Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Agora sim, bolsonarismo assume governo catarinense

Daniela Reinert será empossada na terça-feira
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 24/10/2020 - 08:27Atualizado em 24/10/2020 - 09:56

Sessão de ontem do Tribunal Especial, que começou 9h, terminou depois das 2 da madrugada de hoje e decidiu pelo afastamento do Governador Moisés e a posse da Vice, Daniela Reinert. 

O que já pode ser dito é que o grande derrotado do processo é o governador Carlos Moisés.

Foi afastado pelos equívocos cometidos.

Foi a decisão da maioria do Tribunal especial, composto por deputado e desembargadores.

Daniela chegou cedo na Assembléia, acompanhou toda a sessão, não arredou o pé, e foi embora Governadora.

Agora, de fato, o bolsonarismo assume o poder no estado.

Moisés foi eleito pela onda Bolsonaro, em 2018, mas logo depois de assumir tratou de se afastar de Bolsonaro e dos seus representantes politicos no estado.

Dos 6 deputados eleitos com ele, pelo PSL e fechados com Bolsonaro, ele perdeu 4.

Daniela, desde que Moisés se afastou de Bolsonaro, fez questão de deixar público que continuava fiel e alinhada com o Presidente.

No ano passado, em novembro, quando o deputado Eduardo Bolsonaro esteve em Criciúma, ela veio encontrá-lo no estúdio da Som Maior para comunicar:

"fui eleita por Bolsonaro, estou com o Presidente, sou liderada do Presidente".

Naquele momento, Daniela rompeu politicamente com Moisés.

Agpra, ela assume o governo catarinense em perfeita sintinua com Brasilia, o Planalto e o Presidente. Moisés não tinha nada disso.

Mas, Daniela precisará ter muita habilidade para conseguir sustentação política e condições básicas de governabilidade. O que Moisés também não tinha mais. Teve em 2019, mas perdeu, pela sua postura.

Daniela teve seis votos a seu favor na sessão de ontem, mas teve cinco contra (pelo seu afastamento).

Dos deputados, ela teve 4 contra e 1 a favor. Dos desembargadores, teve 1 contra e 5 a favor. Margem apertada.

Foi retirada do processo pelo voto do único deputado bolsonarista do Tribunal especial, Sargento Lima, PSL. Ele foi o único a "repartir" o voto.

Votou pelo afastamento de Moisés e preservação de Daniela.

Daniela terá 180 dias para se mostrar diferente, fazer a conexão do governo com o estado, ouvir as entidades e preservar uma boa relação, respeitosa e repubicana com os poderes constituidos.

Terá pela frente, já de imediato, missão de reanimar o estado, aditivar a auto-estima dos catarinenses, passar confiamça e segurança aos empreededores, e fazer a "virada" pós pandemia.

 

 

 

 

4oito

Deixe seu comentário