Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

As indefinições na eleição para governador e outras da coluna

Ainda não se sabe o que vem das urnas na eleição de domingo!
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 02/10/2018 - 06:55Atualizado em 02/10/2018 - 08:58

O candidato a governador do PT, deputado Décio Lima, falaria hoje às 7h35min, ao vivo, na Rádio Som Maior FM, na sequência da série de entrevistas com os candidatos na reta final da campanha. Estava marcado, e confirmado. Mas, ele mesmo telefonou para pedir que fosse remarcado para amanhã, porque quer ficar o dia todo se preparando para o debate na NSC TV, à noite. 
A decisão de Décio Lima deixa evidente a importância que está sendo dada ao debate de hoje à noite, o último da campanha.
E não só por ele. Os candidatos Gelson Merisio (PSD) e Mauro Mariani (MDB) também alteraram suas agendas. Ficarão boa parte do dia “concentrados”.
Isso tem a ver com as circunstâncias que marcam a eleição de 2018.
Um prefeito da região disse ontem: “sinceramente eu não sei o que virá das urnas no domingo, o ambiente na rua é muito estranho”.
Em outros tempos, nessa época a campanha para governador tomava conta das ruas. Hoje, não se vê praticamente nada. Ou, nada que seja espontâneo.
Para presidente, todo mundo tem opinião, tem argumentos, topa discutir. Mas, para governador, nada.
Por isso, um deslize maior, um “tiro certo” ou um fato novo relevante no debate de hoje pode efetivamente mudar o que está projetado.
No sábado, durante um casamento com mais de 600 pessoas, em Criciúma, o assunto mais falado foi eleição. Mas basicamente sobre Bolsonaro x Haddad, Ele sim x Ele não, porque Alckmin não subiu, a performance de Amoêdo e os movimentos de Ciro. Ninguém queria tratar da eleição para governador. 
O que mais se ouvia era “para governador, ainda não sei”!
Isso porque os candidatos não empolgam, não apresentaram propostas impactantes, fizeram campanhas frias.
E aí, ninguém briga por eles, ninguém fala deles.

Referência em pesquisa
O RUF (Ranking Universitário Folha), elaborado pela Folha de São Paulo, divulgado ontem, coloca a Unesc entre as 10 universidades não públicas do país que se destacam em pesquisa. É a universidade não pública do estado.
A Unesc ficou em sétimo lugar nesse indicador.
A fórmula do ranking da Folha é baseada em cinco indicadores - ensino, pesquisa, mercado, inovação e internacionalização.

Pesquisa IBOPE
O IBOPE divulgou ontem à noite nova pesquisa nacional sobre a intenção de votos para presidência da República.
Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos e agora tem 31%.
Haddad repetiu o mesmo número da pesquisa passada - 21%.
A rigor, Bolsonaro foi o único que cresceu.
Os indecisos foram de 7% para 5% e os brancos ou nulos, de 11% para 12%.

Jorginho com Bolsonaro
O candidato ao Senado, deputado Jorginho Mello (PR), trata de colar seu nome com Jair Bolsonaro na reta final da campanha. 
Ontem à noite, colocou no ar depoimento de Bolsonaro elogiando o senador Magno Malta (PR), dizendo que ele será o seu vice de honra. 
Depois, colocou depoimento de Malta pedindo para eleitores de Bolsonaro votar em Jorginho Mello para senador.

Emocionada

No comício do candidato a governador Mauro Mariani (MDB), ontem, em Joinville, a viúva do ex-governador Luiz Henrique, Ivete Appel da Silveira, não conteve a emoção e foi às lagrimas (foto).
Ela lembrou do marido e pediu que Mauro desse continuidade ao trabalho que ele fez, levando desenvolvimento ao estado.

Na Igreja
Na missa de domingo, o padre Marcos Ferreira pediu que todos votem, cumprindo o dever de cidadão.
Além disso, pediu que votem em candidatos da região.

