Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Alô, governador Moisés!

Denis Luciano
Por Denis Luciano 15/01/2020 - 07:41Atualizado em 15/01/2020 - 07:42

Cotadíssimo para ser o líder do governo Carlos Moisés (PSL) na Assembleia Legislativa (Alesc), o deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) fez um comentário revestido de franqueza ao ser convidado a analisar a denúncia de impeachment entregue na segunda-feira pelo defensor público Ralf Zimmer Júnior. “Isso poderia ter sido evitado. O governo teve a oportunidade de fazer uma regularização, através de lei ordinária, na reforma administrativa, e tomou o encaminhamento de fazer por processo administrativo”. Referia-se ao aumento dos salários dos procuradores do Estado, razão principal da denúncia de crime de responsabilidade, e citava o projeto de sua autoria que previa justamente essa nova regulamentação, e que acabou vetado por Moisés. Embora não veja chances de impedimento do governador, Vampiro admite a existência, já, de um desgaste. “Acredito que não vá prosperar, mas já há um prejuízo político”, reforçou. Outro sul catarinense bastante alinhado a Moisés, o deputado Rodrigo Minotto (PDT) foi mais polido, e evitou qualquer ponderação crítica. Chamou a atenção, por outro lado, a defesa pública feita, via Rádio Som Maior, pelo prefeito de Içara. Murialdo Gastaldon (MDB) lembrou que “ele (Moisés) foi eleito com uma votação histórica em uma eleição democrática e popular”, e comentou que o impeachment está “banalizado”. “Ele é o governador, e ponto final”.

É do PSOL

O jornalista Leonel Camasão, que concorreu ao governo do Estado em 2018 pelo PSOL, entregou ontem à tarde, na Alesc, duas denúncias contra o deputado estadual Jessé Lopes (PSL). Ele quer Jessé no Conselho de Ética respondendo por quebra de decoro parlamentar pois, no entendimento de Camasão, o parlamentar passou dos limites ao relativizar assédio e disparar contra movimentos feministas. O denunciante pede, ainda, que o deputado responda à Procuradoria Geral do Estado sobre possíveis violações penais com as suas declarações. Questionamentos previsíveis, de um alvo previsível por um autor mais previsível ainda.

4oito

Deixe seu comentário