Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Moisés diz que contava com 18 votos na Alesc, e que não vai renunciar

Confira a entrevista do governador aos jornalistas da NDTV
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/09/2020 - 19:55Atualizado em 28/09/2020 - 23:14

O governador Carlos Moisés confessou que esperava 18 votos para derrotar o seu afastamento para abertura de processo de impeachment na Assembléia.
“Nós fomos dormir com 18 votos e acordamos com apenas 6”, disse agora a pouco durante entrevista na NDTV, durante entrevista para os jornalistas Moacir Pereira, Paulo Alceu e Márcia Dutra.

Na votação do seu afastamento para seguimento do processo de impeachment, na semana passada, o Governador precisava de 14 votos contra (ou que que tivessem 27 a favor, somando com abstenção ou ausência).

Mas, teve 33 votos a favor do afastamento, uma abstenção e apenas 6 contra.

Ele disse que agora acredita que o tribunal misto, formado por cinco desembargadores e cinco deputados, acabe derrotando a tese do afastamento, revertendo a situação desfavorável de hoje.

Mas, ele descartou a possibilidade de renúncia, em qualquer circunstância.
“Essa palavra não existe para nós, nós não consideramos, até porque acreditamos que a situação que está aí não vai prosperar e que não há justa causa para afastamento ou impeachment”, acrescentou.

Moisés voltou a sustentar que o processo de impeachment é eminentemente político com objetivo de retirar o atual governo, e não apenas o governador.
"O que se percebe é que se trata de um movimento 100% político, porque não existe justa causa em nenhum dos dois processos de impeachment que estão em andamento na Assembleia. Não existiram erros do governo que possam justificar os pedidos de impeachment”, arrematou.

Sobre o caso dos respiradores, ele disse:
"Governador não compra, então não é responsável”.

 

4oito

Deixe seu comentário