Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Fábricas de caixões de defuntos da região sul podem parar por falta de matéria-prima

Ney Lopes
Por Ney Lopes 10/04/2021 - 08:09Atualizado em 10/04/2021 - 08:11

Está feia mesmo a coisa. Prefeito da cidade de Grão Pará, considerada a cidade mais fúnebre da região sul dona de 40% da produção de caixões fúnebres do estado, está preocupado com a falta de matéria prima para produção de urnas funerária. De acordo com o Prefeito, durante uma audiência com o deputado criciumense, Rodrigo Minotto, os empresários donos das quatro fábricas do pequeno município falaram que só tem matéria-prima para mais 20 dias para atender as centenas de pedidos. Alegam que com a alta do dólar os fornecedores de madeiras estão preferindo a exportação.

Cena que circulou esta semana nas redes sociais. Motorista de uma Ferrari é assaltado em plena luz do dia numa rua em Balneário Camburiú.

JUIZ Fernando Ritter perdeu ontem em Porto Alegre um irmão por Covid-19. Esta semana também, em Criciúma entre tantos óbitos perdemos o Kassio Machado Fretta aos 52 anos, sócio do Ney Milanez.

DEPOIS da legalização da maionese caseira em discussão na Câmara Municipal de Içara. Tramita na Assembleia Legislativa o projeto de lei que proíbe as competições de corrida de cachorros em Santa Catarina. Autoria do deputado Marcius Machado (PL).

4oito

Deixe seu comentário