Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Ser parceiro dos parceiros. Os exemplos pelo Mundo

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/05/2020 - 07:15Atualizado em 27/05/2020 - 07:25

A pandemia vai passar. Não temos dúvidas. Como estarão nossas empresas depois da pandemiia? É preciso tratar delas. Do CNPJ. Elas que dão receita, sustento, elas que fazem girar a roda, elas que garantem as cidades. É preciso tratar delas pois elas representam emprego, renda e receita para as cidades. Temos que enfatizar sempre.

A Unesc, a nossa Universidade, a Universidade que tem uma relação direta com o fomento à economia, e nesse espírito, de pensar no amanhã, independente de a pandemia passar agora ou amanhã, com esse pensar, a Unesc faz hoje um debate oportuno, uma live sobre a economia pós pandemia. Para isso, e sobre isso, eu fui saber como estão tratando lá fora, pois ninguém vai se levantar sem ajuda, sem apoio. Ninguém caiu porque quis. As empresas atolaram, enfrentaram crises, crise que é mundial, ninguém estava preparado. 

Foi tipo um tsunami que levou tudo. Procurei saber como estão tratando lá fora as empresas e os empreendedores. O primeiro que tem que apoiar o empreendedor é quem recebe todos os meses dinheiro graúdo das empresas, o governo. Eu fui atrás. Na Alemanha, empresas com até cinco funcionários recebem do governo duas parcelas de 5 mil euros, recurso repassado sem compromisso de devolução. Não é empréstimo. No caixa, estamos juntos. Só precisa depois confirmar a aplicação do dinheiro.

Empresas médias, maiores, recebem 30 mil euros do governo alemão. É aporte. Só precisa depois comprovar a destinação. E os médios  e pequenos podem fazer empréstimo de 25% do faturamento com juro de 3% ao ano. Ali do lado, na Itália, o governo garante 25 mil euros para pequenas empresas, sem necessidade de avaliação da capacidade creditícia do beneficiado. Ter que dar garantias reais? Não. Está todo mundo quebrado. Não tem como dar essas garantias.

Lá, na Itália e na Alemanha, o dinheiro é liberado em três, quatro dias. Não tem esse negócio de eternidade.

É o caminho a ser trilhado nesse momento por aqui. Isso é trabalhar com o mundo real. Não adianta ficar projetando muito à frente. Não se tem certeza de quantos estarão vivos. É por aí que nossos políticos devem trilhar. Não adianta chorar as pitangas e reclamar do mundo. Não é hora de briga política. Tem que buscar soluções, como essas que o mundo desenvolvido encaminha.

A Unesc presta um grande serviço para a discussão do mundo real. Parabéns à Universidade. No mundo pós pandemia, será momento também de refazer ou consolidar relações. Quem é parceiro, é nessas horas. Quem não é parceiro agora, não merece parceria depois. A tempestade vai passar e no tempo bom todo mundo aparece. Lembre de quem te estende a mão. A ordem é postergar. Quem te afogar com juros, cartório, não é teu parceiro. Anota, e depois troca. Troca de banco, de locador, de fornecedor. Troca. Na crise é hora também de fidelizar quem merece. Se for o caso, desapega, troca, faça novas relações. É uma dica para o pós pandemia.

Pensem nisso, e vamos em frente!

4oito

Deixe seu comentário