão solene para entrega de títulos, o presidente da câmara, vereador Miri Dagostim, PP. Ele disse que o assunto terá que ser tratado com todos os vereadores e, por isso, vai ficar para o ano que vem. Via da regra, mudanças do tipo são feitas de um ano para o outro.

Sendo assim, se a discussão sobre o assunto ficar mesmo para 2020, qualquer mudança só no próximo mandato (que vai começar em 2021). O documento conjunto de Forcri e Observatório Social, entregue na câmara de vereadores, não foi suficiente para convencer os vereadores da importância de rever o que está posto. Mas Forcri e Observatório registraram com perfeição o que é o sentimento das ruas e entre o cidadão pagador de impostos. Registraram a sugestão de cortar pela metade o número de assessores parlamentares (cabos eleitorais pagos com dinheiro público) Hoje cada vereador tem pelo menos dois assessores, e passaria a ter um. Daria uma economia/ano de quase r$ 1,5 milhão.

Outra sugestão: rever a situação dos servidores efetivos, que são 16, tem salário médio de r$ 16 mil e cumprem carga horária de 30 horas semanais. Por fim, e principalmente, fizeram a defesa de redução de 5% para 2,5% do repasse da receita do município para a câmara e emanaram um argumento importante, que não pode deixar de ser considerado - "as receitas correntes da prefeitura estão subindo na razão de 13%, o que vai fazer elevar ainda mais o valor do repasse".

E a câmara fica guardando dinheiro que sobra (o que não é pouco), coloca na aplicação financeira, enquanto falta no caixa do executivo para questões básicas. Os vereadores erram ao decidir ignorar o assunto. Não podem dar de ombros simplesmente. Serão cobrados nas ruas (e com razão). Principalmente a partir de janeiro, ano eleitoral

A mudança

Miri Dagostim será presidente da Câmara até o dia 31 dezembro. O novo presidente será eleito nos próximos dias. Pelo acordo politico que existe, provavelmente será o vereador Tita Beloli, MDB. Quando foi eleito presidente, Miri prometeu reduzir o percentual de repasse da receita do município para a câmara mas, depois que assumiu, mudou o discurso.

Rogério e a Justiça

O encerramento do processo de recuperação judicial da Criciuma Construções não quer dizer que o empresário Rogerio Cizeski esteja livre, leve e solto, sem nenhum compromisso com os credores. Ele reassume a empresa com respeitável patrimônio, mas ficou estabelecido no processo que ele terá que resolver os casos que ainda ficaram pendentes. Não está definido como, nem em quanto tempo, mas ele terá que apresentar um plano para isso à justiça.

Os juizes Pedro Aujor, que começou o processo, e Rafael Spillere, que encerrou, cumpriram a lei à risca. Não há o que questionar em relação ao que eles fizeram. É a lei. Da mesma forma, o gestor judicial e o administrador judicial, Zanoni Elias e Agenor Dalfemback, e os advogados da empresa no processo, Alexandre e Lucas Farias.

Cizeski terá que contratar uma gestão técnica e começar a resolver as pendências em curto prazo. Se os compromissos não forem atendidos, ou se a empresa voltar a ter problemas de gestão, os desdobramentos podem ser graves.

Com Bolsonaro

José Carlos Spricigo, presidente da Librelato, e Olvacir Fontana, presidente da Construtora Fontana, participaram de encontro de empresários, ontem, em Brasília, com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes. Abaixo as impressões de Fontana:
1 - Como foi o encontro?
Olvacir Fontana - "Foi uma homanagem ao Presidente e ao Ministro pelas mudanças feitas no país para retomada do desenvolvimento e do crescimento. Também foi apresentada uma pesquisa que mostrou a aprovação do seu governo pelo setor produtivo, com índices de 60% a 70%".
2 - Presidente e Ministro animados para 2020?
Fontana - "Os empresários estavam mais otimistas que o governo, porque neste último trimestre a maioria as empresas tiveram crescimento no faturamento, a mostrar que o país já retomou o caminho do crescimento".
3 - O que eles passaram?
Fontana - "Foi uma explanação dos objetivos do governo, a situação de momento e qual a direção que o governo vai seguir. Ficou evidente que a grande pauta, o grande desafio pela frente, é diminuir o tamanho do estado e ampliar o apoio aos empreendedores".

O novo

O candidato do MDB ao governo em 2022 pode ser do norte do estado. Antídio Lonelli, prefeito de Jaragua do Sul. Empresário, nome novo no processo politico, fazendo gestão vencedora. É candidato a reeleição e, se vencer, fica forte para 2022. Já se articula para isso. Ele é dirigente da CNI (Confederação Nacional da Industria) e ontem foi recebido em almoço pelo presidente Bolsonaro no Planalto.

As previsões

O ex-ministro catarinense Jorge Bornhausen, hoje sem filiação partidária, mas ativo nos bastidores, matriculado nos principais grupos de discussão política no país, fez previsões que foram registradas pelo jornalista Moacir Pereira.
1 - Diz que não será aprovada na câmara dos deputados a PEC paralela da reforma da previdência, porque os governadores e prefeitos do nordeste são contra.
2 - Não acredita na aprovação da reforma tributária, pois há dois projetos distintos tramitando no Congresso Nacional, sem consenso, e o governo até agora não apresentou sua proposta.
3 - Sobre as eleições municipais de 2020, aposta que os ventos da mudança continuarão soprando, mas com maior qualificação sobre os candidatos.
4 - Manifestou nítida simpatia por Luciano Huck como candidatos presidência a república em 2022. "Ele tem ideias claras a respeito do sistema político, conhecimento da realidade brasileira e, sobretudo, prioridade a qualificação do ensino público fundamental.

Na frente

O "tri" da Unesc é uma vitória da cidade, porque trata-se da única universidade comunitária que tem reconhecimento como a que mais investe em pesquisa no estado, entre as instituições não estatais. Já havia sido primeiro lugar em 2017, repetiu em2018, a agora de novo em 2019. Além disso, ressalta o trabalho que vem sendo feito na gestão liderada pela reitora Luciane Ceretta.

Pedal e as ciclovias

O prefeito Clesio Salvaro vai receber hoje, 9h, um grupo de ciclistas, sob a liderança de João Luis Virtuoso, para discutir a possibilidade de um projeto para implantação e ciclovias na cidade.Na terça-feira, o grupo se reuniu com equipe técnica da Unesc, que assumiu compromisso de montar o projeto, ou dar a assistência/retaguarda necessária.

Porto Seco

Uma comitiva do setor de transporte de carga de Criciúma vai lotar um ônibus e seguir hoje cedo para Florianópolis. Duas audiências na agenda para tratar do Porto Seco. A primeira, 10h, com o presidente da Assembléia, deputado Julio Garcia. A segunda, com o secretário de infraestrutura do estado, Carlos Hassler.

Nas duas, o objetivo é conseguir liberação de recursos para conclusão das obras do Porto Seco Seja por emendas parlamentares, ou do caixa do estado.

Tags: Adelor Lessa

4oito

Deixe seu comentário