Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

A cassação de Daniel Freitas e o perde/ganha com renúncia de Mota

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/07/2018 - 05:54Atualizado em 19/07/2018 - 06:51

O secretário regional de Araranguá, Heriberto Schimit, passou o dia de ontem ao telefone explicando que não pode ser candidato a deputado estadual porque não desincompatibilizou no prazo legal. Seria o candidato natural do MDB na vaga do deputado Manoel Mota, que ontem anunciou oficialmente que não vai disputar a reeleição.

Mas, Heriberto não deixou o cargo exatamente porque o deputado Manoel Mota assegurou que tentaria a “última eleição”.

Como ele tinha preferência e não seria prudente dois candidatos do partido no Vale, Heriberto puxou o freio de mão.

Ontem, durante entrevista ao repórter Ninomar Moro, na radio Imigrante, de Turvo, ele disse que não se arrependeu, mas estava visivelmente chateado.

Mota fez ontem dois anúncios em um só na coletiva de ontem - “renunciou” a candidatura e anunciou apoio para Volnei Weber, ex-prefeito de São Ludgero, região da Amurel. Não pegou bem. Prefeitos e dirigentes do MDB do vale não gostaram porque deixou o partido sem candidato no Vale e ainda tenta abrir espaço para o “candidato de fora”.

Os primeiros “beneficiados” com a retirada de Mota são os deputados Luiz Fernando Vampiro e Ada de Luca, os dois do MDB. Eles já tem grupos de apoio no Vale, mas agora poderão se articular com maior facilidade (e liberado).

Mesmo que seja do PP, adversário politico, também ganha o deputado José Milton Scheffer, que é do Vale.

Mas, o maior beneficiado, sem duvida alguma, é o ex-prefeito de Arroio do Silva, Evandro Scaine, PSD. Ele ja vinha fazendo campanha intensa em Araranguá, casa a casa, e isso também pesou na decisão de Mota de sair do processo.

Agora, Evandro ficará com o espaço livre para atuar na cidade, onde tem sua empresa, e é citado como possível candidato a prefeito em 2020.

Ele passa a ser o mais cotado para “campeão de votos” em Araranguá entre os candidatos a deputado estadual.

Se confirmar a previsão, e não se eleger deputado, estará com a campanha a prefeito efetivamente encaminhada.

 

A cassação de Daniel

O vereador Daniel Freitas, ex-presidente da câmara, não contava com isso - perda de mandato antes de começar a campanha.

Ele tentou ser candidato a deputado no PP, duas vezes, e não conseguiu. Bateu na trave.

Migrou, então, para o PSL para encaminhar candidatura a deputado federal.

Mas, imaginava que isso fosse feito em comum acordo com o PP, sem "quebrar pratos”. E as conversas preliminares até indicaram para isso.

A primeira manifestação publica do presidente do PP, Itamar da Silva, foi que Daniel continuaria “amigo e companheiro” e teria sempre “portas abertas”.

Ficou implícito que, se não obtivesse êxito no projeto de deputado no PSL, Daniel voltaria ao PP.

Só que os suplentes, dirigentes e filiados do partido reagiram. Exigiram processo na justiça para “buscar" a cadeira de Daniel na câmara. A direção estadual do PP também (e colocou advogado a disposição). E o mandato foi cassado ontem à noite.

A decisão do TRE não deixa nenhuma duvida - perda de mandato por decisão unanime dos membros.

TRE mandou dar posse imediatamente ao primeiro suplente do PP, Edson do Nascimento, o Paiol, presidente da UABC.

Seria Angela Mello, que ficou na primeira suplicia na eleição. Mas, assim como Daniel, ela também trocou de partido, saiu do PP, e perdeu a vaga.

 

Amin e Merisio - acordo próximo

Os deputados Esperidião Amin, PP, e Gelson Merisio, PSD, candidatos a governador, voltaram a conversar, os ânimos foram “serenados”, e um acordo para fechamento de aliança (e de chapa) pode ser fechado até amanhã. Antes da convenção estadual do PP.

 

Com PSDB

Amin e Merisio conversaram pelo menos três vezes nas ultimas 48 horas.

Ontem à tarde, Amin se reuniu com o o ex-governador Raimundo Colombo, que ainda opera, junto com Amin, por uma aliança ampla, incluindo PSD-PP-PSDB-DEM-PSB.

O acordo nacional entre PSD e PSDB pode facilitar o entendimento em Santa Catarina.

 

Apostando em Guidi

Raimundo Colombo afirmou em todas as reuniões que fez nos dois dias que ficou na região que projeta Ricardo Guidi como o segundo mais votado do PSD para deputado federal.

Disse que o partido (desde quando era PFL) sempre elegeu três federais no estado.

Também anunciou que está abrindo espaço para Guidi na serra, sua base eleitoral.

 

Cutucou

Ricardo Guidi esteve com Raimundo Colombo durante todo o roteiro do ex-governador.

Ontem cedo, participaram de entrevista no estúdio da rádio Som Maior.

Colombo disse que sua relação com Eduardo Moreira “esfriou” e falou das contas do seu governo.

Garantiu que deixou as contas melhor do que recebeu e cutucou o secretário da fazenda, Paulo Ely - “se eu fosse dar um conselho para o secretário, diria para ele ser mais otimista, mais positivo, porque a impressão que ele passa é que está muito pior do que realmente está”.

 

Reliquia

Ricardo Guidi ofereceu jantar para Raimundo Colombo no sitio da família, na terça-fira a noite. Reuniu prefeitos, vices, vereadores e dirigentes do PSD da região.

Detalhe - o prato usado é da Expo 100, a festa do centenário de Criciúma, em 1980, primeiro mandato do ex-prefeito Altair Guidi, pai de Ricardo. 

Foi a primeira grande festa popular da cidade, que deflagrou o processo para o resgate da cultura das etnias colonizadoras.

 

Fila de banco

O sindicato dos bancários foi na câmara pedir que os vereadores votem contra o projeto encaminhado pelo prefeito Clesio Salvaro que pretende revogar a lei que determina tempo máximo de espera nas filas de lotéricas.

Mas, deveriam ter ido junto todos os clientes e usuários. Porque trata-se de direito adquirido. Não faz sentido mudar.

 

Redução do crime

Governador Eduardo Moreira e o secretário de segurança, Alceu Ponto Junior, apresentaram ontem dados que apontam para redução nos indices mais expressivos de violência e criminalidade no estado.

E anunciaram uma meta ousada - Santa Catarina vai se tornar o estado mais seguro do país ate 2023.

Entre os indicadores mais relevantes estão as quedas de 14,9% no número de homicídios; 30,8% em roubos e queda de 55,4% em roubo/furto à instituição financeira.

 

4oito

Deixe seu comentário