Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Prefeitos fizeram gambiarra no decreto e levaram invertida do Judiciário

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 31/07/2020 - 08:42Atualizado em 31/07/2020 - 09:16

No pior momento da pandemia o que mais se esperava dos prefeitos e agentes públicos era a unidade. Mas eles se dividiram na região.

E aí está o primeiro equívoco dos prefeitos da Amrec na semana.

Os prefeitos acabaram adotando regras diferentes.
Içara e Criciúma, por exemplo, passaram a ter regras diferentes.
São cidades conurbadas, ligadas, o cidadão mora numa e trabalha na outra.

Então, o cidadão vai ter que cumprir determinadas regras durante o dia, e outras regras à noite e fim de semana. Confuso, sem sentido.

Depois, os prefeitos que fizeram maioria na Amrec e optaram por um decreto diferente. Disseram que seguiram aconselhamento dos técnicos.
Mas, não seguiram.
Porque os técnicos da saúde, e o Conselho de secretários municipais de saúde, não falaram em fechar supermercados.
A ideia de fechar supermercados saiu da cabeça dos prefeitos.

E eles não consideraram que quanto mais alongado o horário de funcionamento dos supermercados, vai distribuir os clientes e vai diminuir o risco de aglomeração.
Quanto reduzir o acesso, maior a possibilidade de aglomeração

Os prefeitos descobriram que foi "bola fora", e mexeram no decreto. Fizeram uma gambiarra.
Mas, não corrigiram o equivoco. Mantiveram redução de horário de atendimento, com supermercados fechados no domingo e segunda-feira pela manhã.

Precisou o Judiciário corrigir.

A juíza de Orleans, Bruna Becker Búrigo, em decisão assinada ontem, fim da tarde, derrubou restrição ao funcionamento dos supermercados no município.
Liberou funcionamento aos domingos. E também mercearias, e padarias, e assemelhados.

A decisão da Juíza pode ter sido o início do fim do decreto.
É bem provável a decisão não fique só em Orleans.

O que os prefeitos precisam fazer, eles não querem fazer. Fiscalizar, e multar.
Contágio dá em festas privadas, em bares à noite, em eventos de grupos fechados.

Se agir ali, para desarticular, e multar, mas agir mesmo, seja onde for, com quem for, e multar quem não usar máscara, cumprindo o decreto, isso dá resultado.

Mas, em ano de eleição, isso pode fazer perder votos.

E ai, quando o politico pensa mais em voto do que fazer o que deve ser feito para enfrenar o vírus, como esperar consciência do eletiores, e liderados, e os outros enfim.

 

4oito

Deixe seu comentário