Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Amin quer presidência do Senado e outras da coluna

Senador eleito confirma candidatura e vai a Brasília em busca de apoio
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 16/01/2019 - 06:55

Na próxima semana o senador eleito por Santa Catarina, Esperidião Amin (PP), irá a Brasília buscar a consolidação da sua candidatura à presidência do Senado. Ele tem o apoio dos cinco colegas de partido, mas para poder derrotar o poderoso Renan Calheiros precisará de muito mais. Já distribuiu documento aos demais senadores onde se apresenta como representante do desejo de mudança manifestado pela população, mas com experiência política necessária para comandar o Senado. 
Amin também já dá o tom de como quer conduzir o Congresso Nacional. Critica a omissão do Legislativo em assuntos importantes até o momento para o país, o que leva as principais decisões para o Poder Judiciário. “Não podemos nos omitir, boa parte desse ativismo do Judiciário decorre de nossas omissões”, pondera.
Outro tema que pretende levantar neste mandato é a renúncia tributária, que custa ao país R$ 330 bilhões. Esse assunto é delicado e deve ser enfrentado pela União e também pelos estados. Há muitas isenções fiscais que se perpetuaram no tempo e falta estudo para saber qual a vantagem que volta para a economia brasileira.
Por último, Amin defende uma comunicação mais aberta com a população e com a imprensa.
A posse dos senadores e eleição da Mesa Diretora está marcada para o dia 1º de fevereiro.

O voto

Esperidião Amin defende o voto aberto nas decisões de deputados e senadores, entende que devem satisfação aos eleitores. Na votação para a presidência do Senado, o nome de Renan Calheiros ganhou mais força quando o STF decidiu que a votação será secreta.

Com os prefeitos

O governador Carlos Moisés (PSL) participou da posse do prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), na presidência da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), na tarde de ontem, em Florianópolis. Essa foi a primeira vez que ele teve esse contato mais próximo com os prefeitos. No seu discurso, resumiu suas ações nesses primeiros meses de governo como a redução de 922 cargos comissionados e o fim do uso do papel.

Atendimento aos municípios

Carlos Moisés guardou um anúncio especial para o encontro. A criação de uma Central de Atendimento aos Municípios. A estrutura ficará dentro da Secretaria de Estado da Casa Civil e servirá para fazer a interlocução com as prefeituras das 295 cidades catarinenses. Essa era uma das preocupações externadas pelos prefeitos em relação à extinção das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) devido aos convênios realizados em cada uma das regionais. O governador tratou de acalmar os mais preocupados garantindo que não haverá nenhum prejuízo aos municípios.

Pauta municipalista

Ouviu de Ponticelli o pedido para um encontro com os representantes da Fecam nos próximos dias para tratar das pautas municipalistas. Ponticelli defendeu o fortalecimento das associações regionais.

Fiel escudeiro

Presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostim (PP), prestigiou a posse de Joares Ponticelli na presidência da Fecam. Miri é um fiel escudeiro de Ponticelli e defende o nome do prefeito progressista para governador em 2022.

Alemão

O encontro também foi uma oportunidade para que os prefeitos pudessem se apresentar ao governador, fazer aquela troca de palavras importante. O presidente da Amrec, prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa Alemão, não perdeu a oportunidade.

Na sexta

A reunião de líderes do PSL nacional para tentar amenizar a crise na sigla em Santa Catarina está marcada para sexta-feira, em Florianópolis. A informação é do deputado federal eleito Daniel Freitas. O assunto já chegou na mídia nacional e se não for apaziguado nos próximos dias poderá trazer ainda mais sérios prejuízos para o PSL catarinense na eleição de 2020.

Duas chapas

Com o fim do período de inscrição, está confirmado que duas chapas concorrerão à presidência da Cooperaliança. A situação é liderada por Reginaldo de Jesus, o Dedê. A oposição é representada por Josimar da Silva. A eleição está marcada para o dia 26 de janeiro.

Aninha na Prefeitura

O PSD da região terá mais um prefeito nos próximos dias. A vice de Cocal do Sul, Aninha Scarpato, assumiu a cadeira do titular Ademir Magagnin (PP) até 29 de janeiro. A posse foi acompanhada por lideranças do PSD como o deputado Julio Garcia e o prefeito em exercício de Criciúma, Ricardo Fabris.

Módulo esportivo

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), liderou comitiva até a cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, para conhecer dois ginásios. Foram recebidos pelo prefeito da cidade, Luiz Francisco Schmidt. Um dos objetivos de Murialdo neste segundo mandato é a reformulação total do Módulo Esportivo. Usará recursos de R$ 5 milhões por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) com a Caixa Econômica Federal. 

Novos uniformes

O prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), recepcionou os servidores na volta ao trabalho após férias coletivas. Também aproveitou para entregar novos uniformes aos 90 funcionários das secretarias de Obras e Agricultura (foto). Fontanella ainda anunciou que o secretário de Agricultura, Acione Andrade Izidoro, passará a acumular a pasta de Obras após o pedido de demissão de Vilson Gabriel Filho.

Crescimento

A arrecadação de impostos em Santa Catarina cresceu 13,3% em 2018 em comparação ao ano anterior. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Fazenda. A receita corrente bruta de ICMS, IPVA, ITCMD e demais taxas estaduais foi de R$ 26,1 bilhões. O maior tributo arrecadado foi o ICMS com R$ 19,4 bilhões, um crescimento real de 13% em relação a 2017.
A recuperação veio no segundo semestre, depois de assustar os governantes nos primeiros meses de 2018.

Destaque

As redes de lojas, como 29,3%, foi o setor que apresentou o maior crescimento. Seguida de automação comercial (22,7%), automóveis (17,5%) e transportes (12,5%).

4oito

Deixe seu comentário