Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

A chapa de Bauer, a nova tesourada de Eduardo e outras da coluna de hoje

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/04/2018 - 06:17Atualizado em 19/04/2018 - 14:00

O PSDB e o senador Paulo Bauer vão dar um passo adiante hoje à tarde no caminho para consolidação de candidatura ao governo do estado.

Executiva estadual do partido, prefeitos, deputados, principais filiados, numa flagrante demonstração de unidade, vão fazer o lançamento da candidatura de Paulo Bauer ao governo.

O ato tem vários objetivos. O primeiro deles, é jogar água nas especulações de bastidores.

Uma delas, é que o PSDB catarinense teria que se submeter na ultima hora a uma “ordem de cima” para apoiar com este ou aquele candidato em troca do "palanque" para Geraldo Alckimin, candidato do partido a presidência da república.

Para isso, o "antídoto" será um depoimento do próprio Alckmin, em vídeo, que será apresentado durante o ato, dando integral apoio a Paulo Bauer e estimulando sua candidatura.

Alem disso, com o ato de hoje vai confrontar informações sobre enfraquecimento da candidatura de Bauer depois que foi citado em uma delação e de que teria disputa interna entre ele e o ex-prefeito Napoleão Bernardes.

Paulo Bauer está na estrada desde 2017 em campanha para ser candidato a governador. Tem a seu favor o bom desempenho e 2014, quando ficou de fora do segundo turno por menos de 1% dos votos.

Ele tem conversações adiantadas com PP, PSD, PSB e DEM sobre aliança.

Também fala com PMDB, mas pára na candidatura ao governo. Porque ele não abre mão e o PMDB também não da “cabeça de chapa”.

As circunstâncias sinalizam que, no caso de o projeto de Bauer realmente dar certo, e sua candidatura se firme, a aliança deve ser com PP e PSD, Esperidião Amin/PP e Raimundo Colombo/PSD ao senado, e Gelson Merisio/PSD de vice.


O outro lado

A aliança de PSDB/PSD/PP faria o PMDB buscar entendimento com PR, DEM e outros partidos menores. 

Já foi especulada chapa com Eduardo Moreira/PMDB para governador, João Paulo Kleinübing/DEM de vice, Jorginho Mello/PR e Mauro Mariani/PMDB para o senado.

Sem Alckimin, que estará n outro palanque com Bauer e aliados, o PMDB pode buscar vinculação na eleição presidencial com Jair Bolsonaro/PSL ou Joaquim Barbosa/PSB. 

São que hoje o PSB, comandado no estado por Paulo Bornhausen, está ligado a Gelson Merisio/PSD.

Num eventual acordo com Bolsonaro, uma vaga ao senado pode ser de Lucas Esmeraldino/PSL.


O segundo corte

Eduardo Moreira mostrou a “tesoura" ontem, pela segunda vez, desde que assumiu.

Vão derrubar mais de 230 cargos comissionados, rever contratos, proibir despesas e não vai pagar reposições salariais.

Acionou o sinal vermelho. Diz que as contas do estado passaram do limite do suportável.

Eduardo age com dois objetivos. O primeiro, administrativo/gerencial. Porque é ele quem está assinando, é o ordenador primário. Se der algum problema, se as contas não fecharem, ele será penalizado.

Depois, ele precisa fazer uma boa gestão de governo até julho, que seja elogiada e reconhecida, para se firmar candidato a reeleição.


A obra não pára

O deputado federal Ronaldo Benedet, PMDB, foi na semana passada no ministro dos transportes e ontem no ministério do planejamento para tratar do mesmo assunto - o risco de paralisação das obras de pavimentação da serra da rocinha, na br 285.

Ouviu ontem do secretário de infraestrutura do ministério do planejamento, Hailton Madureira, o mesmo que ouviu do ministro dos transportes, Valter Casimiro - “a obra não vai parar, é prioridade do governo federal, não vai faltar dinheiro para ela”.

Os r$ 48 milhões previstos no orçamento para tocar a obra em 2018, continuam contingenciados (bloqueados). Mas, nos dois ministérios a garantia dada é que será liberado o necessário, mês a mês.

Em suma - 2018 na obra da rocinha será do tipo “cada dia, uma agonia”.


Mudança

O empresário Neto Uggioni, liderança política no distrito de Rio Maina, que estava no PSB, migrou para o PMDB.

Já está envolvido com a equipe de campanha do deputado Ronaldo Benedet, candidato a reeleição.


Premiado

Uninter de Criciúma recebeu mais um prêmio da Uninter/Matriz, em Curitiba. Foi o decimo segundo recebido.

Os polos da Uninter na região foram considerados “cinco estrelas”.

Dos 600 polos pelo país, o de Criciúma está entre os melhores.


1 milhão

Era o sonho apenas. Mas, como diz o poeta, quando passa a ser sonhado por muitos, vira realidade.

Foi o que aconteceu com o projeto da Casa Guidi de apurar r$ 1 milhão para compra da sua sede própria.

Ontem o numero foi alcançado. O dinheiro está no caixa.

É a vitoria de um time fenomenal, liderado pelo Otilio Paulo Vitor.

 

4oito

Deixe seu comentário