Primeira conta
Numa conta rápida, feita ontem - Criciúma e região correm o risco de sair da eleição com apenas dois ou três deputados federais e seis estaduais. Menor do que entrou.

Na rede
O candidato a deputado federal Leodegar Tiscoski (PP) tem se movimentado bem nas redes sociais, com Instagram, Facebook, Wtahsapp e o site (tiscoski.com).
Ele fez um mapa com mais de 50 obras que foram viabilizadas no seu último mandato de deputado federal.

Primeiro ganhador
Não se sabe ainda quem será o próximo presidente. Mas, a eleição já tem um vencedor - João Amoêdo.
Desconhecido, partido ainda nanico, primeira eleição, falando para um segmento, ele já encostou nas pesquisas em Marina Silva (Rede) e passou nomes conhecidos como Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB).
Dependendo de como se posicionar nos próximos anos, poderá estar na disputa de fato da eleição de 2022.

Prioridades
O candidato a governador Gelson Merisio (PSD) citou ontem na Som Maior FM duas ações que projeta para o Sul - conclusão da pavimentação na Serra do Corvo Branco e um parque tecnológico em Criciúma. 

Nova UPA
Prefeito Clésio Salvaro aterrissa hoje em Brasília com pacote de projetos para encaminhar no Ministério da Saúde. O mais importante é que tenta recursos para construção de uma UPA no distrito de Rio Maina.
Ele diz que a UPA da Próspera é um “sucesso”, com ais de 8.500 atendimentos/mês.

Cortado
A secretária Katia Smielevski, de Infraestrutura, fez ontem o encaminhamento para rompimento do contrato com um dos fornecedores da Prefeitura e inclusão na lista de “inidôneos”.
A empresa em questão é fornecedora de pó de brita e “deixou a Prefeitura na mão”. Mais uma vez. 
Katia confirmou ontem que quatro fornecedores já foram “cortados" por não cumprimento do contrato.

Em cima dos números
O vereador Zairo Casagrande usou boa parte do horário político, na sessão de ontem na Câmara dos Vereadores, com tempo cedido pelos colegas, para apresentar alguns números das finanças da Prefeitura de Criciúma. Se ateve a somente expor os dados, promete análise crítica somente após a Comissão de Finanças, a qual ele faz parte, realizar estudo mais detalhado. Os números: em março a Prefeitura arrecadou R$ 63 milhões e pagou R$ 69 milhões; em abriu arrecadou R$ 59 milhões e pagou R$ 46 milhões e em maio arrecadou R$ 55 e pagou R$ 58 milhões. Em 1º de abril, tinha R$ 43,6 milhões em caixa e em 1º de maio R$ 60 milhões, sem contar a verba carimbada.

CriciúmaPrev
Dentro dos números apresentados por Zairo o que mais vem chamando atenção é a dívida com o CriciúmaPrev, que em 1º de abril era de R$ 34,2 milhões e passou para R$ 36 milhões em 1º de maio, já que não vem sendo repassado os R$ 2 milhões do patronal. O vereador chamou atenção para um novo pedido de parcelamento que pode chegar até o fim do ano na Câmara e que para ele só pode ser aceito junto com uma solução definitiva. A dívida autuarial com o CriciúmaPrev é de R$ 600 milhões.

Vai dar o que falar
Ainda vai dar o que falar as sugestões de pedágios para o Sul do estado. Conforme o edital de chamamento para audiências públicas constam quatro pontos: em São João do Sul; entre Maracajá e Araranguá; entre Tubarão e Jaguaruna, entre Imbituba e Laguna. Por enquanto, não há nenhuma mobilização de grupos contrários, muitos estão sabendo das intenções da ANTT pela imprensa. No dia 18 de outubro terá uma audiência em Criciúma, no período da tarde, e que se não houver articulação passará despercebida.

4oito

Deixe seu comentário