Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Protocolado na Assembleia o novo pedido de impeachment de Moisés

Leia íntegra do novo pedido, assinado por grupo de advogados e dirigentes de entidades
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 10/08/2020 - 17:17Atualizado em 10/08/2020 - 22:12

Acaba de ser protocolado na Assembléia Legislativa o novo pedido de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva e da vice-governadora Daniela Reihner.

O pedido tem 98 páginas. 

No primeiro parágrafo, anuncia os fatos que vão nortear o pedido, envolvendo Governador e Vice:

"Se a corrupção e a quebra dos deveres prometidos quando da eleição motivam o impedimento de quem feriu a confiança de seus cidadãos, com muito mais razão devem fazê-lo agora, quando o Estado sucumbe frente ao inimigo invisível da doença, conferindo às ações e omissões de Carlos Moisés e Daniela Reinehr (praticadas até mesmo sob o manto da calamidade pública) os contornos da mais pura maldade e perversidade".

Na seqüência, os advogados que assinam o pedido arrematam:

"Quando castigado pelo temor da morte, não foi o povo amparado, mas apunhalado pelas costas. O desemprego é o maior da história. A recessão econômica e empresarial é avassaladora. No momento em que se apegava o Estado às esperanças da melhoria na saúde pública, seus governantes escolheram o lucro, a ganância e os favores pútridos. Ansiando a população por transparência e retidão, retornou-lhe a torre com sigilos ditatoriais".

Usando como figuração que "piloto e co-piloto sumiram", os autores do pedido revelam os rastros dos atos cometidos, flagrantemente ilegais e tipificados como crime de responsabilidade, em prejuizo a todo o estado de Santa Catarina.

Afirmam que está evidente a participação do Governador e da Vice em todos os atos.

Faz referência ao hospital de campanha, anunciado para Itajaí, ligando com a "operação" dos respiradores:

"O hospital de campanha orçado e negociado em roda de amigos (sob prenome de dispensa de licitação) de forma abjeta, levaria mais de R$ 70 milhões do nosso suado dinheiro público. O que não se dizer dos respiradores chineses, que nunca supriram uma grama de oxigênio ao nosso bravo povo, mas que levaram nossos suados R$ 33 milhões, sob o mesmo modus operandi".

Nas 98 páginas, o pedido é contundente,  citando legislação e fatos, e relacionando os supostos crimes de responsabilidade.

Abaixo, o pedido:

 

4oito

Deixe seu comentário